III - Curso Pós-Graduado de Direito Intelectual. Associação Portuguesa de Direito Intelectual - APDI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "III - Curso Pós-Graduado de Direito Intelectual. Associação Portuguesa de Direito Intelectual - APDI"

Transcrição

1 III - Curso Pós-Graduado de Direito Intelectual Associação Portuguesa de Direito Intelectual - APDI TEMA Direitos da Propriedade Intelectual e a Direito Europeu e Nacional da Concorrência (Introdução ao Direito da Concorrência na perspectiva da sua Interacção com o Direito da Propriedade Intelectual) Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa 3 de Março de 2012 Luís D. S. Morais Doutor em Direito Professor Associado da Faculdade de Direito de Lisboa Advogado Blog Pessoal Especializado em Direito da Concorrência Hiperligação no Site do INSTITUTO EUROPEU para a Área de Cátedra JEAN MONNET em Regulação Económico (actividades/papers/conferências) cle&id=137&itemid=42&lang=pt

2 TEMA Direitos da Propriedade Intelectual e a Direito Europeu e Nacional da Concorrência (Introdução ao Direito da Concorrência na perspectiva da sua Interacção com o Direito da Propriedade Intelectual) 1. Introdução e razão de ordem Direito da concorrência (perspectiva normativa horizontal) e regulação da economia (perspectiva normativa vertical) 2.1. Direito nacional da concorrência Lei n.º 18/2003, de 11 de Junho (perspectivas actuais de reforma face ao Anteprojecto de novo regime de defesa da concorrência aprovado na generalidade pela Assembleia da República em Fevereiro de 2012) 2.2. Direito da concorrência da UE normas de direito europeu originárias especialmente artigos 101.º e 102.º do Tratado Relativo ao Funcionamento da UE (TFUE) CE e artigos 106.º a 108.º do Tratado CE normas de direito europeu derivado. 3. A estrutura normativa típica dos ordenamentos da concorrência maxime do ordenamento nacional e do ordenamento da UE (breve referência ao direito antitrust norte-americano) Tipologia essencial de normas de concorrência Normas aplicáveis a Empresas e normas aplicáveis a Estados 2

3 O conceito específico de empresa em sede de direito da concorrência Das normas aplicáveis a empresas em especial Normas de comportamento regimes aplicáveis aos processos de cooperação empresarial (artigos 4.º e 5.º da Lei n.º 18/2003 e artigo 101.º do TFUE) Normas mistas regimes relativos ao abuso de posição dominante e ao abuso de dependência económica (artigos 6.º a 7.º da Lei n.º 18/2003 e artigo 102.º do TFUE) Normas estruturais - regimes de controlo directo de operações de concentração entre empresas (artigos 8.º a 12.º da Lei n.º 18/2003 e Regulamento (CE) n.º 139/2004, JOCE n.º L 24/1, de 29 de Janeiro de 2004) Normas de concorrência aplicáveis aos Estados proibição dos auxílios de Estado e proibição de actos do Estado e de entidades públicas dirigidos às empresas que impliquem violações das normas e princípios da concorrência (artigo 13.º da Lei n.º 18/2003 e artigos 86.º, 88.º e 88.º do Tratado CE) Brevíssima referência Justificação do enfoque privilegiado quanto às normas de concorrência aplicáveis às empresas. 3

4 4.1. A potencial tensão entre o direito da concorrência e o direito da propriedade intelectual Perspectiva geral A actual contestação teórica, no quadro do ordenamento e da doutrina norte-americanas, em relação à extensão e profundidade da tutela da propriedade intelectual e a rejeição dessas teses (v.g. na argumentação de RICHARD EPSTEIN desenvolvida no Estudo Intellectual Property for the Technological Age, 2006).* *Estudo distribuído com a Documentação do curso As principais áreas de intersecção entre os direitos de propriedade intelectual, e o direito da concorrência (com enfoque no direito da concorrência da UE e no direito da concorrência nacional) Os regimes de cooperação entre empresas disciplinados pelo artigo 101.º do TFUE e pelos artigos 4.º e 5.º da Lei n.º 18/2003 e acordos de licença de exploração de direitos da propriedade intelectual Os regimes de cooperação entre empresas disciplinados pelo artigo 101.º do TFUE e pelos artigos 4.º e 5.º da Lei n.º 18/2003 e acordos de licença de exploração de direitos da propriedade intelectual CONTINUAÇÃO das licenças exclusivas em particular O Regulamento de isenção por categoria (CE) n.º 772/2004 relativo a certas categorias de acordos de transferência de tecnologia compreendendo determinadas licenças de exploração de direitos da 4

5 propriedade intelectual (JOCE L 123/11, 2004) principais aspectos relevantes Da especial relevância do Regulamento de isenção por categoria (CE) n.º 772/2004 em sede de direito nacional ex vi do estatuído no n.º 3 do artigo 5.º da Lei n.º 18/2003 (determinando a justificação de práticas de cooperação em princípio proibidos no quadro do direito nacional da concorrência desde que preencham requisitos de aplicação de Regulamentos de isenção por categoria em sede de direito europeu da concorrência) O regime de abuso de posição dominante disciplinado pelo artigo 102.º do TFUE e pelo artigo 6.º da Lei n.º 18/2003 e os direitos de propriedade intelectual perspectiva geral O problema fundamental das recusas de licenciamento de direitos da propriedade intelectual e o seu potencial carácter abusivo em sede de direito da concorrência O problema fundamental das recusas de licenciamento de direitos da propriedade intelectual e o seu potencial carácter abusivo em sede de direito da concorrência CONTINUAÇÃO Referência a alguns precedentes jurisprudenciais mais importantes em sede de direito europeu da concorrência (o caso IMS, entre outros acórdão do TJUE, anterior TJCE, de 29 de Abril de 2004 IMS Health GmbH, proc. C-418/01). 5. Uma área especialmente paradigmática de tensão entre o regime de direitos da propriedade industrial e o direito da concorrência o sector farmacêutico Perspectiva geral e desenvolvimentos relevantes o 5

