CEDERJ MÉTODOS DETERMINÍSTICOS 1 - EP4. Prezado Aluno,

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CEDERJ MÉTODOS DETERMINÍSTICOS 1 - EP4. Prezado Aluno,"

Transcrição

1 CEDERJ MÉTODOS DETERMINÍSTICOS 1 - EP4 Prezado Aluno, Neste EP daremos sequência ao nosso estudo da linguagem da lógica matemática. Aqui veremos o conectivo que causa mais dificuldades para os alunos e que é fonte também da maior parte de armadilhas em questões de lógica. Chama-se condicional e surge normalmente através das palavras se... então.... Não é à toa que ele estava presente no exemplo que dei no início do EP anterior em que a professora do Pedrinho dizia que se ele não se comportasse então ficaria de castigo. Lembra como o significado matemático desta afirmação é diferente daquilo que esperamos? Por isso é fundamental estudar bem este conectivo. O EP anterior traz o princípio da história que continuaremos hoje. Além do conectivo condicional, veremos neste EP também o conectivo bicondicional (se e somente se) e vamos trabalhar com tabela verdade. Você encontra a teoria sobre isso tudo no seu material impresso, mas não deixe de ler os comentários neste EP e fazer os exercícios. E nunca, nunca, nunca deixe de tirar suas dúvidas! Bom trabalho, Michelle Dysman No último EP tratamos dos conectivos e e ou (também chamados de conjunção e disjunção, respectivamente). Lembramos que a conjunção p q (isto é, p e q) de duas proposições p e q é verdadeira quando ambas as proposições são verdadeiras e é falsa caso contrário. Já a disjunção p q (isto é, p ou q)é verdadeira quando pelo menos uma das proposições elementares é verdadeira e é falsa quando ambas as proposições elementares são falsas. Vamos agora trabalhar com o conectivo condicional que representa implicações. Considere a frase Se Maria foi a Roma então ela conhece o Papa. Matematicamente esta frase significa pura e simplesmente que se Maria foi a Roma com certeza ela conhece o Papa. A frase, do ponto de vista 1

2 matemático, não nos diz que se ela não foi, não conhece o Papa, na verdade a frase não diz nada sobre quem ela conhece ou não conhece se ela não foi a Roma. Ocondicionalérepresentadopelosímbolo. Assim, sechamarmosderàproposição MariafoiaRoma e de p à proposição Maria conhece o Papa, teríamos a proposição composta em questão representada por r p, que pode ser lida como se r então p ou, ainda, r implica p. Só tem um jeito de esta ser uma proposição falsa: se Maria foi a Roma e não conhece o Papa. Em qualquer outra situação, a proposição composta é verdadeira. Veja, se Maria foi a Roma e conhece o Papa, a proposição é obviamente verdadeira. Se Maria não foi a Roma, não importa se ela conhece o não o Papa, com certeza a proposição não era falsa, já que nada dizia a respeito desta situação. Tenho uns exemplos fáceis de implicações para que você classifique em verdadeiro ou falso: Questão 1. Classifique em verdadeira ou falsa cada uma das proposições compostas a seguir. Justifique. a) Se a Amazônia é uma floresta então há praias no Rio de Janeiro. b) Se respiramos oxigênio, então temos guelras. c) Se o Snoopy era um gato, então o Garfield era um cachorro. d) Se Salvador é a capital do Brasil, então o Rio de Janeiro fica na região Sudeste. e) Se existe chuva de canivete, então os canivetes evaporam quando deixados no Sol. Em vários ítens você pode observar que as proposições envolvidas na proposição composta não têm nenhuma relação uma com a outra. É isso mesmo, uma proposição pode não ter nada a ver com a outra, o que vai determinar se a proposição composta é falsa ou verdadeira é a falsidade ou veracidade de cada uma das proposições envolvidas e não a relação entre estas proposições. Vamos tratar agora do último conectivo que veremos neste EP, o bicondicional (se e somente se). Se a professora do Pedrinho (ver EP3) houvesse dito para ele Pedrinho, você vai ficar de castigo se e somente se você não se comportar, aí sim, ela estaria dizendo que se ele não se comportasse ficaria de castigo, e se ele 2

3 se comportasse não ficaria de castigo. Nesse caso, se o Pedrinho se comportasse e ela deixasse ele de castigo, ela seria matematicamente uma mentirosa, pois teria dado uma declaração falsa! O conectivo bicondicional é expresso pelo símbolo e é usado para denotar equivalência entre duas proposições. Dizer p q significa dizer que quando uma das duas proposições elementares for verdadeira, a outra também será e quando uma das duas for falsa, a outra também será. A proposição composta p q (p se e somente se q) é falsa se uma das duas proposições elementares for verdadeira e a outra falsa. Por exemplo, o Brasil é maior que a Argentina se e somente se as baleias sabem falar é uma proposição falsa, pois a primeira proposição elementar é verdadeira e a segunda não. Já a proposição O Brasil é menor que a Argentina se e somente se as baleias sabem falar é uma proposição verdadeira pois ambas as proposições elementares são falsas (logo são equivalentes, isto é, têm o mesmo valor lógico). Tente você mesmo no próximo exercício. Questão 2. Determine se as proposições compostas abaixo são verdadeiras ou falsas. Justifique. a) Bananas são vermelhas se e somente se existem maçãs verdes. b) A bandeira brasileira é lilás se e somente se há peixes no mar. c) Os peixes sabem respirar sob a água se e somente se há elefantes que voam. d) As bananeiras dão maçãs se e somente se os golfinhos têm asas. Agora você já conhece todos os conectivos que vamos estudar (e, ou, se... então..., se e somente se). Nossa próxima tarefa é montar tabelas-verdade. Trata-se apenas de uma tabela em que anotamos se uma expressãocomposta éverdadeiraou falsadependendo dosvaloreslógicosdasproposiçõeselementares. Émais fácil com um exemplo: vamosavaliaraexpressãop q. Paracriaratabela, colocamosnasprimeirascolunas as proposições elementares e na coluna seguinte a expressão que queremos avaliar. Nas linhas das proposições elementares escrevemos todas as combinações possíveis de verdadeiro e falso que estas proposições podem assumir: 3

4 p q p q V V V F F V F F Já sabemos que a expressão em questão é verdadeira sempre que tanto p quanto q tiverem o mesmo valor, isto é, as quando as duas forem verdadeiras ou quando as duas forem falsas. Então podemos preencher a tabela-verdade: p q p q V V V V F F F V F F F V A tabela verdade pode ter várias proposições compostas e estas pode ser bem mais complicadas que a que usamos acima... Questão 3. Complete a tabela verdade a seguir. p q p q p q p p q q p q p q q p V V V F F V F F Se você resolveu o exercício acima direitinho, descobriu que o resultado da primeira proposição composta acima é igual ao da última em todas as linhas da tabela. Quando isso ocorre dizemos que as duas proposições são equivalentes. Já a terceira expressão, você deve ter visto que é sempre verdadeira. Isso é o que chamamos de tautologia. Ao contrário desta, há a quarta expressão, que é sempre falsa, é o que chamamos de contradição. 4

