MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CAMPUS ALEGRETE PIBID

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CAMPUS ALEGRETE PIBID"

Transcrição

1 PROPOSTA DIDÁTICA 1. Dados de Identificação 1.1 Nome do bolsista: Fabielli Vieira de July 1.2 Público alvo: alunos do 8º e 9º anos 1.3 Duração: 2 h 1.4 Conteúdos desenvolvido: As Pirâmides do Egito e a Razão Áurea 2. Objetivos da proposta didática - Associar o conteúdo com a história, pois trazendo conhecimento diferenciado, pode possibilitar que os alunos fiquem curiosos e que assim se interessem pela aula desenvolvida; - Mostrar que a matemática também está representada em diversas coisas em nosso cotidiano. 3. Desenvolvimento da proposta didática (20 min) Acomodação dos alunos e a apresentação. (40min) No primeiro momento falaremos sobre a história do Egito em relação à matemática, após iremos comentar o que séria a razão áurea para os Egípcios. Um pouco da história A história da Matemática se confunde com a história da humanidade, ninguém sabe quando começou a matemática, o que sabemos é que toda civilização que desenvolveu a escrita também mostra evidências de algum nível de conhecimento matemático.

2 O Egito é uma das mais antigas civilizações, que se desenvolveu nas margens do Rio Nilo, onde tinha várias terras férteis, e com o período das cheias os problemas com as demarcações foram surgindo, foi dai que a matemática no Egito começou a se desenvolver. Sistema de numeração do Egito As pirâmides Também foram construídas as pirâmides, que eram templos que os faraós mandavam construir para que fosse seu túmulo quando eles morressem. Foram construídas mais de 170 no Egito e a na Núbia. A beleza e engenhosidade da forma que construíram demonstram um alto nível de sofisticação artística e cientifica dos egípcios. As maiores e mais conhecidas pirâmides do Egito, são Quéops, Quéfren e Miquerinos, são também conhecidas como as pirâmides de Gizé, pois ficam nas proximidades da cidade de Gizé.

3 Razão Áurea Os Egípcios consideravam o número de ouro sagrado, tendo uma importância extrema na sua religião, e chamavam-no não de número de ouro, mas sim de "número sagrado". Utilizavam-no para a construção de templos e sepulcros para os mortos, pois consideravam que caso isto não acontecesse, o templo poderia não agradar os Deuses ou a alma do falecido não conseguiria chegar ao seu destino. (20mim) - Após essa breve viagem pelo tempo. Iremos mostrar o que é um retângulo áureo, através de construção geométrica. Se minha linha A virar um quadrado e minha linha B um retângulo, logo terei um retângulo C. Que é meu retângulo áureo. Logo retângulo C é áureo; E o retângulo B também é áureo.

4 (7min) - Vídeo Pato Donald - Proporção Áurea Link: https://www.youtube.com/watch?v=58dmcj0wukw Vídeo onde fala sobre a Proporção Áurea, dando exemplos nas arquiteturas. (5mim) Iremos dizer que característica uma pirâmide tem que ter para ser áurea, mostrando a formula para chegar no resultado. Base tem que ser quadrada. = 1,272 (30mim) Atividade Dividir a turma em grupos, e cada grupo receberá as replicas das três pirâmides, onde terão que montar e personalizar suas pirâmides, também será entregue as dimensões de cada uma delas, e logo após a confecção de suas pirâmides o aluno devera calcular a partir das dimensões dadas a razão áurea das três pirâmides para saber quais delas é uma pirâmide áurea. As dimensões (em metros) para as pirâmides de Quéops (base quadrada), Quéfren (base quadrada) e Miquerinos (base retangular) são: Quéops Quéfren Miquerinos Altura da pirâmide 146,59 143,50 65,00 Dimensões da base 230,33 x 230,33 215,20 x 215,20 102,20 x 104,60

5 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Para Quéops temos: 2h a = 2 146,59 = 1, ,33 Isso resulta que Quéops, é de fato uma pirâmide áurea. Para Quéfren temos: 2h a = 2 143,50 = 1, ,20 Isso resulta que Quéfren não é considerada uma pirâmide áurea. Para Miquerinos: Ela não é áurea, pois sua base nem se quer é quadrada. Replicas: 4. Referências Bibliográficas BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: MEC/SEF, CONTADOR, Paulo Roberto Martins. A matemática na arte e na vida. São Paulo: Livraria da Física, D'AMBRÓSIO, Ubiratan. Educação Matemática: da teoria à prática. 8ª ed. Campinas - SP: Papirus, Disponível em: <http://periodicos.unb.br/index.php/resafe/article/viewfile/5437/4536>. Acesso em: 18 jan

6

HORÁRIOS PROVISÓRIOS 2016 ENSINO FUNDAMENTAL 2 6º ANO MANHÃ HORÁRIO AULA SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 7:20 ÀS 8:10

HORÁRIOS PROVISÓRIOS 2016 ENSINO FUNDAMENTAL 2 6º ANO MANHÃ HORÁRIO AULA SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 7:20 ÀS 8:10 6º ANO MANHÃ ÀS ÀS 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª GEOMÉTRICO/ / Ruth 7º ANO MANHÃ TURMA 01 1ª 2ª ÀS ÀS 3ª 4ª 5ª GEOMÉTRICO/ / Ruth 7º ANO MANHÃ TURMA 02 1ª ÀS ÀS 2ª 3ª 4ª 5ª / Ruth 8º ANO MANHÃ 1ª 2ª ÀS ÀS ÀS 12:50 3ª

Leia mais

Plano de Aula 1 IDENTIFICAÇÃO

Plano de Aula 1 IDENTIFICAÇÃO Ministério da Educação Secretária de Educação Profissional e Tecnologia Instituto Federal Catarinense - Campus Avançado Sombrio Curso de Licenciatura em Matemática Plano de Aula 1 IDENTIFICAÇÃO Instituto

Leia mais

Plano de Aula 1 IDENTIFICAÇÃO

Plano de Aula 1 IDENTIFICAÇÃO Ministério da Educação Secretária de Educação Profissional e Tecnologia Instituto Federal Catarinense - Câmpus Avançado Sombrio Curso de Licenciatura em Matemática Plano de Aula 1 IDENTIFICAÇÃO Instituto

