PLANO NACIONAL E MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PROPOSTAS PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO ESCOLAR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO NACIONAL E MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PROPOSTAS PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO ESCOLAR"

Transcrição

1 PLANO NACIONAL E MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PROPOSTAS PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO ESCOLAR Sheila Fagundes Goulart 1 Cristina Arnout 2 Resumo: O Plano Nacional de Educação (PNE), instituído pela Lei , em 25 de junho de 2014 e está estruturado em 14 artigos e 20 metas, seguidas de suas estratégias tem a finalidade assegurar uma educação escolar pública, laica e de qualidade, como direito garantido pela Constituição Federal de Nesse contexto, em meados de 2014, assumimos um desafio muito importante para a Educação Itaareense: a elaboração do Plano Municipal de Educação, que encaminhará as políticas públicas educacionais no Município para os próximos dez anos, de 2015 a Palavras-chaves: PNE; PME; Qualidade de ensino. Introdução A educação não transforma o mundo. A educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo (Freire, 1996) O desenvolvimento de qualquer sociedade e todas as suas nuances formação da identidade cultural, ampliação da consciência social, vivência política estão diretamente imbricados a Educação e aos processos de escolarização. Diante disso, o Plano Nacional de Educação (PNE), que foi instituído pela Lei , em 25 de junho de 2014 e está estruturado em 14 artigos e 20 metas, seguidas de suas estratégias tem a finalidade assegurar uma educação escolar pública, laica e de qualidade, como direito garantido pela Constituição Federal de O PNE especificou a partir de intenso diagnóstico da realidade educacional brasileira as diretrizes a serem atingidas, num período de dez anos após a sua 1 Pedagoga, Mestre em Educação. Secretaria de Educação e Desporto de Itaara RS 2 Pedagoga, Especialista em Educação. Secretaria de Educação e Desporto de Itaara RS 1

2 aprovação. Observa-se que as diretrizes estabelecidas expressam antigos anseios que por ainda se fazerem presentes na Lei , revelam a imensa dificuldade de superação. Em síntese, caberá aos Estados e aos Municípios, a partir da aprovação de seus Planos Decenais de Educação estabelecerem propostas, a fim de I - erradicação do analfabetismo; II - universalização do atendimento escolar; III - superação das desigualdades educacionais, com ênfase na promoção da cidadania e na erradicação de todas as formas de discriminação; IV - melhoria da qualidade da educação; V - formação para o trabalho e para a cidadania, com ênfase nos valores morais e éticos em que se fundamenta a sociedade; VI - promoção do princípio da gestão democrática da educação pública; VII - promoção humanística, científica, cultural e tecnológica do País; VIII - estabelecimento de meta de aplicação de recursos públicos em educação como proporção do Produto Interno Bruto - PIB, que assegure atendimento às necessidades de expansão, com padrão de qualidade e equidade; IX - valorização dos (as) profissionais da educação; X - promoção dos princípios do respeito aos direitos humanos, à diversidade e à sustentabilidade socioambiental (BRASIL, 2014). Nesse contexto, em meados de 2014, assumimos um desafio muito importante para a Educação Itaareense: a elaboração do Plano Municipal de Educação, que encaminhará as políticas públicas educacionais no Município para os próximos dez anos, de 2015 a Metodologia Com a intenção de conhecermos as Metas e Estratégias estabelecidas no Plano Nacional de Educação e nos aproximarmos dos objetivos a serem atingidos ao longo da vigência da Lei , iniciamos um trabalho intenso e coletivo de elaboração do Planejamento. Diante disso, a Secretaria de Educação e Desporto, juntamente com o Conselho Municipal de Educação mobilizou as Instituições de Ensino, as Instituições da Sociedade Civil Organizada e os demais interessados a participarem dessa construção coletiva. Assim, iniciamos os afazeres estudando a Lei e suas disposições, bem como, analisando, de forma rigorosa, as Metas e Estratégias 2

3 estabelecidas no Plano Nacional de Educação que servem de norte para a construção dos Planos Estaduais e Municipais e, posteriormente, definimos os caminhos a serem seguidos a fim de levantarmos as demandas e situações educacionais. Logo, nos primeiros encontros realizados no mês de setembro de 2014, reuniram-se, na Sede do Infocentro Municipal, diversos convidados a fim de conhecer, através de exposições dialogadas, os Documentos 3 que balizaram a elaboração do Plano Nacional de Educação e que norteariam a construção dos Planos no nível dos Estados e Municípios. A partir de então, definiu-se as responsabilidade, criando-se a Comissão de Elaboração, Acompanhamento e Avaliação do Plano Municipal de Educação de Itaara 4 onde optou-se pela participação por representatividade dos diferentes segmentos envolvidos nesse processo de uma proposta de educação para a próxima década em nosso Município e elegeu-se a Metodologia de trabalho a ser seguida. É imprescindível registrar que os procedimentos realizados ao longo da elaboração do PME buscaram a participação de todos os segmentos que compõem a comunidade escolar a fim de avançar na direção de um Projeto coletivo, produzido num modo dinâmico, marcado pela diversidade e pelas várias formas de compreender a Educação e, em particular, a Instituição Escolar, em suas peculiaridades. Logo, iniciou-se a elaboração do Documento Base, resultado de um diagnóstico da real situação que a educação Municipal esta apresentada, com suas demandas e perspectivas, pensando que é possível e necessárias mudanças que contribuem decisivamente para a criação de um novo contexto educacional onde a comunidade construa coletivamente para a qualidade da nossa educação. Atualmente, estamos finalizando tal Documento onde estão registradas as Metas e Estratégias para os níveis da Educação Básica e da Educação Superior e 3 4 Decreto Executivo n 1540/15 3

