ÁREA PARA TITULO. [Classificação: Pública]

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÁREA PARA TITULO. [Classificação: Pública]"

Transcrição

1 ÁREA PARA TITULO

2 Redação sugerida pela ANEEL para AP071/2012 Art. 7º Alterar o art. 190 da Resolução Normativa no 414/2010, que passa a vigorar com a seguinte redação: Art As distribuidoras com mais de 60 (sessenta) mil unidades consumidoras devem observar os seguintes limites para os indicadores mensais de qualidade do atendimento telefônico: [...] III Indicador de Chamadas Ocupadas ICO 4% (menor ou igual a quatro por cento) até 2014 e 2% (menor ou igual a dois por cento) a partir de 2015.

3 Redação Proposta Manter como está estabelecido hoje no art. 190 da Resolução Normativa no 414/2010: Art As distribuidoras com mais de 60 (sessenta) mil unidades consumidoras devem observar os seguintes limites para os indicadores mensais de qualidade do atendimento telefônico: [...] III Indicador de Chamadas Ocupadas ICO 4% (menor ou igual a quatro por cento).

4 Considerações e Justificativas: 1) A ANEEL não apresenta em sua proposta os motivadores técnicos e qualitativos que justifiquem tal reduçãonametadeico a partir de 2015, mas somente uma estatística percentual de resultados do ICO verificado em 12 meses conforme regulação em vigor para as centrais de teleatendimento das 46 distribuidoras com mais de clientes. Nota Técnica nº 020/2012-SRC/ANEEL, item 54: 54. Analisando-se o histórico das distribuidoras, considerando as 46 distribuidoras acima de unidades consumidoras, tem-se os seguintes resultados, considerando os doze meses do ano:... ICO - Índice de Chamadas Ocupadas: % de meses no ano ICO 4% ICO 3% ICO 2% ICO 1% % 84% 74% 66% % 80% 73% 65%

5 Considerações e Justificativas: 2) O quadro anterior evidencia que pelo menos 15% das distribuidoras ainda não conseguiram atingir a meta de 4% para o ICO na metodologia atual. 3) As mudanças ora propostas na regulação, sobretudo aquelas relativas à alteração na metodologia de cálculo dos indicadores de qualidade do atendimento telefônico que passarão a considerar também os períodos atípicos relativos às 52 (cinquenta e duas) semanas anteriores influenciarão sobremaneira os resultados do ICO.

6 Considerações e Justificativas: 4) As informações referentes às chamadas ocupadas necessárias para o cálculo do ICO são de responsabilidade exclusiva das operadoras de telefonia, que não tem na legislação do setor de telecomunicações a fixação de um prazo limite para disponibilizar esses dados, ficando as distribuidoras vulneráveis em virtude das várias tecnologias empregadas por cada uma das empresas de telefonia nas diferentes regiões do Brasil. Por sua vez, essa demora na disponibilização das informações dificulta ou mesmo impede a adoção de ações corretivas rápidas e eficazes por parte das distribuidoras para o tratamento de possíveis ocorrências que possam comprometer a performance nesse indicador.

7 Considerações e Justificativas: 5) Soma se à consideração anterior a impossibilidade de validação, por parte das distribuidoras, das informações repassadas pelas operadoras de telefonia relativas à quantidade de chamadas ocupadas que pode sofrer variação em virtude de falhas pontuais em suas redes.

8 Conclusão Não estabelecer agora a meta do ICO para a partir de 2015 assegurará à ANEEL uma maior assertividade na definição dessa meta quando as distribuidoras apresentarem os resultados do ICO já considerando os impactos das mudanças ora propostas. Neste sentido, solicitamos à ANEEL que se abstenha de promover esta mudança neste momento, mantendo se o limite atualmente estabelecido para o ICO de 4%, podendo vir a revisá lo oportunamente quando já tiver em mãos um histórico desse indicador já dentro da nova metodologia.

9 B Prazo para adequar a estrutura técnica e comercial Redação Sugerida pela ANEEL para AP071/2012 Art. 9º Para adequação de sua estrutura técnica e comercial, a distribuidora dispõe do prazo máximo de 30 (trinta) dias, a contar da data de publicação desta Resolução. Redação Proposta Art. 9º Para adequação de sua estrutura técnica e comercial, a distribuidora dispõe do prazo máximo de 180 (cento e oitenta) dias, a contar da data de publicação desta Resolução.

10 B Prazo para adequar a estrutura técnica e comercial Considerações e Justificativas: Necessidade de aprovação antecipada de orçamento nas empresas; Formular especificações técnicas para o redimensionamento das centrais de teleatendimento; Aprovar a compra dos serviços pelas Diretorias Executivas e Conselhos de Administração das empresas; Necessidade de contratação direta e para aquelas distribuidoras sujeitas a Lei 8.666, a realização de licitações para o aumento de estruturas de teleatendimento; Recrutamento, seleção, contratação e capacitação do incremento da força de trabalho; Demais adequações necessárias para atender às outras exigências previstas nessa proposição mudança.

