Nome e Estrutura do Programa Objectivos Gerais Características do Programa Conteúdos Programáticos... 5

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nome e Estrutura do Programa... 3. Objectivos Gerais... 3. Características do Programa... 3. Conteúdos Programáticos... 5"

Transcrição

1

2 Índice Nome e Estrutura do Programa... 3 Objectivos Gerais... 3 Características do Programa... 3 Conteúdos Programáticos... 5 CIRC Certificat d Iniciació a la Recerca Clínica... 5 DURC Diploma Universitari en Recerca Clínica MRC Màster en Recerca Clínica Contactos... Forpoint Pompeu Fabra 2

3 Nome e Estrutura do Programa O programa está estruturado em três módulos sequenciais, leccionados ao longo de 2 anos: - Certificat d Iniciació a la Recerca Clínica (CIRC) equivalente a um Curs de Postgrau IDEC - Diploma Universitari en Recerca Clínica (DURC) equivalente a um Diploma de Postgrau IDEC - Màster en Recerca Clínica (MRC) equivalente a Màster IDEC Objectivos Gerais Formar profissionais no âmbito da investigação clínica do medicamento, que possam desempenhar tarefas em: - Departamentos de I&D de empresas farmacêuticas e biotecnológicas - Consultoras na área da investigação clínica - Contract-research organizations (CRO). - Departamentos de investigação clínica em Autoridades Regulamentares, Hospitais e outras instituições de saúde. Características do Programa O programa está estruturado em 3 módulos sequenciais: CIRC (10 ECTS), DURC (30 ECTS) e MRC (0 ECTS). A fim de facilitar a sua viabilidade, estes módulos articulam-se de forma sequencial, podendo os formandos matricular-se em cada um isoladamente e obter o grau específico sem necessidade de prosseguir o programa integral. Este poderá ser retomado em qualquer outro ano. Forpoint Pompeu Fabra 3

4 O programa realiza-se ao longo de 2 anos, da seguinte forma: Primeiro ano 1º Trimestre: CIRC 2º e 3º Trimestres: DURC Segundo ano MRC Esta estrutura permite compatibilizar a actividade laboral com o horário lectivo, 10 ECTS por trimestre. É obrigatória a frequência de 0% do tempo lectivo, 100 horas por trimestre, divididas em 10 semanas, às ª feiras das 1 às 20h e aos Sábados das 9h às 13h. Forpoint Pompeu Fabra

5 Conteúdos Programáticos CIRC Certificat d Iniciació a la Recerca Clínica (100h - 10 ECTs) Horário - Sextas (h) das 1h às 20h; Sábados (h) das 9h às 13h. Disciplinas obrigatórias (OB) e opcionais (OP). Tipo Módulo Nº total horas Distribuição Nº horas créditos OB Investigação Clínica I - Metodologia , OB Ensaios Clínicos I ,0 OB Epidemiologia I ,0 OB Economia Saúde ,0 OB Inglês Investigação Clínica I ,0 OB Estatística I descritiva e amostras ,0 OB Ética em IC 2+ 0, TOTAIS 70 7 Escolher 3 de 5* OP Boas Práticas e Legislação ,0 OP Clínica e Patologia I ,0 OP Farmacocinética ,0 OP Monitorização I ,0 OP Interpretação de Resultados de Estudos ,0 Clínicos TOTAIS 30 3 *Os módulos opcionais só serão leccionados se tiverem ou mais inscrições. Forpoint Pompeu Fabra 5

6 Investigação Clínica I - Metodologia (OB) 1h (1, ECTS) Ana Macedo - Familiarizar os formandos com as principais metodologias utilizadas na concepção e desenvolvimento de estudos clínicos; - Compreender as características e aplicabilidade dos diferentes tipos de estudo; - Adquirir competências básicas para o desenvolvimento de protocolos de estudos clínicos. Estudos clínicos A pergunta de partida Aspectos específicos dos estudos clínicos Ana Estudo de casos - Tipos de estudo Macedo Ensaios clínicos Estudos farmacoepidemiológicos Estudos epidemiológicos Definição de objectivos e hipóteses Estudos em ambiente hospitalar Estudos em cuidados de saúde primários Estudos na comunidade Protocolo Instrumentos para recolha de dados Aspectos regulamentaras e legais Implementação de estudos Estudo de casos - Estudo de casos - Ana Macedo Ana Macedo Inês Moital Forpoint Pompeu Fabra

7 Ensaios Clínicos I (OB) 10h (1,0 ECTS) Josep Baños - Familiarizar os formandos com a metodologia associada ao desenvolvimento e implementação de ensaios clínicos; - Adquirir competências básicas para o desenvolvimento de protocolos de ensaios clínicos. Desenvolvimento de medicamentos de uso humano Fases de estudo Desenho de estudos Aleatorização e ocultação Comparadores activos vs. Placebo Superioridade, equivalência e não inferioridade Protocolos de ensaios clínicos Objectivos e variáveis primárias Acontecimentos adversos Estudo de casos - Consentimento informado e informação ao doente Caderno de Recolha de Dados Forpoint Pompeu Fabra 7

8 Epidemiologia I (OB) 10h (1,0 ECTS) Josep Baños - Familiarizar os formandos com os principais conceitos no domínio da epidemiologia; - Adquirir competências básicas para o desenvolvimento e interpretação de estudos epidemiológicos. Definição de epidemiologia Tipos de estudos e sua aplicabilidade Definição da população Definição de amostras Principais técnicas de análise Aplicabilidade de estudos epidemiológicos Planeamento geral de um estudo Estudo de casos - epidemiológico Forpoint Pompeu Fabra 8

9 Economia da Saúde (OB) 10h (1,0 ECTS) João Pereira - Familiarizar os formandos com alguns conceitos relativos à economia da saúde; - Adquirir competências básicas para a interpretação de dados económicos relativos à saúde e ao medicamento. Conceitos gerais de macro-economia Especificidades da economia da saúde João Mercado oferta e procura Pereira Elasticidade do mercado Interpretação de dados no contexto da economia da saúde A importância dos medicamentos na economia da saúde Interpretação de dados - Trabalho de grupo João Pereira Forpoint Pompeu Fabra 9

10 Inglês na Investigação Clínica (OB) 10h (1,0 ECTS) Bernardo Palmeirim - Familiarizar os formandos com terminologia relacionada com a investigação clínica; - Adquirir competências básicas para efectuar apresentações orais de estudos clínicos (em inglês). Bernardo Terminologia relacionada com a Palmeirim 2 investigação clínica Conversação Margarida Bessa Apresentações orais em inglês regras base; forma; tipo de linguagem; situações mais frequentes Conversação Apresentação de um caso prático Bernardo Palmeirim Margarida Bessa Bernardo Palmeirim Margarida Bessa Forpoint Pompeu Fabra 10

11 Estatística I (OB) 10h (1,0 ECTS) Nilza Gonçalves - Familiarizar os formandos com as principais técnicas estatísticas utilizadas no contexto da investigação clínica; - Adquirir competências básicas para efectuar análises descritivas; - Compreender o racional de cálculo de amostras. O papel da estatística na investigação clínica Definição de objectivos hipóteses e Nilza plano de análise estatística Gonçalves Análises descritivas medidas de tendência central e de dispersão Intervalos de confiança Técnicas de comparação como escolher? Teste t Qui-quadrado ANOVA Interpretação de resultados Análise de artigos Nilza Gonçalves Forpoint Pompeu Fabra 11

12 Ética (OB) h (0, ECTS) Josep Baños - Familiarizar os formandos com as questões éticas relacionadas com a investigação clínica. Principais questões éticas relacionadas Josep com a investigação clínica 2 Baños Comissões de Ética Análise de casos práticos Workshop Josep Baños Forpoint Pompeu Fabra 12

13 Boas Práticas Clínicas e Legislação (OP) 10h (1,0 ECTS) Inês Moital - Familiarizar os formandos com as normas de boas práticas clínicas e legislação Nacional para ensaios clínicos. Os Princípios das Boas Práticas Clínicas O papel do investigador, do promotor e do monitor Aplicação prática de Normas de Boas Inês Moital Práticas Clínicas Regulamentação em ensaios clínicos EMEA/ FDA/ INFARMED Directiva Comunitária e Legislação Portuguesa Análise de artigos Inês Moital Forpoint Pompeu Fabra 13

