III - Curso Pós-Graduado de Direito Intelectual. Associação Portuguesa de Direito Intelectual - APDI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "III - Curso Pós-Graduado de Direito Intelectual. Associação Portuguesa de Direito Intelectual - APDI"

Transcrição

1 III - Curso Pós-Graduado de Direito Intelectual Associação Portuguesa de Direito Intelectual - APDI TEMA Direitos da Propriedade Intelectual e a Direito Europeu e Nacional da Concorrência (Introdução ao Direito da Concorrência na perspectiva da sua Interacção com o Direito da Propriedade Intelectual) Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa 3 de Março de 2012 Luís D. S. Morais Doutor em Direito Professor Associado da Faculdade de Direito de Lisboa Advogado Blog Pessoal Especializado em Direito da Concorrência Hiperligação no Site do INSTITUTO EUROPEU para a Área de Cátedra JEAN MONNET em Regulação Económico (actividades/papers/conferências) cle&id=137&itemid=42&lang=pt

2 TEMA Direitos da Propriedade Intelectual e a Direito Europeu e Nacional da Concorrência (Introdução ao Direito da Concorrência na perspectiva da sua Interacção com o Direito da Propriedade Intelectual) 1. Introdução e razão de ordem Direito da concorrência (perspectiva normativa horizontal) e regulação da economia (perspectiva normativa vertical) 2.1. Direito nacional da concorrência Lei n.º 18/2003, de 11 de Junho (perspectivas actuais de reforma face ao Anteprojecto de novo regime de defesa da concorrência aprovado na generalidade pela Assembleia da República em Fevereiro de 2012) 2.2. Direito da concorrência da UE normas de direito europeu originárias especialmente artigos 101.º e 102.º do Tratado Relativo ao Funcionamento da UE (TFUE) CE e artigos 106.º a 108.º do Tratado CE normas de direito europeu derivado. 3. A estrutura normativa típica dos ordenamentos da concorrência maxime do ordenamento nacional e do ordenamento da UE (breve referência ao direito antitrust norte-americano) Tipologia essencial de normas de concorrência Normas aplicáveis a Empresas e normas aplicáveis a Estados 2

3 O conceito específico de empresa em sede de direito da concorrência Das normas aplicáveis a empresas em especial Normas de comportamento regimes aplicáveis aos processos de cooperação empresarial (artigos 4.º e 5.º da Lei n.º 18/2003 e artigo 101.º do TFUE) Normas mistas regimes relativos ao abuso de posição dominante e ao abuso de dependência económica (artigos 6.º a 7.º da Lei n.º 18/2003 e artigo 102.º do TFUE) Normas estruturais - regimes de controlo directo de operações de concentração entre empresas (artigos 8.º a 12.º da Lei n.º 18/2003 e Regulamento (CE) n.º 139/2004, JOCE n.º L 24/1, de 29 de Janeiro de 2004) Normas de concorrência aplicáveis aos Estados proibição dos auxílios de Estado e proibição de actos do Estado e de entidades públicas dirigidos às empresas que impliquem violações das normas e princípios da concorrência (artigo 13.º da Lei n.º 18/2003 e artigos 86.º, 88.º e 88.º do Tratado CE) Brevíssima referência Justificação do enfoque privilegiado quanto às normas de concorrência aplicáveis às empresas. 3

4 4.1. A potencial tensão entre o direito da concorrência e o direito da propriedade intelectual Perspectiva geral A actual contestação teórica, no quadro do ordenamento e da doutrina norte-americanas, em relação à extensão e profundidade da tutela da propriedade intelectual e a rejeição dessas teses (v.g. na argumentação de RICHARD EPSTEIN desenvolvida no Estudo Intellectual Property for the Technological Age, 2006).* *Estudo distribuído com a Documentação do curso As principais áreas de intersecção entre os direitos de propriedade intelectual, e o direito da concorrência (com enfoque no direito da concorrência da UE e no direito da concorrência nacional) Os regimes de cooperação entre empresas disciplinados pelo artigo 101.º do TFUE e pelos artigos 4.º e 5.º da Lei n.º 18/2003 e acordos de licença de exploração de direitos da propriedade intelectual Os regimes de cooperação entre empresas disciplinados pelo artigo 101.º do TFUE e pelos artigos 4.º e 5.º da Lei n.º 18/2003 e acordos de licença de exploração de direitos da propriedade intelectual CONTINUAÇÃO das licenças exclusivas em particular O Regulamento de isenção por categoria (CE) n.º 772/2004 relativo a certas categorias de acordos de transferência de tecnologia compreendendo determinadas licenças de exploração de direitos da 4

5 propriedade intelectual (JOCE L 123/11, 2004) principais aspectos relevantes Da especial relevância do Regulamento de isenção por categoria (CE) n.º 772/2004 em sede de direito nacional ex vi do estatuído no n.º 3 do artigo 5.º da Lei n.º 18/2003 (determinando a justificação de práticas de cooperação em princípio proibidos no quadro do direito nacional da concorrência desde que preencham requisitos de aplicação de Regulamentos de isenção por categoria em sede de direito europeu da concorrência) O regime de abuso de posição dominante disciplinado pelo artigo 102.º do TFUE e pelo artigo 6.º da Lei n.º 18/2003 e os direitos de propriedade intelectual perspectiva geral O problema fundamental das recusas de licenciamento de direitos da propriedade intelectual e o seu potencial carácter abusivo em sede de direito da concorrência O problema fundamental das recusas de licenciamento de direitos da propriedade intelectual e o seu potencial carácter abusivo em sede de direito da concorrência CONTINUAÇÃO Referência a alguns precedentes jurisprudenciais mais importantes em sede de direito europeu da concorrência (o caso IMS, entre outros acórdão do TJUE, anterior TJCE, de 29 de Abril de 2004 IMS Health GmbH, proc. C-418/01). 5. Uma área especialmente paradigmática de tensão entre o regime de direitos da propriedade industrial e o direito da concorrência o sector farmacêutico Perspectiva geral e desenvolvimentos relevantes o 5

6 precedente essencial do acórdão AstraZeneca do Tribunal Geral (acórdão de 1 de Julho de 2010 proc T 321/05 em recurso ulterior proc C- 457/10P) e as indefinições ainda resultantes do mesmo 6. Sinopse e visão conclusiva geral direito da concorrência em tensão com direitos da propriedade intelectual. 6

PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA

PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) Ano lectivo 2010-2011 PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Setembro 2010 Regente/Coordenador Luís D. S. Morais BLOG pessoal especializado em direito

Leia mais

CURSO DE CONTRATAÇÃO PÚBLICA E CONCORRÊNCIA

CURSO DE CONTRATAÇÃO PÚBLICA E CONCORRÊNCIA CURSO DE CONTRATAÇÃO PÚBLICA E CONCORRÊNCIA Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa 19 de Dezembro de 2011 Acordos entre Empresas: Os conluios entre os operadores económicos Luís Silva Morais

Leia mais

PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano

PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) Ano lectivo 2014-2015 Introdução PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Professor Doutor Nuno Cunha Rodrigues DIREITO DA ECONOMIA PROGRAMA Setembro 2014

Leia mais

Aplicação do Regulamento «Reconhecimento Mútuo» a suplementos alimentares

Aplicação do Regulamento «Reconhecimento Mútuo» a suplementos alimentares COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO-GERAL DAS EMPRESAS E DA INDÚSTRIA Bruxelas, 1.2.2010 - Documento de orientação 1 Aplicação do Regulamento «Reconhecimento Mútuo» a suplementos alimentares 1. INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

POR KILUANGE TINY. Outubro, 2004.

POR KILUANGE TINY. Outubro, 2004. A ORGANIZAÇÃO ESTATAL DO SECTOR PETROLÍFERO EM POR KILUANGE TINY Outubro, 2004. Este documento está protegido pelo direito de autor nos termos da lei portuguesa, do direito comunitário e do direito internacional.

Leia mais

Direito da Economia Programa

Direito da Economia Programa Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa Licenciatura em Direito 2011/2012 Direito da Economia Programa Aulas 1/2-20 de Setembro Apresentação do programa, bibliografia, métodos de ensino e aprendizagem

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO. 27, 28 e 29 de março de 2014. www.direito.porto.ucp.pt PROGRAMA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO. 27, 28 e 29 de março de 2014. www.direito.porto.ucp.pt PROGRAMA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO Curso Aplicação do direito da concorrência da UE pelos tribunais nacionais Ação de Formação Contínua Tipo B 27, 28 e 29 de março de 2014 www.direito.porto.ucp.pt

Leia mais

CONCORRÊNCIA E REGULAÇÃO ECONÓMICA REFORMAS EM CURSO NOS DOIS LADOS DO ATLÂNTICO (BRASIL E PORTUGAL)

CONCORRÊNCIA E REGULAÇÃO ECONÓMICA REFORMAS EM CURSO NOS DOIS LADOS DO ATLÂNTICO (BRASIL E PORTUGAL) CONCORRÊNCIA E REGULAÇÃO ECONÓMICA REFORMAS EM CURSO NOS DOIS LADOS DO ATLÂNTICO (BRASIL E PORTUGAL) 31 DE MAIO 2012, UNIVERSIDADE S. JUDAS TADEU, S. PAULO, BRASIL UM NOVO REGIME DE DEFESA DA CONCORRÊNCIA

Leia mais

Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt

Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt Capitais Públicos e Capitais Privados no Mercado Interno: Assegurar um Ambiente Equitativo para Empresas Públicas e Privadas Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt XXIV Congresso FIDE Madrid 2010 Arial Bold

Leia mais

Seguros e Fundos de Pensões

Seguros e Fundos de Pensões ABRIL 2010 01 COMISSÃO EUROPEIA ADOPTA NOVO REGULAMENTO DE ISENÇÃO POR CATEGORIA APLICÁVEL AO SECTOR DOS SEGUROS Seguros e Fundos de Pensões Após um longo processo de revisão, que incluiu a realização

Leia mais

NEWSLETTER I CONCORRÊNCIA

NEWSLETTER I CONCORRÊNCIA NEWSLETTER I CONCORRÊNCIA NEWSLETTER CONCORRÊNCIA I 1.º Trimestre 2016 I Destaques Nacionais 2 II Destaques Europeus 4 NEWSLETTER CONCORRÊNCIA I DESTAQUES NACIONAIS Tribunal da Concorrência Tribunal da

Leia mais

Mestrado Profissionalizante

Mestrado Profissionalizante Mestrado Profissionalizante Curso de Especialização Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) - Ano Lectivo 2010/2011 2.º Semestre Disciplina de REGULAÇÃO DA ECONOMIA PROGRAMA Coordenação Professor

Leia mais

DOUTRINA E COMENTÁRIO

DOUTRINA E COMENTÁRIO DOUTRINA E COMENTÁRIO SOBRE O EQUILÍBRIO FINANCEIRO DAS CONCES- SÕES E A TAXA INTERNA DE RENDIBILIDADE (TIR) ACCIONISTA: UMA PERSPECTIVA ECONÓMICA ANTÓNIO MARTINS Docente da Faculdade de Economia da Universidade

Leia mais

Concorrência: Para uma Nova Cultura Empresarial. Abel M. Mateus Presidente da Autoridade da Concorrência

Concorrência: Para uma Nova Cultura Empresarial. Abel M. Mateus Presidente da Autoridade da Concorrência Concorrência: Para uma Nova Cultura Empresarial Abel M. Mateus Presidente da Autoridade da Concorrência Conferência proferida no American Club of Lisbon, Hotel Sheraton, 21 de Abril de 2004 Minhas Senhores

Leia mais

CONFERÊNCIA A Nova Lei das Associações Públicas Profissionais; Desafios e Oportunidades

CONFERÊNCIA A Nova Lei das Associações Públicas Profissionais; Desafios e Oportunidades CONFERÊNCIA A Nova Lei das Associações Públicas Profissionais; Desafios e Oportunidades Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) 24 de Setembro de 2014 O Regime das Associações Públicas Profissionais

Leia mais

Dados Pessoais. Contactos profissionais: joaomiranda@fd.ul.pt jmiranda@falm.pt

Dados Pessoais. Contactos profissionais: joaomiranda@fd.ul.pt jmiranda@falm.pt I Dados Pessoais JOÃO PEDRO OLIVEIRA DE MIRANDA Nascido a 28 de Agosto de 1972 Natural de Lisboa Contactos profissionais: joaomiranda@fd.ul.pt jmiranda@falm.pt 1 II Dados Curriculares 1. Ocupações actuais

Leia mais

CONTRATOS PÚBLICOS, RESPONSABILIDADE E TRIBUNAL DE CONTAS

CONTRATOS PÚBLICOS, RESPONSABILIDADE E TRIBUNAL DE CONTAS CONTRATOS PÚBLICOS, RESPONSABILIDADE E TRIBUNAL DE CONTAS Partilhamos a Experiência. Inovamos nas Soluções. PEDRO MELO Lisboa, 13 de Março de 2014 O TRIBUNAL DE CONTAS ENQUADRAMENTO O Tribunal de Contas

Leia mais

PROGRAMA Módulo I Propriedade Industrial 29/01/2011 05/01/2011

PROGRAMA Módulo I Propriedade Industrial 29/01/2011 05/01/2011 II CURSO PÓS-GRADUADO DE DIREITO INTELECTUAL 2011 PROGRAMA Módulo I Propriedade Industrial (sábados de manhã, de 29 de Janeiro a 26 de Março) Coordenadores: Prof. Doutor José de Oliveira Ascensão Prof.

