Alterações fiscais em vigor em 1 de Janeiro de 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Alterações fiscais em vigor em 1 de Janeiro de 2013"

Transcrição

1 Alterações fiscais em vigr em 1 de Janeir de

2 Cnteúd 1. Intrduçã Breve referência às alterações mais relevantes e/u inseridas n âmbit d ERP eticatata Decret-Lei 197/ Decret-Lei 198/ Sbretaxa de IRS Alterações n âmbit d Decret-Lei 197/ Unifrmizaçã de menções relativas as regimes especiais e de isençã de IVA Regimes especiais de IVA Regimes de Isençã d IVA Increments funcinais n ERP eticadata Obrigaçã de emissã da factura (artº 29º, nº 1, alínea b) C/IVA) Emissã brigatória da factura Funcinament n ERP eticadata Intrduçã de dcuments rectificativs de factura Dcuments rectificativs de factura - Funcinament n ERP eticadata Emissã da factura ns adiantaments Dcuments de regularizaçã de adiantaments Anulaçã de Dcuments Factura Interdiçã de emissã de dcuments diferentes de factura para titular perações tributáveis Quais s dcuments a suprimir? Sluçã a prpr n ERP eticadata Facturas simplificadas Situações em que é pssível a emissã de faturas simplificadas Situações em que nã é pssível a emissã de faturas simplificadas Diferenças entre a fatura simplificada e a fatura Direit à deduçã d impst Funcinament n ERP eticadata Identificaçã da entidade adquirente Alteraçã n ERP eticadata Alterações n âmbit d Decret-Lei 198/ Cmunicaçã ds elements das facturas

3 4.1.1 Cnfiguraçã prévia ds dcuments a exprtar para SAF-T PT Geraçã e submissã d ficheir SAF-T PT Utilitári para preparaçã das alterações fiscais em vigr em 1 de Janeir de Cnfiguraçã e execuçã manual Execuçã a abrir a empresa n exercíci de Alterações ns Recurss Humans Legislaçã fiscal Base de Incidência da sbretaxa Aplicaçã da sbretaxa Mment da retençã Funcinament n ERP eticadata Cnfiguraçã (Sbretaxa) Cnfiguraçã (Pagament de metade ds subsídis de Férias de Natal pr dudécims) Prcessament Calcul de metade ds subsídis de Férias e de Natal pr dudécims Prcessament sbretaxa Cass prátics Declaraçã Mensal de Remunerações (AT) Mapas e Listagens existentes Ligaçã a utrs móduls Licenciament Legislaçã

4 1. Intrduçã Os Decrets-Lei 197 e 198/2012, intrduziram diversas alterações a códig d IVA, códig d IRC e códig de IRS, tend cm bjectiv, unifrmizar n plan da Uniã Eurpeia prcesss e menções referentes as regimes de tributaçã e cmbate à fraude e evasã fiscais. Algumas das alterações nã têm relevância em terms peracinais nas aplicações, utras requereram ajustes a nível da cnfiguraçã e ainda utras necessitaram de increments funcinais, cm bjectiv de melhrar a sua peracinalidade face à nva realidade fiscal. N que respeita a Decret-Lei 198/2012, e a seu artig 7º (Alteraçã a anex d Decret -Lei n.º 147/2003, de 11 de Julh Bens em circulaçã), a Prpsta de Lei d Orçament de Estad para 2013, já aprvada pela AR, refere adiament desta medida para 1 de Mai de Essa mesma Prpsta de Lei, refere também acréscim de uma sbretaxa de IRS a aplicar as rendiments d trabalh pr cnta de utrem, send a sua base de cálcul, na essência, semelhante a que fi aplicad em 2011, variand mment da retençã e cnsequentemente a fórmula a aplicar. Cm medida para atenuar efeit d aument de impsts fi recentemente aprvad pela Assembleia da Republica, pagament de metade ds subsídis de natal e de férias pr dudécims, faltand, à data de publicaçã deste dcument, a sua prmulgaçã pel Presidente de República. 4

5 2. Breve referência às alterações mais relevantes e/u inseridas n âmbit d ERP eticatata 2.1 Decret-Lei 197/2012 Substituiçã da expressã factura u dcument equivalente pr fatura Unifrmizaçã de menções relativas as regimes especiais de IVA Obrigaçã de emissã da factura (artº 29º, nº 1, alínea b) C/IVA) e emissã de dcuments rectificativs de factura Interdiçã de emissã de dcuments diferentes de factura para titular perações tributáveis Intrduçã das facturas simplificadas e a pribiçã da emissã ds talões de venda 2.2 Decret-Lei 198/2012 Cmunicaçã ds elements das facturas Pr transmissã electrónica em temp real (Facturaçã electrónica) Pela extracçã de infrmaçã a partir d ficheir SAF-T PT, a enviar até a dia 25 d mês seguinte Aplicável a tdas as empresas except as que se encntram n regime de isençã de IVA u cm actividade isenta Entrada em vigr em 1 de Janeir de 2013 Cmunicaçã prévia ds elements cnstantes ds dcuments de transprte Aplicável as sujeits passivs cm vlume de negócis, para efeits de IRC u IRS, superir a Entrada em vigr em 1 de Mai de Sbretaxa de IRS Sbretaxa de IRS prevista n Orçament de Estad para 2013 (Decret AR nº 100/XII) Aplicada a prcessament mensal Aplicada a prcessament pr dudécims 5

6 3. Alterações n âmbit d Decret-Lei 197/ Unifrmizaçã de menções relativas as regimes especiais e de isençã de IVA Regimes especiais de IVA Nas situações de elabraçã de facturas pr parte d adquirente ds bens u serviçs passa ser brigatóri a mençã Autfacturaçã Nas situações de inversã d sujeit passiv, deverá ser alterada a designaçã IVA devid pel adquirente para IVA autliquidaçã Ns regimes especiais de exigibilidade d IVA (empreitadas e subempreitadas de bras públicas, cperativas agríclas e serviçs de transprte rdviári nacinal de mercadrias), deverá ser alterada a expressã IVA devid e exigível n pagament para Exigibilidade de caixa N regime especial de tributaçã ds bens em segunda mã, bjects de arte, de clecçã e antiguidades, passa a ser brigatórias as seguintes menções: Regime da margem de lucr Bens em segunda mã Regime da margem de lucr Objets de arte Regime da margem de lucr Objets de clecçã e antiguidades N regime especial d ur para investiment, passa a ser brigatória a mençã IVA autliquidaçã 6

7 3.1.2 Regimes de Isençã d IVA O dcument publicad n prtal das finanças cm as especificações de interface para cmunicaçã ds dads das facturas, apresenta uma tabela cm s mtivs de isençã d IVA, cm a descriçã unifrmizada das menções a clcar ns dcuments facturas, cnsante cenári de isençã em causa. Apesar desta especificaçã estar assciada à cmunicaçã ds elements das facturas, via directa e aplicável (actualmente) a prgramas de facturaçã electrónica, cnsideru-se imprtante adptar estas terminlgias, cm um standard n ERP eticadata. 7

8 3.1.3 Increments funcinais n ERP eticadata Ns tips de dcuments, em valres pr defeit, prcedeu-se às seguintes alterações: Acrescid camp Text IVA exigível. Anterirmente esta infrmaçã era inserida de frma implícita pel reprt de venda. O prcess de actualizaçã de dads altera s descritivs cm as nvas menções para s regimes especiais, ns dcuments em que fr aplicável. Na janela de intrduçã de vendas, passam a ser dispnibilizads s descritivs ds mtivs de isençã d IVA, de acrd cm a tabela atrás referida. Esta infrmaçã encntra-se na empresa base, send também dispnibilizada em nvas empresas criadas. 8

9 3.2 Obrigaçã de emissã da factura (artº 29º, nº 1, alínea b) C/IVA) Emissã brigatória da factura A emissã de factura passa a ser brigatória para tdas as transmissões de bens e prestações de serviçs sujeitas a IVA, independentemente da qualidade d adquirente, ainda que este nã a slicite. De acrd cm númer 15 d artig 36º d CIVA, a indicaçã na factura da identificaçã e d dmicíli d adquirente u destinatári que nã seja sujeit passiv, nã é brigatória nas facturas de valr igual u inferir a 1.000, salv quand adquirente slicite essa infrmaçã Funcinament n ERP eticadata Para este prpósit, n ERP eticadata V9, nã fi criad cntrl adicinal para este efeit, mantend cmprtament existente que se recrda. N ERP Backffice nã existe frma natural de cntrlar limite para emissã ds dcuments u para identificaçã d adquirente, tend esse cntrl de ser efectuad manualmente pel peradr u através uma custmizaçã. N POS Frnt Office, é pssível efectuar algum cntrl, através d valr mínim para a emissã de uma factura recib que brigue à identificaçã d adquirente, send essa infrmaçã cnfigurada na ficha da empresa. De acrd cm Ofíci circulad 30141/2013, de 4 de Janeir, mntante a indicar deverá ser antes de IVA. 9

10 Na cnfiguraçã d pst deverá ser indicad, cm dcument de venda a dinheir, um dcument que brigue a preenchiment da entidade. Ou seja, dcument de Venda, será dcument limitad em valr, e, cas ultrapasse mntante indicad na empresa, a venda será efectuada através d dcument indicad n camp Venda a dinheir. Cm esse dcument briga a preenchiment d cliente, a aplicaçã irá rientar peradr para prceder seu preenchiment. Nta: N ERP eticadata V12, fi implementad cntrl pr dcument. 10

