Nível de satisfação dos clientes com os serviços oferecidos de uma corretora de seguros

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nível de satisfação dos clientes com os serviços oferecidos de uma corretora de seguros"

Transcrição

1 FAQ - Faculdade XV de Agosto Nível de satisfação dos clientes com os serviços oferecidos de uma corretora de seguros Rafaele Cristina de Lima Canela Socorro

2 FAQ - Faculdade XV de Agosto Nível de satisfação dos clientes com os serviços oferecidos de uma corretora de seguros Aluno: Rafaele Cristina de Lima Canela Orientador (a): Profa: Ms. Claudia Cobêro Prof. Luiz Antônio Fernandes Trabalho de Conclusão de Curso apresentado a Faculdade XV de Agosto, curso de administração. Socorro 2007

3 AGRADECIMENTO Por mais que eu tente agradecer em apenas uma página, é impossível descrever com palavras o que passei nestes anos de muita luta momentos felizes, tristes de puro desânimo, entusiasmo, impaciência, que fluem como sou ao lembrar-se destes momentos que sempre me serviu para acrescentar e jamais diminuir. Agradeço primeiramente a Deus que com sua força maior me ajudou a cursar uma faculdade, aos meus grandes amigos e aos novos que aqui eu fiz que levarei eternamente comigo, a minha família que esteve e está sempre comigo em todos os momentos de minha vida me apoiando incondicionalmente e me ajudando a levantar sempre. Aos meus pais Sr Aparecido Canela e Sra Tereza Domingues de Lima e a minha irmã Naya Cristina de Lima Canela todo o mérito que sempre me apoiaram nesta luta e acreditando sempre em mim. Aos funcionários, diretores e professores desta instituição, todo o meu agradecimento. Em especial à professora Claudia Cobêro pelo acompanhamento e orientação deste trabalho. À direção da empresa Gaspere Seguros, pelo privilégio deste trabalho.

4 Resumo O trabalho de conclusão de curso buscou avaliar o nível de satisfação dos clientes com relação os serviços oferecidos por uma corretora de seguros, localizada em Socorro-SP, tendo com objetivo identificar o nível de satisfação do cliente.para o desenvolvimento deste trabalho foi utilizado o método de pesquisa tipo exploratória, onde foi elaborado um questionário para identificação dos pontos fortes e fracos, sendo aplicado a 81 de seus clientes, o qual foi escolhido aleatoriamente, entre os segurados de vários ramos de seguro. As informações e os dados foram tabulados e analisados, servindo de base para a avaliação e sugestão.tendo alguns fatores mais bem avaliados, porém alguns fatores inferiores comparados com os demais, como por exemplo, o atendimento das necessidades dos clientes na hora do sinistro.

5 Sumário 1- Introdução Empresa Analisada Referencial Teórico Satisfação do Cliente Marketing Definição de Serviços Qualidade em Serviços Front Office (Linha de frente) Os 4Ps dos Serviços Metodologia Amostragem Material Procedimentos Resultados Variáveis Nominais Variáveis Intervalares Correlação entre os itens Análise dos Resultados Considerações Finais Referências Bibliográficas Anexos...30

6 5 1. INTRODUÇÃO Para que se possa garantir a satisfação do cliente é preciso que se reconheça a sua necessidade. Conhecê-lo, torna a empresa conhecida e saber ouvi-lo, mas para isso deve seguir as seguintes premissas: Credibilidade, Confiabilidade, Acessibilidade, Excelência, Flexibilidade e Bom uso dos recursos através da melhoria contínua do processo. Para a boa qualidade no atendimento ás preocupações do cliente é tão importante quanto à competência técnica, os clientes hoje em dia buscam confiabilidade, desempenhos durabilidade, e também buscam diferenças de um fornecedor para outro, como seus serviços oferecidos. Sendo a satisfação do cliente uma das maiores preocupações das empresas que preocupadas com a sua sobrevivência no mercado, e sempre buscando se adaptar as novas exigências do mesmo, tendo como questão a qualidade. O pleno atendimento as preferências do cliente significa melhor a qualidade. E as organizações hoje em dia procuram sempre satisfazer as necessidades de seus clientes, buscando melhoria na qualidade oferecida pela sua empresa, mas desde que ela seja defina pelos clientes e não como os administradores a encaram. Os clientes de uma corretora não desejam ser atendido por funcionários lentos, sem paciência e muitos menos desqualificados, e por outro lado não deseja ser atendido por maquinas, ao ligarem em centrais, buscam sempre falar com um atendente que lhes dê toda a atenção e resolva o seu problema lhe dando sempre o retorno esperado. A satisfação do cliente engloba também o seu bem estar, buscando sempre o bom atendimento, a boa qualidade do produto ou serviço prestado e o melhor preço. Não há duvidas que isto está diretamente relacionada com a receita presente e futura da organização. As avaliações de satisfação do cliente são de fundamental importância na quantificação e no estabelecimento da relação com o cliente e no resultado da organização Assim sendo o presente trabalho tem como problema de pesquisa: Qual o nível de satisfação dos clientes com os serviços oferecidos pela empresa analisada? Os objetivos desse estudo são: identificar o nível de satisfação dos clientes em uma corretora de seguros, através de pesquisa com questionário elaborado, buscando levantar

