Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO APRESENTAÇÃO NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO NOTA À SEGUNDA EDIÇÃO DIREITO ELEITORAL...

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 APRESENTAÇÃO... 15 NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 17 NOTA À SEGUNDA EDIÇÃO... 19 DIREITO ELEITORAL..."

Transcrição

1 Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO APRESENTAÇÃO NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO NOTA À SEGUNDA EDIÇÃO CAPÍTULO 1 DIREITO ELEITORAL Conceito Competência legislativa em matéria eleitoral Fontes do Direito Eleitoral Direitos políticos Suspensão e perda de direitos políticos Perda de naturalização por sentença transitada em julgado Incapacidade civil absoluta Condenação criminal por sentença transitada em julgado Recusa de cumprir obrigação a todos imposta Improbidade administrativa Sufrágio Voto Características do voto Princípio da anualidade Tópico síntese...28 CAPÍTULO 2 JUSTIÇA ELEITORAL Criação e características Membros da Justiça Eleitoral Tribunal Superior Eleitoral Tribunais Regionais Eleitorais Juízes eleitorais Juntas Eleitorais Tópico síntese...46 Livro 1.indb 7 10/03/ :09:01

2 CAPÍTULO 3 MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL Conceito Procurador Geral Eleitoral Procurador Regional Eleitoral Promotores Eleitorais Tópico síntese...49 CAPÍTULO 4 ALISTAMENTO ELEITORAL Conceito Procedimento Domicílio Eleitoral Transferência Eleitoral Título Eleitoral Cadastro de eleitores Cancelamento e exclusão de eleitores Das hipóteses de cancelamento Ofensa ao art. 5 do Código Eleitoral Ofensa ao art. 42 do Código Eleitoral pluralidade de inscrições eleitorais Falecimento do eleitor Perda e suspensão de direitos políticos Deixar de votar em 3 eleições consecutivas Processo individual de cancelamento de inscrição eleitoral Revisão do eleitorado Tópico síntese...77 CAPÍTULO 5 ELEGIBILIDADE Conceito Hipóteses constitucionais de elegibilidade Nacionalidade brasileira Pleno exercício dos direitos políticos Alistamento eleitoral Domicílio eleitoral na circunscrição Filiação partidária Situações específicas A situação dos militares Livro 1.indb 8 10/03/ :09:01

3 Idade mínima outras hipóteses de elegibilidade Tópico síntese...86 CAPÍTULO 6 INELEGIBILIDADE Conceito Reeleição Desincompatibilização Inelegibilidade por parentesco Inelegibilidade absoluta Tópico síntese CAPÍTULO 7 SISTEMAS ELEITORAIS Conceito Sistema Majoritário Sistema proporcional de listas abertas Tópico síntese CAPÍTULO 8 REGISTRO DE CANDIDATURAS Processo Eleitoral Convenções partidárias Candidatura nata Registro de candidatura Variação nominal no registro Substituição de Candidatos Tópico síntese CAPÍTULO 9 ARRECADAÇÃO E GASTOS EM CAMPANHA ELEITORAL Arrecadação e gastos eleitorais Limite de gastos Arrecadação na campanha eleitoral Fontes de arrecadação Fontes vedadas de doação para campanha eleitoral Dos gastos de campanha Prestação de Contas Livro 1.indb 9 10/03/ :09:01

4 9.5. Tópico síntese CAPÍTULO 10 PROPAGANDA POLÍTICO PARTIDÁRIA Conceito Propaganda partidária Dos Objetivos Das formas de veiculação da propaganda partidária Das proibições na propaganda partidária Propaganda intrapartidária Propaganda eleitoral Conceito, objetivos e termo inicial Da propaganda proibida Da proibição da propaganda eleitoral nos bens públicos e nos bens de uso comum Da propaganda em bens particulares Da realização da propaganda eleitoral Da propaganda eleitoral no dia da eleição Da propaganda mediante distribuição de bens ou vantagens Da propaganda na imprensa escrita Da propaganda no rádio e na televisão Dos debates Do horário eleitoral gratuito Divisão do tempo entre candidatos Propaganda por inserção Propaganda eleitoral através da Internet Poder de polícia na propaganda eleitoral Direito de resposta Tópico síntese CAPÍTULO 11 ELEIÇÕES Introdução Seções eleitorais Localização das seções eleitorais Proibições Mesa receptora Fiscalização Garantias eleitorais Livro 1.indb 10 10/03/ :09:01

5 11.5. Eleição Diplomação Tópico síntese CAPÍTULO 12 PARTIDOS POLÍTICOS Conceito Personalidade jurídica Criação e registro dos partidos políticos Estrutura interna dos partidos políticos Cláusula de barreira Coligações partidárias Filiação partidária Da perda de filiação Tópico síntese REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Livro 1.indb 11 10/03/ :09:01

LIVRO VIII DA ÁREA ELEITORAL

LIVRO VIII DA ÁREA ELEITORAL LIVRO VIII DA ÁREA ELEITORAL Art. 512. O Ministério Público Eleitoral atua perante todas as instâncias e fases do processo eleitoral, na condição de parte ou de custos legis, com a mesma legitimidade assegurada

Leia mais

REGISTRO DE CANDIDATO

REGISTRO DE CANDIDATO LEGISLAÇÃO APLICÁVEL - Constituição Federal - Código Eleitoral (Lei n. 4737/65) - Lei n. 9.504/97 (Lei das Eleições) - Lei Complementar n. 64/90 (Lei das Inelegibilidades) DISPOSIÇÕES GERAIS REGISTRO DE

Leia mais

META 4. LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos.

