Memória do Jingle na Propaganda Mineira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Memória do Jingle na Propaganda Mineira"

Transcrição

1 Memória do Jingle na Propaganda Mineira NEHMY, Paulo José Ferreira, Mestre em Comunicação Social pela Universidade Presidente Antônio Carlos/ UNIPAC-MG. CARVALHO, Margareth Maria Mendes, Doutora em Psicologia Clínica, professora de Psicologia da Universidade Presidente Antônio Carlos/UNIPAC MG. Introdução No Brasil, há exemplos de esforço de recuperação e manutenção da história do jingle, o que pode ser visto em sites especializados em colecionar as melhores peças de produtoras fonográficas 1 e em centros de memória da propaganda 2, mas a coletânea em CD Jingles Inesquecíveis (VIEIRA, s/d) foi e ainda é o mais conhecido meio de conservação e divulgação de peças nacionais 3. O título da coletânea contempla os dois significados de mérito do anúncio do ponto de vista publicitário: a criatividade e a lembrança das pessoas. No entanto, são raras as iniciativas de preservação da memória do jingle, assim como dos anúncios em geral no nível regional (GARBOGGINI, 2007). Apesar da facilidade hoje disponível, de digitalização de imagens e sons, há pouco interesse das agências e de produtoras da área em sistematizar seus arquivos. Em relação ao jingle, a principal produtora de áudio de Belo Horizonte, o Studio HP, é uma exceção, mantendo acervo dos jingles ali gravados desde sua criação em meados de 1970 e de peças produzidas na empresa Bemol Produções Fonográficas, hegemônica no mercado publicitário na década anterior. A existência desse acervo viabilizou a pesquisa realizada que teve como objetivo registrar e analisar jingles criados e produzidos em Belo Horizonte, veiculados no rádio e na televisão, que marcaram a memória da 1 Como os sites do Clube do jingle (www.clubedojingle.com.br), Instituto Moreira Sales (IMS). Jingles antigos e gravações raras. Disponível em e de produtoras sonoras, como o Premier Studio (www.premierstudio.com.br). 2 O Clube de Criação de São Paulo (CCSP) é reconhecido como a melhor fonte documental da área, que privilegia, sobretudo, a criatividade e a originalidade das campanhas. Outro acervo importante é do Centro da Memória da Propaganda, em Porto Alegre. Além dos mais de 50 mil comerciais, tem em seu acervo uma biblioteca, um centro de documentação, uma filmoteca/videoteca, jingles, material de merchandising Com apoio da Rede Globo de Televisão todo seu acervo está sendo digitalizado (www.memoriadapropaganda.org.br). 3 A coletânea em CD Jingles Inesquecíveis foi patrocinada e distribuída para os diversos setores do mercado profissional pelo periódico Meio & Mensagem (www.meioemensagem.com.br), especializado em propaganda e marketing.

2 propaganda belo-horizontina e mineira 4 no período de 1960 a A seleção dos jingles foi feita com base em depoimentos de profissionais ligados à produção da propaganda fonográfica, atuantes no mercado local no período considerado. Esta seleção inicial foi complementada por busca direta no acervo do Studio HP de Belo Horizonte, visando preservar certa representatividade dos autores de jingles da época. Foi feita análise de conteúdo das peças fonográficas selecionadas, o que implica análise contextualizada pelas condições socioeconômicas e culturais e da linguagem própria do jingle que combina a letra e a música. Breve histórico do jingle O jingle moderno como forma de publicidade e propaganda de massa nasce com a difusão do rádio, o que acontece inicialmente nos Estados Unidos, onde a primeira emissora de rádio comercial entrou em funcionamento em Na versão mais aceita, o primeiro jingle foi criado em 1926 para um cereal matinal chamado Wheaties e cantado por um quarteto vocal. O produto, com índices de venda e popularidade baixos, estava ameaçado de extinção. Apesar de a propaganda direta no rádio não ser ainda permitida, na canção, os cantores indiretamente anunciavam o produto, perguntando aos ouvintes se eles alguma vez tinham experimentado o cereal, de que ele era feito e o que Wheaties poderia fazer para agradar ao seu paladar. Nas áreas onde o jingle foi veiculado, as vendas começaram a ter grande crescimento e por causa desse sucesso passou a ter divulgação nacional. Wheaties transformou-se em um dos mais populares cereais do café da manhã nos Estados Unidos. (FAULKNER, LINCOLN, s/d). Os jingles atingiram o clímax comercial e artístico naquele país na década de 1950 e, na época, compositores populares famosos foram seus criadores As primeiras emissoras brasileiras de rádio apareceram em 1923 (TAVARES, 1999). Em 1932 surgiu a primeira legislação que permitia e regulamentava a veiculação de comerciais no rádio (BRASIL, 1932, p. 342). Logo em seguida, no mesmo ano, o programa de Ademar Casé na Rádio Philips, no Rio de Janeiro que tinha em sua equipe um grupo de compositores e letristas, entre eles Braguinha, Noel Rosa e Orestes 4 Como capital de Minas, Belo Horizonte irradiava sua influência por todo o Estado e muitos comerciais ali produzidos eram também veiculados nas rádios locais de outros municípios mineiros. 5 Esta pesquisa só foi possível porque havia um acervo particular de jingles conservados por Paulo Joel Bizarria, produtor fonográfico de Belo Horizonte, um afeiçoado da dimensão histórica de seu trabalho e da vida na cidade no que toca à propaganda sonora. Participante e testemunha das rápidas e intensivas mudanças tecnológicas da produção de som e dos suportes de mídia, ele guardou o material produzido fisicamente; e, nas suas lembranças, os acontecimentos que situavam cada peça produzida.

3 Barbosa começou a veicular os jingles. Em sessões de ritmo, os cantores e compositores improvisavam e cantavam os jingles ao vivo. O primeiro deles foi um fado composto para o Pão Bragança, uma padaria do Rio de Janeiro. A letra trazia o clima melodramático do fado português, uma alusão ao proprietário da padaria (SIMÕES, 1990). O primeiro jingle gravado em acetato em 1935 foi composto em São Paulo por Gilberto Martins para a Colgate-Palmolive e possibilitou a sua repetição nas emissoras, alcançando enorme repercussão popular. (TINHORÃO, 1981). A partir da segunda metade da década de 1940, os jingles, assim como os textos comerciais, passaram a ser gravados não só nas emissoras de rádio como era antes, mas também em estúdios especializados em criação e produção de peças fonográficas de publicidade e propaganda. Em 1950 a televisão chegou ao Brasil, com a inauguração da TV Tupi de São Paulo. O rádio sofreu grande impacto com o novo veículo, que ameaçou e acabou por tirar sua liderança como mass media. A criatividade no jingle O jingle faz parte de uma campanha de propaganda e por isso estão nele incorporadas todas as condicionantes desse campo de bens simbólicos, terreno para apelos persuasivos visando à compra/adesão a um produto ou idéia pelo uso de técnicas de convencimento. A persuasão se liga às noções de dominação, exercício de poder, coação (ainda que não explícita), como força que se opõe à verdade, ao que é racional e lógico e, portanto, confirma-se como condenável (BERLLENGER, 1987). Como diz Baudrillard (1995), um objeto nunca é consumido por seu valor de uso e sim como signo manipulável que deixa de estar ligado a uma função ou necessidade definida para, no campo da conotação, corresponder à outra coisa, se convertendo em mercadoria-signo. Essa transfiguração permite à publicidade operar com mais proeminência, explorando possibilidades, fixando imagens, atribuindo valores e significados numa constante produção e disseminação de bens simbólicos (CARVALHO, SANTOS, 2008). O objetivo de produzir uma consciência de necessidade, própria da comunicação persuasiva na propaganda, não teme explorar as subordinações da razão e da afetividade, do inconsciente e do imaginário. É por isso, adverte Berllenger (1987), que

