II SEMINÁRIO ESTADUAL sobre Política Municipal de Habitação - PLANO CATARINENSE DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PCHIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "II SEMINÁRIO ESTADUAL sobre Política Municipal de Habitação - PLANO CATARINENSE DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PCHIS"

Transcrição

1 II SEMINÁRIO ESTADUAL sobre Política Municipal de Habitação - PLANO CATARINENSE DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PCHIS Plano Catarinense de Habitação de Interesse Social PCHIS

2 ADESÃO AO SNHIS (Lei Federal /05) Termo de Adesão ao SNHIS Constituição de Fundo de Habitação de Interesse Social (até 31 de dezembro de 2009) Constituição de Conselho Gestor do Fundo de Habitação de Interesse Social (até 31 de dezembro de 2009) Relatórios de Gestão do Fundo Elaboração do Plano Local de Habitação de Interesse Social (até 31 de dezembro de 2010)

3 PAINEL DAS ADESÕES AO SNHIS EM SC MUNICÍPIOS SITUAÇÃO REGULAR: 293 PLANOS LOCAIS DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PLHIS ELABORADOS 43 * - PLHIS EM ELABORAÇÃO 123 * PLHIS/ Recurso M CIDADES 2007/ Municípios e Estado Municípios * Fonte: IBGE PNAD 2008

4 OBJETIVO GERAL Garantir o direito de moradia digna e cidades sustentáveis para todos os cidadãos do Estado de Santa Catarina, em especial para a população de baixa renda, respeitando as particularidades culturais de cada região e preservando a qualidade do meio ambiente.

5 ESTRUTURA INSTITUCIONAL PARA CONCEPÇÃO, IMPLEMENTAÇÃO E GESTÃO DO PLANO E DA POLÍTICA DE HABITAÇÃO Regionalização e descentralização 36 SDRs (Lei Complementar Nº 381, de 2007); 7 Escritórios macrorregionais; Integração da rede local da COHAB/SC à Rede Metropolitana Governamental (web e videoconferência); Conselho Estadual das Cidades (COHAB/SC é membro); Conselho Gestor do Fundo de Habitação Popular; Grupo de Trabalho Interinstitucional para o PCHIS.

6 ESTRUTURA DE PARTICIPAÇÃO Reuniões com o Grupo de Trabalho Interinstitucional Oficinas Territoriais Regionais e Inter- regionais (para as etapas de Diagnóstico e de Propostas de Ação) Seminários Temáticos Fórum Estadual de Habitação

7 RESUMO DA ESTRATÉGIA

8 Coordenação: COHAB/SC METODOLOGIA DE TRABALHO Organização e promoção das atividades participativas, em conjunto com a Consultoria, através do apoio das SDRs. Divulgação, sensibilização e convocação para as atividades do processo participativo de elaboração do PCHIS; Articulação dos atores internos e externos ao governo para o envolvimento em todas as etapas do processo de elaboração do PCHIS; Aprovação dos produtos técnicos entregues pelo serviço de consultoria; Divulgação do material técnico produzido pelo serviço de consultoria; Articulação e o envolvimento de outros setores de Governo na elaboração do PCHIS, garantindo o fornecimento de dados e informações para a equipe consultora; Responsabilidade por garantir a chegada das informações solicitadas às Prefeituras.

9 METODOLOGIA DE TRABALHO Equipe de Consultoria Técnica: DEMACAMP Avaliar e adequar a proposta metodológica apresentada para elaboração do PCHIS; Planejar e conduzir, bem como sistematizar os documentos oriundos das oficinas territoriais e temáticas; Elaborar o documento contendo o diagnóstico sobre a realidade habitacional catarinense a partir da análise das informações recebidas da COHAB/SC, governo estadual e de dados obtidos em fontes complementares; Elaborar o Plano de Habitação: diretrizes, metas e linhas programáticas a partir das orientações do executivo estadual e das deliberações das discussões com a sociedade civil. Elaborar o Plano Catarinense de Habitação de Interesse Social Preparar os conteúdos técnicos que deverão ser incluídos no material de divulgação das etapas do PCHIS; Apresentar os produtos finais das três etapas do PCHIS ao GTI (3 reuniões);

10 ETAPAS DO PCHIS REALIZADAS: Constituída Comissão Interna (maio/2007); Capacitação da equipe e parceiros pelo Ministério das Cidades (julho/2007); Análise de Propostas e contratação de Consultoria inicial/ recursos COHAB/SC (dezembro/2007); Definição Estratégia metodológica; Estudo documental da realidade catarinense; Consulta prévia selecionada no MC para elaboração do Plano (janeiro/2008); Adequação legislação Fundo e Conselho Gestor, aprovada na ALESC e sancionada pelo Governo do Estado; Assinatura de Contrato com a CAIXA Ag. Operador do FNHIS (abril/2008); Preparação Termo de Referência para Licitação

11 Desenvolvimento de Portal Informacional do processo de planejamento; Elaboração Formulário eletrônico para diagnóstico habitacional; Oficinas Capacitação Facilitadores Regionais indicados pelas SDRs; Realização de webconferência sobre o processo de elaboração do PCHIS para o Estado (agosto/2008); Realização de 6 Oficinas de Capacitação Facilitadores municipais: Florianópolis, Tubarão, Taió, Criciúma, Mafra, Concórdia (AMAUC) = 192 participantes; Parceria Gifus/CAIXA acompanhamento pendências Municípios documentos/adesão FNHIS; Lançamento Licitação para Consultoria/PCHIS (dezembro/2008); Empresa vencedora DEMACAMP - Contrato assinado em 13/11/09;

12 Março/ Autorização CAIXA para início trabalhos após exame de documentos processo licitatório; PRODUTOS ENTREGUES: Produto 1 Revisão Proposta Metodológica; Produto 2.1 Levantamentos de informações sobre a realidade habitacional do Estado, que subsidiará a elaboração dos diagnósticos regionais; Produtos e Realização de 36 reuniões regionais para elaboração dos diagnósticos regionais, junto a 36 SDRs. Produto Realização parcial 1 Seminário A Ação Habitacional no Estado de SC 253 participantes.

