O ORÇAMENTO PÚBLICO MUNICIPAL E OS RECURSOS PARA A INFÂNCIA. Exemplo prático

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O ORÇAMENTO PÚBLICO MUNICIPAL E OS RECURSOS PARA A INFÂNCIA. Exemplo prático"

Transcrição

1 O ORÇAMENTO PÚBLICO MUNICIPAL E OS RECURSOS PARA A INFÂNCIA Exemplo prático

2 Incluir no PPA as ações do plano Proteção Integral, que envolve programas de interesse da INFÂNCIA Um município quer implantar um projeto da administração denominado Proteção Integral, que consta do Planejamento e do Plano de Governo, e envolve várias Secretarias e seus respectivos programas específicos. A indicação do Plano de Governo é implantar em quatro anos o projeto no município, iniciando com o atendimento às crianças de 0 a 6 anos de idade. A Secretaria Municipal de Educação, que não possui uma rede de creches capaz de realizar e centralizar o atendimento, construirá e manterá esses equipamentos através de um programa denominado Educação Integral. As áreas onde serão construídas as creches demandam recuperação, saneamento e melhorias, além de serviços públicos de apoio. Outras secretarias devem realizar estas melhorias por meio de seus programas, integrando-se ao esforço geral. Os recursos virão de várias fontes, pois existem órgãos federais e estaduais que transferem recursos por convênios quando as justificativas estão integradas em torno da proteção e da promoção dos direitos da INFÂNCIA e da necessidade de ações nessa área. Dados dos programas para inclusão nas peças orçamentárias 1. Educação Integral Resumo da ação: construir e equipar instalações com recursos do Tesouro vinculados da Educação Código Gerencial: 0001 Objetivo: implantação do sistema municipal de creches para atendimento das crianças nas ações do programa Proteção Integral Meta: construção e instalação de 4 creches Indicador: unidade instalada; Unidade de medida: creche Fonte de recursos: 01 (classificação da Tabela Audesp 1.2) Unidades Orçamentárias envolvidas (classificação gerencial fornecida no Anexo do PPA): Órgão: 02 Prefeitura Municipal Unidade Orçamentária: 03 Secretaria da Educação Unidade Executora: 01 Departamento de Educação Infantil

3 2. Primeiro Dente Resumo da ação: equiparar consultórios com recursos vinculados do Fundo de Direitos da Criança e do Adolescente Código Gerencial: 0002 Objetivo: equipar consultórios dentários para atender as crianças Meta: equipar 1 consultório ao ano; Indicador: consultório equipado; Unidade de medida: consultório Fonte de recursos: 03 (classificação da Tabela Audesp 1.2) Unidades Orçamentárias envolvidas (classificação gerencial fornecida no Anexo do PPA): Órgão: 02 Prefeitura Municipal Unidade Orçamentária: 04 Secretaria da Assistência Social Unidade Executora: 01 - Fundo de Direitos da Criança e do Adolescente 3. Cuidado com a Criança Resumo da ação: contratar médicos pediatras com recursos vinculados da Saúde Código Gerencial: 0003 Objetivo: contratar pediatras para atender crianças nas creches Meta: contratar 4 pediatras. Indicador: profissional contratado; Unidade de medida: profissional Fonte de recursos: 03 (classificação da Tabela Audesp 1.2) Unidades Orçamentárias envolvidas (classificação gerencial fornecida no Anexo do PPA): Órgão: 02 Prefeitura Municipal Unidade Orçamentária: 05 Secretaria da Saúde Unidade Executora: 01 Fundo Municipal de Saúde

4 4. Programa municipal de obras Resumo da ação: canalizar o Córrego da Barra no entorno das creches com recursos federais transferidos e vinculados a convênio Código Gerencial: 0004 Objetivo: canalização do córrego para possibilitar a implantação das creches e dos serviços de atendimento infantil. Meta: canalizar 4000 metros do córrego Indicador: linha canalizada; Unidade de medida: metros Fonte de recursos: 05 (classificação da Tabela Audesp 1.2) Unidades Orçamentárias envolvidas (classificação gerencial fornecida no Anexo do PPA): Órgão: 02 Prefeitura Municipal Unidade Orçamentária: 07 Secretaria de Obras Unidade Executora: 01 Departamento de Obras 5. Tome Conta Resumo da ação: combater violência contra crianças com recursos próprios vinculados ao Fundo Social de Solidariedade através de metodologia existente no mercado. Código Gerencial: 0005 Objetivo: reduzir a violência contra crianças Meta: reduzir eventos de violência em 80%. Indicador: eventos comunicados às autoridades; Unidade de medida: eventos Fonte de recursos: 03 (classificação da Tabela Audesp 1.2) Unidades Orçamentárias envolvidas (classificação gerencial fornecida no Anexo do PPA): Órgão: 02 Prefeitura Municipal Unidade Orçamentária: 01 Gabinete do Prefeito Unidade Executora: 02 Fundo Social de Solidariedade

5 Dados econômicos por projeto e seus itens de despesa para inclusão nas peças orçamentárias Programa Itens do programa valor Metas Anuais 0001 Educação Integral 0002 Primeiro Dente Material de consumo (atividade) , , , , ,00 Outros serviços de Terceiros Pessoa , , , , ,00 Jurídica (atividade) Obras e Instalações (projeto) , ,000, ,000, ,000, ,000,00 Equipamento e material permanente , , , , ,00 (projeto) Total do projeto , , , , ,00 Equipamento e material permanente , , , , , Cuidado com a Criança Pessoal e encargos , , , , , Programa Municipal de Obras Obras e instalações (convenio federal) , , , , , Tome Conta Outros serviços de Terceiros Pessoa Jurídica , , , , ,00

6 De posse dos dados acima e das descrições dos programas, iniciaremos o preenchimento dos anexos II e III do PPA para cada programa de acordo com os conceitos enunciados. Lembre-se: 1. Tenha em mãos as Tabelas e Portarias. 2. Os códigos gerenciais obedecem à classificação escolhida pelo município e se encontram em anexos do PPA. 3. O anexo II descreve o programa, a unidade que o executa, as metas e o custo total em quatro anos. 4. O anexo III apresenta as metas físicas e os custos por exercício ao longo dos quatro anos. *Atenção para o Anexo III do PPA (à página 18 deste módulo), onde o termo projeto aparece usado na segunda acepção referida anteriormente. Analise e aprenda: Identifique nos programas apresentados neste exemplo prático as possibilidades de composição de diversas funções, subfunções, fontes de recursos e unidades administrativas executoras.

7 ANEXO II do PPA Descrição de Programas Governamentais, Metas e Custo Total. Programa Educação Integral Município: XXXXX PROGRAMA: EDUCAÇÃO INTEGRAL CÓDIGO DO PROGRAMA: 0001 UNIDADE RESPONSÁVEL PELO PROGRAMA: SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CÓDIGO DA UNIDADE RESPONSÁVEL: OBJETIVO: IMPLANTAÇAO DO SISTEMA MUNICIPAL DE CRECHES PARA ATENDIMENTO DAS CRIANÇAS DE ACORDO COM AS AÇÕES DO PROGRAMA PROTEÇÃO INTEGRAL JUSTIFICATIVA: O MUNICIPIO NAO POSSUI UM SISTEMA DE CRECHES. É NECESSÁRIA SUA IMPLANTAÇAO PARA ATENDER INTEGRALMENTE CRIANÇAS E JOVENS. METAS: CONSTRUÇAO E IMPLANTAÇAO DE 04 CRECHES Indicadores Unidade Índice Recente Índice Futuro UNIDADE INSTALADA UNIDADE O 04 PREVISÃO DA EVOLUÇÃO DOS INDICADORES POR EXERCÍCIO Indicadores UNIDADE IMPLANTADA CUSTO TOTAL ESTIMADO PARA O PROGRAMA: R$: ,00 JUSTIFICATIVA DAS MODIFICAÇÕES:

8 Anexo III do PPA UNIDADES EXECUTORAS E AÇÕES VOLTADAS AO DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA GOVERNAMENTAL. Programa Educação Integral Município: XXXXX UNIDADE EXECUTORA: DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO INFANTIL CÓDIGO DA UNIDADE Nº: FUNÇÃO: EDUCAÇÃO CÓDIGO DA FUNÇÃO Nº: 12 SUBFUNÇÃO: EDUCAÇÃO INFANTIL CÓDIGO DA SUBFUNÇÃO Nº: 365 PROGRAMA: EDUCAÇÃO INTEGRAL CÓDIGO DO PROGRAMA Nº: 0001 AÇÕES PROJETO*: CONSTRUÇAO DE CRECHE CÓDIGO DO PROJETO 001 META FÍSICA QUANTIDADE TOTAL: 04 UNIDADE DE MEDIDA: UNIDADE META POR EXERCÍCIO META DO PPA CUSTO FINANCEIRO TOTAL R$: ,00 CUSTO FINANCEIRO POR EXERCÍCIO , , , ,00

