Estamos assistindo uma interessante transformação no meio dos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estamos assistindo uma interessante transformação no meio dos"

Transcrição

1

2

3 Editorial Sumário Editorial Editorial Reinvente-se Estamos assistindo uma interessante transformação no meio dos profissionais ligados ao Supply Chain Management. Trata-se da ascensão da área de Compras. Par-e-passo com os gerenciadores da cadeia de suprimentos, chega às vezes a suplantar-lhes, adquirindo status de vice-presidência, reportando-se diretamente ao presidente da empresa e ninguém mais. Por conta dessa tendência, aliás, atentos a todas as tendências em Logística & Supply Chain, a revista TODAY Logistics & Supply Chain acompanhou a fase inicial da preparação ao Certified Purchising Management (C.P.M.), a certificação para profissionais de compras, no País, oferecido pela Associação para Educação em Administração Empresarial (ABAI), que representa no Brasil o Institute for Supply Management (ISM), mentor do C.P.M. Conhecemos o instrutor Frank Quiett, responsável pela consolidação de alguns conceitos muito interessantes. Confiram na matéria de Capa, mas de qualquer maneira, destacamos a contraposição entre conhecimento e experiência: experiência é o resultado de ações passadas; conhecimento é o que você adquire em aulas, seminários, cursos, workshops e que faz o profissional desejar ir adiante. É uma maneira de adquirir o hábito constante de questionar-se e mudar, mudar e mudar. A inovação é um estado de espírito que não sossega diante da rotina, do hábito de fazer as coisas sempre do mesmo jeito. Questione-se, reinvente-se todos os dias, não se contente com pouco. O mundo é de quem tem o destino nas próprias mãos. Anote em sua agenda: dia 27 de novembro, I Encontro Nacional de Profissionais Certificados em APICS. Em um dia inteiro de palestras, o evento reúne conteúdo especializado, uma análise da comemoração dos 50 anos da associação - que ocorreu entre os dias 21 e 23 de outubro, nos Estados Unidos - e uma excelente oportunidade de networking com o time de profissionais qualificados do Brasil todo. E como sempre, as informações de mercado e a agenda de cursos para os interessados em crescer e aparecer. Lembramos que a partir deste ano a TODAY Logistics & Supply Chain, depois de um ano de distribuição gratuita, passa a ser oferecida em assinatura anual. Pedimos sua colaboração, leitor, pois com seu apoio podemos consolidar nosso projeto e ir muito mais longe. Leiam, critiquem, contribuam, a revista é sua! Boa leitura! Cecília Borges Editora 06 O profissional de compras atualmente ocupa posição estratégica e tem poder de decisão. Conheça a C.P.M. 08 Ética empresarial, artigo de Gregory Petter dos Santos EXPEDIENTE Thelma Almeida Santos - Diretora Executiva Cecília Borges - Editora - Mtb SP Antonio Carvalho - Editor de Arte Cíntia Luz / Bruno Ferreira - Estagiários Elenita Senger - Publicidade Conselho Editorial - Cristiano Cecatto - Laurent Frédéric Bernard - Nelson Rosário - CPIM, CSCP - Rubens E. Brambilla - CPIM, CIRM, CSCP, P. Eng. Contatos: R. Fernandes Moreira, São Paulo - Brasil Tel. : +55 (11) Portos, recentes novidades 14 Logística reversa de produtos eletrônicos, de Eduardo Miguez 16 Effectiveness in communication, education & training, de Daniel Druwe, OW 19 Profissional Certificado 20 Express - As novidades dos segmentos de logística e Supply Chain Management TODAY Logistics & Supply Chain - 04 TODAY Logistics & Supply Chain - 05 vó teresa

4 Capa Da esquerda para a direita: Carlos Roda, Leonardo Reis, Claudio Duarte, Olivier Crouzet, Gustavo MacFarland, Jean-Pierre Bernard, Thelma Almeida Santos, Frank Quiett e Juliana Martin. Sentado, Leonardo Rodrigues Com quem está seu dinheiro? ilustrações: Antonio Carvalho Esta é uma séria pergunta que os proprietários de empresas devem fazer a si próprios quando a estruturam e organizam seus departamentos de compras. Quanto mais qualificado for o profissional, em melhores mãos estará o orçamento. Para os mais atentos, há novidades no mercado brasileiro, como a certificação em compras - C.P.M. Como foi o caso de Cláudio Duarte, gerente de Supply Chain da Cryovac/Sealed Air, fabricante de embalagens para produtos de carne resfriada, entre outras especialidades. Ele tomou conhecimento do curso com os colegas norte-americanos e conta que nos Prática Outro participante do curso preparatório para C.P.M., Carlos Roda, das Compras Nacionais da Cryovac/Sealed Air, destaca que até pouco tempo traba- Total Cost of Ownership, ou Custo Total de Aquisição. Cláudio Duarte explica que quando se compara fornecedores, o primeiro critério analisado é o preço. Depois que aprendemos TCO, não olhamos preços e sim custos. Os fornecedo- Em setembro, a Associação para Educação em Administração Empresarial (ABAI), que represen- se se aquela maneira é a mais produtiva, a melhor. Segundo Quiett, não adianta trabalhar de determinado jeito porque foi ra de ver o mundo e de pensar. Quando eles percebem que a responsabilidade sobre a melhoria de vida profissional e pessoal está Estados Unidos as empresas estão considerando a certificação C.P.M.(Certified Purchasing Manager) como um critério de lhava como responsável pelo departamento de Engenharia de Instalações, até ser convidado a substituir o gerente de res que apresentam menor preço, muitas vezes têm qualidade pior ou estão mais longe, o que trará despesas com frete, ta no Brasil o Institute for Supply assim que o ensinaram ou porque sempre em suas mãos, o trabalho torna-se mais pro- seleção para profissionais das áreas de Compras, que se aposentou. O curso está exemplifica. Mais importante do que a Management (ISM) recebeu Frank Quiett, funcionou desse jeito. Não, de jeito ne- dutivo e eficiente. Compras e Suprimentos. Equivale a um sendo fundamental para o meu novo técnica é o raciocínio e esse já foi incor- orientador da primeira turma brasileira nhum. Você precisa parar e raciocinar, se MBA em Compras/Suprimentos. Acho que cargo, pois não tinha experiência no porado pelos profissionais. para o Certified Purchising Management não é a melhor maneira, parta para as Letras em breve seguiremos a mesma tendência no assunto. Além do conteúdo, outro benefí- A preparação ao C.P.M. ocorreu na hora (C.P.M.), a certificação para profissionais mudanças, ressalta Reis. Brasil, considera. Duarte salienta ainda que cio da série de palestras com Frank certa. A Cryovac/Sealed Air em 2006 de compras. O experiente profissional Mas o que atuar diferentemente tem a A coordenação do curso preparatório cerca de 50 a 70% de todas as despesas das Quiett foi o contato entre profissionais mudou seu approach em relação ao Supply empolgou a todos com uma diferente ver com compras? Simples, explica Frank para C.P.M., do I.S.M. está a cargo de empresas estão nas mãos dos profissionais altamente qualificado na área de compras, Chain: ao em invés de organização por maneira de pensar e de ver a vida. Ciente Quiett: Se fizer do mesmo jeito os resulta- Marcelo Offner, CPIM, consultor indus- de Compras / Suprimentos. Como conse- de empresas importantes dentro dos seg- departamentos passou para processos. de sua missão de ajudar os treinandos, dos serão os mesmos. O profissional precisa trial e logístico, e instrutor dos cursos da qüência da certificação, o gerente acredita mentos farmacêutico, serviços e moda. Sou parte viva dessa mudança, afirma Quiett enfatizou a relação entre conheci- de conhecimento adicional. Eu estou aqui APICS, também oferecidos pela ABAI. Ele as companhias terão: otimização dos custos, Saídos do curso, os três profissionais Cláudio Duarte, pois fui contratado especi- mento e experiência. Experiência baseia- menos para ensinar como passar nos exa- explica a relação entre as associações: aumento do lucro líquido, diferencial para os da Cryovac/Sealed Air estavam anima- ficamente para montar a gerência de se em ações passadas, conhecimento é o mes da certificação do que para acender a Elas são correlatas, pois ambas têm a profissionais mais qualificados dessas áreas, dos em implantar todas as novidades Supply Chain. Assim, sob o Supply Chain que leva os profissionais para frente. chama da procura constante de conheci- missão de difundir conceitos relacionados sendo pré-requisito para contratação dos apreendidas. Mas o próprio orientador estão as áreas de Compras, Logística, Alguns conceitos apreendidos já foram mento. O curso, disponibilizado pela ABAI com a gestão da produção e dos materiais. profissionais. recomendou que as mudanças fossem Planejamento de Produção e Materiais. incorporados pela turma de executivos bra- é estruturado em quatro módulos, com pro- Além disso, os cursos preparatórios para Marcelo Offner, da coordenação do feitas aos poucos. No primeiro momen- As Compras foram divididas em sileiros. Entre eles, Leonardo Reis, respon- vas a cada dois, iniciou sua primeira turma as certificações, tanto do I.S.M., como da curso preparatório acrescenta que em linhas to, reunimos todos os profissionais de Nacionais e Internacionais por terem pro- sável pela área de Compras Internacionais para a Certified Purchasing Management APICS são oferecidos pela ABAI. Sobre o gerais o profissional de compras precisa compras da companhia, afirma Cláudio cedimentos muito diferentes. Com a rees- da Cryovac/Sealed Air, fabricante de emba- (C.P.M.) em setembro. A missão do profes- início da turma para C.P.M., o consultor atuar da mesma forma independente como a Duarte, e compartilhamos o que apren- truturação global da companhia, a área de lagens para carnes resfriadas e congêne- sor é transmitir conhecimento de maneira explica que a ABAI vinha recebendo con- que explicou Frank Quiett. Como todos os demos, apenas contamos. Entretanto, Supply Chain adquiriu status de diretoria e res, que conta o ensinamento que marcou que os alunos possam aplicá-lo em suas sultas de interessados no assunto, normal- processos de gestão são, de certa maneira não conseguiram ficar apenas na teoria. vice-presidência, reportando-se diretamen- as aulas desde o primeiro dia: questiona- empresas. Ao chegar ao quarto nível, mente profissionais com vivência no exte- globalizados, a atuação de um gerente de Como as técnicas são muito interessan- te ao CEO. Hoje o Supply Chain tem muita mento constante. Ele nos ensinou a parar e estarão aptos a continuar a crescer e a adqui- rior ou de multinacionais que conheciam a compras nos Estados Unidos deve ser a tes, o grupo não se privou de experimen- importância dentro da Cryovac/Sealed analisar o que está se fazendo. E perguntar- rir conhecimento porque mudaram a manei- importância da certificação. mesma do que a do Brasil. tar, ao menos, uma delas, o TCO, de Air, conclui Duarte. TODAY Logistics & Supply Chain - 06 TODAY Logistics & Supply Chain - 07