14 Clínica e Patologia I (OP) 10h (1,0 ECTS) Ana Macedo - Familiarizar os formandos com alguns conceitos base de anatomia; fisiopatologia e semiologia clínica; - Familiarizar os formandos com alguns conceitos base de patologia cardiovascular; - Familiarizar os formandos com alguns conceitos em oncologia. Conceitos e nomenclatura base em Ana 3 anatomia; fisiopatologia e semiologia Macedo Principais patologias cardiovasculares diagnóstico e principais intervenções terapêuticas HTA Dislipidemias Enfarte agudo do miocárdio Arritmias Insuficiência cardíaca Principais patologias oncológicas diagnóstico e principais intervenções terapêuticas Mecanismo fisiopatológico da doença Cancro da mama e colo-rectal 3 Forpoint Pompeu Fabra 1

15 Farmacocinética (OP) 10h (1,0 ECTS) - Familiarizar os formandos com as principais definições e conceitos em farmacocinética Definições e conceitos em farmacocinética Fase biofarmacêutica, farmacocinética e farmacodinâmica Regimes terapêuticos Dose única e doses múltiplas Farmacocinética linear vs. não linear Forpoint Pompeu Fabra 15

16 Monitorização I (OP) 10h (1,0 ECTS) Inês Moital - Familiarizar os formandos com as normas de boas práticas clínicas e legislação Nacional para ensaios clínicos. Indústria farmacêutica e CROs Documentação de um ensaio clínico Visitas de exequibilidade Visitas de submissão Visitas de início Nélia Lima Visitas de monitorização/ acompanhamento Visitas de encerramento Roleplays Nélia Lima Forpoint Pompeu Fabra 1

17 Interpretação de Resultados (OP) 10h (1,0 ECTS) Ana Macedo - Familiarizar os formandos com as principais formas de apresentação de resultados de estudos clínicos. Leitura crítica de um artigo científico Nilza 3 Técnicas de avaliação Gonçalves Principais enganos Nilza 3 Texto escrito Gonçalves Gráficos e tabelas Nilza Avaliação crítica de artigos científicos Gonçalves Forpoint Pompeu Fabra 17

18 Conteúdos Programáticos DURC Diploma Universitari en Recerca Clínica (200h - 20 ECTs + CIRC) Disciplinas obrigatórias (OB) e opcionais (OP). Tipo Módulo Nº total horas Distribuição horas Nº créditos OB Investigação Clínica II Desenho de ,0 estudos OB Ensaios Clínicos II ,0 OB Epidemiologia II ,0 OB Avaliação Económica do Medicamento ,0 OB Inglês Investigação Clínica - II ,0 OB EBM ,0 TOTAIS Escolher 80h de 10h* OP Gestão de Dados I ,0 OP Estatística II OR; RR; Técnicas não ,0 paramétricas OP Clínica e Patologia II ,0 OP Medical Writing ,0 OP Farmacogenética ,0 OP Farmacovigilância ,0 OP Monitorização II ,0 OP Equipas ,0 OP Comunicação ,0 OP Assuntos Regulamentares ,0 TOTAIS 80 8 *Os módulos opcionais só serão leccionados se tiverem ou mais inscrições. Forpoint Pompeu Fabra 18

19 Investigação Clínica II Desenhos de Estudos (OB) 20h (2,0 ECTS) Ana Macedo - Compreender as características e aplicabilidade de diferentes desenhos de estudos; - Adquirir competências para o desenvolvimento da metodologia de protocolos de estudos clínicos. Data Conteúdo Estudos prospectivos Estudos retrospectivos Estudos transversais Desenho de estudos a partir de objectivos Ensaios Clínicos em paralelo e em cruzado Desenhos factoriais N=1 Técnicas de aleatorização e de ocultação Estudos caso-controlo e estudos de coorte Estudos observacionais Apresentação oral de uma sinopse de um estudo clínico Concepção da metodologia de um protocolo de um estudo experimental - Desenho e apresentação oral e escrita de um protocolo de investigação Concepção da metodologia de um protocolo de um estudo experimental - Apresentação de Artigo de revisão OU Artigo sobre um tema metodológico Nº horas Tipo de Aula Estudo de casos - Estudo de casos - Estudo de casos - Estudo de casos - Formador Ana Macedo Ana Macedo Ana Macedo Ana Macedo Forpoint Pompeu Fabra 19

20 Ensaios Clínicos II (OB) 20h (2,0 ECTS) Inês Moital - Adquirir competências para o desenvolvimento e implementação de ensaios clínicos. Documentos de submissão Planeamento da implementação Recrutamento Estudo de casos - Inês Moital Análise de um protocolo de um ensaio de fase III Planeamento da exequibilidade do estudo, na perspectiva do Centro Relação com a equipa de gestão de dados Análise estatística Planeamento de um relatório de ensaio clínico Estudo de casos - Estudo de casos - Inês Moital Sílvia Sirgado Nilza Gonçalves Nilza Gonçalves Forpoint Pompeu Fabra 20

21 Epidemiologia II (OB) 20h (2,0 ECTS) Josep Baños - Familiarizar os formandos com os principais conceitos no domínio da epidemiologia; - Adquirir competências básicas para o desenvolvimento e interpretação de estudos epidemiológicos. Inferência de dados epidemiológicos Gestão de bias e variabilidade Epidemiologia espacial Gestão de risco Farmacoepidemiologia Epidemiologia em serviços de saúde Estudo de casos - Ferramentas para análise epidemiológica Análise de casos práticos 8 Estudo de casos - Forpoint Pompeu Fabra 21

22 Avaliação Económica do Medicamento (OB) 20h (2,0 ECTS) (Universidade Pompeu Fabra) - Familiarizar os formandos com técnicas de avaliação económica do medicamento; - Adquirir competências básicas para a interpretação de dados económicos relativos à saúde e ao medicamento. Tipos de estudos de avaliação económica do medicamento Árvores de decisão e modelos de Markov Escolha de comparadores e horizonte temporal Definição de custos e de consequências Taxa de actualização Análise de sensibilidade Estudos de impacto orçamental Sistemas de comparticipação Estudo de casos - Análise crítica de estudos Ferramentas para concepção de estudos de avaliação económica 8 Estudo de casos - Forpoint Pompeu Fabra 22

23 Inglês na Investigação Clínica II (OB) 20h (2,0 ECTS) Bernardo Palmeirim - Familiarizar os formandos com terminologia relacionada com a investigação clínica; - Adquirir competências básicas para efectuar relatórios e artigos científicos (em inglês). Principais erros em inglês Bernardo Pontuação, gramática e abreviaturas Palmeirim Construção de frases e adjectivos Conversação Margarida Tempos verbais Bessa Pronomes Análise de artigos científicos Bernardo Palmeirim Margarida Bessa Aspectos de forma na escrita de artigos científicos Elaboração de um artigo Conversação Elaboração de um artigo Bernardo Palmeirim Margarida Bessa Bernardo Palmeirim Margarida Bessa Forpoint Pompeu Fabra 23

24 Medicina Baseada na Evidência (OB) 20h (2,0 ECTS) António Vaz Carneiro - Familiarizar os formandos com as principais técnicas relacionadas com a medicina baseada na evidência; - Adquirir competências básicas para efectuar pesquisas de artigos científicos e seleccionar a bibliografia relevante para efectuar revisões sistemáticas; - Familiarizar os formandos com a metodologia inerente a revisões sistemáticas e meta-análises. Apresentação e distribuição de materiais de apoio A Medicina Baseada na Evidência: princípios e prática Normas de Orientação Clínica (guidelines) O ensaio clínico: Princípios e estrutura e Análise crítica de um ensaio clínico prática Revisões sistemáticas e meta-análises: Metodologias e usos Técnicas de pesquisa na PubMed e em e outras bases de dados prática Execução de pesquisas bibliográficas Forpoint Pompeu Fabra 2

25 Gestão de Dados I (OP) 10h (1,0 ECTS) Sílvia Sirgado - Familiarizar os formandos com os principais requisitos para gestão de dados. Tipos de base de dados Elaboração de uma base de dados Sílvia Boas práticas de gestão de dados Sirgado Processos de validação de dados Exercícios de aplicação Sílvia Sirgado Forpoint Pompeu Fabra 25

26 Estatística II (OP) 10h (1,0 ECTS) Nilza Gonçalves - Familiarizar os formandos com técnicas não para métricas; cálculo de odds ratio e risco relativo. Técnicas não paramétricas Wilcoxon Nilza Mann-Whitney Gonçalves Kruskal-Wallis Risco relativo e odds ratio Exercícios de aplicação Nilza Gonçalves Forpoint Pompeu Fabra 2

