IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO"

Transcrição

1 IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Na cidade do Rio de Janeiro o serviço de esgotamento sanitário não é eficiente e apresenta um baixo grau de cobertura. Desde a fusão do Estado do Rio de Janeiro com o Estado da Guanabara o poder público Municipal não participa da gestão do saneamento e tampouco da regulação da Concessionária Estadual prestadora do serviço. MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO Área total km2 Pessoas residentes - área urbana habitantes Pessoas residentes - área rural - habitantes Fonte: IBGE Domicílios particulares permanentes Total domicílios Abastecimento de Água Rede de água domicílios Poço ou nascente domicílios Outras formas domicílios Esgotamento Sanitário Rede de esgotos domicílios Sem banheiro ou sanitário domicílios Índice de cobertura de esgotos: 81,60% Índice de tratamento de esgotos: 60,24% Fonte: SNIS 2001 Por ser um problema Municipal, o saneamento básico deveria envolver uma ampla participação do Município em todos os níveis de decisão. Mas isso não ocorre e, na prática, esse monopólio estatal se confunde com monopólio político ou comercial. A Municipalidade tem apresentado várias proposições para modificação do atual modelo de gestão. Além disso, tem realizado ações que propiciam a implementação da prestação do serviço de esgotamento sanitário nas regiões dele desprovidas, acreditando que um possível conflito ideológico ou político pode ser suplantado pela

2 eficiência, oportunidade e fortalecimento da Municipalidade para a gestão, direta ou indireta, do saneamento em seu território e para todos os seus habitantes. Os sistemas implantados e em implantação nos programas habitacionais, como Favela-Bairro, Grandes Favelas e Bairrinho, bem como os das áreas urbanas das regiões do Recreio dos Bandeirantes, Vargem Grande e Vargem Pequena, são exemplos nesse sentido. Esses sistemas permitem o atendimento de uma população superior a 500 mil habitantes. População superior a de municípios do país, com coleta, transporte e tratamento de esgotos. Segundo dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento SNIS, somente oito municípios possuem serviços desta dimensão, prestados direta ou indiretamente por Companhias Estaduais ou privadas. As proposições de convênios, concessões à iniciativa privada, retorno ao exercício do poder concedente Municipal ou participação financeira apresentados ao longo dos últimos doze anos, além da atuação junto ao Legislativo Federal na definição da política de saneamento, demonstram a relevância do tema para o Município e para sua população: 90 % das doenças transmissíveis são por via hídrica; quase 70% dos leitos hospitalares são ocupados por pessoas portadoras de doenças veiculadas pelo esgoto; Cada R$ 1,00 investido em obras de saneamento deixa-se de gastar R$ 5,00 em saúde curativa. Fonte: Instituto de Química/Uerj O atual modelo de gestão está impedindo que se alcance o bem-estar da população, a igualdade na prestação desse serviço, sua universalização e a recuperação ambiental dos corpos hídricos afetados pelos esgotos. A Prefeitura em 1997, para preservar o meio ambiente do jacaré do papo-amarelo (foto 1), na localidade denominada Lagoinha, no Recreio dos Bandeirantes, apresentou uma proposta ao Conselho das Águas da Baixada de Jacarepaguá (CONSAG) e assumiu a implantação do sistema de esgotamento sanitário compreendendo coleta, transporte e tratamento a nível secundário dos esgotos deste bairro (Recreio), que constitui um dos principais pólos de expansão urbana da Cidade e uma das áreas mais poluídas do Município por falta de infra-estrutura. Submetido o projeto à Caixa Econômica Federal - CEF, a área foi ampliada com a inclusão de Vargem Grande e Vargem Pequena, sendo implantado com recursos do FGTS Programa Pró-Saneamento e do Tesouro Municipal, totalizando um investimento de R$ ,00 (vinte e um milhões e quinhentos mil reais). Este Convênio foi o primeiro realizado em que um órgão federal empresta diretamente a um Município onde existe a atuação de uma concessionária estadual. Cabe à Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos, através da Fundação Instituto das Águas do Município do Rio de Janeiro RIO-ÁGUAS a implantação, operação e manutenção de todo o Programa.

3 O método utilizado é o de bacias de esgotamento de pequeno e médio portes, permitindo escalonar os investimentos e obter melhor controle operacional e de manutenção. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO PROGRAMA Área urbana hectares População inicial habitantes População atual habitantes População final habitantes Extensão de rede projetada metros Estações de tratamento 04 unidades Estações elevatórias 12 unidades Ligações Prediais unidades Término da implantação 2005 CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA POR SISTEMA

4 SISTEMA SERNAMBETIBA / BARRA BONITA ELEVATÓRIA SUB-BACIA EXTENSÃO DE REDE (m) LIG. PREVISTAS (un) POPUL. INICIAL (hab) POPUL. FINAL (hab) VAZÃO MÁX. INICIAL (l/s) VAZÃO MÁX. FINAL (l/s) Gilka Machado /Jarbas de Carvalho Lagoinha , ,00 20,00 Jarbas de Carvalho / Vicente Leporace Lagoinha , ,00 20,00 Sub-bacia I I 7.512, ,60 18,00 Barra Bonita 1 Barra Bonita ,44 38,65 Barra Bonita 2 Barra Bonita ,43 20,57 Sub-bacia F Finch 2.720, ,72 8,16 Sub-bacia G Finch 4.271, ,27 12,81 Sub-bacia H Finch 2.343, ,34 7,03 Sub-Total , , ,6 30,8 145,2 RECREIO Baltazar da Silveira D , ,93 44,67 Benvindo de Novaes/ Hermes de Lima A (parte) 4.200, ,67 3,33 ETE - Recreio A (parte) 7.000, ,67 13,33 B , ,47 17,33 C , ,87 29,33 Sub-Total , , ,0 21,6 108,0 Vargem Grande , ,45 27,27 VARGEM GRANDE Casactinha 4.800, ,04 10,20 Sub-Total , ,49 37,47 Vargem pequena 9.800, ,40 27,00 VARGEM PEQUENA Novo Palmares ,40 12,00 Sub-Total 9.800, , ,0 7,80 39,00 Total Geral , , ,60 67,70 329,69

5 CARACTERÍSTICAS DOS SISTEMAS DO RECREIO DOS BANDEIRANTES ETE SERNAMBETIBA / BARRA BONITA Extensão de rede Ligações previstas População a ser atendida em m un hab ETE RECREIO Extensão de rede Ligações previstas População a ser atendida em m un hab CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA DE VARGEM GRANDE Extensão de rede Ligações previstas População a ser atendida em m 562 un hab CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA DE VARGEM PEQUENA Extensão de rede Ligações previstas População a ser atendida em m 585 un hab Até o momento foram executados: 1estação de tratamento de Esgotos foto 2; 8 elevatórias fotos 5 e 6; 130 Km de rede fotos 3 e 4. Na Estação de Tratamento de Esgotos do Recreio dos Bandeirantes, grande parte dos esgotos, que antes ia para o sistema lagunar sem tratamento, agora passa pela ETE. Esta estação tem capacidade para tratar 30 litros de esgotos por segundo, recebendo tratamento a nível secundário, o que significa uma redução de 85% da carga orgânica.

