e-gov 24 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp 24 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO"

Transcrição

1 e-gov Clipping DNIT Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes Diretoria de Infra-Estrutura Aquaviária 24 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO POSICIONE O CURSOR NO NÚMERO DA MANCHETE, CLIQUE E TENHA ACESSO À NOTÍCIA CAP discute problemas e soluções ao sistema viário 2 Maior porto brasileiro continua batendo recordes 2 Agência de Cooperação Internacional do Japão firma acordo com o Governo do Ceará 4 CVRD anuncia nova escala no serviço de navegação costeira 5 TRT encerra greve dos estivadores de Santos 6 Terminais de Santos poderão escalar estivadores 6 Suspensa taxa de cobrança do Tecon 7 Codesp participa de seminário antiterrorismo 7

2 CAP discute problemas e soluções ao sistema viário Terça-Feira, 24 de Agosto de 2004, 06:33 Da Reportagem Os membros do Conselho de Autoridade Portuária (CAP) se reúnem hoje, às 9h30, em caráter extraordinário para discutir o sistema viário do Porto de Santos. Foram convidados representantes da Secretaria de Transportes do Estado, da Ecovias, Codesp, CET, Dimutran-Guarujá, Sindicato das Empresas de Transporte Comercial de Cargas do Litoral Paulista (Sindisan) e do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos (Sindicam). O encontro acontecerá na sede do CAP, à Rua Augusto Severo 7, 13º andar, no Centro. A intenção na reunião de hoje é verificar as providências que estão sendo tomadas para tentar resolver os frequentes congestionamentos de carretas, além das prometidas áreas de estacionamento para este tipo de veículo. Em algumas oportunidades o congestionamento de caminhões no cais do Saboó chega a causar reflexos no trânsito da Alemoa. Tarifa À tarde, a partir das 14 horas, o CAP realiza a reunião ordinária no mesmo local. Um dos temas importantes é a proposta da Codesp de reajuste tarifário. A estatal solicitou um aumento de 38,1%, além de propor uma reestruturação tarifária, incluindo a eliminação da cobrança sobre armazenagem e aluguel de equipamentos. Com a privatização e a saída da Codesp da operação da carga, na prática essas duas tabelas já não vinham sendo utilizadas porque o serviço não costumava ser requisitado. O CAP também pedirá informações à Codesp sobre o Termo de Permissão de Uso do Terminal de Contêineres (Tecon-2) que será usado para o embarque de veículos, e a posição da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) a este respeito. Outro ponto da pauta da reunião é a situação atual do ISPS Code. Maior porto brasileiro continua batendo recordes 24/8/2004 Em entrevista ao NetMarinha, Fabrízio Piedormênico, diretor comercial e de desenvolvimento da Codesp, falou sobre os recordes registrados no primeiro semestre, os novos projetos para o Porto de Santos e aprovou posicionamento da Feira Transnacional 2004.

3 Líder na movimentação de cargas do País, o Porto de Santos espera atingir o recorde de 68 milhões de toneladas movimentadas até o final do ano, crescendo pelo quinto ano consecutivo na casa de dois dígitos. Para Fabrízio Piedormênico, diretor comercial e de desenvolvimento da Codesp, os produtos em destaque no primeiro semestre de 2004 foram o açúcar, a soja e os contêineres que tiveram considerável aumento em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo o diretor, a movimentação de contêineres cresceu 25% nos primeiros seis meses do ano, fato que chama a atenção de Piedormênico, já que o primeiro semestre ainda não é um período forte para o setor. "No segundo período do ano, a movimentação de contêineres no cais é bem maior por conta de diversos fatores, entre eles, as festas de final de ano", disse. No açúcar, foi registrado um significativo aumento de 51% em relação ao mesmo período do ano passado, número que demonstra a importância do produto para o Porto. A soja também se destacou, já que foram escoadas pelo complexo portuário santista 6,72% a mais do que em Outro produto de destaque salientado por Piedomênico foi o álcool. Houve um crescimento de 300% nas exportações do produto no período de janeiro a julho deste ano. Em um ano, alguns apostam que devem ser escoadas por Santos mais de 1 milhão de toneladas do produto. "Quem sabe seja mais uma commoditie que entra com força no Porto", afirmou. Projetos - Durante entrevista ao NetMarinha, o executivo da Codesp informou sobre alguns investimentos em andamento no Porto de Santos. Entre eles, está a retomada da dragagem do porto. Segundo Piedormêmico, os trabalhos deverão estar prontos até o final do ano. "A dragagem é importantíssima porque aumenta a produtividade do Porto já que poderemos receber navios de maior calado", salientou. Existem outras obras também em processo de amadurecimento como a da Avenida Perimetral. De acordo com o executivo, a obra está em fase de licenciamento ambiental. "Acredito que no primeiro semestre de 2005 nós já estaremos capacitados para iniciar a licitação do projeto executivo da perimetral", disse. A Codesp também aguarda uma licença ambiental para a conclusão das obras do terminal de veículos no Tecon 2, que irá atender exportadores do setor como a Volkswagen que pretende dar início às exportações do novo Fox para a Europa no começo do ano que vem. Cabotagem - No dia 16 de setembro, a Codesp realizará um seminário na

4 Associação Comercial de São Paulo sobre o incentivo à cabotagem no Porto de Santos. No mês passado, foi enviada ao Conselho de Autoridade Portuária (CAP) proposta para redução de redução em 50% nas tarifas de Acesso Aquaviário para carga geral, solta ou conteinerizada, fato que pretende impulsionar a cabotagem no cais santista. "É uma grande aposta que nós estamos fazendo. Estamos bastante otimistas para crescer neste segmento", informou. Transnacional - O Porto de Santos foi um dos expositores da Feira Transnacional Segundo Piedormênico, a feira tem se tornado um marco nas relações empresariais, evidenciando a importância da participação do maior porto do Brasil no evento. "É um ambiente de negócios onde vários setores do comércio exterior estão presentes e para nós, é uma forma muito rápida e eficiente de divulgar o potencial do porto santista. A palavra hoje é network, é olho no olho, e essa proximidade está sendo bastante interessante", concluiu o diretor satisfeito com os resultados apresentados durante a feira. Foto por Gladstone Campos Por Maria Carolina Gonçalves Santos Agência de Cooperação Internacional do Japão firma acordo com o Governo do Ceará 24/8/2004 O objetivo da parceria permitirá que a entidade elabore o Estudo do Plano de Desenvolvimento do Complexo Industrial Portuário do Pecém, que terá início em janeiro de Na última semana, representantes da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), durante missão ao Ceará, assinaram um acordo com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) com o objetivo de elaborar, em parceria, o Estudo do Plano de Desenvolvimento do Complexo Industrial Portuário do Pecém. Segundo informações divulgadas pela Companhia Docas do Ceará (CDC), o estudo, que terá início em janeiro de 2005, "objetiva examinar a estratégia do desenvolvimento industrial da região, formular um plano de desenvolvimento em longo prazo (Plano Master) e um levantamento de possibilidades em curto prazo para o Terminal do Pecém, além de sugerir a implementação de novas tecnologias". A CDC informou ainda que para que isso ocorra, serão examinadas as condições