27 Clínica e Patologia II (OP) 20h (2,0 ECTS) Ana Macedo - Familiarizar os formandos com os conceitos e nomenclatura clínica. Introdução ao sistema nervoso central Anatomia e fisiopatologia 3 Acidente Vascular Cerebral Epilepsia Depressão Esquizofrenia Demências Noções gerais de nefrologia Anatomia e fisiopatologia Insuficiência renal aguda e crónica Noções gerais sobre sistema respiratório Anatomia e fisiopatologia Pneumonias Asma e DPOC Tuberculose Noções gerais de anatomia patológica Procedimentos técnicos Aplicação e interpretação de resultados Noções gerais de uro-ginecologia Anatomia e fisiopatologia Principais patologias urológicas Principais patologias do foro ginecológico Forpoint Pompeu Fabra 27

28 Medical Writing (OP) Em Barcelona 10h (1,0 ECTS) Josep Baños - Familiarizar os formandos com as técnicas de escrita científica Aspectos de forma na escrita de um artigo científico original Título Abstract 10 Corpo do texto Referências bibliográficas Tabelas e figuras Forpoint Pompeu Fabra 28

29 Farmacogenética (OP) Em Barcelona 10h (1,0 ECTS) Josep Baños - Familiarizar os formandos com os conceitos básicos de farmacogenética. Evolução da farmacogenética Mecanismos de acção 10 Principais inovações neste domínio Magí Farré Estudo de casoss Forpoint Pompeu Fabra 29

30 Farmacovigilância (OP) 10h (1,0 ECTS) Inês Moital - Familiarizar os formandos com os principais requisitos de um sistema de farmacovigilância. Conceitos gerais em farmacovigilância Notificação de reacções adversas Reacções adversas graves Organização do sistema de farmacovigilância Sistema MEDRA Exercício de aplicação Forpoint Pompeu Fabra 30

31 Monitorização II (OP) 20h (2,0 ECTS) Inês Moital - Aplicar e discutir processos de execução das principais tarefas relacionadas com a monitorização de ensaios clínicos. Trial master file Constituição Tânia Organização Caseiro Aplicabilidade Preparação de uma exequibilidade Processo de submissão Regras de submissão à CEIC, INFARMED, CA e CNPD Acordo financeiro Exercício prático Role Play de uma visita de monitorização Processos para motivar a inclusão de doentes Caso prático Tânia Caseiro Tânia Caseiro Planeamento de um projecto desde a exequibilidade à visita de encerramento Inês Moital Forpoint Pompeu Fabra 31

32 Equipas (OP) 20h (2,0 ECTS) Pedro Rocha - Familiarizar os formandos com as principais estratégias de trabalho de equipa. Interacção entre elementos de uma equipa Hierarquias e espírito de liderança Pedro Rocha Motivação e confiança Principais problemas de trabalhar em equipa Pedro Rocha Exercícios de aplicação Jogos de equipa 8 Pedro Rocha Forpoint Pompeu Fabra 32

33 Comunicação (OP) 20h (2,0 ECTS) Ana Macedo - Familiarizar os formandos com técnicas de apresentação oral. Falar em público Colocação e tom de voz Linguagem corporal Exercícios de aplicação 3 Falar em público Colocação e tom de voz Linguagem corporal Exercícios de aplicação 3 Falar em público Colocação e tom de voz Linguagem corporal Exercícios de aplicação Estrutura de uma apresentação Principais erros Exercícios de aplicação 3 Exercícios práticos de simulação 3 Exercícios práticos de simulação Forpoint Pompeu Fabra 33

34 Assuntos regulamentares (OP) 10h (1,0 ECTS) Inês Moital - Familiarizar os formandos com os principais requisitos regulamentares relacionados com a execução de ensaios clínicos em Portugal. Obtenção e renovação de AIM Relatórios Periódicos de Segurança Processo de submissão de ensaios clínicos Comparticipações Exercícios de aplicação Forpoint Pompeu Fabra 3

35 Conteúdos Programáticos MRC Màster en Recerca Clínica (300h - 30 ECTs + CIRC + DURC) Disciplinas obrigatórias (OB) e opcionais (OP). Tipo Módulo Nº total horas Distribuição horas Nº créditos OB Investigação Clínica III prática ,0 desenvolvimento de protocolo OB Ensaios Clínicos III ,0 OB Epidemiologia III prática ,0 desenvolvimento de um estudo OB Inglês Investigação Clínica - III ,0 TOTAIS 80 8 Escolher de OP Tradução de Validação de Escalas ,0 OP Estatística III Análise multivariada e ,0 sobrevida OP Clínica e Patologia III ,0 OP Gestão de Projectos ,0 OP Auditorias ,0 OP Gestão de Dados II ,0 TOTAIS 0 Escolher 1 de 2 OP Estágio - presencial ,0 OP Trabalho Investigação ,0 TESE OB Tese ,0 TOTAIS *Os módulos opcionais só serão leccionados se tiverem ou mais inscrições. Forpoint Pompeu Fabra 35

36 Investigação Clínica III (OB) 20h (2,0 ECTS) Ana Macedo - Desenvolver estratégias e aplicar conhecimentos para o desenvolvimento de um protocolo de um estudo clínico. Concepção e elaboração de um protocolo de estudo clínico Cada grupo selecciona o tema, define Ana Caso prático - Trabalho os objectivos, desenvolve o protocolo Macedo de grupo respectivo, incluindo logística e custos envolvidos Avaliação da qualidade de vida em Francisco Oncologia Pimentel Concepção e elaboração de um Caso prático - Trabalho Ana 3 protocolo de estudo clínico de grupo Macedo Investigação Clínica em Portugal Joaquim Ferreira Apresentação oral dos trabalhos de grupo 3 Caso prático - Trabalho de grupo Ana Macedo Forpoint Pompeu Fabra 3

37 Ensaios Clínicos III (OB) 20h (2,0 ECTS) Inês Moital - Familiarizar os formados com o processo de desenvolvimento de um fármaco. Farmacologia Clínica Terapêutica Introdução à patologia A partir de dois casos de estudo de 10 moléculas alvo, estruturar um plano Caso prático - Trabalho de desenvolvimento desde a fase I até de grupo ao lançamento de um fármaco Conceitos gerais em farmacovigilância Notificação de reacções adversas Reacções adversas graves Organização do sistema de farmacovigilância Sistema MEDRA 3 Ensaios clínicos na perspectiva das Autoridades Regulamentares Processo de submissão de ensaios clínicos Avaliação ética de Ensaios Clínicos Análise crítica de ensaios clínicos de várias fases Análise das Guidelines da EMA para o desenho de ensaios clínicos caso prático Esclarecimento de dúvidas no âmbito dos ensaios clínicos 3 CEIC e casos práticost Inês Moital Forpoint Pompeu Fabra 37

38 Epidemiologia III (OB) 20h (2,0 ECTS) Ana Macedo - Familiarizar os formandos com estratégias de concepção e implementação de estudos epidemiológicos. Desenvolvimento, implementação e Caso prático - Trabalho Ana apresentação de resultados de um 3 de grupo Macedo estudo epidemiológico Técnicas de amostragem em Epidemiologia Desenvolvimento, implementação e apresentação de resultados de um estudo epidemiológico Sistemas de Informação Geográfica (SIG) e Análise Espacial e sua aplicação em Epidemiologia Desenvolvimento, implementação e apresentação de resultados de um estudo epidemiológico Apresentação dos estudos epidemiológicos desenvolvidos por cada grupo de trabalho 3 3 Caso prático - Trabalho de grupo Caso prático - Trabalho de grupo Casos práticos 3 Casos práticos Nilza Gonçalves Ana Macedo Paula Santana Ana Macedo Ana Macedo Forpoint Pompeu Fabra 38

39 Inglês Investigação Clínica III (OB) 20h (1,0 ECTS) Bernardo Palmeirim - Desenvolver competências para escrever e apresentar estudos clínicos em inglês. Bernardo Casos práticos - Palmeirim 3 Margarida Bessa Medical Writing 3 Desenvolvimentos dos materiais relacionados com o estudo epidemiológico (Epidemiologia III) em inglês Development of translation skills in clinical investigation 3 3 Casos práticos - Casos práticos - Casos práticos - Casos práticos - Casos práticos - Bernardo Palmeirim Margarida Bessa Bernardo Palmeirim Margarida Bessa Bernardo Palmeirim Margarida Bessa Bernardo Palmeirim Margarida Bessa Bernardo Palmeirim Margarida Bessa Forpoint Pompeu Fabra 39

40 Tradução e Validação de Escalas (OP) 10h (1,0 ECTS) (Universidade Pompeu Fabra) - Familiarizar os formandos com as regras de metodologia de validação e tradução de escalas. Escalas para avaliação de patologias Escalas de qualidade de vida Regras para tradução de escalas tradução e retroversão Metodologia para validação de escalas Forpoint Pompeu Fabra 0

