Preparação do candidato. Um bom candidato

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Preparação do candidato. Um bom candidato"

Transcrição

1 Preparação do candidato Toda a candidatura é uma decisão pessoal, mas é fundamental que o candidato busque o apoio familiar (marido, esposa, namorado(a), filhos, pais) para se dedicar a esse objetivo. Para representar bem sua comunidade, cidade e Estado, seja no Legislativo estadual ou federal, o candidato deve conhecer bem a função que pretende exercer e as atividades que poderão ser desenvolvidas a partir do cargo que irá ocupar. Informe-se sobre o cargo ao qual você está se candidatando. Pesquise e leia a respeito! Consulte os sites da Assembleia Legislativa, da Câmara dos Deputados, da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), por exemplo. Um bom candidato Ao longo de sua trajetória de vida, profissional e comunitária o candidato construiu uma imagem baseada na sua maneira de ser e de se relacionar, bem como pela sua capacidade e forma de agir. O perfil ideal do candidato reúne algumas características, como facilidade de relacionar-se com outras pessoas, ser simpático, cordial, humilde, íntegro e honesto. Alguns aspectos físicos também fazem toda a diferença, como manter uma boa aparência, vestimentas adequadas e boa postura. O candidato precisa também identificar seus aspectos mais relevantes, tais como conquistas, méritos, posições em defesa de causas sociais, pontos altos da trajetória profissional, da dedicação a trabalhos comunitários e atuação política. Essas informações serão extremamente importantes para a construção e divulgação da sua imagem. 03

2 Também é necessário identificar os fatos e acontecimentos negativos sobre sua pessoa, sobretudo aqueles que já caíram em domínio público. Pois, provavelmente, adversários irão utilizá-los para tentar denegrir a imagem do candidato. Por isso, é fundamental analisá-los e formular estratégias para neutralizá-los, estando preparado para responder por eles, caso sejam levados a público. Em política você é exatamente o que os eleitores veem e acreditam que você seja. Representar um grupo de pessoas Para ter um melhor desempenho nas urnas, o candidato deve estar ligado ou representar uma entidade (associações, clubes de serviços, religiosos, esportivos, entre outros), ou defender causa que seja importante para o desenvolvimento de sua comunidade, cidade, Estado. O que sensibiliza o eleitor O eleitor quer argumentos para decidir o voto. Uma eleição não se decide apenas com os programas de rádio e TV, mas com o convívio diário, nas atividades com outras pessoas, nas horas de lazer e em casa, onde confrontamos nossos argumentos com os outros. 04

3 GUIA DO CANDIDATO ORIENTAÇÕES DE CAMPANHA São várias as questões que sensibilizam o eleitorado, como o passado de lutas do candidato, principalmente se forem causas políticas e sociais, ou de grande interesse do eleitor, bem como trabalho comunitário e o envolvimento ativo em atividades de interesse comunitário e social. O candidato deve demonstrar competência e exaltar suas qualidades de bom profissional. O eleitor conquistado costuma afirmar: gosto de ouvir ele falar. ele sempre me tratou muito bem. ele sempre cumpre o que promete. admiro ele, é um grande vencedor. confio nele, vai ser um bom deputado(a). 05

4 Planejamento e organização da campanha A campanha deve ter um ambiente de união e motivação entre todas as pessoas envolvidas. É fundamental o acompanhamento do desempenho do candidato e de seus adversários. Todos os recursos humanos e materiais devem ser aproveitados com a máxima eficiência (pessoal, dinheiro, material de propaganda, imprensa). Preparar muito bem o candidato: imagem pessoal, comunicação, capacidade de relacionamento 1 2 A campanha deve permitir a otimização do tempo e facilitar a vida dos candidatos. 3 4 As equipes de trabalho devem ser uma extensão da imagem e das propostas do candidato O candidato deve estar presente o maior tempo possível junto ao eleitorado. O candidato deve estar muito bem preparado: imagem pessoal, comunicação, capacidade de relacionamento. 06

5 A estrutura organizacional Organograma O mais importante é escolher as pessoas certas para compor a equipe, que tenham boa imagem e inserção perante a população, facilidade de relacionamento, que sejam de confiança e competentes. Candidato Coordenador Geral Coordenador Geral Coordenador da Agenda Assessor de Imprensa/ Digital Assessor de Marketing/ Propaganda Conselho Político Comitê Financeiro Coordenador de Propaganda Coordenador Político Coordenador de Mobilização Assessoria de Imprensa/ Digital Administrador Financeiro Como escolher o tema central da campanha Alguns itens devem ser levados em conta na escolha do tema/assunto central de uma campanha, como: 1º Grandes expectativas dos eleitores 2º Algo que a maioria quer, aceita, gosta 3º Conteúdo que desperte a emoção 4º Tema de fácil compreensão 5º Estabelecer a diferença com os demais candidatos 6º O tema deve fazer o eleitor acreditar no candidato 7º Bandeiras que valorizem a trajetória do candidato e de seu partido 07

6 ORIENTAÇÕES GUIA DO DECANDIDATO CAMPANHA Pesquisa, estratégia e publicidade são os pilares de uma campanha eleitoral moderna. - A pesquisa de opinião auxiliará na análise e preparação do plano de melhoria de imagem do candidato, bem como na elaboração da plataforma de trabalho. Na abordagem feita por meio da pesquisa poderão ser questionados os seguintes tópicos: 1º - Como o eleitor avalia os representantes da região nos Parlamentos? 2º - Qual o perfil que o eleitor deseja dos novos deputados? 3º - Quais as necessidades e prioridades para a cidade, comunidade e região? Orçamento ideal para a campanha A campanha pode custar muito ou pouco. As prioridades devem ser executadas conforme os recursos disponíveis. Organização da campanha A campanha, geralmente, dura 90 dias. Pense na seguinte linha de organização: Comitê de campanha Aluguel do local Gastos com energia, água, gás Gastos com café e lanches para a equipe Gastos com computador e materiais de uso geral Remuneração do motorista Remuneração da equipe de rua Gastos com alimentação Equipe 08

7 Material de propaganda Equipamentos Adesivos Adesivos de lapela Santinhos Folderes Colinha para votação Placas Banners e bandeiras Faixas Cartazes A pedido em jornais Jingle Carros Vans Combustíveis Equipamentos de som para reunião Carro/caminhão de som Organização da campanha Organização da campanha primeiros passos Reúna a família e peça a ajuda de todos Visite os parentes e amigos Faça uma relação de todos os seus amigos e conhecidos Transforme seus parentes e amigos em cabos eleitorais Ande pela sua comunidade e visite a sua região Reúna-se e ouça as lideranças da cidade, da comunidade, da região e partidárias 09

8 Principais forças impulsionadoras de uma campanha Forças pessoais - Carisma - Popularidade - Comunicação e oratória - Trajetória política - Trabalho comunitário Forças sociais - Apoio de movimentos comunitários, sociais, humanitários, ecológicos - Apoio de categorias profissionais - Apoio de sindicalistas - Apoio de religiosos Forças de lideranças - Partidárias- dirigentes - Políticas- apoio de prefeitos, vereadores, deputados, etc - Apoio de movimentos de base - Cabos eleitorais 10