Leia mais

NÚMERO DE OURO. Vanessa Alves dos Santos Universidade do Estado da Bahia nessafnv@hotmail.com

NÚMERO DE OURO. Vanessa Alves dos Santos Universidade do Estado da Bahia nessafnv@hotmail.com NÚMERO DE OURO Vanessa Alves dos Santos Universidade do Estado da Bahia nessafnv@hotmail.com Naiara Alves Andrade Universidade do Estado da Bahia luuk_pop@hotmail.com Tiago Santos de Oliveira Universidade

Leia mais

CURSO: Agente Comunitário de Saúde Santa Cruz de Minas. Turma: 2º semestre/2015

CURSO: Agente Comunitário de Saúde Santa Cruz de Minas. Turma: 2º semestre/2015 CURSO: Agente Comunitário de Saúde Santa Cruz de Minas Turma: 2º semestre/2015 Início do curso: 19/10/2015 Término do curso: 30/05/2016 Período: 19/10/2015 a 23/10/2015 (1ª semana) 19:00 às 20:00 20:00

Leia mais

Caderno Didático para Revisar Conteúdos do Ensino Básico

Caderno Didático para Revisar Conteúdos do Ensino Básico CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA UNIDADE ACADÊMICA DE MATEMÁTICA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INIACIAÇÃO À DOCÊNCIA SUBPROJETO Caderno Didático para Revisar Conteúdos do Ensino Básico Campina Grande

Leia mais

Bilhete 084/14. Bilhete 084/14 Santo André, 25 de novembro de 2014. Senhores Pais dos alunos da Educação Infantil.

Bilhete 084/14. Bilhete 084/14 Santo André, 25 de novembro de 2014. Senhores Pais dos alunos da Educação Infantil. Senhores Pais dos alunos da Educação Infantil. Senhores Pais dos alunos da Educação Infantil. Senhores Pais dos alunos do 1º ano. Senhores Pais dos alunos do 1º ano. Senhores Pais dos alunos da turma 1F8.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CAMPUS ALEGRETE PIBID

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CAMPUS ALEGRETE PIBID 1. Dados de identificação. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PROPOSTA DIDÁTICA 1.1 Nome do bolsista. Bruno Santana do Prado. 1.2 Público alvo: 8 e 9 ano. 1.3 Duração: 2,5 horas. 1.4 Conteúdo desenvolvido: Teorema

Leia mais

Técnico Design Interior

Técnico Design Interior Técnico Design Interior A ARTE NO EGITO Professora Alba Baroni Arquiteta A ARTE NO EGITO O Egito foi uma das principais civilizações da antiguidade. Com uma civilização bastante desenvolvida em sua organização

Leia mais

Horário de Aulas Fundamental II

Horário de Aulas Fundamental II Infantil - Fundamental - Médio Horário de Aulas Fundamental II 1ª AULA 7H10 ÀS 8H 2ª AULA 8H ÀS 8H50 3ª AULA 8H50 ÀS 9H40 INTERVALO 9H40 ÀS 10H 4ª AULA 10H ÀS 10H50 5ª AULA 10H50 ÀS 11H40 6ª AULA 11H40

Leia mais

PROFESSOR: Guilherme Franklin Lauxen Neto

PROFESSOR: Guilherme Franklin Lauxen Neto ALUNO TURMA: 2 Ano DATA / /2015 PROFESSOR: Guilherme Franklin Lauxen Neto DEVOLUTIVA: / /2015 1) Dado um cilindro de revolução de altura 12 cm e raio da base 4 cm, determine: a) a área da base do cilindro.

Leia mais

A velha história das multidões. Série Matemática na Escola

A velha história das multidões. Série Matemática na Escola A velha história das multidões Série Matemática na Escola Objetivos 1. Revelar como é feita a estimativa do número de pessoas em um evento 2. Mostrar como cálculos matemáticos simples nos auxiliam a confrontar

Leia mais

116 Revista Humanidades e Inovação v.3, n Simone Pereira Brito. Resumo. Resumen. Introdução

116 Revista Humanidades e Inovação v.3, n Simone Pereira Brito. Resumo. Resumen. Introdução 116 Revista Humanidades e Inovação v.3, n. 1-2016 Simone Pereira Brito Resumo Resumen Introdução 117 Revista Humanidades e Inovação v.3, n. 1-2016 Teorias que Embasaram a Pesquisa 118 Revista Humanidades

Leia mais

Assunto: Escalas Prof. Ederaldo Azevedo Aula 4 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br 3. Escalas: É comum em levantamentos topográficos a necessidade de representar no papel uma certa porção da superfície

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DE UMA SITUAÇÃO EXÓTICA USANDO O ESTUDO DE PIRÂMIDES

DEMONSTRAÇÃO DE UMA SITUAÇÃO EXÓTICA USANDO O ESTUDO DE PIRÂMIDES DEMONSTRAÇÃO DE UMA SITUAÇÃO EXÓTICA USANDO O ESTUDO DE PIRÂMIDES INTRODUÇÃO Joselito Elias de Araújo 1 José Vinícius do Nascimento Silva 2 O Egito está situado no nordeste da África, entre os desertos

Leia mais

PROPOSTA DIDÁTICA. 3. Desenvolvimento da proposta didática (10 min) Acomodação dos alunos em semicírculo e realização da chamada.

