Volatilidadeimplcitanoprecode opc~oes:exemplodeaplicac~aode metodositerativos. DuarteTrigueiros ISCTE-MSIAD

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Volatilidadeimplcitanoprecode opc~oes:exemplodeaplicac~aode metodositerativos. DuarteTrigueiros ISCTE-MSIAD"

Transcrição

1 Volatilidadeimplcitanoprecode opc~oes:exemplodeaplicac~aode metodositerativos DuarteTrigueiros ISCTE-MSIAD

2 osartigosdeblack(1985)[1]edeblack&scholes(1972)[2]e(1973)[3]entreoutros. obt^e-lapoderecorreratextoscomojarrow&rudd(1983)[4].tambemrecomendaveiss~ao Estetexton~aodispensaumacertafamiliarizac~aocomopc~oesnanceiras.Quemdesejar Notadeapresentac~ao tiposdeactivoscujovalorestasubordinadoaodeoutrosactivos;aquiloquedistingueuma proprias,activoscujovalorestasubordinadoaovalordeoutrosactivos.existemmuitos opc~aoeserumdireito(decomprarouvender)semacontrapartidadorespectivodever. antesouateumadatadeterminada,porumprecopre-estabelecido.asopc~oess~ao,elas Anoc~aodeopc~aoebasicaemFinancas.T~aobasicacomoaformulaparaaactualizac~ao Umaopc~aosobreumactivoeodireitodecomprarouvenderumaporc~aodesseactivo ouvenda. deacharovaloractualdeumactivoqueconsistanodireitoaatrazarumadecis~aodecompra decash-ows.defacto,areceitahabitualqueseusaparacalcularovaloractualdeum activon~aoegeral.porexemplo,ocalculodoprecodeumaopc~aomostraaformacorrecta Put:Umaopc~aoquedaaoseudetentorodireitodevenderumaporc~aodeumactivo. Call:Umaopc~aoquedaaoseudetentorodireitodecomprarumaporc~aodeumactivo. PreconoExerccio,K:Oprecoaoqualodetentordeumaopc~aocacomdireitoa Segue-seumglossariodetermosenotac~oesusadosnotexto. DatadeExpirac~ao,T:Adataaqual(ouantesdaqual)odetentordeumaopc~aopode Cotac~aodoActivo,St:Oprecoaoqualoactivoemquest~aoestaaservendidonadata comprarouvendercadaporc~aodeumactivo. PrecodaOpc~ao:Oprecoaoqualaopc~aoetransaccionada. exerceroseudireitodecompraouvenda. t,i.e.,aquandodacompradaopc~ao. ii

3 Umaporc~aodeumactivochama-se\activo".Amenorporc~aodeumactivoquepodeser transaccionadaeuma\acc~ao"oushare. noexercciodek,eumadatadeexpirac~aot.otempoateaoexerccioe=t t. umaput.quandosetornarconvenienteumanotac~aomaisespeccausar-se-act(st;k;t) paradenotaroprecodeumacalladatat,comcotac~aoactualdoactivodest,umpreco Usar-se-aanotac~aoCtparadenotaroprecodeumaCallnadatat.Ptseraoprecode Tipicamente,naterceirasexta-feiradom^es. cionavelexa.alemdisso,adatadeexpirac~aoeamesmaparatodasastransac~oes: Nosmercadosdeopc~oes,aporc~aodoactivoqueconstituiaunidademnimatransac- sejamasmaispopularestantonestecomonooutroladodooceano. s~aofrequentementetransaccionadasemchicago,embora,emgeral,asopc~oesamericanas ateadatadeexpirac~ao,easeuropeias,quesopodemserexercidasnadatadeexpirac~ao.esta designac~aon~aotemnadaavercomocontinenteondesesituaomercado:opc~oeseuropeias Existemdoistiposdeopc~oes:Asamericanas,quepodemserexercidasemqualqueraltura quevendetaldireito,queescreveumacall.oqueescreve,recebehoje,t,oprecodaopc~ao, ecaobrigadoavenderumaporc~aodoactivonofuturo,t,aumprecopre-determinado, combinadocomanteced^enciaepagaporessedireitonaalturadeocomprar.diz-se,daquele temsempreumoutowinicial(oprecodaopc~ao),euminowfuturoquesera,napiordas casoodetentordacallassimoexigir.emtermosdecash-ows,quemcompraumaopc~ao OcompradordeumaCalladquireodireitodecomprarumaporc~aodoactivoaumpreco hipoteses,nulo(istoda-sequandon~aovaleapenaexerceraopc~ao).quantoaquemescreve, 4dolaresodireitodecomprar,entrehojeeaterceirasexta-feiradeSetembro,umadada aoprecode50dolares.seopreco,hoje,deessedireitof^or4dolares,podeconseguir-sepor direitodecomprarumaporc~aoxadaempresaibmateaterceirasexta-feiradesetembro, asuaposic~aoinicialeuminowaoqualsesegueumoutow oqual,namelhordas hipotesesseranulo.estasduasposic~oess~aosimetricas. porc~aodaibma50dolarescadaacc~ao,pormaisaltaquesejaasuacotac~ao. Exemplo:Uma\IBMSeptember50calloption"eumbemquedaaoseudetentoro iii

4 Captulo1 dadedemodicaremospadr~oesdelucroassociadosaosrespectivosactivos. Umadasqualidadesatractivasdasopc~oeseadepermitiremaosseusdetentoresapossibili- Oprecodasopc~oes 1.1Padr~oesdeLucroaDatadeExpirac~ao S0asuacotac~aoemJulho,olucroemfunc~aodacotac~aodoactivoemSetembrosera: precode50dolarescadaacc~ao.se,emsetembro,acotac~aodesteactivoe70,ter-se-afeito umlucrode20.see40,ter-se-aperdido10.sendostacotac~aodoactivoemsetembroe V~ao-seagoraestudaralgunsdestespadr~oes,comecandopelostr^esmaissimples. 1.Compradeactivo:Suponha-sequesecompraumaporc~aodeIBM'semJulho,ao queseestudamaseguir. S0,umasimplesreplicadeS0,deslocadadeST.Agura1comparaestepadr~aocomoutros Portanto,opadr~aodelucroresultantedapossedeactivoe,quandoexpressoemfunc~aode Lucro,activo=ST S0 50callpor4dolares,istotornapossvelexerc^e-lacasoacotac~aodasIBMseja,emSetembro, superiora50dolares.sendoc0oprecodestacall,olucroemfunc~aodacotac~aodoactivo emsetembroseraagora: 2.CompradeCall:Poroutrolado,seemJulhosetivercompradoumaIBMSeptember Lucro,Call=max(0;ST K) C0=max(0;ST 50) 4=8<: 4 iv ST 54seST>50 sest50

5 10 Lucro 8 futurosdeumactivo:compradeactivo,compradecall,compradeput. Figura1:Ostr^esmaissimplespadr~oesdelucroemfunc~aodediversospossveisvalores So a Put -2 So a Call Cotacao do Stock na data expiracao Lucro 8 futurosdeumactivo. Figura2:Padr~aodelucrodeumaCallprotectoraemfunc~aodediversospossveisvalores 6 Note-sequeousodapalavralucronestecontextoeinadequadoumavezqueseignoramos Put Put exerc^e-la.sendop0oprecodestaput,olucroemfunc~aodacotac~aodoactivoemsetembro jurosassociadoscomacompradoactivo.nocasopresenteistoetantotradicionalcomo inofensivo.agura1comparaestepadr~aocomoutrostambemmuitosimples. dolares,casoacotac~aodasibmseja,emsetembro,inferiora50dolares,seriainteressante Cotacao Stock na data expiracao -10 sera: 3.CompradePut:SeemJulhosetivercompradoumaIBMSeptember50putpor Oaspectogracodostr^espadr~oesbasicosdescritosateaquipodemobservar-senagura1. Lucro,Put=max(0;K ST) P0=max(0;50 ST) 2=8<:48 STseST50 v 2 sest>50 Stock So o stock

6 10 Figura3:Padr~aodelucrodobullishspreademfunc~aodediversospossveisvaloresfuturos Lucro Call escrita alto 2 0 Bullish spread -2 Call comprada baixo -4 func~aodacotac~aodoactivoemsetembrosera: deumactivo. activodaibmpor50dolareseaomesmotempoumaputsobreesseactivo,comumpreco Putprotectoraousegurodeumacarteira.Sendode2dolaresoprecodestaPut,olucroem noexercciodetambem50dolares.estacombinac~aodeactivoseconhecidapelonomede 4.CompradeactivoePutsobreesseactivo:Suponha-seagoraquesecomprava -6 Lucro,activo+Put=ST 50+max(50 ST;0) 2=8<: 2-8 Cotacao do Stock na data expiracao -10 ST 50 2seST>50 sest Portanto,estacombinac~aodeactivocomPutofereceumaprotecc~aocontradescidasna cotac~aodoactivo,limitandoasperdasmaximasaoprecodaput.gracamente,ter-se-iao padr~aodelucrosqueagura2ilustra.olucrocomaputprotectoraeasomadoslucros comoactivoeaput. secompraumacallpor4dolarescomumpreconoexercciode50.aomesmotempo, escreveu-seumacallpor2dolarescomopreconoexercciode55.estebullishspreaddara exerccio.quandoacallqueecompradatemumprecodeexerccioinferioracallescrita, acombinac~aoassimconseguidachama-seumabullishspread.porexemplo,suponha-seque activosconsisteemcomprare,aomesmotempo,escrevercallscomdiferentesprecosde 5.Spreads:Compraeescritasimult^aneadeCalls:Outrapossvelcombinac~aode umlucrodelucro,bullishspread=max(st 50;0) 4+2 max(st 55;0) vi