41 Estatística III Análise Multivariada e Sobrevida (OP) 10h (1,0 ECTS) (Universidade Pompeu Fabra) - Desenvolver competências na análise multivariada de dados e análise de sobrevivência. Regressão Linear Simples e Múltipla Regressão Logística Análise Factorial e Análise em Componentes Principais Análise de Sobrevivência Forpoint Pompeu Fabra 1

42 Clínica e Patologia III (OP) 10h (1,0 ECTS) Ana Macedo - Familiarizar o formando com conceitos e nomenclaturas em diversas áreas clínicas. Noções gerais de Pediatria Doenças da prematuridade 3 Doenças infecciosas e vacinação Doenças do SNC da criança Noções gerais de patologia oftalmológica Anatomia e fisiopatologia Miopia e Hipermetropia Astigmatismo Glaucoma Patologia da retina Infecções causadas por vírus Hepatite C e Hepatite B HIV 3 Forpoint Pompeu Fabra 2

43 Gestão de Projectos (OP) 10h (1,0 ECTS) Inês Moital - Desenvolver estratégias para gestão e coordenação de projectos no domínio de ensaios clínicos. Introdução à Gestão de Projectos 3 Gestão do Âmbito e Tempo Gestão dos Recursos e Custos Gestão dos Riscos Controlo e Encerramento A Gestão de Projectos aplicada aos 3 Ensaios Clínicos Forpoint Pompeu Fabra 3

44 Auditorias (OP) 10h (1,0 ECTS) (Universidade Pompeu Fabra) - Familiarizar os formandos com o processo de resposta e realização de auditorias de ensaios clínicos. Preparação de auditorias Check Lists Identificação de pontos negativos Formas de perguntar e responder Exercícios de aplicação Forpoint Pompeu Fabra

45 Gestão de Dados II (OP) 10h (1,0 ECTS) Sílvia Sirgado - Adquirir competências para elaborar uma base de dados em formato Access. Noções básicas de Access Planeamento e estrutura de uma base de dados Sílvia Operacionalização de uma base de Caso prático - Trabalho Sirgado dados de grupo Exercícios de aplicação Exercícios de aplicação Caso prático - Trabalho de grupo Sílvia Sirgado Forpoint Pompeu Fabra 5

46 Contactos Edifício Miraflores Premium Alameda Fernão Lopes, nº 1 - º Andar Miraflores Tel: Fax: Maria João Santos - Coordenação Tel: Horário de funcionamento: 2ª a ª feira - das 10H30 às 13H00 e das 1H00 às 19H00 Forpoint Pompeu Fabra

www.master ic.com Curso creditado pela Ordem dos Farmacêuticos: Atribuição de 10 créditos

www.master ic.com Curso creditado pela Ordem dos Farmacêuticos: Atribuição de 10 créditos www.master ic.com Curso creditado pela Ordem dos Farmacêuticos: Atribuição de 10 créditos Apresentação O programa está estruturado em três módulos sequenciais, leccionados ao longo de 2 anos, atribuindo

Leia mais

Cursos para Empresas. Temos para si. Programa de formação contínua e integrada Inovação e Criatividade Rigor e Consolidação Problem Based Learning

Cursos para Empresas. Temos para si. Programa de formação contínua e integrada Inovação e Criatividade Rigor e Consolidação Problem Based Learning Temos para si Programa de formação contínua e integrada Inovação e Criatividade Rigor e Consolidação Problem Based Learning Caminante, no hay camino, se hace camino al andar. Al andar se hace camino y

Leia mais

Gestão da Comunicação e Informação Médica

Gestão da Comunicação e Informação Médica 1º Curso de Pós Graduação Executiva em Gestão da Comunicação e Informação Médica 2011 50h presenciais + 50h formação à distância MÓDULO I Clínica para não Clínicos 8h presenciais + 12h formação à distância

Leia mais

Gestão da Comunicação e Informação Médica

Gestão da Comunicação e Informação Médica 1º Curso de Pós Graduação Executiva em Gestão da Comunicação e Informação Médica 2010-2011 MÓDULO I Clínica para não Clínicos 32h presenciais + 16h formação à distância Ver um doente Meios Complementares

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM CUIDADOS FARMACÊUTICOS

PÓS-GRADUAÇÃO EM CUIDADOS FARMACÊUTICOS PÓS-GRADUAÇÃO EM CUIDADOS FARMACÊUTICOS 1. Introdução O papel do farmacêutico, em particular no contexto da Farmácia Comunitária tem vindo a evoluir no sentido de uma maior intervenção do Farmacêutico

Leia mais

IHMT-UNL INSTITUTO DE HIGIENE E MEDICINA TROPICAL UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA MESTRADO. Epidemiologia. www.ihmt.unl.pt

IHMT-UNL INSTITUTO DE HIGIENE E MEDICINA TROPICAL UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA MESTRADO. Epidemiologia. www.ihmt.unl.pt IHMT-UNL INSTITUTO DE HIGIENE E MEDICINA TROPICAL UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA MESTRADO Epidemiologia www.ihmt.unl.pt Prof. Doutora Inês Fronteira Coordenadora do Mestrado em Epidemiologia MENSAGEM DA COORDENADORA

Leia mais

Curso de Técnico Auxiliar de Geriatria

Curso de Técnico Auxiliar de Geriatria Curso de Técnico Auxiliar de Geriatria Área de Formação: 762. Trabalho Social e Orientação O Técnico Auxiliar de Geriatria é o profissional com múltiplas competências para poder desempenhar as suas funções

Leia mais

Razões para nos escolher

Razões para nos escolher Cursos de Formação Ensaios clínicos Investigação & Desenvolvimento Qualidade Metodologia de investigação e bioestatística Medical writing Assuntos regulamentares Economia da saúde Epidemiologia & Late

Leia mais

Resenha Histórica: O início do ensino farmacêutico na Universidade de Coimbra remonta aos finais do séc. XVI. Finais do séc. XVI: Curso prático de

Resenha Histórica: O início do ensino farmacêutico na Universidade de Coimbra remonta aos finais do séc. XVI. Finais do séc. XVI: Curso prático de Resenha Histórica: O início do ensino farmacêutico na Universidade de Coimbra remonta aos finais do séc. XVI. Finais do séc. XVI: Curso prático de boticários na Universidade de Coimbra. 1772: Reforma da

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO 1/19 Programa do curso Módulo Designação Duração (h) Componente Sócio-Cultural 1 Legislação, regulamentos e normas de segurança,

Leia mais

2009/2010 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DE ANESTESIA

2009/2010 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DE ANESTESIA 2009/2010 COMISSÃO CIENTÍFICA Celínia Antunes Cristina Baião Fernanda Príncipe Henrique Dias Jorge Coelho José Alberto Martins José David Ferreira Marcos Pacheco Nuno Tavares Lopes Paulo Amorim Paulo Figueiredo

Leia mais

Reconhecimento da formação de farmacêuticos. Administração de vacinas e medicamentos injectáveis em farmácia comunitária

Reconhecimento da formação de farmacêuticos. Administração de vacinas e medicamentos injectáveis em farmácia comunitária Reconhecimento da formação de farmacêuticos Administração de vacinas e medicamentos injectáveis em farmácia comunitária 1 Reconhecimento da formação de farmacêuticos Administração de vacinas e medicamentos

Leia mais

CURSOS PÓS-GRADUADOS DE ACTUALIZAÇÃO FARMACOEPIDEMIOLOGIA 1. ENQUADRAMENTO

CURSOS PÓS-GRADUADOS DE ACTUALIZAÇÃO FARMACOEPIDEMIOLOGIA 1. ENQUADRAMENTO CURSOS PÓS-GRADUADOS DE ACUALIZAÇÃO FARMACOEPIDEMIOLOGIA 1. ENQUADRAMENO A Farmacoepidemiologia tem vindo a ser alvo de enorme desenvolvimento nos últimos anos, sobretudo nos aspectos metodológicos a ter

Leia mais

ORDEM DOS FARMACÊUTICOS - RESPOSTA A PEDIDO DE CREDITAÇÃO

ORDEM DOS FARMACÊUTICOS - RESPOSTA A PEDIDO DE CREDITAÇÃO Filipe Leonardo De: suporte@sensocomum.pt Enviado: terça-feira, 16 de Outubro de 2012 18:05 Para: mguedes.silva@mjgs.pt ; joanaviveiro@ordemfarmaceuticos.pt; joaomartinho@ordemfarmaceuticos.pt Assunto:

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA Janeiro de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESTINATÁRIOS... 4 3. FINALIDADE... 4 4. OBJECTIVOS GERAIS... 4 5. PLANO CURRICULAR... 5 6.