6 Este sistema vem substituindo o esgotamento sanitário precário da região, feito através de fossas, filtros e sumidouros ou galerias de águas pluviais, contaminando o lençol freático, rios e lagoas, além de acarretar riscos à saúde da população. Paralelamente à implantação do esgotamento sanitário do Recreio dos Bandeirantes, a Rio-Águas já concluiu a implantação de 16 km de redes coletoras de esgotos em Vargem Grande e deu inicio a construção de mais 3 Km de rede, 1estação de tratamento e 2 elevatórias. Em Vargem Pequena, foram implantados 10 km de rede coletora e também serão construídas uma estação de tratamento e uma elevatória. Fotos: 1. Jacaré do papo-amarelo

7 2. Estação de tratamento de esgotos do Recreio dos Bandeirantes 3. Execução de rede de esgotos

8 4. Cravação de tubulação para rede de esgotos 5. Execução de elevatória de esgotos

9 6. Construção de Elevatória na Estação de Tratamento do Recreio dos Bandeirantes Referências Bibliográficas: 1. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE 2. SNIS Sistema Nacional de Informações de Saneamento Ministério das Cidades 3. Instituto de Química / Uerj Universidade do Estado do Rio de Janeiro

10 RESUMO IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO TEMA 2 : ESGOTAMENTO SANITÁRIO PALAVRA-CHAVE : ESGOTAMENTO SANITÁRIO Autor: LUIZ FELIPE VERDOLIN DE AZEVEDO - Cargo Atual: Gerente de Obras e Conservação de Esgotos Sanitários Fundação Instituto das Águas do Município do Rio de Janeiro RIO-ÁGUAS; Formação: Engenheiro Civil pela Universidade Santa Úrsula do Rio de Janeiro; Especialização: pós-graduação em Engenharia Sanitária e Saúde Pública, na Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz.; Área de Atuação: Implantação, manutenção e operação de sistemas de esgotos sanitários. - Endereço: Estrada dos Bandeirantes, nº apartamento 1004 Camorim Jacarepaguá Rio de Janeiro RJ - CEP: Equipamentos para apresentação: 1. Projetor multimídia com computador 2. Microsoft Power point 3. Quadro branco

Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2015 TÍTULO APRESENTAÇÃO 1

Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2015 TÍTULO APRESENTAÇÃO 1 Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2015 TÍTULO APRESENTAÇÃO 1 Atores 50% 50% Cliente Parceiro gestão comercial Agente regulador Fundação Rio-Águas Breve explanação Licitação e Contrato Objeto: Maior valor

Leia mais

Objetivo 7 - Garantir a sustentabilidade ambiental

Objetivo 7 - Garantir a sustentabilidade ambiental Apresentação dos Resultados do Relatório ODM BH 2014 - Meta 10 - Reduzir pela metade, até 2015, a proporção da população sem acesso permanente e sustentável à água potável e esgotamento sanitário Ricardo

Leia mais

LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO

LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO Juliana de Senzi Zancul 21 de Junho de 2013 População Rural Cerca de 30 milhões de pessoas residem em localidades

Leia mais

HISTÓRICO DAS ÁGUAS URBANAS NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE RS - BRASIL

HISTÓRICO DAS ÁGUAS URBANAS NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE RS - BRASIL HISTÓRICO DAS ÁGUAS URBANAS NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE RS - BRASIL Informações Gerais 1,4 milhões de habitantes (IBGE, 2011); Saneamento Básico municipalizado: DEP, DMAE e DMLU; 100% de cobertura de

Leia mais

PRESIDENTE ALVES OBRAS E AÇÕES GESTÃO

PRESIDENTE ALVES OBRAS E AÇÕES GESTÃO PRESIDENTE ALVES OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 DESENVOLVIMENTO SOCIAL: Distribuição de leite: Distribuídos 24.420 litros de leite de Jan a Nov/2011 Custo: R$ 34 mil, beneficiando 148 famílias carentes,

Leia mais

CENÁRIO ATUAL DOS RECURSOS PARAÍBA DOSUL E O CENÁRIO DO HIDROGRÁFICA DOMÉDIO PARAÍBA DOSUL HÍDRICOS NA BACIA DO RIO SANEAMENTO NAREGIÃO

CENÁRIO ATUAL DOS RECURSOS PARAÍBA DOSUL E O CENÁRIO DO HIDROGRÁFICA DOMÉDIO PARAÍBA DOSUL HÍDRICOS NA BACIA DO RIO SANEAMENTO NAREGIÃO CENÁRIO ATUAL DOS RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIO PARAÍBA DOSUL E O CENÁRIO DO SANEAMENTO NAREGIÃO HIDROGRÁFICA DOMÉDIO PARAÍBA DOSUL Volta Redonda 18 de março de 2016 INTRODUÇÃO A bacia hidrográfica

Leia mais

Seminário Espaços Urbanos Seguros

Seminário Espaços Urbanos Seguros Seminário Espaços Urbanos Seguros A atuação da CAIXA e seu impacto no desenvolvimento de cidades sustentáveis Vice-Presidência de Governo Superintendência Nac de Ass Técnica e Desenv Sustentável Jean R.