6 precedente essencial do acórdão AstraZeneca do Tribunal Geral (acórdão de 1 de Julho de 2010 proc T 321/05 em recurso ulterior proc C- 457/10P) e as indefinições ainda resultantes do mesmo 6. Sinopse e visão conclusiva geral direito da concorrência em tensão com direitos da propriedade intelectual. 6

PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA

PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) Ano lectivo 2010-2011 PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Setembro 2010 Regente/Coordenador Luís D. S. Morais BLOG pessoal especializado em direito

Leia mais

CURSO DE CONTRATAÇÃO PÚBLICA E CONCORRÊNCIA

CURSO DE CONTRATAÇÃO PÚBLICA E CONCORRÊNCIA CURSO DE CONTRATAÇÃO PÚBLICA E CONCORRÊNCIA Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa 19 de Dezembro de 2011 Acordos entre Empresas: Os conluios entre os operadores económicos Luís Silva Morais

Leia mais

PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano

PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) Ano lectivo 2014-2015 Introdução PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Professor Doutor Nuno Cunha Rodrigues DIREITO DA ECONOMIA PROGRAMA Setembro 2014

Leia mais

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM DIREITO EMPRESARIAL

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM DIREITO EMPRESARIAL CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM DIREITO EMPRESARIAL Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) 7 de Maio de 2012 Regras Gerais de Concorrência e COOPERAÇÃO EMPRESARIAL Luís Silva Morais Professor Associado

Leia mais

Mestrado Profissionalizante

Mestrado Profissionalizante Mestrado Profissionalizante Curso de Especialização Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) - Ano Lectivo 2010/2011 2.º Semestre Disciplina de REGULAÇÃO DA ECONOMIA PROGRAMA Coordenação Professor

Leia mais

Direito da Economia Programa

Direito da Economia Programa Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa Licenciatura em Direito 2011/2012 Direito da Economia Programa Aulas 1/2-20 de Setembro Apresentação do programa, bibliografia, métodos de ensino e aprendizagem

Leia mais

CONFERÊNCIA A Nova Lei das Associações Públicas Profissionais; Desafios e Oportunidades

CONFERÊNCIA A Nova Lei das Associações Públicas Profissionais; Desafios e Oportunidades CONFERÊNCIA A Nova Lei das Associações Públicas Profissionais; Desafios e Oportunidades Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) 24 de Setembro de 2014 O Regime das Associações Públicas Profissionais

Leia mais

CONCORRÊNCIA E REGULAÇÃO ECONÓMICA REFORMAS EM CURSO NOS DOIS LADOS DO ATLÂNTICO (BRASIL E PORTUGAL)

CONCORRÊNCIA E REGULAÇÃO ECONÓMICA REFORMAS EM CURSO NOS DOIS LADOS DO ATLÂNTICO (BRASIL E PORTUGAL) CONCORRÊNCIA E REGULAÇÃO ECONÓMICA REFORMAS EM CURSO NOS DOIS LADOS DO ATLÂNTICO (BRASIL E PORTUGAL) 31 DE MAIO 2012, UNIVERSIDADE S. JUDAS TADEU, S. PAULO, BRASIL UM NOVO REGIME DE DEFESA DA CONCORRÊNCIA

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO. 27, 28 e 29 de março de 2014. www.direito.porto.ucp.pt PROGRAMA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO. 27, 28 e 29 de março de 2014. www.direito.porto.ucp.pt PROGRAMA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO Curso Aplicação do direito da concorrência da UE pelos tribunais nacionais Ação de Formação Contínua Tipo B 27, 28 e 29 de março de 2014 www.direito.porto.ucp.pt

Leia mais

POR KILUANGE TINY. Outubro, 2004.

POR KILUANGE TINY. Outubro, 2004. A ORGANIZAÇÃO ESTATAL DO SECTOR PETROLÍFERO EM POR KILUANGE TINY Outubro, 2004. Este documento está protegido pelo direito de autor nos termos da lei portuguesa, do direito comunitário e do direito internacional.

Leia mais

TEMÁRIO PROVISÓRIO Módulo I Propriedade Industrial 16/01/2010 23/01/2010

TEMÁRIO PROVISÓRIO Módulo I Propriedade Industrial 16/01/2010 23/01/2010 I CURSO PÓS-GRADUADO DE DIREITO INTELECTUAL Coordenador: Prof. Doutor José de Oliveira Ascensão TEMÁRIO PROVISÓRIO Módulo I Propriedade Industrial (sábados, Janeiro Março) 16/01/2010 1. OS GENÉRICOS E

Leia mais

PRÉMIOS CONSUMUS DIXIT FÓRUM DO CONSUMO

PRÉMIOS CONSUMUS DIXIT FÓRUM DO CONSUMO PRÉMIOS CONSUMUS DIXIT FÓRUM DO CONSUMO ETAPAS DO PROCESSO DE CANDIDATURA 1ª Etapa Candidaturas: 1 Out 2014 28 Fev 2015. O prémio Consumus Dixit é aberto a todos trabalhos profissionais, académicos, personalidades

Leia mais

Mestrado Profissionalizante

Mestrado Profissionalizante Mestrado Profissionalizante Curso de Especialização Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) - Ano Lectivo 2014/2015 2.º Semestre Disciplina de REGULAÇÃO DA ECONOMIA PROGRAMA Regência Professor

Leia mais

Diário da República Electrónico (DRE) Tutorial de pesquisa

Diário da República Electrónico (DRE) Tutorial de pesquisa Diário da República Electrónico (DRE) Tutorial de pesquisa Tutorial de pesquisa no Diário da República Electrónico (DRE) índice 1. A legislação do DR 2. A pesquisa no DR 1.1. I Série 1.2. II Série 1.3.

