ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA"

Transcrição

1 ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA SOCIAL COORDENADORIA SETORIAL DA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO CSCPL NÚCLEO DE EXECUÇÃO EM LICITAÇÕES ADMINISTRATIVAS E LICITAÇÕES E CONVÊNIOS COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO - CPL Rua. Zadir Índio, 213 Centro Maceió CEP: Fones (82) FAX (82) SEDS/CPL ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA DO CURSO DE ANALISTA DE CRIME, EXCEL AVANÇADO, INTRODUÇÃO AO BALANCED SCORECARD (BSC), ITIL FOUNDATIONS, COBIT FOUNDATIONS, INTRODUÇÃO AO ORACLE, DESENVOLVIMENTO ORACLE (PL/SQL), ADMINISTRAÇÃO ORACLE (DISCOVERER) e ORACLE RAC (CONVÊNIO Nº /2012) 1. OBJETIVO GERAL Capacitar Profissionais de Segurança Pública com foco a obter uma metodologia de Análise Criminal, na qual possam produzir conhecimento que visem subsidiar as decisões de gestão e políticas públicas de defesa social. 2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS a. Propiciar o conhecimento no uso de programas estatísticos de computador para obtenção de padrões quantitativos; b. Dotar os participantes no conhecimento de sistemas de georreferenciamento (MapInfo, ArcGis ou TerraView) ; c. Favorecer o entendimento em analisar dados e informações em busca de perfis, associações, padrões, tendências e as razões da ocorrência, para o uso da Análise Criminal; d. Capacitar os participantes objetivando que eles saibam da importância em garimpar dados e informações na busca de conhecimento úteis no planejamento de políticas de segurança; e. Sistematizar conhecimentos fundamentais na produção de relatórios administrativos, táticos e estratégicos de segurança pública para a Secretaria de Estado e Defesa Social e os órgãos operativos de segurança pública; f. Fomentar a cultura e a aplicação de conhecimentos de análise criminal nos profissionais de segurança pública. g. Promover o conhecimento no uso de planilhas eletrônicas para obtenção de padrões quantitativos;

2 h. Possibilitar o conhecimento necessário para a manipulação de dados, na qual subsidiem a Análise Criminal; i. Dotar os diversos órgãos subordinados a Defesa Social na gestão da informação facilitando processos de higienização, extração e análise de dados; j. Aprimorar as práticas de gerenciamento de processos e negócio dos órgãos de Tecnologia da Informação subordinados a SEDS; k. Otimizar no uso do Gerenciador de Banco de Dados Oracle visando a manipulação dos dados na Secretaria de Estado da Defesa Social; l. Estimular a integração dos órgãos subordinados de defesa social no conhecimento do Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados utilizado na Secretaria de Estado da Defesa Social; m. Aprimorar o desenvolvimento de Sistemas de Informações no âmbito da Defesa Social. 3. JUSTIFICATIVA É notório e público que o Estado de Alagoas nos últimos 10 (dez) anos vem sofrendo com altos índices de violência e com taxas de homicídios acima da média, cada vez mais crescente e por diversos motivos: ausência do Estado, desintegração social, evasão escolar, fatores econômicos e jurídicos,..., dentre outros. Outrossim, o Estado de Alagoas não possuía, até pouco mais de 1 (um) ano atrás, em seu aparelho policial, bases de dados integradas e confiáveis com uma estrutura adequada de análise do comportamento criminal. E assim, possivelmente, este foi um dos fatores que contribuíram, durante muitos anos, para o desenvolvimento criminal, pois os governos as cegas agiram sem um diagnóstico preciso de melhor emprego de seus recursos policiais, e assim, as ações possuíam uma eficácia limitada. Dessa forma, o Governo do Estado preocupado e com esforço procura soluções viáveis para a contenção destes números de incidência de delitos, desdobrando diversas ações, dentre elas, a criação, através da Lei Delegada DOE nº 067 de 09 de abril de 2011) do Núcleo de Estatística e Análise Criminal-NEAC, órgão com o objetivo de estudar os fatores fomentadores da criminalidade e dar suporte em termos de seu conhecimento. Contudo, possui também uma missão precípua de coordenar e implantar uma metodologia de Análise Criminal. Para tanto, será necessário ter uma estrutura que possa processar, sistematicamente, uma coleta proveniente da integração das mais diversas bases de dados, tratá-las e associá-las a

3 outros conjuntos de informações para que se venha extrair conhecimentos quantitativos e qualitativos, e ainda, expressá-los em relatórios específicos. Neste sentido, a Secretaria de Estado de Defesa Social vem investindo no NEAC, em sua estruturação necessária, conforme mencionamos acima. Contudo, a situação emergencial e degradante dos índices de crimes letais intencionais e contra o patrimônio demandam uma velocidade maior para que tais medidas de estruturação tenham um efeito em prazo menor. Destarte, o Estado de Alagoas, embora tenha feito esforços neste sentido, não consegue acompanhar tal exigência, justamente, por desenvolver muitas ações paralelas de estruturação de diversos setores do Estado. Logo, o Edital n. 08/2012 da SENASP seria uma alternativa de acelerar a implantação do supramencionado processo de estruturação. Vale ressaltar, que nos órgãos operativos do sistema de defesa social de Alagoas, Polícia Militar e Civil, já possuem setores que processam dados de registro de ocorrências criminais para produção de informação qualificada. No entanto, não avançaram além da estatística, provavelmente, justamente pela falta de uma estruturação mais adequada para funcionar e capacitação devida. Neste passo, faz, também, necessário uma integração maior e sistêmica entre estes órgãos e o NEAC, uniformizando e refinando métodos, em termos de Análise Criminal, para que se possa produzir mais e de forma organizada, evitando duplicação de trabalhos, em paralelos, e, consequentemente, o desperdício, em épocas de recursos cada vez mais escassos. Por isso, nossa proposta tem o escopo de integrar estes órgãos ao NEAC, metodologicamente, em capacitação na área de estatística e analise criminal, consequentemente, em ferramentas de tecnologias da informação para que se possa compartilhar, no futuro próximo, conhecimento criminal. Dessa maneira, nossa proposta de ações será exposta de forma concatenada, obedecendo a uma sistemática, tendo por base o trabalho já desenvolvido nas 3 (três) subchefias existentes no NEAC, a Coleta e Tratamento de dados, a Estatística e a Interpretação e Análise Criminal. No entanto, é preciso citar aquilo que é necessário ao funcionamento adequado do órgão como um todo, e ainda, em termos de nivelamento de capacitação com os órgãos de Estatística e Análise Criminal das Policiais Militar e Civil, visando troca futura de conhecimento. Neste contexto, elencamos nossa citada proposta de ações em 02 (dois) temas: integração institucional e estrutura do NEAC em si, com ênfase a cada uma das 03 (três) Subchefias do NEAC.

4 4. METODOLOGIA DE TRABALHO 4.1. Metodologia Os cursos terão, em seu conjunto, metodologias ativas - participativas, com aulas expositivas e dialogadas, atividades em grupos e individuais para a facilitação do aprendizado. Serão adotadas técnicas estimuladoras de aprendizagem, para assimilação do conteúdo das disciplinas teóricas e relacionadas com a experiência prática. Para melhor esclarecer, técnicas e atividades planejadas facilitadoras de aprendizagem serão utilizadas durante a aula presencial com: Exposição dialogada Estudos dirigidos Aulas práticas A avaliação dos alunos será realizada através de sua participação durante os cursos, onde se verificará a absorção das técnicas ministradas e do conteúdo teórico dos conhecimentos transmitidos e frequência de participação no curso igual ou superior a 75%. a) CURSO DE ANALISTA DE CRIME e o CURSO DE EXCEL AVANÇADO A instituição a ser contratada deverá disponibilizar equipamentos e estrutura física para realização de aulas teóricas na cidade de Maceió/AL, com salas de aula compatíveis com a participação e acomodação para no mínimo 30 alunos, em turma única no Curso de Excel Avançado, e 02(duas) turmas no Curso de Analista de Crime, onde devem proporcionar condições confortáveis e materiais de apoio que promovam a otimização do processo de ensinoaprendizagem (salas de aulas com quadro branco, cadeiras acolchoadas com prancheta, flipcharter, recursos audiovisuais, multimídia (datashow) e de informática, condicionador de ar, bebedouro do tipo gelágua etc.), sendo também ofertado material didático impresso relativo às disciplinas do curso. (As apostilas encadernadas deverão obedecer às normas da ABNT vigentes.) b) CURSO DE INTRODUÇÃO AO BALANCED SCORECARD (BSC), ITIL FOUNDATIONS, COBIT 4.1 FOUNDATIONS e o CURSO DE INTRODUÇÃO AO ORACLE, DESENVOLVIMENTO ORACLE (PL/SQL), ADMINISTRAÇÃO ORACLE (DISCOVERER) e ORACLE RAC As instituições a serem contratadas deverão disponibilizar material didático impresso relativo às disciplinas dos cursos. (As apostilas encadernadas deverão obedecer às normas da ABNT vigentes.), bem como propiciar as condições para o

5 treinamento de 20 alunos, configurando o ambiente tecnológico (laboratório de informática) disponibilizado pela SEDS/AL necessário para o ensino-aprendizagem Critérios de Seleção de Discentes O Corpo Discente de cada curso deverá ser composto por Profissionais da Segurança Pública do Estado de Alagoas, integrantes da Polícia Militar, Polícia Civil e SEDS, que necessitem da gestão da informação de segurança pública, onde as instituições deverão dar preferência aos profissionais que atuem nas atividades de Tecnologia da Informação e Análise Criminal, ou na falta, nas atividades de inteligência, a fim de aprimorar o conhecimento e tornarem-se multiplicadores destas temáticas no âmbito da Secretaria de Estado da Defesa Social. Deverão ser indicados pelos Dirigentes Gerais dos Órgãos de Segurança, e assim matriculados nos Cursos por meio de Portaria da SEDS publicada no Diário Oficial do Estado. O público alvo beneficiado será compreendido: - CURSO DE ANALISTA DE CRIME 02 (duas) turmas com 30 (trinta) alunos cada, totalizando 60 (sessenta) discentes participantes da capacitação. - CURSO DE EXCEL AVANÇADO 01 (uma) turma com 30 (trinta) alunos. - CURSO DE INTRODUÇÃO AO BALANCED SCORECARD (BSC), ITIL FOUNDATIONS, COBIT 4.1 FOUNDATIONS 01 (uma) turma única com 20 (vinte) alunos para os assuntos/módulos previstos. - CURSO DE INTRODUÇÃO AO ORACLE, DESENVOLVIMENTO ORACLE (PL/SQL), ADMINISTRAÇÃO ORACLE (DISCOVERER) e ORACLE RAC 01 (uma) turma única com 20 (vinte) alunos para os assuntos/módulos previstos. Cada curso possuirá vagas divididas por Instituição, conforme o quadro abaixo, aos quais serão indicados pelo Dirigente Geral de cada Órgão de Segurança através de Diário Oficial do Estado. Salientando que caso a Instituição de Segurança Pública que deixe de apresentar, no todo ou em parte, o quantitativo de alunos a ela destinados, o número de vagas será redistribuído para outra instituição e assim sucessivamente.

