RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013"

Transcrição

1 RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: Tel: (11) Fax: (11) RJ Rua do Mercado 11, 24º andar Centro Rio de Janeiro RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) SAC / OUVIDORIA / Atendimento: das 9:00 às

2 1 INTRODUÇÃO O presente relatório tem por objetivo atender ao determinado na Circular emanada pelo Banco Central do Brasil. O Banco ABN AMRO divulga informações relativas à gestão de riscos, sendo o seu detalhamento, a sofisticação dos seus sistemas e processos adequados ao escopo e à complexidade das suas operações. Este relatório deve ser analisado em conjunto com as Demonstrações Financeiras do Banco ABN AMRO que encontramse disponibilizadas no site institucional. 2 ESTRUTURA O Banco ABN AMRO possui estrutura específica de Gestão de Risco subordinada a Diretoria de Riscos, segregada da unidade executora da atividade de auditoria interna. As políticas acerca da Gestão de Risco encontramse devidamente formalizadas e são disponibilizadas para todos os funcionários da instituição, por meio da rede interna (intranet). 3 RISCO DE MERCADO Risco de Mercado, nos termos da Resolução do Banco Central do Brasil, é definido como a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes da flutuação nos valores de mercado de posições detidas por uma instituição financeira. 3.1 RESPONSABILIDADES A área de Risco de Mercado é responsável por: Estabelecer políticas e estratégias para o gerenciamento do risco de mercado claramente documentadas, que estabeleçam limites e procedimentos destinados a manter a exposição ao risco de mercado nos níveis aprovados pelo Banco; Prever sistemas para medir, monitorar e controlar a exposição ao risco de mercado para as posições do Banco, abrangendo todas as fontes relevantes de risco de mercado e gerar relatórios tempestivos para a Diretoria da Instituição; Gerar relatórios para a Diretoria do Banco; SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: Tel: (11) Fax: (11) RJ Rua do Mercado 11, 24º andar Centro Rio de Janeiro RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) SAC / OUVIDORIA / Atendimento: das 9:00 às

3 Avaliar e testar anualmente os sistemas; identificar previamente os riscos inerentes a novas atividades e produtos e analisar sua adequação aos procedimentos e controles adotados pelo Banco; Realizar simulações de condições extremas de mercado (Testes de Estresse), inclusive da quebra de premissas, cujos resultados devem ser considerados ao estabelecer ou rever as políticas e limites para a adequação de capital; 3.2 CÁLCULO DO Para o cálculo do VaR ( Value at Risk ) de Risco de Mercado, o Banco ABN AMRO utiliza sistema terceirizado, desenvolvido por empresa especializada, que calcula a exposição ao risco de mercado de todas as carteiras do Banco. Os parâmetros e critérios para a definição do VaR ( Value at Risk ) e Testes de Estresse são aprovados pela Diretoria. 3.3 MARCAÇÃO A MERCADO Os cenários são estabelecidos pela Diretoria para realizar os testes de VaR e de estresse. Os Testes de Estresse servem como complemento ao gerenciamento do risco via VaR. Diariamente é disponibilizado na rede interna do Banco o relatório de controle de risco de mercado. 3.4 LIMITES OPERACIONAIS Os limites operacionais do Banco ABN AMRO são aqueles definidos em Comitê de Risco através da utilização de metodologia Simulação de Monte Carlo, conforme ata arquivada junto a área de Compliance. Os parâmetros e critérios para a definição do VaR e Testes de Estresse também deverão ser aprovados pela Diretoria, e formalizados através de documento que deverá também ser arquivado junto a área de Compliance. Caso seja atingido o limite aprovado pela Diretoria, o Gerente de Risco comunicará o Diretor responsável, que convocará a Diretoria para avaliação e definição das medidas cabíveis. SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: Tel: (11) Fax: (11) RJ Rua do Mercado 11, 24º andar Centro Rio de Janeiro RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) SAC / OUVIDORIA / Atendimento: das 9:00 às

4 3.5 INFORMAÇÕES DE NATUREZA QUANTITATIVA Valor total da carteira de negociação Taxa de Juros Taxa de câmbio Preço de ações Março/2013 Junho/2013 Setembro/2013 Comprado Comprado Comprado 1,836 1, Vendido Vendido Vendido (1,412) (1,437) Total da exposição a instrumentos financeiros derivativos Taxa de Juros Taxa de câmbio Preço de ações Março/2013 Junho/2013 Setembro/2013 Comprado Comprado Comprado 1,615 1,640 1,671 Vendido Vendido Vendido (1,412) (1,437) (1,467) 4 RISCO DE LIQUIDEZ O controle de Risco de Liquidez consiste em verificar a capacidade do Banco em converter seus ativos em recursos suficientes para honrar os eventuais passivos existentes, mesmo em situações adversas. O controle de Risco de Liquidez do Banco ABN AMRO é realizado diariamente por meio de um controle desenvolvido internamente com esta finalidade, alimentado de todos os ativos existentes na carteira do Banco, bem como dos passivos assumidos, obtidos por meio de outros sistemas utilizados pela instituição. Por fim, é realizado um stress test, tendo como base critérios de cenário de mercado previamente definido pela Diretoria. 5 RISCO OPERACIONAL Risco Operacional, nos termos da Resolução do Banco Central do Brasil, é definido como a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falha, deficiência ou inadequação de processos internos, pessoas e sistemas, ou eventos externos. SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: Tel: (11) Fax: (11) RJ Rua do Mercado 11, 24º andar Centro Rio de Janeiro RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) SAC / OUVIDORIA / Atendimento: das 9:00 às