4 os agentes persuasivos expostos à evidência, entre eles os publicitários (e também políticos e professores) são objeto de crítica e contestação. Na literatura de publicidade e propaganda a noção de criatividade não pressupõe um talento especial e não se a confunde com a arte. A circunscrição da definição de criatividade publicitária nos parâmetros das exigências mercadológicas de sensibilização do consumidor a coloca distante da espontaneidade e da intuição típicas da arte. É reconhecível pela capacidade de ser diferente, de chamar a atenção. Pragmaticamente a mensagem criativa deve convencer o consumidor, ou seja, é resultado de uma boa técnica profissional (VIEIRA, 2004, MARTINS, 1997, BARRETO, 1982). Contudo, as qualidades e habilidades dos profissionais envolvidos na criação da peça, na maioria das vezes músicos, letristas e compositores, fazem com que, muitas vezes, além de ela se transformar na peça chave de uma campanha de propaganda, passe a ser considerada uma canção marcante, integrada à memória do mundo publicitário e popular. Há outros elementos que, mesmo dentro do discurso publicitário, provocam a imaginação das pessoas e oferecem algo de inusitado. A peça criativa, além de poder promover a venda e ser eficiente função principal proporciona um espaço de fruição para o seu leitor. Convida-o a uma leitura diferenciada; talvez inovadora, talvez engraçada, talvez transgressora, mas a uma leitura outra, diferente da leitura possível da peça que é resultante somente do processo de produção (KOWARICK, 2003). 6 Esta é a perspectiva que se adota na avaliação dos jingles inesquecíveis da revista Meio & Mensagem. Não são necessariamente os mais eficientes em termos de sucesso de venda do produto anunciado, mas que atendem ao critério, como diz Kovarick (2003), da fruição. Esta é a estratégia adotada na análise e discussão dos jingles selecionados como os mais marcantes nesta pesquisa, buscando-se destacar aquilo que justifica a sua própria escolha. Os jingles mineiros marcantes Nos anos 1960, quando os comerciais de áudio começaram a ser produzidos em estúdio especializado de Belo Horizonte, particularmente na produtora de áudio Bemol, a mais importante da época, os jingles de Celso Garcia, compositor mineiro de músicas 6 O site da revista é

5 de carnaval, foram os mais marcantes. As duas peças selecionadas para representar a década são de sua autoria: uma feita para uma grande loja popular de roupas, denominada Abdala e o outra para a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, na campanha Operação Nova BH-66. O clima carnavalesco está presente na melodia de marchinha e na mensagem do jingle de Celso para a loja de roupas 7 : O Abdala é fogo na roupa!/com ele ninguém pode./veja a fama que ele tem./eu não me chamo Abdala,/mas sou fogo na roupa também./o Abdala bota a roupa na fogueira,/mas é só de brincadeira,/e ninguém o leva a mal./ Eu também vou queimar a roupa,/vou sair é só de touca,/pra brincar no carnaval. Como se percebe, o nome da loja é transposto para o de uma pessoa, transmitindo uma familiaridade com o público alvo. Observa-se também o duplo sentido, próprio das letras das marchinhas de carnaval, nos versos mas sou fogo na roupa também e vou sair só de touca pra brincar no carnaval. É um exemplo de habilidade de captar o espírito libertino e libertário da festa que ele já demonstrava em suas músicas para o carnaval mineiro. A peça Nova BH da campanha para Prefeitura de Belo Horizonte tinha como símbolo um joão-de-barro. A campanha promovia as obras de construção, restauração e manutenção da cidade e procurava motivar as pessoas a participar, ajudando a preservar a cidade arrumada e limpa. A melodia do jingle mistura os gêneros bossa nova e, no final, marcha rancho, com a seguinte letra: Você vai colaborar com a Nova BH./ Ajude a embelezar sua Nova BH-66./ Os jardins estão florindo./ Tudo é novo e vai surgindo/ uma nova BH e assim.../ Belo Horizonte volta a ser/ a sua cidade jardim. Celso usa a metáfora de Belo Horizonte cidade-jardim como centro de sua mensagem, imagem que a cidade possuía e estava perdendo, associando-a, de modo inusitado, ao símbolo da campanha, o pássaro joão-de-barro, que naquele contexto significava obras e não flores. Dos anos de 1970, foram selecionados seis jingles 8 : um de circulação nacional, um de produto de preferência de setores mais altos das classes sociais locais; um jingle 7 Na gravação recuperada desse jingle, antes da versão definitiva veiculada no rádio e na TV, Celso revela seu estilo de gravar: primeiro cantarola o jingle, mostra o clima da peça e dá suas instruções para quem vai fazer o arranjo musical, informando inclusive o tom do canto.

6 singular para loja popular de objetos de casa e cozinha e três peças institucionais ligadas a importantes acontecimentos comerciais na cidade. O jingle para o Guaraná Antártica de José Guimarães, músico conhecido e respeitado na cidade como maestro embora não tivesse essa formação, foi criado para uma campanha nacional em rádio e TV. É interessante pontuar que, apesar do papel periférico de Belo Horizonte no contexto nacional da propaganda, um estúdio de Belo Horizonte foi escolhido para produzir o som da campanha de um produto nacional em um mercado extremamente competitivo, o de refrigerantes, dominado na época pelas marcas globalizadas Coca-Cola e Pepsi. A melodia escolhida seguia o ritmo de música jovem, com influência funk, adequado a um dos objetivos da campanha: O jeito jovem de viver a vida,/ com Guaraná Champagne Antártica./ Nos momentos quentes,/ Guaraná Antártica é que mata a sede./ É gostoso ser jovem./ Beba Guaraná Antártica./ É gostoso ser jovem./ Beba Guaraná Antártica.../ Quer? Esse jingle complementa campanhas anteriores que percorriam um caminho de identidade nacional pela ligação Guaraná com o Brasil. A distinção com os outros produtos do mesmo gênero foi potencializada pelo recurso de procurar transformá-lo em um produto jovem. Morais e Trindade (2008), comentando o jingle Pipoca com Guaraná de 1991, mostram o poder persuasivo do convite interativo ao receptor para a manutenção do canal construído, expresso nos versos Só eu e você e Que tal? daquela peça. Tal estrutura comunicativa já estava presente no jingle de José Guimarães, de duas décadas antes, que no final pergunta: Quer?, podendo estar se referindo tanto ao refrigerante quanto à atitude de ser jovem. A peça fonográfica do radialista Pedro Luiz, feita para o arroz Paranaíba, acompanhava o desenho animado no anúncio conhecido como Batalhão do Apetite. O filme mostra garotos marchando e cantando até a mesa de refeições, onde uma grande travessa mostrava um arroz soltinho e fumegante. O jingle tem a seguinte letra: Chegou o batalhão do apetite:/ Paulinho, Rosinha, Roberto e Judite./ Todos vão marchando para a mesa./ Ali está soltinho, branquinho, que beleza!/ Arroz Paranaíba valoriza a refeição./ Marchando para a mesa,/ vai cantando o batalhão./ Um, dois, feijão com arroz./ Arroz Paranaíba. 8 A presença de maior número de jingles de 1970 em relação aos outros períodos se deve ao fato de a década ter sido, em Belo Horizonte,a mais exuberante, em termos de produção de peças fonográficas de áudio.

7 A intenção da campanha, combinação de imagem e som na televisão, pretendia seduzir indiretamente as donas de casa através das crianças cantando uma canção infantil em ritmo de marchinha. O recurso de usar o refrão popular: um, dois, feijão com arroz...que faz parte do imaginário brasileiro infantil e também do adulto contribuiu para reter o anúncio com nitidez na memória do mineiro. Os formatos da campanha e do jingle sugerem o pressuposto da influência da criança na compra do produto. Já se constata na literatura que ela não somente escolhe e opina sobre a compra de produtos para consumo exclusivo, como também parece estar influenciando a escolha de produtos de alto envolvimento de todos da família (SILVA, AVANZI, SILVA, 2007). O maestro José Guimarães foi efetivamente um grande criador de jingle para a propaganda do varejo popular. A peça composta para a loja Lua de Mel é emblemática de seu estilo. Faz exortação às pessoas comuns, Maria e Manoel, a se apressarem para comprar louças, utilizando habilmente o duplo significado dos verbos levantar e acordar e da lua de mel, nome da loja e um estado romântico do casal. A música, estilo quadrilha das festas do interior de Minas, se adéqua ao background cultural do público alvo. Assim é a letra: Levanta Maria, acorda Manoel./ Vamos comprar louça na Lua de Mel./ A loja Lua de Mel é hoje uma tradição./ Vende peças e conserta sua panela de pressão./ Em louças e alumínios, só vende qualidade./ E o preço é o menor que existe na cidade./ Levanta Maria, acorda Manoel./ Vamos comprar louça na Lua de Mel. A peça institucional feita pelo músico e publicitário Paulo Nehmy para a mensagem de fim de ano da empresa telefônica Telemig foi o primeiro jingle produzido no recém inaugurado Studio HP de Belo Horizonte, em A letra e a música em ritmo de balada se juntam, provocando um clima de esperança e solidariedade. Esta é a mensagem do jingle: Não importa o que você perdeu ou ganhou./ Não importa se você sorriu ou chorou./ Não importa tudo o que se ouviu,/ o que se falou,/ nem o que se leu nos jornais./ O que importa é um tempo novo,/ começando agora,/ cheio de esperança./ Participe, irmão./ É hora de dar as mãos,/ que é tempo de Natal. Como se vê não há na letra qualquer menção à empresa anunciada. Entretanto, a peça ficou conhecida no mercado publicitário como o jingle de Natal da Telemig, pela repercussão que obteve junto aos publicitários e ao público em geral.