Leia mais

TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS CONDOMINIAIS

TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS CONDOMINIAIS TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS RESIDeNCIAIS utilizando SISTEMAS CONDOMINIAIS Deinar Bottamedi 1 Jorge Luís Bonamente 2 Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI RESUMO O tratamento dos esgotos

Leia mais

BLOCO 05 SISTEMA DE COLETA DE ESGOTO SANITÁRIO DO DISTRITO NA ÁREA DE ATUAÇÃO DA ENTIDADE

BLOCO 05 SISTEMA DE COLETA DE ESGOTO SANITÁRIO DO DISTRITO NA ÁREA DE ATUAÇÃO DA ENTIDADE Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS PESQUISA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - 0 ESGOTAMENTO SANITÁRIO - plificado IDENTIFICAÇÃO: NÚMERO DO CADASTRO DA ENTIDADE

Leia mais

Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PROGRAMA PRÓ-RURAL / CESAN. PAINEL II Modelos de Gestão em Saneamento Rural

Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PROGRAMA PRÓ-RURAL / CESAN. PAINEL II Modelos de Gestão em Saneamento Rural Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PROGRAMA PRÓ-RURAL / CESAN PAINEL II Modelos de Gestão em Saneamento Rural Estado do Espírito Santo Localização: Região sudeste, entre o RJ, MG e a BA Área:

Leia mais

Sistema de esgotamento sanitário de Maceió-AL: abrangência do serviço em relação à sua quantidade populacional.

Sistema de esgotamento sanitário de Maceió-AL: abrangência do serviço em relação à sua quantidade populacional. Sistema de esgotamento sanitário de Maceió-AL: abrangência do serviço em relação à sua quantidade populacional. Bruno Timóteo Rodrigues 1, Adelmo Lima Bastos 2, Benício Emanoel Omena Monte 3 1 Graduando

Leia mais

SITUAÇÃO DO SANEAMENTO DOS DOMICILIOS QUE POSSUEM BANHEIROS DAS ÁREAS RURAIS E URBANAS DAS MESORREGIÕES DO ESTADO DO CEARÁ

SITUAÇÃO DO SANEAMENTO DOS DOMICILIOS QUE POSSUEM BANHEIROS DAS ÁREAS RURAIS E URBANAS DAS MESORREGIÕES DO ESTADO DO CEARÁ SITUAÇÃO DO SANEAMENTO DOS DOMICILIOS QUE POSSUEM BANHEIROS DAS ÁREAS RURAIS E URBANAS DAS MESORREGIÕES DO ESTADO DO CEARÁ Francisco Henrique Ximenes da Cruz (1) Graduando em Engenharia Sanitária e Ambiental

Leia mais

PRATÂNIA. OBRAS E AÇÕES Gestão R$ ,00

PRATÂNIA. OBRAS E AÇÕES Gestão R$ ,00 PRATÂNIA OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 2.870.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 54.840 litros de leite, de Jan/2007 a Jul/2009 Custo: R$ 69 mil, beneficiando 120 famílias

Leia mais

MERIDIANO OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014

MERIDIANO OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 MERIDIANO OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 DESENVOLVIMENTO SOCIAL: celebrados 2 convênios com a Prefeitura e entidades sociais para atendimento a 15 crianças e adolescentes e 15 pessoas de outros segmentos

Leia mais

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Divisão de Compras e Licitações

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Divisão de Compras e Licitações 1. OBJETO ANEXO III TERMO DE REFERENCIA CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE PORTO FERREIRA Apresenta-se neste documento os elementos de projeto básico para

Leia mais

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Barcarena DEMOGRAFIA População Total População por Gênero

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Barcarena DEMOGRAFIA População Total População por Gênero SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Barcarena DEMOGRAFIA População Total 99.859 População por Gênero Masculino 50.346 Participação % 50,42 Feminino 49.513

Leia mais

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: São Félix do Xingu

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: São Félix do Xingu SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: São Félix do Xingu DEMOGRAFIA População Total 91.340 População por Gênero Masculino 48.691 Participação % 53,31 Feminino

Leia mais

Visão Geral. Acesso da população. População total (milhões) 201,5 20,6. Abastecimento de água 85,0% 86,3% Esgotamento Sanitário 63,4% 79,0%

Visão Geral. Acesso da população. População total (milhões) 201,5 20,6. Abastecimento de água 85,0% 86,3% Esgotamento Sanitário 63,4% 79,0% Visão Geral Brasil Minas Gerais¹ População total (milhões) 201,5 20,6 Acesso da população Abastecimento de água 85,0% 86,3% Esgotamento Sanitário 63,4% 79,0% Fonte: PNAD (IBGE) 2013. 1 Refere-se a população

Leia mais

Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PRÓ- RURAL / CESAN

Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PRÓ- RURAL / CESAN Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PRÓ- RURAL / CESAN 3º PAINEL EXPERIÊNCIAS NA ESTRUTURAÇÃO DE GESTÃO SUSTENTÁVEL PARA COMUNIDADES RURAIS ISOLADAS Estado do Espírito Santo Localização: Região

Leia mais

GESTÃO DO CRESCIMENTO URBANO: PROTEÇÃO DE MANANCIAIS E RECUPERAÇÃO URBANA. 5 de Dezembro de 2012

GESTÃO DO CRESCIMENTO URBANO: PROTEÇÃO DE MANANCIAIS E RECUPERAÇÃO URBANA. 5 de Dezembro de 2012 GESTÃO DO CRESCIMENTO URBANO: PROTEÇÃO DE MANANCIAIS E RECUPERAÇÃO URBANA 5 de Dezembro de 2012 GESTÃO DO CRESCIMENTO URBANO: PROTEÇÃO DE MANANCIAIS E RECUPERAÇÃO URBANA CONTEÚDO 1. A REGIÃO METROPOLITANA

Leia mais

Queimados Nova Iguaçu. Seropédica Paracambi Miguel Pereira. Itaguaí Piraí Barra do Piraí. Consórcio. Municípios LOTE I CONCREMAT - CONEN LOTE II

Queimados Nova Iguaçu. Seropédica Paracambi Miguel Pereira. Itaguaí Piraí Barra do Piraí. Consórcio. Municípios LOTE I CONCREMAT - CONEN LOTE II Municípios Queimados Nova Iguaçu Consórcio CONCREMAT - CONEN LOTE I Seropédica Paracambi Miguel Pereira ENCIBRA - COHIDRO LOTE II Itaguaí Piraí Barra do Piraí AMBIENTAL PARALELA I LOTE III Início das atividades:

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO Coordenadoria de Relações Institucionais CESAN Terezinha de Jesus S. R. Vanzo LEI 11.445 de 05/01/07 Lei De Regulamentação do Setor de Saneamento Básico Introdução

Leia mais

NUPORANGA OBRAS E AÇÕES GESTÃO

NUPORANGA OBRAS E AÇÕES GESTÃO NUPORANGA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 2.310 litros de leite em Jan/2011 Custo: R$ 3 mil, beneficiando 154 famílias carentes, no último mês do período.