5 5.1 METODOLOGIA EMPREGADA O Risco Operacional possui metodologia específica para identificação, avaliação, controle, definição do tratamento adequado ao risco e monitoramento. O processo de estruturação da gestão de riscos operacionais considera as seguintes etapas: Identificação dos riscos e controles; Avaliação dos riscos e controles; Definição do tratamento adequado ao risco; Elaboração/validação da matriz de risco operacional; Identificação, controle e comunicação de incidentes de risco operacional; Monitoramento. 5.2 CÁLCULO DO RISCO OPERACIONAL O Banco ABN AMRO utiliza o método indicador básico (BIA) para o cálculo do Risco Operacional. 5.3 RESPONSABILIDADES A área de Risco Operacional é responsável por: Realizar entrevistas com os gestores das áreas com o objetivo de mapear os processos, identificar os risco e controles associados; Avaliar, em conjunto com os gestores e diretores das áreas, o nível de exposição ao risco de um processo, bem como definir planos de ação baseados na avaliação e no resultado dos controles e o tratamento adequado ao risco; Convocar, quando julgar necessário, uma reunião com os respectivos gestores e diretores das áreas com o objetivo de avaliar as situações relevantes de exposição da instituição à riscos operacionais, contribuindo para o aprimoramento dos controles internos e propondo adequações necessárias à organização; Realizar o Cálculo do Risco Operacional. SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: Tel: (11) Fax: (11) RJ Rua do Mercado 11, 24º andar Centro Rio de Janeiro RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) SAC / OUVIDORIA / Atendimento: das 9:00 às

6 É responsabilidade da Diretoria e do gestor de cada área manter a área de risco operacional informada sobre a existência de novos processos ou alterações nos processos existentes, de modo que possam ser avaliados com base nessa norma interna. Cabe a todos os colaboradores, gestores e diretores informar a área de Risco Operacional sempre que tiver conhecimento de algum incidente de risco operacional. 6 RISCO DE CRÉDITO Risco de Crédito, nos termos da Resolução do Banco Central do Brasil, é definido como a possibilidade de ocorrência de perdas associadas ao não cumprimento pelo tomador ou contraparte de suas respectivas obrigações financeiras nos termos pactuados, à desvalorização de contrato de crédito decorrente da deterioração na classificação de risco do tomador, à redução de ganhos ou remunerações, às vantagens concedidas na renegociação e aos custos de recuperação. 6.1 METODOLOGIA EMPREGADA O Banco ABN AMRO possui metodologia específica, divulgada por meio de norma interna, que visa identificar, mensurar, controlar e mitigar os riscos associados. A norma interna abrange todo o processo de avaliação e mensuração dos instrumentos mitigadores, bem como estabelece limites às exposições sujeitas ao risco de contraparte e definição acerca da eficácias das garantias. O Banco ABN AMRO administra o risco de crédito por meio do monitoramento dos limites e exposições que é exercido pela área de Risco. Os limites e posições são previamente avaliados pelo Comitê de Crédito que se reúne semanalmente e é composto por membros da Diretoria, representante da análise de crédito, e demais participantes eventuais. O Comitê de Crédito é também responsável pela aprovação da contraparte nas operações que envolvem risco de crédito. 6.2 RESPONSABILIDADES O Departamento de Análise de Crédito é responsável pela análise de clientes e contrapartes para aprovações de limites de operações envolvendo risco de crédito. O Comitê de Crédito é responsável pela: SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: Tel: (11) Fax: (11) RJ Rua do Mercado 11, 24º andar Centro Rio de Janeiro RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) SAC / OUVIDORIA / Atendimento: das 9:00 às

7 Aprovação dos limites de operações de crédito; Aprovação da contraparte nas operações que envolvem risco de crédito; Aprovação do rating dos clientes. 6.3 INFORMAÇÕES DE NATUREZA QUANTITATIVA Informações relativas às exposições a risco de crédito Valor total das exposições e valor da exposição média no trimestre Percentual das exposições dos dez maiores clientes em relação ao total das operações com característica de concessão de crédito Montante das operações em atraso, bruto de provisões e excluídas as operações já baixadas para prejuízo. SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: Tel: (11) Fax: (11) RJ Rua do Mercado 11, 24º andar Centro Rio de Janeiro RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) SAC / OUVIDORIA / Atendimento: das 9:00 às

8 6.3.4 Fluxo de operações baixadas para prejuízo Montante de provisões para as perdas relativas às exposições de risco de crédito SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: Tel: (11) Fax: (11) RJ Rua do Mercado 11, 24º andar Centro Rio de Janeiro RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) SAC / OUVIDORIA / Atendimento: das 9:00 às

9 6.3.6 Regiões geográficas com exposições significativas Setor econômico com exposições significativas SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: Tel: (11) Fax: (11) RJ Rua do Mercado 11, 24º andar Centro Rio de Janeiro RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) SAC / OUVIDORIA / Atendimento: das 9:00 às

10 Informações relativas aos instrumentos mitigadores de risco de crédito Em 30 de setembro de 2013, não haviam exposições cobertas por instrumentos mitigadores de risco de crédito. Informações relativas ao risco de crédito da contraparte Informações relativas às operações de venda ou transferência de ativos financeiros e às operações com títulos Fluxo das exposições cedidas no trimestre com transferência substancial dos riscos e benefícios Saldo das exposições cedidas com retenção substancial dos riscos e benefícios SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: Tel: (11) Fax: (11) RJ Rua do Mercado 11, 24º andar Centro Rio de Janeiro RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) SAC / OUVIDORIA / Atendimento: das 9:00 às