Leia mais

O NOVO CÓDIGO DO PROCESSO CIVIL

O NOVO CÓDIGO DO PROCESSO CIVIL Nº 52 Setembro de 2013 Direcção: Pedro Costa Azevedo Colaboração: Rui Ferreira d Apresentação Sara Félix No início deste mês, entrou em vigor o novo Código do Processo Civil, diploma estrutural da vida

Leia mais

BASE DE DADOS DE JURISPRUDÊNCIA DIREITO EUROPEU DA CONCORRÊNCIA DECISÕES NACIONAIS

BASE DE DADOS DE JURISPRUDÊNCIA DIREITO EUROPEU DA CONCORRÊNCIA DECISÕES NACIONAIS BASE DE DADOS DE JURISPRUDÊNCIA DIREITO EUROPEU DA CONCORRÊNCIA DECISÕES NACIONAIS CASO DECISÕES JUDICIAIS Ordem dos Médicos Dentistas Tribunal Processo Data Sentença Tribunal do Comércio de Lisboa, 3.º

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Inteiro Teor do Acórdão - Página 7 de 46 Inteiro Teor do Acórdão - Página 8 de 46 Inteiro Teor do Acórdão - Página 9 de 46 Inteiro Teor do Acórdão - Página 10 de 46 Inteiro Teor do Acórdão - Página 11

Leia mais

União Europeia Acesso a cuidados de saúde Prestação de serviços de saúde

União Europeia Acesso a cuidados de saúde Prestação de serviços de saúde União Europeia Acesso a cuidados de saúde Prestação de serviços de saúde Legislação da União Europeia Legislação nacional Jurisprudência TJUE Diretiva 2011/24 Proposta de Lei 206/XII Direitos e deveres

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO I

DIREITO ADMINISTRATIVO I UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE DIREITO DIREITO ADMINISTRATIVO I 2.º Ano Turma B PROGRAMA DA DISCIPLINA Ano lectivo de 2011/2012 LISBOA 2011 Regente: Prof. Doutor Fausto de Quadros ELEMENTOS DE ESTUDO

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Processo:

FICHA DOUTRINÁRIA. Processo: FICHA DOUTRINÁRIA Diploma: CIVA Artigo: 9º, nº 30 Assunto: Locação de imóveis L201 2006049 - despacho do SDG dos Impostos, em substituição do Director- Geral, em 24-07-07 Conteúdo: 1. A requerente pretende

Leia mais

Ensaios de equipamentos eléctricos e electrónicos. Paulo Cabral Laboratório de Metrologia e Ensaios do IEP

Ensaios de equipamentos eléctricos e electrónicos. Paulo Cabral Laboratório de Metrologia e Ensaios do IEP Ensaios de equipamentos eléctricos e electrónicos Paulo Cabral Laboratório de Metrologia e Ensaios do IEP Plano Apresentação Legislação da União Europeia Evidência da conformidade Normalização electrotécnica

Leia mais

NOTA PRÉVIA. Coimbra Editora

NOTA PRÉVIA. Coimbra Editora NOTA PRÉVIA Este livro constitui, despretensiosamente, um manual. Concebido inicialmente com intuito pedagógico, a pensar nos meus alunos da licenciatura em Marketing da Universidade de Aveiro, acabou

Leia mais

Síntese de diversas matérias fiscais de maior relevo ocorridas na 2.ª quinzena de fevereiro de 2015 1

Síntese de diversas matérias fiscais de maior relevo ocorridas na 2.ª quinzena de fevereiro de 2015 1 Síntese de diversas matérias fiscais de maior relevo ocorridas na 2.ª quinzena de fevereiro de 2015 1 1 - Defesa das micro, pequenas e médias empresas na Região Autónoma da Madeira: - Resolução da Assembleia

Leia mais

CÁTEDRA JEAN MONNET: Direito da União Européia e Transnacionalidade. Análise jurisprudencial - Tribunal de Justiça da União Européia

CÁTEDRA JEAN MONNET: Direito da União Européia e Transnacionalidade. Análise jurisprudencial - Tribunal de Justiça da União Européia CÁTEDRA JEAN MONNET: Direito da União Européia e Transnacionalidade Análise jurisprudencial - Tribunal de Justiça da União Européia Raphael Fernando Pinheiro 1 Processo C-148/02 (García Avello). Partes:

Leia mais

Sugestões da ACPI em relação à Proposta de Lei nº 32/XI

Sugestões da ACPI em relação à Proposta de Lei nº 32/XI Sugestões da ACPI em relação à Proposta de Lei nº 32/XI Como já havia afirmado, a ACPI entende que a criação do Tribunal da Propriedade Intelectual constitui uma medida positiva e correcta atenta que é

Leia mais

PARECER N.º 51/CITE/2007

PARECER N.º 51/CITE/2007 PARECER N.º 51/CITE/2007 Assunto: Parecer prévio nos termos do n.º 1 do artigo 51.º do Código do Trabalho, conjugado com a alínea b) do n.º 1 do artigo 98.º da Lei n.º 35/2004, de 29 de Julho Processo

Leia mais

ESTATUTO CONTRATUAL DO ADVOGADO ESTAGIÁRIO - A AUTONOMIA DO CANDIDATO À ADVOCACIA E AS RESPONSABILIDADES DO PATRONO

ESTATUTO CONTRATUAL DO ADVOGADO ESTAGIÁRIO - A AUTONOMIA DO CANDIDATO À ADVOCACIA E AS RESPONSABILIDADES DO PATRONO ESTATUTO CONTRATUAL DO ADVOGADO ESTAGIÁRIO - A AUTONOMIA DO CANDIDATO À ADVOCACIA E AS RESPONSABILIDADES DO PATRONO O acesso pleno e autónomo ao exercício da advocacia depende de um tirocínio sob a orientação