META 4. LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos. META 4 LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos. EXERCÍCIO 1. (FGV - 2008 - Senado Federal - Policial Legislativo

Leia mais

TEMAS DA REFORMA POLÍTICA

TEMAS DA REFORMA POLÍTICA TEMAS DA REFORMA POLÍTICA 1 Sistemas Eleitorais 1.1 Sistema majoritário. 1.2 Sistema proporcional 1.2 Sistema misto 2 - Financiamento eleitoral e partidário 3- Suplência de senador 4- Filiação partidária

Leia mais

Você pode contribuir para eleições mais justas

Você pode contribuir para eleições mais justas Procuradoria Regional Eleitoral no Estado de SP Defesa da democracia, combate à impunidade. Você pode contribuir para eleições mais justas Os cidadãos e as cidadãs podem auxiliar muito na fiscalização

Leia mais

Prestação de Contas Eleitorais 2010

Prestação de Contas Eleitorais 2010 Prestação de Contas Eleitorais 2010 Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Controle Interno e Auditoria Contas Eleitorais e Partidárias pcontas@tre-rs.gov.br Legislação

Leia mais

Calendário Eleitoral 2012 - Eleições Municipais

Calendário Eleitoral 2012 - Eleições Municipais Calendário Eleitoral 2012 - Eleições Municipais Em ano de eleições municipais é importante estar atento ao calendário eleitoral 2012 para as eleições municipais. O Tribunal Superior Eleitoral/TSE divulgou

Leia mais

Curso de Direito Eleitoral Preparatório para as Eleições de 2014

Curso de Direito Eleitoral Preparatório para as Eleições de 2014 Curso de Direito Eleitoral Preparatório para as Eleições de 2014 As Escolas Judiciárias Eleitorais do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal e do Tribunal Superior Eleitoral promoverão, nos meses

Leia mais

Prestação de Contas Eleitorais 2010

Prestação de Contas Eleitorais 2010 Prestação de Contas Eleitorais 2010 Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Controle Interno e Auditoria Contas Eleitorais e Partidárias pcontas@tre-rs.gov.br Legislação

Leia mais

Sumário. Agradecimentos. Prefácio. Nota do autor à primeira edição. Nota do autor à segunda edição

Sumário. Agradecimentos. Prefácio. Nota do autor à primeira edição. Nota do autor à segunda edição Sumário Agradecimentos V Prefácio VII Nota do autor à primeira edição IX Nota do autor à segunda edição XI Capítulo 1 Introdução ao Direito Eleitoral 1 1 Conceito 1 2 Fontes do Direito Eleitoral 1 2.1

Leia mais

FINANCIAMENTO DE CAMPANHA ELEITORAL. 1. Da arrecadação e aplicação de recursos

FINANCIAMENTO DE CAMPANHA ELEITORAL. 1. Da arrecadação e aplicação de recursos Módulo - 4 FINANCIAMENTO DE CAMPANHA ELEITORAL 1. Da arrecadação e aplicação de recursos Sob pena de rejeição das contas a arrecadação de recursos e os gastos por candidatos, inclusive dos seus vices e

Leia mais

TEMAS DEBATIDOS DECISÕES DA COMISSÃO 1- SUPLÊNCIA DE SENADOR. Foram aprovadas as seguintes alterações:

TEMAS DEBATIDOS DECISÕES DA COMISSÃO 1- SUPLÊNCIA DE SENADOR. Foram aprovadas as seguintes alterações: Senado Federal Comissão da Reforma Política TEMAS DEBATIDOS DECISÕES DA COMISSÃO 1- SUPLÊNCIA DE SENADOR a) Redução de dois suplentes de Senador para um; b) Em caso de afastamento o suplente assume; em

Leia mais

CURRICULUM VITAE ESCOLARIDADE. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Porto Alegre. ATUAÇÃO PROFISSIONAL - ATUAL

CURRICULUM VITAE ESCOLARIDADE. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Porto Alegre. ATUAÇÃO PROFISSIONAL - ATUAL CURRICULUM VITAE CURRICULUM VITAE NOME: Rodrigo López Zilio ESCOLARIDADE Graduação: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Porto Alegre. Curso de Ciências Jurídicas e Sociais. Conclusão:

Leia mais

PROPAGANDA ELEITORAL

PROPAGANDA ELEITORAL O que é Propaganda Eleitoral? A partir de quando pode ocorrer a propaganda eleitoral? Pode ser realizada propaganda eleitoral em língua estrangeira? Quais os tipos de propaganda eleitoral permitidos? A

Leia mais

Carta de Serviços aos Cidadãos

Carta de Serviços aos Cidadãos Carta de Serviços aos Cidadãos Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul: a cada dia mais próximo da comunidade www.tre-jus.br O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul é um órgão do Poder

Leia mais

Comentários à Prova de Analista Judiciário Área Judiciária do TRE/MA provas em 31.08.2015

Comentários à Prova de Analista Judiciário Área Judiciária do TRE/MA provas em 31.08.2015 à Prova de Analista Judiciário Área Judiciária do TRE/MA provas em 31.08. Acerca dos direitos políticos, é correto afirmar a) Ocorrerá cassação dos direitos políticos como consequência da condenação criminal

Leia mais

Propaganda Eleitoral. Eduardo Buzzinari Ribeiro de Sá 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS ESPÉCIES DE PROPAGANDA POLÍTICA

Propaganda Eleitoral. Eduardo Buzzinari Ribeiro de Sá 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS ESPÉCIES DE PROPAGANDA POLÍTICA Série Aperfeiçoamento de Magistrados 7 Curso: 1º Seminário de Direito Eleitoral: Temas Relevantes para as Eleições de 2012 Propaganda Eleitoral 85 Eduardo Buzzinari Ribeiro de Sá 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Leia mais