11 Fluxo das exposições cedidas no trimestre com transferência substancial dos riscos e benefícios, que foram baixadas para prejuízo 7 POLÍTICA DE HEDGE Quando aprovado em pela Diretoria, em comitê, operações de derivativos serão utilizadas com o fim de promover o hedge de operações de crédito, ou dos instrumentos de captação existentes. Tais operações serão objeto de hedge quando o seu volume ou tamanho e prazos possibilitem ou compensem o custo do instrumento de hedge. O Comitê de Risco e a diretoria avaliarão o tamanho/prazo/custo em cada caso. 8 LIMITES OPERACIONAIS E BASILÉIA 8.1 Detalhamento do patrimônio de referência (PR) SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: Tel: (11) Fax: (11) RJ Rua do Mercado 11, 24º andar Centro Rio de Janeiro RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) SAC / OUVIDORIA / Atendimento: das 9:00 às

12 8.2 Detalhamento do patrimônio de referência exigível (PRE) SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: Tel: (11) Fax: (11) RJ Rua do Mercado 11, 24º andar Centro Rio de Janeiro RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) SAC / OUVIDORIA / Atendimento: das 9:00 às

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 1 1 INTRODUÇÃO O presente relatório tem por objetivo atender ao determinado na Circular 3.477 emanada pelo Banco Central do Brasil.

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE GESTÃO DE RISCOS, APURAÇÃO DO RWA E PR 3.477/09 BANCO ABN AMRO S.A. Dezembro de 2013

RELATÓRIO SOBRE GESTÃO DE RISCOS, APURAÇÃO DO RWA E PR 3.477/09 BANCO ABN AMRO S.A. Dezembro de 2013 RELATÓRIO SOBRE GESTÃO DE RISCOS, APURAÇÃO DO RWA E PR 3.477/09 BANCO ABN AMRO S.A. Dezembro de 2013 SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700 4º andar Itaim Bibi São Paulo, SP CEP: 04542000 Tel:

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos 1T2011 ING Bank N.V. São Paulo Relatório de Gerenciamento de Riscos Page 1 of 11 Estrutura de gerenciamento de riscos A estrutura organizacional das áreas responsáveis

Leia mais

GESTÃO DE RISCO 3 TRIMESTRE 2012

GESTÃO DE RISCO 3 TRIMESTRE 2012 Relatório de Risco - 2011 GESTÃO DE RISCO 3 TRIMESTRE 2012 Parte 2: Tabelas com as exposições a risco de crédito, mercado, liquidez e operacional em atendimento à circular n o 3477 do Banco Central do

Leia mais

Política de Gerenciamento de Risco de Mercado e do IRRBB Maio de 2018

Política de Gerenciamento de Risco de Mercado e do IRRBB Maio de 2018 Política de Gerenciamento de Risco de Mercado e do IRRBB Maio de 2018 Elaboração: Risco Aprovação: COMEX Classificação do Documento: Público ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. DEFINIÇÕES...

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll)

Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll) Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll) Índice Introdução... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos... 3 Informações Qualitativas... 4 Risco de Crédito... 4 Risco de Mercado... 5 Risco de Liquidez...

Leia mais

Política de Gerenciamento de Risco de Mercado Maio 2017

Política de Gerenciamento de Risco de Mercado Maio 2017 Política de Gerenciamento de Risco de Mercado Maio 2017 Elaboração: Risco Aprovação: Comitê Executivo Classificação do Documento: Público ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. DEFINIÇÕES... 3

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS - ORIGINAL ASSET MANAGEMENT

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS - ORIGINAL ASSET MANAGEMENT POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS - ORIGINAL ASSET MANAGEMENT Índice A) OBJETIVOS 3 B) APROVAÇÃO 3 C) ABRANGÊNCIA 3 D) DISPOSIÇÕES GERAIS 3 1. DEFINIÇÕES 3 2. ESTRUTURA DE CONTROLE E DIRETRIZES

Leia mais

Relatório de Gestão de Riscos

Relatório de Gestão de Riscos Relatório de Gestão de Riscos - 2017 Sax S/A Crédito, Financiamento e Investimento Relatório para atender aos requisitos estabelecidos nas resoluções 4.090, 3.464, 3.721, 3.380 e 3.988, do Conselho Monetário

Leia mais

Q U E R O - Q U E R O F I N A N C I A D O R A S /A

Q U E R O - Q U E R O F I N A N C I A D O R A S /A Q U E R O - Q U E R O F I N A N C I A D O R A S /A GESTÃO DE RISCOS S A N T O C R I S T O, R S G E S T Ã O D E R I S C O S DEFINIÇÃO DA ESTRUTURA DE GERENCI AMENTO DE RISCOS OPE RACIONAIS, DE CRÉDITO E

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Objetivo Estrutura do Gerenciamento de Riscos...03

SUMÁRIO. 1. Objetivo Estrutura do Gerenciamento de Riscos...03 SUMÁRIO 1. Objetivo...02 2. Estrutura do Gerenciamento de Riscos...03 2.1 Gerenciamento do Risco de Crédito...05 2.2 Gerenciamento do Risco Operacional...06 2.3 Gerenciamento do Risco de Mercado...07 2.4

Leia mais

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL CORPORATIVO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 4 5 RISCO DE CRÉDITO... 4

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL CORPORATIVO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 4 5 RISCO DE CRÉDITO... 4 Gestão de Riscos 1 Trimestre de 2016 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL CORPORATIVO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 4 5 RISCO DE CRÉDITO... 4 5.1 Definição... 4 5.2 Gestão do Risco de

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA 1/6 Sumário: 01. OBJETIVO:... 2 02. CONCEITUAÇÃO / DEFINIÇÃO:... 2 03. ABRANGÊNCIA / ÁREAS ENVOLVIDAS:... 2 04. RESPONSABILIDADES:... 2 04.01. Responsáveis pela execução das atribuições desta política...