7 6 as possíveis insatisfações destes clientes verificando o que pode ser modificado e melhorado para que esse atendimento seja de qualidade. Avaliando os pontos fracos a serem corrigidos e melhoradas pela empresa. 1.1 EMPRESA ANALISADA Constituída em Abril de 1992 por um projeto de seus responsáveis, para a prestação de serviços no ramo de corretor de seguros, trabalhando apenas em uma pequena sala na rua principal da cidade de Socorro-SP, passado os anos conforme a exigência do mercado a demanda aumentava assim se mudaram para um local maior com três salas localizada na mesma rua e houve a necessidade de contratação de uma secretária. Assim, a empresa começou a lucrar, e aumentar o serviço, havendo novamente a necessidade de mudança, e a contratação de mais funcionários, mudando assim no centro da cidade para um local maior com cinco salas, onde no momento esta localizada a mais de oito anos, conforme a lucratividade foi aumentando a empresa foi crescendo junto e havendo a necessidade de construção de novas salas e a mudança visual da empresa. Por forças maiores houve a necessidade de separação dos sócios em 31/12/2006, a partir desta data se formou duas corretoras e a qual realizo a pesquisa é a Gaspere Corretora de Seguros de Socorro fundada em 01/01/2007. Hoje conta com uma equipe de seis colaboradores, um na área administrativa, sendo a sua função administrar o local e vendas dos seguros, uma na área de cobranças, tal que sua função é a cobrança de cliente inadimplente, outro colaborador na área técnica, que se responsabiliza por toda parte de cadastro, conferências de apólices, um na área de cotação de seguros, um na área de sinistro e emissão de propostas, sendo sua responsabilidade a emitir as propostas e seu acompanhamento para emissão de apólice e a abertura de sinistro e seu acompanhamento para que a indenização seje rápida, um na área de vendas se responsabilizando pela busca constante de novos clientes e renovações. Todos os colaboradores são de múltiplas funções, havendo a capacidade para exercer as funções em qualquer área operacional. Os clientes são compostos por grande parte da população da cidade, possuem também clientes nas cidades vizinhas e até nas grandes cidades, a empresa trabalha em vários

8 7 ramos de seguros, tal que: Seguro de Carro, Vida Individual e em Grupo, Empresarial, Residencial e Riscos Diversos de várias Cia's, sendo, Itaú Seguros, Unibanco AIG, AGF Brasil Seguros, Porto Seguro, Minas Brasil, HDI, Indiana Seguros, Sul América, Marítima Seguros, Alfa Seguros; a MetLife e Vida Seguradora são apenas seguros de vida e Previdência.

9 REFERENCIAL TEÓRICO desse trabalho. A seguir serão apresentados os conceitos e teorias utilizadas no desenvolvimento 2.1 Satisfação do Cliente Segundo Las Casas (2004, p ) todas as empresas voltadas ao cliente devem sempre priorizar as pesquisas de consumidor, sendo assim possível identificar e conhecer as atuais necessidades e desejos, ou então, os níveis de satisfação do consumidor com a empresa. Existem empresários que reconhecem esta necessidade da freqüência na coleta de informações de seus clientes, por isso abrem um canal de comunicação com os mesmos, tendo a melhor maneira um contato direto, que desta forma é uma espécie de levantamento, sendo que os clientes conversando com os administradores expõem os seus problemas. Já Picolo e Tontini (2006, p. 1) devido a crescentes competições entre as empresas, para incrementar e se manter no mercado, a satisfação do cliente se tornou um dos fatores relevantes para o sucesso, porém os manter satisfeitos pode não ser o suficiente, e segundo Kotler (2000), clientes meramente satisfeitos mudam de empresa quando recebem uma oferta melhor, então é necessário oferecer bens e serviços que deixem os clientes mais que satisfeitos. Conforme Juran (1992, apud PICOLO e TONTINI p.1 ) a satisfação dos clientes é alcançada quando suas necessidades são atendidas pelo desempenho dos produtos ou serviços, então uma avaliação competitiva é essencial para o desenvolvimento e melhoria desses produtos e serviços, uma vez que os clientes também efetuam essa avaliação quando decidem que produtos ou serviços irão utilizar. O consumidor satisfeito tende a repetir o consumo e a divulgar a empresa, para outros consumidores aumento possivelmente o volume de negócios e o lucro, conhecerem os atributos que apresentam melhor potencial de influência na satisfação do cliente e verificando seu desempenho competitivo é questão chave para a empresa. Conforme Kotler (1998, p.53) a satisfação do consumidor se é definida pós compra dependendo do desempenho da oferta com relação as suas expectativas, sendo que satisfação nada mais é que o sentimento de prazer ou descontentamento resultante da

10 9 comparação do desempenho esperado com relação às expectativas do consumidor. Tendo esta definição deixa claro que a satisfação é função do desempenho percebido e das expectativas, sendo que se o desempenho do prestador de serviços não atingir as expectativas do consumidor, o mesmo ficará insatisfeito. Ainda Kotler (1998, p.53) se o desempenho do prestador de serviços atingir às expectativas, o mesmo estará satisfeito, ou se superá-las o consumidor estará satisfeitíssimo. Várias empresas visam à alta satisfação do consumidor, pois se os mesmos estiverem apenas satisfeitos estarão propícios a mudanças, quando surgir uma melhor oferta, agora se estiverem altamente satisfeitos estarão menos propícios a mudanças, sendo que a alta satisfação cria uma relação emocional, não apenas uma preferência racional. Agora Kotler (1998, p. 53) os consumidores formam suas expectativas através de experiências anteriores de compra, ou através de indicações de amigos e colegas, e também pelas informações e promessas das empresas, agora se as empresas criam uma alta expectativa no consumidor, é provável o descontentamento do consumidor, já se for ao contrário às empresas criarem uma baixa expectativa no consumidor, não atraindo assim consumidores suficientes. Segundo Kotler (1998, p.28-29) como os consumidores buscam entre os muitos produtos que podem satisfazer as suas necessidades? Cada produto tem um diferencial para satisfazer esse conjunto de necessidades. Os conceitos quais são valor e satisfação, já valor é a avaliação de cada produto satisfazer a seu conjunto de necessidades. O cliente sempre considerará o valor e o preço do produto antes de tomar a sua decisão e escolher, optará pelo produto que mais harmoniza valor por moeda gasta. Conforme DeRose, valor é a satisfação das exigências do consumidor ao menos custo possível de aquisição, propriedade e uso 2.2 MARKETING. Conforme Kotler (1998, p.27-37) o marketing tem sido definido de várias formas a melhor definição que atende o propósito do autor é: marketing é uma técnica sociável e gerencial pelo qual indivíduos ou grupos que obtém o que precisão, através do ato de criar e troca de produtos e valor. Subjacente ao marketing está o conceito fundamental de necessidade do homem, que é um estado de carência percebida sendo a necessidade básica transformada pela cultura e personalidade em uma ambição do homem. Tendo ainda como conceito de marketing que a chave para atingir as metas das empresas consiste ser muito mais