7 oquevemaser: Gracamente,ter-se-iaopadr~aodelucrosqueagura3mostra.Olucroeasomadosdois padr~oesobtidoscomocomprareoescrevercalls.quandoatend^enciadomercadoepara Lucro,Bullishspread=8><>: 2 ST 50 2se50<ST<55 3 sest50 subir,obullishspreadofereceprespectivasdelucros. Muitosoutrosexemplosdecombinac~oesseriampossveis.Falar-se-adealgunsdelesna sest55 1.2OsFactoresqueInuenciamoPrecodasOpc~oes Quantodeveriaserpagohojepelodireitodecompraractivonofuturoporumprecoxo?O secc~aodosexerccios. 6precodeumaCallvemdeterminadopordiversosfactoreseexisteateumarespostaanaltica paraaformacomodiversospossveisfactoresinuenciamtalpreco. paratalquest~ao.demomentointeressaexploraroaspectoempricoeganharsensibilidade datadeexpirac~aot,escritasobreumactivocujacotac~aohojeest,seriam: Opreconoexercciodaopc~ao,K.Obviamente,quantomaiselevadoeoprecono OsfactoresqueinuenciamoprecoapagarporumaCallcomprecoKnoexerccioe Acotac~aoactualdoactivo,St.Quandotudoorestopermanececonstante,quanto serexercida.porisso,quantomaiork,menoroprecodacall. exerccio,setudoorestopermanecerconstante,menosprovavelequeacallvenhaa Otempoquerestaateaoexerccio,=T t.quantomaistemposetemparaexercer maiorf^oracorrentecotac~aodoactivosobreoqualacalleescrita,tantomaisvale Avolatilidadedoactivo.Tudoomaissendoigual,umactivomuitovolatilaumenta estaopc~aodecomprartalactivo.isto,porqueaprobabilidadedeacotac~aosersucientementeelevadaparavalerapenaexerceraopc~aoaumentacomessacotac~ao. umaopc~ao,maisprovavelsetornaoseuexerccio. ascendentesdacotac~ao. contrario.umacallprotegeoseudetentorcontraosmovimentosdescendentesdas aprobabilidadedequeemalgummomentovalhaapenaexerceraopc~aodecompralo.emgeral,avolatilidadedosactivosdiminuioseupreco.comascallpassa-seo cotac~oes.porisso,umdetentordeumacallsoestarainteressadonosmovimentos vii

8 emaiselevadadoquek,essacallestainthemoney.diz-sequeumaopc~aoesta\forado termosdeelaviraserexercida.assim,nocasodeumacall,quandoacotac~aodoactivo dinheiro"ouinthemoneyquandoacotac~aodorespectivoactivopareceprometedoraem tivoactivoseencontraproximadopreconoexercciok.diz-sequeumaopc~aoesta\no dinheiro"ououtofthemoneyquandoacotac~aodorespectivoactivon~aoeprometedoraem Diz-sequeumaopc~aoesta\juntoaodinheiro"ouatthemoneyquandoacotac~aodorespec- 7 IBMa65dolaresehojeasIBMest~aoa70dolares,ovalorintrnsecodestaopc~aoecinco St,eopreconoexerccioK.Seumaopc~aodaaoseudetentorodireitodecompraruma dolares.naturalmente,soopc~oesqueestejaminthemoneyt^emvalorintrnseco.quandoa opc~aocaoutofthemoneyoseuvalorintrnsecotorna-senegativo.masiston~aosignica queumaopc~aoqueseencontreoutofthemoneyn~aotenhavalor.ovalorintrnsecoeapenas Ovalorintrnsecodeumaopc~aoeadiferencaSt Kentreacotac~aopresentedoactivo, umadasfontesdevalordeumaopc~ao.paraalemdele,deveconsiderar-seovalordotempo querestaateaexpirac~ao,oqualpodefazercomqueacotac~aodoactivosetornefavoravel. ValorpropriodaOpc~ao:ovalordodireitoan~aocompraroun~aovenderactivopelo Ovalordotempocomp~oe-se,porsuavez,deduasparcelas: ValorTemporaldoDinheiro:quantomaistardeumaCalleexercida,maistempoe precopreviamentecombinado,k,casoasuacotac~aonadatadoexerccion~aose mostreconvidativa. umatrazodenodisp^endiodekek Ke r=k(1 e r). possveldeixarodinheirodestinadoacompradoactivoarender.ovalortemporalde ou,simplicando, Estastr^esparcelaspodemescrever-se Ct=(St K)+K(1 e r)+pt Ct=St Ke r+pt (1) valortemporaldodinheiroesvaem-se.casoaopc~aoestejaoutofthemoney,oaproximar-se vezmaissemelhanteaoseuvalorintrnsecost KpoisovalorPtpropriodaopc~aoeo aproximaadatadeexpirac~ao,ovalordeumaopc~aoqueestainthemoneytorna-secada ondepteovalorpropriodaopc~ao,tambemconhecidoporoptionfeature.amedidaquese (2) subtraidododireitoden~aocompraractivo afeature. dadatadeexpirac~aotornaovalordaopc~aocadavezmaissemelhanteaovalorintrnseco viii

9 8intrnsecomaisovalortemporaldodinheiro(oscontratosforward,porexemplo).Aquilo queeespeccodasopc~oeseoseuvalorproprio(feature). 1.3AEquac~aodeBlack-Scholes:OPrecodeumaOpc~ao Note-sequeexistemactivossubordinadoscujovalorsecomp~oeapenasdovalor quepodeserusadaparacalcularoprecodascalleuropeias.talmodeloassumequeo activosobreoqualaopc~aoeescritan~aopagadividendoseavolatilidadedascotac~oese Baseadosnaimpossibilidadedeobterlucrosapartirdeumacarteiraperfeitamenteprotegida contravariac~oesnacotac~aodeumactivo,black&scholes(1973)[3]derivaramumaformula multiplicativa,i.e.,lognormal.usar-se-aparadesignaradispers~aologartmicadoactivo 9papelnaprecagemdasopc~oes. sobreoqualseescreveaopc~ao.ovaloresperadologartmicodoactivo,,n~aotemqualquer quevirdadopor Oganhoobtidocomumactivolivrederiscoserar.Note-sequeambosredevemestar expressosnasmesmasunidadesdetempo,porexemplo,anos. Usar-se-aamesmanotac~aoqueateaqui.Otempoateaexpirac~ao,T t,chamar-se-a. Black&Scholesmostraramque,dadoscertospressupostos,ovalordeumaCallteria eque,quandotaln~aoacontece,epossvelconstruircarteirassemriscomascomganho onded1=logst K+r+2 p2 Ct=StN(d1) Ke rn(d2) eonded2=logst K+r 2 p 2=d1 p(3) esperadopositivo.comoemoutrasocasi~oes,n()denotaadistribuic~aonormalacumulada, disponvelemmuitasfolhasdecalculo. quantoaoprecodasopc~oes.nomeadamente, quandoavolatilidadeenula,oprecodeumaopc~aoapenasexpressaadiferencaentre EfacildeverqueaformuladeBlack-Scholesobedeceaosrequisitosenunciadosacima amedidaqueseaproximaadatadeexpirac~ao,ovalordaopc~aovai-seaproximando acotac~aopresentedoactivoeovaloractualdopreconoexerccio:osn(d)igualama unidadeeportanto doseuvalorintrnseco. Ct=St Ke r ix