5 sócio-econômicas e revistos os planos e as políticas de desenvolvimento regional, de transporte, das atividades portuárias, das atividades industriais e as leis e regulamentos relacionados à proteção ambiental. Planos - Para a elaboração do Plano Master, que tem o ano de 2022 como meta, será necessário avaliar o sistema de operação de cargas, de transporte; projetar o volume e os tipos de carga no futuro; identificar o número necessário e o tamanho dos estabelecimentos portuários para atender às futuras demandas; apresentar um plano com layout básico das instalações portuárias; preparar o plano do período da implementação; estimar o custo do projeto; e avaliar a sua viabilidade econômica. Já o Plano de Desenvolvimento a Curto Prazo e o Estudo de Possibilidades, cuja meta é 2012, identificarão as prioridades do Plano Master a serem implementadas, acrescentarão uma pesquisa sobre as condições naturais, proporão um sistema de informação para a administração e operação do terminal portuário e um programa de construções, prevendo custos e análises econômicas e financeiras. "Esse acordo entre Ceará e Japão é de fundamental importância para o Complexo Industrial e Portuário do Pecém, já que o Japão tem muito a acrescentar ao nosso contexto, no que diz respeito a tecnologia e conhecimento nessas áreas", comentou José Roberto Correia Serra, diretor-presidente da Cearáportos. CVRD anuncia nova escala no serviço de navegação costeira 24/8/2004 Com isso, Minas Gerais contará com um acesso regular ao Mercosul e utilizará a multimodalidade em parceria com a logística da empresa. A Companhia Vale do Rio Doce, uma das maiores operadoras logística do Brasil, anunciou o serviço de cabotagem oferecido pelo departamento de logística já realiza escalas no Terminal de Vila Velha (TVV), localizado em Vitória. Por meio de uma integração deste serviço em parceria com o Trem Expresso, a região de Minas Gerais. Segundo informações divulgadas, Minas Gerais contará agora com um acesso regular ao Mercosul e utilizará a multimodalidade com um único ponto de contato, ou seja, a Logística da Companhia Vale do Rio Doce. Dados - Com opções diferenciadas de serviços multimodais, a Companhia Vale do Rio Doce é uma das principais provedoras de soluções logísticas para o mercado nacional. Em 2004, a Vale do Rio Doce investirá US$ 182 milhões na compra de locomotivas e vagões para a Estrada de Ferro Carajás (EFC) e para a Estrada de Ferro Vitória a Minas Gerais (EFVM). Serão compradas seis locomotivas e vagões para o transporte de minério de ferro, e 12 locomotivas e 754 vagões para o transporte de carga de clientes da Logística da Vale. Também serão investidos

6 US$ 130,6 milhões na compra de locomotivas (70) e vagões (1.167) para a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), somente para o transporte de carga de clientes. A logística da Companhia Vale do Rio Doce é responsável por 16% da movimentação de cargas no Brasil, 65% da movimentação portuária de granéis sólidos e 39% da movimentação do comércio exterior nacional. Novo contrato - A empresa, também uma das maiores produtoras mundiais de ferro liga, informou ainda que assinou contrato de venda do produto para a Corus, companhia siderúrgica européia e uma das principais clientes da CVRD. A parceria de fornecimento durará três anos e compreenderá o fornecimento anual de 30 mil toneladas do material. Conforme a CVRD, "o contrato marca a mudança de paradigma no relacionamento comercial entre os produtores de ferro ligas e os de aço, na medida em que o suprimento dessa matéria-prima era realizado anteriormente mediante transações no mercado spot. Tal modificação é bastante positiva para ambas as partes, permitindo a otimização do planejamento da produção". TRT encerra greve dos estivadores de Santos 23/08/2004 A operação padrão realizada pelos estivadores de Santos (SP) terminou na última quinta-feira (19), conforme noticiou o jornal Gazeta Mercantil de sexta-feira (20). O movimento foi iniciado na segunda-feira passada (16) e retardou os trabalhos de carga e descarga de 30 navios na quarta-feira (18). Os estivadores reivindicavam reajuste na diária há sete anos e meio congelada. De acordo com informações do jornal, na última quinta-feira (19), o Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, concedeu aos trabalhadores o dissídio referente ao ano de um reajuste de 17,66% na diária de trabalho, valerefeição de R$ 8,00 e vale-transporte. A diária atual é de R$ 17,00 por seis horas de trabalho. Terminais de Santos poderão escalar estivadores 23/08/2004 Os terminais de contêineres do porto de Santos poderão utilizar empregados próprios ou a tripulação dos navios no lugar dos estivadores em casos excepcionais ou emergenciais, como nas ocasiões de greve. A medida, que

7 beneficia Santos Brasil, Libra, Tecondi e Rodrimar, foi determinada através de liminar da 4ª Vara Federal de Santos (SP). As empresas poderão lançar mão de tal ação, principalmente, em momentos de greve, como ocorreu na semana passada, quando os estivadores determinaram operação-padrão de segunda até quinta-feira. Segundo o jornal santista A Tribuna, a juíza que concedeu a liminar considerou a decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP) no julgamento do dissídio coletivo de 2002 no mês passado que acaba com a obrigatoriedade de se manter uma quantidade mínima de trabalhadores por terno de trabalho. No julgamento do dissídio de 2003, realizado na tarde de quinta (19), o tribunal manteve o mesmo posicionamento. O Sindicato dos Estivadores deve recorrer da decisão. Suspensa taxa de cobrança do Tecon 23/08/2004 O Terminal de Contêineres (Tecon) da Santos Brasil suspendeu, na última quartafeira, a cobrança de um valor sobre os contêineres de exportação. A informação foi divulgada pelo jornal A Tribuna da última sexta-feira (20). A cobrança de da taxa foi a medida adotada por alguns terminais do setor como forma de compensar custos com os investimentos na implantação do ISPS Code conjunto de normas de segurança preventivas contra ataques terroristas. Porém, de acordo com o veículo, a suspensão da cobrança é temporária e valerá até que a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) analise a questão, a pedido de empresários que recorreram ao órgão. A cobrança de uma das principais operadoras de contêineres do Porto de Santos abrangia somente as unidades para exportação e valia desde o dia 1 º de julho, quando o ISPS Code entrou em vigor. A suspensão é o primeiro resultado vitorioso dos exportadores contra o estabelecimento de um valor sobre a operação dos contêineres sem uma discussão prévia. Codesp participa de seminário antiterrorismo 23/08/2004 A Companhia Docas do Estado de São Paulo (CODESP) participa, representada pelos técnicos Mariliza Fontes Pereira e João Fernando Cavalcanti Gomes da Silva, do Seminário Como exportar paras os EUA Aspectos Práticos das Medidas Antiterrorismo. O evento acontece nesta terça-feira (24) e pretende analisar e discutir o comércio de cargas com aquele país, a partir dos códigos internacionais de segurança adotados pelas vias de transporte para combater o terrorismo. Os representantes da Autoridade Portuária, responsáveis pela coordenação e implantação dos planos de segurança do Porto de Santos, estarão apresentando