8 No final dos anos de 1970, chegou à cidade o primeiro Shopping Center, o BH Shopping, construído fora do perímetro urbano. Era algo muito novo para uma cidade com público tido como conservador. Por isso sua propaganda teria de ser bastante explícita e atrativa para motivar as pessoas a mudar seus hábitos de consumo, deslocando-se do comércio da cidade para fazer compras mais longe. A campanha previa uma canção estimulante; a melodia escolhida tem influência do som das discotecas, sugerindo também modernidade de comportamento. O jingle composto pelos músicos mineiros Marilton Borges e Paulo Nehmy, tem a seguinte letra: Shopping Center, maravilhoso lugar./ Tem 100 lojas pra tudo você comprar!/ Pras crianças, espaço e divertimento./ Não tem chuva, não tem calor e nem vento./ Shopping tem ônibus a todo momento,/ segurança e fácil estacionamento./ É por isso que todo mundo diz:/ é mais fácil e mais barato comprar no shopping! A mensagem expõe as facilidades do shopping, a concentração de lojas e a diversificação de produtos e serviços e apresenta um contraponto chave em relação comércio de rua, não tem chuva, não tem calor e nem vento. Para recuperar o prestígio da Savassi, bairro tradicional de lazer e compras das elites, ameaçado pela vinda dos shoppings para a cidade, implantou-se uma estratégia de marketing, patrocinada pela prefeitura e associação dos lojistas que incluía obras de melhoramento do local e uma campanha de propaganda. A estratégia foi bem sucedida e conseguiu captar um clima próprio de um nicho de comércio sofisticado e aprazível (como, por exemplo, Ipanema, no Rio de Janeiro). O jingle criado pelo músico Paulo Graça foi parte importante desse sucesso: Vamos lá, passeando na Savassi./ Charmosa, bonita, gostosa, um encanto,/nosso ponto de encontro!/ Na Savassi, a gente compra,/ a gente come, se diverte./ Tudo é mais bonito na Savassi!/ A Savassi é a Savassi, você sabe!/ Tudo é mais bonito na Savassi!/ Savassi. Da década de 1980 são apresentados dois jingles ligados a campanhas de varejo, um dirigido para um público específico de produtos veterinários e o outro para uma loja popular de conserto e venda de fogões.. A primeira peça, de composição do músico Eustáquio Sena, para a Araújo Agroveterinária é veiculada até hoje, em programas rurais de rádio de Minas. Para se entender a mensagem é preciso conhecer a estratégia de marketing da empresa. A

9 Araújo, farmácia com grande presença no comércio de medicamentos de Belo Horizonte, mantém, em suas duas lojas especializadas, atendimento de agrônomo e veterinário para o diagnóstico do problema, aviamento da receita e, claro, a compra ali mesmo dos produtos agrícolas e veterinários indicados. O jingle tem esta mensagem: Pra ver o gado vacinado, que beleza!/ Fazer capina pra limpar a plantação./colher o fruto que plantei com mais certeza./ Formar o pasto pra engordar a criação./ E faz pensar que me ajudou a vida inteira./ E faz cantar agradecido esta canção./ Foi na Araújo que aprendi essa receita./foi o doutor que me ensinou de coração./ Na Araújo aprendi essa certeza./ Foi o doutor da Araújo, sim senhor. Os elementos de comunicação, melodia sertaneja e mensagem testemunhal (depoimento) mostrando as vantagens de poder contar com um doutor para orientar o trabalho no campo, sem explicitar o objetivo imediato de venda, contribuem para o sucesso da campanha e justificam a permanência do jingle no ar. A segunda peça, o jingle da loja de venda e conserto de fogões, SOS dos Fogões, composto por Paulão Oliveira, publicitário e músico, foi um dos mais conhecidos da época: Pergunta pro seu João,/ pergunta pra todo o povão,/ em caso de preço e serviço,/ SOS é que entende de fogão./ O SOS é uma boa:/ tem preço mais baixo e garantia total./ E facilita pra gente ficar bem contente./sos é legal!/ Pergunta pro seu João,/ pergunta pra todo o povão,/ em prazo, preço e serviço/ SOS é que entende de fogão. O uso do modo de falar popular, tomando o povão como avalista da qualidade e preço dos produtos e serviços da loja, em sincronia com a música rancheira cantada por dupla caipira, conseguiu, sem apelar para o lado caricato, cair no gosto do público a que se dirigia. Os próprios publicitários costumam dizer que essa peça reabilitou a propaganda da loja. Na década de 1990 destacam-se três peças fonográficas: uma para outro shopping inaugurado na cidade, a segunda para uma revendedora de automóveis e a terceira, para a empresa distribuidora de energia, de caráter educativo. A peça feita para o Shopping Del Rey de autoria de Paulo Nehmy constitui um exemplo referendado pelo público de que muitas vezes o que fica de uma campanha é o jingle, conforme proclamava o pioneiro produtor de jingles brasileiro José Scatena (1951).

10 O Shopping elaborou campanha com o objetivo de divulgar sua marca enfatizando a modernidade de sua concepção, formas e espaço, que o colocava à frente dos demais e oferecia maior programação de diversão e lazer. O jingle elaborado valorizava esses pontos e a melodia se assemelhava às composições de musicais americanos. Ao final de um período relativamente longo de funcionamento do shopping, percebeu-se o equivoco da estratégia de marketing que se baseou em um diagnóstico de público que não se efetivou. No processo de reajuste da estratégia de comunicação, a pesquisa de mercado revelou a freqüência de um público diferente do imaginado. Porém, para ele a marca e o jingle eram os elementos preferidos das campanhas e gostaria que permanecessem. Foi preciso fazer adequação da letra e música à nova campanha, o que foi feito na primeira parte da peça, mantendo íntegra a segunda parte e conservando o espírito da nova marca e do jingle original, que continuou a ser veiculado no rádio e na televisão por mais um bom tempo. O jingle original tem esta mensagem: Mais bonito que tudo o que você já viu,/ Mais incrível que a sua imaginação.../ Mais moderno no espaço, nas formas./ Mais seguro, completo, mais perto./ Ele é mesmo demais, muito mais!/ Você nunca viu nada igual.../ Mais colorido, mais divertido./ Mais fascinante, mais emocionante./ Todos os dias e fins de semana,/ ele tem conforto, prazer e lazer./ Criança, jovem, homem, mulher,/ nele você encontra tudo o que quer./del Rey, Del Rey, Del Rey é mais shopping./você nunca viu nada igual. Del Rey! Também de Paulo Nehmy é o jingle para a Cetibrás, revendedora de automóveis da marca Fiat. O automóvel, fabricado na região metropolitana de Belo Horizonte, já possuía em si um elemento sedutor para o mineiro, o de ser fabricado em casa. No entanto, era preciso extrapolar esse diferencial, tendo em vista a concorrência cada vez mais aguçada das outras marcas. A música do jingle é uma balada em estilo americano. Esta é a letra: O sol, no horizonte,/vem trazendo um novo dia,/que começa mais feliz,/ com o prazer de ter um Fiat./Eu entro no meu carro,/vou aonde quiser./ Sigo todos os caminhos,/ com a certeza de chegar.../ Cetibrás é Fiat./ Cetibrás é o meu lugar. A letra sugere a superação da associação à mineiridade da marca e ressalta o lado prazeroso de possuir um carro, em especial um Fiat, que garante seguir todos os

