Bowie-Dick. O que fazer quando há um problema com o teste. Educação e Capacitação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Bowie-Dick. O que fazer quando há um problema com o teste. Educação e Capacitação"

Transcrição

1 O que fazer quando há um problema com o teste Bowie-Dick Por Charles O. Hancock, BSEE, MBA, RAC Nosso sincero agradecimento à equipe da 3M Cuidados da Saúde por trabalhar com a revista Managing Infection Control a fim de proporcionar este curso acreditado. A IAHCSMM outorga um (1) ponto de contato pela conclusão deste curso de educação contínua, visando a recertificação IAHCSMM. O CBSPD préaprovou este curso de capacitação equivalente a uma (1) hora de contato, durante o prazo de cinco (5) anos a partir da data de sua publicação, e deverá utilizar-se somente uma vez durante o período de recertificação. Este curso de capacitação da 3M Cuidados da Saúde foi aprovado pelo Conselho de Enfermeiras Registradas da Califórnia, CEP 5770, como equivalente a uma (1) hora de contato. Este formulário é válido por até cinco (5) anos a partir da data da publicação. As instruções para o envio de resultados se encontram na p. 5 Managing Infection Control e 3M Cuidados da Saúde continuarão colaborando para oferecer cursos de educação contínua em edições periódicas da Managing Infection Control. Objetivos Ao concluir esta atividade de auto-aprendizagem, o aluno poderá: 1. Discutir o processo de avaliação de falha nos testes tipo Bowie-Dick. 2. Descrever as causas comuns das falhas nos testes Bowie-Dick. 3. Descrever os passos que devem ser seguidos quando se investiga uma falha num teste Bowie-Dick. 4. Entender as responsabilidades dos envolvidos ao investigar uma falha num teste Bowie-Dick. Perguntas da Prova Verdadeiro ou Falso 1. O operador é responsável pela investigação das falhas nos pacotes de teste tipo Bowie-Dick. 2. O esterilizador sempre deve ser considerado como fora de serviço imediatamente após ter sido detectada falha nos pacotes de teste Bowie-Dick. 3. O teste Bowie-Dick é o teste padrão usado para avaliar os sistemas dos esterilizadores por remoção dinâmica de ar, também conhecido como de prévácuo. 4. O teste Bowie-Dick é uma indicação visual de que o desempenho do sistema de remoção de ar se deteriorou e deve ser corrigido antes que um indicador biológico positivo revele um problema de esterilização. 5. Uma falha é indicada no teste Bowie-Dick quando o resultado da folha de teste tem aparência não uniforme. 6. Somente devem usar-se os pacotes de teste Bowie-Dick disponíveis no mercado. 7. O técnico de manutenção ou serviço sempre pode avaliar de maneira precisa os controles que afetam o resultado do teste Bowie-Dick. 8. O sistema de geração e distribuição de vapor do hospital pode influenciar no resultado de um teste Bowie-Dick. 9. Os esterilizadores com geradores de vapor integrados nunca experimentam falhas nos testes Bowie-Dick. 10. Todos os resultados dos testes Bowie-Dick devem ser registrados e arquivados. MANAGING INFECTION CONTROL

2 Introdução A prática recomendada para esterilizadores a vapor por remoção dinâmica de ar ou de pré-vácuo consiste em verificar a eficácia do sistema de remoção de ar todos os dias, antes de colocar o esterilizador em serviço. Este tipo de esterilizador utiliza vários meios para remover o ar da carga, incluindo vácuo e técnicas de pulsação. O teste padrão utilizado para esta avaliação é o teste Bowie-Dick, que foi desenvolvido para detectar vazamentos de ar e para avaliar a capacidade do sistema de remoção em reduzir a um nível aceitável os resíduos de ar dentro da câmara de esterilização. O teste Bowie-Dick não é um sistema absoluto de medição. É um teste de indicação visual que pode ser usado como fator para a previsão de problemas futuros, pois é possível antecipar-se que qualquer resultado não satisfatório piorará se o uso do esterilizador continuar. O teste Bowie-Dick O teste Bowie-Dick é um Indicador Químico Classe 2 que tem o propósito específico de avaliar a eficácia dos sistemas de remoção dinâmica de ar dos esterilizadores. Ao avaliar os resultados do teste Bowie-Dick, conforme o documento ST46: 2002 da Associação para o Avanço da Instrumentação Médica (AAMI, por sua sigla em inglês): Esterilização a vapor e segurança da esterilização em instituições para o cuidado da saúde, detectamos que ocorrem resultados insatisfatórios quando há uma mudança de cor inesperada, o que indica que houve uma bolha de ar presente durante o ciclo, devido a um mau funcionamento do esterilizador. Qualquer indicação de mau funcionamento deve ser reportada ao supervisor de turno, o qual deverá determinar a disposição do esterilizador; ou seja, se deve ser testado outra vez, ser enviado para o conserto ou permanecer em uso. O teste Bowie-Dick não deve ser considerado um teste de desempenho biológico. Foi desenhado somente para prevenir ao usuário de que o sistema de remoção de ar está deteriorado, e que deve ser corrigido antes que ocorram problemas de esterilização, como indicado no caso de uma falha de um indicador biológico. Por este motivo, pode não ser necessário tirar o esterilizador de serviço com base unicamente num resultado insatisfatório no teste Bowie-Dick. Em vez disso, deverá ser realizada uma investigação completa das causas de tal resultado, em caso de que o esterilizador continue dando resultados satisfatórios com os indicadores biológicos. A responsabilidade imediata do supervisor de turno é certificarse de que os resultados do teste foram interpretados corretamente (veja a Figura 1). Este é um julgamento que se baseia na experiência individual com o esterilizador, o próprio pacote de testes Bowie-Dick, bem como o conhecimento e antecedentes relacionados ao funcionamento desse teste e fatores que influenciam na obtenção de um resultado bem sucedido. Algumas folhas do teste Bowie-Dick são mais fáceis de interpretar que outras, devido à avaliação visual do critério de aprovação / reprovação ser subjetiva e não quantitativa. As cores e padrões apresentados na folha de resultados podem influenciar na decisão de uma pessoa com relação à avaliação de aprovação / reprovação. Para algumas pessoas, diferentes tons de cinza (ou preto) podem não ser fáceis de detectar. As diferenças precisas na tonalidade e a uniformidade dos resultados observados podem não ser evidentes para todos os leitores....se o prestador do serviço determinar que o esterilizador está funcionando de acordo com as especificações e os resultados do teste Bowie-Dick continuam a indicar um problema, devese identificar e corrigir a causa do mau funcionamento antes de concluir que o esterilizador não é motivo de preocupação. Se o supervisor de turno não tem certeza que a interpretação está correta, facilmente poderão ser realizadas comparações com resultados anteriores do mesmo esterilizador em período recente de semanas ou meses. Freqüentemente, vazamentos sutis de ar podem ocorrer gradualmente e o padrão pode se mostrar evidente, quando os conteúdos das folhas de resultados forem revisados ao longo de um determinado período. As mudanças que ocorrem diariamente podem não parecer muito claras. Se o supervisor de turno decidir que os resultados do teste indicam algum problema, o esterilizador deverá ser testado novamente e de imediato, para confirmar a interpretação do resultado. Após repetir o teste Bowie-Dick, se os resultados confirmarem a existência de um problema, o prestador de serviços ou o engenheiro de manutenção deverão ser informados de imediato. Geralmente, o prestador de serviços pode fazer alguns ajustes simples para resolver, caso se trate de um problema com o esterilizador. Após a atividade de manutenção, o supervisor de turno pode realizar por conta própria o teste Bowie-Dick, para confirmar um resultado bem sucedido, antes que o esterilizador seja MANAGING INFECTION CONTROL 2

3 utilizado novamente no mesmo dia. Entretanto, se o prestador de serviços determinar que o esterilizador está funcionando de acordo com a especificação, e os resultados do teste Bowie- Dick continuarem indicando algum problema, deve identificarse e corrigir-se a causa do mau funcionamento antes de concluir que não há motivo de preocupação. Orientações para resolver o problema O que fazer? O esterilizador parece funcionar corretamente, mas não passa pelo teste Bowie-Dick. A quem pedir ajuda?, Onde procurar?, Quais são suas opções? Se você é o responsável por este departamento e seu supervisor de turno lhe apresentar este desafio, aqui você encontrará algumas orientações. FIGURA 1 Resultados de aprovação (acima) e de reprovação (abaixo) do teste Bowie-Dick Preparação do pacote de testes Bowie-Dick Assegure-se que seu departamento tenha feito tudo o que pôde para resolver este problema. Se você prepara seus próprios pacotes de teste Bowie-Dick, verifique que todos estejam organizados de maneira uniforme. Isto pode implicar que seja confirmado que somente uma pessoa capacitada pode preparar cada pacote, com a finalidade de eliminar variações técnicas. Assegure-se de que, sem exceção, seja utilizada a mesma marca de folhas de teste Bowie-Dick em cada ocasião. Revise com cuidado a preparação dos componentes têxteis dos pacotes de teste, para garantir que todos estejam uniforme e repetidamente nas mesmas condições em cada uso. Se forem utilizados pacotes de teste Bowie-Dick disponíveis no mercado, assegure-se de que todos os testes sejam realizados com os pacotes sob as mesmas especificações do fabricante. Não misture ou combine marcas de pacotes de teste! Se chegar a esse ponto, não terá como identificar a origem do problema. Informe isso e solicite ajuda entrando em contato com o fabricante do esterilizador, ou prestador de serviço de manutenção ou serviço, o fabricante do pacote de teste e o departamento de engenharia da instituição. Nesse ponto, todos podem ter um papel na solução do problema. Isto deve ser feito tanto por escrito como de formal oral, para estabelecer uma referência de quando foi detectada a possível falha. Calibração de controle do esterilizador O fabricante do esterilizador pode ser útil para assegurar que a máquina esteja calibrada adequadamente e que cumpra com os critérios de desempenho estabelecidos. Pode ser que tal desempenho precise ser verificado independentemente por um terceiro, a fim de confirmar que as condições reais dentro da câmara do esterilizador foram conseguidas. Com os sistemas de controle modernos, os ciclos costumam repetir-se de forma confiável mediante softwares de controle validados pelo fabricante. Entretanto, a calibração dos sensores de controle acaba sendo crítica para assegurar que os resultados obtidos estejam em conformidade com o processo. O prestador de serviço pode ou não ser capaz de garantir esta calibração. O prestador de serviço de manutenção ou serviço pode ou não ter capacitação específica do fabricante, assim como a instrumentação e ferramentas necessárias para calibrar com precisão o sistema de controle. Se for informado o problema, é possível saber a necessidade de oferecer a experiência e equipamento que não estejam disponíveis para ajudá-lo na resolução desse problema. 3 MANAGING INFECTION CONTROL

4 O fabricante do pacote de testes pode ser útil, fazendo a verificação independente das condições reais dentro da câmara do esterilizador, ou relacionando essas circunstâncias com as de outros usuários que tenham enfrentado situações similares. Assegure-se de lhe proporcionar o número de identificação do lote do pacote em questão. Serviços e qualidade do vapor na instituição É muito importante que o departamento de engenharia da instituição se envolva de imediato para garantir que os serviços ou o fornecimento de insumos do esterilizador sejam, tenham sido e continuem sendo adequados para assegurar o desempenho do equipamento. As variações nos serviços ou insumos (vapor, água, ar, eletricidade, etc.) são comuns na prática. Existem variações segundo a estação. Também podem ocorrer variações nos sistemas de fornecimento devido a mudanças na demanda de carga ao longo do dia de trabalho. Estas variações podem ultrapassar os limites normais sem impactar a todos os usuários. Por exemplo, o pico da demanda no uso de vapor e água costuma ocorrer de forma simultânea nos departamentos que iniciam o dia de trabalho no mesmo período. É muito comum que os sistemas de aquecimento, ventilação e ar condicionado, bem como os departamentos de Lavanderia, Serviços de Alimentação e Serviços de Esterilização Central (SEC ou CEYE) demandem vapor e água ao mesmo tempo. As variações na química do vapor (e/ou da água) podem ser adequadas para outros usuários, enquanto que representam condições totalmente fora das especificações para o uso do esterilizador. Como conseqüência, temos que estar conscientes de que qualquer mudança na química do vapor e/ou da água pode ser problemática. As mudanças drásticas na química da água, com respeito à exigência dos esterilizadores a vapor, podem ocorrer como resultado de flutuações no fornecimento de água em momentos de alta demanda de vapor dentro do sistema de distribuição geral. A revisão periódica dos sistemas de distribuição de vapor nas instalações pode revelar problemas potenciais gerados quando são feitas mudanças no sistema de tubulações sem uma consideração criteriosa do impacto que essas mudanças terão em usuários de pouco volume, como SEC ou CEYE. Os sistemas de tubulações para distribuição de vapor têm requisitos de instalação que diferem significativamente dos sistemas de tubulações para distribuição de água quente; entretanto, em muitos casos, um mesmo empreiteiro pode instalar ambos. Se o empreiteiro mecânico carece da experiência necessária para instalar e consertar tubulações de vapor, podem ocorrer grandes problemas. No caso das instalações que possuem um gerador de vapor auto-contido (geralmente o gerador de vapor está integrado ao corpo do esterilizador) é possível que um prestador de serviço de manutenção ou de serviços verifique o desempenho do gerador de vapor. Em qualquer caso, quando existam problemas com pacotes de teste Bowie Dick, deverá ser realizado um teste extenso. Tal teste deve incluir: determinação da qualidade de vapor (secura), medição de vapor superaquecido, e determinação precisa de gases não condensáveis (ar) no vapor proporcionado ao esterilizador. Além disso, deverá ser realizada uma investigação do sistema de fornecimento de água à caldeira de vapor, incluindo medições completas da química da água e um registro adequado de todos e cada um dos processos de acondicionamento ou tratamento da água. Uma investigação detalhada do tratamento da água pode resultar conveniente, em particular se o prestador de serviço da água (ou seja, o município, a autoridade responsável pelas águas) tem múltiplas fontes. Pode ser necessário buscar um especialista independente em esterilização a vapor e química da água para que faça tais determinações. Resumo Em última instância, será sua responsabilidade usar a totalidade ou parte da informação recompilada das fontes antes mencionadas para tomar a decisão mais adequada na resolução do problema. O mais provável é que este não seja conseqüência de uma única causa. É provável que uma combinação de diversos fatores tenha contribuído para gerálo. Alguns problemas podem ser resolvidos de imediato, com um custo baixo. Outros fatores podem requerer um importante consumo de tempo, esforço e dinheiro para resolvê-los. Documente os resultados do teste Bowie-Dick, os problemas investigados e os resultados, à medida que surjam no tempo. Estabeleça prioridades para as soluções sobre a base que melhor se adapte às suas circunstâncias (custo, tempo, planejamento futuro, etc.). Lembre-se de que existem diferentes opções considerando-se a natureza preditiva do teste Bowie- Dick. Lembre-se também que o teste Bowie-Dick foi projetado para que você inicie as ações antes que uma falha catastrófica ocorra. Não demore. Corrija o problema imediatamente, antes que precise acudir uma falha de esterilização! MANAGING INFECTION CONTROL 4

5 Referências 1. Associação para o Avanço da Instrumentação Médica. Esterilização a vapor e asseguração da esterilidade em Instituições de cuidados da saúde (ANSI/AAMI ST46, 2002). Educação e Capacitação 2. Associação para o Avanço da Instrumentação Médica. Indicadores Químicos - Orientação para a seleção, uso e interpretação de resultados (ANSI/AAMI ST60, 1996). Informação sobre Unidades de Educação Contínua (UEC) de Processos Estéreis e Distribuição Nome do solicitante UEC: Endereço: Cidade: Estado: País: CEP. A CBSPD (Junta de Certificação para Processamento Estéril e Distribuição) pré-aprovou este curso de capacitação de uma (1) hora de contato, por um período de cinco (5) anos, a partir da data de sua publicação e para ser usado uma única vez durante o período de recertificação. A bem sucedida conclusão desta lição e a prova posterior devem ser documentadas pela administração da instituição e tais registros deverão ser guardados pelos indivíduos até que seja requerida a recertificação. Não envie a lição nem a prova à CBSPD. Para informações adicionais com relação a esta certificação, entre em contato com a CBSPD em: 2 Industrial Park Road, Suite 3, Alpha, NJ 08865, ou ligue para nos Estados Unidos, ou visite A IAHCSMM outorgou um (1) ponto de contato pela conclusão desta lição de educação contínua para recertificação IAHCSMM. Formulário de Solicitação de EC de Enfermagem Este curso de capacitação da 3M Cuidados da Saúde está aprovado pelo Conselho de Enfermeiras Registradas da Califórnia, CEP 5770, como uma hora de contato. Este formulário é válido por até cinco anos depois da data de publicação. 1. Tire uma fotocópia deste formulário. 2. Escreva seu nome, endereço e telefone durante o dia, bem como posto/cargo. 3. Inclua seu número da Carteira de Trabalho (MTPS) ou seu número de licença de enfermagem. 4. Coloque a data na solicitação e assine. 5. Responda as perguntas de EC. 6. Envie este formulário e a folha de respostas para: Workhorse Publishing Managing Infection Control PO Box 25310, Scottsdale, AZ Os participantes que obtenham pelo menos uma pontuação de 70% receberão um certificado de conclusão dentro dos 30 dias seguintes à data na qual a Managing Infection Control receba a solicitação. Solicitação Preencha a máquina ou a mão: Nome: Endereço: Cidade: Estado: País: CEP.: Telefone durante o dia: Posto / cargo: Número de seguro social ou licença de enfermagem: Data de envio da solicitação: Assinatura: O oferecimento vence em janeiro de MANAGING INFECTION CONTROL

6 Glossário AAMI ANSI AORN ASHCSP BD CBSPD CEP RESPOSTAS 1. F 6. F 2. F 7. F 3. V 8. V 4. V 9. F 5. V 10. V Associação para o Avanço da Instrumentação Médica Instituto Nacional Norte-Americano de Padrões Associação de Enfermeiras Perioperatórias Registradas Sociedade Norte-Americana para Profissionais do Cuidado da Saúde de Serviço Central Indicadores Bowie-Dick Junta de Certificação para Processamento Estéril e Distribuição Prestador de Educação Contínua Charles O. Hancock, fundador e presidente da Charles O. Hancock Associates Inc., é assessor da indústria, de hospitais e de governos no campo da Ciência de Esterilização. É reconhecido como um expert internacional numa ampla variedade de temas de esterilização, que afetam ao setor de dispositivos médicos, e envolve-se com problemas relacionados com a esterilização desde que se juntou à companhia Old Castle em O Sr. Hancock é membro da AAMI, onde atualmente coopera com diversos subcomitês de esterilização para os Padrões de esterilização térmica e química, e é co-diretor do Grupo de trabalho de esterilização a vapor em hospitais. Também é vicepresidente do Comitê Técnico de Esterilização da Associação Canadense de Padrões (CSA, por sua sigla em inglês) e em 1994 recebeu o Prêmio ao Mérito da CSA por sua liderança no desenvolvimento de padrões binacionais e internacionais. Dirige o grupo de trabalho da CSA sobre esterilização a vapor. Também, o Sr. Hancock possui certificação da junta em assuntos regulamentares relacionados com a Administração de Alimentos e Bebidas dos Estados Unidos (FDA); é autor de diversos artigos profissionais, capítulos e textos, e tem sido orador em numerosas reuniões e seminários profissionais, tanto em nível nacional como internacional, em temas relacionados com a esterilização. Pode entrar em contato com o Sr. Hancock através do endereço CSA DDP Comitê Técnico de Esterilização da Associação de Padrões Canadense Dispositivo de Desafio ao Processo IAHCSMM Associação Internacional de Administração de Materiais para Serviço Central de Cuidados da Saúde IB IQ JCAHO SEC ou CEYE Indicadores biológicos Indicadores químicos Comissão Conjunta para a Acreditação de Organizações de Cuidados da Saúde Serviço de Esterilização Central MANAGING INFECTION CONTROL 6

Product recall Martha Young, BS, MS, CSPDT

Product recall Martha Young, BS, MS, CSPDT Product Recall 1-7 Product recall Martha Young, BS, MS, CSPDT Objetivos Ao final desta atividade autoeducativa, o aluno será capaz de: 1. Fazer o recall de dispositivos médicos processados em instalações

Leia mais

1. Descrever as variáveis críticas da qualidade do vapor para uma esterilização bemsucedida.

1. Descrever as variáveis críticas da qualidade do vapor para uma esterilização bemsucedida. S E L F - S T U D Y S E R I E S HEALTHCARE PURCHASING NEWS Dezembro de 2010 Patrocinado por Este estudo autodirigido com um tópico relacionado ao serviço central foi desenvolvido pela 3M Health Care. As

Leia mais

Controle do processo de esterilização: Monitoramento físico, químico e biológico.

Controle do processo de esterilização: Monitoramento físico, químico e biológico. 2º WORKSHOP DE PROCESSAMENTO DE ARTIGOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE CONTAGEM-MG Controle do processo de esterilização: Monitoramento físico, químico e biológico. TERESINHA NEIDE DE OLIVEIRA A Verdadeira obra

Leia mais

HEALTHCARE PURCHASING NEWS Fevereiro de 2011

HEALTHCARE PURCHASING NEWS Fevereiro de 2011 HEALTHCARE PURCHASING NEWS Fevereiro de 2011 Este estudo auto-dirigido sobre um tópico relacionado ao serviço central foi desenvolvido pelo 3M Health Care. As lições são preparadas pela KSR Publishing,

Leia mais

Análise do desempenho

Análise do desempenho Validação de Equipamentos em CME Análise do desempenho Conforme a RDC 15 Validação de Equipamentos em CME APRESENTAÇÃO Luciano Manoel - Especialista em processos de Qualificação de Equipamentos, com experiência

Leia mais

CRISTÓFOLI S I S T E M A D E R E G I S T R O P A R A A U T O C L A V E S A V A P O R

CRISTÓFOLI S I S T E M A D E R E G I S T R O P A R A A U T O C L A V E S A V A P O R CRISTÓFOLI SISTEMA DE REGISTRO PARA AUTOCLAVES A VAPOR Este Sistema de Registro para autoclaves a vapor foi elaborado para trabalhar em conjunto com os Emuladores- Integradores de Controle TST Browne (código

Leia mais

Monitores físicos. Tempo, temperatura e registros de pressão, displays, painéis digitais e calibradores Indicadores Químicos (IQs)

Monitores físicos. Tempo, temperatura e registros de pressão, displays, painéis digitais e calibradores Indicadores Químicos (IQs) Tabela 8 Monitores físicos AAMI ST 79 -Tipos e aplicações para uso de dispositivos de monitoramento de esterilização Monitor Freqüência de uso Aplicação (liberação de equipamentos de esterilização, pacotes

Leia mais

Contêineres rígidos para esterilização

Contêineres rígidos para esterilização Por Silvia Baffi 1. Introdução Contêineres rígidos para esterilização Contêineres são recipientes rígidos e reutilizáveis para a esterilização. São compostos por diferentes dispositivos que podem ser denominados

Leia mais

EC FX NH3. Uma abordagem nova e aprimorada para a detecção de gás de amônia

EC FX NH3. Uma abordagem nova e aprimorada para a detecção de gás de amônia EC FX NH3 Uma abordagem nova e aprimorada para a detecção de gás de amônia Sensor e transmissor EC-FX-NH3 apresentação de um sensor melhor, mais forte, mais duradouro para refrigeração industrial Tecnologia

Leia mais

22/08/2007 DEFINIÇÃO PORQUE VALIDAR? Gerson R. Luqueta. Gerson R. Luqueta

22/08/2007 DEFINIÇÃO PORQUE VALIDAR? Gerson R. Luqueta. Gerson R. Luqueta VALIDAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CONFORME NORMATIZAÇÃO (ênfase em processos de esterilização) VALIDAÇÃO DO PROCESSO DEFINIÇÃO Procedimento documentado para obtenção, registro e interpretação de resultados desejados

Leia mais

AUTOCLAVES A VAPOR. Imagens meramente ilustrativas CRISTÓFOLI, A MARCA DA PROTEÇÃO.

AUTOCLAVES A VAPOR. Imagens meramente ilustrativas CRISTÓFOLI, A MARCA DA PROTEÇÃO. P A R A AUTOCLAVES A VAPOR Imagens meramente ilustrativas CRISTÓFOLI, A MARCA DA PROTEÇÃO. W W W. C R I S T O F O L I. C O M #dicascristofoli BEBA MAIS LÍQUIDOS PEQUENAS AÇÕES PARA UMA VIDA MELHOR A Cristófoli,

Leia mais

A SEGURANÇA DA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE CIRÚRGICO: FLUXO DE OPME NORMAS E CONDUTAS

A SEGURANÇA DA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE CIRÚRGICO: FLUXO DE OPME NORMAS E CONDUTAS 10º Congresso Brasileiro de Enfermagem en Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e ESterilização- 2011 A SEGURANÇA DA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE CIRÚRGICO: FLUXO DE OPME NORMAS E CONDUTAS

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO

SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO OHSAS 18001 SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO IMPORTANTE: A BSI-OHSAS 18001 não é uma Norma Britânica. A BSI-OHSAS 18001 será cancelada quando da inclusão do seu conteúdo

Leia mais

INDICADOR BIOLÓGICO. Para o código 1262 adotaremos, neste documento, a nomenclatura de Convencional

INDICADOR BIOLÓGICO. Para o código 1262 adotaremos, neste documento, a nomenclatura de Convencional INDICADOR BIOLÓGICO Para o código 1262 adotaremos, neste documento, a nomenclatura de Convencional Para os códigos 1292 e 1291 adotaremos, neste documento, a nomenclatura RRBI (Indicador Biológico de Leitura

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná.

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná. ELABORADO POR: Carlos Eduardo Matias Enns MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVADO POR: Edson Luis Schoen 28/1/5 1 de 11 1. FINALIDADE A Saint Blanc Metalmecânica Ltda visa estabelecer as diretrizes básicas

Leia mais

Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento

Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br N786-1 ISO CD 9001 Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento N786-1 ISO CD 9001 para treinamento - Rev0 SUMÁRIO Página Introdução 4 0.1 Generalidades 4 0.2 Abordagem

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS BIOMÉDICOS. Mecânica da Autoclave

CURSO TÉCNICO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS BIOMÉDICOS. Mecânica da Autoclave CURSO TÉCNICO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS BIOMÉDICOS Mecânica da Autoclave INTRODUÇÃO Grande demanda de pacientes Avanço da medicina, equipamentos sofisticados e complexos Necessidade da manutenção Capacitação

Leia mais

Indicadores de Limpeza O que há de novo? Andréa Alfaya Acuña andrea.acuna@hsl.org.br

Indicadores de Limpeza O que há de novo? Andréa Alfaya Acuña andrea.acuna@hsl.org.br Indicadores de Limpeza O que há de novo? Andréa Alfaya Acuña andrea.acuna@hsl.org.br Indicadores São valores ou variáveis associadas a uma atividade que nos indicam alguma relação, são medidas quantitativas

Leia mais

MODELO DE INSTRUÇÕES DE USO INSTRUMENTAL NÃO ARTICULADO NÃO CORTANTE NÃO ESTÉRIL DESCARTÁVEL

MODELO DE INSTRUÇÕES DE USO INSTRUMENTAL NÃO ARTICULADO NÃO CORTANTE NÃO ESTÉRIL DESCARTÁVEL MODELO DE INSTRUÇÕES DE USO INSTRUMENTAL NÃO ARTICULADO NÃO CORTANTE NÃO ESTÉRIL DESCARTÁVEL (As informações aqui apresentadas são de caráter declaratório, podendo o texto final, ter formatação diferente)

Leia mais

Tecnologia Preditiva no Transformador de Potência da Johnson&Johnson

Tecnologia Preditiva no Transformador de Potência da Johnson&Johnson Tecnologia Preditiva no Transformador de Potência da Johnson&Johnson Luiz B. S. Chacon (1) 1 Murilo Armelin Toledo (2) 2 Lucas Pavan Fritoli (3) 3 Hirokazu T. B. Ito (4) 4 RESUMO A energia elétrica é um

Leia mais

Manual da Qualidade para Fornecedores

Manual da Qualidade para Fornecedores Manual da Qualidade para Fornecedores Elaborado por: Indústrias Romi S.A. Departamento de Suprimentos Santa Bárbara d'oeste - SP 09 de Fevereiro de 2009 Edição C N.O.: 26-02 1 0019.C 2 SUMÁRIO GLOSSÁRIO...

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

Relatório de Qualificação Térmica

Relatório de Qualificação Térmica Página 1 Relatório de Qualificação Térmica Cliente: Hospital e Maternidade Nossa Senhora das Graças Equipamento: Autoclave a Vapor Identificação/TAG: 13.00165 Local de Instalação: C.M.E. Faixa de Trabalho:

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

Instrumentação da Rosemount para a indústria petroquímica

Instrumentação da Rosemount para a indústria petroquímica Instrumentação da Rosemount para a indústria petroquímica Instrumentação confiável para atividades petroquímicas Desafios da indústria petroquímica Hoje em dia, as companhias petroquímicas enfrentam desafios

Leia mais

CENTRAL DE MATERIAL ESTERILIZADO

CENTRAL DE MATERIAL ESTERILIZADO CENTRAL DE MATERIAL ESTERILIZADO Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Sala de Preparo e Esterilização Equipe: Carla, Marcela e Maria Cristina 6º Período de Enfermagem UNIS Sala de preparo A

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

MANIPULAÇÃO DOS INSTRUMENTOS PERSONALIZADOS PROPHECY DESCARTÁVEIS DA MICROPORT 150807-0

MANIPULAÇÃO DOS INSTRUMENTOS PERSONALIZADOS PROPHECY DESCARTÁVEIS DA MICROPORT 150807-0 PT MANIPULAÇÃO DOS INSTRUMENTOS PERSONALIZADOS PROPHECY DESCARTÁVEIS DA MICROPORT 150807-0 Estão incluídos na presente embalagem os idiomas seguintes: English (en) Deutsch (de) Nederlands (nl) Français

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado A, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

ANEXO IV PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE MOTOCICLOS E ASSELMELHADOS DO CICLO OTTO NO PROGRAMA I/M-SP

ANEXO IV PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE MOTOCICLOS E ASSELMELHADOS DO CICLO OTTO NO PROGRAMA I/M-SP ANEXO IV PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE MOTOCICLOS E ASSELMELHADOS DO CICLO OTTO NO PROGRAMA I/M-SP 1. Previamente à inspeção, o veículo depois de recepcionado no Centro de Inspeção, deve ser direcionado

Leia mais

CIGNA INTERNATIONAL EXPATRIATE BENEFIT S. MBA : Benefícios Médicos no Exterior. Documentos de viagem importantes

CIGNA INTERNATIONAL EXPATRIATE BENEFIT S. MBA : Benefícios Médicos no Exterior. Documentos de viagem importantes CIGNA INTERNATIONAL EXPATRIATE BENEFIT S MBA : Benefícios Médicos no Exterior Documentos de viagem importantes Cartão de contato Ligação gratuita (nos EUA): +1.800.243.1348 Ligação por fax gratuita (nos

Leia mais

ISO 9000 ISO 9001:2008

ISO 9000 ISO 9001:2008 ISO 9001:2008 QUALIDADE II ISO 9000 A ISO 9000 - Qualidade é o nome genérico utilizado pela série de normas da família 9000 (ISO) que estabelece as diretrizes para implantação de Sistemas de Gestão da

Leia mais

Refrigerating Specialties

Refrigerating Specialties Refrigerating Specialties Cuidando de suas necessidades em Refrigeração A Parker (R/S) é a principal fornecedora de componentes de refrigeração para as indústrias alimentícias e de bebidas. Líder mundial

Leia mais

III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES

III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES Eng. ZULMAR TEIXEIRA Rio, 19/10/2010 PRINCÍPIOS DA GESTÃO MODERNA III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES SUCESSO DO EMPREENDIMENTO ABORDAGEM DE PROCESSO SÉCULO XXI O SÉCULO DO DESAFIO O

Leia mais

A HISTÓRIA DO BOWIE E DICK - OSTEO SOLUTION

A HISTÓRIA DO BOWIE E DICK - OSTEO SOLUTION Pag. 1/11 Introdução: A Steri-Tec desenvolveu para o mercado mundial mais um avanço que revolucionou o teste Bowie & Dick, trata-se do Green Card, um teste muito eficiente, que une três fatores muito importantes

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos INTERPRETAÇÃO ISO 9001:2008 GESTÃO DE QUALIDADE O que é ISO? ISO = palavra grega que significa Igualdade CAPÍTULO: Preâmbulo ISO 9001:2008 0.1 - Generalidades: foi esclarecido que a conformidade com requisitos

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE VI: Como desenvolver Sistemas de Informação e Gerenciar Projetos. Novos sistemas de informação são construídos como soluções para os problemas

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO (A) Dia Mês Ano Residência Celular DOCUMENTAÇÃO CARTEIRA DE IDENTIDADE /NÚMERO/ÓRGÃO EXPEDIDOR FORMAÇÃO UNIVERSITÁRIA

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO (A) Dia Mês Ano Residência Celular DOCUMENTAÇÃO CARTEIRA DE IDENTIDADE /NÚMERO/ÓRGÃO EXPEDIDOR FORMAÇÃO UNIVERSITÁRIA CARIMBO E ASSINATURA DO RESPONÁVEL PELA MATRÍCULA GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ FICHA DE INSCRIÇÃO Nº: CHAMADA PÚBLICA DE SELEÇÃO Nº 06/2014 - CURSO DE DOUTORADO EM GEOGRAFIA/2015 IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO

Leia mais

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente Rua Reverendo Martin Luther King, 161 Santo André - SP C.N.P.J: 05.667.311/0001-22 Tel: (011) 3461-8013 WWW.GRUPOSTARSEG.COM.BR

Leia mais

FR 19 CHECK-LIST PARA AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS TÉCNICOS DA NBR ISO/IEC 17025. Laboratório(s) avaliado(s): Nº

FR 19 CHECK-LIST PARA AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS TÉCNICOS DA NBR ISO/IEC 17025. Laboratório(s) avaliado(s): Nº FR 19 CHECK-LIST PARA AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS TÉCNICOS DA NBR ISO/IEC 17025 FORMULÁRIO REVISÃO: 04 NOV/2008 Laboratório(s) avaliado(s): Nº Período de Avaliação: Data inicial da avaliação: / / Data término

Leia mais

Incubadora MANUAL DE OPERAÇÕES

Incubadora MANUAL DE OPERAÇÕES Incubadora MANUAL DE OPERAÇÕES Introdução A incubadora Valisafe é designada para uso a 37 C (gás) ou 57 C (vapor) com a finalidade de incubação de indicadores biológicos. Os indicadores biológicos para

Leia mais

Portaria n.º 255, de 29 de maio de 2014.

Portaria n.º 255, de 29 de maio de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 255, de 29 de maio de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

Adequação das Normas do Programa IC da UNITAU

Adequação das Normas do Programa IC da UNITAU Adequação das Normas do Programa IC da UNITAU Alteração da Deliberação Consuni N o 080/2010 Artigo 4 o Os projetos de Iniciação Científica poderão ser aprovados por um período de até 24 (vinte e quatro)

Leia mais

SOLUÇÕES DE CURADO PARA CONCRETO

SOLUÇÕES DE CURADO PARA CONCRETO SOLUÇÕES DE CURADO PARA CONCRETO PANORAMA DOS SISTEMAS Resultados Imediatos à vista Qualidade e melhor apresentação no seu Produto final Redução de Florescentes na superfície dos Concreto Resistências

Leia mais

CUIDADOS E PRECAUÇÕES Não usar o aparelho em presença de mistura inflamável com ar, oxigênio ou oxido nitroso.

CUIDADOS E PRECAUÇÕES Não usar o aparelho em presença de mistura inflamável com ar, oxigênio ou oxido nitroso. FOTÔMETRO UV400-3B CUIDADOS E PRECAUÇÕES Não usar o aparelho em presença de mistura inflamável com ar, oxigênio ou oxido nitroso. Manter o UV-400 em lugar frio, sem umidade e livre de poeira. Verificar

Leia mais

GETINGE ONLINE OBTENHA ACESSO A INFORMAÇÕES EM QUALQUER LUGAR

GETINGE ONLINE OBTENHA ACESSO A INFORMAÇÕES EM QUALQUER LUGAR GETINGE ONLINE OBTENHA ACESSO A INFORMAÇÕES EM QUALQUER LUGAR 2 Getinge Online TRABALHE DE FORMA MAIS INTELIGENTE E OBTENHA UM TEMPO DE FUNCIONAMENTO MAIOR Tradicionalmente, o status do processo de esterilização

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE Rev. Data. Modificações 01 14/09/2007 Manual Inicial 02 12/06/2009 Revisão Geral do Sistema de Gestão da Qualidade 03 22/10/2009 Inclusão de documento de referência no item 8. Satisfação de cliente, Alteração

Leia mais

Detector de Vazamento CPS- LS790B

Detector de Vazamento CPS- LS790B Detector de Vazamento CPS- LS790B I. Descrição Geral O LS790B é um detector de vazamento de refrigerante totalmente automático e controlado por microprocessador, capaz de localizar vazamentos extremamente

Leia mais

Infinity CentralStation

Infinity CentralStation Na Dräger, nós nos comprometemos a ajudá-lo a melhorar o cuidado do paciente, concedendo-lhe fácil acesso às informações de que você precisa para tomar decisões quando e onde precisar. É por isso que,

Leia mais

O ESTUDO DE PERIGO E OPERABILIDADE (HAZOP)

O ESTUDO DE PERIGO E OPERABILIDADE (HAZOP) O ESTUDO DE PERIGO E OPERABILIDADE (HAZOP) P.E.Pascon Auditorias ou inspeções podem identificar perigos numa planta existente, mas outros métodos são necessários durante um projeto. As vezes, utilizam-se

Leia mais

Samy Menasce. Associação Brasileira de Esterilização - ABE. Esterilização de material cirúrgico pelo Gás Ozônio ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTERILIZAÇÃO

Samy Menasce. Associação Brasileira de Esterilização - ABE. Esterilização de material cirúrgico pelo Gás Ozônio ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTERILIZAÇÃO RUA DO ROSÁRIO, 135 4º ANDAR / CENTRO RIO DE JANEIRO / RJ CEP.: 20041-005 (21) 2224-2237 (31) 2224-3237 www.abebrasil.org.br Associação Brasileira de Esterilização - ABE Esterilização de material cirúrgico

Leia mais

14 ANEXO 02 - NORMA ISO 9001:2000 - INTERPRETAÇÃO LIVRE

14 ANEXO 02 - NORMA ISO 9001:2000 - INTERPRETAÇÃO LIVRE 14 ANEXO 02 - NORMA ISO 9001:2000 - INTERPRETAÇÃO LIVRE Sumário Prefácio 0 Introdução 1 Objetivo 2 Referência normativa 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão da qualidade 5 Responsabilidade da direção

Leia mais

Supervisores do Centro Cirúrgico, Gerência de Materiais, Evento 5928 URGENTE: RECOLHIMENTO DE DISPOSITIVO, EVENTO 5928 05 de Novembro de 2012

Supervisores do Centro Cirúrgico, Gerência de Materiais, Evento 5928 URGENTE: RECOLHIMENTO DE DISPOSITIVO, EVENTO 5928 05 de Novembro de 2012 URGENTE: RECOLHIMENTO DE DISPOSITIVO, EVENTO 5928 05 de Novembro de 2012 PRODUTO EES PSX Proximate Skin Staple Extractor (Extrator de Grampos) Para: Supervisores do Centro Cirúrgico e Gerência de Materiais

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ PORTARIA SEMA/IAP Nº 001, DE 09 DE JANEIRO DE 2008 (D.O.E.PR. Nº 0000 DE 00/01/2008) Aprova e determina o cumprimento da Instrução Normativa IAP/DEPAM nº 001/2008, referentes às diretrizes para apresentação

Leia mais

Norma Regulamentadora Nº 13

Norma Regulamentadora Nº 13 Sede Nacional Sede Nacional - SP 1 Norma Regulamentadora Nº 13 Impactos da Nova Redação 1 Mixing Consultoria em Processos Industriais ANTÓNIO CARLOS BASSO DA CUNHA LEAL Consultor Técnico da ABIMAQ na CNTT

Leia mais

Índice. 3 Resultados da pesquisa. 17 Conclusão. 19 Questionário utilizado na pesquisa

Índice. 3 Resultados da pesquisa. 17 Conclusão. 19 Questionário utilizado na pesquisa Índice 3 Resultados da pesquisa 17 Conclusão 19 Questionário utilizado na pesquisa Esta pesquisa é uma das ações previstas no Plano de Sustentabilidade para a Competitividade da Indústria Catarinense,

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01 Sumário 1 Objetivo 2 Últimas Alterações 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão de qualidade 5 Responsabilidade da direção 6 Gestão de recursos 7 Realização do produto 8 Medição, análise e melhoria.

Leia mais

GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fonte: http://www.testexpert.com.br/?q=node/669 1 GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE Segundo a NBR ISO 9000:2005, qualidade é o grau no qual um conjunto de características

Leia mais

ATIVIDADES DE ENFERMAGEM NO CENTRO DE MATERIAL E ESTERILIZAÇÃO: SUBSÍDIOS PARA O DIMENSIONAMENTO DE PESSOAL

ATIVIDADES DE ENFERMAGEM NO CENTRO DE MATERIAL E ESTERILIZAÇÃO: SUBSÍDIOS PARA O DIMENSIONAMENTO DE PESSOAL ATIVIDADES DE ENFERMAGEM NO CENTRO DE MATERIAL E ESTERILIZAÇÃO: SUBSÍDIOS PARA O DIMENSIONAMENTO DE PESSOAL Janaína Anchieta Costa Enfermeira Mestre em Enfermagem na área de Administração em Serviços de

Leia mais

Diário Oficial da União DOU 10 de abril de 2001

Diário Oficial da União DOU 10 de abril de 2001 Diário Oficial da União DOU 10 de abril de 2001 RESOLUÇÃO - RDC Nº 56, DE 6 DE ABRIL DE 2001 Estabelece os requisitos essenciais de segurança e eficácia aplicáveis aos produtos para saúde, referidos no

Leia mais

Manual do Paciente sobre Terapias com Células-Tronco

Manual do Paciente sobre Terapias com Células-Tronco Sociedade Internacional para a Pesquisa com Células-Tronco Manual do Paciente sobre Terapias com Células-Tronco Apêndice I das Diretrizes para a Aplicação Clínica das Células-Tronco Tradução para o Português

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE Experiências educativas no gerenciamento de resíduos gerados no Hospital de Clínicas de Porto Alegre Tainá Flôres da Rosa contato: tfrosa@hcpa.ufrgs.br telefone:(51)81414438

Leia mais

Limpeza e Esterilização: normatizações aplicáveis à RDC 15 André Cabral

Limpeza e Esterilização: normatizações aplicáveis à RDC 15 André Cabral André Cabral Divisão de Prevenção de Infecção 3M do Brasil Prezados Colegas, O processamento de produtos para saúde é uma atividade que requer conhecimento e embasamento científico necessitando atualização

Leia mais

G-8000 - Instalação e Preparação

G-8000 - Instalação e Preparação G-8000 - Instalação e Preparação www.intecrom.com.br www.intecrom.com.br 1 Índice Título Página Instalação do Geração 8000 3 Configuração do Equipamento 4 Especificação do Geração 8000 5 Ambiente 6 Instalações

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

Procedimentos de montagem e instalação

Procedimentos de montagem e instalação Procedimentos de montagem e instalação das cápsulas filtrantes Pall Supracap 100 1. Introdução Os procedimentos abaixo devem ser seguidos para a instalação das cápsulas Pall Supracap 100. As instruções

Leia mais

Gerenciamento de Qualidade

Gerenciamento de Qualidade UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Gerenciamento de Qualidade Engenharia de Software 2o. Semestre de

Leia mais

SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE

SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE ELABORADO APROVADO FOLHA: 1/24 NOME Vivan Gonçalves Coordenador do SESMT Teresinha de Lara Coordenador do SGI DATA: 02/01/2007 VERSÃO: 01 ÍNDICE 1. Objetivo 4 1.1. Escopo do SGSSO TELEDATA 5 2. Referências

Leia mais

NORMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL FIRMENICH

NORMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL FIRMENICH NORMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL FIRMENICH Norma de Responsabilidade Social Firmenich Atualizado em Março de 2013 Página 1 de 10 INTRODUÇÃO Como parte do nosso compromisso contínuo com um negócio ético

Leia mais

Código Internacional de Ética CÓDIGO INTERNACIONAL DE ÉTICA ORIENTA CONDUTA DE MÉDICOS DO TRABALHO

Código Internacional de Ética CÓDIGO INTERNACIONAL DE ÉTICA ORIENTA CONDUTA DE MÉDICOS DO TRABALHO Código Internacional de Ética CÓDIGO INTERNACIONAL DE ÉTICA ORIENTA CONDUTA DE MÉDICOS DO TRABALHO Após discussões que duraram mais de cinco anos, foi aprovado no âmbito da Comissão Internacional de Saúde

Leia mais

REGULAMENTO DA CENTRAL ANALÍTICA MULTIUSUÁRIO

REGULAMENTO DA CENTRAL ANALÍTICA MULTIUSUÁRIO CAPITULO I DA FINALIDADE E DA APLICAÇÃO Art. 1º A Central Analítica Multiusuária (CAM/PEQ-UNIOESTE) é um conjunto de laboratórios que contam com equipamentos modernos, em sua maioria de última geração,

Leia mais

Controle Central IQ v2.0 da Rain Bird

Controle Central IQ v2.0 da Rain Bird Controle Central IQ v2.0 da Rain Bird Exatamente o que você deseja. Somente o que você precisa. O Controle Central IQ v2.0 da Rain Bird se adapta às diversas necessidades de irrigação. No gerenciamento

Leia mais

CONCEITOS E ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA IDENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE DA QUALIFICAÇÃO

CONCEITOS E ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA IDENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE DA QUALIFICAÇÃO Instituto de Qualidade e Metrologia Ltda Rio de Janeiro - RJ QUALIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS AUTOCLAVES E ESTUFAS CONCEITOS E ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA IDENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE DA QUALIFICAÇÃO Instituto

Leia mais

Purgador de Bóia FTA - 550 Manual de Instalação e Manutenção

Purgador de Bóia FTA - 550 Manual de Instalação e Manutenção Purgador de Bóia FTA - 550 Manual de Instalação e Manutenção ÍNDICE Termo de Garantia 1.Descrição 2.Instalação 3.Manutenção 4.Peças de reposição 5.Informações Técnicas 1 TERMO DE GARANTIA A Spirax Sarco

Leia mais

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 3. 5 Responsabilidades: 3.

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 3. 5 Responsabilidades: 3. OGX Procedimento de Gestão PG.SMS.004 Denominação: Gestão de Mudanças SUMÁRIO Este procedimento estabelece as condições que permitam identificar, avaliar e controlar os riscos inerentes as mudanças, desde

Leia mais

Profª. Drª. Maria Ivonete Barbosa Tamboril Vice-Presidente

Profª. Drª. Maria Ivonete Barbosa Tamboril Vice-Presidente Resolução nº 065/CONSAD, de 18 de julho de 2.008 Substitui a Resolução 053/CONSAD, que trata da regulamentação do Estágio Probatório do servidor da Unir. A Vice Presidente do Conselho de Administração

Leia mais

Atlas Copco. Secadores de ar comprimido por refrigeração. FX1-16 60 Hz

Atlas Copco. Secadores de ar comprimido por refrigeração. FX1-16 60 Hz Atlas Copco Secadores de ar comprimido por refrigeração FX1-16 60 Hz Capacidade total, responsabilidade total A Atlas Copco fornece ar comprimido de qualidade para garantir uma excelente produtividade.

Leia mais

ISO 9001:2008 Resumo das alterações

ISO 9001:2008 Resumo das alterações ISO 9001:2008 Resumo das alterações A revisão 2008 da ISO 9001 foi oficialmente lançada a 13 de Novembro de 2008. Este é um guia de orientação que realça o que foi adicionado, eliminado e clarificações.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos PMI, PMP e PMBOK PMI (Project Management Institute) Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o PMI é a principal associação mundial, sem fins lucrativos,

Leia mais

ISO 9000. Padronização de todos os processos que afectam o produto e consequentemente o cliente;

ISO 9000. Padronização de todos os processos que afectam o produto e consequentemente o cliente; ISO 9000 A série ISO 9000 é uma concentração de normas que formam um modelo de gestão da Qualidade para organizações que podem, se desejarem, certificar seus sistemas de gestão através de organismos de

Leia mais

ISO 17025 Versão 2005

ISO 17025 Versão 2005 1º Fórum Regional de Química - ES ISO 17025 Versão 2005 Rev. 14 Samuel Vieira JUN/2010 1 Terminologia e Siglas ABNT NBR ISO 9000:2000 Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e Vocabulário ABNT NBR

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO GELADEIRA DE 2 PORTAS NV-5284

MANUAL DO USUÁRIO GELADEIRA DE 2 PORTAS NV-5284 MANUAL DO USUÁRIO GELADEIRA DE 2 PORTAS NV-5284 PREZADO CLIENTE A fim de obter o melhor desempenho de seu produto, por favor, leia este manual do usuário cuidadosamente antes de começar a usá-lo, e mantê-lo

Leia mais

Rev. 16/06/2015 Página 1 de 5

Rev. 16/06/2015 Página 1 de 5 Rev. 16/06/2015 Página 1 de 5 Este anexo aplica-se às certificações cujas quais não apresentam critérios específicos para definição de laboratórios no Programa de Avaliação da Conformidade. Nestes casos,

Leia mais

O que é ISO 14001? Um guia passo a passo para o uso de um Sistema de Gestão Ambiental M EI O AM BI ENTE

O que é ISO 14001? Um guia passo a passo para o uso de um Sistema de Gestão Ambiental M EI O AM BI ENTE O que é ISO 14001? Um guia passo a passo para o uso de um Sistema de Gestão Ambiental M EI O AM BI ENTE Índice O que é um SGA e o que é ISO 14001?...2 ISO 14001:1996. Suas perguntas respondidas...3 O sistema

Leia mais

Purgador Termostático Bimetálico Manual de Instalação e Manutenção

Purgador Termostático Bimetálico Manual de Instalação e Manutenção Purgador Termostático Bimetálico Manual de Instalação e Manutenção ÍNDICE Termo de Garantia 1.Descrição 2.Instalação 3.Manutenção 4.Peças de reposição 5.Informações Técnicas 1 TERMO DE GARANTIA A Spirax

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO NÍVEL TÉCNICO PARTE I INFORMAÇÕES PARA BOLSISTA ALUNO

MANUAL DO USUÁRIO NÍVEL TÉCNICO PARTE I INFORMAÇÕES PARA BOLSISTA ALUNO PROGRAMA PETROBRAS DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS (PFRH) MANUAL DO USUÁRIO NÍVEL TÉCNICO PARTE I INFORMAÇÕES PARA BOLSISTA ALUNO Versão 04/02/2011 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO 2 INTRODUÇÃO 3 MODALIDADES DE

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680 Rio

Leia mais

Contract Compliance Services

Contract Compliance Services RISK CONSULTING Contract Compliance Services Obtendo mais valor dos seus relacionamentos com terceiros kpmg.com/br 2 / Obtendo mais valor dos seus relacionamentos com terceiros Gerenciando o risco e aumentando

Leia mais

Serviços Onshore para Desenvolvedores, Operadores, Proprietários, Financiadores & Investidores em. Parques Eólicos

Serviços Onshore para Desenvolvedores, Operadores, Proprietários, Financiadores & Investidores em. Parques Eólicos Serviços Onshore para Desenvolvedores, Operadores, Proprietários, Financiadores & Investidores em Parques Eólicos Serviços Globais de Engenharia Eólica Provedor de Serviços All-in-One Ao combinar expertise

Leia mais

GETINGE FD1800 LAVADORAS DESINFECTORA

GETINGE FD1800 LAVADORAS DESINFECTORA GETINGE FD1800 LAVADORAS DESINFECTORA 2 Getinge FD1800 Getinge FD1800 3 COMPROVADAS NA LUTA CONTRA A INFECÇÃO CRUZADA O excelente desempenho de lavagem e desinfecção da Getinge FD1800 garantiu-lhe o respeito

Leia mais

Dispositivos Médicos: Requisitos para a esterilização por óxido de etileno

Dispositivos Médicos: Requisitos para a esterilização por óxido de etileno Dispositivos Médicos: Requisitos para a esterilização por óxido de etileno A eficácia do processo de esterilização de um dispositivo médico é avaliada com base numa série de experiências e protocolos que

Leia mais

Técnico de Segurança do Trabalho

Técnico de Segurança do Trabalho SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos Concurso Público para Técnico-Administrativo em Educação 02

Leia mais

GETINGE FD1600 LAVADORA DE DESCARGA COM ABERTURA FRONTAL

GETINGE FD1600 LAVADORA DE DESCARGA COM ABERTURA FRONTAL GETINGE FD1600 LAVADORA DE DESCARGA COM ABERTURA FRONTAL 2 Getinge FD1600 Getinge FD1600 3 COMBATENDO A INFECÇÃO CRUZADA DE MANEIRA SIMPLES E EFETIVA Com seu projeto moderno e atraente, operação fácil

Leia mais

REGULAMENTO TÈCNICO REQUISITOS ESSENCIAIS DE SEGURANÇA E EFICÁCIA DOS PRODUTOS MÉDICOS

REGULAMENTO TÈCNICO REQUISITOS ESSENCIAIS DE SEGURANÇA E EFICÁCIA DOS PRODUTOS MÉDICOS MERCOSUL/GMC/RES.Nº 72/98 REGULAMENTO TÈCNICO REQUISITOS ESSENCIAIS DE SEGURANÇA E EFICÁCIA DOS PRODUTOS MÉDICOS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as Resoluções Nº 91/93,

Leia mais

Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório

Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório Para obter a acreditação o laboratório deve implementar um sistema de gestão da qualidade com especial atenção para os aspectos da

Leia mais

Instituto de Economia. Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais. Regulamento para Monografia

Instituto de Economia. Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais. Regulamento para Monografia CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento visa normatizar as atividades relacionadas a Trabalho de Conclusão do Curso (TCC) de Graduação - Bacharelado em Relações Internacionais

Leia mais

INFORMAÇÕES OBRIGATÓRIAS BRASIL E EUA

INFORMAÇÕES OBRIGATÓRIAS BRASIL E EUA INFORMAÇÕES OBRIGATÓRIAS BRASIL E EUA Uma adequada política de divulgação de informações inclui a disseminação das mesmas de forma ampla e dentro de um mesmo intervalo de tempo para todos os investidores.

Leia mais