Resultados de 2003: Quarto Trimestre

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resultados de 2003: Quarto Trimestre"

Transcrição

1 Resultados de 2003: Quarto Trimestre (Rio de Janeiro - 13 de janeiro de 2004) As informações operacionais e financeiras da Aracruz (Bovespa: ARCZ6) são apresentadas com base em números consolidados e em reais, conforme a legislação societária, exceto onde de outra forma indicado O release está disponível no endereço: Informações adicionais: Mauricio Werneck (21) Teleconferência (em inglês): 14 de Janeiro de 2004, às 12:00 (hora do Rio de Janeiro). Para participar, disque: (1-973) (ligação internacional) A teleconferência estará disponível no endereço da Aracruz na internet Destaques de 2003 Um ano de recordes e crescimento Receita líquida no ano acima de R$ 3 bilhões, recorde, 51% de aumento EBITDA ajustado, que reflete aproximadamente o caixa gerado pela empresa, de R$ 1,7 bilhão, 56% maior que no ano anterior Lucro líquido recorde, de R$ 870 milhões Crescimento de 36% nos volumes de vendas e de produção Com 31% de participação, líder no mercado global de celulose de eucalipto Aquisição da Riocell, agora Unidade Guaíba da Aracruz; pelo valor final de US$ 1.100/t, incluindo as sinergias identificadas Construção da fábrica da Veracel aprovada; R$ 1,9 bilhão em financiamentos diretos confirmados; obras iniciadas, progredindo conforme planejado Primeira empresa brasileira com Certificação HPR Risco Altamente Protegido pela FM Global, seguradora líder mundial em gerenciamento de risco e prevenção de perdas Resumo 4º tri º tri tri. var % Acumulado 2003 Acumulado 2002 Acumulado var% Receita líquida (milhões R$) 873,1 721,5 21% 3.066, ,6 51% EBITDA (milhões R$) 381,7 250,5 52% 1.557,2 876,3 78% EBITDA ajustado por outros lançamentos estritamente contábeis 431,4 416,0 4% 1.668, ,4 56% Lucro (prejuízo) líquido (milhões R$) 154,4 173,8 (11%) 870,2 12, % Lucro por ação (R$) 0,15 0,17 (12%) 0,84 0, % Volume de vendas de celulose (t) % % Volume de produção de celulose (t) % % Preço lista médio da celulose (R$/t) (13%) % Dívida líquida / capital total 52% 48%

2 Eventos recentes Veracel, R$1,9 bilhão de financiamentos confirmados A diretoria do BNDES aprovou um financiamento direto de aproximadamente R$ milhões, 60,5% em moeda local e 39,5% em moeda estrangeira. Na média, serão 3 anos de carência e 6,5 anos de amortização, com pagamentos mensais. Outras duas fontes de financiamento direto foram formalizadas pelo Banco Europeu de Investimento (EIB) e pelo Banco Nórdico de Investimento (NIB) no total de US$ 150 milhões (aproximadamente R$ 430 milhões). As condições acordadas foram: 3 anos de carência, 9 anos de amortização, pagamentos semestrais e taxa de juros libor + 0,89% ao ano. A Aracruz garantirá 50% de todos os financiamentos mencionados acima. Certificação HPR Risco Altamente Protegido A Aracruz Celulose recebeu da FM Global o selo HPR (Risco Altamente Protegido, na sigla em inglês). A certificação, reconhecida mundialmente no mercado de seguros, atesta que a empresa possui baixíssimo risco de interrupção de suas operações em função de acidentes industriais. A Aracruz é a primeira empresa brasileira a receber o certificado da FM Global, a maior empresa de seguro patrimonial do mundo e líder nas áreas de gerenciamento de risco e prevenção de perdas. Alongamento do perfil da dívida A Aracruz, de forma a viabilizar a sua estratégia de crescimento a longo prazo, via expansão e/ou aquisição, alongou o perfil de sua dívida durante 2003, após a aquisição da Riocell em junho e início dos investimentos da Veracel. Em agosto, através de uma operação de securitização de recebíveis futuros de exportação captou US$ 400 milhões, com vencimento em Além disso, utilizou linhas de financiamento comercial, aproveitando a liquidez dos mercados internacionais, para captar US$ 152 milhões com prazos de vencimento que variam de 2,9 anos até 3,5 anos. O resultado do alongamento foi uma significativa redução do endividamento de curto prazo para 28% da dívida total em dezembro, comparado a 58% em junho de O atual custo médio da dívida em moeda estrangeira de longo prazo é de 6,1% ao ano, em dólar. Incorporação e dedutibilidade do ágio compra da Riocell Em 07 de janeiro de 2004 a Riocell S.A. foi formalmente incorporada à Aracruz Celulose S.A.. A partir de então, a empresa já pode se valer da dedutibilidade fiscal da amortização do ágio reconhecido na aquisição. Após conclusão do laudo de avaliação independente, o valor final do ágio é de R$ 839,3 milhões; dos quais R$ 276,4 milhões com base no valor de mercado dos bens, a ser amortizado em prazo equivalente à depreciação (aproximadamente 18 anos) e R$ 562,9 milhões com base na expectativa de rentabilidade futura do investimento, a ser amortizado em 10 anos. 2

3 Mercado de celulose Em 2003, os embarques de celulose de eucalipto de mercado foram os que mais cresceram dentre todos os tipos de celulose, em termos globais. De janeiro a novembro as entregas cresceram 14%, principalmente para a Ásia e a Europa Ocidental. Os embarques de celulose de fibra curta do hemisfério norte ficaram relativamente estáveis, e houve uma redução de 9% nos volumes desse tipo de celulose do hemisfério sul. Ao longo do quarto trimestre, verificou-se um crescimento de 300 mil toneladas nos estoques mundiais agregados de celulose, que estavam em 5,3 milhões de toneladas ao final de novembro. Isso resultou em relativa pressão sobre os preços-lista da celulose, que cederam de US$10 a US$20 por tonelada em dezembro. Apesar desse revés de curto prazo, a atual recuperação econômica nos Estados Unidos, com possíveis efeitos positivos sobre a economia européia, juntamente com a boa performance dos mercados asiáticos, liderados pela China, provavelmente resultará em maior equilíbrio entre oferta e demanda nos mercados globais de celulose em Produção e vendas A produção de celulose no trimestre foi de toneladas, 22% acima do mesmo período em 2002, principalmente devido aos volumes produzidos pela Unidade Guaíba (RS), adquirida em meados de Em novembro houve uma parada programada de manutenção na Fábrica A da Unidade Barra do Riacho (ES). As vendas de celulose somaram toneladas, comparadas a toneladas no mesmo período do ano passado. Os estoques registraram toneladas ao final de dezembro, equivalentes a 40 dias de produção, comparados a 49 dias ao final de setembro. 4º Trimestre de º Trimestre de 2002 Ásia 26% América Latina 1% Brasil 2% Europa 36% Ásia 23% América Latina 0% Brasil 2% Europa 35% América do Norte 35% América do Norte 40% 3