11 caminhos com a certeza de chegar, apelo emblemático para o automóvel desde o início da propaganda deste produto 9. A peça foi veiculada por vários anos e, além da versão original em português, acrescentaram-se traduções para o italiano e o inglês, seguindo a estratégia mercadológica de mostrar o Fiat como um automóvel internacional. As versões, continuações do anúncio são recursos utilizados para manter a noção de familiaridade com o produto ou marca (ROIZ, 2002). O maestro José Guimarães é autor da terceira peça selecionada, um jingle educativo da empresa fornecedora de energia elétrica, a CEMIG, sobre o perigo de empinar o papagaio (pipa) perto de fios transmissores. É uma mensagem dirigida a adultos e a crianças através da voz dos meninos e da linguagem infantil, incluindo a música no estilo das cantigas de roda: Só faltava essa linda taquarinha./ Já temos cola, papel e linha./ Agora é só empinar o papagaio,/e usar a nossa imaginação.../ Longe do perigo é uma boa./ Olha só como o papagaio voa!/ No campo, no parque ou na praça,/ brincar com o perigo não tem graça. O uso de elementos visuais e sonoros representativos do público infantil para seduzir esse segmento de público e atingir também os adultos é comum em anúncios para alguns tipos de produtos, em que se evidencia papel influente da criança na adesão à idéia ou imagem ou na decisão sobre o consumo. (RODRIGUES, BATISTA, 2007). Considerações finais A ideologia inerente à propaganda de destruir o valor de uso da mercadoria, pode se estender a seu próprio produto, o anúncio, que deve ser sempre superado por outro mais atual e eficiente. A fugacidade da vida útil do anúncio, no entanto, não corresponde à persistência do jingle na memória de seus ouvintes, também, paradoxalmente, um objetivo da propaganda. Tal como a cantiga de roda da qual não se sabe a origem e que não é datada, o jingle fica (ou ficava) gravado na memória das gerações que o ouviram. As novas 9 Em 1920, a marca americana de automóveis Oldsmobile, comprou para usos comerciais os direitos autorais da música In My Merry Oldsmobile, composta em Entre as vantagens de possuir um automóvel a letra da música falava da liberdade que esse produto oferecia ao seu usuário (FAULKNER, s/d).

12 mídias tendem a desviar a atenção para outros sentidos que não a escuta do tempo do rádio, e até mesmo por isso, o material fonográfico deveria ser preservado, como testemunho do passado. No desenvolvimento desta pesquisa e apesar de não ser este o seu objetivo central, ficou claro como é pouco estudado o anúncio em geral e o jingle em particular, como expressão de costumes e valores de nossa sociedade. Embora seja denominada sociedade de consumo, o uso da propaganda como material empírico para a pesquisa parece padecer de alguma espécie de impureza quer seja pelos pressupostos mercadológicos quer seja pela característica de superficialidade de suas mensagens. Entretanto, exatamente por estar na superfície do mundo econômico e social, e por ser em princípio essencialmente persuasivo, o anúncio é revelador de tendências culturais de tradição que se misturam com representações simbólicas pontuais, de interesses passageiros. Os produtores de propaganda têm de estar sintonizados com o movimento do sujeito coletivo, partido em segmentos sociais de corte horizontal e vertical. Isto é, o criador de anúncios tem de estar em sintonia com o gosto das pessoas divididas em grupos específicos de classe, idade, sexo e outras características. A tarefa e a criatividade desses produtores são fazer a bricolagem de vários símbolos que estão no ar, à vista, conjugando-os de forma inusitada, para atingir a mentalidade de cada um dos grupos alvos, ou ao conjunto da sociedade. Já há autores que concordam poder-se partir da análise de documentos nascidos no campo da propaganda e publicidade em combinação com outros materiais para a realização de uma análise mais completa de determinado tema social. Os comerciais são representações, símbolos de um tempo e podem ser retomados para análise pela relevância de seu sentido, que evidentemente deve ser relativizado porque o leitor ou no caso do jingle, o ouvinte, não possui a ingenuidade de absorver acriticamente a mensagem, como a própria área costuma acreditar. Este é um motivo a mais para preservar a memória das produções fonográficas (ou de outros tipos de propaganda), além do prazer ou fruição de ouvi-las ou de recordá-las, mesmo que de um modo situado e crítico para a geração que vivenciou o clima que o jingle traduz. Para as outras gerações esta memória fica como uma fonte a mais para a compreensão histórica da vida social.

13 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BARRETO, R. M. Criatividade em Propaganda. São Paulo: Summus Editorial, BAUDRILLARD, J. A sociedade de consumo. Lisboa: Edições 70, BERLLENGER, L. A persuasão e suas técnicas. Rio de Janeiro: Zahar, BRASIl. Decreto nº , de 1º/03/1932. Coleção de leis do Brasil,1932. CARVALHO, C. S., SANTOS, G. F. C. Publicidade e Consumo: A felicidade sob novos signos. Intercom. Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. XXXI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação Natal, RN 2 a 6 de setembro de FAULKNER, T. How commercial jingles work. Disponível em Acesso em janeiro de GARBOGGINI, F. B. Memória da Propaganda na Região de Campinas: um projeto de estudo da história e da cultura através da publicidade regional. Intercom. XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Santos 29 de agosto a 2 de setembro de KOWARICK, A. Comunicação publicitária: produção de sentido, linguagem e criação. Intexto, Porto Alegre: UFRGS, v. 1, n. 8, p. 1-13, janeiro/junho, LINCOLN, M. Musical commercial saves wheaties from extinction em janeiro de MARTINS, J. S. Redação Publicitária:Teoria e Prática. São Paulo: Editora Atlas, MORAIS, G. O., TRINDADE, E. E sem piruá. Que tal? Mídia sonora através do estudo do jingle Pipoca e Guaraná Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. XXXI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Natal, 2 a 6 de setembro de RODRIGUES, C. D. R.,BATISTA L. L. Propaganda e Crianças Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação Santos 29 de agosto a 2 de setembro de ROIZ, Miguel. La sociedad persuasora: control cultural y comunicación de massas. Barcelona: Paidós, SCATENA, J. Divagações sobre Jingles. São Paulo: Revista PN Publicidade e Negócios, SILVA, D. R., AVANZI, A. P., SILVA, G. P. C., A Influência do Público Infantil no Processo de Compra de Pacotes Turísticos... XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação Santos SIMÕES, R. Do pregão ao jingle. In: CASTELO BRANCO, R., MARTENSEN, R., L., REIS, F. (Org) História Da Propaganda No Brasil. São Paulo: T. A. Queiroz, TAVARES, R. C. Histórias que o rádio não contou. São Paulo: Editora Harbra, TINHORÃO, J. R. Os Anúncios Cantados e os Jingles. In. Música Popular: do Gramofone ao Rádio e TV. São Paulo: Ática, p

14 VIEIRA, I. Jingles Inesquecíveis: memória do jingle publicitário brasileiro. Disponível em Acesso em 10 de janeiro de VIEIRA, S. Raciocínio criativo na Publicidade. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

PALAVRAS-CHAVE: rádio; publicidade; Tip Top; comunicação; Apuana.

PALAVRAS-CHAVE: rádio; publicidade; Tip Top; comunicação; Apuana. RESUMO Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação Jingle da Agência Apuana Tip Top 1 Camila Sales 2 Fabia Lucia 3 Juliana Lopes 4 Kelly Fajin 5 Priscilla Fernandes 6 Tamires

Leia mais

Jingle Sabores do Brasil para a marca Chocolates Brasil Cacau 1

Jingle Sabores do Brasil para a marca Chocolates Brasil Cacau 1 Jingle Sabores do Brasil para a marca Chocolates Brasil Cacau 1 Simone MARIANO 2 Sheilla REIS 3 Mariana BRASIL 4 Mariane FREITAS 5 Amanda CARVALHO 6 Jéssica SANTOS 7 Suelen VALENTE 8 Universidade Católica

Leia mais

Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1

Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1 Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1 BOGUSZEWSKI, Luiza. 2 SCHETTERT, Gabriela Antunes. 3 MENEZES, Sérgio. 4 Universidade Positivo, Curitiba, PR. 2013 RESUMO Com a disseminação da cultura norte-americana

Leia mais

Composição musical na educação infantil: uma experiência possível

Composição musical na educação infantil: uma experiência possível Composição musical na educação infantil: uma experiência possível Francine Kemmer Cernev francine@cernev.com.br Universidade Estadual de Londrina/ Colégio Nossa Senhora do Rosário, Cornélio Procópio/PR/

Leia mais

Problemas de incentivo: Depende da experiência de especialistas (artistas) É difícil fazer contratos que alinhem incentivos

Problemas de incentivo: Depende da experiência de especialistas (artistas) É difícil fazer contratos que alinhem incentivos Propaganda Desafios É difícil medir a resposta à propaganda A demanda é afetada pela concorrência e pelas decisões relativas ao composto de marketing A resposta pode não ocorrer imediatamente Problemas

Leia mais

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido 1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido No estudo da Comunicação, a publicidade deve figurar como um dos campos de maior interesse para pesquisadores e críticos das Ciências Sociais e Humanas.