Leia mais

O Jardim Canadá no IBGE

O Jardim Canadá no IBGE O Jardim Canadá no IBGE Apps > Mapa > Municípios Nova Lima ( código 3144805) Pirâmide Etária Famílias Fecundidade Migração Religião Nupcialidade Domicílios Educação Deficiência Trabalho Rendimento Nova

Leia mais

NARANDIBA OBRAS E AÇÕES GESTÃO R$ ,00

NARANDIBA OBRAS E AÇÕES GESTÃO R$ ,00 NARANDIBA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 7.728.300,00 AGRICULTURA: Distribuição de leite: distribuídos 86.332 litros de leite, no período de Jan/2007 a Fev/2009 Custo: R$ 106 mil, beneficiando 190 famílias

Leia mais

Itaitinga/Eusébio - CE Pedras e Jabuti Projeto Executivo de Readequação do Sistema de Abastecimento de Água das Localidades de Jabuti e Pedras

Itaitinga/Eusébio - CE Pedras e Jabuti Projeto Executivo de Readequação do Sistema de Abastecimento de Água das Localidades de Jabuti e Pedras Companhia de Água e Esgoto do Ceará DPC - Diretoria de Planejamento e Controle GPROJ - Gerência de Projetos Itaitinga/Eusébio - CE Pedras e Jabuti Projeto Executivo de Readequação do Sistema de Abastecimento

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL BANCO DE DADOS REGIONAL VALE DO RIO PARDO. Eixo temático: Infraestrutura

OBSERVATÓRIO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL BANCO DE DADOS REGIONAL VALE DO RIO PARDO. Eixo temático: Infraestrutura OBSERVATÓRIO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL BANCO DE DADOS REGIONAL VALE DO RIO PARDO Eixo temático: Infraestrutura O eixo temático Infraestrutura do Banco de Dados Regional reúne dados estatísticos secundários

Leia mais

Convênio de Cooperação Técnica BID/ABES. Divulgação do Curso de Capacitação em Regulação. São Paulo, 31 de Março de 2016

Convênio de Cooperação Técnica BID/ABES. Divulgação do Curso de Capacitação em Regulação. São Paulo, 31 de Março de 2016 Convênio de Cooperação Técnica BID/ABES Divulgação do Curso de Capacitação em Regulação São Paulo, 31 de Março de 2016 Agenda 1. Introdução: porque um curso sobre regulação de saneamento 2. Sobre a Cooperação

Leia mais

I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - COBESA

I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - COBESA I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - COBESA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL URBANA DA POPULAÇÃO DIRETAMENTE ATINGIDA DE SALTO DA DIVISA, MINAS GERAIS, BRASIL APÓS A IMPLANTAÇÃO DA

Leia mais

Especificidades do saneamento e a atuação da companhia estadual de saneamento do Estado de Goiás.

Especificidades do saneamento e a atuação da companhia estadual de saneamento do Estado de Goiás. Especificidades do saneamento e a atuação da companhia estadual de saneamento do Estado de Goiás. Karine Cristiane Ferreira 1 Maria Aparecida Neves Martins 2 Resumo: Tentando ampliar o conhecimento a respeito

Leia mais

NANTES OBRAS E AÇÕES GESTÃO

NANTES OBRAS E AÇÕES GESTÃO NANTES OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 AGRICULTURA: Casa da Agricultura: celebrado convênio, relativo a municipalização da Casa da Agricultura, atendendo a pequenos e médios agricultores. Vigência: 31/12/2011.

Leia mais

PAULÍNIA OBRAS E AÇÕES GESTÃO

PAULÍNIA OBRAS E AÇÕES GESTÃO PAULÍNIA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 AGRICULTURA: Programa Melhor Caminho: recuperados 3,89 km das estradas PLN-460, PLN-464 e PLN-060 no Bairro Betel (1ª Fase) - Bacia Hidrográfica Piracicaba/Capivari/Jundiaí

Leia mais

INFORME ETENE. INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO NORDESTE 2ª Edição 1. INTRODUÇÃO

INFORME ETENE. INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO NORDESTE 2ª Edição 1. INTRODUÇÃO Ano V Maio de 2011 Nº 8 INFORME ETENE Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste - ETENE Ambiente de Estudos, Pesquisas e Avaliação-AEPA Célula de Estudos e Pesquisas Macroeconômicas, Industriais

Leia mais

A PNSB e o Saneamento Rural

A PNSB e o Saneamento Rural A PNSB e o Saneamento Rural Antônio Tadeu Ribeiro de Oliveira Gerente de Estudos e Pesquisas Sociais VI Seminário Nacional de Saneamento Rural João Pessoa, 07.11.2012 A PNSB Pesquisa Nacional de Saneamento

Leia mais

LARANJAL PAULISTA. OBRAS E AÇÕES Gestão R$ ,00

LARANJAL PAULISTA. OBRAS E AÇÕES Gestão R$ ,00 LARANJAL PAULISTA OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 R$ 9.865.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 149.324 litros de leite, no período de Jan/2007 a Fev/2009 - Custo: R$ 190 mil, beneficiando

Leia mais

TRABIJU OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007 a 2010 R$ ,00 em 30 obras e ações

TRABIJU OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007 a 2010 R$ ,00 em 30 obras e ações TRABIJU OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007 a 2010 R$ 4.717.100,00 em 30 obras e ações AGRICULTURA: Distribuição de leite: distribuídos 42.000 litros de leite, no período de Jan/2007 a Dez/2009 Custo: R$ 52 mil,

Leia mais

Luciene Machado. Painel Financiamento: fontes e modalidades para suportar os investimentos

Luciene Machado. Painel Financiamento: fontes e modalidades para suportar os investimentos Seminário ABDIB- As Soluções para o Saneamento Básico e os Recursos Hídricos no Brasil Painel Financiamento: fontes e modalidades para suportar os investimentos SP, 16/03/2017 15 de dezembro de 2016 Luciene