11 10 eficaz que a concorrência integrando as atividades de marketing, assim satisfazendo as necessidades e anseios dos mercados-alvos. O conceito de marketing fundamenta-se em quatro objetivos, sendo mercado alvo, necessidade dos consumidores marketing integrado e rentabilidade. Segundo Kotler (1998, p. 44) há o marketing societal assumindo que o dever da organização é a determinação das necessidades, dos anseios e interesses do mercado-alvo, atendendo as satisfações desejadas mais eficazes e com eficiência do que a concorrência, de maneira que se mantenha ou se amplie o bem-estar dos consumidores e da sociedade. Ainda Kotler e Armstrong (1995, apud RIBEIRO 2005 p.10-11) quando um bom produto oferece um bom valor, atingirá assim a satisfação do cliente. Sempre quando as pessoas decidirem a satisfazer as suas necessidades e anseios através de um processo de troca ocorre o marketing. Desenvolver um relacionamento com os clientes através da força de laços sociais e econômicos tornou-se um objetivo importante para muitos do vários profissionais de marketing. A administração de marketing é a técnica pelo quais os profissionais desta área atingem suas metas organizacionais, sendo o centro desta técnica administrar o nível, duração e composição da demanda buscando sempre novos clientes e mantendo os já existentes. Para Kotler e Armstrong (1995, apud RIBEIRO 2005 p ) os clientes atualmente se deparam cada vez mais um amplo leque de possibilidades de escolha de produtos e serviços e a sua satisfação é o resultado percebido pelos compradores que verificam o desempenho de uma empresa que satisfaz suas expectativas e ficam mais satisfeitos quando suas expectativas são atingidas ou superadas. Os clientes satisfeitos têm a se manter fiel à empresa por muito mais tempo e falam em beneficio a empresa. Caso não haja a satisfação do cliente, ocorrendo a perda do mesmo haverá um custo muito alto para empresa. 2.3 Definição de Serviços Conforme Las Casas (2002, p-17-18) serviços se consiste em transação feita por uma empresa ou por uma individuo e a Associação Americana de Marketing define serviços como aquelas atividades, vantagens ou até mesmo satisfações que são prestadas à venda ou até proporcionadas em conexidade com a venda de mercadorias. Já na opinião do autor o que mais define serviços é a colocação de Rathmell, que a considera como um ato, um esforço, ou um desempenho que pode apresentar-se de várias maneiras. Então definir serviços como atos

12 11 ou ações se caracterizam as partes intocáveis, sendo alguns tocáveis, serviços é a parte que deve ser vivenciada, uma experiência vivida, sendo também o desempenho. Segundo Kotler e Armstrong (1995, p. 455) serviço é toda atividade, essencialmente intocável, que um individuo possa oferecer a outra, que não resulte a posse de um bem, e pode ou não estar ligada a um produto físico, sendo tais atividades como, consertar o carro, assistir ao um filme, cortar o cabelo, entre outros. Ainda Kotler (1998, p. 260) uma empresa tem que diferenciar seus serviços, quando o mesmo não pode ser diferenciado, a chave para o sucesso competitivo, está na ampliação de serviços que agregam valor e na melhoria da qualidade, os principais diferenciadores dos serviços, são facilidade de pedido, entrega, treinamento ao consumidor entre outros. As empresas podem encontrar outras formas de agregar valor através de serviços diferenciados, oferecendo melhor garantia, podendo também oferecer prêmios pela preferência. Segundo Las Casas (2004, p.24-25) os serviços apresentam as seguintes características: são intangíveis significa que os serviços são abstratos, requerendo um tratamento especial para compará-los com outras atividades de marketing, inseparabilidade dos serviços refere-se a outro importante determinante mercadológico, não podendo se produzir ou estocar como se faz com bens, os serviços são prestados frente a frente tendo a necessidade da capacitação antecipada de prestação de serviços. Ainda Las Casas (2004, p.24-25) heterogêneos refere-se impossibilidade de se manter a qualidade do serviço constante, pois como serviços são produzidos pelo ser humano, sendo de natureza instável, a qualidade da produção será também instável e simultâneo nos diz que produção e serviço ocorrem ao mesmo tempo, sendo assim necessário sempre considerar o momento de contato com o cliente como fator principal de qualquer esforço. 2.4 Qualidade em Serviços Conforme Las Casas (2002, p.89-90) os serviços oferecidos devem ser rigorosamente planejados e acima de tudo, oferecidos com qualidade, sendo que um serviço bem prestado gera a satisfação do cliente que voltam a comprar ou indicam outras pessoas, com isso à empresa pode aumentar a sua demanda e seus lucros. Todavia qualidade em serviços está ligada à satisfação do cliente, com esta satisfação do cliente com o prestador de