6 4.1.2 Distribuição de Alunos por turma: - CURSO DE ANALISTA DE CRIME E EXCEL AVANÇADO QUANTIDADE DE INSTITUIÇÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA PROFISSIONAIS Polícia Militar 10 Polícia Civil 10 Secretaria de Defesa Social 10 TOTAL DE PROFISSIONAIS POR CURSO 30 - CURSO DE INTRODUÇÃO AO BALANCED SCORECARD (BSC), ITIL FOUNDATIONS, COBIT 4.1 FOUNDATIONS, INTRODUÇÃO AO ORACLE, DESENVOLVIMENTO ORACLE (PL/SQL), ADMINISTRAÇÃO ORACLE (DISCOVERER) e ORACLE RAC QUANTIDADE DE INSTITUIÇÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA PROFISSIONAIS Polícia Militar 05 Polícia Civil 05 Secretaria de Defesa Social 10 TOTAL DE PROFISSIONAIS POR CURSO Métodos e Processos de Ensino O ensino relativo às atividades de classe deve ser objetivo, contínuo, gradual e sucessivo no âmbito de cada disciplina. Deverá ser conduzido de modo que: 1) A teoria abranja as ações da vida real; 2) A prática se traduza em aplicação de real utilidade, em face dos objetivos educacionais enfocados; 3) Exista correlação entre a teoria e a prática; 4) Haja sequência lógica na enumeração e exposição dos assuntos de cada disciplina; 5) A execução dos programas será desenvolvida de acordo com as disciplinas ou assuntos dos diversos procedimentos didáticos: Aula Expositiva (AE) Conferência (Cn) Debate (Db) Demonstração (Dm) Discussão Dirigida (DD) Estudo Dirigido (ED) Estudo de Caso (EC) Painel (Pn) Palestra (Pl)

7 Resolução de Problemas (RPb) Seminário (Sm) Trabalho em Grupo (TG), etc. 4.3 Atividades Docentes Critérios de Seleção de Docentes O corpo docente deverá ser composto: - CURSO DE ANALISTA DE CRIME Profissionais de nível superior, com notável saber e experiência nas áreas abordadas pelo curso, sendo especialistas ou mestres. - CURSO DE EXCEL AVANÇADO Profissionais que comprovem experiência em docência mínima de 01 (um) ano nas áreas abordadas pelo curso, bem como através de certificações em Microsoft Excel compatível com a ementa deste curso. - CURSO DE INTRODUÇÃO AO BALANCED SCORECARD (BSC), ITIL FOUNDATIONS e COBIT 4.1 FOUNDATIONS Profissionais que comprovem experiência em docência mínima de 1 (um) ano nas áreas abordadas por cada módulo do curso, bem como através de certificações em Itil, Cobit e BSB compatíveis com a ementa de cada módulo do curso. - CURSO DE INTRODUÇÃO AO ORACLE, DESENVOLVIMENTO ORACLE (PL/SQL), ADMINISTRAÇÃO ORACLE (DISCOVERER) e ORACLE RAC Profissionais que comprovem experiência em docência mínima de 1 (um) ano nas áreas abordadas pelo curso, bem como através de certificações em Oracle compatíveis com a ementa destes curso. Os currículos dos docentes de cada curso deverão ser submetidos à apreciação do Núcleo de Ensino Integrado da SEDS/AL, da Coordenadoria Setorial de Tecnologia da Informação e do Núcleo de Estatística e Análise Criminal para validação dos mesmos. Na condução das aulas, os professores e instrutores deverão orientar suas atividades de forma a:

8 1) Manter os alunos permanentemente incentivados nas questões das ferramentas específicas da gestão da informação de cada curso, lançando mão de todos os recursos disponíveis, para tanto, deverão ter em mente os métodos e processos previstos neste Plano. Ainda, conscientizarem-se de que são fundamentais quatro fontes incentivadoras: 1.1. A própria matéria de ensino; 1.2. A didática (metodologia/estratégica) utilizada pelo professor; 1.3. Utilização dos modernos recursos audiovisuais; 1.4. A experiência/competência do docente. 2) Estabelecer a cooperação sincera e honesta dos alunos entre si e com o professor (interatividade mútua); 3) Habituar os alunos a pedir esclarecimento sobre assuntos ministrados durante a aula; 4) Incutir e desenvolver hábitos de trabalho mental de atenção e reflexão assim como espírito de equipe, de ordem e método de análise e síntese; 5) Utilizar todos os recursos didáticos/midiáticos com clareza e precisão de linguagem para bem se fazer compreender; 6) Estimular a dedicação ao trabalho e desenvolver a confiança no esforço pessoal; 7) Orientar o aluno quanto à técnica mais apropriada para o estudo da disciplina e questões relacionadas às ferramentas específicas da gestão da informação de cada curso; 8) Verificar constantemente a aprendizagem dos alunos, de modo que se possa avaliar se houve aprendizagem a cada assunto exposto; 9) Estimular a cooperação entre os alunos, através de trabalho em grupo; 10) Incentivar pesquisas em todas as fases do ensino. 5. GRADE CURRICULAR / PLANO DE CURSO 5.1. CURSO DE ANALISTA DE CRIME GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ANALISTA DE CRIME DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA 1 Introdução ao Geoprocessamento e Análise Criminal 04 2 Geoprocessamento e Análise Criminal (Treinamento em Ferramentas específicas) 3 O Uso de Estatísticas Descritivas para a Análise de Crime 20 4 Teorias Criminais e Noções de Análise 18 26

9 CARGA HORÁRIA TOTAL POR TURMA 68 Nome Curso: do PLANO DE CURSO Analista de Crime Número de alunos a serem capacitados: Carga Horária Total (em hora/aula h/a) 30 Quantitativo de turmas: 2 68 H/A Observação, caso haja: Disciplina 1: Carga Horária: Introdução ao Geoprocessamento e Análise Criminal 4 H/A Mostrar a importância e as possibilidades oferecidas pelo geoprocessamento enquanto instrumento para controle, acompanhamento e avaliação de políticas voltadas para as questões de criminalidade e segurança pública. Noções básicas de Geoprocessamento A importância do Geoprocessamento na área de análise criminal Metodologia : Aulas teóricas fundamentadas em livros, artigos, projetos de pesquisas e sites sobre o tema a ser desenvolvido com explanação do assunto e aplicação de exercícios complementares. Bibliografia Básica: Disciplina 2: Carga Horária: Uso do Geoprocessamento para auxiliar a segurança Pública no mapeamento da criminalidade em Teresina-PI. Disponível em: <http://www.redenet.edu.br/publicacoes/arquivos/ _104353_geom- 017.pdf> CÂMARA, G., DAVIS, C., MONTEIRO, A. M. V.,PAIVA J. A., D ALGE, J. C. L. Geoprocessamento: Teoria e Aplicações. Disponível em: <http://www.dpi.inpe.br/gilberto/livro> Emprego das ferramentas de análise criminal no planejamento operacional nos batalhões da 12ª região da polícia militar: análise e diagnóstico. Disponível em: < NOS-BATALHOES-DA-12%C2%AA-RPM _2011_8_26_17_54.pdf > Geoprocessamento e Análise Criminal (Treinamento em Ferramentas específicas) 26 H/A Apresentar ferramentas específicas de geoprocessamento utilizadas na área de análise criminal

10 Metodologia : Bibliografia Básica: Disciplina 3: Carga Horária: Metodologia : Conceitos Iniciais Configuração Trabalhando com Tabelas Área de Trabalho Controle de Níveis Seleções e Consultas Geocodificação Mapas Temáticos Layout Uso do Software CrimeStat para construção de mapas de Kernel Aulas teóricas fundamentadas em livros, artigos, projetos de pesquisas e sites sobre o tema a ser desenvolvido com explanação do assunto e aplicação de exercícios complementares. Aulas práticas em ferramentas específicas para melhor compreensão do assunto. MapInfo - Programa para Gestão da Informação Geográfica. Disponível em: <http://www.ebah.com.br/content/abaaaaw U0AA/mapinfo-programa-gestao-informacao-geografica> A simbologia dos programas dedicados ao mapeamento temático. Disponível em:< pdf> O Uso de Estatísticas Descritivas para a Análise de Crime 20H/A Retratar dados disponíveis na rede sobre criminalidade, violência urbana e justiça criminal. Mostrar as diversas bases de criminalidade no Brasil: SUS e IBGE e o que os dados dizem sobre homicídio e população, comparando regiões do Brasil. Fontes de dados disponíveis na rede sobre criminalidade, violência e justiça criminal Bases de dados sobre crime no Brasil (lidando com os dados de homicídio) Matriz de dados de criminalidade Crimes violentos em uma região metropolitana Comparando regiões Aulas teóricas fundamentadas em livros, artigos, projetos de pesquisas e sites sobre o tema a ser desenvolvido com explanação do assunto e aplicação de exercícios complementares. Aulas práticas no Access e Excel para melhor compreensão do assunto.

11 Bibliografia Básica: Disciplina 4: Carga Horária: Metodologia : Bibliografia Básica: - Guia para a prevenção do crime e da Violência. Disponível em: < - Prevenção ao Crime e Justiça Criminal. Disponível em: < - Políticas Públicas de Segurança e Justiça Criminal. Disponível em: < - Políticas de segurança pública, criminalidade e insegurança: Pequeno esboço das principais linhas da discussão teórica a Partir do contexto atual brasileira. Disponível em: < IBGE : Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: Análise da mortalidade por homicídios no Brasil. Disponível em: < mortalidade_homicidios.pdf>. Painel de indicadores do SUS. Disponível em: < Teorias Criminais e Noções de Análise 18 H/A Apresentar o conceito de criminologia, sua aplicação, os diversos tipos de teorias criminológicas existentes e algumas situações e estratégias de ação. Aplicação de Teorias Criminológicas Simulações e Estratégias de Ação Estudos Situacionais Aulas teóricas fundamentadas em livros, artigos, projetos de pesquisas e sites sobre o tema a ser desenvolvido com explanação do assunto e aplicação de exercícios complementares. Teorias criminológicas sobre o problema do crime Disponível em: Compreender Teorias Criminologia. Disponível em: < BR&langpair=en%7Cpt&u=http://www.criminology.com/resources/understandin g-criminology-theories/> Análise Criminal. Disponível em: <http://www.mp.sp.gov.br/ portal/page/portal/agi/metodos/analise_criminal> Análise Criminal. Disponível em: < com.br/files/ publicacao/analisecriminal_completo.pdf> Novos paradigmas em segurança pública. Disponível em: <http://universidadepublica.org/novos-paradigmas-em-seguranca-publica/> 5.2. CURSO DE EXCEL AVANÇADO GRADE CURRICULAR DO CURSO DE EXCEL AVANÇADO DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA 1 Introdução às Macros 12 2 Macros com Microsoft Office Excel 2007 ou superior 08 3 Macros interativos com o usuário 04

12 CARGA HORÁRIA TOTAL 24 Nome do Curso: Número de alunos a serem capacitados: Carga Horária Total (em hora/aula h/a) Observação, caso haja: Disciplina 1: Bibliografia Básica: Disciplina 2: PLANO DE CURSO Excel Avançado 30 Quantitativo de turmas: 1 24 H/A Introdução às Macros 12 H/A Propiciar ao profissional condição para o desenvolvimento de competências necessárias para a utilização dos recursos referentes às macros em uma planilha eletrônica Excel. Macro e ambiente VBA Ativação da Guia Desenvolver Arquivos do Microsoft Office Excel 2007 ou superior Os tipos de Macro Macros de comando Macros de funções definidas pelo usuário Macro de sub-rotina Necessidade de planejar uma macro O Ambiente Microsoft Visual basic A construção de uma macro Características típicas de macro em VBA Linhas de comentários Os comandos Sub/End Sub Nome do procedimento Código-fonte do procedimento Executar uma macro Macros de endereço absoluto e relativo O ambiente Microsoft Visual basic Caixa objeto Caixa procedimento/evento Barra de divisão Barra do indicador de margem Ícone Exibir Procedimento Ícone Exibir Módulo Completo Aulas teóricas fundamentadas em apostilas próprias do curso para apresentação do assunto e aulas práticas no Excel para melhor fixação do curso. - Criando Macros no Excel (VBA). Disponível em: <http://ultradownloads.com.br/biblioteca/apostilas-e-cursos/criando- Macros-no-Excel-VBA/>. - Apostila de Microsoft Excel. Disponível em: <http://jr3msofthou.dominiotemporario.com/doc/apostila_de_excel.pdf>. - Apostilas/ microsoft office/ apostila completa de excel. Disponível em: <http://www.oficinadanet.com.br/apostilas/ detalhe/534/apostila_completa_de_excel>. - Apostila excel avançado. Disponível em: <http://baixe.net/baixar/down3023.html>. - Apostila Excel: 2010, avançado, 2007, básico. Disponível em: <http://www.dsconto.com/apostila-excel-2010-avancado-2007-basico/>. Macros com Microsoft Office Excel 2007 ou superior