13 A REALIZAR Produto Realização de reuniões inter-regionais e 2 Seminários temáticos. Produto 2.3 Relatório contendo os diagnósticos regionais e estadual; Produto 3.1 Relatório da realização de reuniões para discussão (36 SDRs + 8 inter-regionais)e elaboração dos planos regionais; Produto 3.2 Versão preliminar do PCHIS; Produto 3.3 Versão consolidada do PCHIS para apresentação ao Fórum Estadual de Habitação; Produto 3.4 Versão final do PCHIS; Produto 3.5 Minuta de Projeto de Lei do PCHIS.

14 CARACTERIZAÇÃO SÓCIO ECONÔMICA DO ESTADO DE SANTA CATARINA

15 CONTEÚDOS DEMOGRAFIA TAXA DE CRESCIMENTO POBREZA DÉFICIT HABITACIONAL INADEQUAÇÃO DOS DOMICÍLIOS DEMANDA DEMOGRÁFICA ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS

16 POPULAÇÃO DE SANTA CATARINA População do Estado: habitantes Área Urbana: habitantes (78,69%) Área Rural: habitantes Fonte: Censo 2000 IBGE Segundo o Censo IBGE 2010: (dados divulgados) habitantes

17 ATÉ HABITANTES (109 MUNICÍPIOS) DE A HABITANTES (63 MUNICÍPIOS) DE A HABITANTES (94 MUNICÍPIOS) DE A HABITANTES (15 MUNICÍPIOS) ACIMA DE HABITANTES (12 MUNICÍPIOS)

18

19 População: Taxa Geométrica de Crescimento Anual - TGCA Estado/País SC 1,8 1,35 RS 1,21 0,95 PR 1,33 1,06 BR 1,61 1,20

20 Fonte: IBGE 2003 Distribuição da pobreza no Estado (2003)

21 DÉFICIT HABITACIONAL ABSOLUTO domicílios (15º do país) RELATIVO 7,6% dos domicílios

22 DÉFICIT POR MUNICÍPIOS DE SC ABSOLUTO (municípios de maior porte, como Florianópolis, São José, Joinville, Itajaí, Blumenau, Criciúma, Lages e Chapecó) RELATIVO (percentual do déficit em relação ao total de domicílios) Região central e oeste do Estado

23 Gráfico 3.2. DISTRIBUIÇÃO PERCENTUAL DO DÉFICIT HABITACIONAL, URBANO (1), POR FAIXAS DE RENDA MÉDIA FAMILIAR MENSAL SANTA CATARINA, REGIÃO SUL E BRASIL ,0 90,0 80,0 70,0 60,0 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 Santa Catarina Sul Brasil mais de 10 s.m. 1,9 1,1 1,0 mais de 5 a 10 s.m. 7,1 4,1 3,1 mais de 3 a 5 s.m. 13,9 10,0 6,5 até 3 s.m. 77,1 84,8 89,4 Fonte: Dados básicos: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), 2007 Inclusive rural de extensão urbana.

24 COMPONENTES DO DÉFICIT HABITACIONAL SANTA CATARINA 2007 Fonte: Dados básicos: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), 2007 COMPONENTES DO DÉFICIT HABITACIONAL, POR SITUAÇÃO DO DOMICÍLIO SC 2007 ESPECIFICAÇÃO DOMICÍLIOS SEGUNDO COMPONENTES DO DÉFICIT HABITACIONAL PARTICIPAÇÃO DOS COMPONENTES NO DÉFICIT HABITACIONAL Total urbana rural urbana rural HABITAÇÃO PRECÁRIA ,9 51,4 COABITAÇÃO FAMILIAR ,6 45,6 ÔNUS EXCESSIVO COM ALUGUEL ,6 - ADENSAMENTO EXCESSIVO ,9 3,0 TOTAL Fonte: Dados básicos: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), 2007

25 INADEQUAÇÃO HABITACIONAL DISTRIBUIÇÃO DOS CRITÉRIOS DE INADEQUAÇÃO DOS DOMICÍLIOS URBANOS DURÁVEIS (1) SANTA CATARINA Fonte: Dados básicos: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), 2007 (1) Apenas domicílios urbanos duráveis, ou seja, não são considerados os improvisados e os rústicos, sendo excluídos também os cômodos, por se constituírem parcela do déficit habitacional. Inclui, além dos domicílios urbanos, os rurais de extensão urbana.

26 Assentamentos Precários Principais SDRs S D R T O T A L Assentamentos Precários Nº Domic. Pop. Qtd. Nº Domic. % Pop. % Araranguá , ,9 Blumenau , ,4 Braço do Norte , ,0 Brusque , ,8 Cacador , ,5 Canoinhas , ,9 Chapecó , ,8 Criciúma , ,7 Curitibanos , ,2 Dionisio Cerqueira , ,8 Grande Florianópolis , ,4 Itajaí , ,0 Joaçaba , ,4 Lages , ,8 Laguna , ,4 Mafra , ,7 Maravilha , ,9 Palmitos , ,3 São Lourenço Do Oeste , ,1 Xanxerê , ,7 Total do Estado , ,5 Fonte: Pesquisa COHAB/SC 2010

27 DEMANDA DEMOGRÁFICA FUTURA TOTAL DE DOMICÍLIOS PROJETADO, POR PERÍODO, SEGUNDO O SEXO DO CHEFE SANTA CATARINA 2010 A 2023 Período VALORES ABSOLUTOS FLUXO DE FORMAÇÃO Homens Mulheres TOTAL Homens Mulheres Total Fonte: SNH/MC, CEDEPLAR/UFMG e CEPECAM/UCAM-Campos (2007)

28 GRUPOS DE CAPACIDADES ADMINISTRATIVAS SANTA CATARINA 1999 e Fonte: Fonte: Pesquisa Perfi l dos Municípios Brasileiros, IBGE, 1999 e 2004; elaboração: Arretche (2009).