13 12 serviços o mesmo estará percebendo que é um serviço de qualidade, com isso ocorre em qualquer situação de satisfação, tal como, a solução de um problema, o atendimento de uma necessidade ou em outras expectativas. Para gerar a satisfação e que um prestador de serviços seje de boa qualidade, o responsável deve tomar alguns cuidados, logo em primeiro ele deve administrar as expectativas de seus clientes, uma vez que essas expectativas se formam através de promessas feitas pelos vendedores, pelas experiências passadas com a empresa ou até de concorrentes, ou informações de outras pessoas.contudo essas expectativas são essenciais para a satisfação, sendo que se o resultado da prestação de serviço atingir essas expectativas, o cliente estará satisfeito, já, no entanto este resultado ficar aquém das expectativas, os clientes ficaram insatisfeitos. Qualidade de serviços evidência o fato que a medida desse conceito é uma medida de qualidade percebida, contanto de fato a percepção que o consumidor tem da prestação de serviços, o estudo dessa qualidade esta ligada a pesquisas sobre a satisfação que utiliza raciocínios similares fundamentados no paradigma de desconfirmação de estados antecedentes esse paradigma de desconfirmação orienta a análise da satisfação ou da insatisfação do cliente que resulta de diferenças entre as expectativas prévias e as performances efetivas. Segundo Zeithaml, Parasuraman e Berry (1990, apud ELEUTÉRIO E SILVA 2002 p. 54) atribuem à qualidade de serviços a discrepância entre as percepções e as expectativas sobre um serviço experimentado, tendo como chave para assegurar a qualidade de serviços sendo obtida quando as percepções excedem as expectativas, embora esse raciocínio seja válido não basta apenas compreender a importância de fornecer serviços de qualidade é necessário que haja um processo continuo de monitoração das percepções dos clientes, identificando as discrepâncias encontradas. È indiscutível o crescimento do setor de serviços, contudo a qualidade de serviços representar um item estratégico na competitividade das empresas, nem sempre é considerada com o devido cuidado, as empresas sempre focalizam os aspectos relacionados aos processos de produção de serviços sem uma preocupação maior com a qualidade que é realizada. 2.5 Front Office (Linha de Frente) Conforme Slack et al. (1996, apud RIBEIRO 2005 p. 13) para que os funcionários atendam adequadamente os clientes das empresas, é necessário que os responsáveis

14 13 desenvolvam com os mesmos, habilidades especiais, tal que o pessoal da linha de frente deve saber muito bem as necessidades dos clientes em todos os momentos na hora da verdade, ou melhor, na hora em que o funcionário entrar em contato com um cliente. Além de justificar sua existência, nas demais funções organizacionais também desempenham outros três papeis que parecem ser importantes: a) como seguidora, deve as estratégias da empresa, desenvolvendo objetivos e políticas apropriadas aos recursos sob sua administração; b) como executora, deve implementar a estratégia, transformando-a em realidade, fazendo acontecer; c) como líder, deve impulsionar tais estratégias, concretizando com que a empresa obtenha vantagens competitivas. Segundo Lobos (1995, apud RIBEIRO 2005 p. 14) é impossível conferir competências da linha de frente sem que se pesquisem as percepções dos clientes, tal que, essa competência é relacionada com a atitude, e nem tanto com as habilidades e capacidades. Em seqüência alguns tipos determinantes de funcionários que operam na linha de frente. Os Talentosos profissionais que são preocupados com o relacionamento com cliente, criando um relacionamento duradouro, baseando-se em confiança mútua, sendo que são profissionais altamente capacitados. Ainda Lobos ( 1995, apud RIBEIRO 2005 p. 14) os capazes, estes dominam artes raras sendo como, colocar-se no lugar do cliente, agindo sempre sob pressão e resolvendo problemas, entre outros. Os Dispositivos lhes faltam visão e solidez, no entanto são compensado com atitudes positivas, demonstrando um alto nível de energia, alerta mental, etc. Os Habilidosos podendo ser acusados de superficialistas, mas que se comportam bem perante o cliente com boa convicção, clareza de orientando-os da melhor forma. Os Operosos toscos e burocratas têm a carência dos colegas antes mencionados, mas carregam o piano como ninguém. 2.6 Os 4 Ps dos Serviços Segundo Las Casas (2002, p ) o marketing de serviços precisa de considerações especiais para sua comercialização, não bastando que o prestador de serviços apenas decida a respeito das características dos serviços, mas um administrador do setor deverá decidir como esta atividade será desempenhada, para isso deve se decidir também os quatros Ps dos serviços sendo:

15 14 Perfil se refere ao estabelecimento em que acontecerá a prestação de serviços, incluindo toda comunicação visual, como limpeza, disposição de móveis, etc, o perfil é um componente muito importante de comunicação, devido à intangibilidade do serviço, sendo que um cliente ao entrar em um escritório de um prestador de serviços, busca a evidências para apoiar sua decisão, o perfil das empresas passa por mudanças, um exemplo é a consagração da informática, tendo que estar sempre estruturado para suportar as complicadas fiações que necessitam para instalar seus equipamentos e computadores. Processos, a empresa deve sempre pensar como administrar o processo de prestação de serviços, pois quando o cliente entra em uma empresa, vai interagir com vários aspectos da organização, no entanto, este processo deverá permitir que os serviços estejam desempenhados de forma organizada, com qualidade, sendo favorável à satisfação do cliente, processos confusos deverão ser evitados, pois o processo faz parte do pacote de benefícios da compra do consumidor, havendo confusão e muito tempo de espera, ou mesmo falta de orientação, os clientes não voltam mais e ficaram insatisfeitos. Um prestador de serviços deve desenhar um fluxograma e pensar nas etapas da prestação de serviços, sempre objetivando a satisfação de seus clientes de forma lucrativa e racional. (LAS CASAS, 2002) Procedimentos, o processo é desenvolvido para facilitar a prestação de serviços, os vários pontos de contato, são planejados visando a uma fluidez e eficiência, que assim permitam a prestação de serviços sem complicações, atrapalhações ou impedimentos do processo e de forma lucrativa, sendo a qualidade do contato dos funcionários com o cliente altamente fundamental, e um bom processo só é completo se o nível de contato com os clientes for satisfatório, portanto uma empresa que desenvolve um plano de ação para o marketing de serviços, é recomendado ter um parágrafo especificando que espécie de procedimentos que terão que ter seus funcionários, quanto à sintonia com a imagem que desejam projetar. (LAS CASAS, 2002)

16 15 Pessoas é a maior parte de investimento na área de serviços é a mão-de-obra, sendo que as empresas prestam serviços, precisam comercializar atos, ações e desempenho, e para comercializar o desempenho deve-se treinar seus funcionários, no entanto para treinar é necessário contratar as pessoas certas, sendo que o pessoal de uma organização é fundamental para a qualidade da prestação de serviços, pois indivíduos de boa aparência e bem treinados comunicam uma preocupação da organização em atender bem seus clientes. (LAS CASAS, 2002)

17 16 3. METODOLOGIA O desenvolvimento deste trabalho foi elaborado através de uma pesquisa exploratória, que segundo Lakatos & Marconi (1991) é uma investigação com a finalidade de se familiarizar o pesquisador com o ambiente. 3.1 Amostragem Para uma confiabilidade de 95% e erro Máximo de 1 com população de 500 clientes (Quinhentos) a amostragem foi composta por 81 clientes, os quais foram selecionados de forma aleatória e correspondem a 16% da população analisada, sendo 57% do sexo Masculino e 43% do sexo Feminino, com idade variando de até 24 anos e mais que 35 anos. Os avaliados possuem seguro na corretora de 1 a mais que 12 anos, possuindo o mesmo em diversos ramos. 3.2 Material Foi elaborado um questionário (ANEXO 1), o qual é composto por 14 (quatorze) questões de fácil entendimento de múltipla escolha, sendo feitas de forma direta e de respostas rápidas. Tendo como composição (4) quatro questões variáveis do tipo nominal, tais como, sexo, idade, anos de seguros e ramo que possui seguro, e tendo também 10 (dez) questões do tipo intervalar, com 6 (seis) alternativas, relacionadas ao atendimento, solução e propostas de seguros que os funcionários e vendedores possuem e a qualidade geral da seguradora e a localização. Antes de iniciar a pesquisa, foi realizado um piloto, onde foram entrevistadas 5 (cinco) clientes, o que permitiu fazer as correções necessárias, entretanto, nenhuma dificuldade foi observada no preenchimento pelos clientes. Com os questionários já respondidos uma avaliação foi feita, para a identificação do nível de satisfação dos clientes com relação ao atendimento oferecido pela empresa. Para a variável nominal sexo, uma escala de valores de 01 a 02 e para a variável nominal idade, uma escala de valores de 01 a 03, para a variável anos de corretora uma escala de valores de 01 a 04 e para o ramo de seguro escala de valores de 01 a 05. Já as variáveis intervalares, foram escalonadas em valor de 05 a 0 sendo - 5 para Concordo Totalmente, 4 para Concordo, 3 para

18 17 Nem Concordo nem, 2 para de Acordo,1 para Totalmente e 0 para Não sei responder/ Não Aplicável. Foi elaborada uma planilha de resultado no programa Excel (ANEXO 2), tendo as questões que possuem no questionário e suas respectivas escala de valores. Após a inserção dos dados foram gerados gráficos onde realizou tratamentos estatísticos tais como médias aritméticas e correlação entre os itens apontando assim o nível de satisfação dos clientes com os diversos fatores analisados. 3.3 Procedimento Foram realizadas entrevistas com o proprietário da empresa para se buscar os objetivos principais da pesquisa. Dos clientes entrevistados, sendo a maioria residente em Socorro SP, e a pesquisa foi realizada no período de 04/06/2007 a 30/06/2007, onde foi respondido um a um, e entregues em momentos diferentes para clientes diferentes da corretora, informado ao entrevistado que estava sendo realizado uma pesquisa quanto ao atendimento da corretora, para que o mesmo fosse melhorado, e que seria mantido em sigilo, para assim garantir a autenticidade das respostas, sendo respondido no balcão da recepção e solicitado que poderia ser entregue a qualquer uma das atendentes, onde o mesmo foi aceito pela maioria dos clientes e respondidos de livre e espontânea vontade.