ELEIÇÕES LIMPAS : CONTRA O FINANCIAMENTO PRIVADO E EM DEFESA DO FINANCIAMENTO DEMOCRÁTICO DE CAMPANHA

ELEIÇÕES LIMPAS : CONTRA O FINANCIAMENTO PRIVADO E EM DEFESA DO FINANCIAMENTO DEMOCRÁTICO DE CAMPANHA ELEIÇÕES LIMPAS : CONTRA O FINANCIAMENTO PRIVADO E EM DEFESA DO FINANCIAMENTO DEMOCRÁTICO DE CAMPANHA O atual sistema político brasileiro está viciado. Abre caminho para a corrupção eleitoral e para uma

Leia mais

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador VALDIR RAUPP

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador VALDIR RAUPP PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 441, de 2012, do Senador Romero Jucá, que altera a redação dos art. 8º,

Leia mais

A LUTA DOS JUÍZES PELA ÉTICA NA POLÍTICA

A LUTA DOS JUÍZES PELA ÉTICA NA POLÍTICA A LUTA DOS JUÍZES PELA ÉTICA NA POLÍTICA APRESENTAÇÃO O financiamento das campanhas eleitorais tem sido, até hoje, matéria por poucos conhecida, restrita em grande medida aos órgãos julgadores, à classe

Leia mais

Antes do registro do candidato. Registro do candidato. Arrecadação e gasto de recursos. Campanha. Eleição. Prestação de contas

Antes do registro do candidato. Registro do candidato. Arrecadação e gasto de recursos. Campanha. Eleição. Prestação de contas 1 Antes do registro do candidato 2 Registro do candidato 3 Arrecadação e gasto de recursos 4 Campanha 5 Eleição 6 Prestação de contas Governo do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin Secretaria de Planejamento

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL LEI Nº 11.300, DE 10 DE MAIO DE 2006 Dispõe sobre propaganda, financiamento e prestação de contas das despesas com campanhas eleitorais, alterando a Lei n o 9.504, de 30

Leia mais

Pode. Alto-falantes ou amplificadores de som. Pode

Pode. Alto-falantes ou amplificadores de som. Pode O Tribunal Superior Eleitoral publicou a Resolução nº 23.404/14, com as regras sobre propaganda eleitoral a serem seguidas nas eleições de 2014. Estão relacionados abaixo os tipos de propaganda mais comuns

Leia mais

de 2014, em todo o Brasil.

de 2014, em todo o Brasil. ELEIÇÕES GERAIS Votação acontece em 5 de outubro de 2014, em todo o Brasil. AS BASES DO DIREITO ELEITORAL Constituição da República Arts. 1º, V, 5º, 14-17, 118-121, 220 e outros; Código Eleitoral (Lei

Leia mais

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador VALDIR RAUPP

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador VALDIR RAUPP PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre o Substitutivo da Câmara dos Deputados ao Projeto de Lei do Senado nº 441, de 2012 (nº 6.397, de 2013, na Câmara dos Deputados),

Leia mais

Guia de leitura. Direitos Políticos

Guia de leitura. Direitos Políticos Guia de leitura 1. Questões separadas por assuntos e temas específicos, possibilitando o leitor identificar as questões de modo fácil e prático (basta consultar o sumário). Capítulo I Direitos Políticos

Leia mais

DIREITOS FUNDAMENTAIS: NACIONALIDADE E DIREITOS POLÍTICOS

DIREITOS FUNDAMENTAIS: NACIONALIDADE E DIREITOS POLÍTICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS: NACIONALIDADE E DIREITOS POLÍTICOS Título II: Dos Direitos e Garantias Fundamentais Capítulo I: Dos Direitos e Deveres Individuais e Coletivos (art. 5º) Capítulo II: Dos Direitos

Leia mais

3. PROCESSO: CONCEITO E FINALIDADE... 27 3.1. Processo eleitoral e seu caráter público... 27 3.2. Processo coletivo... 28

3. PROCESSO: CONCEITO E FINALIDADE... 27 3.1. Processo eleitoral e seu caráter público... 27 3.2. Processo coletivo... 28 STF00094716 Sumório 1. DIREITO ELEITORAL................. 19 2. PROCESSO ELEITORAL................ 25 3. PROCESSO: CONCEITO E FINALIDADE............... 27 3.1. Processo eleitoral e seu caráter público......

Leia mais

Condutas vedadas aos agentes públicos em período

Condutas vedadas aos agentes públicos em período 1 de 7 15/7/2014 16:51 Este texto foi publicado no site Jus Navigandi no endereço http://50.116.32.46:8081/artigos/27311 Para ver outras publicações como esta, acesse http://jus.com.br Condutas vedadas

Leia mais

A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008. Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho

A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008. Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008 Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho Propaganda Institucional Definição: é a publicidade destinada a divulgar os atos, programas, obras,

Leia mais

ASPECTOS DA LEGISLAÇÃO ELEITORAL SOBRE PROPAGANDA ELEITORAL

ASPECTOS DA LEGISLAÇÃO ELEITORAL SOBRE PROPAGANDA ELEITORAL ENCONTRO NACIONAL DE COMUNICAÇÃO DO PCdoB - Eleições 2010 ASPECTOS DA LEGISLAÇÃO ELEITORAL SOBRE PROPAGANDA ELEITORAL Paulo Machado Guimarães Advogado e Assessor Jurídico da Direção Nacional do PCdoB e