5 Agora vamos resolver uma questão desenvolvida pela Escola de Administração Fazendária (ESAF) que caiu em um concurso público. Vamos usar o mesmo método que usamos no EP3. Questão 4. Observe a questão abaixo: (Fiscal Recife/2003/Esaf) André é inocente ou Beto é inocente. Se Beto é inocente, então Caio é culpado. Caio é inocente se e somente se Dênis é culpado. Ora, Dênis é culpado. Logo, (A) Caio e Beto são inocentes. (B) Caio e André são inocentes. (C) André e Beto são inocentes. (D) Caio e Dênis são culpados. (E) André e Dênis são culpados. Para resolver esta questão siga os seguintes ítens: a) Escreva as proposições simples envolvidas no enunciado acima e designe para cada uma delas uma letra diferente. b) Usando os símbolos lógicos e as letras escolhidas no item anterior, escreva as premissas dadas no enunciado. c) Analise as premissas e marque verdadeiro ou falso nos parênteses abaixo: ( ) André é inocente. ( ) Beto é inocente. ( ) Caio é inocente. Em muitos concursos aparecem questões de lógica. Abaixo, por exemplo, você encontra uma questão 5

6 feita pela Escola de Administração Fazendária (ESAF) que caiu em um concurso para gestor fazendário em Tente resolvê-la sozinho. Questão 5. (Gestor Fazendário MG/2005/Esaf) Considere a afirmação P: A ou B, onde A e B, por sua vez, são as seguintes afirmações: A: Carlos é dentista. B: Se Ênio é economista, então Juca é arquiteto. Ora, sabe-se que a afirmação P é falsa. Logo, (A) Carlos não é dentista, Ênio não é economista, Juca não é arquiteto. (B) Carlos não é dentista, Ênio é economista, Juca não é arquiteto. (C) Carlos não é dentista, Ênio é economista, Juca é arquiteto. (D) Carlos é dentista, Ênio não é economista, Juca não é arquiteto. (E) Carlos é dentista, Ênio é economista, Juca não é arquiteto. O EP está longo, mas há mais uma coisa que temos que saber. Quando dizemos p q, estamos dizendo que p implica q, isto é, basta que p ocorra para termos certeza de que q também ocorrerá. Por isso dizemos nesse caso que p é condição suficiente para q. Mas p é condição necessária para q? A princípio, não. Nada nos garante que é necessário que p aconteça para q acontecer. Mas se p acontece, com certeza também acontece q. Isto é necessário, q tem que acontecer quando p acontece pois p implica q. Resumindo: sempre que temos p q, temos: p é condição suficiente para q e q é condição necessária para p. No caso de p q temos que p é condição necessária e suficiente para q. Tente agora resolver o exercício a seguir, é um desafio, mas caiu em outro concurso da ESAF. Sugiro que use a mesma estratégia de separar as proposições elementares que já conhecemos desde o EP3. Questão 6. (Esaf/2002) O Rei ir a caça é condição necessária para o duque sair do castelo e é condição suficiente para a duquesa ir ao jardim. Por outro lado, o conde encontrar a princesa é condição necessária e suficiente para o barão sorrir e é condição necessária para a duquesa ir ao jardim. O barão 6

7 não sorriu. Logo: (A) a duquesa foi ao jardim ou o conde encontrou a princesa. (B) se o duque não saiu do castelo, então o conde encontrou a princesa. (C) o rei não foi à caça e o conde não encontrou a princesa. (D) o rei foi a caça e a duquesa não foi ao jardim. (E) o duque saiu do castelo e o rei não foi a caça. Vamos, agora, misturar um pouco de quantificadores e de conjuntos? Questão 7. Seja A = {1,2,3,4} e B = {3,4,5,6,7}. Escreva por extenso as proposições abaixo e decida se são falsas ou verdadeiras justificando sua resposta. A primeira vai de exemplo. a) x A x < 5 Por extenso: se x pertence a A então x é menor que 5. É verdadeira: veja que quando a primeira proposição elementar é verdadeira, isto é, x A, também temos a segunda verdadeira, pois todos os elementos de A são menores que 5. Observe ainda que quando usamos variáveis como x para que uma proposição como essa seja verdadeira, ela deve ser verdadeira para todos os valores de x possíveis. Basta que um valor de x falhe para que a proposição seja considerada falsa. Assim, se a questão fosse x A x 3 ela seria falsa, pois um dos valores possíveis para x é o 4 (veja que 4 A). De fato, x pertencer a A implica que ele é menor que 5, mas não implica que ele é menor ou igual a 3. b) x A x+2 B. c) x A x+2 B. (Cuidado!!!) 7

8 d) y B (y 2 A ou y é impar) e) x N, x é par x+1 é ímpar f) x R, x 2 > 1 x > 1 Por último vou comentar sobre um conectivo que não aparece em seu material impresso mas é importante e está presente em inúmeras questões de lógica em provas e concursos. É a disjunção exclusiva, denotada por e expressa por ou... ou... Por exemplo: Ou Pedro é arquiteto ou Pedro é psicólogo (a p). Uma proposição composta com esse conectivo é verdadeira quando apenas uma das duas proposições for verdadeira. Em nosso exemplo acima, se Pedro for arquiteto e psicólogo, a proposição será falsa. Também será falsa se ele não for nem arquiteto nem psicólogo. Se ele tiver uma e apenas uma destas duas profissões a proposição será verdadeira. É importante que você faça também os exercícios do material impresso e entenda bem este conteúdo. Não guarde nenhuma dúvida, aproveite todo o apoio que você tem para tirar dúvidas tanto presencialmente quanto à distância. Bom trabalho! GABARITO Questão 1. Solução: a) Verdadeira. A primeira proposição elementar é verdadeira a proposição elementar que ela implica também é verdadeira. b) Falsa. A primeira proposição elementar é verdadeira, porém aparece implicando uma proposição que é falsa. c) Verdadeira. A primeira proposição elementar é falsa, logo qualquer que seja a segunda proposição o resultado é verdadeiro. (Veja que a proposição não faz nenhuma afirmação sobre a espécie de Garfield caso Snoopy não seja um cachorro.) 8

9 d) Verdadeira. Como no item anterior, aqui também a primeira proposição do condicional é falsa. Logo o resultado é verdadeiro qualque que seja a segunda proposição (Se Salvador não é a capital do Brasil, a frase não representa nenhum comprometimento quanto à localização do Rio de Janeiro.) e) Verdadeira. Vale o mesmo que nos dois ítens anteriores, como a primeira afirmativa é falsa, não importa o absurdo que venha depois, o resultado não representa uma mentira. Questão 2. Solução: a) Falsa. A primeira proposição elementar é falsa, mas a segunda é verdadeira, logo o resultado do bicondicional é falso. b) Falsa. Vale o mesmo do item anterior. c) Falsa. A primeira proposição elementar é verdadeira, mas a segunda é falsa, logo o resultado do bicondicional é falso. d) Verdadeira. A primeira proposição elementar é falsa, mas a segunda também é falsa, logo o resultado do bicondicional é verdadeiro (as duas proposições elementares têm o mesmo valor lógico). Questão 3. Solução: p q p q p q p p q q p q p q q p V V V V V F V V V V F F V V F F V F F V V V V F F V V F F V F V F F F V 9