5 Artigo Ética empresarial, a sua empresa tem? Através de seus administradores, deve estar ciente de sua responsabilidade, por meio de sua missão fundamentada numa atuação ética, deve implementar ações sociais e ambientais responsáveis, interagindo assim, entre os interesses da comunidade e da empresa, ou seja, detectando necessidades e alternativas de desenvolvimento social e econômico da população, propondo e desenvolvendo formas de solucionar problemas sociais, articulando o apoio e promovendo a elaboração de projetos que visem erradicar carências de crime e deve ser denunciado. Não apadrinharás A contratação ou promoção de um funcionário deve se dar com base na competência profissional e no mérito. Quando falam mais alto as relações amorosas, de parentesco ou politicagem, todos perdem. Tratarás os funcionários com respeito No local de trabalho devem imperar relações saudáveis, em que não prevaleçam o medo de perder o emprego e o Gregory Petter dos Santos colabora nesta edição com um artigo em que analisa a ética no ambiente corporativo. Valem a reflexão e as sugestões Nunca se falou tanto como hoje em dia sobre ética. Isto tudo devido aos freqüentes escândalos e mui- e deve ser avaliado devido ao seu esforço no cumprimento de suas responsabilidades sociais, como em sua atuação na forma obter vantagens competitivas. A empresa, as pessoas e a sociedade como um todo também acabam por se beneficiar com todo o tipo. Só assim, os funcionários, seus clientes e a sociedade como um todo acabam por assimilar este movimento estímulo à competição selvagem. Honrar cliente e fornecedor Não discriminarás tas queixas na sociedade, na política, nas de empresa-cidadã. este movimento. ético, tornando as pessoas menos céticas Entregar mercadorias na data marca- Fazer discriminação de raça, preferên- indústrias e em todos os segmentos que, de Nesse cenário mercadológico, há uma Percebe-se que é necessário incutir no e muito mais preocupadas com o bem da, fornecer serviços de qualidade e pres- cia sexual ou de deficiência, na hora de con- alguma forma, envolvem ganho financeiro grande competitividade dentro das empre- empresariado a consciência de que ao estar comum. Segue abaixo os 10 manda- tar bom atendimento ao cliente, além de tratar e promover, e tratar de forma desi- ou até mesmo de status. A sociedade con- sas, que acabam por incitar batalhas sem estabelecer padrões éticos como missão mentos das empresas socialmente respon- cumprir compromissos com fornecedores, gual homens e mulheres ainda é a regra em temporânea cobra das empresas uma fim entre as pessoas, seja disputando fatias da empresa, o resultado pode não ser ime- sáveis que por muitos não são respeita- são hoje exigências das quais a empresa muitas firmas. atuação responsável e o consumidor atual de mercado, ou disputando posições de diato, mas significa ter bons negócios a dos. Lembrando que a ética nada mais é não pode fugir. tem consciência da efetividade de seus destaque dentro das empresas e fora delas. longo prazo. Quando as pessoas trabal- do que um instrumento de realização da direitos. Portanto, exige das empresas uma nova postura que exponha suas reais preocupações com questões sociais. Um dos campos mais carentes, constatado na atual sociedade, refere-se à ética profissional, Nesta busca desenfreada pelo reconhecimento, manutenção do status, prestígio, lucratividade e poder, quase sempre, a ética é posta de lado. Esta é a guerra pela sobrevivência que é patrocinada pelo mercado, ham para uma organização que acreditam ser justa, onde todos estão dispostos a dar o melhor de si para a realização das tarefas, onde as tradições de fidelidade e cuidado são marcantes, elas trabalham com filosofia da empresa, de sua visão, sua missão e de seus valores, pois a ética passou a ser um fator que agrega valor à imagem da empresa. Não subornarás Nas relações do setor privado com o setor publico, o suborno tem sido uma das praticas mais em evidência, seja para vencer licitação de obras, livrar-se de multas A falta de ética em uma empresa acarreta na perda de bons clientes, bons fornecedores e bons profissionais. devido o fato de passarmos grande parte de onde para se chegar à vitória não importa um nível muito mais elevado e com orgul- Não divulgarás propaganda enganosa ou obter vantagem em negociação. nosso dia, no ambiente corporativo, onde se os meios utilizados. ho de fazer parte de numa empresa res- É preciso banir o péssimo hábito de fis- desenvolve em uma sucessão de escolhas e Mesmo considerando-se óbvio e abso- ponsável. Os valores ao seu redor passam gar o consumidor com a mentira ou meia Não poluirás da prática de virtudes, que nada mais são lutamente necessário obter, lucros, resul- a fazer parte delas e elas vêem o cliente verdade sobre produto ou serviço. É crescente a rejeição às firmas que do que os valores transformados em ação. tados, produtividade, qualidade e eficiên- como alguém a quem devem o melhor pro- poluem rios e mares, liberam gases Uma empresa só pode ser considerada cia de produtos e serviços, além de outros duto ou serviço possível. Bons negócios Não farás espionagem industrial poluentes, jogam lixo em local impróprio, ética se cumprir de forma clara e transparente todos os compromissos firmados, ou seja, se adotar uma postura de negócios aberta e agir de forma honesta com todos que mantêm qualquer tipo de relacionamento (colaboradores, fornecedores, clientes, acionistas, etc). Seus valores, rumos e expectativas devem levar em conta toda essa totalidade de relacionamentos, e seu desempenho também pode valores típicos de empresa, é extremamente necessário que os mesmos sejam aliados aos valores pessoais, tais como: respeito, dignidade, justiça, cooperação, perseverança, honestidade, compreensão, senso crítico, prudência, entre outros. Entende-se claramente a necessidade da moderna gestão empresarial criar relacionamentos mais éticos no mundo dos negócios para poder sobreviver e, obviamente, dependem essencialmente do desenvolvimento e manutenção de relações de longo prazo e as falhas éticas levam as empresas a perderem clientes, fornecedores importantes e profissionais eficientes. Na atualidade a empresa que quiser ser competitiva e obter sucesso tanto no mercado nacional como no mundial, terá de manter impreterivelmente uma sólida reputação no que diz respeito a seu comportamento ético. Procurar descobrir o que o concorrente está fazendo, com emprego de táticas desonestas, ainda é considerado natural, sobretudo em áreas muito competitivas, como automobilística e informática. Não assediarás sexualmente Uma cantada pode não ser nada mais que uma cantada, mas o uso do poder como forma de sedução e coerção sexual é abusam de recursos naturais e não se responsabilizam pelo destino dos produtos que criam. Não fraudarás A fraude é qualificada como falsificação, adulteração, contrabando, abuso de confiança ou ação praticada de má fé. Os diferentes tipos de fraude podem ser encaixados em diversos artigos do Código Penal. O autor: Gregory Petter dos Santos é Bacharel em Logística, com vários cursos de complementação em Logística Empresarial, tendo concluído o último, sobre Balanced ScoreCard, em julho de Sua experiência profissional abrange as áreas de Operações Portuárias, Transporte Rodoviário de Carga, Armazéns Gerais, de Contêineres e Frigorificados. Atualmente é Analista de Logística na Perdigão Agroindustrial, no setor Gerência Logística de Armazenagem e Distribuição do Mercado TODAY Logistics & Supply Chain - 08 TODAY Logistics & Supply Chain - 09

6 Portos SEP considera mos com a perspectiva de aproximadamente 25 milhões de toneladas de cargas, entre sejam competitivos e o que estamos discutindo com o Porto de Montevidéu, de Buenos do processo, numa faixa de 800 / 1800 km, o que também possibilita que esse processo Rio Grande o segundo mais importação e exportação, 17,5% de crescimento médio nas nossas atividades. Para 2015, a projeção é de aumento médio anual Aires, de Paranaguá, de Itajaí é a complementaridade, para que cada vez gastemos menos em termos de logística para ser mais compe- de concentração de cargas possa ser realizado no Porto de Rio Grande. importante porto brasileiro de 9%. T: O senhor atribui a isso o fato de o titivo na hora de exportar nossos produtos. T: A que o senhor atribui os bons índices T: E o que mais o senhor gostaria de destacar nos processos logísticos? BS: Acho também que a hidrovia nos ministro ter colocado o porto de Rio Grande do Porto? favorece com o Uruguai, e o nosso aprovei- como o segundo principal do País? BS: Podemos melhorá-los mais. Vamos tamento na Lagoa Mirim também é grande. BS: Não. Nós já estávamos trabalhando dedicar os próximos anos à eficiência e à efi- Então a grande área produtora do Uruguai fortemente e o planejamento estava ade- cácia. Propusemos-nos em não mexer em de minérios e madeira é a região norte deles, quado nesse sentido. Agora, com a notícia, tarifas portuárias nos próximos cinco anos, justamente na fronteira com o Rio Grande estudamos as ações a articular com o manter as mesmas tarifas que já temos há do Sul, onde temos a via férrea para auxiliá- Governo Federal para que o porto seja tão dez anos e mexer apenas em ganhos de pro- los, como também a hidrovia, dando mais importante na prática quanto é no discur- dutividade e na eficácia para que possamos competitividade para eles, e o uso da sua so, que esteja nas prioridades da melhorar ainda mais toda a infra-estrutura madeira para as indústrias de celulose que detalhe do Porto de Rio Grande (RS) Secretaria Especial de Portos. Queremos transformar palavras em ações consolida- do porto e dar condições de sustentar esse processo. Mas diria que há uma grande van- estão se instalando na região. Bercílio Silva, Superintendente do Porto de Rio Grande O Ministro da Secretaria Especial de Portos, Pedro Brito deu a entender durante o seminário da Santos Export, em outubro, que o Porto de Rio Grande teria condições de se tornar um dos portos hub brasileiros (de concentração de cargas), juntamente com o Porto de Santos. Em visita a Rio Grande, um mês antes, o Ministro afirmou que o local é o segundo mais importante do Brasil em movimentação de cargas. Para comentar as afirmações de Brito, o Superintendente de Rio Grande, Bercílio Silva concedeu uma entrevista à TODAY, que você confere a seguir das para que se tornem realidade. T: Quais as expectativas para o futuro? BS: Acredito que em 2015 com o crescimento normal que estamos trabalhando, conforme a média e as projeções de todas as demandas dos terminais portuários, o porto estará operando com 50 milhões de toneladas. Creio também que em um período tão pequeno o porto estará dobrando sua movimentação e, para isso temos de ter a estrutu- tagem comparativa pela multimodalidade do transporte no Porto de Rio Grande. O governo está dando um especial interesse à parte hidroviária e o porto está junto nesse processo, no aproveitamento de menos de 3,7% de todas as cargas que saem ou que chegam ao porto de Rio Grande via hidrovia, e queremos elevar isso nos próximos 4 ou 5 anos para 20% no mínimo, porque é uma via mais econômica, ecologicamente segura e correta, e isso vai nos dar mais competitividade e T: O que o senhor destacaria em metas para os próximos anos e até mesmo para de 2007? BS: Em 2007 a safra foi boa, mas não só o aumento da safra que movimentou o trânsito das mercadorias do porto. Houve o aumento de importação, houve o aumento da exportação em todo sentido cargas gerais, automóveis foi um aumento linear com maior concentração na safra agrícola, sem dúvida, mas houve um crescimento em todas as ra preparada para um porto multiplicar sua os investimentos são muito menores do que áreas. Granel líquido também, o que mostra infra-estrutura, com novos terminais, com na sustentação das rodovias. que a atividade econômica está começando a TODAY: O ministro Pedro Brito declarou de importância no Brasil, o que para nós foi Entretanto, a medida ainda não é oficial. canais dragados, aprofundados, sinalizados ultrapassar os índices do PIB nacional. que o Porto de Santos é o primeiro porto hub uma surpresa e confirma o que ele disse no com tecnologia moderna e gestão dinâmica. T: Esse seria um diferencial logístico do do Brasil e que há mais duas possibilidades, seminário. Estrategicamente, as condições T: E como o senhor, Superintendente de Sem dúvida, o Rio Grande do Sul, que usa Porto de Rio Grande? T: E o principal objetivo de vocês, seria mencionando que Rio Grande seria uma naturais e de investimento, tanto público, Rio Grande, pretende conduzir essa mais de 96% de suas exportações pelo Porto BS: Acho que esse seria um diferencial justamente em 2015 conseguir atingir 50 delas. O que o senhor diz sobre isso? quanto privado, e de multimodalidade, no situação? do Rio Grande, vai, nos próximos anos, ala- por nos dar a competitividade na exportação milhões de toneladas? Bercílio Silva: Recebemos o Ministro parecer do ministro, indicam que Rio BS: Com maior responsabilidade, traba- vancar esse desenvolvimento. dos produtos. Isso em termos internos. Em BS: Sim, 50 milhões com as mais baixas que, em reunião com todos os operadores, Grande pode ser um grande porto concen- lhando cada vez melhor e olhando muito termos externos, a proximidade entre os taxas portuárias e um atendimento cada vez trabalhadores, empresários e autoridades, trador de cargas, principalmente em ter- para o futuro. Temos, com nossos técnicos, T: Como é a relação de Rio Grande com portos mais ao sul, como Buenos Aires, mais eficiente em serviço, ou seja, fazer com deu a declaração que depois de Santos, o mos de Mercosul. Falou mais: que, do Sul, feito um planejamento estratégico para o os portos vizinhos? Montevidéu, e também com Santa Catarina, que haja negócios cada vez mais eficientes e Porto de Rio Grande seria o segundo porto Rio Grande será um dos primeiros portos. desenvolvimento do porto e este ano esta- BS: Não creio que os portos entre si Paraná e até São Paulo. Nós ficamos no meio competentes para todos. TODAY Logistics & Supply Chain - 10 TODAY Logistics & Supply Chain - 11

