Compilação do kernel modprobe rmmod Utilização do kernel uname -r.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Compilação do kernel modprobe rmmod Utilização do kernel 2.6.25 uname -r."

Transcrição

1 Compilação do kernel O kernel do Linux é o núcleo do sistema operacional, ou seja é o próprio sistema operacional em si, onde faz gerenciamento entre o hardware e os programas utilizados pelo usuário através de linguagens de programação como C, C++, Shell Script e Java. Porém quando você instala o Linux através do CD ou DVD da sua distribuição Linux, o kernel que vem na instalação nem sempre vem incorporado com todos os recursos que o kernel pode oferecer, sendo necessário a sua recompilação para adicionar estes recursos tais como: suporte a novas tecnologias e dispositivos de hardware, melhor performance e personalização do kernel. Através do Kernel do Linux é possível também carregar e descarregar módulos de hardware e software na memória através dos comandos modprobe e rmmod, conforme a necessidade ou arquitetura de hardware utilizada em seu computador. Utilização do kernel Quando o Linux é instalado através do CD ou DVD da sua distribuição Linux (Debian, Ubuntu, Kurumin, Fedora, Red Hat, Mandriva, OpenSuse e etc), ele vem com um kernel pré-compilado onde ele não conhece a arquitetura de hardware do computador que será instalado, então o kernel é compilado de forma padrão e genérica para qualquer arquitetura de hardware. O kernel instalado pelas distribuições Linux às vezes não reconhecendo novos hardwares e novas tecnologias e obtendo a performance e desempenho que deveria ter, sendo necessário assim a recompilação do kernel. O kernel do Linux é atualizado constantemente, sendo às vezes esse o motivo de sua recompilação, seja para corrigir erros (bugs) onde são aplicados patchs de correção ou para incorporar novos recursos.você pode baixar a última versão no site atualmente a última versão disponível é no formato.tar.gz e tar.bz2 para download. Para ver a versão do seu kernel atual em seu computador execute o comando uname -r. 1

2 $ uname -r

3 Para compilar o kernel primeiramente será mostrado os dois tipos de compilação do kernel: kernel monolítico e kernel modular. kernel monolítico (incluídos no kernel) É quando é adicionado todos os drivers de hardware e de softwares dentro do kernel deixando o tamanho do kernel maior. kernel modular (módulos carregados na memória) É quando os drivers de hardware e softwares são gerados como módulos, onde são carregados em memória conforme a necessidade de utiliza-los Um módulo é um programa que o kernel carrega em memória para ser utilizado por algum dispositivo de hardware ou para adicionar um novo recurso no kernel. A vantagem de carregar um módulo é que ele só consume memória RAM e CPU do sistema quando é carregado, e também ele adiciona novos recursos no kernel ou a funcionalidade de um dispositivo sem precisar recompilar o kernel toda vez que for adicionado um novo dispositivo de hardware no sistema. Por exemplo, uma nova placa de rede wireless, uma nova placa de vídeo 3D e etc. Na verdade não é necessário compilar um kernel totalmente monolítico ou modular, o mais comum é gerar um kernel incluindo algum suporte a recursos direto no kernel, e gerar os módulos dos dispositivos de hardware separados para serem carregados quando forem utilizados. O kernel que vem nas distribuições Linux é um kernel padrão que vem com vários módulos para dar suporte a qualquer tipo de hardware, onde na instalação do Linux o kernel é configurado de tal forma a carregar somente os módulos necessários para p hardware do computador. Melhoria do kernel série 2.6 em relação série 2.4 A série atual do kernel 2.6 além de ser mais rápido, trouxe muitas melhorias em relação a sua versão anterior 2.4, dentre elas destacamos melhor suporte a dispositivos USB, suporte a dispositivos wireless, sistema de arquivos (NTFS), novo gerenciador de I/O (Input / Output), suporte a reserva de energia para notebok. Antes da compilação do kernel Para compilar um novo kernel é necessário ter alguns pacotes instalados em seu computador além de estar logado como root e ter em torno de 100 MB de espaço em disco. 3

4 Para compilar o kernel em qualquer distribuição Linux é necessário ter o compilador e as bibliotecas de desenvolvimento instaladas que geralmente são : gcc libc-dev libncurses-dev make automake binutils kernel-headers initrd-tools Pacotes necessários para uma compilação baseada no Debian ou Ubuntu. gcc libc6-dev autoconf libncurses5-dev make automake1.9 binutils linux-kernel-headers initrd-tools module-init-tools kernel-package dpkg-dev Baixando os fontes do kernel Se você quiser obter o apenas personalizar seu kernel, então você pode utilizar o próprio kernel atual que está incluído na sua distribuição Linux que é representado pelo pacote linux-source (Debian e Ubuntu), kernel-devel (Fedora) e kernel-source (outras distribuições Linux) No Debian existe várias versões do pacote kernel-source, portanto você deverá instalar o pacote correspondente ao seu kernel atual, que pode exibi-lo pelo comando uname -r. 4

5 $ uname -r

6 Agora procure pela versão correta correspondente ao seu kernel com o comando apt-cache search # apt-cache search linux-source linux-source Linux kernel source for version with Debian patches Agora instale o pacote linux-source que corresponde ao meu kernel , que na verdade será baixado o arquivo do kernel do linux no formato.tar.bz2 no diretório /usr/src para ser descompactado com o comando tar. 6

7 # apt-get install linux-source

8 Agora se você quer baixar a última versão do kernel no diretório /usr/src, então acesse o site usando seu navegador escolhendo HTTP ou FTP e acesse a última versão da série 2.6 (no meu caso atualmente é ) no formato tar.gz ou tar.bz2 e depois baixe com o comando wget como mostra abaixo. 8

9 # cd /usr/src # wget -cv 9

10 Descompactando os fontes do kernel Após ter baixado os fontes do kernel no diretório /usr/src, descompacte-o com o comando abaixo. 10

11 # cd /usr/src # tar -xvjf linux tar.bz2 11

12 Caso tenha um link simbólico (linux) apontando para o kernel atual ou um kernel antigo, remova-o ou renomei-o e crie um novo link apontando para o novo kernel. # mv linux linux-antigo # ln -s linux linux Configurando o kernel Na configuração do kernel você pode incluir novos recursos a novos dispositivos de hardware e novas tecnologias, suporte a sistema de arquivos, recursos de rede e firewall, personalizar a arquitetura do processador utilizado melhorando muito a performance no sistema e etc. Existem três comandos que podem ser utilizados para configurar o kernel: make config (não recomendado) é uma interface em modo texto, onde é configurado as opções uma por uma tornando o seu uso mais difícil. make menuconfig (recomendado) - é uma interface em modo texto, onde é mais simples e rápido a configuração do que make config. Para seu funcionamento é necessário ter instalado o compilador gcc e a biblioteca de desenvolvimento (gcc, libc6-dev, e libncurses5-dev). 12

13 # apt-get install gcc libc6-dev libncurses5-dev 13

14 make xconfig (recomendado) - é uma interface em modo gráfico baseada em menus, onde sua configuração é mais fácil do que make menuconfig, mas para seu funcionamento é necessário ter instalado o compilador g++ e pacote QT no kernel série 2.6 (g++ qt3-apps-dev qt3-designer qt3-dev-tools qt3-qtconfig libqt3-mt-dev e pkg-config). 14

15 # apt-get install g++ qt3-apps-dev qt3-designer qt3-dev-tools qt3-qtconfig libqt3-mt-dev pkg-config 15

16 make gconfig (recomendado) - é uma interface em modo gráfico baseada em menus mas que usa a biblioteca GTK É recomendado make menuconfig, pois é fácil sua configuração e funciona em modo texto e gráfico e só depende de um pacote para seu funcionamento (libncurses5-dev). No momento de configuração de compilação do kernel com make menuconfig, será necessário você responder algumas opções de compilação para cada módulo dentro da configuração do kernel onde são mostradas abaixo o seu significado. make menuconfig Para navegar pelo menuconfig use as setas direcionais para cima, baixo, direita e esquerda do seu teclado para navegar pelos menus e as opções Select para selecionar opções ou Exit ou ESC para sair. [ * ] (asterístico) diz para compilar dentro do kernel [ m ] diz para compilar como módulo [ ] desativado (diz para não compilar) make xconfig No make xconfig as opções de compilação para cada módulo são as mesmas do make menuconfig onde pode ser OK (compilar dentro do kernel), M (compilar como módulo) e desativado. 16