29 GRUPO PROGRAMAS HABITACIONAIS IMPLEMENTADOS SANTA CATARINA Fonte: IBGE, Perfil dos Municípios Brasileiros - Gestão Pública 2005.

30 Questões discutidas: OFICINAS REGIONAIS a) Quais são as principais carências das moradias do seu município/região? Qualidade da construção, favela, cortiço, carência de infra-estrutura, regularização fundiária ou outras? b) Quais os principais obstáculos para a política de habitação do seu município? c) Cite algum projeto habitacional que considere uma referência (positiva/negativa) em seu município. d) A disponibilidade de terra (preço e áreas livres) tem sido um problema no seu município?

31 CONCLUSÕES GERAIS REPASSADAS: Dificuldades de implementação da política habitacional dos municípios Falta de linhas de investimento para habitação em pequenos municípios Falta de informações sobre acesso aos programas habitacionais Equipes pouco estruturadas Entraves burocráticos para o desenvolvimento e execução de projetos

32 PRODUTO DAS REUNIÕES MODERADAS: PERGUNTAS E RESPOSTAS POR MUNICÍPIO

33

34 ESPAÇO DE COMUNICAÇÃO E MONITORAMENTO DO PROCESSO DE ELABORAÇÃO Plano Catarinense Fones: (48)

35 Realização

I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO. 1º de outubro de 2009

I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO. 1º de outubro de 2009 I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO 1º de outubro de 2009 (112 MUNICÍPIOS) (64 MUNICÍPIOS) (91 MUNICÍPIOS) (16 MUNICÍPIOS) (10 MUNICÍPIOS) (IDH Médio M Nacional = 0,766) Especificação

Leia mais

GERENTE DE DES. ECONÔMICO SUSTENTÁVEL E AGRICULTURA GERENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO

GERENTE DE DES. ECONÔMICO SUSTENTÁVEL E AGRICULTURA GERENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SDRs - cargos em aberto Ao todo, 266 serão eliminados Araranguá 25 cargos, 5 em aberto GERENTE DE DES. ECONÔMICO SUSTENTÁVEL E AGRICULTURA Blumenau 31 cargos 12 em aberto CONSULTOR JURÍDICO GERENTE DE

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SANTA CATARINA

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SANTA CATARINA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SANTA CATARINA INVESTIMENTO - APLIÇÕES DIRETAS 9.797.00 10,21% 60,66% 4.854.00 24,78% 71,85% 1.000.00 5.943.00 1.202.868,27 3.487.361,75 OUTRAS DESPESAS CORRENTES 119.541.00

Leia mais

Seminário Espaços Urbanos Seguros

Seminário Espaços Urbanos Seguros Seminário Espaços Urbanos Seguros A atuação da CAIXA e seu impacto no desenvolvimento de cidades sustentáveis Vice-Presidência de Governo Superintendência Nac de Ass Técnica e Desenv Sustentável Jean R.

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Sigla CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Ind Nº 9/215 Técnicos Resp Equipe CGPM

Leia mais

PLHIS RIO PROCESSO PARTICIPATIVO DO PLHIS

PLHIS RIO PROCESSO PARTICIPATIVO DO PLHIS Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS RIO PROCESSO PARTICIPATIVO DO PLHIS Processo Participativo O Plano Local de Habitação de Interesse Social deverá ser construído com a participação da

Leia mais

Projeto Inclusão Social Urbana Nós do Centro. Prefeitura de São Paulo União Européia

Projeto Inclusão Social Urbana Nós do Centro. Prefeitura de São Paulo União Européia Projeto Inclusão Social Urbana Nós do Centro Prefeitura de São Paulo União Européia Histórico do Projeto Cooperação técnica bilateral da Prefeitura de São Paulo com a União Européia com duração de quatro

Leia mais

Contatos do setor de Gestão de Pessoas do Poder Executivo

Contatos do setor de Gestão de Pessoas do Poder Executivo Contatos do setor de Gestão de Pessoas do Poder Executivo O novo Portal do Servidor disponibiliza os dados dos setores de Gestão de Pessoas dos órgãos do Poder Executivo na página inicial. Se você não

Leia mais

GRUPO TEMÁTICO MORADIA E MOBILIDADE

GRUPO TEMÁTICO MORADIA E MOBILIDADE GRUPO TEMÁTICO MORADIA E MOBILIDADE Maio de 2013 Litoral Norte 2 HABITAÇÃO E DINÂMICAS URBANAS Taxa Geométrica de Crescimento Anual (2000 2010) Incremento Populacional (2000 2010) INCREMENTO POPULACIONAL

Leia mais

O processo de monitoramento do Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional PLANSAN 2012/2015. Brasília, 05 de dezembro de 2013

O processo de monitoramento do Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional PLANSAN 2012/2015. Brasília, 05 de dezembro de 2013 O processo de monitoramento do Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional PLANSAN 2012/2015 Brasília, 05 de dezembro de 2013 PLANSAN 2012/2015 Por que e como monitorar? O monitoramento do PLANSAN

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SC DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO HUMANO PERCENTUAL DE ERROS GERADOS POR REGIONAL

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SC DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO HUMANO PERCENTUAL DE ERROS GERADOS POR REGIONAL PERCENTUAL DE ERROS GERADOS POR REGIONAL Percentual do N de Erros gerados em fevereiro *Grande Fpolis Jaraguá do Sul *Ituporanga itajaí Brusque *Araranguá Xanxerê *Seara *São Miguel D Oeste *Rio do Sul

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DO PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL EMPREENDIMENTO RESIDENCIAL: ALPHA.