Leia mais

VI CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INTELECTUAL 2015 APRESENTAÇÃO DO CURSO PROGRAMA

VI CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INTELECTUAL 2015 APRESENTAÇÃO DO CURSO PROGRAMA VI CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INTELECTUAL 2015 APRESENTAÇÃO DO CURSO A Associação Portuguesa de Direito Intelectual leva a cabo em 2015, em parceria com a Faculdade de Direito da Universidade de

Leia mais

Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt

Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt Capitais Públicos e Capitais Privados no Mercado Interno: Assegurar um Ambiente Equitativo para Empresas Públicas e Privadas Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt XXIV Congresso FIDE Madrid 2010 Arial Bold

Leia mais

NEWSLETTER I SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS

NEWSLETTER I SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS NEWSLETTER I SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS NEWSLETTER SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS 2.º Trimestre I SISTEMAS DE GARANTIA DE DEPÓSITOS 2 II Legislação A. Direito Bancário Institucional

Leia mais

V CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INTELECTUAL 2014 APRESENTAÇÃO DO CURSO PROGRAMA

V CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INTELECTUAL 2014 APRESENTAÇÃO DO CURSO PROGRAMA V CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INTELECTUAL 2014 APRESENTAÇÃO DO CURSO Dando continuidade à atividade de formação encetada há cerca de vinte anos em parceria com a Faculdade de Direito da Universidade

Leia mais

Só um ou, quando muito, dois membros do órgão de gestão ou administração da empresa local pode ser remunerado.

Só um ou, quando muito, dois membros do órgão de gestão ou administração da empresa local pode ser remunerado. 1 Só um ou, quando muito, dois membros do órgão de gestão ou administração da empresa local pode ser remunerado. Artigo 25.º, n.ºs 3 e 4 da Lei n.º 50/2012, de 31 de agosto O valor da remuneração do(s)

Leia mais

Conferência de Imprensa OE - SE - SIPE - SERAM - SEP. 17 de Fevereiro 15H30. SANA Lisboa Hotel. Comunicado conjunto

Conferência de Imprensa OE - SE - SIPE - SERAM - SEP. 17 de Fevereiro 15H30. SANA Lisboa Hotel. Comunicado conjunto Conferência de Imprensa OE - SE - SIPE - SERAM - SEP 17 de Fevereiro 15H30 SANA Lisboa Hotel Comunicado conjunto Senhores jornalistas, Em primeiro lugar queremos agradecer a vossa presença. Ao convocar

Leia mais

NEWSLETTER I CONCORRÊNCIA

NEWSLETTER I CONCORRÊNCIA NEWSLETTER I CONCORRÊNCIA NEWSLETTER CONCORRÊNCIA I 1.º Trimestre 2016 I Destaques Nacionais 2 II Destaques Europeus 4 NEWSLETTER CONCORRÊNCIA I DESTAQUES NACIONAIS Tribunal da Concorrência Tribunal da

Leia mais

Aplicação do Regulamento «Reconhecimento Mútuo» a suplementos alimentares

Aplicação do Regulamento «Reconhecimento Mútuo» a suplementos alimentares COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO-GERAL DAS EMPRESAS E DA INDÚSTRIA Bruxelas, 1.2.2010 - Documento de orientação 1 Aplicação do Regulamento «Reconhecimento Mútuo» a suplementos alimentares 1. INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

JORNADA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL

JORNADA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL JORNADA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL Coordenadores: Prof. Doutor José de Oliveira Ascensão (FDUL/APDI) Prof.ª Doutora Mafalda Videira (FFUL) Mestra Teresa Garcia (APDI) Dr. Heitor Costa (APIFARMA) Prof. Doutor

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: 9º. Assunto:

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: 9º. Assunto: FICHA DOUTRINÁRIA Diploma: Artigo: Assunto: CIVA 9º. Enquadramento - Concessão do Direito de Construção, Gestão e Exploração Comercial, em Regime de Serviço Público, da Plataforma Logística. Processo:

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO I

DIREITO ADMINISTRATIVO I UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE DIREITO DIREITO ADMINISTRATIVO I 2.º Ano Turma B PROGRAMA DA DISCIPLINA Ano lectivo de 2011/2012 LISBOA 2011 Regente: Prof. Doutor Fausto de Quadros ELEMENTOS DE ESTUDO

Leia mais

DOUTRINA E COMENTÁRIO

DOUTRINA E COMENTÁRIO DOUTRINA E COMENTÁRIO SOBRE O EQUILÍBRIO FINANCEIRO DAS CONCES- SÕES E A TAXA INTERNA DE RENDIBILIDADE (TIR) ACCIONISTA: UMA PERSPECTIVA ECONÓMICA ANTÓNIO MARTINS Docente da Faculdade de Economia da Universidade

Leia mais

Dados Pessoais. Contactos profissionais: joaomiranda@fd.ul.pt jmiranda@falm.pt

Dados Pessoais. Contactos profissionais: joaomiranda@fd.ul.pt jmiranda@falm.pt I Dados Pessoais JOÃO PEDRO OLIVEIRA DE MIRANDA Nascido a 28 de Agosto de 1972 Natural de Lisboa Contactos profissionais: joaomiranda@fd.ul.pt jmiranda@falm.pt 1 II Dados Curriculares 1. Ocupações actuais

Leia mais

CONCURSO. A nossa escola pela não violência

CONCURSO. A nossa escola pela não violência CONCURSO A nossa escola pela não violência O concurso A nossa escola pela não violência pretende premiar produtos e acções de sensibilização produzidos por alunos e alunas do 3º Ciclo do Ensino Básico

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS DE PASSAGEIROS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS DE PASSAGEIROS REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS DE PASSAGEIROS Nota Justificativa A Lei n.º 18/97, de 11 de Junho, concedeu ao Governo autorização para legislar no

Leia mais

GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA EMPRESARIAL - ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE, OBJECTO, PRINCÍPIOS E VALORES

GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA EMPRESARIAL - ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE, OBJECTO, PRINCÍPIOS E VALORES GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA EMPRESARIAL - ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE, OBJECTO, PRINCÍPIOS E VALORES Art. 1º 1. GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA

Leia mais

1.ª Conferência de Lisboa sobre o Direito e a Economia da Concorrência

1.ª Conferência de Lisboa sobre o Direito e a Economia da Concorrência 1.ª Conferência de Lisboa sobre o Direito e a Economia da Concorrência Segundo os seus Estatutos, a Autoridade da Concorrência deve promover a investigação em matéria da defesa da concorrência e fomentar