17 Atenção! Caso você tenha escolhido compilar o kernel incluído na sua distribuição Linux e não a última versão do kernel baixada através do site primeiramente é necessário carregar o arquivo de configuração do kernel atual disponível no diretório /boot que tem como nome a versão do kernel atual (Por exemplo /boot/config ). Carregando o arquivo evitar alguns problemas e erros, pois a configuração será iniciada a partir das configurações atuais do seu kernel em uso e será incluídas apenas as suas alterações. Antes de carregar o arquivo, execute o comando uname -r para ver a versão do seu kernel Para carregar o arquivo de configuração do kernel atual da pasta /boot acesse o menu Load an Alternate Configuration File no make menuconfig ou File > Load no make xconfig e informe o caminho para o arquivo no diretório /boot. Por exemplo no menuconfig será necessário você digitar ou copiar e colar o caminho para o arquivo /boot/config e no xconfig apenas acesse o diretório /boot/ e escolha o arquivo config Dentro da configuração do kernel com make menuconfig ou make xconfig terá varias seções menus de configuração onde você pode personalizar a compilação, onde serão mostradas na tabela abaixo: 17

18 Menu de configuração Code maturity level options General setup Loadable module support Block layer Processor type and features Power management options (ACPI, APM) Bus options (PCI, PCMCIA, EISA, MCA, ISA) Executable file formats Descrição Desenvolvimento e código de drivers incompletos Configurações gerais Suporte a módulos carregaveis Camada de blocos (relacionados a arquivos) Tipos e características de processadores Gerenciamento opções de energia Opções sobre barramentos PCI, ISA, PCMCIA... Suporte a formato de arquivos binários Networking Suporte a rede (BlueTooth, Wifi, IPV6, Qos, IPsec, NetFilter...) Device Drivers File systems Suporte a drivers de dispositivos (porta paralela, USB, rede, som, scsi...) Suporte a sistema de arquivos (ext3, reiserfs,ntfs...) 18

19 Instrumentation Support Kernel hacking Security options Cryptographic options Library routines Load an Alternate Configuration File Save Configuration to an Alternate File Suporte de instrumentação Opções de ferramentas de desenvolvimento do kernel Opções de segurança Opções de criptografia Rotinas de bibliotecas Carrega as configurações de um arquivo de alternativo Salvar configurações em um arquivo alternativo Após selecionar todas as opções de configuração correspondente a seu hardware, selecione as opções Exit e Yes (make menuconfig) ou Save and Exit (make xconfig) no menu principal para salvar. Após as configurações feitas pelos comandos make menuconfig ou manke xconfig, será gerado o arquivo.config usado durante a compilação no diretório /usr/src/linux Compilando o kernel Compilação no Debian O Debian possui um pacote chamado kernel-package que facilita o processo de compilação do kernel, onde não é necessário digitar os comandos de compilação (make clean, make, make modules, make modules_install e make install). O comando make-kpkg do pacote kernel-package gera um arquivo.deb no diretório /usr/src/ que pode ser instalado com o comando dpkg -i e também ser instalado em outros computadores. O processo de é simplificado por dois comandos: make-kpkg clean make-kpkg -initrd kernel_image (este processo demora várias horas dependendo da memória e processador do seu computador) Para executar os comandos abaixo é necessário acessar o diretório dos fontes do kernel em /usr/src/linux onde foi descompactado e criado o link simbólico linux e no final será gerado um arquivo kernel_image com o novo kernel dentro da pasta /usr/src/ que pode ser instalado com o comando dpkg -i kernel_image deb (onde é a versão do kernel). 19

20 # cd /usr/src/linux 20

21 Execute o comando make menuconfig e carregue o arquivo de configuração do kernel atual da pasta /boot acesse o menu Load an Alternate Configuration File no make menuconfig e digite ou copie e cole o caminho para o arquivo /boot/config (que corresponde ao meu kernel atual). 21

22 # make menuconfig 22

23 O arquivo gerado com o comando make-kpkg -initrd kernel_image contém a imagem completa do kernel incluindo os arquivos vmlinuz e initrd, com imagem de pré-carregamento em memória do kernel pelos gerenciadores de boot (Grub e Lilo) localizados no diretório /boot. 23

24 # make-kpkg clean # make-kpkg -initrd kernel_image 24

25 Agora instale o pacote /usr/src/linux-image _ custom_i386.deb 25

26 # dpkg -i /usr/src/linux-image _ custom_i386.deb 26

27 Repare que foram criados os arquivos de configuração e carregamento do sistema config , initrd.img , System.map e vmlinuz no diretório /boot. Além de adicionar as entradas de configuração do novo kernel no gerenciador de boot Grub no arquivo /boot/grub/menu.lst title Debian GNU/Linux, kernel root (hd0,2) kernel /boot/vmlinuz root=/dev/hda3 ro initrd /boot/initrd.img savedefault Pronto agora é só reiniciar o computador e escolher o novo kernel, que neste caso é o kernel e após entrar no sistema execute o comando uname -r e verá a nova versão do kernel com as alterações que você fez. $ uname -r Compilação em qualquer distribuição Linux Para compilar o kernel não se esqueça que é necessário o compilador gcc e os pacotes das bibliotecas de desenvolvimento (libc-dev e libncurses-dev) e depois de configurar as opções do kernel é necessário os seguintes comandos para compilar um kernel série 2.6. make clean (opcional) make make modules make modules_install make install Para executar os comandos abaixo é necessário acessar o diretório dos fontes do kernel em /usr/src/linux, onde foi descompactado e criado o link simbólico linux. 27

28 # cd /usr/src/linux 28

29 Agora execute o comando make menuconfig para fazer as suas alterações e depois 29

30 # make menuconfig 30

31 O comando make clean é opcional, ele limpa configurações de compilações anteriores e removendo módulos desnecessários, em versões anteriores a série 2.6, era necessário digite make dep para verificar dependências do kernel. # make clean O comando make verifica dependências do novo kernel e inicia a compilação # make O comando make modules compila todos os módulos do novo kernel marcados com módulo na configuração do kernel. (este processo demora várias horas dependendo da memória e processador do seu computador). Atenção! Se por acaso ao executar o comando make modules aparecer alguma mensagem de erro como é mostrado abaixo: WARNING: modpost: Found 10 section mismatch(es). To see full details build your kernel with: 'make CONFIG_DEBUG_SECTION_MISMATCH=y' Execute o comando make novamente com a opção que ele mesmo sugere make CONFIG_DEBUG_SECTION_MISMATCH=y e depois execute o comando make modules. # make CONFIG_DEBUG_SECTION_MISMATCH=y # make modules O comando make modules_install finaliza a compilação copiando os módulos compilados marcados com módulo na configuração do kernel para seus respectivos diretórios em /lib/modules/novo-kernel. (onde novo-kernel é a novo kernel instalado) 31

32 # make modules_install Agora instale o kernel com o comando make install onde serão criados os arquivos de configuração e carregamento do sistema config , System.map e vmlinuz no diretório /boot e agora edite o grub editando o arquivo /boot/grub/menu.lst que deverá ser editado posteriormente. # make install Para configurar o Grub é necessário criar um arquivo de imagem initrd usado para fazer o pré-carregamento em memória do kernel e para a criação deste arquivo não esqueça de instalar o pacote initrd-tools. # apt-get install initrd-tools Agora é necessário criar o arquivo initd usado pelo Grub com o comando mkinitrd # cd /boot # mkinitrd -o /boot/initrd.img O comando acima criará o arquivo /boot/initrd.img usando o como referência o novo kernel , onde este arquivo será utilizado pelo gerenciador de boot Grub que veremos agora sua configuração abaixo. A opção root (hd0,2) corresponde ao meu primeiro disco rígido IDE (hda) e 2 corresponde a minha terceira partição /dev/hda3 onde veremos a explicação abaixo sobre o Grub. A opção initrd /boot/initrd.img corresponde ao arquivo de imagem de pré-carregamento do kernel criado acima com comando mkinitrd. title Debian GNU/Linux, kernel root (hd0,2) kernel /boot/vmlinuz root=/dev/hda3 ro initrd /boot/initrd.img savedefault 32