Leia mais

Mestrado Profissionalizante

Mestrado Profissionalizante Mestrado Profissionalizante Curso de Especialização Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) - Ano Lectivo 2014/2015 2.º Semestre Disciplina de REGULAÇÃO DA ECONOMIA PROGRAMA Regência Professor

Leia mais

VI CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INTELECTUAL 2015 APRESENTAÇÃO DO CURSO PROGRAMA

VI CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INTELECTUAL 2015 APRESENTAÇÃO DO CURSO PROGRAMA VI CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INTELECTUAL 2015 APRESENTAÇÃO DO CURSO A Associação Portuguesa de Direito Intelectual leva a cabo em 2015, em parceria com a Faculdade de Direito da Universidade de

Leia mais

ASSEMBLÉIA NACIONAL CAPÍTULO I

ASSEMBLÉIA NACIONAL CAPÍTULO I ASSEMBLÉIA NACIONAL Lei n.º 3/94 de 21 de Janeiro O Regime Jurídico dos Estrangeiros na República de Angola é parcialmente regulado pela Lei n.º 4/93, de 26 de Maio e pelo Decreto n.º 13/78, de 1º de Fevereiro.

Leia mais

ORA newsletter. Resumo Fiscal/Legal Fevereiro de 2011 1 Arbitragem Tributária 2 Preços de Transferência em Altura de Crise 4 Revisores e Auditores 6

ORA newsletter. Resumo Fiscal/Legal Fevereiro de 2011 1 Arbitragem Tributária 2 Preços de Transferência em Altura de Crise 4 Revisores e Auditores 6 Assuntos Resumo Fiscal/Legal Fevereiro de 2011 1 Arbitragem Tributária 2 Preços de Transferência em Altura de Crise 4 Revisores e Auditores 6 LEGISLAÇÃO FISCAL/LEGAL FEVEREIRO DE 2011 Assembleia da República

Leia mais

MERCADO DO SEGURO DE CRÉDITO À EXPORTAÇÃO DE OPERAÇÕES GARANTIDAS A CURTO PRAZO EM PORTUGAL

MERCADO DO SEGURO DE CRÉDITO À EXPORTAÇÃO DE OPERAÇÕES GARANTIDAS A CURTO PRAZO EM PORTUGAL COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 27.10.2010 C(2010)7275 final Na versão publicada da presente decisão foram omitidas algumas informações em conformidade com o disposto nos artigos 24.º e 25.º do Regulamento

Leia mais

Programa da disciplina de Direito Comercial I

Programa da disciplina de Direito Comercial I Universidade de Macau Faculdade de Direito Ano lectivo 2010/2011 Programa da disciplina de Direito Comercial I Regente: Mestre Augusto Teixeira Garcia Assistente: Mestre Miguel Quental Programa da disciplina

Leia mais

NEWSLETTER I SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS

NEWSLETTER I SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS NEWSLETTER I SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS NEWSLETTER SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS 2.º Trimestre I SISTEMAS DE GARANTIA DE DEPÓSITOS 2 II Legislação A. Direito Bancário Institucional

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO. 12, 13 e 14 de MARÇO de 2015 / 2ª EDIÇÃO. www.direito.porto.ucp.pt PROGRAMA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO. 12, 13 e 14 de MARÇO de 2015 / 2ª EDIÇÃO. www.direito.porto.ucp.pt PROGRAMA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO Curso Aplicação do direito da concorrência da UE pelos tribunais nacionais Ação de Formação Contínua Tipo B 12, 13 e 14 de MARÇO de 2015 / 2ª EDIÇÃO www.direito.porto.ucp.pt

Leia mais

O programa da UC encontra-se dividido em quatro (4) módulos principais. Cada módulo encontra-se organizado por tópicos

O programa da UC encontra-se dividido em quatro (4) módulos principais. Cada módulo encontra-se organizado por tópicos CONTABILIDADE FINANCEIRA PÚBLICA I [14000] GERAL Ano Letivo: 201415 Grupo Disciplinar: Contabilidade Pública ECTS: 4,5 Regime: EL Semestre: S1 OBJETIVOS São objectivos da unidade curricular: Compreender

Leia mais

DIREITO COMUNITÁRIO, CONCORRÊNCIA E PROPRIEDADE INDUSTRIAL

DIREITO COMUNITÁRIO, CONCORRÊNCIA E PROPRIEDADE INDUSTRIAL DIREITO COMUNITÁRIO, CONCORRÊNCIA E Legislação Alterações ao Regulamento REACH A Comissão Europeia, por decisão tomada no dia 22 de Junho de 2009, alterou o anexo XVII do Regulamento (CE) n.º 1907/2006,

Leia mais

Título: Proíbe e sanciona a discriminação em função do sexo no acesso a bens e serviços e seu fornecimento

Título: Proíbe e sanciona a discriminação em função do sexo no acesso a bens e serviços e seu fornecimento Título: Proíbe e sanciona a discriminação em função do sexo no acesso a bens e serviços e seu fornecimento Autor: Eurico Santos, Advogado Correio eletrónico do Autor: euricosantos@sapo.pt N.º de Páginas:

Leia mais

Tribunal de Contas I. RELATÓRIO II. FUNDAMENTAÇÃO PROCESSO Nº 86/2015 FACTOS. Relatora: Helena Abreu Lopes

Tribunal de Contas I. RELATÓRIO II. FUNDAMENTAÇÃO PROCESSO Nº 86/2015 FACTOS. Relatora: Helena Abreu Lopes Não transitado em julgado ACÓRDÃO N.º 5/2015-10.FEV-1ªS/SS PROCESSO Nº 86/2015 Relatora: Helena Abreu Lopes Acordam os Juízes do Tribunal de Contas, em Subsecção da 1.ª Secção: I. RELATÓRIO 1. A Junta

Leia mais

INTRODUÇÃO 1 COMPROMISSO DA SONAE HOLDING

INTRODUÇÃO 1 COMPROMISSO DA SONAE HOLDING Índice INTRODUÇÃO... 2 1 COMPROMISSO DA SONAE HOLDING... 2 2 COMPROMISSO DOS COLABORADORES... 2 3 PRINCÍPIOS DE RELACIONAMENTO... 3 3.1 RELAÇÕES COM ADMINISTRADORES E COLABORADORES... 3 3.2 RELAÇÕES COM