7 Portos Missão Portuária vai a portos europeus Ministro da Secretaria Especial de Portos, Pedro Brito e comissão prepararam Missão aos portos de Hamburgo e Le Havre Michel Siva, diretor de operações da Aliança Brasileira e da Hamburg Sud Internacional é visitar randes centros portuários mundiais a fim de Ameta conhecer a experiência destes portos e prospectar possibilidades de investimento. Essa é a justificativa dada pelo Conselheiro Rodrigo Azeredo Alves sobre a missão do Ministro-Chefe da Secretaria Especial de Portos (SEP), Pedro Brito, aos portos europeus de Hamburgo (Alemanha) e Le Havre (França), entre os dias 10 e 17 de outubro. Trata-se da segunda missão de um total de quatro que abrangem a área portuária. Na primeira comissão foram visitados os portos de Cingapura e Xangai, em maio, e as próximas contemplarão os portos dos Estados Unidos, Dubai e Japão. Alves, que é Chefe da Divisão de Programas de Promoção Comercial do Ministério das Relações Exteriores, destaca a importância dos portos a serem visitados: Le Havre e Hamburgo são portos que movimentam cargas que são distribuídas para toda a Europa. Hamburgo é o maior porto da Alemanha, o terceiro maior da Europa e o 9º no ranking mundial em termos de movimentação de contêineres. Em 2006, movimentou cerca de unidades de 20 TEU s - 9,6% a mais que em e 135 milhões de toneladas de carga, tendo sido 79 milhões de toneladas desembarcadas e 56 milhões de toneladas expedidas. O porto de Le Havre é o primeiro porto de importância do continente norteeuropeu, situado no eixo Mancha/Mar do Norte, pelo qual transita um quarto dos intercâmbios marítimos do planeta. A visita tem caráter exploratório e, por isso, Alves vê a possibilidade de um futuro acordo entre os portos nacionais e europeus. Os dois portos Panorama portuário revela problema de atraso em Santos No final de setembro, eventos em São Paulo levantaram discussões e apresentaram propostas de melhorias acerca do atual sistema portuário brasileiro. Confira o que ocorreu em alguns desses debates. TODAY Logistics & Supply Chain - 12 Ministro Pedro Brito oferecem ao Brasil uma oportunidade de diversificação logística e melhoria nos canais de distribuição, afirma. Mas as atenções do governo brasileiro estão destinadas à cooperação técnica que esses portos podem oferecer, por serem mais modernos, o que permite a movimentação de uma grande quantidade de cargas. A idéia é equipar os portos nacionais com uma estrutura semelhante aos portos europeus para que consigam movimentar um número superior de cargas. O Ministro-Chefe da Secretaria de Portos, Pedro Brito, será acompanhado pelo Diretor-Geral da Antaq, Fernando Fialho, pelo Subsecretário-Geral de Cooperação e de Promoção Comercial do MRE, Embaixador Ruy Nunes Pinto Nogueira, além de representantes de portos brasileiros e empresários ligados ao setor. Brasil que vive o ano todo perguntando quando ocorrerá Num o apagão logístico, um debate desses tinha de ser feito, afirmou o coordenador do VIII Congresso da ABML (Associação Brasileira de Movimentação e Logística), realizado no final de setembro na Câmara Americana de Comércio (Amcham). Essa edição do Congresso foi realizada em um momento em que a logística ganha maior relevância no cenário nacional. As palestras foram elaboradas ao longo de seis meses, e contaram com a colaboração de empresários e especialistas da área. Durante o Panorama de Modais, ocorrido no primeiro dia do evento, o diretor de Operações da América do Sul da Hamburg Süd Internacional e da Aliança Brasileira, Michael Martins da Silva, afirmou que ainda há terminais brasileiros que embarcam contêineres de modo informal e que há portos operando acima de sua capacidade, gerando atrasos nas operações. Segundo ele, o caso do Porto de Santos é um dos mais preocupantes, pois apresenta atraso de 15h30min, e um dos motivos que justificam essa deficiência em Santos seria a falta de dragagem. Silva enfatizou a necessidade de implementar janelas de atracação, o que reduziria os atrasos no terminal. Dentre as deficiências do atual sistema portuário, o diretor de Operações ressaltou o caso dos portos estratégicos que precisam de revisão, a insuficiência de investimentos públicos quanto à expansão linear e horizontal, acessos restritivos aos portos e falta de complemento da janela de atracação. Durante a sessão Direto ao Assunto, debate entre os congressistas que participaram do Panorama dos Modais, que encerrou o primeiro dia do evento, Silva afirmou que a verba para a manutenção dos portos acaba sendo destinada para outros setores, tanto que os terminais brasileiros apelam pelo retorno das arrecadações para fazerem os investimentos necessários. Isso fez com que o jornalista CMA/CGM aborda deficiências do setor portuário brasileiro em reunião do Comus Oengenheiro Nelson Carlini, diretor geral da CMA/CGM do Brasil, defendeu as privatizações e modernizações no setor portuário e qualificou como ineficientes as ações governamentais nos portos, durante sua apresentação na 14ª Reunião do Comitê de Usuários dos Portos e Aeroportos de São Paulo, Comus, realizado na sede da Associação Comercial de São Paulo, em 25 de setembro. Apagão Marítimo foi o tema do encontro que reuniu armadores do setor portuário brasileiro, dentre eles, Michael Martins da Silva, diretor de Operações da América do Sul da Hamburg Süd Internacional e da Aliança Brasileira, que palestrou sobre o panorama portuário brasileiro no VIII Congresso ABML. Durante o evento, Carlini afirmou que a capacidade dos portos do sudeste brasileiro estaria esgotada em 2009 se entidades privadas não investissem no setor. Esses investimentos, segundo ele, são responsáveis pelo atual aumento de capacidade dos terminais, mas enfatizou que os empresários ainda encontram obstáculos advindos da ineficiência do sistema. Para Carlini, o setor privado está disposto a investir, embora isso não se materialize no tempo devido. Assim como Michael Silva no Congresso da ABML, o diretor geral da CMA/CGM do Brasil fez referência ao movimento excessivo TODAY Logistics & Supply Chain - 13 Heródoto Barbeiro, que mediou o debate, comentasse que essa situação assemelhase à atual crise vivida no setor aéreo, cujos investimentos também são desviados para outras áreas. Outros participantes do debate foram José Vitor Mamede (Fiesp), Rodrigo Vilaça (ANTF), Élcio Ribeiro (Sindicado de Armadores de Navegação Fluvial do Estado de São Paulo), Marcelino Guedes (Transpetro), Carlos Alberto Alcântara (Infraero) e Marcelo Perrupato (Secretário de Política Nacional dos Transportes). O Panorama dos Modais ocupou o primeiro dia do VIII Congresso ABML, ocorrido nos dias 17 e 18 de setembro. O segundo dia do evento foi dedicado ao VIII Prêmio ABML de Logística. Nelson Carlini, diretor geral da CMA/CGM do Brasil) do Porto de Santos, ressaltando o empenho do colega da Hamburg Süd em estabelecer janelas de atracações no terminal, para amenizar esse problema. Quanto ao Programa de Aceleração do Crescimento, PAC, que prevê R$ 2,7 bilhões de investimentos no setor portuário, Carlini disse que as atenções estão mais voltadas para a dragagem, mas falta uma ação no setor logístico. Não vejo como as ações anunciadas podem melhorar a logística, afirmou. As reuniões do Comus ocorrem anualmente desde 1993 com o objetivo de discutir os problemas existentes, assim como propor melhorias aos portos e aeroportos brasileiros.

8 Artigo Como atua um operador na logística reversa de produtos eletrônicos? Definição do problema rirem um programa de logística reversa em Com o avanço tecnológico e a redução no ciclo de vida de produtos eletrônicos, as empresas vêm suas empresas, por diversos motivos. Os principais são: Limpar o canal para a introdução de sentindo cada vez mais a necessidade de novos produtos, ou produtos com upgrade darem uma destinação a produtos obsole- de tecnologia; tos ou defeituosos. Muitos aparelhos eletrô- Dar assistência técnica, através do ser- nicos possuem materiais perigosos. Por viço de garantia ao consumidor, recolhendo se viabilizar o investimento em logística acima, resolvem adotar um canal reverso, curar no mercado uma empresa especiali- esta razão, devem procurar alternativas ao descarte em aterros sanitários ou à incineração. Computadores, monitores, televisões e outros equipamentos eletrônicos, não podem ser descartados juntamente com o lixo normal. Estes aparelhos podem ser doados ou revendidos, prolongando assim, suas vidas úteis. Aparelhos que não estejam funcionando, devem ser reciclados produtos defeituosos e fornecendo produtos novos, caso não seja possível o conserto do bem devolvido. O serviço de assistência técnica pode ser executado também fora do prazo de garantia do produto, neste caso, a empresa receberá pelo serviço; Proteger a marca, evitando que produtos defeituosos sejam vendidos no mercado paralelo. Se a empresa recuperar seus pro- O artigo é uma contribuição de Eduardo Correia Miguez, administrador de empresas e mestrando em Engenharia de Produção, pela COPPE/UFRJ reversa. Entretanto, as empresas de menor porte, geralmente, não possuem recursos suficientes para realizarem estas atividades nem uma escala suficiente, portanto, contratam uma empresa especializada para efetuar os processos de logística reversa. Outra questão importante é a definição do quão estratégico a logística reversa é para a empresa, isto é, o quanto as atividades mas sem o interesse de recuperar componentes de seus produtos. O intuito nestes casos é apenas por questão operacional (os produtos defeituosos decorrentes da assistência técnica ficam armazenados na empresa) ou para proteção da marca. Algumas empresas, quando precisam se desfazer de computadores, impressoras e outros tipos de aparelhos eletrônicos, reco- zada nisto, e esta, é uma etapa muito importante, pois a escolha de um parceiro que não seja sério pode gerar sérios problemas, inclusive jurídicos para a empresa contratante. Para tanto, é importante escolher uma empresa com boa reputação no mercado e verificar se ela respeita o meio ambiente, as legislações locais e se ela tem permissão para a reciclagem e des- por uma empresa especializada no descarte dutos após seu consumo por parte do clien- reversas impactam na atividade central da rrem às empresas especializadas em logís- carte de tais materiais. destes tipos de produtos. Muitos componentes de equipamentos eletrônicos, incluindo plásticos e vidros podem ser reutilizados ou reciclados, enquanto outros tipos de materiais podem causar danos ambientais se não forem corretamente descartados, como baterias, por exemplo. Por que as empresas devem desenvolver atividades de logística reversa? As empresas estão percebendo cada vez te, ela evitará que produtos com defeito sejam mal consertados por pessoas não autorizadas e vendidas para os consumidores, pois a marca da empresa estará atrelada ao produto, danificando sua imagem, caso o produto dê defeito; Lucrar com o aproveitamento de componentes, substituindo matérias-primas virgens, diminuindo assim, o custo de produção; Lucrar com a venda de partes de produtos para reciclagem; substâncias tóxicas ou materiais com período longo de deterioração sejam lançados no meio ambiente, recebendo assim, o tratamento adequado. Por que terceirizar as atividades de logística reversa? As grandes corporações possuem recursos financeiros, logísticos e funcionários suficientes para realizar as tarefas da logística reversa sem a necessidade de uma empresa especializada. Além disso, pos- empresa. Neste sentido, empresas de grande porte podem achar que a logística reversa não influi diretamente em sua atividade central, não justificando assim, um esforço para realizar o retorno dos produtos internamente. Por outro lado, há aquelas empresas que, independentemente de seu porte, preferem apenas gerenciar as atividades de logística reversa, mesmo esta sendo estratégica. Estas empresas ficam responsáveis apenas pela gestão do processo. Há outros casos, em que empresas, por tica reversa, pois não possuem necessidade de criar processos reversos para casos em que o aproveitamento de materiais e até mesmo a proteção da marca não são o foco. Para estas empresas, o mais importante é o respeito ao meio ambiente, e também a proteção dos dados contidos nos computadores. Esta proteção acontece quando a empresa destrói (ou contrata alguém para destruir) seus componentes, que contenham dados sigilosos da organização. Quando a empresa decidir terceirizar o O autor: Eduardo Correia Miguez é Administrador de Empresas, formado pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e mestrando em Engenharia de Produção, pela Coordenação dos Programas de Pós-graduação de Engenharia (COPPE/UFRJ). Trabalhou em empresas como Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), na Área de Capital de Risco; na Operadora Vivo, Área de Cobrança; e atualmente na Petroflex, como Trainee da Coordenação de Suprimentos Contato: mais a importância e a necessidade de inse- Preservar o meio ambiente, evitando que suem escala, o que é muito importante para questões estratégicas, como já citadas processo de logística reversa, ela deve pro- continua na próxima edição TODAY Logistics & Supply Chain - 14 TODAY Logistics & Supply Chain - 15