Leia mais

PROTECÇÃO DAS MARCAS, PARA DEFESA DAS EMPRESAS ÍNDICE. Introdução. Terminologia e informações úteis

PROTECÇÃO DAS MARCAS, PARA DEFESA DAS EMPRESAS ÍNDICE. Introdução. Terminologia e informações úteis ÍNDICE Introdução Terminologia e informações úteis Recomendações para ajudar a prevenir a prática de actos ilegais Contactos úteis Diplomas legais mais relevantes 1/7 Introdução A protecção da propriedade

Leia mais

circular ifdr Noção de Organismo de Direito Público para efeitos do cálculo de despesa pública SÍNTESE: ÍNDICE

circular ifdr Noção de Organismo de Direito Público para efeitos do cálculo de despesa pública SÍNTESE: ÍNDICE N.º 01/2008 Data: 2008/07/16 Noção de Organismo de Direito Público para efeitos do cálculo de despesa pública Elaborada por: Núcleo de Apoio Jurídico e Contencioso e Unidade de Certificação SÍNTESE: A

Leia mais

O NOVO CÓDIGO DO PROCESSO CIVIL

O NOVO CÓDIGO DO PROCESSO CIVIL Nº 52 Setembro de 2013 Direcção: Pedro Costa Azevedo Colaboração: Rui Ferreira d Apresentação Sara Félix No início deste mês, entrou em vigor o novo Código do Processo Civil, diploma estrutural da vida

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO. 12, 13 e 14 de MARÇO de 2015 / 2ª EDIÇÃO. www.direito.porto.ucp.pt PROGRAMA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO. 12, 13 e 14 de MARÇO de 2015 / 2ª EDIÇÃO. www.direito.porto.ucp.pt PROGRAMA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO Curso Aplicação do direito da concorrência da UE pelos tribunais nacionais Ação de Formação Contínua Tipo B 12, 13 e 14 de MARÇO de 2015 / 2ª EDIÇÃO www.direito.porto.ucp.pt

Leia mais

Exma. Senhora Chefe do Gabinete de Sua Excelência a Presidente da Assembleia da República Dra. Noémia Pizarro RESPOSTA AO REQUERIMENTO N.º 36/XII/3.

Exma. Senhora Chefe do Gabinete de Sua Excelência a Presidente da Assembleia da República Dra. Noémia Pizarro RESPOSTA AO REQUERIMENTO N.º 36/XII/3. Exma. Senhora Chefe do Gabinete de Sua Excelência a Presidente da Assembleia da República Dra. Noémia Pizarro SUA REFERÊNCIA SUA COMUNICAÇÃO DE NOSSA REFERÊNCIA Nº: 121 ENT.: 91 PROC. Nº: DATA 10/01/2014

Leia mais

Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE

Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE Manuel Sebastião Brasília 21 de Maio de 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. MODERNIZAÇÃO DAS REGRAS ARTIGOS 81 e 82 3. O CONTROLO DE CONCENTRAÇÕES 4. CONCLUSÕES

Leia mais

Seguros e Fundos de Pensões

Seguros e Fundos de Pensões ABRIL 2010 01 COMISSÃO EUROPEIA ADOPTA NOVO REGULAMENTO DE ISENÇÃO POR CATEGORIA APLICÁVEL AO SECTOR DOS SEGUROS Seguros e Fundos de Pensões Após um longo processo de revisão, que incluiu a realização

Leia mais

NOVO REGIME DE ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SECTOR PETROLÍFERO

NOVO REGIME DE ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SECTOR PETROLÍFERO NOVO REGIME DE ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SECTOR PETROLÍFERO A Lei n.º 28/11, de 01.09., estabelece as bases gerais de organização e funcionamento aplicáveis às seguintes atividades: (i) refinação

Leia mais

União Europeia Acesso a cuidados de saúde Prestação de serviços de saúde

União Europeia Acesso a cuidados de saúde Prestação de serviços de saúde União Europeia Acesso a cuidados de saúde Prestação de serviços de saúde Legislação da União Europeia Legislação nacional Jurisprudência TJUE Diretiva 2011/24 Proposta de Lei 206/XII Direitos e deveres

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS DESTAQUE. Agosto 2012 REVISÃO DA DIRECTIVA DO PROSPECTO E EFEITO DIRECTO EM PORTUGAL 1. INTRODUÇÃO

MERCADO DE CAPITAIS DESTAQUE. Agosto 2012 REVISÃO DA DIRECTIVA DO PROSPECTO E EFEITO DIRECTO EM PORTUGAL 1. INTRODUÇÃO DESTAQUE Agosto 2012 MERCADO DE CAPITAIS REVISÃO DA DIRECTIVA DO PROSPECTO E EFEITO DIRECTO EM PORTUGAL 1. INTRODUÇÃO Em 24 de Novembro de 2010, no âmbito da iniciativa Better Regulation e com o intuito

Leia mais

PROGRAMA Módulo I Propriedade Industrial 29/01/2011 05/01/2011

PROGRAMA Módulo I Propriedade Industrial 29/01/2011 05/01/2011 II CURSO PÓS-GRADUADO DE DIREITO INTELECTUAL 2011 PROGRAMA Módulo I Propriedade Industrial (sábados de manhã, de 29 de Janeiro a 26 de Março) Coordenadores: Prof. Doutor José de Oliveira Ascensão Prof.