9 ANEXO II do PPA Descrição de Programas Governamentais, Metas e Custo Total Programa. Programa Primeiro Dente Município: XXXXX PROGRAMA: Primeiro Dente CÓDIGO DO PROGRAMA: 0002 UNIDADE RESPONSÁVEL PELO PROGRAMA: SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CÓDIGO DA UNIDADE RESPONSÁVEL: OBJETIVO: EQUIPAR CONSULTÓRIOS ODONTOLÓGICOS PARA ATENDIMENTO DAS CRIANÇAS DE ACORDO COM AS AÇÕES DO PROGRAMA PROTEÇÃO INTEGRAL JUSTIFICATIVA: EXISTE PESSOAL DISPONÍVEL E NÃO EXISTEM CONSULTÓRIOS ODONTOLÓGICOS. METAS: CONSTRUÇAO E IMPLANTAÇAO DE 04 CRECHES Indicadores Unidade Índice Recente Índice Futuro CONSULTORIO EQUIPADO UNIDADE O 04 PREVISÃO DA EVOLUÇÃO DOS INDICADORES POR EXERCÍCIO Indicadores CONSULTÓRIO CUSTO TOTAL ESTIMADO PARA O PROGRAMA: R$: ,00 JUSTIFICATIVA DAS MODIFICAÇÕES:

10 Anexo III do PPA UNIDADES EXECUTORAS E AÇÕES VOLTADAS AO DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA GOVERNAMENTAL. Programa Primeiro Dente Município: XXXXX UNIDADE EXECUTORA: FUNDO DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CÓDIGO DA UNIDADE Nº: FUNÇÃO: ASSISTÊNCIA SOCIAL CÓDIGO DA FUNÇÃO Nº: 08 SUBFUNÇÃO: ASSISTÊNCIA COMUNITÁRIA CÓDIGO DA SUBFUNÇÃO Nº: 244 PROGRAMA: PRIMEIRO DENTE CÓDIGO DO PROGRAMA Nº: 0002 AÇÕES PROJETO*: EQUIPAR CONSULTÓRIO CÓDIGO DO PROJETO Nº: 001 META FÍSICA QUANTIDADE TOTAL: 04 UNIDADE DE MEDIDA: CONSULTÓRIO META POR EXERCÍCIO META DO PPA CUSTO FINANCEIRO TOTAL R$: ,00 CUSTO FINANCEIRO POR EXERCÍCIO , , , ,00

11 ANEXO II do PPA Descrição de Programas Governamentais, Metas e Custo Total. Programa Cuidado com a Criança Município: XXXXX PROGRAMA: CUIDADO COM A CRIANÇA CÓDIGO DO PROGRAMA: 0003 UNIDADE RESPONSÁVEL PELO PROGRAMA: SECRETARIA DA SAÚDE CÓDIGO DA UNIDADE RESPONSÁVEL: OBJETIVO: CONTRATAR MÉDICOS PEDIATRAS PARA ATENDIMENTO DAS CRIANÇAS DE ACORDO COM AS AÇÕES DO PROGRAMA PROTEÇÃO INTEGRAL JUSTIFICATIVA: NECESSIDADE DOS PROFISSIONAIS PARA ATENDER INTEGRALMENTE CRIANÇAS. METAS: CONTRATAR 04 PEDIATRAS Indicadores Unidade Índice Recente Índice Futuro PROFISSIONAL CONTRATADO PROFISSIONAL O 04 PREVISÃO DA EVOLUÇÃO DOS INDICADORES POR EXERCÍCIO Indicadores PROFISSIONAL CONTRATADO CUSTO TOTAL ESTIMADO PARA O PROGRAMA: R$: ,00 JUSTIFICATIVA DAS MODIFICAÇÕES:

12 Anexo III do PPA UNIDADES EXECUTORAS E AÇÕES VOLTADAS AO DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA GOVERNAMENTAL. Programa Cuidado com a Criança Município: XXXXX UNIDADE EXECUTORA: FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE CÓDIGO DA UNIDADE Nº: FUNÇÃO: SAÚDE CÓDIGO DA FUNÇÃO Nº: 10 SUBFUNÇÃO: ATENÇÃO BÁSICA CÓDIGO DA SUBFUNÇÃO Nº: 301 PROGRAMA: EDUCAÇÃO INTEGRAL CÓDIGO DO PROGRAMA Nº: 0003 AÇÕES PROJETO*: CONTRATAÇÃO DE PROFISSIONAIS CÓDIGO DO PROJETO Nº: 002 META FÍSICA QUANTIDADE TOTAL: 04 UNIDADE DE MEDIDA: PROFISSIONAL META POR EXERCÍCIO META DO PPA CUSTO FINANCEIRO TOTAL R$: ,00 CUSTO FINANCEIRO POR EXERCÍCIO , , , ,00

13 ANEXO II do PPA Descrição de Programas Governamentais, Metas e Custo Total Programa. Programa Municipal de Obras Município: XXXXX PROGRAMA: PROGRAMA MUNICIPAL DE OBRAS CÓDIGO DO PROGRAMA: 0004 UNIDADE RESPONSÁVEL PELO PROGRAMA: SECRETARIA DE OBRAS CÓDIGO DA UNIDADE RESPONSÁVEL: OBJETIVO: CANALIZAR CÓRRIGO DAD BARRA NO ENTORNO DAS CRECHES DE ACORDO COM AS AÇÕES DO PROGRAMA PROTEÇÃO INTEGRAL JUSTIFICATIVA: INSALUBRIDADE DA REGIÃO E IMPLANTAÇÀO DAS AÇOES PROGRAMADAS DE ATENDIMENTO ÀS CRIANÇAS METAS: CANALIZAÇÃO DE 4000 METROS DO CÓRREGO Indicadores Unidade Índice Recente Índice Futuro METROS DE CANALIZAÇÃO METTROS O 4000 PREVISÃO DA EVOLUÇÃO DOS INDICADORES POR EXERCÍCIO Indicadores METROS DE CANALIZAÇÃO CUSTO TOTAL ESTIMADO PARA O PROGRAMA: R$: ,00 JUSTIFICATIVA DAS MODIFICAÇÕES:

14 Anexo III do PPA UNIDADES EXECUTORAS E AÇÕES VOLTADAS AO DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA GOVERNAMENTAL. Programa Municipal de Obras Município: XXXXX UNIDADE EXECUTORA: DEPARTAMENTO DE OBRAS CÓDIGO DA UNIDADE Nº: FUNÇÃO: SANEAMENTO CÓDIGO DA FUNÇÃO Nº: 17 SUBFUNÇÃO: SANEAMENTO BÁSICO URBANO CÓDIGO DA SUBFUNÇÃO Nº: 512 PROGRAMA: PROGRAMA MUNICIPAL DE OBRAS CÓDIGO DO PROGRAMA Nº: 0004 AÇÕES PROJETO*: CANALIZAÇÃO CÓDIGO DO PROJETO: 001 META FÍSICA QUANTIDADE TOTAL: 4000 UNIDADE DE MEDIDA: METROS META POR EXERCÍCIO META DO PPA CUSTO FINANCEIRO TOTAL R$: ,00 CUSTO FINANCEIRO POR EXERCÍCIO , , , ,00

15 ANEXO II do PPA Descrição de Programas Governamentais, Metas e Custo Total Programa. Programa Tome Conta Município: XXXXX PROGRAMA: TOME CONTA CÓDIGO DO PROGRAMA: 0005 UNIDADE RESPONSÁVEL PELO PROGRAMA: GABINETE DO PREFEITO CÓDIGO DA UNIDADE RESPONSÁVEL: OBJETIVO: REDUZIR A VIOLÊNCIA CONTRA AS CRIANÇAS DE ACORDO COM AS AÇÕES DO PROGRAMA PROTEÇÃO INTEGRAL JUSTIFICATIVA: VERIFICOU-SE INDICE INACEITÁVEL DE VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS. O PROGRAMA FAZ PARTE DE UM CONJUNTO DE AÇÕES ESTRATÉGICAS NA ÁREA METAS: REDUZIR OS EVENTOS EM 80% Indicadores Unidade Índice Recente Índice Futuro EVENTOS COMUNICADOS EVENTOS/MÊS PREVISÃO DA EVOLUÇÃO DOS INDICADORES POR EXERCÍCIO Indicadores EVENTOS POR MÊS CUSTO TOTAL ESTIMADO PARA O PROGRAMA: R$: ,00 JUSTIFICATIVA DAS MODIFICAÇÕES:

16 Anexo III do PPA UNIDADES EXECUTORAS E AÇÕES VOLTADAS AO DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA GOVERNAMENTAL. Programa Tome Conta Município: XXXXX UNIDADE EXECUTORA: FUNDO SOCIAL DE SOLIDARIEDADE CÓDIGO DA UNIDADE Nº: FUNÇÃO: DIREITOS DA CIDADANIA CÓDIGO DA FUNÇÃO Nº: 14 SUBFUNÇÃO: ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE CÓDIGO DA SUBFUNÇÃO Nº: 243 PROGRAMA: TOME CONTA CÓDIGO DO PROGRAMA Nº: 0005 AÇÕES PROJETO*: CONTRATAÇÃO E APLICAÇÃO DE METODOLOGIA EXISTENTE CÓDIGO DO PROJETO Nº: 001 META FÍSICA QUANTIDADE TOTAL: REDUÇÃO EM 80% DOS EVENTOS UNIDADE DE MEDIDA: EVENTOS POR MÊS META POR EXERCÍCIO META DO PPA CUSTO FINANCEIRO TOTAL R$: ,00 CUSTO FINANCEIRO POR EXERCÍCIO , , , ,00