9 Internacional Efetividade em comunicação, effectiveness of the action. Having a clear definition of the targeted Case as Illustration The following case explains and illustra- management; education and training on inventory educação e treinamento change and of how it will be measured helps us select the most appropriate combination of actions in each case. Measuring the effec- tes the process and the main points that need to be considered. Through the Strategic Management pro- management techniques; coaching by the manager and by the internal expert on Inventory Management. O artigo da costumeira colaboração da consultoria Oliver Wight e com a autoria e introdução em português de Daniel Druwe analisa as ações de comunicação, educação e treinamento tiveness enables us to identify deviations and to learn and improve over time. In summary, we will achieve a lot more cess Velocity was identified by CompanyX as a desired competitive advantage and as a critical success factor; then it was converted The investigation of the alternative ways to execute the actions led to the selection of two courses given by an external entity the with possibly less C,& T. into a Strategic Objective for CompanyX. best ways to teach the basics of supply chain Tanto as organizações quanto as pessoas estão saturadas por ações de comunicação, educação e treina- da disputada atenção das pessoas-alvo. Simplesmente por exigir uma definição clara de quais mudanças deverão ocorrer e de ges in the business, not the number of hours people have been subject to CE&T. Focusing on the effectiveness of CE&T What follows equally applies to all types of CE&T: top-down, bottom-up, horizontal, 360 o, coaching, lecturing, self-studying and In the deployment of the Strategic Plan, the Planning & Logistics organization perceived the need to significantly improve the and the techniques for inventory management. When discussing the fitness of these courses with the external entity the specific mento (neste artigo citadas como CE&T, de como elas serão verificadas já se provoca leads us to a significant change in our use of other ways should all be challenged as to performance of material inventory manage- objectives targeted were explained and the Comunication, Education & Training). uma abordagem mais responsável e conse- CE&T, including the analysis of how the dif- which changes are targeted and how effecti- ment, in order to contribute to the Velocity entity was challenged as to the ability to pro- Ainda assim, diariamente nos deparamos qüente, tanto dos que irão executar as ações ferent instruments of CE&T interact and vely changes are being promoted. strategic objective. duce the specified changes. com situações que demonstram desvios de quanto dos que irão recebê-las. E, tendo cla- integrate to produce the desired changes. The targeted changes were made clear to comportamento, erros e baixo desempenho ramente definidos os objetivos de mudança a Kirk Patrick and Phillips are two impor- Five Levels of Measurement As the manager of Planning analyzed the the external entity and to Stephanie as well atribuídos à falta de CE&T. Isso demonstra mensuração da efetividade é facilitada. tant contributors to the development of met- The effectiveness of CE&T can be mea- performance of the Material Planner as how they would be measured afterwards. que as maneiras costumeiras de avaliar Em resumo, podem-se obter mais resulta- hodologies to assess effectiveness of C, E & sured in 5 different levels: Stephanie, he verified that the following chan- The appropriate internal Coaches were CE&T como, por exemplo, o número de dos com provavelmente menos CE&T. O que T. Jeanenne LaMarsh and Rebecca Potts (2) Level 1 - Quality of the event: con- ges should be targeted: identified, thus completing the solution horas por funcionário, não tem tanto signifi- se propõe a seguir aplica-se a todos os tipos have developed what I consider as the best tents, instructor, room, duration, etc. This safety stocks for the items managed package. The internal Coaches and cado. O que realmente interessa, a de CE&T: para baixo, para cima, horizontal, approaches and methodology to manage is most frequently done through a percep- by Stephanie then represented $20 million. Stephanie agreed on how the coaching Efetividade das Ações de CE&T, raramente 360º, coaching, cursos, auto-estudo e todas changes. This article extensively benefits tion survey of the participants at the end of Given the demand and supply characte- should be conducted. é medido. Se CE&T são valiosos instru- as outras formas. Todas as ações de CE&T from their ideas and proposals. the event. ristics of the items under her responsibility Upon the execution of courses, perfor- mentos da gestão das empresas, a atenção devem ser desafiadas quanto às mudanças Communication, Education and Training Level 2 - Acquisition of knowledge and and the service level objectives, $10 million mance was measured at Levels 1 and 2. das pessoas-alvo é ainda mais preciosa. Não desejadas e à medição da sua efetividade. are all extremely valuable instruments and skills. This can be measured with before / would be the ideal level; therefore a change The execution of Coaching was monitored é aceitável satisfazer-se com a execução das the attention of the employees is an even after tests. from $20 to $10 should be promoted; against the plan, with periodical review bet- ações de CE&T - é essencial verificar se EFFECTIVENESS IN COMMUNICATION, more precious element. We cannot afford Level 3 - Effect on the job - for example, the service level then provided by ween coaches, Stephanie and her manager os objetivos foram ou não atingidos. EDUCATION & TRAINING using them without a clear purpose and wit- the observed changes in the measured per- most of the items managed by Stephanie (who was also one of the coaches). O simples fato de focalizar na efetividade hout making sure they are being effectively formance on the job: productivity, rate of ranged from 60 to 70%; a minimum of 95% One month after the solution package já produz uma mudança na abordagem à Summary used for the defined purpose. defects, customer satisfaction. is considered necessary to support produc- (courses and coaching) was completed, the CE&T, incluindo a análise de como os dife- Organizations and individuals today are As a principle, the objective of every and Level 4 - Effect on the business - for tion; an improvement of at least 25-35% nee- planned safety stocks were measured based rentes instrumentos de CE&T devem intera- saturated with communication, education all CE&T actions needs to be justified with example, how much rework hours were ded to be obtained; on the parameters in the system. gir e integrar-se para produzir as mudanças and training. Nevertheless, we are confron- an objective of promoting change: change of saved, throughput increased, product cost other changes were identified as This showed a sum of $13 million planned. desejadas. Como princípio, o objetivo de toda ted daily with situations indicating that the values, beliefs, attitudes, behaviors, know- decreased, as a result of the increased pro- required but are disregarded in this article Some change was measured on service e qualquer ação de CE&T deve ser promover lack of communication, education and trai- ledge and/or skills. From a business pers- ductivity of the participant observed after to simplify the explanation. level: 80% of the items moved from the 60- uma mudança: de valores, crenças, atitudes, ning are causing misbehavior, mistakes and pective these changes must result in reliabi- the event. A similar analysis was made for the colle- 70% range to 70-75%. comportamentos, conhecimento e habilida- low performance. lity, better decisions and performance. Level 5 - Return on the CE&T agues of Stephanie and for other related The effectiveness of the solution at that des. Em negócios, essas mudanças precisam This shows that the traditional ways of When we force a clear definition of which Investment. Once we measure the effect on functions. This illustration will proceed with point was considered to be around 60% of the converter-se em confiabilidade, melhores assessing CE&T, as for example, the num- changes are targeted with an action of the business results, we can analyze them the Stephanie s example alone. expectation; it was recognized that the incre- decisões e maior desempenho. Ações de ber of hours per employee, is not good CE&T, we promote a more responsible against the cost of the CE&T actions. The following actions were identified as ased maturity in the following months would CE&T não-efetivas para esses fins são um enough. What really matters is the approach to it and we make it easier and Adapted from the classification develo- necessary to produce the desired changes: improve the results but would not be able to desperdício de recursos e, principalmente, Effectiveness in promoting the desired chan- more accurate the measurement of the ped by Kirkpatrick and Phillips. (1) education on the basics of supply chain complete the desired changes. TODAY Logistics & Supply Chain - 16 TODAY Logistics & Supply Chain - 17