4 Em 2003, a produção de celulose foi de toneladas e as vendas de toneladas. As vendas para a Ásia cresceram de acordo com o aumento de volumes e com a estratégia comercial da empresa para suprir este mercado em forte expansão. Acumulado 2003 Acumulado 2002 Ásia 23% América Latina 1% Brasil 2% Europa 38% Ásia 18% América Latina 1% Brasil 2% Europa 40% América do Norte 36% América do Norte 39% A estratégia comercial da Aracruz de parcerias de longo prazo, com clie ntes em segmentos de maior valor agregado, se reflete na distribuição por produto final, como segue: Produto Final Acumulado 2003 Acumulado 2002 Papéis Sanitários 55% 57% Papéis especiais 19% 14% Papéis Revestidos 15% 19% Papéis Não-Revestidos 11% 10% Resultados - 4 trimestre de 2003 O preço lista médio da celulose foi de R$ 1.502/t no período, comparado a R$ 1.717/t no mesmo período do ano anterior, refletindo a apreciação do real diante do dólar, parcialmente compensada pelo aumento de 10% no preço do produto em dólares. A receita operacional líquida foi de R$ 873,1 milhões, R$ 151,6 milhões superior à do mesmo período de A receita operacional líquida da celulose foi de R$ 834,8 milhões, comparada a R$ 713,6 milhões no mesmo período do ano anterior. O aumento é resultante do maior volume de vendas (R$ 264,8 milhões) compensado pelo menor preço em reais da celulose (R$ 143,6 milhões). O custo dos produtos vendidos alcançou R$ 460,9 milhões, comp arado a R$ 325,3 milhões no mesmo período do ano anterior. 4

5 O custo de produção de celulose por tonelada no trimestre foi de R$ 587/t comparado a R$ 558/t no mesmo período do ano anterior. O custo caixa de produção no trimestre foi de R$ 453/t comp arado a R$ 422/t no mesmo período de 2002, conforme apresentado a seguir: Custo Caixa de Produção R$/t. 4º tri Efeito cambial (16) Maior custo de madeira, principalmente devido à madeira comprada e maior raio das operações florestais 46 Outros 1 4º tri O impacto cambial demonstrado no quadro decorre do fato de aproximadamente 40% do custo caixa de produção ser denominado em dólares. A taxa de câmbio média no quarto trimestre foi de aproximadamente R$ 2,90/US$ 1,00 (R$ 3,67/US$ 1,00 no mesmo período do ano anterior), representando uma apreciação de 28%. O custo caixa de produção aumentou de R$ 451/t no terceiro trimestre para R$453/t no quarto trimestre, devido principalmente ao maior custo de madeira, em virtude do maior raio médio de operação. A aquisição de madeira da Veracel se encerrará ao final de Com a normalização do abastecimento em 2006, a Aracruz prevê que seu custo caixa sofra uma queda de aproximadamente 15% em relação ao nível atual, mantidas constantes as demais variáveis. Assumindo que o custo caixa de produção pode ser afetado por eventos temporários ou não recorrentes, tais como volatilidade da moeda, compra de madeira, paradas gerais de produção, etc., veja a tabela que segue de forma a obter uma base mais estável para projeções de longo prazo. (US$ por tonelada) Média do custo caixa de produção As despesas operacionais, antes das despesas e receitas financeiras e das variações cambiais, totalizaram R$ 123,6 milhões, comparadas a R$ 221,2 milhões no mesmo período do ano anterior, devido principalmente a menor provisão em R$ 142,2 milhões para perda sobre os créditos de ICMS, parcialmente compensada pela maior provisão em R$ 19,2 milhões de multas sobre contingências fiscais, R$ 6,7 milhões de provisão para crédito de liquidação duvidosa, R$ 8,0 milhões referentes a despesas da Veracel e a um aumento de R$ 7,3 milhões nas despesas de distribuição e comissões em função do maior volume de vendas, parcialmente compensado pela apreciação do câmbio. 5 RESULTADOS /4º TRIMESTRE DE 2003

6 As despesas financeiras líquidas, incluindo variações monetárias e cambiais, totalizaram R$ 36,7 milhões, comparadas a receitas financeiras líquidas de R$ 129,2 milhões no mesmo período de Os resultados financeiros do trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior refletiram principalmente uma menor valorização do real sobre os ativos e passivos denominados em dólares (menor receita em R$ 137,8 milhões). A tabela a seguir demonstra os efeitos das monetárias e cambiais: Variações monetárias e cambiais Origem (R$ milhões) 4 tri tri 2002 Disponibilidades e recursos equivalentes 12,3 51,9 Disponibilidades 2,8 43,9 Títulos e valores mobiliários - 8,0 Derivativos mercado futuro de dólar 9,5 - Contas a receber 6,4 36,4 Empréstimos e financiamentos - curto prazo (7,3) (47,6) Empréstimos e financiamentos - longo prazo (33,3) (191,7) Outras (inclui fornecedores) 0,6 (8,1) Total (21,3) (159,1) O Imposto de Renda (IR) e a Contribuição Social sobre o Lucro (CSL) totalizaram no trimestre R$ 89,0 milhões, comparados a R$ 128,8 milhões no mesmo período do ano anterior, ambos sem desembolso. A menor provisão deveu-se principalmente à menor base tributável de variação cambial credora em função de uma menor apreciação do real diante do dólar americano no quarto trimestre de 2003, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Em 31 de dezembro de 2003, os créditos fiscais federais somavam R$ 58 milhões e serão utilizados na compensação de IR e CSL devidos no futuro. Adicionalmente, em virtude do benefício fiscal obtido em 2003 por estar incluída na área de atuação da Adene, a empresa reduziu seu passivo com imposto de renda em R$ 25,7 milhões no trimestre, lançados à conta de reserva de incentivo fiscal no patrimônio líquido. Em 31 de dezembro de 2003 o benefício correspondia a R$ 100,9 milhões, registrado na conta de "Reserva de capital", e somente poderá ser utilizado para absorção de prejuízo ou aumento de capital social. Em 9 de janeiro de 2004 a Aracruz recebeu correspondência do Inventariante Extrajudicial da extinta Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE), informando que julgou improcedente o direito à fruição do benefício da redução do imposto de renda anteriormente concedido e auferido, e que providenciará a sua revogação. A administração da empresa, amparada por seus consultores jurídicos, acredita que a pretensa revogação está equivocada e não alcança as parcelas do benefício auferidas durante o período de vigência da autorização. Portanto, em 31 de dezembro de 2003 não foi registrada qualquer provisão relativa aos benefícios reconhecidos no exercício findo nessa data. Adicionalmente, a empresa irá buscar proteção cabível com os adequados instrumentos jurídicos para anular os efeitos do ato administrativo, para todo o período de vigência do benefício. 6