Leia mais

(Comunicações) COMISSÃO EUROPEIA. Orientações relativas às restrições verticais. (Texto relevante para efeitos do EEE) (2010/C 130/01) ÍNDICE

(Comunicações) COMISSÃO EUROPEIA. Orientações relativas às restrições verticais. (Texto relevante para efeitos do EEE) (2010/C 130/01) ÍNDICE 19.5.2010 Jornal Oficial da União Europeia C 130/1 II (Comunicações) COMUNICAÇÕES ORIUNDAS DAS INSTITUIÇÕES, ÓRGÃOS E ORGANISMOS DA UNIÃO EUROPEIA COMISSÃO EUROPEIA Orientações relativas às restrições

Leia mais

quadro para a regulação e gestão de resíduos na Região Autónoma dos Açores.

quadro para a regulação e gestão de resíduos na Região Autónoma dos Açores. Associaçãode Municípios da Região Autónoma dos Açores Informação Inf. no 12 / 2007 Assunto: Proposta e Decreto Legislativo Regional no 10/2007 - Define o quadro para a regulação e gestão de resíduos na

Leia mais

PROJECTO DE RELATÓRIO

PROJECTO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão do Mercado Interno e da Protecção dos Consumidores 22.6.2011 2011/2084(INI) PROJECTO DE RELATÓRIO sobre os jogos em linha no mercado interno (2011/2084(INI)) Comissão

Leia mais

pós-graduação fiscalidade Janeiro.10 Dezembro.10

pós-graduação fiscalidade Janeiro.10 Dezembro.10 pós-graduação fiscalidade Janeiro.10 Dezembro.10 pós-graduação fiscalidade A Pós-Graduação em Fiscalidade destina-se a jovens juristas ou outros profissionais que pretendem iniciar ou progredir numa carreira

Leia mais

PRÉMIO MELHOR JOVEM ADVOGADO

PRÉMIO MELHOR JOVEM ADVOGADO PRÉMIO MELHOR JOVEM ADVOGADO Regulamento Artigo 1.º ( Promotores ) O Prémio Melhor Jovem Advogado em direito de negócios, adiante designado por PRÉMIO e instituído pela Simmons & Simmons Rebelo de Sousa,

Leia mais

A Reforma do Sistema de Marcas da União Europeia. Ana de Sampaio J. E. Dias Costa, Lda. Lisbon Portugal www.jedc.pt

A Reforma do Sistema de Marcas da União Europeia. Ana de Sampaio J. E. Dias Costa, Lda. Lisbon Portugal www.jedc.pt A Reforma do Sistema de Marcas da União Europeia Ana de Sampaio J. E. Dias Costa, Lda. Lisbon Portugal www.jedc.pt Algumas etapas: Maio 2007 Conselho de Competitividade da UE lança as bases para a realização

Leia mais

A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO ANGOLANA

A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO ANGOLANA CONFERÊNCIA PROFISSIONAL A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO ANGOLANA A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO ANGOLANA 2015 QUEM GANHA E QUEM PERDE? Actualize-se, através de um dos Melhores Especialistas, acerca do Novo

Leia mais

Flash Informativo. Direito Comunitário, Concorrência e Propriedade Industrial Período de 7 de Fevereiro a 13 de Março de 2007 JURISPRUDENCIA

Flash Informativo. Direito Comunitário, Concorrência e Propriedade Industrial Período de 7 de Fevereiro a 13 de Março de 2007 JURISPRUDENCIA Flash Informativo Direito Comunitário, Concorrência e Propriedade Industrial Período de 7 de Fevereiro a 13 de Março de 2007 JURISPRUDENCIA Tribunal de Primeira Instância (TPI) confirma a decisão da Comissão

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: Assunto:

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: Assunto: FICHA DOUTRINÁRIA Diploma: Artigo: Assunto: CIVA 9º Isenções Prestações de serviços designadas "business broker", isto é, intermediário na compra e venda de participações sociais de sociedades. Processo:

Leia mais

Diário da República Electrónico (DRE) Tutorial de pesquisa

Diário da República Electrónico (DRE) Tutorial de pesquisa Diário da República Electrónico (DRE) Tutorial de pesquisa Tutorial de pesquisa no Diário da República Electrónico (DRE) índice 1. A legislação do DR 2. A pesquisa no DR 1.1. I Série 1.2. II Série 1.3.

Leia mais

PROPIEDADE INTELECTUAL NA INTERNET

PROPIEDADE INTELECTUAL NA INTERNET PROPIEDADE INTELECTUAL NA INTERNET Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa 2 de dezembro (09h-14h) Carlos Guervós Maíllo (Moderador) Subdirector General de Propiedad Intelectual (Secretaría de Estado de Cultura)

Leia mais

1.ª Conferência de Lisboa sobre o Direito e a Economia da Concorrência

1.ª Conferência de Lisboa sobre o Direito e a Economia da Concorrência 1.ª Conferência de Lisboa sobre o Direito e a Economia da Concorrência Segundo os seus Estatutos, a Autoridade da Concorrência deve promover a investigação em matéria da defesa da concorrência e fomentar

Leia mais

Enquadramento Jurídico de JESSICA: Aspectos Institucionais. José María Fernández Martín Lisboa, 18 Fevereiro 2008

Enquadramento Jurídico de JESSICA: Aspectos Institucionais. José María Fernández Martín Lisboa, 18 Fevereiro 2008 Enquadramento Jurídico de JESSICA: Aspectos Institucionais José María Fernández Martín Lisboa, 18 Fevereiro 2008 Enquadramento legislativo O enquadramento legislativo da iniciativa JESSICA é constituído

Leia mais

V CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INTELECTUAL 2014 APRESENTAÇÃO DO CURSO PROGRAMA

V CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INTELECTUAL 2014 APRESENTAÇÃO DO CURSO PROGRAMA V CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INTELECTUAL 2014 APRESENTAÇÃO DO CURSO Dando continuidade à atividade de formação encetada há cerca de vinte anos em parceria com a Faculdade de Direito da Universidade

Leia mais

Exma. Senhora Chefe do Gabinete de Sua Excelência a Presidente da Assembleia da República Dra. Noémia Pizarro RESPOSTA AO REQUERIMENTO N.º 36/XII/3.