11 3.2.3 Intrduçã de dcuments rectificativs de factura É aplicad quand valr tributável de uma peraçã u impst crrespndente à factura sejam alterads pr qualquer mtiv, incluíd inexactidã. Os dcuments a emitir deverã ser guias u ntas de devluçã u utrs dcuments rectificativs de facturas, tais cm ntas de débit u ntas de crédit. Ns terms da nva redacçã d nº6 d artig 36º, as guias e ntas de devluçã u utrs dcuments rectificativs de facturas, para além da data, da numeraçã sequencial e ds elements identificativs das entidades (frnecedr e cliente), deverã cnter referência à factura u facturas que estã a ser bject de crrecçã, bem cm referência às menções que estã a ser bject de alteraçã. Ns cass em que na cncessã de descnts d tip rappel nã seja viável a indicaçã ds dcuments a que reprta, para além d mntante d descnt e d IVA, se aplicável, deverá ser indicad, em sua substituiçã, períd tempral a que respeita esse descnt (Ofíci circulad 30141/2013, de 4 de Janeir - esclareciment cmplementar da Autridade Tributária). É também impedid us das ntas de débit u ntas de crédit que nã sejam para fins de crrecçã de elements das facturas, pel que, a facturaçã de qualquer transmissã de bens u prestaçã de serviçs, pr exempl, débit de jurs u venda de bens de investiment, deverá de ser frmalizada cm um dcument factura Dcuments rectificativs de factura - Funcinament n ERP eticadata O utilizadr tipicamente clca essa infrmaçã em linhas de text, n entant, em rigr, essa infrmaçã terá de cnstar num lcal passível de exprtaçã para SAF-T PT. N ERP eticadata, a aplicaçã já dava suprte este requisit cas a nta de crédit fsse emitida pr duplicaçã de dcument, e se ptasse pr estabelecer relacinament cm dcument rigem. Nã bstante, entendeu-se estender a funcinalidade cm acréscim de um nv camp na janela de intrduçã de dcuments de vendas, para indicar pr linha dcument u dcuments a que reprta. 11

12 Este camp é preenchid das seguintes frmas: Através da pçã de duplicaçã de dcuments, desde que seleccinada a pçã de relacinament (é indiferente se dcument rigem e destin sã de natureza cntrária). Pr inserçã ds númers manualmente pel peradr. Refira-se a imprtância da indicaçã mais aprximada pssível da chave d dcument (AbrevdcSecNum), uma vez que a nva versã SAF-T PT, publicada na Prtaria 382/2012, requererá a infrmaçã nesses mldes. Na V12 existe um cntrl mais efectiv deste prcess. Fi criad nv reprt ns frmats.rpt e.rdl para impressã de Ntas de Crédit, designad pr VndDcumentRetificativ de frma a pder apresentar a infrmaçã da nva cluna. 12

13 N POS e POS Gurmet fram também revists s prcesss em cnfrmidade Quand fr slicitada uma peraçã de devluçã, a aplicaçã apresentará uma lista para identificar dcument em causa. Depis de seleccinad dcument, camp Dcument a que reprta ficará cm a infrmaçã da chave d dcument anterirmente seleccinad. A lista de selecçã deixu de ser pcinal, para licenças cuj país sede da empresa seja Prtugal. O bjectiv é que camp cntenha a infrmaçã mais rigrsa pssível, nã só para impressã, cm para efeits de cmunicaçã ds dads a partir d ficheir SAF-T-PT. Infrmaçã adicinal que passa a cnstar na linha d dcument O reprt VDEV.cfdc fi ajustad de frma a cntemplar a infrmaçã d nv camp. 13

14 Geraçã / alteraçã de dcuments a partir de utrs móduls A geraçã de dcuments d tip nta de débit u de crédit, a partir de utrs móduls, ns terms da nva redacçã, nã será aplicável, já que qualquer ds prcesss que gera dcuments de vendas nã tem prpósit de crrecçã de dcuments d tip factura. Em cnsequência, ns stands, na janela de prcesss, para retma de viaturas, deixa de ser pssível emitir dcuments d tip nta de crédit, para titular essa retma, passand a ser pssível apenas gerar dcuments interns (*), que permitirá a descarga para utrs móduls, incluind para as cntas crrentes. Os dcuments já emitids, manter-se-ã, já que a alteraçã apenas afectará nvs regists. De ntar que para a frmalizaçã da retma será suficiente a declaraçã de venda, devidamente assinada pel prprietári da viatura. (*) Dcument intern Tip entidade cliente, nã afecta vlume vendas, natureza a crédit, afecta cnta crrente e nã apresentar a cliente. O prcess de geraçã d SAF-T PT passu a cntemplar a infrmaçã deste camp cm CreditNtes\References, na secçã SurceDcuments. 14

15 3.2.5 Emissã da factura ns adiantaments A emissã da factura é também brigatória ns adiantaments em que a exigibilidade d impst crre n mment d recebiment d pagament, pel mntante recebid. N ERP eticadata, dcument emitid já cumpre s requisits de factura e é exprtad para SAF-T PT, cntud, será necessári bservar as alterações às designações ds dcuments, impstas pel diplma, nde neste cas pderá designar-se, pr exempl, Factura - Adiantament Dcuments de regularizaçã de adiantaments Para dar cumpriment a nv dispst legal, s dcuments de regularizaçã de adiantaments passam a ter natureza de ntas de crédit e terã de ser entregues a cliente. Pr inerência, têm de passar pel prcess de certificaçã. O bjectiv deste dcument é prceder à regularizaçã cntabilística e fiscal d adiantament efectuad pr cnta de determinada venda, n mment da emissã da factura pr cnta da transmissã ds bens e/u da prestaçã ds serviçs. Desta frma, a sua emissã trna-se de primrdial imprtância, uma vez que será mei de frmalizar esta peraçã. As alterações efectuadas passaram pel seguinte: Ns tips de dcuments de liquidações, passa a estar dispnível a indicaçã Apresentar a cliente Estes dcuments devem ter a indicaçã para apresentar a cliente, de frma a pder cumprir s requisits de certificaçã e pssam cnstar d SAF-T PT. A emissã deste dcument é efectuada n mment da emissã de factura que titula a transmissã ds bens u da prestaçã de serviçs, tal cm já era cnhecida. 15

16 Tal cm já crria nesta janela, prcede-se à selecçã da factura de adiantament, cuj valr a regularizar nã pderá ser superir a valr da factura em causa. 16

17 O reprt fi ajustad de md a cumprir s requisits de factura e da certificaçã. Tal cm qualquer nta de crédit, para efeits de regularizaçã de IVA, uma via deste dcument terá de ser assinada pel adquirente. A reprt d dcument factura fi retirada a secçã relativa à regularizaçã de adiantaments, devid à emissã de um dcument ficial para efeit. Pr esse mtiv, a partir desta versã a emissã ds dcuments de regularizaçã, nã necessita de ser efectuada n mment da geraçã da factura, na prática, é repst cmprtament anterir a da certificaçã, que permitia efectuar a regularizaçã psterirmente à geraçã d dcument de venda. N POS cmprtament é semelhante a referid neste capítul para ERP. Dcuments de regularizaçã gerads pr utrs prcesss Os módul de Stands e de Renta-car, também geram dcuments de regularizaçã de adiantaments e passaram a ter mesm cmprtament d referid para a cmercial. Exprtaçã para SAF-T Os dcuments Ntas de Crédit relativs à regularizaçã de adiantaments, passam a ser exprtads para SAF-T PT, tend de ser cnfigurads cm tip dc SAF-T respectiv (n cas nta de crédit), tal cm qualquer utr dcument. 17

18 3.2.7 Anulaçã de Dcuments Factura Em cnfrmidade cm referid n pnt (Intrduçã de dcuments rectificativs de factura), é impedid recurs à anulaçã pela criaçã de um nv dcument, para alterar valr tributável u valr d IVA, cntinuand, n entant, a ser pssível esta peraçã, quand alterada utra infrmaçã fiscalmente relevante. Assim: Apesar desta indicaçã, as janelas de intrduçã de vendas e d POS frnt Office, vã cntinuar a manter a pçã dispnível, prque, além d cariz discutível desta acçã - pderá depender se dcument fi u nã entregue (?); esta pçã pderá ser usada para prceder à crrecçã de utrs elements fiscalmente relevantes, ficand pr iss a critéri/respnsabilidade d utilizadr essa decisã. Nutrs prcesss que geram vendas que permitam a alteraçã de dcuments, a aplicaçã passu a impedir a geraçã de dcuments cm anulaçã d existente, uma vez que nã é pssível cntrlar mtiv da crrecçã dcument. Será emitid a utilizadr um avis impeditiv, send que essa alteraçã terá de passar pela emissã de um dcument rectificativ de factura, através da janela de intrduçã de vendas u pel POS, cuja frma de funcinament encntra-se explicada n capítul anterir. Os pnts na aplicaçã que passaram a ter esta validaçã impeditiva sã s seguintes: Janela entrega / facturaçã das ficinas Janela de prcesss de stands Janela de prcesss rent-a-car Nta: Está em fase de análise a criaçã de um mecanism na V12 para autmatizar esta peraçã, funcinalidade que será dispnibilizada através de um fix. 3.3 Interdiçã de emissã de dcuments diferentes de factura para titular perações tributáveis Deixa de ser pssível a emissã de dcuments equivalentes (ntas de débit, ntas de lançament, vendas a dinheir entre utras) para titular a transmissã de bens u prestações de serviçs tributáveis em sede de IVA Quais s dcuments a suprimir? Esta alteraçã implicará a supressã de designações de dcuments d tip Vendas a dinheir, Talã de Venda, Ntas de lançament quand usadas para este fim. 18