8 no evento as medidas adotadas para o funcionamento do cais santista, sem riscos para a sua segurança. As medidas antiterroristas são os planos ISPS-Code (International Ship and Port Facilities Security Code) Plano Internacional de segurança em instalações portuárias, e o CSI (Container Security Initiative) Plano de segurança para contêineres. Além disso, o encontro, organizado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), visa também orientar empresas com relações comerciais com os Estados Unidos para os procedimentos adequados às normas de segurança para a movimentação por contêineres. Para se inscrever é necessário entrar em contato com a ACSP, pelo grupo São Paulo Chamber of Commerce, pelo telefone (11) ou pelo O órgão fica na Rua Boa Vista, 51, 11º andar.

http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp 19 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO Sopesp e exportadores discutem taxa 2

http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp 19 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO Sopesp e exportadores discutem taxa 2 http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp Clipping DNIT Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes Diretoria de Infra-Estrutura Aquaviária 19 / 08 / 2004 ÍNDICE

Leia mais

TERMINAIS DE CONTÊINERES O que fazem pelo Brasil. Investimentos: US$ 615,4 milhões. Resultado: Eficiência, Competitividade e Confiabilidade

TERMINAIS DE CONTÊINERES O que fazem pelo Brasil. Investimentos: US$ 615,4 milhões. Resultado: Eficiência, Competitividade e Confiabilidade TERMINAIS DE CONTÊINERES O que fazem pelo Brasil. Investimentos: US$ 615,4 milhões. Resultado: Eficiência, Competitividade e Confiabilidade O Cenário O contêiner passou a ser o principal meio de transporte

Leia mais

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral Vale no Maranhão AGENDA A Vale O Maior Projeto de Logística da America Latina - Exportação de Minério - Logística da Vale de Carga Geral A Vale no Mundo A Vale tem operações mineradoras, laboratórios de

Leia mais

MULTIMODALIDADE. Agência Nacional de Transportes Aquaviários SETOR AQUAVIÁRIO EVOLUÇÃO / TENDÊNCIAS

MULTIMODALIDADE. Agência Nacional de Transportes Aquaviários SETOR AQUAVIÁRIO EVOLUÇÃO / TENDÊNCIAS Agência Nacional de Transportes Aquaviários MULTIMODALIDADE EVOLUÇÃO / TENDÊNCIAS SETOR AQUAVIÁRIO SEMINÁRIO: TRANSPORTE / ENERGIA PILARES DE SUSTENTAÇÃO DA NOVA ECONOMIA Palestra do Diretor-Geral da ANTAQ,

Leia mais

O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira

O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira Mauro Dias Diretor-Presidente 1 Seminário Cabotagem Brasileira Agosto 2009 Mercado de Cabotagem de Contêineres O mercado de contêineres

Leia mais

http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp 17 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO Porto sente efeito do protesto da estiva 2

http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp 17 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO Porto sente efeito do protesto da estiva 2 http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp Clipping DNIT Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes Diretoria de Infra-Estrutura Aquaviária 17 / 08 / 2004 ÍNDICE

Leia mais

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte LOGÍSTICA O Sistema de Transporte O TRANSPORTE 1. Representa o elemento mais importante do custo logístico; MODALIDADE (UM MEIO DE TRANSPORTE) MULTIMODALIDADE (UTILIZAÇÃO INTEGRADA DE MODAIS) Tipos de

Leia mais

RESOLUÇÃO DP Nº 108.2006, DE 16 DE AGOSTO DE 2006.

RESOLUÇÃO DP Nº 108.2006, DE 16 DE AGOSTO DE 2006. RESOLUÇÃO DP Nº 108.2006, DE 16 DE AGOSTO DE 2006. INSTITUI O REGRAMENTO PARA GESTÃO DO TRÁFEGO PORTUÁRIO, SINALIZA E MONITORA A CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS, ESTABELECE ZONAS DE ESTACIONAMENTOS ROTATIVOS PARA

Leia mais

30º Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2011

30º Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2011 30º Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2011 Rio de Janeiro, 18 e 19 de Agosto de 2011 Reflexos das Concessões de Terminais Públicos e Privativos Juarez Moraes e Silva Presidente do Conselho Associação

Leia mais

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS Vigência: 15/03/2014 a 14/03/2015 ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS OPERAÇÃO PORTUÁRIA - Tarifas devidas pelo armador, agente de navegação ou requisitante - A. OPERAÇÃO

Leia mais

A Vale no Maranhão. A Vale no Maranhão

A Vale no Maranhão. A Vale no Maranhão A Vale no Maranhão A Vale no Maranhão Estamos presentes em mais de 38 países Geramos mais de 174 mil empregos no mundo Além de minérios, atuamos na área de fertilizantes e nos segmentos de logística, energia

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes. A Melhoria da Estrutura Portuária

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes. A Melhoria da Estrutura Portuária MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes A Melhoria da Estrutura Portuária AGENDA PORTOS Coordenação das ações de governo, na Câmara de Política de Infra-estrutura,

Leia mais

Logística Integrada na Prestação de Serviços de Cabotagem De Porto-a-Porto a Porta-a-Porta

Logística Integrada na Prestação de Serviços de Cabotagem De Porto-a-Porto a Porta-a-Porta Logística Integrada na Prestação de Serviços de Cabotagem De Porto-a-Porto a Porta-a-Porta Renata de Oliveira Carvalho. Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Negócios da Universidade

Leia mais

Congestionamento de Porto + Desembaraço + Infraestrutura = Impacto no Custo Brasil Fabiana Nakai, Gerente de Soluções para Clientes, Automotivo

Congestionamento de Porto + Desembaraço + Infraestrutura = Impacto no Custo Brasil Fabiana Nakai, Gerente de Soluções para Clientes, Automotivo Congestionamento de Porto + Desembaraço + Infraestrutura = Impacto no Custo Brasil Fabiana Nakai, Gerente de Soluções para Clientes, Automotivo Outubro, 2013 UTi Provedor de Soluções Logísticas Financeiro

Leia mais

Integração do Controle Operacional - Cargas ISPS CODE

Integração do Controle Operacional - Cargas ISPS CODE Integração do Controle Operacional - Cargas ISPS CODE Supervia Concepção Básica Órgãos de Governo Operadores Logísticos Importadores e Exportadores S u p e r v i a E l e t r ô n i c a d e D a d o s S E

Leia mais

ANÁLISE DO MOVIMENTO FÍSICO DO PORTO DE SANTOS

ANÁLISE DO MOVIMENTO FÍSICO DO PORTO DE SANTOS ANÁLISE DO MOVIMENTO FÍSICO DO PORTO DE SANTOS JULHO DE 2013 DC/SCM/GCE, 02/09/2013 Companhia Docas do Estado de São Paulo CODESP Av. Rodrigues Alves, s/ nº - Santos/SP - CEP 11015-900 Site:http://www.portodesantos.com.br

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS EDITORIAL: Caros Leitores, TRIBUNAL MARÍTIMO TM Justiça e Segurança para Navegação 80 Anos a Serviço da Comunidade Marítima Brasileira Biblioteca Almirante Adalberto Nunes Centro de Conhecimento em Direito

Leia mais

A T R E S ASSOCIAÇÃO DO TERMINAIS PORTUÁRIOS E RETROPORTUÁRIOS E DOS USUÁRIOS DOS PORTOS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. www.atres.org.

