CTE Elegibilidades

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CTE Elegibilidades 2014 2020"

Transcrição

1 CTE Elegibilidades Nota: O Comité de Acompanhamento de cada Programa poderá definir normas de elegibilidade adicionais próprias atenção aos termos da convocatória

2 Base Programa REG. (EU) 1303/2013 Disposições Comuns REG.(EU) 1299/2013 Disposições Específicas FEDER CTE REG. Delegado (EU) 481/2014 Elegibilidades Cooperação Comité Acompanhamento Legislação de cada Estado Membro Regras Gerais Regras por Eixo Prioritário 2

3 Considerações Gerais Relacionadas com as ações aprovadas Necessárias para a prossecução dos objetivos Cumprimento dos critérios de eficiência, economia e eficácia Efetuada e paga dentro do período de execução Verificação (em termos de realização, pagamento e contabilização) Cumprimento dos critérios/regulamentação de transparência, publicidade, livre concorrência, contratação pública 3

4 Base Custos com Pessoal Determinação dos diferentes elementos a considerar Regra de cálculo (base horária) Base de cálculo (custos brutos) Modalidades: Tempo inteiro/parcial (fixo/flexível) À hora (registo do tempo de trabalho) 4

5 Condições Custos com Pessoal Vencimentos (que a entidade não realizaria sem o projeto) Decisão de afetação (Funcionários Públicos) Contrato de emprego / trabalho Descrição das responsabilidades específicas no âmbito do projeto Itens definidos por Lei Impostos laborais, Segurança Social, Outros Obrigatórios e não recuperados 5

6 Contabilização Custos com Pessoal Base de custo real Peças: Contrato + recibo de vencimento + comprovativo de pagamento Custos Simplificados (Decisão do PO) Taxa Fixa 20% dos custos diretos do projeto (exceto custos com pessoal) Utilização de 1720 horas anuais 6

7 Arrendamento de escritórios Seguros e Impostos (imóveis e equipamento) Serviços (eletricidade, água, aquecimento) Material Escritório, Contabilidade Geral Arquivos Manutenção, Limpeza, Reparações e Segurança Sistemas informáticos Comunicações (Telefone, Internet, correios, cartões visita) Despesas Bancárias abertura e gestão contas (se obrigatório PO) Encargos transações financeiras internacionais (no âmbito projeto) Despesas com Instalações e Administrativas Como calcular: 2 hipóteses possíveis: Regras de cálculo Taxa Fixa até 15% (dos custos do pessoal direto) 7

8 Deslocação e Alojamento Refeições Alojamento Vistos Ajudas custo diárias Deslocação Bilhetes Seguros viagem /veículos Combustíveis, Km, Portagem Duplicação de despesa Despesas de deslocação e alojamento de peritos e oradores devem ser inseridas na rubrica de Peritos e Serviços Estacionamento Externos 8

9 Peritos e Serviços Externos Formação Promoção, Comunicação, Publicidade Traduções Participação Eventos (inscrição) Gestão Financeira Controlador externo Estudos / Inquéritos Direitos Propriedade Intelectual Sistemas TI e Web Garantias bancárias / similar (Desenvolvimento / Alterações Atualizações) Organização / Realização (eventos, reuniões: arrendamento, restauração, interpretação) Consultoria jurídica, notarial, técnica,financeira, contabilística Deslocação e alojamento peritos externos. Oradores Elegíveis se no âmbito do projeto e obrigatórias 9

10 Equipamento Equipamento Escritório Hardware e Software Mobiliário e acessórios Equipamento de Laboratório Máquinas e instrumentos Ferramentas ou dispositivos Outros (necessários) Não ter sido cofinanciado por nenhum outro fundo FEIE Preço < novo e definido por perito Tem as características técnicas necessárias ao projeto e observa as normas e regras aplicáveis Aquisição Aluguer Arrendamento Amortização Regras Formas sob condições 10

11 Multas Não elegíveis Simplificados Sanções financeiras Contencioso Flutuação da Taxa de Câmbio Juros de dívidas Terrenos > 10% do total elegível da operação Iva (exceto não recuperável) Brindes > 50 11

12 MED Secretariado Conjunto Autoridade de Gestão Autoridades Nacionais ENI MED EUROPE MAC POCTEP SUDOE Espaço Atlântico MID Atlantique 12

13 Maio 2015??Esta despesa é ou não elegível????

REGULAMENTO DELEGADO (UE) N.º /.. DA COMISSÃO. de 4.3.2014

REGULAMENTO DELEGADO (UE) N.º /.. DA COMISSÃO. de 4.3.2014 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 4.3.2014 C(2014) 1229 final REGULAMENTO DELEGADO (UE) N.º /.. DA COMISSÃO de 4.3.2014 que completa o Regulamento (UE) n.º 1299/2013 do Parlamento Europeu e do Conselho no que

Leia mais

CTE Elegibilidades 2014 2020

CTE Elegibilidades 2014 2020 CTE Elegibilidades 2014 2020 Nota: O Comité de Acompanhamento de cada Programa poderá definir normas de elegibilidade adicionais próprias atenção aos termos da convocatória Sessão de esclarecimentos sobre

Leia mais

FICHAS TÉCNICAS DAS REGRAS DE ELEGIBILIDADE POCTEP 2014-2020

FICHAS TÉCNICAS DAS REGRAS DE ELEGIBILIDADE POCTEP 2014-2020 FICHAS TÉCNICAS DAS REGRAS DE ELEGIBILIDADE POCTEP 2014-2020 1. BASE NORMATIVA Regulamento (UE) nº 1303/2013 Regulamento (UE) nº 1299/2013 Regulamento Delegado (UE) nº 481/2014 O Regulamento (UE) nº 1299/2013