7 Passivos e ativos financeiros A dívida bruta em 31 de dezembro de 2003 era de R$ 4.082,6 milhões, 2% inferior à do final do trimestre anterior. Composição da dívida bruta (R$ milhões) 31/12/ /09/2003 DÍVIDA DE CURTO PRAZO 1.164, ,7 Parcela de LP no curto prazo 803,9 671,3 Instrumentos de dívida de curto prazo 341,8 724,8 Provisão de juros 18,4 23,6 DÍVIDA DE LONGO PRAZO 2.918, ,5 DÍVIDA TOTAL 4.082, ,2 A dívida em moeda local corresponde integralmente a empréstimos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). A composição da dívida bruta por vencime nto é a seguinte: (R$ milhões) Moeda Local Moeda Estrangeira Dívida Total % , , ,1 28% ,1 246,1 370,2 9% ,9 522,5 641,4 16% ,2 667,6 784,8 19% ,9 366,0 478,9 12% 2009 e após 60,5 582,7 643,2 16% Total 672, , ,6 100% As disponibilidades em caixa no final de dezembro de 2003 totalizavam R$ 1.074,8 milhões. Do total das disponibilidades, R$ 892,2 milhões estavam investidos em moeda local e R$ 182,6 milhões aplicados, na sua maior parte, em certificados de depósito de curtíssimo prazo em dólar no exterior. Como a Aracruz é uma empresa exportadora, basicamente vinculada ao dólar, as aplicações financeiras em moeda local servem como instrumentos de proteção para a parcela da dívida bruta em moeda local. Adicionalmente, a empresa se utiliza de operações no mercado futuro de dólar para ajustar sua exposição cambial de balanço, tendo como base as demonstrações financeiras de acordo com os princípios contábeis norte-americanos. A dívida líquida foi de R$ 3.007,8 milhões em 31 de dezembro de 2003, R$ 47,3 milhões menor do que em 30 de setembro de 2003, devido principalmente à geração de caixa operacional, parcialmente compensada por R$ 247,3 milhões de investimentos de capital. O índice de dívida líquida sobre capital total no final do quarto trimestre era de 52%, e o índice de cobertura de juros (com base no EBITDA ajustado) foi de 6,4x no trimestre. 7

8 O EBITDA no trimestre foi R$ 381,7 milhões, comparado com R$ 250,5 milhões no mesmo período do ano anterior, devido principalmente ao maior volume vendido. A margem do EBITDA foi de 44% no trimestre, comparada a 35% no mesmo período de O EBITDA ajustado do trimestre, desconsiderados os ajustes contábeis que não afetam a geração de caixa, foi de R$ 431,4 milhões (49% de margem), comparado a R$ 416,0 milhões (58% de margem) no mesmo período do ano passado, como demonstrado a seguir. (R$ milhões) 4 tri tri EBITDA 381,7 250,5 Ajustes não-caixa 49,7 165,5 Provisão para indenizações trabalhistas 1,8 0,6 Provisão para perda sobre créditos de ICMS 18,5 160,7 Provisão (reversão) para perda nos estoques (0,4) 1,2 Multa sobre contingências fiscais 20,8 1,7 Outras 9,0 1,3 EBITDA ajustado 431,4 416,0 Os investimentos de capital e outros no período distribuíram-se de acordo com a tabela abaixo: (R$ milhões) 4 tri Acumulado 2003 Compra de terra para novos plantios 0,3 68,0 Investimentos industriais (4,0) 46,8 Investimentos referentes ao transporte marítimo de madeira 0,5 14,8 Silvicultura 9,6 45,1 Total Projeto Fábrica C 6,4 174,7 Silvicultura 28,9 123,6 Investimentos industriais complementares 2,7 10,6 Outros investimentos florestais 10,8 31,3 Investimentos Veracel 184,8 263,6 Diversos projetos 13,7 24,1 Total de investimentos de capital 247,3 627,9 Outros aquisição adicional de 5% da Veracel - 23,0 Outros aquisição da Riocell ,6 Total de investimentos de capital e outros 247, ,5 A tabela a seguir apresenta a estimativa dos investimentos de capital para os próximos períodos: (US$ milhões) Fábrica C - silvicultura Investimentos de manutenção todas as fábricas Veracel (aumento de capital por parte da Ar acruz) Total

9 Desempenho das ações e dividendos As ações preferenciais classe B da Aracruz acumularam uma valorização de 56,80% em 2003, de R$ 6,76 para R$ 10,60. No mesmo período, o índice Ibovespa apresentou uma valorização de 97,33% /12/ /01/ /02/ /03/ /04/ /05/ /06/ /07/ /08/ /09/ /10/ /11/ /12/2003 ARACRUZ PNB IBOVESPA Informações sobre a ação Dec.31, 2003 Número total de ações Ações ordinárias Ações preferenciais ADR ( American Deposit Receipt ) 1 ADR = 10 ações preferências Capitalização de mercado R$ 10,9 bilhões Média diária do volume financeiro - 4 tri (Bovespa e NYSE) * US$8,6 milhões Média diária do volume financeiro (Bovespa e NYSE) * US$7,9 milhões * fonte Economática Dividendos - Com base na capacidade de geração operacio nal de caixa, a Administração está propondo à Assembléia Geral Ordinária a distribuição de dividendos equivalentes a R$ 360 milhões, a ser realizada no segundo trimestre de Resultados de acordo com os critérios contábeis americanos Os resultados da Aracruz também são publicados em dólares, pelos critérios contábeis americanos (US GAAP), visando atender às demandas de informação dos investidores externos. Por este critério, o lucro líquido consolidado apurado no quarto trimestre foi de US$ 28,1 milhões. O lucro líquido consolidado apurado no ano de 2003 foi de US$ 148,1 milhões. 9

10 Outras informações Como resultado do dissídio anual em novembro a empresa concedeu 16% de aumento salarial, percentual acima da inflação registrada nos 12 meses anteriores. Além disso, no quarto trimestre, foi pago um abono salarial, equivalente a 50% do salário mensal, para todos os funcionários. A Aracruz Celulose S.A., com operações nos estados do Espírito Santo, Bahia, Minas Gerais e Rio Grande do Sul é a maior produtora mundial de celulose branqueada de eucalipto. A Aracruz utiliza exclusivamente plantios de eucalipto para produzir celulose de fibra curta de alta qualidade, utilizada para fabricar uma ampla gama de produtos de consumo e de alto valor agregado, incluindo papéis sanitários de primeira linha, papéis de imprimir e escrever de qualidade superior e papéis especiais. A empresa também produz madeira serrada de alta qualidade proveniente de plantios florestais em sua unidade fabril localizada em Nova Viçosa, no extremo -sul do Estado da Bahia. Comercializada sob a marca Lyptus, a madeira é destinada às indústrias de móveis e design de interiores, do Brasil e do exterior. A Aracruz tem ações negociadas nas Bolsas de Valores de São Paulo, Nova York e Madri (Latibex). 10