Leia mais

Reforma Política Democrática Eleições Limpas 13 de janeiro de 2015

Reforma Política Democrática Eleições Limpas 13 de janeiro de 2015 Reforma Política Democrática Eleições Limpas 13 de janeiro de 2015 A Coalizão é uma articulação da sociedade brasileira visando a uma Reforma Política Democrática. Ela é composta atualmente por 101 entidades,

Leia mais

Domicílio eleitoral de deputado federal: possibilidade de concorrer por outra unidade da Federação

Domicílio eleitoral de deputado federal: possibilidade de concorrer por outra unidade da Federação Domicílio eleitoral de deputado federal: possibilidade de concorrer por outra unidade da Federação MIRIAM CAMPELO DE MELO AMORIM Consultora Legislativa da Área I Direito Constitucional, Eleitoral, Municipal,

Leia mais

LEI DOS PARTIDOS POLÍTICOS (Lei n. 9.096/95)

LEI DOS PARTIDOS POLÍTICOS (Lei n. 9.096/95) - Partido Político: pessoa jurídica de direito privado, destinada a assegurar, no interesse democrático, a autenticidade do sistema representativo e a defender os direitos fundamentais definidos na CF.

Leia mais

Como Funcionam as Eleições Municipais. Penas de crimes eleitorais. candidato, penalizada de acordo com o art. 39, 5º da Lei 9.504/97.

Como Funcionam as Eleições Municipais. Penas de crimes eleitorais. candidato, penalizada de acordo com o art. 39, 5º da Lei 9.504/97. 35 candidato, penalizada de acordo com o art. 39, 5º da Lei 9.504/97. Guia do Eleitor Calendário Eleitoral A distribuição de qualquer tipo de propaganda eleitoral, como santinhos ou panfletos, punível

Leia mais

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL ELEIÇÕES GERAIS 2014 LEGISLAÇÃO E RESOLUÇÕES DO TSE

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL ELEIÇÕES GERAIS 2014 LEGISLAÇÃO E RESOLUÇÕES DO TSE JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL ELEIÇÕES GERAIS 2014 LEGISLAÇÃO E RESOLUÇÕES DO TSE PORTO ALEGRE 2014 COMPOSIÇÃO DO PLENO PRESIDENTE Dessembargadora Elaine Harzheim

Leia mais

REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016

REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016 REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016 Dr. Felipe Ferreira Lima Diretor do Instituto Egídio Ferreira Lima 1. Introdução: O debate sobre a Reforma Política no Brasil 2. Registro de Candidatura

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação 2007/1 ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES Disciplina: DIREITO ELEITORAL E PARTIDÁRIO Curso: DIREITO Código CR PER Co-Requisito Pré-Requisito

Leia mais

Você está recebendo a Cartilha Eleitoral 2014, elaborada pela Abert para orientar a conduta do radiodifusor durante o período eleitoral.

Você está recebendo a Cartilha Eleitoral 2014, elaborada pela Abert para orientar a conduta do radiodifusor durante o período eleitoral. Cartilha Eleitoral 2014 Caro Associado da ABERT, Você está recebendo a Cartilha Eleitoral 2014, elaborada pela Abert para orientar a conduta do radiodifusor durante o período eleitoral. O desconhecimento

Leia mais

A mais um CURSO realizado pela

A mais um CURSO realizado pela A mais um CURSO realizado pela Aqui tem qualificação de Verdade! CONTROLE INTERNO Reforma Política: o que podemos melhorar? Dr. Luiz Fernando Pereira PERÍODO 09h00 X 12h00 09/12/2015 15h às 17h Por gentileza

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6/2013 (ELEIÇÕES-IBDFAM) ADITIVO

RESOLUÇÃO Nº 6/2013 (ELEIÇÕES-IBDFAM) ADITIVO RESOLUÇÃO Nº 6/2013 (ELEIÇÕES-IBDFAM) ADITIVO Dispõe sobre os procedimentos, critérios, condições de elegibilidade, normas de campanha eleitoral e pressupostos de proclamação dos eleitos nas eleições do

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO Nº 23.341*

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO Nº 23.341* TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO Nº 23.341* INSTRUÇÃO Nº 933-81.2011.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Arnaldo Versiani Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Calendário

Leia mais

R E P Ú B A A R A B O

R E P Ú B A A R A B O R E L F SI L P Ú B IC 15 de Novembro A ED ERATIV A D d B O R A e 1889 Fortaleza 2004 C 2004,Tribunal Regional Eleitoral do Ceará Rua Jaime Benévolo, 21 - Centro CEP 60.050-080 Fortaleza- Ceará PABX (00xx85)

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 23.341 INSTRUÇÃO Nº 933-81.2011.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº 23.341 INSTRUÇÃO Nº 933-81.2011.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 23.341 INSTRUÇÃO Nº 933-81.2011.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Arnaldo Versiani Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Calendário Eleitoral. Eleições de

Leia mais

PROPAGANDA ELEITORAL

PROPAGANDA ELEITORAL PROPAGANDA ELEITORAL Katherine Schreiner katherine@eleitoralbrasil.com.br http://www.eleitoralbrasil.com.br Propaganda Política A expressão propaganda política é empregada para significar, em síntese,

Leia mais

3. Segundo a legislação partidária, no que se refere à filiação partidária, DIREITO ELEITORAL

3. Segundo a legislação partidária, no que se refere à filiação partidária, DIREITO ELEITORAL DIREITO ELEITORAL 1. Com base na Lei n.º 9.504/1997, que estabelece normas para as eleições, assinale a opção correta. a) Tanto durante a propaganda para eleição proporcional como durante a propaganda

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 23.450 INSTRUÇÃO Nº 525-51.2015.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº 23.450 INSTRUÇÃO Nº 525-51.2015.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 23.450 INSTRUÇÃO Nº 525-51.2015.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Gilmar Mendes Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Calendário Eleitoral (Eleições de 2016).