Leia mais

PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TRANSNACIONAL

PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TRANSNACIONAL PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TRANSNACIONAL MADEIRA-AÇORES-CANÁRIAS 2014-2020 Angra do Heroísmo, 29 janeiro 2016 ASPECTOS PRÁTICOS DA EXECUÇÃO DE PROJETOS (REGULAMENTO DELEGADO (UE) N.º 481/2014 ) NORMAS DE ELEGIBILIDADE

Leia mais

Qualificação e Internacionalização das PME

Qualificação e Internacionalização das PME Qualificação e Internacionalização das PME Portugal 2020 Programa Operacional INFEIRA GABINETE DE CONSULTADORIA, LDA. RUA DO MURADO, 535, 4536-902, MOZELOS 227 419 350 INFEIRA.PT 0 Tipologia de Projetos

Leia mais

Guia Sudoe - Para a elaboração e gestão de projetos Versão Portuguesa Ficha 8.3 Custos de deslocação e de alojamento

Guia Sudoe - Para a elaboração e gestão de projetos Versão Portuguesa Ficha 8.3 Custos de deslocação e de alojamento Guia Sudoe - Para a elaboração e gestão de projetos Versão Portuguesa Ficha 8.3 Custos de deslocação e de alojamento 2 Ficha 8.3 Custos de deslocação e de alojamento Índice 1 Custos de deslocação e de

Leia mais

IV.2 - LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 7 CUSTOS POR NATUREZA. As contas desta classe registam os custos correntes do exercício

IV.2 - LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 7 CUSTOS POR NATUREZA. As contas desta classe registam os custos correntes do exercício Anexo à Instrução nº 5/96 IV.2 - LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 7 CUSTOS POR NATUREZA As contas desta classe registam os custos correntes do exercício 70 - JUROS E CUSTOS EQUIPARADOS 703 - Juros de recursos

Leia mais

União Europeia. Objectivos da sessão

União Europeia. Objectivos da sessão União Europeia Instrumento Europeu para Democracia e Direitos Humanos (IEDDH) Convite para a apresentação de propostas Referencia: EuropeAid/136-792/DD/ACT/MZ Sessão de Informação: Propostas Completas

Leia mais

Sistema de Incentivos. Internacionalização das PME

Sistema de Incentivos. Internacionalização das PME SISTEMA DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Tipologia de investimento: Qualificação e Internacionalização das PME Área de investimento Internacionalização das PME O sistema de incentivos tem como objetivo reforçar

Leia mais

Normas de Execução Financeira

Normas de Execução Financeira PROJECTOS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO 1. Âmbito do financiamento POCI e POS_C Normas de Execução Financeira 1.1. As verbas atribuídas destinam-se a financiar as despesas do

Leia mais

Comparativo da Despesa Liquidada. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto. Materiais Elétricos e de Telefonia

Comparativo da Despesa Liquidada. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto. Materiais Elétricos e de Telefonia Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado de Sergipe CNPJ: 14.817.219/0001-92 Comparativo da Liquidada CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 1.148.289,97 885.632,24 DESPESA CORRENTE 948.289,97 685.632,24 PESSOAL

Leia mais

DE INVESTIGAÇÃO EXPLORATÓRIA NO ÂMBITO DO PROGRAMA INVESTIGADOR FCT. Normas de execução financeira

DE INVESTIGAÇÃO EXPLORATÓRIA NO ÂMBITO DO PROGRAMA INVESTIGADOR FCT. Normas de execução financeira FINANCIAMENTO DE PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO EXPLORATÓRIA NO ÂMBITO DO PROGRAMA INVESTIGADOR FCT Normas de execução financeira Financiamento de Projetos de Investigação Exploratória no âmbito do Programa

Leia mais

37.100.500,00 TOTAL DA RECEITA: TOTAL DA DESPESA: 37.100.500,00

37.100.500,00 TOTAL DA RECEITA: TOTAL DA DESPESA: 37.100.500,00 TOTAL DA RECEITA: TOTAL DA DESPESA: 37.100.500,00 37.100.500,00 0 DA CÂMARA MUNICIPAL DE LEIRIA ANO 2013 RECEITAS DESPESAS CORRENTES 23.469.442,00 CORRENTES 23.270.500,00 CAPITAL 13.631.058,00 CAPITAL

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA Gabinete de Cooperação EuropeAid. América Latina Gestão financeira e contratual

COMISSÃO EUROPEIA Gabinete de Cooperação EuropeAid. América Latina Gestão financeira e contratual 1 Introdução ao sistema financeiro (custos elegíveis ) Custos directos elegíveis por natureza Custos não elegíveis Período de elegibilidade Repartição das despesas financeiras em conformidade com oanexo

Leia mais

ANEXO PE, EXERCÍCIO ECONÓMICO DE 2010

ANEXO PE, EXERCÍCIO ECONÓMICO DE 2010 ANEXO PE, EXERCÍCIO ECONÓMICO DE 2010 1 Identificação da entidade 1.1 Designação da entidade APOTEC Associação Portuguesa de Técnicos de Contabilidade 1.2 Sede Rua Rodrigues Sampaio, 50-3º-Esq. 1169-029

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: 14.829.126/0001-88 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 1.819.026,06 1.569.128,55 DESPESA CORRENTE 1.082.835,00 832.937,49