4 para todas as modalidades de ensino, perpassando pelos temas transversais sinalizados nas Legislações da Educação. Discussão e resultados Na elaboração deste Plano uma questão que considerou-se como primordial e de suma importância foi a situação diagnóstica que se encontra a Educação atual no Município, com índices de IDEB ainda aquém dos desejados, distorção idadesérie, evasão escolar, plano de carreira do Magistério desatualizado, entre outros, Atendimento Educacional Especializado (AEE) e formação técnica para o Ensino Médio. Procurou-se na elaboração Plano Municipal pensar em como a Educação poderia estar contemplando em cada uma de suas metas estratégias para alavancar estas dificuldades ainda encontradas na comunidade. Sabe-se, porém que não é um Documento que trará solução para o... quando que se apresenta, mas julga-se que uma vez detectado o problema tendo subsídios legais que contemple as possíveis metas e estratégias a serem percorridas facilita o processo para se chegar ao ponto almejados, que é o mais significativo, que é uma educação de qualidade para o nosso Município. Conclusões A elaboração do Documento Base, que será encaminhado para o Poder Legislativo em Maio de 2015, constituiu-se num processo democrático, um momento ímpar, no qual segmentos participantes definiram os caminhos da educação do município para os próximos dez anos, após sua aprovação. A partir do levantamento da situação educacional do município, da análise dessa realidade e definição de metas e estratégias, consolidou-se tal Documento, apresentado aos professores e a comunidade itaarense através de Audiências Públicas. O Plano Municipal de Itaara responderá a todas as expectativas, anseios e especificidades da Educação no que tange às constantes mudanças sofridas pela sociedade. Após a entrar em vigor o Plano Municipal de Educação será realizada o 4

5 desenvolvimento das ações, operacionalizando as metas estabelecidas e realizando avaliações com levantamentos periódicos dos resultados alcançados para que haja um replanejamento de novas ações. Ao término deste trabalho reafirmamos nosso entendimento de que as transformações sociais só serão possíveis através de uma Educação qualidade onde crianças e jovens estejam no cerne do processo de escolarização. Referências BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de Ministério da Educação. IDEB, Consultado em e acessado em 10 de abril de

O PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COMO PROPOSTA PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO A NÍVEL MUNICIPAL

O PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COMO PROPOSTA PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO A NÍVEL MUNICIPAL O PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COMO PROPOSTA PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO A NÍVEL MUNICIPAL Resumo Sheila Fagundes Goulart 1 - SMED/Itaara RS Cristina Arnout2 - SMED/Itaara RS Grupo de Trabalho

Leia mais

XLV Reunião Plenária. 25 a 28 de novembro de 2015, Belém/PA. Um país pensando a educação para a próxima década

XLV Reunião Plenária. 25 a 28 de novembro de 2015, Belém/PA. Um país pensando a educação para a próxima década XLV Reunião Plenária 25 a 28 de novembro de 2015, Belém/PA Um país pensando a educação para a próxima década Prof. Heleno Araújo Filho Diretor do SINTEPE Diretor da CNTE Coordenador do FNE O PNE é um documento

Leia mais

O Plano Nacional de Educação PL. 8035/2010 Perspectivas, Desafios e Emendas dos/as Trabalhadores/as em Educação

O Plano Nacional de Educação PL. 8035/2010 Perspectivas, Desafios e Emendas dos/as Trabalhadores/as em Educação SEMINÁRIO CNTE O Plano Nacional de Educação PL. 8035/2010 Perspectivas, Desafios e Emendas dos/as Trabalhadores/as em Educação Secretário Carlos Abicalil EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 59, DE 11 DE NOVEMBRO

Leia mais

PLANOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO Expectativas, Desafios e Acompanhamentos

PLANOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO Expectativas, Desafios e Acompanhamentos PLANOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO Expectativas, Desafios e Acompanhamentos Marialba da Glória Garcia Carneiro Avaliadora Educacional-SASE Secretária Municipal de Educação de Pereira Barreto-SP 2016 PANORAMA

Leia mais

Município de Gravataí

Município de Gravataí Estado do Rio Grande do Sul Município de Gravataí Gravataí, 13 de outubro de 2015 Diário Oficial do Município de Gravataí do Estado do Rio Grande do Sul ANO VII Nº 110 Lei Lei 3685/2015, de 9 de outubro

Leia mais

O PAPEL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO NO ÂMBITO DO SNE: DESAFIOS PARA A PRÓXIMA DÉCADA POR: GILVÂNIA NASCIMENTO

O PAPEL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO NO ÂMBITO DO SNE: DESAFIOS PARA A PRÓXIMA DÉCADA POR: GILVÂNIA NASCIMENTO O PAPEL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO NO ÂMBITO DO SNE: DESAFIOS PARA A PRÓXIMA DÉCADA POR: GILVÂNIA NASCIMENTO "Que tristes os caminhos se não fora a presença distante das estrelas"? (Mario Quintana)

Leia mais

A EJA após 10 anos do PNE, PEE e PME: avanços e desafios. Maria Margarida Machado FE/UFG Fórum Goiano de EJA

A EJA após 10 anos do PNE, PEE e PME: avanços e desafios. Maria Margarida Machado FE/UFG Fórum Goiano de EJA A EJA após 10 anos do PNE, PEE e PME: avanços e desafios Maria Margarida Machado FE/UFG Fórum Goiano de EJA Desafio de constituir-se MODALIDADE Construção histórica do PNE 2001-2010 Debate intenso da sociedade

Leia mais

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS PLANOS NACIONAIS DE EDUCAÇÃO. Maria Margarida Machado FE/UFG Fórum Goiano de EJA