Leia mais

Prestação de Contas Eleitoral. Flávio Ribeiro de Araújo Cid Consultor Eleitoral

Prestação de Contas Eleitoral. Flávio Ribeiro de Araújo Cid Consultor Eleitoral Prestação de Contas Eleitoral Flávio Ribeiro de Araújo Cid Consultor Eleitoral Janeiro de 2006 ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ACERCA DA PRESTAÇÃO DE CONTAS PARA AS ELEIÇÕES DE 2006 Trata-se de um tema revestido

Leia mais

2012/ Ao presidente do partido e ao juiz eleitoral

2012/ Ao presidente do partido e ao juiz eleitoral 2012/2014 2016 20/07 a 05/08 Data das Convenções Partidárias 10/06 a 30/06 (Art. 8º da Lei nº. 9.504/97 e 93, 2º da Lei 4.737/65) Prazo de filiação partidária Comunicação de desfiliação partidária Janela

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

RESOLUÇÃO Nº TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº xxxx CLASSE 19ª BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Dispõe sobre a arrecadação de recursos financeiros de campanha eleitoral por cartões de crédito O Tribunal Superior

Leia mais

Financiamento de Campanhas Eleitorais. Brasília - DF 09/10/2014

Financiamento de Campanhas Eleitorais. Brasília - DF 09/10/2014 Financiamento de Campanhas Eleitorais Brasília - DF 09/10/2014 Democracia representativa Direito de votar e ser votado Financiamento de campanhas Financiamento de campanhas Nº Nome Partido Receitas 21

Leia mais

MANUAL DE CANDIDATURA DE GRUPOS DE CIDADÃOS ELEITORES

MANUAL DE CANDIDATURA DE GRUPOS DE CIDADÃOS ELEITORES MANUAL DE CANDIDATURA DE GRUPOS DE CIDADÃOS ELEITORES ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS 2013 Elaborado com base na legislação atualmente em vigor * * Lei Eleitoral dos Órgãos das Autarquias Locais, aprovada pela Lei

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais. ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos)

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais. ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos) CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos) 1. O povo exerce o poder político através do sufrágio universal,

Leia mais

ELEGIBILIDADE E FILIAÇÃO PARTIDÁRIA DE MILITARES

ELEGIBILIDADE E FILIAÇÃO PARTIDÁRIA DE MILITARES ESTUDO ELEGIBILIDADE E FILIAÇÃO PARTIDÁRIA DE MILITARES Sérgio Fernandes Senna Pires Consultor Legislativo da Área XVII Segurança Pública e Defesa Nacional Miriam Campelo de Melo Amorim Consultora Legislativa

Leia mais

Prefácio 11 Introdução 13

Prefácio 11 Introdução 13 Sumário Prefácio 11 Introdução 13 1. Contextualização: Internet, redes sociais sob a ótica da responsabilidade jurídica e o Marco Civil da Internet 17 1.1 A regulamentação jurídica da internet 19 1.1.1

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROMOTOR ELEITORAL DA CIRCUNSCRIÇÃO ELEITORAL DE JARAGUÁ DO SUL SANTA CATARINA.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROMOTOR ELEITORAL DA CIRCUNSCRIÇÃO ELEITORAL DE JARAGUÁ DO SUL SANTA CATARINA. EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROMOTOR ELEITORAL DA CIRCUNSCRIÇÃO ELEITORAL DE JARAGUÁ DO SUL SANTA CATARINA. ALMIRO ANTUNES FARIAS FILHO, brasileiro, casado, representante comercial, portador da carteira

Leia mais

agente público no período eleitoral o que pode e o que não pode

agente público no período eleitoral o que pode e o que não pode agente público no período eleitoral o que pode e o que não pode Governo do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional Julio Semeghini Fundação Prefeito Faria

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 6.996, DE 7 DE JUNHO MAIO DE 1982. Dispõe sobre a utilização de processamento eletrônico de dados nos serviços eleitorais e

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 1.311, DE 2013

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 1.311, DE 2013 COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 1.311, DE 2013 Redação final do Projeto de Lei do Senado nº 441, de 2012 (nº 6.397, de 2013, na Câmara dos Deputados). A Comissão Diretora apresenta a redação final do Projeto

Leia mais

agente público nas eleições de 2014 o que pode e o que não pode

agente público nas eleições de 2014 o que pode e o que não pode agente público nas eleições de 2014 o que pode e o que não pode Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional Fundação Prefeito Faria Lima Cepam Centro de Estudos

Leia mais

DIREITO ELEITORAL. UNIDADE 1 Direito Eleitoral Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15/07/1965)

DIREITO ELEITORAL. UNIDADE 1 Direito Eleitoral Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15/07/1965) DIREITO ELEITORAL SUMÁRIO UNIDADE 1 Direito Eleitoral Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15/07/1965) UNIDADE 2 Órgãos da Justiça Eleitoral (TSE, TREs, Juízes Eleitorais e Juntas Eleitorais) 2.1 Composição

Leia mais

Inelegibilidades. Renata Oliveira Soares 1 CONCEITO NATUREZA JURÍDICA

Inelegibilidades. Renata Oliveira Soares 1 CONCEITO NATUREZA JURÍDICA 274 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 7 Curso: 1º Seminário de Direito Eleitoral: Temas Relevantes para as Eleições de 2012 Inelegibilidades Renata Oliveira Soares 1 CONCEITO É o impedimento ao exercício