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: 14.829.126/0001-88 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 1.819.026,06 102.069,64 491.340,38 1.327.685,68 DESPESA CORRENTE

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL ORÇAMENTO DA RECEITA Ano: 2015

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL ORÇAMENTO DA RECEITA Ano: 2015 ORÇAMENTO DA RECEITA Ano: 25 RECEITAS CORRENTES 05 RENDIMENTOS DA PROPRIEDADE 10,00 05 Juros Sociedades Financeiras 10,00 05 Bancos e Outras Instituições Financeiras 10,00 06 TRANSFERÊNCIAS CORRENTES 991.045,28

Leia mais

NOTA TÉCNICA. EIXO 1 Qualificação Inicial e 1.2.5 Formação de Adultos da Adaptabilidade e Aprendizagem ao Longo da Vida

NOTA TÉCNICA. EIXO 1 Qualificação Inicial e 1.2.5 Formação de Adultos da Adaptabilidade e Aprendizagem ao Longo da Vida NOTA TÉCNICA EIXO 1 Qualificação Inicial e 1.2.5 Formação de Adultos da Adaptabilidade e Aprendizagem ao Longo da Vida NATUREZA E LIMITES MÁXIMOS DOS CUSTOS ELEGÍVEIS (Decreto - Regulamentar 84-A/2007

Leia mais

PREPARE O SEU PROJETO FALE CONNOSCO!

PREPARE O SEU PROJETO FALE CONNOSCO! Candidaturas abertas até 18 de Setembro QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO PREPARE O SEU PROJETO FALE CONNOSCO! Tel./Fax: 22 600 71 20 projectos@advancedway.pt www.advancedway.pt Qualificação e internacionalização

Leia mais

Diário :18 Folha: 222 Descrição Classificação Conta Exercício Atual

Diário :18 Folha: 222 Descrição Classificação Conta Exercício Atual Diário :18 Folha: 222 R E C E I T A S OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS OUTRAS RECEITAS RECEITAS DE ALUGUEIS RECEITA DE LOCAÇÃO 3-2-09-01-03 9 500,00C =RECEITAS DE ALUGUEIS ********500,00C =OUTRAS RECEITAS

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESPÍRITO SANTO CCAF RESOLUÇÃO Nº 83, DE 29 DE JANEIRO DE 2013.

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESPÍRITO SANTO CCAF RESOLUÇÃO Nº 83, DE 29 DE JANEIRO DE 2013. CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESPÍRITO SANTO CCAF RESOLUÇÃO Nº 83, DE 29 DE JANEIRO DE 2013. Regulamenta a relação dos itens financiáveis e não financiáveis O CONSELHO

Leia mais

CRF/PR. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia do Paraná CNPJ: 76.693.886/0001-68. Página:1/6. Funções.

CRF/PR. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia do Paraná CNPJ: 76.693.886/0001-68. Página:1/6. Funções. Conselho Regional de Farmácia do Paraná CNPJ: 76.693.886/0001-68 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 14.028.00 12.940.689,80 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESAS CORRENTES 13.375.00 1.082.192,20 1.082.192,20

Leia mais

Programa Operacional Competitividade e Internacionalização

Programa Operacional Competitividade e Internacionalização Programa Operacional Competitividade e Internacionalização Qualificação e Internacionalização das PME PSZ CONSULTING Mar 2015 Índice 1 O que é?... 2 1.1 Enquadramento... 2 1.2 Objetivos Específicos...

Leia mais

NORMA DE GESTÃO N.º 1/NORTE2020/2015 1

NORMA DE GESTÃO N.º 1/NORTE2020/2015 1 NORMA DE GESTÃO N.º 1/NORTE2020/2015 1 [Operações públicas FEDER] 23.dezembro.2015 1 Não aplicável nos regimes dos Sistemas de Incentivos e em operações co-financiadas pelo FSE. CONTROLO DO DOCUMENTO Versão

Leia mais

ORÇAMENTO PARA 2013. QUADRO DE RENDIMENTOS (De 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2013)

ORÇAMENTO PARA 2013. QUADRO DE RENDIMENTOS (De 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2013) 012345670 89 QUADRO DE RENDIMENTOS FACTOR VALOR TOTAL DAS CONTAS DA 1 RENDIMENTO DE BENS PRÓPRIOS Patrocínios e Publicidade 757.489 724 Prestações de Serviços - Patrocínios 757.489 2 INSCRIÇÕES E TAXAS

Leia mais

Comparativo de Despesas Abril/2015

Comparativo de Despesas Abril/2015 Click to edit Master text styles Second level Third level Fourth level» Fifth level Comparativo de s Abril/2015 Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil CNPJ: 14.702.767/0001-77 Comparativo da Liquidada

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Desenvolvimento de instrumentos e métodos promotores da igualdade de género nas empresas

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Desenvolvimento de instrumentos e métodos promotores da igualdade de género nas empresas AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Desenvolvimento de instrumentos e métodos promotores da igualdade de género nas empresas ÁREA DE PROGRAMA: PT07: Integração da igualdade de género e promoção do

Leia mais

CRF/PE. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco CNPJ: 09.822.982/0001-71. Página:1/6

CRF/PE. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco CNPJ: 09.822.982/0001-71. Página:1/6 Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco CNPJ: 09.822.982/0001-71 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 6.366.25 1.102.995,57 2.609.238,49 3.757.011,51 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESAS CORRENTES

Leia mais

O Mapa de Referência sobre o Plano de Contas de Pedido de Apoio Financeiro. Versão (Fevereiro de 2013)