11 Balanço Patrimonial Consolidado (em milhares de reais - legislação societária) ATIVO 31.dez dez.02 PASSIVO 31.dez dez.02 Circulante Circulante Disponível Fornecedores Aplicações financeiras Empréstimos e financiamentos Títulos e valores mobiliários Juros sobre empréstimos Contas a receber - clientes Dividendos Estoques Imposto de renda e contribuição social Créditos tributários Outros Adiantamentos a fornecedores Exigível a longo prazo Demais contas a receber Empréstimos e financiamentos Outros Imposto de renda diferido Realizável a longo prazo ,066 Provisão para litígios e contingências Adiantamentos a fornecedores Outros Créditos tributários Participação de minoritários Depósitos judiciais Patrimônio líquido Outros Capital social Ativo permanente Reservas de capital Investimentos Reservas de lucros Imobilizado Ações em tesouraria (8.150) (8.142) Diferido TOTAL TOTAL

12 Demonstração do Resultado Consolidado (em milhares de reais - legislação societária) 4 Trimestre Acumulado RECEITA LÍQUIDA DE VENDAS Custo dos produtos vendidos RESULTADO BRUTO Despesas comerciais Despesas administrativas Provisão para perda em crédito tributário Outras (receitas) despesas operacionais RESULTADO DAS OPERACÕES EXCLUINDO RESULT.FINANCEIRO Despesas financeiras ( ) ( ) (Receitas) financeiras (21.456) (21.683) ( ) Outras (receitas) despesas não operacionais RESULTADO ANTES DA TRIBUTAÇÃO E PARTICIPAÇÃO DE MINORITÁRIOS (82.144) Imposto de renda e contribuição social (94.276) Participação de minoritários LUCRO LÍQUIDO (PREJUÍZO) CONSOLIDADO (-) Lucros nos estoques de controladas (realizados) ou não realizados no período, líquido (2.911) LUCRO LÍQUIDO (PREJUÍZO) CONTROLADORA Depreciação, amortização e exaustão EBITDA CONSOLIDADO (*) EBITDA CONSOLIDADO AJUSTADO(**) (*) Resultado operacional, excluindo resultado financeiro, antes da depreciação, amortização e exaustão. (**) Desconsiderando os ajustes contábeis que não afetam a geração operacional de caixa 12

13 Demonstração do Fluxo de Caixa Consolidado (em milhares de reais) Atividades operacionais 4º trimestre Acumulado Lucro líquido do período Ajustes ao lucro líquido (Acréscimo) decréscimo em ativos (72.539) (40.270) (38.161) ( ) Acréscimo (decréscimo) em passivos (26.213) (22.278) ( ) (1.346) Caixa gerado pelas atividades operacionais Atividade de investimentos Títulos e valores mobiliários ( ) ( ) Investimentos em controladas - Riocell ( ) Aquisição adicional de 5% da Veracel (22.972) Imobilizado ( ) (99.719) ( ) ( ) Diferido (3) (2.525) (12.310) (5.766) Valores recebidos pela venda de ativo permanente Caixa gerado pelas (usado nas) atividades de investimentos ( ) ( ) ( ) ( ) Atividades de financiamentos Empréstimos e financiamentos Adições Pagamentos ( ) ( ) ( ) ( ) Ações em tesouraria (7.943) (8) (7.943) Dividendos pagos 2 ( ) ( ) Caixa gerado pelas (usado nas) atividades de financiamentos (48.378) ( ) ( ) Efeito de variações cambiais em disponibilidades (2.834) (43.867) (42.015) Acréscimo (decréscimo) líquido em caixa e aplicações financeiras (32.312) ( ) Disponibilidades financeiras no início do período Disponibilidades financeiras no final do período

14 Conciliação dos resultados Legislação societária x US GAAP (US$ milhões) 4 Trimestre 2003 Acumulado 2003 Lucro líquido da controladora pela legislação societária 52, Lucros realizados / (não realizados) nas controladas 1,0 (2.8) Lucro líquido consolidado pela legislação societária 53, Depreciação, exaustão e baixas de imobilizado (19,7) (73.2) Provisão para Imposto de Renda 9, Equivalência patrimonial em afiliada 0,4 (13.5) Variação cambial (15,3) (103.3) Lucro líquido (prejuízo) consolidado conforme US GAAP 28, Conversão pela taxa do último dia de dezembro de 2003 (US$ 1,0000 = R$ 2,8892) Este documento contém afirmações que constituem previsões para o futuro. Essas previsões são dependentes de assunções, informações ou métodos que podem estar incorretos ou imprecisos e podem não se realizar. Possíveis investidores são aqui alertados de que nenhuma dessas previsões é garantia de futura performance, pois envolvem riscos e incertezas. E que os resultados podem diferir substancialmente daqueles feitos nas previsões. A empresa não assume, e especificamente nega, qualquer obrigação de atualizar quaisquer previsões, que fazem sentido apenas na data em que foram feitas. 14

ULTRAPAR PARTICIPAÇÕES S.A.

ULTRAPAR PARTICIPAÇÕES S.A. ULTRAPAR PARTICIPAÇÕES S.A. (BOVESPA:UGPA4/NYSE: UGP) INFORMAÇÕES E RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2006 (São Paulo, Brasil, 10 de maio de 2006) Diversas iniciativas gerenciais de contenção de custos

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T16

Divulgação de Resultados 1T16 São Paulo - SP, 29 de Abril de 2016. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL DOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE JUNHO (em milhares de reais)

BALANÇO PATRIMONIAL DOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE JUNHO (em milhares de reais) CIRCULANTE BALANÇO PATRIMONIAL DOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE JUNHO (em milhares de reais) ATIVO CONSOLIDADO 2008 2007 2008 2007 Numerário disponível 1.265 2.072 5.915 6.418 Aplicações no mercado aberto

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE Prof. Wanderson S. Paris, M.Eng. prof@cronosquality.com.br NOÇÕES DE CONTABILIDADE DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS X ATIVIDADES

Leia mais

Divulgação de Resultado 4T15

Divulgação de Resultado 4T15 Divulgação de Resultado 4T15 1 Dados de mercado em 17/03/2016 Cotação: R$2,12 Valor de Mercado: R$140.103.091,68 T e l e c o n f e r ê n c i a 4T15 Teleconferência em português: 18 de março de 2016 Sexta-feira,

Leia mais

Resultados da Mills no 1T16

Resultados da Mills no 1T16 Resultados da Mills no 1T16 Relações com Investidores BM&FBOVESPA: MILS3 Rio de Janeiro, 5 de maio de 2016 - A Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. (Mills) apresenta os seus resultados referentes