10 Internacional An analysis of the causes of insufficient The total impact on the business was esti- would be welcome, focusing on accuracy is effectiveness was made and two of the causes identified were the lack of proficiency in the supporting systems and a need for better knowledge of the materials and of the way they moved in the chain from the suppliers to the point of use in production. An additional program was defined with mated at $10.8 million onetime cash relief plus $4.08 million per year. This was considered the effectiveness measurement at level 4 (impact on the business). The impact on the business was then analyzed against the cost of the solution. Because education & training needs periodi- the sure way to preclude the benefits. We have observed that simply challenging people with questions like are you communicating this or giving that class simply to inform? which are the actual changes you want to promote in values, beliefs, attitudes, beha- Daniel Druwe Araujo, freqüente colaborador da TODAY Logistics & Supply Chain, é o entrevistado desta edição. Graduado em Economia, especializou-se em Administração Empresarial por cursos e experiência profissional no Brasil e no exterior. Além da certificação pela APICS, Daniel é diretor da Associação para Educação em Administração Empresarial (ABAI) e consultor associado à The Oliver Wight Companies (OW). É um dos palestrantes do I Conferência ABAI de Certificados APICS, em 27 de novembro, em São Paulo (confira detalhes da programação em systems training and an walk through of cal reinforcement and there is some expec- viors, knowledge and/or skills? the supply and usage chain of the different ted turnover of personnel, a conservative have you thought of all the actions that Resumo de suas atividades dentro da con- gurar a abrangência e o mínimo de profun- andar de bicicleta - pode-se ficar parado types of materials. approach considered only the benefits of need to promote the desired changes, in an sultoria didade de conhecimento. por algum tempo, porém quem não anda, One month after the extended solution one full year. integrated way? Primeiramente nos dedicamos a enten- Quais os benefícios de obter essa certifi- inevitavelmente cai e fica para trás. Livros, was completed the parameterized safety do these actions make the best combina- der as necessidades percebidas pelo clien- cação no dia-a-dia de seu trabalho e em sua revistas e artigos especializados, em papel stocks in the systems were measured again Costs were estimated as follows: tion of means to achieve the desired changes? te. Com o benefício da visão externa e da carreira? e na internet, são a fonte mais cost-effec- and amounted to $9.2 million, while the ser- how can we verify that the changes are habilidade de análise, ajudamos o cliente a Pessoalmente a certificação ajudou-me tive e conveniente para manter-se a par vice level had increased to 85-95%. It was Courses given to Stephanie: $ 4,900 being achieved? validá-las (ou retificá-las). Em seguida a estruturar os conhecimentos adquiridos do que se pensa e se experimenta no then assessed that service level would conti- Coach time (2h/week * 12 weeks = 24 h) have we gotten designers, executors and aconselhamos o cliente sobre como servir- em 20 anos de estudos e prática na empre- mundo. Quem pode fazer benchmarking nue to increase as the actions taken in inven- $ 2,400 target people of CE&T to agree on the objec- se dos melhores conceitos e práticas para sa, forçou-me a completar as áreas faltan- em empresas, participar de convenções, tory management and procurement would Stephanie s time (108 h) $ 2,700 tives, the means and the measurements? resolver as suas necessidades e atingir tes e deu-me segurança para enfrentar o como a da APICS, e cursos certamente aju- become effective in the following 3 months. Total = $10,000 Experience has demonstrated that the altos níveis de competitividade. mundo exterior. Para muitos outros profis- dam muito. Mas em tudo, o mais importan- It was concluded that the extended solution Roughly calculating, the investment on simple fact of stating that effectiveness will Finalmente damos suporte no geren- sionais que se certificaram mais cedo em te é a atitude inquisitiva, o desafiar das ver- achieved the desired changes and poten- Stephanie returned 4,080,000 / be measured is sufficient to change the ciamento das mudanças necessárias. suas carreiras, a certificação foi um tre- dades estabelecidas, o experimentar. tially exceeded them ($9.2 current vs. $10 10,000 = 40,800%. design to increase the attention of those deli- Quando desejado pelo cliente fazemos tra- mendo avanço de conhecimento. millions target safety stocks). The investment paid for itself since she vering and of those receiving CE&T. balhos de avaliação e certificação usando a Que dicas daria para quem ainda não se The Level 3 effectiveness measurement was first applied the learned concepts and techni- Approaching CE&T as an instrument metodologia Classe A da Oliver Wight. certificou e tem dúvidas quanto a isso? Outros comentários therefore considered 100%, to be confirmed ques to the parameterization of Safety of change management that should be Qual a importância da certificação CPIM As mesmas que dou a profissionais em once service level would mature and Stocks. It was considered that payback time held accountable for effectiveness has a para o profissional que atua em Supply vários países da Europa, América Latina e A APICS e suas certificações não são demonstrate to be sustainable at or above was around 1 month from initial costs. high potential to increase the performance Chain? nos Estados Unidos. Primeiro, esse é um muito conhecidas e apreciadas fora de círcu- the target level. (Remembering: Level 3 is The percentage of return on investment of people and convert it into actual busi- As empresas têm muitos profissionais investimento em você mesmo. O benefício los restritos. Isso não é algo exclusivamente the effectiveness in producing the desired and the payback time were considered as ness results. que são excelentes funcionários e, por que as empresas obtêm de sua competên- brasileiro. Entretanto, uma vez que explico o changes in the performance at the job). the Level 5 performance measurement: vezes, excelentes especialistas em algum cia é passageiro, mas o desenvolvimento que é e seus benefícios, rapidamente cresce The performance in the job was then Return on E&T Investment. aspecto do gerenciamento da cadeia de que você promove em si mesmo fica com o respeito, a valorização e o interesse. translated as to the impact on the business: valor. Em muitos casos esses profissionais você para sempre. Não se certifique porque Meu trabalho missionário já motivou one time cash flow release of $10.8 million; Conclusion estão restritos aos conceitos e práticas é bom para a empresa, certifique-se por que dezenas de profissionais na Itália, França e yearly savings in the cost of carrying inven- Measuring effectiveness of CE&T is cle- empregados nas empresas em que trabal- é bom para você. Segundo, eu jamais arre- vários outros países (além do Brasil) a tory ($10.8 * 10%) $1.08 million/year arly underutilized and, as Demin and Juran hou. Entretanto, gerenciar a cadeia de valor pendi-me de qualquer investimento que fiz entrarem nesse caminho. Nenhum deles impact of improved service level: reduc- repeated many times, measuring is a pre- exige uma visão abrangente com um míni- no meu desenvolvimento, mesmo tendo até agora manifestou arrependimento. Vá tion of emergency actions, expediting, special freight, reduction of disruption to the processes that use the items, reduction of missed shipments to customers, etc.). The quantifiable effects in this item were valued at $3 million per year requisite to improving. As with anything involving subjective aspects, the accuracy of the measurement of effectiveness of CE&T will always be subject to debate. Although improving the ways of measuring to obtain increased accuracy References (1)Handbook of Training Evaluation and Measurement Methods, 3rd edition, Jack J. Phillips, Butterworth-Heinemann. (2)Master Change, Maximize Success, Rebecca Potts and Jeanenne LaMarsh, Chronicle Books, San Francisco mo de conhecimento dos diversos aspectos e suas interações. Exige também o conhecimento de conceitos e técnicas alternativos, que podem ser necessários numa mudança das condições atuais. As certificações pela APICS são o método mais efetivo de asse- mudado drasticamente de área e de função ao longo de minha carreira. Para aqueles que já possuem a certificação, o que devem buscar para não se desatualizar quanto ao aprendizado adquirido? Sobreviver profissionalmente é como em frente, conquiste o seu CPIM e ostente-o com orgulho. Quando lhe perguntarem o que significa essa sigla ao lado do seu nome, explique o quanto isso representa. Com certeza você colherá frutos compensadores! TODAY Logistics & Supply Chain - 18 TODAY Logistics & Supply Chain - 19

11 Express Rápido 900 investe em qualidade e nos serviços prestados ao grupo Basf/Suvinil Em parceria com a Benner, Cesa Logística investe em sistema integrado de gestão empresarial A fornecedora de soluções logísticas Cesa acaba de fechar uma parceria com a Benner Sistemas. Trata-se de um projeto de implantação de um sistema integrado de gestão empresarial, envolvendo as soluções Benner Transportes e Manutenção de Frotas, Benner Corporativo, Benner Recursos Humanos e Benner BI. Com início de funcionamento esperado para daqui a um ano, a Cesa poderá contar com melhor planejamento e controle das atividades relacionadas à consolidação de carga, expedição e outros benefícios específicos para as atividades relacionadas ao transporte e logística, além de consolidar as informações operacionais desse trabalho no ERP corporativo, garantindo mais exatidão nos dados e mais agilidade no dia-a-dia da empresa. Analisamos vários softwares corporativos do mercado e a solução da Benner foi a que apresentou melhor aderência aos negócios da Cesa, diz o Consultor de Tecnologia da Informação da Cesa, Carlos Otávio Mendonça. Segundo ele, a empresa possuía um sistema de gestão anterior, porém ela Jean Pitz, diretor da Unidade de Transporte da Bener não atendia as necessidades particulares da empresa. Para Jean Carlos Pitz, gestor da unidade de transportes da Benner, esse é um projeto de grande motivação para os profissionais da empresa em que atua. É um trabalho de muita responsabilidade, já que a implantação envolve várias atividades da Cesa, desde a área administrativa, a gestão das pessoas, até o operacional. É um projeto importante para mostrarmos a nossa experiência em software corporativo e também nosso conhecimento e diferencial no segmento de transportes e logística. Goodyear, Cummins, ZF e Randon são premiadas no Supply Awards 2006 da Volkswagen Caminhões e Ônibus A Goodyear é a grande vencedora na categoria Melhor dos Melhores do prêmio Supply Awards 2006, evento em que a Volkswagen Ônibus e Caminhões destacou seus melhores fornecedores do ano. Foram 11 empresas contempladas em seis categorias: pós-vendas, responsabilidade ambiental, qualidade do produto, logística, competência no desenvolvimento do produto e excelência comercial. A Cummins foi premiada nas categorias Excelência Comercial, como fornecedora de motores e a divisão de sistema de filtração, e Pós-venda, pela sua especialização em filtros e exaustão. Já a ZF recebeu o prêmio na categoria Competência no Desenvolvimento do Produto, pela inovação e tecnologia. Um dos destaques do grupo, que contribuiu para a conquista da premiação foi a nova transmissão ZF-Ecosplit 3, a mais moderna entre os veículos pesados e extrapesados. Benedito Faria e diretoria VWCO As empresas JOST e Master, do Grupo Randon, do Rio Grande do Sul, também foram contempladas durante o Supply Awards A JOST recebeu o prêmio nas categorias Qualidade do Produto e Desempenho em Qualidade de Campo. Já a Master foi considerada a melhor fornecedora na categoria Excelência Comercial, tendo sido premiada também em 2005, na categoria Desenvolvimento. Para o presidente da Volkswagen Ônibus e Caminhões, Roberto Cortes, todas as empresas premiadas são vitoriosas. A competência dos serviços prestados por nossos fornecedores é fundamental para o sucesso dos produtos Volkswagen Caminhões e Ônibus. Todos são atuantes de uma operação da qual me orgulho muito. Bycon lança sensor de impacto para garantir qualidade em logística A Bycon, distribuidora exclusiva das soluções VPON de transmissão e armazenamento de vídeo, acaba de lançar o sensor Shockwatch, um dispositivo de detecção de impacto não-mecânico projetado para indicar quando acontece um nível específico de impacto ou choque. O novo sistema de controle de qualidade permite que o cliente saiba sobre a manipulação incorreta, reduzindo os possíveis danos aos produtos inseridos no processo de logística. Quando ocorre um impacto excessivo o sensor muda de branco para vermelho. O programa Shockwatch encoraja todo o pessoal que manuseia nossos produtos a ser mais cuidadoso, ajuda a reduzir os danos e identifica áreas de manuseio incorreto. Foi uma ótima solução que encontramos tanto para a transportadora quanto para o cliente, diz Edvaldo Pereira, diretor de tecnologia da BYCON TODAY Logistics & Supply Chain - 20 Realizando parceria com o grupo Basf/Suvinil desde 1979 a partir da distribuição de produtos em 16 estados do país, a operadora logística Rápido 900 assume hoje 100% das operações de distribuição de tintas no território do Rio de Janeiro. Para isso, foram investidos R$ 4 milhões em 26 veículos 0km. Somente no ano passado a Rápido 900 realizou viagens para o grupo, o que representou entregas. Para este ano, é esperado crescimento entre 15 e 20% nas viagens realizadas em relação a Isso é refletido pelo reconhecimento obtido pela empresa, que, pelo 2º ano consecutivo é elogiada pelo grupo Basf/Suvinil por sua toda a qualidade de de seu atendimento e serviços. Esta ampliação do trabalho nada mais é do que o fruto de toda a dedicação e profissionalismo que temos e que sela esta parceria de longa data, diz Ferreira, Diretor Comercial da Rápido 900. Para melhorar ainda mais os processos, a Rápido acaba de conquistar, após 16 meses de iniciação, a certificação ISO 9001:2000, conferida pela certificadora DQS. A certificação é válida por três anos, e a empresa deverá passar por inspeções semestrais e anuais. Battistella lança tampa lateral com garantia de 10 anos O grupo Battistella, atuante nas áreas de produtos e serviços veiculares, acaba de lançar um produto inédito no mercado: A tampa lateral para caminhões semi-reboque Stella Laterale. Com um diferencial de 10 anos de garantia, a tampa é fabricada com material ecologicamente correto, e uma tecnologia que resolve o problema mais queixado pelos clientes: a deterioração dos produtos transportados. Sua matéria prima é o pinus, madeira que ao sofrer tratamento, aumenta a durabilidade do produto. As vantagens da Stella, além de proteção contra desplacamento, possibilidade de utilização em qualquer região ou clima, e aceitar incisões em qualquer ponto sem perder sua resistência. A Stella Laterale está protegida contra a ação de insetos, como cupins e brocas, intempérie e ação de fungos, que provocam o apodrecimento dos produtos tradicionais, declara Sérgio Martini, gerente de desenvolvimento de novos produtos da Battistella Florestal. Descobrimos que os fabricantes e reformadores de implementos rodoviários, transportadoras e motoristas, queriam longa durabilidade e custo-benefício compatível, conta Luciano Battistela, diretor geral do grupo, sobre a peça que recebe parafusos exclusivos que resistem à ferrugem e evitam avarias às cargas, e pintura que não descasca nem sofre rachaduras. Além de dispor de um produto de preço competitivo, o cliente ainda pode investir o montante, antes gasto com reformas, no desenvolvimento de seu negócio, completa Martini. Standard Logística amplia armazenagem e intermodalidade em Santos A Standard Logística e Distribuição inaugurou uma unidade em Cubatão (SP), em setembro, a Standard Santos, com a promoção de um evento ocorrido no Guarujá, local onde está sendo construída a sede da empresa. O presidente da Standard, José Luis Demeterco Neto, justifica a localização da nova sede: A Standard está na cidade de Cubatão o que facilitará o atendimento pelas margens direita e esquerda do porto. Segundo Demerteco, a nova unidade custará cerca de R$ 35 milhões, que terá uma área de 105 mil m². Com o início das operações previsto para 31 de outubro deste ano, a empresa disponibilizará aos clientes câmaras frigorificadas operando em todos os regimes de temperatura e ainda dois túneis de congelamento com capacidade para 100 toneladas/dia, terminal de contêineres com 300 tomadas reefers, depósito de contêineres vazios de armadores e desvio ferroviário em bitola mista para 30 vagões. Mas o grande diferencial para as indústrias daquela região será a opção do corredor intermodal para seus produtos, ligando as cidades de Araraquara São Paulo Santos. A vantagem deste investimento para essas indústrias além da opção ferroviária é a unificação na operação logística. A economia de custos para as indústrias que pode chegar a 30%, pois todo o processo de captação, transporte intermodal, armazenagem e distribuição será feito por um único operador, esclarece Demeterco. Para a Standard, o investimento trará uma grande abertura de negócios e mercado. De acordo com Demeterco, o Porto de Santos concentra 90% das exportações de bovinos registradas em todo o país e essa nova unidade irá consolidar ainda mais o posicionamento de sua empresa no mercado de exportação de proteína animal. TODAY Logistics & Supply Chain - 21