Leia mais

Introdução à regulação dos serviços públicos de saneamento básico

Introdução à regulação dos serviços públicos de saneamento básico Introdução à regulação dos serviços públicos de saneamento básico Wladimir António Ribeiro Manesco, Ramires, Perez, Azevedo Marques, Sociedade de Advogados Valinhos, 22 de maio de 2014. Uma introdução

Leia mais

São Lourenço da Serra OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 9.848.400,00 em 32 obras e ações

São Lourenço da Serra OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 9.848.400,00 em 32 obras e ações São Lourenço da Serra OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 9.848.400,00 em 32 obras e ações AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 352.870 litros de leite, no período de Jan/2007 a Jun/2010 - Custo:

Leia mais

IT-102.R-2 - ARQUIVO DE DADOS E METODOLOGIA DE CODIFICAÇÃO DE SISTEMAS RECEPTORES DE ESGOTOS SANITÁRIOS E DESPEJOS INDUSTRIAIS.

IT-102.R-2 - ARQUIVO DE DADOS E METODOLOGIA DE CODIFICAÇÃO DE SISTEMAS RECEPTORES DE ESGOTOS SANITÁRIOS E DESPEJOS INDUSTRIAIS. IT-102.R-2 - ARQUIVO DE DADOS E METODOLOGIA DE CODIFICAÇÃO DE SISTEMAS RECEPTORES DE ESGOTOS SANITÁRIOS E DESPEJOS INDUSTRIAIS. 1. OBJETIVO Definir as informações que constarão do arquivo de dados e a

Leia mais

A EVOLUÇÃO. 1. Se não faltar Água Tudo Bem. 2. Pesquisa de Vazamentos e Macromedição. 3. Controle de Pressão

A EVOLUÇÃO. 1. Se não faltar Água Tudo Bem. 2. Pesquisa de Vazamentos e Macromedição. 3. Controle de Pressão REDUÇÃO DE PERDAS: Resultados práticos na redução de perdas reais e aparentes, suas correlações com a recuperação de receita e utilização de geoprocessamento neste processo A EVOLUÇÃO 1. Se não faltar

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA CORSAN VISÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA CORSAN VISÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA CORSAN VISÃO 2015: atingir a meta de 30% no atendimento de esgotos sanitários e manter os 98% nos níveis de cobertura de água na área de atuação e buscar a inserção em novos

Leia mais

PORANGABA OBRAS E AÇÕES GESTÕES

PORANGABA OBRAS E AÇÕES GESTÕES PORANGABA OBRAS E AÇÕES GESTÕES 2011-2014 AGRICULTURA E ABASTECIMENTO: Distribuição de Leite: distribuídos 6.120 litros de leite em Jan/2011 Custo: R$ 7 mil, beneficiando 408 famílias carentes, no último

Leia mais

JOÃO RAMALHO. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00

JOÃO RAMALHO. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00 JOÃO RAMALHO OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 R$ 3.304.100,00 AGRICULTURA: Distribuição de leite: distribuídos 45.248 litros de leite, no período de Jan/2007 a Out/2008 Custo: R$ 51 mil, beneficiando 202

Leia mais

CORUMBATAÍ OBRAS E AÇÕES GESTÃO

CORUMBATAÍ OBRAS E AÇÕES GESTÃO CORUMBATAÍ OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 AGRICULTURA: Programa Melhor Caminho: estão sendo recuperados 4,60 km de estradas rurais CBT-342 e CBT-10 Bairro Palmares Bacia Hidrográfica Piracicaba/Capivari/Jundiaí

Leia mais

Básico do Município de Fortaleza

Básico do Município de Fortaleza Plano Municipal de Saneamento Básico do Município de Fortaleza SANEAMENTO: Conjunto de serviços, infraestruturas e instalações operacionais relativo aos processos de: Abastecimento de água potável; Esgotamento

Leia mais

SÃO FRANCISCO 2010 R$ 3.800.000,00. OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010

SÃO FRANCISCO 2010 R$ 3.800.000,00. OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 SÃO FRANCISCO OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 2010 R$ 3.800.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 86.830 litros de leite, no período de Jan/2007 a Jul/2009 Custo: R$ 108 mil, beneficiando

Leia mais

O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O Brasil avançou muito em relação ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e pavimentou o caminho para cumprir as metas até 2015.

Leia mais

V SIGA Ciência (Simpósio Científico de Gestão Ambiental) V Realizado dias 20 e 21 de agosto de 2016 na ESALQ-USP, Piracicaba-SP.

V SIGA Ciência (Simpósio Científico de Gestão Ambiental) V Realizado dias 20 e 21 de agosto de 2016 na ESALQ-USP, Piracicaba-SP. EIXO TEMÁTICO: Tecnologias CARACTERIZAÇÃO DO NÚCLEO RESIDENCIAL PARQUE OZIEL/ JARDIM MONTE CRISTO, LOCALIZADO NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS, QUANTO AOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO

Leia mais

AÇÕES EM 2013 COMPANHIA ÁGUAS DE JOINVILLE

AÇÕES EM 2013 COMPANHIA ÁGUAS DE JOINVILLE AÇÕES EM 2013 COMPANHIA ÁGUAS DE JOINVILLE CONTEXTUALIZAÇÃO 2013 VISÃO: Ser referência por sua excelência em gestão e qualidade de serviços em saneamento. MISSÃO: Oferecer soluções sustentáveis em saneamento

Leia mais

Relatório elaborado pela. ONG Sustentabilidade e Participação

Relatório elaborado pela. ONG Sustentabilidade e Participação CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ORGÃOS - FESO Centro de Ciência e Tecnologia - CCT Curso de Engenharia de Produção NAI - Núcleo de Atividades Complementares Relatório elaborado pela ONG Sustentabilidade

Leia mais

ABORDAGENS METODOLÓGICAS NA ELABORAÇÃO DE PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO

ABORDAGENS METODOLÓGICAS NA ELABORAÇÃO DE PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO ABORDAGENS METODOLÓGICAS NA ELABORAÇÃO DE PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO Eng.ª Gabriela de Toledo, Msc Saneando Projetos de Engenharia e Consultoria Salvador/BA, 17 de Julho de 2015 METODOLOGIA:

Leia mais

ESTIMATIVA DO CRESCIMENTO NO NÚMERO DE ECONOMIAS ATIVAS DE ESGOTO NA CIDADE DE MARINGÁ-PR. Diego Filipe Belloni 1. Sandro Rogério Lautenschlager 2

ESTIMATIVA DO CRESCIMENTO NO NÚMERO DE ECONOMIAS ATIVAS DE ESGOTO NA CIDADE DE MARINGÁ-PR. Diego Filipe Belloni 1. Sandro Rogério Lautenschlager 2 ESTIMATIVA DO CRESCIMENTO NO NÚMERO DE ECONOMIAS ATIVAS DE ESGOTO NA CIDADE DE MARINGÁ-PR Diego Filipe Belloni 1 Sandro Rogério Lautenschlager 2 RESUMO O desenvolvimento e planejamento para implantação

Leia mais

O DESAFIO DO ACESSO À ÁGUA E SANEAMENTO NO CONTEXTO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS QUINZE ANOS

O DESAFIO DO ACESSO À ÁGUA E SANEAMENTO NO CONTEXTO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS QUINZE ANOS O DESAFIO DO ACESSO À ÁGUA E SANEAMENTO NO CONTEXTO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS QUINZE ANOS Antonio da Costa Miranda Neto Fórum Pernambucano de Construção Sustentável,

Leia mais

SÃO ROQUE DE MINAS Recursos para manutenção da estrada vicinal que liga a sede do Município à ponte

SÃO ROQUE DE MINAS Recursos para manutenção da estrada vicinal que liga a sede do Município à ponte SÃO ROQUE DE MINAS AGRICULTURA 2009- Recursos para manutenção da estrada vicinal que liga a sede do Município à ponte do Rio Samburá, 21 km. Total de investimentos na área da Agricultura: R$ 100.000,00

Leia mais

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano Sabesp 07/11/2011 Bacia do Alto Tietê Bacia do Sorocaba/ Médio Tietê Bacia do PCJ

Leia mais

Tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo. Seminário Saneamento na Rede Rio de Janeiro 19/05/2010

Tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo. Seminário Saneamento na Rede Rio de Janeiro 19/05/2010 Tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo Seminário Saneamento na Rede Rio de Janeiro 19/05/2010 Índice de Atendimento Sabesp Abastecimento de Água 1994 95% 2001 100% 2010 Final de 2010

Leia mais

3.6 LEOPOLDINA Sistema Existente de Abastecimento de Água

3.6 LEOPOLDINA Sistema Existente de Abastecimento de Água 3.6 LEOPOLDINA O sistema de abastecimento público de água em Leopoldina é operado e mantido pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA, empresa de âmbito estadual, através do sistema operacional

Leia mais

BREVE HISTÓRICO SANEAMENTO BÁSICO

BREVE HISTÓRICO SANEAMENTO BÁSICO BREVE HISTÓRICO SANEAMENTO BÁSICO DECADA DE 50 Criação dos Serviços Autônomos de Água e Esgotos - SAAE 1968 - CRIAÇÃO BNH Agente financeiro oficial da política de habitação e saneamento 1969 - Instituição

Leia mais

1.1 SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

1.1 SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA ANEXO IV - BENS AFETOS DESCRITIVO 1.1 SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA O município de São Mateus possui 6 (seis) sistemas isolados de abastecimento público de água: o sistema da sede (atualmente divido

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE Marco Antônio Câmara Superintendente da FUNASA SUEST/MG Edicleusa Veloso Moreira Assessora Especial A FUNASA tem por finalidade promover SAÚDE PUBLICA e a

Leia mais

V-070 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA CONSUMIDA NO MUNICÍPIO DE CAIÇARA DO NORTE - RN

V-070 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA CONSUMIDA NO MUNICÍPIO DE CAIÇARA DO NORTE - RN V-7 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA CONSUMIDA NO MUNICÍPIO DE CAIÇARA DO NORTE - RN André Luís Calado de Araújo (1) Engenheiro Civil pela UFPA (199). Mestre em Engenharia Civil pela UFPB (1993). PhD em

Leia mais

Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica

Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica Audiência Pública na Câmara dos Deputados Comissão Especial sobre a Crise Hídrica Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae Sobre a Assemae

Leia mais

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2015

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2015 Programa 2068 - Saneamento Básico Número de Ações 250 10GD - Implantação e Melhoria de Sistemas Públicos de Abastecimento de Água em Municípios de até 50.000 Habitantes, Exclusive de Regiões Metropolitanas

Leia mais

DIRCE REIS. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00

DIRCE REIS. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00 DIRCE REIS OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 2010 R$ 3.500.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 31.615 litros de leite, no período Jan/2007 a Ago/2009 - Custo: R$ 40 mil, beneficiando

Leia mais

Externalidades Positivas e a Importância da participação Privada no Setor de Saneamento

Externalidades Positivas e a Importância da participação Privada no Setor de Saneamento Externalidades Positivas e a Importância da participação Privada no Setor de Saneamento AEGEA EM NÚMEROS 48 MUNICIPALITIES SERVED IN 10 STATES +2,500 ACTIVE EMPLOYEES +5.4 MILLION SERVED POPULATION +1.7

Leia mais

DESPESA DO PROGRAMA DE TRABALHO

DESPESA DO PROGRAMA DE TRABALHO Órgão: 19000 - Secretaria de Estado da Administração Unidade: 19204 - Companhia de Processamento de Dados da Paraíba Esf Ft [F] Ciência e Tecnologia 22752000 6273700 14274500 2203800 [S] Administração

Leia mais

Danilo Forte Presidente Fundação Nacional de Saúde

Danilo Forte Presidente Fundação Nacional de Saúde MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICAP XI MARCHA A BRASÍLIA EM DEFESA DOS MUNICÍPIOS: A VISÃO DOS MUNICÍPIOS SOBRE O PACTO FEDERATIVO AVALIAÇÃO SOBRE

Leia mais

A SITUAÇÃO DA DRENAGEM PLUVIAL URBANA NO MUNICÍPIO DE FEIRA DE SANTANA, BA, BRASIL

A SITUAÇÃO DA DRENAGEM PLUVIAL URBANA NO MUNICÍPIO DE FEIRA DE SANTANA, BA, BRASIL Universidade Estadual de Feira de Santana- UEFS Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental Área de Concentração: Saneamento Ambiental A SITUAÇÃO DA DRENAGEM PLUVIAL URBANA NO MUNICÍPIO DE

Leia mais

ÁGUAS DE SANTA BÁRBARA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO R$ ,00

ÁGUAS DE SANTA BÁRBARA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO R$ ,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: ÁGUAS DE SANTA BÁRBARA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2007-2010 R$ 4.987.400,00 distribuídos 42.744 litros de leite, no período Jan/2007 a Abr/2009 - Custo: R$ 54 mil, beneficiando

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saneamento Básico PNSB /09/2009

Pesquisa Nacional de Saneamento Básico PNSB /09/2009 Pesquisa Nacional de Saneamento Básico PNSB 2008 09/09/2009 HISTÓRICO 1974: o primeiro levantamento estatístico sobre saneamento básico foi realizado, num convênio firmado com o Ministério da Saúde, no

Leia mais

Influência do Saneamento Básico na Saúde Pública de Grandes Cidades

Influência do Saneamento Básico na Saúde Pública de Grandes Cidades ESCOLA POLITÉCNICA DA USP PHD 2537 ÁGUAS EM AMBIENTES URBANOS Influência do Saneamento Básico na Saúde Pública de Grandes Cidades Grupo: Fernando Andrade Starling Gerson Francisco Romero Kutianski Gisela

Leia mais

DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL

DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL SUMAC/PECOC CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Vice-Presidência de Governo 21/12/2009 Superintendência de Assistência Técnica e Desenvolvimento Sustentável Introdução

Leia mais

PERFIL DOS MUNICÍPIOS FUNDÃO

PERFIL DOS MUNICÍPIOS FUNDÃO PERFIL DOS MUNICÍPIOS FUNDÃO VITÓRIA 2004 1-8 FUNDÃO 1. INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA O INVESTIDOR O município de Fundão está localizado Região Metropolitana de Vitória, ocupando uma área de 287 quilômetros

Leia mais

Diagnóstico da Gestão dos Efluentes Domésticos da Área Rural do Estado do Paraná

Diagnóstico da Gestão dos Efluentes Domésticos da Área Rural do Estado do Paraná Diagnóstico da Gestão dos Efluentes Domésticos da Área Rural do Estado do Paraná SILVA, D. F. a, ISRAEL, L. H. a, MOREJON, C. F. M. a* a. Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo *Autor para correspondência,

Leia mais

BARBOSA OBRAS E AÇÕES GESTÃO

BARBOSA OBRAS E AÇÕES GESTÃO BARBOSA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 AGRICULTURA E ABASTECIMENTO: Casa da Agricultura: celebrado 1 convênio relativo a municipalização, atendendo a pequenos e médios agricultores - Custo: R$ 20 mil.

Leia mais

ÁGUA - SEDE URBANA. 2. O sistema de abastecimento de água atende toda a população urbana da sede? A. Sim. B. Parcialmente.

ÁGUA - SEDE URBANA. 2. O sistema de abastecimento de água atende toda a população urbana da sede? A. Sim. B. Parcialmente. ANEXO II FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES BÁSICAS DE SANEAMENTO DO MUNICÍPIO Dados do Município Município / UF: Nome do Prefeito(a): Endereço da Prefeitura: Data: / / Telefone: Email: População da Sede Urbana:

Leia mais

Programa de Saneamento Ambiental dos Municípios do Entorno da Baía de Guanabara - PSAM

Programa de Saneamento Ambiental dos Municípios do Entorno da Baía de Guanabara - PSAM Programa de Saneamento Ambiental dos Municípios do Entorno da Baía de Guanabara - PSAM PSAM PROGRAMA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DOS MUNICÍPIOS DO ENTORNO DA BAÍA DE GUANABARA Financiado e apoiado pelo BID

Leia mais

Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento.

Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento. POLITICA FEDERAL DE SANEAMENTO Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento. Engº civil Gilson Queiroz Maio de 2014 Desafios e Cenários adversos 2 PERFIL DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS www.funasa.gov.br

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO 2 SELEÇÃO DE PROPOSTAS DO GRUPO III

MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO 2 SELEÇÃO DE PROPOSTAS DO GRUPO III MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO 2 SELEÇÃO DE PROPOSTAS DO GRUPO III PERGUNTAS E RESPOSTAS - SANEAMENTO 1) Os proponentes que já

Leia mais

LARANJAL PAULISTA. OBRAS E AÇÕES Gestão R$ ,00

LARANJAL PAULISTA. OBRAS E AÇÕES Gestão R$ ,00 LARANJAL PAULISTA OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 36.765.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 186.404 litros de leite, no período de Jan/2007 a Ago/2009 - Custo: R$ 240 mil, beneficiando

Leia mais

Programa de Melhoria da Qualidade de Vida e da Governança Municipal de Teresina. Teresina (PI), Fevereiro de 2016

Programa de Melhoria da Qualidade de Vida e da Governança Municipal de Teresina. Teresina (PI), Fevereiro de 2016 Programa de Melhoria da Qualidade de Vida e da Governança Municipal de Teresina Teresina (PI), Fevereiro de 2016 1. A SITUAÇÃO ANTES DO PROGRAMA 1. SITUAÇÃO ANTES DO PROGRAMA Enchentes na Zona Norte 1.