13 Bibliografia Básica: Disciplina 3: Bibliografia Básica: 8 H/A Aprimorar os conhecimentos no que se refere ao uso de macros no excel 2007 ou superior, de modo que o aluno esteja apto a explorar da melhor forma esse recurso. Definição de planilha Área de recepção dos dados Macro para recepção dos dados Macro para transporte dos dados Visão da macro criada Macro para cadastros dos dados Macro para ordenar dados Macro para salvar dados Aulas teóricas fundamentadas em apostilas próprias do curso para apresentação do assunto e aulas práticas no Excel para melhor fixação do curso. Criando Macros no Excel (VBA). Disponível em: <http://ultradownloads.com.br/biblioteca/apostilas-e-cursos/criando- Macros-no-Excel-VBA/>. - Apostila de Microsoft Excel. Disponível em: <http://jr3msofthou.dominiotemporario.com/doc/apostila_de_excel.pdf>. - Apostilas/ microsoft office/ apostila completa de excel. Disponível em: <http://www.oficinadanet.com.br/apostilas/ detalhe/534/apostila_completa_de_excel>. - Apostila excel avançado. Disponível em: <http://baixe.net/baixar/down3023.html>. - Apostila Excel: 2010, avançado, 2007, básico. Disponível em: <http://www.dsconto.com/apostila-excel-2010-avancado-2007-basico/>. Macros interativos com o usuário 4 H/A Capacitar os participantes a conhecer e utilizar a nível prático macros interativos para elaboração de suas planilhas. Botões para executar macros Associar macro ao botão Exibir mensagens na barra de status Mensagens com caixas de mensagens Aulas teóricas fundamentadas em apostilas próprias do curso para apresentação do assunto e aulas práticas no Excel para melhor fixação do curso. Criando Macros no Excel (VBA). Disponível em: <http://ultradownloads.com.br/biblioteca/apostilas-e-cursos/criando- Macros-no-Excel-VBA/>. - Apostila de Microsoft Excel. Disponível em: <http://jr3msofthou.dominiotemporario.com/doc/apostila_de_excel.pdf>. - Apostilas/ microsoft office/ apostila completa de excel. Disponível em: <http://www.oficinadanet.com.br/apostilas/ detalhe/534/apostila_completa_de_excel>. - Apostila excel avançado. Disponível em: <http://baixe.net/baixar/down3023.html>. - Apostila Excel: 2010, avançado, 2007, básico. Disponível em: <http://www.dsconto.com/apostila-excel-2010-avancado-2007-basico/> CURSO DE INTRODUÇÃO AO BALANCED SCORECARD (BSC) GRADE CURRICULAR DO CURSO DE INTRODUÇÃO AO BALANCED SCORECARD (BSC) DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA

14 1 Visão Geral do Balanced Scorecard 04 2 Construção do Balanced Scorecard 04 3 Informatização do Balanced Scorecard 04 4 Trabalho de Conclusão 04 CARGA HORÁRIA TOTAL POR TURMA 16 PLANO DE CURSO Nome do Curso: Introdução ao Balanced Scorecard (BSC) Número de alunos a serem capacitados: 20 Quantitativo de turmas: 1 Carga Horária Total (em hora/aula h/a) Observação, caso haja: Disciplina 1: Disciplina 2: 16 H/A Visão Geral do Balanced Scorecard 4 H/A Propiciar ao profissional uma visão geral do Balanced Scorecard. Conceitos de Gestão do desempenho e alinhamento estratégico e administração estratégica. Conceitos de Estratégia; Introdução ao Balanced Scorecard - Perspectiva Financeira - Perspectiva Clientes - Perspectiva Processos - Perspectiva Aprendizado e Crescimento - Scorecards; - Objetivos; - Indicadores; - Metas; - Planos de Ação ou iniciativas; - Mapas Estratégicos; - Relações de causa e efeito; - Construção do mapa estratégico; - Objetivos dos mapas estratégicos; - Case: Discussão de um case sobre BSC; Aulas teóricas fundamentadas em apostilas próprias do curso. - Balanced Scorecard e a Gestão Estratégica. Disponível em: < >. Construção do Balanced Scorecard 4 H/A Aprimorar os conhecimentos na Balanced Scorecard. Mapeamento da Estratégia; Definição de Objetivos; Definição de Indicadores; Definição de Metas; Definição de Iniciativas. Aulas teóricas fundamentadas em apostilas próprias do curso. - Balanced Scorecard e a Gestão Estratégica. Disponível em: < >..

15 Disciplina 3: Disciplina 4: Informatização do Balanced Scorecard 4 H/A Demonstrar aos participantes as ferramentas tecnológicas existentes para o uso do Balanced Scorecard. Requisitos para a Informatização; Alternativas de Informatização; O Planejamento da Informatização; Exemplos de Projetos e Aplicativos de BSC. Aulas teóricas e de recurso áudio visual. - Balanced Scorecard e a Gestão Estratégica. Disponível em: < >. Trabalho de Conclusão 4 H/A Construir com participantes o Balanced Scorecard. Construção e implementação do Balanced Scorecard. Aulas teóricas fundamentadas em apostilas próprias do curso e demonstração de sistemas informatizados. - Balanced Scorecard e a Gestão Estratégica. Disponível em: < > CURSO DE ITIL FOUNDATIONS GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ITIL FOUNDATIONS DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA 1 Introdução do ITIL V3 Foundations 04 2 ITIL & Conceitos e Terminologia 04 3 Ciclo de Vida de Serviços 04 4 Fase da Estratégia e do Desenho de Serviço 06 5 Fase da Transição e da Operação de Serviço 04 6 Fase da Melhoria Contínua de Serviço 02 CARGA HORÁRIA TOTAL 24 PLANO DE CURSO Nome do Curso: ITIL Foundations Número de alunos a serem capacitados: Carga Horária Total (em hora/aula h/a) Observação, caso haja: Disciplina 1: 20 Quantitativo de turmas: 1 24 H/A Introdução do ITIL V3 Foundations 4 H/A Propiciar ao profissional uma visão geral sobre estratégia e governança. Estratégia e Planejamento Estratégico Governança Corporativa Balanced Scorecard

16 Six Sigma ISO 9000 Ciclo de Melhoria Contínua de Deming Gerenciamento de Projetos Governança de TI Malcolm Baldrige CMMI COBIT ITIL Comparação Aulas teóricas e de recurso áudio visual. -Bibliografia Oficial do ITIL V3 Foundations. Disciplina 2: ITIL & Conceitos e Terminologia 4 H/A Apresentar ao profissional uma visão geral do Itil v3 Foundations. O que é ITIL? Benefícios Principais Patrocinadores Histórico Livros ITIL V2 Foundation Livros ITIL V3 Foundation ITIL_V3: Processos e Funções ITIL_V3: Estrutura dos Livros ITIL_V3: Melhorias Evolução do ITIL ITIL & Outros Frameworks Certificações Conceitos e Terminologias Produtos e Serviços Provedores de Serviços Clientes e Usuários Gerenciamento de Serviços Processos Características de um Processo Funções Papéis e Responsabilidades RACI Dono de Processo e de Serviço Aulas teóricas e de recurso áudio visual. -Bibliografia Oficial do ITIL V3 Foundations. Disciplina 3: Ciclo de Vida de Serviços 4 H/A Demonstrar aos participantes a estruturação do ITIL V3. Componentes da Biblioteca ITIL O Ciclo de Vida de Serviços Publicações Complementares Estratégia de Serviço Desenho de Serviço Transição de Serviço Operação de Serviço Melhoria Contínua de Serviço Processos e Funções Integrações Estudo de Caso

17 Aulas teóricas e de recurso áudio visual. - Bibliografia Oficial do ITIL V3 Foundations. Disciplina 4: Fase da Estratégia e do desenho de Serviço 6 H/A Demonstrar aos participantes as fases do ITIL V3. Objetivo da Fase Valor para o Negócio Princípios e Conceitos Básicos Atividades Processos da Fase da Estratégia: Gerenciamento de Portfólio de Serviços Gerenciamento Financeiro Gerenciamento da Demanda Processos da Fase do Desenho: Gerenciamento de Catálogo de Serviço Gerenciamento de Nível de Serviço Gerenciamento de Fornecedores Gerenciamento da Disponibilidade Gerenciamento da Capacidade Gerenciamento da Continuidade do Serviço Gerenciamento da Segurança da Informação Relacionamento Gerenciamento da Informação Desafios Fatores Críticos de Sucesso Funções Dúvidas Avaliação do entendimento Aulas teóricas e de recurso áudio visual. - Bibliografia Oficial do ITIL V3 Foundations. Disciplina 5: Fase da Transição e da Operação de Serviço 4 H/A Demonstrar aos participantes as fases do ITIL V3. Objetivo da Fase Valor para o Negócio Princípios e Conceitos Básicos Atividades Processos e Funções da Transição: Planejamento e Suporte de Transição Gerenciamento de Mudança Gerenciamento da Configuração & de Ativo de Serviço Gerenciamento de Liberação e Implantação Validação do Serviço Avaliação Gerenciamento do Conhecimento Processos e Funções da Operação: Gerenciamento de Evento Gerenciamento de Incidente Gerenciamento de Problema Gerenciamento de Acesso Cumprimento de Requisição Relacionamento Gerenciamento da Informação Desafios

18 Disciplina 6: Fatores Críticos de Sucesso Funções Dúvidas Avaliação do entendimento Aulas teóricas e de recurso áudio visual. - Bibliografia Oficial do ITIL V3 Foundations. Fase da Melhoria Contínua de Serviço 2 H/A Demonstrar aos participantes as fases do ITIL V3. Objetivo da Fase Valor para o Negócio Princípios e Conceitos Básicos Atividades Processos e Funções: Sete Passos da Melhoria Relatório de Serviço Avaliação de Serviço Relacionamento Gerenciamento da Informação Desafios Fatores Críticos de Sucesso Funções Dúvidas Avaliação do entendimento Aulas teóricas e de recurso áudio visual. - Bibliografia Oficial do ITIL V3 Foundations CURSO DE COBIT 4.1 FOUNDATIONS GRADE CURRICULAR DO CURSO DE COBIT 4.1 FOUNDATIONS DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA 1 Respondendo aos Desafios de TI 04 2 Introdução a Governança de TI e ao COBIT 04 3 Visão Geral dos componentes do COBIT 08 4 O COBIT e o ambiente de TI 04 5 COBIT: Recursos e implementação 04 CARGA HORÁRIA TOTAL 24 PLANO DE CURSO Nome do Curso: Cobit Foundations Número de alunos a serem capacitados: 20 Quantitativo de turmas: 1 Carga Horária Total (em hora/aula h/a) Observação, caso haja: Disciplina 1: 24 H/A Respondendo aos Desafios de TI 4 H/A Entender os benefícios do Cobit alinhado aos objetivos da Governança Governança alinhada ao Cobit