PROPOSTA DIDÁTICA. 3. Desenvolvimento da proposta didática (10 min) Acomodação dos alunos em semicírculo e realização da chamada. PROPOSTA DIDÁTICA 1. Dados de Identificação 1.1 Nome do bolsista: Bianca Bitencourt da Silva 1.2 Público alvo: Alunos do 8º e 9º ano 1.3 Duração: 2 horas 1.4 Conteúdo desenvolvido: Área de triângulos equiláteros,

Leia mais

CONSTRUINDO O CONCEITO DE ÁREA POR MEIO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA

CONSTRUINDO O CONCEITO DE ÁREA POR MEIO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA 1 CONSTRUINDO O CONCEITO DE ÁREA POR MEIO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA Edilene Simões Costa dos Santos FAO edilenesc@gmail.com Resumo Cristiano Alberto Muniz, UnB - cristianoamuniz@gmail.com, Maria Terezinha

Leia mais

ANÁLISE COMBINATÓRIA - ASPECTOS HISTÓRICOS E ATIVIDADES INVESTIGATIVAS

ANÁLISE COMBINATÓRIA - ASPECTOS HISTÓRICOS E ATIVIDADES INVESTIGATIVAS ANÁLISE COMBINATÓRIA - ASPECTOS HISTÓRICOS E ATIVIDADES INVESTIGATIVAS Aluna: Cristiane Maria Roque Vazquez Programa de Pós-Graduação no Ensino de Ciências Exatas PPGECE UFSCar (2010) Orientador: Prof.

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE GEOGEBRA E SUAS CONTRIBUIÇÕES NO ENSINO E NA APRENDIZAGEM EM MATEMÁTICA

A UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE GEOGEBRA E SUAS CONTRIBUIÇÕES NO ENSINO E NA APRENDIZAGEM EM MATEMÁTICA A formação docente em Ciência, Tecnologia, Sociedade e Educação Ambiental A UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE GEOGEBRA E SUAS CONTRIBUIÇÕES NO ENSINO E NA APRENDIZAGEM EM MATEMÁTICA Rosimeyre Gomes da Silva Merib

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1B

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1B CADERNO DE EXERCÍCIOS B Ensino Fundamental Ciências da Natureza I Questão Conteúdo Habilidade da Matriz da EJA/FB Fração Soma de frações Multiplicação de frações Subtração de frações Divisão de frações

Leia mais

PROPOSTA DIDÁTICA. 3. Desenvolvimento da proposta didática (10 min) Acomodação dos alunos em quartetos e realização da chamada.

PROPOSTA DIDÁTICA. 3. Desenvolvimento da proposta didática (10 min) Acomodação dos alunos em quartetos e realização da chamada. PROPOSTA DIDÁTICA 1. Dados de Identificação 1.1 Nome do bolsista: Tanara da Silva Dicetti 1.2 Público alvo: 8º e 9º ano 1.3 Duração: Aproximadamente 2 horas 1.4 Conteúdo desenvolvido: Figuras planas: Áreas

Leia mais

EXERCÍCIOS ARTE EGÍPCIA

EXERCÍCIOS ARTE EGÍPCIA HISTÓRIA DA ARTE Aluno (a): Professor: Lucas Salomão Data: / /2016 9º ano: A [ ] B [ ] C [ ] ARTE EGÍPCIA EXERCÍCIOS ARTE EGÍPCIA 01. Sobre a arte egípcia, marque ( V ) para as alternativas verdadeiras

Leia mais

TRABALHANDO MEDIDAS E GRANDEZAS POR MEIO DE MATERIAIS CONCRETOS

TRABALHANDO MEDIDAS E GRANDEZAS POR MEIO DE MATERIAIS CONCRETOS TRABALHANDO MEDIDAS E GRANDEZAS POR MEIO DE MATERIAIS CONCRETOS Nelson Leal dos Santos Júnior 1 Fabíola da Cruz Martins 2 Jaqueline Lixandrão Santos 3 RESUMO No Brasil, os professores tinham certa dificuldade

Leia mais

FIGURAS Aula 2. André Luís Corte Brochi Professor das Faculdades COC

FIGURAS Aula 2. André Luís Corte Brochi Professor das Faculdades COC FIGURAS Aula 2 André Luís Corte Brochi Professor das Faculdades COC Objetivos Apresentar elementos teóricos sobre figuras. Sugerir atividades práticas. 2 Atividade 4: Razão áurea Objetivo: observar a proporção

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ª Série Cálculo Numérico Engenharia Civil A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um

Leia mais

Progressões aritméticas

Progressões aritméticas A UUL AL A Progressões aritméticas Quando escrevemos qualquer quantidade de números, um após o outro, temos o que chamamos de seqüência. As seqüências são, freqüentemente, resultado da observação de um

Leia mais

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFERÊNCIA EM FORMAÇÃO E

Leia mais

MICROSCÓPIO CASEIRO COM LASER

MICROSCÓPIO CASEIRO COM LASER MICROSCÓPIO CASEIRO COM LASER Autor (1); Luiz Henrique Cabral Calado; Co-autor (1) Adenirto Jefferson Gomes Alves; Co-autor (2) Ailson André Ramos Freitas; Co-autor(3) Saulo Oliveira Feitosa Instituto

Leia mais

Medidas de Dispersão para uma Amostra. Conteúdo: AMPLITUDE VARIÂNCIA DESVIO PADRÃO COEFICIENTE DE VARIAÇÃO

Medidas de Dispersão para uma Amostra. Conteúdo: AMPLITUDE VARIÂNCIA DESVIO PADRÃO COEFICIENTE DE VARIAÇÃO Medidas de Dispersão para uma Amostra Conteúdo: AMPLITUDE VARIÂNCIA DESVIO PADRÃO COEFICIENTE DE VARIAÇÃO Medidas de Dispersão para uma Amostra Para entender o que é dispersão, imagine que quatro alunos

Leia mais

PROPOSTA DIDÁTICA. A atividade será divididas em etapas. Cada etapa e o tempo previsto estão descritos a seguir.