9 Onde buscar votos Os votos podem ser buscados em todos os lugares e ocasiões, mas, principalmente, por meio do contato pessoal, de visitas a residências de eleitores, a empresas e entidades, além de participação em reuniões de entidades de classe e associações. Também podem ser buscados em comícios, festividades, via telefone, correspondência, internet e através das mídias sociais. O fundamental é que o candidato organize o seu dia a dia de campanha. Para isso, deve programar o contato com os eleitores, por meio de visitas, ligações e, também do envio de correspondência e s. Também é importante fazer uma relação das entidades visitadas e com as quais o candidato se envolveu durante a campanha. Definir a plataforma de trabalho de acordo com as reivindicações de classes também é importante. Para isso, o candidato deve relacionar todas as forças que poderão impulsionar a campanha - lideranças comunitárias, grupos religiosos, dirigentes de entidades, ex-candidatos, proprietários de empresas e líderes de grupos - e fazer contato com essas lideranças para pedir orientações e sugestões para a campanha. É fundamental que o candidato selecione bem seus cabos eleitorais, dando preferência àqueles que tenham boa imagem e sejam bons de voto. Fazer um plano de contatos para cada município também é apropriado para planejar visitas, reuniões, eventos, telefonemas, envio de correspondência, contatos pela internet e mídias sociais. Descobrir regiões pouco exploradas por outros candidatos também é uma boa estratégia, assim como apontar regiões ou grupos que apresentam determinados problemas ou reivindicações. Assim, o candidato poderá ser escolhido como representante para defender seus pleitos. 11

10 ORIENTAÇÕES DA CAMPANHA O eleitor tem que conhecer o candidato O candidato tem de se mostrar ao eleitor. Se não pedir voto, não ganha. Eleição não é hora de plantar, mas sim de colher o que se plantou ao longo da vida. Para ganhar votos, o candidato deve tirar vantagem da sua personalidade, de sua capacidade profissional, do seu trabalho comunitário, de suas ideias e de sua plataforma. O candidato deve sempre se dirigir ao eleitor. Política se faz aqui e agora: sempre. Fazer com que a pessoa fale sobre a eleição é importante. Deixe-a falar, mesmo que seja para fazer críticas. Não discorde e nunca entre em discussões com o eleitor. O candidato deve estar apto a explicar, em poucos minutos, porque é candidato e o que pretende fazer. E, antes de encerrar a conversa, deve perguntar se a pessoa tem algum questionamento a fazer ou sugestão a dar. O candidato deve sempre agradecer a atenção recebida e se colocar à disposição, entregando seu material. Essa é, sem dúvida, uma das melhores estratégias para uma boa campanha. Visitas bem programadas e bem feitas poderão render um bom número de votos. Nesse caso, não se limite a pedir o voto, converse com as pessoas, ouça suas críticas, peça sugestões e anote pedidos. 12

11 No final de cada abordagem ou encontro agradeça, peça novamente o voto e entregue o seu material. É importante fazer um controle das visitas, anotando nomes, endereços, telefones e s. Procure dar retorno da visita realizada, telefone agradecendo ou envie correspondência ou . O candidato deve definir um responsável pela organização e recepção de pessoal. Também deve identificar possíveis reivindicações que serão feitas e conhecer bem as deficiências da cidade, comunidade ou região. Preparar-se bem para uma agenda ou atividade de campanha fará a diferença. Recomendações para reuniões Uma das melhores estratégias para pedir o voto é através de reunião. Os contatos pessoais e os pequenos encontros são as melhores maneiras de pedir o voto. A abertura dessas agendas deve ser feita por alguém do comitê ou alguma liderança da comunidade local, de preferência quem organizou a reunião. Cumprimente a pessoa cordialmente, apresente-se, diga que é candidato a deputado estadual/federal. Pergunte o nome da pessoa e peça licença para iniciar a conversa e entregar seu material. O candidato deve também participar e promover reuniões com filiados do partido na sua região. Um fator é muito importante: não vá a uma reunião se não estiver ou sentir-se preparado. Para reverter essa situação, busque com antecedência as seguintes informações: quem está promovendo a reunião; porque está sendo feita nesse local; quem estará presente (outros candidatos?); haverá debate; quais os assuntos que serão tratados; se será possível divulgar material de propaganda. Leve no máximo um ou dois assessores, nunca apareça com uma comitiva! 13

12 Nesses eventos, cumprimente e agradeça a presença de todos. Também registre a presença de autoridades e lideranças. Faça sua apresentação pessoal de forma breve e fale sobre os objetivos da reunião. No caso de pequenas reuniões, peça a todos para se apresentarem. Permita a participação de todos, anote os problemas e sugestões apresentados e evite discussões. Faça uma lista de presenças, com nome, endereço e ; é uma boa medida para, posteriormente, encaminhar agradecimentos e material de propaganda. Discurso Uma campanha eleitoral resume-se, essencialmente, a falar e expor suas ideias. No entanto, o verdadeiro problema é a falta de atenção ao outro. Fique atento, é necessário que o eleitor seja ouvido! É importante que você possua um discurso básico de campanha e saiba que vai repetí-lo centenas, milhares de vezes. Não critique outros candidatos! Você poderá falar da necessidade de solução para determinados problemas, mas não critique ninguém. Apresente sua plataforma, peça votos com segurança e agradeça a presença de todos, colocando-se sempre à disposição. Um bom discurso, por si só, não faz um grande político. Mas um grande político completa-se com o discurso. - Saiba que é mais fácil perder uma eleição por falar demais do que por falar pouco. A palavra é a mais poderosa ferramenta para um político, desde que bem utilizada. 14

13 A agenda do candidato O eleitor quer conhecer o candidato. Cada candidato terá 90 dias para fazer sua campanha. Esse tempo poderá ser seu maior aliado ou seu maior adversário. Portanto, é fundamental saber como agir para otimizar a agenda de candidato: 1 designar uma pessoa responsável, organizada e que tenha influência sobre o candidato para elaborar e fazê-lo cumprir a agenda. 2 fazer um mapa dos 90 dias de campanha e identificar as datas de eventos sociais, culturais, esportivos e religiosos; as datas para gravações de programas de rádio e tv e entrevistas para a imprensa; as datas dos grandes eventos da campanha: comícios, carreatas, panfletagens. 3 fazer um mapeamento e definir o que será feito em cada região: visitas, reuniões de rua, passeatas, encontros com lideranças, etc. 4 elencar empresas e entidades que poderão ser visitadas. 5 ter agendas para o café da manhã e almoço. 6 elaborar um sistema de controle que permita quantificar os contatos realizados pelo candidato a cada dia. 7 não permitir interferências de outras pessoas, o importante é programar bem a agenda e fazer o candidato assumir o compromisso de cumpri-la. Faça com que a agenda diária seja preparada e entregue no final do dia anterior. Utilize o final de semana; no domingo à noite, avalie a agenda e discuta a da semana seguinte. 15