Leia mais

Plano Metropolitano de Habitação. Plano Metropolitano de Habitação de Interesse Social da Região Metropolitana de Campinas

Plano Metropolitano de Habitação. Plano Metropolitano de Habitação de Interesse Social da Região Metropolitana de Campinas Plano Metropolitano de Habitação de Interesse Social da Região Metropolitana de Campinas Apresentado pelo representante do Ministério das Cidades Histórico Aprovado pelo Conselho de Desenvolvimento

Leia mais

Projeto de Fortalecimento de Capacidades para o DHL CNM/PNUD TERMO DE REFERÊNCIA (Nº )

Projeto de Fortalecimento de Capacidades para o DHL CNM/PNUD TERMO DE REFERÊNCIA (Nº ) Projeto de Fortalecimento de Capacidades para o DHL CNM/PNUD TERMO DE REFERÊNCIA (Nº 13.2010) REALIZAÇÃO DE OFICINAS TÉCNICAS PARA VALIDAÇÃO DA AVALIAÇÃO DE CAPACIDADES DA SOCIEDADE CIVIL E ELABORAÇÃO

Leia mais

Secretaria de Estado da SIE Infraestrutura. Infraestrutura - MARÇO

Secretaria de Estado da SIE Infraestrutura. Infraestrutura - MARÇO Infraestrutura - MARÇO 2012 - AEROPORTOS EM SANTA CATARINA Mafra São Francisco Xanxerê 24 aeroportos públicos Itapiranga 4 administrados pela Infraero (Florianópolis, Navegantes, Joinville e Forquilhinha)

Leia mais

Construindo a Sustentabilidade: Lições na gestão do Programa Piloto e desafios para o futuro

Construindo a Sustentabilidade: Lições na gestão do Programa Piloto e desafios para o futuro Construindo a Sustentabilidade: Lições na gestão do Programa Piloto e desafios para o futuro Seminário Nacional: O Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil: Resultados, Lições

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA DE HABITAÇÃO E SANEAMENTO AMBIENTAL

PLANO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA DE HABITAÇÃO E SANEAMENTO AMBIENTAL PLANO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA DE HABITAÇÃO E SANEAMENTO AMBIENTAL OUTUBRO/2009 Experiências de Conselhos e Planos Locais de Habitação

Leia mais

RODRIGO GARCIA Secretário de Estado da Habitação

RODRIGO GARCIA Secretário de Estado da Habitação RODRIGO GARCIA Secretário de Estado da Habitação Janeiro/2016 ESTRUTURA INSTITUCIONAL DO SETOR HABITACIONAL Secretaria da Habitação Preside o Conselho Estadual de Habitação e os Conselhos Gestores do FPHIS

Leia mais

DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL

DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL SUMAC/PECOC CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Vice-Presidência de Governo 21/12/2009 Superintendência de Assistência Técnica e Desenvolvimento Sustentável Introdução

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/CT-INFRA 03/2003

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/CT-INFRA 03/2003 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETOS INSTITUCIONAIS DE IMPLANTAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA FÍSICA DE PESQUISA O MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA MCT, por intermédio da Financiadora

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: TR 007/2010-CGS - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICÁVEIS 3. Qualificação educacional: Graduação na área de CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 52.567, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015. (publicado no DOE n.º 183, de 24 de setembro de 2015) Dispõe sobre o

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/Ação Transversal - NOVOS CAMPI - 05/2006

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/Ação Transversal - NOVOS CAMPI - 05/2006 CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/Ação Transversal - NOVOS CAMPI - 05/2006 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE IMPLANTAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA DE PESQUISA NOS NOVOS CAMPI DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS

Leia mais

AVALIAÇÃO DO FUNDO CLIMA. REUNIÃO DE PARES 29 de março de 2016

AVALIAÇÃO DO FUNDO CLIMA. REUNIÃO DE PARES 29 de março de 2016 AVALIAÇÃO DO FUNDO CLIMA REUNIÃO DE PARES 29 de março de 2016 Lei 12.114/2009 Lei 12.114/2009 Art. 5º Os recursos do FNMC serão aplicados: I - em apoio financeiro reembolsável mediante concessão de empréstimo,

Leia mais

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações no ano (3.907 postos).

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações no ano (3.907 postos). Sumário Executivo MAR/2016 No mês de março de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina recuou em relação a fevereiro (-3.803 postos e variação de -0,2%). A indústria de transformação teve desempenho

Leia mais

CAPÍTULO 11 EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 11.1 HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO IFSC

CAPÍTULO 11 EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 11.1 HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO IFSC CAPÍTULO 11 EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 11.1 HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO IFSC No Brasil, as bases legais para a modalidade de educação a distância foram estabelecidas pela Lei de Diretrizes e Bases da

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR)

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Código: CDH -EC- 009 A presente Consultoria visa contratar serviços profissionais especializados

Leia mais

ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Programa: 0252 - CAPTAÇÃO E DIFUSÃO DE NOTÍCIAS Objetivo: Divulgar material jornalístico sobre os atos governamentais nos campos social, político, econômico, educativo,

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA PODER TESOURO ANO DE APLICAÇÃO OUTRAS FONTES INVESTIMENTO DAS ESTATAIS TOTAL TOTAL 1. PODER EXECUTIVO 27.077.936.019 7.531.552.666 2.360.538.563 36.970.027.248 115.631.082.846 1.1. ORÇAMENTO FISCAL 19.037.128.944

Leia mais

Emprego Industrial Novembro de 2015

Emprego Industrial Novembro de 2015 Emprego Industrial Novembro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de novembro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de ubro (-6.418 postos e variação de -0,3%). A indústria

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 08/2015/DIVE/SUV/SES

NOTA TÉCNICA Nº 08/2015/DIVE/SUV/SES NOTA TÉCNICA Nº 08/2015/DIVE/SUV/SES Assunto: Critérios, orientações e valores do repasse financeiro estadual para qualificação das ações do Programa de Controle da Dengue (PCD). No ano 2015, até o momento,

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL DE EMPREGO CAGED

INFORMATIVO MENSAL DE EMPREGO CAGED SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO SINE/SC SETOR DE INFORMAÇÃO E ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO INFORMATIVO MENSAL DE EMPREGO CAGED Nº

Leia mais

Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade. Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL

Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade. Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL Elzira Leão Trabalho Social/DHAB/DUAP/SNH Ministério

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2015 (POSIÇÃO EM 22/07/15 - ÓRGÃOS / UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS)

CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2015 (POSIÇÃO EM 22/07/15 - ÓRGÃOS / UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS) CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2015 (POSIÇÃO EM 22/07/15 - ÓRGÃOS / UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS) 01000 - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO 01001 - Assembléia Legislativa do Estado 02000 - TRIBUNAL DE CONTAS DO

Leia mais

Informativo Mensal de Emprego nº 06/2014

Informativo Mensal de Emprego nº 06/2014 SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO SETOR DE INFORMAÇÃO E ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO Informativo Mensal de Emprego nº 06/2014 Mês de

Leia mais

Produção Orgânica, Agroecologia e Agricultura Familiar em Santa Catarina: a necessidade de priorizar políticas públicas

Produção Orgânica, Agroecologia e Agricultura Familiar em Santa Catarina: a necessidade de priorizar políticas públicas Produção Orgânica, Agroecologia e Agricultura Familiar em Santa Catarina: a necessidade de priorizar políticas públicas Santa Catarina (SC) possui cerca de 6,2 milhões de habitantes dos quais cerca de

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Institui o Estatuto da Metrópole, altera a Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Esta Lei, denominada

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Proposta para Implementação do Plano de Ação do Governo Federal para Minimização dos Impactos da Estiagem na Região Sul: A Componente Hídrica em Santa Catarina. GOVERNO

Leia mais

a) No Projeto d) Em sua residência b) No Escritório da UNESCO e) Outros c) No Escritório Antena

a) No Projeto d) Em sua residência b) No Escritório da UNESCO e) Outros c) No Escritório Antena REQUERIMENTO PARA PUBLICAÇÃO DE EDITAL DE PESSOA FÍSICA Parte A INSTRUÇÃO PARA PUBLICAÇÃO Preenchimento do Formulário 1. Parte B2 A vaga cuja lotação seja no Escritório UNESCO ou Antena deve ser conduzida

Leia mais

ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Esplanada dos Ministérios, Bloco L 70047-902 Brasília DF ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art.

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO -

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO - Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO - CAPÍTULO I Da Natureza, das Finalidades e dos Objetivos Art.

Leia mais

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL DIAGNÓSTICO DO PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DE HIS NO ESPÍRITO SANTO Latussa Laranja Monteiro Seminário Desenvolvimento Regional e Urbano 10 de fevereiro 2011 Diagnóstico do

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano SNHIS / FNHIS - Lei nº 11.124/05 ESTRUTURA BÁSICA DO PLANO MUNICIPAL DE

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE CONTABILIDADE GERAL

ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE CONTABILIDADE GERAL INFORMAÇÃO TÉCNICA CONTÁBIL Nº 002/2016 Florianópolis, 01 de fevereiro de 216. Referência: Resultados da Pesquisa de Avaliação do Cartão de Pagamentos do Estado de Santa Catarina (CPESC), realizada junto

Leia mais

Informativo Mensal de Emprego

Informativo Mensal de Emprego Informação e Análise do Mercado de Trabalho SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO SETOR DE INFORMAÇÃO E ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO Informativo

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA PROJETO DE LEI Nº 261/2014 Estima a receita e fixa a despesa do Estado para o exercício financeiro de 2015. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, NO EXERCÍCIO DO CARGO DE GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA,

Leia mais

NOTA TÉCNICA N o 21/2013. Orientações aos Municípios acerca das obrigatoriedades no Sistema Nacional de Habitação de Interesse Social (SNHIS)

NOTA TÉCNICA N o 21/2013. Orientações aos Municípios acerca das obrigatoriedades no Sistema Nacional de Habitação de Interesse Social (SNHIS) NOTA TÉCNICA N o 21/2013 Brasília, 27 de maio de 2013. ÁREA: Desenvolvimento Territorial Habitação TÍTULO: Orientações aos Municípios acerca das obrigatoriedades no Sistema Nacional de Habitação de Interesse

Leia mais

Capítulo I DO PROGRAMA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

Capítulo I DO PROGRAMA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL LEI Nº 2.598 DE 21 DE MAIO DE 2015. Dispõe sobre o Programa Municipal de Habitação de Interesse Social PMHIS, cria o Fundo Municipal e Habitação de Interesse Social FMHIS, revoga a Lei Municipal n 2.235,

Leia mais

Parcerias Público-Privadas no Setor de Habitação

Parcerias Público-Privadas no Setor de Habitação 14h00 às 15h30-Caso 3 Parcerias Público-Privadas no Setor de Habitação Jardins Mangueiral (DF) Novembro de 2014 1. Oportunidades e Desafios das PPP Habitacionais PPP Habitacionais Oportunidades Parceiro

Leia mais

Plano Estadual de Habitação de Interesse Social do Estado do Pará

Plano Estadual de Habitação de Interesse Social do Estado do Pará Plano Estadual de Habitação de Interesse Social do Estado do Pará Governo Federal Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Habitação Governo do Estado do Pará SEINFRA SEDURB Encontro Técnico sobre

Leia mais

NÚMERO IMPRENSA OFICIAL DE SC

NÚMERO IMPRENSA OFICIAL DE SC Assinado de forma digital por FUNDO DE MATERIAIS PUBLICACOES E IMPRESSOS OFICIA:14284430000197 DN: c=br, o=icp-brasil, st=sc, l=florianopolis, ou=secretaria da Receita Federal do Brasil - RFB, ou=rfb e-

Leia mais

CONFERÊNCIA MUNICIPAL E/OU CONFERÊNCIA REGIONAL PASSO A PASSO. 1º passo: Convocação de Conferência REGIONAL E/OU MUNICIPAL.

CONFERÊNCIA MUNICIPAL E/OU CONFERÊNCIA REGIONAL PASSO A PASSO. 1º passo: Convocação de Conferência REGIONAL E/OU MUNICIPAL. CONFERÊNCIA MUNICIPAL E/OU CONFERÊNCIA REGIONAL PASSO A PASSO 1º passo: Convocação de Conferência REGIONAL E/OU MUNICIPAL. a) O instrumento convocatório deverá ser, na Conferência Regional, portaria assinada

Leia mais

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto Título do Projeto Desenvolvimento de capacidades, de justiça econômica sustentável e promoção de boas práticas para alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no Brasil. Concepção Estabelecimento

Leia mais

Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento.

Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento. POLITICA FEDERAL DE SANEAMENTO Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento. Engº civil Gilson Queiroz Maio de 2014 Desafios e Cenários adversos 2 PERFIL DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS www.funasa.gov.br

Leia mais

DECRETO nº 2.303/2012

DECRETO nº 2.303/2012 Prefeitura Municipal de Fontoura Xavier RS. Município criado em 09.07.1965 Lei Federal nº 4974/65 CNPJ nº 87612768/0001-02 Fone Fax (0xx)54.389.1511 e (0xx)54.389.1122 Av. 25 de Abril, 920 Fontoura Xavier

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS. Programa SOS Emergências. Ministério da Saúde Brasil. Lançamento Nacional em 08/11/2011

REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS. Programa SOS Emergências. Ministério da Saúde Brasil. Lançamento Nacional em 08/11/2011 REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS Programa SOS Emergências Ministério da Saúde Brasil Ação Estratégica do Ministério da Saúde para as Portas de Entrada Hospitalares Prioritárias Lançamento Nacional

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 226-MA

FICHA PROJETO - nº 226-MA FICHA PROJETO - nº 226-MA Mata Atlântica Grande Projeto Chamada 03 1) TÍTULO: Apoio a criação de Unidades de Conservação na Floresta Atlântica de Pernambuco. 2) MUNICÍPIOS DE ATUAÇÃO DO PROJETO: Água Preta,

Leia mais

Informativo Mensal de Emprego nº05/2014

Informativo Mensal de Emprego nº05/2014 Informação e Análise do Mercado de Trabalho SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO DITE/SINE-SC SETOR DE INFORMAÇÃO E ANÁLISE DO MERCADO DE

Leia mais

BANCO DO EMPREENDEDOR ALTERNATIVAS DE CRÉDITO PARA MICRO E PEQUENA INDUSTRIA WORKSHOP PARA CERVEJARIAS ARTESANAIS FLORIANÓPOLIS/SC 31/03/2017

BANCO DO EMPREENDEDOR ALTERNATIVAS DE CRÉDITO PARA MICRO E PEQUENA INDUSTRIA WORKSHOP PARA CERVEJARIAS ARTESANAIS FLORIANÓPOLIS/SC 31/03/2017 BANCO DO EMPREENDEDOR ALTERNATIVAS DE CRÉDITO PARA MICRO E PEQUENA INDUSTRIA WORKSHOP PARA CERVEJARIAS ARTESANAIS FLORIANÓPOLIS/SC 31/03/2017 MISSÃO Promover o desenvolvimento econômico e social, de forma

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE RIBAS DO RIO PARDO, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que o Plenário Aprovou a seguinte Lei.

O PREFEITO MUNICIPAL DE RIBAS DO RIO PARDO, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que o Plenário Aprovou a seguinte Lei. LEI MUNICIPAL Nº. 932/2010 Dispõe sobre o Sistema Municipal de Habitação de Interesse Social, institui a Coordenadoria Municipal de Habitação de Interesse Social e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL 006/2012 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: MAPEAMENTO O Projeto O Projeto BRA/06/032 comunica

Leia mais

Objetivo Geral: Objetivos Específicos:

Objetivo Geral: Objetivos Específicos: Objetivo Geral: Superação da pobreza e geração de trabalho e renda no meio rural por meio de uma estratégia de desenvolvimento territorial sustentável. Objetivos Específicos: Inclusão produtiva das populações

Leia mais

NOME DO PROJETO: PROJETO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL INTEGRADO E SUSTENTÁVEL PDRIS. ( ):

NOME DO PROJETO: PROJETO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL INTEGRADO E SUSTENTÁVEL PDRIS. ( ): NOME DO PROJETO: PROJETO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL INTEGRADO E SUSTENTÁVEL PDRIS Nº ACORDO EMPRÉSTIMO: 8185-0/BR NÃO OBJEÇÃO - (TERMO DE REFERÊNCIA) Nº DO TDR: 01/2015 DATA: ( 01/03/2014) COMPONENTE:

Leia mais

Produção e Edição de Conteúdo para Novas Tecnologias de Informação e Comunicação

Produção e Edição de Conteúdo para Novas Tecnologias de Informação e Comunicação Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária - SEAPEC EDITAL De acordo com o Contrato de Empréstimo firmado entre o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento BIRD e o Estado do Rio de Janeiro,

Leia mais

ANEXO 1. Quantidade de vagas por Local de Exercício / Competência

ANEXO 1. Quantidade de vagas por Local de Exercício / Competência ANEXO 1 Quantidade de vagas por Local de Exercício / Competência Local de Exercício ARARANGUÁ BLUMENAU BRAÇO DO NORTE BRUSQUE CAÇADOR CAMPOS NOVOS CANOINHAS CHAPECÓ Competência Total de Vagas Vagas Deficientes

Leia mais

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural. Secretaria de Agricultura

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural. Secretaria de Agricultura Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural Secretaria de Agricultura 6º Congresso de Educação Agrícola Superior e 51ª Reunião Anual da ABEAS A Sustentabilidade das Profissões da Área Rural e a Inovação

Leia mais

Circular nº 704, de 30 de dezembro de 2015

Circular nº 704, de 30 de dezembro de 2015 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Vice-Presidência de Fundos de Governo e Loterias Diretoria Executiva de Fundos de Governo Superintendência Nacional de Fundo de Garantia Gerência Nacional de Ativo do FGTS Circular

Leia mais

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Em 2000, durante a Cúpula do Milênio, líderes

Leia mais

Demografia População residente por situação do domicílio (urbana e rural) e sexo a 2025

Demografia População residente por situação do domicílio (urbana e rural) e sexo a 2025 2 Demografia 2.1 População 2.1.1 População residente por situação do domicílio (urbana e rural) e sexo - 1970 a 2025 ANO População total Urbana Rural Homens Mulheres 1970 100.275 86.492 13.783 49.186 51.089