PROPOSTA DIDÁTICA. A atividade será divididas em etapas. Cada etapa e o tempo previsto estão descritos a seguir. PROPOSTA DIDÁTICA 1. Dados de Identificação 1.1 Nome do bolsista: Tanara da Silva Dicetti 1.2 Público alvo: 6 e 7 anos 1.3 Duração: 2 Horas 1.4 Conteúdo desenvolvido: Áreas de figuras planas 2. Objetivo(s)

Leia mais

Plano de Recuperação 1º Semestre EF2-2011

Plano de Recuperação 1º Semestre EF2-2011 Professor: Marcelo, Cebola e Natália Ano: 9º Objetivos: Proporcionar ao aluno a oportunidade de resgatar os conteúdos trabalhados em Matemática nos quais apresentou defasagens e os quais lhe servirão como

Leia mais

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO. Matemática. 1ª série do Ensino Médio Turma 1º semestre de 2015 Data / / Escola Aluno

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO. Matemática. 1ª série do Ensino Médio Turma 1º semestre de 2015 Data / / Escola Aluno AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO Matemática 09 1ª série do Ensino Médio Turma 1º semestre de 2015 Data / / Escola Aluno Questão 1 O mapa representa os quarteirões de uma cidade e a linha subterrânea

Leia mais

Área: conceito e áreas do quadrado e do retângulo

Área: conceito e áreas do quadrado e do retângulo Área: conceito e áreas do quadrado e do retângulo Dada uma figura no plano, vamos definir a área desta figuracomo o resultado da comparação da figura dada como uma certa unidade de medida. No caso do conceito

Leia mais

Prova Escrita de Matemática

Prova Escrita de Matemática ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE LOUSADA Prova Escrita de Matemática 3.º Ciclo do ensino Básico ; 9ºAno de escolaridade Duração da Prova: 90 minutos Versão 1 009 A PREENCHER PELO ALUNO

Leia mais

CALENDÁRIO DE PROVAS 3º TRIMESTRE 5ª ano A

CALENDÁRIO DE PROVAS 3º TRIMESTRE 5ª ano A CALENDÁRIO PROVAS 3º TRIMESTRE 5ª ano A Trabalho infantil: um problema antigo no Brasil p. 154 a 157 - apostila 3. CALENDÁRIO PROVAS 3º TRIMESTRE 5ª ano B Trabalho infantil: um problema antigo no Brasil

Leia mais

A equação da circunferência

A equação da circunferência A UA UL LA A equação da circunferência Introdução Nas duas últimas aulas você estudou a equação da reta. Nesta aula, veremos que uma circunferência desenhada no plano cartesiano também pode ser representada

Leia mais

ActivALEA. ative e atualize a sua literacia

ActivALEA. ative e atualize a sua literacia ActivALEA ative e atualize a sua literacia N.º 26 A FREQUÊNCIIA RELATIIVA PARA ESTIIMAR A PROBABIILIIDADE Por: Maria Eugénia Graça Martins Departamento de Estatística e Investigação Operacional da FCUL

Leia mais

Arquitetura Egípcia. Discentes: Bárbara Pellegrini Bruno Marques Bruno Luiz Mayla Miranda João Arthur

Arquitetura Egípcia. Discentes: Bárbara Pellegrini Bruno Marques Bruno Luiz Mayla Miranda João Arthur Arquitetura Egípcia Discentes: Bárbara Pellegrini Bruno Marques Bruno Luiz Mayla Miranda João Arthur Docente: Veronica Curso: Técnico em Edificações Turno: Vespertino INTRODUÇÃO Os egípcios desenvolveram

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR

SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DO 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 2012 MATEMÁTICA

Leia mais

Anais da Semana de Integração Acadêmica 02 a 06 de setembro de 2013

Anais da Semana de Integração Acadêmica 02 a 06 de setembro de 2013 A UTILIZAÇÃO DO JOGO DE DOMINÓ NA FACILITAÇÃO DA APROPRIAÇÃO DAS TÉCNICAS E CONCEITOS UTILIZADOS NAS OPERAÇÕES DE ADIÇÃO E INTRODUÇÃO SUBTRAÇÃO BELONSI, Marcelo Henrique UEG/UnU Goiás - marcelobelonsi@bol.com.br

Leia mais

CEUNSP - FEA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DESENHO ARQUITETÔNICO _ AULA 3 TURMAS 82111_82113 _ 82123

CEUNSP - FEA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DESENHO ARQUITETÔNICO _ AULA 3 TURMAS 82111_82113 _ 82123 CEUNSP - FEA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DESENHO ARQUITETÔNICO _ AULA 3 TURMAS 82111_82113 _ 82123 Professores Sumara Querino Elizabeth Correia Roberto D ALessandro Eduardo Balceiro ESCALA ESCALA

Leia mais

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO. Matemática. 6ª Série / 7º ano do Ensino Fundamental Turma 2º bimestre de 2015 Data / / Escola Aluno

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO. Matemática. 6ª Série / 7º ano do Ensino Fundamental Turma 2º bimestre de 2015 Data / / Escola Aluno AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO Matemática 6ª Série / 7º ano do Ensino Fundamental Turma 2º bimestre de 2015 Data / / Escola Aluno Questão 1 Das figuras geométricas abaixo, qual delas não apresenta

Leia mais

INSTITUTO EDUCACIONAL MAYRINK VIEIRA

INSTITUTO EDUCACIONAL MAYRINK VIEIRA INSTITUTO EDUCACIONAL MAYRINK VIEIRA Ensino Infantil Ensino Fundamental Ensino Médio CRONOGRAMA 2016 1º ao 5º ANO Ensino Fundamental I :::: Cronograma da 1ª Unidade Letiva 1º ao 5º Ano do Ensino Fundamental

Leia mais

Começando a falar sobre frações

Começando a falar sobre frações ``cap1_aluno'' --- 2016/10/2 --- 1:12 --- page 1 --- #1 Lição 1 Começando a falar sobre frações EXPLORANDO O ASSUNTO Atividade 1 Três irmãos vão repartir uma barra de chocolate Um deles sugere a seguinte

Leia mais

A escultura é uma das mais importantes manifestações da arte egípcia no Antigo Império, pois possuía uma função de representação política e

A escultura é uma das mais importantes manifestações da arte egípcia no Antigo Império, pois possuía uma função de representação política e COLÉGIO PEDRO II Campus São Cristóvão II Departamento de Desenho e Artes Visuais Equipe de Artes Visuais Coordenação: Prof. Shannon Botelho - 6º ano Aluno / a: Turma: Arte no Egito Os egípcios constituíram

Leia mais

DESENHO GEOMÉTRICO 9º ANO Prof. Danilo A. L. Pereira. Atividades básicas no GEOGEBRA. Polígonos Regulares