14 Definição dos Materiais O que fazer, qual a quantidade e qual a programação visual: A propaganda bem feita custa caro, mas a mal feita custa mais ainda. No entanto, o mais caro é não fazer propaganda. A propaganda deve cumprir com seus principais objetivos: tornar o candidato conhecido e sensibilizar o eleitor para votar no candidato. Uma boa propaganda é aquela que consegue atingir facilmente o eleitor e sensibilizá-lo. E essa comunicação ocorre não apenas com palavras, mas também com expressões, olhares e mensagens simples. A emoção deve ser sempre aliada e instrumento básico na comunicação. Procure a orientação de pessoas experientes para, pelo menos, fazer bem feito o material básico. Além disso, procure se informar sobre a legislação que regra a propaganda eleitoral, para não fazer algo proibido ou fora dos padrões permitidos. A propaganda de mão (santinho, folder, flyer, colinha, jornal informativo, etc) deve usar títulos provocativos, pois o título é lido primeiro e é exatamente nele que se trava a primeira batalha pela leitura. Materiais sugeridos de divulgação: santinho, botton, adesivo de peito, mensagem via torpedo ou , colinha, etc. 16

15 Nome x Número O número é muito importante, porém, ninguém vota só por ele. Por isso, o material do candidato deve ser equilibrado, ligando o nome ao número com naturalidade. Lembre-se que números inteiros ou em sequência facilitam a memorização. Propaganda visual Uma série de materiais e peças de divulgação devem ser levadas em conta pelo candidato. As mais comuns para uso ao longo da campanha são: - faixas - cartazes - placas - adesivos - banners - bandeiras O mais importante é que todo o material seja claro e objetivo, tenha uma arte-final simples e funcional. O eleitor quer mensagens curtas e materiais claros (não poluídos). 17

16 Propaganda em comícios e eventos Para divulgar a candidatura em comícios e eventos, os materiais de campanha mais utilizados são: - bandeirolas - banners - faixas - bandeiras - adesivo de lapela - bottons - jingle - jornais informativos - folder - flyer Propaganda por mala direta Há vários tipos de propaganda a ser enviada por correio, sendo as mais utilizadas: * - folder - jornal informativo - manifesto - santinho - cédula - mensagem * sujeitas a orientações e regras determinadas pela Legislação Eleitoral vigente 18

17 Propaganda através do jornal* A propaganda em veículos impressos (jornais) também possui regras impostas pela legislação eleitoral. Por isso, antes de buscar essa opção, esteja atento às limitações. São permitidas: - entrevistas - mensagens e santinhos pagos (apedido) e nos tamanhos que a lei permite. - os preços variam de acordo com o tamanho. * sujeita a orientações e regras determinadas pela Legislação Eleitoral vigente Propaganda por meio do radio e tv Nas mídias eletrônicas (rádio e televisão) há dois tipos de propaganda permitida: - via entrevistas e participação em debates - inserção nos programas no horário político Propaganda por meio de carro de som Os carros de som podem ser utilizados, mas de acordo com horários estipulados pela lei - Divulgue o jingle e áudio com mensagem do candidato * sujeita a orientações e regras determinadas pela Legislação Eleitoral vigente 19

18 Recomendações sobre uso do carro de som 1 fazer um contrato que aborde eventuais quebras, manutenção do veículo, acidentes, valores a serem pagos e encargos. 2 elaborar um mapa para fazer a programação e demarcar a semana em que o carro fez a propaganda. 3 elaborar um cronograma semanal para seu uso. 4 fazer um controle diário- o carro deverá sair do comitê central e retornar no final. 5 quando houver algum comício ou outro evento de campanha na região, utilizar os carros de som nos dias que os antecedem. 6 evitar som em frente a hospitais e igrejas. 7 evitar som em horários noturnos. Propaganda eleitoral na internet A propaganda na internet é permitida após o dia 5 de julho, conforme resolução do TSE, nº , de 27 de fevereiro de 2014 em: - site do candidato, com endereço comunicado à Justiça Eleitoral e hospedado em provedor estabelecido no País; - site do partido ou da coligação, com endereço eletrônico comunicado à Justiça Eleito- por meio de mensagem eletrônica para endereços cadastrados gratuitamente pelo candidato, partido ou coligação; 20

19 - por meio de blogs, redes sociais, sites de mensagens instantâneas e assemelhados, cujo conteúdo seja gerado ou editado por candidatos, partidos ou coligações ou de iniciativa de qualquer pessoa natural. - no site do candidato, no site do partido, via s, blogs, redes sociais.! ATENÇÃO Na internet é vedada a veiculação de qualquer tipo de propaganda eleitoral paga! É vedada na internet, ainda que gratuitamente, a veiculação de propaganda em: sites de pessoas jurídicas, oficiais ou hospedados por órgãos ou entidades da administração pública da União, estados e municípios Propaganda geral - Considere como propaganda de mão: santinho, folder, flyer, colinha, jornal informativo, etc. - Considere como propaganda de rua visual: placas (4 metros quadrados), cavaletes, faixas em áreas particulares (mediante autorização do proprietário). - A legislação não permite a colocação de placas e cartazes em postes, viadutos, pontes, etc. - O uso desse tipo de material depende da condição financeira do candidato. 21

20 Atividades de campanha Eventos de rua Panfletagem Para que dê resultados é preciso treinar bem o pessoal: aparência, boa educação e conhecer bem as propostas do candidato. É importante a participação dos candidatos e lideranças que o apoiam. Corpo a corpo Os candidatos devem aproveitar todos os locais de grande público para o contato direto com os eleitores: eventos esportivos, festas religiosas, caminhadas nas ruas e centro comerciais, presença nas entradas e saídas de supermercados, portas de fábricas, entradas de colégios e universidades, etc. Passeatas Usar bandeiras, carro de som, propaganda de mão, adesivos, etc. Carreatas Quando bem feitas conseguem impacto altamente positivo. Tome cuidado para não tumultuar o trânsito nem causar transtornos nas ruas. 22

21 Combate aos adversários Lições da sabedoria política: Quando você decidir bater no inimigo, bata com força para liquidá-lo, não apenas para machucá-lo. A cobra machucada é muito mais perigosa! Por isso, procure conhecer bem seus adversários: tanto as qualidades como as deficiências. Quando for criticar o adversário, use opiniões e fatos ditos por outras pessoas. Frente ao inimigo você terá sempre três opções: conquistá-lo, neutralizá-lo ou eliminá-lo. Procure não alimentar seu inimigo com mais ódio, nunca o deixe numa situação em que não tenha mais nada a perder; ele se tornará mais perigoso, desesperado e imprevisível. O único inimigo bom é o neutralizado. Acompanhe seus adversários; mantenha-os longe ou bem perto, mas evite que eles estejam às suas costas. Mesmo que você não tenha êxito nas urnas, sairá desse processo eleitoral vitorioso e mais experiente para enfrentar novas disputas! Acredite sempre no teu potencial! Mãos à obra, uma boa campanha e boa sorte! 25

22 Reuniões e encontros Faça uma lista de pessoas que o apoiam, simpatizam ou que não têm candidato definido, para serem contatados durante a campanha. É importante ter a figura de um auxiliar para o atendimento ao telefone e recepção no comitê, controle da agenda e controle do material de propaganda. O candidato deve - Cuidar bem da aparência: física, facial e do vestuário; O candidato não deve - Mentir; - Exagerar nas brincadeiras, pois isso pode expô-lo ao ridículo; - Perder tempo falando dos adversários, deve Usar seu tempo para falar das propostas de candidatura; - Ter vergonha de pedir voto. Peça claramente para votarem em você; - Jamais subestimar o eleitor. 23