Leia mais

Portaria n.º 605/99, de 5 de Agosto Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro)

Portaria n.º 605/99, de 5 de Agosto Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro) Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro) O sistema de avaliação e autorização de introdução no mercado de medicamentos, que tem vindo

Leia mais

Pesquisa Clínica: Conceitos e Aportes

Pesquisa Clínica: Conceitos e Aportes Pesquisa Clínica: Conceitos e Aportes Alexandre V. Schwarzbold Departamento de Clínica Médica Coordenação do Ambulatório de HIV/AIDS Simpósio Internacional de Ética em Investigação Fevereiro de 2008 Apresentação

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO ENTRA NUM NÍVEL SUPERIOR. 2013/2014 AVALIAÇÃO ECONÓMICA DOS MEDICAMENTOS WWW.IDEFE.PT PÁG. 1

PÓS-GRADUAÇÃO ENTRA NUM NÍVEL SUPERIOR. 2013/2014 AVALIAÇÃO ECONÓMICA DOS MEDICAMENTOS WWW.IDEFE.PT PÁG. 1 PÓS-GRADUAÇÃO AVALIAÇÃO ECONÓMICA DOS MEDICAMENTOS 2013/2014 ENTRA NUM NÍVEL SUPERIOR. WWW.IDEFE.PT PÁG. 1 AVALIAÇÃO ECONÓMICA DOS MEDICAMENTOS 8ª EDIÇÃO COORDENAÇÃO CIENTÍFICA Prof. Doutor Carlos Gouveia

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DESTINATÁRIOS

ORGANIZAÇÃO DESTINATÁRIOS APRESENTAÇÃO os módulos de análise de dados em IBM SPSS Statistics, organizados pelo Centro de Investigação em Ciências Sociais da Universidade do Minho (CICS), pretendem contribuir para a difusão da utilização

Leia mais

Fontes de Notificação em Farmacovigilância Murilo Freitas Dias, Nair Ramos de Souza, Milena Oliveira Bittencourt e Marcia Santos Nogueira

Fontes de Notificação em Farmacovigilância Murilo Freitas Dias, Nair Ramos de Souza, Milena Oliveira Bittencourt e Marcia Santos Nogueira Fontes de Notificação em Farmacovigilância Murilo Freitas Dias, Nair Ramos de Souza, Milena Oliveira Bittencourt e Marcia Santos Nogueira Um dos principais objetivos da Farmacovigilância, seja qual for

Leia mais

NORMAS DE SUBMISSÃO DE ESTUDOS À COMISSÃO DE ÉTICA PARA A SAÚDE (CES) do CHLO OBJETIVO PROCESSO DE SUBMISSÃO

NORMAS DE SUBMISSÃO DE ESTUDOS À COMISSÃO DE ÉTICA PARA A SAÚDE (CES) do CHLO OBJETIVO PROCESSO DE SUBMISSÃO NORMAS DE SUBMISSÃO DE ESTUDOS À COMISSÃO DE ÉTICA PARA A SAÚDE (CES) do CHLO OBJETIVO Normalizar e agilizar a submissão de estudos clínicos, facilitar a sua análise pela CES e assegurar, sempre que possível,

Leia mais

Gestão da Formação. > Formação Pedagógica Inicial de Formadores 101. > Formação Pedagógica Contínua de Formadores 102

Gestão da Formação. > Formação Pedagógica Inicial de Formadores 101. > Formação Pedagógica Contínua de Formadores 102 > Formação Pedagógica Inicial de Formadores 101 > Formação Pedagógica Contínua de Formadores 102 > Diagnóstico de Necessidades de Formação 103 > Avaliação da Formação 104 Gestão da Formação 99 Calendário

Leia mais

Ensaios Clínicos: A Perspectiva da Indústria Farmacêutica

Ensaios Clínicos: A Perspectiva da Indústria Farmacêutica Ensaios Clínicos: A Perspectiva da Indústria Farmacêutica Plataforma Nacional de Ensaios Clínicos Lançamento Oficial Lisboa, 20 de Março 2012 Paula Martins de Jesus Grupo de Trabalho de Investigação Clínica

Leia mais

Programa de Formação do Internato Complementar de Medicina Interna aprovado pelo Colégio

Programa de Formação do Internato Complementar de Medicina Interna aprovado pelo Colégio Programa de Formação do Internato Complementar de Medicina Interna aprovado pelo Colégio 1 Duração do internato 60 meses. 2 Definição e âmbito: 2.1 A Medicina Interna ocupa-se da prevenção, diagnóstico

Leia mais

luanda 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development

luanda 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development luanda www.letstalkgroup.com 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE Gestão da Formação 14

Leia mais

8ª edição. Em parceria com a Faculdade de Farmácia

8ª edição. Em parceria com a Faculdade de Farmácia 8ª edição Em parceria com a Faculdade de Farmácia PÓS-GRADUAÇÃO AVALIAÇÃO ECONÓMICA DOS MEDICAMENTOS 2013/14 8ª edição Coordenação Científica Prof. Doutor Carlos Gouveia Pinto Natureza do curso e perfil

Leia mais

Formação APFH com o apoio de:

Formação APFH com o apoio de: Formação APFH 2012 3º Curso APFH Actualizações em Neurologia Módulo I Organização: APFH Local: Sede Nacional da APFH Rua Padre Estêvão Cabral, Edifício Tricana, nº120-1º andar, sala 108, Coimbra Data Módulo

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS 2003

RELATÓRIO DE GESTÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS 2003 RELATÓRIO DE GESTÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS 2003 A justificação da proposta de orçamento da Faculdade de Ciências Médicas para 2003 começava com uma nota introdutória na qual se reforçava de novo,

Leia mais

Sistema de Informação/Vigilância epidemiológica

Sistema de Informação/Vigilância epidemiológica ETAPA DE MINIMIZAÇÃO Diagnóstico, vigilância e tratamento Sistema de Informação/Vigilância epidemiológica O Plano de Contingência dos Açores para a Pandemia da Gripe (PCA) prevê mecanismos para garantir

Leia mais

Comissão de Ética para a Investigação Clínica (CEIC) NORMAS A OBSERVAR PELOS REQUERENTES SOBRE O FORMATO E CONTEÚDO DO PEDIDO

Comissão de Ética para a Investigação Clínica (CEIC) NORMAS A OBSERVAR PELOS REQUERENTES SOBRE O FORMATO E CONTEÚDO DO PEDIDO Comissão de Ética para a Investigação Clínica (CEIC) NORMAS A OBSERVAR PELOS REQUERENTES SOBRE O FORMATO E CONTEÚDO DO PEDIDO DE PARECER À CEIC PARA A REALIZAÇÃO DE ENSAIO CLÍNICO COM MEDICAMENTOS DE USO

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO MAR

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO MAR 6076-(2) Diário da República, 1.ª série N.º 240 12 de dezembro de 2014 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO MAR Portaria n.º 258-A/2014 de 12 de dezembro No contexto da otimização da utilização das quotas de

Leia mais

mguedes.silva@mjgs.pt ; joao.tedim@sensocomum.pt; joanaviveiro@ordemfarmaceuticos.pt; joaomartinho@ordemfarmaceuticos.pt Assunto:

mguedes.silva@mjgs.pt ; joao.tedim@sensocomum.pt; joanaviveiro@ordemfarmaceuticos.pt; joaomartinho@ordemfarmaceuticos.pt Assunto: Filipe Leonardo De: suporte@sensocomum.pt Enviado: terça-feira, 27 de Outubro de 2009 9:21 Para: mguedes.silva@mjgs.pt ; joao.tedim@sensocomum.pt; joanaviveiro@ordemfarmaceuticos.pt; joaomartinho@ordemfarmaceuticos.pt

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO ENTRE A AR E A DM TIPO II. Agenda: 1. INTRODUÇÃO 2. OBJECTIVOS 3. METODOLOGIA 4. PLANIFICAÇÃO DO PROJECTO

AVALIAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO ENTRE A AR E A DM TIPO II. Agenda: 1. INTRODUÇÃO 2. OBJECTIVOS 3. METODOLOGIA 4. PLANIFICAÇÃO DO PROJECTO AVALIAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO ENTRE A ARTRITE REUMATÓIDE E A DIABETES MELLITUS TIPO 2 Análise da Base de Dados de Doenças Reumáticas Norte-Americana National Data Bank for Rheumatic Diseases PROJECTO DE TESE

Leia mais

Programas das cadeiras

Programas das cadeiras Programas das cadeiras Gestão de Unidades de Saúde Pretende-se que os participantes identifiquem os conceitos fundamentais de gestão e a sua aplicabilidade no contexto das unidades de saúde. Desenvolverse-á