17 Exemplo prático: Priorizar na LDO os programas de interesse da INFÂNCIA sugeridos no item 8. A seguir são apresentados os anexos V e VI da LDO, que indicam que para o ano de 2012 foi priorizada a primeira etapa dos programas que, no exemplo anterior, foram incluídos no PPA. Ao analisar o material, lembre-se de consultar aqueles dados que trazem os indicadores das metas a serem cumpridas e os códigos que identificam a despesa até o nível de programa. É com base nessa priorização da LDO transformada em lei que, no passo seguinte, será elaborada a terceira peça do orçamento, a LOA - Lei Orçamentária Anual. Anexo V LDO - Descrição de Programas Governamentais, Metas e Custos no Exercício. Programa Educação Integral Município: XXX EXERCÍCIO: 2012 PROGRAMA: Educação Integral CÓDIGO DO PROGRAMA: 0001 UNIDADE RESPONSÁVEL PELO PROGRAMA: Secretaria de Educação CÓDIGO DA UNIDADE RESPONSÁVEL: OBJETIVO: IMPLANTAÇAO DO SISTEMA DE CRECHES PARA ATENDIMENTO DAS CRIANÇAS DE ACORDO COM AS AÇÕES DO PROGRAMA PROTEÇÃO INTEGRAL JUSTIFICATIVA: O MUNICIPIO NAO POSSUI UM SISTEMA DE CRECHES. É NECESSÁRIA SUA IMPLANTAÇAO PARA ATENDER INTEGRALMENTE CRIANÇAS E JOVENS. METAS / INDICADORES NO EXERCÍCIO

18 Indicadores Unidade de Medida Índice Recente Índice Futuro Unidade instalada creche 0 1 CUSTO ESTIMADO DO PROGRAMA NO EXERCÍCIO: R$ ,00 Anexo VI LDO Unidades Executoras e ações voltados ao desenvolvimento do programa municipal. Programa Educação Integral Município: XXX EXERCÍCIO: 2012 UNIDADE EXECUTORA: Departamento de Educação Infantil CÓDIGO DA UNIDADE Nº: FUNÇÃO: Educação CÓDIGO DA FUNÇÃO Nº: 12 SUBFUNÇÃO: Assistência Comunitária CÓDIGO DA SUBFUNÇÃO Nº: 365 PROGRAMA: Educação Integral CÓDIGO DO PROGRAMA Nº: 0001 TIPOS DE AÇÕES GOVERNAMENTAIS PROJETO: Construção de creches CÓDIGO DO PROJETO: 001 META FÍSICA PARA O EXERCÍCIO UNIDADE DE MEDIDA 1 creche

19 CUSTO FINANCEIRO PARA O EXERCÍCIO R$: ,00 Anexo V LDO - Descrição de Programas Governamentais, Metas e Custos no Exercício. Programa Primeiro Dente Município: EXERCÍCIO: 2012 PROGRAMA: Primeiro Dente CÓDIGO DO PROGRAMA: 0002 UNIDADE RESPONSÁVEL PELO PROGRAMA: Secretaria de Assistência Social CÓDIGO DA UNIDADE RESPONSÁVEL: OBJETIVO: EQUIPAR CONSULTÓRIOS ODONTOLÓGICOS PARA ATENDIMENTO DAS CRIANÇAS DE ACORDO COM AS AÇÕES DO PROGRAMA PROTEÇÃO INTEGRAL JUSTIFICATIVA: Existe pessoal disponível e não existem consultórios odontológicos METAS / INDICADORES NO EXERCÍCIO Indicadores Unidade de Medida Índice Recente Índice Futuro Consultório equipado consultório 0 1 CUSTO ESTIMADO DO PROGRAMA NO EXERCÍCIO: R$ ,00

20 Anexo VI LDO Unidades Executoras e ações voltados ao desenvolvimento do programa municipal. Programa Primeiro Dente Município: EXERCÍCIO: 2012 UNIDADE EXECUTORA: Fundo de Direitos da Criança e do Adolescente CÓDIGO DA UNIDADE Nº: FUNÇÃO: Assistência Social CÓDIGO DA FUNÇÃO Nº: 08 SUBFUNÇÃO: Assistência Comunitária CÓDIGO DA SUBFUNÇÃO Nº: 244 PROGRAMA: Primeiro Dente CÓDIGO DO PROGRAMA Nº: 0002 TIPOS DE AÇÕES GOVERNAMENTAIS PROJETO: Equipar consultórios CÓDIGO DO PROJETO: 001 META FÍSICA PARA O EXERCÍCIO UNIDADE DE MEDIDA 1 consultório CUSTO FINANCEIRO PARA O EXERCÍCIO R$: ,00

21 Anexo V LDO - Descrição de Programas Governamentais, Metas e Custos no Exercício. Programa Cuidado com a Criança Município: EXERCÍCIO: 2012 PROGRAMA: Cuidado com a Criança CÓDIGO DO PROGRAMA: 0003 UNIDADE RESPONSÁVEL PELO PROGRAMA: Secretaria da Saúde CÓDIGO DA UNIDADE RESPONSÁVEL: OBJETIVO: CONTRATAR MÉDICOS PEDIATRAS PARA ATENDIMENTO DAS CRIANÇAS DE ACORDO COM AS AÇÕES DO PROGRAMA PROTEÇÃO INTEGRAL JUSTIFICATIVA: Necessidade de profissionais para atender integralmente às crianças. METAS / INDICADORES NO EXERCÍCIO Indicadores Unidade de Medida Índice Recente Índice Futuro Profissional contratado profissional 0 1 CUSTO ESTIMADO DO PROGRAMA NO EXERCÍCIO: R$ ,00

22 Anexo VI LDO Unidades Executoras e ações voltados ao desenvolvimento do programa municipal. Programa Cuidado com a Criança Município: EXERCÍCIO: 2012 UNIDADE EXECUTORA: Fundo Municipal de Saúde CÓDIGO DA UNIDADE Nº: FUNÇÃO: Saúde CÓDIGO DA FUNÇÃO Nº: 10 SUBFUNÇÃO: Atenção Básica CÓDIGO DA SUBFUNÇÃO Nº: 301 PROGRAMA: Cuidado com a Criança CÓDIGO DO PROGRAMA Nº: 0003 TIPOS DE AÇÕES GOVERNAMENTAIS PROJETO: Contratação de Pediatras CÓDIGO DO PROJETO: 002 META FÍSICA PARA O EXERCÍCIO UNIDADE DE MEDIDA 1 profissional CUSTO FINANCEIRO PARA O EXERCÍCIO R$: ,00

23 Anexo V LDO - Descrição de Programas Governamentais, Metas e Custos no Exercício. Programa Municipal de Obras Município: EXERCÍCIO: 2012 PROGRAMA: Programa Municipal de Obras CÓDIGO DO PROGRAMA: 0004 UNIDADE RESPONSÁVEL PELO PROGRAMA: Secretaria de Obras CÓDIGO DA UNIDADE RESPONSÁVEL: OBJETIVO: CANALIZAR CÓRRIGO DAD BARRA NO ENTORNO DAS CRECHES DE ACORDO COM AS AÇÕES DO PROGRAMA PROTEÇÃO INTEGRAL JUSTIFICATIVA: Insalubridade da região e implantação de ações de atendimento às crianças METAS / INDICADORES NO EXERCÍCIO Indicadores Unidade de Medida Índice Recente Índice Futuro Linha canalizada metros CUSTO ESTIMADO DO PROGRAMA NO EXERCÍCIO: R$ ,00

24 Anexo VI LDO Unidades Executoras e ações voltados ao desenvolvimento do programa municipal. Programa Municipal de Obras Município: XXX EXERCÍCIO: 2012 UNIDADE EXECUTORA: Departamento de Obras CÓDIGO DA UNIDADE Nº: FUNÇÃO: Saneamento CÓDIGO DA FUNÇÃO Nº: 17 SUBFUNÇÃO: Saneamento Urbano CÓDIGO DA SUBFUNÇÃO Nº: 512 PROGRAMA: Programa Municipal de Obras CÓDIGO DO PROGRAMA Nº: 0004 TIPOS DE AÇÕES GOVERNAMENTAIS PROJETO: canalização de córregos CÓDIGO DO PROJETO: 001 META FÍSICA PARA O EXERCÍCIO UNIDADE DE MEDIDA 1000 metros CUSTO FINANCEIRO PARA O EXERCÍCIO R$: ,00

25 Anexo V LDO - Descrição de Programas Governamentais, Metas e Custos no Exercício. Programa Tome Conta Município: EXERCÍCIO: 2012 PROGRAMA: Tome Conta CÓDIGO DO PROGRAMA: 0005 UNIDADE RESPONSÁVEL PELO PROGRAMA: Fundo Social de Solidariedade CÓDIGO DA UNIDADE RESPONSÁVEL: OBJETIVO: REDUZIR A VIOLÊNCIA CONTRA AS CRIANÇAS DE ACORDO COM AS AÇÕES DO PROGRAMA PROTEÇÃO INTEGRAL JUSTIFICATIVA: VERIFICOU-SE INDICE INACEITÁVEL DE VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS. O PROGRAMA FAZ PARTE DE UM CONJUNTO DE AÇÕES ESTRATÉGICAS NA ÁREA METAS / INDICADORES NO EXERCÍCIO Indicadores Unidade de Medida Índice Recente Índice Futuro Eventos Evento/mês CUSTO ESTIMADO DO PROGRAMA NO EXERCÍCIO: R$ ,00