23 Quinzena decisiva É quando a candidatura deve atingir o seu pico. Você deve programar bem esta fase, tendo seu ponto mais alto no dia da eleição. Por isso, você deve guardar munição para esse período e avaliar os melhores momentos para prender fogo. Ou seja, ter cuidado, guardar munição, mas não demais. O tempo poderá ser o seu maior aliado ou o seu maior adversário. No dia da eleição - Boca de urna está proibida. - Planejar bem no visual para o dia, próximo aos locais de votação. - A preparação para o grande dia começa desde já! - Não existe ninguém eleito até a totalização dos votos e a eleição só acaba às 17h do dia 05 de outubro. - Até lá, lute pelos votos possíveis. Afinal, voto se faz de um em um! 24

Guia. do Candidato. s e. Orientações de Campanha. Solon Tavares. Apoio:

Guia. do Candidato. s e. Orientações de Campanha. Solon Tavares. Apoio: Guia do Orientações de Campanha s e õ eleiç 2 1 20 Apoio: Instituto Solon Tavares Palavra do Presidente Prezados petebistas, A eleição municipal é o ápice da democracia, pois é nessa disputa que escolhemos

Leia mais

Pode. Alto-falantes ou amplificadores de som. Pode

Pode. Alto-falantes ou amplificadores de som. Pode O Tribunal Superior Eleitoral publicou a Resolução nº 23.404/14, com as regras sobre propaganda eleitoral a serem seguidas nas eleições de 2014. Estão relacionados abaixo os tipos de propaganda mais comuns

Leia mais

PROPAGANDA ELEITORAL

PROPAGANDA ELEITORAL PROPAGANDA ELEITORAL Katherine Schreiner katherine@eleitoralbrasil.com.br http://www.eleitoralbrasil.com.br Propaganda Política A expressão propaganda política é empregada para significar, em síntese,

Leia mais

Orientações sobre PROPAGANDA ELEITORAL

Orientações sobre PROPAGANDA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MINAS GERAIS Secretaria Judiciária Eleições 2012 Orientações sobre PROPAGANDA ELEITORAL O Tribunal Superior Eleitoral publicou a Resolução nº 23.370/2011, com as regras sobre

Leia mais

Orientações sobre PROPAGANDA ELEITORAL

Orientações sobre PROPAGANDA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MINAS GERAIS Secretaria Judiciária Eleições 2012 Orientações sobre PROPAGANDA ELEITORAL As regras sobre a veiculação de propaganda eleitoral estão contidas na Lei das Eleições

Leia mais

Calendário Eleitoral 2012 - Eleições Municipais

Calendário Eleitoral 2012 - Eleições Municipais Calendário Eleitoral 2012 - Eleições Municipais Em ano de eleições municipais é importante estar atento ao calendário eleitoral 2012 para as eleições municipais. O Tribunal Superior Eleitoral/TSE divulgou

Leia mais

ELEIÇÕES 2012 CAMPANHA ELEITORAL

ELEIÇÕES 2012 CAMPANHA ELEITORAL 2S SOLUÇÕES pode e não pode Elaboração: Victor Ferreira João de Oliveira 2 COMÍCIOS E REUNIÕES PÚBLICAS Tradicional forma de arregimentação de pessoas para difundir a proposta do candidato, partido ou

Leia mais

Propaganda Eleitoral. Eduardo Buzzinari Ribeiro de Sá 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS ESPÉCIES DE PROPAGANDA POLÍTICA

Propaganda Eleitoral. Eduardo Buzzinari Ribeiro de Sá 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS ESPÉCIES DE PROPAGANDA POLÍTICA Série Aperfeiçoamento de Magistrados 7 Curso: 1º Seminário de Direito Eleitoral: Temas Relevantes para as Eleições de 2012 Propaganda Eleitoral 85 Eduardo Buzzinari Ribeiro de Sá 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Leia mais

ADDITIONAL TEXT PASSO A PASSO CAMPANHA ELEITORAL

ADDITIONAL TEXT PASSO A PASSO CAMPANHA ELEITORAL ADDITIONAL TEXT PASSO A PASSO CAMPANHA ELEITORAL COMO FAZER UMA CAMPANHA POLÍTICA? Passo-a-passo para você vencer as eleições internet + mídias sociais Para um político conseguir ser eleito, ele precisa

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

Propaganda Eleitoral

Propaganda Eleitoral Noções gerais sobre Propaganda Eleitoral Diogo Mendonça Cruvinel Assistente de Apoio à Propaganda Eleitoral TRE-MG 2º Seminário de Legislação Eleitoral Câmara Municipal de Belo Horizonte 24/04/2014 Legislação

Leia mais

Pesquisas Eleitorais Res. TSE nº 23.453/15 Lei nº 12.891/2013.

Pesquisas Eleitorais Res. TSE nº 23.453/15 Lei nº 12.891/2013. Pesquisas Eleitorais Res. TSE nº 23.453/15 Lei nº 12.891/2013. PESQUISAS E TESTES PRÉ-ELEITORAIS Duas regras básicas: 1º) para conhecimento pessoal ou uso interno, pode ser feita de forma livre e informal;

Leia mais

PHS SP. 1º Curso de Marke.ng Polí.co. II - Aspectos Legais da Campanha

PHS SP. 1º Curso de Marke.ng Polí.co. II - Aspectos Legais da Campanha 1º Curso de Marke.ng Polí.co II - Aspectos Legais da Campanha Palestrante: Dra. Patricia Brasil Especialista em Direito Eleitoral pela EJEP Escola Eleitoral Paulista do TER/SP Especialista em Direito Criminal

Leia mais

ELEIÇÕES 2012: PROPAGANDA ELEITORAL: Conheça as formas permitidas e não permitidas

ELEIÇÕES 2012: PROPAGANDA ELEITORAL: Conheça as formas permitidas e não permitidas ELEIÇÕES 2012: PROPAGANDA ELEITORAL: Conheça as formas permitidas e não permitidas Em comentário anterior foram abordadas as condutas vedadas a agentes públicos e candidatos no período eleitoral, compreendido

Leia mais

PROPAGANDA ELEITORAL

PROPAGANDA ELEITORAL O que é Propaganda Eleitoral? A partir de quando pode ocorrer a propaganda eleitoral? Pode ser realizada propaganda eleitoral em língua estrangeira? Quais os tipos de propaganda eleitoral permitidos? A

Leia mais

As 10 coisas que todas as campanhas vitoriosas fazem

As 10 coisas que todas as campanhas vitoriosas fazem Eleições 2012 As 10 coisas que todas as campanhas vitoriosas fazem Dicas práticas para prefeito e vereador Conquiste o diploma mais importante da sua vida Faça do blog Campanhas e Mandatos sua vantagem

Leia mais

Você está recebendo a Cartilha Eleitoral 2014, elaborada pela Abert para orientar a conduta do radiodifusor durante o período eleitoral.