19 Disciplina 2: Aulas teóricas e de recurso áudio visual. - Bibliografia Oficial do Cobit Foundations. Introdução a Governança de TI e ao COBIT Entender os conceitos do COBIT 4 H/A Conceitos de Governança de TI e COBIT Disciplina 3: Disciplina 4: Disciplina 5: Aulas teóricas e de recurso áudio visual. - Bibliografia Oficial do Cobit Foundations. Visão Geral dos componentes do COBIT 8 H/A Identificar as ferramentas do Cobit Cobit Online, CobitQuickStart, Cobit Security BAseline e Implementation Guide for IT Governance Compreender como o framework COBIT pode ser aplicado nos processos PO10 e DS02. Aulas teóricas e de recurso áudio visual. - Bibliografia Oficial do Cobit Foundations. O COBIT e o ambiente de TI 4 H/A Compreender os componentes e funções do Cobit COBIT em comparação com outros frameworks de gestão de TI Aulas teóricas e de recurso áudio visual. - Bibliografia Oficial do Cobit Foundations. COBIT: Recursos e implementação 4 H/A Perceber os pontos chaves da gestão de TI Gestão de TI que atingem as organizações e a compreensão da necessidade da utilização do framework de governança de TI Aulas teóricas e de recurso áudio visual. - Bibliografia Oficial do Cobit Foundations CURSO DE INTRODUÇÃO AO ORACLE GRADE CURRICULAR DO CURSO DE INTRODUÇÃO AO ORACLE DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA 1 Introdução ao Servidor Oracle 04 2 Modelagem de Dados 08 3 Oracle SQL Básico 12 4 A Linguagem PL/SQL 06 CARGA HORÁRIA TOTAL 30 PLANO DE CURSO Nome do Curso: Introdução ao Oracle Número de alunos a serem capacitados: 20 Quantitativo de turmas: 1

20 Carga Horária Total (em hora/aula h/a) Observação, caso haja: Disciplina 1: Disciplina 2: Disciplina 3: 30 H/A Introdução ao Servidor Oracle 4 H/A Apresentar ao aluno o Sistema Gerenciador de Banco de Dados da Oracle. Conceitos do servidor de Banco de Dados Oracle Estrutura de Memória e Funcionamento do Banco de Dados Oracle Estrutura Lógica (Tablespaces) e Fisica (Datafiles) do Armazenamento no Banco de Dados Aulas teóricas e de recurso áudio visual. - Bibliografia Oficial do Oracle. Modelagem de Dados 8 H/A Identificar os atributos do Banco de Dados Identificação das Entidades/Objetos de Dados Identificação dos atributos de cada Entidade/Objeto de Dados Estabelecimento de um identificador único para cada Entidade/Objeto de Dados que será a chave primária da acesso a cada uma delas Identificação, dentre os identificadores únicos, das chaves estrangeiras de cada Entidade/Objeto de Dados Identificação, dentre os demais atributos, das chaves secundárias de cada Entidade/Objeto de Dados Identificação do relacionamento e da cardinalidade que existirá entre as Entidade/Objeto de Dados Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. Oracle SQL Básico 12 H/A Conhecer a Linguagem de Consulta Estruturada Introdução ao SQL O comando Select: Apresentação do modelo de dados. Ordenando o resultado: - Conceito de tabela resultado. - Cláusula ORDER BY. Operadores booleanos: Conector AND. Conector OR. Recuperação de strings: Operardor LIKE. Uso dos caracteres %(percentual) Expressões aritméticas: Operadores aritméticos na linguagem SQL. Funções escalares e de grupo. Funções AVG, MAX, MIN e COUNT. Uso do COUNT DISTINCT. Funções escalares: Funções numéricas, de caracteres, de data e conversão. Funções ABS, CEIL, FLOOR. Função MOD. Funções SYSDATE e USER. Insert, Delete e Update: Além destes, os Comandos COMMIT, ROLLBACK. O tratamento do null na linguagem SQL: Cálculos com null Operação de join: O conceito de join. Tipos de join. Equijoin, Non equijoin, Outer join e Auto join.

21 Disciplina 4: Sinônimos: O conceito de sinônimo. Subqueries: O que é uma subquery. Operações de conjunto: Operadores UNION, INTERSECT, MINUS. Operador UNION ALL. Criação de Tabelas Definição das chaves Primárias Definição das chaves Estrangeiras Definição das Regras de Restrição Criação de Indices Views: O conceito de View. Comando CREATE VIEW. Atribuição de privilégios: O conceito de privilégio. Os tipos de privilégio. Privilégio de sistema e de objeto. Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. Conhecer a Linguagem PL/SQL A Linguagem PL/SQL 6 H/A Introdução à linguagem PL/SQL Bloco PL/SQL Estruturas de controle: Comando de atribuição. Functions e Procedures: Conceitos básicos de uma função. Trabalhando com cursores: O conceito de cursor. A lógica de utilização de um cursor. Tratamento de erros no PL/SQL: Conceito de exception. Laboratório. Triggers: Conceito de trigger. Usos de um trigger. Packages: Conceito de package. Sintaxe para a criação de um package. Package Specification Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle CURSO DE DESENVOLVIMENTO ORACLE (PL/SQL) GRADE CURRICULAR DO CURSO DE DESENVOLVIMENTO ORACLE (PL/SQL) DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA 1 PL/SQL 04 2 Criando Stored Procedures 06 3 Criando Stored Functions 06 4 Triggers e Packages 08 CARGA HORÁRIA TOTAL 24 PLANO DE CURSO Nome do Curso: Desenvolvimento Oracle (PL/SQL) Número de alunos a serem capacitados: 20 Quantitativo de turmas: 1 Carga Horária Total (em hora/aula h/a) Observação, caso haja: Disciplina 1: PL/SQL 24 H/A

22 Disciplina 2: Disciplina 3: Disciplina 4: 4 H/A Aprofundar os conhecimento em PL/SQL Declarando Identificadores PL/SQL Criando Instruções Executáveis (Blocos de PL/SQL) Interagindo com o Oracle Server Criando Estruturas de Controle Trabalhando com Tipos de Dados Compostos Usando Cursores Explícitos Tratando Exceções Aulas teóricas e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. Criando Stored Procedures 6 H/A Identificar a criação de Procedures Parametros (IN, OUT e IN OUT) Recursos Avançados Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. Criando Stored Functions 6 H/A Identificar a criação de Funções Parametros (Entrada e Saída) Recursos Avançados Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. Triggers e Packages 8 H/A Identificar como se mantêm a consistência dos dados Criando Triggers Aplicações para Triggers Criando Packages Gerenciamento de Códigos PL/SQL e Dependências Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORACLE (DISCOVERER) GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORACLE (DISCOVERER) DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA 1 Introdução ao Discoverer 04 2 Criação e Funções PL/SQL 04 3 View e gerenciamento 04 4 Administração e configuração do Discoverer 08 CARGA HORÁRIA TOTAL 20 PLANO DE CURSO

23 Nome do Curso: Administração Oracle (Discoverer) Número de alunos a serem capacitados: 20 Quantitativo de turmas: 1 Carga Horária Total (em hora/aula h/a) Observação, caso haja: Disciplina 1: Disciplina 2: Disciplina 3: Disciplina 4: 20 H/A Introdução ao Discoverer 4 H/A Apresentar ao aluno a ferramenta Administração do Discoverer Introdução ao Oracle Discoverer Administrator Criando a Camada do Usuário Final e Áreas de Negócios Criando Condições, Listas de Valores e Classificações Alternativas Aulas teóricas e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. Criação e Funções PL/SQL 4 H/A Apresentar ao aluno o uso das funções do PL/SQL Personalizando Propriedades, Criando Itens Calculados e Registrando Funções PL/SQL Criando Pastas Complexas e Personalizadas Criando Itens Analíticos e Agregados Criando Drills Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. View e gerenciamento 4 H/A Apresentar ao aluno a criação de ferramentas para usuários finais Views Materializadas e Gerenciamento de Sumários Gerenciamento Automatizado de Sumários Gerenciando a Programação Batch Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. Administração e configuração do Discoverer 8 H/A Capacitar o participante no uso e manutenção do Discoverer Mantendo a Camada do Usuário Final Administrando Várias Camadas de Usuário Final e Automatizando Tarefas Configurando o Discoverer Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle CURSO DE ORACLE RAC GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ORACLE RAC DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA 1 Oracle Clusterware Installation 02

24 2 Oracle ASM 04 3 RAC Installation 02 4 Database Creation 02 5 RAC DB Administration 04 6 Backup and Recover a RAC DB 04 CARGA HORÁRIA TOTAL 18 PLANO DE CURSO Nome do Curso: Oracle RAC Número de alunos a serem capacitados: 20 Quantitativo de turmas: 1 Carga Horária Total (em hora/aula h/a) Observação, caso haja: Disciplina 1: Disciplina 2: Disciplina 3: Disciplina 4: 18 H/A Oracle Clusterware Installation 2 H/A Apresentar o participante as condições básicas para instalação do Oracle RAC Instalação dos Pacotes para o Linux Configurações do Linux Aulas teóricas e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. Entender o Oracle ASM Oracle ASM 4 H/A Introdução ao Oracle ASM Instalação dos Pacotes para o Oracle ASM Instalação do Oracle ASM Configuração do ASM e dos Discos ASM Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. RAC Installation 2 H/A Aprender os procedimentos de instalação do Oracle RAC Instalação do Software de RAC Instalação do Software de Banco de Dados Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. Database Creation 2 H/A Aprender a criação banco de dados Criação de um Banco de DADOS e disponibilização entre os Nós do RAC Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle.

25 Disciplina 5: Disciplina 6: RAC DB Administration 4 H/A Identificar os recursos de administração do Oracle RAC Introdução a administração do RAC e seus recursos Scripts de parada do RAC Scripts de parada do Banco de Dados Scripts de parada do ASM Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. Backup and Recover a RAC DB 4 H/A Apresentar as estratégias de manutenção de cópias de segurança e recuperação de dados Backup e Recovery em Ambiente RAC Aula teórica e laboratorial. - Bibliografia Oficial do Oracle. 6. DO CRITÉRIO DE SELEÇÃO Serão consideradas vencedoras as propostas que, satisfazendo todas as exigências apresentadas no processo de seleção e mediante a lei nº 8.666/93 e suas alterações, comprovarem experiência na execução de capacitações e/ou cursos, e ainda apresentarem o menor preço, devendo o preço proposto incluir todos os custos diretos e indiretos pertinentes ao fornecimento dos serviços. 7. RESPONSABILIDADE E OBRIGAÇÕES DO CONTRATADO 7.1 Providenciar os materiais, equipamentos e quaisquer recursos didáticos e midiáticos a serem utilizados nas atividades teóricas e práticas dos cursos. 7.2 Requerer dos discentes o preenchimento da ficha de inscrição (modelo anexo) que deverá vir acompanhada da cópia do RG e CPF, devendo essas fichas serem juntadas à Ata de Encerramento do Curso; 7.3 Controlar a frequência (modelo anexo) dos participantes que deverá ser apresentada anexa a Ata de Encerramento de cada turma, para futura prestação de contas, bem como fiscalizar e acompanhar possíveis evasões (abandono de curso) ou desistências, consignando tudo na Ata de Encerramento e com devido preenchimento do Requerimento de Desistência de Aluno (modelo anexo), para posterior análise e deliberação da CONTRATADA;

26 7.4 Elaborar e apresentar ao CONTRATANTE a Ata de Encerramento do Curso por turma e em duas vias encadernadas (modelo anexo) contendo todas as informações da capacitação, inclusive com fotos coloridas, devendo ser assinada e rubricada pela CONTRATADA e encaminhada até 8 (oito) dias úteis após o final do curso, junto com a Nota Fiscal, a fim de que seja efetuado o pagamento pela CONTRATANTE; 7.5 A contratada deverá aplicar com os alunos, instrumento de avaliação do curso (modelo anexo) para verificação de satisfação dos discentes em relação à capacitação aplicada, devendo a tabulação (modelo anexo) dessas avaliações estarem anexas à Ata de Encerramento do Curso Desenvolver as atividades de ensino-aprendizagem, seguindo os princípios norteadores fundamentado na Avaliação Formativa, onde ao longo de todo o processo ou ação com o propósito de informar ao professor e ao aluno sobre o resultado da aprendizagem, demonstrando como os alunos estão se modificando em direção aos objetivos, identificando as deficiências no ensino-aprendizagem de modo a possibilitar reformulações e assegurar o alcance dos objetivos. Ex: exercícios, debates, seminários, dinâmicas de grupo, estudos de caso, autoavaliações etc. 7.6 Depois de conclusa a turma, emitir, sem ônus para a contratante (Secretaria de Estado da Defesa Social - SEDS), os certificados de conclusão do Curso de Análise Criminal, impressão colorida (modelo anexo) em papel Vergê A4 (180 g/m²) de alta qualidade, para todos os alunos concludentes que alcançarem a frequência de participação no curso igual ou superior a 75%. 7.7 A CONTRATADA deverá antes de emitir os certificados, verificar junto ao corpo discente a correta grafia dos nomes, para evitar problemas futuros na documentação. 7.8 A CONTRATADA deverá emitir os certificados, e juntamente com a Ata de Encerramento da Turma do Curso (em 02 (duas) vias encadernadas), apresentar a nota fiscal/fatura/recibo dos serviços, salientando que a referida documentação não deverá conter emendas ou rasuras, possuindo a discriminação exata do serviço prestado, valor e retenção dos impostos devidos, para que CONTRATANTE efetue o pagamento relativo aos serviços prestados.