33 Depois de editar o arquivo /boot/grub/menu.lst, salve as configurações e atualize o grub executando o comando update-grub. # update-grub Ao executar o comando update-grub será adicionado outras entradas referentes ao novo kernel, mas com o nome do kernel errado e sem especificar o nome do arquivo de imagem initrd. title Debian GNU/Linux, kernel Default root (hd0,2) kernel /boot/vmlinuz root=/dev/hda3 ro savedefault title Debian GNU/Linux, kernel Default (single-user mode) root (hd0,2) kernel /boot/vmlinuz root=/dev/hda3 ro single savedefault Portanto você pode apagar as entradas ou corrigir o nome do kernel que vem como /boot/vmlinuz para o nome correto /boot/vmlinuz , e adicione a linha referente ao arquivo de imagem initrd. initrd /boot/initrd.img Pronto agora é só reiniciar o computador e escolher o novo kernel, que neste caso é o kernel e após entrar no sistema execute o comando uname -r e verá a nova versão do kernel com as alterações que você fez. $ uname -r

34 Gerenciadores de boot (Grub e Lilo) Grub (GRand Unified Bootloader) O GRUB é um gerenciador de boot mais recente e que usa interface gráfica mais amigável, ao contrário do Lilo que é mais antigo e usa modo texto. O Grub vem instalado como padrão nas distribuições Linux: Debian, Ubuntu, Kurumin, Fedora, Red Hat, OpenSuse e Mandriva. A única distribuição Linux que utiliza o Lilo é o Slackware. Caso você tenha perdido o gestor de boot, com por exemplo após de uma instalação do Windows sobre o Linux, você pode recuperar o Grub através de um Live CD como Ubuntu ou Kurumin ou acessando de um outro HD com o Linux instalado e montando o HD onde que perdeu o Grub com os comandos abaixo: # mount /dev/hda3 /mnt # chroot /mnt # grub-install /dev/hda pressione CTRL + D para sair ou digite exit Onde /dev/hda3 é a partição Linux e o comando chroot enjaula o diretório /mnt permite executar comandos de forma especial como se estivesse no Linux instalado nessa partição, e o comando grub-install /dev/hda regrava o Grub na MBR. Se o comando grub-install /dev/hda não funcionar execute os comandos abaixo: # mount /dev/hda3 /mnt # chroot /mnt # grub grub> root (hd0,2) # instala a partição raiz /dev/hda3 que corresponde a (hd0,2) grub> setup(hd0) # instala o grub na MBR no primeiro disco IDE (Primary Master) grub> exit O arquivo de configuração do GRUB fica localizado no diretório /boot/grub/menu.lst que veremos algumas opções de configuração na tabela abaixo: 34

35 Opção timeout = (número) default = (número) color foreground = (cor hexadecimal) background = (cor hexadecimal) splashimage = (arquivo) password = (senha) title = (S.O) kernel = (hddiscorígido, Partição) arquivo initrd = (hddiscorígido, Partição) arquivo hide = (hddiscorígido, Partição) unhide = (hddiscorígido, Partição) chainloader (arquivo) ou +1 Significado Especifica o tempo em segundos de espera até você digitar alguma tecla na tela de inicialização, caso não pressione nada será carregado tempo padrão especificado pelo sistema Número que indica qual sistema operacional será inicializado como padrão Especifica as de cores utilizados no menu do grub Especifica a cor de primeiro plano Especifica a cor de plano plano Especifica o arquivo usado como papel de parede Especifica uma senha na tela de inicialização do Grub Especifica o nome do sistema operacional Especifica o kernel a ser utilizado Especifica o arquivo initrd de pré-carregamento do kernel a ser utilizado Ignora a uma partição especificada Detecta a uma partição especificada Especifica um arquivo a ser carregado ou o primeiro setor da partição (+1) (Apenas para Windows) makeactive Especifica como uma partição ativa antes de ser carregada Para entender as opções kernel, initrd, hide e unhide que especifica o disco rígido e as partições da seguinte forma (hddiscorígido, Partição), abaixo e mostrado o significado na tabela dos discos rígidos e partições. O Grub não faz distinção entre discos rígidos IDE (hda, hdb,...), Sata (sda, sdb...) e SCSI (sda, sdb...), ele apenas conta os números dos drives começando de zero (0) após as inciais hd. Abaixo segue a tabela com os números dos discos que podem ser IDE (hda, hdb, hdc ou hdd) ou SATA ou SCSI (sda, sdb, sdc ou sdd) que correspondem as partições e veja que o 35

36 Grub não faz distinção entre discos IDE, Sata ou SCSI. Disco Rígido Partição Significado hd0, 0 hda1 (hd0, 0) onde o zero 0 após hd corresponde ao primeiro disco IDE (hda) e o segundo zero 0 corresponde a primeira partição hda1. hd0, 1 hda2 (hd0, 1) onde o zero 0 após hd corresponde ao primeiro disco IDE (hda) e o número um 1 corresponde a segunda partição hda2. hd0, 2 sda3 (hd0, 2) onde o zero 0 após hd corresponde ao primeiro disco SATA ou SCSI (sda) e o número dois 2 corresponde a terceira partição sda3.... e etc... e etc... e etc hd1, 0 hdb1 (hd1, 0) onde o um 1 após hd corresponde ao segundo disco IDE (hda) e o número zero 0 corresponde a primeira partição hdb1. hd1, 1 hdb2 (hd1, 1) onde o um 1 após hd corresponde ao segundo disco IDE (hda) e o segundo número um 1 corresponde a segunda partição hdb2. hd1, 2 sdb3 (hd1, 2) onde o um 1 após hd corresponde ao segundo disco SATA ou SCSI (sdb) e o número dois 2 corresponde a terceira partição hdb3.... e etc... e etc... e etc Agora podemos editar o Grub e adicionar uma entrada para o novo kernel compilado na seção anterior, onde devemos manter a entrada do kernel antigo caso ocorra algum erro, onde será possível carregar o kernel antigo. # kernel antigo title Debian GNU/Linux, kernel root (hd0,2) kernel /boot/vmlinuz root=/dev/hda3 ro partição raiz / onde está instalado o LInux # onde root=/dev/hda3 é a initrd /boot/initrd.img savedefault 36

37 # novo kernel title Debian GNU/Linux, kernel root (hd0,2) kernel /boot/vmlinuz root=/dev/hda3 ro partição raiz / onde está instalado o LInux # onde root=/dev/hda3 é a initrd /boot/initrd.img savedefault Após editar o arquivo /boot/grub/menu.lst com as configurações para o novo kenel, é necessário atualizar o Grub na MBR (Master Boot Record) com comando update-grub. Caso defina alguma senha no arquivo /boot/grub/menu.lst, é aconselhável alterar as permissões de leitura e escrita apenas para o usuário root. # chmod 600 /boot/grub/menu.lst # update-grub Pronto agora é só reiniciar o computador e escolher o novo kernel, que neste caso é o kernel e após entrar no sistema execute o comando uname -r e verá a nova versão do kernel com as alterações que você fez. 37