Leia mais

Análise situacional a partir da utilização de dados secundários. 12 de dezembro de 2016

Análise situacional a partir da utilização de dados secundários. 12 de dezembro de 2016 Análise situacional a partir da utilização de dados secundários 12 de dezembro de 2016 O saneamento rural em números De acordo com o IBGE o Brasil possui uma população de cerca de 29.800.000 habitantes,

Leia mais

ANEXO IV: ATA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA DE CARMO

ANEXO IV: ATA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA DE CARMO ANEXO IV: ATA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA DE CARMO ATA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO CARMO / PIABANHA Aos 17 de Dezembro de 2014, às 14:00 horas, no Centro Cultural de Carmo, localizado

Leia mais

ALVINLÂNDIA OBRAS E AÇÕES GESTÃO R$ ,00

ALVINLÂNDIA OBRAS E AÇÕES GESTÃO R$ ,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: ALVINLÂNDIA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 3.849.900,00 distribuídos 65.844 litros de leite, de Jan/2007 a Fev/2009 Custo: R$ 81 mil, beneficiando 174 famílias carentes,

Leia mais

ATENÇÃO. Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental

ATENÇÃO. Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental ATENÇÃO Apresentação do Seminário A Lei da Política Nacional do Saneamento Básico (lei 11.445/07) e o Inquérito Civil Público Estadual 04/04/PGJ/MPSC, realizado nos dias 30 e 31 de outubro de 2008. Arquivos

Leia mais

A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais

A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais AGENDA 1. ESTADO DO PARANÁ 1.1 - PERFIL DO ESTADO DO PARANÁ 2. SANEPAR 2.1 - PERFIL DA COMPANHIA 2.2 - INVESTIMENTOS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DIVINÓPOLIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE DIVINÓPOLIS DECRETO Nº 9970 Estabelece regulamentos para a realização de consulta e audiência pública sobre o contrato de programa para a prestação de serviços públicos de abastecimento de água e de esgotamento sanitário

Leia mais

IV Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental

IV Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES CONSTRUTIVAS E OPERACIONAIS DO SISTEMA DE TRATAMENTO PRIMÁRIO POR TANQUES SÉPTICOS: ESTUDO DE CASO DA COMUNIDADE DE CAÍPE (SÃO FRANCISCO DO CONDE/BA) Dulce Buente Moreira Tavares

Leia mais

O gerenciamento dos recursos hídricos nas grandes cidades: Um olhar sobre a RMRJ

O gerenciamento dos recursos hídricos nas grandes cidades: Um olhar sobre a RMRJ PRÉ-ENCOB, Rio de Janeiro (FIRJAN), 30 de agosto de 2011: A Importância do Uso Racional das Águas e o Fator Água nas Regiões Metropolitanas O gerenciamento dos recursos hídricos nas grandes cidades: Um

Leia mais

APIMEC COPASA Divulgação 1T08

APIMEC COPASA Divulgação 1T08 APIMEC COPASA 2008 Highlights 1T08 A Receita Líquida no 1T08 foi de R$ 467 milhões um crescimento de 8,4% em relação ao 1T07. O EBITDA no trimestre atingiu R$ 191 milhões ante R$ 174 milhões no 1T07. Reajuste

Leia mais

Comitê Técnico de Acompanhamento do Plano Diretor

Comitê Técnico de Acompanhamento do Plano Diretor Comitê Técnico de Acompanhamento do Plano Diretor A evolução da questão habitacional no Rio de Janeiro tendo como base os planos e suas implementações mar, 2014 Breve histórico Início Século XX Remodelação

Leia mais

Workshop de Saneamento Básico - FIESP. Soluções para o Esgotamento Sanitário

Workshop de Saneamento Básico - FIESP. Soluções para o Esgotamento Sanitário Workshop de Saneamento Básico - FIESP Soluções para o Esgotamento Sanitário ABES - Missão e Visão MISSÃO Ser reconhecida, nacionalmente, como a principal entidade de referência, no setor de saneamento

Leia mais

DE INÍCIO: MÊS/ANO DE TÉRMINO:

DE INÍCIO: MÊS/ANO DE TÉRMINO: Página 1 PROGRAMA: QUALIDADE DO ENSINO FUNDAMENTAL OBJETIVO: Assegurar a igualdade nas condições de acesso, permanência e êxito dos alunos matriculados no Ensino Fundamental. PUBLICO ALVO: Alunos do Ensino

Leia mais

Imovelweb Index RIO DE JANEIRO RELATÓRIO MENSAL OUTUBRO 2016

Imovelweb Index RIO DE JANEIRO RELATÓRIO MENSAL OUTUBRO 2016 Imovelweb Index RIO DE JANEIRO RELATÓRIO MENSAL OUTUBRO 2016 Objetivos, características, metodologia OBJETIVO: oferecer estatísticas abrangentes e confiáveis que acompanhem a evolução dos preços de venda

Leia mais

Rendimento Médio Populacional (R$) Total 288,39 Urbana 309,57 Rural 167,10

Rendimento Médio Populacional (R$) Total 288,39 Urbana 309,57 Rural 167,10 SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Jacundá DEMOGRAFIA População Total 51.360 População por Gênero Masculino 25.769 Participação % 50,17 Feminino 25.591

Leia mais

ANEXO DE METAS E PRIORIDADES PROGRAMA FINALÍSTICO

ANEXO DE METAS E PRIORIDADES PROGRAMA FINALÍSTICO Página 1 PROGRAMA: ATENÇÃO A SAÚDE DA POPULAÇÃO OBJETIVO: Promover o acesso universal da população aos serviços ambulatoriais, emergenciais e hospitalares nos postos de saúde e hospitais localizados no

Leia mais

Imovelweb Index RIO DE JANEIRO RELATÓRIO MENSAL SETEMBRO 2016

Imovelweb Index RIO DE JANEIRO RELATÓRIO MENSAL SETEMBRO 2016 Imovelweb Index RIO DE JANEIRO RELATÓRIO MENSAL SETEMBRO 2016 CARACTERÍSTICAS DO ESTUDO OBJETIVO: oferecer estatísticas abrangentes e confiáveis que acompanhem a evolução dos preços de venda e aluguel

Leia mais

COMITÊ DE BACIA DA REGIÃO HIDROGRÁFICA RIO DOIS RIOS

COMITÊ DE BACIA DA REGIÃO HIDROGRÁFICA RIO DOIS RIOS RESOLUÇÃO CBH - RIO DOIS RIOS, Nº 23, DE 06 DE JUNHO DE 2013 "APROVA RECURSOS FINANCEIROS, CRITÉRIOS E PRIORIDADES PARA EXECUÇÃO DAS PROPOSTAS HABILITADAS NO EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01, DE 06 DE

Leia mais

EDUCAÇÃO Total de Escolas no Município Ensino Fundamental Ensino Médio Número de Matrículas Educação Infantil Creche 237

EDUCAÇÃO Total de Escolas no Município Ensino Fundamental Ensino Médio Número de Matrículas Educação Infantil Creche 237 SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Água Azul do Norte DEMOGRAFIA População Total 25.057 População por Gênero Masculino 13.618 Participação % 54,35 Feminino

Leia mais