10 Questão 4. Solução: a) Proposições simples: a: André é inocente b: Beto é inocente c: Caio é inocente d: Dênis é inocente b) Premissas: 1) a b 2) b c 3) c d 4) d c) Vamos analisar as premissas. Já sabemos pela 4 que d é falsa, isto é, Dênis é culpado. Pela premissa 3, isso nos garante que c é verdadeira, ou seja, Caio é inocente. Mas isso significa que c é falsa, logo como a premissa 2 tem que ser verdadeira, podemos concluir que b é falsa (caso contrário teríamos uma afirmativa verdadeira implicando uma falsa, o que resultaria na falsidade da premissa 2). Daí sabemos que Beto é culpado. Mas se b é falsa, pela premissa 1 a é verdadeira, isto é, André é inocente. Conclusão: ( V ) André é inocente. ( F ) Beto é inocente. ( V ) Caio é inocente. e Dênis é culpado. A reposta correta na questão da Esaf é a letra B. Questão 5. Solução: Para que uma disjunção, isto é, uma proposição tipo A ou B seja falsa, é necessário que tanto A quanto B sejam falsas. Logo, a premissa diz que A é falsa e 10

11 B também é falsa. Dizer que A é falsa é dizer que Carlos não é dentista. Por outro lado, a proposição B é uma condicional, logo, se ela é falsa, significa que Ênio é economista mas Juca não é arquiteto. A resposta correta é a letra B. Questão 6. Solução: Vamos usar a mesma estratégia que já usamos antes. Primeiro vamos escrever as proposições elementares e representá-las por letras: r: Rei ir a caça; d: duque sair do castelo; j: duquesa ir ao jardim; c: conde encontrar a princesa; b: barão sorrir. Agora vamos escrever as premissas usando os símbolos lógicos: d r (o rei ir a caça é condição necessária para o duque sair do castelo); r j (o rei ir a caça é condição suficiente para a duquesa ir ao jardim); c b (o conde encontrar a princesa é condição necessária e suficiente para o barão sorrir); j c (o conde encontrar a princesa é condição necessária para a duquesa ir ao jardim); b (o barão não sorriu). Falta apenas analisar as premissas que temos. Pela última já sabemos que b é falsa. Pela terceira premissa, se b é falsa, c também tem que ser falsa. 11

12 Pela quarta premissa, se c é falsa, j também tem que ser falsa. Pela segunda premissa, se j é falsa, r também tem que ser falsa. Pela primeira premissa, se r é falsa, d também tem que ser falsa. Logo, todas as proposições elementares que consideramos são falsas: O rei não foi a caça, o duque não saiu do castelo, a duquesa não foi ao jardim, o conde não encontrou a princesa e o barão não sorriu. A resposta correta é a letra C. Questão 7. Solução: b) Se x pertence a A então x+2 pertence a B A proposição é verdadeira, pois a primeira proposição elementar será verdadeira quando x for 1, 2, 3 ou 4, e nesses casos, x+2 será 3, 4, 5 ou 6, todos pertencentes a B, logo, sempre que a primeira proposição for verdadeira a segunda também será. c) x pertence a A se e somente se x+2 pertence a B A proposição éfalsa. Já vimos que sempre que x pertence a A, x+2 pertence a B, entretanto há casos em que x+2 pertence a B e x não pertence a A: basta tomar x = 5 (5 / A, porém 7 B). Logo, as duas proposições não são equivalentes (para que elas fossem equivalentes, sempre que uma delas fosse verdadeira a outra também deveria ser). d) Se y pertence a B, então: y 2 pertence a A ou y é ímpar. Verdadeira: Para que a primeira afirmativa seja verdadeira, y deve valer 3, 4, 5, 6 ou 7. Se y for 3, 4, 5 ou 6, y 2 será 1, 2, 3 ou 4, e portanto pertencerá a A. Falta apenas pensar no caso em que y = 7. Mas nesse caso y é ímpar. Logo, em qualquer caso, se y pertence a B é verdadeira a proposição y 2 A ou y é ímpar, o que garante que nossa implicação é verdadeira. e) Para todo x pertencente aos naturais, se x é par então x+1 é ímpar. Verdadeira: sempre que a primeira proposição for verdadeira, isto é, x for par, sabemos que 12

13 a segunda também será verdadeira, isto é, x+1 será ímpar. f) Para todo x real, x 2 > 1 se e somente se x > 1. Falso: como vimos, basta mostrar um x real para o qual uma das duas proposições elementares seja verdadeira e a outra não. Tomemos, por exemplo, x = 2 (é um número real). Então a proposição x 2 > 1 é verdadeira pois ( 2) 2 = 4 > 1, porém a proposição x > 1 é falsa (pois 2 < 1). 13

CEDERJ MÉTODOS DETERMINÍSTICOS I - EP13

CEDERJ MÉTODOS DETERMINÍSTICOS I - EP13 CEDERJ MÉTODOS DETERMINÍSTICOS I - EP13 Prezado Aluno, O principal tópico deste EP é um tema muito importante para administradores e economistas. Trata-se de algo que os estatísticos chamam de regressão

Leia mais

Unidade II LÓGICA. Profa. Adriane Paulieli Colossetti

Unidade II LÓGICA. Profa. Adriane Paulieli Colossetti Unidade II LÓGICA Profa. Adriane Paulieli Colossetti Relações de implicação e equivalência Implicação lógica Dadas as proposições compostas p e q, diz-se que ocorre uma implicação lógica entre p e q quando

Leia mais

PROBLEMAS DE LÓGICA. Prof. Élio Mega

PROBLEMAS DE LÓGICA. Prof. Élio Mega PROBLEMAS DE LÓGICA Prof. Élio Mega ALGUNS CONCEITOS DA LÓGICA MATEMÁTICA Sentença é qualquer afirmação que pode ser classificada de verdadeira (V) ou falsa (F) (e exatamente uma dessas coisas, sem ambiguidade).

Leia mais

Lógica das Proposições

Lógica das Proposições Lógica das Proposições Transcrição - Podcast 1 Professor Carlos Mainardes Olá eu sou Carlos Mainardes do blog Matemática em Concursos, e esse material que estou disponibilizando trata de um assunto muito

Leia mais

Afirmações Matemáticas

Afirmações Matemáticas Afirmações Matemáticas Na aula passada, vimos que o objetivo desta disciplina é estudar estruturas matemáticas, afirmações sobre elas e como provar essas afirmações. Já falamos das estruturas principais,

Leia mais

Lógica Texto 11. Texto 11. Tautologias. 1 Comportamento de um enunciado 2. 2 Classificação dos enunciados Exercícios...

Lógica Texto 11. Texto 11. Tautologias. 1 Comportamento de um enunciado 2. 2 Classificação dos enunciados Exercícios... Lógica para Ciência da Computação I Lógica Matemática Texto 11 Tautologias Sumário 1 Comportamento de um enunciado 2 1.1 Observações................................ 4 2 Classificação dos enunciados 4 2.1

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO QUANTITATIVO PARA AFRFB PROFESSOR: GUILHERME NEVES. Módulo de um número real... 2 Equações modulares... 5

RACIOCÍNIO LÓGICO QUANTITATIVO PARA AFRFB PROFESSOR: GUILHERME NEVES. Módulo de um número real... 2 Equações modulares... 5 Aula 6 Parte 3 Módulo de um número real... Equações modulares... 5 Prof. Guilherme Neves www.pontodosconcursos.com.br 1 Módulo de um número real Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? Nesta terceira parte da

Leia mais

Nome: Data: Semestre: Curso: TADS Disciplina: Matemática Aplicada à Computação Professor: Shalimar Villar. Noções de Lógica

Nome: Data: Semestre: Curso: TADS Disciplina: Matemática Aplicada à Computação Professor: Shalimar Villar. Noções de Lógica Nome: Data: Semestre: Curso: TADS Disciplina: Matemática Aplicada à Computação Professor: Shalimar Villar Noções de Lógica Proposição: É uma sentença declarativa, seja ela expressa de forma afirmativa

Leia mais

Alex Lira. Olá, pessoal!!!