10 OvalorN(d1)echamado\Delta"()emedeasensibilidadedoprecodeumaopc~aoa variac~oesnacotac~aodoactivo.qualquerinvestidorquetenhaemseupoderumaproporc~ao iguala deactivoporcadaopc~aoquecomprarsobreesseactivo,deixaradeestarexposto aoriscoassociadoavolatilidadedoactivo.nomdecontas,oqueaformuladeblack& quetornenulooganhoobtidocomessaposic~ao,umavezqueelaestaprotegidacontrao Scholesdizequetalinvestidordeverapagarpelacompradessasopc~oesummontantetal queocotac~aodesseactivoeumprocessolognormalcom=0;35.ser=0;08ese=0;25 risco(diz-sedeumaposic~aoprotegidacontraoriscoqueestahedged). CallcomumpreconoexercciodeK=50escritasobreumactivocomSt=50.Suponha-se (portanto,aproximadamentetr^esmeses)ter-se-a: 10.ComousaraformuladeBlack&Scholes:Umexemplo.Considere-seuma d1=0;20178 Oquedaria,segundo(3)umprecode exp( r)=0;9802 N(d1)=0;5800 N(d2)=0;5107 d2=0; AParidadeCall-Put (4)em123ououtroambiente. paraestacall.osnumerosacimapodemserusadosparatestaraimplementac~aodaformula Ct=StN(d1) Ke rn(d2)=3;9693 construa-seaseguintecarteira: aumacarteiranaqualsecombinamtr^esoutrosactivos.paravericarqueistoeassim, sobreumdadoactivo,compreconoexercciodekedatadeexpirac~aodet,eequivalente AformuladeBlack&ScholespodeaindaserusadaparaacharoprecodePutseuropeias. Issodeve-seaexist^enciadoteoremadaparidadeCall-Put,quemostraqueumaPuteuropeia 1.ComprarumaCallsobreumactivo,comumpreconoexercciodeKedatadeexpirac~ao det.esteactivoterahojeumcash-owde Cteumcash-owde+max(St K;0) noexercciot. x

11 3.Vendercurtoumaporc~aodoactivosobreoqualaCallacimafoiescrita.Estavenda 2.Comprarhojeumaporc~aoigualaKe rdoactivosemrisco.esteteraumcash-ow 4.EscreverumaPuteuropeiasobreesseactivo,comamesmadatadeexpirac~aoepreco inicial Ke reumcash-owde+knadatadeexpirac~aot. dacall. originaumcash-owde+stadatat(hoje)eumoutrode STadatadeexpirac~ao facildever.defacto, Ocash-owtotalgeradoporestacarteiraadatadaexpirac~aoacabaporserzerocomoe noexerccioqueacall.extavendaoriginaumcash-owde+ptadatat(hoje)eum outrode max(k ST;0)adatadeexpirac~aoT. CompradeCall Activosemrisco activocurto Cash-owsquandoSTK ST K0 Cash-owsquandoSTK CompradeCallST K ActivosemriscoK nascasasmoedeiras.portanto,teraquevericar-se: Seassimn~aofosseelaseriaumamaquinadecriarouvolatilizardinheiro,oquesoacontece Segue-sequeocash-owtotaldestacarteiraadatat(hoje)temqueserzerotambem. EscritadePut (K ST) activocurto EscritadePut ST Ct Ke r+st+pt=0ou,porrearranjo,pt=ct St+Ke r: 0 11usadoparatirarpartidodeoportunidadesdearbitragemquesurjemquandoasopc~oesest~ao aservendidasabaixoouacimadoseuvalorteorico.confrontandoesteteoremacoma comprar,noexerccio,activomaisbaratoqueasuacotac~ao,eigualaodireitodevende-lo. formula(2)v^e-searaz~aopelaqualchamamosptaoptionfeature.defacto,odireitoan~ao EesteoteoremadaparidadeCall-Put,cujaimport^anciapraticaeenorme.Elepodeser aformulaequivalentenocasodasputs: DerivandoemordemaStve-seque,nocasodasPut,ohedgeratioouvaleN(d1) 1. onded1ed2s~aoomesmoquenocasodascall(3)en()eadistribuic~aonormalacumulada. Podeusar-seesteteoremadirectamentecomaequac~aodeBlack-Scholesparaseobter Pt= StN( d1)+ke rn( d2) (4) xi

12 Preços (sigma = 0.35, tau = 3 meses) Preço da Call Preço Intrínseco Valor do Tempo Feature S_t = Cotacao no inicio Preços (sigma = 0.35, tau = 15 dias) 18 Preço da Call 14 Preço Intrínseco Valor do Tempo Feature 10 secomp~oeoseupreco:ovalorintrnseco,ovalortemporaldodinheiroeaoptionfeature. Figura4:Padr~aodelucrodeumaCall(linhaacheio)edecadaumdoselementosdeque xii -6 S_t = Cotacao no inicio

13 AEstimac~aodaVolatilidadeImplcita NumPreco Captulo2 Detodasasvariaveisrequeridaspelaequac~aodeBlack-Scholesparaadeterminac~aodopreco deopc~oes,amaisdifcildedeterminare,odesvio-padr~aodoganhologartmicodoactivo. destatecnica,odesenvolvimentoseguinteeparadigmatico. variasmaneirasdeiterar.aqui,usar-se-aumadelas,adenewton-raphson.comoexemplo emusaraequac~aodeblack-scholesiterativamenteateadescobertadeumasoluc~ao.existem sup^oeexistirnoactivosobreoqualacallfoiescrita. Ecostumetentar-sedescobrir,dadooprecorealdeumaCall,qualeoqueessepreco Oproblemaconsisteem,dadososSt;r;;KeC,oprecodaCall,acharumtalque N~aoexisteumasoluc~aoanalticaparatalproblema.Aformapraticadeestimarconsiste Raphsonsubstituemsucessivamenteem monotonicidadedefgarantequeexisteapenasumatalraiz.asiterac~oesdenewton- Asoluc~aoobtem-seprocurandoiterativamenteumaraizdaequac~aoC f()=0.a f()=stn(d1) Ke rn(d2)=c ondei+1indicaaiterac~aoseguinte.eimportantecomecaraiterarcomuminicialque conduzasempreaconverg^encia.manaster&koehler(1982)[5]mostraramqueumdesses edadopor 2=lnSt i+1=i f(i) C K+r2 f0(i) (6) (5)

14 DERIVDerivadaf0() D1d1 D2d2 CPrecodaCall N'(D1)DerivadadeN(d1) N(D1)Probabil.Acumulada N(D2)Probabil.Acumulada Tabela1:Listadosnomesderegistosadenirnafolhadecalculocapazdeestimaro MARKMarcaouag INITinicial EXPexp( r) KPreconoexerccioTARGETRegistoauxiliar SIGMA,aestimac~aopretendida TAU,otempoateaoexerccio RS r,oganhosemrisco subjacenteaumdadopreco,cdeumacall. St,acotac~aodoactivoemt quen~aoedecalculotrivial.podeporemver-se(jarrow&rudd[4])que doalgoritmodenewton-raphsonemfolhadecalculo. Depossedetodososelementosnecessariosaestimac~aode,podepassar-seaimplementac~ao 12.Implementac~ao:Usar-se-acomopontodepartidaafolhadecalculoondesedeterminouN(x),afunc~aoProbabilidadeGaussianaacumulada.Comoeprecisoacharovalor f0()=stpn0(d1)eonden0(x)=1 p2e x2 2 (7) oprocessodeestimac~aodosubjacenteaumdadoc.quandoesteregistoediferentede zero,afolhadecalculodeterminainit,ovalorderecomendavelparainiciarasiterac~oes. manualmenteoregistomarkazero.afolhadecalculoproduziraent~aoumaouvarias destafunc~aoparad1ed2,conservar-se-~aodoisregistosparaesteefeito. Istoconsegue-secomaformula(6).Depoisdesteinicialtersidodescoberto,devep^or-se iterac~oespartindodoinicial.asiterac~oesdevemprosseguiratequeoregistoc,onde Osnomesdosregistosusadosnesteexemploconstamdatabela1.OregistoMARKinicia 13ilustraasituac~aoemquesepretendeacharoinicial(registoINIT)eportantoMARKe diferentedezero. secalculaoprecodacallpelaformuladeblack-scholes,setenhatornadoigualaoregisto TARGET(ondesedevecolocar,noincio,oprecodaCall). determinaroprecodacallsegundoomodelodeblack-scholes(3).paraisto,introduzir-se-~ao 14.Asformulas:OsregistosK,S,R,eTAUcont^emosdadosdoproblemaepermitem Umpossvelaspectodafolhadecalculoeoquesemostranagura5.Estagura asseguintesformulasousemelhantes: nosregistosd_1,=(ln($s/$k)+($r+sigma^2/2)*$tau)/(sigma*sqrt($tau)) xiv