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Projeto de Reflorestamento com Espécies Nativas no Bioma Mata Atlântica São Paulo Brasil

TERMO DE REFERÊNCIA. Projeto de Reflorestamento com Espécies Nativas no Bioma Mata Atlântica São Paulo Brasil TERMO DE REFERÊNCIA Projeto de Reflorestamento com Espécies Nativas no Bioma Mata Atlântica São Paulo Brasil Contextualização e justificativa A The Nature Conservancy (TNC) é uma organização sem fins lucrativos,

Leia mais

REDE DE AVALIAÇÃO E CAPACITAÇÃO PARA A IMPLEMENTAÇÃO DOS PLANOS DIRETORES PARTICIPATIVOS. Secretaria Nacional de Programas Urbanos

REDE DE AVALIAÇÃO E CAPACITAÇÃO PARA A IMPLEMENTAÇÃO DOS PLANOS DIRETORES PARTICIPATIVOS. Secretaria Nacional de Programas Urbanos REDE DE AVALIAÇÃO E CAPACITAÇÃO PARA A IMPLEMENTAÇÃO DOS PLANOS DIRETORES PARTICIPATIVOS OBJETIVOS DA REDE Mobilizar atores sociais e pesquisadores para avaliação dos Planos Diretores Participativos elaborados,

Leia mais

INSTRUMENTOS PREVISTOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA PEHIS

INSTRUMENTOS PREVISTOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA PEHIS INSTRUMENTOS PREVISTOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA PEHIS CriaçãodoConselhoEstadualdasCidadesdaBahiaatravésdaLeinº10.704de12 de novembro de 2007; Aprovaçãoda Lei 11.041 de 07 de maio de 2008,que instituiapolítica,

Leia mais

Preço da gasolina varia R$ 0,406 entre os municípios catarinenses analisados pela ANP

Preço da gasolina varia R$ 0,406 entre os municípios catarinenses analisados pela ANP Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 4, Nº 12 Dezembro/2015 Preço da gasolina varia R$ 0,406 entre os municípios catarinenses analisados

Leia mais

Preço médio da gasolina na distribuição chega a variar R$ 0,259 entre as cidades de Santa Catarina analisadas pela ANP

Preço médio da gasolina na distribuição chega a variar R$ 0,259 entre as cidades de Santa Catarina analisadas pela ANP Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 4, Nº 09 Setembro/2015 Preço médio da gasolina na distribuição chega a variar R$ 0,259 entre as cidades

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA - PROExC

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA - PROExC SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA - PROExC EDITAL Nº 5, de 18 de setembro de 2017. PROCESSO DE SELEÇÃO

Leia mais

Número 13. Pnad Primeiras Análises. Saneamento Básico Habitação. Volume 5

Número 13. Pnad Primeiras Análises. Saneamento Básico Habitação. Volume 5 Número 13 Pnad 2007 Primeiras Análises Saneamento Básico Habitação Volume 5 21 de outubro de 2008 1 2 3 1 4 Total e percentual de moradores em domicílios particulares permanentes com abastecimento de água,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TER - CONS ARQ - 01)

TERMO DE REFERÊNCIA (TER - CONS ARQ - 01) TERMO DE REFERÊNCIA (TER - CONS ARQ - 01) 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Prestação de serviço de consultoria pessoa física à Representação do IICA no Brasil em gestão de projetos de cooperação internacional,

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA - 2014 Índice Santa Catarina 1 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 2 Infraestrutura de Transportes Modal

Leia mais

Concessões Rodoviárias em Santa Catarina

Concessões Rodoviárias em Santa Catarina Concessões Rodoviárias em Santa Catarina Concessões Rodoviárias em Santa Catarina Secretaria de Estado do Planejamento Secretaria de Estado da Infraestrutura SCPar DEINFRA Programa Estadual de Concessões

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA DE VOTORANTIM / SP

PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA DE VOTORANTIM / SP PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA DE VOTORANTIM / SP 1ª Conferência - março de 2016 tema: lançamento do processo de elaboração do Plano O QUE É MOBILIDADE URBANA? Mobilidade é a forma de deslocamento

Leia mais

LAUDO GERAL DE AVALIAÇÃO PERICIAL DE INSALUBRIDADE. Atividade principal (CNAE): 84.11-6-00 - Administração pública em geral

LAUDO GERAL DE AVALIAÇÃO PERICIAL DE INSALUBRIDADE. Atividade principal (CNAE): 84.11-6-00 - Administração pública em geral PORTARIA nº 617 - de 14/8/2009 HOMOLOGAR, de acordo com a Portaria nº 2466/96/SEA, conforme processo nº SEAP 10541/098, o LAUDO GERAL DE AVALIAÇÃO PERICIAL DE INSALUBRIDADE, da DIRETORIA DE SAÚDE DO SERVIDOR/

Leia mais

Institui, na forma do art. 43 da Constituição Federal, a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia SUDAM, estabelece a sua composição, natureza

Institui, na forma do art. 43 da Constituição Federal, a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia SUDAM, estabelece a sua composição, natureza Institui, na forma do art. 43 da Constituição Federal, a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia SUDAM, estabelece a sua composição, natureza jurídica, objetivos, área de competência e instrumentos

Leia mais

Emprego Industrial Dezembro de 2015

Emprego Industrial Dezembro de 2015 Emprego Industrial Dezembro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de embro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de novembro (-34.971 postos e variação de -1,7%). A indústria

Leia mais

Informativo Mensal de Emprego CAGED. Nº 2, fevereiro de 2014 Mês de referência: janeiro de Florianópolis, SC

Informativo Mensal de Emprego CAGED. Nº 2, fevereiro de 2014 Mês de referência: janeiro de Florianópolis, SC SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO SETOR DE INFORMAÇÃO E ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO Informativo Mensal de Emprego CAGED Nº 2, fevereiro

Leia mais

BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS

BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES 2009-2014 FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS MINHA CASA, MINHA VIDA - ENTIDADES PMCMV ENTIDADES/ FDS Produção e aquisição de unidades habitacionais

Leia mais

Políticas públicas, Pobreza Urbana e Território

Políticas públicas, Pobreza Urbana e Território Políticas públicas, Pobreza Urbana e Território Eduardo Marques DCP/USP e CEM/CEBRAP www.centrodametropole.org.br Sumário da apresentação 1. Porque usar a dimensão territorial nas políticas sociais 2.