Alex Lira. Olá, pessoal!!! Olá, pessoal!!! Seguem abaixo os meus comentários das questões de Lógica que foram cobradas na prova para o cargo de Agente da Polícia Federal, elaborada pelo Cespe, realizada no último final de semana.

Leia mais

Raciocínio Lógico (Professor Uendel)

Raciocínio Lógico (Professor Uendel) Raciocínio Lógico (Professor Uendel) Material (02); SEFAZ; JULHO DE 2017 (Álgebra das Proposições) PROPOSIÇÕES EQUIVALENTES P Q Lê se: P é LOGICAMENTE equivalent e a Q São proposições cujas tabelas-verdade

Leia mais

Lógica Proposicional Parte 2

Lógica Proposicional Parte 2 Lógica Proposicional Parte 2 Como vimos na aula passada, podemos usar os operadores lógicos para combinar afirmações criando, assim, novas afirmações. Com o que vimos, já podemos combinar afirmações conhecidas

Leia mais

A LINGUAGEM DO DISCURSO MATEMÁTICO E SUA LÓGICA

A LINGUAGEM DO DISCURSO MATEMÁTICO E SUA LÓGICA MAT1513 - Laboratório de Matemática - Diurno Professor David Pires Dias - 2017 Texto sobre Lógica (de autoria da Professora Iole de Freitas Druck) A LINGUAGEM DO DISCURSO MATEMÁTICO E SUA LÓGICA Iniciemos

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO. Edição 2017

RACIOCÍNIO LÓGICO. Edição 2017 RACIOCÍNIO LÓGICO 86 EXERCÍCIOS POR ASSUNTOS RESOLVIDOS 33 QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS POR ASSUNTOS Edição 2017 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É vedada a reprodução total ou parcial deste material,

Leia mais

GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH. Professor Paulo Henrique PH Aula /

GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH. Professor Paulo Henrique PH Aula / 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH Professor Paulo Henrique PH Aula 03 R A C I O C Í N I O L Ó G I C O E B S E R H a u l a 0 2 Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 3

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 3 Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 3 www.pontodosconcursos.com.br 1 Apresentação Olá, pessoal Tudo bem com vocês? Em breve teremos o concurso do TCM/RJ e sabemos

Leia mais

Raciocínio Lógico. Raciocínio Lógico. Sumário EDITORA APROVAÇÃO V Q (INCLUSIVA OU NÃO EX- 13. RELAÇÃO DE IMPLICAÇÃO TABELA VERDADE

Raciocínio Lógico. Raciocínio Lógico. Sumário EDITORA APROVAÇÃO V Q (INCLUSIVA OU NÃO EX- 13. RELAÇÃO DE IMPLICAÇÃO TABELA VERDADE Raciocínio Lógico Raciocínio Lógico Sumário 7. RELAÇÃO DE IMPLICAÇÃO TABELA VERDADE 7. RELAÇÕES ENTRE IMPLICAÇÕES PREPOSIÇÕES 8. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA CONECTIVOS LÓGICOS 8 EXERCÍCIOS E PRÁTICA PROPRIEDADE

Leia mais

18/01/2016 LÓGICA MATEMÁTICA. Lógica é usada para guiar nossos pensamentos ou ações na busca da solução. LÓGICA

18/01/2016 LÓGICA MATEMÁTICA. Lógica é usada para guiar nossos pensamentos ou ações na busca da solução. LÓGICA LÓGICA MATEMÁTICA Prof. Esp. Fabiano Taguchi fabianotaguchi@gmail.com http://fabianotaguchi.wordpress.com Lógica é usada para guiar nossos pensamentos ou ações na busca da solução. LÓGICA A lógica está

Leia mais

Análise e Resolução da prova de Agente de Polícia Federal Disciplina: Raciocínio Lógico Professor: Custódio Nascimento

Análise e Resolução da prova de Agente de Polícia Federal Disciplina: Raciocínio Lógico Professor: Custódio Nascimento Análise e Resolução da prova de Agente de Polícia Federal Disciplina: Professor: Custódio Nascimento 1- Análise da prova Análise e Resolução da prova de Agente / PF Neste artigo, farei a análise das questões

Leia mais

Raciocínio Lógico Matemático

Raciocínio Lógico Matemático Raciocínio Lógico Matemático Cap. 5 - Equivalência Lógica Equivalência Lógica Caro aluno, no último capítulo estudamos as implicações lógicas e foi enfatizado que o ponto fundamental da implicação lógica

Leia mais

RECEITA FEDERAL ANALISTA

RECEITA FEDERAL ANALISTA SENTENÇAS OU PROPOSIÇÕES São os elementos que expressam uma idéia, mesmo que absurda. Estudaremos apenas as proposições declarativas, que podem ser classificadas ou só como verdadeiras (V), ou só como

Leia mais

Gestão Empresarial Prof. Ânderson Vieira

Gestão Empresarial Prof. Ânderson Vieira NOÇÕES DE LÓGICA Gestão Empresarial Prof. Ânderson ieira A maioria do texto apresentado neste arquivo é do livro Fundamentos de Matemática Elementar, ol. 1, Gelson Iezzi e Carlos Murakami (eja [1]). Algumas

Leia mais

Vimos que a todo o argumento corresponde uma estrutura. Por exemplo ao argumento. Se a Lua é cúbica, então os humanos voam.

Vimos que a todo o argumento corresponde uma estrutura. Por exemplo ao argumento. Se a Lua é cúbica, então os humanos voam. Matemática Discreta ESTiG\IPB 2012/13 Cap1 Lógica pg 10 Lógica formal (continuação) Vamos a partir de agora falar de lógica formal, em particular da Lógica Proposicional e da Lógica de Predicados. Todos

Leia mais

Lógica Proposicional Parte I. Raquel de Souza Francisco Bravo 11 de outubro de 2016

Lógica Proposicional Parte I. Raquel de Souza Francisco Bravo   11 de outubro de 2016 Lógica Proposicional Parte I e-mail: raquel@ic.uff.br 11 de outubro de 2016 Lógica Matemática Cáculo Proposicional Uma aventura de Alice Alice, ao entrar na floresta, perdeu a noção dos dias da semana.

Leia mais

LÓGICA. CONCEITO DE PROPOSIÇÃO Uma proposição é toda a oração que pode ser classificada como verdadeira ou falsa, não ambas.

LÓGICA. CONCEITO DE PROPOSIÇÃO Uma proposição é toda a oração que pode ser classificada como verdadeira ou falsa, não ambas. LÓGICA 1. PROPOSIÇÃO CONCEITO DE PROPOSIÇÃO Uma proposição é toda a oração que pode ser classificada como verdadeira ou falsa, não ambas. Por exemplo: 2 é um número primo. Resposta: É uma proposição verdadeira

Leia mais

Demonstrações Matemáticas Parte 4

Demonstrações Matemáticas Parte 4 Demonstrações Matemáticas Parte 4 Nesta aula, apresentamos técnicas de demonstração para afirmações matemática para todo e existe. Elas são baseadas nas duas últimas regras de inferências da Lógica de

Leia mais

Raciocínio lógico matemático

Raciocínio lógico matemático Raciocínio lógico matemático Unidade 2: Introdução à lógica Seção 2.3 Equivalências, contradições e tautologias 1 Proposições compostas Composta de duas ou mais proposições simples Tanto a primeira como

Leia mais

Uma proposição é uma frase que pode ser apenas verdadeira ou falsa. Exemplos:

Uma proposição é uma frase que pode ser apenas verdadeira ou falsa. Exemplos: 1 Noções Básicas de Lógica 1.1 Proposições Uma proposição é uma frase que pode ser apenas verdadeira ou falsa. 1. Os sapos são anfíbios. 2. A capital do Brasil é Porto Alegre. 3. O tomate é um tubérculo.