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº, DE 2013

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº, DE 2013 COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº, DE 2013 Redação final do Substitutivo ao Projeto de Lei do Senado nº 441, de 2012. A Comissão Diretora apresenta a redação final do Substitutivo ao Projeto de Lei do Senado

Leia mais

Inelegibilidade: A Questão das Doações de Campanha nas Eleições 2010

Inelegibilidade: A Questão das Doações de Campanha nas Eleições 2010 Inelegibilidade: A Questão das Doações de Campanha nas Eleições 2010 27 André Fernandes Arruda 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho pretende abordar o tema da aplicação da pena de inelegibilidade nas representações

Leia mais

MEDIDA: RESPONSABILIZAÇÃO DOS PARTIDOS POLÍTICOS E CRIMINALIZAÇÃO DO CAIXA 2

MEDIDA: RESPONSABILIZAÇÃO DOS PARTIDOS POLÍTICOS E CRIMINALIZAÇÃO DO CAIXA 2 MEDIDA: RESPONSABILIZAÇÃO DOS PARTIDOS POLÍTICOS E CRIMINALIZAÇÃO DO CAIXA 2 16ª P R O P O S T A L E G I S L A T I V A ANTEPROJETO DE LEI Altera a Lei 9.096/95 para prevê a responsabilização dos partidos

Leia mais

NORMAS E REGULAMENTOS

NORMAS E REGULAMENTOS NORMAS E REGULAMENTOS Lei nº 9.096/1995; Lei nº 9.504/1997; Resolução TSE nº 23.406/2014; Comunicado BACEN nº 25.091/2014; IN Conjunta RFB/TSE nº 1.019/2010. REQUISITOS PARA ARRECADAR E REALIZAR GASTOS

Leia mais

Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais

Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais Bases legais Constituição Federal Lei das Eleições (Lei 9.504/97) Lei das Inelegibilidades (LC 64/90) Código Eleitoral Resoluções do TSE Finalidade da Legislação

Leia mais

PERDA E SUSPENSÃO DE DIREITOS POLÍTICOS. Atualizado em 31/03/2008

PERDA E SUSPENSÃO DE DIREITOS POLÍTICOS. Atualizado em 31/03/2008 PERDA E SUSPENSÃO DE DIREITOS POLÍTICOS. Atualizado em 31/03/2008 Otávio Piva Nos termos do art. 15, a Constituição da República veda a cassação de direitos políticos, expondo em seus incisos as formas

Leia mais

ÍNDICE. Cargos em disputa... 2. Condições de elegibilidade... 2. Convenções partidárias... 3. Coligações partidárias... 4. Número dos candidatos...

ÍNDICE. Cargos em disputa... 2. Condições de elegibilidade... 2. Convenções partidárias... 3. Coligações partidárias... 4. Número dos candidatos... ÍNDICE Cargos em disputa... 2 Condições de elegibilidade... 2 Convenções partidárias... 3 Coligações partidárias... 4 Número dos candidatos... 5 Candidatura avulsa... 6 Pedido de registro... 6 Documentos...

Leia mais

Organização e competência da Justiça Eleitoral

Organização e competência da Justiça Eleitoral Organização e competência da Justiça Eleitoral Rogério Carlos Born STF Conselho Nacional Justiça Justiça Comum Crime Político Justiça Especial STJ TST TSE STM Delegação TRF Varas Federais TJM (SP, MG,

Leia mais

PHS SP. 1º Curso de Marke.ng Polí.co. I - Aspectos Legais da pré- campanha

PHS SP. 1º Curso de Marke.ng Polí.co. I - Aspectos Legais da pré- campanha 1º Curso de Marke.ng Polí.co I - Aspectos Legais da pré- campanha Palestrante: Dra. Patricia Brasil Especialista em Direito Eleitoral pela EJEP Escola Eleitoral Paulista do TER/SP Especialista em Direito

Leia mais

1. As eleições do PEDEX 2011 serão realizadas em todo o Paraná no dia 28 de agosto de 2011 das 9 às 17 horas.

1. As eleições do PEDEX 2011 serão realizadas em todo o Paraná no dia 28 de agosto de 2011 das 9 às 17 horas. ORIENTAÇÕES AOS MUNICÍPIOS, SOBRE O PEDEX 2011 PROCESSO DE ELEIÇÕES DIRETAS EXTRAORDINÁRIAS 2011 I- NORMAS GERAIS DAS ELEIÇÕES 1. As eleições do PEDEX 2011 serão realizadas em todo o Paraná no dia 28 de

Leia mais

OUTUBRO DE 2013 5 de outubro - sábado (1 ano antes)

OUTUBRO DE 2013 5 de outubro - sábado (1 ano antes) Resolução TSE nº 23.390 Calendário Eleitoral - Eleições 2014 TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO Nº 23.390 INSTRUÇÃO N 269.79.2013.6.00.0000 - CLASSE 19 - BRASíLIA - DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro

Leia mais

Cartilha VOTE CONSCIENTE VOTE BEM

Cartilha VOTE CONSCIENTE VOTE BEM Cartilha VOTE VOTE BEM CONSCIENTE O mês de outubro marca a escolha de quem estará, durante os próximos anos, à frente do poder no Brasil. É um dos momentos mais significativos, pois é a hora de o brasileiro

Leia mais

Perguntas frequentes

Perguntas frequentes Perguntas frequentes Brasília 2013 Perguntas frequentes Brasília 2013 2013 Tribunal Superior Eleitoral É proibida a reprodução total ou parcial desta obra sem a autorização expressa dos autores. Secretaria