A T R E S ASSOCIAÇÃO DO TERMINAIS PORTUÁRIOS E RETROPORTUÁRIOS E DOS USUÁRIOS DOS PORTOS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. www.atres.org. A T R E S ASSOCIAÇÃO DO TERMINAIS PORTUÁRIOS E RETROPORTUÁRIOS E DOS USUÁRIOS DOS PORTOS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO A ATRES - Associação dos Terminais Retroportuários, Portuários e dos Usuários dos Portos

Leia mais

PORTO ORGANIZADO DE PORTO VELHO TARIFA PORTUÁRIA VIGÊNCIA: 07/05/2015.

PORTO ORGANIZADO DE PORTO VELHO TARIFA PORTUÁRIA VIGÊNCIA: 07/05/2015. 1 SOCIEDADE DE PORTOS E HIDROVIAS DO PORTO ORGANIZADO DE PORTO VELHO TARIFA PORTUÁRIA VIGÊNCIA: 07/05/2015. RESOLUÇÃO Nº 4.093-ANTAQ, DE 07/05/2015. (ANTAQ-Agência Nacional de Transportes Aquaviário) PORTO

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DIRETOR GERAL DA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS - ANTAQ

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DIRETOR GERAL DA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS - ANTAQ EXCELENTÍSSIMO SENHOR DIRETOR GERAL DA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS - ANTAQ Processo n 50.300.000.893/2009-23 A ASSOCIAÇÃO DE USUÁRIOS DOS PORTOS DA BAHIA - USUPORT, já devidamente qualificado

Leia mais

.2.3 HISTÓRICO... 05. MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLíTICA DE QUALIDADE... 06 OPERAÇÃO PORTUÁRIA... 08 ATIVIDADES... 08 QUALIDADE...

.2.3 HISTÓRICO... 05. MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLíTICA DE QUALIDADE... 06 OPERAÇÃO PORTUÁRIA... 08 ATIVIDADES... 08 QUALIDADE... HISTÓRICO... 05 MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLíTICA DE QUALIDADE... 06 OPERAÇÃO PORTUÁRIA... 08 ATIVIDADES... 08 QUALIDADE... 10 EVOLUIR SEMPRE... 12 ALTA TECNOLOGIA PARA GRANDES RESULTADOS... 15 EQUIPAMENTOS...

Leia mais

Guria Informação & Sistemas

Guria Informação & Sistemas O Estado de S.Paulo Economia Só a informatização dos portos custa R$ 1 bi Com ela haveria mais agilidade, mas governo não quer arcar com o investimento sozinho RENÉE PEREIRA e PATRÍCIA CAMPOS MELLO O Ministério

Leia mais

O PAPEL DA MATRIZ DE TRANSPORTES DE CARGAS NA EFICIÊNCIA DA CADEIA DE LOGÍSTICA DO ESTADO DE SÃO PAULO

O PAPEL DA MATRIZ DE TRANSPORTES DE CARGAS NA EFICIÊNCIA DA CADEIA DE LOGÍSTICA DO ESTADO DE SÃO PAULO Agência Nacional de Transportes Aquaviários O PAPEL DA MATRIZ DE TRANSPORTES DE CARGAS NA EFICIÊNCIA DA CADEIA DE LOGÍSTICA DO ESTADO DE SÃO PAULO FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO FIESP

Leia mais

Programa de Arrendamentos de Áreas e Instalações Portuárias do Porto de Santos

Programa de Arrendamentos de Áreas e Instalações Portuárias do Porto de Santos Programa de Arrendamentos de Áreas e Instalações Portuárias do Porto de Santos Dezembro de 2006 Programa de Arrendamentos de Áreas e Instalações Portuárias do Porto de Santos 1. INTRODUÇÃO Este documento

Leia mais

Portos Brasileiros: Diagnósticos, Políticas e Perspectivas

Portos Brasileiros: Diagnósticos, Políticas e Perspectivas Portos Brasileiros: Diagnósticos, Políticas e Perspectivas Congresso Internacional NAVEGAR 2010 Carlos Campos Neto Carlos.campos@ipea.gov.br Porto Alegre, agosto de 2010 2/33 Sumário Diagnóstico Marco

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS TRIBUNAL MARÍTIMO TM Justiça e Segurança para Navegação 81 Anos a Serviço da Comunidade Marítima Brasileira Biblioteca Almirante Adalberto Nunes Centro de Conhecimento em Direito Marítimo CLIPPING DE NOTÍCIAS

Leia mais

Modernização portuária impulsiona comércio exterior. Richard Klien

Modernização portuária impulsiona comércio exterior. Richard Klien Modernização portuária impulsiona comércio exterior Richard Klien Modernização portuária impulsiona comércio exterior 1. Programa de modernização portuária 2. Operadores privados alavancam portos públicos

Leia mais

Seminário Terminais, Ferrovias e Contêineres

Seminário Terminais, Ferrovias e Contêineres Seminário Terminais, Ferrovias e Contêineres Terminal de contêiner é bom negócio? São Paulo 25 de Maio de 2009 José Eduardo Bechara Diretor Comercial e Marketing E Grupo Libra Nossa atuação em Contêineres

Leia mais

Banif Banco de Investimento S.A. Oportunidades de Investimento nos Portos Brasileiros

Banif Banco de Investimento S.A. Oportunidades de Investimento nos Portos Brasileiros Banif Banco de Investimento S.A. Oportunidades de Investimento nos Portos Brasileiros Fernando Antonio Brito Fialho Agência Nacional de Transportes Aquaviários Diretor Geral São Paulo, 16 de junho de 2009

Leia mais

CODESA. DANILO ROGER MARÇAL QUEIROZ Diretor de Planejamento e Desenvolvimento/ Diretor de Administração e Finanças (interino)

CODESA. DANILO ROGER MARÇAL QUEIROZ Diretor de Planejamento e Desenvolvimento/ Diretor de Administração e Finanças (interino) 2 CODESA CORPO DIRETOR CLOVIS LASCOSQUE Diretor Presidente DANILO ROGER MARÇAL QUEIROZ Diretor de Planejamento e Desenvolvimento/ Diretor de Administração e Finanças (interino) HUGO JOSÉ AMBOSS MERÇON

Leia mais

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Câmara de Comércio Brasil-Argentina Julho de 2015 Guilherme Alvisi Gerente Geral de Negócios Carga Geral GUILHERME ALVISI Gerente Geral

Leia mais

Navegação de Cabotagem no Brasil. João Guilherme Araujo. Novembro/2013

Navegação de Cabotagem no Brasil. João Guilherme Araujo. Novembro/2013 Navegação de Cabotagem no Brasil João Guilherme Araujo Novembro/2013 Agenda Porque falar de Cabotagem? Cabotagem no Brasil Pontos Favoráveis e Desfavoráveis Números da Cabotagem no Brasil Cabotagem de