Leia mais

Ao utilizarmos os dados do problema para chegarmos a uma conclusão, estamos usando o raciocínio lógico.

Ao utilizarmos os dados do problema para chegarmos a uma conclusão, estamos usando o raciocínio lógico. CENTRO UNVERSITÁRIO UNA NOÇÕES DE RACIOCÍNIO LÓGICO Professor: Rodrigo Eustáquio Borges A disciplina Lógica Matemática tem como objetivo capacitar o aluno a reconhecer e aplicar os conceitos fundamentais

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

RACIOCÍNIO LÓGICO EXERCÍCIOS RESOLVIDOS RACIOCÍNIO LÓGICO EXERCÍCIOS RESOLVIDOS Coletânea de Exercícios Assunto: RACIOCÍNIO LÓGICO EXERCÍCIOS RESOLVIDOS Autor: VILSON CORTEZ Professor Vilson Augusto Cortez, Fiscal de ICMS de São Paulo, graduado

Leia mais

TESTES RESOLVIDOS. É uma sentença aberta. Nada podemos afirmar, não conhecemos o conteúdo da frase. Não é uma proposição.

TESTES RESOLVIDOS. É uma sentença aberta. Nada podemos afirmar, não conhecemos o conteúdo da frase. Não é uma proposição. LÓGICA PROPOSICIONAL 1. PROPOSIÇÃO CONCEITO DE PROPOSIÇÃO Uma proposição é toda a oração que pode ser classificada como verdadeira ou falsa, não ambas. Por exemplo: 2 é um número primo. Resposta: É uma

Leia mais

Enunciados Quantificados Equivalentes

Enunciados Quantificados Equivalentes Lógica para Ciência da Computação I Lógica Matemática Texto 15 Enunciados Quantificados Equivalentes Sumário 1 Equivalência de enunciados quantificados 2 1.1 Observações................................

Leia mais

APOSTILA DE LÓGICA. # Proposições Logicamente Equivalentes. # Equivalências Básicas

APOSTILA DE LÓGICA. # Proposições Logicamente Equivalentes. # Equivalências Básicas INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CÂMPUS APODI Sítio Lagoa do Clementino, nº 999, RN 233, Km 2, Apodi/RN, 59700-971. Fone (084) 4005.0765 E-mail: gabin.ap@ifrn.edu.br

Leia mais

Enunciados Abertos e Enunciados Fechados

Enunciados Abertos e Enunciados Fechados Lógica para Ciência da Computação I Lógica Matemática Texto 12 Enunciados Abertos e Enunciados Fechados Sumário 1 Enunciados atômicos abertos e fechados 2 1.1 Observações................................

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO TABELA VERDADE

RACIOCÍNIO LÓGICO TABELA VERDADE RACIOCÍNIO LÓGICO TABELA VERDADE Olá galera! Sou o Richard Falconi, Fundador do Já Passei e Professor da Disciplina de Raciocínio Lógico. Estou disponibilizando para vocês um conteúdo sobre TABELAS VERDADE,

Leia mais

Raciocínio Lógico Matemático

Raciocínio Lógico Matemático Raciocínio Lógico Matemático Cap. 4 - Implicação Lógica Implicação Lógica Antes de iniciar a leitura deste capítulo, verifique se de fato os capítulos anteriores ficaram claros e retome os tópicos abordados

Leia mais

Aula 5 Equações paramétricas de retas e planos

Aula 5 Equações paramétricas de retas e planos Aula 5 Equações paramétricas de retas e planos MÓDULO 1 - AULA 5 Objetivo Estabelecer as equações paramétricas de retas e planos no espaço usando dados diversos. Na Aula 3, do Módulo 1, vimos como determinar

Leia mais

Fundamentos da Lógica I

Fundamentos da Lógica I Fundamentos da Lógica I O conceito mais elementar no estudo da lógica primeiro a ser visto é o de Proposição. Trata-se, tão somente, de uma sentença algo que será declarado por meio de palavras ou de símbolos

Leia mais

1 TEORIA DOS CONJUNTOS

1 TEORIA DOS CONJUNTOS 1 TEORIA DOS CONJUNTOS Definição de Conjunto: um conjunto é uma coleção de zero ou mais objetos distintos, chamados elementos do conjunto, os quais não possuem qualquer ordem associada. Em outras palavras,

Leia mais

GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH. Professor Paulo Henrique PH Aula /

GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH. Professor Paulo Henrique PH Aula / 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH Professor Paulo Henrique PH Aula 02 R A C I O C Í N I O L Ó G I C O E B S E R H a u l a 0 2 Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

Cálculo proposicional

Cálculo proposicional Notas de aula de MAC0329 (2003) 9 2 Cálculo proposicional Referências para esta parte do curso: capítulo 1 de [Mendelson, 1977], capítulo 3 de [Whitesitt, 1961]. Proposição Proposições são sentenças afirmativas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CCA/ UFES Departamento de Engenharia Rural. Lista de exercícios 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CCA/ UFES Departamento de Engenharia Rural. Lista de exercícios 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CCA/ UFES Departamento de Engenharia Rural Disciplina: Lógica Computacional I Professora: Juliana Pinheiro Campos Data: 25/08/2011 Lista

Leia mais

OBMEP 2010 Soluções da prova da 2ª Fase Nível 1. Questão 1

OBMEP 2010 Soluções da prova da 2ª Fase Nível 1. Questão 1 1 Questão 1 a) O número-parada de 93 é 4, pois 93 9 3 = 27 2 7 = 14 1 4 = 4. b) Escrevendo 3 2 = 6 vemos que 32 3 2 = 6. Como 32 = 4 2 2 2, temos 4222 4 2 2 2 = 32 3 2 = 6 e assim o número-parada de 4222

Leia mais

Lógica dos Conectivos: validade de argumentos

Lógica dos Conectivos: validade de argumentos Lógica dos Conectivos: validade de argumentos Renata de Freitas e Petrucio Viana IME, UFF 16 de setembro de 2014 Sumário Razões e opiniões. Argumentos. Argumentos bons e ruins. Validade. Opiniões A maior

Leia mais

Tipos de Raciocínio. Indução e Dedução. Prof. Samuel Swerts

Tipos de Raciocínio. Indução e Dedução. Prof. Samuel Swerts Tipos de Raciocínio Indução e Dedução Mesmo sendo tão perfeita, a Lógica não é a única representante de nossos raciocínios mais típicos. Temos várias outras formas e isso nos leva a dividi-las em métodos

Leia mais

IME, UFF 4 de novembro de 2013

IME, UFF 4 de novembro de 2013 Lógica IME, UFF 4 de novembro de 2013 Sumário e ferramentas Considere o seguinte texto, da aritmética dos números naturais. Teorema: Todo número inteiro positivo maior que 1 tem um fator primo. Prova:

Leia mais

Módulo de Equações do Segundo Grau. Equações do Segundo Grau: Resultados Básicos. Nono Ano

Módulo de Equações do Segundo Grau. Equações do Segundo Grau: Resultados Básicos. Nono Ano Módulo de Equações do Segundo Grau Equações do Segundo Grau: Resultados Básicos. Nono Ano Equações do o grau: Resultados Básicos. 1 Exercícios Introdutórios Exercício 1. A equação ax + bx + c = 0, com

Leia mais

Raciocínio Lógico. Quantificadores Lógicos: Todo, Nenhum e Existente. Professor Edgar Abreu.