38 # reboot 38

39 $ uname -r Lilo (Linux Loader) O Lilo foi o primeiro gerenciador de boot do Linux e atualmente é utilizado como padrão na distribuição Linux Slackware. Caso você tenha perdido o gestor de boot, com por exemplo após de uma instalação do Windows sobre o Linux, você pode recuperar o Lilo através de um Live CD como Ubuntu ou Kurumin ou acessando de um outro HD com o Linux instalado e montando o HD onde que perdeu o Lilo com os comandos abaixo: # mount /dev/hda3 /mnt # chroot /mnt # lilo -v pressione CTRL + D para sair ou digite exit Onde /dev/hda3 é a partição Linux e o comando chroot enjaula o diretório /mnt permite executar comandos de forma especial como se estivesse no Linux instalado nessa partição, e o comando lilo -v regrava o Lilo na MBR. O arquivo de configuração do Lilo fica localizado em /etc/lilo.conf. Esse arquivo possui dois tipos de configuração: seção global e seção por imagem. Seção global - uma seção de configuração global onde podemos fazer configurações do sistema tais: inicialização do sistema operacional Linux e de outros sistemas operacionais e parâmetros passados para o kernel. Seção por imagem uma seção por imagem corresponde a um sistema operacional e suas definições sobrepõe a configurado global. Opções de seção global Opção lba32 boot = disco Significado Esta opção permite boot para que seja inicializado o sistema de partições que ultrapassarem o cilindro Especifica um dispositivo de disco rígido (/dev/hda) ou de uma partição do disco(/dev/hda1) 39

40 map = arquivo_mapa install = setor de inicialização default = nome message = arquivo password = senha restricted prompt Especifica o arquivo mapa, caso não seja especifica, é utilizado o arquivo /boot/map. Especifica o arquivo a ser instalado no novo setor de inicialização que pode ser: install bmp (/boot/boot-bmp.b), install text (/boot/boot-text.b) ou install menu que é o padrão (/boot/boot-menu.b ou /boot/boot-boot.b). Especifica a imagem do kernel para ser inicializada como padrão, caso não seja especificado, a primeira imagem exibida no arquivo será utilizada. Especifica um arquivo com uma mensagem a ser exibida na tela de inicialização do Lilo Especifica uma senha na tela de inicialização do Lilo Determina que a senha somente será utilizada, caso seja passado algum comando como parâmetro na tela inicialização do Lilo (Ex: linux single) Determina uma mensagem de acesso ao sistema e aguarda que alguma tecla seja pressionada timeout = número Opções de seção por imagem Especifica o tempo de espera (em décimos de segundos, Ex: 100 corresponde a 10 segundos que é o padrão) para que seja pressionada alguma tecla para inicializar o sistema, caso não seja especificado o tempo padrão que é infinito será utilizado. Opção image = arquivo other = dispositivo label = nome password = senha root = partição Significado Especifica o arquivo de inicialização de imagem do kernel (Ex: /boot/vmlinuz) Especifica uma partição do disco rígido referente ao sistema operacional a ser inicializado. (Ex: /dev/hda1) *(usado para partições Windows) Especifica o nome do sistema operacional (Ex: Linux, Windows) Especifica um senha da imagem do sistema operacional Especifica também uma partição do disco rígido referente ao sistema operacional a ser inicializado. (Ex: /dev/hda2) 40

41 *(usado para partições Windows) table = disco Opções do kernel Especifica um dispositivo de disco rígido a ser inicializado (Ex: /dev/hda) Opção append = string mem = MegaBytesM ramdisk = tamanho root = dispositivo initrd = arquivo_imagem read-only Significado Especifica parâmetros a serem passados para o kernel na inicialização, por exemplo hardwares não detectados ou ativar e desativar suporte para algum recurso ou dispositivo. (Ex: append mem=256m (Faz o Linux reconhecer 256 de memória RAM)) Configura o kernel para utiliza o tamanho em MegaBytesM de memória. (Ex: 128M) Especifica o tamanho do disco de RAM opcional, caso seja configurado com o valor zero 0, nenhum disco em memória deverá ser utilizado. E caso não seja especificado, será utilizado como padrão o valor configurado na imagem de inicialização para o disco de RAM em memória. Especifica o dispositivo do disco rígido a ser montado como partição raiz (Ex: /dev/hda1) Especifica a imagem de pré-carregamento em memória do kernel, sendo opcional seu uso, e em algumas distribuições como o Slackware não é necessário este arquivo Diz que a partição raiz / deverá ser montada com as permissões somente para leitura. read-write Diz que a partição raiz / deverá ser montada com as permissões de leitura e escrita. Abaixo segue um exemplo da seção global do arquivo /etc/lilo.conf # /etc/lilo.conf # seção global lba32 41

42 boot = /dev/hda map = /boot/map install = menu default = linux # aqui pode ser usado outra distribuição Linux como default=debian, default=ubuntu ou Windows default=windows message = /boot/mensagem.txt # define o arquivo com a mensagem # password = senha_secreta # define uma senha e será usada caso seja passado algum parâmetro para o kernel # restricted prompt timeout = 100 append = mem=256m Abaixo segue um exemplo da seção por imagem, onde contém entradas de um kernel antigo e de um novo kernel e uma entrada para o Windows no arquivo /etc/lilo.conf # /etc/lilo.conf # seção da primeira imagem Partição Linux # kernel antigo image = /boot/vmlinuz label = Debian boot = /dev/hda3 # aqui você pode usar a opção root também root = /dev/hda3 read-only # seção da segunda imagem Partição Linux 42

43 # kernel novo image = /boot/vmlinuz label = Debian root = /dev/hda3 read-only # seção da terceira imagem Partição Linux image = /boot/vmlinuz fc8 label = Fedora root = /dev/hda2 read-only # seção da quarta imagem Partição Windows label = Windows other = /dev/hda1 table = /dev/hda Após editar o arquivo /etc/lilo.conf com as configurações para o novo kenel, é necessário atualizar o Lilo na MBR (Master Boot Record) com comando lilo -v. Caso defina alguma senha no arquivo /etc/lilo.conf, é aconselhável alterar as permissões de leitura e escrita apenas para o usuário root. # chmod 600 /etc/lilo.conf Através do comando lilo -D podemos especificar qualquer sistema operacional será padrão na inicialização, por exemplo: 43

44 # lilo -D Windows # lilo -D Debian Gravando o Lilo ba MBR # lilo -v Aplicando patches no kernel Patchs são arquivos de correção de erros (bugs) no kernel do Linux, e por isso as vezes é a razão o qual leva a recompilação do kernel. As correções de erros ou novos recursos demoram para ser lançados na versão mais recente do kernel, e estando assim disponíveis apenas em formas de patches. Algumas vezes você precisa de drivers de hardware que não é suportado pelo novo kernel por padrão, ou você precise de tecnologias de virtualização ou algumas tecnologias muito recentes que ainda não foram feitas para esse kernel, sendo assim nestes casos você deve aplicar patch em seu kernel. Como exemplo de patches temos alguns novos recursos de firewall para o iptables tais como o layer 7 (bloquear MSN) e Patch-O-Match (para bloquear palavras), Freeswan (VPN), OpenMosix (Cluster), Bootsplash (boot gráfico), PPTP Client (Tunelamento de Protocolo Ponto-a-ponto) e etc. Entendendo os patches As atualizações e correções do kernel são distribuídas em patches com extensões de arquivos.bz2 (bzip2) ou.gz (gunzip) através do site no link onde 2.6 é versão atual do kernel. Por exemplo se você tem um kernel e soube que há um patch na versão , isso significa que você pode atualizar sua versão para aplicando o patch bz2 ou gz. Vamos supor que recente foi lançado um novo kernel com a versão e você deseja atualizar sua versão para , então você deveria aplicar cada patch seqüencialmente para cada nova versão (2.6.19, , ), sendo assim neste caso você não deve aplicar patches e sim baixar a última versão do kernel (que atualmente é ) disponível em As versões do Linux estão disponíveis em versões com números pares (2.6.18) chamadas de versões estáveis (releases de produção) e as versões ímpares (2.6.19) chamadas de instáveis (releases de testes). Entendendo os patches 44

Revisão LPI101. Tópicos e Objetivos. - 1.102 Instalação e Gerenciamento de Pacotes do Linux. - 1.104 Dispositivos, Sistemas de Arquivos Linux e o FHS

Revisão LPI101. Tópicos e Objetivos. - 1.102 Instalação e Gerenciamento de Pacotes do Linux. - 1.104 Dispositivos, Sistemas de Arquivos Linux e o FHS Tópicos e Objetivos - 1.101 Hardware e Arquitetura - - 1.103 Comandos GNU e Unix - 1.104 Dispositivos, Sistemas de Arquivos Linux e o FHS - 1.1.10 Sistema Xwindow 65 Questões em 90 minutos = 1m24s por