26 Anexo VI LDO Unidades Executoras e ações voltados ao desenvolvimento do programa municipal. Programa Tome Conta Município: XXXX EXERCÍCIO: 2012 UNIDADE EXECUTORA: Fundo social de Solidariedade CÓDIGO DA UNIDADE Nº: FUNÇÃO: Direitos da Cidadania CÓDIGO DA FUNÇÃO Nº: 14 SUBFUNÇÃO: Assistência à Criança e ao Adolescente CÓDIGO DA SUBFUNÇÃO Nº: 243 PROGRAMA: Tome conta CÓDIGO DO PROGRAMA Nº: 0005 TIPOS DE AÇÕES GOVERNAMENTAIS PROJETO: Contratação e aplicação de metodologia existente CÓDIGO DO PROJETO: 001 META FÍSICA PARA O EXERCÍCIO UNIDADE DE MEDIDA 30 Eventos/mês CUSTO FINANCEIRO PARA O EXERCÍCIO R$: ,00

27 Exemplo prático: Incluir na LOA a previsão de despesas correspondentes para garantir a execução das ações dos programas dos exemplos anteriores apresentados no PPA e priorizados na LDO para o ano de Apresentar a classificação das despesas. O programa incluído no PPA para quatro anos e priorizado na LDO para ser executado parcialmente em 2012 deve ser identificado na LOA de 2012 como uma vinculação entre receita disponível e despesa prevista. Isso se faz através da classificação e seus tipos: institucional, programática, econômica e de fonte e aplicação. O anexo VIII, denominado Analítico da Despesa, contém todos esses dados detalhados, com o valor da despesa alocada, que podemos observar a seguir. Embora a LOA contenha vários anexos que examinam receitas e despesas sob várias perspectivas, consideramos o anexo VIII o mais importante para a identificação dos programas, inclusive os de interesse da infância. Anexo VIII LOA Analítico da fixação da Despesa. Programa Educação Integral MUNICÍPIO: EXERCÍCIO: 2012 ÓRGÃO: 02. Prefeitura Municipal UNIDADE ORÇAMENTÁRIA: Secretaria de Educação UNIDADE EXECUTORA: Departamento de Educação Infantil TOTAL DO PROJETO: R$ ,00 CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL FUNÇÃO: 12. Educação SUBFUNÇÃO: 365. Educação Infantil CLASSIFICAÇÃO PROGRAMÁTICA PROGRAMA: 001. Educação Integral PROJETO: Construção das creches CLASSIFICAÇÃO ECONÔMICA

28 Categoria Econômica Natureza da Despesa Modalidade de Aplicação Elemento de Despesa Valor da Despesa Fonte de Recursos , , , ,00 01 Anexo VIII LOA Analítico da fixação da Despesa. Programa Primeiro Dente MUNICÍPIO: EXERCÍCIO: 2012 ÓRGÃO: 02. Prefeitura Municipal UNIDADE ORÇAMENTÁRIA: Secretaria de Assistência Social UNIDADE EXECUTORA: Fundo Social de Solidariedade TOTAL DO PROJETO: R$ ,00 CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL FUNÇÃO: 08. Assistência Social SUBFUNÇÃO: 244. Assistência Comunitária CLASSIFICAÇÃO PROGRAMÁTICA PROGRAMA: Primeiro Dente PROJETO: Equipar consultórios odontológicos CLASSIFICAÇÃO ECONÔMICA

29 Categoria Econômica Natureza da Despesa Modalidade de Aplicação Elemento de Despesa Valor da Despesa Fonte de Recursos ,00 03 Anexo VIII LOA Analítico da fixação da Despesa. Programa Cuidado com a Criança MUNICÍPIO: EXERCÍCIO: 2012 ÓRGÃO: 02. Prefeitura Municipal UNIDADE ORÇAMENTÁRIA: Secretaria de Saúde UNIDADE EXECUTORA: Fundo Municipal de Saúde TOTAL DO PROJETO: R$ ,00 CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL FUNÇÃO: 10. Saúde SUBFUNÇÃO: 301. Atenção Básica CLASSIFICAÇÃO PROGRAMÁTICA PROGRAMA: Cuidado com a Criança PROJETO: 2. Contratação de pessoal CLASSIFICAÇÃO ECONÔMICA

30 Categoria Econômica Natureza da Despesa Modalidade de Aplicação Elemento de Despesa Valor da Despesa Fonte de Recursos ,00 03 Anexo VIII LOA Analítico da fixação da Despesa. Programa Municipal de Obras MUNICÍPIO: EXERCÍCIO: 2012 ÓRGÃO: 02. Prefeitura Municipal UNIDADE ORÇAMENTÁRIA: Secretaria de Obras UNIDADE EXECUTORA: TOTAL DO PROJETO: R$ ,00 CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL FUNÇÃO: 17. Saneamento SUBFUNÇÃO: 512.Saneamento área urbana CLASSIFICAÇÃO PROGRAMÁTICA PROGRAMA: Programa municipal de obras PROJETO: Canalização CLASSIFICAÇÃO ECONÔMICA Categoria Econômica Natureza da Despesa Modalidade de Aplicação Elemento de Despesa Valor da Despesa Fonte de Recursos ,00 05

31 Anexo VIII LOA Analítico da fixação da Despesa. Programa Tome Conta MUNICÍPIO: XXX EXERCÍCIO: 2012 ÓRGÃO: 02. Prefeitura Municipal UNIDADE ORÇAMENTÁRIA: Gabinete do Prefeito UNIDADE EXECUTORA: Fundo Social de solidariedade TOTAL DO PROJETO: R$ ,00 CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL FUNÇÃO: 14. Direitos da Cidadania SUBFUNÇÃO: 243. Assistência à Criança e ao Adolescente CLASSIFICAÇÃO PROGRAMÁTICA PROGRAMA: 005 Tome Conta PROJETO: Contratação e aplicação de metodologia existente CLASSIFICAÇÃO ECONÔMICA Categoria Econômica Natureza da Despesa Modalidade de Aplicação Elemento de Despesa Valor da Despesa Fonte de Recursos ,00 03

32 Exemplo Genérico de CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL Documento de Orientação Gerencial Portaria 42/99 e Gerencial Portaria 163/01 Tabela Audesp 1.2 Tabela Audesp 1.3 Utilização PPA; LDO; LOA PPA; LDO; LOA LOA LOA LOA Tipo de Classificação INSTITUCIONAL FUNCIONAL PROGRAMÁTICA ECONÔMICA FONTE APLICAÇÃO Codificação (exemplo) Fonte de recursos. Transferências 500. Assistência Social 51. Obras e Instalações 90. Aplicação direta 4. Investimentos 4. Despesas de Capital 001 Designação Gerencial do Projeto: Assistência Integral à Infância 1.Código Gerencial do Projeto Código Gerencial do Programa 244.Assistência Comunitária 08. Assistência Social 01. Departamento de Educação Infantil 03.Secretaria de Educação 02. Prefeitura Municipal

33 Vamos examinar agora detalhadamente como ficam as classificações das despesas do Programa Educação Integral elencado no PPA (páginas 18 e 19 deste módulo) para o ano de De acordo com a priorização da LDO, a LOA deve apontar as fontes de receita e a alocação das despesas apontadas nos Anexos V e VI da LDO (páginas 29 e 30 deste módulo) conforme foi preenchido o Anexo VIII da LOA (página 42 deste módulo). A LOA traz também um anexo, que assume números diferentes em cada município, mas geralmente é designado pelo título de Programa de Trabalho de Governo Demonstrativo de Funções, Programas e subprogramas por Projetos e Atividades, que corresponde ao Anexo 7 da Lei 4320/64 e da Portaria SOF 8/85. Apresentamos no anexo D deste módulo um modelo padrão deste anexo da LOA. VER ANEXO D Ele traz uma abordagem consolidada dos programas e de suas dotações orçamentárias, classificadas de acordo com os códigos que apontamos neste módulo. Portanto, no caso do programa Educação Integral, vamos encontrar em ambos os anexos da LOA (Anexo VIII da pg. 17 e Anexo Programa de Trabalho de Governo Demonstrativo de Funções, Programas e subprogramas por Projetos e Atividades) as seguintes classificações associadas às despesas estimadas na página 16 deste módulo para o ano de 2012: Despesa de material de consumo: R$ ,00 Este código indica, de acordo com as tabelas e com o exemplo da página anterior, que na classificação institucional (primeiro grupo de números), na classificação funcional programática (segundo grupo de números), na classificação econômica (terceiro grupo de números) e na classificação de fonte e aplicação (quarto e quinto grupos de números) está associada uma despesa de R$ ,00 referente a material de consumo previsto na tabela da página 16 deste módulo. O primeiro, o segundo, o quarto e o quinto grupos não devem mudar nas outras despesas da mesma página. Seguindo os quadros orçamentários e as tabelas e portarias é fácil identificar o significado dos dígitos.