Raciocínio Lógico. Quantificadores Lógicos: Todo, Nenhum e Existente. Professor Edgar Abreu. Raciocínio Lógico Quantificadores Lógicos: Todo, Nenhum e Existente Professor Edgar Abreu www.acasadoconcurseiro.com.br Raciocínio Lógico QUANTIFICADORES LÓGICOS Chama-se argumento a afirmação de que

Leia mais

AULA 01: Lógica (Parte 1)

AULA 01: Lógica (Parte 1) AULA 01: Lógica (Parte 1) Raciocínio Lógico p/ M. Cidades (NM) SUMÁRIO PÁGINA 1. Conceitos Básicos de Lógica 1 2. Tautologia, Contradição e Contingência 22 3. Implicação Lógica 28 4. Equivalência Lógica

Leia mais

Os números primos de Fermat complementam os nossos números primos, vejamos: Fórmula Geral P = 2 = 5 = 13 = 17 = 29 = 37 = 41 = Fórmula Geral

Os números primos de Fermat complementam os nossos números primos, vejamos: Fórmula Geral P = 2 = 5 = 13 = 17 = 29 = 37 = 41 = Fórmula Geral Os números primos de Fermat complementam os nossos números primos, vejamos: Fórmula Geral P = 2 = 5 = 13 = 17 = 29 = 37 = 41 = Fórmula Geral 4 4 13 + 1 = 53 Em que temos a fórmula geral: Exatamente um

Leia mais

MAT Laboratório de Matemática I - Diurno Profa. Martha Salerno Monteiro

MAT Laboratório de Matemática I - Diurno Profa. Martha Salerno Monteiro MAT 1511 - Laboratório de Matemática I - Diurno - 2005 Profa. Martha Salerno Monteiro Representações decimais de números reais Um número real pode ser representado de várias maneiras, sendo a representação

Leia mais

Aula 6: Dedução Natural

Aula 6: Dedução Natural Lógica para Computação Segundo Semestre, 2014 DAINF-UTFPR Aula 6: Dedução Natural Prof. Ricardo Dutra da Silva Em busca de uma forma de dedução mais próxima do que uma pessoa costuma fazer, foi criado

Leia mais

PROVA RESOLVIDA TJ/SP RACIOCÍNIO LÓGICO. Professor Guilherme Neves.

PROVA RESOLVIDA TJ/SP RACIOCÍNIO LÓGICO. Professor Guilherme Neves. TJ/SP - 2017 RACIOCÍNIO LÓGICO Professor Guilherme Neves www.pontodosconcursos.com.br www.pontodosconcursos.com.br Professor Guilherme Neves 1 91. Uma negação lógica para a afirmação João é rico, ou Maria

Leia mais

QUESTÕES REVISÃO DE VÉSPERA FUNAI

QUESTÕES REVISÃO DE VÉSPERA FUNAI QUESTÕES REVISÃO DE VÉSPERA FUNAI RACIOCÍNIO LÓGICO Prof. Josimar Padilha EDITAL: RACIOCÍNIO LÓGICO E QUANTITATIVO: 1. Lógica e raciocínio lógico: problemas envolvendo lógica e raciocínio lógico. 2. Proposições:

Leia mais

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 4

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 4 Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 4 1 Apresentação Olá, pessoal Tudo bem com vocês? Finalmente saiu o edital do TCM/RJ Para quem ainda não me conhece, meu nome

Leia mais

OBMEP 2010 Soluções da prova da 2ª Fase Nível 2. Questão 1

OBMEP 2010 Soluções da prova da 2ª Fase Nível 2. Questão 1 Questão a) Para saber o número que deve dizer ao matemágico, Joãozinho deve fazer quatro contas: ª conta: multiplicar o número no cartão escolhido por 2; 2ª conta: somar 3 ao resultado da primeira conta;

Leia mais

CAPÍTULO I. Lógica Proposicional

CAPÍTULO I. Lógica Proposicional Lógica Proposicional CAPÍTULO I Lógica Proposicional Sumário: 1. Lógica proposicional 2. Proposição 2.1. Negação da proposição 2.2. Dupla negação 2.3. Proposição simples e composta 3. Princípios 4. Classificação

Leia mais

INE5403 FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA DISCRETA

INE5403 FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA DISCRETA INE5403 FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA DISCRETA PARA A COMPUTAÇÃO PROF. DANIEL S. FREITAS UFSC - CTC - INE Prof. Daniel S. Freitas - UFSC/CTC/INE/2007 p.1/81 1 - LÓGICA E MÉTODOS DE PROVA 1.1) Lógica Proposicional

Leia mais

CURSO TROPA DE ELITE BATALHA FINAL AGENTE PENITENCIÁRIO/MG

CURSO TROPA DE ELITE BATALHA FINAL AGENTE PENITENCIÁRIO/MG CURSO TROPA DE ELITE BATALHA FINAL AGENTE PENITENCIÁRIO/MG RACIOCÍNIO LÓGICO (1ª Parte: Lógica Proposicional) (webercampos@gmail.com) 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados

Leia mais

(Lógica) Negação de Proposições, Tautologia, Contingência e Contradição.

(Lógica) Negação de Proposições, Tautologia, Contingência e Contradição. aula 07 (Lógica) Negação de Proposições, Tautologia, Contingência e Contradição. Professor: Renê Furtado Felix E-mail: rffelix70@yahoo.com.br Site: http://www.renecomputer.net/pdflog.html Negação de Proposições

Leia mais

Progressões aritméticas

Progressões aritméticas A UUL AL A Progressões aritméticas Quando escrevemos qualquer quantidade de números, um após o outro, temos o que chamamos de seqüência. As seqüências são, freqüentemente, resultado da observação de um

Leia mais

Unidade: Proposições Logicamente Equivalentes. Unidade I:

Unidade: Proposições Logicamente Equivalentes. Unidade I: Unidade: Proposições Logicamente Equivalentes Unidade I: 0 Unidade: Proposições Logicamente Equivalentes Nesta unidade, veremos a partir de nossos estudos em tabelas-verdade as proposições logicamente

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO PROPOSIÇÕES LÓGICAS

RACIOCÍNIO LÓGICO PROPOSIÇÕES LÓGICAS 1 RACIOCÍNIO LÓGICO PROPOSIÇÕES LÓGICAS 2 TIPOS DE PROPOSIÇÃO Simples ou Atômicas Oscar é prudente; Mário é engenheiro; Maria é morena. 3 TIPOS DE PROPOSIÇÃO Composta ou Molecular Walter é engenheiro E

Leia mais

Analista TRT 10 Região / CESPE 2013 /

Analista TRT 10 Região / CESPE 2013 / Ao comentar sobre as razões da dor na região lombar que seu paciente sentia, o médico fez as seguintes afirmativas. P1: Além de ser suportado pela estrutura óssea da coluna, seu peso é suportado também

Leia mais

Aula 1 Teoria com resolução de questões FGV

Aula 1 Teoria com resolução de questões FGV Aula 1 Teoria com resolução de questões FGV AULA 01 Olá futuro servidor do TRT 12, Meu nome é Fabio Paredes, sou professor de Raciocínio Lógico Matemático e terei o prazer de ajudá-los nesta árdua missão

Leia mais

Raciocínio Lógico. Negação da Conjunção e Disjunção Inclusiva (Lei de Morgan) Professor Edgar Abreu.