11 B Prazo para adequar a estrutura técnica e comercial Conclusão Neste sentido, solicitamos à ANEEL que amplie o prazo para que as distribuidoras adequem sua estrutura técnica e comercial de 30 (trinta) para no mínimo 180 (cento e oitenta) dias.

12 Obrigado! Mauro Marinho Campos Gerente das Centrais de Relacionamento com Clientes

RELATÓRIO DE ANÁLISE DAS CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA AP N O 071/2012

RELATÓRIO DE ANÁLISE DAS CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA AP N O 071/2012 Anexo II da Nota Técnica n o 040/2012-SRC/ANEEL de 6/12/2012 RELATÓRIO DE ANÁLISE DAS CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA AP N O 071/2012 Obter contribuições para a minuta de resolução que estabelece

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO 1 - INTRODUÇÃO As exposições sujeitas ao risco de crédito são grande parte dos ativos da COGEM. Por isso, o gerenciamento do risco dessas exposições é fundamental para que os objetivos da Cooperativa sejam

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Método para Avaliar e Premiar a Qualidade de Atendimento e Reduzir Custos Operacionais

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 363, DE 22 DE ABRIL DE 2009

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 363, DE 22 DE ABRIL DE 2009 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 363, DE 22 DE ABRIL DE 2009 Estabelece as condições de atendimento por meio de Central de Teleatendimento - CTA das concessionárias e

Leia mais

ESCLARECIMENTO Nº 02

ESCLARECIMENTO Nº 02 ESCLARECIMENTO Nº 02 PREGÃO PRESENCIAL nº 13/02613 OBJETO: ADM. CENTRAL - Contratação de empresa especializada para a prestação de serviços de Contact Center, destinado ao atendimento dos clientes da Celesc

Leia mais

*F69F3DF9* PROJETO DE LEI N.º, de de 2012. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO)

*F69F3DF9* PROJETO DE LEI N.º, de de 2012. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO) ** PROJETO DE LEI N.º, de de 2012. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO) Dispõe sobre a criação de cargos de provimento efetivo no Quadro de Pessoal da Secretaria do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região.

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos I e II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos I e II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e PORTARIA Nº 1.341, DE 13 DE JUNHO DE 2012 Define os valores dos incentivos de implantação e de custeio mensal dos Centros de Especialidades Odontológicas - CEO e dá outras providências. O MINISTRO DE ESTADO

Leia mais

ANEEL AUDIÊNCIA PÚBLICA N O 42 / 2005

ANEEL AUDIÊNCIA PÚBLICA N O 42 / 2005 ANEEL AUDIÊNCIA PÚBLICA N O 42 / 2005 Fixação de Encargos da Concessionária ou Permissionária e cálculo da Participação Financeira do Consumidor nas obras. Assunto: ORÇAMENTO 16/Fevereiro/2006 CONTRIBUIÇÕES

Leia mais

ANEXO II MODELOS DE DECLARAÇÕES E DOS COMPROMISSOS PREVISTOS NO EDITAL

ANEXO II MODELOS DE DECLARAÇÕES E DOS COMPROMISSOS PREVISTOS NO EDITAL ANEXO II MODELOS DE DECLARAÇÕES E DOS COMPROMISSOS PREVISTOS NO EDITAL 1 SUMÁRIO 1 MODELO 1 - CARTA DE ENCAMINHAMENTO DE DOCUMENTAÇÃO DE HABILITAÇÃO... 3 2 MODELO 2 - COMPROMISSO DE DISPONIBILIDADE DE

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS FIN 04 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS FIN 04 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS FIN 04 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria Financeira de conciliação das informações repassadas pelos

Leia mais

Prefeitura Municipal de Aracaju Secretaria Municipal de Planejamento e Orçamento

Prefeitura Municipal de Aracaju Secretaria Municipal de Planejamento e Orçamento 1 TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de serviços de Consultor Ambiental para compor a unidade de gerenciamento do Programa Integrado De Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social PROCIDADES/BID CONTRATO 2258/OC-BR.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 16/01/2014 (nº 11, Seção 1, pág. 26) Institui o Plano Nacional de

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília MGS Plano de execução de serviço Projeto de transformação de Processos Estrutura do Documento 1. Introdução

Leia mais

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades 1. DESCRIÇÕES DO CARGO - ESPECIALISTA EM DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIA NUCLEAR E DEFESA a) Descrição Sumária Geral Desenvolver, projetar, fabricar,

Leia mais

CP 013/14 Sistemas Subterrâneos. Questões para as distribuidoras

CP 013/14 Sistemas Subterrâneos. Questões para as distribuidoras CP 013/14 Sistemas Subterrâneos Questões para as distribuidoras 1) Observa-se a necessidade de planejamento/operacionalização de atividades entre diversos agentes (distribuidoras, concessionárias de outros