Leia mais

ANÁLISE DO MOVIMENTO FÍSICO DO PORTO DE SANTOS

ANÁLISE DO MOVIMENTO FÍSICO DO PORTO DE SANTOS DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO COMERCIAL SCM / GCE ANÁLISE DO MOVIMENTO FÍSICO DO PORTO DE SANTOS - MAIO DE 2009 Companhia Docas do Estado de São Paulo CODESP Av. Rodrigues Alves, s/ nº - Santos/SP - CEP

Leia mais

Logística e Infra-estrutura

Logística e Infra-estrutura Siderurgia Mineração Cimento Logística e Infra-estrutura CSN apresenta Plataforma Logística CSN em Itaguaí Plataforma Logística CSN em Itaguaí Um projeto alinhado às necessidades do Brasil Plataforma Logística

Leia mais

CLIPPING EVENTO DO DIA 26/11 COM PRESIDENTE DA EPL

CLIPPING EVENTO DO DIA 26/11 COM PRESIDENTE DA EPL CLIPPING EVENTO DO DIA 26/11 COM PRESIDENTE DA EPL 27/11/2012 27/11/2012 27/11/2012 Meta da EPL é que Trem de Alta Velocidade Rio-São Paulo opere em 2018 Em palestra na Amcham Rio, o presidente da EPL,

Leia mais

Agenda. A Vale Logística da Vale. Números Corredores Logísticos. Novos Corredores. FNS Noroeste de MG

Agenda. A Vale Logística da Vale. Números Corredores Logísticos. Novos Corredores. FNS Noroeste de MG Agenda A Vale Logística da Vale Números Corredores Logísticos Novos Corredores FNS Noroeste de MG A Vale Milhares de empregados da Vale participam intensamente do dia-a-dia de mais de 500 comunidades ao

Leia mais

Revolução argentina no processo de carregamento de grãos de Soja

Revolução argentina no processo de carregamento de grãos de Soja Tipo: Artigo Produto: Grãos de Soja 3ª Parte: TPR Rosário Publicação / Sulamericana Data: Abril 2015 Ref: 160415ARGrain Revolução argentina no processo de carregamento de grãos de Soja O terminal argentino

Leia mais

http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp 04 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO

http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp 04 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp Clipping DNIT Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes Diretoria de Infra-Estrutura Aquaviária 04 / 08 / 2004 ÍNDICE

Leia mais

Infra-estrutura de Intermodalidade no Brasil Um Estudo Comparativo Centro de Estudos em Logística COPPEAD/UFRJ

Infra-estrutura de Intermodalidade no Brasil Um Estudo Comparativo Centro de Estudos em Logística COPPEAD/UFRJ Infra-estrutura de Intermodalidade no Brasil Um Estudo Comparativo Centro de Estudos em Logística COPPEAD/UFRJ Dados preliminares sujeitos a alterações Roteiro de Apresentação Definição de Transporte Intemodal

Leia mais

ESTRATÉGIA PARA A FORMAÇÃO MARÍTIMO-PORTUÁRIA NO ESPAÇO APLOP. Prof. Eng. Dea, Msc. Adalmir José de Souza

ESTRATÉGIA PARA A FORMAÇÃO MARÍTIMO-PORTUÁRIA NO ESPAÇO APLOP. Prof. Eng. Dea, Msc. Adalmir José de Souza ESTRATÉGIA PARA A FORMAÇÃO MARÍTIMO-PORTUÁRIA NO ESPAÇO APLOP Prof. Eng. Dea, Msc. Adalmir José de Souza CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Especialização APRESENTAÇÃO O curso tem como objetivo

Leia mais

Desafio Logístico 2013

Desafio Logístico 2013 1 Desafio Logístico 2013 Índice Introdução 3 A situação O desafio 5 5 Regras gerais 6 2 Introdução O desenvolvimento econômico do Brasil enfrenta inúmeros desafios sendo que um dos mais complexos está

Leia mais

Agradecemos a oportunidade de apresentar nossa Tabela de Preços - Longo Curso e Cabotagem, conforme abaixo.

Agradecemos a oportunidade de apresentar nossa Tabela de Preços - Longo Curso e Cabotagem, conforme abaixo. CONVICON - CONTEINERES DE VILA DO CONDE S/A CNPJ: 06.013.760/0001-10 I.E: 15.235.534-0 End. Rod. PA. 481 S/N Km21 - Barcarena - Cep.: 68447-000 - Cx. P.: 82 Tel: (091) 3322-7575 Home page: www.santosbrasil.com.br

Leia mais

GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES PORTO DE SANTOS A PORTA DO BRASIL. Março/2004

GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES PORTO DE SANTOS A PORTA DO BRASIL. Março/2004 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES GOVERNO FEDERAL PORTO DE SANTOS A PORTA DO BRASIL Março/2004 PORTO DE SANTOS Localização dos Terminais Derivados Petróleo Autos Inflam. Papel Margem Esquerda Contêineres. Trigo

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS EDITORIAL: Caros Leitores, TRIBUNAL MARÍTIMO TM Justiça e Segurança para Navegação 80 Anos a Serviço da Comunidade Marítima Brasileira Biblioteca Almirante Adalberto Nunes Centro de Conhecimento em Direito

Leia mais

TARIFA DO PORTO DO FORNO TABELA I - UTILIZAÇÃO DA INFRAESTRUTURA PORTUÁRIA PROTEÇÃO E ACESSO AO PORTO

TARIFA DO PORTO DO FORNO TABELA I - UTILIZAÇÃO DA INFRAESTRUTURA PORTUÁRIA PROTEÇÃO E ACESSO AO PORTO TARIFA DO PORTO DO FORNO TABELA I - UTILIZAÇÃO DA INFRAESTRUTURA PORTUÁRIA PROTEÇÃO E ACESSO AO PORTO Esta tabela remunerará as facilidades portuárias constituídas pelos molhes, quebramares, canal de acesso

Leia mais

http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp 09 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO

http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp 09 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp Clipping DNIT Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes Diretoria de Infra-Estrutura Aquaviária 09 / 08 / 2004 ÍNDICE

Leia mais

SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE COMERCIAL DE CARGA DO LITORAL PAULISTA SINDISAN

SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE COMERCIAL DE CARGA DO LITORAL PAULISTA SINDISAN Proposta para Aumento de Eficiência Logística: DEPOTS 24 HORAS SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE COMERCIAL DE CARGA DO LITORAL PAULISTA SINDISAN OBJETIVOS MODELO ATUAL Terminais operando em média de

Leia mais

A UNION MODAL LOGÍSTICA INTEGRADA LTDA. vem apresentar à sua empresa um programa completo de suporte às operações de logística, que atende aos

A UNION MODAL LOGÍSTICA INTEGRADA LTDA. vem apresentar à sua empresa um programa completo de suporte às operações de logística, que atende aos 2012 Apresentação Luiz José de Souza Neto Union Modal Logística Integrada Rua Teixeira de Freitas, 72, cj. 23 Santos / SP - Tel.: 13 30613387 luiz@unionmodal.com.br A UNION MODAL LOGÍSTICA INTEGRADA LTDA.