Raciocínio Lógico. Negação da Conjunção e Disjunção Inclusiva (Lei de Morgan) Professor Edgar Abreu. Raciocínio Lógico Negação da Conjunção e Disjunção Inclusiva (Lei de Morgan) Professor Edgar Abreu www.acasadoconcurseiro.com.br Raciocínio Lógico NEGAÇÃO DE UMA PROPOSIÇÃO COMPOSTA Agora vamos aprender

Leia mais

Expressões e enunciados

Expressões e enunciados Lógica para Ciência da Computação I Lógica Matemática Texto 2 Expressões e enunciados Sumário 1 Expressões e enunciados 2 1.1 Observações................................ 2 1.2 Exercício resolvido............................

Leia mais

Resolução da Prova de Raciocínio Lógico da Agente Penitenciário/MA, aplicada em 24/04/2016.

Resolução da Prova de Raciocínio Lógico da Agente Penitenciário/MA, aplicada em 24/04/2016. de Raciocínio Lógico da gente Penitenciário/M, aplicada em 24/04/206. - sentença Se Maria é médica, então Silvio é engenheiro. é logicamente equivalente a () se Maria é médica, então Silvio é engenheiro.

Leia mais

Aula 1 Aula 2. Ana Carolina Boero. Página:

Aula 1 Aula 2. Ana Carolina Boero.   Página: Elementos de lógica e linguagem matemática E-mail: ana.boero@ufabc.edu.br Página: http://professor.ufabc.edu.br/~ana.boero Sala 512-2 - Bloco A - Campus Santo André Linguagem matemática A linguagem matemática

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO. CONCEITOS BÁSICOS - Fundamentos da Lógica

RACIOCÍNIO LÓGICO. CONCEITOS BÁSICOS - Fundamentos da Lógica contato@mauriciobarros.com.br RACIOCÍNIO LÓGICO CONCEITOS BÁSICOS - Fundamentos da Lógica O raciocínio lógico trabalha com proposições, que é o conceito mais básico no estudo da lógica. A Proposição é

Leia mais

Matemática discreta e Lógica Matemática

Matemática discreta e Lógica Matemática AULA 1 - Lógica Matemática Prof. Dr. Hércules A. Oliveira UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa Departamento Acadêmico de Matemática Ementa 1 Lógica Sentenças, representação

Leia mais

Raciocínio Lógico

Raciocínio Lógico Raciocínio Lógico 01- Considere as seguintes acusações: José Francisco mente. Diz Francisco José. Maria José mente. Diz José Francisco. Francisco José e José Francisco mente. Diz Maria José. Mas, então,

Leia mais

Lógica Formal. Matemática Discreta. Prof Marcelo Maraschin de Souza

Lógica Formal. Matemática Discreta. Prof Marcelo Maraschin de Souza Lógica Formal Matemática Discreta Prof Marcelo Maraschin de Souza Implicação As proposições podem ser combinadas na forma se proposição 1, então proposição 2 Essa proposição composta é denotada por Seja

Leia mais

MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO

MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO SENTENÇAS OU PROPOSIÇÕES MODIICADORES São os elementos que expressam uma idéia, mesmo que absurda. Estudaremos apenas as proposições declarativas, que podem ser classificadas ou só como verdadeiras (),

Leia mais

Jogos e invariantes. 6 de Janeiro de 2015

Jogos e invariantes. 6 de Janeiro de 2015 Jogos e invariantes 6 de Janeiro de 2015 Resumo Objetivos principais da aula de hoje: continuar com a ideia de explorar problemas. Apresentar a ideia de invariantes. 1 O jogo de apagar - introdução Quem

Leia mais

Fundamentos de Matemática. Lista de Exercícios Humberto José Bortolossi

Fundamentos de Matemática. Lista de Exercícios Humberto José Bortolossi GMA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA APLICADA Fundamentos de Matemática Lista de Exercícios Humberto José Bortolossi http://www.professores.uff.br/hjbortol/ 02 Demonstração direta, demonstração por absurdo e

Leia mais

Lógica. Fernando Fontes. Universidade do Minho. Fernando Fontes (Universidade do Minho) Lógica 1 / 65

Lógica. Fernando Fontes. Universidade do Minho. Fernando Fontes (Universidade do Minho) Lógica 1 / 65 Lógica Fernando Fontes Universidade do Minho Fernando Fontes (Universidade do Minho) Lógica 1 / 65 Outline 1 Introdução 2 Implicações e Equivalências Lógicas 3 Mapas de Karnaugh 4 Lógica de Predicados

Leia mais

Aula 6: Dedução Natural

Aula 6: Dedução Natural Lógica para Computação Primeiro Semestre, 2015 DAINF-UTFPR Aula 6: Dedução Natural Prof. Ricardo Dutra da Silva Em busca de uma forma de dedução mais próxima do que uma pessoa costuma fazer, foi criado

Leia mais

1. Entendendo os erros que aparecem no Excel:

1. Entendendo os erros que aparecem no Excel: Este conteúdo faz parte da série: Excel Fórmulas Avançadas Ver 10 posts dessa série Todo mundo que usa o Excel, desde o básicão até as funções mais avançadas pode ter tido a experiência de ver as mesmas

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO PARA IBGE Aula 02 Parte 1 Prof. Guilherme Neves

RACIOCÍNIO LÓGICO PARA IBGE Aula 02 Parte 1 Prof. Guilherme Neves Olá! Antes de começarmos o assunto desta aula, vamos resolver algumas questões da FGV referentes aos assuntos da aula passada. 01. (Pref. de Osasco 2014/FGV) Marcos afirmou: Todos os medicamentos que estão

Leia mais

AFRFB 2014 Resolução da Prova de Raciocínio Lógico

AFRFB 2014 Resolução da Prova de Raciocínio Lógico AFRFB 014 Resolução da Prova de Raciocínio Lógico Raciocínio Lógico-Quantitativo p/ RFB Resolução da Prova AFRFB 014 Questão 6: ESAF - AFRFB 014 Se é verdade que alguns adultos são felizes e que nenhum

Leia mais

Exemplos e Contra-Exemplos

Exemplos e Contra-Exemplos Polos Olímpicos de Treinamento Curso de Combinatória - Nível 1 Prof. Bruno Holanda Aula 7 Exemplos e Contra-Exemplos Você que já tentou resolver alguns problemas de provas anteriores de Olimpíada de Matemática

Leia mais

ANDRÉ REIS RACIOCÍNIO LÓGICO. 1ª Edição OUT 2012

ANDRÉ REIS RACIOCÍNIO LÓGICO. 1ª Edição OUT 2012 ANDRÉ REIS RACIOCÍNIO LÓGICO TEORIA 107 QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS GABARITADAS Teoria e Seleção das Questões: Prof. André Reis Organização e Diagramação: Mariane dos Reis 1ª Edição OUT 2012 TODOS