19 18 4 Resultados pela corretora. Segue abaixo o resultado, onde é apresentada a análise dos serviços oferecidos 4.1 Variáveis Nominais Sexo Masculino 57% Feminino 43% Figura 1: Sexo Fonte: dados de pesquisa elaborada pelo autor Idade mais que 35 anos 22% até 24 anos 45% de 25 a 35 anos 33% Figura 2: Idade Fonte: dados de pesquisa elaborada pelo autor

20 19 Anos de Corretora 8 a 11 anos 12% 12 anos ou mais 1 a 3 anos 19% 4 a 7 anos 69% Figura 3: Anos de Corretora Fonte: dados de pesquisa elaborada pelo autor Ramo de Seguro Ram os Divers os Em pres arial 7% 17% Autóm ovel 4 Vida/ Previdência 16% Res idencial 2 Figura 4: Ramo de Seguro Fonte: dados de pesquisa elaborada pelo autor

21 Variáveis Intervalares Segue abaixo os resultados obtidos das variáveis intervalares. Nem concordo/ nem discordo 2% Concordo 21% Media 4,74 Desvio Padrão 0,49 Totalmente x Não sei responder ou não utilizo Concordo Totalmente 77% Figura 5: Educação e Cordialidade Fonte: dados de pesquisa elaborada pelo autor Nem concordo/ nem discordo 5% C oncordo 33% D iscordo D iscordo Totalm ente x Não sei responder ou não utilizo C oncordo Totalm e nte 62% Media 4,57 Desvio Padrão 0,59 Figura 6: Solucionam os Problemas Fonte: dados de pesquisa elaborada pelo autor Ne m co nco rd o / ne m d isco rd o 0 % C o nco rd o 2 5 % Media 4,75 Desvio Padrão 0,43 D isco rd o 0 % D isco rd o To ta lm e nte 0 % x Nã o se i re sp o nd e r o u nã o utilizo 0 % C o nco rd o To ta lm e nte 7 5 % Figura 7: Serviços Oferecidos pela Cia. Fonte: dados de pesquisa elaborada pelo autor

22 21 Nem concordo/ nem discordo 5% Concordo 47% x Totalmente Concordo Totalmente 48% Não sei responder ou não utilizo Media 4,43 Desvio Padrão 0,59 Figura 8: Propostas de Seguro Objetiva e Clara Fonte: dados de pesquisa elaborada pelo autor Nem concordo/ nem discordo 6% Concordo 48% Media 4,33 Desvio Padrão 0,71 2% Totalmente x Concordo Totalmente 44% Não sei responder ou não utilizo Figura 9: Condições de Pagamento Fonte: dados de pesquisa elaborada pelo autor Nem concordo/ nem discordo 6% 11% Concordo 45% Totalmente 5% x Concordo Totalmente 33% Não sei responder ou não utilizo Media 3,90 Desvio Padrão 1,14 Figura 10: Ass. Pós-vendas oferecem outros seguros Fonte: dados de pesquisa elaborada pelo autor

Satisfação do Consumidor com os Serviços Oferecidos em uma Academia de Ginástica e Musculação

Satisfação do Consumidor com os Serviços Oferecidos em uma Academia de Ginástica e Musculação Satisfação do Consumidor com os Serviços Oferecidos em uma Academia de Ginástica e Musculação Diana Stachetti Gomes da Silva claudia.cobero@terra.com.br FAQ Claudia Cobêro diana_stachetti@hotmail.com FAQ

Leia mais

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso.

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. 1 Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. Daiane Maria ALONGE 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 Resumo Com a atual concorrência, entender os desejos

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

FAQ - FACULDADES XV DE AGOSTO ANÁLISE DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE DE UMA ACADEMIA DE GINÁSTICA

FAQ - FACULDADES XV DE AGOSTO ANÁLISE DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE DE UMA ACADEMIA DE GINÁSTICA FAQ - FACULDADES XV DE AGOSTO ANÁLISE DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE DE UMA ACADEMIA DE GINÁSTICA Maria do Carmo Trainoti Socorro - 2006 FAQ - FACULDADES XV DE AGOSTO ANÁLISE DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE DE UMA

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS ADRIELI DA COSTA FERNANDES Aluna da Pós-Graduação em Administração Estratégica: Marketing e Recursos Humanos da AEMS PATRICIA LUCIANA

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

ANÁLISE DA SATISFAÇÃO DOS CLIENTES EM UMA LOCADORA DE FILMES.

ANÁLISE DA SATISFAÇÃO DOS CLIENTES EM UMA LOCADORA DE FILMES. FAQ Faculdade XV de Agosto ANÁLISE DA SATISFAÇÃO DOS CLIENTES EM UMA LOCADORA DE FILMES. Devanil Segalotto Socorro-2006 FAQ Faculdade XV de Agosto ANÁLISE DA SATISFAÇÃO DOS CLIENTES EM UMA LOCADORA DE

Leia mais

QUALIDADE DE SERVIÇO EM UM PONTO DE VENDA À VAREJO: UMA ANÁLISE DE PERFORMANCE E IMPORTÂNCIA SOB O PONTO DE VISTA DO CLIENTE

QUALIDADE DE SERVIÇO EM UM PONTO DE VENDA À VAREJO: UMA ANÁLISE DE PERFORMANCE E IMPORTÂNCIA SOB O PONTO DE VISTA DO CLIENTE QUALIDADE DE SERVIÇO EM UM PONTO DE VENDA À VAREJO: UMA ANÁLISE DE PERFORMANCE E IMPORTÂNCIA SOB O PONTO DE VISTA DO CLIENTE Kissila Goncalves Lourenco (ISECENSA) kissilagl@hotmail.com Henrique Rego Monteiro

Leia mais

SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA SERCOMTEL CELULAR

SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA SERCOMTEL CELULAR 1 V I I S E M E A D E S T U D O D E C A S O M A R K E T I N G SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA SERCOMTEL CELULAR Autores: Silvio Roberto Stefano Professor orientador. Mestre em Administração.