19 3.3.2 Sluçã a prpr n ERP eticadata Cnsiderand que s dcuments terã de cnter a designaçã fatura u fatura simplificada, ter-se de adptar descritivs que vã de encntr a esse requisit legal. Assim, embra sem cnfirmaçã ficial da entidade cmpetente, mas analisada a dcumentaçã até a mment dispnível, e uvids alguns técnics especializads nesta matéria, será razável assumir alguns sufixs, nmeadamente para a designaçã fatura, de md a permitir a adquirente identificar dcument nã só cm justificativ da transmissã ds bens u da prestaçã de serviçs, mas também cm d seu pagament. Deste md, e, apesar d esclareciment d fíci circulad 30141/2013, nde apenas prevê a adpçã da designaçã factura - recib, mantems mesm entendiment acerca deste assunt, pel que, algumas das designações interditas, pderã ser substituídas de acrd cm seguinte: Designaçã actual Nta de Lançament Vendas a dinheir Recib de adiantament Regularizaçã Adiantament Nva designaçã Fatura Fatura Recib u Fatura a prnt Fatura Adiantament Nta de Crédit Reg.Adiant. Nã bstante, a decisã sbre as designações a adptar, será sempre da respnsabilidade d utilizadr. N ERP eticadada, utilizadr terá de decidir se pretende criar nvs tips de dcument, u alterar a designaçã, já que estrutura de dads da aplicaçã eticadata permitirá essas duas pssibilidades. Deixa-se, pis, a critéri d utilizadr a decisã que lhe sugerir mair cnfrt. 3.4 Facturas simplificadas O artig 40º d CIVA (que previa a dispensa da brigaçã de emissã de facturas e a brigatriedade de emissã de talões de venda), fi alterad, deixand de ser pssível a dispensa de facturaçã, e, cnsequentemente, a emissã de talã de venda. Deste md, passa a ser brigatória a emissã de factura, pdend, n entant em determinadas cndições ser emitida uma fatura simplicada Situações em que é pssível a emissã de faturas simplificadas Nas transmissões de bens efectuadas pr retalhistas u vendedres ambulantes a adquirentes nã sujeits passivs, quand valr da factura nã seja superir a Nutras transmissões de bens e prestações de serviçs em que mntante da factura nã seja superir a 100 (send indiferente se destinatári é u nã sujeit passiv). De acrd cm Ofíci circulad 30141/2013, de 4 de Janeir, mntante cnsiderad deverá ser antes de IVA. 19

20 3.4.2 Situações em que nã é pssível a emissã de faturas simplificadas Além das exclusões que se pdem inferir, referidas n pnt anterir, nã é pssível a emissã de facturas simplificadas também ns seguintes cenáris: Quand preenchid nme e mrada d adquirente Quand fr necessári indicar mtiv justificativ da nã aplicaçã d impst Quand fr necessári indicar a data em que s bens fram clcads à dispsiçã d adquirente u s serviçs realizads, se essa data nã cincidir cm a da respectiva emissã Diferenças entre a fatura simplificada e a fatura As diferenças têm a ver cm s elements que devem cnstar em cada uma delas. Assim, nas facturas simplificadas: Os dads d adquirente resumem-se a NIF, nã send pssível, segund indicaçã d fíci circulad 30136/2012, preenchiment d nme e dmicíli d adquirente Apenas é brigatóri preenchiment d nme u denminaçã scial d frnecedr e NIF, nã send necessári dmicíli Existe simplificaçã da designaçã ds bens u serviçs ns dads a apresentar O impst pde ser incluíd n preç final, mas nas facturas esta pssibilidade apenas é aplicável nas emitidas pr retalhistas e prestadres de serviçs Direit à deduçã d impst As facturas simplificadas cnferem direit à deduçã d impst previst n artig 19º e seguintes d códig d IVA, quand emitidas pr sujeits passivs e desde que cntenham s elements exigids, nmeadamente NIF d adquirente Funcinament n ERP eticadata Para este prpósit, n ERP eticadata V9, nã fi criad cntrl adicinal. Cnsulte pnt para ver as pções pssíveis. 20

21 3.5 Identificaçã da entidade adquirente Alteraçã n ERP eticadata Para dar respsta às alterações verificadas n DL 197/2012, nmeadamente as seus artigs 36º e 40º, prcedeu-se à alteraçã das janelas de intrduçã de dcuments de vendas e regist de clientes, tend ficad cm seguinte cmprtament: Janelas de intrduçã de dcuments de vendas (Frnt Office e ERP - backffice) Passa a ser permitida a inserçã d NIF sem que seja requerida a identificaçã da entidade e d seu dmicíli Cas seja preenchid NIF e nme, será requerid preenchiment da restante infrmaçã Passa a ter validaçã impeditiva a nã intrduçã de um NIF válid. N cas de NIF s estrangeirs, deve ser indicad n iníci d camp a abreviatura d respectiv país. Janelas de ediçã de tabelas de entidades Clientes e Clientes (Frnt Office). Passa a ter validaçã impeditiva a nã intrduçã de um NIF válid, se entidade pertencer a mercad nacinal. N cas de NIF s estrangeirs, deve ser indicad n iníci d camp a abreviatura d respectiv país. As alterações referidas apenas afectam licenças cuja empresa cntenha país sede Prtugal. 21

22 4. Alterações n âmbit d Decret-Lei 198/2012 Este diplma vei cncretizar a autrizaçã legislativa cncedida a Gvern pel artig 172º da Lei 64- B/2011, de 30 de Dezembr, que aprvu Orçament de Estad para 2012, instituind mecanisms para prceder à cmunicaçã ds elements das facturas e utrs dcuments cm relevância fiscal. A frma dispnível n ERP eticadata, para prestar essa infrmaçã declarativa, é pr via d utilitári de Exprtaçã SAF-T PT - Prtaria 1192/2009, previst na alínea b), númer 1, artig 3º d DL 198/2012, de 24 de Agst. 4.1 Cmunicaçã ds elements das facturas Para dar cumpriment a este requisit utilizadr terá de ter em atençã seguinte: Cnfiguraçã prévia ds dcuments a exprtar para SAF-T PT Antes de prceder à exprtaçã, utilizadr deverá rever as parametrizações ds tips de dcuments, nde para cada dcument deverá ser feita a respectiva crrespndência a dcument SAF-T PT. Esta tipificaçã é gerida pr versã e inferida em cntext cm exercíci abert, de md a que as parametrizações d exercíci de 2013 sejam diferentes das ds exercícis anterires. 22

23 N cas das facturas simplificadas, e até à entrada em vigr da nva estrutura SAF-T PT (prevista para 1 de Mai de 2013), deverã ter a crrespndência de Factura (FT) Para efeits de cmunicaçã ds elements das facturas, através d SAF-T PT, nã serã aceites s seguintes tips de dcuments SAF-T PT: Talã de Venda (TV) Talã de Devluçã (TD) Venda a Dinheir e Factura/Recib (VD) Geraçã e submissã d ficheir SAF-T PT Para efeits de cmunicaçã ds elements da factura a que respeita artig 3º d DL 198/2012, utilizadr terá de recrrer-se a prcess tradicinal de exprtaçã d SAF-T PT, estand previst, cntud, futuramente na V12 desenvlviment de uma pçã específica, que irá gerar uma versã d ficheir mais simplificada. Depis de cncluída a cnfiguraçã, mensalmente utilizadr deverá gerar ficheir, tend em cnsideraçã seguinte: O cnteúd de dads a exprtar deverá ser Facturaçã, pçã que cntém a infrmaçã necessária, e gerará um ficheir mens vlums. As datas a indicar deverã crrespnder a interval de um mês, embra, em funçã d vlume de dads, utilizadr pssa gerar e submeter ficheirs cm intervals de datas mais reduzids. N cas de filiais, se a infrmaçã estiver integrada, deverá exprtar apenas a partir d pnt integradr (sede). 23

24 Nta: Se a infrmaçã nã estiver integrada, a exprtaçã terá de ser gerada individualmente pr filial, mas tend em atençã, que a chave d dcument, cmpsta pr Sec AbrevtpDc/númer, terá de ser distinta pr cada um desses lcais a fim de evitar a duplicaçã ds dcuments. Depis de gerad ficheir este terá de ser submetid através d prtal da AT (Autridade Tributária e Aduaneira), n site E - FACTURA Exempl de um ficheir verificad pel E-FACTURA e prnt a submeter 24