Leia mais

2T17. Divulgação de Rsultados 2T17 e 1S17. carros

2T17. Divulgação de Rsultados 2T17 e 1S17. carros 2T17 Divulgação de Rsultados 2T17 e 1S17 carros Divulgação de Resultados 2T17 e 1S17 Frota em 30/06/2017: 151.750 carros Destaques Operacionais Diárias - Aluguel de Carros (mil) Destaques Financeiros Receita

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2012 ---

ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2012 --- ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2012 --- SUMÁRIO Análise Financeira 04 Resumo Econômico-Financeiro 06 Resultados s 07 Resultado por Área de Negócio 08 Demonstração do Valor Adicionado 08 Liquidez

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Souza Barros Fique por dentro. Apresentação dos Resultados 1T13 Nutriplant. Ricardo Pansa Presidente e DRI. Maio de 2013

Souza Barros Fique por dentro. Apresentação dos Resultados 1T13 Nutriplant. Ricardo Pansa Presidente e DRI. Maio de 2013 Souza Barros Fique por dentro Apresentação dos Resultados 1T13 Nutriplant Ricardo Pansa Presidente e DRI Maio de 2013 Nutriplant: opção de investimento em insumos diferenciados para o agronegócio brasileiro.

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ EMBRAER S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ EMBRAER S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 6) 25.888 67.330 Fornecedores 4.797 8.340 Aplicações financeiras 3.341

Leia mais

SOMOS Educação ER 1T17

SOMOS Educação ER 1T17 SOMOS Educação ER 1T17 1 São Paulo, 15 de maio de 2017 A SOMOS Educação S.A. (BM&FBOVESPA: SEDU3) divulga seus resultados do 1º trimestre de 2017 ( 1T17 ). Os comentários aqui incluídos referem-se aos

Leia mais

Resultados 2T15. EBITDA Ajustado recorde de R$ 3,3 bilhões nos últimos 12 meses findos em junho de 2015. Destaques do 2T15

Resultados 2T15. EBITDA Ajustado recorde de R$ 3,3 bilhões nos últimos 12 meses findos em junho de 2015. Destaques do 2T15 Resultados 2T15 São Paulo, 12 de agosto de 2015. Suzano Papel e Celulose (Bovespa: SUZB5), uma das maiores produtoras integradas de celulose e papel da América Latina, anuncia hoje os resultados consolidados

Leia mais

FUNEPU Demonstrações Contábeis 2009. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

FUNEPU Demonstrações Contábeis 2009. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes 1 FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA DE UBERABA - FUNEPU CNPJ 20.054.326/0001-09 BALANÇO PATRIMONIAL PARA

Leia mais

Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004

Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 e de 2003 e parecer de auditores independentes Demonstração da composição e diversificação

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Seis meses findos em 30 de junho de 2013 Exercício findo em 31 de dezembro de 2012

Leia mais

Confab Anuncia Resultados para o Terceiro Trimestre de 2008

Confab Anuncia Resultados para o Terceiro Trimestre de 2008 Confab Anuncia Resultados para o Terceiro Trimestre de 2008 São Paulo, 30 de outubro de 2008. Confab Industrial S.A. (BOVESPA: CNFB4), uma empresa Tenaris, anunciou hoje os resultados correspondentes ao

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T16

Teleconferência de Resultados 2T16 Teleconferência de Resultados 2T16 1 2 Destaques Receita Líquida de R$100,0 milhões no 6M16. Lucro Líquido de R$45,8 milhões no 6M16. EBITDA Ajustado de R$18,3 milhões no 6M16. Fornecimento de 1,0 milhão

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 ATIVO NE 31/12/2013 31/12/2012 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO NE 31/12/2013 31/12/2012 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades 4 85.142.911 86.881.544

Leia mais

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2015

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2015 Elekeiroz S.. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2015 Balanço patrimonial 31 de dezembro de 2015 31 de dezembro de 2014 Passivo

Leia mais

Destaques do 2º trimestre de 2016

Destaques do 2º trimestre de 2016 Destaques do 2º trimestre Principais Destaques Melhora do EBITDA e da margem EBITDA no 2T16 em relação ao 1T16, em todas as operações de negócio. Fluxo de caixa livre positivo de R$ 807 milhões no 2T16:

Leia mais

Informações Consolidadas

Informações Consolidadas METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas Desempenho da Gerdau no 2 o trimestre As Demonstrações Financeiras Consolidadas da Metalúrgica Gerdau S.A. são apresentadas em conformidade com as normas

Leia mais

Divulgação de Resultado 1T15

Divulgação de Resultado 1T15 Divulgação de Resultado 1T15 1 Dados de mercado em 07/05/2015 Cotação: R$2,35 Valor de Mercado: R$155.302.955,40 T e l e c o n f e r ê n c i a 1T15 Teleconferência em português 08 de maio de 2015 Sexta-feira,

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 ATIVO Explicativa n o 31/12/2011 31/12/2010 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO Explicativa n o 31/12/2011 31/12/2010 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades

Leia mais

8.000 ATIVO CIRCULANTE

8.000 ATIVO CIRCULANTE BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO Ativo X0 X1 Receita de Vendas 8.000 ATIVO CIRCULANTE 500 2.150 (-) CPV -5.000 Caixa 100 1.000 Lucro Bruto 3.000 Bancos 200 100 (-) Despesas financeiras -1.500

Leia mais

MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures

MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício

Leia mais

Lumina Resíduos Industriais S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2010

Lumina Resíduos Industriais S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2010 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em de 2010 Balanços patrimoniais Em milhares de reais Ativo Nota explicativa 31 de dezembro de 2010 31 de dezembro 1º de janeiro

Leia mais

Informações Consolidadas

Informações Consolidadas METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas Desempenho no 1 o trimestre As Demonstrações Financeiras Consolidadas da Metalúrgica Gerdau S.A. são apresentadas em conformidade com as normas internacionais

Leia mais

Destaques do 1º trimestre de 2016

Destaques do 1º trimestre de 2016 Destaques do 1º trimestre Principais Destaques O EBITDA e margem EBITDA consolidada no 1T16 apresentaram aumento em relação ao 4T15, apesar do cenário do mercado de aço no mundo. Fluxo de caixa livre positivo

Leia mais

Earnings Release 3T13

Earnings Release 3T13 UNIPAR CARBOCLORO ANUNCIA OS RESULTADOS DO 3T13 E DOS 9M13 São Paulo, 12 de novembro de 2013 A UNIPAR CARBOCLORO S.A. (BM&FBOVESPA: UNIP3, UNIP5 e UNIP6) divulga hoje os resultados referentes ao terceiro

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T16. 06 de Maio de 2016

Divulgação de Resultados 1T16. 06 de Maio de 2016 Divulgação de Resultados 06 de Maio de 2016 Aviso Importante Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam ocasionar variações

Leia mais

Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS

Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS André Gerdau Johannpeter Diretor-Presidente e CEO Osvaldo B. Schirmer Vice-presidente e Diretor de RI 5 de novembro de 2009 Teleconferência

Leia mais

A Vigor Alimentos S.A. divulga os resultados do 3T13

A Vigor Alimentos S.A. divulga os resultados do 3T13 A Vigor Alimentos S.A. divulga os resultados do 3T13 São Paulo, 12 de novembro de 2013 - A Vigor Alimentos S.A. (BM&FBovespa: VIGR3) anuncia hoje os resultados do terceiro trimestre de 2013 (3T13). As

Leia mais

A Taxa de Ocupação dos veículos no segmento de Aluguel de Carros RAC (excluindo Franquias) foi de 77,4% no 1T14, 6,9p.p. acima da realizada no 1T13.