Você está recebendo a Cartilha Eleitoral 2014, elaborada pela Abert para orientar a conduta do radiodifusor durante o período eleitoral. Cartilha Eleitoral 2014 Caro Associado da ABERT, Você está recebendo a Cartilha Eleitoral 2014, elaborada pela Abert para orientar a conduta do radiodifusor durante o período eleitoral. O desconhecimento

Leia mais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais A campanha do prefeito de Duque de Caxias Alexandre Aguiar Cardoso, natural de Duque de Caxias, cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro,

Leia mais

QUESTÕES SOBRE A PROPAGANDA ELEITORAL

QUESTÕES SOBRE A PROPAGANDA ELEITORAL QUESTÕES SOBRE A PROPAGANDA ELEITORAL São as seguintes situações as mais comuns de Propaganda Eleitoral: 1. PROPAGANDA ELEITORAL NOS EDIFÍCIOS PÚBLICOS. Nos bens cujo uso dependa de cessão ou permissão

Leia mais

INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL

INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL FAÇA SUA CAMPANHA PARA PROJETO PODER P - Planejamento O - Organização D - Delegação E - Execução R - Realização Lance sua campanha para Vereador com o Projeto

Leia mais

Cooperativismo E eleições

Cooperativismo E eleições Cooperativismo E eleições 2010 Cooperativismo E eleições 2010 2010. Organização das Cooperativas Brasileiras A reprodução parcial ou total desta publicação é autorizada, desde que citada a fonte. Organização

Leia mais

Apontamentos sobre marketing eleitoral

Apontamentos sobre marketing eleitoral Apontamentos sobre marketing eleitoral Posicionamento da Candidatura Cada campanha é única e terá seu próprio cronograma. No entanto, é possível propor uma divisão geral em fases, pelas quais qualquer

Leia mais

ENTENDENDO AS ETAPAS INSCRIÇÃO

ENTENDENDO AS ETAPAS INSCRIÇÃO ENTENDENDO AS ETAPAS INSCRIÇÃO A inscrição no projeto deverá ser feita na área para professores. Para fazê-la, o educador deverá enviar uma imagem de sua turma, um apelido que a identifique e um breve

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 09, DE 04 DE AGOSTO DE 2015 - CMDCA.

RESOLUÇÃO Nº 09, DE 04 DE AGOSTO DE 2015 - CMDCA. RESOLUÇÃO Nº 09, DE 04 DE AGOSTO DE 2015 - CMDCA. Dispões sobre a Propaganda Eleitoral bem como outros informes sobre o Processo de Escolha dos Membros do Conselho Tutelar de Esplanada-BA para a gestão

Leia mais

Cartilha VOTE CONSCIENTE VOTE BEM

Cartilha VOTE CONSCIENTE VOTE BEM Cartilha VOTE VOTE BEM CONSCIENTE O mês de outubro marca a escolha de quem estará, durante os próximos anos, à frente do poder no Brasil. É um dos momentos mais significativos, pois é a hora de o brasileiro

Leia mais

10 passos para ganhar a mídia. Estudantes Pela Liberdade

10 passos para ganhar a mídia. Estudantes Pela Liberdade 10 passos para ganhar a mídia Estudantes Pela Liberdade 2013 10 passos para ganhar a mídia Aqui estão 10 passos para atrair a atenção da mídia para o seu grupo. Siga todos esses passos efetivamente, e

Leia mais

Informações para o dia da eleição

Informações para o dia da eleição Tribunal Regional Eleitoral do Ceará Justiça Eleitoral Informações para o dia da eleição NO DIA DA ELEIÇÃO O QUE É PERMITIDO? É permitida a manifestação individual e silenciosa da preferência do cidadão

Leia mais

A construção do processo de decisão do eleitor. Estratégias de Marketing Político

A construção do processo de decisão do eleitor. Estratégias de Marketing Político A construção do processo de decisão do eleitor Estratégias de Marketing Político Diz o ditado popular, aliás, muito bem fundamentado na física, que o que não evolui, regride. Todos aqueles que de uma forma

Leia mais

Você pode contribuir para eleições mais justas

Você pode contribuir para eleições mais justas Procuradoria Regional Eleitoral no Estado de SP Defesa da democracia, combate à impunidade. Você pode contribuir para eleições mais justas Os cidadãos e as cidadãs podem auxiliar muito na fiscalização

Leia mais

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas?

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? 2 Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? É SOBRE ISSO QUE VOU FALAR NESTE TEXTO. A maioria das empresas e profissionais

Leia mais

Código de Conduta AeC para Atividades Políticas. Código de Conduta para Atividades Políticas

Código de Conduta AeC para Atividades Políticas. Código de Conduta para Atividades Políticas Código de Conduta para Atividades Políticas 2012 Índice Mensagem dos Acionistas O que é o Código de Conduta Quem deve segui-lo Direitos e Deveres Regras de Conduta Disposições Finais Mensagem dos Acionistas

Leia mais

Prestar contas é fácil: um guia passo a passo

Prestar contas é fácil: um guia passo a passo Lembre-se de que este guia foi elaborado para facilitar a sua compreensão do que é prestar contas à Justiça Eleitoral. Todas as normas, que contêm o assunto detalhadamente, estão disponíveis na página

Leia mais

Prestar contas é fácil: um guia passo a passo

Prestar contas é fácil: um guia passo a passo Quais as regras que devem ser observadas para a Prestação de Contas nas Eleições 2012? Além das normas contidas na Lei nº 9.096/1995 (a Lei dos Partidos Políticos) e na Lei nº 9.504/1997 (a Lei das Eleições),

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL LEI Nº 11.300, DE 10 DE MAIO DE 2006 Dispõe sobre propaganda, financiamento e prestação de contas das despesas com campanhas eleitorais, alterando a Lei n o 9.504, de 30

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO Eleições 2014 Propaganda Eleitoral O Que Pode e o Que não Pode

MANUAL DO CANDIDATO Eleições 2014 Propaganda Eleitoral O Que Pode e o Que não Pode MANUAL DO CANDIDATO Eleições 2014 Propaganda Eleitoral O Que Pode e o Que não Pode Patricia Brasil Mestranda em Direito Político e Econômico pela Universidade Presbiteriana Mackenzie Especialista em Direito

Leia mais

Capítulo 19 - RESUMO

Capítulo 19 - RESUMO Capítulo 19 - RESUMO Considerado como sendo um dos principais teóricos da área de marketing, Philip Kotler vem abordando assuntos referentes a esse fenômeno americano chamado marketing social, desde a

Leia mais

PHS SP. 1º Curso de Marke.ng Polí.co. I - Aspectos Legais da pré- campanha

PHS SP. 1º Curso de Marke.ng Polí.co. I - Aspectos Legais da pré- campanha 1º Curso de Marke.ng Polí.co I - Aspectos Legais da pré- campanha Palestrante: Dra. Patricia Brasil Especialista em Direito Eleitoral pela EJEP Escola Eleitoral Paulista do TER/SP Especialista em Direito

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

O que fazer para reformar o Senado?

O que fazer para reformar o Senado? O que fazer para reformar o Senado? Cristovam Buarque As m e d i d a s para enfrentar a crise do momento não serão suficientes sem mudanças na estrutura do Senado. Pelo menos 26 medidas seriam necessárias

Leia mais

Prefeitura Municipal de São Francisco do Conde publica:

Prefeitura Municipal de São Francisco do Conde publica: Prefeitura Municipal de São Francisco do Conde 1 Quarta-feira Ano III Nº 735 Prefeitura Municipal de São Francisco do Conde publica: CMDCA - Edital N 011, de 31 de agosto de 2015 - Alterações dos editais

Leia mais

AMAJUM. No próximo dia 7 de outubro, o povo brasileiro retorna às urnas, desta vez para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.