O Mapa de Referência sobre o Plano de Contas de Pedido de Apoio Financeiro. Versão (Fevereiro de 2013) O Mapa de Referência sobre o Plano de Contas de Pedido de Apoio Financeiro Versão (Fevereiro de 2013) Índice 1. O mapa de referência destinado ao ponto 4.1 do impresso Requerimento de Apoio Financeiro

Leia mais

EDP Solidária - Inclusão Social 2015 Regulamento

EDP Solidária - Inclusão Social 2015 Regulamento EDP Solidária - Inclusão Social 2015 Regulamento Artigo 1.º Do Programa EDP Solidária - Inclusão Social 1.1. A Fundação EDP, adiante designada por FEDP, no âmbito das suas atividades na área da inovação

Leia mais

Gestão de Projetos. Workshop 7 de abril de 2014

Gestão de Projetos. Workshop 7 de abril de 2014 Gestão de Projetos Workshop 7 de abril de 2014 Gestão de Projetos Workshop 7 de abril de 2014 Sistemas de pagamentos Elegibilidade de despesas e documentos comprovativos Custos indiretos Alterações ao

Leia mais

Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural

Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural 1. Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural no bioma Amazônia... 2 2. Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento

Leia mais

Sistema de Incentivos Internacionalização das PME

Sistema de Incentivos Internacionalização das PME Sistema de Incentivos Internacionalização das PME Objetivos e prioridades: Conceder apoios financeiros a projetos que reforcem a capacitação empresarial das PME para a internacionalização, com vista a

Leia mais

FLUXOS DE CAIXA CONSOLIDADOS

FLUXOS DE CAIXA CONSOLIDADOS CÂMARA MUNICIPAL DO / SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DE TRANSPORTES COLECTIVOS DO RECEBIMENTOS Saldo da gerência anterior 2.363.424,49 Execução Orçamental 1.404.990,71 Operações de Tesouraria 958.433,78 Total

Leia mais

EDITAL Nº1/2014 MEDIDA I - INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

EDITAL Nº1/2014 MEDIDA I - INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EDITAL Nº1/2014 MEDIDA I - INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Para os efeitos convenientes torna-se público que se encontra aberto, a partir do dia 10 de Março até ao dia

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC)

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 01.REV/SIAC/2012 SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) METODOLOGIA DE CÁLCULO DAS DESPESAS COM O PESSOAL TÉCNICO DO BENEFICIÁRIO E LIMITES À ELEGIBILIDADE DE DESPESAS Nos termos

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 2. EIXO 1 Adaptabilidade e Aprendizagem ao Longo da Vida

NOTA TÉCNICA Nº 2. EIXO 1 Adaptabilidade e Aprendizagem ao Longo da Vida NOTA TÉCNICA Nº 2 EIXO 1 Adaptabilidade e Aprendizagem ao Longo da Vida NATUREZA E LIMITES MÁXIMOS DOS CUSTOS ELEGÍVEIS (Decreto - Regulamentar 84-A/2007, na sua atual redação e Despacho Conjunto das Secretarias

Leia mais

Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte Lei Complementar n.º 123/2006

Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte Lei Complementar n.º 123/2006 Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte Lei Complementar n.º 123/2006 Baião & Filippin Advogados Associados Adv.: João Paulo de Mello Filippin Lei Complementar n.º 123/2006 Desburocratização;

Leia mais

Comércio Investe. Santa Maria da Feira, 25 de outubro de 201313. António Azevedo Administrador da Finaccount

Comércio Investe. Santa Maria da Feira, 25 de outubro de 201313. António Azevedo Administrador da Finaccount Comércio Investe Santa Maria da Feira, 25 de outubro de 201313 António Azevedo Administrador da Finaccount Prestação de Serviços de Consultoria Empresarial e Formação Comércio Investe Tipologias de investimento

Leia mais

V - LISTA DE CONTAS PARAMETRIZADA CLASSE 7 - CUSTOS POR NATUREZA

V - LISTA DE CONTAS PARAMETRIZADA CLASSE 7 - CUSTOS POR NATUREZA Anexo à Instrução nº 4/96 V - LISTA DE CONTAS PARAMETRIZADA CLASSE 7 - CUSTOS POR NATUREZA TABELAS 70 - JUROS E CUSTOS EQUIPARADOS 703 - Juros de recursos alheios 7030 - De instituições de crédito no País

Leia mais

CRF/PB. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia da Paraíba CNPJ: 08.338.774/0001-39. Página:1/6

CRF/PB. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia da Paraíba CNPJ: 08.338.774/0001-39. Página:1/6 Conselho Regional de Farmácia da Paraíba CNPJ: 08.338.774/0001-39 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 4.500.00 3.539.976,99 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESAS CORRENTES 3.533.00 955.295,01 955.295,01

Leia mais

Relatório de Gestão 2. Balanço 5. Demonstração de Resultados por Naturezas 7. Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8

Relatório de Gestão 2. Balanço 5. Demonstração de Resultados por Naturezas 7. Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8 ÍNDICE Relatório de Gestão 2 Balanço 5 Demonstração de Resultados por Naturezas 7 Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8 Relatório e Parecer do Conselho Fiscal 20 Certificação Legal das Contas

Leia mais

1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE

1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE PLANO DE CONTAS Associações, Sindicatos e Outras Entidades. 1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE 1.1.1. Disponibilidades 1.1.1.1. Caixa 1.1.1.2. Bancos c/ Movimento 1.1.1.3. Aplicações Financeiras 1.1.2. Créditos

Leia mais

Relatório de Gestão 2. Balanço 5. Demonstração de Resultados por Naturezas 7. Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8