Exma. Senhora Chefe do Gabinete de Sua Excelência a Presidente da Assembleia da República Dra. Noémia Pizarro RESPOSTA AO REQUERIMENTO N.º 36/XII/3. Exma. Senhora Chefe do Gabinete de Sua Excelência a Presidente da Assembleia da República Dra. Noémia Pizarro SUA REFERÊNCIA SUA COMUNICAÇÃO DE NOSSA REFERÊNCIA Nº: 121 ENT.: 91 PROC. Nº: DATA 10/01/2014

Leia mais

ACÓRDÃO. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS Gabinete do Desembargador RAFAEL DE ARAÚJO ROMANO TRIBUNAL PLENO

ACÓRDÃO. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS Gabinete do Desembargador RAFAEL DE ARAÚJO ROMANO TRIBUNAL PLENO TRIBUNAL PLENO Ação Direta de Inconstitucionalidade Autos n. 2008.005668-5 Requerente: Partido Socialista.Brasileiro -PSB Advogada: Flávia Manarte Hanna Relator: Desdor. Rafael de Araújo Romano EMENTA:

Leia mais

JORNADA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL

JORNADA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL JORNADA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL Coordenadores: Prof. Doutor José de Oliveira Ascensão (FDUL/APDI) Prof.ª Doutora Mafalda Videira (FFUL) Mestra Teresa Garcia (APDI) Dr. Heitor Costa (APIFARMA) Prof. Doutor

Leia mais

REGULAMENTO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO EXTERIOR DA UNIVERSIDADE DO PORTO

REGULAMENTO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO EXTERIOR DA UNIVERSIDADE DO PORTO Regulamentos REGULAMENTO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO EXTERIOR DA UNIVERSIDADE DO PORTO A prestação de serviços ao exterior por docentes com contrato em funções públicas, em regime de dedicação exclusiva,

Leia mais

Só um ou, quando muito, dois membros do órgão de gestão ou administração da empresa local pode ser remunerado.

Só um ou, quando muito, dois membros do órgão de gestão ou administração da empresa local pode ser remunerado. 1 Só um ou, quando muito, dois membros do órgão de gestão ou administração da empresa local pode ser remunerado. Artigo 25.º, n.ºs 3 e 4 da Lei n.º 50/2012, de 31 de agosto O valor da remuneração do(s)

Leia mais

Desenvolvimento das relações entre o Parlamento Europeu e os parlamentos nacionais no quadro do Tratado de Lisboa

Desenvolvimento das relações entre o Parlamento Europeu e os parlamentos nacionais no quadro do Tratado de Lisboa C 212 E/94 Jornal Oficial da União Europeia 5.8.2010 Desenvolvimento das relações entre o Parlamento Europeu e os parlamentos nacionais no quadro do Tratado de Lisboa P6_TA(2009)0388 Resolução do Parlamento

Leia mais

BOLETIM FISCAL 1. LEGISLAÇÃO NACIONAL. março de 2014. 1.5. Declaração de retificação n.º 18/2014, de 13 de março

BOLETIM FISCAL 1. LEGISLAÇÃO NACIONAL. março de 2014. 1.5. Declaração de retificação n.º 18/2014, de 13 de março ÍNDICE 1. LEGISLAÇÃO NACIONAL 2. TEMAS DE DIREITO INTERNACIONAL 1. LEGISLAÇÃO NACIONAL 1.1 Portaria n.º 77-A/2014, de 31 de março Regulamenta os critérios de atribuição às Regiões Autónomas da Madeira

Leia mais

TEMÁRIO PROVISÓRIO Módulo I Propriedade Industrial 16/01/2010 23/01/2010

TEMÁRIO PROVISÓRIO Módulo I Propriedade Industrial 16/01/2010 23/01/2010 I CURSO PÓS-GRADUADO DE DIREITO INTELECTUAL Coordenador: Prof. Doutor José de Oliveira Ascensão TEMÁRIO PROVISÓRIO Módulo I Propriedade Industrial (sábados, Janeiro Março) 16/01/2010 1. OS GENÉRICOS E

Leia mais

Caracterização dos cursos de licenciatura

Caracterização dos cursos de licenciatura Caracterização dos cursos de licenciatura 1. Identificação do ciclo de estudos em funcionamento Os cursos de 1º ciclo actualmente em funcionamento de cuja reorganização resultam os novos cursos submetidos

Leia mais

3. A autonomia político-administrativa regional não afecta a integridade da soberania do Estado e exerce-se no quadro da Constituição.

3. A autonomia político-administrativa regional não afecta a integridade da soberania do Estado e exerce-se no quadro da Constituição. TÍTULO VII - Regiões autónomas Artigo 225.º (Regime político-administrativo dos Açores e da Madeira) 1. O regime político-administrativo próprio dos arquipélagos dos Açores e da Madeira fundamenta-se nas

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA Artigo: 9º; 18º.

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA Artigo: 9º; 18º. Diploma: CIVA Artigo: 9º; 18º. FICHA DOUTRINÁRIA Assunto: Isenções Taxas Direito à dedução - Complexo Desportivo de Município Piscinas municipais, aulas de hidroginástica e de ginástica diversas; prática

Leia mais

DIREITO PENAL. PARTE ESPECIAL ESBOÇO DE PROGRAMA I INTRODUÇÃO. 1. Parte especial como conjunto de tipos de crime e como ordem de bens jurídicos.

DIREITO PENAL. PARTE ESPECIAL ESBOÇO DE PROGRAMA I INTRODUÇÃO. 1. Parte especial como conjunto de tipos de crime e como ordem de bens jurídicos. Teresa Quintela de Brito DIREITO PENAL. PARTE ESPECIAL ESBOÇO DE PROGRAMA I INTRODUÇÃO 1. Parte especial como conjunto de tipos de crime e como ordem de bens jurídicos. 2. Relações entre a parte geral

Leia mais

Discurso do Presidente da Autoridade da Concorrência. Abertura do 3.º Curso de Formação para Juízes em Direito Europeu da Concorrência

Discurso do Presidente da Autoridade da Concorrência. Abertura do 3.º Curso de Formação para Juízes em Direito Europeu da Concorrência Discurso do Presidente da Autoridade da Concorrência Abertura do 3.º Curso de Formação para Juízes em Direito Europeu da Concorrência 7 de maio de 2014 Senhores Coordenadores do Curso de Formação para

Leia mais

Universidade Agostinho Neto Faculdade de Letras. Prof. Me. Manuel Ribeiro Sebastiao

Universidade Agostinho Neto Faculdade de Letras. Prof. Me. Manuel Ribeiro Sebastiao Universidade Agostinho Neto Faculdade de Letras Aulas de Pós Graduação Prof. Me. Manuel Ribeiro Sebastiao 1 Prof. Me. Manuel Ribeiro Sebastiao 2 Formação Académica Doutorando em Administração e Finanças;

Leia mais

ABREU INTERNATIONAL LEGAL SOLUTIONS. OUR INNOVATIVE SOLUTIONS WHEREVER YOU NEED US. our innovative solutions wherever you need us.