15 ProbabilidadesAcumuladas: d exp tau KSr d_1-2.7E d_ N'(d_1) target mark init deriv C s(d) h(d) tn(d) e sigma C,umdadoprecodeumaCall.Doladoesquerdo,embaixo,v^e-seoespacoreservadoao pb(0) b(1) Figura5:Umaspectopossvelparaafolhadecalculocapazdeestimarosubjacentea calculodosN(d1)eN(d2). d_2,=(ln($s/$k)+($r-sigma^2/2)*$tau)/(sigma*sqrt($tau)) formula(7).sigmaimplementainitparavaloresdemarkquen~aosejamzeromas poisiteraratequeosregistostargetecquemiguais.oregistoderivcontema Aseguir,introduzem-seasformulasquepermitemacharINIT,oinicial(6)ede- exp,=exp(-$r*$tau) passaaimplementaraformula(5)casomarksejapostoazero.em123,estasformulas C,=$S*$N(D_1)-$K*$EXP*$N(D_2) podemteroaspectoquesemostraaseguir,ousemelhante: 16nosregistosinit,=SQRT(ABS(LN($S/$K)+R*TAU)*2/TAU) N'(d_1),=(1/SQRT(2*PI))*EXP(-D_1^2/2) deriv,=$s*sqrt($tau)*$n'(d_1) Conclui-seportantoqueadispers~aosupostapelosinvestidoresparaoactivosobreoquala Callfoiescritae=0:4035umavezquefoiatribuidaaestaopc~aoumprecode2dolares. aspectodafolhadecalculo,nomdeseisiterac~oes,deveseroqueagura6mostra. Depoisdestasformulasintroduzidasedainicializac~aodeMARKedeTARGET,o sigma,=if($mark<>0,$init,$sigma-($c-$target)/$deriv) Ficaassimresolvidooproblemaproposto.xv

16 dprobabilidadesacumuladas: exp tau KSr d_ d_ N'(d_1) target mark init deriv C 0 s(d) h(d) tn(d) sigma subjacenteac,umdadoprecodeumacall Figura6:Oaspectonal,depoisdeseisiterac~oes,dafolhadecalculoqueestimouo... ẋvi

17 Exerccios Captulo3 dolares, desteactivoestanestemomentocotadoa55dolaresequeestascallsseest~aoavendera8 17.Considerem-seas\GeneralPills,September60Calloptions".Supondoqueumaacc~ao 1.FazerumgracocomopayoresultantedacompradeumadestasCallsemfunc~aode 2.Fazerumgracocomopayoresultantedacompradeumaacc~aodoactivoagorae 3.Qualeopayoresultantedacompradeumaacc~aodoactivoagora,juntocomaescrita posteriorvendaemsetembro,emfunc~aodest. variascotac~oesnoexerccio,st. 4.Numgracosimples,compararospayoresultantesdacompradeumaacc~aodeGeneralPills,comosdacompradeumaporc~aodeGeneralPillsjuntocomaescritade (venda)deumacallsobreessaporc~ao? deuma,ecomosdomesmocomtr^escalls. umacallsobreessaacc~ao,comosdomesmomascomaescritadeduascallsemvez NotarquequemescreveumaCallarrecadaodinheirodavendahoje,mastemquefornecer oactivoaocompradordacallnoexerccio,casoessecompradorqueiraexercerasuaopc~ao. sejaelevadoeaomesmotempoescreveroutracomumquesejabaixo.fazerumgracodo dolares,edepoisvendeumacomumpreconoexercciode40eaoutracomumde60. padr~aodelucrosdestacombinac~aoemfunc~aodest. 19.UminvestidorcompraduasCalls,cadaumacomomesmopreconoexercciode50 18.UmabearishspreadconsisteemcomprarumaCallcomumpreconoexerccioque xvii

18 Fazerumgracodopadr~aodelucrosdestacombinac~ao,conhecidacomobutteryspreadem activo,comamesmadatadeexpirac~aoepreconoexerccio.fazerumgracodopadr~aode lucrosdastr^esstraddlespossveiscomosdadosabaixo,emfunc~aodest. 20.NumastraddleuminvestidorcompratantoumaPutcomoumaCallsobreomesmo TipoKCtouPt Call4013 Call506 Call603 possatrabalharcomdatas,masondeoscalculossejamfeitosemtermosdediasdocalendario 21.ConstruirumafolhadecalculoquecalculeovalordeumaCalledeumaPuteondese Put401 Put504 acc~aodeactivoactualmentecotadoem50dolares.oexerccioe40dolares,obemsemrisco anual.assumirqueoanotem365dias.calcularovalordeumacallescritasobreuma Put deMarcode1987ehojeestamosa18deOutubrode1986. paga6%eodesvio-padr~aodoganhologartmicodoactivoe20%.adatadeexpirac~aoea xviii

19 Bibliograa [3]F.BlackandM.Scholes.Thepricingofoptionsandcorporateliabilities.Journalof [2]F.BlackandM.Scholes.Thevaluationofoptioncontractsandatestofmarketeciency. [1]F.Black.Factsandfantasyintheuseofoptions.FinancialAnalystsJournal,31:36{41, PoliticalEconomy,81:673{659,May1973. JournalofFinance,27:399{417,May {72,July-August1975. [5]S.ManasterandG.Koelher.Anoteonthecalculationofimpliedvariancesfromthe [4]R.JarrowandA.Rudd.OptionPricing.Irwin,Homewood,Ill.,1983. black-scholesmethod.journaloffinance,37:227{230,march1982. xix

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante INTRODUÇÃO II - DO OBJETO E DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS III - DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA IV - DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO V - DO RECEBIMENTO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOST VI - ABERTURA DOS ENVELOPES VII - DA DOCUMENTAÇÃO

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DE CONCURSO PÚBLICO

COMISSÃO ESPECIAL DE CONCURSO PÚBLICO RESOLUÇÃO CECP Nº 003/2010 DIVULGA O GABARITO OFICIAL PRELIMINAR E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS A Comissão Especial de Concurso Público, constituída pelo Decreto Nº 076/2010, de 1º de novembro de 2010 e reconstituída

Leia mais

Pacotes Ofertados. Pacote Global + A La Carte HD + Adulto Pacote Global + Filmes HD + A La Carte HD + Adulto

Pacotes Ofertados. Pacote Global + A La Carte HD + Adulto Pacote Global + Filmes HD + A La Carte HD + Adulto CIDADE PACOTE + Filmes SD + Filmes SD + Filmes SD + A La Carte HD + Filmes SD + A La Carte HD + Filmes SD + A La Carte HD + Adulto + Adulto Pacote Familia + Filmes SD + A La Carte HD + Adulto + Filmes

Leia mais

E S T A T U T O D O C L U B E D E R E G A T A S B R A S I L

E S T A T U T O D O C L U B E D E R E G A T A S B R A S I L E S T A T U T O D O C L U B E D E R E G A T A S B R A S I L H I N O O F I C I A L J a y m e d e A l t a v i l a I A o r e m o! Po i s n o s s o n o r t e D e g l ó r i a s t r a ç a d o e s t á. F a ç

Leia mais

As Letras Gregas. Exemplo. Posição Coberta e Descoberta. Prf. José Fajardo FGV-EBAPE

As Letras Gregas. Exemplo. Posição Coberta e Descoberta. Prf. José Fajardo FGV-EBAPE As Prf. José Fajardo FGV-EBAPE Exemplo Um Banco há vendido por $300,000 uma Call Européia em 100.000 unidades de um ativo que não paga dividendos S 0 = 49, X = 50, r = 5%, σ = 20%, T = 20 semanas, µ =

Leia mais

Objectivo. Ephi-ciência Financeira. Introdução aos Produtos Derivados. Definição e Carcterização de Opções Tipos de Opções Princípios de Avaliação

Objectivo. Ephi-ciência Financeira. Introdução aos Produtos Derivados. Definição e Carcterização de Opções Tipos de Opções Princípios de Avaliação Introdução aos Produtos Derivados Objectivo Definição e Carcterização de Opções Tipos de Opções Princípios de Avaliação João Cantiga Esteves Senior Partner ACTIVOS FINANCEIROS DERIVADOS Introdução às Opções

Leia mais

ANEXO I CAPITAL DE RISCO BASEADO NO RISCO OPERACIONAL. 1º Consideram-se, para efeitos deste anexo, os conceitos abaixo:

ANEXO I CAPITAL DE RISCO BASEADO NO RISCO OPERACIONAL. 1º Consideram-se, para efeitos deste anexo, os conceitos abaixo: ANEXO I CAPITAL DE RISCO BASEADO NO RISCO OPERACIONAL Art.1 o O capital de risco baseado no risco operacional é calculado utilizando-se a seguinte fórmula: [ 30% CR ; max( OP OP )] CR oper = min outros

Leia mais

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2010 Salário-de-contribuição (R$) INSS até 1.040,22 8,00% de 1.040,23 até 1.733,70 9,00% de 1.733,71 até 3.467,40

Leia mais

Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA. Certificação Dados obtidos até: 31.12.2015 Relatório Gerado em: 13.01.2016

Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA. Certificação Dados obtidos até: 31.12.2015 Relatório Gerado em: 13.01.2016 Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA Certificação Dados obtidos até: 31.12.2015 Relatório Gerado em: 13.01.2016 Números consolidados dos Exames de Certificação ANBIMA CPA-10 CPA-20 CGA** CEA Total Inscrições

Leia mais

PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA Maia, 7 de Fevereiro de 2012 PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA A Sonae informa, nos termos e para os efeitos do disposto no artigo 17º do Código dos Valores Mobiliários, ter recebido uma comunicação da empresa

Leia mais

2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097. de Umuarama.