Leia mais

Este documento está dividido nas seguintes seções:

Este documento está dividido nas seguintes seções: Assunto Política de Riscos de Mercado Rio Bravo Investimentos DTVM Data 2 de março de 2017 Páginas. 5 De Rodrigo Gatti e Eros Henriques Dalhe Telefone 3509-6000 Área Diretoria de Operações Para Área Clientes,

Leia mais

POLÍTICAS INTERNAS Gerenciamento de Risco

POLÍTICAS INTERNAS Gerenciamento de Risco POLÍTICAS INTERNAS Gerenciamento de Risco POLÍTICAS INTERNAS GERENCIAMENTO DE RISCO JANEIRO DE 2019. 1. OBJETIVO A presente política tem por objetivo apresentar a estrutura organizacional para mensuração,

Leia mais

Data da última atualização 03/10/2017

Data da última atualização 03/10/2017 Política Política de Gestão de Riscos dos Fundos de Investimento e Carteiras Data da última atualização 03/10/2017 1. Objetivo Este documento estabelece princípios, diretrizes e responsabilidades adotados

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito

Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito 1. DEFINIÇÃO E TIPOS DE RISCO DE CRÉDITO A Resolução nº 3.721/09, do Conselho Monetário Nacional, definiu Risco de Crédito como a possibilidade de ocorrência

Leia mais

Política de Gerenciamento de Riscos dos Fundos e Carteiras Geridos pelo Sicredi

Política de Gerenciamento de Riscos dos Fundos e Carteiras Geridos pelo Sicredi Política de ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. DEFINIÇÕES... 3 2.1 Fatores de Risco Relevantes... 3 2.1.1 Risco de Mercado... 3 2.1.2 Risco de Liquidez... 4 2.1.3 Risco de Crédito e Contraparte... 4 2.1.4 Risco

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE GESTÃO DE RISCOS, APURAÇÃO DO RWA E PR 3.477/09 BANCO ABN AMRO S.A. Março de 2014

RELATÓRIO SOBRE GESTÃO DE RISCOS, APURAÇÃO DO RWA E PR 3.477/09 BANCO ABN AMRO S.A. Março de 2014 RELATÓRIO SOBRE GESTÃO DE RISCOS, APURAÇÃO DO RWA E PR 3.477/09 BANCO ABN AMRO S.A. Março de 2014 1 1 INTRODUÇÃO As instituições financeiras estão expostas a riscos inerentes ao desenvolvimento de seus

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO INVESTIMENTO EM COTAS FUNDOS INVESTIMENTO CAIXA GERAÇÃO JOVEM RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO INVESTIMENTO EM COTAS FUNDOS INVESTIMENTO CAIXA GERAÇÃO JOVEM RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO INVESTIMENTO EM COTAS FUNDOS INVESTIMENTO CAIXA GERAÇÃO JOVEM RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO Data de Competência: 16/02/2016 1. CNPJ 10.577.485/0001-34

Leia mais

Estrutura de gerenciamento de riscos

Estrutura de gerenciamento de riscos Estrutura de gerenciamento de riscos Relatório de acesso público 1 Sumário 5 6 8 10 13 Introdução Definições Estrutura de gerenciamento de riscos e capital Descrição da estrutura e responsabilidades Transparência

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO A Um Investimentos S.A. CTVM, conforme definição da Resolução nº 4.557/17, demonstra através deste relatório a sua estrutura do gerenciamento de Risco de

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO Junho/2016 Esta Política de Gestão de Risco foi elaborada de acordo com as políticas internas da EXPLORA INVESTIMENTOS GESTÃO DE RECURSOS LTDA., inclusive o Código de Ética

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS O ICBC do Brasil Banco Múltiplo S/A considera de suma importância o processo de gerenciamento de riscos, pois utiliza-o para agregar valor aos seus negócios, proporcionar

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS DA AVANTGARDE CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. INÍCIO DE VIGÊNCIA: 17 DE ABRIL DE 2018.

MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS DA AVANTGARDE CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. INÍCIO DE VIGÊNCIA: 17 DE ABRIL DE 2018. MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS DA AVANTGARDE CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. INÍCIO DE VIGÊNCIA: 17 DE ABRIL DE 2018. 1. Metodologia de gerenciamento de risco O gerenciamento de riscos dos fundos geridos

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCOS PILAR 3 DISCIPLINA DE MERCADO

GERENCIAMENTO DE RISCOS PILAR 3 DISCIPLINA DE MERCADO GERENCIAMENTO DE RISCOS PILAR 3 DISCIPLINA DE MERCADO 2º TRIMESTRE - 2014 ÍNDICE 1. COMPROMISSO DA ALTA ADMINISTRAÇÃO... 3 2. INTRODUÇÃO... 3 2.1. O NOVO ACORDO DE BASILEIA (BASILEIA III)... 4 3. INSTITUCIONAL...

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll)

Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll) Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll) Índice Introdução... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos... 3 Informações Qualitativas... 3 Risco de Crédito... 3 Risco de Mercado... 5 Risco de Liquidez...