Leia mais

Capacitação Vix Linux. Marcos Alessandro By: Jacson RC Silva

Capacitação Vix Linux. Marcos Alessandro <marcos@doctum.edu.br> By: Jacson RC Silva <jacsonrcsilva@gmail.com> Capacitação Vix Linux Marcos Alessandro By: Jacson RC Silva GRUB The GRand Unified Bootloader Gestor de Inicialização GRUB O que é Primeiro programa ao

Leia mais

Gerenciamento de Boot

Gerenciamento de Boot - Gerenciamento de Boot é um meio de você configurar e trabalhar com diversos sistemas operacionais instalados. - Gerenciador de Boot é um pequeno software instalado no Master Boot Record (MBR) nas trilhas

Leia mais

Recuperando o GRUB após instalação do Windows

Recuperando o GRUB após instalação do Windows Recuperando o GRUB após instalação do Windows PET Engenharia de Computação - http://www.inf.ufes.br/~pet 1 Instruções iniciais Para efetuar as configurações a seguir talvez precisaremos executar comandos

Leia mais

Gerenciamento do Processo de Inicialização do Linux

Gerenciamento do Processo de Inicialização do Linux Gerenciamento do Processo de Inicialização do Linux Material desenvolvido por Rafael Fernando Diorio Última revisão em 04/08/2013 www.diorio.com.br rafael@diorio.com.br Tópicos Inicialização do sistema

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Sistema de Inicialização BOOT 15/10/09 08:58 PM Prof. André Luiz 1 Sistema de Boot POST e BIOS Responsáveis pela inicialização do Hardware. Após realizar os testes iniciais (POST)

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves

Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves 1 Introdução ao Linux e Instalação do Ubuntu Linux História Em 1973, um pesquisador da Bell Labs, Dennis Ritchie, reescreveu todo o sistema Unix numa

Leia mais

Curso GNU/Linux. Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3. Existe apenas uma partição com espaço livre...3

Curso GNU/Linux. Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3. Existe apenas uma partição com espaço livre...3 Cesar Kállas - cesarkallas@gmx.net Curso GNU/Linux Realização CAECOMP Puc Campinas 2004 Capítulo 3 Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3 O HD tem espaço livre não particionado...3

Leia mais

Configuração de acesso VPN

Configuração de acesso VPN 1. OBJETIVO 1 de 68 Este documento tem por finalidade auxiliar os usuários na configuração do cliente VPN para acesso a rede privada virtual da UFBA. 2. APLICAÇÃO Aplica-se a servidores(técnico-administrativos

Leia mais

MINIX Manual de Instalação de MINIX no LINUX

MINIX Manual de Instalação de MINIX no LINUX MINIX Manual de Instalação de MINIX no LINUX Autores: Daniel da Cunha Porto Guilherme Yokaichiya Neury Dias de Freitas Paulo Henrique Pereira de Morais Yuri Koldaev Revisor: Neury Dias de Freitas Data

Leia mais

Tutorial Kurumin GNU/Linux 6.0 1/20

Tutorial Kurumin GNU/Linux 6.0 1/20 Tutorial Kurumin GNU/Linux 6.0 1/20 Tutorial para particionamento, instalação do Kurumin GNU/Linux 6.0 e configuração de boot loader. Tutorial Kurumin GNU/Linux 6.0 2/20 Introdução... 3 Requisitos... 4

Leia mais

Prof. Rossano Pablo Pinto Dezembro/2012 Versão 0.2 (em construção) Prof. Rossano Pablo Pinto - http://rossano.pro.br 1

Prof. Rossano Pablo Pinto Dezembro/2012 Versão 0.2 (em construção) Prof. Rossano Pablo Pinto - http://rossano.pro.br 1 Visão geral sobre o processo de instalação e manutenção de instalações de software. Notas de aula. (aka lecture notes on Package Management Systems and software installation :)) Prof. Rossano Pablo Pinto

Leia mais

Para continuar, baixe o linux-vm aqui: http://www.gdhpress.com.br/downloads/linux-vm.zip

Para continuar, baixe o linux-vm aqui: http://www.gdhpress.com.br/downloads/linux-vm.zip Se, assim como a maioria, você possui um único PC ou notebook, uma opção para testar as distribuições Linux sem precisar mexer no particionamento do HD e instalar o sistema em dualboot, é simplesmente

Leia mais

Criando um Livecd com Stage4 personalizado

Criando um Livecd com Stage4 personalizado Criando um Livecd com Stage4 personalizado Objetivo: Muitos usuários iniciantes no Gentoo desconhecem o poder e facilidade que esta distribuição pode oferecer. Muitas das vezes desistem por achar muito

Leia mais

UFBA Universidade Federal da Bahia CPD Central de Processamento de Dados. Rede VPN UFBA. Procedimento para configuração

UFBA Universidade Federal da Bahia CPD Central de Processamento de Dados. Rede VPN UFBA. Procedimento para configuração UFBA Universidade Federal da Bahia CPD Central de Processamento de Dados Rede VPN UFBA Procedimento para configuração 2013 Íncide Introdução... 3 Windows 8... 4 Windows 7... 10 Windows VISTA... 14 Windows

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 2 - Estrutura, dispositivos e sistema de arquivos do Linux

Sistema Operacional Unidade 2 - Estrutura, dispositivos e sistema de arquivos do Linux Sistema Operacional Unidade 2 - Estrutura, dispositivos e sistema de arquivos do Linux Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 ESTRUTURA DE DIRETÓRIOS LINUX... 3 SISTEMA DE ARQUIVOS E PARTICIONAMENTO...

Leia mais

Instalação em Dual Boot

Instalação em Dual Boot Manual Instalação em Dual Boot tutorial de instalação Dual boot Windows XP e o Linux Educacional 2.0 Francisco Willian Saldanha Analista de Teste de Sistemas MEC/SEED/DITEC/CETE Manual Instalação em Dual

Leia mais

Faculdades Senac Pelotas

Faculdades Senac Pelotas Faculdades Senac Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Introdução a informática Alunos Daniel Ferreira, Ícaro T. Vieira, Licurgo Nunes Atividade 4 Tipos de Arquivos Sumário 1 Tipos

Leia mais

Sistema de Arquivos do Windows

Sistema de Arquivos do Windows Registro mestre de inicialização (MBR) A trilha zero do HD, onde ficam guardadas as informações sobre o(s) sistema(s) operacionais instalados. Onde começa o processo de inicialização do Sistema Operacional.

Leia mais

HOW TO. Instalação do Firewall 6.1 Software

HOW TO. Instalação do Firewall 6.1 Software Introdução HOW TO Página: 1 de 14 Para fazer a migração/instalação do 6.1 Software, é necessária a instalação do Sistema Operacional Linux Fedora Core 8. Explicaremos passo a passo como formatar a máquina,

Leia mais

Instalando o Debian em modo texto

Instalando o Debian em modo texto Instalando o Debian em modo texto Por ser composto por um número absurdamente grande de pacotes, baixar os CDs de instalação do Debian é uma tarefa ingrata. Você pode ver uma lista dos mirrors disponíveis

Leia mais

Três sistemas diferentes

Três sistemas diferentes Trabalhando com hibernação por software Sono Profundo Quase todas as placas-mãe possuem algum gerenciamento de energia projetado para desligar o computador ou colocá-lo em animação suspensa. Na vida real,

Leia mais

22:59:36. Introdução à Informática com Software Livre

22:59:36. Introdução à Informática com Software Livre 22:59:36 Introdução à Informática com Software Livre 1 22:59:36 O Debian é uma distribuição GNU/Linux desenvolvida abertamente por um grupo mundial de voluntários, no esforço de se produzir um sistema

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

Construindo um Linux Parte 1 - Disk Boot Objetivo: Entender que o Linux é como um LEGO (Pode ser montado).