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA AGÊNCIA BRASILEIRA DE COOPERAÇÃO - ABC INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA - IICA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PU Tricap Empresarial Único 1000 TRADICIONAL

CONDIÇÕES GERAIS DO PU Tricap Empresarial Único 1000 TRADICIONAL CONDIÇÕES GERAIS DO PU Tricap Empresarial Único 1000 TRADICIONAL I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: ICATU CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 74.267.170/0001-73 PU 81.4 - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

JUSTIFICATIVA PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº003/2015 DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº001/2015

JUSTIFICATIVA PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº003/2015 DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº001/2015 JUSTIFICATIVA PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº003/2015 DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº001/2015 O B J E T O: Contratação de serviços para manutenção de servidor e firewalls Linux para servidores de aplicação, controle

Leia mais

A Resolução Normativa nº 414 estabelece um cronograma a ser cumprido pelas distribuidoras, cujos prazos já estão sendo vencidos.

A Resolução Normativa nº 414 estabelece um cronograma a ser cumprido pelas distribuidoras, cujos prazos já estão sendo vencidos. Informação nº. 0046/2011/JURÍDICO/CNM Interessados: Municípios Brasileiros Assunto: Resolução Normativa nº. 414/2010 - ANEEL Sabe-se que a Resolução Normativa nº. 414 da Agência Nacional de Energia Elétrica

Leia mais

PROGRAMA PROGOVERNO BIRD

PROGRAMA PROGOVERNO BIRD PROGRAMA PROGOVERNO BIRD TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2013 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA DE EMPRESA ESPECIALIZADA QUE IRÁ DESENVOLVER E MINISTRAR TREINAMENTO NA ELABORAÇÃO DE TERMO DE

Leia mais

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000)

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) PLANO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE LONDRINA

Leia mais

QUEREMOS APROVEITAR ESTE ENCONTRO PARA DESENVOLVER ESTE TEMA EM CONJUNTO COM AS AUTORIDADES PRESENTES

QUEREMOS APROVEITAR ESTE ENCONTRO PARA DESENVOLVER ESTE TEMA EM CONJUNTO COM AS AUTORIDADES PRESENTES AS EMPRESAS DO SINAENCO PRETENDEM APOIAR A GESTÃO E O GERENCIAMENTO, DE FORMA COMPROMETIDA COM A OBTENÇÃO DE RESULTADOS NOS PROGRAMAS E EMPREENDIMENTOS PUBLICOS. QUEREMOS APROVEITAR ESTE ENCONTRO PARA

Leia mais

COMPANHIA ENERGÉTICA DE ALAGOAS PLANO DE OCUPAÇÃO DE INFRAESTRUTURA

COMPANHIA ENERGÉTICA DE ALAGOAS PLANO DE OCUPAÇÃO DE INFRAESTRUTURA COMPANHIA ENERGÉTICA DE ALAGOAS PLANO DE OCUPAÇÃO DE INFRAESTRUTURA Outubro 2008 1 Companhia Energética de Alagoas-CEAL Superintendência de Projetos e Obras-SPP Gerencia de Projetos e Obras de Distribuição-GPD

Leia mais

III.b.2 Atestados de capacidade técnica

III.b.2 Atestados de capacidade técnica Licitante interessada em participar do pregão eletrônico Adpal nº 66/2014, que tem como objeto a contratação de empresa para a prestação de serviços de vigilância patrimonial ostensiva armada, por postos

Leia mais

PRODUTOS DO COMPONENTE 2 2.1 - POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS FORMULADA E APROVADA

PRODUTOS DO COMPONENTE 2 2.1 - POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS FORMULADA E APROVADA PRODUTOS DO COMPONENTE 2 2.1 - POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS FORMULADA E APROVADA A reformulação da Política de Recursos Humanos é imprescindível para a Administração alcançar a modernização do serviço

Leia mais

PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE

PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE Ministério da Educação Novembro de 2013 1 SUMÁRIO 1. Apresentação 1.1 Introdução 1.2 Base Legal 1.3 Justificativa 2.

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 33/2013-CONSUNIV Altera a Resolução nº. 019/2011, que institui o Sistema de

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 33/2013-CONSUNIV Altera a Resolução nº. 019/2011, que institui o Sistema de UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 33/2013-CONSUNIV Altera a Resolução nº. 019/2011, que institui o Sistema de Ingresso Seriado para acesso aos Cursos de Graduação de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MEDICINA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL DA COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA -

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MEDICINA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL DA COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA - TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MEDICINA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL DA COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA - CODEBA 1. OBJETO Prestação de serviços em medicina

Leia mais

Prefeitura Municipal de Grupiara CNPJ N.º: 17.827.858/0001-27

Prefeitura Municipal de Grupiara CNPJ N.º: 17.827.858/0001-27 PROJETO DE LEI MUNICIPAL Nº 002/2015, DE 20 DE MARÇO DE 2015 AUTORIZA O EXECUTIVO MUNICIPAL A ABRIR CRÉDITO ESPECIAL NO VALOR DE R$2.184,84 (DOIS MIL, CENTO E OITENTA E QUATRO REAIS E OITENTA E QUATRO