2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097. de Umuarama. 24 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 de Umuarama. 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 25 ANEXO I DO REGULAMENTO A QUE SE REFERE O DECRETO Nº 9510/2013 26 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 ANEXO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante I - INTRODUÇÃO II - OBJETO III - DOS ÓRGÃOS E UNIDADES INTEGRANTES DO REGISTRO IV - CONDIÇÕES GERAIS PARA PARTICIPAÇÃO V - DO RECEBIMENTO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOST VI - ABERTURA DOS ENVELOPES VII -

Leia mais

M O N O G R A F I A. Georreferenciamento e instalação de marcos e sinalização para o Parque Natural Municipal da Fazenda de Atalaia.

M O N O G R A F I A. Georreferenciamento e instalação de marcos e sinalização para o Parque Natural Municipal da Fazenda de Atalaia. M O N O G R A F I A Georreferenciamento e instalação de marcos e sinalização para o Parque Natural Municipal da Fazenda de Atalaia. Contratante: FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. Contratada: AMBIENTAL COMPANY

Leia mais

Contabilidade Social Carmen Feijó [et al.] 4ª edição

Contabilidade Social Carmen Feijó [et al.] 4ª edição Contabilidade Social Carmen Feijó [et al.] 4ª edição CAPÍTULO 5 BALANÇO DE PAGAMENTOS Professor Rodrigo Nobre Fernandez Pelotas 2015 2 Introdução O balanço de pagamentos é o registro contábil de todas

Leia mais

índice GERAL Capítulo IV A UNIFICAÇÃO PARCIAL DO DIREITO PRIVADO

índice GERAL Capítulo IV A UNIFICAÇÃO PARCIAL DO DIREITO PRIVADO índice GERAL Capítulo I A UNIFICAÇÃO PARCIAL DO DIREITO PRIVADO I. A unificação na Itália: Cesare Vivante (1892) e sua retratação em ]919; a posição contrária de Alfredo Rocco; a malograda experiência

Leia mais

LEI Nº 935 /2010. Art. 1º. Esta Lei dispõe sobre a Estrutura Administrativa da Câmara Municipal de Piranguçu. TÍTULO I DA ESTRUTURA ADMINSTRATIVA

LEI Nº 935 /2010. Art. 1º. Esta Lei dispõe sobre a Estrutura Administrativa da Câmara Municipal de Piranguçu. TÍTULO I DA ESTRUTURA ADMINSTRATIVA LEI Nº 935 /2010 Dispõe sobre a Estrutura Administrativa da Câmara Municipal de Piranguçu. O Povo do Município de Piranguçu, por seus representantes na Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito Municipal,

Leia mais

4.1 Tubo Coletor de Esgoto Kanasan Ocre

4.1 Tubo Coletor de Esgoto Kanasan Ocre 4.1 Tubo Coletor de Esgoto Kanasan Ocre O Kanasan é um tubo corrugado de dupla parede, fabricado em Polietileno de Alta Densidade (PEAD), semi rígido, anelado externamente e liso internamente (Figura 1,

Leia mais

Opções. Opção. Tipos de Opções. Uma opção de compra (call) é um contrato que te da o direito de comprar

Opções. Opção. Tipos de Opções. Uma opção de compra (call) é um contrato que te da o direito de comprar Opções Prf. José Fajardo EBAPE-FGV Opção É um contrato que da o direito, mais não a obrigação de comprar ou vender um determinado ativo subjacente a um determinado preço Tipos de Opções Uma opção de compra

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE PEDAGOGIA

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE PEDAGOGIA Aprovado pela Resolução Consuni nº 29/10, de 15/09/2010. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento tem por finalidade

Leia mais

Objectivo. Ephi-ciência Financeira Principios de Avaliação de Opções. Definição e Carcterização de Opções Tipos de Opções Princípios de Avaliação

Objectivo. Ephi-ciência Financeira Principios de Avaliação de Opções. Definição e Carcterização de Opções Tipos de Opções Princípios de Avaliação Principios de Avaliação de Opções Objectivo Definição e Carcterização de Opções Tipos de Opções Princípios de Avaliação João Cantiga Esteves Senior Partner 1 ACTIVOS FINANCEIROS DERIVADOS Perfis de Resultados

Leia mais

OS CONTRATOS DE OPÇÃO

OS CONTRATOS DE OPÇÃO 1 FINANCIAMENTO POR MEIO DE INSTRUMENTOS HÍBRIDOS 2 OS CONTRATOS DE OPÇÃO 1 3 OS CONTRATOS DE OPÇÃO CALL OPTIONS: contratos de opção de compra PUT OPTIONS: contratos de opção de venda O VALOR DA OPÇÃO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS: I programa de trabalho proposto pela beneficiária ou exposição das unidades de serviço objeto dos repasses concedidos, avaliado pela Comissão, contendo: a. razões que justifiquem

Leia mais

ALINE REGINA GORRIS JULIANA ALVES DE SOUZA SUSANE ELISA EGGERS HECH

ALINE REGINA GORRIS JULIANA ALVES DE SOUZA SUSANE ELISA EGGERS HECH ALINE REGINA GORRIS JULIANA ALVES DE SOUZA SUSANE ELISA EGGERS HECH VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: CONHECENDO O PERFIL DOS AGRESSORES E DAS VÍTIMAS NA CIDADE DE TOLEDO PR Pesquisa apresentada ao curso de Psicologia,

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente instrumento tem por finalidade regulamentar as Atividades Complementares que compõem

Leia mais

XX TORNEIO NORDESTE DE CLUBES INFANTIL 1, INFANTIL 2, JUVENIL 1, JUVENIL 2, JÚNIOR/SENIOR Troféu Sérgio Silva

XX TORNEIO NORDESTE DE CLUBES INFANTIL 1, INFANTIL 2, JUVENIL 1, JUVENIL 2, JÚNIOR/SENIOR Troféu Sérgio Silva XX TORNEIO NORDESTE DE CLUBES INFANTIL 1, INFANTIL 2, JUVENIL 1, JUVENIL 2, JÚNIOR/SENIOR Troféu Sérgio Silva REGULAMENTO CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º - Pelas Associações localizadas na região Nordeste,

Leia mais

ANEXO II - MODELOS DE DIVULGAÇÕES RESPEITANTES A PLANOS DE BENEFÍCIO DEFINIDO

ANEXO II - MODELOS DE DIVULGAÇÕES RESPEITANTES A PLANOS DE BENEFÍCIO DEFINIDO >> Voltar ao índice ANEXO II - MODELOS DE DIVULGAÇÕES RESPEITANTES A PLANOS DE BENEFÍCIO DEFINIDO O presente Anexo apresenta um conjunto de modelos que as instituições devem considerar no âmbito das divulgações

Leia mais

FORMULÁRIO FAPES 2V PROJETO INDIVIDUAL DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

FORMULÁRIO FAPES 2V PROJETO INDIVIDUAL DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO FORMULÁRIO FAPES 2V PROJETO INDIVIDUAL DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO I. DADOS DO PROPONENTE / COORDENADOR DO PROJETO NOME: DATA DA TITULAÇÃO: CPF: R.G. ORGÃO: NACIONALIDADE: ESTADO CIVIL: ENDEREÇO RESIDENCIAL:

Leia mais

RESOLUÇÃO STJ N. 1 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2014.

RESOLUÇÃO STJ N. 1 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2014. RESOLUÇÃO STJ N. 1 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2014. Dispõe sobre o pagamento de custas judiciais e porte de remessa e retorno de autos no âmbito do Superior Tribunal de Justiça. O PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 10, DE 31 DE AGOSTO 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 10, DE 31 DE AGOSTO 1999 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 10, DE 31 DE AGOSTO 1999 Publicado no DOE(Pa) de 02.09.99. Aprova modelo de formulários e dá outras providências. A Secretaria Executiva da Fazenda, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

A República Federativa do Brasil. A República Argentina (doravante denominadas as "Partes"),

A República Federativa do Brasil. A República Argentina (doravante denominadas as Partes), CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO EDUCATIVA ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E A REPÚBLICA ARGENTINA A República Federativa do Brasil e A República Argentina (doravante denominadas as "Partes"), Conscientes

Leia mais

Apostila Mercado de Capitais Uninove. Parte XI Os Derivativos

Apostila Mercado de Capitais Uninove. Parte XI Os Derivativos Apostila Mercado de Capitais Uninove Parte XI Os Derivativos 1 Fundamentos dos Derivativos 2 O que são Derivativos? Os Instrumentos financeiros: Um instrumento financeiro é qualquer contrato que dá origem

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas PGDP

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas PGDP UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas PGDP (Dez) (Dez) Campus Doutores Mestres Especialistas Doutores Mestres Especialistas Variação Total Total Qtde

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ. Atualizado em 08/09/2015

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ. Atualizado em 08/09/2015 SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ Atualizado em 08/09/2015 RESOLUÇÃO STJ/GP N. 3 DE 5 DE FEVEREIRO DE 2015. Dispõe sobre o pagamento de custas judiciais e porte de remessa e retorno de autos no âmbito do