DESENHO GEOMÉTRICO 9º ANO Prof. Danilo A. L. Pereira. Atividades básicas no GEOGEBRA. Polígonos Regulares Exercícios Polígonos Regulares 1 - Calcular a área de um triângulo. Para construção da figura você irá clicar no ícone que tem um triângulo, para fazer um polígono clique no ícone indicado por polígono,

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Módulo I Aula 05 Prismas Prismas são sólidos geométricos que possuem as seguintes características: bases paralelas são iguais; arestas laterais iguais

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL PROFª MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI PIBID Plano de aula 2-16/04 e 30/04 de 2015 Tangram

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL PROFª MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI PIBID Plano de aula 2-16/04 e 30/04 de 2015 Tangram ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL PROFª MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI PIBID Plano de aula 2-16/04 e 30/04 de 2015 Tangram Bolsistas: Andressa Santos Vogel, Mévelin Maus e Patrícia Lombello Supervisora:

Leia mais

TEOREMA DE PITÁGORAS AULA ESCRITA

TEOREMA DE PITÁGORAS AULA ESCRITA TEOREMA DE PITÁGORAS AULA ESCRITA 1. Introdução O Teorema de Pitágoras é uma ferramenta importante na matemática. Ele permite calcular a medida de alguma coisa que não conseguimos com o uso de trenas ou

Leia mais

...l.. = 1 x 50 = 50 = 50DA 2 2 x

...l.. = 1 x 50 = 50 = 50DA 2 2 x Numa banca de jornal, observa-se que 30 pessoas compram o jornal A, 48 compram o jornal B, e 72 compram outros jornais. Você sabe dizer: a porcentagem de pessoas que compram o jornal A? a porcentagem de

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome Nº Ano Data: Professor: Gabriela/ Fernanda Nota: (valor 1,0) 3 o.bimestre Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou os conteúdos mínimos

Leia mais

C) D) E) A) 410,00 B) 460,00 C) 425,00 D) 435,00 E) 420,00 A) ,00 B) ,00 C) 2.400,00 D) ,00 E) 21.

C) D) E) A) 410,00 B) 460,00 C) 425,00 D) 435,00 E) 420,00 A) ,00 B) ,00 C) 2.400,00 D) ,00 E) 21. MATEMÁTICA NÍVEL FUNDAMENTAL I. PORCENTAGEM 1.Fração Percentual 20%= 0,2 35%= 0,35 4%= 0,04 2. Cálculo da porcentagem de um número Exs: a) Calcular 25% de 600 0,25 x 600 = 150 b) Calcular 8% de 50 0,08

Leia mais

JOGO MANCALA E AS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO

JOGO MANCALA E AS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO JOGO MANCALA E AS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO INTEGRAÇÃO 2015 Professor(a): Nome do Professor Disciplina: Nome Matemática da Disciplina Título Binômios da Aula Objetivo Possibilitar por meio do jogo a

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM MATEMÁTICA EM REDE NACIONAL. ENQ Gabarito

MESTRADO PROFISSIONAL EM MATEMÁTICA EM REDE NACIONAL. ENQ Gabarito MESTRADO PROFISSIONAL EM MATEMÁTICA EM REDE NACIONAL ENQ 016. Gabarito Questão 01 [ 1,00 ] A secretaria de educação de um município recebeu uma certa quantidade de livros para distribuir entre as escolas

Leia mais

ÍNDICE Para ToDos EDUCaÇÃo INFaNTIL 1º ao 5º ano Do ENsINo FUNDaMENTaL 5 6º E 7º ano Do ENsINo FUNDaMENTaL 8 8ª série ao ENsINo MÉDIo

ÍNDICE Para ToDos EDUCaÇÃo INFaNTIL 1º ao 5º ano Do ENsINo FUNDaMENTaL 5 6º E 7º ano Do ENsINo FUNDaMENTaL 8 8ª série ao ENsINo MÉDIo ÍNDICE Para Todos 2 EDUCAÇÃO INFANTIL 4 1º AO 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 5 6º E 7º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 8 8ª SÉRIE AO ENSINO MÉDIO 10 Agosto D S T Q Q S S 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Leia mais

PROPOSTA DIDÁTICA. (30 MIN) Primeira parte da oficina, relacionando atividades que levem os alunos a refletir sobre o valor do dinheiro.

PROPOSTA DIDÁTICA. (30 MIN) Primeira parte da oficina, relacionando atividades que levem os alunos a refletir sobre o valor do dinheiro. 1. Dados de Identificação MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PROPOSTA DIDÁTICA 1.1 Nome do bolsista: Gabriel Prates Brener 1.2 Público alvo: 6º e 7º Ano do Ensino Fundamental 1.3 Duração: 120 Minutos 1.4 Conteúdo

Leia mais

Numa banca de jornal, observa-se que 30 pessoas compra o jornal A, 48 compram o jornal B, e 72 compram outros jornais.

Numa banca de jornal, observa-se que 30 pessoas compra o jornal A, 48 compram o jornal B, e 72 compram outros jornais. MATEMÁTICA BÁSICA 6 PORCENTAGEM Numa banca de jornal, observa-se que 30 pessoas compra o jornal A, 48 compram o jornal B, e 72 compram outros jornais. Você sabe dizer: # a porcentagem de pessoas que compram

Leia mais

EXERCÍCIOS: Estrutura Sequencial, IF (SE), ELSE (Senão)

EXERCÍCIOS: Estrutura Sequencial, IF (SE), ELSE (Senão) EXERCÍCIOS: Estrutura Sequencial, IF (SE), ELSE (Senão) Exercício 1) Escreva um programa para ler um número o o Se o número é par, mostre na tela o texto "O número é par" Senão, mostre na tela o texto

Leia mais

QUESTÕES PARA A 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2º BIMESTE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES

QUESTÕES PARA A 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2º BIMESTE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES QUESTÕES PARA A 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2º BIMESTE QUESTÃO 01 SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES Descritor 11 Resolver problema envolvendo o cálculo de perímetro de figuras planas. Os itens referentes a