Leia mais

INSTITUCIONAL ZEZÉ DI CAMARGO & LUCIANO

INSTITUCIONAL ZEZÉ DI CAMARGO & LUCIANO APRESENTA INSTITUCIONAL ZEZÉ DI CAMARGO & LUCIANO ASSISTA O VÍDEO RELEASE! The image cannot be displayed. The ima ge UMA HISTÓRIA DE TALENTO E SUCESSO DE UMA CARREIRA QUE POSSUI NÚMEROS MAIS QUE EXPRESSIVOS

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 DO MARKETING À COMUNICAÇÃO Conceitualmente, Marketing é definido por Kotler

Leia mais

Jingle CCPA Colégio de Ciências Pura e Aplicada 1

Jingle CCPA Colégio de Ciências Pura e Aplicada 1 Jingle CCPA Colégio de Ciências Pura e Aplicada 1 Flávio Costa de MENDONÇA 2 Danilo Santos NASCIMENTO 3 Carla Thaiane Guimarães de ARAÚJO 4 Gabriel de Góis PAULA 5 Marlyana Dias NASCIMENTO 6 Mário Cesar

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA?

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? Definição: a manipulação planejada da comunicação visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza. Funções: cabe a propaganda informar

Leia mais

TELEVISÃO x CRIANÇA: novo alvo da publicidade televisiva.

TELEVISÃO x CRIANÇA: novo alvo da publicidade televisiva. TELEVISÃO x CRIANÇA: novo alvo da publicidade televisiva. Mariana Carneiro da Cunha CAMPELO 1 Resumo Ao longo dos anos, na publicidade televisiva brasileira, vem ocorrendo algumas mudanças na comunicação

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Publicidade e Propaganda 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Publicidade e Propaganda 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Publicidade e Propaganda 2011-2 DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO CAMPANHA DE POSICIONAMENTO

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

Chamada Ufpa Na Madrugada 1. Erik Paiva LOPES 2 Helaine Ferreira CAVALCANTE 3 Luciana Miranda COSTA 4 Universidade Federal do Pará, Belém, Pará

Chamada Ufpa Na Madrugada 1. Erik Paiva LOPES 2 Helaine Ferreira CAVALCANTE 3 Luciana Miranda COSTA 4 Universidade Federal do Pará, Belém, Pará Chamada Ufpa Na Madrugada 1 Erik Paiva LOPES 2 Helaine Ferreira CAVALCANTE 3 Luciana Miranda COSTA 4 Universidade Federal do Pará, Belém, Pará RESUMO Com a estréia do programa Ufpa na Madrugada, a Rádio

Leia mais

Currículo Referência em Música Ensino Médio

Currículo Referência em Música Ensino Médio Currículo Referência em Música Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

QUADRO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA QUADRO ANTERIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGENTE NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos

QUADRO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA QUADRO ANTERIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGENTE NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos QUADRO CURSO D PUBLICIDAD PROPAGANDA QUADRO ANTRIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGNT NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos DISCIPLINA A DISCIPLINA B CÓDIGO DISCIPLINA - 2008 C/H CUR -SO DISCIPLINA C/H CÓDIGO

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de

Leia mais

Planejamento de Campanha de Propaganda. Aula 5. Contextualização. Instrumentalização. Meios e Veículos. Mídia Conceito. Profa.

Planejamento de Campanha de Propaganda. Aula 5. Contextualização. Instrumentalização. Meios e Veículos. Mídia Conceito. Profa. Planejamento de Campanha de Propaganda Aula 5 Contextualização Profa. Karin Villatore Esta aula tem como objetivo mostrar quais são as principais mídias que podem ser usadas em campanhas de publicidade

Leia mais

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro As festas juninas fazem parte da tradição católica, mas em muitos lugares essas festas perderam essa característica.

Leia mais

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PRODUÇÃO TEXTUAL INDIVIDUAL 7º SEMESTRE DISCIPLINA Gestão de Projetos Administração da Produção e Logística Empreendedorismo e Plano de Negócios PROFESSOR Prof. Marco Ikuro Hisatomi Prof. Luíz Antônio

Leia mais

Livraria Cultura para ver, ouvir e sentir 1

Livraria Cultura para ver, ouvir e sentir 1 Livraria Cultura para ver, ouvir e sentir 1 Larissa OLIVEIRA 2 Júlia MARTINS 3 Aline LEONARDI 4 Regiane OLIVEIRA 5 Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP RESUMO A Livraria Cultura

Leia mais

Questões de gênero. Masculino e Feminino

Questões de gênero. Masculino e Feminino 36 Questões de gênero Masculino e Feminino Pepeu Gomes Composição: Baby Consuelo, Didi Gomes e Pepeu Gomes Ôu! Ôu! Ser um homem feminino Não fere o meu lado masculino Se Deus é menina e menino Sou Masculino

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

Jingle Viva o Espetáculo Edisca 1

Jingle Viva o Espetáculo Edisca 1 Jingle Viva o Espetáculo Edisca 1 Alahin de Abreu Brito FEITOSA 2 Felipe Moraes COSTA 3 Gabriel Bessa Silva MENEZES 4 Marina Lima VIANA 5 Alessandra Oliveira ARAÚJO 6 Universidade de Fortaleza, Fortaleza,

Leia mais

CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970

CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970 Departamento de Comunicação Social CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970 Aluno: Juliana Cintra Orientador: Everardo Rocha Introdução A publicidade

Leia mais

O QUE FUNCIONA EM PUBLICIDADE NO VAREJO. Paulo Secches Officina Sophia

O QUE FUNCIONA EM PUBLICIDADE NO VAREJO. Paulo Secches Officina Sophia O QUE FUNCIONA EM PUBLICIDADE NO VAREJO Paulo Secches Officina Sophia Realização organização O QUE FUNCIONA E O QUE NÃO FUNCIONA NA COMUNICAÇÃO DE VAREJO Julho / 2012 TRÊS QUESTÕES-CHAVE A Comunicação

Leia mais

FORMAÇÃO CULTURAL: ESTUDO SOBRE A BOSSA NOVA COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1

FORMAÇÃO CULTURAL: ESTUDO SOBRE A BOSSA NOVA COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 FORMAÇÃO CULTURAL: ESTUDO SOBRE A BOSSA NOVA COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 SANTOS, D. C. C. 2 Relato de Experiência GT: Diálogos Abertos sobre a Educação Básica RESUMO O presente relato de experiência,

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

1º FEMASF FESTIVAL DE MUSICA DA ASSOCIAÇÃO SABESP - FRANCA

1º FEMASF FESTIVAL DE MUSICA DA ASSOCIAÇÃO SABESP - FRANCA Regulamento TÍTULO 1 - DA PROMOÇÃO: O 1 FEMASF FESTIVAL DE MUSICA DA ASSOCIAÇÃO SABESP -, promovido pela ASSOCIAÇÃO SABESP Departamento de Franca, através de sua diretoria Cultural, terá apenas uma categoria,

Leia mais

Divulgação do novo telefone da Central de Atendimento da Cemig: Análise da divulgação da Campanha

Divulgação do novo telefone da Central de Atendimento da Cemig: Análise da divulgação da Campanha XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Divulgação do novo telefone da Central de Atendimento da Cemig: Análise da divulgação

Leia mais

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA Maria Eliane Gomes Morais (PPGFP-UEPB) Linduarte Pereira Rodrigues (DLA/PPGFP-UEPB) Resumo: Os textos publicitários