Leia mais

ENQUADRAMENTO DAS PROFISSÕES E CATEGORIAS PROFISSIONAIS EM NÍVEIS REMUNERATÓRIOS E DIUTURNIDADES (não negociada)

ENQUADRAMENTO DAS PROFISSÕES E CATEGORIAS PROFISSIONAIS EM NÍVEIS REMUNERATÓRIOS E DIUTURNIDADES (não negociada) Açores SEÇÃO COORDENADORA REGIONAL DO SINTAP-AÇORES Rua do Barcelos, 21/23 9700-026 ANGRA DO HEROÍSMO www.sintapazores.com E-mail: sede@sintapazores.com ENQUADRAMENTO DAS PROFISSÕES E CATEGORIAS PROFISSIONAIS

Leia mais

Estado da Paraíba Prefeitura Municipal de Santa Cecília Gabinete do Prefeito

Estado da Paraíba Prefeitura Municipal de Santa Cecília Gabinete do Prefeito Lei nº176/2014 Dispõe sobre o Conselho e Fundo Municipal de Políticas sobre Drogas do Município de Santa Cecília e dá outras providências. A Câmara Municipal de Santa Cecília, estado da Paraíba, aprovou

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE INFORMÁTICA DIN MANUAL DA SALA VIRTUAL - PROCURAÇÃO

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE INFORMÁTICA DIN MANUAL DA SALA VIRTUAL - PROCURAÇÃO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE INFORMÁTICA DIN MANUAL DA SALA VIRTUAL - PROCURAÇÃO 1 SUMÁRIO 1. CADASTRO ADVOGADO... 3 2. PROCURAÇÃO... 8 3. MINHAS PROCURAÇÕES... 9 4. RENUNCIAR

Leia mais

Eventos 2011 Organizador Data evento Local

Eventos 2011 Organizador Data evento Local Calendário dos principais eventos na área Contábil e Administrativa 2011-2014 Centro de Estudos Contábeis - CEC da UNISC Profª. Ms. Márcia Rosane Frey, Santa Cruz do Sul, 2011 Eventos 2011 Organizador

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA (FAMES)

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA (FAMES) REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA (FAMES) SANTA MARIA RS 2014 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO

Leia mais

MANUAL DE NORMAS REGISTRO DE CONDIÇÕES DE CONTRATO DE COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OBRIGAÇÕES NO ÂMBITO DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL

MANUAL DE NORMAS REGISTRO DE CONDIÇÕES DE CONTRATO DE COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OBRIGAÇÕES NO ÂMBITO DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL MANUAL DE NORMAS REGISTRO DE CONDIÇÕES DE CONTRATO DE COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OBRIGAÇÕES NO ÂMBITO DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL VERSÃO: 01/7/2008 2/7 MANUAL DE NORMAS REGISTRO DE CONDIÇÕES DE CONTRATO

Leia mais

O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N o 11.306, DE 16 DE MAIO DE 2006 Estima a receita e fixa a despesa da União para o exercício financeiro de 2006. O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

DECRETO Nº 7.294, DE 6 DE SETEMBRO DE 2010 DOU 08.09.2010. Dispõe sobre a Política de Mobilização Nacional.

DECRETO Nº 7.294, DE 6 DE SETEMBRO DE 2010 DOU 08.09.2010. Dispõe sobre a Política de Mobilização Nacional. DECRETO Nº 7.294, DE 6 DE SETEMBRO DE 2010 DOU 08.09.2010 Dispõe sobre a Política de Mobilização Nacional. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea "a",

Leia mais

Rubem Ludolf. Born in Maceió, Brazil, 1932. Died in Rio de Janeiro, Brazil, 2010. Selected Solo Exhibitions

Rubem Ludolf. Born in Maceió, Brazil, 1932. Died in Rio de Janeiro, Brazil, 2010. Selected Solo Exhibitions Rubem Ludolf Born in Maceió,, 1932 Died in Rio de Janeiro,, 2010 Selected Solo Exhibitions 2005 Galeria Berenice Arvani, São Paulo, 2003 Estúdio Guanabara, Rio de Janeiro, Centro Universitário Maria Antonia,

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 1. IDENTIFICAÇÃO Unidade Curricular: Programação Web I Eixo temático: Informática Semestre: 2º

PLANO DE ENSINO. 1. IDENTIFICAÇÃO Unidade Curricular: Programação Web I Eixo temático: Informática Semestre: 2º INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA IFSC Departamento Acadêmico de Saúde e Serviços - DASS Núcleo de Informática e Sistemas - NIS Curso Técnico em Informática PLANO DE

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS XII / GUANAMBI BA REGIMENTO INTERNO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS XII / GUANAMBI BA REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS XII / GUANAMBI BA REGIMENTO INTERNO GUANAMBI 2005 CAPÍTULO I Da Finalidade Art. 1º - O Núcleo de Pesquisa e Extensão () do Departamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO Diretoria de Gestão da Tecnologia da Informação

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO Diretoria de Gestão da Tecnologia da Informação PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS A Coordenadoria de Segurança da Informação da Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação DGTI, em conformidade com a Norma Complementar nº 04, da Instrução Normativa

Leia mais

PüBLICADO(A) NO DlARIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO

PüBLICADO(A) NO DlARIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO PüBLICADO(A) NO DlARIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO,VÍK SECRhIÁWA JUDICIÁRIA-TR,i^ iw! TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE PERNAMBUCO RESOLUÇÃO NS 200 (11.9.2013) PROCESSO ADMINISTRATIVO N^ 353-09.2013.6.17.0000 -

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Coordenação de Engenharia de Computação

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Coordenação de Engenharia de Computação Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Coordenação de Engenharia de Computação PRIMEIRA RESOLUÇÃO DO COLEGIADO DO CURSO ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DA UNIVERSIDADE

Leia mais

CAPÍTULO XX DA UNIDADE DE APOIO A GESTÃO ESTRATÉGICA UAGE. Seção I Da Finalidade

CAPÍTULO XX DA UNIDADE DE APOIO A GESTÃO ESTRATÉGICA UAGE. Seção I Da Finalidade CAPÍTULO XX DA UNIDADE DE APOIO A GESTÃO ESTRATÉGICA UAGE Seção I Da Finalidade Art. 1º A Unidade de Apoio à Gestão Estratégica (UAGE) tem como finalidade promover o gerenciamento estratégico setorial

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regimento Interno do Departamento das Ciências da Educação Física e Saúde DCEFS, anexo a esta Resolução.

Art. 1º Aprovar o Regimento Interno do Departamento das Ciências da Educação Física e Saúde DCEFS, anexo a esta Resolução. RESOLUÇÃO N o 021, de 21 de maio de 2007. Aprova Regimento Interno do Departamento das Ciências da Educação Física e Saúde DCEFS. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO

Leia mais

Ementas por Currículos

Ementas por Currículos Universidade Federal Fluminense GCL00064 GCL00065 LINGUISTICA I Unknown function : LINGUISTICA II GCL00066 LINGUISTICA III GCL00067 LINGUISTICA IV GCL00068 LINGUISTICA V GCL00069 LINGUISTICA VI GCL00070

Leia mais

MANUAL DE NORMAS TERMO DE ÍNDICE DI

MANUAL DE NORMAS TERMO DE ÍNDICE DI MANUAL DE NORMAS TERMO DE ÍNDICE DI VERSÃO: 20/7/2009 2/8 MANUAL DE NORMAS TERMO DE ÍNDICE DI ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DOS PARTICIPANTES

Leia mais

Prefácio... xxi Introdução... 1

Prefácio... xxi Introdução... 1 SUMÁRIO Prefácio... xxi Introdução... 1 CAPÍTULO I BREVE HISTÓRICO... 5 1. O comércio e o direito comercial... 5 2. A falência... 9 3. A evolução do direito falimentar... 11 4. O direito falimentar no

Leia mais

Journal of Transport Literature

Journal of Transport Literature JTL RELIT www.transport-literature.org ISSN 2238-1031 Journal of Transport Literature JTL Regras de formatação de Artigos 1. Aspectos Gerais Todos os artigos devem ser acompanhados do preenchimento de

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. Módulo 9: Concessionárias de Transmissão. S u b m ó d u l o 9. 8

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. Módulo 9: Concessionárias de Transmissão. S u b m ó d u l o 9. 8 A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A Módulo 9: Concessionárias de Transmissão S u b m ó d u l o 9. 8 M e t o d o l o g i a d e c á l c u l o de p r e ç o t e t o d a R e c e

Leia mais

o Remoção de poeiras e teias nos locais mais elevados; Trimestralmente e incluído nos serviços referidos no ponto anterior

o Remoção de poeiras e teias nos locais mais elevados; Trimestralmente e incluído nos serviços referidos no ponto anterior ANEXO IV CARACTERIZAÇÃO E HORÁRIOS DOS SERVIÇOS 1. O programa de trabalhos de limpeza a realizar, por local (ver moradas no anexo III), é o seguinte: a) No edifício sede da RTA, deverão ser prestadas 48

Leia mais

ASARVORESDEDECIS~AO. DuarteTrigueiros

ASARVORESDEDECIS~AO. DuarteTrigueiros ASARVORESDEDECIS~AO DuarteTrigueiros domestradoemci^enciasempresariais \SistemasdeApoioaDecis~ao" DuarteTrigueiros ccopyright1991 by Estacopiaefornecidasobcondic~aodequequemaconsultarreconhecequeosdireitosdeautorpermanecem

Leia mais

TERMO DE ADESÃO AO SERVIÇO SEM PARAR Consulte a Proposta de Adesão com as regras específicas do Plano de Serviços escolhido.