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO -MÓDULO V - TURMA 10108

ADMINISTRAÇÃO -MÓDULO V - TURMA 10108 ADMINISTRAÇÃO -MÓDULO V - TURMA 10108 Semana de 18 à 22 maio/09 Segunda - 18/05/2009 Terça - 19/05/2009 Quarta - 20/05/2009 Quinta - 21/05/2009 Sexta - 22/05/2009 Semana de 25 à 29 maio/09 Segunda - 25/05/2009

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio PLANO DE ENSINO Curso Disciplina/Carga horária Professor Responsável Licenciatura em Matemática ESTG 04- Estágio Supervisionado IV (150h.a) Nome: Marleide Coan Cardoso email:marleide@ifc-sombrio.edu.br

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA EIXO TECNOLÓGICO: Licenciatura Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Sendo assim a diferença de potencial entre os pontos inicial e final do circuito é igual à:

Sendo assim a diferença de potencial entre os pontos inicial e final do circuito é igual à: SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 3º TURMA(S):

Leia mais

PRINCIPAIS CONSTRUÇÕES E MONUMENTOS DO ANTIGO EGITO Durante cerca de anos a civilização Egípcia construiu alguns dos maiores monumentos já

PRINCIPAIS CONSTRUÇÕES E MONUMENTOS DO ANTIGO EGITO Durante cerca de anos a civilização Egípcia construiu alguns dos maiores monumentos já PRINCIPAIS CONSTRUÇÕES E MONUMENTOS DO ANTIGO EGITO Durante cerca de 3.000 anos a civilização Egípcia construiu alguns dos maiores monumentos já visto por toda a humanidade. Misteriosa, intrigantes e cheia

Leia mais

UERJ 2014 (ex. 1 a 10)

UERJ 2014 (ex. 1 a 10) (ex. 1 a 10) 1. Campanha do governo de Dubai contra a obesidade oferece prêmio em ouro por quilogramas perdidos. A campanha funciona premiando os participantes de acordo com a seguinte tabela: Assim, se

Leia mais

Tomar nota das medidas abaixo utilizando régua ou a fita métrica:

Tomar nota das medidas abaixo utilizando régua ou a fita métrica: O NÚMERO DE OURO Introdução Certas formas capturam nosso olhar e mexem com nossos sentidos bem mais do que outras e, mesmo que não saibamos a princípio o que as diferenciam, temos uma sensação de harmonia,

Leia mais

Egito Uma das civilizações mais importantes do Crescente Fértil Atraiu muitos grupos humanos no passado estabelecidos nas proximidades do Rio Nilo

Egito Uma das civilizações mais importantes do Crescente Fértil Atraiu muitos grupos humanos no passado estabelecidos nas proximidades do Rio Nilo 05. ÁFRICA ANTIGA Egito Uma das civilizações mais importantes do Crescente Fértil Atraiu muitos grupos humanos no passado estabelecidos nas proximidades do Rio Nilo cheias anuais e margens muito férteis

Leia mais

FIGURAS Aula 2. André Luís Corte Brochi Professor das Faculdades COC. 14 e 15 de Abril

FIGURAS Aula 2. André Luís Corte Brochi Professor das Faculdades COC. 14 e 15 de Abril FIGURAS Aula 2 André Luís Corte Brochi Professor das Faculdades COC 14 e 15 de Abril Objetivos Interagir com os professores sobre atividades envolvendo figuras. Sugerir atividades práticas relacionadas

Leia mais

HORÁRIOS DE AULA CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SEMESTRE: 2015.2 PERIODO: 1º TURMA: TURNO: NOITE BLOCO: A

HORÁRIOS DE AULA CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SEMESTRE: 2015.2 PERIODO: 1º TURMA: TURNO: NOITE BLOCO: A CURSO: DE INFORMAÇÃO SEMESTRE: 2015.2 PERIODO: 1º TURMA: TURNO: NOITE BLOCO: A CURSO: DE INFORMAÇÃO SEMESTRE: 2015.2 PERIODO: 2º TURMA: TURNO: NOITE BLOCO: A I I I I CURSO: DE INFORMAÇÃO SEMESTRE: 2015.2

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CAMPUS ALEGRETE PIBID

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CAMPUS ALEGRETE PIBID PROPOSTA DIDÁTICA 1. Dados de Identificação 1.1 Nome do bolsista: Bianca Bitencourt da Silva 1.2 Público alvo: Alunos de 7º a 9º ano e Magistério 1.3 Duração: 2 aulas de 2 h e 30 min cada 1.4 Conteúdo

Leia mais

AULA 9 RAZÃO E PROPORÇÃO. 1. Determine a razão do primeiro para o segundo número:

AULA 9 RAZÃO E PROPORÇÃO. 1. Determine a razão do primeiro para o segundo número: AULA 9 RAZÃO E PROPORÇÃO 1. Determine a razão do primeiro para o segundo número: Para montar a razão, basta fazer o numerador sobre o denominador. Para esse exercício, temos: a) 1 para 9 = 9 1 b) para

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIO DE MATEMÁTICA

LISTA DE EXERCÍCIO DE MATEMÁTICA LIST DE EXERCÍCIO DE MTEMÁTIC SÉRIE: 2º NO TURM: DT D PROV: / /2010 PROFESSOR: RI LUNO(): NOT VLOR 01.: (MCKENZIE) 9 pessoas desejam subir à cobertura de um edifício, dispondo, para isso, de dois elevadores,

Leia mais

TRABALHANDO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ECOSSISTEMA MANGUEZAL NO ENSINO FUNDAMENTAL I. Andreza Barboza da Silva; Ana Paula Santos Fidelis

TRABALHANDO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ECOSSISTEMA MANGUEZAL NO ENSINO FUNDAMENTAL I. Andreza Barboza da Silva; Ana Paula Santos Fidelis TRABALHANDO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ECOSSISTEMA MANGUEZAL NO ENSINO FUNDAMENTAL I. Andreza Barboza da Silva; Ana Paula Santos Fidelis Universidade Federal de Pernambuco andrezabarbozasilva@hotmail.com ppfidelis@gmail.com