25 5. Utilitári para preparaçã das alterações fiscais em vigr em 1 de Janeir de 2013 A necessidade de preparaçã de diversas cnfigurações para que sistema n iníci de 2013 pssa respnder às exigências fiscais, anterirmente abrdadas, também prque a capacidade de respsta para prestar serviç as utilizadres em temp útil, é um factr determinante para a realizaçã desta acçã, a eticadata desenvlveu um utilitári que permite pr antecipaçã a utilizadr efectuar um cnjunt de cnfigurações para entrar em vigr em determinad mment. Este utilitári cntempla as seguintes características: Unifrmizaçã de menções relativas as regimes especiais de IVA (apenas regime de inversã d sujeit passiv) Alteraçã das designações ds dcuments que nã estejam cnfrme cm nv diplma Pssibilidade de criaçã de dcuments em substituiçã ds existentes, reflectind s nvs dcuments nas dependências d anterir dcument Classificaçã ds tips de dcument cm códig de dcument SAF-T PT de acrd cm s requisits d DL 198/2012, d seu artig 3º (Cmunicaçã ds elements das facturas) Pssibilidade de execuçã diferida de frma autmática 5.1 Cnfiguraçã e execuçã manual As pré-cnfigurações sã efectuadas n Administradr, pçã Parametrizações \ Parametrizar alterações fiscais Nesta janela é apresentada a lista de empresas, send a parametrizaçã efectuada individualmente pr empresa. 25

26 Acess à janela de cnfigurações (Seleccinar a empresa e premir btã de ediçã) Nesta janela sã apresentads tds s dcuments de vendas e de liquidações relevantes para efeit de exprtaçã para SAF-T PT. A janela apresenta s dcuments cm descritivs existentes e uma sugestã para nvs descritivs, tend em cnta perfil ds dcuments vs nvs requisits legais. Nã bstante, utilizadr pderá ptar pr criar nvs em sua substituiçã. A pçã de substituiçã neste utilitári trna-se imprtante, sbretud, em utilizadres POS, já que prcess pderá recnfigurar s dcuments ds psts cm s nvs dcuments criads. Cnsidera também, a nva cdificaçã de dcuments SAF-PT requerids a partir d exercíci de Breve descriçã das clunas da grelha: A primeira cluna, indica a rigem ds dcuments (V Vendas; L Liquidações) (1) Tp.Dc Apresenta a abreviatura ds dcuments existentes (1) Descriçã Descriçã d tip de dcument existente (1) Nv Tip Dc. Se desejar criar uma réplica d dcument existente, deverá indicar um nv códig para tip de dcument Nva Desc. Neste cas assume dis cmprtaments: Se nã indicar um nv dcument, será assumid que descritiv irá reflectir-se dcument existente. De cntrári, será descritiv a atribuir a tip de dcument a criar, send preservad n dcument anterir tda a infrmaçã. Cd.SAFT Códig d dcument SAF-PT assciad a dcument existente (1) Nv Cd.SAF-T Permite indicar nv códig, se aplicável. Tal cm camp Nva Desc. valr aqui cnfigurad será para atribuir a dcument existente u a nv dcument, dependend da pçã tmada. (1) Camps nã editáveis 26

27 Opções de execuçã Actualizar text de inversã d sujeit passiv de IVA Os dcuments que cntiveram n camp Text de Inversã d IVA a expressã IVA devid pel adquirente será substituída pela expressã IVA Aut liquidaçã. Actualizar Tips de dcuments ns psts POS N cas de serem criads nvs dcuments pr substituiçã ds existentes, prcess prcederá à respectiva alteraçã na cnfiguraçã ds psts POS. De frma implícita, cas seja cnfigurad para criar nvs dcuments, será actualizada a tabela de sectres d POS e, se aplicável, acrescentad às parametrizações d anex O e P da cntabilidade s respectivs dcuments substituts. Btã Gravar Grava a cnfiguraçã sem executar prcess. A cnfiguraçã desde que gravada, será prpsta para execuçã, n mment em que entrar n exercíci. Btã Recalcular Repõe as cnfigurações prpstas pr defeit Btã Aplicar Irá reflectir as cnfigurações definidas na grelha. A execuçã desta peraçã pderá ser repetida, uma vez que s valres serã sempre sbrepsts. N cas ds dcuments já criads, a peraçã é irreversível, pel que a remçã, se fr pssível, terá de fazer-se a partir da janela de ediçã ds tips de dcuments. 27

28 5.2 Execuçã a abrir a empresa n exercíci de 2013 A abrir a empresa n exercíci de 2013 (apenas se a data de iníci d exercíci pertencer a an civil de 2013) utilizadr será cnfrntad cm uma das seguintes mensagens Esta mensagem surge a um utilizadr administradr, quand existe uma cnfiguraçã previamente criada, sem que a mesma tenha sid aplicada manualmente n administradr. Neste cas, para pder entrar n exercíci terá de cnfirmar a execuçã da actualizaçã. A mensagem seguinte surge n mesm cntext da anterir, cntud, é um utilizadr sem permissões de administradr e nã pderá entrar n exercíci sem que previamente um utilizadr administradr execute a acçã de actualizaçã. 28

29 A mensagem seguinte é frnecida, cas utilizadr nã tenha efectuad previamente qualquer cnfiguraçã, send utilizadr apenas avisad d fact. Pderá descartar avis para nã vltar a ser alertad. Ntas: As parametrizações ds dcuments SAF-T PT assciadas as tips de dcuments nã sã pr exercíci, embra a aplicaçã faça um cntrl da versã d SAF-T PT em funçã d exercíci. A versã 2 é aplicada a exercícis iguais u anterires a 2012, e a versã 3 será aplicada a exercícis psterires a esse an, que na prática, nã send pr exercíci, acaba pr se verificar alguma semelhança. É recmendável que a execuçã seja efectuada apenas quand fr iniciad nv an, uma vez que s descritivs ds tips de dcument nã sã pr exercíci, e neste cas, afectará a emissã ds dcuments d exercíci anterir. Depis de executad prcess deverá sair e vltar a entrar na aplicaçã, para que as nvas cnfigurações sejam assumidas pel sistema. Se pr algum mtiv tiver gravad uma cnfiguraçã e nã pretende executá-la, terá de manualmente na empresa remver cnteúd da tabela Tbl_SAFT_2013, e a cnfiguraçã de acrd cm a seguinte instruçã: DELETE FROM [Tbl_Cnfiguraca_Empresa] WHERE [strabrevaplicaca] = '-1' AND [intcdig] = 553 AND [strcdexercici] = '-1' AND [strlgin] = '-1' 29

30 6. Alterações ns Recurss Humans A prpsta de lei d Orçament de Estad para 2013, presentemente aprvada na AR, pel Decret nº 100/XII, n seu artig 187º, prevê a aplicaçã de uma sbretaxa de IRS as rendiments de trabalh dependente, send seu mdus perandi alg semelhante a aplicad em 2011, embra cm algumas nuances. (Publicad em DR em 31 de Dezembr de 2012, Lei nº 66-B/2012, que aprvu Orçament de estad para 2013). Além diss, a Prpsta de Lei 110/XII 2ª, já aprvada na AR, e que aguarda prmulgaçã, instituiu pagament de metade ds subsídis de férias e de natal pr dudécims e remanescente nas datas e ns terms prevists n códig d trabalh. Fi ainda aprvad, pela Prtaria 6/2013 de 10 de Janeir, (que revgu a prtaria 426-C/2012, de 28 de Dezembr), um nv mdel declarativ Declaraçã Mensal de Remunerações (AT), relativ a rendiments e retenções d trabalh dependente, que deverá ser submetida via electrónica até a dia 10 d mês seguinte a que reprtam s rendiments. N erp eticadata recurss humans, fram implementads s ajustes necessáris para cumprir este requisit fiscal, cnfrme a seguir se descrevem, abrangend apenas licenças cm país sede Prtugal. 6.1 Legislaçã fiscal Base de Incidência da sbretaxa A base de incidência para efeits de sbretaxa de IRS crrespnde à parte d rendiment clectável de IRS que resulte d englbament ns terms d artig 22º d códig d IRS, acrescid ds rendiments sujeits às taxas especiais cnstantes ds nºs, 3, 6, 11 e 12 d artig 72º d mesm códig, auferid pr sujeits passivs residentes em territóri prtuguês, que exceda, pr sujeit passiv, valr anual da retribuiçã mínima mensal garantida. Na prática tds s abns sujeits a IRS, serã base de incidência para a sbretaxa Aplicaçã da sbretaxa As entidades devedras de rendiments de trabalh dependente e de pensões sã, ainda, brigadas a reter uma imprtância crrespndente a 3,5 % da parte d valr d rendiment que, depis de deduzidas as retenções previstas n artig 99.º d Códig d IRS e as cntribuições brigatórias para regimes de prteçã scial e para subsistemas legais de saúde, exceda valr da retribuiçã mínima mensal garantida. 30

31 6.1.3 Mment da retençã Segund a redacçã d nº 7 d artig 187º, d decret da AR nº 100/XII, que aprvu Orçament de Estad para 2013, a retençã na fnte da sbretaxa será efectuada n mment d pagament d rendiment u da sua clcaçã à dispsiçã ds respectivs titulares. 6.2 Funcinament n ERP eticadata Cnfiguraçã (Sbretaxa) Na cnfiguraçã ds exercícis, n administradr, Rec.Humans(Sbretaxa), utilizadr deverá activar a funcinalidade e prceder à cnfiguraçã, cnfrme a imagem ilustra. Para activar a cnfiguraçã, deverá estar a assinalada a checkbx Sbretaxa de IRS. Depis será necessári indicar a data a partir da qual pderá ser prcessada a sbretaxa, para evitar que a aplicaçã aplique a sbretaxa de IRS em meses que nã seja aplicável u em reprcessaments anterires. Será também necessári assciar um códig de descnt diferente d códig de IRS nrmal para cálcul da sbretaxa de IRS, devend ser definid anterirmente usad para mesm efeit. Indicar a rubrica de impst assciada à sbretaxa de IRS, necessári para a emissã da declaraçã de retenções na fnte (IR IS). Cnfrme divulgaçã ficial da administraçã fiscal, em 2011, códig para esta retençã fi 112, send expectável a adpçã d mesm códig, que já se encntra criad n sistema. Terá ainda de indicar a taxa de retençã que será aplicada mensalmente pel prcessament. Cas utilizadr nã pretenda efectuar prcessament da sbretaxa de IRS, deverá desactivar esta cnfiguraçã, (retirand vist Sbretaxa de IRS). 31