AMAJUM. No próximo dia 7 de outubro, o povo brasileiro retorna às urnas, desta vez para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. No próximo dia 7 de outubro, o povo brasileiro retorna às urnas, desta vez para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. Produção: Ação conjunta: Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso Parceiro:

Leia mais

RELACIONAMENTO E POSTURA NA ATIVIDADE PÚBLICA

RELACIONAMENTO E POSTURA NA ATIVIDADE PÚBLICA XXX CONGRESSO BRASILEIRO DE SERVIDORES DE CÂMARAS MUNICIPAIS X ENCONTRO NACIONAL DE VEREADORES - ABRASCAM. RELACIONAMENTO E POSTURA NA ATIVIDADE PÚBLICA Adriana Nóbrega Comunicação e Marketing Político

Leia mais

A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008. Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho

A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008. Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008 Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho Propaganda Institucional Definição: é a publicidade destinada a divulgar os atos, programas, obras,

Leia mais

Processos da Assessoria de Comunicação - 2013

Processos da Assessoria de Comunicação - 2013 Introdução A Assessoria de Comunicação do Grupo Educacional Unis foi criada para atender demandas relativas à promoção das ações e realizações da organização através de propagandas e comunicação interna

Leia mais

SENSUS. Relatório CAMPANHA DE ESCLARECIMENTO DO TSE ELEIÇÕES 2010 FIELDS COMUNICAÇÃO TSE. 03 a 07 de Novembro de 2010

SENSUS. Relatório CAMPANHA DE ESCLARECIMENTO DO TSE ELEIÇÕES 2010 FIELDS COMUNICAÇÃO TSE. 03 a 07 de Novembro de 2010 Pesquisa e Consultoria Relatório CAMPANHA DE ESCLARECIMENTO DO TSE ELEIÇÕES 2010 FIELDS COMUNICAÇÃO TSE 03 a 07 de Novembro de 2010 Rua Grão Pará 737, 4 andar Cep 30150-341 Belo Horizonte MG Tel. 31-33042100

Leia mais

A mais um CURSO realizado pela

A mais um CURSO realizado pela A mais um CURSO realizado pela Aqui tem qualificação de Verdade! CONTROLE INTERNO Reforma Política: o que podemos melhorar? Dr. Luiz Fernando Pereira PERÍODO 09h00 X 12h00 09/12/2015 15h às 17h Por gentileza

Leia mais

www.brasil-economia-governo.org.br

www.brasil-economia-governo.org.br O Brasil deve adotar o voto distrital? Pedro Nery 1 Proposta recorrente nos debates sobre reforma política, o voto distrital é exaltado por suas vantagens em relação ao sistema de voto proporcional para

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL COMISSÃO ELEITORAL UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL COMISSÃO ELEITORAL REGULAMENTO DA CAMPANHA ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DOS CARGOS DE REITOR(A) E VICE-REITOR(A) DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL QUADRIÊNIO

Leia mais

Redes Sociais e Networking

Redes Sociais e Networking Redes Sociais e Networking João de Queiroz Xavier Diretor Geral Áreas de Atuação Planejamento de Carreira Recrutamento & Seleção Coaching Outplacement Individual Outplacement Coletivo (Projetos) Projetos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 005/2015

RESOLUÇÃO Nº 005/2015 RESOLUÇÃO Nº 005/2015 Regulamenta e publica Edital complementar das regras da Campanha Eleitoral para a eleição dos conselheiros tutelares de Cacique Doble. O Conselho Municipal dos Direitos da Criança

Leia mais

LIVRO VIII DA ÁREA ELEITORAL

LIVRO VIII DA ÁREA ELEITORAL LIVRO VIII DA ÁREA ELEITORAL Art. 512. O Ministério Público Eleitoral atua perante todas as instâncias e fases do processo eleitoral, na condição de parte ou de custos legis, com a mesma legitimidade assegurada

Leia mais

Congresso Nacional de Negras e Negros do Brasil Construindo um Projeto Político do Povo Negro para o País

Congresso Nacional de Negras e Negros do Brasil Construindo um Projeto Político do Povo Negro para o País PLANO DE COM UNICAÇÃO, MÍDIA E DIVULGAÇÃO Elaboração: Ebomy Conceição Reis d' Ógùm- Instituto Nacional da Tradição e Cultura Afro- Brasileira Marcio Alexandre Martins Gualberto Coletivo de Entidades Negras

Leia mais

O que falta é uma nova lei para garantir a liberdade de expressão do nosso povo. A lei que regulamenta o serviço de radiodifusão completou 50 anos!

O que falta é uma nova lei para garantir a liberdade de expressão do nosso povo. A lei que regulamenta o serviço de radiodifusão completou 50 anos! Para construir um país mais democrático e desenvolvido, precisamos avançar na garantia ao direito à comunicação para todos e todas. O que isso significa? Significa ampliar a liberdade de expressão para

Leia mais

MEDIA TRANNING. Giovana Cunha. Coordenadora de Rádio e TV - TST giovana.cunha@tst.jus.br

MEDIA TRANNING. Giovana Cunha. Coordenadora de Rádio e TV - TST giovana.cunha@tst.jus.br MEDIA TRANNING Giovana Cunha COMO AGIR DIANTE DA IMPRENSA É muito comum o entrevistado se queixar que o jornalista não reproduziu corretamente as informações fornecidas na entrevista. O jornalista normalmente

Leia mais

As oportunidades de utilização do SMS no marketing político

As oportunidades de utilização do SMS no marketing político As oportunidades de utilização do SMS no marketing político "Dicas e oportunidades para mobilização de massas através de mensagens curtas de texto via SMS e marketing de permissão." por Rubem Didini e

Leia mais

Clipping. ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO 03 de outubro de 2011 ESTADO DE MINAS

Clipping. ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO 03 de outubro de 2011 ESTADO DE MINAS ESTADO DE MINAS 1 2 ESTADO DE MINAS 3 ESTADO DE MINAS http://www.em.com.br PSD de Kassab mira 'órfãos' do PMDB quercista O PSD obteve registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na terça-feira e corre

Leia mais

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Aprovado por: Diretoria de Informação Institucional 1 OBJETIVO Definir e padronizar os procedimentos referentes

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL COMITÊ GESTOR DE INVESTIMENTO E PREVIDÊNCIA 2015

REGULAMENTO ELEITORAL COMITÊ GESTOR DE INVESTIMENTO E PREVIDÊNCIA 2015 O Comitê Gestor de Investimento e Previdência é um órgão de deliberação colegiada e de atuação no âmbito exclusivo da ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. O Comitê Gestor de Investimento e Previdência

Leia mais

Pesquisa de Opinião Pública Nacional. Associação dos Magistrados Brasileiros AMB Voto, Eleições e Corrupção Eleitoral

Pesquisa de Opinião Pública Nacional. Associação dos Magistrados Brasileiros AMB Voto, Eleições e Corrupção Eleitoral Pesquisa de Opinião Pública Nacional Associação dos Magistrados Brasileiros AMB Voto, Eleições e Corrupção Eleitoral Julho de 2008 Roteiro I. Metodologia II. III. IV. Eleições e Política Corrupção eleitoral

Leia mais

Edital nº 01/2014 Abre período para inscrições ao Processo Eleitoral Suplementar para Cargos de Suplência do Conselho Tutelar de Mariano Moro/RS.