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS 2004

RELATÓRIO DE GESTÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS 2004 RELATÓRIO DE GESTÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS 2004 1. Apreciação Global A existência de um Contrato de Desenvolvimento para a Medicina, celebrado entre a UNL e o Governo, em Dezembro de 2001, permitiu

Leia mais

DOCUMENTO-GUIA SOBRE A

DOCUMENTO-GUIA SOBRE A Este texto foi debatido no SEMINÁRIO SOBRE INVESTIGAÇÃO CLÍNICA E O PAPEL DAS COMISSÕES DE ÉTICA PARA A SAÚDE organizado em 29/09/2010 pelas Comissões de Ética para a Saúde da região norte e destina-se

Leia mais

CURSO DE EPIDEMIOLOGIA BÁSICA PARA PNEUMOLOGISTAS

CURSO DE EPIDEMIOLOGIA BÁSICA PARA PNEUMOLOGISTAS CURSO DE EPIDEMIOLOGIA BÁSICA PARA PNEUMOLOGISTAS Ana M.B. Menezes 1 e Iná da S. dos Santos 2 1 Prof a Titular de Pneumologia Faculdade de Medicina UFPEL 1 Presidente da Comissão de Epidemiologia da SBPT

Leia mais

PROPOSTA DE CARREIRA PARA OS TÉCNICOS SUPERIORES DA ÁREA DA SAÚDE EM REGIME DE CIT. Capítulo I Objecto e Âmbito Artigo 1.º Objecto

PROPOSTA DE CARREIRA PARA OS TÉCNICOS SUPERIORES DA ÁREA DA SAÚDE EM REGIME DE CIT. Capítulo I Objecto e Âmbito Artigo 1.º Objecto PROPOSTA DE CARREIRA PARA OS TÉCNICOS SUPERIORES DA ÁREA DA SAÚDE EM REGIME DE CIT Capítulo I Objecto e Âmbito Artigo 1.º Objecto 1 - O presente Decreto-Lei estabelece o regime jurídico da carreira dos

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido (s) / Nome (s) próprio (s) Morada (s) Telefone (s) Telemóvel: Correio (s) electrónico (s) Nacionalidade de nascimento Sexo Portuguesa Feminino Experiência

Leia mais

Acção de Formação Logística (Vendas) - Primavera v8

Acção de Formação Logística (Vendas) - Primavera v8 Acção de Formação Logística (Vendas) - Primavera v8 MoreData, Sistemas de Informação Campo Grande 28, 10º E 1700-093 Lisboa 213520171 info@moredata.pt Índice de Conteúdos Introdução...3 Sobre o Curso...4

Leia mais

Guia para Registro de Novas Associações em Dose Fixa

Guia para Registro de Novas Associações em Dose Fixa Medicamentos Guia para Registro de Novas Associações em Dose Fixa Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa Guia para Registro de Novas Associações

Leia mais

CURSO DE SUPORTE BÁSICO DE VIDA COM DAE

CURSO DE SUPORTE BÁSICO DE VIDA COM DAE CURSO DE SUPORTE BÁSICO DE VIDA COM DAE e ADMINISTRAÇÃO DE VACINAS E MEDICAMENTOS INJECTÁVEIS EM FARMÁCIA COMUNITÁRIA Formação Inicial Conducente à Certificação A Portaria 1429/2007, de 2 de Novembro,

Leia mais

EMPREENDEDORISMO E ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA

EMPREENDEDORISMO E ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA Formação Presencial, homologada pela Direção Regional do Emprego e Qualificação Profissional CARGA HORÁRIA TOTAL: 120 HORAS Organização e Formadores MÓDULOS EMPREENDEDORISMO E ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA 120

Leia mais

Acompanhamento de Doentes com Sifarma 2000 10 e 21 Julho Porto 9h 0,9/1,35 ***

Acompanhamento de Doentes com Sifarma 2000 10 e 21 Julho Porto 9h 0,9/1,35 *** ABRIL/DEZEMBRO Abril a Dezembro EPGSG - Adenda ao Plano de Formação 2009 Norte FARMACOTERAPIA Dermatologia NOVO Doenças da Pele: Acne e Rosácea 20 Abril Porto 7h 0,7/1,05 175 140 Antimicóticos em Dermatologia

Leia mais

Ensaios Clínicos. Introdução ao planeamento e análise

Ensaios Clínicos. Introdução ao planeamento e análise Ensaios Clínicos Introdução ao planeamento e análise Estudos Interventivos Experiência feita com um grupo de pacientes com características totalmente controladas pelo investigador. Estudos Comunitários

Leia mais

A Avaliação Ética da Investigação Científica de Novas Drogas:

A Avaliação Ética da Investigação Científica de Novas Drogas: Unidade de Pesquisa Clínica A Avaliação Ética da Investigação Científica de Novas Drogas: A importância da caracterização adequada das Fases da Pesquisa Rev. HCPA, 2007 José Roberto Goldim Apresentado

Leia mais

Participar em estudos de investigação científica é contribuir para o conhecimento e melhoria dos serviços de saúde em Portugal

Participar em estudos de investigação científica é contribuir para o conhecimento e melhoria dos serviços de saúde em Portugal FO L H E TO F EC H A D O : FO R M ATO D L ( 2 2 0 x 1 1 0 m m ) FO L H E TO : C A PA Departamento de Epidemiologia Clínica, Medicina Preditiva e Saúde Pública Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

Leia mais

Mantenha-se atualizado sobre as novidades de como desenvolver e implementar com êxito. Ensaios Clínicos

Mantenha-se atualizado sobre as novidades de como desenvolver e implementar com êxito. Ensaios Clínicos 7º CURSO ANUAL PARA OS PROFISSIONAIS DE ENSAIOS CLÍNICOS EM Mantenha-se atualizado sobre as novidades de como desenvolver e implementar com êxito Ensaios Clínicos Form ventos FORMAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1. 60 h. 104 h. 146 h. 72 h 2º SEMESTRE. Carga horária

ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1. 60 h. 104 h. 146 h. 72 h 2º SEMESTRE. Carga horária MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE MEDICINA DE DIAMANTINA - FAMED CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1 MED001 MED002 MED003

Leia mais

curso de especialização em gestão

curso de especialização em gestão F OR M A Ç Ã O A V A N Ç A D A curso de especialização em gestão FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS Enquadramento O CEGE/ISEG é um centro de investigação e projectos do ISEG Instituto

Leia mais

Princípios orientadores para a política do medicamento

Princípios orientadores para a política do medicamento Princípios orientadores para a política do medicamento Aprovado pela Comissão Nacional de Farmácia e Terapêutica Objectivos: Neste documento da Comissão Nacional de Farmácia e Terapêutica (CNFT) discutem-se

Leia mais

Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas

Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas UNIVERSIDAD DE COIMBRA (PORTUGAL) PROGRAMA DE FARMACIA Mestrado Integrado em Ciências s Ciências s voltar ao curso Plano de Estudos: Nome da Biologia Celular 1 01550003 Física Aplicada 1 01550014 Histologia

Leia mais

SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Da Prescrição à Administração do Medicamento Sofia Valongo Serviços Farmacêuticos 26-09-2015 OBJETIVO 2 Descrever o papel do Farmacêutico na implementação

Leia mais

4ª Edição-Gestão de enfermagem em unidades de saúde

4ª Edição-Gestão de enfermagem em unidades de saúde 4ª Edição-Gestão de enfermagem em unidades de saúde 00. Fundamentação do curso A gestão é uma área de intervenção da enfermagem com uma grande importância estratégica e primordial para a qualidade dos

Leia mais

VIGILÂNCIA DE DISPOSITIVOS MÉDICOS

VIGILÂNCIA DE DISPOSITIVOS MÉDICOS VIGILÂNCIA DE DISPOSITIVOS MÉDICOS Adriana Gamboa Departamento de Vigilância de Produtos de Saúde (DGREE-VPS) (adriana.gamboa@infarmed.pt) MINISTÉRIO DA SAÚDE INSTITUTO NACIONAL DA FARMÁCIA E DO MEDICAMENTO

Leia mais

DIANA PATRÍCIA DIAS PEREIRA. Relatório de Estágio na Unidade de Estudos Clínicos da Keypoint CRO. Universidade de Aveiro Ano Letivo 2012

DIANA PATRÍCIA DIAS PEREIRA. Relatório de Estágio na Unidade de Estudos Clínicos da Keypoint CRO. Universidade de Aveiro Ano Letivo 2012 Universidade de Aveiro Ano Letivo 2012 Secção Autónoma das Ciências da Saúde DIANA PATRÍCIA DIAS PEREIRA Relatório de Estágio na Unidade de Estudos Clínicos da Keypoint CRO Universidade de Aveiro Secção