32 6.2.2 Cnfiguraçã (Pagament de metade ds subsídis de Férias de Natal pr dudécims) A aplicaçã está preparada para calcular metade ds subsídis de Férias e de Natal pr dudécims e restante n mment a indicar pel utilizadr. Para efeit, prcedeu-se às seguintes alterações: Tabela de Funcináris Passa a ser definid pr funcinári a indicaçã d pagament pr dudécims, cnfrme ilustra a imagem a seguir: As cmbs Dias S. Natal e Dias S. Férias passam a dispr de uma nva pçã Pr dudécims (50%), cuja frma de funcinament é igual a pçã que já existia Pr dudécims, cntud, valr calculad irá crrespnder a 1/24 avs d venciment, em vez de 1/12 n cas da pçã que já existia. A alterar para a nva pçã, utilizadr será questinad se pretende recalcular valr ds abns fixs relativs a subsídi de natal u de férias, cnsante cas, nde, em cas afirmativ, valr será dividid pr 12 u pr 2, cnsante a pçã anterirmente seleccinada crrespnda a valr integral u pr dudécims. Para efeit, utilizadr é questinad dessa cnversã. 32

33 Deverã ser indicads s meses para pagament da parte restante ds subsídis, tal cm era feit n pagament integral. N cas d Subsídi de férias, pagament d restante pderá ser efectuad parcelarmente, tal cm está previst na lei, send que neste cenári, pagament da metade deste subsídi será calculad prprcinalmente a temp de férias de cada períd gzad. Deste md, a aplicaçã terá em cnta s períds de férias marcads para efeits de prcessament, na janela de marcaçã de férias. Alterações gerais De md a ptimizar esta alteraçã, é pssível através da pçã de alterações gerais, efectuar esta alteraçã em massa, para um grup u para a ttalidade ds funcináris. O prcess de cnfiguraçã tem s mesms pressupsts, pel que também prcede à actualizaçã ds valres ds abns fixs de cada funcinári, se utilizadr assim entender. 33

34 6.2.3 Prcessament Calcul de metade ds subsídis de Férias e de Natal pr dudécims O prcessament passa a ter em cnta uma nva fórmula de cálcul ds Subsídis de Férias e de Natal, além d cálcul integral e pr dudécims passa a ser pssível cálcul pr dudécims (50%), u seja, 1/24 avs calculad sbre venciment, subsídi de alimentaçã e diuturnidades cas estas rubricas estejam cnfiguradas na respectiva ficha d funcinári. Mantém-se cmprtament em relaçã à intrduçã de abns u ds abns fixs, ist é, mntante inserid em valr u calculad pela aplicaçã nã passará pr qualquer prprçã. N cas de funcináris que pssuam abns fixs, para cálcul ns subsídis, a alterar prcessament para metade d dudécim, será necessári cnverter valr para a fracçã crrespndente. A aplicaçã pderá fazer de frma autmática essa cnversã n mment da cnfiguraçã. Para mais infrmações cnsultar pnt Valres Valr de um dudécim = Venciment a / x abns fixs 50% de um dudécim = Venciment a / x abns fixs 50% restante férias = ( Venciment a x 6/ b x abns fixs ) x dias úteis de férias / 22 50% restante pag parcelarmente (Sub.férias) = 50% restante x n1/dias úteis férias 50% restante natal = ( Venciment a x 6/12 + abns fixs x 12 b ) x n2/ 30 (a) Aplicável apenas a venciment, diuturnidades e subsídi de alimentaçã, definids na ficha d funcinári. (b) Cnsiderand que abn está ajustad a 50% de um dudécim que crrespnde a 24 avs d valr, entã 12 = 24 x 6/12. n1 dias úteis prcessads de férias n2 dias para efeits de subsídi de natal, calculad cm base na data de inici e fim de cntrat, se alguma dessas datas estiver cntida n exercíci, senã crrespnde a 30. Cnsiderand s valres referids acima pdems definir as verbas a calcular para cada recib: Recib d venciment Mantém cmprtament Recib ds subsídis pr dudécims Mantém cmprtament Recib ds subsídis pr dudécims (50%) = Cntempla mntante d subsídi de acrd cm valr relativ a 50% de um dudécim, acrescid de utrs abns, se fr cas diss, send aplicads s descnts de acrd cm as regras que já existiam. Recib ds subsídis da parte restante Este recib é emitid n mment indicad pel utilizadr, nrmalmente quand sã iniciadas as férias e, na cas d subsídi de natal, quand este se trna devid, e cntempla metade d subsídi (50% restante) e 50% de um dudécim. 34

35 6.2.4 Prcessament sbretaxa O prcessament de saláris fi revist de md a cntemplar cálcul da sbretaxa de IRS, segund as regras definidas a seguir. Fórmula de cálcul da Sbretaxa de IRS Na aplicaçã de recurss humans eticadata, a sbretaxa de IRS será aplicada mensalmente e calculada cnsiderand s seguintes factres: REND - Venciment e restantes abns tributáveis em sede de IRS IRS Valr d IRS calculad Seg.Scial Valr ds descnts para a Segurança Scial CGA Valr ds descnts para a Caixa Geral de Apsentaçã ADSE Valr ds descnts para a ADSE RMMG Valr da retribuiçã mínima mensal garantida (salári mínim nacinal) O valr crrespndente à sbretaxa tem em cnsideraçã seguinte: O cálcul da sbretaxa é efectuad em cada prcessament, send indiferente tip em causa As fórmulas para cálcul da sbretaxa sã as seguintes: Fórmula geral = (REND IRS Seg. Scial CGA ADSE RMMG) X 0,035 Fórmula dudecimal = (REND IRS Seg. Scial CGA ADSE RMMG/12) X 0,035 A aplicada apenas as recibs de subsídi de férias e de natal pr dudécims. Fórmula dudecimal 50% = (REND IRS Seg. Scial CGA ADSE RMMG/24) X 0,035 A aplicada apenas as recibs de subsídi de férias e de natal em que metade é pr dudécims. Nta: A taxa 0,035 é cnfigurável pr empresa assim cm a RMMG. O valr da RMMG a cnsiderar na incidência para cálcul da sbretaxa, é aplicad nas seguintes cndições: Recib principal cnsidera a RMMG Recib de subsídi de férias u de natal Cnsidera em cada recib a RMMG, send indiferente se valr é u nã prprcinal ( decret 100/XII da AR, nã mencina prprcinais) Recibs de subsídi de férias u de natal pr dudécims cnsidera 1/12 da RMMG Recibs de subsídi de férias u de natal pr dudécims (50%) cnsidera 1/24 da RMMG 35

36 Recibs de subsídi de férias u de natal, a parte restante (50% d subsídi) cnsidera 12/24 + 1/24 da RMMG, já que nestes recibs é pag metade d subsídi acrescid 1/24 d mesm, crrespndente a 50% de um dudécim. Recib à parte, independentemente d tip de abn em causa Nã cnsidera a RMMG na base de incidência, pis pressupõe que esta rubrica já fi cnsiderada ns 14 recibs base (12 meses + sub. férias + sub. natal). Cálcul da Sbretaxa de IRS O valr da sbretaxa de IRS calculad tem a cnta as regras definidas n pnt anterir, send lançad num descnt em valr d tip IRS definid na cnfiguraçã da empresa e fica separad d IRS nrmal. A sbretaxa de IRS será sempre aplicada independentemente d recib em causa, quer s abns sejam inserids autmática u manualmente u valr seja integral u prprcinal. N cas s abns crrespnderem a um prprcinal e sejam pags num só mment (cenáris de rescisã u caducidade de cntrats), será aplicada a fórmula de cálcul geral. 36

37 6.2.5 Cass prátics Exempl 1: Recib cm cálcul de metade ds subsídis e das diuturnidades pr dudécims e respectiva sbretaxa de IRS. Os restantes abns sã fixs u variáveis, calculads em cada prcessament. N cas da metade ds subsídis pr dudécims a RMMG é dividida pr

38 Os exempls seguintes estã cntextualizads cm as taxas de retençã de IRS em vigr em Exempl 2: Sbretaxa aplicada apenas a recib mensal 38

39 Exempl 3: Sbretaxa aplicada a subsídi de Férias ( subsídi de natal é análg) 39

40 Exempl 4: Sbretaxa aplicada a venciment e as Subsídis de Férias e de Natal pr dudécims N cas ds dudécims a RMMG é dividida pr

41 Exempl 5: Sbretaxa aplicada a um recib à parte Neste cas a RMMG crrespnde a zer, prque nã é recib nrmal mensal, nem subsídi de Férias u de Natal. 41