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS EDITORIAL: Caros Leitores, Os destaques desta edição! TRIBUNAL MARÍTIMO TM Justiça e Segurança para Navegação 80 Anos a Serviço da Comunidade Marítima Brasileira Biblioteca Almirante Adalberto Nunes Centro

Leia mais

http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp 16 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO

http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp 16 / 08 / 2004 ÍNDICE ANALÍTICO http://www.brasil.gov.br/ e-gov http://www.transportes.gov.br/index1.asp Clipping DNIT Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes Diretoria de Infra-Estrutura Aquaviária 16 / 08 / 2004 ÍNDICE

Leia mais

REUNIÃO PÚBLICA APIMEC-SP. Vida e desenvolvimento em equilíbrio

REUNIÃO PÚBLICA APIMEC-SP. Vida e desenvolvimento em equilíbrio REUNIÃO PÚBLICA APIMEC-SP Vida e desenvolvimento em equilíbrio 12/06/2012 Vida e desenvolvimento em equilíbrio ECORODOVIAS ESTRUTURA SOCIETÁRIA A EcoRodovias é uma das maiores empresas de infraestrutura

Leia mais

Projeto: Náutica, Portos, Infraestrutura e Logísticas. Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina

Projeto: Náutica, Portos, Infraestrutura e Logísticas. Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina Projeto: Náutica, Portos, Infraestrutura e Logísticas Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina www.brasileitalia.com.br O Projeto Tem como principais objetivos: Atrair empresas e investimentos

Leia mais

Transporte em uma empresa da indústria siderúrgica brasileira

Transporte em uma empresa da indústria siderúrgica brasileira Transporte em uma empresa da indústria siderúrgica brasileira Gizelle Coelho Netto (UnB) gizelle@producao.em.ufop.br Priscilla Cristina Cabral Ribeiro (DEPRO/UFOP-PPGEP/UFSCar) priscilla@dep.ufscar.br

Leia mais

Vale: sistema maximiza embarque de minério de ferro

Vale: sistema maximiza embarque de minério de ferro Divulgação - Vale Vale: sistema maximiza embarque de minério de ferro Para otimizar as operações de exportação de minério de ferro, a Vale investe no desenvolvimento de sistema que integra as informações

Leia mais

Portos públicos sob gestão privada promovem comércio exterior e abertura da economia ABRATEC

Portos públicos sob gestão privada promovem comércio exterior e abertura da economia ABRATEC SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS COMISÃO DE SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E TURISMO Portos públicos sob gestão privada promovem comércio exterior e abertura

Leia mais

Perspectivas e Desafios ao Desenvolvimento de Infra-estrutura de Transportes no Brasil

Perspectivas e Desafios ao Desenvolvimento de Infra-estrutura de Transportes no Brasil Perspectivas e Desafios ao Desenvolvimento de Infra-estrutura de Transportes no Brasil Desafios Regulatórios: Visão dos Reguladores Fernando Fialho Diretor-Geral da ANTAQ Brasília, 29 de novembro de 2006

Leia mais

Gestão de Fretes 15/09/2011. O transporte no processo logístico. O Sistema de Transporte. Matriz de Transportes O TRANSPORTE

Gestão de Fretes 15/09/2011. O transporte no processo logístico. O Sistema de Transporte. Matriz de Transportes O TRANSPORTE Gestão de Fretes O Sistema de Transporte O TRANSPORTE 1. Representa o elemento mais importante do custo logístico; 2. Tem papel fundamental na prestação do Serviço ao Cliente O transporte no processo logístico

Leia mais

A movimentação de cargas no Porto de Santos duplicou, desde a promulgação da Lei 8.630/93. Hoje, já são movimentados mais de 100 milhões de toneladas

A movimentação de cargas no Porto de Santos duplicou, desde a promulgação da Lei 8.630/93. Hoje, já são movimentados mais de 100 milhões de toneladas ACESSIBILIDADE AO PORTO DE SANTOS 12 de setembro de 2013 Atribuições da Prefeitura de Santos Definição de uso e ocupação de solo Constituição Federal Estatuto da Cidade Relação Cidade Porto Secretaria

Leia mais

Gestão de Operações Portuárias com Pós Graduação

Gestão de Operações Portuárias com Pós Graduação Gestão de Operações Portuárias com Pós Graduação Objetivo: Capacitar o participante para gerir as rotinas e operações logísticas em um porto ou terminal portuário voltado para a movimentação interna, importação

Leia mais

Localização Privilegiada Porto Concentrador de Carga (Hub Port)

Localização Privilegiada Porto Concentrador de Carga (Hub Port) Localização Privilegiada Porto Concentrador de Carga (Hub Port) Vancouver Nova York São Francisco 7 dias 9 dias Dakar Roterdam Sul Yokohama Oceano Pacífico Belém São Luiz Vitória Santos Suape Singapura

Leia mais

TABELA I. Por tonelada de porte bruto das embarcações que adentrarem ao Porto com outros fins que não a movimentação de cargas, atracadas ou não.

TABELA I. Por tonelada de porte bruto das embarcações que adentrarem ao Porto com outros fins que não a movimentação de cargas, atracadas ou não. TABELA I UTILIZAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DE PROTEÇÃO E ACESSO AQUAVIÁRIO PORTUÁRIA TAXAS DEVIDAS PELO ARMADOR 1. Por Tonelagem de Porte Bruto das Embarcações Por unidade 1.1 Na movimentação de contêineres

Leia mais

TABELA DE PREÇOS E SERVIÇOS

TABELA DE PREÇOS E SERVIÇOS TABELA DE PREÇOS E SERVIÇOS Esta TABELA DE PREÇOS E SERVIÇOS será aplicada a todos os usuários que na data da prestação do serviço não tenham assinado um acordo individual com a BTP - Brasil Terminal Portuário.

Leia mais

A navegação de cabotagem no Brasil

A navegação de cabotagem no Brasil A navegação de cabotagem no Brasil Um imenso potencial com grandes desafios e barreiras João Guilherme Araujo Diretor de Desenvolvimento de Negócios ILOS - Instituto de Logística e Supply Chain Ultimamente

Leia mais

TÍTULO: SIMULAÇÃO DE SISTEMA LOGÍSTICO DE APOIO PARA EXPORTAÇÃO DE PARA-CHOQUES PARA OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

TÍTULO: SIMULAÇÃO DE SISTEMA LOGÍSTICO DE APOIO PARA EXPORTAÇÃO DE PARA-CHOQUES PARA OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: SIMULAÇÃO DE SISTEMA LOGÍSTICO DE APOIO PARA EXPORTAÇÃO DE PARA-CHOQUES PARA OS ESTADOS UNIDOS

Leia mais

POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL

POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL SOBRE LOG-IN BENEFÍCIOS MONITORAMENTO 24HS DAS CARGAS Monitoramento de risco e informação de todas as viagens; INTERMODALIDADE

Leia mais

Seminário Transporte para o Comércio e Integração Regional. CNI-BID Brasília-DF, 01/10/08. Logística Integrada André Ravara

Seminário Transporte para o Comércio e Integração Regional. CNI-BID Brasília-DF, 01/10/08. Logística Integrada André Ravara Seminário Transporte para o Comércio e Integração Regional CNI-BID Brasília-DF, 01/10/08 Logística Integrada André Ravara A Vale Milhares de empregados da Vale participam intensamente do dia-a-dia de mais