Edital nº 01/2014 Abre período para inscrições ao Processo Eleitoral Suplementar para Cargos de Suplência do Conselho Tutelar de Mariano Moro/RS. Edital nº 01/2014 Abre período para inscrições ao Processo Eleitoral Suplementar para Cargos de Suplência do Conselho Tutelar de Mariano Moro/RS. A Comissão Eleitoral do COMDICAMM de Mariano Moro-RS, no

Leia mais

O VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no exercício do cargo de PRESIDENTE DA REPÚBLICA

O VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no exercício do cargo de PRESIDENTE DA REPÚBLICA LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997 Estabelece normas para as eleições. O VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no exercício do cargo de PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Organizando Voluntariado na Escola Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Objetivos 1 Entender a importância de fazer um planejamento. 2 Aprender como planejar o projeto de voluntariado. 3 Conhecer ferramentas

Leia mais

CARTILHA DO VOTO CONSCIENTE

CARTILHA DO VOTO CONSCIENTE CARTILHA DO VOTO CONSCIENTE ART. 1, 1 da Constituição Federal de 88: Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição. Voto consciente:

Leia mais

MANUAL DE FISCALIZAÇÃO

MANUAL DE FISCALIZAÇÃO MANUAL DE FISCALIZAÇÃO ELEIÇÕES 2010 1 I - FISCALIZAÇÃO DURANTE A VOTAÇÃO Número de Fiscais e Delegados Cada Partido ou Coligação poderá nomear dois (2) Delegados em cada Zona Eleitoral e dois (2) Fiscais

Leia mais

TERMO DE ACORDO OS DIRETÓRIOS DE PARTIDOS POLÍTICOS ATUANTES NA 3ª ZONA ELEITORAL, SEDIADOS NOS MUNICÍPIOS DE ROSÁRIO OESTE, JANGADA e NOBRES/MT,

TERMO DE ACORDO OS DIRETÓRIOS DE PARTIDOS POLÍTICOS ATUANTES NA 3ª ZONA ELEITORAL, SEDIADOS NOS MUNICÍPIOS DE ROSÁRIO OESTE, JANGADA e NOBRES/MT, TERMO DE ACORDO OS DIRETÓRIOS DE PARTIDOS POLÍTICOS ATUANTES NA 3ª ZONA ELEITORAL, SEDIADOS NOS MUNICÍPIOS DE ROSÁRIO OESTE, JANGADA e NOBRES/MT, pessoas jurídicas de direito privado ao final identificadas,

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

Nova Onda Comunicação 2012 Está autorizada a reprodução e distribuição gratuita deste material desde que sejam preservadas suas características

Nova Onda Comunicação 2012 Está autorizada a reprodução e distribuição gratuita deste material desde que sejam preservadas suas características Nova Onda Comunicação 2012 Está autorizada a reprodução e distribuição gratuita deste material desde que sejam preservadas suas características originais. Sumário 3 Apresentação...5 Introdução: Campanha

Leia mais

Prefácio 11 Introdução 13

Prefácio 11 Introdução 13 Sumário Prefácio 11 Introdução 13 1. Contextualização: Internet, redes sociais sob a ótica da responsabilidade jurídica e o Marco Civil da Internet 17 1.1 A regulamentação jurídica da internet 19 1.1.1

Leia mais

ELEIÇÕES REGIONAIS ELEIÇÃO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA

ELEIÇÕES REGIONAIS ELEIÇÃO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA ELEIÇÕES REGIONAIS 2 0 1 5 ELEIÇÃO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA O que é uma eleição? Uma eleição é quando votamos para escolher quem nos vai representar e falar em nosso nome.

Leia mais

Hora de pensar o seguinte: para que você quer agir na internet? Para conseguir mais votos e ganhar a eleição.

Hora de pensar o seguinte: para que você quer agir na internet? Para conseguir mais votos e ganhar a eleição. Hora de pensar o seguinte: para que você quer agir na internet? Para conseguir mais votos e ganhar a eleição. No caso da internet, o foco é pensar em como essa meta pode ser alcançada. Para isso, você

Leia mais

NORMAS ELEITORAIS PARA OS MEMBROS DA CIPA

NORMAS ELEITORAIS PARA OS MEMBROS DA CIPA NORMAS ELEITORAIS PARA OS MEMBROS DA CIPA A Comissão Eleitoral estabelece normas para eleição dos membros da CIPA da Fundação de Ensino e Pesquisa de Itajubá FEPI. Art. 1º - Até 45 (quarenta e cinco) dias

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE CAMPANHA FOCO COMERCIAL

ESTRATÉGIAS DE CAMPANHA FOCO COMERCIAL ESTRATÉGIAS DE CAMPANHA FOCO COMERCIAL Desenvolvemos estratégias comerciais fixas a fim de incentivar a atuação da equipe de cada Studio. Semana Promocional Sábado Verde OligoFlora OBJETIVO Ativação de

Leia mais

TREINAMENTO BELCORP. Negócios

TREINAMENTO BELCORP. Negócios TREINAMENTO BELCORP Negócios Junho/2015 Esteja aberto para um novo aprendizado. Participe: faça perguntas durante a orientação, esse é o momento para tirar dúvidas. Compartilhe experiências. Sorria e Divirta-se!

Leia mais

Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais

Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais Bases legais Constituição Federal Lei das Eleições (Lei 9.504/97) Lei das Inelegibilidades (LC 64/90) Código Eleitoral Resoluções do TSE Finalidade da Legislação

Leia mais

Marketing Político na Internet - Eleições 2016

Marketing Político na Internet - Eleições 2016 Marketing Político na Internet - Eleições 2016 Implementar e administrar um Plano de Marketing Digital para as campanhas eleitorais de 2016 CEO da Agência AC7, Elcio Castilho, com 24 anos de experiência

Leia mais

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal?

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal? Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL O que é Marketing Multicanal? Uma campanha MultiCanal integra email, SMS, torpedo de voz, sms, fax, chat online, formulários, por

Leia mais

A ferramenta, complementa as atividades já existentes no condomínio, somando valores e aproximando as pessoas.

A ferramenta, complementa as atividades já existentes no condomínio, somando valores e aproximando as pessoas. Página 1 O que é a Assembleia Virtual? Assembleia virtual é uma nova forma de participar da gestão do seu condomínio, de fazer valer seu direito de voto e de manter-se informado sobre os assuntos do condomínio.