34 Os quarto e o quinto grupos (Tabelas dos Tribunais de Contas) são muito importantes, pois significam que os recursos têm origem no Tesouro (01) e se destinam à Educação Infantil (210). Assim, fica especificado que estes recursos serão contabilizados, por exemplo, para o mínimo constitucional de 25% das receitas aplicadas em Educação, e garantido que se destinam à INFÂNCIA. O terceiro grupo (classificação econômica) deve ser atentamente observado, pois indica, segundo a Portaria 163/01, nas páginas 1 a 3 do Anexo B deste módulo, a exata codificação. É uma despesa da categoria corrente código 3 (que não é de capital), da natureza também corrente código 3 (que não é investimento ou pessoal), que é aplicada diretamente pela unidade código 90 e destinada a material de consumo código 30. Despesa de serviços de terceiros R$ ,00 Aqui valem as mesmas observações acima, considerando agora que muda o terceiro grupo (classificação econômica) e deve ser atentamente observado, pois indica, segundo a Portaria 163/01, que é uma despesa da categoria corrente código 3 (que não é de capital), da natureza também corrente código 3 (que não é investimento ou pessoal), aplicada diretamente pela unidade código 90 e destinada serviços contratados de terceiro código 39, no valor de R$ ,00. Os dois últimos grupos indicam que se trata de recurso próprio destinado à Educação Infantil. Despesa de obras e instalações R$ ,00 Ainda com as mesmas observações acima, considerando agora que muda novamente o terceiro grupo (classificação econômica) e deve ser atentamente observado, pois indica, segundo a Portaria 163/01, que é uma despesa da categoria capital código 4 (que não é

DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS

DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS OBJETIVOS Dotar as Promotorias de Justiça

Leia mais

Francisco Paulo Pimenta Maria Tereza de Araújo Serra

Francisco Paulo Pimenta Maria Tereza de Araújo Serra TEXTO: FINANCIAMENTO (MECANISMOS E INSTRUMENTOS) Diretrizes Orçamentárias, Plano Integrado e Orçamento Público da União, Estados, Distrito Federal e Municípios: conhecer para exigir, exigir para incluir,

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE INDAIATUBA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE INDAIATUBA LEI N.2 5.981 DE 14 DE FEVEREIRO DE 2012. Aut. N 0 VIL P.L. N 03 HZ Publ.: 7/01 /1ç "Dispõe sobre alteração das Leis Municipais n 2 5.655, de 28 de outubro de 2009, que dispõe sobre o Plano Plurianual

Leia mais

MODELO DE MENSAGEM QUE ENVIA O PROJETO DE LEI (altera denominação e autoriza o desdobramento de fonte de recursos.

MODELO DE MENSAGEM QUE ENVIA O PROJETO DE LEI (altera denominação e autoriza o desdobramento de fonte de recursos. MODELO 1 MODELO DE MENSAGEM QUE ENVIA O PROJETO DE LEI (altera denominação e autoriza o desdobramento de fonte de recursos., de março de 2007. Mensagem nº /2007. Senhor Presidente: Tenho a honra de encaminhar,

Leia mais

MUNICÍPIO - UBATUBA PLANO PLURIANUAL 2014-2017 ANEXO I - Planejamento Orçamentário - PPA: Fontes de Financiamento dos Programas Governamentais

MUNICÍPIO - UBATUBA PLANO PLURIANUAL 2014-2017 ANEXO I - Planejamento Orçamentário - PPA: Fontes de Financiamento dos Programas Governamentais MUNICÍPIO - UBATUBA PLANO PLURIANUAL 2014-2017 ANEXO I - Planejamento Orçamentário - PPA: Fontes de Financiamento dos Programas Governamentais Valores em R$ mil % S/ 2014 2015 2016 2017 TOTAL TOTAL DIRETA

Leia mais

Prof. Marcus Tomasi UDESC/ESAG

Prof. Marcus Tomasi UDESC/ESAG Prof. Marcus Tomasi UDESC/ESAG O QUE É... É a síntese do contrato firmado entre o governo e a sociedade, onde as contribuições da sociedade (receitas) são transformadas em ações do governo (despesas) para

Leia mais

CONTABILIDADE GOVERNAMENTAL

CONTABILIDADE GOVERNAMENTAL SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE CUSTO: DIRETRIZES PARA INTEGRAÇÃO AO ORÇAMENTO PÚBLICO P E À CONTABILIDADE GOVERNAMENTAL Nelson Machado Sec Executivo do MF Brasília, Outubro de 2008 DIVERSIDADE DE PONTOS DE VISTA

Leia mais

LEI PM/Nº. 2.347/2009. De 23 de dezembro de 2009.

LEI PM/Nº. 2.347/2009. De 23 de dezembro de 2009. LEI PM/Nº. 2.347/2009. De 23 de dezembro de 2009. Dispõe sobre o Plano Plurianual de governo do Município, para o quadriênio 2010 a 2013. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SANTA VITÓRIA-MG, Faço saber que a Câmara

Leia mais

ESCOLA DE GOVERNO ORÇAMENTO E FINANÇAS PÚBLICAS

ESCOLA DE GOVERNO ORÇAMENTO E FINANÇAS PÚBLICAS ESCOLA DE GOVERNO ORÇAMENTO E FINANÇAS PÚBLICAS 13/10/2015 Natalina Ribeiro ORÇAMENTO PÚBLICO O Orçamento Público é um dos principais instrumentos de planejamento das políticas de governo. Histórico do

Leia mais

Execução Orçamentária e Financeira

Execução Orçamentária e Financeira Execução Orçamentária e Financeira Introdutório aos cursos dos Sistemas de Contabilidade e Gastos Públicos Setembro / 2008 Administração Pública Classifica-se, conforme a CF/88 em: Administração Direta

Leia mais

CARTA TÉCNICA. Orientação para elaboração de Orçamento

CARTA TÉCNICA. Orientação para elaboração de Orçamento CARTA TÉCNICA Orientação para elaboração de Orçamento ENTIDADES QUE PODEM REALIZAR A SOLICITAÇÃO: Todas as entidades conveniadas ou não. FINALIDADE: Orientar entidades na elaboração de orçamentos. CONTATO:

Leia mais

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. Orçamento e Administração das Finanças Públicas ADM 081. 68h.

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. Orçamento e Administração das Finanças Públicas ADM 081. 68h. Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

Publicada no D.O. de 14.06.2012 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 714 DE 13 DE JUNHO DE 2012

Publicada no D.O. de 14.06.2012 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 714 DE 13 DE JUNHO DE 2012 GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO Publicada no D.O. de 14.06.2012 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 714 DE 13 DE JUNHO DE 2012 NORMATIZA A SOLICITAÇÃO PARA INCLUSÃO, NOS

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE INDAIATUBA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE INDAIATUBA SECRETARIA GERAL DO MUNICffin -Aut. N O// 3 N 10-5/73 Publ.: 2-5(C)e)/P-, LEI N. 6.159 DE 16 DE AGOSTO DE 2013. "Dispõe sobre alteração das Leis Municipais n 5.655, de 28 de outubro de 2009, que dispõe

Leia mais

O ORÇAMENTO PÚBLICO AO ALCANCE DO CIDADÃO

O ORÇAMENTO PÚBLICO AO ALCANCE DO CIDADÃO O ORÇAMENTO PÚBLICO AO ALCANCE DO CIDADÃO Denise Rocha Assessora de Política Fiscal e Orçamentária São Luís - MA 23 a 27 de agosto de 2004 1ª ETAPA - ENTENDENDO O ORÇAMENTO PÚBLICO A importância do orçamento

Leia mais

3801 - SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS E SEGURANÇA CIDADÃ - ADMINISTRAÇÃO DIRETA

3801 - SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS E SEGURANÇA CIDADÃ - ADMINISTRAÇÃO DIRETA 3801 - SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS E SEGURANÇA CIDADÃ - ADMINISTRAÇÃO DIRETA Legislação: Lei nº 17.108, de 27 de julho de 2005. DESCRIÇÃO DO PROGRAMA DE TRABALHO PROGRAMAS ESPECÍFICOS VOLTADOS PARA

Leia mais

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA. Direitos e Deveres do Cidadão - 2013

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA. Direitos e Deveres do Cidadão - 2013 P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Direitos e Deveres do Cidadão - 2013 Todos os seres humanos nascem com direitos. MAS para terem validade, os direitos de uma pessoa têm de ser respeitados pelas

Leia mais

Curso: Administração Disciplina: Administração Pública Prof: Carlos Henrique CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL -PROGRAMÁTICA

Curso: Administração Disciplina: Administração Pública Prof: Carlos Henrique CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL -PROGRAMÁTICA 1 Curso: Administração Disciplina: Administração Pública 6º Semestre Prof: Carlos Henrique CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL -PROGRAMÁTICA Na verdade, o que existe é a junção de duas classificações distintas: a

Leia mais

ENTENDENDO OS DEMONSTRATIVOS DE CUSTOS DO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL

ENTENDENDO OS DEMONSTRATIVOS DE CUSTOS DO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA SUBSECRETARIA DE CONTABILIDADE COORDENAÇÃO DE CUSTOS GOVERNAMENTAIS ENTENDENDO OS DEMONSTRATIVOS DE CUSTOS DO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL Março

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 101 DE 17 DE MARÇO DE 2005 (*)

RESOLUÇÃO Nº 101 DE 17 DE MARÇO DE 2005 (*) RESOLUÇÃO Nº 101 DE 17 DE MARÇO DE 2005 (*) Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente Dispõe sobre os Procedimentos e critérios para a aprovação de projetos a serem financiados com recursos

Leia mais

LEI Nº 879/13 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013.