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO E SATISFAÇÃO DO CLIENTE: ESTUDO DE CASO EM UM HOSPITAL DE UROLOGIA EM MARINGÁ

A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO E SATISFAÇÃO DO CLIENTE: ESTUDO DE CASO EM UM HOSPITAL DE UROLOGIA EM MARINGÁ 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO E SATISFAÇÃO DO CLIENTE: ESTUDO DE CASO EM UM HOSPITAL DE UROLOGIA EM MARINGÁ Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES: FOCO NO CLIENTE EXTERNO

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES: FOCO NO CLIENTE EXTERNO A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES: FOCO NO CLIENTE EXTERNO 1 GOLVEIA, Francielli José Primo. 2 DA ROSA, MsC. Wanderlan Barreto. RESUMO Nesta pesquisa, será abordada a importância

Leia mais

PROPOSIÇÃO DE UMA METODOLOGIA DE DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE DO SERVIÇO PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: UM ESTUDO DE CASO

PROPOSIÇÃO DE UMA METODOLOGIA DE DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE DO SERVIÇO PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: UM ESTUDO DE CASO PROPOSIÇÃO DE UMA METODOLOGIA DE DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE DO SERVIÇO PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: UM ESTUDO DE CASO Heitor Vitor Chaves Galindo (UFPE) heitorgalindo@hotmail.com Renata Maciel de Melo

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ DANUBIA SANTANA NATALIA TEIXEIRA GUIMARÃES

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ DANUBIA SANTANA NATALIA TEIXEIRA GUIMARÃES UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ DANUBIA SANTANA NATALIA TEIXEIRA GUIMARÃES INSTRUMENTO DE PESQUISA PARA SALÕES DE BELEZA: uma perspectiva teórica Balneário Camboriú 2008. DANUBIA SANTANA NATALIA TEIXEIRA

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 15 AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO E DA INSATISFAÇÃO DOS CLIENTES Objetivo: Ao final desta aula, você deverá saber (1) sobre os fatores que causam a satisfação

Leia mais

INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS

INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS Amanda Cristina Nunes Alves (SSP) amandac.06@hotmail.com Anne Sthefanie Santos Guimaraes (SSP) annesthefanie14@hotmail.com

Leia mais

A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz

A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz Marcelo Rabelo Henrique marcelo@mrhenriqueconsult.com.br Unicastelo José Abel

Leia mais

A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE.

A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE. A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE. Jander Neves 1 Resumo: Este artigo foi realizado na empresa Comercial Alkinda, tendo como objetivo

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA.

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. 93 SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. ¹Camila Silveira, ¹Giseli Lima ¹Silvana Massoni ²Amilto Müller RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar os estudos realizados

Leia mais

Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços

Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo Objetivos Definir ; Conhecer as diferenças básicas entre Produtos (Bens e Serviços); Analisar uma visão geral do Setor de Serviços; Conhecer o processo de Prestação

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930 AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS SEGUNDO A PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES Érica de Souza Rabelo 1 Helen Rita Menezes Coutinho

Leia mais

GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE

GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE Debora Barbosa Guedes (UEPB ) deborabguedes@yahoo.com.br Anna Cristina

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

A SATISFAÇÃO DO CLIENTE COMO BASE PARA A QUALIDADE EM SERVIÇOS: O CADO DE UM SUPERMERCADO DE PEQUENO PORTE

A SATISFAÇÃO DO CLIENTE COMO BASE PARA A QUALIDADE EM SERVIÇOS: O CADO DE UM SUPERMERCADO DE PEQUENO PORTE A SATISFAÇÃO DO CLIENTE COMO BASE PARA A QUALIDADE EM SERVIÇOS: O CADO DE UM SUPERMERCADO DE PEQUENO PORTE Antonio Brandão Junior Waleska Silveira Lira Geuda Anazile da Costa Gonçalves RESUMO O objetivo

Leia mais

Qualidade e o Atendimento na Prestação de Serviço: Um estudo de caso na empresa SECOM

Qualidade e o Atendimento na Prestação de Serviço: Um estudo de caso na empresa SECOM Qualidade e o Atendimento na Prestação de Serviço: Um estudo de caso na empresa SECOM Claudineia Lima de MOURA¹ RGM 081712 claudineia_18@yahoo.com.br Dayane Cristina da SILVA¹ RGM 080225 day_4791@hotmail.com

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino.

ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino. 1 ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino. RESUMO Camila Rezende Bambirra 1 Ronaldo Maciel Guimarães 2 Este artigo tem como objetivo Identificar

Leia mais

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na Visão das Seguradoras: Uma análise da distribuição de seguros no Brasil Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV), membro do Conselho Editorial da FUNENSEG, catedrático pela ANSP e sócio da empresa "Rating

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 INTRODUÇÃO Desde que foi fundada em 2001, a ética, a transparência nos processos, a honestidade a imparcialidade e o respeito às pessoas são itens adotados pela interação

Leia mais

Introdução Ao Marketing

Introdução Ao Marketing Introdução Ao Marketing O que é Marketing? Isso não é Marketing Muitas pessoas pensam em marketing apenas como vendas e propaganda e isso não causa nenhuma surpresa; Entretanto, vendas e propaganda constituem

Leia mais

Informativo Bimestral da Siqueira Campos Associados fevereiro de 2011 - ano V - Número 14

Informativo Bimestral da Siqueira Campos Associados fevereiro de 2011 - ano V - Número 14 Informativo Bimestral da Siqueira Campos Associados fevereiro de 2011 - ano V - Número 14 Nesta edição Vídeo: Textron, Seis Sigma uma ponte para o futuro. Lean Office - Layout, orientações práticas. Quatro

Leia mais

2.1 ESTRUTURAÇÃO DA FORÇA DE VENDAS

2.1 ESTRUTURAÇÃO DA FORÇA DE VENDAS 2.1 ESTRUTURAÇÃO DA FORÇA DE VENDAS Para Cobra (1994, p.46) a estruturação da força de vendas divide-se em quatro funções da administração: planejamento, organização, direção e controle. Abaixo segue os

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Análise do nível de satisfação do cliente interno da Ordem dos Advogados do Brasil de Socorro.