Construindo um Linux Parte 1 - Disk Boot Objetivo: Entender que o Linux é como um LEGO (Pode ser montado). Construindo um Linux Parte 1 - Disk Boot Objetivo: Entender que o Linux é como um LEGO (Pode ser montado). Os disquetes Linux são úteis em diversas situações, tais como: Testes de um novo kernel; Recuperação

Leia mais

Administração de Redes Linux. Unidade 1 - LINUX

Administração de Redes Linux. Unidade 1 - LINUX Administração de Redes Linux Unidade 1 - LINUX Breve Histórico O Linux é um sistema operacional moderno e gratuito, baseado nos padrões UNIX. Desenvolvido inicialmente em 1991 como um KERNEL PEQUENO E

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep

Leia mais

INTRODUÇÃO AO SISTEMA

INTRODUÇÃO AO SISTEMA MANUAL DE INSTALAÇÃO DE SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO Nome do Software: Guarux Versão do Software: Guarux Educacional 4.0 INTRODUÇÃO AO SISTEMA O Guarux Educacional 4.0 é uma distribuição idealizada pela

Leia mais

Lazarus pelo SVN Linux/Windows

Lazarus pelo SVN Linux/Windows Lazarus pelo SVN Linux/Windows Sei que não faltam artigos sobre como obter e compilar o Lazarus e o FPC pelo SVN, mas sei também que nunca é de mais divulgar um pouco mais e talvez escrever algo diferente.

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná Especialização em Redes de Computadores. Módulo LPI Aula 5. Meu Deus do Shell! Porque eu não optei pelo Linux antes?

Universidade Tuiuti do Paraná Especialização em Redes de Computadores. Módulo LPI Aula 5. Meu Deus do Shell! Porque eu não optei pelo Linux antes? Universidade Tuiuti do Paraná Especialização em Redes de Computadores Módulo LPI Aula 5 Meu Deus do Shell! Porque eu não optei pelo Linux antes? 1 [1] NEVES, Júlio César Gerenciamento de Pacotes Por que

Leia mais

INICIALIZAÇÃO RÁPIDA. 1 Insira o CD 1 ou DVD do Novell Linux Desktop na unidade e reinicialize o computador para iniciar o programa de instalação.

INICIALIZAÇÃO RÁPIDA. 1 Insira o CD 1 ou DVD do Novell Linux Desktop na unidade e reinicialize o computador para iniciar o programa de instalação. Novell Linux Desktop www.novell.com 27 de setembro de 2004 INICIALIZAÇÃO RÁPIDA Bem-vindo(a) ao Novell Linux Desktop O Novell Linux* Desktop (NLD) oferece um ambiente de trabalho estável e seguro equipado

Leia mais

LPI. Linux Pro. certificação. LPI-1, Certificação LPI-2. Curso completo para LPIC-2. Certificação LPI-1. Linux Pro. Certificação LPI-2.

LPI. Linux Pro. certificação. LPI-1, Certificação LPI-2. Curso completo para LPIC-2. Certificação LPI-1. Linux Pro. Certificação LPI-2. Este livro é recomendado por Certificação LPI-2 Linux Pro COLEÇÃO Muita coisa aconteceu desde a última vez que a Certificação LPI foi alterada. Alguns dos conteúdos que eram abordados encontravam pouca

Leia mais

Guia de atualização passo a passo do Windows 8 CONFIDENCIAL 1/53

Guia de atualização passo a passo do Windows 8 CONFIDENCIAL 1/53 Guia de passo a passo do Windows 8 CONFIDENCIAL 1/53 Índice 1. 1. Processo de configuração do Windows 8 2. Requisitos do sistema 3. Preparações 2. 3. usando 4. usando o DVD de 5. usando o DVD de 6. 1.

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DO SETUP E FORMATAÇÃO DO DISCO RÍGIDO

CONFIGURAÇÃO DO SETUP E FORMATAÇÃO DO DISCO RÍGIDO CONFIGURAÇÃO DO SETUP E FORMATAÇÃO DO DISCO RÍGIDO Depois de montar o computador, a próxima etapa é configurá-lo ao nível de software, antes de poder instalar o sistema operacional. Esta segunda etapa

Leia mais

Disciplina: Sistemas Operacionais Professor: Cristiano Mariotti procrismar@globo.com

Disciplina: Sistemas Operacionais Professor: Cristiano Mariotti procrismar@globo.com Disciplina: Sistemas Operacionais Professor: Cristiano Mariotti procrismar@globo.com Equivalente a inicializar um computador ; Durante o bootstrapping, o kernel é carregado na memória principal e começa

Leia mais

Manual de Instalação Linux Comunicações - Servidor. Centro de Computação Científica e Software Livre - C3SL

Manual de Instalação Linux Comunicações - Servidor. Centro de Computação Científica e Software Livre - C3SL Manual de Instalação Linux Comunicações - Servidor Centro de Computação Científica e Software Livre - C3SL Sumário 1 Instalando o Linux Comunicações para Telecentros (servidor) 2 1.1 Experimentar o Linux

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 CRIAÇÃO DA MÁQUINA VIRTUAL... 3 Mas o que é virtualização?... 3 Instalando o VirtualBox...

Leia mais

Jackson Barbosa de Azevedo

Jackson Barbosa de Azevedo <jacksonbazevedo@hotmail.com> Autor: Jackson Barbosa de Azevedo Revisores: Aecio Pires 1 Conteúdo Sobre o OpenSUSE... 3 Procedimento de Instalação... 3 Preparando a Instalação do

Leia mais

Boot gráfico no Debian com BootSplash

Boot gráfico no Debian com BootSplash Boot gráfico no Debian com BootSplash Tiago Bortoletto Vaz 1.0 - Novembro de 2004 Resumo Este documento descreve como utilizar o bootsplash para obter um boot gráfico no Debian.

Leia mais

Sistemas Embarcados. Filesystem Hierarchy Standard (FHS) Root filesystem. Aula 06

Sistemas Embarcados. Filesystem Hierarchy Standard (FHS) Root filesystem. Aula 06 Introdução Sistemas Embarcados Root File System Linux (kernel) é apenas uma parte de um sistema embarcado Preciso executa a inicialização do sistema e de aplicações Necessário montar o sistema de arquivos

Leia mais

Curso de Introdução ao. Debian GNU/Linux

Curso de Introdução ao. Debian GNU/Linux Curso de Introdução ao Debian GNU/Linux Apresentação Marcos Azevedo Idade: 23 anos Administrador da Rede Senac Goiás Usuário Linux desde 1993 Desenvolvedor: Java, C/C++/C#, Assembly,.NET e Perl. Hobby

Leia mais

Soluções em Linux. Linux no Desktop. Ambiente Doméstico e Profissional. Sandro Venezuela sandro@linux2business.com.br

Soluções em Linux. Linux no Desktop. Ambiente Doméstico e Profissional. Sandro Venezuela sandro@linux2business.com.br Linux no Desktop Ambiente Doméstico e Profissional Sandro Venezuela sandro@linux2business.com.br Agenda Introdução Instalação Configuração Gerenciamento de Pacotes Customização do Kernel Introdução ao

Leia mais

Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma maquina virtual

Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma maquina virtual Maria Augusta Sakis Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma Máquina Virtual Máquinas virtuais são muito úteis no dia-a-dia, permitindo ao usuário rodar outros sistemas operacionais dentro de uma

Leia mais

Implementando e gerenciando dispositivos de hardware

Implementando e gerenciando dispositivos de hardware 3 Implementando e gerenciando dispositivos de hardware Uma boa parte das questões do exame está concentrada nessa área. Saber implementar e, principalmente, solucionar problemas relacionados a dispositivos

Leia mais

Objetivos do Curso. Organização do Curso. Apresentação do Curso. Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores

Objetivos do Curso. Organização do Curso. Apresentação do Curso. Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores 1 Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores Sistemas Operacionais de Redes I - Linux Prof.: Nelson Monnerat Apresentação do Curso 1 Objetivos do Curso Sistema Operacional Unix/Linux;

Leia mais

Revisão Aula 3. 1. Explique a MBR(Master Boot Record)

Revisão Aula 3. 1. Explique a MBR(Master Boot Record) Revisão Aula 3 1. Explique a MBR(Master Boot Record) Revisão Aula 3 1. Explique a MBR(Master Boot Record). Master Boot Record Primeiro setor de um HD (disco rígido) Dividido em duas áreas: Boot loader

Leia mais

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação.