LEI Nº 879/13 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013. LEI Nº 879/13 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013. Autoriza o Poder Executivo a abrir crédito adicional especial para criação do projeto de Construção do Espaço Sócio- Educativo para Crianças e Adolescentes do Fundo

Leia mais

Sistema de Custos do Setor Público: a experiência brasileira

Sistema de Custos do Setor Público: a experiência brasileira XXIII SEMINÁRIO INTERNACIONAL DO CILEA Sistema de Custos do Setor Público: a experiência brasileira Nelson Machado Camboriu, julho 2011 Ambiente e Desafios Democratização e ampliação da participação social

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO ATO CONJUNTO Nº 5, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2014

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO ATO CONJUNTO Nº 5, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2014 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO ATO CONJUNTO Nº 5, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2014 Estabelece procedimentos e prazos para abertura de créditos adicionais, no âmbito da

Leia mais

FORPLAD NOVEMBRO - 2014

FORPLAD NOVEMBRO - 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO FORPLAD NOVEMBRO - 2014 1 Coordenação-Geral Planejamento FORPLAD NOVEMBRO/2014 MANOELA DUTRA MACEDO Coordenadora-Geral

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.593, DE 18 DE JANEIRO DE 2012. Mensagem de veto Institui o Plano Plurianual da União para o período de 2012 a 2015. A PRESIDENTA

Leia mais

GESTÃO ORÇAMENTARIA E FINANCEIRA EM SAÚDE

GESTÃO ORÇAMENTARIA E FINANCEIRA EM SAÚDE GESTÃO ORÇAMENTARIA E FINANCEIRA EM SAÚDE LDO: CARACTERÍSTICAS GERAIS E A LRF Prof. Dr. Áquilas Mendes METAS DE APRENDIZAGEM DA DISCIPLINA: ao final desta disciplina, o especializando será capaz de conhecer

Leia mais

PROJETO DE CAPACITAÇÃO INTRODUÇÃO À GESTÃO PÚBLICA

PROJETO DE CAPACITAÇÃO INTRODUÇÃO À GESTÃO PÚBLICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS SANTA CRUZ COORDENAÇÃO DE GESTÃO DE PESSOAS PROJETO

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Plano Orçamentário Conceito, Implantação e Tendências Haroldo Cesar Sant Ana Areal SOF/MP Brasília, 10/out/2013 Objetivo desta palestra Relembrar o conceito, a finalidade, o funcionamento e a implantação

Leia mais

Balanço do Plano Plurianual 2006/2009. Perspectivas para o Próximo PPA. Maurício Faria Conselheiro do Tribunal de Contas do Município de São Paulo

Balanço do Plano Plurianual 2006/2009. Perspectivas para o Próximo PPA. Maurício Faria Conselheiro do Tribunal de Contas do Município de São Paulo Balanço do Plano Plurianual 2006/2009 Perspectivas para o Próximo PPA Maurício Faria Conselheiro do Tribunal de Contas do Município de São Paulo 1 PPA PREVISÃO CONSTITUCIONAL Art. 165. Leis de iniciativa

Leia mais

Gestão de Finanças Públicas

Gestão de Finanças Públicas APRESENTAÇÃO Desde a primeira edição deste livro mencionamos como os avanços no arcabouço institucional e instrumental de gestão financeira foram relevantes para que o governo brasileiro, efetivamente,

Leia mais

1001 - GOVERNADORIA MUNICIPAL - ADMINISTRAÇÃO DIRETA

1001 - GOVERNADORIA MUNICIPAL - ADMINISTRAÇÃO DIRETA 1001 - GOVERNADORIA MUNICIPAL - ADMINISTRAÇÃO DIRETA Legislação: Lei nº 15.738, de 29 de dezembro de 1992; Decreto nº 16.149, de 06 de janeiro de 1993; Lei nº 15.820, de 24 de novembro de 1993; Lei nº

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 27/5/213 RESOLUÇÃO Nº 9/213 Assunto: Institui o Manual de Elaboração

Leia mais

NOTA TÉCNICA 34 2013. Diretrizes para o processo de planejamento e gestão no âmbito do SUS

NOTA TÉCNICA 34 2013. Diretrizes para o processo de planejamento e gestão no âmbito do SUS NOTA TÉCNICA 34 2013 Diretrizes para o processo de planejamento e gestão no âmbito do SUS Brasília, 24 de agosto de 2013 I NTRODUÇÃO NOTA TÉCNICA 34 2013 Nesta Nota Técnica vamos analisar a proposta do

Leia mais

Metodologia de Elaboração do PPA-Plano. Cuiabá, Março de 2011

Metodologia de Elaboração do PPA-Plano. Cuiabá, Março de 2011 Metodologia de Elaboração do PPA-Plano Plurianual 2012/2015 Cuiabá, Março de 2011 Estratégia e PPA Plano Estratégico de Desenvolvimento MT+ 20 2012/2032 Orientações Estratégicas de Longo Prazo Plano Plurianual

Leia mais

Descentralização de amentários e de Recursos Financeiros

Descentralização de amentários e de Recursos Financeiros Descentralização de Créditos Orçament amentários e de Recursos Financeiros Conceito: Despesa Orçament amentária Despesa Orçamentária Pública aquela executada por entidade pública e que depende de autorização

Leia mais

ARTIGO - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA PROFESSOR: SÉRGIO MENDES. PPA 2012-2015 - Alterações na Estrutura Programática Parte II

ARTIGO - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA PROFESSOR: SÉRGIO MENDES. PPA 2012-2015 - Alterações na Estrutura Programática Parte II PPA 2012-2015 - Alterações na Estrutura Programática Parte II Olá amigos! Como é bom estar aqui! No artigo anterior apresentei as primeiras mudanças na estrutura do PPA 2012-2015. Neste texto comentarei

Leia mais

EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA CADASTRO DE DOCENTES

EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA CADASTRO DE DOCENTES EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA CADASTRO DE DOCENTES A Associação Brasileira de Orçamento Público - Unidade Regional do Rio Grande do Sul (ABOP-RS), fundada em 04 de dezembro de 1974, como uma associação civil

Leia mais

ECONOMIA E GESTÃO DO SETOR PÚBLICO MÓDULO 16 A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL

ECONOMIA E GESTÃO DO SETOR PÚBLICO MÓDULO 16 A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL ECONOMIA E GESTÃO DO SETOR PÚBLICO MÓDULO 16 A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL Índice 1. A lei de responsabilidade fiscal...3 2. A integração entre o planejamento e o orçamento...3 3. Execução orçamentária

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba Sua Confiança. Nosso Trabalho. LEI N.º 9.623

Câmara Municipal de Uberaba Sua Confiança. Nosso Trabalho. LEI N.º 9.623 Sua Confiança. Nosso Trabalho. LEI N.º 9.623 Estima a receita e fixa a despesa do Município de Uberaba para o exercício de 2005, e contém outras disposições. O Povo do Município de Uberaba, Estado de Minas

Leia mais

Estabelece normas para alteração do Detalhamento da Despesa, das solicitações de Créditos Adicionais e dá outras providências

Estabelece normas para alteração do Detalhamento da Despesa, das solicitações de Créditos Adicionais e dá outras providências 1 Decreto nº 29.524 de 30/12/2009 Estabelece normas para alteração do Detalhamento da Despesa, das solicitações de Créditos Adicionais e dá outras providências 2 3 4 Decreto nº 30.934 de 20/01/2011 Estabelece

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL PROJETO DE LEI Institui o Plano Plurianual da União para o período 2012-2015. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL Art.1 o Esta lei institui o Plano

Leia mais

LEI N. 6.403 /2014. Art. 1º - Ficam inclusas as metas e as ações, na Lei nº 6.378/2013, de 16 de dezembro de 2013, Plano Plurianual PPA de 2014/2017.

LEI N. 6.403 /2014. Art. 1º - Ficam inclusas as metas e as ações, na Lei nº 6.378/2013, de 16 de dezembro de 2013, Plano Plurianual PPA de 2014/2017. LEI N. 6.403 /2014 Altera as Leis nº 6.378/13, de 16 de dezembro de 2013, Plano Plurianual PPA de 2014/2017, Lei nº 6.246/13, de 19 de abril de 2013, Lei de Diretrizes Orçamentária LDO para 2014, nº 6.377/13,

Leia mais

Orçamento 2013 e Sicom

Orçamento 2013 e Sicom Orçamento 2013 e Sicom Abertura do Orçamento 2013 Lançamento das Receitas e suas fontes Lançamento das fichas e suas fontes Relatórios de conferência IN 15 de 2011 Sicom Nesta tela selecionaremos os

Leia mais

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre critérios a serem adotados na execução orçamentária e financeira do Poder Executivo do Município de Goiânia para o exercício

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GUIA PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO BÁSICO DE T.I. Elaborado com base na Lei 8.666/93 e suas alterações, Lei 10.520/02, Decreto de execução orçamentária anual e Decreto

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO Nº 010/13.