Leia mais

Política Gerenciamento de Riscos dos Fundos e Carteiras Geridos pelo Sicredi

Política Gerenciamento de Riscos dos Fundos e Carteiras Geridos pelo Sicredi Política Área Risco de Mercado, Liquidez e Alocação de Capital Período de Vigência De: 26/11/2018 Até: Indeterminado ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. DEFINIÇÕES... 3 2.1 Fatores de Risco Relevantes... 3 2.1.1

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL. Pilar 3 Basileia

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL. Pilar 3 Basileia RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL Pilar 3 Basileia DATA-BASE: 31/12/2018 (4T2018) Sumário Introdução... 3 Principais Categorias de Risco... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos e de Capital...

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL Pilar 3 Basileia DATA-BASE: 30/06/2018 (2T2018) Sumário Introdução... 3 Principais Categorias de Risco... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos e de Capital...

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll)

Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll) Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll) Índice Introdução... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos... 3 Informações Qualitativas... 3 Risco de Crédito... 3 Risco de Mercado... 5 Risco de Liquidez...

Leia mais

MANUAL PARA GERENCIAMENTO DE RISCOS MANUAL PARA GERENCIAMENTO DE RISCOS AGOSTO

MANUAL PARA GERENCIAMENTO DE RISCOS MANUAL PARA GERENCIAMENTO DE RISCOS AGOSTO 1 MANUAL PARA GERENCIAMENTO DE RISCOS 2 1 - Objetivo... 3 2 - Identificação dos riscos... 3 I. Risco de Crédito.... 3 II. Risco de Mercado.... 3 III. Risco de Liquidez.... 3 IV. Risco Operacional.... 3

Leia mais

KPR INVESTIMENTOS LTDA.

KPR INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE CONTROLE DE RISCOS KPR INVESTIMENTOS LTDA. CNPJ/MF 23.361.939/0001-87 NIRE 35.229.490.246 São Paulo POLÍTICA DE CONTROLE DE RISCOS 1. O presente Capítulo dispõe acerca da política de controle

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Riscos FRAM Capital Gestão de Ativos Ltda

Estrutura de Gerenciamento de Riscos FRAM Capital Gestão de Ativos Ltda Estrutura de Gerenciamento de Riscos FRAM Capital Gestão de Ativos Ltda Este documento foi desenvolvido e é atualizado pela área de Compliance da FRAM Capital Gestão de Ativos Ltda. As informações aqui

Leia mais

Gerenciamento de Riscos Circular 3.477

Gerenciamento de Riscos Circular 3.477 Gerenciamento de Riscos Circular 3.477 2º Trimestre de 2012 Conteúdo 1. OBJETIVO 3 2. INTRODUÇÃO 3 3. GERENCIAMENTO DE RISCOS 3 3.1. RISCO DE CRÉDITO 4 MENSURAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO 4

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos Estrutura de Gerenciamento de Capital Informações Adicionais e Dados Quantitativos Banco Mizuho do Brasil SA. 14/03/2014 1 Estrutura de Gerenciamento de Capital 1.

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL Pilar 3 Basileia DATA-BASE: 31/12/2015 (4T2015) Sumário Introdução... 3 Principais Categorias de Risco... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos e de Capital...

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL Pilar 3 Basileia DATA-BASE: 31/03/2017 (1T2017) Sumário Introdução... 3 Principais Categorias de Risco... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos e de Capital...

Leia mais

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO PERFIL DO BANCO RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS RISCO DE CRÉDITO RISCO DE MERCADO...

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO PERFIL DO BANCO RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS RISCO DE CRÉDITO RISCO DE MERCADO... Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 5 RISCO DE MERCADO... 8 6 RISCO DE LIQUIDEZ...

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 2 Trimestre de 2012 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 4 5 RISCO DE MERCADO... 8 6

Leia mais

WESTERN UNION CORRETORA DE CÂMBIO S.A. E BANCO WESTERN UNION DO BRASIL S.A. ( WU BRASIL )

WESTERN UNION CORRETORA DE CÂMBIO S.A. E BANCO WESTERN UNION DO BRASIL S.A. ( WU BRASIL ) WESTERN UNION CORRETORA DE CÂMBIO S.A. E BANCO WESTERN UNION DO BRASIL S.A. ( WU BRASIL ) Relatório de Gerenciamento de Risco Operacional Data base 31/12/2017 WU Brasil Rua Tabapuã, 1227, 7º andar - Itaim

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.678, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013

CIRCULAR Nº 3.678, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013 CIRCULAR Nº 3.678, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013 Dispõe sobre a divulgação de informações referentes à gestão de riscos, à apuração do montante dos ativos ponderados pelo risco (RWA) e à apuração do Patrimônio

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS 1T - 2014 O Banco Maxinvest, em atendimento a Circular BACEN nº 3.477/09, vem através deste, apresentar o Relatório de Gerenciamento de Riscos, que tem por objetivo

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS RELATÓRIO PÚBLICO ANUAL SCANIA BANCO - 2017 Scania Banco S.A. (CNPJ: 11.417.016/0001-10) Av. José Odorizzi, 151 - End. Interno (P11-02) São Bernardo do Campo SP CEP:

Leia mais

1º Trimestre de 2015 Basiléia III

1º Trimestre de 2015 Basiléia III Relatório de Gerenciamento de Riscos 1º Trimestre de 2015 Basiléia III Conteúdo Introdução... 3 Perfil do Banco... 3 Comparativo entre Balanço Individual e Balanço Publicado... 4 Princípios da Gestão de

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito Risco de Crédito Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito Conforme a resolução 3.721 do Banco Central do Brasil, define-se risco de crédito como a possibilidade de ocorrência de perdas associadas

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 2 Trimestre de 2013 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 4.1 Definição... 3 4.2 Gestão

Leia mais

10 - POLÍTICA DE RISCO DE MERCADO

10 - POLÍTICA DE RISCO DE MERCADO 1. INTRODUÇÃO A política de Risco de Mercado do Banco é definida pela Diretoria, considerando os normativos em vigor e as melhores práticas de governança. Para atingir seus objetivos a Instituição desenvolveu

Leia mais

Gerenciamento de Riscos

Gerenciamento de Riscos Introdução Com o objetivo de incentivar o gerenciamento de riscos e aproximar os conceitos de capital regulatório e econômico, o Comitê da Basiléia finalizou, em 2004, uma nova versão do acordo de capital,

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE GESTÃO DE RISCOS, APURAÇÃO DO RWA, PR E RAZÃO DE ALAVANCAGEM 3.678, BANCO ABN AMRO S.A.