Relatório de Gestão 2. Balanço 5. Demonstração de Resultados por Naturezas 7. Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8 ÍNDICE Relatório de Gestão 2 Balanço 5 Demonstração de Resultados por Naturezas 7 Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8 Relatório e Parecer do Conselho Fiscal 20 Certificação Legal das Contas

Leia mais

a) Notas explicativas às demonstrações contábeis 1 Constituição, objetivo social e contexto operacional

a) Notas explicativas às demonstrações contábeis 1 Constituição, objetivo social e contexto operacional a) Notas explicativas às demonstrações contábeis 1 Constituição, objetivo social e contexto operacional O Conselho Regional de Administração de São Paulo, vinculado ao Conselho Federal de Administração,

Leia mais

22-05-2013 NUNO CASEIRO IPCB/ESA

22-05-2013 NUNO CASEIRO IPCB/ESA NUNO CASEIRO IPCB/ESA 1 Uma ideia não é um negócio!? Tempo Que restaurante? Onde? Para quem? Horário? Tenho uma ideia Um restaurante Como divulgar? O que preciso? Licenciamentos? Que tipo de comida? Horário?

Leia mais

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMOVEIS - 4ª REGIÃO RUA CARIJOS 244 10º ANDAR EDIFICIO WALMAP BELO HORIZONTE-MG Telefone: (31) 3271-6044 Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada Ano do : 2014 : 01/01/2014

Leia mais

Plano de Atividades e Orçamento 2016 UDIPSS SETÚBAL

Plano de Atividades e Orçamento 2016 UDIPSS SETÚBAL Plano de Atividades e Orçamento 2016 ÍNDICE Plano de Atividades e Orçamento 2016 ÍNDICE... 1 1. MENSAGEM DA DIRECÇÃO... 2 2. VISÃO, MISSÃO E VALORES... 3 3. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS (atividades/ações)...

Leia mais

Inovação Produtiva PME

Inovação Produtiva PME Inovação Produtiva PME Objetivos Promover a inovação no tecido empresarial, traduzida na produção de novos, ou significativamente melhorados, bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis diferenciadores

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Gestão de Projectos info@ipn-incubadora.pt +351 239 700 300 BEST SCIENCE BASED INCUBATOR AWARD Incentivos às Empresas Objectivos: - Promoção do up-grade das empresas de PME; - Apoiar

Leia mais

ANEXO. Anexo às Demonstrações Financeiras Individuais Para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014

ANEXO. Anexo às Demonstrações Financeiras Individuais Para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 ANEXO Anexo às Demonstrações Financeiras Individuais Para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 1 - Identificação de entidade: 1.1- Designação da entidade: GATO - Grupo de Ajuda a Toxicodependentes

Leia mais

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 ÌNDICE Principais orientações e dotação orçamental Programas Operacionais e dotação orçamental específica Órgãos de Governação (Decreto-Lei n.º 137/2014 de 12 de setembro)

Leia mais

Novos instrumentos de financiamento. Internacionalização e Qualificação PME

Novos instrumentos de financiamento. Internacionalização e Qualificação PME Novos instrumentos de financiamento Internacionalização e Qualificação PME Internacionalização e Qualificação PME Programas Financiadores Programa Temático: PO Competitividade e Internacionalização Programas

Leia mais

d) Desenvolvimento e engenharia de produtos, serviços e processos melhoria das capacidades de desenvolvimento de produtos, processos e serviços;

d) Desenvolvimento e engenharia de produtos, serviços e processos melhoria das capacidades de desenvolvimento de produtos, processos e serviços; Sistema de Incentivos Qualificação das PME Objetivos e prioridades: Selecionar projetos que visem ações de qualificação de PME em domínios imateriais com o objetivo de promover a competitividade das PME

Leia mais

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 PORTUGAL 2020 Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 ÍNDICE PORTUGAL 2020 A. Principais orientações e dotação orçamental B. Programas Operacionais e dotação orçamental específica C. Regras gerais de aplicação

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira Ano Base: 2012 Demonstrativo da Proposta da Despesa

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira Ano Base: 2012 Demonstrativo da Proposta da Despesa 0100 - ATIVIDADE DE APOIO ADMINISTRATIVO 20780 - Preservação do Patrimônio Público 0001 - Rio Grande do Norte Assegurar os recursos orçamentários necessários à cobertura de despesas com a conservação do

Leia mais

Tabela de deduções à coleta e benefícios fiscais

Tabela de deduções à coleta e benefícios fiscais IRS 2014 Tabela de deduções à e benefícios fiscais Rúbrica Pessoais e familiares i) Contribuinte 427,50 213,75 ii) Famílias monoparentais - 332,50 iii) Dependentes 213,75 213,75 Dependentes

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS DO EXERCÍCIO 2013

PRESTAÇÃO DE CONTAS DO EXERCÍCIO 2013 CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ PRESTAÇÃO DE CONTAS DO EXERCÍCIO 2013 Prestação de Contas do Exercício de 2013 CRM-PR Saldo do exercício de 2012 R$ 5.487.745,60 Arrecadação no exercício de 2013

Leia mais

Programa Operacional Competitividade e Internacionalização

Programa Operacional Competitividade e Internacionalização Programa Operacional Competitividade e Internacionalização Qualificação e Internacionalização das PME PSZ CONSULTING Julho 2015 Índice 1 O que é?... 2 1.1 Enquadramento... 2 1.2 Objetivos Específicos...