Leia mais

1.º MÉRITO DO PROJECTO

1.º MÉRITO DO PROJECTO SISTEMA DE APOIO A ENTIDADES DO SISTEMA CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO NACIONAL CRITÉRIOS DE SELECÇÃO O Regulamento do Sistema de Apoio a Entidades do Sistema Científico e Tecnológico Nacional definiu as regras

Leia mais

A ÁREA DE PRÁTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL, MARKETING E TMT DA ABBC

A ÁREA DE PRÁTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL, MARKETING E TMT DA ABBC A ÁREA DE PRÁTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL, MARKETING E TMT DA ABBC ABBC A actuação da ABBC assenta na independência, no profissionalismo e na competência técnica dos seus advogados e colaboradores,

Leia mais

A Reforma do Sistema de Marcas da União Europeia. Ana de Sampaio J. E. Dias Costa, Lda. Lisbon Portugal www.jedc.pt

A Reforma do Sistema de Marcas da União Europeia. Ana de Sampaio J. E. Dias Costa, Lda. Lisbon Portugal www.jedc.pt A Reforma do Sistema de Marcas da União Europeia Ana de Sampaio J. E. Dias Costa, Lda. Lisbon Portugal www.jedc.pt Algumas etapas: Maio 2007 Conselho de Competitividade da UE lança as bases para a realização

Leia mais

PARECER N.º 51/CITE/2007

PARECER N.º 51/CITE/2007 PARECER N.º 51/CITE/2007 Assunto: Parecer prévio nos termos do n.º 1 do artigo 51.º do Código do Trabalho, conjugado com a alínea b) do n.º 1 do artigo 98.º da Lei n.º 35/2004, de 29 de Julho Processo

Leia mais

APFN - ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE FAMÍLIAS NUMEROSAS

APFN - ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE FAMÍLIAS NUMEROSAS Excelentíssimo Senhor Provedor de Justiça A Associação Portuguesa das Famílias Numerosas, com sede Rua 3A à Urbanização da Ameixoeira, Área 3, Lote 1, Loja A, Lisboa, vem, nos termos do artigo 23º, n.º

Leia mais

II CURSO DE VERÃO DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL PROGRAMA SEGUNDA-FEIRA 6/07/09

II CURSO DE VERÃO DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL PROGRAMA SEGUNDA-FEIRA 6/07/09 FACULDADE DE DIREITO DE LISBOA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DIREITO INTELECTUAL II CURSO DE VERÃO DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL 6 a 10 de Julho de 2009 Coordenador: Prof. Doutor José de Oliveira Ascensão PROGRAMA

Leia mais

Política de Seleção e Avaliação dos Membros dos Órgãos de Administração e Fiscalização e dos Titulares de Funções Essenciais

Política de Seleção e Avaliação dos Membros dos Órgãos de Administração e Fiscalização e dos Titulares de Funções Essenciais Política de Seleção e Avaliação dos Membros dos Órgãos de Administração e Fiscalização e dos Titulares de Funções Essenciais Proposta do Conselho de Administração aprovada pela Assembleia Geral em 15 de

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 121/XII/1.ª

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 121/XII/1.ª PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 121/XII/1.ª Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera o Regulamento (CE) n.º 562/2006 para estabelecer regras comuns sobre a reintrodução temporária

Leia mais

BRIEFING. Europeu e Concorrência

BRIEFING. Europeu e Concorrência SETEMBRO 2009 01 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DECIDE: LEGISLAÇÃO PORTUGUESA APLICÁVEL AOS JOGOS SOCIAIS DO ESTADO É COMPATÍVEL COM O DIREITO COMUNITÁRIO Em Portugal, os jogos de fortuna ou azar estão sujeitos a

Leia mais

Conselho Nacional de Supervisores Financeiros. Better regulation do sector financeiro

Conselho Nacional de Supervisores Financeiros. Better regulation do sector financeiro Conselho Nacional de Supervisores Financeiros Better regulation do sector financeiro Relatório da Consulta Pública do CNSF n.º 1/2007 1 CONSELHO NACIONAL DE SUPERVISORES FINANCEIROS RELATÓRIO DA CONSULTA

Leia mais

Os privilégios creditórios em especial a sua influência no concurso de credores

Os privilégios creditórios em especial a sua influência no concurso de credores Os privilégios creditórios em especial a sua influência no concurso de credores I Traços gerais da figura do privilégio creditório (art.ºs 733.º a 753.º do Código Civil) 1. Espécies: em função da natureza

Leia mais

NOVIDADES LEGISLATIVAS E REGULAMENTARES MAIS SIGNIFICATIVAS

NOVIDADES LEGISLATIVAS E REGULAMENTARES MAIS SIGNIFICATIVAS DESTAQUES DE 27 A 31 DE MAIO NOVIDADES LEGISLATIVAS E REGULAMENTARES MAIS SIGNIFICATIVAS ACTIVIDADE PARLAMENTAR E PROCESSO LEGISLATIVO ÚLTIMAS INICIATIVAS Proposta de Lei 151/XII Procede à primeira alteração

Leia mais

VIII SIMPÓSIO DE ESTUDOS JURÍDICOS DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO BARÁO DE MAUÁ

VIII SIMPÓSIO DE ESTUDOS JURÍDICOS DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO BARÁO DE MAUÁ VIII SIMPÓSIO DE ESTUDOS JURÍDICOS DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO BARÁO DE MAUÁ I - Sobre o Simpósio A investigação acadêmica se manifesta pela busca do conhecimento científico, franqueando

Leia mais

REGULAMENTO E TABELA DE TAXAS FREGUESIA DA MOITA

REGULAMENTO E TABELA DE TAXAS FREGUESIA DA MOITA REGULAMENTO E TABELA DE TAXAS FREGUESIA DA MOITA Preâmbulo Com a publicação da Lei 53-E/2006, de 29 de Dezembro, alterada pela Lei 64-A/2008 de 31 de Dezembro, tornou-se necessário a adaptação da Tabela

Leia mais

INTRODUÇÃO 1 COMPROMISSO DA SONAE HOLDING

INTRODUÇÃO 1 COMPROMISSO DA SONAE HOLDING Índice INTRODUÇÃO... 2 1 COMPROMISSO DA SONAE HOLDING... 2 2 COMPROMISSO DOS COLABORADORES... 2 3 PRINCÍPIOS DE RELACIONAMENTO... 3 3.1 RELAÇÕES COM ADMINISTRADORES E COLABORADORES... 3 3.2 RELAÇÕES COM

Leia mais

António Garcia Pereira Advogado Professor do Instituto Superior de Economia e Gestão

António Garcia Pereira Advogado Professor do Instituto Superior de Economia e Gestão CURRICULUM VITAE 1. Licenciatura no curso de Direito, pela Faculdade de Direito de Lisboa, em 19 de Fevereiro de 1975,com a informação final de 16 valores. 2. Mestrado em Ciências Jurídicas, em 12 de Novembro

Leia mais

ABREU INTERNATIONAL LEGAL SOLUTIONS. OUR INNOVATIVE SOLUTIONS WHEREVER YOU NEED US. our innovative solutions wherever you need us.