Leia mais

Campanha Promocional Amor Perfeito 1. Fernanda Bento ZEN 2 Maria Gabriela PIEPER 3 Cynthia Morgana Boos de QUADROS 4 Venilton REINERT 5

Campanha Promocional Amor Perfeito 1. Fernanda Bento ZEN 2 Maria Gabriela PIEPER 3 Cynthia Morgana Boos de QUADROS 4 Venilton REINERT 5 Campanha Promocional Amor Perfeito 1 Fernanda Bento ZEN 2 Maria Gabriela PIEPER 3 Cynthia Morgana Boos de QUADROS 4 Venilton REINERT 5 FURB Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, SC RESUMO No planejamento

Leia mais

Pesquisa Qualitativa Campanha Brasil 2010. Regional

Pesquisa Qualitativa Campanha Brasil 2010. Regional Pesquisa Qualitativa Campanha Brasil 2010 Regional Julho de 2010 Pesquisa de Avaliação Campanha Brasil 2010 - Regional No período entre 28 de junho e 02 de julho de 2010 foram realizados os Grupos Focais

Leia mais

ATENDIMENTO A CLIENTES

ATENDIMENTO A CLIENTES Introdução ATENDIMENTO A CLIENTES Nos dias de hoje o mercado é bastante competitivo, e as empresas precisam ser muito criativas para ter a preferência dos clientes. Um dos aspectos mais importantes, principalmente

Leia mais

Vestibular ICEC 2014! 1

Vestibular ICEC 2014! 1 Vestibular ICEC 2014! 1 Franck H. Oliveira Durgo GOMES 2 Elizângela Luiza Barbosa LUIZ 3 Weslene de Sousa MOTA 4 Mateus Pereira da SILVA 5 Steffany Verônica de Sousa DIAS 6 Thiago Sérgio PEDROSO 7 Cláudio

Leia mais

Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida. por Caio Amon. Imagens Sonoras. A Expansão da Imagem pelo Som

Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida. por Caio Amon. Imagens Sonoras. A Expansão da Imagem pelo Som Imagens Sonoras por Caio Amon A Expansão da Imagem pelo Som Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida Aprenda a produzir som e trilha para seus projetos. Imagens Sonoras A Expansão

Leia mais

Anuncie na Play! PROPOSTA COMERCIAL. Prezados,

Anuncie na Play! PROPOSTA COMERCIAL. Prezados, PROPOSTA COMERCIAL Prezados, Apresentamos a V.Sas. proposta de prestação de serviços de veiculação de anúncios publicitários na rádio Play FM, sintonizada na frequência 107,5 do dial FM dos rádios e acessada

Leia mais

Jingle Porto Veleiro 1

Jingle Porto Veleiro 1 Jingle Porto Veleiro 1 Cinthia Moreira GIL 2 Ana Rita Camara WEBER 3 Carla Beatriz Andrade de SOUZA 4 Diego Thadeu Quintela dos SANTOS 5 Raquel Azevedo PEIXOTO 6 Raquel TIMPONI 7 Universidade Veiga de

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo

Arquitetura e Urbanismo Arquitetura e Urbanismo Arquitetura e Urbanismo CARREIRA EM ARQUITETURA E URBANISMO Os arquitetos recebem uma formação geral que lhes permite trabalhar em diversos campos: em projetos de construções, de

Leia mais

APRESENTAÇÃO. www.radiomisturebaonline.com.br

APRESENTAÇÃO. www.radiomisturebaonline.com.br APRESENTAÇÃO www.radiomisturebaonline.com.br O que é a rádio MISTUREBA on-line? A rádio MISTUREBA on-line é voltada para divulgação sócio-cultural, musical e esportiva. cultural. A rádio MISTUREBA on-line

Leia mais

Reflexões sobre a percepção sonora no processo de musicalização infantil na Escola de Música Maestro Moisés Araújo em Marabá/PA

Reflexões sobre a percepção sonora no processo de musicalização infantil na Escola de Música Maestro Moisés Araújo em Marabá/PA Reflexões sobre a percepção sonora no processo de musicalização infantil na Escola de Música Maestro Moisés Araújo em Marabá/PA Jane Lino Barbosa de Sousa janeufpa@hotmail.com Resumo: O presente trabalho

Leia mais

introdução a publicidade & propaganda Aula 3 - Departamentos e uxograma da agência de propaganda

introdução a publicidade & propaganda Aula 3 - Departamentos e uxograma da agência de propaganda introdução a publicidade & propaganda Aula 3 - Departamentos e uxograma da agência de propaganda professor Rafael Ho mann Campanha Conjunto de peças com o mesmo objetivo, conjunto de peças publicitárias

Leia mais

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Alexandre COELHO 2 Catarina CARVALHO 3 Danielle RIBEIRO 4 Leoni ROCHA 5 Paloma HADDAD 6 Professor/Orientador: Daniel CAMPOS 7 Universidade Fumec,

Leia mais

Faça viver! 1. Johnny William Mendonça de OLIVEIRA 2. Ramon Moisés de SOUSA 4 Gustavo Henrique Ferreira BITTENCOURT 5

Faça viver! 1. Johnny William Mendonça de OLIVEIRA 2. Ramon Moisés de SOUSA 4 Gustavo Henrique Ferreira BITTENCOURT 5 Faça viver! 1 Johnny William Mendonça de OLIVEIRA 2 Rodrigo Mendonça de OLIVEIRA 3 Ramon Moisés de SOUSA 4 Gustavo Henrique Ferreira BITTENCOURT 5 Universidade Potiguar - UnP, Natal, RN RESUMO O outdoor

Leia mais

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor,

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor, Xixi na Cama Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos mais um livro da coleção Revoluções: Xixi na Cama, do autor mineiro Drummond Amorim. Junto com a obra, estamos também

Leia mais

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE Por: Alexandre Maldonado Autor do site Marketing para E- commerce www.marketingparaecommerce.com.br TERMOS DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

Numa recente e longa entrevista concedida para a rede de emissoras rádio via satélite AMERICAN SAT, o cantor PAULINHO BOCA lembrou dos fatos mais

Numa recente e longa entrevista concedida para a rede de emissoras rádio via satélite AMERICAN SAT, o cantor PAULINHO BOCA lembrou dos fatos mais Numa recente e longa entrevista concedida para a rede de emissoras rádio via satélite AMERICAN SAT, o cantor PAULINHO BOCA lembrou dos fatos mais importantes que marcaram a trajetória da MPB nos últimos

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO ANÁLISE DO DISCURSO DA PROPAGANDA MARLBORO SOROCABA 2014 1 Introdução O presente trabalho

Leia mais

Análise Semiótica de Anúncio de TV

Análise Semiótica de Anúncio de TV Análise Semiótica de Anúncio de TV DADOS TÉCNICOS: Título: Segredos; Anunciante: Etti ; Criação: Fábio Fernandes e Renata Flori; Agência: F/Nazca; Produto: Molho de Tomate Salsaretti; Ano de veiculação

Leia mais

Spot: Pense antes de se expor 1

Spot: Pense antes de se expor 1 Spot: Pense antes de se expor 1 Carolina BROTEL 2 Fernanda YAMAMOTO 3 Kellen VIEIRA 4 Sarah BONINI 5 Sarah NAHASS 6 Wilton SILVA 7 Renato VILLAÇA 8 Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH), MG RESUMO

Leia mais

PARA SABER MAIS. Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES GUIA DE LEITURA. Cabe aqui na minha mão!

PARA SABER MAIS. Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES GUIA DE LEITURA. Cabe aqui na minha mão! CLÁUDIO MARTINS & MAURILO ANDREAS PARA SABER MAIS Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES LÚCIA HIRATSUKA JASON GARDNER Priscilla Kellen Cabe aqui na minha mão! Frutas GUIA

Leia mais

PARA SABER MAIS. Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES GUIA DE LEITURA. Cabe aqui na minha mão!

PARA SABER MAIS. Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES GUIA DE LEITURA. Cabe aqui na minha mão! CLÁUDIO MARTINS & MAURILO ANDREAS PARA SABER MAIS Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES LÚCIA HIRATSUKA JASON GARDNER Priscilla Kellen Cabe aqui na minha mão! Frutas GUIA

Leia mais

FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I ARTES. Conteúdo: Aula 1 e 2: Canção de roda.

FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I ARTES. Conteúdo: Aula 1 e 2: Canção de roda. Conteúdo: Aula 1 e 2: Canção de roda. 2 Habilidades: H12 Reconhecer diferentes funções da arte, do trabalho da produção dos artistas em seus meios culturais. 3 Música clássica- baseada no folclore Heitor

Leia mais

PROMOÇÃO DE VENDAS. O problema da Dona Cida resume-se em aumentar as vendas de sua loja e ao mesmo tempo, acabar com alguns estoques indesejáveis.

PROMOÇÃO DE VENDAS. O problema da Dona Cida resume-se em aumentar as vendas de sua loja e ao mesmo tempo, acabar com alguns estoques indesejáveis. 1 PROMOÇÃO DE VENDAS Constituída há pouco mais de dois anos, a loja de confecções da Dona Cida já possuía uma boa clientela, porém ela acreditava que ainda poderia crescer bastante. Assim, tinha na prateleira

Leia mais

Coordenadoria de Educação. I CADERNO DE APOIO PEDAGÓGICO 2010 Música Professor (a) África do Sul 1º. ao 3º. ano

Coordenadoria de Educação. I CADERNO DE APOIO PEDAGÓGICO 2010 Música Professor (a) África do Sul 1º. ao 3º. ano I CADERNO DE APOIO PEDAGÓGICO 2010 Música Professor (a) África do Sul 1º. ao 3º. ano Eduardo Paes Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro Profª Claudia Costin Secretária Municipal de Educação Profª Regina

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

COORDENAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL Disciplina: CRIAÇÃO PUBLICITÁRIA I Código: HT/OC 261 Curso: Comunicação Social Publicidade e Propaganda Pré-requisito: não tem Natureza: Semestral Carga horária: Aulas teóricas: 30 horas-aula Aulas práticas:

Leia mais

É Natural Educar Assim 1

É Natural Educar Assim 1 É Natural Educar Assim 1 Luana da Silva de ANDRADE 2 Larissa Santos de ASSIS 3 Luana Cristina KNOD 4 Rafaela Ritz dos SANTOS 5 Simone Cristina KAUFMANN 6 Tamires Lopes SILVA 7 YhevelinSerrano GUERIN 8

Leia mais

Televisão brasileira: o início da problemática 1

Televisão brasileira: o início da problemática 1 Televisão brasileira: o início da problemática 1 AUTOR: QUINTANA JÚNIOR, José CURSO: Comunicação Social Jornalismo/Unifra, Santa Maria, RS OBRA: CAPARELLI, Sérgio. Televisão e capitalismo no Brasil: com

Leia mais

Há muito tempo eu escuto esse papo furado Dizendo que o samba acabou Só se foi quando o dia clareou. (Paulinho da Viola)

Há muito tempo eu escuto esse papo furado Dizendo que o samba acabou Só se foi quando o dia clareou. (Paulinho da Viola) Diego Mattoso USP Online - www.usp.br mattoso@usp.br Julho de 2005 USP Notícias http://noticias.usp.br/canalacontece/artigo.php?id=9397 Pesquisa mostra porque o samba é um dos gêneros mais representativos

Leia mais

Eu sou o tipo de pessoa a quem as pessoas procuram para conselho e orientação no trabalho ou em minha vizinhança.

Eu sou o tipo de pessoa a quem as pessoas procuram para conselho e orientação no trabalho ou em minha vizinhança. Inventário de Inteligências Múltiplas para Adultos por Thomas Armstrong Escreva 2 no quadro em destaque, se a afirmativa se aplica muito a você; 1, se se aplica mais ou menos a você; e, 0, se de modo nenhum

Leia mais

O CENTRO CULTURAL TAMBOLELÊ E A MÚSICA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL

O CENTRO CULTURAL TAMBOLELÊ E A MÚSICA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL O CENTRO CULTURAL TAMBOLELÊ E A MÚSICA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL Denis ARAÚJO Fernando D AGOSTINI Márcia Regina FANTINI Orlando PINEL Pedro Alberto ANDRADE Shelber CRUZ Lamounier Lucas PEREIRA

Leia mais

Projetos. Outubro 2012

Projetos. Outubro 2012 Projetos Outubro 2012 Assunto de gente grande para gente pequena. No mês de outubro os brasileiros foram às urnas para eleger prefeitos e vereadores e a Turma da Lagoa não poderia ficar fora deste grande

Leia mais

Comunicação Integrada de marketing.

Comunicação Integrada de marketing. Comunicação Integrada de marketing. - COMPOSTO DE COMUNICAÇÃO - 4 A s - 4 C s Comunicação: é a transmissão de uma mensagem de um emissor para um receptor, de modo que ambos a entendam da mesma maneira.

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

Etapas Planejamento de Campanha de Propaganda PARTE 4

Etapas Planejamento de Campanha de Propaganda PARTE 4 Etapas Planejamento de Campanha de Propaganda PARTE 4 UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 12.05.11 Tema Vários termos são utilizados para denominar

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE MARKETING

COMUNICAÇÃO DE MARKETING COMUNICAÇÃO DE MARKETING COMUNICAÇÃO INTEGRADA DE MARKETING Meio através do qual a empresa informa, persuadi e lembra os consumidores sobre o seu produto, serviço e marcas que comercializa. Funções: Informação

Leia mais

FUNDAMENTOS DE MARKETING

FUNDAMENTOS DE MARKETING FUNDAMENTOS DE MARKETING Há quatro ferramentas ou elementos primários no composto de marketing: produto, preço, (ponto de) distribuição e promoção. Esses elementos, chamados de 4Ps, devem ser combinados

Leia mais

1.Quem é e o que faz o ícone. musical de nossa era: o DJ?

1.Quem é e o que faz o ícone. musical de nossa era: o DJ? 1.Quem é e o que faz o ícone musical de nossa era: o DJ? Quem é e o que faz o ícone musical de nossa era: o DJ? Nos dias de hoje, quando você pensa em um artista descolado e muito poderoso, esse cara pode

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO

A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO Neusa Kreuz 1 RESUMO: É indiscutível a grande importância da linguagem oral no processo interacional humano. Trata-se da primeira

Leia mais

Promoção de vendas é a pressão de marketing de mídia ou não mídia exercida durante um período predeterminado e limitado de tempo ao nível de

Promoção de vendas é a pressão de marketing de mídia ou não mídia exercida durante um período predeterminado e limitado de tempo ao nível de Metas das Comunicações de Marketing: Criação de consciência informar os mercados sobre produtos, marcas, lojas ou organizações. Formação de imagens positivas desenvolver avaliações positivas nas mentes

Leia mais

Poder: Jornal Fortuna

Poder: Jornal Fortuna Aqui você enriquece sua leitura Jornal Fortuna Volume 1, edição 1 Data do boletim informativo Nesta edição: Poder: Há vários tipos de poder, poder militar, poder da natureza, poder político, o poder da

Leia mais

Concurso Música Tema da Festa da Uva 2016 REGULAMENTO Página 2 de 6

Concurso Música Tema da Festa da Uva 2016 REGULAMENTO Página 2 de 6 REGULAMENTO Página 1 de 6 1. OBJETIVO 1.1 O concurso tem como objetivo a produção e escolha da Música Tema da Festa da Uva 2016 para utilização como peça publicitária de divulgação e convite para a Festa

Leia mais

UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO

UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO SAIR DO LUGAR-COMUM PÃO DE AÇÚCAR UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO Só em São Paulo, a associação que reúne os supermercados tem mais de 50 empresas cadastradas. As lojas se espalham com um volume impressionante.