Leia mais

INSTRUTIVO N.º 07/2015 de 28 de Maio

INSTRUTIVO N.º 07/2015 de 28 de Maio INSTRUTIVO N.º 07/2015 de 28 de Maio ASSUNTO: CASAS DE CÂMBIO - Regras Operacionais Considerando a necessidade de se adequar as regras operacionais das casas de câmbio, ao efectivo monitoramento do fluxo

Leia mais

REGRAS DE EXECUÇÃO DA DECISÃO N.º 32/2011 RELATIVA AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM DOS DELEGADOS DOS MEMBROS DO CONSELHO

REGRAS DE EXECUÇÃO DA DECISÃO N.º 32/2011 RELATIVA AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM DOS DELEGADOS DOS MEMBROS DO CONSELHO REGRAS DE EXECUÇÃO DA DECISÃO N.º 32/2011 RELATIVA AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM DOS DELEGADOS DOS MEMBROS DO CONSELHO Bruxelas, 1 de Março de 2011 SN 1704/11 1. INTRODUÇÃO O presente documento descreve

Leia mais

1.- INTRODUÇÃO 2.- CARACTERÍSTICAS DOS POSTOS DE TRABALHO TÉCNICO/A GESTOR/A DE PROJETOS

1.- INTRODUÇÃO 2.- CARACTERÍSTICAS DOS POSTOS DE TRABALHO TÉCNICO/A GESTOR/A DE PROJETOS União Europeia FEDER Investimos no seu futuro BASES PARA A CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PARA O SECRETARIADO TÉCNICO CONJUNTO POCTEP : - 2 TÉCNICO/AS GESTORES/AS DE PROJETOS - 1 ANALISTA/PROGRAMADOR/A E - 1 ADMINISTRATIVO/A

Leia mais

Existências. Provisões para cobrança duvidosa

Existências. Provisões para cobrança duvidosa 8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS POR NATUREZA As demonstrações financeiras anexas foram preparadas com base nos livros e registos contabilísticos da ESHTE mantidos em conformidade com

Leia mais

VALORIZAR 2020. Sistema de Incentivos à Valorização e Qualificação Empresarial da Região Autónoma da Madeira 03-06-2015 UNIÃO EUROPEIA

VALORIZAR 2020. Sistema de Incentivos à Valorização e Qualificação Empresarial da Região Autónoma da Madeira 03-06-2015 UNIÃO EUROPEIA VALORIZAR 2020 Sistema de Incentivos à Valorização e Qualificação Empresarial da Região Autónoma da Madeira 03-06-2015 Objetivos Promover a produção de novos ou significativamente melhorados processos

Leia mais

Bem-vindo a sala de aula do curso: SICONV: Pagamentos por OBTV. Facilitador: Fernanda Lyra

Bem-vindo a sala de aula do curso: SICONV: Pagamentos por OBTV. Facilitador: Fernanda Lyra Bem-vindo a sala de aula do curso: SICONV: Pagamentos por OBTV Facilitador: Fernanda Lyra Horário da Aula: 10 de junho de 2013-2ª feira - das 15h às 17h Processo de Compra Qual a diferença de Licitação

Leia mais

ANEXO VIII MODELO PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ANEXO VIII MODELO PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ANEXO VIII MODELO PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS Este Anexo tem por objetivo orientar a elaboração do Plano de Negócios, que compõe a proposta comercial da proponente. O documento deve corresponder

Leia mais

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE I DE SANTA CATARINA - 11ª REGIÃO RUA TRAJANO - 279 - ED. TRAJANUS - 1º E 2º ANDARES - FLORIANÓPOLIS -SC Telefone: (48) 3203-9200 Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada

Leia mais

VENCIMENTOS E SALÁRIOS 567.861,96 567.861,96 561.951,92 CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS - INSS 119.638,04 119.638,04 119.638,04

VENCIMENTOS E SALÁRIOS 567.861,96 567.861,96 561.951,92 CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS - INSS 119.638,04 119.638,04 119.638,04 CAMARA MUNICIPAL DESPESAS CORRENTES PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS 687.500,00 687.500,00 681.589,96 681.589,96 APLICACOES DIRETAS 687.500,00 687.500,00 681.589,96 681.589,96 VENCIMENTOS E SALÁRIOS 567.861,96

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 13.REV1/2011 SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT LIMITES À ELEGIBILIDADE DE DESPESAS, CONDIÇÕES ESPECÍFICAS DE APLICAÇÃO DAS DESPESAS ELEGÍVEIS E METODOLOGIA DE CÁLCULO DAS DESPESAS COM

Leia mais

VALES SIMPLIFICADOS - INTERNACIONALIZAÇÃO, INOVAÇÃO, EMPEENDEDORISMO, E I&D. Condições de Enquadramento

VALES SIMPLIFICADOS - INTERNACIONALIZAÇÃO, INOVAÇÃO, EMPEENDEDORISMO, E I&D. Condições de Enquadramento VALES SIMPLIFICADOS - INTERNACIONALIZAÇÃO, INOVAÇÃO, EMPEENDEDORISMO, E I&D Condições de Enquadramento Portaria nº 57-A/2015 de 27 de Fevereiro de 2015 0 VALES SIMPLIFICADOS - INTERNACIONALIZAÇÃO, INOVAÇÃO,

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PAPPE INTEGRAÇÃO

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PAPPE INTEGRAÇÃO PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PAPPE INTEGRAÇÃO 1. O que é o PAPPE INTEGRAÇÃO? É um Programa de Apoio à Pesquisa para Micro e Empresas de Pequeno Porte com recursos nãoreembolsáveis 2. Qual finalidade do