Leia mais

Quatro alunos do 6º ano de uma escola, em uma aula de matemática, fizeram as seguintes afirmativas:

Quatro alunos do 6º ano de uma escola, em uma aula de matemática, fizeram as seguintes afirmativas: ATIVIDADE PROVÃO 2º BIMESTRE 6º ANO MAT PROVA DIA 09/07 QUESTÃO 01 (Descritor: estabelecer uma conclusão baseando-se nas definições de divisores e múltiplos de um número natural e números primos) Quatro

Leia mais

DIVISÃO DE NOTAS 1º TRIMESTRE / 2015

DIVISÃO DE NOTAS 1º TRIMESTRE / 2015 Professor(a): Adriana Vieira Cardoso e Gerusa Jaske Maruyama Componente Curricular: Língua Portuguesa Série: 8º ano -Frase, oração e período; - Tipos de sujeito; - Tipos de predicado (verbal e nominal)

Leia mais

Centro de Educação Profissional da Universidade Estadual de Campinas

Centro de Educação Profissional da Universidade Estadual de Campinas Professor - Romeu Corradi Júnior Centro de Educação Profissional da Universidade Estadual de Campinas Atividades: Resolução de exercícios com alguns comentários (Lista 01-FSM1) 1. Obter as tabelas de transição

Leia mais

1. A figura mostra o diagrama de movimento de um carro de corrida. A câmera tirou numa fotografia a cada 2 s.

1. A figura mostra o diagrama de movimento de um carro de corrida. A câmera tirou numa fotografia a cada 2 s. Lista 1: Conceitos do Movimento NOME: Matrícula: Turma: Prof. : Importante: i. As cinco páginas seguintes contém problemas para serem resolvidos e entregues. ii. Leia os enunciados com atenção. iii. Responder

Leia mais

Mestrado em Educação Pré-escolar. 2 ª Planificação

Mestrado em Educação Pré-escolar. 2 ª Planificação Anexo 9 Planificações em Jardim de Infância Mestrado em Educação Pré-escolar Professora Supervisora: Sónia Correia Educadora Cooperante: Ana Leitão Estagiária atuante: Maria do Rosário Ferreira Estagiária

Leia mais

LEITURA E ESCRITA COM ÊNFASE NA PRODUÇÃO DE CORDEL DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA ESTADUAL JOÃO TOMÁS NETO

LEITURA E ESCRITA COM ÊNFASE NA PRODUÇÃO DE CORDEL DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA ESTADUAL JOÃO TOMÁS NETO LEITURA E ESCRITA COM ÊNFASE NA PRODUÇÃO DE CORDEL DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA ESTADUAL JOÃO TOMÁS NETO Maria Solange de Lima Silva FCU/UNIFUTURO Sol_lyma@hotmail.com INTRODUÇÂO A característica básica

Leia mais

HORÁRIO DE AULAS E AVALIAÇÕES DE RECUPERAÇÃO FINAL 2015 DIA 14/12/2015-2ª FEIRA

HORÁRIO DE AULAS E AVALIAÇÕES DE RECUPERAÇÃO FINAL 2015 DIA 14/12/2015-2ª FEIRA DIA //0 - ª FEIRA HOR. º ANO 7º ANO 8º ANO 9º ANO º ANO º ANO º ANO - Thuha Thuha - Thuha Thuha Thuha Data: //0 ª feira - Horário: h Prova de História - Thuha Turmas: º / º / º Ensino Médio Thuha DIA //0

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 3E

CADERNO DE EXERCÍCIOS 3E CADERNO DE EXERCÍCIOS 3E Ensino Fundamental Matemática Questão Conteúdo Habilidade da Matriz da EJA/FB 1 Área de círculo H21 Área do quadrado H21 Multiplicação com números decimais H16 2 Equação do 2º

Leia mais

Plano Curricular de Matemática 4.º Ano - Ano Letivo 2016/2017

Plano Curricular de Matemática 4.º Ano - Ano Letivo 2016/2017 4.º Ano - Ano Letivo 2016/2017 1.º Período - Números naturais Números e operações Contar Estender as regras de construção dos numerais decimais para classes de grandeza indefinida; Conhecer os diferentes

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOSÉ I - VRSA MATEMÁTICA 6.º ANO 2014/15 Ficha A5 Global NOME N.º Turma NOME

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOSÉ I - VRSA MATEMÁTICA 6.º ANO 2014/15 Ficha A5 Global NOME N.º Turma NOME AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOSÉ I - VRSA MATEMÁTICA 6.º ANO 2014/15 Ficha A5 Global NOME N.º Turma NOME NOTAS: APRESENTE A RESOLUÇÃO EM TODAS AS RESPOSTAS EXCEPTO EM 3a) E 7a) - CONSIDERE 3,14 1. A figura

Leia mais

CÁLCULO DAS CARACTERÍSTICAS DE CABOS

CÁLCULO DAS CARACTERÍSTICAS DE CABOS CÁLCULO DAS CARACTERÍSTICAS DE CABOS Relatório Intercalar PARA CONSTRUÇÃO DE MODELOS DE LINHA 1 2010 BOLSA DE INTEGRAÇÃO À INVESTIGAÇÃO MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES

Leia mais

a) Falsa. Por exemplo, para n = 2, temos 3n = 3 2 = 6, ou seja, um número par.

a) Falsa. Por exemplo, para n = 2, temos 3n = 3 2 = 6, ou seja, um número par. Matemática Unidade I Álgebra Série - Teoria dos números 01 a) Falsa. Por exemplo, para n =, temos 3n = 3 = 6, ou seja, um número par. b) Verdadeira. Por exemplo, para n = 1, temos n = 1 =, ou seja, um

Leia mais

TRIGONOMETRIA CONTEXTUALIZADA: MEDINDO A ALTURA DO MORRO BOM JESUS EM CARUARU - PE

TRIGONOMETRIA CONTEXTUALIZADA: MEDINDO A ALTURA DO MORRO BOM JESUS EM CARUARU - PE TRIGONOMETRIA CONTEXTUALIZADA: MEDINDO A ALTURA DO MORRO BOM JESUS EM CARUARU - PE Davi Severino de Araújo; Diego Jonata de Medeiros; Ithallo Rosemberg Praxedes de Pontes dos Santos; Joicy Lariça Gonçalves

Leia mais

Nome...Nota... T /R,COUNT

Nome...Nota... T /R,COUNT FEI NE 7720/772 - Prova P2 Sistemas Digitais II - 28/11/07 Turma A Tempo 80min - Sem consulta Permitido o uso de calculadora científica Interpretação faz parte da prova. Nome...Nota... N.o N.o da Lista

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 05 ALGORITMOS

INFORMÁTICA APLICADA AULA 05 ALGORITMOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 05 ALGORITMOS Profª ª Danielle Casillo ESTRUTURA DE REPETIÇÃO Nos exemplos e exercícios que

Leia mais

PLANTÃO PROFESSORES ENSINO FUNDAMENTAL II / MÉDIO

PLANTÃO PROFESSORES ENSINO FUNDAMENTAL II / MÉDIO Belo Horizonte novembro de 2015. Prezados Pais e/ ou Responsáveis, Abaixo estão algumas informações referentes aos últimos eventos pedagógicos de seu filho no IEMP. Leia com atenção, e havendo dúvidas,

Leia mais

Regras de Kirchoff dos circuitos eléctricos. Descarga de um condensador. Verificar experimentalmente as regras de Kirchoff para circuitos eléctricos.

Regras de Kirchoff dos circuitos eléctricos. Descarga de um condensador. Verificar experimentalmente as regras de Kirchoff para circuitos eléctricos. Guião de Laboratório Física MEC FEUP DEF egras de Kirchoff dos circuitos eléctricos. Descarga de um condensador Objectivos: Uso de instrumentos de medida eléctricos. Verificar experimentalmente as regras

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS PARA COMPREENSÃO DAS OPERAÇÕES BÁSICAS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS PARA COMPREENSÃO DAS OPERAÇÕES BÁSICAS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO A UTILIZAÇÃO DE JOGOS PARA COMPREENSÃO DAS OPERAÇÕES BÁSICAS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO Cláudia Martins de Oliveira Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA claudia.moliveira@yahoo.com.br Caroline Lima de Oliveira

Leia mais

PROEJETO ARBORIZAÇÃO, JARDINAGEM E HORTA COMUNIDADE BETEL: Contribuições Para a Formação Acadêmica

PROEJETO ARBORIZAÇÃO, JARDINAGEM E HORTA COMUNIDADE BETEL: Contribuições Para a Formação Acadêmica PROEJETO ARBORIZAÇÃO, JARDINAGEM E HORTA COMUNIDADE BETEL: Contribuições Para a Formação Acadêmica Fernanda S. Seger 1 Érika Lucatelli 2 RESUMO Este artigo propõe apresentar os resultados e discussões

Leia mais

Ação do vento nas edificações Aula 02

Ação do vento nas edificações Aula 02 Ação do vento nas edificações Aula 02 Disciplina: Estruturas Metálicas, de Madeira e Especiais Prof: Fabricio da Cruz Tomo Referência: Notas de do Prof. Dr. Carlos Humberto Martins Ação estática

Leia mais

1º EM FIDELIZAÇÃO DE CLIENTE

1º EM FIDELIZAÇÃO DE CLIENTE 1º EM FIDELIZAÇÃO DE CLIENTE Sucesso de Mary Kay em mais de 35 países do Mundo devido: Atendimento diferenciado e personalizado. Oportunidade de experimentar os produtos antes de adquirir. Acompanhamento

Leia mais

Interação entre ímãs e bússolas

Interação entre ímãs e bússolas Interação entre ímãs e bússolas Maria Christina Introdução Esses experimentos são parte de uma seqüência de atividades para ensinar Eletromagnetismo após ter trabalhado a Eletricidade no terceiro ano do

Leia mais

Assunto: Função do 2º grau

Assunto: Função do 2º grau Assunto: Função do 2º grau 1) Dada a função f(x) = x 2-4x+3.Determine: a) A suas raízes; resp: 1 e 3 b) As coordenadas do vértice da parábola; resp: V(2;-1) c) O gráfico d) Se a função admite valor máximo

Leia mais

4 h/a ------ 4 h/a 72 h/a ----- 72 h/a 4

4 h/a ------ 4 h/a 72 h/a ----- 72 h/a 4 Disciplina Curso Contabilidade e Sistemas de Custos Ciências Contábeis Turno/Horário Noturno Professor(a): Salomão Dantas Soares salomaosoares@bol.com.br salomao.soares@cralmeida.com.br Carga Horária Semanal

Leia mais

EXEMPLOS Resolva as equações em : 1) Temos uma equação completa onde a =3, b = -4 e c = 1. Se utilizarmos a fórmula famosa, teremos:

EXEMPLOS Resolva as equações em : 1) Temos uma equação completa onde a =3, b = -4 e c = 1. Se utilizarmos a fórmula famosa, teremos: EQUAÇÃO DE SEGUNDO GRAU INTRODUÇÃO Equação é uma igualdade onde há algum elemento desconhecido Como exemplo, podemos escrever Esta igualdade é uma equação já conhecida por você, pois é de primeiro grau

Leia mais

Cento de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação. Subárea de Matemática. Plano de Ensino de Matemática 7º Ano - 2014

Cento de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação. Subárea de Matemática. Plano de Ensino de Matemática 7º Ano - 2014 Cento de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação Subárea de Matemática 1 Plano de Ensino de Matemática 7º Ano - 2014 Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação Subárea de Matemática Profª Marisa Gomes

Leia mais

Apresentação. Bento de Jesus Caraça ( ), matemático português

Apresentação. Bento de Jesus Caraça ( ), matemático português Apresentação A matemática é geralmente considerada uma ciência a parte, desligada da realidade, vivendo na penumbra de um gabinete fechado, onde não entram ruídos do mundo exterior, nem o sol, nem os clamores

Leia mais