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 536-B DE 2011 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 25 DE 2011 Dá nova redação ao art. 4º da Lei nº 6.932, de 7 de julho de 1981, que dispõe sobre as atividades do médico-residente;

Leia mais

Eficiência Energética. Roberto Carlos da Silva - Técnico Comercial Agosto de 2005

Eficiência Energética. Roberto Carlos da Silva - Técnico Comercial Agosto de 2005 Eficiência Energética Roberto Carlos da Silva - Técnico Comercial Agosto de 2005 Desafios para a Competitividade das Empresas Baixa Eficiência Energética; Necessidade de Novas Tecnologias e de Recursos

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Implantação de solução de armazém de dados, denominada SIJUD Sistema de Informações Estratégicas do Judiciário, seguindo os conceitos estabelecidos para esse tipo

Leia mais

Tipo/Nº do Documento: Data: Origem: Vigência: Resolução Homologatória nº1576 30/07/2013 ANEEL 07/08/2013

Tipo/Nº do Documento: Data: Origem: Vigência: Resolução Homologatória nº1576 30/07/2013 ANEEL 07/08/2013 LEGISLAÇÃO COMERCIAL Assunto: Homologa o resultado da sexta Revisão Tarifária Periódica RTP da Escelsa. Tipo/Nº do Documento: Data: Origem: Vigência: Resolução Homologatória nº1576 30/07/2013 ANEEL 07/08/2013

Leia mais

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 6 Penalidades. Submódulo 6.1 Penalidades de medição e multas

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 6 Penalidades. Submódulo 6.1 Penalidades de medição e multas Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 6 Penalidades Submódulo 6.1 Penalidades de medição Revisão 1.0 Vigência 16/10/2012 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS 4. LISTA DE DOCUMENTOS 5. FLUXO DE

Leia mais

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 32/2010

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 32/2010 MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 32/2010 NOME DA INSTITUIÇÃO: AES Sul Distribuidora Gaúcha de Energia S/A AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO:

Leia mais

Oficina dos principais desafios do Programa Minha Casa Minha Vida 3. 05 de junho de 2014

Oficina dos principais desafios do Programa Minha Casa Minha Vida 3. 05 de junho de 2014 Oficina dos principais desafios do Programa Minha Casa Minha Vida 3 05 de junho de 2014 INSERÇÃO URBANA E QUALIFICAÇÃO DOS PROJETOS URBANÍSTICOS E DE ARQUITETURA (parâmetros) PARCERIA ENTRE ATORES/ CADEIA

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 265, de 16 de agosto de 2004.

CIRCULAR SUSEP N o 265, de 16 de agosto de 2004. CIRCULAR SUSEP N o 265, de 16 de agosto de 2004. Disciplina os procedimentos relativos à adoção, pelas sociedades seguradoras, das condições contratuais e das respectivas disposições tarifárias e notas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA Outubro de 2013 1 1 OBJETO Prestação de Serviço de Manutenção da licença

Leia mais

AUDITORIA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (Subestações de Alta e Extra Alta Tensão )

AUDITORIA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (Subestações de Alta e Extra Alta Tensão ) GMI/021 21 a 26 de Outubro de 2001 Campinas - São Paulo - Brasil GRUPO XII GESTÃO DA MANUTENÇÃO AUDITORIA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (Subestações de Alta e Extra Alta Tensão ) João Carlos Santos Schneider

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 9.424, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1996. Dispõe sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA (RN) RN - 006/01

RESOLUÇÃO NORMATIVA (RN) RN - 006/01 RESOLUÇÃO NORMATIVA (RN) RN - 006/01 EMITENTE Presidência Aprovada pela Diretoria REUNIÃO DE 01/06/2005 Revisão Nº 01 Aprovada pela Diretoria REUNIÃO DE 10/01/2007 ASSUNTO Contratação de Prestação de Serviços

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. Fabio Faria)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. Fabio Faria) PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. Fabio Faria) Institui o Programa de Incentivo à Geração Distribuída de Energia Elétrica a partir de Fonte Solar - PIGDES e altera a Lei nº 10.438, de 26 de abril de 2002.