Leia mais

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO. capacitação e missões empresariais INTERNACIONALIZAÇÃO ESPANHA + FRANÇA COLÔMBIA GUINÉ EQUATORIAL EUA MOÇAMBIQUE CABO VERDE

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO. capacitação e missões empresariais INTERNACIONALIZAÇÃO ESPANHA + FRANÇA COLÔMBIA GUINÉ EQUATORIAL EUA MOÇAMBIQUE CABO VERDE INTERNACIONALIZAÇÃO capacitação e missões empresariais 2015 2016 ESPANHA + FRANÇA COLÔMBIA GUINÉ EQUATORIAL EUA MOÇAMBIQUE CABO VERDE CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO ALEMANHA Promotor CHINA 1 EUA mar.2016 Nova

Leia mais

Sistemas de Incentivos às Empresas

Sistemas de Incentivos às Empresas Programa Temático Competitividade e Internacionalização - POCI Compete 2020 Sistemas de Incentivos às Empresas 1. Qualificação e Internacionalização das PMEs 2. Inovação Empresarial e Empreendedorismo

Leia mais

Associação de Solidariedade Social de Ferrel ORÇAMENTO 2016

Associação de Solidariedade Social de Ferrel ORÇAMENTO 2016 ORÇAMENTO 2016 ORÇAMENTO 2016 DADOS DO ORÇAMENTO Ano económico: 2016 Versão: Inicial Orgão deliberativo (Assembleia geral) Nome Cargo NIF Vitor Manuel Dias Ramos Presidente 204298652 Manuel Fernando Martins

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO-GERAL DO EMPREGO E DOS ASSUNTOS SOCIAIS. Programa de Acção Comunitária de Luta contra a Exclusão Social 2002-2006

COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO-GERAL DO EMPREGO E DOS ASSUNTOS SOCIAIS. Programa de Acção Comunitária de Luta contra a Exclusão Social 2002-2006 COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO-GERAL DO EMPREGO E DOS ASSUNTOS SOCIAIS Segurança Social e Integração Social Segurança social e políticas de inclusão Programa de Acção Comunitária de Luta contra a Exclusão

Leia mais

ANEXO C.1. Formulário de Apresentação de Projetos das Empresas

ANEXO C.1. Formulário de Apresentação de Projetos das Empresas Proposta de Projeto ANEXO C.1 Formulário de Apresentação de Projetos das Empresas Carta de Encaminhamento Ao (Nome do Agente Financeiro) Encaminhamos, em anexo, a proposta do projeto ao programa INOVACRED.

Leia mais

ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA

ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA ANO : 2012 ÍNDICE 1 - Identificação da entidade 1.1 Dados de identificação 2 - Referencial contabilístico de preparação das

Leia mais

Domínio Competitividade e Internacionalização. Sistemas de incentivos às empresas

Domínio Competitividade e Internacionalização. Sistemas de incentivos às empresas Sistemas de incentivos às empresas ACIBTM/In.Cubo 6 de julho 2015 P. O. financiadores Domínio Competitividade e OBJETIVO: Criação de riqueza e de emprego através da melhoria da competitividade das empresas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP Instrução nº 2552 Dispõe sobre o ressarcimento de diárias e transporte aos Senhores Funcionários, quando em viagem a serviço, reuniões, eventos e treinamentos dentro e fora do Estado, formalmente convocados

Leia mais

ORÇAMENTO DA DESPESA

ORÇAMENTO DA DESPESA 01 00 00 Administração Autárquica DESPESAS CORRENTES 01 Despesas com o pessoal 255.313,99 01 01 Remunerações certas e permanentes 176.770,19 01 01 01 Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos

Leia mais

Orientações para Trâmites dos Projetos com recursos da UDESC

Orientações para Trâmites dos Projetos com recursos da UDESC Orientações para Trâmites dos Projetos com recursos da UDESC 1. Introdução Serão considerados projetos com recursos da UDESC para fins destas orientações aqueles que integram: 1.1 Programa de Apoio à Pesquisa

Leia mais

COREN/BA. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Enfermagem da Bahia CNPJ: 15.679.277/0001-60. Página:1/5

COREN/BA. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Enfermagem da Bahia CNPJ: 15.679.277/0001-60. Página:1/5 Conselho Regional de Enfermagem da Bahia CNPJ: 15.679.277/0001-60 Comparativo da Paga 6.2.2.1.1 - CRÉDITO DISPONÍVEL - DESPESAS CORRENTES 15.929.386,19 14.609.228,50 14.609.228,50 1.320.157,69 6.2.2.1.1.31

Leia mais

NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS

NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS Nota introdutória As demonstrações financeiras relativas ao exercício, foram preparadas de acordo com os princípios contabilísticos geralmente aceites previstos

Leia mais

ÍNDICE. 1. Introdução. 2. Principais Vantagens do Aluguer Operacional. Guia Contabilístico e Fiscal do Renting

ÍNDICE. 1. Introdução. 2. Principais Vantagens do Aluguer Operacional. Guia Contabilístico e Fiscal do Renting ÍNDICE 1. Introdução 2. Principais Vantagens do Aluguer Operacional 3. Normas Contabilísticas e de Relato Financeiro 9 (NCRF 9) 4. Regime Contabilístico Locatário 5. Regime Fiscal - Locatário 6. Quadro

Leia mais

http://www.lgncontabil.com.br/

http://www.lgncontabil.com.br/ ATIVO IMOBILIZADO Considerações Gerais Sumário 1. Conceito 2. Classificação Contábil Das Contas do Ativo Imobilizado 3. Imobilizado em Operação 3.1 - Terrenos 3.2 - Edificações 3.3 - Instalações 3.4 -