42 6.2.6 Declaraçã Mensal de Remunerações (AT) A Prtaria 6/2013 de 10 de Janeir, aprvu um nv mdel declarativ de peridicidade mensal, para cmunicar a infrmaçã relativa às remunerações sujeitas, nã sujeitas e isentas em sede de IRS, bem cm s respectivs descnts e cntribuições para s sistemas de prtecçã scial. Tal cm referid, para este mapa cncrrem tds s abns, sujeits, nã sujeits parcialmente u isents de IRS, send necessári ter em cnsideraçã seguinte: Para feits de determinaçã ds valres sujeits a IRS, a aplicaçã cnsidera s seguintes tips de abn: Venciment Subsídis de Férias e de Natal cmplets e prprcinais Diuturnidades Subsídi de alimentaçã e abn para falhas na parte sujeita a IRS Abns sem classificaçã pela parte sujeita a IRS Os mntantes apurads pr estes abns sã transprtads para mapa de frma autmática, pela aplicaçã, cm tip de rendiment definid n funcinári (A Trabalh dependente). 42

43 Para determinaçã ds valres nã sujeits a IRS, a aplicaçã cnsidera s seguintes tips de abns: Subsídi de alimentaçã e abn para falhas na parte nã sujeita a IRS Abns sem classificaçã pela parte nã sujeita a IRS Nta: A parte nã sujeita d abn crrespnde a valr indicad n camp Limite p/desc. N cas ds abns subsídi de alimentaçã e abn para falhas, a aplicaçã atribui a estes abns a respectiva classificaçã d tip de rendiment de acrd cm as instruções de preenchiment deste mdel. Para s abns sem classificaçã, parcialmente nã sujeits IRS (pr exempl ajudas de cust), utilizadr deverá prceder à sua classificaçã de acrd cm as instruções de preenchiment d mdel. Exempl de um abn tipificad. De ntar que a classificaçã apenas servirá para suprte d mntante nã sujeit, já que a parte sujeita a impst será tipificada de acrd cm referid n pnt anterir. Para determinaçã ds valres isents IRS, a aplicaçã cnsidera tds s abns sem classificaçã, em que nã esteja assinalad vist para descntar IRS. Nestes cass, e tal cm pnt anterir, utilizadr terá de prceder à classificaçã de acrd cm as respectivas instruções de preenchiment. Para dar suprte a preenchiment da cluna 07 NIPC da entidade, fi acrescid respectiv camp para cada uma das entidades. Segurança Scial Acrescid camp à tabela Segurança Scial CGA e ADSE, acrescids s camps na ficha da empresa, n separadr GRH. Outra infrmaçã relevante: A entrega deve crrer até a dia 10 d mês seguinte a que reprtam s rendiments e respectivs descnts. 43

44 A submissã é exclusiva pr internet e pderá ser submetida a partir d prtal das Finanças u da Segurança Scial A cnfrmidade d ficheir fi verificada pel departament infrmátic da Autridade Tributária, nã tend sid pssível efectuar testes exaustivs a este prcess, uma vez que apenas está prevista a dispnibilizaçã d utilitári de validaçã para iníci de Fevereir. N entant, nessa altura, cas se verifique alguma incnfrmidade, a crrecçã será dispnibilizada através de um fix Mapas e Listagens existentes Na emissã de mapas, salv pequens ajustes, mantiveram-se sensivelmente s pressupsts d prcess anterir de retençã da sbretaxa de IRS. Emissã ds recibs de venciment N recib de venciment surge descnt da Sbretaxa de IRS em linha própria de md a que funcinári tenha nçã d valr retid. Cas tenha definid para apresentar as bservações n recib (btã de cnfiguraçã na janela de emissã de recibs), é apresentad nessa secçã, a fórmula e respectivs valres que cncrreram para cálcul da sbretaxa de IRS. 44

45 Mapa resum de encargs O mapa Resum de Encargs passu a discriminar valr d IRS sbretaxa, cnfrme pderá ser vist na imagem a seguir. Declaraçã de retenções na fnte (IR IS) A cntrári da implementaçã anterir, que permitia a declaraçã em separad da sbretaxa de IRS, valr desta cmpnente passa a cnstar da declaraçã mensal, send apresentada em rubrica separada, cuj códig é definid na empresa. 45

46 Declaraçã de rendiments Para cumpriment d dispst n nº 2 d artº 188º (dispsições transitórias) d Decret da AR 100/XII, fi acrescentada à declaraçã de rendiments, a respectiva rubrica relativa à sbretaxa de IRS. 46

47 Mdel 10 Tal cm na versã anterir, este mdel declarativ já cntinha a infrmaçã da sbretaxa de IRS. 47

Alterações fiscais em vigor em 1 de Janeiro de 2013

Alterações fiscais em vigor em 1 de Janeiro de 2013 Alterações fiscais em vigr em 1 de Janeir de 2013 Alterações fiscais em vigr em 1 de Janeir de 2013 1 Cnteúd 1. Intrduçã...4 2. Breve referência às alterações mais relevantes e/u inseridas n âmbit d ERP

Leia mais

IVA Regime de Caixa. IVA Regime de Caixa

IVA Regime de Caixa. IVA Regime de Caixa 1 Cnteúd 1. Intrduçã...4 2. Enquadrament legal...5 2.1 Regime IVA de Caixa (Decret-Lei 71/2013)...5 2.1.1 Entidades que pdem ptar pel regime (a que se refere artig 1º)...5 2.1.2 Operações abrangidas (a

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

Introdução. Atualização da V12.60.00/56 para a V13.00.00. Documentos elaborados em Crystal reports (.rpt)

Introdução. Atualização da V12.60.00/56 para a V13.00.00. Documentos elaborados em Crystal reports (.rpt) 1 Cnteúd Intrduçã...3 Atualizaçã da V12.60.00/56 para a V13.00.00...3 Dcuments elabrads em Crystal reprts (.rpt)...3 Dcuments elabrads em Reprting Services (.rdl)...5 Atualizaçã da V12.60.00/48 para a

Leia mais

Actualização de reports personalidados 1

Actualização de reports personalidados 1 Actualizaçã de reprts persnalidads 1 Cnteúd Intrduçã...3 Atualizaçã da V13.00.03/27 para a V13.00.03/32 (Fiscalidade ambiental - verde)...3 Dcuments elabrads em Crystal reprts (.rpt)...3 Dcuments elabrads

Leia mais

SITAF - Manual de Utilizador

SITAF - Manual de Utilizador SITAF - Manual de Utilizadr Entrega de Peças Prcessuais Nvembr 2009 SITAF Sistema de Infrmaçã ds Tribunais Administrativs e Fiscais Manual de Utilizadr Entrega de Peças Prcessuais Apresentaçã O frmulári

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE N prcess de renvaçã de matrículas para an lectiv 2010/2011, e na sequência d plan de melhria cntínua ds serviçs a dispnibilizar as aluns, IPVC ferece, pela

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5 Agenda: Event Sage AEBB Legislaçã inventári permanente (reduçã ds limites) Cnfigurações inventári permanente (ligaçã à CTB) O inventári a 31 de dezembr (imprtância d cntrl stcks, sage inventáris cntagem

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A pertinência e valr demnstrad das valências d Cartã de Saúde Cfre, em razã d flux de adesões e pedids de esclareciment, trnam essencial dar evidência e respsta a algumas situações

Leia mais

FAÇA DA OBRIGATORIEDADE, UMA OPORTUNIDADE.

FAÇA DA OBRIGATORIEDADE, UMA OPORTUNIDADE. Alterações fiscais de 2013 Nva fase de cer ficaçã de s ware, brigatriedade de cmunicaçã de faturas e dcuments de transprte, e alterações n Códig d IVA entram em vigr em 2013. O nv an vai trazer grandes

Leia mais

Apresentação ao mercado do cronograma do processo de adopção plena das IAS/IFRS no sector financeiro

Apresentação ao mercado do cronograma do processo de adopção plena das IAS/IFRS no sector financeiro Apresentaçã a mercad d crngrama d prcess de adpçã plena das IAS/IFRS n sectr financeir DEPARTAMENTO DE SUPERVISÃO PRUDENCIAL DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 12 de Junh de 2014 Departament de Supervisã Prudencial

Leia mais

Copyright 1999-2006 GrupoPIE Portugal, S.A. Manual Utilizador

Copyright 1999-2006 GrupoPIE Portugal, S.A. Manual Utilizador Reprts Relatóris à sua Medida Reprts Cpyright 1999-2006 GrupPIE Prtugal, S.A. Reprts 1. WinREST Reprts...5 1.1. Licença...6 1.2. Linguagem...7 1.3. Lgin...7 1.4. Página Web...8 2. Empresas...9 2.1. Cm

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP Dissídi Retrativ Cálculs INSS, FGTS e geraçã da SEFIP A rtina de Cálcul de Dissídi Retrativ fi reestruturada para atender a legislaçã da Previdência Scial. A rtina de Aument Salarial (GPER200) deve ser

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição Julh 2010 Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids à EDP Distribuiçã DGF/Departament Gestã de Materiais e Equipaments Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids

Leia mais

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores;

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores; Prcediments de Avaliaçã das ITED ANACOM, 1ª ediçã Julh 2004 OBJECTIVO De acrd cm dispst n nº 1, d artº 22º, d Decret Lei nº 59/2000, de 19 de Abril (adiante designad cm DL59), a cnfrmidade da instalaçã

Leia mais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais Cmunicaçã Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais (Lei nº 98/2009 de 4 de Setembr) 1- QUEM

Leia mais

Integração do POPH no SIIFSE POPH

Integração do POPH no SIIFSE POPH Integraçã d POPH n SIIFSE POPH Manual de Utilizadr Execuçã Financeira -12 de Junh de 2008 - Versã 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 2 1.1. ENQUADRAMENTO E OBJECTIVOS...2 1.2. VISÃO GLOBAL DOS REQUISITOS FUNCIONAIS...2

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

Instruções auxiliares de preenchimento

Instruções auxiliares de preenchimento Instruções auxiliares de preenchiment Preenchiment n-line: Utilize Adbe Acrbat Reader, versã 7.0.5 u superir, qual pde ser btid em http://www.adbe.cm; Seleccine a pçã Preenchiment e envi n-line ; Recmenda-se

Leia mais

1 Acesso ao SIIFSE. 1.1 Homepage do SIIFSE. SIIFSE - Manual do Utilizador QREN. O acesso ao Sistema é efectuado através do endereço siifse.igfse.pt.