Leia mais

Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro Antônio de Oliveira)

Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro Antônio de Oliveira) PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 3 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro

Leia mais

Relatório de Pesquisa Qualitativa. Avaliação da Campanha de Fim de Ano 2010

Relatório de Pesquisa Qualitativa. Avaliação da Campanha de Fim de Ano 2010 Relatório de Pesquisa Qualitativa Avaliação da Campanha de Fim de Ano 2010 Dezembro de 2010 2 Sumário Introdução... 3 1. Avaliação do Filme Fim de Ano - 2010... 5 1.1. Percepção do Filme no Break... 5

Leia mais

Caroline BELO 2 Alison VENTURA 3 Rodrigo DUGUAY 4 Silvia SENA 5 Júlio CRUZ 6 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE

Caroline BELO 2 Alison VENTURA 3 Rodrigo DUGUAY 4 Silvia SENA 5 Júlio CRUZ 6 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE Jingle para Campanha de Turismo Cabo de Santo Agostinho 1 Caroline BELO 2 Alison VENTURA 3 Rodrigo DUGUAY 4 Silvia SENA 5 Júlio CRUZ 6 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE RESUMO O presente

Leia mais

II MoQueCa Festival Capixaba da Canção Espírita Mocidade Que Canta - Regulamento -

II MoQueCa Festival Capixaba da Canção Espírita Mocidade Que Canta - Regulamento - Da Promoção Artigo 1º. O II Festival Capixaba da Canção Espírita Mocidade Que Canta II MoQueCa é uma iniciativa do Projeto Arte Espírita Eu Apoio e conta com o apoio da CEC Casa Espírita Cristã (Vila Velha/ES),

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

JF Folia 2011 10 anos

JF Folia 2011 10 anos JF Folia 2011-10 anos A Bahia é aqui! Uma festa diferente, uma micareta que Juiz de Fora nunca viu. Essa é a promessa do JF Folia edição 2011, que este ano completa 10 anos de folia, ininterruptos. A festa

Leia mais

Planificação Anual 1º Ano AEC Expressão Musical 2014/2015

Planificação Anual 1º Ano AEC Expressão Musical 2014/2015 Planificação Anual 1º Ano AEC Expressão Musical 2014/2015 Unidades Conteúdos Competências Actividades Recursos/Materiais Unidade 1 Unidade 2 Primeira Abordagem lúdica de Sensibilização e exploração do

Leia mais

OBJETIVOS DE MARKETING

OBJETIVOS DE MARKETING CASE Banco do Brasil Todo Seu O Banco do Brasil é a mais antiga instituição bancária brasileira. Reconhecido como fundamental para o desenvolvimento econômico e social do país, é também o maior banco da

Leia mais

UM RETRATO DAS CIDADES DE MENOS DE 100 MIL HABITANTES DO BRASIL

UM RETRATO DAS CIDADES DE MENOS DE 100 MIL HABITANTES DO BRASIL A P R E S E N T A M UM RETRATO DAS CIDADES DE MENOS DE 100 MIL HABITANTES DO BRASIL POR QUE FAZER ESSA PESQUISA? PELA RELEVÂNCIA QUE ESSES PEQUENOS MUNICÍPIOS TÊM. 95% Dos municípios brasileiros têm menos

Leia mais

A INFLUÊNCIA MIDIÁTICA NO GOSTO MUSICAL DE UM GRUPO DE ADOLESCENTES

A INFLUÊNCIA MIDIÁTICA NO GOSTO MUSICAL DE UM GRUPO DE ADOLESCENTES A INFLUÊNCIA MIDIÁTICA NO GOSTO MUSICAL DE UM GRUPO DE ADOLESCENTES RESUMO Priscila Pereira Universidade Federal do Paraná Curitiba Paraná O trabalho tem por finalidade apresentar uma pesquisa sobre a

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Spot: Acessibilidade - Conscientização e Prática 1

Spot: Acessibilidade - Conscientização e Prática 1 Spot: Acessibilidade - Conscientização e Prática 1 Felipe Marinho da Silva 2 Waldemar Moreira Ramos 3 Rodolfo Nunes Freire Ribeiro 4 José Zilmar Alves da Costa 5 Universidade Federal do Rio Grande do Norte,

Leia mais

Empresas e projetos do grupo

Empresas e projetos do grupo MÍDIA KIT 2015 Atualmente o Grupo WDS é o maior grupo de entretenimento do Brasil. Possui diversas empresas em vários segmentos diferentes e em várias regiões do país. O Wood s é uma marca pertencente

Leia mais

Outdoor de Lançamento do CD da Dupla Johny e Junior 1

Outdoor de Lançamento do CD da Dupla Johny e Junior 1 Outdoor de Lançamento do CD da Dupla Johny e Junior 1 Danizieli de OLIVEIRA 2 Diego de OLIVEIRA 3 Renata Cristina FORNAZIERO 4 Thaís Roberta CASAGRANDE 5 Wolnei MENEGASSI 6 Paulo César D ELBOUX 7 Faculdade

Leia mais

BLACK MÚSICA ANIMADA. FADE IN: Close de imagens variadas dos produtos da Drama Queen Make Up, mostrando suas diferentes cores, formas e texturas.

BLACK MÚSICA ANIMADA. FADE IN: Close de imagens variadas dos produtos da Drama Queen Make Up, mostrando suas diferentes cores, formas e texturas. 1 Roteiro para Institucional CLIENTE: Drama Queen Make Up PEÇA: Introdução ao treinamento/5 TÍTULO: Você faz parte desse time! ROTEIRISTA: Simone Teider VIDEO BLACK FADE IN: Close de imagens variadas dos

Leia mais

Ementa das disciplinas optativas 2011.1 (em ordem alfabética independente do curso e do turno)

Ementa das disciplinas optativas 2011.1 (em ordem alfabética independente do curso e do turno) Ementa das disciplinas optativas 2011.1 (em ordem alfabética independente do curso e do turno) Disciplina Ementa Pré- requisito C.H. Curso Assessoria de Comunicação Conhecimento geral, reflexão e prática

Leia mais

A CONTRACULTURA NA MÚSICA DOS ANOS 60 - SCRIPT DO JOGRAL

A CONTRACULTURA NA MÚSICA DOS ANOS 60 - SCRIPT DO JOGRAL 1 DEPARTAMENTO DE LETRAS E ARTES LICENCIATURA EM LETRAS COM A LÍNGUA INGLESA LITERATURA BRASILEIRA JOÃO BOSCO DA SILVA (prof.bosco.uefs@gmail.com) A CONTRACULTURA NA MÚSICA DOS ANOS 60 - SCRIPT DO JOGRAL

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1 Agrupamento de Escolas da Madalena Projeto do Clube de Música Ano Lectivo 2012-2013 1 Projectos a desenvolver/participar: Projetos Dinamizado por: 1º Concurso de Flauta Prof. Teresa Santos - Participação

Leia mais

HISTÓRICO. Em 1996, foi lançado o CD Cantigas de Roda, que colocou uma roupagem atual nas cantigas tradicionais da música brasileira.

HISTÓRICO. Em 1996, foi lançado o CD Cantigas de Roda, que colocou uma roupagem atual nas cantigas tradicionais da música brasileira. HISTÓRICO Site: http://www.palavracantada.com.br Canal Youtube: http://www.youtube.com/user/palavracantadatube Facebook oficial: https://www.facebook.com/palavracantada Twitter oficial: https://twitter.com/palavra_cantada

Leia mais

CONAR: NOVAS RESTRIÇÕES PARA A PUBLICIDADE DE BEBIDAS ALCOÓLICAS

CONAR: NOVAS RESTRIÇÕES PARA A PUBLICIDADE DE BEBIDAS ALCOÓLICAS : NOVAS RESTRIÇÕES PARA A PUBLICIDADE DE BEBIDAS ALCOÓLICAS Conheça todas as novidades que o Conar está implantando a partir de 10 de abril de 2008 para a publicidade de cervejas, vinhos, aguardentes,

Leia mais

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores)

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) Negociação: conceitos e aplicações práticas Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) 2 a edição 2009 Comunicação na Negociação Comunicação, visão sistêmica

Leia mais

PROJETO EXEMPLO. Os aparelhos de som compactos da Sonic. Situação do mercado. Situação do produto

PROJETO EXEMPLO. Os aparelhos de som compactos da Sonic. Situação do mercado. Situação do produto PROJETO EXEMPLO Os aparelhos de som compactos da Sonic Jane Melody é a gerente de produto da linha de aparelhos de som compactos da Sonic. Cada sistema consiste em um amplificador/rádio AM-FM, um aparelho

Leia mais

O USO DA METÁFORA NOS SLOGANS

O USO DA METÁFORA NOS SLOGANS O USO DA METÁFORA NOS SLOGANS CARNEIRO, Carla Maria Bessa e STANCATO, Francine Teles 1 RESUMO: Este estudo tem como objetivo mostrar a eficácia da metáfora nos slogans para a construção de um anúncio.

Leia mais