A Taxa de Ocupação dos veículos no segmento de Aluguel de Carros RAC (excluindo Franquias) foi de 77,4% no 1T14, 6,9p.p. acima da realizada no 1T13. São Paulo, 02 de Maio de 2014 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2014 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ I S.A.

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ I S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 Demonstrações Financeiras Em 31 de Dezembro de 2011 Conteúdo Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Balanço Patrimonial

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ ALPARGATAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ ALPARGATAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 1999.

TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 1999. Contatos: Walmir Urbano Kesseli Joana Dark Fonseca Serafim Telefone: (041)305-5447 Fax: (041)305-3074 E-mail: joana.serafim@telecelularsul.com.br Homepage: www.telecelularsul.com.br TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T de novembro de 2016

Divulgação de Resultados 3T de novembro de 2016 Divulgação de Resultados 04 de novembro de 2016 Aviso Importante Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam ocasionar

Leia mais

ULTRAPAR PARTICIPAÇÕES S.A.

ULTRAPAR PARTICIPAÇÕES S.A. MD&A - ANÁLISE DOS RESULTADOS CONSOLIDADOS Primeiro Trimestre 2012 (1) Informações financeiras selecionadas: (R$ milhões) 1º Tri 12 1º Tri 11 4º Tri 11 Variação 1T12 X 1T11 Variação 1T12 X 4T11 Receita

Leia mais

Safra Multicarteira Agressivo - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de junho de

Safra Multicarteira Agressivo - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de junho de Safra Multicarteira Agressivo - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2004 e de 2003 e parecer de auditores independentes Parecer

Leia mais

Comentário do Desempenho

Comentário do Desempenho Gerdau S.A. Comentário do Desempenho Controladora 1T16 Desempenho no 1º trimestre Controladora A Gerdau S.A. é uma sociedade anônima de capital aberto, com sede no Rio de Janeiro, capital. A Companhia

Leia mais

Resultados 4T de Março de 2011

Resultados 4T de Março de 2011 Resultados 4T10 22 de Marçode 2011 1 AGENDA DESTAQUES Providência USA RESULTADOS PERSPECTIVAS 2 DESTAQUES Conclusão do projeto da primeira planta da Companhia nos Estados Unidos, com uma linha de produção

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2016 - IDEIASNET SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2016 - IDEIASNET SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

TELEFÓNICA, S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RELATÓRIO DE GESTÃO CORRESPONDENTES AO EXERCÍCIO DE 2008

TELEFÓNICA, S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RELATÓRIO DE GESTÃO CORRESPONDENTES AO EXERCÍCIO DE 2008 RELATÓRIO DE AUDITORÍA, DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RELATÓRIO DE GESTÃO DA TELEFÓNICA, S.A. CORRESPONDENTES AO EXERCÍCIO DE 2008 TELEFÓNICA, S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RELATÓRIO DE GESTÃO CORRESPONDENTES

Leia mais

Gas Brasiliano Distribuidora S.A.

Gas Brasiliano Distribuidora S.A. Balanço patrimonial em 31 de março (não auditado) Ativo 2016 2015 Passivo e patrimônio líquido 2016 2015 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 78.050 132.536 Fornecedores 23.096 19.064 Contas

Leia mais

2

2 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 Controladora Consolidado ATIVO Jun 2009 Set 2009 Jun 2009 Set 2009 Circulante Disponibilidades 23,0 37,4 56,1 92,1 Contas a receber de clientes 62,8 72,8 114,2 125,9 Estoques

Leia mais

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ II S.A.

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ II S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 Demonstrações Financeiras Em 31 de Dezembro de 2011 Conteúdo Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Balanço Patrimonial

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ EMBRAER EMPR BRAS. DE AERONAUTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ EMBRAER EMPR BRAS. DE AERONAUTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Localiza Rent a Car S.A.

Localiza Rent a Car S.A. Localiza Rent a Car S.A. Resultados 2T15 e 1S15 R$ milhões 24 de julho de 2015 Divisão de Aluguel de Carros Receita líquida (R$ milhões) 802,2 980,7 1.093,7 1.163,5 1.284,4 628,1 606,4 316,7 296,4 2010

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T14

Teleconferência de Resultados 4T14 Teleconferência de Resultados DESTAQUES A Receita Operacional Líquida (ROL) atingiu R$ 3.452,2 MM em. Forte crescimento das operações Contact Center na América Latina (ex-brasil), que totalizaram uma receita

Leia mais

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE E DO ANO DE 2007

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE E DO ANO DE 2007 232 220 211 208 213 979 1.037 1.080 1.104 1.204 André Machado Mastrobuono Diretor Presidente, Financeiro e de Relações com Investidores Ricardo Antunes Agostini Diretor Executivo de Finanças Renata Pantoja

Leia mais

2T05 DESEMPENHO DA MRS LOGÍSTICA HYPERLINK 2 TRIMESTRE DE 2005

2T05 DESEMPENHO DA MRS LOGÍSTICA HYPERLINK 2 TRIMESTRE DE 2005 DESEMPENHO DA MRS LOGÍSTICA HYPERLINK 2 TRIMESTRE DE 2005 2T05 MRS BATE NOVOS RECORDES: 9,35 MILHÕES DE TONELADAS EM MAIO E ATINGE LUCRO LÍQUIDO DE MAIS DE R$199 MILHÕES NO 1 SEMESTRE A MRS Logística S.A.