RELATÓRIO SOBRE GESTÃO DE RISCOS, APURAÇÃO DO RWA, PR E RAZÃO DE ALAVANCAGEM 3.678, BANCO ABN AMRO S.A. Credit Risk True False Market Risk True False Operational Risk True False ALM&T False True Finance True False RELATÓRIO SOBRE GESTÃO DE RISCOS, APURAÇÃO DO RWA, PR E RAZÃO DE ALAVANCAGEM 3.678, 3.748 BANCO

Leia mais

RELATÓRIO DE RISCOS BANCO CATERPILLAR

RELATÓRIO DE RISCOS BANCO CATERPILLAR 2017 RELATÓRIO DE RISCOS BANCO CATERPILLAR Dez / 2017 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E COMPLIANCE... 1 3. RISCO DE MERCADO... 2 4. RISCO DE LIQUIDEZ... 4 5. GESTÃO DE

Leia mais

BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS S.A.

BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS S.A. BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS S.A. RELATÓRIO QUANTITATIVO DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES REFERENTES À GESTÃO DE RISCOS, AO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO (PRE) E À ADEQUAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito

Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito 1. DEFINIÇÃO E TIPOS DE RISCO DE CRÉDITO A Resolução nº 4.557 de fevereiro de 2017 do Conselho Monetário Nacional, define Risco de Crédito como a possibilidade

Leia mais

Banco Mercedes-Benz RISCO DE MERCADO E LIQUIDEZ Base: Janeiro 2017

Banco Mercedes-Benz RISCO DE MERCADO E LIQUIDEZ Base: Janeiro 2017 Banco Mercedes-Benz RISCO DE MERCADO E LIQUIDEZ Base: Janeiro 2017 INTRODUÇÃO O Banco Mercedes-Benz do Brasil considera a gestão de riscos como um dos pilares de sustentação de seus objetivos estratégicos.

Leia mais

Descrição da Estrutura de Gerenciamento 2015. - Risco Operacional -

Descrição da Estrutura de Gerenciamento 2015. - Risco Operacional - Descrição da Estrutura de Gerenciamento 2015 - Risco Operacional - Sumário 1. Introdução:... 3 2. Abrangência:... 3 3. Estrutura do Gerenciamento de Risco Operacional:... 3 3. Responsabilidades:... 4 Comitê

Leia mais

Decorrem de uma obrigação de direito advinda de uma operação/obrigação não liquidada pelo Cliente.

Decorrem de uma obrigação de direito advinda de uma operação/obrigação não liquidada pelo Cliente. 5.5 - POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS Visão do Risco A Magliano Corretora provê adequado entendimento e visualização dos riscos associados ao negócio, de forma que qualquer fato que possa interferir adversamente

Leia mais

RELATÓRIO DE RISCOS BANCO CATERPILLAR

RELATÓRIO DE RISCOS BANCO CATERPILLAR 2015 RELATÓRIO DE RISCOS BANCO CATERPILLAR Dez / 2015 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E COMPLIANCE... 1 3. RISCO DE MERCADO... 3 4. RISCO DE LIQUIDEZ... 4 5. GESTÃO DE

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS OCCAM BRASIL GESTÃO DE RECURSOS LTDA.

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS OCCAM BRASIL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS OCCAM BRASIL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Versão: setembro/2018 1. Objetivo: Esta Política tem por objetivo estabelecer os fundamentos associados ao processo de gestão de riscos

Leia mais

POLÍTICA E METODOLOGIA DE GESTÃO DE RISCOS

POLÍTICA E METODOLOGIA DE GESTÃO DE RISCOS Milestones Administradora de Recursos Ltda. POLÍTICA E METODOLOGIA DE GESTÃO DE RISCOS Junho/2017 Av. Pref. Waldemar Grubba, 2633 Fundos Sala C Bairro Vila Lalau 89256-900 Jaraguá do Sul SC +55 47 3276

Leia mais

Política de Gerenciamento de Risco de Crédito Outubro 2015

Política de Gerenciamento de Risco de Crédito Outubro 2015 Política de Gerenciamento de Risco de Crédito Outubro 2015 Elaboração: Risco Aprovação: Comex Classificação do Documento: Público ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. DEFINIÇÕES... 3 4. RESPONSABILIDADES...

Leia mais

MANUAL DE RISCO OPERACIONAL TERRA NOVA GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DE NEGOCIOS LTDA.