ABREU INTERNATIONAL LEGAL SOLUTIONS. OUR INNOVATIVE SOLUTIONS WHEREVER YOU NEED US. our innovative solutions wherever you need us. ABREU INTERNATIONAL LEGAL SOLUTIONS OUR INNOVATIVE SOLUTIONS WHEREVER YOU NEED US. our innovative solutions wherever you need us. Constituída em 1993 a AB é uma das maiores Sociedades de Advogados portuguesas

Leia mais

INTERVENÇÃO DO ESTADO NO DOMÍNIO ECONÔMICO

INTERVENÇÃO DO ESTADO NO DOMÍNIO ECONÔMICO INTERVENÇÃO DO ESTADO NO DOMÍNIO ECONÔMICO O ESTADO VEIO TENDO, NO DECORRER DO SÉCULO XX, ACENTUADO PAPEL NO RELACIONAMENTO ENTRE DOMÍNIO JURÍDICO E O ECONÔMICO. HOJE, TAL RELAÇÃO JÁ SOFRERA PROFUNDAS

Leia mais

DIREITO DOS MERCADOS FINANCEIROS. Regente Coordenador Professor Doutor Luis Silva Morais

DIREITO DOS MERCADOS FINANCEIROS. Regente Coordenador Professor Doutor Luis Silva Morais DIREITO DOS MERCADOS FINANCEIROS Licenciatura em Direito Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa FDL Ano letivo 2015-2016 3.º Ano Turma A Turno diurno PROGRAMA Regente Coordenador Professor Doutor

Leia mais

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia, nomeadamente o terceiro parágrafo do artigo 159º,

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia, nomeadamente o terceiro parágrafo do artigo 159º, REGULAMENTO (CE) Nº 1082/2006 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 5 de Julho de 2006 relativo aos agrupamentos europeus de cooperação territorial (AECT) O PARLAMENTO EUROPEU E O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA,

Leia mais

PRORROGAÇÃO DE PRAZO - Candidaturas SI Qualificação PME (Diversificação e Eficiência Energética) (16/07/2010)

PRORROGAÇÃO DE PRAZO - Candidaturas SI Qualificação PME (Diversificação e Eficiência Energética) (16/07/2010) PRORROGAÇÃO DE PRAZO - Candidaturas SI Qualificação PME (Diversificação e Eficiência Energética) (16/07/2010) Foi prorrogado o prazo para apresentação de candidaturas no âmbito do Aviso N.º 03/SI/2010,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTACIONAMENTO DO MUNÍCIPIO DE VILA NOVA DE GAIA

REGULAMENTO DE ESTACIONAMENTO DO MUNÍCIPIO DE VILA NOVA DE GAIA REGULAMENTO DE ESTACIONAMENTO DO MUNÍCIPIO DE VILA NOVA DE GAIA 2 Preâmbulo Considerando que o progressivo aumento do parque automóvel e, consequentemente, da procura de estacionamento para satisfação

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 101/VIII AUTORIZA O GOVERNO A LEGISLAR EM MATÉRIA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Exposição de motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 101/VIII AUTORIZA O GOVERNO A LEGISLAR EM MATÉRIA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Exposição de motivos PROPOSTA DE LEI N.º 101/VIII AUTORIZA O GOVERNO A LEGISLAR EM MATÉRIA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL Exposição de motivos Os sinais de uma nova economia, assentes em processos de globalização e de virtualização

Leia mais

CONTRATOS PÚBLICOS, RESPONSABILIDADE E TRIBUNAL DE CONTAS

CONTRATOS PÚBLICOS, RESPONSABILIDADE E TRIBUNAL DE CONTAS CONTRATOS PÚBLICOS, RESPONSABILIDADE E TRIBUNAL DE CONTAS Partilhamos a Experiência. Inovamos nas Soluções. PEDRO MELO Lisboa, 13 de Março de 2014 O TRIBUNAL DE CONTAS ENQUADRAMENTO O Tribunal de Contas

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 332/X REVISÃO DO REGULAMENTO DAS CONTRASTARIAS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

PROJECTO DE LEI N.º 332/X REVISÃO DO REGULAMENTO DAS CONTRASTARIAS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS PROJECTO DE LEI N.º 332/X REVISÃO DO REGULAMENTO DAS CONTRASTARIAS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS A presente iniciativa legislativa tem na sua génese as transformações profundas que sofreu o mercado português de

Leia mais

PROPIEDADE INTELECTUAL NA INTERNET

PROPIEDADE INTELECTUAL NA INTERNET PROPIEDADE INTELECTUAL NA INTERNET Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa 2 de dezembro (09h-14h) Carlos Guervós Maíllo (Moderador) Subdirector General de Propiedad Intelectual (Secretaría de Estado de Cultura)

Leia mais

Características das Autarquias

Características das Autarquias ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Professor Almir Morgado Administração Indireta: As entidades Administrativas. Autarquias Define-se autarquia como o serviço autônomo criado por lei específica, com personalidade d

Leia mais

Envie-nos os seus trabalhos jornalísticos sobre o sector rodoviário, publicados em 2011. Participe entre 1 de Novembro de 2011 e 31 de Janeiro de

Envie-nos os seus trabalhos jornalísticos sobre o sector rodoviário, publicados em 2011. Participe entre 1 de Novembro de 2011 e 31 de Janeiro de Envie-nos os seus trabalhos jornalísticos sobre o sector rodoviário, publicados em 2011. Participe entre 1 de Novembro de 2011 e 31 de Janeiro de 2012. ENQUADRAMENTO 2ºs PRÉMIOS DE JORNALISMO CEPSA ESTRADAS

Leia mais

(Comunicações) COMISSÃO EUROPEIA. Orientações relativas às restrições verticais. (Texto relevante para efeitos do EEE) (2010/C 130/01) ÍNDICE

(Comunicações) COMISSÃO EUROPEIA. Orientações relativas às restrições verticais. (Texto relevante para efeitos do EEE) (2010/C 130/01) ÍNDICE 19.5.2010 Jornal Oficial da União Europeia C 130/1 II (Comunicações) COMUNICAÇÕES ORIUNDAS DAS INSTITUIÇÕES, ÓRGÃOS E ORGANISMOS DA UNIÃO EUROPEIA COMISSÃO EUROPEIA Orientações relativas às restrições

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS REGULAMENTO ÉTICO ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt www.erse.pt Regulamento Ético

Leia mais

As E.P.E. S do Sector da Saúde:

As E.P.E. S do Sector da Saúde: As E.P.E. S do Sector da Saúde: A) O que são. B) A função que desempenham. C) O Sector Público de que não fazem parte. D) Onde estão integradas. E) Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas. F) Síntese.