Leia mais

Política de Gerenciamento do Risco Operacional Banco Opportunity e Opportunity DTVM Março/2015

Política de Gerenciamento do Risco Operacional Banco Opportunity e Opportunity DTVM Março/2015 Política de Gerenciamento do Risco Operacional Banco Opportunity e Opportunity DTVM Março/2015 1. OBJETIVO Esta política tem como objetivo estabelecer as diretrizes necessárias para o adequado gerenciamento

Leia mais

Relatório sobre a Revisão Especial de Cumprimento da Antecipação do Plano Geral de Metas para a Universalização Estado do Maranhão

Relatório sobre a Revisão Especial de Cumprimento da Antecipação do Plano Geral de Metas para a Universalização Estado do Maranhão ANEXO 2 DECLARAÇÃO DE AUDITORIA INDEPENDENTE Relatório sobre a Revisão Especial de Cumprimento da Antecipação do Plano Geral de Metas para a Universalização Estado do Maranhão Ilmos. Srs. Acionistas e

Leia mais

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO RIO DE JANEIRO SEBRAE/RJ. CONCORRÊNCIA No 01/03 EDITAL DE CREDENCIAMENTO

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO RIO DE JANEIRO SEBRAE/RJ. CONCORRÊNCIA No 01/03 EDITAL DE CREDENCIAMENTO 1 SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SEBRAE/RJ 1. DA CONVOCAÇÃO: CONCORRÊNCIA No 01/03 EDITAL DE CREDENCIAMENTO SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO

Leia mais

BREVE ANÁLISE ACERCA DAS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS NA LEI N O 9.656, DE 03 DE JUNHO DE 1998, PELA LEI N O 13.003, DE 24 DE JUNHO DE 2014

BREVE ANÁLISE ACERCA DAS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS NA LEI N O 9.656, DE 03 DE JUNHO DE 1998, PELA LEI N O 13.003, DE 24 DE JUNHO DE 2014 BREVE ANÁLISE ACERCA DAS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS NA LEI N O 9.656, DE 03 DE JUNHO DE 1998, PELA LEI N O 13.003, DE 24 DE JUNHO DE 2014 Guilherme Portes Rio de Janeiro 08 de agosto de 2014 Advogado e Sócio

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 31 DE MARÇO DE 2008

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 31 DE MARÇO DE 2008 PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 31 DE MARÇO DE 2008 Dispõe sobre o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior - FIES. DA POLÍTICA DE OFERTA DE FINANCIAMENTO Art. 4º A concessão de financiamento

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PM102T7 TRADICIONAL CNPJ: 74.267.170/0001-73 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº:

CONDIÇÕES GERAIS DO PM102T7 TRADICIONAL CNPJ: 74.267.170/0001-73 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: CONDIÇÕES GERAIS DO PM102T7 TRADICIONAL I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: ICATU CAPITALIZAÇÃO S.A CNPJ: 74.267.170/0001-73 PM102T7 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: II GLOSSÁRIO

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação-Geral de Energia

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação-Geral de Energia - MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação-Geral de Energia Parecer Analítico sobre Regras Regulatórias nº 33/COGEN/SEAE/MF Brasília, 14 de outubro de 2011. Assunto: Audiência

Leia mais

Case Livraria Saraiva: Solução de Atendimento Multicanal e Internalização da Central de Atendimento

Case Livraria Saraiva: Solução de Atendimento Multicanal e Internalização da Central de Atendimento Case Livraria Saraiva: Solução de Atendimento Multicanal e Internalização da Central de Atendimento Livraria Saraiva A Livraria Saraiva é uma empresa brasileira, fundada em 1914 e hoje é a maior livraria

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º XXX, DE XX DE XXXXXX DE 2013

RESOLUÇÃO N.º XXX, DE XX DE XXXXXX DE 2013 RESOLUÇÃO N.º XXX, DE XX DE XXXXXX DE 2013 O PRESIDENTE DO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO, no uso de suas atribuições regulamentares e, considerando

Leia mais

1. Alterar os itens 1.3, 1.3.1, 1.5 e 1.5.1 e acrescentar item 1.3.2 da Cláusula Primeira do Contrato, com a seguinte redação:

1. Alterar os itens 1.3, 1.3.1, 1.5 e 1.5.1 e acrescentar item 1.3.2 da Cláusula Primeira do Contrato, com a seguinte redação: PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E FORNECIMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DE ACESSO A SERVIÇOS INTERNET DE BANDA ESTREITA DIAL PROVIDER Pelo presente instrumento particular, de um lado, na

Leia mais

APRIMORAMENTO E OTIMIZAÇÃO DOS PROCESSOS DE GESTÃO DE PESSOAS

APRIMORAMENTO E OTIMIZAÇÃO DOS PROCESSOS DE GESTÃO DE PESSOAS APRIMORAMENTO E OTIMIZAÇÃO DOS PROCESSOS DE GESTÃO DE PESSOAS Juliana Caldas Chaves 1 Resumo: O trabalho implementado pela Gerência de Gestão de Pessoas da SEGPLAN teve com finalidade promover o apromimoramento

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO Marcos Neves Comissão Central PDI do IFSC PNE EXIGÊNCIA CONSTITUCIONAL O art.