27 7.9 A CONTRATADA deverá manter em arquivo toda a documentação comprobatória referente aos cursos de Excel Avançado por no mínimo 05 (cinco) anos após o término das atividades Responsabilidade e obrigações específicas por curso: - CURSO DE ANALISTA DE CRIME Executar 02 (duas) turmas do Curso de Analista de Crime com 30 (trinta) alunos e 68h (sessenta e oito) horas cada turma, totalizando 60 (sessenta) discentes participantes da capacitação, dentre Profissionais da Segurança Pública do Estado de Alagoas, a fim de tornarem-se multiplicadores da temática e que serão indicados pelos Dirigentes Gerais dos Órgãos de Segurança e posteriormente matriculados no Curso por meio de Portaria da SEDS publicada no Diário Oficial do Estado. - CURSO DE EXCEL AVANÇADO Executar 01 (uma) turma do Curso de Excel Avançado com 30 (trinta) alunos e 24 (vinte e quatro) horas-aula de capacitação para Profissionais da Segurança Pública do Estado de Alagoas, a fim de tornarem-se multiplicadores da temática e que serão indicados pelos Dirigentes Gerais dos Órgãos de Segurança e posteriormente matriculados no Curso por meio de Portaria da SEDS publicada no Diário Oficial do Estado. - CURSO DE INTRODUÇÃO AO BALANCED SCORECARD (BSC) Executar 01 (uma) turma do Curso de Introdução ao Balanced Scorecard (BSC) com 20 (vinte) alunos e com 16 (dezesseis) horas-aula de capacitação para Profissionais da Segurança Pública do Estado de Alagoas, indicados pelos Dirigentes Gerais dos Órgãos de Segurança e posteriormente matriculados no Curso por meio de Portaria da SEDS publicada no Diário Oficial do Estado. - CURSO DE ITIL FOUNDATIONS Executar 01 (uma) turma do Curso de Itil Foundations com 20 (vinte) alunos e com 24 (vinte e quatro) horas-aula de capacitação para Profissionais da Segurança Pública do Estado de Alagoas, indicados pelos Dirigentes Gerais dos Órgãos de Segurança e posteriormente matriculados no Curso por meio de Portaria da SEDS publicada no Diário Oficial do Estado. - CURSO DE COBIT 4.1 FOUNDATIONS Executar 01 (uma) turma do Curso de Cobit 4.1 Foundations com 20 (vinte) alunos e com 24 (vinte e quatro) horas-aula de capacitação para Profissionais da Segurança Pública do Estado de Alagoas, indicados pelos

28 Dirigentes Gerais dos Órgãos de Segurança e posteriormente matriculados no Curso por meio de Portaria da SEDS publicada no Diário Oficial do Estado. - CURSO DE INTRODUÇÃO AO ORACLE Executar 01 (uma) turma do Curso de Introdução ao Oracle com 20 (vinte) alunos e com 30 (trinta) horas-aula de capacitação para Profissionais da Segurança Pública do Estado de Alagoas, indicados pelos Dirigentes Gerais dos Órgãos de Segurança e posteriormente matriculados no Curso por meio de Portaria da SEDS publicada no Diário Oficial do Estado. - CURSO DE DESENVOLVIMENTO ORACLE (PL/SQL) Executar 01 (uma) turma do Curso de Desenvolvimento Oracle (PL/SQL) com 20 (vinte) alunos e com 24 (vinte e quatro) horas-aula de capacitação para Profissionais da Segurança Pública do Estado de Alagoas, indicados pelos Dirigentes Gerais dos Órgãos de Segurança e posteriormente matriculados no Curso por meio de Portaria da SEDS publicada no Diário Oficial do Estado. - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORACLE (DISCOVERER) Executar 01 (uma) turma do Curso de Administração Oracle (Discoverer) com 20 (vinte) alunos e com 20 (vinte) horas-aula de capacitação para Profissionais da Segurança Pública do Estado de Alagoas, indicados pelos Dirigentes Gerais dos Órgãos de Segurança e posteriormente matriculados no Curso por meio de Portaria da SEDS publicada no Diário Oficial do Estado. - CURSO DE ORACLE RAC Executar 01 (uma) turma do Curso de Oracle RAC com 20 (vinte) alunos e com 18 (dezoito) horas-aula de capacitação para Profissionais da Segurança Pública do Estado de Alagoas, indicados pelos Dirigentes Gerais dos Órgãos de Segurança e posteriormente matriculados no Curso por meio de Portaria da SEDS publicada no Diário Oficial do Estado. 8. RESPONSABILIDADES E OBRIGAÇÕES DO CONTRATANTE 8.1. Selecionar os servidores participantes (conforme prescrito no projeto do Convênio) e informar ao contratado com antecedência mínima de 15 dias do início de cada Curso a lista de discentes que participarão da capacitação; a. Comunicar à Contratada, qualquer alteração sobre os serviços contratados e as demais contidas no Contrato de Prestação de Serviços;

29 b. Supervisionar e fiscalizar as ações promovidas pela Contratada, e quando da identificação de qualquer problema, informar a contratada para a resolução imediata da dificuldade encontrada; c.efetuar o pagamento, após a finalização de cada Curso mediante apresentação pela CONTRATADA da documentação comprobatória da execução do referido Curso juntamente com nota fiscal dos serviços prestados Responsabilidade e obrigações específicas por curso: - CURSO DE ANALISTA DE CRIME E DE EXCEL AVANÇADO Após definição da data de início do curso, exigir da contratada a localização do ambiente de treinamento até 05 dias úteis do início da capacitação para divulgação dos participantes. - CURSOS DE INTRODUÇÃO AO BALANCED SCORECARD (BSC), ITIL FOUNDATIONS, COBIT 4.1 FOUNDATIONS, INTRODUÇÃO AO ORACLE, DESENVOLVIMENTO ORACLE (PL/SQL), ADMINISTRAÇÃO ORACLE (DISCOVERER) E ORACLE RAC Disponibilizar o ambiente para treinamento da ferramenta (laboratório de informática), no âmbito da SEDS/AL, com acomodações para no mínimo 20 (vinte) alunos, com quadro branco, projetor de multimídia (datashow) e de informática, condicionador de ar. 9. PRAZO PARA EXECUÇÃO Conforme cronograma das atividades a serem desenvolvidas, o prazo para finalização da execução de cada Curso será no máximo 03 (três) meses, a exceção do Curso de Analista de Crime que será no máximo de 05(cinco) meses, todos a contar da ordem inicial do serviço a ser emitida pelo CONTRATANTE. 10. EXECUÇÃO DO CONTRATO A responsabilidade direta pela execução do Contrato decorrente deste Termo de Referência é da CONTRATADA, sendo esta, supervisionada pela Secretaria de Estado da Defesa Social - SEDS e pelos GESTORES RESPONSÁVEIS TÉCNICOS desse Convênio. Após assinatura do Contrato, deverão ser fornecidos todos os elementos necessários ao cumprimento de sua obrigação. O pagamento da CONTRATADA ficará condicionado a apresentação da documentação comprobatória

30 da execução de cada Curso, documentação essa que corresponde a Ata de Encerramento de cada Curso e demais documentações anexas a mesma (modelo anexo), por turma, além dos certificados dos concludentes, sendo estes documentos previamente aprovados pelos gestores do convênio. 11. DO PAGAMENTO O pagamento será efetuado em uma única parcela após a conclusão de cada Curso e condicionado à apresentação da documentação comprobatória da realização e finalização da turma, devendo toda a documentação apresentada ser previamente aprovada pelos Gestores do Convênio. 12. AVALIAÇÃO DO CUSTO O custo estimado da contratação e os respectivos valores máximos foram apurados mediante preenchimento de planilha de custos e formação de preços e pesquisas de preços junto a empresas do ramo. 13. CONTROLE DA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS a. O acompanhamento e a fiscalização da execução dos contratos consistem na verificação da conformidade da prestação dos serviços e da alocação de recursos necessários, de forma a assegurar o perfeito cumprimento dos contratos, e será exercido por um representante da Administração, especialmente designado na forma do art. 67 e 73 da Lei nº /93 e do Decreto nº , de i. O representante de cada Contratante deverá ter no mínimo nível superior e a experiência necessária para o acompanhamento e controle da execução dos serviços e do contrato. ii. As verificações da adequação da prestação dos serviços deverão ser realizadas com base no cumprimento das exigências e obrigações previstas neste Termo de Referência. b. A qualidade dos serviços será constantemente monitorada para evitar sua degeneração, devendo cada Contratante intervir para corrigir ou aplicar as sanções previstas no edital e no contrato administrativo, quando verificar desconformidade na prestação dos serviços à qualidade exigida.

31 c. Não obstante a cada Contratada seja a única e exclusiva responsável pela execução de todos os serviços. Cada CONTRATANTE reserva-se o direito de, sem que de qualquer forma restrinja a plenitude desta responsabilidade, acompanhar e fiscalizar a execução do contrato. d. O representante da Administração anotará em registro próprio todas as ocorrências relacionadas com a execução do contrato, indicando dia, mês e ano, bem como o nome dos empregados eventualmente envolvidos, adotando as providências necessárias ao fiel cumprimento das cláusulas contratuais e comunicando a autoridade competente, quando for o caso, conforme o disposto nos 1º e 2º do artigo 67 da Lei nº , de e. As decisões que ultrapassarem a competência do representante deverão ser solicitadas aos seus superiores em tempo hábil para a adoção das medidas cabíveis. f. O fiscal do contrato deverá controlar a conformidade dos serviços realizados, de acordo com as especificações previstas neste Termo de Referência e Edital. g. Ao fiscal do Contrato fica assegurado o direito de exigir o cumprimento de todos os itens constantes do Termo de Referência, da proposta da empresa e das cláusulas do contrato, além das seguintes: i.solicitar justificadamente a substituição de qualquer empregado da empresa que comprometa a perfeita execução dos serviços, que crie obstáculos à fiscalização, que não corresponda às exigências disciplinares do Órgão ou aquele cujo comportamento o fiscal do contrato julgue impróprio para a execução dos serviços ou que tenha frequentes faltas sem justificativas legais. 14. DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: A despesa desta contratação será paga com recursos do Convênio SENASP/MJ nº /2012. Maceió, 10 de janeiro de 2014.