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T16 e 9M16

Divulgação de Resultados 3T16 e 9M16 Divulgação de Resultados 3T16 e 9M16 Destaques 3T16 Receita líquida - Aluguel de Carros (R$ milhões) Receita líquida - Gestão de Frotas (R$ milhões) 317,1 362,5 154,1 163,5 3T15 3T16 3T15 3T16 Evolução

Leia mais

COMPANHIA POTIGUAR DE GÁS POTIGÁS CNPJ: 70.157.896/0001-00

COMPANHIA POTIGUAR DE GÁS POTIGÁS CNPJ: 70.157.896/0001-00 COMPANHIA POTIGUAR DE GÁS POTIGÁS CNPJ: 70.157.896/0001-00 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS PERÍODOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 31 DE DEZEMBRO DE 2010. (Valores expressos em

Leia mais

Teleconferência dos Resultados - 4º Trimestre de 2007 GERDAU S.A. CONSOLIDADO

Teleconferência dos Resultados - 4º Trimestre de 2007 GERDAU S.A. CONSOLIDADO Teleconferência dos Resultados - 4º Trimestre de 2007 GERDAU S.A. CONSOLIDADO André Gerdau Johannpeter Diretor-Presidente e CEO Osvaldo B. Schirmer Vice-Presidente Executivo de Finanças e Controladoria

Leia mais

C O M E N T Á R I O S S O B R E O D E S E M P E N H O 1T15

C O M E N T Á R I O S S O B R E O D E S E M P E N H O 1T15 Senhores (as) Acionistas, A BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros ( BM&FBOVESPA, Bolsa ou Companhia ) submete à apreciação de V.Sas. os Comentários da Administração referentes às atividades

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 ATIVO NE 31/12/2015 31/12/2014 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO NE 31/12/2015 31/12/2014 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades 4 90.705.601 82.095.096

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T16

Teleconferência de Resultados 1T16 Teleconferência de Resultados 1T16 1 Destaques Receita Líquida de R$67,2 milhões no 1T16. Lucro Líquido de R$44,5 milhões no 1T16. EBITDA Ajustado de R$10,4 milhões no 1T16. Estimativa de transformação

Leia mais

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2001

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2001 TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. João Cox VP de Finanças e Diretor de Relações com Investidores Jcox@telepart.com.br 0XX61-429-5600 Leonardo Dias Gerente de Relações com Investidores Ldias@telepart.com.br

Leia mais

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) 4T04 3T05 4T05

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) 4T04 3T05 4T05 Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 09 de fevereiro de 2006. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) (NYSE:EMT; BOVESPA: EBTP4, EBTP3) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações

Leia mais

08 BALANÇO & CONTAS. em 31 Dezembro 2008

08 BALANÇO & CONTAS. em 31 Dezembro 2008 08 BALANÇO & CONTAS em 31 Dezembro 2008 BALANÇO CÓDIGO DAS CONTAS ACTIVO Activo Bruto 2008 Amortizações e Ajustamentos Activo Líquido 2007 Activo Líquido IMOBILIZADO Imobilizações incorpóreas: 431 Despesas

Leia mais

DESTAQUES. Após tornar-se efetiva a operação, a EDF Internacional remanescerá com 10% das ações da Companhia.

DESTAQUES. Após tornar-se efetiva a operação, a EDF Internacional remanescerá com 10% das ações da Companhia. Rio de Janeiro, Brasil, 25 de Julho de 2006 - A LIGHT S.A. ( LIGT3 ), controladora das empresas do GRUPO LIGHT, anuncia seu resultado relativo ao 1 Semestre de 2006. A cotação do dólar em 30/06/2006 era

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2014 - Eldorado Brasil Celulose S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2014 - Eldorado Brasil Celulose S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE DEZEMBRO DE 2004

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE DEZEMBRO DE 2004 BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE DEZEMBRO DE 2004 I. A EMPRESA O BNDES foi criado em 20 de junho de 1952, pela Lei n.º 1.628, como Autarquia

Leia mais

Teleconferência dos Resultados 3T2010 Gerdau S.A. Consolidado IFRS

Teleconferência dos Resultados 3T2010 Gerdau S.A. Consolidado IFRS Teleconferência dos Resultados 3T2010 Gerdau S.A. Consolidado IFRS André Gerdau Johannpeter Diretor-Presidente e CEO Osvaldo B. Schirmer Vice-presidente e Diretor de RI 05 de novembro de 2010 1 Contexto

Leia mais

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras NOTAS EXPLICATIVAS DAS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS - ITR (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) 1 - CONTEXTO OPERACIONAL Bicicletas Monark S.A. ( Companhia ) tem por objetivo a industrialização

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15

Teleconferência de Resultados 2T15 Teleconferência de Resultados 2T15 Destaques Encerramento do 5º ano de fornecimento de cana-de-açúcar, entregando 724 mil toneladas. Área total plantada de 78.044 hectares. Construção de um silo na Bahia,

Leia mais

COMENTÁRIO DO DESEMPENHO DA COMPANHIA NO 1 TRIMESTRE DE 2016

COMENTÁRIO DO DESEMPENHO DA COMPANHIA NO 1 TRIMESTRE DE 2016 COMENTÁRIO DO DESEMPENHO DA COMPANHIA NO 1 TRIMESTRE DE 2016 As informações a seguir estão apresentadas de forma consolidada. Os valores estão apresentados de acordo com as normas expedidas pela CVM Comissão

Leia mais

Destaques do 3º trimestre de 2016

Destaques do 3º trimestre de 2016 Destaques do 3º trimestre Principais Destaques Margem EBITDA consolidada de 13,8% no 3T16, refletindo a diversificação geográfica da Companhia. Redução de 11,5% em despesas com vendas, gerais e administrativas

Leia mais

GLOBEX UTILIDADES S.A. CNPJ n o. 33.041.260/0001-64 NIRE: 333001-41073

GLOBEX UTILIDADES S.A. CNPJ n o. 33.041.260/0001-64 NIRE: 333001-41073 GLOBEX UTILIDADES S.A. CNPJ n o. 33.041.260/0001-64 NIRE: 333001-41073 Resultados do 1º Trimestre de 2006 Rio de Janeiro, 18 de maio de 2006 Globex Utilidades S.A. (BOVESPA: GLOB4, GLOB3; OTC: GBXPY),

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

2º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS

2º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS fg 2º TRIMESTRE DE 2016 Retomada do crescimento de vendas totais e mesmas lojas, aliada a ganho consistente de market share no mercado total a. A receita líquida totalizou R$4,3 bilhões no 2T16, com retomada

Leia mais

DESTAQUES OPERACIONAIS E FINANCEIROS DO 3T05 E 9M05

DESTAQUES OPERACIONAIS E FINANCEIROS DO 3T05 E 9M05 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$74,5 milhões ou R$0,97 por ação no 3T05 e R$167,9 milhões ou R$2,18 por ação em 9M05 Crescimento de 12,1% dos Prêmios Auferidos na comparação trimestral e 19,3%

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 46 Fornecedores 41.785 Aplicações Financeiras 5.541 Provisão

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 3T16

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 3T16 1) VISÃO GERAL DA COMPANHIA A Iochpe- é uma companhia global, líder mundial na produção de rodas automotivas, um dos principais produtores de componentes estruturais automotivos nas Américas e também líder

Leia mais

TELE NORDESTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004

TELE NORDESTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 Contatos: Tele Nordeste Celular Participações S.A. Walmir Urbano Kesseli 55.81.3302.2813 Leonardo Wanderley 55.81.3302.2594 leonardo.wanderley@timnordeste.com.br Polyana Maciel 55.81.3302.2593 polyana.maciel@timnordeste.com.br

Leia mais

17 de Maio de 2010 Anhanguera Educacional S.A.