12 Agenda Outubro FENATRAN 16º Salão Internacional do Transporte 15 a 19 de outubro em São Paulo 3ª Conferência Cadeia de Suprimentos Hospitalares 16 a 17 de outubro em São Paulo Negociação e finanças para compradores 18 a 19 de outubro em São Paulo *15% de desconto para assinantes TODAY II Encontro de Logística Enalog 18 a 20 de outubro em Jataí / GO Logística Internacional 19 de outubro em Campinas / SP BSCM Basics of Supply Chain Management (CPIM APICS) 20 e 27 de outubro e 10 de novembro (3 dias) na Fundação Vanzolini / SP Inteligência em Compras 22 a 23 de outubro em São Paulo *15% de desconto para assinantes TODAY 7º Fórum Logística & Supply Chain 23 de outubro em Belo Horizonte / MG Estratégias para segurança de cargas 23 a 24 de outubro em São Paulo Gestão de Estoque na Cadeia de Suprimentos 23 a 24 de outubro em São Paulo Intensivo para Gestores de Logística e Supply Chain 23 a 24 de outubro no Rio de Janeiro / RJ SMR Strategic Management of Resources (CPIM / APICS) 24 a 27 de outubro na Fundação Vanzolini / SP Scala 2007 Simpósio e Feira 30 a 31 de outubro em Campinas / SP Novembro Gestão Estratégica da Armazenagem 06 a 07 de novembro em São Paulo ECO - Execution and Control of Operations (CPIM / APICS) 07 a 10 de novembro na Fundação Vanzolini / SP Demand Chain Management 07 a 08 de novembro em São Paulo BSCM Basics of Supply Chain Management (CPIM APICS) 08 a 10 de novembro na Fundação Vanzolini / SP Planejamento Estratégico, Inteligência Competitiva e Strategic Sourcing em Compras 12 a 13 de novembro em São Paulo *15% de desconto para assinantes TODAY Smart Tags & RFID - Supply Chain 19 de novembro em Campinas / SP DSP - Detailed Scheduling & Planning (CPIM / APICS) 21 a 24 de novembro na Fundação Vanzolini / SP MPR - Master Planning of Resources (CPIM / APICS) 21 a 24 de novembro na Fundação Vanzolini / SP Operações logísticas de produtos perigosos, químicos e granéis 26 a 28 de novembro em São Paulo Conferência ABAI de Certificados APICS Encontro Nacional dos Profissionais com certificações APICS 27 de novembro em São Paulo veja anúncio na p. 03 Estratégias Corporativas para a Supply Chain 29 de novembro em São Paulo Gestão de Operações Portuárias 30 de novembro a 01 de dezembro em Belo Horizonte / MG TODAY Logistics & Supply Chain - 22

Altos Níveis de Estoque nas Indústrias de Conexões de PVC

Altos Níveis de Estoque nas Indústrias de Conexões de PVC Altos Níveis de Estoque nas Indústrias de Conexões de PVC Junior Saviniec Ferreira; Letícia Stroparo Tozetti Faculdade Educacional de Araucária RESUMO O problema de estoque elevado é cada vez menos frequente

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade 1. Introdução O ciclo dos produtos na cadeia comercial não termina quando, após serem usados pelos consumidores, são descartados. Há muito se fala em reciclagem e reaproveitamento dos materiais utilizados.

Leia mais

LOGÍSTICA & BRASIL Artigo

LOGÍSTICA & BRASIL Artigo O artigo aborda relações entre logística, formação profissional e infra-estrutura do país. São debatidas questões sobre a evolução da logística no Brasil, a preparação educacional do profissional de logística

Leia mais

A OTIMIZAÇÃO DAS EMPRESAS E SUAS TÉCNICAS PARA UMA MELHOR GESTÃO APLICADA NO SETOR DE AUTOMOBILISMO NA CIDADE DE MARÍLIA SP

A OTIMIZAÇÃO DAS EMPRESAS E SUAS TÉCNICAS PARA UMA MELHOR GESTÃO APLICADA NO SETOR DE AUTOMOBILISMO NA CIDADE DE MARÍLIA SP A OTIMIZAÇÃO DAS EMPRESAS E SUAS TÉCNICAS PARA UMA MELHOR GESTÃO APLICADA NO SETOR DE AUTOMOBILISMO NA CIDADE DE MARÍLIA SP GOES, JULIANA. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG.

Leia mais

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração VICTOR HUGO SANTANA ARAÚJO ANÁLISE DAS FORÇAS DE PORTER NUMA EMPRESA DO RAMO FARMACÊUTICO:

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade Carla Fernanda Mueller, carla@deps.ufsc.br 1. Introdução O ciclo dos produtos na cadeia comercial não termina quando, após serem usados pelos consumidores,

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE JULIANA APARECIDA DE SOUZA REIS MAIARA NATALIA MARINHO DUARTE SUSELI SANTOS DIAS RESUMO Neste artigo temos por objetivo apresentar que as micros e pequenas

Leia mais

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Renata Céli Moreira da Silva Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa

Leia mais

A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores

A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores Tese de Mestrado em Gestão Integrada de Qualidade, Ambiente e Segurança Carlos Fernando Lopes Gomes INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS Fevereiro

Leia mais

PROCESSO DE VENDAS. FALCE, Ricardo de Carvalho. Discente do Curso de Administração da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva - FAIT

PROCESSO DE VENDAS. FALCE, Ricardo de Carvalho. Discente do Curso de Administração da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva - FAIT PROCESSO DE VENDAS FALCE, Ricardo de Carvalho. GARCIA, Isabelle Penha. GOMES, Guilherme Martins. MELLO, Karoline de Almeida. Discente do Curso de Administração da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CIÊNCIAS CONTÁBEIS e ADMINISTRAÇÃO Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT maio/2014 APRESENTAÇÃO Em um ambiente onde a mudança é a única certeza e o número de informações geradas é desmedido,

Leia mais

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 INTRODUÇÃO Desde que foi fundada em 2001, a ética, a transparência nos processos, a honestidade a imparcialidade e o respeito às pessoas são itens adotados pela interação

Leia mais

Consultoria Empresarial

Consultoria Empresarial Consultoria Empresarial Referência : OLIVEIRA, Djalma CROCCO, Luciano; GUTIMANNN, Erick Prof- Daciane de O.Silva SURGIMENTO- Desde os tempos imemoriais COMO ISSO ACONTECIA? Os rabinos aconselhavam os fieis,

Leia mais

ENCONTRO 1 Logística e Transporte

ENCONTRO 1 Logística e Transporte ENCONTRO 1 Logística e Transporte ENCONTRO 1 Logística e Transporte TÓPICO 1: Contextualizando o encontro Olá! Você está iniciando o primeiro encontro do curso Logística Internacional. Neste encontro,

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ERP - UMA VISÃO GERENCIAL DE CICLO DE VIDA DE IMPLANTAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ERP - UMA VISÃO GERENCIAL DE CICLO DE VIDA DE IMPLANTAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ERP - UMA VISÃO GERENCIAL DE CICLO DE VIDA DE IMPLANTAÇÃO Daniela Cristina Giorgetti Dantas UNIMEP Universidade Metodista de Piracicaba Mestrado Profissional em Sistemas de Informação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO METROPOLITANO DE SÃO PAULO CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

CENTRO UNIVERSITÁRIO METROPOLITANO DE SÃO PAULO CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CENTRO UNIVERSITÁRIO METROPOLITANO DE SÃO PAULO CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS UMA VANTAGEM COMPETITIVA COM A TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS AMANDA ZADRES DANIELA LILIANE ELIANE NUNES ELISANGELA MENDES Guarulhos

Leia mais

CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES

CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES Aline Martins Mendes Luciano José Vieira Franco Luis Guilherme Esteves Leocádio Sônia Madali Bosêja

Leia mais

TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL

TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL OLIVEIRA,Ana Paula de¹ OLIVEIRA,Dirce Benedita de¹ NERY,Miriã Barbosa¹ SILVA, Thiago² Ferreira da² RESUMO O texto fala sobre o controle da qualidade total, como ela iniciou

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Maria Amália Silva Costa ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA E GESTÃO DE PESSOAS POR COMPETÊNCIAS: O CASO POLICARBONATOS

Maria Amália Silva Costa ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA E GESTÃO DE PESSOAS POR COMPETÊNCIAS: O CASO POLICARBONATOS Maria Amália Silva Costa ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA E GESTÃO DE PESSOAS POR COMPETÊNCIAS: O CASO POLICARBONATOS Salvador, 2003 MARIA AMÁLIA SILVA COSTA A D M I N I S T R A Ç Ã O E S T R A T É G I C A E

Leia mais

LOGÍSTICA. Curso: Gestão Comercial Prof. Daniel Rossi 1.0 UMA FUNÇÃO ESSENCIAL NA EMPRESA

LOGÍSTICA. Curso: Gestão Comercial Prof. Daniel Rossi 1.0 UMA FUNÇÃO ESSENCIAL NA EMPRESA Curso: Gestão Comercial Prof. Daniel Rossi LOGÍSTICA 1.0 UMA FUNÇÃO ESSENCIAL NA EMPRESA O conceito de Logística sempre envolve um fluxo de materiais de uma origem ou destino e, no outro sentido, um fluxo

Leia mais

Geração automática de suíte de teste para GUI a partir de Rede de Petri

Geração automática de suíte de teste para GUI a partir de Rede de Petri Raquel Jauffret Guilhon Geração automática de suíte de teste para GUI a partir de Rede de Petri Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre pelo

Leia mais

RENATO SOARES DE AGUILAR ADEQUAÇÃO DE UM SISTEMA DE PICKING NO ARMAZÉM DE PRODUTOS ACABADOS DE UMA EMPRESA DE PRODUTOS ELÉTRICOS

RENATO SOARES DE AGUILAR ADEQUAÇÃO DE UM SISTEMA DE PICKING NO ARMAZÉM DE PRODUTOS ACABADOS DE UMA EMPRESA DE PRODUTOS ELÉTRICOS RENATO SOARES DE AGUILAR ADEQUAÇÃO DE UM SISTEMA DE PICKING NO ARMAZÉM DE PRODUTOS ACABADOS DE UMA EMPRESA DE PRODUTOS ELÉTRICOS Escola de Engenharia Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de