Leia mais

A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO ANGOLANA

A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO ANGOLANA CONFERÊNCIA PROFISSIONAL A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO ANGOLANA A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO ANGOLANA 2015 QUEM GANHA E QUEM PERDE? Actualize-se, através de um dos Melhores Especialistas, acerca do Novo

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Recomendação de DECISÃO DO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Recomendação de DECISÃO DO CONSELHO PT PT PT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Recomendação de Bruxelas, 16.10.2009 COM(2009) 570 final 2009/0158 (CNB) DECISÃO DO CONSELHO sobre o parecer a adoptar pela Comunidade Europeia relativamente

Leia mais

Ensaios de equipamentos eléctricos e electrónicos. Paulo Cabral Laboratório de Metrologia e Ensaios do IEP

Ensaios de equipamentos eléctricos e electrónicos. Paulo Cabral Laboratório de Metrologia e Ensaios do IEP Ensaios de equipamentos eléctricos e electrónicos Paulo Cabral Laboratório de Metrologia e Ensaios do IEP Plano Apresentação Legislação da União Europeia Evidência da conformidade Normalização electrotécnica

Leia mais

IVA Na Actividade Agrícola

IVA Na Actividade Agrícola IVA Na Actividade Agrícola Maria Emília Pimenta Seminário A CONTABILIDADE E FISCALIDADE NA ACTIVIDADE AGRÍCOLA Santarém, 11 de Junho de 2013 1 Lei n.º66-b/2012, de 31 dezembro Revoga o n.º 33 do artigo

Leia mais

PARECER N.º 77/CITE/2010

PARECER N.º 77/CITE/2010 PARECER N.º 77/CITE/2010 Assunto: Parecer prévio ao despedimento de trabalhadora grávida por facto imputável à trabalhadora, nos termos do n.º 1 do artigo 63.º do Código do Trabalho, aprovado pela Lei

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES RELATIVO A CLIENTES EM INCUMPRIMENTO (SIRCI)

REGULAMENTO DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES RELATIVO A CLIENTES EM INCUMPRIMENTO (SIRCI) Associação dos Transitários de Portugal REGULAMENTO DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES RELATIVO A CLIENTES EM INCUMPRIMENTO (SIRCI) O disposto na Lei n.º 19/2012, de 8 de Maio ( Lei da Concorrência ), as disposições

Leia mais

PRÁTICAS INDIVIDUAIS RESTRITIVAS DO COMÉRCIO ABRIL 2014

PRÁTICAS INDIVIDUAIS RESTRITIVAS DO COMÉRCIO ABRIL 2014 PRÁTICAS INDIVIDUAIS RESTRITIVAS DO COMÉRCIO ABRIL 2014 Como ponto prévio, é de salientar que a CCP não faz parte do rol de entidades que defende uma regulação mínima, deixando o mercado funcionar. A CCP

Leia mais

Relatório de Actividades do Ano de 2013 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica. Conselho Consultivo da Reforma Jurídica

Relatório de Actividades do Ano de 2013 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica. Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Relatório de Actividades do Ano de 2013 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Março de 2014 Índice 1. Resumo das actividades....1 2. Perspectivas para as actividades

Leia mais

Avisos do Banco de Portugal. Aviso nº 2/2007

Avisos do Banco de Portugal. Aviso nº 2/2007 Avisos do Banco de Portugal Aviso nº 2/2007 O Aviso do Banco de Portugal nº 11/2005, de 13 de Julho, procedeu à alteração e sistematização dos requisitos necessários à abertura de contas de depósito bancário,

Leia mais

Situação em Portugal: A Estratégia Nacional para a Energia

Situação em Portugal: A Estratégia Nacional para a Energia Situação em Portugal: A Estratégia Nacional para a Energia No âmbito da Estratégia Nacional para a Energia, aprovada no passado mês de Outubro, foram agora publicados os diplomas que estabelecem os novos

Leia mais

pós-graduação fiscalidade Janeiro.10 Dezembro.10

pós-graduação fiscalidade Janeiro.10 Dezembro.10 pós-graduação fiscalidade Janeiro.10 Dezembro.10 pós-graduação fiscalidade A Pós-Graduação em Fiscalidade destina-se a jovens juristas ou outros profissionais que pretendem iniciar ou progredir numa carreira

Leia mais

3. A autonomia político-administrativa regional não afecta a integridade da soberania do Estado e exerce-se no quadro da Constituição.

3. A autonomia político-administrativa regional não afecta a integridade da soberania do Estado e exerce-se no quadro da Constituição. TÍTULO VII - Regiões autónomas Artigo 225.º (Regime político-administrativo dos Açores e da Madeira) 1. O regime político-administrativo próprio dos arquipélagos dos Açores e da Madeira fundamenta-se nas

Leia mais

DEFESA EM CONTEXTO TRANSNACIONAL

DEFESA EM CONTEXTO TRANSNACIONAL Direito Penal Europeu para Advogados Penalistas ERA/ECBA/ICAB Barcelona 21-22 de Fevereiro de 2014 DEFESA EM CONTEXTO TRANSNACIONAL NA UNIÃO EUROPEIA INDICAÇÕES DE PESQUISA E ELEMENTOS NORMATIVOS Vânia

Leia mais

Associação Contraditório. Estatutos

Associação Contraditório. Estatutos Associação Contraditório Estatutos CAPÍTULO I Denominação, Princípios e Objectivos Artigo 1º (Denominação, sede e duração) 1. A associação, sem fins lucrativos, adopta a denominação ASSOCIAÇÃO CONTRADITÓRIO,

Leia mais

Edição A. Código de Conduta

Edição A. Código de Conduta Edição A Código de Conduta -- A 2011.09.26 1 de 5 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 2 2 PRINCÍPIOS E NORMAS GERAIS... 2 a) Trabalho Infantil... 2 b) Trabalho forçado... 2 c) Segurança e bem-estar no local de trabalho...