Leia mais

LIMITE DE GASTOS. Cada partido deve fixar o limite de gastos a ser observado, por candidatura(caso Lei não faça)

LIMITE DE GASTOS. Cada partido deve fixar o limite de gastos a ser observado, por candidatura(caso Lei não faça) Prestação de Contas Eleitoral: Legislação x Prática Contador Ruberlei Bulgarelli Julho 2012 LIMITE DE GASTOS Cada partido deve fixar o limite de gastos a ser observado, por candidatura(caso Lei não faça)

Leia mais

Por dentro daseleições CALENDÁRIO, REGRAS E ATUAÇÃO DO MPF

Por dentro daseleições CALENDÁRIO, REGRAS E ATUAÇÃO DO MPF Por dentro daseleições 2014 CALENDÁRIO, REGRAS E ATUAÇÃO DO MPF Por dentro daseleições 2014 CALENDÁRIO, REGRAS E ATUAÇÃO DO MPF Procurador-Geral Eleitoral Rodrigo Janot Monteiro de Barros Vice-Procurador-Geral

Leia mais

Comissão Eleitoral Nacional (CEN)

Comissão Eleitoral Nacional (CEN) ORIENTAÇÕES ACERCA DO REGISTRO DE CANDIDATURA DE CHAPA MÓDULO ELEITORAL DO CAU/BR ATÉ A DATA DA ELEIÇÃO 5 DE NOVEMBRO DE 2014. Neste ano o CAU promove eleições para escolher os conselheiros federais e

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº xx.xxx INSTRUÇÃO Nº 952-19.2013.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº xx.xxx INSTRUÇÃO Nº 952-19.2013.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº xx.xxx INSTRUÇÃO Nº 952-19.2013.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Dias Toffoli Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Dispõe sobre pesquisas eleitorais para

Leia mais

RESOLUÇÃO TSE 23.276 DAS DOAÇÕES

RESOLUÇÃO TSE 23.276 DAS DOAÇÕES RESOLUÇÃO TSE 23.276 DAS DOAÇÕES As doações poderão ser realizadas por pessoas físicas ou jurídicas em favor do candidato, comitê financeiro e/ou partido político, mediante (art.22): I cheques cruzados

Leia mais

Cada passo, desde o início do Calendário Eleitoral, até o dia da posse, deve ser dado pelo

Cada passo, desde o início do Calendário Eleitoral, até o dia da posse, deve ser dado pelo APRESENTAÇÃO CANDIDATURA VITORIOSA Com a experiência de ter participado em todas as eleições acontecidas desde o ano de 1986, coordenando ou disputando eleições, de haver presenciado vitórias e derrotas

Leia mais

DISPOSIÇÕES GERAIS. LEI N. 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997 Estabelece normas para as eleições. Art. 1º. Art. 2º. Art. 3º

DISPOSIÇÕES GERAIS. LEI N. 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997 Estabelece normas para as eleições. Art. 1º. Art. 2º. Art. 3º LEI N. 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997 Estabelece normas para as eleições. O VICE PRESIDENTE DA REPÚBLICA no exercício do cargo de PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e

Leia mais

Charleston Reis Coutinho é bacharel em direito pelo UNICEUB e especialista em direito administrativo pela Universidade Católica de Brasília.

Charleston Reis Coutinho é bacharel em direito pelo UNICEUB e especialista em direito administrativo pela Universidade Católica de Brasília. 2007 Curso sobre Gestão de Pessoal (Novembro) Instrutores: Dr. Inácio Magalhães Filho, Procurador do Ministério Público junto ao TCDF Dr.Charleston Reis Coutinho, Assessor da Vice-Presidência do TJDFT.

Leia mais

expert PDF Trial Prestação de Contas Eleitorais Res. 23.406/14 TSE Setembro 2014 Elaborado por: Grupo de Trabalho CRC SP

expert PDF Trial Prestação de Contas Eleitorais Res. 23.406/14 TSE Setembro 2014 Elaborado por: Grupo de Trabalho CRC SP Palestra Prestação de Contas Eleitorais Res. 23.406/14 TSE Elaborado por: Grupo de Trabalho CRC SP Prestação de Contas Eleitorais A reprodução total ou parcial, bem como a reprodução de apostilas a partir

Leia mais

Edital nº 01/2014 Abre período para inscrições ao Processo Eleitoral Suplementar para Cargos de Suplência do Conselho Tutelar de Mariano Moro/RS.

Edital nº 01/2014 Abre período para inscrições ao Processo Eleitoral Suplementar para Cargos de Suplência do Conselho Tutelar de Mariano Moro/RS. Edital nº 01/2014 Abre período para inscrições ao Processo Eleitoral Suplementar para Cargos de Suplência do Conselho Tutelar de Mariano Moro/RS. A Comissão Eleitoral do COMDICAMM de Mariano Moro-RS, no

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO -UFPE CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM DIREITO. Luiz Viana Queiroz

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO -UFPE CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM DIREITO. Luiz Viana Queiroz LUIZ VIANA QUEIROZ DIREITOS POLÍTICOS COMO DIREITOS HUMANOS: Impacto no Direito Eleitoral Brasileiro da Incorporação da Convenção Americana de Direitos Humanos Recife 2002 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

Leia mais

PONTO DOS CONCURSOS CURSO: DIREITO ELEITORAL - TEORIA E EXERCÍCIOS TREs. 3º Simulado de Direito Eleitoral para TREs. PROFESSOR: RICARDO GOMES AVISOS:

PONTO DOS CONCURSOS CURSO: DIREITO ELEITORAL - TEORIA E EXERCÍCIOS TREs. 3º Simulado de Direito Eleitoral para TREs. PROFESSOR: RICARDO GOMES AVISOS: AVISOS: 1. Os Simulados de Direito Eleitoral para TREs serão com base em Provas da FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC); 2. Estamos ministrando o CURSO DE DIREITO ELEITORAL para TREs Teoria e Exercícios, iniciado

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL DE PERNAMBUCO

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL DE PERNAMBUCO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL DE PERNAMBUCO REF.: REPRESENTAÇÃO N.º 717/2006 CLASSE 16 REPRESENTANTE: PARTIDO DOS TRABALHADORES - PT REPRESENTADO: PARTIDO SOCIAL DA DEMOCRACIA

Leia mais

Palestra: Prestação de Contas Eleitoral. Atila Pedroso de Jesus Conselheiro do CRC MT

Palestra: Prestação de Contas Eleitoral. Atila Pedroso de Jesus Conselheiro do CRC MT Palestra: Prestação de Contas Eleitoral Atila Pedroso de Jesus Conselheiro do CRC MT LEGISLAÇÃO APLICÁVEL: Lei n. 9.504, de 30 de setembro de 1997: - Código Eleitoral (dispõe normas para eleição). Lei

Leia mais

Lei dos Partidos Políticos

Lei dos Partidos Políticos Lei dos Partidos Políticos Lei Orgânica n.º 2/2003, de 22 de Agosto, com as alterações introduzidas pela Lei Orgânica n.º 2/2008, de 14 de Maio 1 A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea

Leia mais

Edital 001/2015-CMDCA

Edital 001/2015-CMDCA Edital 001/2015-CMDCA 1. DO PROCESSO DE ESCOLHA UNIFICADO 1.1- O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) do Município de Senador Canedo torna público que realizará Processo

Leia mais

Obrigações Eleitorais

Obrigações Eleitorais Obrigações Eleitorais Votação no Catar Inscrição eleitoral para residentes no Catar Documentação necessária para inscrição eleitoral no Catar Transferência do título de eleitor para o Catar Documentação

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO ELEITORAL

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO ELEITORAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO ELEITORAL ÁREA DO CONHECIMENTO Direito. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em DIREITO ELEITORAL AMPARO LEGAL E PORTARIA DO MEC O curso atende

Leia mais

Instrução n o 126. Brasília DF

Instrução n o 126. Brasília DF Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Instrução n o 126 Resolução n o 23.089 Brasília DF Calendário Eleitoral (Eleições de 2010). O Tribunal Superior Eleitoral, usando das atribuições que lhe conferem o

Leia mais

LEGISLAÇÃO ELEITORAL

LEGISLAÇÃO ELEITORAL LEGISLAÇÃO ELEITORAL - Lei n. 4.737/65(Código Eleitoral) - Lei Complementar n. 64/90(Lei das Inelegibilidades) - Lei n. 9.096/95(Lei dos Partidos Políticos) - Lein.9504/97(LeidasEleições) Normas antigas

Leia mais

DIREITOS POLÍTICOS. Nacionalidade não se confunde com cidadania.

DIREITOS POLÍTICOS. Nacionalidade não se confunde com cidadania. DIREITOS POLÍTICOS 1.- CONCEITO PEDRO POLITANO NETO 30/06/2004 É o conjunto de normas que disciplina a atuação da soberania popular, constituindo-se em desdobramento do princípio democrático inscrito no

Leia mais

SUMÁRIO. Nota do autor... 9 Apresentação e estrutura do livro... 11 Lista de Abreviaturas de Termos Processuais e Legais... 13

SUMÁRIO. Nota do autor... 9 Apresentação e estrutura do livro... 11 Lista de Abreviaturas de Termos Processuais e Legais... 13 SUMÁRIO Nota do autor... 9 Apresentação e estrutura do livro... 11 Lista de Abreviaturas de Termos Processuais e Legais... 13 Parte I DIREITO MATERIAL... 17 Abuso do poder econômico... 17 Captação ilícita

Leia mais

INSTRUÇÕES DO TSE ELEIÇÕES 2010

INSTRUÇÕES DO TSE ELEIÇÕES 2010 INSTRUÇÕES DO TSE ELEIÇÕES 2010 Secretaria de Gestão da Informação Brasília 2010 Tribunal Superior Eleitoral Secretaria de Gestão da Informação Coordenadoria de Jurisprudência SAS Praça dos Tribunais Superiores,

Leia mais

INSTRUÇÕES DO TSE ELEIÇÕES 2010

INSTRUÇÕES DO TSE ELEIÇÕES 2010 INSTRUÇÕES DO TSE ELEIÇÕES 2010 SECRETARIA DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO BRASÍLIA 2010 Tribunal Superior Eleitoral Secretaria de Gestão da Informação Coordenadoria de Jurisprudência SAS Praça dos Tribunais Superiores,

Leia mais

SERVIDORES PÚBLICOS CONDUTAS VEDADAS EM ANO ELEITORAL RELATIVAS A

SERVIDORES PÚBLICOS CONDUTAS VEDADAS EM ANO ELEITORAL RELATIVAS A CONDUTAS VEDADAS EM ANO ELEITORAL RELATIVAS A SERVIDORES PÚBLICOS KLEIDE MARIA TENFFEN FIAMONCINI ADVOGADA DA AMAVI kleide@amavi.org.br / juridico@amavi.org.br O QUE VOCÊ AGENTE PÚBLICO NÃO PODE FAZER!!!

Leia mais