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8

Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8 Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8 MoreData, Sistemas de Informação Campo Grande 28, 10º E 1700-093 Lisboa 213520171 info@moredata.pt Índice de Conteúdos Introdução...3 Sobre o Curso...4

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS EM EPIDEMIOLOGIA

CONCEITOS BÁSICOS EM EPIDEMIOLOGIA CONCEITOS BÁSICOS EM Jussara Rafael Angelo São José dos Campos 30 de Junho de 2011 CONCEITOS BÁSICOS EM Concepção do processo saúde doença Tipos de estudo Intervenção Seccional Coorte Caso-controle Ecológico

Leia mais

Metodologia Científica. Jônatas Catunda de Freitas

Metodologia Científica. Jônatas Catunda de Freitas Metodologia Científica Jônatas Catunda de Freitas Temas da aula Estrutura de uma pesquisa Revisão bibliográfica Tipos de estudo Comitê de ética Montagem de um banco de dados Análise dos dados - bioestatística

Leia mais

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA Acção de formação Módulo, curso, curso livre, curso multidisciplinar ou seminário realizado no âmbito da Educação Contínua ou da Aprendizagem

Leia mais

O papel dos Editores Associados O Open Journal System

O papel dos Editores Associados O Open Journal System III Simpósio Acta Médica Portuguesa 22 Novembro, Ordem dos Médicos, Lisboa O papel dos Editores Associados O Open Journal System João Massano Editor Associado - Acta Médica Portuguesa Serviço de Neurologia

Leia mais

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre Plano de Formação - 2011 Form + Lab 2 Semestre Form + Lab O que é? O Form + Lab é um serviço de formação criado para apoiar os laboratórios na valorização e formação dos seus colaboradores dando resposta

Leia mais

2 Fase conceptual da investigação. 2.1. Objectivos e perguntas de partida

2 Fase conceptual da investigação. 2.1. Objectivos e perguntas de partida 2 Fase conceptual da investigação 2.1. Objectivos e perguntas de partida Investigação científica Deve iniciar-se com a formulação de um problema O objectivo da investigação é a solução desse problema.

Leia mais

O Plano Terapêutico no Sistema de Gestão Integrada do Plano Terapêutico

O Plano Terapêutico no Sistema de Gestão Integrada do Plano Terapêutico O Plano Terapêutico no Sistema de Gestão Integrada do Plano Terapêutico José Feio Farmacêutico dos Hospitais da Universidade de Coimbra 1º Congresso Internacional de Sistemas e Tecnologias de Informação

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO FACULDADE DE MEDICINA REGULAMENTO DAS ESTRUTURAS PEDAGÓGICAS DA FACULDADE DE MEDICINA

REPÚBLICA DE ANGOLA UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO FACULDADE DE MEDICINA REGULAMENTO DAS ESTRUTURAS PEDAGÓGICAS DA FACULDADE DE MEDICINA REPÚBLICA DE ANGOLA UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO FACULDADE DE MEDICINA REGULAMENTO DAS ESTRUTURAS PEDAGÓGICAS DA FACULDADE DE MEDICINA CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Artigo 1.º (Âmbito) Sem prejuízo do disposto

Leia mais

ANO:2011 Ministério da Saúde. Administração regional de saúde do Norte, I.P. Objectivos Estratégicos. Objectivos Operacionais.

ANO:2011 Ministério da Saúde. Administração regional de saúde do Norte, I.P. Objectivos Estratégicos. Objectivos Operacionais. ANO:2011 Ministério da Saúde Administração regional de saúde do Norte, I.P. MISSÃO: Garantir à população da sua área de influência o acesso à prestação de cuidados de saúde de qualidade e cumprir e fazer

Leia mais

Vigilância epidemiológica da infecção

Vigilância epidemiológica da infecção Vigilância epidemiológica da infecção Maria Teresa Neto UCIN, Hospital de Dona Estefânia CCIH, Hospital de Dona Estefânia Coordenadora do Programa Nacional de Vigilância Epidemiológica das Infecções em

Leia mais

EMERGÊNCIAS MÉDICAS PARA MÉDICOS DENTISTAS CURSO DE 29 30 NOVEMBRO 2013 CENTRO DE SIMULAÇÃO BIOMÉDICA DE COIMBRA

EMERGÊNCIAS MÉDICAS PARA MÉDICOS DENTISTAS CURSO DE 29 30 NOVEMBRO 2013 CENTRO DE SIMULAÇÃO BIOMÉDICA DE COIMBRA CURSO DE EMERGÊNCIAS MÉDICAS PARA MÉDICOS DENTISTAS 29 30 NOVEMBRO 2013 CENTRO DE SIMULAÇÃO BIOMÉDICA DE COIMBRA Atribuição de 1 ECTS pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra O CENTRO DE SIMULAÇÃO

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a Auxiliar de Saúde Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/9

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a Auxiliar de Saúde Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/9 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a Auxiliar de Saúde Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/9 ÁREA DE ACTIVIDADE - SAÚDE OBJECTIVO GLOBAL SAÍDA(S) PROFISSIONAL(IS)

Leia mais

VITAHISCARE UNIDADES HOSPITALARES

VITAHISCARE UNIDADES HOSPITALARES VITAHISCARE UNIDADES HOSPITALARES APRESENTAÇÃO FUNCIONALIDADES VANTAGENS E CARACTERÍSTICAS MÓDULOS COMPLEMENTARES UNIDADES HOSPITALARES O VITA HIS CARE Unidades Hospitalares é um sistema de informação

Leia mais

Ensaios Clínicos. Alexander R. Precioso

Ensaios Clínicos. Alexander R. Precioso Ensaios Clínicos Alexander R. Precioso Diretor da Divisão de Ensaios Clínicos e Farmacovigilância - Instituto Butantan Pesquisador do Instituto da Criança HC / FMUSP Introdução Os recentes desenvolvimentos

Leia mais

República de Angola DNME/MINSA/ ANGOLA

República de Angola DNME/MINSA/ ANGOLA DNME/MINSA/ ANGOLA 1 CONCEITO E ENQUADRAMENTO DA FARMÁCIA HOSPITALAR O Hospital é o local onde as intervenções mais diferenciadas, invasivas e salvadoras de vida devem ter lugar, constituindo-se, por isso

Leia mais

- Critérios- 1. Introdução. 2. Procedimentos da Prova de Discussão Curricular

- Critérios- 1. Introdução. 2. Procedimentos da Prova de Discussão Curricular Avaliação Final do Internato Médico de Medicina Geral e Familiar - Critérios- 1. Introdução O presente documento tem como finalidade dotar os júris constituídos para a Avaliação Final do Internato Médico

Leia mais

A VIGILÂNCIA DE DISPOSITIVOS MÉDICOS: Conceitos e Objectivos

A VIGILÂNCIA DE DISPOSITIVOS MÉDICOS: Conceitos e Objectivos A VIGILÂNCIA DE DISPOSITIVOS MÉDICOS: Conceitos e Objectivos Miguel Antunes Departamento de Vigilância de Produtos de Saúde (DGREE-VPS) (miguel.antunes@infarmed.pt) MINISTÉRIO DA SAÚDE INSTITUTO NACIONAL

Leia mais

O processo de Autorização de Introdução no Mercado de medicamentos. Ana Margarida Oliveira Direcção de Avaliação de Medicamentos

O processo de Autorização de Introdução no Mercado de medicamentos. Ana Margarida Oliveira Direcção de Avaliação de Medicamentos O processo de Autorização de Introdução no Mercado de medicamentos Ana Margarida Oliveira Direcção de Avaliação de Medicamentos ETAPAS DO CICLO DE VIDA DO MEDICAMENTO CICLO DE VIDA DO MEDICAMENTO 1º Fase:

Leia mais

TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO (NÍVEL 6)

TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO (NÍVEL 6) TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO (NÍVEL 6) Objectivos do Curso No final da acção, os formandos deverão ser capazes de: Colaborar na definição da política geral da empresa relativa à

Leia mais

Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente

Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Universidade do Algarve Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Licenciatura (1º Ciclo) em Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Directores de Curso: Prof.ª Doutora Maria João Bebianno

Leia mais

Edital de abertura de concurso. Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente

Edital de abertura de concurso. Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente 1. Perfil Profissional Edital de abertura de concurso Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente O/A Técnico/a Especialista em Gestão da Qualidade e do Ambiente é o/a

Leia mais

CURSO DE MEDICINA - MATRIZ CURRICULAR 2013

CURSO DE MEDICINA - MATRIZ CURRICULAR 2013 CURSO DE MEDICINA - MATRIZ CURRICULAR 2013 Eixos longitudinais, conteúdos e objetivos cognitivos psicomotores Eixos transversais, objetivos Per. 1º Ano eixo integrador: O CORPO HUMANO CH INT. COMUM. HAB.