TERMO DE ADESÃO AO SERVIÇO SEM PARAR Consulte a Proposta de Adesão com as regras específicas do Plano de Serviços escolhido. TERMO DE ADESÃO AO SERVIÇO SEM PARAR Consulte a Proposta de Adesão com as regras específicas do Plano de Serviços escolhido. 1. DAS DEFINIÇÕES 1.1. São aplicáveis as seguintes definições: (I) AUTOATENDIMENTO:

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA ÍNDICE

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA ÍNDICE 1 REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA ÍNDICE CAPÍTULO I DA FINALIDADE CAPÍTULO II DO GLOSSÁRIO CAPÍTULO III DA FORMA DE GESTÃO DOS RECURSOS CAPÍTULO IV DA CONSTITUIÇÃO DO PGA CAPÍTULO V

Leia mais

LEI N 1.672-03/2015 I - DAS ATIVIDADES PASSÍVEIS DE DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE COLINAS

LEI N 1.672-03/2015 I - DAS ATIVIDADES PASSÍVEIS DE DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE COLINAS LEI N 1.672-03/2015 CONSOLIDA AS TAXAS DE ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL, DE ATPF E DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE COLINAS PARA O EXERCÍCIO DE 2016, e dá outras providências. IRINEU HORST,

Leia mais

I. Amostra Grátis... 17. I.1 Isenção do IPI...17. I.2 Isenção do ICMS...18. I.3 Valor da operação...19. I.4 Exemplo...19. II. Armazém Geral...

I. Amostra Grátis... 17. I.1 Isenção do IPI...17. I.2 Isenção do ICMS...18. I.3 Valor da operação...19. I.4 Exemplo...19. II. Armazém Geral... S U M Á R I O A I. Amostra Grátis... 17 I.1 Isenção do IPI......17 I.2 Isenção do ICMS.........18 I.3 Valor da operação.........19 I.4 Exemplo.........19 II. Armazém Geral...... 23 II.1 Suspensão do IPI......23

Leia mais

Plano Nacional de Trabalho Decente - PNTD

Plano Nacional de Trabalho Decente - PNTD Plano Nacional de Trabalho Decente - PNTD Ministério do Trabalho e Emprego Assessoria Internacional Junho de 2009 Trabalho Decente Contar com oportunidades de um trabalho produtivo com retribuição digna,

Leia mais

Política de Divulgação de Atos ou Fatos Relevantes da Quality Software S.A. ( Política de Divulgação )

Política de Divulgação de Atos ou Fatos Relevantes da Quality Software S.A. ( Política de Divulgação ) Política de Divulgação de Atos ou Fatos Relevantes da Quality Software S.A. ( Política de Divulgação ) Versão: 1.0, 08/03/2013 Fatos Relevantes v 1.docx 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO... 3 2. PESSOAS SUJEITAS

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA PORTARIA Nº 238/GABS/SEF/SC, DE 20 DE JULHO DE 2015.

ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA PORTARIA Nº 238/GABS/SEF/SC, DE 20 DE JULHO DE 2015. SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA PORTARIA Nº 238/GABS/SEF/SC, DE 20 DE JULHO DE 2015. Torna público o Relatório Resumido da Execução Orçamentária da Administração Direta e Indireta, relativo aos meses de

Leia mais

Logotipo X Marca X Logomarca IDENTIDADE VISUAL. Parte I LOGOTIPO MARCA LOGOMARCA. galleti.net

Logotipo X Marca X Logomarca IDENTIDADE VISUAL. Parte I LOGOTIPO MARCA LOGOMARCA. galleti.net IDENTIDADE VISUAL Parte I LOGOTIPO MARCA LOGOMARCA galleti.net 1. LOGOTIPO É composto por partes distintas: o símbolo e a tipografia, que juntos formam o logotipo em si. Mas, também pode ser uma representação

Leia mais

NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO. Capítulo I. Da entidade e seus objetivos

NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO. Capítulo I. Da entidade e seus objetivos Versão Final NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO Capítulo I Da entidade e seus objetivos Art. 1º - O NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL, é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos,

Leia mais

MD Sequências e Indução Matemática 1

MD Sequências e Indução Matemática 1 Sequências Indução Matemática Renato Martins Assunção assuncao@dcc.ufmg.br Antonio Alfredo Ferreira Loureiro loureiro@dcc.ufmg.br MD Sequências e Indução Matemática 1 Introdução Uma das tarefas mais importantes

Leia mais

Plano de Manutenção Predial Preventiva

Plano de Manutenção Predial Preventiva SUMAN Subsecretaria de Manutenções SEAP Secretaria de Adminitração Predial SEG Secretaria-Geral TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS Plano de Manutenção Predial Preventiva Brasília,

Leia mais

2011. A Sua Excelência o Senhor Deputado Eduardo Gomes Primeiro-Secretário da Câmara dos Deputados. Assunto: Projeto de Lei do Senado à revisão.

2011. A Sua Excelência o Senhor Deputado Eduardo Gomes Primeiro-Secretário da Câmara dos Deputados. Assunto: Projeto de Lei do Senado à revisão. Ofício nº 619 (SF) 2011. Brasília, em 11 de maio de A Sua Excelência o Senhor Deputado Eduardo Gomes Primeiro-Secretário da Câmara dos Deputados Assunto: Projeto de Lei do Senado à revisão. Senhor Primeiro-Secretário,

Leia mais

RESOLUCAO 254 -------------

RESOLUCAO 254 ------------- RESOLUCAO 254 ------------- O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma art. 9º da Lei nº 4.595, 31 zembro 1964, torna público que o Conselho Monetário Nacional, em sessão realizada nesta data, ten em vista dispições

Leia mais

Veja na figura 1 o fluxo de caixa (em $1.000) que pode exprimir as entradas e saídas de caixa de um desenvolvimento de um novo produto:

Veja na figura 1 o fluxo de caixa (em $1.000) que pode exprimir as entradas e saídas de caixa de um desenvolvimento de um novo produto: CAPÍTULO 8 OPÇÕES REAIS 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS Segundo Copeland, Koller e Murrin Os métodos de precificação de opções são superiores às abordagens DCF (Discounted Cash Flow) tradicionais porque captam

Leia mais

Perfil e Jornada de Trabalho da Equipe de Profissionais da Estação Juventude Local

Perfil e Jornada de Trabalho da Equipe de Profissionais da Estação Juventude Local PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL SECRETARIA NACIONAL DE JUVENTUDE Perfil e Jornada de Trabalho da Equipe de Profissionais da Estação Juventude Local a) COORDENADOR ADJUNTO: 01 (Contratação Temporária

Leia mais

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA SECRETARIA MUNICIPAL DE COMPRAS E LICITAÇÕES End: Rua Siqueira Campos, S-64 Centro Fone: (14) 3283-9570 ramal 9576 Email: compras@pederneiras.sp.gov.br Responsável: Dr. Luis Carlos Rinaldi Atribuições

Leia mais

Controle de Fluxo Comandos de decisão

Controle de Fluxo Comandos de decisão BCC 201 - Introdução à Programação Controle de Fluxo Comandos de decisão Guillermo Cámara-Chávez UFOP 1/39 Expressões Relacionais I == : retorna verdadeiro quando as expressões

Leia mais

BANPARÁ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ 00.857.364/0001-92 PROSPECTO

BANPARÁ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ 00.857.364/0001-92 PROSPECTO BANPARÁ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ 00.857.364/0001-92 PROSPECTO AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE PROSPECTO ESTÃO EM CONSONÂNCIA COM O REGULAMENTO DO FUNDO, PORÉM

Leia mais

Portaria Inep nº 157 de 5 de setembro de 2008 Publicada no Diário Oficial de 9 de setembro de 2008, Seção 1, pág. 38

Portaria Inep nº 157 de 5 de setembro de 2008 Publicada no Diário Oficial de 9 de setembro de 2008, Seção 1, pág. 38 Portaria Inep nº 157 de 5 de setembro de 2008 Publicada no Diário Oficial de 9 de setembro de 2008, Seção 1, pág. 38 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1021-ANTAQ, DE 24 DE ABRIL DE 2008.