Leia mais

O conceito de organizações de aprendizagem em uma empresa de telefonia móvel

O conceito de organizações de aprendizagem em uma empresa de telefonia móvel Andre dos Santos Souza O conceito de organizações de aprendizagem em uma empresa de telefonia móvel Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Administração de Empresas

Leia mais

SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo

SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo A Tecnologia da Informação (TI) faz parte do cotidiano da sociedade moderna, mesmo as pessoas que não têm acesso

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE COMPRAS PARA AS ORGANIZAÇÕES

IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE COMPRAS PARA AS ORGANIZAÇÕES IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE COMPRAS PARA AS ORGANIZAÇÕES SIMÕES, Érica. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais de Garça MICHEL, Murillo Docente de Administração da Faculdade de Ciências

Leia mais

AUTORAS ROSANGELA SOUZA

AUTORAS ROSANGELA SOUZA AUTORAS ROSANGELA SOUZA Especialista em Gestão Empresarial com MBA pela FGV e Professora de Estratégia na Pós-Graduação da FGV. Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANA- ESUDA PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E CONTROLADORIA

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANA- ESUDA PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E CONTROLADORIA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANA- ESUDA PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E CONTROLADORIA BALANCED SCORECARD: Uma ferramenta de gestão estratégica para empresa do ramo de consultoria contábil com foco

Leia mais

COMMUNICATION ON PROGRESS

COMMUNICATION ON PROGRESS COMMUNICATION ON PROGRESS (COP) 2014 1. Declaração de Compromisso Esta é a primeira comunicação de Progresso (COP) que fazemos abrangendo o período de Dezembro de 2013 a Dezembro de 2014. Quero reforçar

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE

MENSAGEM DO PRESIDENTE Ética para viver Ética para viver MENSAGEM DO PRESIDENTE Caro colaborador, A Bandeirante possui missão, visão e valores definidos. Eles estão discriminados em um documento amplamente difundido dentro e

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Programa de Pós-Graduação em Administração Mestrado Profissional em Administração

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Programa de Pós-Graduação em Administração Mestrado Profissional em Administração 11 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Programa de Pós-Graduação em Administração Mestrado Profissional em Administração UNIVERSIDADES CORPORATIVAS - DO SONHO DA IMPLANTAÇÃO AO DESAFIO DA

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

Logística Reversa Uma visão sobre os conceitos básicos e as práticas operacionais

Logística Reversa Uma visão sobre os conceitos básicos e as práticas operacionais Logística Reversa Uma visão sobre os conceitos básicos e as práticas operacionais Introdução Leonardo Lacerda Usualmente pensamos em logística como o gerenciamento do fluxo de materiais do seu ponto de

Leia mais

ENDOMARKETING UM RECURSO ESTRATÉGICO NA MELHORIA DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE EXTERNO ENDOMARKETING A STRATEGIC RESOURCE IN THE IMPROVEMENT OF THE

ENDOMARKETING UM RECURSO ESTRATÉGICO NA MELHORIA DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE EXTERNO ENDOMARKETING A STRATEGIC RESOURCE IN THE IMPROVEMENT OF THE 1 ENDOMARKETING UM RECURSO ESTRATÉGICO NA MELHORIA DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE EXTERNO ENDOMARKETING A STRATEGIC RESOURCE IN THE IMPROVEMENT OF THE RELATIONSHIP WITH THE EXTERNAL CUSTOMER Marciana

Leia mais

SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009

SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009 SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009 A SAP continua a demonstrar um forte crescimento das suas margens, aumentando a previsão, para o ano de 2009, referente à sua margem operacional Non-GAAP

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE: ANALISANDO O CUSTO DE ARMAZENAGEM EXTERNA DE UMA EMPRESA DO RAMO LÁCTEO SITUADA NA REGIÃO DE LONDRINA

GESTÃO DE ESTOQUE: ANALISANDO O CUSTO DE ARMAZENAGEM EXTERNA DE UMA EMPRESA DO RAMO LÁCTEO SITUADA NA REGIÃO DE LONDRINA GESTÃO DE ESTOQUE: ANALISANDO O CUSTO DE ARMAZENAGEM EXTERNA DE UMA EMPRESA DO RAMO LÁCTEO SITUADA NA REGIÃO DE LONDRINA Antonia Maria Gimenes¹, Marcio Jabour de Oliveira², William Gonçalves São Leão⁴

Leia mais

Sales and Operations Planning S&OP, Integrated Business Planning - IBP, Planejamento Integrado do Negócio

Sales and Operations Planning S&OP, Integrated Business Planning - IBP, Planejamento Integrado do Negócio Sales and Operations Planning S&OP, Integrated Business Planning - IBP, Planejamento Integrado do Negócio Novembro de 2009 STEFANO JR, Wilson Principal - Oliver Wight Together We Make a Difference wstefano@oliverwight.com

Leia mais

A ética e o desenvolvimento sustentável sob a ótica das organizações

A ética e o desenvolvimento sustentável sob a ótica das organizações A ética e o desenvolvimento sustentável sob a ótica das organizações Ítalo Camilo da Silva Nogueira Faculdade Nossa Senhora Aparecida /GO - italocamilo@hotmail.com Karlla Junara Cintra Azambuja Soares

Leia mais

Código de. Ética e Conduta. de Fornecedores

Código de. Ética e Conduta. de Fornecedores Código de Ética e Conduta de Fornecedores Fev/2012 Caro Fornecedor, Palavra do Presidente Este Código de Ética e Conduta de Fornecedores busca orientá-lo sobre as diretrizes da relação entre a Cielo e

Leia mais

A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES

A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES Ítalo Camilo da Silva Nogueira Mestrando em Desenvolvimento Regional (mídias sociais), docente na Faculdade Nossa Senhora Aparecida/FANAP-GO.

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER Conceito LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER É uma área da logística que atua de forma a gerenciar e operacionalizar o retorno de bens e materiais, após sua venda e consumo, às suas origens, agregando

Leia mais

Importância da Logística. O lugar da Logística nas Empresas. Custos Logísticos são significativos

Importância da Logística. O lugar da Logística nas Empresas. Custos Logísticos são significativos IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA Importância da Logística O lugar da Logística nas Empresas A logística diz respeito à criação de valor; O valor em logística é expresso em termos de tempo e lugar. Produtos e serviços

Leia mais

ARTIGO PUBLICADO NO SITE: WWW.RG9.ORG DENNYS MAYRINCK DE CARVALHO MONTEIRO POSICIONAMENTO HOLÍSTICO: UMA NOVA PROPOSTA DE POSICIONAMENTO.

ARTIGO PUBLICADO NO SITE: WWW.RG9.ORG DENNYS MAYRINCK DE CARVALHO MONTEIRO POSICIONAMENTO HOLÍSTICO: UMA NOVA PROPOSTA DE POSICIONAMENTO. ARTIGO PUBLICADO NO SITE: WWW.RG9.ORG DENNYS MAYRINCK DE CARVALHO MONTEIRO POSICIONAMENTO HOLÍSTICO: UMA NOVA PROPOSTA DE POSICIONAMENTO. Petrópolis 2009 DENNYS MAYRINCK DE CARVALHO MONTEIRO POSICIONAMENTO

Leia mais

ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS. Prova-modelo. Instruções. Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM.

ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS. Prova-modelo. Instruções. Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM. ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS Prova-modelo Instruções Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM. A prova é avaliada em 20 valores (200 pontos). A prova é composta

Leia mais

Global Logistics Solutions Soluções Logísticas Globais

Global Logistics Solutions Soluções Logísticas Globais BEM VINDO AO MUNDO RANGEL WELCOME TO RANGEL WORLD Atividade Aduaneira Customs Broker Transporte Marítimo Sea Freight ESPANHA SPAIN Transporte Aéreo Air Freight Expresso Internacional FedEx International

Leia mais

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio CBA Comércio Internacional Comércio Internacional A intensidade das relações comerciais e produtivas das empresas no atual contexto econômico tem exigido das empresas um melhor entendimento da complexidade

Leia mais

SUPPLY CHAIN MANAGEMENT: UMA INTRODUÇÃO À UM MODELO DE GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE DIFERENCIAL COMPETITIVO

SUPPLY CHAIN MANAGEMENT: UMA INTRODUÇÃO À UM MODELO DE GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE DIFERENCIAL COMPETITIVO SUPPLY CHAIN MANAGEMENT: UMA INTRODUÇÃO À UM MODELO DE GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE DIFERENCIAL COMPETITIVO BURGO, Rodrigo Navarro Sanches, RIBEIRO, Talita Cristina dos Santos, RODRIGUES,

Leia mais

RH Gestão Transformadora

RH Gestão Transformadora RH Gestão Transformadora Como construir o relacionamento para garantir resultados : desenvolvendo as competências necessárias para criar parcerias, influenciar e atuar como parceiro de Negócios 1 Aonde

Leia mais

O novo papel de Recursos Humanos: o que é RH Estratégico e qual é a sua contribuição para os negócios

O novo papel de Recursos Humanos: o que é RH Estratégico e qual é a sua contribuição para os negócios Gustavo Leonette de Moura Estevão O novo papel de Recursos Humanos: o que é RH Estratégico e qual é a sua contribuição para os negócios Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação

Leia mais

IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA

IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA SILVA, Paulo Henrique Rodrigues da Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerencias E-mail: ph.rs@hotmail.com SILVA, Thiago Ferreira da Docente da Faculdade

Leia mais

Desenvolvimento Ágil 1

Desenvolvimento Ágil 1 Desenvolvimento Ágil 1 Just-in-Time Custo = Espaço + Publicidade + Pessoal De que forma poderiamos bater a concorrência se um destes factores fosse zero? 2 Just-in-time Inventory is waste. Custo de armazenamento

Leia mais

Código de Princípios de Negócios e Ética BTG Pactual

Código de Princípios de Negócios e Ética BTG Pactual Código de Princípios de Negócios e Ética BTG Pactual Nossa Visão e Nossos Valores Compartilhar uma única ambição é a chave para a história de sucesso do BTG Pactual. Ela só poderá ser atingida através

Leia mais

CS&OP-P Certified S&OP Professional

CS&OP-P Certified S&OP Professional A achain é uma empresa especializada nas áreas de Supply Chain, Value Chain e Demand Chain Management, com atuação nas modalidades de serviços de treinamento e apoio administrativo. Missão achain: Proporcionar

Leia mais

O que é ser um RH estratégico

O que é ser um RH estratégico O que é ser um RH estratégico O RH é estratégico quando percebido como essencial nas decisões estratégicas para a empresa. Enquanto a área de tecnologia das empresas concentra seus investimentos em sistemas

Leia mais

Quais são as Balas de Prata no Gerenciamento de Projetos? (Autores: Carlos Magno da Silva Xavier e Alberto Sulaiman Sade Júnior) Resumo

Quais são as Balas de Prata no Gerenciamento de Projetos? (Autores: Carlos Magno da Silva Xavier e Alberto Sulaiman Sade Júnior) Resumo Quais são as Balas de Prata no Gerenciamento de Projetos? (Autores: Carlos Magno da Silva Xavier e Alberto Sulaiman Sade Júnior) Resumo A metáfora bala de prata se aplica a qualquer ação que terá uma extrema

Leia mais

2012 State of the Industry Survey

2012 State of the Industry Survey 2012 State of the Industry Survey Contact Information Por favor, preencha suas informações de contato (* indicates required information) Nome * Título * Title Razão Social completa da Empresa/Organização

Leia mais

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio CBA Comércio Internacional Comércio Internacional A intensidade das relações comerciais e produtivas das empresas no atual contexto econômico tem exigido das empresas um melhor entendimento da complexidade

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

SAP Multinacional alemã de tecnologia, líder global em software de gestão de processos, contrata:

SAP Multinacional alemã de tecnologia, líder global em software de gestão de processos, contrata: SAP Multinacional alemã de tecnologia, líder global em software de gestão de processos, contrata: Vaga: Estagiário Área Jurídica Área: Legal Department O Departamento Jurídico é uma área dinâmica que possui