32 ANEXOS DO TERMO DE REFERÊNCIA DOS CURSOS (CONVÊNIO Nº )

33 ANEXO 01 (MODELO ATA DE ENCERRAMENTO DO CURSO)

34 LOGOTIPO DA EMPRESA ATA DE ENCERRAMENTO DO CURSO DE CURSOS TURMA: / 20 MACEIÓ/AL

35 ATA DE ENCERRAMENTO DO CURSO CONVÊNIO Nº /2012 Aos dias do mês de _, do ano de dois mil e treze, nesta cidade de Maceió, Estado de Alagoas, deu-se por encerrado o de Curso de, Turma /201, de acordo com os registros efetuados nesta Ata, o qual teve início no dia de de ) Local de Funcionamento: O Curso de, Turma /201, desenvolvido mediante Convênio SENASP nº /2012, entre o Estado de Alagoas, por intermédio da Secretaria de Estado da Defesa Social - SEDS e da Secretaria Nacional de Segurança Pública SENASP, que teve como Unidade promotora a _. A Turma /201 teve como local de funcionamento a cidade de Maceió-Estado de Alagoas. O curso foi desenvolvido no. 2) Estrutura de Administração: - Coordenador(a): Nome: _ CPF:.. -. Tel.: 3) Corpo Docente: - CURSO DE ANALISTA DE CRIME Nº SÍMBOLO DISCIPLINA C/H INSTRUTOR(A) 1 IGAC 2 GEAC 3 EDAC 4 TEAC Introdução ao Geoprocessamento e Análise Criminal Geoprocessamento e Análise Criminal (Treinamento em Ferramentas específicas) O Uso de Estatísticas Descritivas para a Análise de Crime Teorias Criminais e Noções de Análise CARGA HORÁRIA TOTAL 68

36 - CURSO DE EXCEL AVANÇADO Nº SÍMBOLO DISCIPLINA C/H INSTRUTOR(A) 1 INMA Introdução às Macros 12 2 MAEX Macros com Microsoft Office Excel 2007 ou superior 3 MAIN Macros interativos com o usuário CARGA HORÁRIA TOTAL 24 - CURSO DE INTRODUÇÃO AO BALANCED SCORECARD (BSC) Nº SÍMBOLO DISCIPLINA C/H INSTRUTOR(A) 1 VGBS Visão Geral do Balanced Scorecard 04 2 CABS Construção do Balanced Scorecard 04 3 INBS Informatização do Balanced Scorecard 04 4 TACO Trabalho de Conclusão 04 CARGA HORÁRIA TOTAL 16 - CURSO DE ITIL FOUNDATIONS Nº SÍMBOLO DISCIPLINA C/H INSTRUTOR(A) 1 IITIL Introdução do ITIL V3 Foundations 04 2 ITCT ITIL & Conceitos e Terminologia 04 3 CVSV Ciclo de Vida de Serviços 04 4 FEDS Fase da Estratégia e do Desenho de Serviço 06 5 FTOS Fase da Transição e da Operação de Serviço 04 6 FMCS Fase da Melhoria Contínua de Serviço 02 CARGA HORÁRIA TOTAL 24 - CURSO DE COBIT 4.1 FOUNDATIONS Nº SÍMBOLO DISCIPLINA C/H INSTRUTOR(A) 1 RDTI Respondendo aos Desafios de TI 04 2 IGTC Introdução a Governança de TI e ao COBIT 04 3 VFCC Visão Geral dos componentes do COBIT 08 4 CATI O COBIT e o ambiente de TI 04 5 CRIM COBIT: recursos e implementação 04 CARGA HORÁRIA TOTAL 24 - CURSO DE INTRODUÇÃO AO ORACLE Nº SÍMBOLO DISCIPLINA C/H INSTRUTOR(A) 1 ISOE Introdução ao Servidor Oracle 04 2 MDDS Modelagem de Dados 08 3 OSBA Oracle SQL Básico 12 4 ALPL A Linguagem PL/SQL 06 CARGA HORÁRIA TOTAL 30 - CURSO DE DESENVOLVIMENTO ORACLE (PL/SQL)

37 Nº SÍMBOLO DISCIPLINA C/H INSTRUTOR(A) 1 PLSQ PL/SQL 04 2 CSPR Criando Stored Procedures 06 3 CSFU Criando Stored Functions 06 4 TRPA Triggers e Packages 08 CARGA HORÁRIA TOTAL 24 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORACLE (DISCOVERER) Nº SÍMBOLO DISCIPLINA C/H INSTRUTOR(A) 1 IDIS Introdução ao Discoverer 04 2 CFPS Criação e Funções PL/SQL 04 3 VIGE View e gerenciamento 04 4 ACDI Administração e configuração do Discoverer 08 CARGA HORÁRIA TOTAL 20 - CURSO DE ORACLE RAC Nº SÍMBOLO DISCIPLINA C/H INSTRUTOR(A) 1 OCIN Oracle Clusterware Installation 02 2 OASM Oracle ASM 04 3 RAIN RAC Installation 02 4 DACR Database Creation 02 5 RDAD RAC DB Administration 04 6 BRRD Backup and Recover a RAC DB 04 CARGA HORÁRIA TOTAL 18 A carga-horária prevista para cada Disciplina, de acordo com o QTS, foi plenamente executada por cada um dos Instrutores. 4) Corpo Discente Foram matriculados alunos. As inscrições foram realizadas por indicação pelos representantes dos órgãos e posteriormente matriculados no Curso por meio de Portaria Nº da SEDS/AL publicada no Diário Oficial do Estado, sendo que concluiu o curso o total de discentes. 4.1 Relação dos Alunos Concludentes: Nº NOME ÓRGÃO CPF NOTA

38

39 4.2 Relação dos Alunos Desistentes: N.º NOME INSTITUIÇÃ 1 O MOTIVO Para constar e para os devidos fins, a relação de concludentes, após a finalização do curso e aprovação desta Ata, será publicada em Diário Oficial do Estado de Alagoas. HORÁRIO 5) Quadro de Trabalho Semanal - QTS Executado: SEGUNDA- FEIRA Dia / / QUADRO DE TRABALHO SEMANAL - QTS TERÇA- FEIRA Dia / / QUARTA- FEIRA Dia / / QUINTA- FEIRA Dia / / SEXTA-FEIRA Dia / / 08:00 09:00 09:00 10:00 10:00 INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO 10:15 10:15 11:15 11:15 12:15 ALMOÇO ALMOÇO ALMOÇO ALMOÇO ALMOÇO ALMOÇO 14:00 15:00 15:00 16:00 16:00 16:15 16:15 17:15 17:15 18:15 INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO As aulas foram cumpridas conforme consta no QTS supracitado. 6) Avaliação do Curso: esta Ata. Foram feitas as devidas avaliações e a tabulação das mesmas segue anexa a 7) Meios-Auxiliares utilizados: 8) Material Didático e de Apoio:

40 Obs.: Todos os materiais didáticos e de apoio (citados acima) foram efetivamente utilizados no desenvolvimento do curso. 9) Anexos: Seguem anexos a esta Ata os seguintes documentos: 1. Fichas de inscrição (Cópias dos Documentos RG/CPF) 2. Frequências 3. Requerimento de Desistência (caso haja) 4. Fotos coloridas 5. Tabulação da Avaliação do Curso 6. Modelo da Prova com Gabarito E como nada mais havia a ser registrado na presente Ata, depois de lida e aprovada pela Coordenação-Geral, segue devidamente assinada. Assinatura do Coordenador do Curso / Representante da Empresa

41 ANEXO 02 (MODELO DE FICHA DE INSCRIÇÃO)

42 LOGOTIPO DA EMPRESA FICHA DE INSCRIÇÃO DADOS DO CURSO: CONVÊNIO SENASP Nº /2012 CURSO: LOCAL: PERÍODO: / / à / / DADOS PESSOAIS NOME COMPLETO: N IDENTIDADE CPF MATRÍCULA MÃE PAI DATA NASCIMENTO NATURALIDADE ÓRGÃO DE ORIGEM POSTO/FUNÇÃO LOTAÇÃO NOME DO SUPERIOR ENDEREÇO RESIDENCIAL ENDEREÇO BAIRRO UF CIDADE CEP TELEFONE RESIDENCIAL( ) CELULAR( ) TERMO DE COMPROMISSO 1. Declaro-me ciente das obrigações como aluno, assim como da frequência e assiduidade no curso ofertado; 2. Declaro-me apto físico e mentalmente para participar do referido curso; 3. Assumo a total responsabilidade por eventuais ônus oriundos da minha evasão ou desistência do Curso. OBS.: ANEXAR CÓPIA DA IDENTIDADE E CPF Maceió, de de 20 ASSINATURA DO ALUNO

43 ANEXO 03 ( MODELO DE FREQUÊNCIA)

44 LOGOTIPO DA EMPRESA TURMA: CURSO DE CONVÊNIO - SENASP Nº /2012 REGIÃO: Maceió/AL LOCAL: DATA: HORÁRIO: DISCIPLINA: PROFESSOR(A): ASSINATURA DO PROFESSOR: FREQUÊNCIA N NOME INSTITUIÇÃO CPF TELEFONE ASSINATURA ASSINATURA DO COORDENADOR DO CURSO / REPRESENTANTE DA EMPRESA

45 ANEXO 04 ( MODELO DE REQUERIMENTO DE DESISTÊNCIA)

46 LOGOTIPO DA EMPRESA REQUERIMENTO DE DESISTÊNCIA Eu,, com estado civil de:_, residente e domiciliado(a) na: nº, bairro:, CEP:, cidade:, UF:. Tel:, Cel:. Portador(a) do CPF nº.. -, inscrito(a) no RG nº, ocupante do Cargo Público: e lotado no(a):, venho através desta, REQUERER minha DESISTÊNCIA DO CURSO DE CONVÊNIO/SENASP Nº /2012, turma:, pelos motivos ora expostos:. Nestes termos, pede-se deferimento. Maceió/AL, de de 20 Assinatura do Requerente

47 ANEXO 05 (MODELO DE AVALIAÇÃO DE CURSO)

48 LOGOTIPO DA EMPRESA AVALIAÇÃO DO CURSO DE NOME: PONTUAÇÃO: (01) NÃO ATENDEU A EXPECTATIVA - MELHORAR (02) PRECISA (03) SATISFATÓRIA - (04) ATENDEU A EXPECTATIVA - (05) ACIMA DA EXPECTATIVA 1) As Disciplinas do Curso atenderam as expectativas dos alunos DISCORDO CONCORDO 3) O Curso transmitiu os conhecimentos necessários para o entendimento das noções de DISCORDO CONCORDO 5) O curso foi importante para sua vida Profissional DISCORDO CONCORDO 2) O Curso proporcionou a integração entre os alunos DISCORDO CONCORDO 4) O Curso propiciou conhecer ações importantes para na área de Segurança Pública DISCORDO CONCORDO 6) As questões sobre a foram esclarecedoras durante o transcorrer do curso

49 7) As Matérias em seu conjunto foram bem escolhidas DISCORDO CONCORDO 8) As instalações foram adequadas para o desenvolvimento do Curso DISCORDO CONCORDO 9) O Curso propiciou a discussão e a reflexão do tema entre os alunos. DISCORDO CONCORDO 10) As condições de suporte administrativo atenderam as expectativas DISCORDO CONCORDO DISCORDO CONCORDO

50 ANEXO 06 (MODELO TABULAÇÃO DA AVALIAÇÃO DO CURSO)

51 LOGOTIPO DA EMPRESA TABULAÇÃO DA AVALIAÇÃO DO CURSO PONTUAÇÃO: (01) NÃO ATENDEU A EXPECTATIVA - MELHORAR (02) PRECISA (03) SATISFATÓRIA - (04) ATENDEU A EXPECTATIVA - (05) ACIMA DA EXPECTATIVA 1. As Disciplinas do Curso atenderam as expectativas dos alunos. % % % % % DISCORDO CONCORDO 3. O Curso transmitiu os conhecimentos necessários para o entendimento das noções de. % % % % % DISCORDO CONCORDO 5. O curso foi importante para sua vida Profissional. % % % % % 2. O Curso proporcionou a integração entre os alunos. % % % % % DISCORDO CONCORDO 11) O Curso propiciou conhecer ações importantes para na área de Segurança Pública 4. % % % % % DISCORDO CONCORDO 6. As questões sobre a foram esclarecedoras durante o transcorrer do curso. % % % % %