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE USUÁRIOS DOS PORTOS DA BAHIA

ASSOCIAÇÃO DE USUÁRIOS DOS PORTOS DA BAHIA Por que Minha Empresa é Associada Usuport? Apresentamos aqui o resumo de atuação da Usuport, com os seus principais trabalhos, que demonstra a vantagem de se tornar uma associada. Construindo permanentemente

Leia mais

A Infra-estrutura e os Desafios Logísticos das Exportações Brasileiras

A Infra-estrutura e os Desafios Logísticos das Exportações Brasileiras A Infra-estrutura e os Desafios Logísticos das Exportações Brasileiras P. Fernando Fleury Um dos principais efeitos do processo de globalização que vem afetando a grande maioria das nações, é o aumento

Leia mais

Logística Intermodal de. Luis Fernando Martinez Gerente Geral de Terminais Intermodais

Logística Intermodal de. Luis Fernando Martinez Gerente Geral de Terminais Intermodais Logística Intermodal de Container Luis Fernando Martinez Gerente Geral de Terminais Intermodais A Empresa Nossa História 1962 1998 1999 2001 2002 A Companhia Vale do Rio Doce funda a Docenave Overseas,

Leia mais

PROGRAMA PRÓ CABOTAGEM POTENCIAL DA CABOTAGEM PARA O AGRONEGÓCIO

PROGRAMA PRÓ CABOTAGEM POTENCIAL DA CABOTAGEM PARA O AGRONEGÓCIO AGENDA PROGRAMA PRÓ CABOTAGEM POTENCIAL DA CABOTAGEM PARA O AGRONEGÓCIO O PROGRAMA PROGRAMA PARA DESENVOLVIMENTO DA CABOTAGEMNO BRASIL, COM A PARTICIPAÇÃO DOS ORGÃOS INTERVENIENTES, ATRAVÉS DE UM GRUPO

Leia mais

Reforma Portuária. Breakbulk South America 01.12.14

Reforma Portuária. Breakbulk South America 01.12.14 Reforma Portuária Breakbulk South America 01.12.14 AGENDA 2 Reforma Portuária Desafios Oportunidades e Decisões das Empresas Expectativas EVOLUÇÃO DO MARCO REGULATÓRIO 3 1990 1993 2001 2007 2008 2013 EXTINÇÃO

Leia mais

Portos 2021. Avaliação de Demanda e Capacidade do Segmento Portuário de Contêineres no Brasil

Portos 2021. Avaliação de Demanda e Capacidade do Segmento Portuário de Contêineres no Brasil Portos 2021 Avaliação de Demanda e Capacidade do Segmento Portuário de Contêineres no Brasil Portos 2021 Avaliação de Demanda e Capacidade do Segmento Portuário de Contêineres no Brasil 1 Agenda Portos

Leia mais

4/11/2010 MODERNIZAÇÃO E EXPANSÃO DO TERMINAL ATÉ 2016 1

4/11/2010 MODERNIZAÇÃO E EXPANSÃO DO TERMINAL ATÉ 2016 1 MODERNIZAÇÃO E EXPANSÃO DO TERMINAL ATÉ 2016 1 AQUISIÇÃO DE 01 SCANNER MAIOR EFICIÊNCIA E SEGURANÇA NO PROCESSO DE INSPEÇÃO DOS CONTEINERS. VALOR ESTIMADO: R$ 7,0 MILHÕES BLOCO DE UTILIDADES E SERVIÇOS

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO PÚBLICO ALVO

APRESENTAÇÃO DO PROJETO PÚBLICO ALVO SUMÁRIO 4 APRESENTAÇÃO DO PROJETO 6 JUSTIFICATIVA 7 OBJETIVOS 7 PÚBLICO ALVO 8 HISTÓRICO DO EVENTO 12 EMPRESAS E INSTITUIÇÕES PARCEIRAS APRESENTAÇÃO DO PROJETO Foto 1: Vista aérea do evento A Expoarroz

Leia mais

Por tonelada líquida de registro (TLR) de embarcação destinada ao transporte de passageiros, turismo e recreio, na área do Porto Organizado

Por tonelada líquida de registro (TLR) de embarcação destinada ao transporte de passageiros, turismo e recreio, na área do Porto Organizado Tabela I Utilização da Infraestrutura de Acesso Aquaviário (Taxas devidas pelo armador ou agente) No. Espécie Incidência Valor() 1. Carregamento, descarga ou baldeação, por tonelada ou fração 3,73 2. Carregamento,

Leia mais

O DESAFIO BRASILEIRO

O DESAFIO BRASILEIRO O DESAFIO BRASILEIRO 1 Principais desafios do comércio mundial para o Brasil O comércio global brasileiro por meio de contêineres principal motor para a globalização do país está crescendo cerca de 4%

Leia mais

A Importância da Logística para o Desenvolvimento Regional Wagner Cardoso

A Importância da Logística para o Desenvolvimento Regional Wagner Cardoso A Importância da Logística para o Desenvolvimento Regional Wagner Cardoso Secretário-Executivo do Conselho de Infraestrutura da Confederação Nacional da Indústria CNI Brasília, 4 de maio de 2011 1 Qualidade

Leia mais

SETOR PORTUÁRIO RIO BRASILEIRO: INVESTIMENTOS E LOGÍSTICA

SETOR PORTUÁRIO RIO BRASILEIRO: INVESTIMENTOS E LOGÍSTICA SETOR PORTUÁRIO RIO BRASILEIRO: INVESTIMENTOS E LOGÍSTICA Novo Marco Regulatório do Setor - Lei n 12.815, de 05/06/2013 SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SEP/PR Audiência Pública Comissão

Leia mais

Investimentos do Governo Federal nos Portos do Brasil e o Plano Nacional de Logística Portuária

Investimentos do Governo Federal nos Portos do Brasil e o Plano Nacional de Logística Portuária Secretaria de Portos da Presidência da República Investimentos do Governo Federal nos Portos do Brasil e o Plano Nacional de Logística Portuária Ministro Leônidas Cristino São Luiz, abril 2011 AGENDA:

Leia mais

Programa Pró-Noroeste de Minas

Programa Pró-Noroeste de Minas nº 17 > ano 7 > julho 2010 Programa Pró-Noroeste de Minas Parceria da Vale E FCA com FAEMG, Governo de Minas e Banco do Brasil estimula a produção de soja para exportação Pág. 3 Mercado siderúrgico Otimismo

Leia mais

Reunião APIMEC - 3T15 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279

Reunião APIMEC - 3T15 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279 Reunião APIMEC - 3T15 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279 Ressalvas sobre considerações futuras As afirmações contidas neste documento quanto a perspectivas de negócios para a Santos Brasil Participações

Leia mais

PORTOS DE BELÉM, OUTEIRO, MIRAMAR, VILA DO CONDE, SANTARÉM, ITAITUBA, ÓBIDOS, ALTAMIRA, SÃO FRANCISCO E MARABÁ. Nº Espécie e Incidência...