1 Acesso ao SIIFSE. 1.1 Homepage do SIIFSE. SIIFSE - Manual do Utilizador QREN. O acesso ao Sistema é efectuado através do endereço siifse.igfse.pt. SIIFSE Manual d Utilizadr QREN Versã 1.0 21 de Dezembr de 2007 SIIFSE - Manual d Utilizadr QREN 1 Acess a SIIFSE 1.1 Hmepage d SIIFSE O acess a Sistema é efectuad através d endereç siifse.igfse.pt. Na

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica Médica - Aplicaçã Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da aplicaçã de Prescriçã Eletrónica Médica

Leia mais

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA 2015 Orientações para a Escrituraçã Cntábil Digital (Sped Cntábil) Versã 14.01 Sluções SPDATA Equipe SAT Análise Desenvlviment e Qualidade de Sftware 07/04/2015 Sumári Objetiv... 3 Cnsiderações gerais...

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE N prcess de renvaçã de matrículas para an lectiv 2008/2009, e na sequência d plan de melhria cntínua ds serviçs a dispnibilizar as aluns, IPVC ferece, pela

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã SIDC-Sistema Infrmaçã Descentralizad Cntabilidade Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema de Infrmaçã Descentralizad

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

FKcorreiosg2_cp1 - Complemento Transportadoras

FKcorreiosg2_cp1 - Complemento Transportadoras FKcrreisg2_cp1 - Cmplement Transprtadras Instalaçã d módul Faça dwnlad d arquiv FKcrreisg2_cp1.zip, salvand- em uma pasta em seu cmputadr. Entre na área administrativa de sua lja: Entre n menu Móduls/Móduls.

Leia mais

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas:

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas: 2. Cndições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Síntese ds terms e cndições gerais da Linha de Crédit PME Cresciment ( presente dcument identifica as principais características da Linha de Crédit PME

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO MINISTRADOS NO IPP NO ENSINO SUPERIOR NOS CURSOS

REGULAMENTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO MINISTRADOS NO IPP NO ENSINO SUPERIOR NOS CURSOS REGULAMENTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR NOS CURSOS MINISTRADOS NO IPP JULHO 2010 ÍNDICE CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Object... 3 Âmbit bjectiv... 3 Âmbit subjectiv...

Leia mais

AVISO. operações urbanísticas, que evoluirá até à desmaterialização total, num curto espaço de tempo,

AVISO. operações urbanísticas, que evoluirá até à desmaterialização total, num curto espaço de tempo, AVISO NORMAS DE INSTRUÇÃO DE PROCESSOS EM FORMATO DIGITAL A Câmara Municipal de Viseu vai iniciar, n próxim dia 5 de Janeir de 2015, a implementaçã da tramitaçã eletrónica ds prcesss de licenciament/admissã

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal INDICE DE PREÇOS TURISTICO Desenvlvid n quadr d Prgrama Cmum de Estatística CPLP cm api técnic d INE de Prtugal Estrutura da Apresentaçã INTRODUÇÃO. METODOLOGIA. FORMA DE CÁLCULO. PROCESSO DE TRATAMENTO.

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho Prjet Saúde e Segurança d Trabalh DATA: tt/3/yy Pág 1 de 8 ÍNDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.2 DO SST... 2 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.2... 2 SEGURANÇA... 2 SAÚDE... 2 SAÚDE/AUDIOMETRIA...

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

Instruções auxiliares de preenchimento

Instruções auxiliares de preenchimento Instruções auxiliares de preenchiment Preenchiment n-line: Utilize Adbe Acrbat Reader, versã 7.0.5 u superir, qual pde ser btid em http://www.adbe.cm; Seleccine a pçã Preenchiment e envi n-line ; Recmenda-se

Leia mais

Formação integrada em Contabilidade, Finanças e Fiscalidade

Formação integrada em Contabilidade, Finanças e Fiscalidade Frmaçã integrada em Cntabilidade, Finanças e Fiscalidade Objetivs Gerais Este Curs pretende dtar e cnslidar ns participantes s cnheciments avançads para desempenh das suas atividades prfissinais ns dmínis

Leia mais

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT GRUPO HISPASAT Mai de 2014 PRIVADO PRIVADO E CONFIDENCIAL E Dcument Dcument prpriedade prpriedade HISPASAT,S.A. da 1 Prcess de atendiment a cliente

Leia mais

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores INFORMAÇÃO GAI Apis às empresas pela cntrataçã de trabalhadres N âmbit das plíticas de empreg, Gvern tem vind a criar algumas medidas de api às empresas pela cntrataçã de trabalhadres, n entant tem-se

Leia mais

De acordo com os dados publicamente divulgados no novo IRS mais de 1 milhão de famílias com filhos beneficiam de uma redução do imposto a pagar.

De acordo com os dados publicamente divulgados no novo IRS mais de 1 milhão de famílias com filhos beneficiam de uma redução do imposto a pagar. A presente nta pretende ajudar as famílias a preparem a apresentaçã d seu IRS, cumprind as suas brigações fiscais aprpriadamente e rentabilizand as deduções previstas. N entender da APFN esta refrma cnstitui

Leia mais

Integração do POPH no SIIFSE

Integração do POPH no SIIFSE Integraçã d POPH n SIIFSE Manual de Utilizadr Frmulári de Candidatura as Estágis Prfissinais na Administraçã Pública Lcal - 18 de Fevereir de 2008-1ª Versã ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 ENQUADRAMENTO E

Leia mais

Cm Criar Seu Própri Empreg em Apenas 5 Passs 1 1º Pass: A IDEIA 2º Pass: O CONTACTO COM VÁRIAS INSTITUIÇÕES E ENTIDADES 3º Pass: PLANO DE NEGÓCIOS 4º Pass: CRIAÇÃO DA EMPRESA E INÍCIO DE ACTIVIDADE 5º

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

O QUE É? Assinatura mensal Andante especialmente vocacionada para indivíduos e agregados familiares com menores recursos económicos.

O QUE É? Assinatura mensal Andante especialmente vocacionada para indivíduos e agregados familiares com menores recursos económicos. SOCIAL + O QUE É? Assinatura mensal Andante especialmente vcacinada para indivídus e agregads familiares cm menres recurss ecnómics. QUANTO CUSTA? Oferece um descnt de 25% face a preç da assinatura nrmal.

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO SIGIO Sistema Integrad de Gestã de Imprensa Oficial MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO S I G I O M A N U A L D O U S U Á R I O P á g i n a 2 Cnteúd 1 Intrduçã... 3 2 Acess restrit a sistema... 4 2.1 Tips de

Leia mais

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013.

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013. Serviç de Acess as Móduls d Sistema HK (SAR e SCF) Desenvlvems uma nva ferramenta cm bjetiv de direcinar acess ds usuáris apenas as Móduls que devem ser de direit, levand em cnsideraçã departament de cada

Leia mais

MS-PAINT. PAINT 1 (Windows7)

MS-PAINT. PAINT 1 (Windows7) PAINT 1 (Windws7) O Paint é uma funcinalidade n Windws 7 que pde ser utilizada para criar desenhs numa área de desenh em branc u em imagens existentes. Muitas das ferramentas utilizadas n Paint estã lcalizadas

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO ÍNDICE QUE VALORES [MASTERSAF DFE] TRAZEM PARA VOCÊ? 1. VISÃO GERAL E REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 2 1.1. AMBIENTE... 2 1.2. BANCO DE DADOS... 4 2. BAIXANDO OS INSTALADORES DO DFE MASTERSAF... 5 3. INICIANDO

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD Parecer Cnsultria Tributária Segments Escrituraçã Cntábil Digital ECD 23/12/2013 Parecer Cnsultria Tributária Segments Títul d dcument Sumári Sumári... 2 1. Questã... 3 2. Nrmas Apresentadas Pel Cliente...