MANUAL DE RISCO OPERACIONAL TERRA NOVA GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DE NEGOCIOS LTDA. MANUAL DE RISCO OPERACIONAL TERRA NOVA GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DE NEGOCIOS LTDA. 1 Sumário Introdução...3 Definições...3 Gerenciamento de Risco...3 Apoio ao Gerenciamento...4 Escopo de Atuação de Risco...4

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS A política de gestão de risco da Milestones está alinhada com os objetivos de investimentos dos seus sócios e cotistas dos fundos (Familly Office WPA), fundamentando-se primariamente

Leia mais

ARTESIA GESTÃO DE RECURSOS S.A. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

ARTESIA GESTÃO DE RECURSOS S.A. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS ARTESIA GESTÃO DE RECURSOS S.A. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS São Paulo, 30 de maio de 2016 1. Introdução A presente Política de Gestão de Riscos ( Política ) estabelece procedimentos de controle e gerenciamento

Leia mais

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ Junho de 2013

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ Junho de 2013 POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ Junho de 2013 Elaboração: Gerencia de Riscos Revisão: Compliance Classificação do Documento: Público ÍNDICE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA... 3 2. DEFINIÇÕES...

Leia mais

RISCO DE CRÉDITO Estrutura Organizacional Gerenciamento de Riscos Banco Fidis S.A.

RISCO DE CRÉDITO Estrutura Organizacional Gerenciamento de Riscos Banco Fidis S.A. RISCO DE CRÉDITO Estrutura Organizacional A estrutura para gestão de riscos do Banco Fidis deverá ser composta de Comitê de Cobrança e Risco, que é o órgão com responsabilidade de gerir o Risco de Crédito,

Leia mais

POLITICA DE GESTÃO DE RISCO

POLITICA DE GESTÃO DE RISCO A AMB Consultores Associados mantém uma Política de Gestão de Risco para a gestão das carteiras, conforme estratégia de investimento a ser adotada em função do perfil de cada cliente. POLITICA DE GESTÃO

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS Diretoria de Riscos

MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS Diretoria de Riscos MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS Diretoria de Riscos Março de 2018 SUMÁRIO INTRODUÇÃO I. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E DIRETORIA DE RISCO... 4. II. TIPOLOGIA DOS RISCO... 6. II.1 RISCO DE MERCADO... 6. II.2 RISCO

Leia mais

MANUAL DE RISCOS DE MERCADO Modal Administradora de Recursos Ltda. MAR & Modal Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Modal DTVM

MANUAL DE RISCOS DE MERCADO Modal Administradora de Recursos Ltda. MAR & Modal Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Modal DTVM MANUAL DE RISCOS DE MERCADO Modal Administradora de Recursos Ltda. MAR & Modal Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Modal DTVM Última atualização: Janeiro / 2019 ÍNDICE I. OBJETIVO 3 II. DIRETRIZES

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO

POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO Gerência de Riscos e Compliance Página 1 Índice 1. Objetivo... 3 2. Abrangência... 3 3. Vigência... 3 4. Conceito... 3 5. Estrutura da Área... 4 6. Análise de Risco de Crédito...

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ - GRL

GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ - GRL GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ - GRL Conceito: Este manual disciplina a prática de GRL, definindo procedimentos adicionais às normas em vigor e, também, trazendo recomendações sobre aspectos específicos

Leia mais

ICBC DO BRASIL BANCO MÚ LTIPLO S/A. Relatório de Gerenciamento de Risco. Pilar III

ICBC DO BRASIL BANCO MÚ LTIPLO S/A. Relatório de Gerenciamento de Risco. Pilar III ICBC DO BRASIL BANCO MÚ LTIPLO S/A Relatório de Gerenciamento de Risco Pilar III Departamento de Gestão de Risco Data: 31/12/2014 Página 1 de 7 Índice ICBC do Brasil... 1 Pilar III... 1 Introdução:...

Leia mais

Relatório de Gestão de Risco. Relatório de Gestão de Riscos

Relatório de Gestão de Risco. Relatório de Gestão de Riscos Relatório de Gestão de Riscos 1. INTRODUÇÃO O presente relatório tem como objeto apresentar as informações quantitativas e qualitativas referentes às práticas de gestão de riscos da Agiplan Financeira

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS

RELATÓRIO DE ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS RELATÓRIO DE ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS NOVEMBRO / 2016 1. ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS 1.1 INTRODUÇÃO O gerenciamento de riscos da Biorc Financeira é acompanhado constantemente pela Diretoria, sendo

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco Operacional - CPBofAML

Estrutura de Gerenciamento de Risco Operacional - CPBofAML Estrutura de Gerenciamento de Risco Operacional - CPBofAML Dezembro 2017 1 Ouvidoria Telefone: 0800-8862000 e-mail: ouvidoria_bamlbrasil@baml.com Endereço: Avenida Brigadeiro Faria Lima, 3400-18º Andar

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA

POLÍTICA CORPORATIVA POLÍTICA CORPORATIVA POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO CÓDIGO: MINV-P-005 VERSÃO: 04 EMISSÃO: 10/2012 ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 06/2017 OBJETIVO Esta Política de Crédito tem por objetivo: 1. Garantir níveis adequados

Leia mais

BONSUCESSO ASSET ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA

BONSUCESSO ASSET ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA ELABORAÇÃO: APROVAÇÃO: GERÊNCIA DE RISCOS JULIANA PENTAGNA GUIMARÃES Diretoria da Sociedade LEANDRO SALIBA Diretoria da Sociedade INDICE 1. OBJETIVO... 2 2. REFERÊNCIAS... 2 3. CONCEITO... 2 4. ABRANGÊNCIA...

Leia mais

BS2 ASSET MANAGEMENT S.A ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA

BS2 ASSET MANAGEMENT S.A ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA ELABORAÇÃO: APROVAÇÃO: FRANCISCO FERRREIRA NETO Diretoria Executiva de Finanças e Riscos JULIANA PENTAGNA GUIMARÃES Diretoria da Sociedade LEANDRO SALIBA Diretoria da Sociedade INDICE 1. OBJETIVO... 2

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS Junho/2016 Sócios / Administração 1 / 7 Índice 1. Objetivo... 3 2. Estrutura... 3 a. Comitê de Risco... 3 3. Risco de Preço... 4 4. Risco de Liquidez e Concentração... 4 5.