Leia mais

Condução da Pesquisa. a visão do patrocinador. Eduardo Motti Gerente de Pesquisa Clínica Pfizer. I Curso de Pesquisa Clínica SBMF/ANVISA Maio 2007

Condução da Pesquisa. a visão do patrocinador. Eduardo Motti Gerente de Pesquisa Clínica Pfizer. I Curso de Pesquisa Clínica SBMF/ANVISA Maio 2007 Condução da Pesquisa a visão do patrocinador Eduardo Motti Gerente de Pesquisa Clínica Pfizer Finalidade da Pesquisa Aprovação Regulatória Primeira aprovação Expansão das indicações Outra Novos comparadores

Leia mais

MESTRADO EM GESTÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE

MESTRADO EM GESTÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE MESTRADO EM GESTÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE Programas das cadeiras Gestão de Unidades de Saúde Pretende-se que os participantes identifiquem os conceitos fundamentais de gestão e a sua aplicabilidade no contexto

Leia mais

CURSO DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE

CURSO DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE CURSO DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Em Portugal estão a abrir um conjunto muito vasto de equipamentos de saúde, nomeadamente unidades de cuidados continuados. Para este tipo de estabelecimento são necessários

Leia mais

Estado- Titular da autorização de Nome do medicamento introdução no mercado. Postfach 210805 Ludwigshafen DE 67008 Germany.

Estado- Titular da autorização de Nome do medicamento introdução no mercado. Postfach 210805 Ludwigshafen DE 67008 Germany. Anexo I 3 Substância: Propil-hexedrina Estado- Titular da autorização de Nome do medicamento Membro introdução no mercado Alemanha Knoll AG Postfach 210805 Ludwigshafen DE 67008 Germany Eventin 4 Substância:

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais. Relatório de Avaliação Final. Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info.

FICHA TÉCNICA. Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais. Relatório de Avaliação Final. Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info. FICHA TÉCNICA Título Organização Curso Relatório de Avaliação Final Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais Entidade Leader Consulting, 08 de Dezembro

Leia mais

I - EXERCISE IS MEDICINETM

I - EXERCISE IS MEDICINETM I EXERCISE IS MEDICINETM Objectivo Generalização da inclusão do aconselhamento para a actividade física no âmbito do plano terapêutico para a prevenção e o tratamento de doenças, e referenciação quando

Leia mais

Nutrição em Oncologia Formação Avançada

Nutrição em Oncologia Formação Avançada UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Instituto de Ciências da Saúde Nutrição em Oncologia Formação Avançada Enquadramento A Organização Mundial de Saúde prevê, em 2015, o aumento de 75% dos casos de cancro.

Leia mais

Técnico Auxiliar de Farmácia - Empower Up

Técnico Auxiliar de Farmácia - Empower Up Início Empower Up Equipa Consultoria Documentação» Contactos Empower Up» Formação» Técnico Auxiliar de Farmácia Técnico Auxiliar de Farmácia 240 horas AULAS TEÓRICAS E TEÓRICO-PRÁTICAS 160 ou 320 horas

Leia mais

Programa do Medicamento Hospitalar. Projectos Estratégicos:

Programa do Medicamento Hospitalar. Projectos Estratégicos: Programa do Medicamento Hospitalar Projectos Estratégicos: Boas Práticas na Área do Medicamento Hospitalar; Circuito Integrado do Plano Terapêutico; Comissões de Farmácia e Terapêutica. a. Áreas de intervenção;

Leia mais

Capítulo 7 Estudos sobre Causalidade e Etiologia

Capítulo 7 Estudos sobre Causalidade e Etiologia L E I T u R A C R í T I C A D E A R T I G O S C I E N T í F I CO S 105 Capítulo 7 Estudos sobre Causalidade e Etiologia 7.1 Introdução Relembrando o que foi dito no capítulo 1 os estudos randomizados,

Leia mais

Conclusões da Conferência Anual do INFARMED, I.P. 2009

Conclusões da Conferência Anual do INFARMED, I.P. 2009 Conclusões da Conferência Anual do INFARMED, I.P. 2009 Conferência de abertura Medicina Genómica: Impacto na Eficácia e Segurança dos Medicamentos O cada vez mais reduzido número de novos medicamentos

Leia mais

Anexo 1 Planos de Estudos do curso de Pedagogia Universidade do Sul de Santa Catarina

Anexo 1 Planos de Estudos do curso de Pedagogia Universidade do Sul de Santa Catarina ANEXOS Anexo 1 Planos de Estudos do curso de Pedagogia Universidade do Sul de Santa Catarina Plano de 20 Habilitação: Magistério das Séries Iniciais do Ensino Fundamental Se m 1º 2º nº Disciplinas nºcred

Leia mais

DINÂMICA DO PROCESSO DE ADAPTAÇÃO A BOLONHA

DINÂMICA DO PROCESSO DE ADAPTAÇÃO A BOLONHA DINÂMICA DO PROCESSO DE ADAPTAÇÃO A BOLONHA SITUAÇÃO ACTUAL CRITÉRIOS DE RECONHECIMENTO SITUAÇÃO PRÉ - BOLONHA ADAPTAÇÃO A BOLONHA DISCIPLINAS CHAVE DISCIPLINAS INSTRUMENTAIS DISCIPLINAS CHAVE DISCIPLINAS

Leia mais

Dimensão Segurança do Doente. Check-list Procedimentos de Segurança

Dimensão Segurança do Doente. Check-list Procedimentos de Segurança 1. 1.1 1.2 Cultura de Segurança Existe um elemento(s) definido(s) com responsabilidade atribuída para a segurança do doente Promove o trabalho em equipa multidisciplinar na implementação de processos relativos

Leia mais

Anabela de Sousa Fontoura. Rua da Banda Marcial de Gueifães, 350 1º esq. 4470-024 Maia

Anabela de Sousa Fontoura. Rua da Banda Marcial de Gueifães, 350 1º esq. 4470-024 Maia Curriculum Vitae Informação pessoal Nome Morada(s) Anabela de Sousa Fontoura Rua da Banda Marcial de Gueifães, 350 1º esq. 4470-024 Maia Correio(s) electrónico(s) anabela.fontoura@sapo.pt Telemóvel: 91

Leia mais

CONSENTIMENTO INFORMADO Versão #

CONSENTIMENTO INFORMADO Versão # FORMULÁRIO TIPO FOLHA DE INFORMAÇÃO AO PARTICIPANTE /FORMULÁRIO DE CONSENTIMENTO INFORMADO E AUTORIZAÇÃO PARA USO E DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÃO MÉDICA chilshflsdk. TÍTULO DO ENSAIO CLÍNICO: PROTOCOLO Nº.

Leia mais

INFORMATIZAÇÃO CLÍNICA DOS SERVIÇOS DE URGÊNCIA LINHAS BÁSICAS DE ORIENTAÇÃO

INFORMATIZAÇÃO CLÍNICA DOS SERVIÇOS DE URGÊNCIA LINHAS BÁSICAS DE ORIENTAÇÃO INFORMATIZAÇÃO CLÍNICA DOS SERVIÇOS DE URGÊNCIA LINHAS BÁSICAS DE ORIENTAÇÃO FUNCIONALIDADES TÉCNICAS INFORMATIZAÇÃO CLÍNICA DOS SERVIÇOS DE URGÊNCIA OBJECTIVO Dispor de um sistema de informação, que articule

Leia mais

AS AUDITORIAS INTERNAS

AS AUDITORIAS INTERNAS AS AUDITORIAS INTERNAS Objectivos Gerais Reconhecer o papel das auditorias internas Objectivos Específicos Reconhecer os diferentes tipos de Auditorias Identificar os intervenientes Auditor e Auditado

Leia mais

MARKETING RESEARCH. Direcção e Coordenação Científica: Prof. Doutor João Quelhas Mesquita Mota Mestre Dr.ª Helena Milagre Martins Gonçalves

MARKETING RESEARCH. Direcção e Coordenação Científica: Prof. Doutor João Quelhas Mesquita Mota Mestre Dr.ª Helena Milagre Martins Gonçalves MARKETING RESEARCH Direcção e Coordenação Científica: Prof. Doutor João Quelhas Mesquita Mota Mestre Dr.ª Helena Milagre Martins Gonçalves PÓS-GRADUAÇÃO/IDEFE Pós-Graduação // Marketing Research PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais