Bowie-Dick. O que fazer quando há um problema com o teste. Educação e Capacitação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Bowie-Dick. O que fazer quando há um problema com o teste. Educação e Capacitação"

Transcrição

1 O que fazer quando há um problema com o teste Bowie-Dick Por Charles O. Hancock, BSEE, MBA, RAC Nosso sincero agradecimento à equipe da 3M Cuidados da Saúde por trabalhar com a revista Managing Infection Control a fim de proporcionar este curso acreditado. A IAHCSMM outorga um (1) ponto de contato pela conclusão deste curso de educação contínua, visando a recertificação IAHCSMM. O CBSPD préaprovou este curso de capacitação equivalente a uma (1) hora de contato, durante o prazo de cinco (5) anos a partir da data de sua publicação, e deverá utilizar-se somente uma vez durante o período de recertificação. Este curso de capacitação da 3M Cuidados da Saúde foi aprovado pelo Conselho de Enfermeiras Registradas da Califórnia, CEP 5770, como equivalente a uma (1) hora de contato. Este formulário é válido por até cinco (5) anos a partir da data da publicação. As instruções para o envio de resultados se encontram na p. 5 Managing Infection Control e 3M Cuidados da Saúde continuarão colaborando para oferecer cursos de educação contínua em edições periódicas da Managing Infection Control. Objetivos Ao concluir esta atividade de auto-aprendizagem, o aluno poderá: 1. Discutir o processo de avaliação de falha nos testes tipo Bowie-Dick. 2. Descrever as causas comuns das falhas nos testes Bowie-Dick. 3. Descrever os passos que devem ser seguidos quando se investiga uma falha num teste Bowie-Dick. 4. Entender as responsabilidades dos envolvidos ao investigar uma falha num teste Bowie-Dick. Perguntas da Prova Verdadeiro ou Falso 1. O operador é responsável pela investigação das falhas nos pacotes de teste tipo Bowie-Dick. 2. O esterilizador sempre deve ser considerado como fora de serviço imediatamente após ter sido detectada falha nos pacotes de teste Bowie-Dick. 3. O teste Bowie-Dick é o teste padrão usado para avaliar os sistemas dos esterilizadores por remoção dinâmica de ar, também conhecido como de prévácuo. 4. O teste Bowie-Dick é uma indicação visual de que o desempenho do sistema de remoção de ar se deteriorou e deve ser corrigido antes que um indicador biológico positivo revele um problema de esterilização. 5. Uma falha é indicada no teste Bowie-Dick quando o resultado da folha de teste tem aparência não uniforme. 6. Somente devem usar-se os pacotes de teste Bowie-Dick disponíveis no mercado. 7. O técnico de manutenção ou serviço sempre pode avaliar de maneira precisa os controles que afetam o resultado do teste Bowie-Dick. 8. O sistema de geração e distribuição de vapor do hospital pode influenciar no resultado de um teste Bowie-Dick. 9. Os esterilizadores com geradores de vapor integrados nunca experimentam falhas nos testes Bowie-Dick. 10. Todos os resultados dos testes Bowie-Dick devem ser registrados e arquivados. MANAGING INFECTION CONTROL

2 Introdução A prática recomendada para esterilizadores a vapor por remoção dinâmica de ar ou de pré-vácuo consiste em verificar a eficácia do sistema de remoção de ar todos os dias, antes de colocar o esterilizador em serviço. Este tipo de esterilizador utiliza vários meios para remover o ar da carga, incluindo vácuo e técnicas de pulsação. O teste padrão utilizado para esta avaliação é o teste Bowie-Dick, que foi desenvolvido para detectar vazamentos de ar e para avaliar a capacidade do sistema de remoção em reduzir a um nível aceitável os resíduos de ar dentro da câmara de esterilização. O teste Bowie-Dick não é um sistema absoluto de medição. É um teste de indicação visual que pode ser usado como fator para a previsão de problemas futuros, pois é possível antecipar-se que qualquer resultado não satisfatório piorará se o uso do esterilizador continuar. O teste Bowie-Dick O teste Bowie-Dick é um Indicador Químico Classe 2 que tem o propósito específico de avaliar a eficácia dos sistemas de remoção dinâmica de ar dos esterilizadores. Ao avaliar os resultados do teste Bowie-Dick, conforme o documento ST46: 2002 da Associação para o Avanço da Instrumentação Médica (AAMI, por sua sigla em inglês): Esterilização a vapor e segurança da esterilização em instituições para o cuidado da saúde, detectamos que ocorrem resultados insatisfatórios quando há uma mudança de cor inesperada, o que indica que houve uma bolha de ar presente durante o ciclo, devido a um mau funcionamento do esterilizador. Qualquer indicação de mau funcionamento deve ser reportada ao supervisor de turno, o qual deverá determinar a disposição do esterilizador; ou seja, se deve ser testado outra vez, ser enviado para o conserto ou permanecer em uso. O teste Bowie-Dick não deve ser considerado um teste de desempenho biológico. Foi desenhado somente para prevenir ao usuário de que o sistema de remoção de ar está deteriorado, e que deve ser corrigido antes que ocorram problemas de esterilização, como indicado no caso de uma falha de um indicador biológico. Por este motivo, pode não ser necessário tirar o esterilizador de serviço com base unicamente num resultado insatisfatório no teste Bowie-Dick. Em vez disso, deverá ser realizada uma investigação completa das causas de tal resultado, em caso de que o esterilizador continue dando resultados satisfatórios com os indicadores biológicos. A responsabilidade imediata do supervisor de turno é certificarse de que os resultados do teste foram interpretados corretamente (veja a Figura 1). Este é um julgamento que se baseia na experiência individual com o esterilizador, o próprio pacote de testes Bowie-Dick, bem como o conhecimento e antecedentes relacionados ao funcionamento desse teste e fatores que influenciam na obtenção de um resultado bem sucedido. Algumas folhas do teste Bowie-Dick são mais fáceis de interpretar que outras, devido à avaliação visual do critério de aprovação / reprovação ser subjetiva e não quantitativa. As cores e padrões apresentados na folha de resultados podem influenciar na decisão de uma pessoa com relação à avaliação de aprovação / reprovação. Para algumas pessoas, diferentes tons de cinza (ou preto) podem não ser fáceis de detectar. As diferenças precisas na tonalidade e a uniformidade dos resultados observados podem não ser evidentes para todos os leitores....se o prestador do serviço determinar que o esterilizador está funcionando de acordo com as especificações e os resultados do teste Bowie-Dick continuam a indicar um problema, devese identificar e corrigir a causa do mau funcionamento antes de concluir que o esterilizador não é motivo de preocupação. Se o supervisor de turno não tem certeza que a interpretação está correta, facilmente poderão ser realizadas comparações com resultados anteriores do mesmo esterilizador em período recente de semanas ou meses. Freqüentemente, vazamentos sutis de ar podem ocorrer gradualmente e o padrão pode se mostrar evidente, quando os conteúdos das folhas de resultados forem revisados ao longo de um determinado período. As mudanças que ocorrem diariamente podem não parecer muito claras. Se o supervisor de turno decidir que os resultados do teste indicam algum problema, o esterilizador deverá ser testado novamente e de imediato, para confirmar a interpretação do resultado. Após repetir o teste Bowie-Dick, se os resultados confirmarem a existência de um problema, o prestador de serviços ou o engenheiro de manutenção deverão ser informados de imediato. Geralmente, o prestador de serviços pode fazer alguns ajustes simples para resolver, caso se trate de um problema com o esterilizador. Após a atividade de manutenção, o supervisor de turno pode realizar por conta própria o teste Bowie-Dick, para confirmar um resultado bem sucedido, antes que o esterilizador seja MANAGING INFECTION CONTROL 2

3 utilizado novamente no mesmo dia. Entretanto, se o prestador de serviços determinar que o esterilizador está funcionando de acordo com a especificação, e os resultados do teste Bowie- Dick continuarem indicando algum problema, deve identificarse e corrigir-se a causa do mau funcionamento antes de concluir que não há motivo de preocupação. Orientações para resolver o problema O que fazer? O esterilizador parece funcionar corretamente, mas não passa pelo teste Bowie-Dick. A quem pedir ajuda?, Onde procurar?, Quais são suas opções? Se você é o responsável por este departamento e seu supervisor de turno lhe apresentar este desafio, aqui você encontrará algumas orientações. FIGURA 1 Resultados de aprovação (acima) e de reprovação (abaixo) do teste Bowie-Dick Preparação do pacote de testes Bowie-Dick Assegure-se que seu departamento tenha feito tudo o que pôde para resolver este problema. Se você prepara seus próprios pacotes de teste Bowie-Dick, verifique que todos estejam organizados de maneira uniforme. Isto pode implicar que seja confirmado que somente uma pessoa capacitada pode preparar cada pacote, com a finalidade de eliminar variações técnicas. Assegure-se de que, sem exceção, seja utilizada a mesma marca de folhas de teste Bowie-Dick em cada ocasião. Revise com cuidado a preparação dos componentes têxteis dos pacotes de teste, para garantir que todos estejam uniforme e repetidamente nas mesmas condições em cada uso. Se forem utilizados pacotes de teste Bowie-Dick disponíveis no mercado, assegure-se de que todos os testes sejam realizados com os pacotes sob as mesmas especificações do fabricante. Não misture ou combine marcas de pacotes de teste! Se chegar a esse ponto, não terá como identificar a origem do problema. Informe isso e solicite ajuda entrando em contato com o fabricante do esterilizador, ou prestador de serviço de manutenção ou serviço, o fabricante do pacote de teste e o departamento de engenharia da instituição. Nesse ponto, todos podem ter um papel na solução do problema. Isto deve ser feito tanto por escrito como de formal oral, para estabelecer uma referência de quando foi detectada a possível falha. Calibração de controle do esterilizador O fabricante do esterilizador pode ser útil para assegurar que a máquina esteja calibrada adequadamente e que cumpra com os critérios de desempenho estabelecidos. Pode ser que tal desempenho precise ser verificado independentemente por um terceiro, a fim de confirmar que as condições reais dentro da câmara do esterilizador foram conseguidas. Com os sistemas de controle modernos, os ciclos costumam repetir-se de forma confiável mediante softwares de controle validados pelo fabricante. Entretanto, a calibração dos sensores de controle acaba sendo crítica para assegurar que os resultados obtidos estejam em conformidade com o processo. O prestador de serviço pode ou não ser capaz de garantir esta calibração. O prestador de serviço de manutenção ou serviço pode ou não ter capacitação específica do fabricante, assim como a instrumentação e ferramentas necessárias para calibrar com precisão o sistema de controle. Se for informado o problema, é possível saber a necessidade de oferecer a experiência e equipamento que não estejam disponíveis para ajudá-lo na resolução desse problema. 3 MANAGING INFECTION CONTROL

4 O fabricante do pacote de testes pode ser útil, fazendo a verificação independente das condições reais dentro da câmara do esterilizador, ou relacionando essas circunstâncias com as de outros usuários que tenham enfrentado situações similares. Assegure-se de lhe proporcionar o número de identificação do lote do pacote em questão. Serviços e qualidade do vapor na instituição É muito importante que o departamento de engenharia da instituição se envolva de imediato para garantir que os serviços ou o fornecimento de insumos do esterilizador sejam, tenham sido e continuem sendo adequados para assegurar o desempenho do equipamento. As variações nos serviços ou insumos (vapor, água, ar, eletricidade, etc.) são comuns na prática. Existem variações segundo a estação. Também podem ocorrer variações nos sistemas de fornecimento devido a mudanças na demanda de carga ao longo do dia de trabalho. Estas variações podem ultrapassar os limites normais sem impactar a todos os usuários. Por exemplo, o pico da demanda no uso de vapor e água costuma ocorrer de forma simultânea nos departamentos que iniciam o dia de trabalho no mesmo período. É muito comum que os sistemas de aquecimento, ventilação e ar condicionado, bem como os departamentos de Lavanderia, Serviços de Alimentação e Serviços de Esterilização Central (SEC ou CEYE) demandem vapor e água ao mesmo tempo. As variações na química do vapor (e/ou da água) podem ser adequadas para outros usuários, enquanto que representam condições totalmente fora das especificações para o uso do esterilizador. Como conseqüência, temos que estar conscientes de que qualquer mudança na química do vapor e/ou da água pode ser problemática. As mudanças drásticas na química da água, com respeito à exigência dos esterilizadores a vapor, podem ocorrer como resultado de flutuações no fornecimento de água em momentos de alta demanda de vapor dentro do sistema de distribuição geral. A revisão periódica dos sistemas de distribuição de vapor nas instalações pode revelar problemas potenciais gerados quando são feitas mudanças no sistema de tubulações sem uma consideração criteriosa do impacto que essas mudanças terão em usuários de pouco volume, como SEC ou CEYE. Os sistemas de tubulações para distribuição de vapor têm requisitos de instalação que diferem significativamente dos sistemas de tubulações para distribuição de água quente; entretanto, em muitos casos, um mesmo empreiteiro pode instalar ambos. Se o empreiteiro mecânico carece da experiência necessária para instalar e consertar tubulações de vapor, podem ocorrer grandes problemas. No caso das instalações que possuem um gerador de vapor auto-contido (geralmente o gerador de vapor está integrado ao corpo do esterilizador) é possível que um prestador de serviço de manutenção ou de serviços verifique o desempenho do gerador de vapor. Em qualquer caso, quando existam problemas com pacotes de teste Bowie Dick, deverá ser realizado um teste extenso. Tal teste deve incluir: determinação da qualidade de vapor (secura), medição de vapor superaquecido, e determinação precisa de gases não condensáveis (ar) no vapor proporcionado ao esterilizador. Além disso, deverá ser realizada uma investigação do sistema de fornecimento de água à caldeira de vapor, incluindo medições completas da química da água e um registro adequado de todos e cada um dos processos de acondicionamento ou tratamento da água. Uma investigação detalhada do tratamento da água pode resultar conveniente, em particular se o prestador de serviço da água (ou seja, o município, a autoridade responsável pelas águas) tem múltiplas fontes. Pode ser necessário buscar um especialista independente em esterilização a vapor e química da água para que faça tais determinações. Resumo Em última instância, será sua responsabilidade usar a totalidade ou parte da informação recompilada das fontes antes mencionadas para tomar a decisão mais adequada na resolução do problema. O mais provável é que este não seja conseqüência de uma única causa. É provável que uma combinação de diversos fatores tenha contribuído para gerálo. Alguns problemas podem ser resolvidos de imediato, com um custo baixo. Outros fatores podem requerer um importante consumo de tempo, esforço e dinheiro para resolvê-los. Documente os resultados do teste Bowie-Dick, os problemas investigados e os resultados, à medida que surjam no tempo. Estabeleça prioridades para as soluções sobre a base que melhor se adapte às suas circunstâncias (custo, tempo, planejamento futuro, etc.). Lembre-se de que existem diferentes opções considerando-se a natureza preditiva do teste Bowie- Dick. Lembre-se também que o teste Bowie-Dick foi projetado para que você inicie as ações antes que uma falha catastrófica ocorra. Não demore. Corrija o problema imediatamente, antes que precise acudir uma falha de esterilização! MANAGING INFECTION CONTROL 4

5 Referências 1. Associação para o Avanço da Instrumentação Médica. Esterilização a vapor e asseguração da esterilidade em Instituições de cuidados da saúde (ANSI/AAMI ST46, 2002). Educação e Capacitação 2. Associação para o Avanço da Instrumentação Médica. Indicadores Químicos - Orientação para a seleção, uso e interpretação de resultados (ANSI/AAMI ST60, 1996). Informação sobre Unidades de Educação Contínua (UEC) de Processos Estéreis e Distribuição Nome do solicitante UEC: Endereço: Cidade: Estado: País: CEP. A CBSPD (Junta de Certificação para Processamento Estéril e Distribuição) pré-aprovou este curso de capacitação de uma (1) hora de contato, por um período de cinco (5) anos, a partir da data de sua publicação e para ser usado uma única vez durante o período de recertificação. A bem sucedida conclusão desta lição e a prova posterior devem ser documentadas pela administração da instituição e tais registros deverão ser guardados pelos indivíduos até que seja requerida a recertificação. Não envie a lição nem a prova à CBSPD. Para informações adicionais com relação a esta certificação, entre em contato com a CBSPD em: 2 Industrial Park Road, Suite 3, Alpha, NJ 08865, ou ligue para nos Estados Unidos, ou visite A IAHCSMM outorgou um (1) ponto de contato pela conclusão desta lição de educação contínua para recertificação IAHCSMM. Formulário de Solicitação de EC de Enfermagem Este curso de capacitação da 3M Cuidados da Saúde está aprovado pelo Conselho de Enfermeiras Registradas da Califórnia, CEP 5770, como uma hora de contato. Este formulário é válido por até cinco anos depois da data de publicação. 1. Tire uma fotocópia deste formulário. 2. Escreva seu nome, endereço e telefone durante o dia, bem como posto/cargo. 3. Inclua seu número da Carteira de Trabalho (MTPS) ou seu número de licença de enfermagem. 4. Coloque a data na solicitação e assine. 5. Responda as perguntas de EC. 6. Envie este formulário e a folha de respostas para: Workhorse Publishing Managing Infection Control PO Box 25310, Scottsdale, AZ Os participantes que obtenham pelo menos uma pontuação de 70% receberão um certificado de conclusão dentro dos 30 dias seguintes à data na qual a Managing Infection Control receba a solicitação. Solicitação Preencha a máquina ou a mão: Nome: Endereço: Cidade: Estado: País: CEP.: Telefone durante o dia: Posto / cargo: Número de seguro social ou licença de enfermagem: Data de envio da solicitação: Assinatura: O oferecimento vence em janeiro de MANAGING INFECTION CONTROL

6 Glossário AAMI ANSI AORN ASHCSP BD CBSPD CEP RESPOSTAS 1. F 6. F 2. F 7. F 3. V 8. V 4. V 9. F 5. V 10. V Associação para o Avanço da Instrumentação Médica Instituto Nacional Norte-Americano de Padrões Associação de Enfermeiras Perioperatórias Registradas Sociedade Norte-Americana para Profissionais do Cuidado da Saúde de Serviço Central Indicadores Bowie-Dick Junta de Certificação para Processamento Estéril e Distribuição Prestador de Educação Contínua Charles O. Hancock, fundador e presidente da Charles O. Hancock Associates Inc., é assessor da indústria, de hospitais e de governos no campo da Ciência de Esterilização. É reconhecido como um expert internacional numa ampla variedade de temas de esterilização, que afetam ao setor de dispositivos médicos, e envolve-se com problemas relacionados com a esterilização desde que se juntou à companhia Old Castle em O Sr. Hancock é membro da AAMI, onde atualmente coopera com diversos subcomitês de esterilização para os Padrões de esterilização térmica e química, e é co-diretor do Grupo de trabalho de esterilização a vapor em hospitais. Também é vicepresidente do Comitê Técnico de Esterilização da Associação Canadense de Padrões (CSA, por sua sigla em inglês) e em 1994 recebeu o Prêmio ao Mérito da CSA por sua liderança no desenvolvimento de padrões binacionais e internacionais. Dirige o grupo de trabalho da CSA sobre esterilização a vapor. Também, o Sr. Hancock possui certificação da junta em assuntos regulamentares relacionados com a Administração de Alimentos e Bebidas dos Estados Unidos (FDA); é autor de diversos artigos profissionais, capítulos e textos, e tem sido orador em numerosas reuniões e seminários profissionais, tanto em nível nacional como internacional, em temas relacionados com a esterilização. Pode entrar em contato com o Sr. Hancock através do endereço CSA DDP Comitê Técnico de Esterilização da Associação de Padrões Canadense Dispositivo de Desafio ao Processo IAHCSMM Associação Internacional de Administração de Materiais para Serviço Central de Cuidados da Saúde IB IQ JCAHO SEC ou CEYE Indicadores biológicos Indicadores químicos Comissão Conjunta para a Acreditação de Organizações de Cuidados da Saúde Serviço de Esterilização Central MANAGING INFECTION CONTROL 6

1. Descrever as variáveis críticas da qualidade do vapor para uma esterilização bemsucedida.

1. Descrever as variáveis críticas da qualidade do vapor para uma esterilização bemsucedida. S E L F - S T U D Y S E R I E S HEALTHCARE PURCHASING NEWS Dezembro de 2010 Patrocinado por Este estudo autodirigido com um tópico relacionado ao serviço central foi desenvolvido pela 3M Health Care. As

Leia mais

Product recall Martha Young, BS, MS, CSPDT

Product recall Martha Young, BS, MS, CSPDT Product Recall 1-7 Product recall Martha Young, BS, MS, CSPDT Objetivos Ao final desta atividade autoeducativa, o aluno será capaz de: 1. Fazer o recall de dispositivos médicos processados em instalações

Leia mais

Controle do processo de esterilização: Monitoramento físico, químico e biológico.

Controle do processo de esterilização: Monitoramento físico, químico e biológico. 2º WORKSHOP DE PROCESSAMENTO DE ARTIGOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE CONTAGEM-MG Controle do processo de esterilização: Monitoramento físico, químico e biológico. TERESINHA NEIDE DE OLIVEIRA A Verdadeira obra

Leia mais

CRISTÓFOLI S I S T E M A D E R E G I S T R O P A R A A U T O C L A V E S A V A P O R

CRISTÓFOLI S I S T E M A D E R E G I S T R O P A R A A U T O C L A V E S A V A P O R CRISTÓFOLI SISTEMA DE REGISTRO PARA AUTOCLAVES A VAPOR Este Sistema de Registro para autoclaves a vapor foi elaborado para trabalhar em conjunto com os Emuladores- Integradores de Controle TST Browne (código

Leia mais

22/08/2007 DEFINIÇÃO PORQUE VALIDAR? Gerson R. Luqueta. Gerson R. Luqueta

22/08/2007 DEFINIÇÃO PORQUE VALIDAR? Gerson R. Luqueta. Gerson R. Luqueta VALIDAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CONFORME NORMATIZAÇÃO (ênfase em processos de esterilização) VALIDAÇÃO DO PROCESSO DEFINIÇÃO Procedimento documentado para obtenção, registro e interpretação de resultados desejados

Leia mais

GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fonte: http://www.testexpert.com.br/?q=node/669 1 GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE Segundo a NBR ISO 9000:2005, qualidade é o grau no qual um conjunto de características

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7. Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.5, 7.5.1, 7.5.2, 7.6, 7.6.1, 7.6.2 Exercícios 7 Competência

Leia mais

AUTOCLAVES A VAPOR. Imagens meramente ilustrativas CRISTÓFOLI, A MARCA DA PROTEÇÃO.

AUTOCLAVES A VAPOR. Imagens meramente ilustrativas CRISTÓFOLI, A MARCA DA PROTEÇÃO. P A R A AUTOCLAVES A VAPOR Imagens meramente ilustrativas CRISTÓFOLI, A MARCA DA PROTEÇÃO. W W W. C R I S T O F O L I. C O M #dicascristofoli BEBA MAIS LÍQUIDOS PEQUENAS AÇÕES PARA UMA VIDA MELHOR A Cristófoli,

Leia mais

01. A empresa e todos os seus funcionários têm a preocupação de atender as necessidades e expectativas dos clientes?

01. A empresa e todos os seus funcionários têm a preocupação de atender as necessidades e expectativas dos clientes? Questionário de auto-avaliação Nível 1 MÓDULO 1 - ADMINISTRAÇÃO 01. A empresa e todos os seus funcionários têm a preocupação de atender as necessidades e expectativas dos clientes? 02. A empresa tem definidos

Leia mais

Módulo 3. Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.2, 6.2.1, 6.2.2, 6.2.3, 6.2.4, 6.2.5, 6.3, 6.4, 6.4.1, 6.4.2, 6.4.

Módulo 3. Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.2, 6.2.1, 6.2.2, 6.2.3, 6.2.4, 6.2.5, 6.3, 6.4, 6.4.1, 6.4.2, 6.4. Módulo 3 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.2, 6.2.1, 6.2.2, 6.2.3, 6.2.4, 6.2.5, 6.3, 6.4, 6.4.1, 6.4.2, 6.4.3 Exercícios 6.2 Iniciando a auditoria/ 6.2.1 Designando o líder da equipe

Leia mais

GETINGE ONLINE OBTENHA ACESSO A INFORMAÇÕES EM QUALQUER LUGAR

GETINGE ONLINE OBTENHA ACESSO A INFORMAÇÕES EM QUALQUER LUGAR GETINGE ONLINE OBTENHA ACESSO A INFORMAÇÕES EM QUALQUER LUGAR 2 Getinge Online TRABALHE DE FORMA MAIS INTELIGENTE E OBTENHA UM TEMPO DE FUNCIONAMENTO MAIOR Tradicionalmente, o status do processo de esterilização

Leia mais

Quais países vocês estão habilitados a avaliarem credenciais? Nós podemos avaliar credenciais acadêmicas de qualquer país do mundo.

Quais países vocês estão habilitados a avaliarem credenciais? Nós podemos avaliar credenciais acadêmicas de qualquer país do mundo. PERGUNTAS FREQUENTES Porque eu deveria escolher Josef Silny & Associates, Inc. para avaliar e traduzir minhas credenciais? Nós oferecemos avaliações e traduções altamente profissionais e compreensíveis,

Leia mais

AVISO URGENTE: RA2012-014

AVISO URGENTE: RA2012-014 AVISO URGENTE: RA2012-014 Prezado cliente, Descrição: COMBINAÇÃO FRESA E BROCA N.º de Catálogo: 704005-10; 704005; 704006; 990263 Código de Lote: consulte tabela abaixo. Em anexo encontra detalhes de uma

Leia mais

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP 6. Procedimento de gerenciamento de risco O fabricante ou prestador de serviço deve estabelecer e manter um processo para identificar

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS - IFCH DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO ECONÔMICO DEPE CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL - CTAE

Leia mais

Informações Gerais sobre Vistos Passo a Passo

Informações Gerais sobre Vistos Passo a Passo Informações Gerais sobre Vistos Passo a Passo Se você planeja viajar aos Estados Unidos e precisa solicitar o visto pela primeira vez ou quer renovar um visto que ainda esteja válido ou que tenha expirado

Leia mais

ISO 9001:2008. Alterações e Adições da nova versão

ISO 9001:2008. Alterações e Adições da nova versão ISO 9001:2008 Alterações e Adições da nova versão Notas sobe esta apresentação Esta apresentação contém as principais alterações e adições promovidas pela edição 2008 da norma de sistema de gestão mais

Leia mais

Edital FUNDÁGUA n.º 02/2010. Recuperação de Mananciais. Anexo A - Formulário do Plano do Projeto

Edital FUNDÁGUA n.º 02/2010. Recuperação de Mananciais. Anexo A - Formulário do Plano do Projeto Anexo A - Formulário do Plano do Projeto 1. Nome da região hidrográfica de referência; 2. Nome do projeto 3. Nome da instituição Responsável pelo Projeto 4. Dados do responsável pela Instituição Nome:

Leia mais

Contract Compliance Services

Contract Compliance Services RISK CONSULTING Contract Compliance Services Obtendo mais valor dos seus relacionamentos com terceiros kpmg.com/br 2 / Obtendo mais valor dos seus relacionamentos com terceiros Gerenciando o risco e aumentando

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

HEALTHCARE PURCHASING NEWS Fevereiro de 2011

HEALTHCARE PURCHASING NEWS Fevereiro de 2011 HEALTHCARE PURCHASING NEWS Fevereiro de 2011 Este estudo auto-dirigido sobre um tópico relacionado ao serviço central foi desenvolvido pelo 3M Health Care. As lições são preparadas pela KSR Publishing,

Leia mais

AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES

AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES VERIFICAÇÃO APROVAÇÃO ARQUIVO SQ SIGLA DA UO SULOG RUBRICA SIGLA DA UO G-SCQ RUBRICA 1 OBJETIVO Definir os requisitos e procedimentos mínimos para avaliação e seleção de fornecedores, assegurando fontes

Leia mais

1. Normas para Estágio Supervisionado Obrigatório do Curso de Gastronomia

1. Normas para Estágio Supervisionado Obrigatório do Curso de Gastronomia 1. Normas para Estágio Supervisionado Obrigatório do Curso de Gastronomia Apresentação: o O estágio constitui a oportunidade de complementar a formação profissional do estudante, colocando-o frente a situações

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA

REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA PROPÓSITO E AUTORIDADE QUEPASA CORPORATION REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA O comitê de auditoria da mesa diretiva do Quepasa Corporation (a Companhia ) se apresenta diante das responsabilidades

Leia mais

A SEGURANÇA DA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE CIRÚRGICO: FLUXO DE OPME NORMAS E CONDUTAS

A SEGURANÇA DA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE CIRÚRGICO: FLUXO DE OPME NORMAS E CONDUTAS 10º Congresso Brasileiro de Enfermagem en Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e ESterilização- 2011 A SEGURANÇA DA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE CIRÚRGICO: FLUXO DE OPME NORMAS E CONDUTAS

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

Gerenciamento da produção

Gerenciamento da produção 74 Corte & Conformação de Metais Junho 2013 Gerenciamento da produção Como o correto balanceamento da carga de dobradeiras leva ao aumento da produtividade e redução dos custos (I) Pedro Paulo Lanetzki

Leia mais

ATIVIDADES PARA A INCORPORAÇÃO DE EQUIPAMENTOS MÉDICO- HOSPITALARES Ênfase em software/firmware

ATIVIDADES PARA A INCORPORAÇÃO DE EQUIPAMENTOS MÉDICO- HOSPITALARES Ênfase em software/firmware ATIVIDADES PARA A INCORPORAÇÃO DE EQUIPAMENTOS MÉDICO- HOSPITALARES Ênfase em software/firmware firmware Saide Jorge Calil Centro de Engenhara Biomédica Departamento de Engenharia Biomédica Faculdade de

Leia mais

2.1 Os projetos que demonstrarem resultados (quádrupla meta) serão compartilhados na Convenção Nacional.

2.1 Os projetos que demonstrarem resultados (quádrupla meta) serão compartilhados na Convenção Nacional. O Prêmio Inova+Saúde é uma iniciativa da SEGUROS UNIMED que visa reconhecer as estratégias de melhoria e da qualidade e segurança dos cuidados com a saúde dos pacientes e ao mesmo tempo contribua com a

Leia mais

Código de Ética e Conduta Profissional da MRC Consultoria e Sistema de Informática Ltda. - ME

Código de Ética e Conduta Profissional da MRC Consultoria e Sistema de Informática Ltda. - ME 1 - Considerações Éticas Fundamentais Como um colaborador da. - ME eu devo: 1.1- Contribuir para a sociedade e bem-estar do ser humano. O maior valor da computação é o seu potencial de melhorar o bem-estar

Leia mais

FANESE Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe

FANESE Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe I FANESE Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe GERENCIAMENTO DE PATCHES Atualizações de segurança Aracaju, Agosto de 2009 DAYSE SOARES SANTOS LUCIELMO DE AQUINO SANTOS II GERENCIAMENTO DE PATCHES

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

P 2: Quais os limites entre aspectos relativos ao meio ambiente e à segurança?

P 2: Quais os limites entre aspectos relativos ao meio ambiente e à segurança? INTERPRETAÇÃO NBR ISO 14001 (1996), JULHO 2001 CB-38/SC-01/GRUPO DE INTERPRETAÇÃO INTRODUÇÃO O CB-38, Comitê Brasileiro de Gestão Ambiental, da ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas, decidiu criar

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE. Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 27 Slide 1

QUALIDADE DE SOFTWARE. Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 27 Slide 1 QUALIDADE DE SOFTWARE Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 27 Slide 1 Objetivos Apresentar o processo de gerenciamento de qualidade e as atividades centrais da garantia de

Leia mais

A importância da Manutenção de Máquina e Equipamentos

A importância da Manutenção de Máquina e Equipamentos INTRODUÇÃO A importância da manutenção em máquinas e equipamentos A manutenção de máquinas e equipamentos é importante para garantir a confiabilidade e segurança dos equipamentos, melhorar a qualidade

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

Aviso de Renovação de Licença de Cuidado Infantil Familiar

Aviso de Renovação de Licença de Cuidado Infantil Familiar Aviso de Renovação de Licença de Cuidado Infantil Familiar Sua Licença de Cuidado Infantil Familiar deve ser renovada e o EEC facilitou este processo para você. Basta seguir os passos abaixo: Preencha

Leia mais

Barreras y Oportunidades para la puesta en marcha de laboratorios de ensayo de eficiencia energética, desde el punto de vista gerencial y técnico

Barreras y Oportunidades para la puesta en marcha de laboratorios de ensayo de eficiencia energética, desde el punto de vista gerencial y técnico Barreras y Oportunidades para la puesta en marcha de laboratorios de ensayo de eficiencia energética, desde el punto de vista gerencial y técnico Alvaro Theisen Diretor Geral UL América Latina Colombia

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

O Que Fazer Se Houver Comprometimento Programa de Segurança da Informação da Conta (AIS) Fevereiro de 2006

O Que Fazer Se Houver Comprometimento Programa de Segurança da Informação da Conta (AIS) Fevereiro de 2006 Programa de Segurança da Informação da Conta (AIS) Fevereiro de 2006 Região Introdução...3 Reportando a Quebra de Segurança...4 Passos e Exigências para as Entidades Comprometidas...5 Passos e Exigências

Leia mais

Quem somos nós. Uma Empresa, Assistência total, Soluções completas

Quem somos nós. Uma Empresa, Assistência total, Soluções completas Produtos e Serviços Quem somos nós Uma Empresa, Assistência total, Soluções completas Durante muitos anos, a Hydratight tem fornecido soluções na forma de juntas aparafusadas de categoria internacional

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 10 de Outubro de 2013. Revisão aula anterior Documento de Requisitos Estrutura Padrões Template Descoberta

Leia mais

OBJETIVO 2 APLICAÇÃO 3 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5 TERMINOLOGIA 6 DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE GESTÃO DE MUDANÇAS

OBJETIVO 2 APLICAÇÃO 3 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5 TERMINOLOGIA 6 DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE GESTÃO DE MUDANÇAS Impresso em 26/08/2015 10:31:18 (Sem título Aprovado ' Elaborado por Daniel Trindade/BRA/VERITAS em 01/11/2013 Verificado por Cintia Kikuchi em 04/11/2013 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em

Leia mais

SISTEMA COMPUTADORIZADO PARA GERENCIAMENTO DE PURGADORES DE VAPOR

SISTEMA COMPUTADORIZADO PARA GERENCIAMENTO DE PURGADORES DE VAPOR SISTEMA COMPUTADORIZADO PARA GERENCIAMENTO DE PURGADORES DE VAPOR Patenteado. Gerenciamento no século 21. Tópicos fundamentais que compõem o gerenciamento: Manutenção Produtiva Total (MPT): Estabelece

Leia mais

para Mac Guia de Inicialização Rápida

para Mac Guia de Inicialização Rápida para Mac Guia de Inicialização Rápida O ESET Cybersecurity fornece proteção de última geração para o seu computador contra código malicioso. Com base no ThreatSense, o primeiro mecanismo de verificação

Leia mais

Fluid Control Systems Catálogo Compacto

Fluid Control Systems Catálogo Compacto Fluid Control Systems Catálogo Compacto 3 Sumário Linha de Produtos Visão Geral... 2 Válvulas Solenóides... 6-35 Válvulas Solenóides Propósito Geral 2/2 atuação direta. 6 2/2 servo-assistida e válvulas

Leia mais

Standards Online. Acesso à informação direto de seu computador

Standards Online. Acesso à informação direto de seu computador Standards Online Acesso à informação direto de seu computador Comentário dos clientes sobre o BSOL A utilização é fácil e o sistema de download é excelente, quando necessito de uma norma que não se encontra

Leia mais

Resumo das Interpretações Oficiais do TC 176 / ISO

Resumo das Interpretações Oficiais do TC 176 / ISO Resumo das Interpretações Oficiais do TC 176 / ISO Referência RFI 011 Pergunta NBR ISO 9001:2000 cláusula: 2 Apenas os termos e definições da NBR ISO 9000:2000 constituem prescrições da NBR ISO 9001:2000,

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

Indicadores de Limpeza O que há de novo? Andréa Alfaya Acuña andrea.acuna@hsl.org.br

Indicadores de Limpeza O que há de novo? Andréa Alfaya Acuña andrea.acuna@hsl.org.br Indicadores de Limpeza O que há de novo? Andréa Alfaya Acuña andrea.acuna@hsl.org.br Indicadores São valores ou variáveis associadas a uma atividade que nos indicam alguma relação, são medidas quantitativas

Leia mais

SITE DA ANATEL Passo a Passo

SITE DA ANATEL Passo a Passo SITE DA ANATEL Passo a Passo APOIO AO RADIOAMADOR Você não precisa sair de sua casa até a Labre ou Anatel para solicitar os seguintes serviços.: - Cadastramento na ANATEL - Inscrição para as provas (seja

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA E BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA E BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO - UFOP CENTRO DESPORTIVO DA UFOP - CEDUFOP LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA COMISSÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL APRESENTAÇÃO Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL Introdução SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento

Leia mais

Incubadora MANUAL DE OPERAÇÕES

Incubadora MANUAL DE OPERAÇÕES Incubadora MANUAL DE OPERAÇÕES Introdução A incubadora Valisafe é designada para uso a 37 C (gás) ou 57 C (vapor) com a finalidade de incubação de indicadores biológicos. Os indicadores biológicos para

Leia mais

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9 Página: 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática de funcionamento e aplicação das Auditorias Internas da Qualidade, fornecendo diretrizes para instruir, planejar, executar e documentar as mesmas. Este

Leia mais

CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS

CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS VI.1. Introdução A avaliação de riscos inclui um amplo espectro de disciplinas e perspectivas que vão desde as preocupações

Leia mais

GROUP PEDREIRA S PROJECTO IN AIR CONDITIONING SERVICE

GROUP PEDREIRA S PROJECTO IN AIR CONDITIONING SERVICE Serviços de Instalação - VRV e VRF O ar condicionado está se tornando rapidamente a tecnologia favoreceu para fornecer aquecimento e soluções para escritórios, comércio e lazer de refrigeração. Ele está

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 Aprova a NBC T 11.8 Supervisão e Controle de Qualidade. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Regulamento do Estágio Curricular Obrigatório do Bacharelado em Ciências Biológicas 1 CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

Leia mais

Gestão da Qualidade Políticas. Elementos chaves da Qualidade 19/04/2009

Gestão da Qualidade Políticas. Elementos chaves da Qualidade 19/04/2009 Gestão da Qualidade Políticas Manutenção (corretiva, preventiva, preditiva). Elementos chaves da Qualidade Total satisfação do cliente Priorizar a qualidade Melhoria contínua Participação e comprometimento

Leia mais

Seminário Sobre CoreS

Seminário Sobre CoreS Entendendo as Cores & Tecnologia da Cor Seminário Sobre CoreS A Teoria da Cor na Prática, aplicada ao Mercado e à Indústria um seminário Datacolor: o Essencial para o Gerenciamento de Cores Se você é iniciante

Leia mais

REGULAMENTO DA CENTRAL ANALÍTICA MULTIUSUÁRIO

REGULAMENTO DA CENTRAL ANALÍTICA MULTIUSUÁRIO CAPITULO I DA FINALIDADE E DA APLICAÇÃO Art. 1º A Central Analítica Multiusuária (CAM/PEQ-UNIOESTE) é um conjunto de laboratórios que contam com equipamentos modernos, em sua maioria de última geração,

Leia mais

APPCC e a Indústria Alimentícia Prof. MSc. Alberto T. França Filho

APPCC e a Indústria Alimentícia Prof. MSc. Alberto T. França Filho APPCC e a Indústria Alimentícia Prof. MSc. Alberto T. França Filho O que é APPCC? O Sistema de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle Portaria N 46, de 10 de fevereiro de 1998 Art. 1 O que motivou

Leia mais

Política de Privacidade da Golden Táxi Transportes Executivo. Sua Privacidade Na Golden Táxi Transportes Executivo. acredita que, como nosso

Política de Privacidade da Golden Táxi Transportes Executivo. Sua Privacidade Na Golden Táxi Transportes Executivo. acredita que, como nosso Política de Privacidade da Golden Táxi Transportes Executivo. Sua Privacidade Na Golden Táxi Transportes Executivo. acredita que, como nosso visitante on-line, você tem o direito de saber as práticas que

Leia mais

seguras para administradores de organizadores do site Cisco WebEx Melhores práticas para reuniões Visão geral da privacidade WebEx

seguras para administradores de organizadores do site Cisco WebEx Melhores práticas para reuniões Visão geral da privacidade WebEx Visão geral da privacidade WebEx As soluções on-line ajudam a permitir que os funcionários globais e as equipes virtuais se reúnam e colaborarem em tempo real como se estivessem trabalhando na mesma sala.

Leia mais

Mensagens De Erro. Versão: 1.0

Mensagens De Erro. Versão: 1.0 Mensagens De Erro Versão: 1.0 Tabela de Mensagens - EAGarçom MENSAGENS Possíveis Causas Possíveis Soluções Não foi possível atualizar. Dispositivo não conectado." - Erro no banco de dados do servidor;

Leia mais

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

Secretaria da Administração

Secretaria da Administração Secretaria da Administração Procedimento para Elaboração de Programas de Segurança para Empresas Contratadas PCMSO / PPRA / PCMAT / ARO Revisão 00 2014 1. Objetivo Estabelecer as exigências mínimas sobre

Leia mais

Quais são as organizações envolvidas no SASSMAQ?

Quais são as organizações envolvidas no SASSMAQ? PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES AVALIAÇÃO SASSMAQ (P.COM.26.00) O SASSMAQ é um Sistema de Avaliação de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade, elaborado pela Comissão de Transportes da ABIQUIM, dirigido

Leia mais

Seminário Sobre Reunir Registros

Seminário Sobre Reunir Registros Seminário Sobre Reunir Registros Esta lição e seus recursos de aprendizado podem ser usados para preparar um seminário de três a quatro horas sobre preparar, reunir, processar e entregar os registros a

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E COMUNICAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DESIGN DE MODA

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E COMUNICAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DESIGN DE MODA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E COMUNICAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DESIGN DE MODA 1. Atividades Complementares Atividades Complementares são atividades desenvolvidas

Leia mais

1. Quem somos nós? A AGI Soluções nasceu em Belo Horizonte (BH), com a simples missão de entregar serviços de TI de forma rápida e com alta qualidade.

1. Quem somos nós? A AGI Soluções nasceu em Belo Horizonte (BH), com a simples missão de entregar serviços de TI de forma rápida e com alta qualidade. 1. Quem somos nós? A AGI Soluções nasceu em Belo Horizonte (BH), com a simples missão de entregar serviços de TI de forma rápida e com alta qualidade. Todos nós da AGI Soluções trabalhamos durante anos

Leia mais

Regulamentação para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC

Regulamentação para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Regulamentação para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Material elaborado pelo corpo docente da EBRAMEC / CIEFATO Para os cursos da Escola Brasileira de Medicina Chinesa Direção Geral: Reginaldo de Carvalho

Leia mais

PARA SEMPRE CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FSC. Carmen Figueiredo

PARA SEMPRE CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FSC. Carmen Figueiredo PARA SEMPRE CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FSC Carmen Figueiredo PARA SEMPRE CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FSC 1ª edição 2005 Realização Apoio CRÉDITOS Produção Ethnos estratégias socio ambientais - ethnosconsultoria@uol.com.br

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE TREINAMENTO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE TREINAMENTO 2/08/203 Recursos. INTRODUÇÃO A Política de Treinamento tem por objetivo estabelecer critérios para o tratamento das solicitações de Capacitação, Desenvolvimento, Cursos Intensivos, Seminários, Palestras,

Leia mais

Deliberação n.º 939/2014, de 20 de março (DR, 2.ª série, n.º 75, de 16 de abril de 2014)

Deliberação n.º 939/2014, de 20 de março (DR, 2.ª série, n.º 75, de 16 de abril de 2014) (DR, 2.ª série, n.º 75, de 16 de abril de 2014) Aprova o formulário de notificação, a efetuar ao INFARMED, I. P., e orientações sobre a prática de reprocessamento de dispositivos médicos de uso único pelo

Leia mais

Relatório de Qualificação Térmica

Relatório de Qualificação Térmica Página 1 Relatório de Qualificação Térmica Cliente: Hospital e Maternidade Nossa Senhora das Graças Equipamento: Autoclave a Vapor Identificação/TAG: 13.00165 Local de Instalação: C.M.E. Faixa de Trabalho:

Leia mais

RECERTIFICAÇÃO DE INSPETOR DE PINTURA INDUSTRIAL NÍVEL 2 INSTRUÇÕES AOS CANDIDATOS

RECERTIFICAÇÃO DE INSPETOR DE PINTURA INDUSTRIAL NÍVEL 2 INSTRUÇÕES AOS CANDIDATOS 1 de 5 1 OBJETIVO Este documento tem o objetivo de orientar o candidato para a execução dos exames de recertificação de Inspetor de Pintura Industrial Nível 2 do Sistema Nacional de Qualificação e Certificação

Leia mais

MODELO DE CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO COMERCIAL INTERNACIONAL

MODELO DE CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO COMERCIAL INTERNACIONAL MODELO DE CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO COMERCIAL INTERNACIONAL Descarregue exemplo de CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO COMERCIAL INTERNACIONAL em formato Word. Preencha os espaços em branco e escolha as cláusulas

Leia mais

FORMULÁRIOS DR PARANÁ ELABORAÇÃO DE SITUAÇÕES DE APRENDIZAGEM

FORMULÁRIOS DR PARANÁ ELABORAÇÃO DE SITUAÇÕES DE APRENDIZAGEM FORMULÁRIOS DR PARANÁ ELABORAÇÃO DE SITUAÇÕES DE APRENDIZAGEM SENAI/PR 1 PLANO DE SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM N.º 1 (1) Seleção de capacidades, conteúdos formativos e definição da estratégia Unidade do SENAI:

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

Segurança + Conformidade. Dentro do Prazo e Orçamento Previsto Sob Demanda

Segurança + Conformidade. Dentro do Prazo e Orçamento Previsto Sob Demanda Segurança + Conformidade Dentro do Prazo e Orçamento Previsto Sob Demanda Segurança e Conformidade via Software-as-a-Service (SaaS) Hoje em dia, é essencial para as empresas administrarem riscos de segurança

Leia mais

Lançado em Junho 2013. Lançamento Oficial em 12/09/2013 (SP)

Lançado em Junho 2013. Lançamento Oficial em 12/09/2013 (SP) Lançado em Junho 2013 Lançamento Oficial em 12/09/2013 (SP) A Falha não é uma Opção Quem não conhece a história corre o risco de repetí-la JWB Engenharia e Consultoria S/C Ltda JWB Engenharia Empresa nacional

Leia mais

Manual do Estagiário 2008

Manual do Estagiário 2008 Manual do Estagiário 2008 Sumário Introdução... 2 O que é estágio curricular... 2 Objetivos do estágio curricular... 2 Duração e carga horária do estágio curricular... 3 Requisitos para a realização do

Leia mais

Assessoria Swagelok em Energia. Um Recurso de Confiança para Otimizar o Desempenho do seu Sistema de Vapor

Assessoria Swagelok em Energia. Um Recurso de Confiança para Otimizar o Desempenho do seu Sistema de Vapor Assessoria Swagelok em Energia Um Recurso de Confiança para Otimizar o Desempenho do seu Sistema de Vapor Conheça a experiência de alguns clientes sobre a Assessoria Swagelok em Energia Com serviços de

Leia mais

Visão Subnormal. Guia do Apresentador

Visão Subnormal. Guia do Apresentador Visão Subnormal Guia do Apresentador SLIDE 1 Introdução do apresentador. O propósito desta apresentação é oferecer informações sobre o que é a visão subnormal, o que pode ser feito sobre ela e onde se

Leia mais

MANIPULAÇÃO DOS INSTRUMENTOS PERSONALIZADOS PROPHECY DESCARTÁVEIS DA MICROPORT 150807-0

MANIPULAÇÃO DOS INSTRUMENTOS PERSONALIZADOS PROPHECY DESCARTÁVEIS DA MICROPORT 150807-0 PT MANIPULAÇÃO DOS INSTRUMENTOS PERSONALIZADOS PROPHECY DESCARTÁVEIS DA MICROPORT 150807-0 Estão incluídos na presente embalagem os idiomas seguintes: English (en) Deutsch (de) Nederlands (nl) Français

Leia mais

INVESTIGAÇÕES EM TECNOVIGILÂNCIA

INVESTIGAÇÕES EM TECNOVIGILÂNCIA INVESTIGAÇÕES EM TECNOVIGILÂNCIA A principal finalidade da investigação de acidentes e / ou das reações adversas relacionados aos produtos de saúde, em especial no caso da Tecnovigilância, os equipamentos,

Leia mais

GETINGE FD1600 LAVADORA DE DESCARGA COM ABERTURA FRONTAL

GETINGE FD1600 LAVADORA DE DESCARGA COM ABERTURA FRONTAL GETINGE FD1600 LAVADORA DE DESCARGA COM ABERTURA FRONTAL 2 Getinge FD1600 Getinge FD1600 3 COMBATENDO A INFECÇÃO CRUZADA DE MANEIRA SIMPLES E EFETIVA Com seu projeto moderno e atraente, operação fácil

Leia mais

2. Função Produção/Operação/Valor Adicionado

2. Função Produção/Operação/Valor Adicionado 2. Função Produção/Operação/Valor Adicionado Conteúdo 1. Função Produção 3. Administração da Produção 1 Bibliografia Recomenda Livro Texto: Introdução à Administração Eunice Lacava Kwasnicka - Editora

Leia mais

Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7

Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7 Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7 Use esta lista de verificação para ter certeza de que você está aproveitando todas as formas oferecidas pelo Windows para ajudar a manter o seu

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Elaborado por: GT Especial do ABNT/CB-25 Grupo de Aperfeiçoamento do

Leia mais

VALIDAÇÃO DE DIPLOMA PARA O PROGRAMA EXPRESS ENTRY

VALIDAÇÃO DE DIPLOMA PARA O PROGRAMA EXPRESS ENTRY VALIDAÇÃO DE DIPLOMA PARA O PROGRAMA EXPRESS ENTRY Um passo fundamental e inevitável para quem quer aplicar para os programas de imigração canadenses é a validação dos diplomas de estudos realizados no

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos INTERPRETAÇÃO ISO 9001:2008 GESTÃO DE QUALIDADE O que é ISO? ISO = palavra grega que significa Igualdade CAPÍTULO: Preâmbulo ISO 9001:2008 0.1 - Generalidades: foi esclarecido que a conformidade com requisitos

Leia mais

Perguntas e respostas

Perguntas e respostas Diretrizes Perguntas e respostas Axis Certification Program Índice 1. Finalidade e benefícios 3 2. Como tornar-se um Axis Certified Professional 3 3. Após o Exame 5 4. Diferença entre o Axis Certification

Leia mais