Leia mais

Terceirização da Operação Logística Estudo de caso sobre a terceirização da Logística de Distribuição de uma Indústria Farmacêutica

Terceirização da Operação Logística Estudo de caso sobre a terceirização da Logística de Distribuição de uma Indústria Farmacêutica Mariana Botelho Morais Terceirização da Operação Logística Estudo de caso sobre a terceirização da Logística de Distribuição de uma Indústria Farmacêutica Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada

Leia mais

Gerenciando a Cadeia de Suprimentos (Managing the Supply Chain) A Experiência Cargill ( Cargill s Experience)

Gerenciando a Cadeia de Suprimentos (Managing the Supply Chain) A Experiência Cargill ( Cargill s Experience) Gerenciando a Cadeia de Suprimentos (Managing the Supply Chain) A Experiência Cargill ( Cargill s Experience) 1 Jose de Ribamar, Ger Qualidade e Food Safety Cargill Amidos e Adoçantes América do Sul jose_ribamar@cargill.com

Leia mais

Global Logistics Solutions Soluções Logísticas Globais

Global Logistics Solutions Soluções Logísticas Globais Global Logistics Solutions Soluções Logísticas Globais BEM VINDO AO MUNDO RANGEL WELCOME TO RANGEL WORLD Toda uma organização ao seu serviço! Constituídos em 1980 por Eduardo Rangel, rapidamente marcámos

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA NOVA SISTEMÁTICA PARA DESENVOLVER HABILIDADES E COMPETÊNCIAS

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA NOVA SISTEMÁTICA PARA DESENVOLVER HABILIDADES E COMPETÊNCIAS ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA NOVA SISTEMÁTICA PARA DESENVOLVER HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Maria Daniela S. Cavalcanti mdaniela@unifor.br Universidade de Fortaleza Centro de Ciências Tecnológicas Av. Av.

Leia mais

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink 1 Para a, o que é sustentabilidade? É a forma mais eficaz para alcançarmos resultados consistentes, buscando soluções integradas que envolvam aspectos sociais, tecnológicos, econômicos e ambientais, de

Leia mais

PRINCÍPIOS COMERCIAIS DE HSEC

PRINCÍPIOS COMERCIAIS DE HSEC PRINCÍPIOS COMERCIAIS DE HSEC CONDUZINDO E EXPANDINDO NOSSOS NEGÓCIOSDE UMA MANEIRA RESPONSÁVEL E SUSTENTÁVEL HSEC APPROACH INTRODUCAO SOBRE NÓS A Trafigura é líder no mercado global de commodities. Suprimos,

Leia mais

Coaching de Executivos e o Processo de Mudança Comportamental

Coaching de Executivos e o Processo de Mudança Comportamental Paulo Roberto Menezes de Souza Coaching de Executivos e o Processo de Mudança Comportamental Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Administração de Empresas da

Leia mais

Código. de Conduta do Fornecedor

Código. de Conduta do Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor 03/2014 Índice 1. Considerações... 03 2. Decisões... 04 3. Diretrizes... 05 3.1. Quanto à Integridade nos Negócios... 05 3.2. Quanto aos Direitos Humanos Universais... 06

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL ZAROS, Raíssa Anselmo. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG E-mail: raissa_zaros@hotmail.com LIMA, Sílvia Aparecida Pereira

Leia mais

A EVOLUÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE TI PARA ATENDER AS NECESSIDADES EMPRESARIAIS

A EVOLUÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE TI PARA ATENDER AS NECESSIDADES EMPRESARIAIS INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PÓS-GRADUAÇÃO Gestão e Tecnologia da Informação IFTI1402 T25 A EVOLUÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE TI PARA ATENDER AS NECESSIDADES EMPRESARIAIS Marcelo Eustáquio dos Santos

Leia mais

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS 01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS OBS1: Adaptação didática (TRADUÇÃO PARA PORTUGUÊS) realizada pelo Prof. Dr. Alexandre Rosa dos Santos. OBS2: Textos extraídos do site: http://www.englishclub.com

Leia mais

Adaptar criativamente

Adaptar criativamente Adaptar criativamente Os fundamentos do benchmarking eficiente e o caminho para a obtenção de vantagem competitiva. Por Robert Camp DOSSIÊ 64 Um dos termos mais comentados e menos compreendidos atualmente

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O PALESTRANTE

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O PALESTRANTE 20-21 Maio de 2013 Tivoli São Paulo Mofarrej São Paulo, Brasil ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O PALESTRANTE Fernando Cotrim Supply Chain Director, Rio 2016 Perguntas: Quais são os desafios de gerenciar o Supply

Leia mais

Como transformar Grupos em Equipes

Como transformar Grupos em Equipes Como transformar Grupos em Equipes Caminhos para somar esforços e dividir benefícios Introdução Gestores de diversos segmentos, em algum momento de suas carreiras, deparam-se com desafios que, à primeira

Leia mais

CBA PERFIL DO ALUNO. Certification in Business Administration

CBA PERFIL DO ALUNO. Certification in Business Administration CBA Pós - Graduação QUEM SOMOS PARA PESSOAS QUE TÊM COMO OBJETIVO DE VIDA ATUAR LOCAL E GLOBALMENTE, SER EMPREENDEDORAS, CONECTADAS E BEM POSICIONADAS NO MERCADO, PROPORCIONAMOS UMA FORMAÇÃO DE EXCELÊNCIA,

Leia mais

CADEIA DE SUPRIMENTOS E SEU ESPAÇO DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES

CADEIA DE SUPRIMENTOS E SEU ESPAÇO DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES CADEIA DE SUPRIMENTOS E SEU ESPAÇO DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES BARBOSA, Camila 1 CASTRO, Sergio Francisco de Oliveira de 2 FRABETTI, João Luiz 3 OLIVEIRA, Gabriel Antonio Bom 4 SARAIVA, Antonio Wanderlan Pereira

Leia mais

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer?

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer? MONEY CHANGER Câmbio I d like to exchange some money. Where can I find a money changer? Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Onde posso encontrar um câmbio? I d like to exchange (I would) Where can

Leia mais

- Como utilizar essas medidas para analisar, melhorar e controlar o desempenho da cadeia de suprimentos?

- Como utilizar essas medidas para analisar, melhorar e controlar o desempenho da cadeia de suprimentos? Fascículo 5 A medição do desempenho na cadeia de suprimentos Com o surgimento das cadeias de suprimento (Supply Chain), a competição no mercado tende a ocorrer cada vez mais entre cadeias produtivas e

Leia mais

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Um jeito Diferente, Inovador e Prático de fazer Educação Corporativa Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Objetivo: Auxiliar o desenvolvimento

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA Capítulo 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam

Leia mais

AUTOR: PAULO ROBERTO LEITE REVISTA TECNOLOGÍSTICA MAIO / 2002. SÃO PAULO, EDIT. PUBLICARE LOGÍSTICA REVERSA NOVA ÁREA DA LOGÍSTICA EMPRESARIAL

AUTOR: PAULO ROBERTO LEITE REVISTA TECNOLOGÍSTICA MAIO / 2002. SÃO PAULO, EDIT. PUBLICARE LOGÍSTICA REVERSA NOVA ÁREA DA LOGÍSTICA EMPRESARIAL LOGÍSTICA REVERSA NOVA ÁREA DA LOGÍSTICA EMPRESARIAL Introdução : Conceitos, Definições e Áreas de atuação A Logística Reversa tem sido citada com freqüência e de forma crescente em livros modernos de

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira²

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira² GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE UM MELHOR APROVEITAMENTO DO GESTOR NA ORGANIZAÇÃO BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira² RESUMO O mundo tem passado por constantes mudanças, que têm

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

Aprimoramento das Aquisições na Administração Pública: um Estudo de Caso

Aprimoramento das Aquisições na Administração Pública: um Estudo de Caso Paula Nunes de Paula Aprimoramento das Aquisições na Administração Pública: um Estudo de Caso Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Mestre pelo

Leia mais

Palavras-chaves: Auditoria. Controle Interno. Sarbanes Oxley. Planejamento Estratégico. Gestão de Riscos Corporativos. Processo de Negócio.

Palavras-chaves: Auditoria. Controle Interno. Sarbanes Oxley. Planejamento Estratégico. Gestão de Riscos Corporativos. Processo de Negócio. GESTÃO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO: a participação dos controles internos na gestão estratégica corporativa Nome: Ricardo Alexandre Gonçalves de Moura (Auditor especialista em revisão de controles internos

Leia mais

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Página 1 de 6 MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados: 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas

Leia mais

Logística Integrada na Prestação de Serviços de Cabotagem De Porto-a-Porto a Porta-a-Porta

Logística Integrada na Prestação de Serviços de Cabotagem De Porto-a-Porto a Porta-a-Porta Logística Integrada na Prestação de Serviços de Cabotagem De Porto-a-Porto a Porta-a-Porta Renata de Oliveira Carvalho. Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Negócios da Universidade

Leia mais

Workshop 2 Six Sigma e PMI complementares ou substitutas?

Workshop 2 Six Sigma e PMI complementares ou substitutas? Workshop 2 Six Sigma e PMI complementares ou substitutas? Alberto Pezeiro Seta Desenvolvimento Gerencial pezeiro@setadg.com.br F.+55.11.8110-0026 www.setadg.com.br CLIENTES SETA CLIENTES SETA T I V I T

Leia mais

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Profª Caroline Pauletto Spanhol Cadeia de Abastecimento Conceitos e Definições Elementos Principais Entendendo a Cadeia de Abastecimento Integrada Importância

Leia mais

Análise de Sistemas de Planejamento Avançado (APS): conceituação e avaliação

Análise de Sistemas de Planejamento Avançado (APS): conceituação e avaliação Gisele Gomes Aguilar Análise de Sistemas de Planejamento Avançado (APS): conceituação e avaliação Dissertação de Mestrado (Opção profissional) Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção

Leia mais

O PAPEL DO OPERADOR LOGÍSTICO O PROCESSO DE AGREGAR VALOR AO CLIE TE ESTUDO DE CASO DA FASSI A

O PAPEL DO OPERADOR LOGÍSTICO O PROCESSO DE AGREGAR VALOR AO CLIE TE ESTUDO DE CASO DA FASSI A O PAPEL DO OPERADOR LOGÍSTICO O PROCESSO DE AGREGAR VALOR AO CLIE TE ESTUDO DE CASO DA FASSI A Thames Richard Silva Dissertação de Mestrado em Gestão de Negócios, Programa de Pós-Graduação em Gestão de

Leia mais

Cerimónia de Entrega do CERR no Instituto de Seguros de Portugal

Cerimónia de Entrega do CERR no Instituto de Seguros de Portugal The future debate on occupational pensions in continental Europe will no longer solely depend on the economic efficiency values of these pensions but on their role in social protection model Yves Stevens,

Leia mais

REDUZIR, REUTILAR E RECICLAR PAPEL

REDUZIR, REUTILAR E RECICLAR PAPEL 1 FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG FÁBIO PROVIN - 200711664 REDUZIR, REUTILAR E RECICLAR PAPEL CASCAVEL - FAG 2009 FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG FÁBIO PROVIN - 200711664 2 REDUZIR, REUTILAR E RECICLAR PAPEL

Leia mais

Currículo Resumido. Umberto Correia. Experiência Profissional:

Currículo Resumido. Umberto Correia. Experiência Profissional: Currículo Resumido Umberto Correia Experiência Profissional: 30 anos de atuação em TI e telecom em grandes corporações. Diretor da Portal do Treinamento. Vivência em processos e projetos, treinamento e

Leia mais

Central de Cases DNA DANONE. www.espm.br/centraldecases

Central de Cases DNA DANONE. www.espm.br/centraldecases Central de Cases DNA DANONE www.espm.br/centraldecases Central de Cases DNA DANONE Preparado pela Profª Marcia Portazio, da ESPM-SP Recomendado para as disciplinas de: Gestão de pessoas. Este caso foi

Leia mais