Leia mais

REGULAMENTO E TABELA DE TAXAS E LICENÇAS

REGULAMENTO E TABELA DE TAXAS E LICENÇAS REGULAMENTO E TABELA DE TAXAS E LICENÇAS PREÂMBULO A Lei nº 53-E/2006, de 29 de Dezembro, aprovou o regime das taxas das Autarquias Locais e determina que o regulamento de taxas tem obrigatoriamente que

Leia mais

PRÉMIOS HORTOFRUTÍCOLAS COTHN 2014 REGULAMENTO

PRÉMIOS HORTOFRUTÍCOLAS COTHN 2014 REGULAMENTO REGULAMENTO O Centro Operativo e Tecnológico Hortofruticola Nacional, enquanto entidade promotora da Gala Viva Frutas & Legumes 2014, no âmbito do projeto «HortINOV 2020» institui os prémios de reconhecimento

Leia mais

Apresentação do curso Objetivos gerais Objetivos específicos

Apresentação do curso Objetivos gerais Objetivos específicos Apresentação do curso O Curso de Especialização Direito das Empresas para Executivos (CEDEE) visa satisfazer a necessidade existente no mercado dos gestores e executivos das empresas conhecerem o direito

Leia mais

PARECER N.º 37/CITE/2007

PARECER N.º 37/CITE/2007 PARECER N.º 37/CITE/2007 Assunto: Parecer prévio nos termos do n.º 1 do artigo 51.º do Código do Trabalho e da alínea b) do n.º 1 do artigo 98.º da Lei n.º 35/2004, de 29 de Julho Processo n.º 151 DL-C/2007

Leia mais

Ccent. 17/2012 BES / BES-VIDA. Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência

Ccent. 17/2012 BES / BES-VIDA. Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência Ccent. 17/2012 BES / BES-VIDA Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência [alínea b) do n.º 1 do artigo 35.º da Lei n.º 18/2003, de 11 de Junho] 3/05/2012 DECISÃO DE NÃO OPOSIÇÃO DA AUTORIDADE

Leia mais

CANDIDATURAS ABERTAS:

CANDIDATURAS ABERTAS: Resumo das candidaturas aos Sistemas de Incentivos QREN CANDIDATURAS ABERTAS: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Tipologia de Projectos Abertura Encerramento Individuais

Leia mais

2.1. Objectivo Geral: Ministrar uma formação especializada sobre matérias de segurança, numa óptica multidisciplinar, mas integrada.

2.1. Objectivo Geral: Ministrar uma formação especializada sobre matérias de segurança, numa óptica multidisciplinar, mas integrada. PROGRAMA DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO E SEGURANÇA 1. Apresentação A Fundação Direito e Justiça e o Instituto Superior de Ciências Jurídicas e Sociais, em parceria, com a Faculdade de Direito da

Leia mais

Concorrência: Para uma Nova Cultura Empresarial. Abel M. Mateus Presidente da Autoridade da Concorrência

Concorrência: Para uma Nova Cultura Empresarial. Abel M. Mateus Presidente da Autoridade da Concorrência Concorrência: Para uma Nova Cultura Empresarial Abel M. Mateus Presidente da Autoridade da Concorrência Conferência proferida no American Club of Lisbon, Hotel Sheraton, 21 de Abril de 2004 Minhas Senhores

Leia mais

CRIAR 2008 Regulamento. Capítulo I Disposições gerais

CRIAR 2008 Regulamento. Capítulo I Disposições gerais CRIAR 2008 Regulamento Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º Organização 1. O CRIAR 2008 é uma iniciativa da Liberty Seguros, S.A., com o objectivo de identificar e apoiar ideias de negócio inovadoras

Leia mais

O compromisso da Abreu Advogados

O compromisso da Abreu Advogados 2 0 0 15 0 10 0 5 0 0 4 7 65 17 3 7 199 3 19 98 200 3 2011 A n os 16 5 7 5 2 6 Staff Admin istrativo Advogados ( in cluin do só cios) Só cios O compromisso da Abreu Advogados Quem Somos Somos uma Sociedade

Leia mais

ORA newsletter. Resumo Fiscal/Legal Fevereiro de 2011 1 Arbitragem Tributária 2 Preços de Transferência em Altura de Crise 4 Revisores e Auditores 6

ORA newsletter. Resumo Fiscal/Legal Fevereiro de 2011 1 Arbitragem Tributária 2 Preços de Transferência em Altura de Crise 4 Revisores e Auditores 6 Assuntos Resumo Fiscal/Legal Fevereiro de 2011 1 Arbitragem Tributária 2 Preços de Transferência em Altura de Crise 4 Revisores e Auditores 6 LEGISLAÇÃO FISCAL/LEGAL FEVEREIRO DE 2011 Assembleia da República

Leia mais

BASE DE DADOS DE JURISPRUDÊNCIA DIREITO EUROPEU DA CONCORRÊNCIA DECISÕES NACIONAIS

BASE DE DADOS DE JURISPRUDÊNCIA DIREITO EUROPEU DA CONCORRÊNCIA DECISÕES NACIONAIS BASE DE DADOS DE JURISPRUDÊNCIA DIREITO EUROPEU DA CONCORRÊNCIA DECISÕES NACIONAIS CASO DECISÕES JUDICIAIS Ordem dos Médicos Dentistas Tribunal Processo Data Sentença Tribunal do Comércio de Lisboa, 3.º

Leia mais