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll)

Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll) Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll) Índice Introdução... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos... 3 Informações Qualitativas... 4 Risco de Crédito... 4 Risco de Mercado... 6 Risco de Liquidez...

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Pilar 3. 3º Trimestre 2014

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Pilar 3. 3º Trimestre 2014 Relatório de Gerenciamento de Riscos Pilar 3 3º Trimestre 2014 Estrutura de Gerenciamento de Capital 1. Comitê de Gestão de Ativos e Passivos As questões inerentes ao processo de gerenciamento de capital

Leia mais

Sax S/A Crédito, Financiamento e Investimento Relatório para atender aos requisitos estabelecidos na resolução do Conselho Monetário Nacional.

Sax S/A Crédito, Financiamento e Investimento Relatório para atender aos requisitos estabelecidos na resolução do Conselho Monetário Nacional. Relatório de Gestão de Riscos - 2018 Sax S/A Crédito, Financiamento e Investimento Relatório para atender aos requisitos estabelecidos na resolução 4.557 do Conselho Monetário Nacional. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DAYCOVAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA IRFM-1

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DAYCOVAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA IRFM-1 FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DAYCOVAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA IRFM-1 Versão: 1.0 Competência: 29/04/2016 Data de Geração: 29/05/2016 CNPJ/MF do FUNDO: 12.265.822/0001.83 Periodicidade

Leia mais

Descrição da Estrutura de Gerenciamento Risco de Liquidez -

Descrição da Estrutura de Gerenciamento Risco de Liquidez - Descrição da Estrutura de Gerenciamento 2011 - Risco de Liquidez - Sumário: 1. Introdução:... 3 2. Objetivo:... 3 3. Diretrizes de Gestão:... 3 4. Responsabilidades:... 4 4.1. Conselho de Administração:...

Leia mais

Faria Lima Capital. Manual para Gerenciamento de Riscos

Faria Lima Capital. Manual para Gerenciamento de Riscos Faria Lima Capital Manual para Gerenciamento de Riscos São Paulo 23/01/2018 0 Sumário 1. Objetivo... 2 2. Identificação dos riscos... 2 3. Processo de Gerenciamento de Riscos... 3 4. Áreas Responsáveis

Leia mais

RELATÓRIO DE RISCOS E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO

RELATÓRIO DE RISCOS E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO RELATÓRIO DE RISCOS E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO 4º TRIMESTRE DE 2012 Março de 2013. CONTEÚDO I. INTRODUÇÃO... 4 II. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS... 4 III. GESTÃO DE

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco Operacional - CPBofAML

Estrutura de Gerenciamento de Risco Operacional - CPBofAML Estrutura de Gerenciamento de Risco Operacional - CPBofAML Dezembro 2016 1 Ouvidoria Telefone: 0800-8862000 e-mail: ouvidoria_bamlbrasil@baml.com Endereço: Avenida Brigadeiro Faria Lima, 3400-18º Andar

Leia mais

DECLARAÇÃO DE APETITE AO RISCO (RISK APPETITE STATEMENT RAS)

DECLARAÇÃO DE APETITE AO RISCO (RISK APPETITE STATEMENT RAS) DECLARAÇÃO DE APETITE AO RISCO (RISK APPETITE STATEMENT RAS) ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS... 3 3 GESTÃO DE RISCOS... 3 3.1 TIPOS DE RISCOS E DIRETRIZES... 4 3.1.1 Risco de Mercado...

Leia mais

Política de Gestão de Risco de Crédito

Política de Gestão de Risco de Crédito 1/5 2/5 ÍNDICE 1 Introdução e objetivo... 3 2. Diretrizes... 3 3. Responsabilidades... 3 3.1. Equipe de Análise de Crédito do Gestor... 3 3.2. Gestor do fundo de investimentos... 3 3.3. Gestor de Risco

Leia mais

Gestão de Riscos e PRE Banco Mercedes-Benz do Brasil S.A. Base: Jun/2012 a Set/2013

Gestão de Riscos e PRE Banco Mercedes-Benz do Brasil S.A. Base: Jun/2012 a Set/2013 Gestão de Riscos e PRE Banco Mercedes-Benz do Brasil S.A. Base: Jun/2012 a Set/2013 Índice Introdução e Perfil 3 Crédito Política de Risco de Crédito 4 Exposição, exposição média e maiores clientes 6 Distribuição

Leia mais

CdR HOLLANDER CONSULTORIA E GESTÃO CONSULTORIA LTDA. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

CdR HOLLANDER CONSULTORIA E GESTÃO CONSULTORIA LTDA. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS CdR HOLLANDER CONSULTORIA E GESTÃO CONSULTORIA LTDA. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS Setembro/2017 POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS SUMÁRIO 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA E ESTRUTURA...4 3. RISCO DE PREÇO...4

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS - MCI

MANUAL DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS - MCI VERSÃO PÁGINA POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS OPS POL 11.1 1ª 1/5 I. OBJETIVOS A política de Gestão de Riscos da Necton se constitui em um conjunto de princípios que norteiam a estratégia da instituição no

Leia mais

GESTÃO DE CAPITAL 1. OBJETIVO

GESTÃO DE CAPITAL 1. OBJETIVO 1. OBJETIVO GESTÃO DE CAPITAL Estabelecer diretrizes para a gestão de capital com o objetivo de manter o capital ajustado aos riscos incorridos pela instituição, de forma compatível com a natureza das

Leia mais