ORDEM DE SERVIÇO Nº 010/13. ORDEM DE SERVIÇO Nº 010/13. Porto Alegre, 1º de agosto de 2013. AOS SECRETÁRIOS MUNICIPAIS, PROCURADOR-GERAL DO MUNICÍ- PIO, DIRETOR DO DEPARTAMEN- TO DE ESGOTOS PLUVIAIS, DIRE- TORES-GERAIS DE AUTARQUIAS,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO INDIRETA

ADMINISTRAÇÃO INDIRETA GLOSSÁRIO A AÇÃO GOVERNAMENTAL: Conjunto de operações, cujos produtos contribuem para os objetivos do programa governamental. A ação pode ser um projeto, atividade ou operação especial. ADMINISTRAÇÃO DIRETA:

Leia mais

Manual de Elaboração do Plano Gerencial dos Programas do PPA 2004-2007

Manual de Elaboração do Plano Gerencial dos Programas do PPA 2004-2007 Manual de Elaboração do Plano Gerencial dos Programas do PPA 2004-2007 Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos Ministério do Planejamento Manual de Elaboração do Plano Gerencial dos Programas

Leia mais

VISÃO PROGRAMÁTICA DO ORÇAMENTO

VISÃO PROGRAMÁTICA DO ORÇAMENTO PAINEL II VISÃO PROGRAMÁTICA DO ORÇAMENTO Inovações da União para 2013 Bruno César Grossi de Souza Secretário-Adjunto Assuntos Orçamentários SECAD Secretaria de Orçamento Federal SOF/MP Objetivo desta

Leia mais

Luiz Antônio da Silva e Marcos José de Castro Professores e técnicos do Cepam, contadores e especialistas em Gestão Pública Municipal

Luiz Antônio da Silva e Marcos José de Castro Professores e técnicos do Cepam, contadores e especialistas em Gestão Pública Municipal DOCENTES Luiz Antônio da Silva e Marcos José de Castro Professores e técnicos do Cepam, contadores e especialistas em Gestão Pública Municipal Coordenadoria de Gestão de Políticas Públicas - Cogepp DEFINIÇÃO

Leia mais

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1 Para mais informações, acesse o Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, Parte I Procedimentos Contábeis Orçamentários, 5ª edição. https://www.tesouro.fazenda.gov.br/images/arquivos/artigos/parte_i_-_pco.pdf

Leia mais

Gestão por programas: uma nova concepção de orçamento

Gestão por programas: uma nova concepção de orçamento ... Cadernos FUNDAP n. 22, 2001, p. 111-116 Gestão por programas: uma nova concepção de orçamento Sandra Lúcia Fernandes Marinho SINOPSE A Portaria n. 42, de 14 de abril de 1999, do Ministério de Planejamento,

Leia mais

PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO DO MATERIAL DIDÁTICO

PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO DO MATERIAL DIDÁTICO ANEXO B Orientações para elaboração do orçamento de custeio dos cursos de formação continuada Os recursos destinados à formação continuada serão previstos pelo Ministério da Educação no Projeto de Lei

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA PRÁTICA GESTÃO DE PORTFÓLIOS DE PROJETOS. RELATOR Ana Cristina Wollmann Zornig Jayme

APRESENTAÇÃO DA PRÁTICA GESTÃO DE PORTFÓLIOS DE PROJETOS. RELATOR Ana Cristina Wollmann Zornig Jayme APRESENTAÇÃO DA PRÁTICA GESTÃO DE PORTFÓLIOS DE PROJETOS RELATOR Ana Cristina Wollmann Zornig Jayme RESPONSÁVEIS Ana Cristina Wollmann Zornig Jayme - 3350-8628 - ajayme@pmc.curitiba.pr.gov.br - SEPLAN

Leia mais

Subtítulo/Natureza Motivos da não identificação prévia e a necessidade da transferência Proposta 2004 (R$ Mil)

Subtítulo/Natureza Motivos da não identificação prévia e a necessidade da transferência Proposta 2004 (R$ Mil) Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal Órgão Ministério da Cultura 30,00 08210001 335043 Lei nº 7.651, de 03.02.88 30,00 Ministério da Educação 16.282,45 335041

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCI Nº. 003

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCI Nº. 003 INSTRUÇÃO NORMATIVA SCI Nº. 003 UCCI Unidade Central de Controle Interno SCI Sistema de Controle Interno Versão: 1.0 Aprovada em: 31/10/2011 Unidade Responsável: Unidade Central de Controle Interno I -

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRAQUARA - ORÇAMENTO PROGRAMA 2015

PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRAQUARA - ORÇAMENTO PROGRAMA 2015 Adendo III - Portaria SOF nº 08 de 04 de fevereiro de 1985 Anexo 2 - DESPESA, da Lei Federal nº 4.320, de 17 de março de 1964 ÓRGÃO: 1000 - SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NATUREZA DA DESPESA CÓDIGO FONTE

Leia mais

Lei 141/2012 - Comentários

Lei 141/2012 - Comentários Lei 141/2012 - Comentários Áquilas Mendes Prof. Dr. Livre-Docente de Economia da Saúde da FSP/USP e do Departamento de Economia da PUC-SP agosto/2012 BREVE CONTEXTO DA LEI 141/2012 CONSIDERAÇÕES GERAIS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA INSTRUÇÃO NORMATIVA SFI: 01/2014 Versão nº: 01 Data da Aprovação: 31/03/2014 Ato de Aprovação: Decreto Municipal nº 074/2014. Unidade Responsável: Departamento Financeiro da Secretaria Municipal de Finanças

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA PREFEITURA DE JUIZ FORA SECRETARIA DE SAÚDE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PELO TRABALHO PARA A SAÚDE PET SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA PREFEITURA DE JUIZ FORA SECRETARIA DE SAÚDE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PELO TRABALHO PARA A SAÚDE PET SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA PREFEITURA DE JUIZ FORA SECRETARIA DE SAÚDE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PELO TRABALHO PARA A SAÚDE PET SAÚDE UAPS INDUSTRIAL Construindo planejamento em saúde JUIZ DE FORA

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito da evolução da administração e do processo administrativo, julgue os itens que se seguem. 51 A organização que adotar em seu planejamento a metodologia do balanced

Leia mais

3601 - SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS - ADMINISTRAÇÃO DIRETA

3601 - SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS - ADMINISTRAÇÃO DIRETA 3601 - SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS - ADMINISTRAÇÃO DIRETA Legislação: Lei nº 15.506, de 31 de julho de 1991; Decreto nº 15.813, de 24 de abril de 1992; Lei nº 15.738, de

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DO ARRAIAL PROJETO DE LEI MUNICIPAL N.º. /2007, DE 26 DE NOVEMBRODE 2007.

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DO ARRAIAL PROJETO DE LEI MUNICIPAL N.º. /2007, DE 26 DE NOVEMBRODE 2007. PROJETO DE LEI MUNICIPAL N.º. /2007, DE 26 DE NOVEMBRODE 2007. Cria o Fundo Municipal de Microcrédito e Apoio à Economia Solidaria-FUMAES e Institui o Conselho Gestor do FUMAES e da outras providências.

Leia mais

PORTARIA SOF N o 10, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. (publicada no DOU de 13/02/14, Seção I, página 103)

PORTARIA SOF N o 10, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. (publicada no DOU de 13/02/14, Seção I, página 103) PORTARIA SOF N o 10, DE 12 DE FEVEREIRO DE 201. (publicada no DOU de 13/02/1, Seção I, página 103) Estabelece procedimentos a serem observados pelos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, pelo Ministério

Leia mais

RECEITAS DE CAPITAL 88.883.221 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 59.214..075 TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL 29.669.146 TOTAL 1.136.493.735

RECEITAS DE CAPITAL 88.883.221 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 59.214..075 TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL 29.669.146 TOTAL 1.136.493.735 LEI Nº 16.929 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2003 ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DA PREFEITURA DO RECIFE PARA O EXERCÍCIO DE 2004. O POVO DA CIDADE DO RECIFE, POR SEUS REPRESENTANTES, DECRETA E EU, EM SEU NOME,

Leia mais

Implantação de Rede de Identificação e Localização de Crianças e Adolescentes Desaparecidos

Implantação de Rede de Identificação e Localização de Crianças e Adolescentes Desaparecidos Programa úmero de Ações 12 0153 Promoção e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente Objetivo Indicador(es) Promover a ampla defesa jurídico-social de crianças e adolescentes Taxa de Municípios com

Leia mais

ANEXO II COMPATIBILIZAÇÃO DE AÇÕES ORÇAMENTÁRIAS COM O PPA E LDO PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS DE GESTÃO, MANUTENÇÃO E SERVIÇOS AO ESTADO

ANEXO II COMPATIBILIZAÇÃO DE AÇÕES ORÇAMENTÁRIAS COM O PPA E LDO PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS DE GESTÃO, MANUTENÇÃO E SERVIÇOS AO ESTADO Lei de Diretrizes Orçamentárias 204 ANEXO II COMPATIBILIZAÇÃO DE AÇÕES ORÇAMENTÁRIAS COM O PPA E LDO PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS DE GESTÃO, MANUTENÇÃO E SERVIÇOS AO ESTADO Código 000 Programa de Gestão, Manutenção

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte LEI N o 10.933, DE 11 DE AGOSTO DE 2004. Dispõe sobre o Plano Plurianual para o período 2004/2007. Lei: O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Art.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA CLASSIFICAÇÃO DAS DESPESAS Atualizado em 14/10/2015 CLASSIFICAÇÕES DA DESPESA ESFERA ORÇAMENTÁRIA A classificação por esfera orçamentária tem por finalidade identificar

Leia mais

EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS

EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS Garantir a elaboração e implementação da política e do Plano Decenal

Leia mais

Sistema Único de Saúde (SUS)

Sistema Único de Saúde (SUS) LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 Criadas para dar cumprimento ao mandamento constitucional Sistema Único de Saúde (SUS) 1 Lei n o 8.080

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA NOTA TÉCNICA 03/13 PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE ORIENTAÇÕES GERAIS PARA ELABORAÇÃO - 2014 Introdução: O Planejamento é uma tecnologia de gestão que visa articular mudanças e aprimorar o desempenho dos sistemas

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 303, DE 2013

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 303, DE 2013 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 303, DE 2013 Dispõe sobre a destinação dos recursos recuperados por meio de ações judiciais para o Fundo Nacional de Saúde e o Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010.