Leia mais

TERMO DE ABERTURA DO PROJETO

TERMO DE ABERTURA DO PROJETO 1 Nome do Projeto 2 Código Projeto Fiscalização do Exercício e Atividade Profissional 3 Coordenador(a) 4 Tipo de Projeto João Augusto de Lima Estratégico 5 Gestor(a) 6 Programa Igor de Mendonça Fernandes

Leia mais

REUNIÕES DE MOBILIZAÇÃO PARA A REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

REUNIÕES DE MOBILIZAÇÃO PARA A REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS REUNIÕES DE MOBILIZAÇÃO PARA A REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS PROGRAMAÇÃO DAS REUNIÕES DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL 19h00 - ABERTURA 19h15 - APRESENTAÇÃO SOBRE PLANO DIRETOR 19h30 - MOMENTO DE

Leia mais

PROGRAMA PROREDES BIRD RS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL ESPECIALIZADA EM ANÁLISE DE SISTEMAS NA ÁREA DA EDUCAÇÃO

PROGRAMA PROREDES BIRD RS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL ESPECIALIZADA EM ANÁLISE DE SISTEMAS NA ÁREA DA EDUCAÇÃO PROGRAMA PROREDES BIRD RS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL ESPECIALIZADA EM ANÁLISE DE SISTEMAS NA ÁREA DA EDUCAÇÃO Sumário 1 Objetivo da contratação... 1 2 Antecedentes e

Leia mais

ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014

ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014 ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014 Principais resultados da PNAD 2013 potencialmente relacionados às ações e programas do MDS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO

Leia mais

Portaria Conjunta SAD/SECMULHER nº 096, de 26 de agosto de 2009. EDITAL ANEXO I QUADRO DE VAGAS

Portaria Conjunta SAD/SECMULHER nº 096, de 26 de agosto de 2009. EDITAL ANEXO I QUADRO DE VAGAS Portaria Conjunta SAD/SECMULHER nº 096, de 26 de agosto de 2009. EDITAL ANEXO I QUADRO DE VAGAS 1. Quantitativo de vagas por função e lotação, remuneração mensal e jornada de trabalho semanal a) CARGOS

Leia mais

Informativo Mensal de Emprego nº 02 de Elaboração: Jerônimo Luiz Duarte Maia, Economista. Estevão Becker, Sociológo.

Informativo Mensal de Emprego nº 02 de Elaboração: Jerônimo Luiz Duarte Maia, Economista. Estevão Becker, Sociológo. SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO DITE SETOR DE INFORMAÇÃO E ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO Informativo Mensal de Emprego nº 02 de 2016

Leia mais

Na comparação com o mesmo mês, foi o menor saldo de empregos da indústria de transformação para fevereiro desde 2010.

Na comparação com o mesmo mês, foi o menor saldo de empregos da indústria de transformação para fevereiro desde 2010. Sumário Executivo FEV/2016 No mês de fevereiro de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina aumentou em relação a janeiro (4.793 postos e variação de 0,2%). A indústria de transformação também teve desempenho

Leia mais

Avanços e conquistas da reunião com a reitoria no dia 25/05/15

Avanços e conquistas da reunião com a reitoria no dia 25/05/15 Avanços e conquistas da reunião com a reitoria no dia 25/05/15 PROPOSTAS DO MOVIMENTO ESTUDANTIL E RESPOSTAS DA REITORIA Segurança PROPOSTA: Criação de fórum de segurança para discutir questões como o

Leia mais

Preço da gasolina varia R$ 0238 entre os municípios catarinenses analisados pela ANP

Preço da gasolina varia R$ 0238 entre os municípios catarinenses analisados pela ANP Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 4, Nº 11 Novembro/2015 Preço da gasolina varia R$ 0238 entre os municípios catarinenses analisados

Leia mais

Relatório Investimento Social - 2013

Relatório Investimento Social - 2013 Relatório Investimento Social - 2013 Divisão de Promoção da Cidadania Empresarial e Projetos com a Sociedade - PCSC Departamento de Responsabilidade Social e Projetos com a Sociedade PCS Sumário Projetos

Leia mais

PROGRAMA CHEQUE MAIS MORADIA 2017/2018. Presidente: Luiz Antonio Stival Milhomens

PROGRAMA CHEQUE MAIS MORADIA 2017/2018. Presidente: Luiz Antonio Stival Milhomens PROGRAMA CHEQUE MAIS MORADIA 2017/2018 Presidente: Luiz Antonio Stival Milhomens APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA Programa GOIÁS MAIS COMPETITIVO E INOVADOR Eixo qualidade de vida - Redução do Déficit Habitacional

Leia mais

Revisão do Plano Diretor de Belém. 3ª Audiência Pública Temática Tema: INFRA-ESTRUTURA, MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE

Revisão do Plano Diretor de Belém. 3ª Audiência Pública Temática Tema: INFRA-ESTRUTURA, MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE Prefeitura Municipal de Belém Secretaria Municipal de Coordenação Geral do Planejamento e Gestão Revisão do Plano Diretor de Belém (Lei nº 7.603/93) 3ª Audiência Pública Temática Tema: INFRA-ESTRUTURA,

Leia mais

Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade

Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade O TRABALHO SOCIAL NA POLÍTICA NACIONAL DE HABITAÇÃO: AVANÇOS E DESAFIOS INÊS MAGALHÃES Secretária Nacional de Habitação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Justificativa

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Justificativa MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA COORDENAÇÃO GERAL DE DIREITOS HUMANOS

Leia mais