Leia mais

Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST. Módulo 6 Informações Requeridas e Obrigações

Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST. Módulo 6 Informações Requeridas e Obrigações Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST Módulo 6 Informações Requeridas e Obrigações Revisão 0 1 2 3 4 5 6 7 Motivo

Leia mais

Guia do Usuário. Guia do Usuário

Guia do Usuário. Guia do Usuário Guia do Usuário APRESENTAÇÃO...1 I ESCLARECIMENTOS PRELIMINARES...2 Do Cadastro Nacional de Adoção CNA...2 Do Acesso e utilização do Cadastro Nacional de Adoção CNA...2 II. ESPECIFICAÇÕES GERAIS DO CNA

Leia mais

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. S u b m ó d u l o 10. 2

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. S u b m ó d u l o 10. 2 A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A Módulo 10: Ordem e Condições de Realização dos Processos Tarifários e Requisitos de Informações e Obrigações Periódicas S u b m ó d u l o

Leia mais

Comissão Especial de Licitação Concorrência nº 397/2010 Verificador Independente RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS EM 08/02/2011

Comissão Especial de Licitação Concorrência nº 397/2010 Verificador Independente RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS EM 08/02/2011 RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS EM 08/02/2011 EDITAL DE LICITAÇÃO 1. É dito no item 9.6.3 que os atestados de capacitação técnica a que se refere o item 9.6.1 (I a III) deverão ser fornecidos por

Leia mais

David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma

David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma Carta do Leitor Por: David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma Engenheiro de produção pela Escola Politécnica da USP e especialista em PNL pela SBPNL. Gerente da área de Lean

Leia mais

NBA 10: INDEPENDÊNCIA DOS TRIBUNAIS DE CONTAS. INTRODUÇÃO [Issai 10, Preâmbulo, e NAT]

NBA 10: INDEPENDÊNCIA DOS TRIBUNAIS DE CONTAS. INTRODUÇÃO [Issai 10, Preâmbulo, e NAT] NBA 10: INDEPENDÊNCIA DOS TRIBUNAIS DE CONTAS INTRODUÇÃO [Issai 10, Preâmbulo, e NAT] 1. Os Tribunais de Contas somente podem realizar suas tarefas quando são independentes da entidade auditada e são protegidos

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS APLICAÇÕES DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS TRIMESTRE: ABRIL - JUNHO DE 2008

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS APLICAÇÕES DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS TRIMESTRE: ABRIL - JUNHO DE 2008 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SANTA MARIA IPASSP SM DIRETORIA EXECUTIVA RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS APLICAÇÕES DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 008/2010. Revisão da Metodologia de Estabelecimento dos Limites dos Indicadores Coletivos de Continuidade

CONSULTA PÚBLICA Nº 008/2010. Revisão da Metodologia de Estabelecimento dos Limites dos Indicadores Coletivos de Continuidade CONSULTA PÚBLICA Nº 008/2010 Revisão da Metodologia de Estabelecimento dos Limites dos Indicadores Coletivos de Continuidade Rio de Janeiro, 23 de Agosto de 2010 Apresentamos a seguir as nossas respostas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 19, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 19, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 19, DE 2015 Altera a Lei nº 11.033, de 21 de dezembro de 2004, para acabar com a tributação semestral sobre os rendimentos das aplicações em fundos de investimento. O CONGRESSO

Leia mais

EDITAL SAL/MJ Nº 9, DE 03 DE JULHO DE 2015. PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Contrato de Pessoa Física Modalidade Produto Nacional

EDITAL SAL/MJ Nº 9, DE 03 DE JULHO DE 2015. PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Contrato de Pessoa Física Modalidade Produto Nacional MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Secretaria de Assuntos Legislativos Esplanada dos Ministérios, Ed. Sede, bloco T, 4º andar, sala 44 (61) 2025 76 / 114 E-mail: sal@mj.gov.br EDITAL SAL/MJ Nº 9, DE 0 DE JULHO DE 2015

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria de pessoa física para realizar ações e organizar atividades

Leia mais

PEDIDO DE ESCLARECIMENTO Nº 01 PE Nº 03/2013

PEDIDO DE ESCLARECIMENTO Nº 01 PE Nº 03/2013 PEDIDO DE ESCLARECIMENTO Nº 01 PE Nº 03/2013 Considerando o posicionamento enviado pela área técnica desta CGU-PR, segue abaixo a resposta ao Pedido Esclarecimento nº 01 PE nº 03/2013: QUESTIONAMENTO 01:

Leia mais

Organização administrativa. Estrutura organizacional. A UniBacen tem a seguinte estrutura organizacional:

Organização administrativa. Estrutura organizacional. A UniBacen tem a seguinte estrutura organizacional: Organização administrativa Estrutura organizacional A UniBacen tem a seguinte estrutura organizacional: I órgãos de assistência direta e imediata à Chefia: a) Escritório de Projetos (Espro) b) Coordenação