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS PLANOS NACIONAIS DE EDUCAÇÃO. Maria Margarida Machado FE/UFG Fórum Goiano de EJA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS PLANOS NACIONAIS DE EDUCAÇÃO Maria Margarida Machado FE/UFG Fórum Goiano de EJA Construção histórica do pne2001-2010 Debate intenso da sociedade civil (CONED) Apresentação

Leia mais

Mauro Luiz Rabelo Decano de Ensino de Graduação Universidade de Brasília

Mauro Luiz Rabelo Decano de Ensino de Graduação Universidade de Brasília Mauro Luiz Rabelo Decano de Ensino de Graduação Universidade de Brasília Art. 2 São diretrizes do PNE: I. erradicação do analfabetismo; II. universalização do atendimento escolar; III. superação das desigualdades

Leia mais

NOTA TÉCNICA INSTÂNCIAS, ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS PARA O CUMPRIMENTO DAS METAS E ESTRATÉGIAS

NOTA TÉCNICA INSTÂNCIAS, ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS PARA O CUMPRIMENTO DAS METAS E ESTRATÉGIAS NOTA TÉCNICA INSTÂNCIAS, ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS PARA O CUMPRIMENTO DAS METAS E ESTRATÉGIAS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO LEI 13.005/2014 PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO/RS LEI 14.05/2015 PLANO MUNICIPAL

Leia mais

Sumário CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21. TÍTULO III Da Organização do Estado... 39

Sumário CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21. TÍTULO III Da Organização do Estado... 39 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21 TÍTULO I Dos Princípios Fundamentais... 21 TÍTULO II Dos Direitos e Garantias

Leia mais

O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil

O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil Jacqueline Moreno Theodoro Silva Outubro/2016 Avaliação Educacional Avaliar é o ato de atribuir valor ou mérito a alguma coisa. Avaliação educacional:

Leia mais

Gestão Pública Democrática

Gestão Pública Democrática Gestão Pública Democrática Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa Gestão Pública Democrática Conceito de gestão Tem origem na palavra latina gestione que se refere ao ato de gerir, gerenciar e administrar.

Leia mais

Art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício

Leia mais

Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade

Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade Antônio Lidio de Mattos Zambon Coordenador Geral de Políticas

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 017/2015, 15 de Maio de 2015

PROJETO DE LEI Nº 017/2015, 15 de Maio de 2015 PROJETO DE LEI Nº 017/2015, 15 de Maio de 2015 Aprova o Plano Municipal de Educação PME e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Piratuba, Estado de Santa Catarina, no uso de suas atribuições

Leia mais

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - 2014

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - 2014 PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - 2014 MACEIÓ Fevereiro de 2015 1 Diretora Geral Profª Ana Paula Nunes da Silva Coordenador Pedagógico Profª Dayse Cristina Lins Teixeira

Leia mais

Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um.

Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um. A Educação Básica, B Avanços e Desafios Maria do Pilar Lacerda Almeida e Silva Secretária de Educação Básica Ministério da Educação Foto: João Bittar Garantir o direito de aprender, para todos e para cada

Leia mais

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID Programa 1448 Qualidade na Escola Ações Orçamentárias Número de Ações 16 0E530000 Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola Veículo adquirido Unidade de Medida: unidade UO:

Leia mais

Reunião Plenária do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação FNCE Região Centro Oeste

Reunião Plenária do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação FNCE Região Centro Oeste Reunião Plenária do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação FNCE Região Centro Oeste Instituir um Sistema Nacional Articulado de Educação: agenda obrigatória para o país Francisco Aparecido

Leia mais

S enado Federal S ubsecretaria de I nfor mações DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

S enado Federal S ubsecretaria de I nfor mações DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL S enado Federal S ubsecretaria de I nfor mações LEI Nº 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2012.

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2012. PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2012. Estabelece preceitos para o aperfeiçoamento da política educacional estadual dos sistemas públicos de ensino, para a permanência e o sucesso escolar de alunos com distúrbios,

Leia mais

AULA 03 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; ; LEI DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 03

AULA 03 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; ; LEI DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 03 AULA 03 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 03 CONSTITUIÇÃO FEDERAL (Art. 205 a 214) CAPÍTULO III DA EDUCAÇÃO,

Leia mais

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA EIXO III EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA SUGESTÃO Desde os anos 1980, observam-se transformações significativas

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCURADORIA EDUCACIONAL INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO DO CURSO SINAES ENADE. Prof. Nandi

PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCURADORIA EDUCACIONAL INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO DO CURSO SINAES ENADE. Prof. Nandi PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCURADORIA EDUCACIONAL INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO DO CURSO SINAES ENADE Prof. Nandi Lages, fevereiro de 2017 INFORMAÇÕES DO CURSO Ciência da Computação IFSC - Campus Lages Bacharelado

Leia mais

Diagnóstico da Educação Básica no Ceará Secretaria de Estado da Educação

Diagnóstico da Educação Básica no Ceará Secretaria de Estado da Educação Diagnóstico da Educação Básica no Ceará Secretaria de Estado da Educação Armando Simões Secretário Adjunto Fortaleza, 09 de Junho de 2015 Plano Nacional de Educação O Plano Nacional de Educação, aprovado

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 3.129, DE 2015 (Da Sra. Clarissa Garotinho)

PROJETO DE LEI N.º 3.129, DE 2015 (Da Sra. Clarissa Garotinho) *C0056396A* C0056396A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 3.129, DE 2015 (Da Sra. Clarissa Garotinho) Altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. DESPACHO: ÀS COMISSÕES DE: EDUCAÇÃO E

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Península Norte de Educação Ciência e Cultura UF: DF ASSUNTO: Recurso contra a decisão da Secretaria