Leia mais

Lista de verificação do conteúdo do Plano de Emergência Interno

Lista de verificação do conteúdo do Plano de Emergência Interno Intrduçã Lista de verificaçã d cnteúd d Plan de Emergência Intern (artig 18.º d Decret-Lei n.º 254/2007, de 12 de julh) O Decret-Lei n.º 254/2007, de 12 de julh, estabelece regime de prevençã de acidentes

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO À UTILIZAÇÃO DE WSDL (Fundos de Compensação do Trabalho)

DOCUMENTO DE APOIO À UTILIZAÇÃO DE WSDL (Fundos de Compensação do Trabalho) DOCUMENTO DE APOIO À UTILIZAÇÃO DE WSDL (Funds de Cmpensaçã d Trabalh) Versã 1.1 16 de julh de 2015 1 Índice Índice... 2 INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVO... 4 SEGURANÇA... 5 DESCRIÇÃO DOS WEB SERVICE... 6 Serviç

Leia mais

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão Manual de Operaçã WEB SisAmil - Gestã Credenciads Médics 1 Índice 1. Acess Gestã SisAmil...01 2. Autrizaçã a. Inclusã de Pedid...01 b. Alteraçã de Pedid...10 c. Cancelament de Pedid...11 d. Anexs d Pedid...12

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO À UTILIZAÇÃO DE Web Services (Fundos de Compensação do Trabalho)

DOCUMENTO DE APOIO À UTILIZAÇÃO DE Web Services (Fundos de Compensação do Trabalho) DOCUMENTO DE APOIO À UTILIZAÇÃO DE Web Services (Funds de Cmpensaçã d Trabalh) Versã 1.0 21 de mai de 2015 1 Índice Índice... 2 INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVO... 4 SEGURANÇA... 5 DESCRIÇÃO DOS WEB SERVICE...

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração Manual de Instalaçã e Cnfiguraçã Prdut:n-ReleaserEmbedded fr Lexmark Versã 1.2.1 Versã d Dc.:1.0 Autr: Lucas Machad Santini Data: 14/04/2011 Dcument destinad a: Clientes e Revendas Alterad pr: Release

Leia mais

SOGILUB.NET MANUAL DO UTILIZADOR

SOGILUB.NET MANUAL DO UTILIZADOR SOGILUB.NET MANUAL DO UTILIZADOR Índice Intrduçã... 3 Aspect Gráfic... 4 Regist na aplicaçã... 5 Recuperaçã de Códigs de Acess... 6 Área Reservada... 8 Entrar na Área Reservada... 8 Editar Perfil... 9

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA Fund Lcal n Cncelh de Paredes de Cura PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO Entre: O Municípi de Paredes de Cura, pessa clectiva nº 506

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativ Centr de Saúde 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.. Tds s direits reservads. A ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO

CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO EA.TAS.6.1.13 HELPCARE CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO Prpsta Curs de Tripulante de Ambulância de Scrr Fundamentaçã O scrr e transprte de vítimas de dença súbita e/u trauma é executad pr váris

Leia mais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais Inf - Estruturas Infrmaçã Mensal d Sectr Linha de Crédit PME 2009 Alteraçã à Linha de Crédit para api às Empresas de Prduçã, Transfrmaçã e Cmercializaçã de Prduts Agríclas, Pecuáris e Flrestais A Linha

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL Novas funcionalidades do Software ALERT versão 2.6.1

CTH - ALERT REFERRAL Novas funcionalidades do Software ALERT versão 2.6.1 Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL Nvas funcinalidades d Sftware ALERT versã 261 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, SA Tds s direits reservads A ALERT Life Sciences Cmputing, SA dispnibiliza presente

Leia mais

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

TEXTOS COMPLEMENTARES 1 DESTACAMENTO DE TRABALHADORES

TEXTOS COMPLEMENTARES 1 DESTACAMENTO DE TRABALHADORES TEXTOS COMPLEMENTARES 1 DESTACAMENTO DE TRABALHADORES 2.7. Destacament de Trabalhadres Frma e cnteúd de cntrat cm trabalhadr estrangeir u apátrida N art.º 5 d CT (Capítul II - Lei 7/2009 de 12/02) cntrat

Leia mais

Workshop Nova Legislação que regula a aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos (PF)

Workshop Nova Legislação que regula a aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos (PF) Wrkshp Nva Legislaçã que regula a aplicaçã de Prduts Fitfarmacêutics (PF) Quinta d Vallad, Vilarinh ds Freires Branca Teixeira 23 de mai de 2013 Nva Legislaçã Lei nº26/2013 de 11 de abril Regula as actividades

Leia mais

Processador de Texto Funcionalidades Avançadas

Processador de Texto Funcionalidades Avançadas Prcessadr de Text Funcinalidades Avançadas ÍNDICE INTRODUÇÃO...4 MODELOS...4 Criar Mdels...5 MODELO NORMAL...6 Alterar mdel Nrmal.dtm...7 IMPRESSÃO EM SÉRIE MAILINGS...7 Cartas e mensagens de crrei electrónic...8

Leia mais

FIES - Documentação comprobatória

FIES - Documentação comprobatória FIES - Dcumentaçã cmprbatória OBS: Devem ser apresentads riginais e cópias ds dcuments relacinads. COMPROVANTES DE RESIDÊNCIA DO ESTUDANTE: O estudante deverá cmparecer à CPSA e psterirmente a agente financeir

Leia mais

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação Guia Sphinx: Instalaçã, Repsiçã e Renvaçã V 5.1.0.8 Instalaçã Antes de instalar Sphinx Se vcê pssuir uma versã anterir d Sphinx (versões 1.x, 2.x, 3.x, 4.x, 5.0, 5.1.0.X) u entã a versã de Demnstraçã d

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica de Medicaments Revisã 2 Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da Prescriçã Eletrónica de Medicaments

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: EQUIPAMENTOS PARA A COESÃO LOCAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 Ns terms d regulament específic Equipaments para a Cesã Lcal,

Leia mais

Integração do Rumos no SIIFSE

Integração do Rumos no SIIFSE Integraçã d Rums n SIIFSE Manual de Utilizadr Pedid de Alteraçã d Frmulári F01-12 de Agst de 2008-1ª Versã ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 ENQUADRAMENTO E OBJECTIVOS...3 1.2 VISÃO GLOBAL DOS REQUISITOS FUNCIONAIS...3

Leia mais

AEPSA. Audição sobre as PPL 123/XII (GOV) e 125/XII (GOV) COMISSÃO DE AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PODER LOCAL

AEPSA. Audição sobre as PPL 123/XII (GOV) e 125/XII (GOV) COMISSÃO DE AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PODER LOCAL AEPSA Audiçã sbre as PPL 123/XII (GOV) e 125/XII (GOV) COMISSÃO DE AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PODER LOCAL 13 de Març de 2013 AGENDA 1. Apresentaçã da AEPSA a) A AEPSA em Prtugal b) Estratégia

Leia mais

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO 1 INTRODUÇÃO A crescente cmplexidade ds prjets, a quantidade de infrmaçã que lhes está assciada e aument d númer de intervenientes n prcess cnstrutiv, transfrmaram a indústria da cnstruçã numa indústria

Leia mais

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Adesã à CCEE Versã 1 -> Versã 2 Versã 2 METODOLOGIA DO Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã Text tachad refere-se à exclusã de redaçã. Alterações

Leia mais

CIRCULAR N/ REFª: 62/15 DATA: 13/07/2015

CIRCULAR N/ REFª: 62/15 DATA: 13/07/2015 CIRCULAR N/ REFª: 62/15 DATA: 13/07/2015 Assunt: Fund de Cmpensaçã d Trabalh e Fund de Garantia de Cmpensaçã d Trabalh Nva Platafrma de serviçs ds Funds de Cmpensaçã Exms. Senhres, Na sequência de anterires

Leia mais

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 OBJETIVO Infraestrutura e tecnlgia d Prtheus sã a base de uma sluçã de gestã empresarial rbusta, que atende a tdas as necessidades de desenvlviment, persnalizaçã, parametrizaçã

Leia mais

URGENTE AVISO DE SEGURANÇA HeartSine Technologies samaritan PAD 500P (Desfibrilhador de Acesso Público) Actualização do Software

URGENTE AVISO DE SEGURANÇA HeartSine Technologies samaritan PAD 500P (Desfibrilhador de Acesso Público) Actualização do Software URGENTE AVISO DE SEGURANÇA HeartSine Technlgies samaritan PAD 500P (Desfibrilhadr de Acess Públic) Actualizaçã d Sftware Cars Prprietáris d samaritan PAD 500P, O bjectiv desta carta é infrmar-vs sbre uma

Leia mais

Resultados Consolidados 1º Semestre de 2015

Resultados Consolidados 1º Semestre de 2015 SAG GEST Sluções Autmóvel Glbais, SGPS, SA Sciedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadra Capital Scial: 169.764.398 Eurs sb númer únic de matrícula e de pessa clectiva 503 219 886 COMUNICADO Resultads

Leia mais

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário CRC-MG Central de Registr Civil de Minas Gerais Certidã Online - Serventia Manual d usuári Prefáci Data: 30/01/2015 Versã dcument: 1.0 1. COMO ACESSAR O MÓDULO DA CERTIDÃO ONLINE... 04 2. OPÇÕES DE PEDIDOS

Leia mais

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários.

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários. OBJETIVO Este dcument tem cm bjetiv definir as plíticas referentes à relaçã entre a Siux e seus funcináris. A Siux se reserva direit de alterar suas plíticas em funçã ds nvs cenáris da empresa sem avis

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

Processo TCar Balanço Móbile

Processo TCar Balanço Móbile Prcess TCar Balanç Móbile Tecinc Infrmática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centr Cascavel PR 1 Sumári Intrduçã... 3 Funcinalidade... 3 1 Exprtaçã Arquiv Cletr de Dads (Sistema TCar)... 4 1.1 Funcinalidade...

Leia mais