Leia mais

Sistemas Lineares. Márcio Nascimento

Sistemas Lineares. Márcio Nascimento Sistemas Lineares Márcio Nascimento Universidade Estadual Vale do Acaraú Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Curso de Licenciatura em Matemática Disciplina: Álgebra Matricial - 2016.1 14 de abril de

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO QUANTITATIVO

RACIOCÍNIO LÓGICO QUANTITATIVO RACIOCÍNIO LÓGICO QUANTITATIVO AULA 1 ESTUDO DA LÓGICA O estudo da lógica é o estudo dos métodos e princípios usados para distinguir o raciocínio correto do incorreto. A lógica tem sido freqüentemente

Leia mais

Lógica Formal. Matemática Discreta. Prof Marcelo Maraschin de Souza

Lógica Formal. Matemática Discreta. Prof Marcelo Maraschin de Souza Lógica Formal Matemática Discreta Prof Marcelo Maraschin de Souza Exercícios Use lógica proposicional para provar os seguintes argumentos: a) A B C B A C b) A B C B C A c) A B B A C C Exercícios Use lógica

Leia mais

Professor: Adriano Sales Matéria: Lógica e Conjunto

Professor: Adriano Sales Matéria: Lógica e Conjunto Professor: Adriano Sales Matéria: Lógica e Conjunto Lógica Qual é o significado de argumentação? Segundo o dicionário Houaiss é: ARGUMENTAÇÃO: Arte, ato ou efeito de argumentar; Troca de palavras em controvérsia

Leia mais

O PRINCÍPIO DAS GAVETAS Paulo Cezar Pinto Carvalho - IMPA

O PRINCÍPIO DAS GAVETAS Paulo Cezar Pinto Carvalho - IMPA Nível Intermediário O PRINCÍPIO DAS GAVETAS Paulo Cezar Pinto Carvalho - IMPA Muitos problemas atraentes de matemática elementar exploram relações entre conjuntos finitos, expressas em linguagem coloquial.

Leia mais

01/02/2016 LÓGICA MATEMÁTICA. Conectivos lógicos e tabela verdade. Os conectivos lógicos são utilizados para formar novas preposições.

01/02/2016 LÓGICA MATEMÁTICA. Conectivos lógicos e tabela verdade. Os conectivos lógicos são utilizados para formar novas preposições. LÓGICA MATEMÁTICA Prof Esp Fabiano Taguchi fabianotaguchi@gmailcom http://fabianotaguchiwordpresscom Conectivos lógicos e tabela verdade CONECTIVOS LÓGICOS Os conectivos lógicos são utilizados para formar

Leia mais

Aula 00. Matemática Financeira para ISS-Cuiabá. Matemática Financeira Professor: Guilherme Neves. Prof.

Aula 00. Matemática Financeira para ISS-Cuiabá. Matemática Financeira Professor: Guilherme Neves.  Prof. Aula 00 Matemática Financeira Professor: Guilherme Neves www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Matemática Financeira Apresentação... 3 Modelos de questões resolvidas FGV... 4 Relação

Leia mais

Álgebra Linear II Apostila 2

Álgebra Linear II Apostila 2 Álgebra Linear II Apostila 2 1 SISTEMAS LINEARES Um sistema linear é um conjunto de equações de primeiro grau, que se escrevem em função de certas variáveis. A resolução do sistema visa encontrar justamente

Leia mais

Vamos lá, meus queridos?...mãos à obra! AULA 00: Proposições e Conectivos Lógicos

Vamos lá, meus queridos?...mãos à obra! AULA 00: Proposições e Conectivos Lógicos Meu nome é Carlos Eduardo, sou professor de Matemática, Estatística, Raciocínio Lógico e Física nos principais cursos preparatórios do Rio de Janeiro. Também sou autor do livro RACIOCÍNIO LÓGICO PARA CONCURSOS

Leia mais

O limite de uma função

O limite de uma função Universidade de Brasília Departamento de Matemática Cálculo 1 O ite de uma função Se s(t) denota a posição de um carro no instante t > 0, então a velocidade instantânea v(t) pode ser obtida calculando-se

Leia mais

2 AULA. Conectivos e Quantificadores. lógicas. LIVRO. META: Introduzir os conectivos e quantificadores

2 AULA. Conectivos e Quantificadores. lógicas. LIVRO. META: Introduzir os conectivos e quantificadores 1 LIVRO Conectivos e Quantificadores Lógicos META: Introduzir os conectivos e quantificadores lógicos. OBJETIVOS: Ao fim da aula os alunos deverão ser capazes de: Compreender a semântica dos conectivos

Leia mais

O Teorema do Valor Médio

O Teorema do Valor Médio Universidade de Brasília Departamento de Matemática Cálculo 1 O Teorema do Valor Médio Começamos este texto enunciando um importante resultado sobre derivadas: Teorema do Valor Médio. Suponha que f é uma

Leia mais

Aula 33 Limite e continuidade

Aula 33 Limite e continuidade MÓDULO 3 - AULA 33 Aula 33 Limite e continuidade Objetivo Aprender a definição de ite de uma função real, de uma variável real, na versão com épsilon e delta, e estendê-la para uma função vetorial de uma

Leia mais

Resolução da Prova de Raciocínio Lógico do MPOG/ENAP de 2015, aplicada em 30/08/2015.

Resolução da Prova de Raciocínio Lógico do MPOG/ENAP de 2015, aplicada em 30/08/2015. de Raciocínio Lógico do MPOG/ENAP de 2015, aplicada em 30/08/2015. Considerando a proposição P: Se João se esforçar o bastante, então João conseguirá o que desejar, julgue os itens a seguir. 43 A proposição

Leia mais

PROJETO KALI MATEMÁTICA B AULA 1

PROJETO KALI MATEMÁTICA B AULA 1 PROJETO KALI - 2015 MATEMÁTICA B AULA 1 Introdução Estudar e entender Matemática exige do aluno um esforço contínuo. Os conteúdos mais básicos são usados no aprendizado dos mais complexos e o raciocínio

Leia mais

Aula 00. Raciocínio Lógico para Técnico do INSS. Raciocínio Lógico Professor: Guilherme Neves. Prof.

Aula 00. Raciocínio Lógico para Técnico do INSS. Raciocínio Lógico Professor: Guilherme Neves.  Prof. Aula 00 Raciocínio Lógico Professor: Guilherme Neves www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Raciocínio Lógico para INSS Apresentação... 3 Modelos de Questões Comentadas - CESPE... 4

Leia mais

Simbolização de Enunciados com Conectivos

Simbolização de Enunciados com Conectivos Lógica para Ciência da Computação I Lógica Matemática Texto 4 Simbolização de Enunciados com Conectivos Sumário 1 Conectivos: simbolização e sintaxe 2 2 Enunciados componentes 5 2.1 Observações................................

Leia mais

Resumo das aulas dos dias 4 e 11 de abril e exercícios sugeridos

Resumo das aulas dos dias 4 e 11 de abril e exercícios sugeridos MAT 1351 Cálculo para funções uma variável real I Curso noturno de Licenciatura em Matemática 1 semestre de 2016 Docente: Prof. Dr. Pierluigi Benevieri Resumo das aulas dos dias 4 e 11 de abril e exercícios

Leia mais