Leia mais

AGENDA DA GERENTE E GESTÃO DA EQUIPE DE LOJA

AGENDA DA GERENTE E GESTÃO DA EQUIPE DE LOJA AGENDA DA GERENTE E GESTÃO DA EQUIPE DE LOJA Entregar a informação atrasada, cometer pequenos erros todos os dias, não conseguir atingir as metas, ter de resolver assuntos urgentes a todo o momento, entre

Leia mais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita Federal. O incentivo

Leia mais

Marketing para serviços médicos

Marketing para serviços médicos Marketing para serviços médicos Uma empresa médica, seja um consultório ou clínica, precisa elaborar um plano de marketing bastante objetivo, prático, de simples aplicação e direcionado para a área a clientela

Leia mais

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Profa. Ma. Andrea Morás Comunicação empresarial Envolve todas as ferramentas de comunicação. Atividade multidisciplinar. Envolve conflitos, emoções, potencialidades e

Leia mais

Sugestão de Planejamento da Semana Pedagógica

Sugestão de Planejamento da Semana Pedagógica GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA REGIONAL DE ENSINO DE ARAGUAINA SETOR REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E ENSINO INTEGRAL Sugestão de Planejamento da Semana

Leia mais

Ficha Limpa e Alguns Conceitos

Ficha Limpa e Alguns Conceitos Ficha Limpa e Alguns Conceitos A Lei Ficha Limpa foi aprovada graças à mobilização de milhões de brasileiros e se tornou um marco fundamental para a democracia e a luta contra a corrupção e a impunidade

Leia mais

Dicas de entrevista de seleção. Professora Sônia Regina Nozabielli Março/2005

Dicas de entrevista de seleção. Professora Sônia Regina Nozabielli Março/2005 Dicas de entrevista de seleção Professora Sônia Regina Nozabielli Março/2005 O que é a entrevista de seleção? É uma etapa do processo seletivo que tem como objetivo levantar maiores informações a respeito

Leia mais

Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 APRESENTAÇÃO... 15 NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 17 NOTA À SEGUNDA EDIÇÃO... 19 DIREITO ELEITORAL...

Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 APRESENTAÇÃO... 15 NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 17 NOTA À SEGUNDA EDIÇÃO... 19 DIREITO ELEITORAL... Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 APRESENTAÇÃO... 15 NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 17 NOTA À SEGUNDA EDIÇÃO... 19 CAPÍTULO 1 DIREITO ELEITORAL... 21 1.1. Conceito...21 1.1.1. Competência legislativa em

Leia mais

O SR. NELSON MARQUEZELLI (PTB - sp) pronuncia o. seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados,

O SR. NELSON MARQUEZELLI (PTB - sp) pronuncia o. seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, O SR. NELSON MARQUEZELLI (PTB - sp) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, encontra-se em curso, no Congresso Nacional, uma proposta de reforma que aborda questões consideradas

Leia mais

Kit de Apoio à Gestão Pública 1

Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Índice CADERNO 3: Kit de Apoio à Gestão Pública 3.1. Orientações para a reunião de Apoio à Gestão Pública... 03 3.1.1. O tema do Ciclo 4... 03 3.1.2. Objetivo, ações básicas

Leia mais

VEJA 50 ESTRATÉGIAS SIMPLES DE MARKETING PARA ADVOGADOS

VEJA 50 ESTRATÉGIAS SIMPLES DE MARKETING PARA ADVOGADOS VEJA 50 ESTRATÉGIAS SIMPLES DE MARKETING PARA ADVOGADOS João Ozorio de Melo Todo advogado tem de despertar o marqueteiro que existe dentro dele mesmo. Se não há recursos para investir em serviços profissionais

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral Abril 2013 TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Presidente Desembargadora Letícia De Faria Sardas Corregedor

Leia mais

Eleições Municipais 2016. Propaganda

Eleições Municipais 2016. Propaganda Eleições Municipais 2016 Propaganda Material confeccionado pelo setor jurídico do PMDB/RS. Ressalta-se que este material vem sendo alterado conforme a realização dos eventos Rota da Vitória - o PMDB no

Leia mais

Propaganda ideológica. Baseado no livro: O que é Propaganda Ideológica de Nelson Jahr Garcia

Propaganda ideológica. Baseado no livro: O que é Propaganda Ideológica de Nelson Jahr Garcia Propaganda ideológica Baseado no livro: O que é Propaganda Ideológica de Nelson Jahr Garcia Propagandas: comerciais e eleitorais Estão em todo parte: televisão, rádio, cartazes; veículos; objetos... As

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 022/2014

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 022/2014 DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 022/2014 Aprova o Regulamento da Propaganda Eleitoral dos candidatos aos cargos de Reitor e de Vice-reitor da Universidade de Taubaté, para o quadriênio 2014-2018. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO,

Leia mais

Arrecadação Gastos Prestação de contas

Arrecadação Gastos Prestação de contas Arrecadação Gastos Prestação de contas Tatão Bom de Voto História ilustrativa e simplificada de como arrecadar recursos, realizar despesas e prestar contas à Justiça Eleitoral. Arrecadação Gastos Prestação

Leia mais

ELEIÇÃO DO CONSELHO TUTELAR Colinas do Tocantins, Estado do Tocantins

ELEIÇÃO DO CONSELHO TUTELAR Colinas do Tocantins, Estado do Tocantins 1 Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes CMDCA - Comissão Eleitoral, Res. Nº 001/15 - ELEIÇÃO DO CONSELHO TUTELAR Colinas do Tocantins, Estado do Tocantins EDITAL 007/2015 - CMDCA

Leia mais

Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo

Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo Contribuições construídas pelo GT Juventude A avaliação das entidades e grupos que compõe o GT Juventude faz da atuação do Movimento em 2008 é extremamente

Leia mais

MARKETING POLÍTICO DIGITAL. Como utilizar o SMS e o Email Marketing em Campanhas Políticas para engajar eleitores em uma Proposta de Governo

MARKETING POLÍTICO DIGITAL. Como utilizar o SMS e o Email Marketing em Campanhas Políticas para engajar eleitores em uma Proposta de Governo MARKETING POLÍTICO DIGITAL Como utilizar o SMS e o Email Marketing em Campanhas Políticas para engajar eleitores em uma Proposta de Governo Potencial do SMS e do Email Marketing - Potencialize a sua presença

Leia mais

Enquete para Pais ou Responsáveis

Enquete para Pais ou Responsáveis MEXT Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia do Japão Avaliação Nacional do Desempenho Escolar e Condições do Aprendizado em 2013 Pesquisa detalhada Enquete para Pais ou Responsáveis

Leia mais

Manual da Assembleia Geral Ordinária 25 de março de 2014 às 10h30 Tívoli São Paulo - Mofarrej

Manual da Assembleia Geral Ordinária 25 de março de 2014 às 10h30 Tívoli São Paulo - Mofarrej Manual da Assembleia Geral Ordinária 25 de março de 2014 às 10h30 Tívoli São Paulo - Mofarrej CNPJ: 01.082.331/0001-80 Atualizado em 25.02.2014 Legenda da Barra Inferior Voltar ao Slide Inicial Voltar

Leia mais

GUIA PARA CONCORRÊNCIAS PRIVADAS.

GUIA PARA CONCORRÊNCIAS PRIVADAS. GUIA PARA CONCORRÊNCIAS PRIVADAS. CONHEÇA O SINAPRO SANTA CATARINA O Sindicato das Agências de Propaganda do estado de Santa Catarina (Sinapro/SC) tem como principal objetivo o fortalecimento do setor

Leia mais