Leia mais

SEMINÁRIO MACRORREGIONAL SOBRE O CONTROLE SOCIAL REGIÃO METROPOLITANA. 31 de outubro de 2013 Auditório da Fetag Porto Alegre - RS

SEMINÁRIO MACRORREGIONAL SOBRE O CONTROLE SOCIAL REGIÃO METROPOLITANA. 31 de outubro de 2013 Auditório da Fetag Porto Alegre - RS SEMINÁRIO MACRORREGIONAL SOBRE O CONTROLE SOCIAL REGIÃO METROPOLITANA 31 de outubro de 2013 Auditório da Fetag Porto Alegre - RS LEI COMPLEMENTAR N 141/2012 E O PROCESSO DE FINANCIAMENTO DO SUS Sistema

Leia mais

Art O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;

Art O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; CAPÍTULO III DA EDUCAÇÃO, DA CULTURA E DO DESPORTO Seção I DA EDUCAÇÃO Art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade,

Leia mais

Etapas para sua construção

Etapas para sua construção Etapas para sua construção O plano é um documento que define metas educacionais para serem alcançadas pelo município em um período de 10 anos (2012 a 2021). Trata-se de uma exigência prevista na Lei Federal

Leia mais

MUNICÍPIO DE JOSÉ BONIFÁCIO.

MUNICÍPIO DE JOSÉ BONIFÁCIO. Terça-feira, 05 de abril de 2016 Ano II Edição nº 304 Página 1 de 7 SUMÁRIO PODER EXECUTIVO DE JOSÉ BONIFÁCIO 2 Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esportes - SEDUCE 2 Resoluções 2 EXPEDIENTE O

Leia mais

Planos Decenais de Educação Desafios e perspectivas para a próxima década da implementação ao monitoramento

Planos Decenais de Educação Desafios e perspectivas para a próxima década da implementação ao monitoramento Planos Decenais de Educação Desafios e perspectivas para a próxima década da implementação ao monitoramento Alessio Costa Lima Dirigente Municipal de Educação de Tabuleiro do Norte/ CE Presidente da Undime

Leia mais

O DIREITO À EDUCAÇÃO INFANTIL NA LEGISLAÇÃO ATUAL. Palavras-chave: direito à educação. Educação infantil. Previsão legal. Período integral.

O DIREITO À EDUCAÇÃO INFANTIL NA LEGISLAÇÃO ATUAL. Palavras-chave: direito à educação. Educação infantil. Previsão legal. Período integral. O DIREITO À EDUCAÇÃO INFANTIL NA LEGISLAÇÃO ATUAL Palavras-chave: direito à educação. Educação infantil. Previsão legal. Período integral. Resumo: este artigo tem por objetivo compreender a extensão do

Leia mais

PACTO NACIONAL PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO

PACTO NACIONAL PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PACTO NACIONAL PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO Secretaria de Educação Básica Diretoria de Apoio à Gestão 1 Educacional Objetivo do Pacto do Ensino

Leia mais

O DIRIGENTE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA CONAE 2014 E DO PNE. Célia Maria Vilela Tavares

O DIRIGENTE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA CONAE 2014 E DO PNE. Célia Maria Vilela Tavares O DIRIGENTE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA CONAE 2014 E DO PNE Célia Maria Vilela Tavares Pré PNE: conferências municipais de educação, participação nas conferências estaduais e na

Leia mais

Seduc debate reestruturação curricular do Ensino Médio

Seduc debate reestruturação curricular do Ensino Médio Seduc debate reestruturação curricular do Ensino Médio Em função da manifestação da direção do CPERS/sindicato sobre a proposta de reestruturação curricular do Ensino Médio a Secretaria de Estada da Educação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO. ANEXO I DA RESOLUÇÃO Nº. 02/2014 CUn

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO. ANEXO I DA RESOLUÇÃO Nº. 02/2014 CUn ANEXO I DA RESOLUÇÃO Nº. 02/2014 CUn PLANO DE CAPACITAÇÃO DE SERVIDORES DESTA UNIVERSIDADE 1. APRESENTAÇÃO O Plano de Cargos e Carreiras do Pessoal Técnico-Administrativo em Educação (PCCTAE) foi implantado

Leia mais

construindo uma agenda

construindo uma agenda Regime de colaboração: construindo uma agenda . Regime de colaboração. Sistema nacional de educação. Responsabilidade da gestão pública educacional. Esforço coordenado e planejado. Atuação propositiva

Leia mais

A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) NO MUNICÍPIO DE SANTA INÊS/MA: OS DESAFIOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) NO MUNICÍPIO DE SANTA INÊS/MA: OS DESAFIOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) NO MUNICÍPIO DE SANTA INÊS/MA: OS DESAFIOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES Eriveth Silva Teixeira¹ ¹Acadêmica do 7º período do curso

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 1, DE 30 DE MAIO DE 2012

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 1, DE 30 DE MAIO DE 2012 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 1, DE 30 DE MAIO DE 2012 Estabelece Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos. O Presidente do Conselho Nacional de Educação, no uso de suas atribuições

Leia mais

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA. A Geografia Levada a Sério

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA.  A Geografia Levada a Sério ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA 1 Educação é aquilo que a maior parte das pessoas recebe, muitos transmitem e poucos possuem Karl Kraus 2 Fundamentos de Políticas Públicas O TRONO DE ESTUDAR

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS ANO DE 2012

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS ANO DE 2012 RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS ANO DE 2012 MACEIÓ Março de 2013 1 - INTRODUÇÃO O Projeto de Avaliação Institucional baseia-se nas diretrizes oriundas da Comissão Nacional de Avaliação da

Leia mais

(Projeto de Lei nº 415/12, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Aprova o Plano Municipal de Educação de São Paulo

(Projeto de Lei nº 415/12, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Aprova o Plano Municipal de Educação de São Paulo LEI Nº 16.271, DE 17 DE SETEMBRO DE 2015 (Projeto de Lei nº 415/12, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Aprova o Plano Municipal de Educação de São Paulo META 1. Ampliar o investimento

Leia mais

D E C R E T A. a) dos cursos de licenciaturas; b) das residências pedagógicas; c) das práticas pedagógicas curriculares;

D E C R E T A. a) dos cursos de licenciaturas; b) das residências pedagógicas; c) das práticas pedagógicas curriculares; Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." DECRETO Nº 16.718 DE 11 DE MAIO DE 2016 Dispõe sobre a instituição e organização dos Complexos Integrados de Educação, no âmbito

Leia mais

FORMAÇÃO EM PERSPECTIVA INCLUSIVA: CONCEPÇÕES DE PROFESSORES DE CURSOS DE PEDAGOGIA

FORMAÇÃO EM PERSPECTIVA INCLUSIVA: CONCEPÇÕES DE PROFESSORES DE CURSOS DE PEDAGOGIA FORMAÇÃO EM PERSPECTIVA INCLUSIVA: CONCEPÇÕES DE PROFESSORES DE CURSOS DE PEDAGOGIA Érica Aparecida Garrutti-Lourenço Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) Eixo Temático: Formação de professores

Leia mais

ROTEIRO PROPOSITIVO Proposta Preliminar de Estrutura e Organização do Documento-Referência

ROTEIRO PROPOSITIVO Proposta Preliminar de Estrutura e Organização do Documento-Referência ROTEIRO PROPOSITIVO Proposta Preliminar de Estrutura e Organização do Documento-Referência Introdução: Proposta preliminar construída a partir do documento final da Conae 2014, do PNE e das contribuições

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO, FEDERALISMO E REGIME DE COLABORAÇÃO

SISTEMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO, FEDERALISMO E REGIME DE COLABORAÇÃO SISTEMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO, FEDERALISMO E REGIME DE COLABORAÇÃO Mariza Abreu Consultora Legislativa da Câmara dos Deputados Audiência Pública da Comissão de Educação, Cultura e Esporte Senado Federal,

Leia mais

NOME DO CURSO:O uso do sistema de FM no ambiente escolar Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: Presencial

NOME DO CURSO:O uso do sistema de FM no ambiente escolar Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: Presencial NOME DO CURSO:O uso do sistema de FM no ambiente escolar Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: Presencial Parte 1 Código / Área Temática Código / Nome do Curso Etapa de ensino a que se destina Educação Especial

Leia mais

ANEXO I TABELA DE TRANSFORMAÇÃO DE CARGOS EDUCAÇÃO CARGOS TRANSFORMADOS ORD. CARGOS ANTIGOS CLASSES DE CARGOS ATUAIS

ANEXO I TABELA DE TRANSFORMAÇÃO DE CARGOS EDUCAÇÃO CARGOS TRANSFORMADOS ORD. CARGOS ANTIGOS CLASSES DE CARGOS ATUAIS ANEXO I TABELA DE TRANSFORMAÇÃO DE CARGOS EDUCAÇÃO CARGOS TRANSFORMADOS ORD. CARGOS ANTIGOS CLASSES DE CARGOS ATUAIS 1 Agente de Serviços Escolares Agente de Serviços Escolares Q. S. da Educação 2 CARGO

Leia mais

POEB - POLÍTICAS E ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA

POEB - POLÍTICAS E ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA POEB - POLÍTICAS E ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA EERP Bacharelado e Licenciatura em enfermagem 2º ano Profa. Dra. Marlene Fagundes Carvalho Gonçalves LDB LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL

Leia mais

ALINHAMENTO DOS PLANOS MUNICIPAIS E ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO AO PNE

ALINHAMENTO DOS PLANOS MUNICIPAIS E ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO AO PNE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IV REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSED 2012 29 E 30 DE NOVEMBRO/CURITIBA ALINHAMENTO DOS PLANOS MUNICIPAIS E ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO AO PNE SASE/MEC, NOVEMBRO DE 2012 Lei 9.394/96 (LDB) Plano

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 015/2015, DE 29 DE ABRIL DE 2015.

PROJETO DE LEI Nº 015/2015, DE 29 DE ABRIL DE 2015. PROJETO DE LEI Nº 015/2015, DE 29 DE ABRIL DE 2015. Aprova o Plano Municipal de Educação, para o próximo decênio e dá outras providências. CLAIRTON PASINATO, Prefeito Municipal de Cacique Doble, Estado

Leia mais

UM DIAGNÓSTICO DOS PRINCIPAIS ESTUDOS REALIZADOS NOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO EM SECRETARIADO EXECUTIVO DA UNICENTRO (ESTÁGIO SUPERVISIONADO)

UM DIAGNÓSTICO DOS PRINCIPAIS ESTUDOS REALIZADOS NOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO EM SECRETARIADO EXECUTIVO DA UNICENTRO (ESTÁGIO SUPERVISIONADO) UM DIAGNÓSTICO DOS PRINCIPAIS ESTUDOS REALIZADOS NOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO EM SECRETARIADO EXECUTIVO DA UNICENTRO (ESTÁGIO SUPERVISIONADO) Juliane Sachser Angnes (Professora DESEC/G - UNICENTRO)

Leia mais

Educação financeira no contexto escolar

Educação financeira no contexto escolar Educação financeira no contexto escolar Sueli Teixeira Mello e Caroline Stumpf Buaes Ministério da Educação do Brasil (MEC) Rio de Janeiro, 09/12/2015 Sumário 2 1. O papel institucional do Ministério da

Leia mais

1 Verificar num primeiro momento as ações para cumprimento das Metas/estratégias com prazo definido para 2015;

1 Verificar num primeiro momento as ações para cumprimento das Metas/estratégias com prazo definido para 2015; Subcomissão permanente para Acompanhar, monitorar e avaliar o processo de implementação das estratégias e do cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação PNE sugestões para Plano de Trabalho Consultorias

Leia mais

Avanços do TPE Setembro 2006 / Maio 2007

Avanços do TPE Setembro 2006 / Maio 2007 Avanços do TPE Setembro 2006 / Maio 2007 Já sabemos que... Educação de qualidade para todos promove: Já sabemos que... Educação de qualidade para todos promove: Crescimento econômico Já sabemos que...

Leia mais

A EDUCAÇÃO BÁSICA : DIREITO

A EDUCAÇÃO BÁSICA : DIREITO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica/Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Diversidade e Inclusão na Rede Federal de Educação Profissional

Leia mais

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.311, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Altera a Portaria nº 2.866/GM/MS, de 2 de

Leia mais

PACTO PELA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE NO MUNICÍPIO DE ITABUNA.

PACTO PELA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE NO MUNICÍPIO DE ITABUNA. CARTA COMPROMISSO: PACTO PELA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE NO MUNICÍPIO DE ITABUNA. Ilustríssimo Senhor Candidato a Prefeito de Itabuna nas eleições municipais de 2016, Primando por uma Educação de qualidade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAILÂNDIA/PA CONCURSO PÚBLIO N.º 01/2015 EDITAL DE RETIFICAÇÃO N.º 03/2015, DE 26 DE AGOSTO DE 2015.

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAILÂNDIA/PA CONCURSO PÚBLIO N.º 01/2015 EDITAL DE RETIFICAÇÃO N.º 03/2015, DE 26 DE AGOSTO DE 2015. CONCURSO PÚBLIO N.º 01/2015, DE 26 DE AGOSTO DE 2015. O Prefeito Municipal de Tailândia/PA, no uso de suas atribuições legais, nos termos do subitem 16.6 do Edital Retificado e Consolidado n. o 02/2015,

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental da PREVI

Política de Responsabilidade Socioambiental da PREVI 1.1. A PREVI, para o cumprimento adequado de sua missão administrar planos de benefícios, com gerenciamento eficaz dos recursos aportados, buscando melhores soluções para assegurar os benefícios previdenciários,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 6/5/2016, Seção 1, Pág. 28. Portaria n 4, publicada no D.O.U. de 6/5/2016, Seção 1, Pág. 2. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Palavras-chave: Plano Nacional de Educação. Plano Municipal de Educação. Gestão democrática. Introdução

Palavras-chave: Plano Nacional de Educação. Plano Municipal de Educação. Gestão democrática. Introdução 201 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (PNE) AO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO (PME): PERSPECTIVAS EDUCACIONAIS DE GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA NO MUNICÍPIO DE ARAÇU-GO Daniel Junior de Oliveira Daniella de Souza Bezerra

Leia mais

Perspectivas de atuação da Assemae para fomento do saneamento básico no Brasil. Aparecido Hojaij Presidente da Assemae

Perspectivas de atuação da Assemae para fomento do saneamento básico no Brasil. Aparecido Hojaij Presidente da Assemae Perspectivas de atuação da Assemae para fomento do saneamento básico no Brasil Aparecido Hojaij Presidente da Assemae XV Assembleia da Assemae Regional de Santa Catarina 25 de agosto de 2015 Sobre a Assemae

Leia mais

CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA INTRODUÇÃO O Ministério de Educação, nos últimos três anos, vem construindo uma concepção educacional tendo em vista a articulação dos níveis e modalidades de ensino,

Leia mais

D.O DIÁRIO OFICIAL. Atos do Prefeito MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO ATOS DO PODER EXECUTIVO JAQUELINE HIAT DIAS. JOSÉ AUGUSTO GONÇALVES Prefeito

D.O DIÁRIO OFICIAL. Atos do Prefeito MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO ATOS DO PODER EXECUTIVO JAQUELINE HIAT DIAS. JOSÉ AUGUSTO GONÇALVES Prefeito D.O JOSÉ AUGUSTO GONÇALVES Prefeito ALEXANDRE QUINTELLA GAMA Procurador Geral do Município FERNANDO MAGNO GEOFFROY FILHO Chefe de Gabinete VANDERLEI PEREIRA DA SILVA Secretário de Controle Interno ITAMAR

Leia mais

PACTO DE APRIMORAMENTO DA GESTÃO ESTADUAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

PACTO DE APRIMORAMENTO DA GESTÃO ESTADUAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PACTO DE APRIMORAMENTO DA GESTÃO ESTADUAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL A Gestão proposta pelo SUAS pauta-se no Pacto Federativo onde devem ser atribuídas e detalhadas as competências e responsabilidades

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL NAS ESCOLAS INDÍGENAS E QUILOMBOLAS: UMA DISCUSSÃO SOBRE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES

EDUCAÇÃO ESPECIAL NAS ESCOLAS INDÍGENAS E QUILOMBOLAS: UMA DISCUSSÃO SOBRE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES 2 EDUCAÇÃO ESPECIAL NAS ESCOLAS INDÍGENAS E QUILOMBOLAS: UMA DISCUSSÃO SOBRE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES Michele Aparecida de SÁ Doutoranda em Educação Especial - UFSCar APOIO: CAPES Resumo Atualmente as

Leia mais

TEXTO 2 EDUCAÇÃO DE QUALIDADE UM DIREITO SOCIAL

TEXTO 2 EDUCAÇÃO DE QUALIDADE UM DIREITO SOCIAL Curso Gestão para Educação de Qualidade 1 TEXTO 2 EDUCAÇÃO DE QUALIDADE UM DIREITO SOCIAL Sonia Balzano... a escola de qualidade é aquela que tem como valor fundamental a garantia dos direitos de aprendizagem

Leia mais

Esse índice pode nos dar parâmetros a serem atingidos e, para isso, o processo de ensino-aprendizagem teria que ter mais qualidade.

Esse índice pode nos dar parâmetros a serem atingidos e, para isso, o processo de ensino-aprendizagem teria que ter mais qualidade. PARÂMETROS NACIONAIS PARA A ELABORAÇÃO DE CONCURSOS PÚBLICOS PARA PSICOPEDAGOGOS NO BRASIL I JUSTIFICATIVA A necessidade de criação dos Parâmetros para a Elaboração de Concursos Públicos para Psicopedagogos

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento SUMÁRIO 1. Propósito 2. Abrangência 3. Política 3.1 Princípios Fundamentais 3.2 Diretrizes Socioambientais

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº. 679/2013 28 DE NOVEMBRO 2013

LEI MUNICIPAL Nº. 679/2013 28 DE NOVEMBRO 2013 LEI MUNICIPAL Nº. 679/2013 28 DE NOVEMBRO 2013 DISPÕE SOBRE O PLANO PLURIANUAL DO MUNICÍPIO DE GOVERNADOR JORGE TEIXEIRA-RO, PARA O QUADRIÊNIO (2014 A 2017), E CONTÉM OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A PREFEITA MUNICIPAL

Leia mais

EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL Financiamento e Condições de Qualidade das Escolas Públicas da Rede Municipal de Ensino de Curitiba

EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL Financiamento e Condições de Qualidade das Escolas Públicas da Rede Municipal de Ensino de Curitiba EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL Financiamento e Condições de Qualidade das Escolas Públicas da Rede Municipal de Ensino de Curitiba Karin Cristina Santos O propósito desse trabalho é apresentar dados parciais

Leia mais

REQUERIMENTO (Do Sr. Dr. UBIALI)

REQUERIMENTO (Do Sr. Dr. UBIALI) REQUERIMENTO (Do Sr. Dr. UBIALI) Requer o envio de Indicação ao Poder Executivo, relativa à inserção do Cooperativismo como Tema Transversal nos currículos escolares do ensino Senhor Presidente: Nos termos

Leia mais

Gestão e prática educacional democrática

Gestão e prática educacional democrática Universidade Federal do Rio Grande do Sul Faculdade de Educação Sociologia da Educação - I A - 2015/1 Eixo Escola e Cidadania Gestão e prática educacional democrática Vanessa Souza Pereira - Mestranda

Leia mais

SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR

SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR Elza Cristina Giostri elza@sociesc.org.br PROGRAMA Apresentação Diagnóstico de conhecimento e necessidades Conceito Geral Elaboração do relatório

Leia mais

ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Esplanada dos Ministérios, Bloco L 70047-902 Brasília DF ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art.

Leia mais

Minuta de Instrução Normativa

Minuta de Instrução Normativa Minuta de Instrução Normativa INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº [NÚMERO], DE Dispõe sobre o Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna (Paint), os aspectos relativos aos trabalhos de auditoria e o Relatório Anual

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA Vanessa Martins Hidd Santos NOVAFAPI INTRODUÇÃO A avaliação institucional constitui objeto de preocupação e análise na NOVAFAPI, desde sua fundação quando

Leia mais

Escrito por Assessoria de Comunicação I Qui, 01 de Maio de 2014 11:10 - Última atualização Qua, 07 de Maio de 2014 08:37

Escrito por Assessoria de Comunicação I Qui, 01 de Maio de 2014 11:10 - Última atualização Qua, 07 de Maio de 2014 08:37 PORTARIA Nº 2.761, DE 30 DE ABRIL DE 2014. DISPÕE SOBRE A ADESÃO DAS UNIDADES EDUCACIONAIS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE SÃO PAULO AOS PROGRAMAS EDUCACIONAIS DE ÂMBITO FEDERAL, SOB A ÉGIDE DO PROGRAMA

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA O movimento Constitucional; O processo de discussão que antecedeu a LDB nº9394/96; A concepção de Educação Básica e a universalização do

Leia mais

1. Perfil A Faculdade de Medicina de Campos foi criada pela Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia (SFMC), na sessão de 02 de agosto de 1965,

1. Perfil A Faculdade de Medicina de Campos foi criada pela Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia (SFMC), na sessão de 02 de agosto de 1965, 1. Perfil A Faculdade de Medicina de Campos foi criada pela Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia (SFMC), na sessão de 02 de agosto de 1965, para se constituir em uma Instituição de Ensino Superior

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E SUAS 20 METAS. Palestra: Campo Grande MS 27.03.2015

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E SUAS 20 METAS. Palestra: Campo Grande MS 27.03.2015 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E SUAS 20 METAS. Palestra: Campo Grande MS 27.03.2015 MILTON CANUTO DE ALMEIDA Consultor Técnico em: Financiamento, Planejamento e Gestão da Educação, Plano de Carreira e Previdência

Leia mais

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial NOME DO CURSO: O Ensino de Língua Portuguesa como segunda língua para estudantes surdos e/ou com deficiência auditiva Nível: Especialização Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO Projeto de melhoria da estrutura de equipamentos públicos e programas de saúde existentes A Cidade de Osasco constitui-se em importante polo de desenvolvimento da Região Oeste Metropolitana de São Paulo

Leia mais

Ato Normativo nº 556/2008-PGJ, de 15/10/2008 (Pt. n 125.501/08)

Ato Normativo nº 556/2008-PGJ, de 15/10/2008 (Pt. n 125.501/08) Ato Normativo nº 556/2008-PGJ, de 15/10/2008 (Pt. n 125.501/08) Dispõe sobre a organização e as atribuições da Assessoria Policial Militar no Ministério Público do Estado de São Paulo O PROCURADOR-GERAL

Leia mais

INCLUSÃO SOCIAL DO DEFICIENTE POR MEIO DO AMPARO JURÍDICO

INCLUSÃO SOCIAL DO DEFICIENTE POR MEIO DO AMPARO JURÍDICO INCLUSÃO SOCIAL DO DEFICIENTE POR MEIO DO AMPARO JURÍDICO Vanessa Cristina Lourenço Casotti Ferreira da Palma Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação - PPGEdu da Faculdade de

Leia mais

Professora de Direito da FTEC - Novo Hamburgo/RS. Assessora Jurídica do PRÓ-SINOS.

Professora de Direito da FTEC - Novo Hamburgo/RS. Assessora Jurídica do PRÓ-SINOS. Orientação sobre a constituição dos Conselhos Municipais de Saneamento Básico para os municípios integrantes do Consórcio PRÓ-SINOS. O Controle Social no Saneamento Básico: constituição dos conselhos municipais,

Leia mais

Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado. Brasília-DF, 14 de Maio de 2015

Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado. Brasília-DF, 14 de Maio de 2015 Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado Brasília-DF, 14 de Maio de 2015 1 2 3 4 5 6 7 Abertura O PGMC A ESOA Credenciamento Produtos SOIA FAQ e Treinamento 2 1 2 3 4 5 6 7 Abertura O PGMC A ESOA Credenciamento

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 Art. 207. As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 52.567, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015. (publicado no DOE n.º 183, de 24 de setembro de 2015) Dispõe sobre o

Leia mais

O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DE DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DO INTERIOR DO MATO GROSSO DO SUL: ANÁLISE DOS ASPECTOS INCLUSIVOS

O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DE DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DO INTERIOR DO MATO GROSSO DO SUL: ANÁLISE DOS ASPECTOS INCLUSIVOS O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DE DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DO INTERIOR DO MATO GROSSO DO SUL: ANÁLISE DOS ASPECTOS INCLUSIVOS Clarice Karen de Jesus Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Palavras chave:

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 120, DE 2005 (Nº

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 120, DE 2005 (Nº SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 120, DE 2005 (Nº 6.301/2005, na casa de origem) (De Iniciativa do Presidente da República) Fixa os valores dos soldos dos militares das Forças Armadas. O Congresso

Leia mais

Conselho Municipal de Meio Ambiente CONSEMAC Câmara Setorial Permanente de Educação Ambiental CSPEA Parecer 03/2013 Março 2013

Conselho Municipal de Meio Ambiente CONSEMAC Câmara Setorial Permanente de Educação Ambiental CSPEA Parecer 03/2013 Março 2013 Conselho Municipal de Meio Ambiente CONSEMAC Câmara Setorial Permanente de Educação Ambiental CSPEA Parecer 03/2013 Março 2013 I. OBJETO Regulamentação da Lei n o 4.791 de 02/04/2008, que dispõe sobre

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VILA FLOR

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VILA FLOR REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VILA FLOR PREÂMBULO A Lei n.º 75/2013, de 12 de Setembro, diploma que estabelece, entre outros, o regime jurídico das autarquias locais, veio atribuir, no

Leia mais

PL 8035/2010 UMA POLÍTICA DE ESTADO. Plano Nacional de Educação 2011/2020. Maria de Fátima Bezerra. Deputada Federal PT/RN

PL 8035/2010 UMA POLÍTICA DE ESTADO. Plano Nacional de Educação 2011/2020. Maria de Fátima Bezerra. Deputada Federal PT/RN PL 8035/2010 Plano Nacional de Educação 2011/2020 UMA POLÍTICA DE ESTADO Maria de Fátima Bezerra Deputada Federal PT/RN Presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal O PNE foi construído

Leia mais

Fonte [1] A LDB, nos artigos 22 a 38, detalha no Capítulo II a Educação Básica (EB), a qual, consoante o art. 22, objetiva, in verbis, (...) desenvolv

Fonte [1] A LDB, nos artigos 22 a 38, detalha no Capítulo II a Educação Básica (EB), a qual, consoante o art. 22, objetiva, in verbis, (...) desenvolv ESTRUTURA, POLÍTICA E GESTÃO EDUCACIONAL AULA 02: LEGISLAÇÃO, SISTEMA, NÍVEIS E MODALIDADES DE ENSINO, FORMAÇÃO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO. TÓPICO 03: OS NÍVEIS DE ENSINO O Título V, da LDB, com os artigos

Leia mais

Senado Federal Subsecretaria de Informações DECRETO Nº 2.794, DE 1º DE OUTUBRO DE 1998

Senado Federal Subsecretaria de Informações DECRETO Nº 2.794, DE 1º DE OUTUBRO DE 1998 Senado Federal Subsecretaria de Informações DECRETO Nº 2.794, DE 1º DE OUTUBRO DE 1998 Institui a Política Nacional de Capacitação dos Servidores para a Administração Pública Federal direta, autárquica

Leia mais

DESENVOLVIMENTO, EDUCAÇÃO E PLANEJAMENTO EM SANTA CATARINA

DESENVOLVIMENTO, EDUCAÇÃO E PLANEJAMENTO EM SANTA CATARINA 1 DESENVOLVIMENTO, EDUCAÇÃO E PLANEJAMENTO EM SANTA CATARINA 1955-2010 Formação e Gestão em Processos Educativos Giane Rabelo Liara Darabas Ronçani Suzane Waschineweski Introdução Este trabalho apresenta

Leia mais