52 DISCORDO CONCORDO 7. As Matérias em seu conjunto foram bem escolhidas. % % % % % DISCORDO CONCORDO 9. O Curso propiciou a discussão e a reflexão do tema entre os alunos. % % % % % DISCORDO CONCORDO DISCORDO CONCORDO 8. As instalações foram adequadas para o desenvolvimento do Curso % % % % % DISCORDO CONCORDO 10. As condições de suporte administrativo atenderam as expectativas. % % % % % DISCORDO CONCORDO ASSINATURA DO COORDENADOR DO CURSO / REPRESENTANTE DA EMPRESA

53 ANEXO 08 (MODELO DO CERTIFICADO)

54 ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA SOCIAL COORDENADORIA SETORIAL DA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO CSCPL NÚCLEO DE EXECUÇÃO EM LICITAÇÕES ADMINISTRATIVAS E LICITAÇÕES E CONVÊNIOS COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO - CPL Rua. Zadir Índio, 213 Centro Maceió CEP: Fones (82) FAX (82) SEDS/CPL FRENTE DO CERTIFICADO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA SOCIAL CERTIFICADO Certificamos que, concluiu com aproveitamento o CURSO DE XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX, promovido pela Secretaria de Estado da Defesa Social de Alagoas SEDS, em parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública - SENASP, através do Convênio Nº /2012. Curso realizado pela, no período de / /20 a / /20, com carga horária de XX horas-aula. Maceió/AL, de de 20. SECRETÁRIO DE ESTADO DA DEFESA SOCIAL LOGOMARCA DA EMPRESA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL DE ANÁLISE CRIMINAL CONVÊNIO SENASP Nº /2012

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Administração de Banco de Dados - Oracle

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Administração de Banco de Dados - Oracle Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Administração de Banco de Dados - Oracle Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Administração de Banco de Dados tem por fornecer conhecimento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em Information Technology Infrastructure Library (ITIL)V3.

TERMO DE REFERÊNCIA. Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em Information Technology Infrastructure Library (ITIL)V3. TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em 1. OBJETO Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em conceitos da biblioteca ITIL V3 - Infrastructure

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Lista de Exercícios - COBIT 5

Lista de Exercícios - COBIT 5 Lista de Exercícios - COBIT 5 1. O COBIT 5 possui: a) 3 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios b) 3 volumes, 5 habilitadores, 7 princípios c) 5 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios d) 5 volumes, 5 habilitadores,

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

Formação Oracle Completa

Formação Oracle Completa PROPOSTA COMERCIAL Formação Oracle Completa Proposta PR140505 140505-01 5 de Maio de 2014 05/05/14 Dextraining Treinamentos em TI Página 1 de 14 1 A Dextraining A Dextra foi fundada em 1995, já com a missão

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Componente Curricular: Técnica de Nível Médio

Leia mais

MBA EM ARQUITETURAS DE REDES E CLOUD COMPUTING

MBA EM ARQUITETURAS DE REDES E CLOUD COMPUTING MBA EM ARQUITETURAS DE REDES E CLOUD COMPUTING Você é um profissional de infraestrutura capaz de integrar Redes, Sistemas/Software e Banco de Dados em datacenters e utilizar técnicas de virtualização em

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações.

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações. PROCESSO 014-2014 ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações. A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações

Leia mais

Curso de Analista de Crime Oferta 2011

Curso de Analista de Crime Oferta 2011 Curso de Analista de Crime Oferta 2011 Justificativa: Incrementar o caráter científico da formulação das políticas públicas de segurança. A análise de crimes compreende um conjunto de processos sistemáticos

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão de Projetos 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que apontam a

Leia mais

APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS

APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS Treinamento ISO 20000 Foundation Presencial ou EAD O Gerenciamento de Serviços de TI tem como foco o fornecimento eficiente e eficaz de serviços que assegura a satisfação

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Alexandre de Souza Ramos Diretor da Escola Estadual de Saúde Pública

Alexandre de Souza Ramos Diretor da Escola Estadual de Saúde Pública SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA (SESAB) ESCOLA ESTADUAL DE SAÚDE PÚBLICA (EESP) RESOLUÇÃO Nº. 01/2010 - Regulamenta o desenvolvimento de Cursos de Pós-Graduação lato sensu Especialização na EESP.

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL Carga horária: 32 Horas Pré-requisito: Para que os alunos possam aproveitar este treinamento ao máximo, é importante que eles tenham participado dos treinamentos

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Business Intelligence Inteligência Competitiva tem por fornecer conhecimento

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS 2011 1. CARACTERIZAÇÃO O Estágio Supervisionado do Curso de Administração realizar-se-á sob a supervisão indireta de um professor, nas seguintes áreas, entre outras:

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013 PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013 PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 3 a 30 de junho de 013 PROJETO BRA/04/09 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. TRILHAS Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2010. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: habilitação Profissional técnica de nível médio de técnico em administração

Plano de Trabalho Docente 2010. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: habilitação Profissional técnica de nível médio de técnico em administração Plano de Trabalho Docente 2010 Ensino Técnico ETEc de Ribeirão Pires Código: 141 Município: Ribeirão Pires/Mauá Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: habilitação Profissional técnica

Leia mais

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br COBIT Governança de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Sobre mim Juvenal Santana Gerente de Projetos PMP; Cobit Certified; ITIL Certified; OOAD Certified; 9+ anos de experiência em TI; Especialista

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 06/06/2014 18:22:39 Endereço IP: 189.9.1.20 1. Liderança da alta administração 1.1. Com relação

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Engenharia de Software Orientada a Serviços

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Especialização em Qualidade e Governança de TI

Especialização em Qualidade e Governança de TI Especialização em Qualidade e Governança de TI Apresentação CAMPUS STIEP Inscrições em Breve Turma 06 --> A demanda por implantação de melhores práticas de gestão na área de TI tem se ampliado de forma

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Liderança e Gestão de Pessoas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Professora Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: Teodoro Sampaio Eixo Tecnológico: Informática e Comunicação Habilitação Profissional: Qualificação:

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B TERMO DE REFERÊNCIA DO PROCESSO CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES EXECUTORAS DE AÇÕES DE QUALIFICAÇÃO SOCIAL E

Leia mais

MBA EM BUSINESS INTELLIGENCE

MBA EM BUSINESS INTELLIGENCE MBA EM BUSINESS INTELLIGENCE Como a sua empresa estrutura informações estratégicas? Como as decisões são tomadas? São considerados, dados, informações e tendências, de macroambientes? O quanto você conhece

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DA ÁREA INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL SUL- RIOGRANDENSE - CAMPUS PASSO FUNDO

REGULAMENTO DOS CURSOS DA ÁREA INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL SUL- RIOGRANDENSE - CAMPUS PASSO FUNDO REGULAMENTO DOS CURSOS DA ÁREA INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL SUL- RIOGRANDENSE - CAMPUS PASSO FUNDO O Regulamento dos Cursos da Área de Informática foi aprovado pelo Colegiado do Curso em 09 de outubro

Leia mais

Curso preparatório para a certificação COBIT 4.1 Fundation

Curso preparatório para a certificação COBIT 4.1 Fundation Curso preparatório para a certificação COBIT 4.1 Fundation Dentro do enfoque geral em conhecer e discutir os fundamentos, conceitos e as definições de Governança de TI - tecnologia da informação, bem como

Leia mais

Treinamento. DBA Oracle 11g. Duração: 120 horas

Treinamento. DBA Oracle 11g. Duração: 120 horas Treinamento DBA Oracle 11g Duração: 120 horas Neste curso no primeiro módulo (Introdução ao Oracle 11g SQL e PL_SQL) é oferecido um curso introdutório à tecnologia do banco de dados Oracle 11g. Também

Leia mais

3o 4o 5o 6o Art. 8o Art. 9o

3o 4o 5o 6o Art. 8o Art. 9o REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU TÍTULO I GENERALIDADES Art. 1 o A Fundação Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Mandaguari FAFIMAN - poderá oferecer cursos de pós-graduação lato

Leia mais

1 DA FINALIDADE E DO PÚBLICO ALVO

1 DA FINALIDADE E DO PÚBLICO ALVO A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências torna público as Normas Complementares do Processo Seletivo Ano Letivo 2015, aos candidatos a discente do Programa de Pós-Graduação em Ensino

Leia mais

EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA CADASTRO DE DOCENTES

EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA CADASTRO DE DOCENTES EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA CADASTRO DE DOCENTES A Associação Brasileira de Orçamento Público - Unidade Regional do Rio Grande do Sul (ABOP-RS), fundada em 04 de dezembro de 1974, como uma associação civil

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2014 ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional:

Leia mais

VANTAGENS E DIFERENCIAIS

VANTAGENS E DIFERENCIAIS A Treinar é uma escola com tradição na área de cursos de Informática, Tecnologia, Desenvolvimento Profissional e Educação à Distância. Oferece cursos do nível básico ao avançado, visando à formação completa

Leia mais

Curso preparatório para exame de Certificação do ITIL V3.

Curso preparatório para exame de Certificação do ITIL V3. Curso preparatório para exame de Certificação do ITIL V3. Dentro do enfoque geral em conhecer e discutir os fundamentos, conceitos e as definições de Governança de TI - Tecnologia da Informação, bem como

Leia mais

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português 1 de 7 28/10/2012 16:47 SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português RESULTADO DO SIMULADO Total de questões: 40 Pontos: 0 Score: 0 % Tempo restante: 55:07 min Resultado: Você precisa

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado A, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

EDITAL Nº. 027, DE 14 DE AGOSTO DE 2009.

EDITAL Nº. 027, DE 14 DE AGOSTO DE 2009. INSTITUTO FEDERAL GOIÁS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº. 027, DE 14 DE AGOSTO DE 2009. A

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

ITIL (INFORMATION TECHNOLOGY INFRASTRUCTURE LIBRARY)

ITIL (INFORMATION TECHNOLOGY INFRASTRUCTURE LIBRARY) Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística INE Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Projetos I Professor: Renato Cislaghi Aluno: Fausto Vetter Orientadora: Maria

Leia mais

1. DA MODALIDADE DO PROGRAMA E DOS SEUS OBJETIVOS

1. DA MODALIDADE DO PROGRAMA E DOS SEUS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DOS CURSOS DE DESENVOLVIMENTO DE SERVIDORES PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS 1. DA MODALIDADE DO PROGRAMA E DOS SEUS OBJETIVOS

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. Profissionais que trabalham em escritórios e comunidade em geral. A Carga Horária Total do curso será de 160 horas/aula.