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. Pág. 1 de 5 LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL FMHIS E INSTITUI O CONSELHO GESTOR DO FMHIS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL ACRE, EM EXERCÍCIO,

Leia mais

Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social Subsecretaria de Assistência Social

Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social Subsecretaria de Assistência Social São instrumentos de gestão financeira e orçamentária do SUAS: O Orçamento da Assistência Social Fundos de Assistência Social Expressa o planejamento financeiro das funções da gestão e da prestação de serviços,

Leia mais

Planejamento Governamental. Sistema e instrumentos

Planejamento Governamental. Sistema e instrumentos Planejamento Governamental Sistema e instrumentos Cuiabá, dezembro de 2008 É necessário planejar na Administração Pública? Há muitas demandas / problemas decorrentes das condições de desenvolvimento e

Leia mais

Curso Introdutório em Gerenciamento da Estratégia Saúde da Família

Curso Introdutório em Gerenciamento da Estratégia Saúde da Família Curso Introdutório em Gerenciamento da Estratégia Saúde da Família Leni Nobre Doutora em Saúde Pública-USP Membro do Centro de Investigação Científica da ESP-CE. Compreender os instrumentos de gestão e

Leia mais

GESTÃO ORÇAMENTÁRIA. João Milan Júnior Tel.: 011 9897 8665 joao@planis.com.br

GESTÃO ORÇAMENTÁRIA. João Milan Júnior Tel.: 011 9897 8665 joao@planis.com.br GESTÃO ORÇAMENTÁRIA João Milan Júnior Tel.: 011 9897 8665 joao@planis.com.br EMPRESAS OBJETIVOS INDIVIDUAIS em instituições de Saúde devido as corporações profissionais, que detém graus de autonomia diferenciados,

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS Equipe Técnica o o o o Prefeito Municipal Luiz Goularte Alves Secretaria Municipal

Leia mais

ELABORAR PROJETO DO PLANO PLURIANUAL 1 OBJETIVO

ELABORAR PROJETO DO PLANO PLURIANUAL 1 OBJETIVO Proposto por: Diretor da Divisão de Gestão Orçamentária (DIGOR) Analisado por: Diretor do Departamento de Planejamento e Orçamento (DEPLO) Aprovado por: Diretor da Diretoria-Geral de Planejamento, Coordenação

Leia mais

Portal dos Convênios - Siconv. Disponibilização de Programas. Manual do Usuário Versão 2

Portal dos Convênios - Siconv. Disponibilização de Programas. Manual do Usuário Versão 2 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - Siconv Disponibilização de Programas

Leia mais

ANEXO X _ PROCEDIMENTOS PARA MODIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E PROGRAMÁTICA

ANEXO X _ PROCEDIMENTOS PARA MODIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E PROGRAMÁTICA Superintendência de Orçamento Público MANUAL DE ORÇAMENTO PÚBLICO _ MOP ANEXO X _ PROCEDIMENTOS PARA MODIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E PROGRAMÁTICA Versão 2011 1 ANEXO X PROCEDIMENTOS PARA MODIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA

Leia mais

Gestão Financeira da Assistência Social Aula # 1 e 2. Fernando Brandão

Gestão Financeira da Assistência Social Aula # 1 e 2. Fernando Brandão Gestão Financeira da Assistência Social Aula # 1 e 2 Fernando Brandão Apresentação do Curso Objetivos da aprendizagem; Introdução ao planejamento público (Aulas # 1 e # 2) História do orçamento público;

Leia mais

RELATO DA INICIATIVA OU PROJETO

RELATO DA INICIATIVA OU PROJETO Prefeitura Municipal de Vitória Controladoria Geral do Município RELATO DA INICIATIVA OU PROJETO Nome da Iniciativa ou Projeto Portal de Transparência Vitória Caracterização da situação anterior O Portal

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META

ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META S AO PLN 0002 / 2007 - LDO Página: 2310 de 2393 ESPELHO DE S DE INCLUSÃO DE META AUTOR DA 50160001 1061 Brasil Escolarizado 0509 Apoio ao Desenvolvimento da Educação Básica Projeto apoiado (unidade) 40

Leia mais

Elaboração de Projetos FECOP 2014. Everton Cabral Maciel everton.maciel@seplag.ce.gov.br

Elaboração de Projetos FECOP 2014. Everton Cabral Maciel everton.maciel@seplag.ce.gov.br Elaboração de Projetos FECOP 2014 Everton Cabral Maciel everton.maciel@seplag.ce.gov.br O que vamos fazer? Pensar em Projetos Organizar o pensamento Conectar com a realidade e a legislação Estruturar projeto

Leia mais

AMBIENTAÇÃO AO SISTEMA DE ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO -SEO

AMBIENTAÇÃO AO SISTEMA DE ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO -SEO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL - SEPLAN AMBIENTAÇÃO AO SISTEMA DE ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO -SEO Departamento de Orçamento e Finanças - DOF Sobre o SEO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO - ES CONSOLIDADO ESPÍRITO SANTO 27.165

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO - ES CONSOLIDADO ESPÍRITO SANTO 27.165 001 - CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO 001 - CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO 01 Legislativa 2.410.000,00 450.000,00 2.860.000,00 01031 Ação Legislativa 2.410.000,00 450.000,00 2.860.000,00 010310001 APOIO ADMINISTRATIVO

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ LEI Nº 5456, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. Estima a receita e fixa a despesa do Município de Sumaré para o exercício financeiro de 2013, e dá outras providências.- O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ seguinte

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária (Prof. Paulo Bijos)

Administração Financeira e Orçamentária (Prof. Paulo Bijos) Administração Financeira e Orçamentária (Prof. Paulo Bijos) Aula 11 2010 Exercícios Funções de Governo (alocativa, distributiva e estabilizadora) CESPE ACE-TCU 2008. (E) A teoria de finanças públicas consagra

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO TEMA: ELABORAÇÃO DE PROJETOS COM FOCO NA FAMÍLIA Março/2010 ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABOR-AÇÃO: palavra-latim-elabore preparar, formar,ordenar AÇÃO: atuação, ato PRO-JETOS: palavra-latim-projetus

Leia mais

SIOPS. Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde. Orçamento e Contabilidade aplicável ao SIOPS

SIOPS. Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde. Orçamento e Contabilidade aplicável ao SIOPS SIOPS Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde Orçamento e Contabilidade aplicável ao SIOPS Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento Secretaria Executiva / Ministério da Saúde

Leia mais

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE 1. INTRODUÇÃO A ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE LUZIA LOPES GADÊLHA, por meio do Termo Convênio nº 05/2015, como parte integrante do Projeto Fortalecendo

Leia mais

PROCESSO ORÇAMENTÁRIO CONCEITOS E PROCEDIMENTOS

PROCESSO ORÇAMENTÁRIO CONCEITOS E PROCEDIMENTOS PROCESSO ORÇAMENTÁRIO CONCEITOS E PROCEDIMENTOS Novembro/2009 Secretaria de Orçamento Federal Novembro/2009 Instituição Ministério do Planejamento, Secretaria de Orçamento Federal DEPT. PROGR. INFRAESTRUT.

Leia mais

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009.

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. Institui a Política de Tecnologia da Informação e Comunicação no Governo do Estado do Piauí, cria o Sistema de Governança de Tecnologia da Informação e

Leia mais

LEI Nº 1578, DE 03 DE JUNHO DE 2008.

LEI Nº 1578, DE 03 DE JUNHO DE 2008. LEI Nº 1578, DE 03 DE JUNHO DE 2008. Autoria: Poder Executivo Altera a Lei nº 1217/2005/1426/2007 (PPA exercício 2006/2009); a Lei nº 1438/2007 (LDO exercício de 2008), e abre Crédito Especial na Lei nº1499/2007

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 577, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000. (D.O.M. 14.12.2000 N... Ano I)

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 577, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000. (D.O.M. 14.12.2000 N... Ano I) LEI Nº 577, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000. (D.O.M. 14.12.2000 N.... Ano I) ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DO MUNICÍPIO DE MANAUS PARA O EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2001. O PREFEITO MUNICIPAL DE MANAUS, no uso

Leia mais

As principais diretrizes propostas neste Plano Plurianual estão sintetizados em 03 (três) eixos: Inclusão Social, Infra-estrutura e Gestão.

As principais diretrizes propostas neste Plano Plurianual estão sintetizados em 03 (três) eixos: Inclusão Social, Infra-estrutura e Gestão. APRESENTAÇÃO Como uma das principais novidades do marco constitucional, o Plano Plurianual passa a se constituir, na síntese dos esforços de planejamento de toda administração pública, orientação a elaboração

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - SICONV Inclusão e Envio de Proposta Manual

Leia mais