Ensino Médio - Unidade Parque Atheneu Professor (a): Aluno (a): Série: 3ª Data: / / LISTA DE LITERATURA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ensino Médio - Unidade Parque Atheneu Professor (a): Aluno (a): Série: 3ª Data: / / 2015. LISTA DE LITERATURA"

Transcrição

1 Ensino Médio - Unidade Parque Atheneu Professor (a): Aluno (a): Série: 3ª Data: / / LISTA DE LITERATURA Orientações: - A lista deverá ser respondida na própria folha impressa ou em folha de papel almaço. - Caso seja respondida em folha de papel almaço deverá conter cabeçalho completo (Data, nome, disciplina, nome do professor e série). - As listas que não forem realizadas conforme orientações serão desconsideradas. 1) Sobre a Semana de Arte Moderna, assinale V (verdadeiro) e F (falso) e justifique cada alternativa. a) Foi o início de grandes modificações na arte e cultura brasileira, constituindo-se como um marco histórico e artístico. b) Aconteceu em decorrência direta da Primeira Guerra Mundial. c) Trata-se de um movimento artístico que foi realizado com a participação de 22 artistas das mais diferentes áreas da arte, como Mário de Andrade, Manuel Bandeira, Tarsila do Amaral, Villalobos; por isso o nome Semana de 22. d) Foi um fato histórico-artístico importante uma vez que não possuiu nenhuma influência estrangeira. e) Embora sempre baseado em modelos estéticos portugueses, como o Saudosismo, deu o ponto de partida para um novo movimento literário e artístico no Brasil. 2) Leia os excertos abaixo: "Uma arte genuinamente brasileira, filha do céu e da terra, do Homem e do Mistério. (Menotti del Picchia) "Acredito que o lirismo nascido do subconsciente, acrisolado num pensamento claro ou confuso, cria fases que são versos inteiros, sem prejuízo de medir tantas sílabas, com acentuação determinada". (Mário de Andrade) Após análise, assinale ideias da Semana de Arte Moderna e justifique. a) Valorização da cultura nacional e abandono do normativismo tradicional. b) Linguagem coloquial, colonialismo cultural e valorização de versos livres. c) Versificação ramificada, colonialismo cultural e adoção de valores vanguardistas.

2 d) Utilização de estrangeirismos e utilização da cultura popular. e) Nacionalismo, adoção de valores clássicos e versificação ramificada. 3) Leia as proposições abaixo e faça um comentário para cada alternativa. I. No geral o movimento modernista valorizou a tradição brasileira em relação a arte, trazendo uma retomada crítica sobre a produção literária do nosso país no passado. II. Apesar de várias e inegáveis inovações trazidas pela Semana de Arte Moderna e, consequentemente, pelo Modernismo, é preciso enfatizar que houve o desencadeamento de consequências negativas como, por exemplo, a inquietação social graças ao choque de valores ideológicos. III. A primeira fase modernista marca um comportamento destrutivo que promove a liberdade de expressão, além da liberdade formal e a irreverência lírica. 4) Sobre a Segunda Geração do Modernismo, faça um comentário de cada alternativa. a) Foi caracterizada, no campo da poesia, pelo amadurecimento e pela ampliação das conquistas dos primeiros modernistas; b) Valorização de uma linguagem rebuscada e metalinguística; c) Os poetas do período tinham liberdade para escolher formas como o soneto ou o madrigal, sem que isso significasse uma volta a estéticas do passado, como o Parnasianismo; d) Valorização do conteúdo sonoro e visual, disposição assimétrica dos versos no papel, possibilidade de diversas leituras através de diferentes ângulos; e) No plano temático, a abordagem do cotidiano continuou sendo explorada, mas os poetas voltaram-se também para problemas sociais e históricos, além de manifestarem inquietações existenciais e religiosas que ampliaram as proposições da fase anterior.

3 5) Excelente sonetista, é um dos poucos representantes da poesia sensual, erótica, com fortes imagens: "Nunca mulher nenhuma foi tão bela (...) / Essa mulher é um mundo! uma cadela, / Talvez... mas na moldura de uma cama (...)". O trecho pode ser associado a: Obs.: Justifique cada alternativa: a) Oswald de Andrade. b) Carlos Drummond de Andrade c) Murilo Mendes d) Vinicius de Moraes e) Mário de Andrade. 6) Sobre a prosa na segunda geração do modernismo, qual alternativa é falsa e justifique as corretas. a) O romance brasileiro produzido nas décadas de 1930 e 1940, período em que o país e o mundo viveram profundas crises, colocou-se a serviço da análise crítica de nossa realidade e teve na obra de Graciliano Ramos a principal expressão desse momento. b) Ainda que distantes do experimentalismo estético proposto pelos modernistas de 1922, os romancistas de 1930 consideravam irreversíveis muitas de suas conquistas, tais como o interesse por temas nacionais, a busca de uma linguagem mais brasileira e o interesse pela vida cotidiana. c) O romance de 1930 trilhou diferentes caminhos, sendo o regionalismo, especialmente o nordestino, o mais importante entre todos. Entre seus principais nomes, estão Graciliano Ramos e Rachel de Queiroz. d) A prosa na segunda geração do modernismo foi marcada pela preocupação com a descoberta e com a exploração de novas técnicas narrativas, além da sondagem do universo social e psicológico do ser humano. Entre suas principais obras, está Macunaíma, de Mário de Andrade.

4 7) Graciliano Ramos é o autor que, no Modernismo, fez parte da: Obs.: E justifique cada alternativa, a) fase destruidora, que procurou romper com o passado. b) segunda fase, em que se destacou a ficção regionalista. c) fase irreverente, que buscou motivos no primitivismo. d) geração de 45, que procurou estabelecer uma ordem no caos anterior. e) década de 60, que transcendentalizou o regionalismo. Texto para as questões 08 e 09 SENTIMENTAL Ponho-me a escrever teu nome com letras de macarrão. No prato, a sopa esfria, cheia de escamas E debruçados na mesa todos contemplam esse romântico trabalho. Desgraçadamente falta uma letra, uma letra somente para acabar teu nome! Está sonhando? Olhe que a sopa esfria! Eu estava sonhando E há em todas as consciências um cartaz amarelo: Neste país é proibido sonhar. 8) Este poema é caracteristicamente modernista, porque nele:

5 a) A uniformidade dos versos reforça a simplicidade dos sentimentos experimentados pelo poeta. b) Tematiza-se o ato de sonhar, valorizando-se o modo de composição da linguagem surrealista. c) Satiriza-se o estilo da poesia romântica, defendendo os padrões da poesia clássica. d) A linguagem coloquial dos versos livres apresenta com humor o lirismo encarnado na cena cotidiana. e) O dia-a-dia surge como novo palco das sensações poéticas, sem imprimir a alteração profunda na linguagem lírica. Justifique a sua resposta? 9) Destacam-se neste poema características marcantes do Drummond modernista. São elas: a) A tendência metafísica, o discurso sentencioso e o humor sutil. b) A memória familiar, o canto elegíaco e a linguagem fragmentada. c) A exposição da timidez pessoal, a fala amargurada e a recuperação da forma fixa. d) A preocupação de cunho social, o pessimismo e a desintegração do verso. e) O isolamento da personalidade lírica, a ironia e o estilo prosaico. Justifique a sua resposta? 10) Leia o texto e responda: ( ) Da garrafa estilhaçada, no ladrilho já sereno escorre uma coisa espessa que é leite, sangue não sei. Por entre objetos confusos, Mal redimidos da noite, Duas cores se procuram, suavemente se tocam, amorosamente se enlaçam, formando um terceiro tom a que chamamos de aurora. Em 1945, Carlos Drummond de Andrade escreveu A Rosa do Povo, da qual o fragmento acima faz parte. Nele podemos verificar: a) uma análise do comportamento humano, na relação cidade e campo;

6 b) apenas uma teoria de sua própria produção poética; c) uma reflexão sobre os valores teológicos e metafísicos do homem contemporâneo; d) uma temática social e política e uma denúncia das dilacerações do mundo; A partir da alternativa escolhida, escreva um paragráfo analítico do poema. Boa Semana!!! Fique atento(a) ao prazo de devolução das listas!!!

MODERNISMO NO BRASIL. O modernismo no Brasil teve início com

MODERNISMO NO BRASIL. O modernismo no Brasil teve início com MODERNISMO MODERNISMO NO BRASIL O modernismo no Brasil teve início com a Semana da Arte Moderna em 1922. Época triste a nossa, em que é mais difícil quebrar um preconceito do que um átomo Albert Einsten

Leia mais

1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor

1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA - Grupos D, E, F e G - Gabarito INSTRUÇÕES Ao responder às questões é indispensável: inter-relacionar idéias e argumentos; expressar-se com vocabulário apropriado

Leia mais

Primeira Geração ( )

Primeira Geração ( ) LITERATURA Primeira Geração (1922-1930) Caracteriza-se por ser uma tentativa de definir e marcar posições. Período rico em manifestos e revistas de vida efêmera. Um mês depois da SAM, a política vive dois

Leia mais

3º Ano Ensino Médio Profª: Ivani Almeida

3º Ano Ensino Médio Profª: Ivani Almeida Literatura Brasileira Data:01/07/13 3º Ano Ensino Médio Profª: Ivani Almeida Modernismo - Segunda Fase Introdução "Os camaradas não disseram que havia uma guerra e era necessário trazer fogo e alimento."

Leia mais

Vanguarda europeia Modernismo português

Vanguarda europeia Modernismo português Vanguarda europeia Modernismo português A Semana de Arte Moderna, realizada em São Paulo no ano de 1922, representou um marco no movimento modernista, mas não foi um acontecimento único nem isolado. O

Leia mais

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Literatura

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Literatura Vestibular UFRGS 2015 Resolução da Prova de Literatura Comentário Geral A prova de Literatura de 2015 manteve o estilo de questões que privilegia os alunos com domínio das obras de leituras obrigatórias

Leia mais

(Luís Bueno. Guimarães, Clarice e antes. In: Teresa. São Paulo: USP, n. 2, 2001, p. 254.)

(Luís Bueno. Guimarães, Clarice e antes. In: Teresa. São Paulo: USP, n. 2, 2001, p. 254.) Modernismo 2ª fase 1. Texto para as questões 1 e 2. Texto I "Agora Fabiano conseguia arranjar as ideias. O que o segurava era a família. Vivia preso como um novilho amarrado ao mourão, suportando ferro

Leia mais

Exercícios Vidas Secas

Exercícios Vidas Secas xercícios Vidas Secas 1. (UNICAMP 1998) m Vidas Secas narrativa, Fabiano se com a cadelinha, desses motivos. 2. (UNICAMP 2008) Vidas Secas. nada. Se lhe dessem o que era (Graciliano Ramos, Vidas Secas.

Leia mais

NOTA: Leia com muita atenção os textos a seguir: Texto 1 Todas as cartas de amor são. Ridículas. Não seriam de amor se não fossem. Ridículas.

NOTA: Leia com muita atenção os textos a seguir: Texto 1 Todas as cartas de amor são. Ridículas. Não seriam de amor se não fossem. Ridículas. GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: LITERATURA SÉRIE: 1º ANO ALUNO (a): NOTA: No Anhanguera você é + Enem LISTA DE EXERCÍCIOS - P1 3º BIMESTRE Leia com muita atenção os textos a seguir: Texto

Leia mais

Poesia 2ª fase. Carlos Drummond de Andrade

Poesia 2ª fase. Carlos Drummond de Andrade Poesia 2ª fase Carlos Drummond de Andrade O poeta mais importante da segunda fase da poesia modernista brasileira (1930-1945) é Carlos Drummond de Andrade. Alguns críticos consideram o escritor o maior

Leia mais

Ensino Médio - Unidade Parque Atheneu Professor (a): Kellyda Martins de Carvalho Aluno (a): Série: 3ª Data: / / LISTA DE LITERATURA.

Ensino Médio - Unidade Parque Atheneu Professor (a): Kellyda Martins de Carvalho Aluno (a): Série: 3ª Data: / / LISTA DE LITERATURA. Ensino Médio - Unidade Parque Atheneu Professor (a): Kellyda Martins de Carvalho Aluno (a): Série: 3ª Data: / / 2016. LISTA DE LITERATURA Orientações: - A lista deverá ser respondida na própria folha impressa

Leia mais

1ª fase modernista ( )

1ª fase modernista ( ) 1ª fase modernista (1922 1930) LIBERDADE DE EXPRESSÃO INCORPORAÇÃO DO COTIDIANO LINGUAGEM COLOQUIAL INOVAÇÕES TÉCNICAS O VERSO LIVRE A DESTRUIÇÃO DOS NEXOS A ENUMERAÇÃO CAÓTICA O FLUXO DE CONSCIÊNCIA A

Leia mais

LITERATURA POTIGUAR NA SALA DE AULA

LITERATURA POTIGUAR NA SALA DE AULA 1 LITERATURA POTIGUAR NA SALA DE AULA Autor MARCEL LÚCIO MATIAS RIBEIRO 2 GOVERNO DO BRASIL Presidente da República LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Ministro da Educação FERNANDO HADADD Secretário de Educação

Leia mais

ARTES 7 ANO PROF.ª ARLENE AZULAY PROF. LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL

ARTES 7 ANO PROF.ª ARLENE AZULAY PROF. LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL ARTES 7 ANO PROF. LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ARLENE AZULAY CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 1.2

Leia mais

RESOLUÇÃO. O nome do projeto DANÇANDO PARA NÃO DANÇAR é criativo, descontraído e atraente, abrange tanto o sentido da língua culta como o da gíria.

RESOLUÇÃO. O nome do projeto DANÇANDO PARA NÃO DANÇAR é criativo, descontraído e atraente, abrange tanto o sentido da língua culta como o da gíria. RESOLUÇÃO PORTUGUÊS QUESTÃO 01 Manuel Bandeira, poeta do modernismo brasileiro, canta a liberdade. Pasárgada seria o lugar criado e escolhido para exercê-la. Não se refere ao exílio ou à pátria, à infância,

Leia mais

PARECERES DA PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

PARECERES DA PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV Evento: Processo Seletivo Cursos Semipresenciais 00 Edital Nº 0/00 RECURSO ADMINISTRATIVO CONTRA GABARITO/QUESTÃO PARECERES DA PROVA DE CONHECIMENTOS

Leia mais

LITERATURA PROFESSOR LUQUINHA

LITERATURA PROFESSOR LUQUINHA LITERATURA PROFESSOR LUQUINHA Romantismo e Modernismo Características; Contexto; Abordagens; Enem. LITERATURA LUQUINHA Características da Literatura Romântica A natureza como expressão do eu; A valorização

Leia mais

Content Area: Literatura Brasileira Grade 11ª. Quarter 1ª. Serie Serie Unidade

Content Area: Literatura Brasileira Grade 11ª. Quarter 1ª. Serie Serie Unidade Content Area: Literatura Brasileira Grade 11ª. Quarter 1ª. / Objetivos de Aprendizado O projeto literário da poesia simbolista. Os momentos de incerteza, indefinição e pessimismo que marcaram a transição

Leia mais

O ROMANTISMO. O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do

O ROMANTISMO. O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do ROMANTISMO O ROMANTISMO O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do século XVIII. Perdura até meados do século XIX. Opunhase ao classicismo, ao racionalismo e Iluminismo.

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Recuperação do 4 Bimestre disciplina Gramática Conteúdo: Texto /concordância / colocação pronominal 2º m Lista de exercícios 1. Indique a alternativa correta: a)

Leia mais

urn Exercício de Análise

urn Exercício de Análise urn Exercício de Análise Maria Lúcia de Barros Camargo Andaló * "Peregrinação" Bandeira, Manuel. "Estrela da Tarde", Poesia Completa e Prosa, Rio,Aguilar 1974, p. 326. Quando olhada de face, era um abril.

Leia mais

A BUSCA DA IDENTIDADE ARTÍSTICO-CULTURAL BRASILEIRA E OS IDEAIS MODERNISTAS DE 1922: REPERCUSSÃO DISCENTE EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE ESPERANÇA PB

A BUSCA DA IDENTIDADE ARTÍSTICO-CULTURAL BRASILEIRA E OS IDEAIS MODERNISTAS DE 1922: REPERCUSSÃO DISCENTE EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE ESPERANÇA PB A BUSCA DA IDENTIDADE ARTÍSTICO-CULTURAL BRASILEIRA E OS IDEAIS MODERNISTAS DE 1922: REPERCUSSÃO DISCENTE EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE ESPERANÇA PB DINIZ, Leonardo Araújo EEEFMMonsenhor José da Silva Coutinho

Leia mais

Apostila de Língua Portuguesa 07 Modernismo Segunda Geração

Apostila de Língua Portuguesa 07 Modernismo Segunda Geração Apostila de Língua Portuguesa 07 Modernismo Segunda Geração 1.0 Contexto Histórico Prosa Pós Semana de Arte Moderna. Pós experimentalismo, apologia do novo. Vitória sobre o parnasianismo. Ditadura de Vargas.

Leia mais

REDAÇÃO I N S T R U Ç Õ E S

REDAÇÃO I N S T R U Ç Õ E S REDAÇÃO I N S T R U Ç Õ E S 1. Confira o número do(a) candidato(a), o local, o setor, o grupo e a ordem indicados na folha de redação, a qual NÃO deverá ser assinada. 2. Leia e observe atentamente as Propostas

Leia mais

A Semana de Arte Moderna, também conhecida como Semana de 1922, aconteceu no Teatro Municipal de São Paulo, de 11 a 18 de fevereiro de 1922.

A Semana de Arte Moderna, também conhecida como Semana de 1922, aconteceu no Teatro Municipal de São Paulo, de 11 a 18 de fevereiro de 1922. A Semana de Arte Moderna, também conhecida como Semana de 1922, aconteceu no Teatro Municipal de São Paulo, de 11 a 18 de fevereiro de 1922. Foi um encontro de novas ideias estéticas, que mudaram a arte

Leia mais

Livro Analisado: Alguma Poesia Preparação: Prof. Menalton Braff. O Autor: Carlos Drummond de Andrade

Livro Analisado: Alguma Poesia Preparação: Prof. Menalton Braff. O Autor: Carlos Drummond de Andrade Livro Analisado: Alguma Poesia Preparação: Prof. Menalton Braff O Autor: Carlos Drummond de Andrade Nasceu em 1902, no município de Itabira, região ferrífera de Minas Gerais. Filho de fazendeiro, cenas

Leia mais

Modernismo no Brasil Primeira geração: ousadia e inovação. Literatura Brasileira 3ª série EM Prof.: Flávia Guerra

Modernismo no Brasil Primeira geração: ousadia e inovação. Literatura Brasileira 3ª série EM Prof.: Flávia Guerra Modernismo no Brasil Primeira geração: ousadia e inovação Literatura Brasileira 3ª série EM Prof.: Flávia Guerra A arte redefine os padrões estéticos em voga Tarsila do Amaral, Cartão-postal, 1929. Contexto

Leia mais

Unidade III Trabalho- A trajetória humana, suas produções e manifestações

Unidade III Trabalho- A trajetória humana, suas produções e manifestações Unidade III Trabalho- A trajetória humana, suas produções e manifestações 17.2 Conteúdo: A vanguarda brasileira: A Semana de Arte Moderna. Habilidade: Conhecer a Semana de Arte Moderna e sua influência

Leia mais

Análise de discursos textuais: questões

Análise de discursos textuais: questões Análise de discursos textuais: questões Com base no texto a seguir, responda às questões (1) e (2): Os Poemas Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês. Quando fechas

Leia mais

MODERNISMO SEGUNDA GERAÇÃO (1930-1945)

MODERNISMO SEGUNDA GERAÇÃO (1930-1945) MODERNISMO SEGUNDA GERAÇÃO (1930-1945) Tarsila do Amaral, cartão-postal, 1929 1. Que elementos da natureza estão representados nessa obra? 2. Que aspectos da natureza brasileira Tarsila do Amaral escolheu

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

Professora Me. Jaqueline Cappellari

Professora Me. Jaqueline Cappellari Professora Me. Jaqueline Cappellari Contexto histórico-cultural Os poemas foram escritos entre 1943 e 1945. Os horrores da Segunda Guerra Mundial angustiavam a humanidade e o exército nazista recuava,

Leia mais

CRISES, EMBATES IDEOLÓGICOS E MUTAÇÕES CULTURAIS NA PRIMEIRA METADE DO SÉC. XX AS TRANSFORMAÇÕES DAS PRIMEIRAS DÉCADAS DO SÉCULO

CRISES, EMBATES IDEOLÓGICOS E MUTAÇÕES CULTURAIS NA PRIMEIRA METADE DO SÉC. XX AS TRANSFORMAÇÕES DAS PRIMEIRAS DÉCADAS DO SÉCULO 1.5.2. Tendências culturais: entre o naturalismo e as vanguardas - Pintura Tradicional: naturalismo Academismo: Columbano B. Pinheiro e Silva Porto, por ex. Cenas de costume (cenas populares, rurais) botas

Leia mais

Contexto Histórico - Europa

Contexto Histórico - Europa Concretismo Introdução O Concretismo foi um movimento vanguardista que se manifestou inicialmente na Europa, através da música erudita e das artes plásticas, com Max Bill (artes plásticas), Pierre Schaeffer

Leia mais

(Traduzido de SAVATER, Fernando. "Criaturas del aire". Barcelona: Ediciones Destino,1989.)

(Traduzido de SAVATER, Fernando. Criaturas del aire. Barcelona: Ediciones Destino,1989.) Atividade extra Fascículo 3 Linguagens Unidade 8 Literatura: a arte da palavra Questão 1 Comenta-se, um pouco rápido demais, que a predileção que os leitores sentimos por um ou outro personagem vem da

Leia mais

António Gedeão. Relógio D'Água. Notas Introdutórias de Natália Nunes. A 383134 Obra Completa

António Gedeão. Relógio D'Água. Notas Introdutórias de Natália Nunes. A 383134 Obra Completa António Gedeão A 383134 Obra Completa Notas Introdutórias de Natália Nunes Relógio D'Água ÍNDICE Notas Introdutórias de Natália Nunes 19 Poesia POESIAS COMPLETAS (1956-1967) A Poesia de António Gedeão

Leia mais

Os alunos selecionados devem trazer no dia da primeira aula, os seguintes documentos:

Os alunos selecionados devem trazer no dia da primeira aula, os seguintes documentos: UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROCESSOS SOCIOEDUCATIVOS E PRÁTICAS ESCOLARES EDITAL PPEDU 006/2014 ANUNCIA A ABERTURA DAS INSCRIÇÕES

Leia mais

Português. Eduardo Valladares (Maria Carolina Coelho) 27 e Linguagem Artística

Português. Eduardo Valladares (Maria Carolina Coelho) 27 e Linguagem Artística Linguagem Artística Linguagem Artística 1. A diva Vamos ao teatro, Maria José? Quem me dera, desmanchei em rosca quinze kilos de farinha tou podre. Outro dia a gente vamos Falou meio triste, culpada, e

Leia mais

CRISES, EMBATES IDEOLÓGICOS E MUTAÇÕES CULTURAIS NA PRIMEIRA METADE DO SÉC. XX AS TRANSFORMAÇÕES DAS PRIMEIRAS DÉCADAS DO SÉCULO

CRISES, EMBATES IDEOLÓGICOS E MUTAÇÕES CULTURAIS NA PRIMEIRA METADE DO SÉC. XX AS TRANSFORMAÇÕES DAS PRIMEIRAS DÉCADAS DO SÉCULO 1.5.2. Tendências culturais: entre o naturalismo e as vanguardas - Pintura Tradicional: naturalismo Academismo: Columbano B. Pinheiro e Silva Porto, por ex. Cenas de costume (cenas populares, rurais) botas

Leia mais

GREGÓRIO DE MATOS BOCA DO INFERNO

GREGÓRIO DE MATOS BOCA DO INFERNO GREGÓRIO DE MATOS BOCA DO INFERNO Profª Ivandelma Gabriel Características * abusa de figuras de linguagem; * faz uso do estilo cultista e conceptista, através de jogos de palavras e raciocínios sutis;

Leia mais

Modernismo no Brasil

Modernismo no Brasil Modernismo no Brasil Literatura Modernista 1ª geração do Modernismo Brasileiro QUADRO GERAL: 1ª GERAÇÃO DO MODERNISMO BRASILEIRO INÍCIO: 1922 - evento da SEMANA DE ARTE MODERNA no teatro municipal de São

Leia mais

7. CULTURA E ARTE NO BRASIL REPUBLICANO

7. CULTURA E ARTE NO BRASIL REPUBLICANO 7. CULTURA E ARTE NO BRASIL REPUBLICANO 1. No Brasil, na década de 1970, alguns movimentos que ocorreram nas artes plásticas, na música, no cinema e no teatro propiciaram mudanças na forma de expressão

Leia mais

Paulo Padilha. Na Lojinha de Um Real Eu Me Sinto Milionário www.boranda.com.br/paulopadilha

Paulo Padilha. Na Lojinha de Um Real Eu Me Sinto Milionário www.boranda.com.br/paulopadilha Paulo Padilha Paulo Padilha Na Lojinha de Um Real Eu Me Sinto Milionário www.boranda.com.br/paulopadilha Rindo se castigam os costumes. A máxima latina ajuda a definir o novo trabalho de Paulo Padilha,

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 2º EM Literatura Fransérgio Av. Opta./Subs. 18/11/14 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2.

Leia mais

Especulações sobre o amor

Especulações sobre o amor Especulações sobre o amor Janete Luiz Dócolas, Psicanalista O amor é um mistério que há muito tempo, talvez desde que fora percebido, os homens vem tentando compreender, descrever ou ao menos achar um

Leia mais

Questão 1 Assinale e explique, no poema, elementos em que se percebe a construção de uma identidade nacional.

Questão 1 Assinale e explique, no poema, elementos em que se percebe a construção de uma identidade nacional. Leia o poema abaixo, de Castro Alves, para responder à questão. Maria Onde vais à tardezinha, Mucama tão bonitinha, Morena flor do sertão? A grama um beijo te furta Por baixo da saia curta, Que a perna

Leia mais

BRASIL REPÚBLICA (1889 )

BRASIL REPÚBLICA (1889 ) Repressão do governo. Sem maiores consequências. REVOLTA DA VACINA: OSWALDO CRUZ Revolta dos Marinheiros ou Revolta da Chibata (RJ 1910): João Cândido (líder), posteriormente apelidado de Almirante Negro.

Leia mais

Existem seis elementos no ato de comunicação: o locutor ou emissor, o interlocutor ou receptor (a pessoa com quem se fala), o canal ou contato (o som

Existem seis elementos no ato de comunicação: o locutor ou emissor, o interlocutor ou receptor (a pessoa com quem se fala), o canal ou contato (o som Existem seis elementos no ato de comunicação: o locutor ou emissor, o interlocutor ou receptor (a pessoa com quem se fala), o canal ou contato (o som e o ar, o meio físico), o referente ou contexto (o

Leia mais

AULA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

AULA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. 2 29.2 Habilidade: Reconhecer e valorizar a literatura simbolista produzida no Amazonas. 3 REVISÃO Simbolismo no Brasil: contexto histórico. Simbolismo

Leia mais

BIBLIOTECA IRMÃ AGLAÉ Mostra Literária 29 e 30 de Abril de 2015

BIBLIOTECA IRMÃ AGLAÉ Mostra Literária 29 e 30 de Abril de 2015 BIBLIOTECA IRMÃ AGLAÉ Mostra Literária 29 e 30 de Abril de 2015 Infantil II Releitura dos livros: - Muitas Bolhas - Água Viva - A chuvarada Educação Infantil Infantil III Releitura dos livros: - O mistério

Leia mais

Biografias dos membros do Júri

Biografias dos membros do Júri Biografias dos membros do Júri Ana Paula Ramalho Amendoeira Atualmente Diretora Regional da Cultura do Alentejo. Licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1985) e Mestre

Leia mais

Pós-modernismo brasileiro. Neovanguardas e poesia contemporânea

Pós-modernismo brasileiro. Neovanguardas e poesia contemporânea Pós-modernismo brasileiro Neovanguardas e poesia contemporânea Concretismo O Concretismo começa a despontar no Brasil com a publicação da revista Noigandres pelos três poetas: Décio Pignatari, Haroldo

Leia mais

Lıter tur. O Pré-Modernismo no Brasil... 15. As vanguardas artísticas europeias e o Modernismo no Brasil... 37

Lıter tur. O Pré-Modernismo no Brasil... 15. As vanguardas artísticas europeias e o Modernismo no Brasil... 37 s u m r ı o Lıter tur 1 O Pré-Modernismo no Brasil... 15 Primeira leitura: Como imagino o Municipal amanhã João do Rio... 15 Um pouco de História... 19 Principais características do Pré-Modernismo no Brasil...

Leia mais

ATIVIDADE DE ESTUDO 3º PERÍODO: Concordância do verbo com o Sujeito; Tipos de Predicado; Verbo de Ligação e Predicativo do Sujeito

ATIVIDADE DE ESTUDO 3º PERÍODO: Concordância do verbo com o Sujeito; Tipos de Predicado; Verbo de Ligação e Predicativo do Sujeito Ensino Fundamental Nível II LÍNGUA PORTUGUESA NOME: NÚMERO: / /2012 GRAMÁTICA F-7 ATIVIDADE DE ESTUDO 3º PERÍODO: Concordância do verbo com o Sujeito; Tipos de Predicado; Verbo de Ligação e Predicativo

Leia mais

PORTUGUÊS e SOCIOLOGIA

PORTUGUÊS e SOCIOLOGIA PORTUGUÊS e SOCIOLOGIA Terceiro ano integrado EDI 3-2009 Instruções: Leia atentamente cada questão para resolvê-la com segurança. A marcação do gabarito deverá ser feita com caneta de tinta azul ou preta

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

Bichos, bichinhos e bicharocos. Sidónio Muralha. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho

Bichos, bichinhos e bicharocos. Sidónio Muralha. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho Bichos, bichinhos e bicharocos Sidónio Muralha Fichas de leitura Criação intelectual: Fátima Patronilho Fichas de leitura Ficha 1 1. De acordo com as diferenças que achas que podem existir entre bichos,

Leia mais

Competência(s) / Objetivo(s) de Aprendizagem Conhecer a vida e a obra do poeta Carlos Drummond de Andrade a partir de um documentário não tradicional;

Competência(s) / Objetivo(s) de Aprendizagem Conhecer a vida e a obra do poeta Carlos Drummond de Andrade a partir de um documentário não tradicional; Ensino Médio Cinema e Educação: O Poeta das Sete Faces Disciplinas/Áreas do Conhecimento: Língua Portuguesa; Arte; História; Sociologia; Competência(s) / Objetivo(s) de Aprendizagem Conhecer a vida e a

Leia mais

Incidente em Antares Erico Verissimo

Incidente em Antares Erico Verissimo Incidente em Antares Erico Verissimo Erico Verissimo, um contador de histórias Erico Verissimo Biografia 1905 Nasceu em Cruz Alta (RS), em 17/12 Erico Verissimo Biografia 1920 Foi estudar em Porto Alegre,

Leia mais

Leiria, 1 de junho de 2013

Leiria, 1 de junho de 2013 Provas Especialmente Adequadas Destinadas a Avaliar a Capacidade para a Frequência dos Cursos Superiores do Instituto Politécnico de Leiria dos Maiores de 23 Anos 2013 Prova Escrita de Conhecimentos Específicos

Leia mais

Arte e Cultura rompendo as estruturas: Cracolândia o gritos dos sem voz.

Arte e Cultura rompendo as estruturas: Cracolândia o gritos dos sem voz. Proposta de Atuação: Arte e Cultura rompendo as estruturas: Cracolândia o gritos dos sem voz. Objetivo geral: Realizar aulas, atividades lúdicas, vivências artísticas e culturais, promovendo a cidadania

Leia mais

DATA: / /2017 NOME: N Literatura- Recuperação TURMA 232 PROFª CRISTINA 1º BIMESTRE PONTUAÇÃO NAS QUESTÕES - 2, 4,5,6,9,11,14,18 (VALE DOIS PONTOS)

DATA: / /2017 NOME: N Literatura- Recuperação TURMA 232 PROFª CRISTINA 1º BIMESTRE PONTUAÇÃO NAS QUESTÕES - 2, 4,5,6,9,11,14,18 (VALE DOIS PONTOS) 1925 *** COLÉGIO MALLET SOARES *** 2017 92 ANOS DE TRADIÇÃO, RENOVAÇÃO E QUALIDADE DEPARTAMENTO DE ENSINO DATA: / /2017 NOTA: NOME: N Literatura- Recuperação TURMA 232 PROFª CRISTINA 1º BIMESTRE PONTUAÇÃO

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E PROGRAMAS

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E PROGRAMAS 4. a EDIÇÃO 1 O CICLO ENSINO BASICO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E PROGRAMAS EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA EVANGÉLICA PROGRAMA DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO À DESCOBERTA DE UM MUNDO DIFERENTE OBJECTIVOS GERAIS:

Leia mais

GENEROS TEXTUAIS E O LIVRO DIDÁTICO: DESAFIOS DO TRABALHO

GENEROS TEXTUAIS E O LIVRO DIDÁTICO: DESAFIOS DO TRABALHO GENEROS TEXTUAIS E O LIVRO DIDÁTICO: DESAFIOS DO TRABALHO Fernanda Félix da Costa Batista 1 INTRODUÇÃO O trabalho com gêneros textuais é um grande desafio que a escola tenta vencer, para isso os livros

Leia mais

LANDESKUNDE 32 TÓPICOS 1/2004. Flávio de Carvalho Portrait of composer Camargo Guarnieri, 1953 Oil on canvas, 100 x 70 cm

LANDESKUNDE 32 TÓPICOS 1/2004. Flávio de Carvalho Portrait of composer Camargo Guarnieri, 1953 Oil on canvas, 100 x 70 cm 32 TÓPICOS 1/2004 Flávio de Carvalho Portrait of composer Camargo Guarnieri, 1953, 100 x 70 cm O Modernismo Brasileiro em Berlim TEXT: VIVIANE DE SANTANA PAULO PHOTOS: FERNANDO SILVEIRA/FAAP Foi um sucesso

Leia mais

FUVEST /01/2002 Língua Portuguesa

FUVEST /01/2002 Língua Portuguesa FUVEST 2002 06/01/2002 Língua Portuguesa Q.01 E não há melhor resposta que o espetáculo da vida: vê-la desfiar seu fio, que também se chama vida, ver a fábrica que ela mesma, teimosamente, se fabrica,

Leia mais

Fascículo 6 Linguagens Unidade 17 A linguagem nas tirinhas e nas charges

Fascículo 6 Linguagens Unidade 17 A linguagem nas tirinhas e nas charges Atividade extra Fascículo 6 Linguagens Unidade 17 A linguagem nas tirinhas e nas charges Leia a tirinha para responder às próximas questões Disponível em http://lpressurp.wordpress.com/2011/02/14/lista-de-exercicios/

Leia mais

Observe a imagem e leia o texto abaixo para fazer as lições de Língua Portuguesa:

Observe a imagem e leia o texto abaixo para fazer as lições de Língua Portuguesa: COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION Troca do livro LIÇÕES DE PORTUGUÊS E HISTÓRIA / 4º ano 4º A 4º B 4º C semana de 25 a 29 de maio sexta-feira terça-feira quinta-feira Observe a imagem e leia o texto abaixo

Leia mais

ENEM 2012 Questões 108, 109, 110, 111, 112 e 113

ENEM 2012 Questões 108, 109, 110, 111, 112 e 113 Questões 108, 109, 110, 111, 112 e 113 108. Na leitura do fragmento do texto Antigamente constata-se, pelo emprego de palavras obsoletas, que itens lexicais outrora produtivos não mais o são no português

Leia mais

09 DE OUTUBRO (QUINTA-FEIRA)

09 DE OUTUBRO (QUINTA-FEIRA) 09 DE OUTUBRO (QUINTA-FEIRA) PALESTRAS PALESTRA PALESTRANTE O artesanato em Mato Grosso do Sul Gilberto Luiz Alves 10h30 Leitura e Literatura: Estratégia de Compreensão Renata Junqueira 16h PAVILHÃO DO

Leia mais

Prefácio. Paulo Andrade

Prefácio. Paulo Andrade Prefácio Paulo Andrade SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros ANDRADE, P. Prefácio. In: O poeta-espião: a antilírica de Sebastião Uchoa Leite [online]. São Paulo: Editora UNESP, 2014, pp. 13-16.

Leia mais

Modernismo. adeilsonsousa

Modernismo. adeilsonsousa Modernismo adeilsonsousa SEMANA DE ARTE MODERNA Aconteceu nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro de 1922, ano do Centenário da Independência e da Criação do Partido Comunista Brasileiro Marco cultural de um

Leia mais

Data Avaliação Hora Início / Hora Término 15/9 Gramática / Filosofia-Sociologia 07h00min / 10h10min 16/9 Arte / Espanhol 09h30min / 12h45min

Data Avaliação Hora Início / Hora Término 15/9 Gramática / Filosofia-Sociologia 07h00min / 10h10min 16/9 Arte / Espanhol 09h30min / 12h45min Data Avaliação Hora Início / Hora Término 15/9 Gramática / Filosofia-Sociologia 07h00min / 10h10min 16/9 Arte / Espanhol 09h30min / 12h45min 21/9 21/9 Inglês / Biologia Inglês / Biologia 07h00min / 10h10min

Leia mais

C O L É G I O F R A N C O - B R A S I L E I R O

C O L É G I O F R A N C O - B R A S I L E I R O C O L É G I O F R A N C O - B R A S I L E I R O Nome: N.º: Turma: Professora: Série: 1ª Data: / / LISTA DE RECUPERAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 1ª SÉRIE Texto 1: (As Brumas de Avalon Marion Zimmer Bradley,

Leia mais

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais?

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Gêneros Textuais E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Para começar, vamos observar as imagens abaixo, reproduções de uma receita, uma manchete de

Leia mais

EMILIANO DI CAVALCANTI

EMILIANO DI CAVALCANTI Em 1922, a Semana de Arte Moderna - que, segundo muitos historiadores, é o efetivo marco inicial do modernismo brasileiro proclamaria a instauração de um novo tempo. (LUZ, 2008, p.101) EMILIANO DI CAVALCANTI

Leia mais

CALENDÁRIO - PED LITERATURA BRASILEIRA Grupo Maio/2012 CursoID GradeID 661

CALENDÁRIO - PED LITERATURA BRASILEIRA Grupo Maio/2012 CursoID GradeID 661 informações: 1.º 2.º 3.º CALENDÁRIO - PED LITERATURA BRASILEIRA Grupo 096 - Maio/2012 CursoID 554 - GradeID 661 Estrutura do Calendário Antes de utilizar o Calendário do Curso, leia atentamente o Manual

Leia mais

Literatura. Literatura

Literatura. Literatura Literatura Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas entretêm. A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer

Leia mais

Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas

Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas Análise Estética (formal) Análise Estilística (figuras de linguagem) Análise Gramatical (morfossintática) Análise Semântica (de significado) Análise

Leia mais

Revisão geral sobre Modernismo

Revisão geral sobre Modernismo GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: Literatura SÉRIE: 3 ano ALUNO(a): Data da prova: 12/11/16. No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes

Leia mais

Turma: 3º ano FG e ADM

Turma: 3º ano FG e ADM COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2013 Disciplina: Literatura Ano: 2013 Professor (a): Felipe Amaral Turma: 3º ano FG e ADM Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

Jimboê. Português. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 2 o bimestre

Jimboê. Português. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 2 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao segundo bimestre escolar ou às Unidades 4, 5 e 6 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê Português 5 o ano Avaliação 2 o bimestre Avaliação Português NOME:

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Declaração Universal dos Direitos Humanos SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: / / 03 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

Aula 6 A lírica camoniana

Aula 6 A lírica camoniana Aula 6 A lírica camoniana Lírica Camoniana Poemas em medida velha: Poemas em medida nova: - Tradição popular medieval - Doce estilo novo -- Influência de Petrarca: soneto - Redondilha Menor: pentassílabo

Leia mais

FUVEST 2003. Língua Portuguesa Segunda Fase 05/01/2003

FUVEST 2003. Língua Portuguesa Segunda Fase 05/01/2003 FUVEST 2003 Língua Portuguesa Segunda Fase 05/01/2003 Q.01 BR. Contribuindo para o cinema brasileiro rodar cada vez melhor. A Petrobras Distribuidora sempre investiu na cultura do País e acreditou no potencial

Leia mais

CURSO ANO LETIVO PERIODO/ANO Departamento de Letras º CÓDIGO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA

CURSO ANO LETIVO PERIODO/ANO Departamento de Letras º CÓDIGO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA CURSO ANO LETIVO PERIODO/ANO Departamento de Letras 2017 4º CÓDIGO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA Literatura Brasileira III 04h/a xxx xxx 60 h/a xxx xxx EMENTA Visão das estéticas modernas do pré-modernismo

Leia mais

TEXTOS SAGRADOS. Noções introdutórias

TEXTOS SAGRADOS. Noções introdutórias TEXTOS SAGRADOS Noções introdutórias A ORIGEM Os Textos Sagrados, via de regra, tiveram uma origem comum: Experiência do sagrado. Oralidade. Pequenos textos. Primeiras redações. Redação definitiva. Organização

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA

LITERATURA BRASILEIRA LITERATURA BRASILEIRA 13 Em relação à produção literária do Modernismo brasileiro, mais especificamente à de Mário e Oswald de Andrade, assinale a alternativa correta. a) A ficção de Mário de Andrade aborda

Leia mais

(PUC-Rio/2005 Adaptada) Texto para as questões 2 e 3:

(PUC-Rio/2005 Adaptada) Texto para as questões 2 e 3: 2º EM Literatura Carolina Aval. Mensal 18/05/12 Textos para a questão 1: Texto I OS SAPOS O sapo tanoeiro, Parnasiano aguado, Diz: Meu cancioneiro É bem martelado (...) Brada em um assomo O sapo tanoeiro:

Leia mais

FIGURAS DE SINTAXE. h) i)

FIGURAS DE SINTAXE. h) i) FIGURAS DE SINTAXE 1. Identifique, nas frases e nos anúncios seguintes, as figuras de sintaxe. Atenção: há frases em que ocorrem duas figuras. a) Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, Muda-se o ser,

Leia mais

Disciplina: Literatura Professor (a): Felipe Amaral 3ª Série Turma: FG

Disciplina: Literatura Professor (a): Felipe Amaral 3ª Série Turma: FG COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 2ª Etapa 2014 Disciplina: Literatura Professor (a): Felipe Amaral 3ª Série Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

DOMINGO SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SÁBADO

DOMINGO SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SÁBADO Foi uma grande pintora e desenhista brasileira, sendo considerada uma das figuras centrais do Modernismo no Brasil. Criou paisagens distintamente tropicais que refletem o Brasil. TARSILA DO AMARAL JANEIRO

Leia mais

O QUE FOI A POESIA MARGINAL

O QUE FOI A POESIA MARGINAL O QUE FOI A POESIA MARGINAL A poesia marginal ou a geração Mimeógrafo surgiu na década de 70 no Brasil, de forma a representar o movimento sociocultural que atingiu as artes e principalmente a literatura.

Leia mais

Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à obra!

Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à obra! ROTEIRO DE ESTUDOS DE LITERATURA PARA A 3ª ETAPA 2ª SÉRIE Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Recuperação do 4 Bimestre disciplina Gramática Conteúdo: Texto / crase / pontuação / sintaxe Lista de exercícios 3º M / 4º bimestre Lista de exercícios 1. Explique

Leia mais

O CAMINHO DA FICÇÃO BRASILEIRA

O CAMINHO DA FICÇÃO BRASILEIRA O CAMINHO DA FICÇÃO BRASILEIRA Gracielle Custódio APOLINÁRIO 1 Wagner LACERDA 2 O livro Ficção brasileira contemporânea (2009), escrito por Karl Erik Schollhammer, aborda a produção da ficção no Brasil

Leia mais

Pronomes Relativos, Conjunções e Verbos

Pronomes Relativos, Conjunções e Verbos Exercícios Variados Revisão de Pronomes Relativos, Conjunções e Verbos Exercícios Variados Conjunções e Verbos Revisão de Pronomes Relativos, 1. Leia o fragmento de texto abaixo, de As Três Marias, de

Leia mais

POESIA NO ENSINO MÉDIO: ANÁLISE DE RECEITAS RESUMO

POESIA NO ENSINO MÉDIO: ANÁLISE DE RECEITAS RESUMO POESIA NO ENSINO MÉDIO: ANÁLISE DE RECEITAS Caroline Orlandini Moraes (Bolsista Fundação Araucária / G CLCA UENP/CJ) (Integrante do GP Literatura e Ensino - UENP/CJ) Rafaela Stopa (Orientadora - CLCA-UENP/CJ)

Leia mais

Matriz de referência de LÍNGUA PORTUGUESA - SAERJINHO 5 ANO ENSINO FUNDAMENTAL

Matriz de referência de LÍNGUA PORTUGUESA - SAERJINHO 5 ANO ENSINO FUNDAMENTAL 7 5 ANO ENSINO FUNDAMENTAL H0 Ler frases. Períodos compostos. H03 Inferir uma informação em um H04 Identificar o tema Trabalhar o tema baseando-se na complexidade do texto, partindo de um texto de curta

Leia mais

PORTUGUÊS O JORNAL E O LIVRO

PORTUGUÊS O JORNAL E O LIVRO 1 TEXTO I PORTUGUÊS 10 1 20 2 30 O JORNAL E O LIVRO (...) Tratemos do jornal, esta alavanca que Arquimedes pedia para abalar o mundo, e que o espírito humano, este Arquimedes de todos os séculos, encontrou.

Leia mais