RESOLUÇÃO Nº 1021-ANTAQ, DE 24 DE ABRIL DE 2008. RESOLUÇÃO Nº 1021-ANTAQ, DE 24 DE ABRIL DE 2008. ALTERA O REGIMENTO INTERNO DA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS-ANTAQ, APROVADO PELA RESOLUÇÃO Nº 646-ANTAQ, DE 06 DE OUTUBRO DE 2006, E DÁ OUTRA

Leia mais

MUNICÍPIO DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI Nº2. 830, DE 21 DE OUTUBRO DE 2011.

MUNICÍPIO DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI Nº2. 830, DE 21 DE OUTUBRO DE 2011. LEI Nº2. 830, DE 21 DE OUTUBRO DE 2011. Estabelece diretrizes para a Política de boas práticas e padrões de qualidade no atendimento ao usuário de serviços públicos na cidade de Morrinhos e dá outras providências.

Leia mais

SOFTWARE DE ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS RURAIS

SOFTWARE DE ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS RURAIS SOFTWARE DE ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS RURAIS 25.01.2010 ÍNDICE 1. Notificação de Início do Acompanhamento... 3 2. Software para Elaboração de Projetos Agropecuários... 5 2.1. Ícones... 6 3. Cadastro do

Leia mais

MISSÃO ESPECIAL DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIL. Senhor Ministro,

MISSÃO ESPECIAL DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIL. Senhor Ministro, MISSÃO ESPECIAL DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIL Nº 6 C/R La Paz, 29 de março de 1958. Senhor Ministro, Com o propósito de estreitar ainda mais as relações políticas e econômicas entre nossos países, nas conversações

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

MAESTRO LOCADORA DE VEÍCULOS S.A. NIRE 35.300.414.284 CNPJ/MF nº 08.795.211/0001-70

MAESTRO LOCADORA DE VEÍCULOS S.A. NIRE 35.300.414.284 CNPJ/MF nº 08.795.211/0001-70 MAESTRO LOCADORA DE VEÍCULOS S.A. NIRE 35.300.414.284 CNPJ/MF nº 08.795.211/0001-70 POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO E FATO RELEVANTE DA MAESTRO LOCADORA DE VEÍCULOS S.A. A presente Política de Divulgação

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO, COMPLEMENTO DE PÓS-GRADUAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO. CAPITULO I CONSIDERAÇÕES INICIAIS

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO, COMPLEMENTO DE PÓS-GRADUAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO. CAPITULO I CONSIDERAÇÕES INICIAIS INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA Rua Pinheiro Machado, n 189 Centro Ponta Grossa - PR CEP 84.010-310 Fone (0**42) 224-0301 Endereço Eletrônico: www.iessa.edu.br REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

LEI Nº 13.792, de 18 de julho de 2006. (PDIL) Procedência: Governamental Natureza: PL 141/06 DO: 17.928 de 20/07/06 Fonte - ALESC/Coord.

LEI Nº 13.792, de 18 de julho de 2006. (PDIL) Procedência: Governamental Natureza: PL 141/06 DO: 17.928 de 20/07/06 Fonte - ALESC/Coord. LEI Nº 13.792, de 18 de julho de 2006. (PDIL) Documentação Procedência: Governamental Natureza: PL 141/06 DO: 17.928 de 20/07/06 Fonte - ALESC/Coord. Estabelece políticas, diretrizes e programas para a

Leia mais

Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais.

Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais. RESOLUÇÃO Nº 306, DE 5 DE JULHO DE 2002 Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais. O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA, no uso das competências

Leia mais

Índice. Índice Sistemático 7 TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA 15 TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA 43 TRATADO DE LISBOA 159

Índice. Índice Sistemático 7 TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA 15 TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA 43 TRATADO DE LISBOA 159 5 Índice Índice Sistemático 7 TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA 15 TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA 43 TRATADO DE LISBOA 159 S 163 ANEXO QUADROS DE CORRESPONDÊNCIA A QUE SE REFERE O ARTIGO 5.º DO

Leia mais

PONTOS DE CORTE SiSU Edição 1/2015 1º SEMESTRE CAMPUS I - SALVADOR. Ampla Concorrência (60%) Negro Optante (40%) Ampla Concorrência (60%)

PONTOS DE CORTE SiSU Edição 1/2015 1º SEMESTRE CAMPUS I - SALVADOR. Ampla Concorrência (60%) Negro Optante (40%) Ampla Concorrência (60%) PONTOS DE CORTE SiSU Edição 1/2015 1º SEMESTRE Departamento de Ciências Humanas CAMPUS I - SALVADOR 101 Ciências Contábeis 25 15 10 1 Matutino 674,06 103 Com. Social / Relações Públicas 25 15 10 1 Vespertino

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITORIOS JPM SPECIAL INSTITUCIONAL MASTER FI

FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITORIOS JPM SPECIAL INSTITUCIONAL MASTER FI DADOS DO FUNDO INVESTIDOR DADOS DO ATIVO DADOS DA ASSEMBLEIA Denominação do Fundo Investidor Assembleias realizadas Nome da Tipo de "ativo/título" (Ex.: empresa emissora dos ativos ou ações, debêntures,

Leia mais

DE AUTOMÓVEIS DE ALUGUEL (TÁXIS), NO MUNICÍPIO

DE AUTOMÓVEIS DE ALUGUEL (TÁXIS), NO MUNICÍPIO 1 LEI Nº 1485/2014 DISPÕE SOBRE AS PERMISSÕES DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS, ATRAVÉS DE AUTOMÓVEIS DE ALUGUEL (TÁXIS), NO MUNICÍPIO DE INHAÚMA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 46.172, DE 30 DE JANEIRO DE 2009. (publicado no DOE nº 022, de 03 de fevereiro de 2009) Abre créditos suplementares

Leia mais

MANUAL PARA NORMATIZAÇÃO - TCC

MANUAL PARA NORMATIZAÇÃO - TCC Etec de Esportes Curt Walter Otto Baumgart Biblioteca da Etec de Esportes Curt Walter Otto Baumgart MANUAL PARA NORMATIZAÇÃO - TCC São Paulo, 2014 ii FORMATO DO TCC Tamanho do papel: A4 (21 cm 29,7 cm);

Leia mais

Controle de Fluxo Comandos de decisão

Controle de Fluxo Comandos de decisão BCC 201 - Introdução à Programação Controle de Fluxo Comandos de decisão Guillermo Cámara-Chávez UFOP 1/1 Expressões Relacionais I == : retorna verdadeiro quando as expressões

Leia mais

REGULAMENTO. Parágrafo Quarto Os esquetes vencedores de um mesmo grupo em até duas edições anteriores, não poderão concorrer.

REGULAMENTO. Parágrafo Quarto Os esquetes vencedores de um mesmo grupo em até duas edições anteriores, não poderão concorrer. REGULAMENTO A ParaNóia Produções Artísticas irá realizar nos dias 14, 15, 16, 17, 18 e 19 de Junho de 2016, o 25º Festival de Esquetes Teatrais de Novo Hamburgo. O mesmo acontecerá no Teatro Paschoal Carlos

Leia mais

Carteira de Projetos da Seção Judiciária do RS

Carteira de Projetos da Seção Judiciária do RS Página 1 Carteira de Projetos da Seção Judiciária do RS Projeto I Padronização e Melhoria dos Procedimentos das Varas Federais, Juizados e Turmas Recursais Escopo: Implementação de método de gerenciamento

Leia mais

Oslivrosquetratamdemetodologiasdedesenvolvimentodiscutemosconceitosenvol-

Oslivrosquetratamdemetodologiasdedesenvolvimentodiscutemosconceitosenvol- dostopicosabordadosnaareadeengenhariadesoftware.oslivrosdaserieforamescritos porprofessoresdoinstitutodecomputac~aodauniversidadeestadualdecampinas,que ensinamoutrabalhamnessaarea,emalgunscasosemparceriacomprofessoresdeoutras

Leia mais

VI - Pelo valor da Contribuição FGTS incidente sobre a parcela do 13º salário pago na rescisão: D - PROVISÃO P/ 13º

VI - Pelo valor da Contribuição FGTS incidente sobre a parcela do 13º salário pago na rescisão: D - PROVISÃO P/ 13º V D - PROVISÃO PARA 13º SALÁRIO E ENCARGOS SOCIAIS (Passivo Circulante) C - SALÁRIOS E ORDENADOS A PAGAR VI - Pelo valor da Contribuição FGTS incidente sobre a parcela do 13º salário pago na rescisão:

Leia mais

Índice de Gráficos. vii

Índice de Gráficos. vii Índice de figuras Figura 1 Figura 2 Figura 3 Figura 4 Figura 5 Figura 6 Modelo de raciocínio e acção pedagógica (adaptado de Shulman e Marcelo por Tavares, 1997) Modelo reflexivo de desenvolvimento / formação

Leia mais