Leia mais

ORIENTAÇÕES AOS MUNICIPIOS TRANSFERÊNCIA DE ATIVOS DE I. P. APLICAÇÃO DA NOVA RESOLUÇÃO DA ANEEL

ORIENTAÇÕES AOS MUNICIPIOS TRANSFERÊNCIA DE ATIVOS DE I. P. APLICAÇÃO DA NOVA RESOLUÇÃO DA ANEEL ORIENTAÇÕES AOS MUNICIPIOS TRANSFERÊNCIA DE ATIVOS DE I. P. APLICAÇÃO DA NOVA RESOLUÇÃO DA ANEEL 17/12/2013 É preciso se atentar que a nova resolução aprovada pela ANEEL não apenas prorrogou o prazo limite

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP PRESENTE. (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02

CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP PRESENTE. (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02 CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP PRESENTE I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA IPEA/PNPD Nº 082/2011 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA IPEA/PNPD Nº 082/2011 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA IPEA/PNPD Nº 082/2011 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), fundação pública vinculada à Secretaria de Assuntos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 355, DE 17 DE MARÇO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 355, DE 17 DE MARÇO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 355, DE 17 DE MARÇO DE 2015. Dispõe sobre os procedimentos e as taxas de desconto dos fluxos de caixa marginais a serem adotados nos processos de Revisão Extraordinária nos Contratos de Concessão

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS Edital de Melhoria e Inovação do Ensino da Graduação Nº 01/2015 A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE),

Leia mais

CAPÍTULO I Definições

CAPÍTULO I Definições (D.O.U nº.173, de 10 de setembro de 2009, seção 1, páginas 51 e 52.) MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº 29, DE 31 DE AGOSTO DE 2009 Dispõe

Leia mais

CONTROLE DO GASTO PÚBLICO, DESDE AS PEQUENAS COMPRAS

CONTROLE DO GASTO PÚBLICO, DESDE AS PEQUENAS COMPRAS CONTROLE DO GASTO PÚBLICO, DESDE AS PEQUENAS COMPRAS Maria Leila Casagrande Angeliki Natsoulis Cestari Ana Paula P. Delfino Motta II Congresso Consad de Gestão Pública Painel 32: Qualidade do gasto público

Leia mais

RELATÓRIO DE INSTRUÇÃO DE IMPUGNAÇÃO

RELATÓRIO DE INSTRUÇÃO DE IMPUGNAÇÃO RELATÓRIO DE INSTRUÇÃO DE IMPUGNAÇÃO ASSUNTO: REF.: OBJETO: IMPUGNANTE: IMPUGNAÇÃO AOS TERMOS DO EDITAL PREGÃO ELETRÔNICO Nº 168/ADNO/SBMQ/2013 CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA ARMADA E DESARMADA

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES PARECER DA COMISSÃO DE SAÚDE, CIDADANIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL Projeto de Lei nº 211 de 18 de dezembro de 2013 AUTOR: Poder Executivo PARECER: Favorável, sem apresentação de emendas EMENTA: Autoriza o Poder

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel

Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel 1 Missão Prover soluções de TI, com qualidade, à comunidade da UFPel. 2 Visão Ser referência em governança de TI para a comunidade da UFPel até 2015.

Leia mais

PID Melhoria na Gestão dos Prazos de Atendimento. Vanessa M. M. Feldmann Milton Biral Filho Rosária Di Gangi CPFL Paulista CPFL Paulista CPFL Paulista

PID Melhoria na Gestão dos Prazos de Atendimento. Vanessa M. M. Feldmann Milton Biral Filho Rosária Di Gangi CPFL Paulista CPFL Paulista CPFL Paulista XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil PID Melhoria na Gestão dos Prazos de Atendimento Vanessa M. M. Feldmann Milton Biral

Leia mais

Número: 00213.000123/2010-25 Unidade Examinada: Município de Bujaru/PA

Número: 00213.000123/2010-25 Unidade Examinada: Município de Bujaru/PA Número: 00213.000123/2010-25 Unidade Examinada: Município de Bujaru/PA Relatório de Demandas Externas n 00213.000123/2010-25 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Metodologia de implantação

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Metodologia de implantação GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Metodologia de implantação Maria Rita Gramigna A gestão por competências é um programa executado através de blocos de intervenção, que se sucedem de forma simultânea ou passo-a-passo.

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA Nº 012/2010 NOME DA INSTITUIÇÃO:

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA Nº 012/2010 NOME DA INSTITUIÇÃO: CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA Nº 012/2010 NOME DA INSTITUIÇÃO: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE GRANDES CONSUMIDORES INDUSTRIAIS DE ENERGIA E DE CONSUMIDORES LIVRES ABRACE AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA

Leia mais

APPAC Tororó Sana - RJ

APPAC Tororó Sana - RJ Sistematização e disseminação da educação ambiental, no distrito do Sana\busca pelo padrão sustentável para a bacia Córrego Peito de Pombo\otimização da proposta sustentável na APA distrital do Sana. PLANO

Leia mais

II Workshop Inovação para o Estabelecimento do Setor de Energia Solar Fotovoltaica no Brasil INOVA FV

II Workshop Inovação para o Estabelecimento do Setor de Energia Solar Fotovoltaica no Brasil INOVA FV II Workshop Inovação para o Estabelecimento do Setor de Energia Solar Fotovoltaica no Brasil INOVA FV Análise Financeira de Sistemas Fotovoltaicos em Regiões Remotas no Âmbito da Universalização 14 de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.339, DE 20 DE JUNHO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 4.339, DE 20 DE JUNHO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 4.339, DE 20 DE JUNHO DE 2014 Dispõe sobre ajustes nas normas do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), de que trata o Capítulo 10 do Manual de Crédito Rural

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16. Instrução Normativa: 14.16/08-01. Revisão nº 0102. Data da Revisão: 22/10/2012. Resolução Sup.

INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16. Instrução Normativa: 14.16/08-01. Revisão nº 0102. Data da Revisão: 22/10/2012. Resolução Sup. INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16 Telemarketing Ativo Origem: Diretoria Superintendência Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Mato Grosso Instrução Normativa: 14.16/08-01 Revisão nº 0102

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL - CMAS EDITAL 001/2014. Conselho Municipal de Assistência Social- CMAS

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL - CMAS EDITAL 001/2014. Conselho Municipal de Assistência Social- CMAS EDITAL 001/2014 Conselho Municipal de Assistência Social- CMAS O CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CMAS TORNA PÚBLICO O PROCESSO DE SELEÇÃO DE ENTIDADES E ORGANIZAÇÃO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, PROGRAMAS,

Leia mais

índice Apresentação da Empresa Como se tornar um Distribuidor Como se Qualificar Resumo de Possibilidade de Ganho Conheça o Escritório

índice Apresentação da Empresa Como se tornar um Distribuidor Como se Qualificar Resumo de Possibilidade de Ganho Conheça o Escritório www.flavialeal.com índice Apresentação da Empresa Como se tornar um Distribuidor Como se Qualificar Resumo de Possibilidade de Ganho Conheça o Escritório Entre em Contato www.flavialeal.com Apresentação

Leia mais

ANEXO 1 CLÀUSULAS NEGOCIADAS

ANEXO 1 CLÀUSULAS NEGOCIADAS ANEXO 1 CLÀUSULAS NEGOCIADAS CLÁUSULA OITAVA - SIGILO E CONFIDENCIALIDADE 8.1 - Cada Partícipe se compromete em manter sigilo sobre as informações trocadas e geradas durante a execução das atividades do

Leia mais

Vistos, Embora dispensado (art. 38, Lei nº 9.099/95), é o relato do necessário.

Vistos, Embora dispensado (art. 38, Lei nº 9.099/95), é o relato do necessário. Vistos, Como já ressaltado em decisum anterior, a presente demanda foi proposta por MARIA APARECIDA MARQUES AMORIN NUNES em face de UNIMED ARAGUAIA COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO, objetivando a revisão

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Patricia Viero Minussi Aes Sul Distribuidora Gaúcha de Energia patricia.minussi@aes.com

Leia mais

Ministério da Educação e Ciência. Despacho n.º

Ministério da Educação e Ciência. Despacho n.º Ministério da Educação e Ciência Gabinetes dos Secretários de Estado do Ensino e da Administração Escolar e do Ensino Básico e Secundário Despacho n.º De acordo com o estabelecido na Portaria n.º 135-A/2013,

Leia mais

P l a n o d e G e r e n c i a m e n t o d e R i s c o s d o P r o j e t o

P l a n o d e G e r e n c i a m e n t o d e R i s c o s d o P r o j e t o P l a n o d e G e r e n c i a m e n t o d e R i s c o s d o P r o j e t o I d e n t i f i c a ç ã o Projeto Implantação de Sistema GED Solicitante BB S.A Patrocinador do Projeto Jurandir Toblib Presidente

Leia mais

ACORDO COLETIVO 2013/ 2014 VALEC- PCS1988/2012 06/03/2014

ACORDO COLETIVO 2013/ 2014 VALEC- PCS1988/2012 06/03/2014 ACORDO COLETIVO 2013/ 2014 VALEC- PCS1988/2012 06/03/2014 ACT - VIGENTE 2012/2013 PROPOSTA N ALEC/DIRAF -18/02 PROPOST A N ALECIDIRAF -06/03 JUSTIFICA TIV A PRIMEIRA - DA VIGÊNCIA As partes fixam a vigência

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS

RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS O Conselho Acadêmico Superior (CAS), no uso de suas atribuições conferidas pelo Estatuto da Universidade Positivo (UP), dispõe sobre as normas acadêmicas dos cursos

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS SANTANDER CAP SORTE UNIVERSITÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO:

CONDIÇÕES GERAIS SANTANDER CAP SORTE UNIVERSITÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CONDIÇÕES GERAIS SANTANDER CAP SORTE UNIVERSITÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A CNPJ: 03.209.092/0001-02 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.001039/2009-04

Leia mais