ABREU INTERNATIONAL LEGAL SOLUTIONS. OUR INNOVATIVE SOLUTIONS WHEREVER YOU NEED US. our innovative solutions wherever you need us. ABREU INTERNATIONAL LEGAL SOLUTIONS OUR INNOVATIVE SOLUTIONS WHEREVER YOU NEED US. our innovative solutions wherever you need us. Constituída em 1993 a AB é uma das maiores Sociedades de Advogados portuguesas

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Local de nascimento: Barcelos, concelho de Barcelos, distrito de Braga.

CURRICULUM VITAE. Local de nascimento: Barcelos, concelho de Barcelos, distrito de Braga. 1 CURRICULUM VITAE Nome completo: José Paulo Fernandes Mariano Pego. Local de nascimento: Barcelos, concelho de Barcelos, distrito de Braga. Ano de nascimento: 1967. E-mail: jpmpego@fd.uc.pt Qualificações

Leia mais

NEWSLETTER I CONCORRÊNCIA

NEWSLETTER I CONCORRÊNCIA NEWSLETTER I CONCORRÊNCIA NEWSLETTER CONCORRÊNCIA I 1.º Trimestre 2015 I Destaques Nacionais 2 II Destaques Europeus 4 III Moçambique 6 NEWSLETTER CONCORRÊNCIA I DESTAQUES NACIONAIS Tribunal da Relação

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: 9º. Assunto:

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: 9º. Assunto: FICHA DOUTRINÁRIA Diploma: Artigo: Assunto: CIVA 9º. Enquadramento - Concessão do Direito de Construção, Gestão e Exploração Comercial, em Regime de Serviço Público, da Plataforma Logística. Processo:

Leia mais

Desmaterialização de Actos e Processos na Justiça. Projecto de desmaterialização de actos e processos na Justiça

Desmaterialização de Actos e Processos na Justiça. Projecto de desmaterialização de actos e processos na Justiça Entrega de peças processuais e de documentos por via electrónica http://citius.tribunaisnet.mj.pt Desmaterialização de Actos e Processos na Justiça Projecto de desmaterialização de actos e processos na

Leia mais

2.1. Objectivo Geral: Ministrar uma formação especializada sobre matérias de segurança, numa óptica multidisciplinar, mas integrada.

2.1. Objectivo Geral: Ministrar uma formação especializada sobre matérias de segurança, numa óptica multidisciplinar, mas integrada. PROGRAMA DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO E SEGURANÇA 1. Apresentação A Fundação Direito e Justiça e o Instituto Superior de Ciências Jurídicas e Sociais, em parceria, com a Faculdade de Direito da

Leia mais

1.º MÉRITO DO PROJECTO

1.º MÉRITO DO PROJECTO SISTEMA DE APOIO A ENTIDADES DO SISTEMA CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO NACIONAL CRITÉRIOS DE SELECÇÃO O Regulamento do Sistema de Apoio a Entidades do Sistema Científico e Tecnológico Nacional definiu as regras

Leia mais

CURRICULUM VITAE JOSÉ DE OLIVEIRA ASCENSÃO

CURRICULUM VITAE JOSÉ DE OLIVEIRA ASCENSÃO PROF. DOUTOR J. OLIVEIRA ASCENSÃO CURRICULUM VITAE DE JOSÉ DE OLIVEIRA ASCENSÃO Professor catedrático da Faculdade de Direito de Lisboa e advogado, nascido em Luanda a 13 de Novembro de 1932 PROF. DOUTOR

Leia mais

Concorrência no sector Hospitalar Manuel Cabugueira*

Concorrência no sector Hospitalar Manuel Cabugueira* Concorrência no sector Hospitalar Manuel Cabugueira* *O conteúdo desta apresentação, bem como toda e qualquer afirmação ou comentário proferido no decurso da mesma são da exclusiva responsabilidade do

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO E FISCAL ANO LECTIVO 2005/2006 PROGRAMA

DIREITO FINANCEIRO E FISCAL ANO LECTIVO 2005/2006 PROGRAMA DIREITO FINANCEIRO E FISCAL ANO LECTIVO 2005/2006 PROGRAMA Introdução I. Aspectos gerais 1. As Finanças Públicas. Questões de ordem geral 2. Fixação de terminologia (Direito Financeiro, Economia Pública,

Leia mais

CURRICULUM VITAE SÍNTESE JORGE JÚLIO LANDEIRO DE VAZ

CURRICULUM VITAE SÍNTESE JORGE JÚLIO LANDEIRO DE VAZ CURRICULUM VITAE SÍNTESE JORGE JÚLIO LANDEIRO DE VAZ MAIO DE 2012 1. DADOS PESSOAIS Nome: JORGE JÚLIO LANDEIRO DE VAZ 2. HABILITAÇÕES ACADÉMICAS 2011 Auditor de Defesa Nacional Curso de Defesa Nacional

Leia mais

II CURSO DE VERÃO DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL PROGRAMA SEGUNDA-FEIRA 6/07/09

II CURSO DE VERÃO DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL PROGRAMA SEGUNDA-FEIRA 6/07/09 FACULDADE DE DIREITO DE LISBOA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DIREITO INTELECTUAL II CURSO DE VERÃO DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL 6 a 10 de Julho de 2009 Coordenador: Prof. Doutor José de Oliveira Ascensão PROGRAMA

Leia mais

CURRICULUM VITÆ JOÃO CARLOS ALBUQUERQUE AMARAL E ALMEIDA. Nasceu em Mangualde, distrito de Viseu, a 3 de Setembro de 1964.

CURRICULUM VITÆ JOÃO CARLOS ALBUQUERQUE AMARAL E ALMEIDA. Nasceu em Mangualde, distrito de Viseu, a 3 de Setembro de 1964. CURRICULUM VITÆ JOÃO CARLOS ALBUQUERQUE AMARAL E ALMEIDA DADOS PESSOAIS: Nasceu em Mangualde, distrito de Viseu, a 3 de Setembro de 1964. Estado civil: solteiro. Trabalha em Lisboa, com escritório na Rua

Leia mais

INFORMAÇÃO TÉCNICA N.º 28/2013. Retenções na fonte a rendimentos obtidos por não residentes Lei n.º 55/2013, de 08.08, e obrigações declarativas

INFORMAÇÃO TÉCNICA N.º 28/2013. Retenções na fonte a rendimentos obtidos por não residentes Lei n.º 55/2013, de 08.08, e obrigações declarativas INFORMAÇÃO TÉCNICA N.º 28/2013 Retenções na fonte a rendimentos obtidos por não residentes Lei n.º 55/2013, de 08.08, e obrigações declarativas A presente informação técnica substitui a informação 27/2008,

Leia mais

DIREITO COMUNITÁRIO, CONCORRÊNCIA E PROPRIEDADE INDUSTRIAL

DIREITO COMUNITÁRIO, CONCORRÊNCIA E PROPRIEDADE INDUSTRIAL DIREITO COMUNITÁRIO, CONCORRÊNCIA E Notícias Sistema Comunitário do IVA Conclusões do ECOFIN de 4/12/2007 Os Ministros da Economia e das Finanças, reunidos no passado dia 4 de Dezembro, chegaram a acordo

Leia mais

GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO

GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO RESPOSTA ÀS QUESTÕES MAIS FREQUENTES Agosto 2006 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa

Leia mais

Literacia Financeira junto dos Estudantes do Ensino Superior e Empresários (ou falta dela?)

Literacia Financeira junto dos Estudantes do Ensino Superior e Empresários (ou falta dela?) Literacia Financeira junto dos Estudantes do Ensino Superior e Empresários (ou falta dela?) ALF Associação Portuguesa de Leasing, Factoring e Renting 25.10.2013 4ª Conferência Internacional de Educação

Leia mais

A APLICAÇÃO DO DIREITO DA CONCORRÊNCIA DA UNIÃO EUROPEIA PELOS TRIBUNAIS COMUNS EM PORTUGAL (AC. RELAÇÃO DO PORTO DE 12.04.2010)

A APLICAÇÃO DO DIREITO DA CONCORRÊNCIA DA UNIÃO EUROPEIA PELOS TRIBUNAIS COMUNS EM PORTUGAL (AC. RELAÇÃO DO PORTO DE 12.04.2010) ARTÍCULOS 49 A APLICAÇÃO DO DIREITO DA CONCORRÊNCIA DA UNIÃO EUROPEIA PELOS TRIBUNAIS COMUNS EM PORTUGAL (AC. RELAÇÃO DO PORTO DE 12.04.2010) JOAQUIM CAIMOTO DUARTE E TÂNIA LUÍSA FARIA Advogados (*) A

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca r f Considerei particularmente oportuno

Leia mais

QREN (2007-2013) PARTE I ESTRUTURA DO QUADRO DE REFERÊNCIA ESTRATÉGICO NACIONAL

QREN (2007-2013) PARTE I ESTRUTURA DO QUADRO DE REFERÊNCIA ESTRATÉGICO NACIONAL QREN (2007-2013) PARTE I ESTRUTURA DO QUADRO DE REFERÊNCIA ESTRATÉGICO NACIONAL O Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), que define as orientações fundamentais para a utilização nacional dos

Leia mais

Direito Comunitário II. Comentário ao Acórdão C-176/03

Direito Comunitário II. Comentário ao Acórdão C-176/03 Luís Marques Direito Comunitário II Comentário ao Acórdão C-176/03 Faculdade De Direito Da Universidade de Coimbra Coimbra 2008 Luís Marques (2ª Turma) Direito Comunitário II Comentário ao Acórdão de 13

Leia mais

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Pedro Jorge Richheimer Marta de Sequeira Marília Oliveira Inácio Henriques 1 P á g i n a 1. Enquadramento da Candidatura

Leia mais

Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE

Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE Manuel Sebastião Brasília 21 de Maio de 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. MODERNIZAÇÃO DAS REGRAS ARTIGOS 81 e 82 3. O CONTROLO DE CONCENTRAÇÕES 4. CONCLUSÕES

Leia mais

Fórum Jurídico. Julho 2014 Contencioso INSTITUTO DO CONHECIMENTO AB. www.abreuadvogados.com 1/5

Fórum Jurídico. Julho 2014 Contencioso INSTITUTO DO CONHECIMENTO AB. www.abreuadvogados.com 1/5 Julho 2014 Contencioso A Livraria Almedina e o Instituto do Conhecimento da Abreu Advogados celebraram em 2012 um protocolo de colaboração para as áreas editorial e de formação. Esta cooperação visa a

Leia mais

Flash Informativo. Direito Comunitário, Concorrência e Propriedade Industrial. Período de 17 de Março de 2006 a 29 de Março de 2006 JURISPRUDÊNCIA

Flash Informativo. Direito Comunitário, Concorrência e Propriedade Industrial. Período de 17 de Março de 2006 a 29 de Março de 2006 JURISPRUDÊNCIA Flash Informativo Direito Comunitário, Concorrência e Propriedade Industrial Período de 17 de Março de 2006 a 29 de Março de 2006 JURISPRUDÊNCIA Acórdãos do Tribunal de Primeira Instância da Comunidade

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS DESTAQUE. Agosto 2012 REVISÃO DA DIRECTIVA DO PROSPECTO E EFEITO DIRECTO EM PORTUGAL 1. INTRODUÇÃO

MERCADO DE CAPITAIS DESTAQUE. Agosto 2012 REVISÃO DA DIRECTIVA DO PROSPECTO E EFEITO DIRECTO EM PORTUGAL 1. INTRODUÇÃO DESTAQUE Agosto 2012 MERCADO DE CAPITAIS REVISÃO DA DIRECTIVA DO PROSPECTO E EFEITO DIRECTO EM PORTUGAL 1. INTRODUÇÃO Em 24 de Novembro de 2010, no âmbito da iniciativa Better Regulation e com o intuito

Leia mais