Leia mais

Orientações para justificação de despesas de Encargos Gerais no âmbito de projetos

Orientações para justificação de despesas de Encargos Gerais no âmbito de projetos Orientações para justificação de despesas de Encargos Gerais no âmbito de projetos 1. Introdução As despesas de Encargos Gerais (EG) são despesas que decorrem do normal funcionamento da instituição e são

Leia mais

Ano 2011, Número 215 Brasília, quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Ano 2011, Número 215 Brasília, quarta-feira, 16 de novembro de 2011 Página 2 DIRETORIA-GERAL Atos do Diretor-Geral Portaria Plano de Contas dos Partidos Políticos Republicação da Portaria TSE nº 521, de 18 de outubro de 2011, em virtude de incorreções materiais. PORTARIA

Leia mais

Programa Gulbenkian Inovar em Saúde

Programa Gulbenkian Inovar em Saúde REGULAMENTO DO CONCURSO Concurso para financiamento de projetos em Literacia em Saúde 2013 Artigo 1º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas de acesso ao concurso para financiamento de projetos

Leia mais

Inovação Empreendedorismo Qualificado e Criativo

Inovação Empreendedorismo Qualificado e Criativo Inovação Empreendedorismo Qualificado e Criativo Objetivos Promover o empreendedorismo qualificado e criativo Tipologias de Projetos 1. São suscetíveis de financiamento os projetos das PME, com menos de

Leia mais

Programa de Educação Tutorial - PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET

Programa de Educação Tutorial - PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET LEGISLAÇÃO Lei nº11.180/2005 O professor tutor, de acordo com o 1º do art. 12 da Lei n o 11.180/2005, receberá semestralmente um montante de recursos equivalente

Leia mais

SIND-UFLA SIND. TEC. ADM. EDUC. INSTIUIÇÕES FED. DE ENSINO DE LAVRAS BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31/12/2014 A T I V O

SIND-UFLA SIND. TEC. ADM. EDUC. INSTIUIÇÕES FED. DE ENSINO DE LAVRAS BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31/12/2014 A T I V O SIND-UFLA SIND. TEC. ADM. EDUC. INSTIUIÇÕES FED. DE ENSINO DE BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31/12/2014 ATIVO CIRCULANTE A T I V O DISPONIVEL Banco c/ Movimento 10.043,15 10.043,15 OUTROS CRÉDITOS Adiantamentos

Leia mais

L 61/28 Jornal Oficial da União Europeia 8.3.2011

L 61/28 Jornal Oficial da União Europeia 8.3.2011 L 61/28 Jornal Oficial da União Europeia 8.3.2011 DECISÃO DA COMISSÃO de 2 de Março de 2011 que altera a Decisão 2008/456/CE, que estabelece normas de execução da Decisão n. o 574/2007/CE do Parlamento

Leia mais

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento;

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento; CAPÍTULO : 10 - Viagens Internacionais, Cartões de Uso Internacional e Transferências Postais SEÇÃO : 1 - Viagens Internacionais 1. Esta seção trata das compras e das vendas de moeda estrangeira, inclusive

Leia mais

Norma de Procedimentos

Norma de Procedimentos FEADER A Europa investe nas zonas rurais Governo dos Açores Norma de Procedimentos Acção 3.2.1 Serviços Básicos para a Economia e Populações Rurais 2011 A CONSULTA DESTA NORMA NÃO DISPENSA A CONSULTA DA

Leia mais

ORÇAMENTO PARA O ANO 2010 - Receita

ORÇAMENTO PARA O ANO 2010 - Receita ORÇAMENTO PARA O ANO 200 - Receita 0 Impostos directos 002 Outros 00202 Imposto municipal sobre imóveis 26.548.49 00203 Imposto único de circulação 6.4.999 00204 Imposto municipal s/ transacções onerosas

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 13.REV2/2013 SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT LIMITES À ELEGIBILIDADE DE DESPESAS, CONDIÇÕES ESPECÍFICAS DE APLICAÇÃO DAS DESPESAS ELEGÍVEIS E METODOLOGIA DE CÁLCULO DAS DESPESAS COM

Leia mais

ESTIMATIVA DE CUSTOS - APOIO SEDE AABG E SEDE COMITÊ

ESTIMATIVA DE CUSTOS - APOIO SEDE AABG E SEDE COMITÊ ESTIMATIVA DE CUSTOS - APOIO SEDE AABG E SEDE COMITÊ Item ESPECIFICAÇÃO REMUNERAÇÃO CUSTOS (R$) MENSAL R$ R$ A partir do 2º ano 1 RECURSOS HUMANOS SEDE AABG ARGA HORÁRIA MENSA HORAS 349.232,99 364.948,47

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 1 (DESPESAS ELEGÍVEIS)

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 1 (DESPESAS ELEGÍVEIS) ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 1 (DESPESAS ELEGÍVEIS) SISTEMA DE APOIO ÀS TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO AVISO NORTE - 46-2015 - 03 PROMOÇÃO DO ESPÍRITO EMPRESARIAL AVISO NORTE - 51-2015

Leia mais

1 - Identificação da entidade

1 - Identificação da entidade ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS DO EXERCÍCIO DE 2014 ATAS Apartamentos Turísticos Amorim Santos, Lda 1 - Identificação da entidade 1.1 Designação da entidade: Apartamentos Turísticos Amorim

Leia mais