PORTOS DE BELÉM, OUTEIRO, MIRAMAR, VILA DO CONDE, SANTARÉM, ITAITUBA, ÓBIDOS, ALTAMIRA, SÃO FRANCISCO E MARABÁ. Nº Espécie e Incidência... TARIFA COMPANHIA DOCAS DO PARÁ PORTOS DE BELÉM, OUTEIRO, MIRAMAR, VILA DO CONDE, SANTARÉM, ITAITUBA, ÓBIDOS, ALTAMIRA, SÃO FRANCISCO E MARABÁ Tabela I - Utilização da Infraestrutura Aquaviária (Tarifas

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE FERROVIÁRIO OUTUBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS O transporte ferroviário responde por 20,7% do transporte de cargas no Brasil e por 0,5% do transporte

Leia mais

Quem Somos. A FAST BRAZIL é uma empresa 100% brasileira, especializada em agenciamento de cargas e despacho aduaneiro.

Quem Somos. A FAST BRAZIL é uma empresa 100% brasileira, especializada em agenciamento de cargas e despacho aduaneiro. Quem Somos A FAST BRAZIL é uma empresa 100% brasileira, especializada em agenciamento de cargas e despacho aduaneiro. Contamos com profissionais altamente qualificados no comércio internacional e uma rede

Leia mais

MBA em Logística. Distribuição e Transportes DTA04 sala 22

MBA em Logística. Distribuição e Transportes DTA04 sala 22 MBA em Logística Distribuição e Transportes DTA04 sala 22 Prof. MBA em Logística Prof. Distribuição e Transportes DTA04 sala 22 NOMENCLATURA DE CARGAS Classificação de Cargas Classes de Cargas Sub-Classes

Leia mais

1 Súmula Empresarial. Consultoria. Tempo de Atuação: 18 anos

1 Súmula Empresarial. Consultoria. Tempo de Atuação: 18 anos Logística de Transportes e Gestão de Ativos Consultoria, Engenharia e Soluções de TI PERFIL EMPRESARIAL 1 Súmula Empresarial Tempo de Atuação: 18 anos Sede: : Rua da Quitanda, 52 sala 601 Centro Rio de

Leia mais

Agência Nacional de Transportes Aquaviários PRÁTICAS REGULADORAS NOS TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS

Agência Nacional de Transportes Aquaviários PRÁTICAS REGULADORAS NOS TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS Agência Nacional de Transportes Aquaviários PRÁTICAS REGULADORAS NOS TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS ESPEDITO SALES e CLELIA MAROUELLI Especialista em Regulação A AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS Criada

Leia mais

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL Seminário: Terminais, Ferrovias e Contêineres Maio/2009 A Empresa Nossa Atuação Logística de Minério de Ferro Transporte, manuseio e armazenagem de minério de ferro e pelotas

Leia mais

Obras no Cais: Trabalhador Portuário Avulso ganha banheiros e bebedouros

Obras no Cais: Trabalhador Portuário Avulso ganha banheiros e bebedouros Obras no Cais: Trabalhador Portuário Avulso ganha banheiros e bebedouros Pág. 03 Estudos para investir na segurança Os representantes da empresa americana Lockheed Martin Corporation se reuniram com os

Leia mais

SUAPE COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO

SUAPE COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO SUAPE COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS SUAPE Movimentação de Cargas Complexo Industrial Portuário Movimentação de Cargas TECON Suape Novo Terminal de Containers Localização Privilegiada

Leia mais

Art. 2º O Anexo de que trata o Art. 1º não entrará em vigor, devendo ser submetido à audiência pública.

Art. 2º O Anexo de que trata o Art. 1º não entrará em vigor, devendo ser submetido à audiência pública. RESOLUÇÃO No- 1.314-ANTAQ, DE 26 DE MARÇO DE 2009 Aprova a proposta de norma para disciplinar o afretamento de embarcação por empresa brasileira de navegação para o transporte de carga no tráfego de longo

Leia mais

Superintendência de Navegação SNA Navegação de Cabotagem

Superintendência de Navegação SNA Navegação de Cabotagem Superintendência de Navegação SNA Navegação de Cabotagem Ana Maria Pinto Canellas Agência Nacional de Transportes Aquaviários Esfera de Atuação Navegação de Longo Curso; Navegação de Cabotagem; Navegação

Leia mais

Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura

Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura Presidência da República Secretaria de Portos Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura 29 de junho de 2010 Subsecretário de Planejamento

Leia mais

TARIFA PORTUÁRIA DO PORTO DE ILHÉUS

TARIFA PORTUÁRIA DO PORTO DE ILHÉUS SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA TARIFA PORTUÁRIA DO PORTO DE ILHÉUS TAXAS, PREÇOS, FRANQUIAS E OBSERVAÇÕES Resolução nº 4.093 ANTAQ, de 07/05/2015 Vigência: 15/05/2015 TABELA I - UTILIZAÇÃO

Leia mais

Transporte hidroviário de cargas: uma proposta para a Baixada Santista.

Transporte hidroviário de cargas: uma proposta para a Baixada Santista. Transporte hidroviário de cargas: uma proposta para a Baixada Santista. Eduardo Andrade Chaves 1 ; Glayce Batista Gomes Leite 2 ; Júlio César Reis de Jesus 3 ; Adilson Luiz Gonçalves 4. 1 Universidade

Leia mais

A REALIDADE LOGÍSTICA

A REALIDADE LOGÍSTICA A REALIDADE LOGÍSTICA Logística NO BRASIL Por Marco Aurélio O Brasil teve, até o ano de 2010, 1,76 milhão de quilômetros de vias rodoviárias. Desse total, somente 212.000 quilômetros estavam pavimentados.

Leia mais

PORTO MEARIM AESA UM PORTO NÃO É GRANDE APENAS POR SEU CAIS, SUA INFRAESTRUTURA OU CAPACIDADE LOGÍSTICA

PORTO MEARIM AESA UM PORTO NÃO É GRANDE APENAS POR SEU CAIS, SUA INFRAESTRUTURA OU CAPACIDADE LOGÍSTICA v UM PORTO NÃO É GRANDE APENAS POR SEU CAIS, SUA INFRAESTRUTURA OU CAPACIDADE LOGÍSTICA UM PORTO É UM GRANDE PORTO QUANDO ELE OFERECE OPORTUNIDADES No litoral Maranhense, na margem leste da Baía de São

Leia mais

PIC. Projeto de Incentivo à CABOTAGEM. Projeto de Incentivo à Cabotagem PIC

PIC. Projeto de Incentivo à CABOTAGEM. Projeto de Incentivo à Cabotagem PIC Projeto de Incentivo à Cabotagem PIC PORTO DE PELOTAS - RS 08/JULHO/2010 Projeto de Incentivo à CABOTAGEM LUIZ HAMILTON Coordenador Geral de Gestão da Informação do Departamento de Sistemas de Informações

Leia mais

GESTÃO TERRITORIAL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE TERRITÓRIOS a REGIÃO como espaço de atuação e inovação

GESTÃO TERRITORIAL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE TERRITÓRIOS a REGIÃO como espaço de atuação e inovação GESTÃO TERRITORIAL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE TERRITÓRIOS a REGIÃO como espaço de atuação e inovação Nova condição territorial Na era da integração econômica regional e global, situações locais são

Leia mais