17 de Maio de 2010 Anhanguera Educacional S.A. Resultado 1T10 17 de Maio de 2010 1 1 Aviso Este documento contém declarações futuras, que podem ser identificadas por palavras como espera, pretende, planeja, acredita, procura, estima ou palavras de

Leia mais

24 de Julho de 2014 RESULTADOS 2T14 E 1S14

24 de Julho de 2014 RESULTADOS 2T14 E 1S14 24 de Julho de 2014 RESULTADOS E 1S14 Consolidado: Destaques do Receita líquida avança 13,4%, com crescimento mesmas lojas de 9,5%: Crescimento impulsionado pelo desempenho do Alimentar e da Nova Pontocom;

Leia mais

ATIVO

ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL DOS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO CONTROLADORA CONSOLIDADO ATIVO CIRCULANTE Numerário disponível 5.803 1.361 17.311 8.292 Aplicações no mercado aberto 1.216.028 665.948 1.216.530

Leia mais

Destaques do 4º trimestre e exercício de 2015

Destaques do 4º trimestre e exercício de 2015 Principais Destaques Destaques do 4º trimestre e exercício Redução de 5,4% nas despesas com vendas, gerais e administrativas no ano quando comparado com. Geração positiva de fluxo de caixa livre de R$

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 1T16

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 1T16 1) VISÃO GERAL DA COMPANHIA A Iochpe-Maxion é uma companhia global, líder mundial na produção de rodas automotivas, um dos principais produtores de componentes estruturais automotivos nas Américas e também

Leia mais

Autometal registra um lucro líquido de R$156,2 milhões, aumento de 45,5% em relação aos 9M10. Margem líquida cresceu 3,9p.p nos 9M11 para 13,0%.

Autometal registra um lucro líquido de R$156,2 milhões, aumento de 45,5% em relação aos 9M10. Margem líquida cresceu 3,9p.p nos 9M11 para 13,0%. Autometal registra um lucro líquido de R$156,2 milhões, aumento de 45,5% em relação aos 9M10. Margem líquida cresceu 3,9p.p nos 9M11 para 13,0%. São Paulo, 27 de outubro de 2011 A Autometal S.A. [Bovespa:

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BRF - BRASIL FOODS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BRF - BRASIL FOODS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público 1

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público 1 Plano de ontas Aplicado ao Setor Público 1 Legenda dos níveis de desdobramento: 1 Nível lasse 2º Nível Grupo 3º Nível Subgrupo 4º Nível Título 5º Nível Subtítulo 6º Nível Item 7º Nível - Subitem As contas

Leia mais

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: a) compra de galpão para a fábrica. b) venda de mercadoria a prazo. c) pagamento de salários

Leia mais

Em setembro de 2011, ocorreu a cisão parcial de 99,99% de seu patrimônio líquido.

Em setembro de 2011, ocorreu a cisão parcial de 99,99% de seu patrimônio líquido. NUMERAL 80 PARTICIPAÇÕES S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E DE 2011 (Valores expressos em milhares de reais - R$) 1. CONTEXTO OPERACIONAL

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR)

DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR) 1 de 8 31/01/2015 14:50 DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR) Até 31.12.2007, a Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (DOAR) era obrigatória para as companhias abertas e

Leia mais

TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro trimestre de 2004

TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro trimestre de 2004 TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro trimestre de 2004 Publicação, 07 de maio de 2004 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Charles E. Allen TELEFONICA DATA

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T de Novembro de 2016 Relações com Investidores

Teleconferência de Resultados 3T de Novembro de 2016 Relações com Investidores Teleconferência de Resultados 11 de Novembro de 2016 Relações com Investidores 1 Disclaimer Este material constitui uma apresentação de informações gerais sobre a Marfrig Global Foods S.A. e suas controladas

Leia mais

Informações Trimestrais 31/03/2016. Localiza Rent a Car S.A. CNPJ/MF: /

Informações Trimestrais 31/03/2016. Localiza Rent a Car S.A. CNPJ/MF: / Informações Trimestrais 31/03/2016 Localiza Rent a Car S.A. CNPJ/MF: 16.670.085/0001 55 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo

Leia mais

Suzano Papel e Celulose S.A. Informações Trimestrais (ITR) em 30 de setembro de 2016 e relatório de revisão dos auditores independentes.

Suzano Papel e Celulose S.A. Informações Trimestrais (ITR) em 30 de setembro de 2016 e relatório de revisão dos auditores independentes. Suzano Papel e Celulose S.A. Informações Trimestrais (ITR) em 30 de setembro de 2016 e relatório de revisão dos auditores independentes. Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro

Leia mais

Energisa Borborema - Distribuidora de Energia S/A Resultados do 1º trimestre de 2016

Energisa Borborema - Distribuidora de Energia S/A Resultados do 1º trimestre de 2016 Resultados do 1º trimestre de 2016 Cataguases, 13 de maio de 2016 A Administração da ( Energisa Borborema ou Companhia ) apresenta os resultados do primeiro trimestre (1T16). As informações financeiras

Leia mais

COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO CNPJ/MF 47.508.411/0001-56 NIRE 35.300.089.901. São Paulo, 29 de março de 2010.

COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO CNPJ/MF 47.508.411/0001-56 NIRE 35.300.089.901. São Paulo, 29 de março de 2010. COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO CNPJ/MF 47.508.411/0001-56 NIRE 35.300.089.901 São Paulo, 29 de março de 2010. PROPOSTA DE DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO (Art. 9º da ICVM 481/2009) Senhores

Leia mais

1º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS. Ganhos consistentes de market share e melhora na tendência de vendas

1º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS. Ganhos consistentes de market share e melhora na tendência de vendas \ Ganhos consistentes de market share e melhora na tendência de vendas A receita líquida totalizou R$4,7 bilhões no 1T16, com melhora sequencial nas vendas mesmas lojas durante o trimestre e ganho de market

Leia mais

Teleconferência. Resultados do 2T de Agosto de 2011

Teleconferência. Resultados do 2T de Agosto de 2011 Teleconferência Resultados do 2T11 1 12 de Agosto de 2011 AVISO LEGAL Esta apresentação poderá conter considerações referentes as perspectivas futuras do negócio, estimativas de resultados operacionais

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ UNICASA INDÚSTRIA DE MÓVEIS S.A. Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ UNICASA INDÚSTRIA DE MÓVEIS S.A. Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Ativo Passivo e Patrimônio Líquido Circulante R$ Circulante R$ Caixa e equivalentes

Leia mais