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. 1.Todo software livre deve ser desenvolvido para uso por pessoa física em ambiente com sistema

Leia mais

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS I N F O R M Á T I C A Sistemas Operacionais Campus Itaqui-RS Sistemas Operacionais É o software que gerencia o computador! Entre suas funções temos: inicializa o hardware do computador fornece rotinas

Leia mais

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Autor: Alexandre F. Ultrago E-mail: ultrago@hotmail.com 1 Infraestrutura da rede Instalação Ativando o usuário root Instalação do Webmin Acessando o Webmin

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do

Leia mais

Kernel Linux. Trabalho Realizador Por: Tiago Conceição Nº 11903. Representação artística do núcleo Linux

Kernel Linux. Trabalho Realizador Por: Tiago Conceição Nº 11903. Representação artística do núcleo Linux Kernel Linux Representação artística do núcleo Linux Trabalho Realizador Por: Tiago Conceição Nº 11903 Índice Introdução...2 O que é o Kernel...3 Como surgiu...4 Para que serve...5 Versões...6 Versões

Leia mais

Aula 2 Introdução ao Software Livre

Aula 2 Introdução ao Software Livre Aula 2 Introdução ao Software Livre Aprender a manipular o Painel de Controle no Linux e mostrar alguns softwares aplicativos. Ligando e desligando o computador através do sistema operacional Não é aconselhável

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO O Linux se refere aos itens de hardware como dispositivos (devices), e os referencia como arquivos. Os arquivos de

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO LINUX ESSENTIALS Presencial (40h) - À distância (48h) Conhecendo um Novo Mundo Introdução ao GNU/Linux Distribuições GNU/Linux Linux Inside: Instalação Desktop Debian e CentOS Primeiros

Leia mais

CESPE - 2012 - FNDE - Técnico em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais

CESPE - 2012 - FNDE - Técnico em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais CESPE - 2012 - FNDE - Técnico em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais De modo semelhante ao Linux, o Windows é considerado um software microbásico. Uma característica desse tipo

Leia mais

Introdução ao Linux MICHELLE NERY

Introdução ao Linux MICHELLE NERY Introdução ao Linux MICHELLE NERY O que é preciso saber para conhecer o Linux? Entender os componentes de um computador. Conhecimentos básicos de sistemas operacionais. Referência: Sistemas Operacionais

Leia mais

Compilação de Programas a partir do código-fonte:

Compilação de Programas a partir do código-fonte: Compilação de Programas a partir do código-fonte: Descompactação do pacote com: # tar xvzf pacote.tar.gz (zipado) ou # tar xvjf pacote.tar.bz (bzipado) legenda: x: extrai (todo.tar é um saco de arquivos

Leia mais

Instalação e configuração Linux CentOS 6.x

Instalação e configuração Linux CentOS 6.x Instalação e configuração Linux CentOS 6.x Objetivo: Instalar e configurar o sistema operacional Linux CentOS e efetuar suas configurações iniciais. 1- Abra o Virtuabox e clique em novo, e configure conforme

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

www.evangelhohoje.blogspot.com www.reginaldorochajr.blogspot.com reginaldorecife@gmail.com

www.evangelhohoje.blogspot.com www.reginaldorochajr.blogspot.com reginaldorecife@gmail.com CAPÍTULO 1 No princípio era o Kernel, e o Kernel estava com o Linux, e o Kernel era o Linux desenvolvido por Linus Torvalds. O KERNEL O Kernel é a peça fundamental do sistema, responsável por criar a infra-estrutura

Leia mais

Instalação do Metamorphose Linux

Instalação do Metamorphose Linux Instalação do Metamorphose Linux Gravação da Midia Evite gravar o Metamorphose Linux em mídias (DVD-R) de baixa qualidade ou em mídias regraváveis (DVD-RW). Elas apresentam um elevado índice de erros de

Leia mais

Guia de instalação UEG Linux 14.04 LTS

Guia de instalação UEG Linux 14.04 LTS 1. Apresentação O UEG Linux 14.04 LTS é um sistema operacional baseado em Linux e derivado do Ubuntu, customizado pela Gerência de Núcleo de Inovação Tecnológica da Universidade Estadual de Goiás para

Leia mais

Como instalar o sistema operacional pfsense no Citrix Xen Server

Como instalar o sistema operacional pfsense no Citrix Xen Server Como instalar o sistema operacional pfsense no Citrix Xen Server Autor: Eder S. G. - edersg@vm.uff.br Versão: 1.2 Data: 21/11/2012 Última atualização: 07/03/2013 Observação: Máquina real: Sistema operacional

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Pfsense Introdução e Instalação

Gerenciamento de Redes de Computadores. Pfsense Introdução e Instalação Pfsense Introdução e Instalação Introdução A utilização de um firewall em uma rede de computadores possui o objetivo básico de proteção relacionado a entrada e saída de dados. Introdução O pfsense é um

Leia mais

Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX

Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX Conteúdo deste manual Introdução O guia de instalação... 3 Capítulo 1 Instalando o servidor Web Apache... 4 Teste de instalação do Apache... 9

Leia mais

09a: Máquina Virtual Particionamento Sistemas de Arquivos. ICO60801 2014/2 Professores: Bruno Fontana da Silva Maria Cláudia de Almeida Castro

09a: Máquina Virtual Particionamento Sistemas de Arquivos. ICO60801 2014/2 Professores: Bruno Fontana da Silva Maria Cláudia de Almeida Castro 09a: Máquina Virtual Particionamento Sistemas de Arquivos ICO60801 2014/2 Professores: Bruno Fontana da Silva Maria Cláudia de Almeida Castro PARTICIONAMENTO Particionamento e Sistema de Arquivos Divisão

Leia mais

Instalação e configuração de túneis multicast com FreeBSD RESUMO

Instalação e configuração de túneis multicast com FreeBSD RESUMO Instalação e configuração de túneis multicast com FreeBSD Eduardo Schneider: eduardo@exatas.unisinos.br Maiko de Andrade: maiko@exatas.unisinos.br PRAV Pesquisa em Redes de Alta Velocidade Unisinos Centro

Leia mais

3.3. Espelhamento (RAID1)

3.3. Espelhamento (RAID1) 3.3. Espelhamento (RAID1) Neste servidor estamos usando dois HDs idênticos, cada um com 160GB de espaço em disco. Nos passos seguintes é importante existir dois HDs idênticos em tamanho. Caso ocorra a

Leia mais

Hardening Linux. Fábio Costa fabio@pop-ba.rnp.br

Hardening Linux. Fábio Costa fabio@pop-ba.rnp.br Hardening Linux Fábio Costa fabio@pop-ba.rnp.br AGENDA Hardening 1: Definição Importante Checklist Hardening 2: Serviços e Aplicações Hardening 3: Controle de log e Auditoria DEFINIÇÕES Processo de fortificação

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Softblue Logic IDE Guia de Instalação www.softblue.com.br Sumário 1 O Ensino da Lógica de Programação... 1 2 A Ferramenta... 1 3 Funcionalidades... 2 4 Instalação... 3 4.1 Windows...

Leia mais

Introdução a Sistemas Abertos

Introdução a Sistemas Abertos Introdução a Sistemas Abertos Apresentação filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistemas Abertos Qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído inclusive com seu código fonte

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep Secure em um

Leia mais

102 Instalação e gerenciamento de pacotes

102 Instalação e gerenciamento de pacotes 102.1 Layout do Disco Partição de SWAP LPI: 2 x RAM Realidade: Nem sempre Partições que podem ser separadas do / /TMP: Qualquer usuário pode escrever e usar isso para DoS lotando o sistema de arquivos

Leia mais

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS Foram reservados intervalos de endereços IP para serem utilizados exclusivamente em redes privadas, como é o caso das redes locais e Intranets. Esses endereços não devem ser

Leia mais

International Syst S/A

International Syst S/A As informações contidas neste documento pertencem à International Syst S/A. Qualquer questão referente à utilização deste documento ou informações contidas no mesmo deverão ser dirigidas à International

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO Sistema Operacional Conteúdo retirado do livro Sistemas Operacionais Marcos Aurélio Pchek Laureano Diogo Roberto Olsen

Leia mais

ROM-BIOS Inicialização Sistemas de Arquivos Formatação

ROM-BIOS Inicialização Sistemas de Arquivos Formatação ROM-BIOS Inicialização Sistemas de Arquivos Formatação 1 ROM-BIOS ROM-BIOS Basic Input/Output System (Sistema Básico de Entrada/Saída). O termo é incorretamente conhecido como: Basic Integrated Operating

Leia mais

Manual de Resoluções de Problemas de Hardware e do Sistema Operacional Linux nos Computadores do Beija-Flor

Manual de Resoluções de Problemas de Hardware e do Sistema Operacional Linux nos Computadores do Beija-Flor Manual de Resoluções de Problemas de Hardware e do Sistema Operacional Linux nos Computadores do Beija-Flor 1 1. Introdução. O objetivo desta documentação é ajudar o leitor a identificar os problemas físicos,

Leia mais

Guia Rápido de Instalação Ilustrado

Guia Rápido de Instalação Ilustrado Livre S.O. Guia Rápido de Instalação Ilustrado Introdução Este guia tem como objetivo auxiliar o futuro usuário do Livre S.O. durante o processo de instalação. Todo procedimento é automatizado sendo necessárias

Leia mais

Labgrad. Usúario: Senha: senha

Labgrad. Usúario: <matricula> Senha: senha Suporte A equipe do Suporte é responsável pela gerência da rede do Departamento de Informática, bem como da manutenção dos servidores da mesma, e também é responsável pela monitoria do LabGrad e do LAR.

Leia mais

Organização do Curso. Instalação e Configuração. Módulo II. Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores

Organização do Curso. Instalação e Configuração. Módulo II. Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores 1 Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores Sistemas Operacionais de Redes I - Linux Prof.: Nelson Monnerat Instalação e Configuração 1 Sistemas Operacionais de Redes I - Linux Módulo

Leia mais

Quando o PC for iniciado aparecerá uma tela com: Pressione enter para iniciar do CD ou algo parecido,

Quando o PC for iniciado aparecerá uma tela com: Pressione enter para iniciar do CD ou algo parecido, 1 de 17 4/5/2011 15:09 Configure o 1º boot da sua placa-mãe como sendo o CD-ROM, o setup vai depender do fabricante e modelo da mobo para configurar aperte DEL e procure pelas configurações de boot. Aperte

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS Campus Rio Pomba. Eu defendo!!! Mini Curso. Linux

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS Campus Rio Pomba. Eu defendo!!! Mini Curso. Linux INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS Campus Rio Pomba Mini Curso Linux Eu defendo!!! Apresentação Rafael Arlindo Dias Técnico em Informática CEFET Rio Pomba/MG Cursos

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO DO FAMELIX DUAL BOOT VERSÃO 1.1

MANUAL DE INSTALAÇÃO DO FAMELIX DUAL BOOT VERSÃO 1.1 MANUAL DE INSTALAÇÃO DO FAMELIX DUAL BOOT VERSÃO 1.1 GDU-FAMELIX e-mail: manuais@fameg.edu.br FACULDADE METROPOLITANA DE GUARAMIRIM MANUAL DE INSTALAÇÃO DO FAMELIX DUAL BOOT VERSÃO 1.1 Este manual tem

Leia mais

UDPcast Clonagem de HDs via rede utilizando

UDPcast Clonagem de HDs via rede utilizando Manual Clonando Discos com o UDPcast Clonagem de HDs via rede utilizando o UDPCast. Produzido por: Sergio Graças Giany Abreu Desenvolvedores do Projeto GNU/Linux VRlivre Manual Clonando Discos com o UDPcast

Leia mais

Capítulo 6 - Gerenciamento de. pacotes (instalação e remoção de. programas)

Capítulo 6 - Gerenciamento de. pacotes (instalação e remoção de. programas) - 94 Capítulo 6 - Gerenciamento de pacotes (instalação e remoção de programas) 6.1. Objetivos: Entender como gerenciar a instalação e remoção de pacotes no Linux - Gerenciamento de pacotes (instalação

Leia mais

Mini curso de GNU/Linux

Mini curso de GNU/Linux Rudson Ribeiro Alves Mestre em Física (Semi Condutores) Usuário Unix de 1991 1998 Usuário Slackware deste 1994 Professor da UVV deste 1998 Mini curso de GNU/Linux Noções básicas sobre GNU/Linux Plataforma

Leia mais

Introdução ao Desenvolvimento do Kernel Linux

Introdução ao Desenvolvimento do Kernel Linux Introdução ao Desenvolvimento do Kernel Linux Versões 2.6.X http://www.tchelinux.org Palestrante: Douglas Schilling Landgraf Email: dougsland@gmail.com Sobre o palestrante Sobre a palestra Dicas iniciais

Leia mais

PROVA DE PRÉ-REQUISITO

PROVA DE PRÉ-REQUISITO PROVA DE PRÉ-REQUISITO 1 O usuário neo, deseja se conectar na máquina remota 10.0.0.1 via ssh. Qual a sintaxe correta? a) ssh -L neo 10.0.0.1 b) ssh -u neo 10.0.0.1 c) ssh neo@10.0.0.1 d) ssh neo@10.0.0.1:

Leia mais

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O conteúdo deste documento tem como objetivos geral introduzir conceitos mínimos sobre sistemas operacionais e máquinas virtuais para posteriormente utilizar

Leia mais

RECUPERANDO DADOS COM REDO BACKUP E RECOVERY

RECUPERANDO DADOS COM REDO BACKUP E RECOVERY RECUPERANDO DADOS COM REDO BACKUP E RECOVERY Redo Backup é um programa para a recuperação de arquivos e discos rígidos danificados. Com ele você dispõe de um sistema completo para resolver diversos problemas

Leia mais

Otimização do consumo de banda utilizando Iptables Layer 7 e HTB

Otimização do consumo de banda utilizando Iptables Layer 7 e HTB Otimização do consumo de banda utilizando Iptables Layer 7 e HTB Carlos Alberto de Avila Junior / Rafael Zen de Azevedo Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade

Leia mais

Manual de Comando Linux

Manual de Comando Linux Manual de Comando Linux 1 Índice Índice... 2 Introdução... 3 Comandos Simples Linux... 3 Gerir Directórios e Ficheiros... 4 Gerir processos... 6 Estrutura de Diretórios do LINUX... 6 Executar comandos

Leia mais

M a n u a l d e I n s t a l a ç ã o d o

M a n u a l d e I n s t a l a ç ã o d o M a n u a l d e I n s t a l a ç ã o d o Q C a l l * C e n t e r WWW.QUALITOR.COM.BR / WWW.CONSTAT.COM.BR PÁGINA 1 Todos os direitos reservados a Constat. Uso autorizado mediante licenciamento Qualitor

Leia mais

Administração de Sistemas Livres

Administração de Sistemas Livres Administração de Sistemas Livres Introdução a Comandos GNU/Linux Prof. Lais Farias Alves Comandos GNU/Linux O Linux (na verdade, GNU/Linux), assim como qualquer sistema operacional moderno, é perfeitamente

Leia mais

Atualizando do Windows XP para o Windows 7

Atualizando do Windows XP para o Windows 7 Atualizando do Windows XP para o Windows 7 Atualizar o seu PC do Windows XP para o Windows 7 requer uma instalação personalizada, que não preserva seus programas, arquivos ou configurações. Às vezes, ela

Leia mais

Diagnostics and Recovery Toolset (DaRT) 5 e 6

Diagnostics and Recovery Toolset (DaRT) 5 e 6 Diagnostics and Recovery Toolset (DaRT) 5 e 6 Última revisão feita em 02 de Setembro de 2008. Objetivo Neste artigo iremos conhecer um dos cinco componentes do MDOP 2008. Você vai aprender sobre o Diagnostics

Leia mais

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 Comandos para manipulação de diretório 1. ls Lista os arquivos de um diretório. 2. cd Entra em um diretório. Você precisa ter a permissão de execução para entrar no diretório.

Leia mais