DESCRITIVO DE CURSO. Profissionais que trabalham em escritórios e comunidade em geral. A Carga Horária Total do curso será de 160 horas/aula. DESCRITIVO DE CURSO NOME DO CURSO: OPERADOR DE MICROCOMPUTADOR CBO 4121-10 (A, B, C, E, Y e Z) MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BÁSICA Área: Tecnologia da Informação Nº 013 Atualização: Outubro de

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

PROGRAMA. Objectivos Gerais :

PROGRAMA. Objectivos Gerais : PROGRAMA ANO LECTIVO : 2005/2006 CURSO : ENGENHARIA MULTIMÉDIA ANO: 2.º DISCIPLINA : SISTEMA DE GESTÃO DE BASE DE DADOS DOCENTE RESPONSÁVEL PELA REGÊNCIA : Licenciado Lino Oliveira Objectivos Gerais :

Leia mais

MBA EM ARQUITETURA E GESTÃO DE INFRAESTRUTURA DE TI

MBA EM ARQUITETURA E GESTÃO DE INFRAESTRUTURA DE TI MBA EM ARQUITETURA E GESTÃO DE INFRAESTRUTURA DE TI Novas tecnologias e tendências surgem a cada dia, como Big Data, Cloud Computing, Internet of Things, entre outras. A curva de adoção dessas tecnologias

Leia mais

MBA EM ARQUITETURA E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

MBA EM ARQUITETURA E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MBA EM ARQUITETURA E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS Você trabalha ou quer trabalhar com gestão de dados envolvendo desde a governança de dados até a arquitetura de banco de dados, mediando projetos alinhados

Leia mais

AVISO Nº 003/2014 RESOLUÇÃO Nº002/2013 CTP-ESMP/PE

AVISO Nº 003/2014 RESOLUÇÃO Nº002/2013 CTP-ESMP/PE AVISO Nº 003/2014 A Diretora da ESMP/PE, Dra. Deluse do Amaral Rolim Florentino, nos termos do Art.8º, VII, da Resolução RES-CSMP-001/00, de 31.03.2000, torna público o Regulamento da terceira turma do

Leia mais

Proposta de treinamento

Proposta de treinamento Proposta de treinamento SQL15 SQL Server 2012: Programando com o Transact-SQL Brasília, Março/2013 Brasília, 05 de dezembro de 2012 Ref.: 12-063 Esta proposta é válida até o dia 08 de Março de 2013. Sr.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES DESENHO DE SERVIÇO Este estágio do ciclo de vida tem como foco o desenho e a criação de serviços de TI cujo propósito será realizar a estratégia concebida anteriormente. Através do uso das práticas, processos

Leia mais

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO GOVERNANÇA DE TI O QUE É GOVERNANÇA DE TI É um conjunto de estruturas e processos que visa garantir que a TI suporte e maximize adequadamente os objetivos e estratégias

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 06/2006, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2006

RESOLUÇÃO Nº 06/2006, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2006 RESOLUÇÃO Nº 06/2006, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2006 Altera o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC do Curso de Direito, na forma do Anexo. O VICE-REITOR, NO EXERCÍCIO DA REITORIA DA UNIVERSIDADE

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO NA JUSTIÇA FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL NÍVEL TÉCNICO ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO NA JUSTIÇA FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL NÍVEL TÉCNICO ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Publicação Interna em 08/08/2014 SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO GRANDE DO SUL Rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 600 - Bairro Praia de Belas - CEP 90010-395 - Porto Alegre - RS - www.jfrs.jus.br EDITAL PROCESSO

Leia mais

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Exame simulado IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Edição Novembro, 2013 Copyright 2013 EXIN All rights reserved. No part of this publication may be published, reproduced, copied

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL v.3

Exame de Fundamentos da ITIL v.3 Exame de Fundamentos da ITIL v.3 Exame de Fundamentos da ITIL v.3 Exame simulado B, versão 3.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Não existem perguntas capciosas.

Leia mais

MBA em Gestão de Tecnologia da Informação. Governança de TI. Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com

MBA em Gestão de Tecnologia da Informação. Governança de TI. Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Governança de TI Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com Governança de TI Ementa: Relacionar a governança de TI com a governança corporativa. Boas práticas

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS PARA O PROGRAMA SERVIDOR MULTIPLICADOR EDITAL EGP Nº 002/2015

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS PARA O PROGRAMA SERVIDOR MULTIPLICADOR EDITAL EGP Nº 002/2015 EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS PARA O PROGRAMA SERVIDOR MULTIPLICADOR EDITAL EGP Nº 002/2015 A Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos, por meio da Escola de Gestão Pública de Palmas, torna

Leia mais

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (CJ-3) Área: Administrativa Unidade: Secretaria de Tecnologia da Informação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 015 Ensino Técnico Etec ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática para

Leia mais

Número do Recibo:83500042

Número do Recibo:83500042 1 de 21 06/06/2012 18:25 Número do Recibo:83500042 Data de Preenchimento do Questionário: 06/06/2012. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: GOVERNANÇA

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão Estratégica Empresarial

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão Estratégica Empresarial DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão Estratégica Empresarial 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE DIREITO APRESENTAÇÃO: Padrões de Qualidade para os Cursos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS IFAL PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX 2016

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS IFAL PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX 2016 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS IFAL PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX 2016 EDITAL DE CHAMADA PARA OFERTA DE CURSOS DE EXTENSÃO A Pró-Reitoria de Extensão PROEX,

Leia mais

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper ÍNDICE ÍNDICE...2 RESUMO EXECUTIVO...3 O PROBLEMA...4 ILHAS DE INFORMAÇÃO...4 ESTRUTURA FRAGMENTADA VS. ESTRUTURA

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO NOÇÕES EM GESTÃO E PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

CURSO DE CAPACITAÇÃO NOÇÕES EM GESTÃO E PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS PAU DOS FERROS COORDENAÇÃO DE GESTÃO DE PESSOAS CURSO DE CAPACITAÇÃO NOÇÕES

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Marketing e Vendas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Marketing e Vendas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão de Marketing e Vendas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UNIFEI CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UNIFEI CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UNIFEI CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1 - Objetivo Geral: Implantar na UNIFEI um Programa de Capacitação que seja continuado

Leia mais

REGULAMENTO 04 FICHA CADASTRO 01 PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 02 RELATÓRIO MENSAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 01 RELATÓRIO DE FREQÜÊNCIA 01

REGULAMENTO 04 FICHA CADASTRO 01 PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 02 RELATÓRIO MENSAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 01 RELATÓRIO DE FREQÜÊNCIA 01 KIT ALUNO REGULAMENTO 04 FICHA CADASTRO 01 PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 02 RELATÓRIO MENSAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 01 RELATÓRIO DE FREQÜÊNCIA 01 AVALIAÇÃO DO ESTAGIÁRIO 01 ROTEIRO PARA O RELATÓRIO

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL 1º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL 1º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL 1º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para

Leia mais

Regulamenta a validação e registro das Atividades Complementares dos cursos de Graduação das Faculdades Projeção.

Regulamenta a validação e registro das Atividades Complementares dos cursos de Graduação das Faculdades Projeção. RESOLUÇÃO Nº 01/2011 Regulamenta a validação e registro das Atividades Complementares dos cursos de Graduação das Faculdades Projeção. O Conselho Superior da Faculdade Projeção, com base nas suas competências

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

Sandromir Almeida. Treinamentos Realizados nas Empresas

Sandromir Almeida. Treinamentos Realizados nas Empresas Sandromir Almeida Consultor de Informática desde 1995 Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Docente de Informática há 15 anos Palestrante desde 2001 Técnico em Informática Webmaster Proprietário

Leia mais

:: SEI / TRF4-1999833 - Edital :: https://sei.trf4.jus.br/sei/controlador.php?acao=documento_imprimir_...

:: SEI / TRF4-1999833 - Edital :: https://sei.trf4.jus.br/sei/controlador.php?acao=documento_imprimir_... 1 de 5 12/06/2014 13:58 Publicação Interna em 12/06/2014 SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO GRANDE DO SUL Rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 600 - Bairro Praia de Belas - CEP 90010-395 - Porto Alegre - RS - www.jfrs.jus.br

Leia mais

Exame de Fundamentos ITIL v.3

Exame de Fundamentos ITIL v.3 Exame de Fundamentos ITIL v.3 Exame de Fundamentos ITIL v.3: Exame simulado A, versão 3.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Não existem perguntas capciosas.

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO REGIMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Patrocínio,Outubro de 2013 SUMÁRIO Título I - Disposições Preliminares... 02 Título II - Da Caracterização... 02

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ABERTURA DE TURMA PROGRAMA ESPECIAL DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA PROFOP DA UTFPR

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ABERTURA DE TURMA PROGRAMA ESPECIAL DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA PROFOP DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Diretoria de Graduação e Educação Profissional - DIRGRAD Departamento de Educação Campus XXXXXXX ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO

Leia mais

4.2 EDITAL DE INSCRIÇÃO PROBEX Nº 09/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE EXTENSÃO PARA O ANO DE 2016

4.2 EDITAL DE INSCRIÇÃO PROBEX Nº 09/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE EXTENSÃO PARA O ANO DE 2016 0 4.2 EDITAL DE INSCRIÇÃO PROBEX Nº 09/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE EXTENSÃO PARA O ANO DE 2016 A Diretora Geral da Faculdade de Educação São Francisco FAESF, por intermédio da Direção Acadêmica, torna público

Leia mais

EXIN IT Service Management Foundation based on ISO/IEC 20000

EXIN IT Service Management Foundation based on ISO/IEC 20000 Exame simulado EXIN IT Service Management Foundation based on ISO/IEC 20000 Edição Novembro 2013 Copyright 2013 EXIN All rights reserved. No part of this publication may be published, reproduced, copied

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente MMA. Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2)

Ministério do Meio Ambiente MMA. Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2) Ministério do Meio Ambiente MMA Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2) Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA Termo de Referência PNMA nº 02/2013 O presente

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

EDITAL DE BOLSAS DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

EDITAL DE BOLSAS DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL DE BOLSAS DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Rubens Guilhemat, Secretário Geral do Centro Universitário Sant Anna, no uso de suas atribuições torna público o presente EDITAL que regerá o Processo

Leia mais

Proposta comercial de treinamento

Proposta comercial de treinamento Proposta comercial de treinamento Treinamento Transact-SQL Querying e Programming Brasília Fevereiro/2016 Brasília, 03 de Setembro de 2015 Ref.: 16-003 Esta proposta é válida até dia 12/02/2016. Sr. Nimbus

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO PÚBLICA PARA INCUBADORA DE PROJETOS DE EMPRESAS DA ESCOLA DE NEGÓCIOS DO SEBRAE SP

CHAMADA DE SELEÇÃO PÚBLICA PARA INCUBADORA DE PROJETOS DE EMPRESAS DA ESCOLA DE NEGÓCIOS DO SEBRAE SP CHAMADA DE SELEÇÃO PÚBLICA PARA INCUBADORA DE DE EMPRESAS DA ESCOLA DE NEGÓCIOS DO SEBRAE SP CHAMADA PERMANENTE Nº 01/2014 DE DE INCUBAÇÃO O Programa de Incubação de Projetos, através da coordenação da

Leia mais

Atribuições dos Coordenadores do Curso de Graduação em Direito: a) Coordenador do Curso de Graduação em Direito:

Atribuições dos Coordenadores do Curso de Graduação em Direito: a) Coordenador do Curso de Graduação em Direito: 306 Atribuições dos Coordenadores do Curso de Graduação em Direito: a) Coordenador do Curso de Graduação em Direito: 1. conhecer do Estatuto da Instituição e do Regimento do Curso; 2. apresentar, por escrito,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Ato: Resolução Nº 009/2010- CONSUP

REGIMENTO INTERNO Ato: Resolução Nº 009/2010- CONSUP Pág. 1 de 10 DO PROGRAMA DE PÓS- DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DOS CURSOS Art. 1 o A Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação é o órgão

Leia mais

A Malha Curricular a ser aplicada ao CAO/2015, transcrita a seguir, obedecerá ao seu Projeto Pedagógico.

A Malha Curricular a ser aplicada ao CAO/2015, transcrita a seguir, obedecerá ao seu Projeto Pedagógico. NP Nº 079/2015-DT/APMSAM PLANO DO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE OFICIAIS CAO/ 2015 1. FINALIDADE DO PLANO Regulamentar, no âmbito da Polícia Militar do Estado de Alagoas, o Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais,

Leia mais

MBA EM GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

MBA EM GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI FLORIANÓPOLIS DIREÇÃO GERAL DA FACULDADE: JOÃO ROBERTO LORENZETT COORDENAÇÃO DA FACULDADE: PRISCILA FAGUNDES COORDENAÇÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: RAFAEL PARACHEN

Leia mais

Governança de TI UNICAMP 13/10/2014. Edson Roberto Gaseta

Governança de TI UNICAMP 13/10/2014. Edson Roberto Gaseta Governança de TI UNICAMP 13/10/2014 Edson Roberto Gaseta Fundação CPqD Instituição brasileira focada em inovação Experiência em projetos de TI e de negócios Desenvolvimento de tecnologia nacional Modelo

Leia mais