Análise do nível de satisfação do cliente interno da Ordem dos Advogados do Brasil de Socorro. FAQ Faculdade XV de Agosto Análise do nível de satisfação do cliente interno da Ordem dos Advogados do Brasil de Socorro. Aluna: Meire Souza Bonetti Socorro-2006 FAQ Faculdade XV de Agosto Análise do nível

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II Atividades Gerenciais de MKT Produto Testar Novos Produtos; Modificar Atuais; Eliminar; Política de Marcas; Criar Satisfação e Valor; Embalagem. 2 1 Atividades Gerenciais

Leia mais

Formulário de Avaliação de Desempenho

Formulário de Avaliação de Desempenho Formulário de Avaliação de Desempenho Objetivos da Avaliação de Desempenho: A avaliação de desempenho será um processo anual e sistemático que, enquanto processo de aferição individual do mérito do funcionário

Leia mais

Nível de Serviço. Tópicos. Objetivo. FACCAMP MBA Eng. Logística. FACCAMP MBA Eng. Logística Prof. Ph.D. Cláudio F. Rossoni. Engenharia Logística

Nível de Serviço. Tópicos. Objetivo. FACCAMP MBA Eng. Logística. FACCAMP MBA Eng. Logística Prof. Ph.D. Cláudio F. Rossoni. Engenharia Logística Nível de Serviço Engenharia Logística I Objetivo Facilitar o engenheiro de logística a projetar e especificar os indicadores utilizado para aferir o nível de serviço, bem como entender sua importante no

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE

MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 118 MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE Diogo Xavier

Leia mais

Modelo para elaboração do Plano de Negócios

Modelo para elaboração do Plano de Negócios Modelo para elaboração do Plano de Negócios 1- SUMÁRIO EXECUTIVO -Apesar de este tópico aparecer em primeiro lugar no Plano de Negócio, deverá ser escrito por último, pois constitui um resumo geral do

Leia mais

AULA 4 Marketing de Serviços

AULA 4 Marketing de Serviços AULA 4 Marketing de Serviços Mercado Conjunto de todos os compradores reais e potenciais de um produto ou serviço. Trata-se de um sistema amplo e complexo, que envolve: FORNECEDORES CONCORRENTES CLIENTES

Leia mais

GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS

GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS A administração eficiente de qualquer negócio requer alguns requisitos básicos: domínio da tecnologia, uma equipe de trabalho competente, rigoroso controle de qualidade, sistema

Leia mais

GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH. PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO

GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH. PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO O QUE É NÍVEL DE SERVIÇO LOGÍSTICO? É a qualidade com que o fluxo de bens e serviços

Leia mais

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 O desempenho do processo de recrutamento e seleção e o papel da empresa neste acompanhamento: Um estudo de caso na Empresa Ober S/A Indústria E Comercio Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ

Leia mais

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Fabiano Akiyoshi Nagamatsu Everton Lansoni Astolfi Eduardo Eufrasio De

Leia mais

FAQ FACULDADE XV DE AGOSTO SATISFAÇÃO DO CONSUMIDOR COM OS SERVIÇOS OFERECIDOS EM UMA ACADEMIA DE GINÁSTICA E MUSCULAÇÃO

FAQ FACULDADE XV DE AGOSTO SATISFAÇÃO DO CONSUMIDOR COM OS SERVIÇOS OFERECIDOS EM UMA ACADEMIA DE GINÁSTICA E MUSCULAÇÃO FAQ FACULDADE XV DE AGOSTO SATISFAÇÃO DO CONSUMIDOR COM OS SERVIÇOS OFERECIDOS EM UMA ACADEMIA DE GINÁSTICA E MUSCULAÇÃO Diana Stachetti Gomes da Silva SOCORRO 2008 FAQ FACULDADE XV DE AGOSTO SATISFAÇÃO

Leia mais

DENIZE DIETER NICHTERWITZ SATISFAÇÃO DOS CLIENTES NA ÓPTICA MIRIAN

DENIZE DIETER NICHTERWITZ SATISFAÇÃO DOS CLIENTES NA ÓPTICA MIRIAN 0 UNIJUÍ Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação Curso de Administração Bacharelado modalidade presencial

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

A ISO 9001:2000 O REFLEXO DO REQUISITO 6.2 DA NORMA ISO NBR 9001/2008 (RH) NA SATISFAÇÃO DO CLIENTE

A ISO 9001:2000 O REFLEXO DO REQUISITO 6.2 DA NORMA ISO NBR 9001/2008 (RH) NA SATISFAÇÃO DO CLIENTE A ISO 9001:2000 O REFLEXO DO REQUISITO 6.2 DA NORMA ISO NBR 9001/2008 (RH) NA SATISFAÇÃO DO CLIENTE Adriana Roulim Edilaine Cardoso Fábio Lima Marcos Martins Prof. Evaldo Reis RESUMO A norma ISO 9001 fornece

Leia mais

PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM

PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM CRISTIANE MORATTO FÉLIX DE FREITAS Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas do Sul de Minas

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

A intangibilidade dos serviços

A intangibilidade dos serviços A intangibilidade dos serviços Rosaly Machado (UTFPR)rosalymachado@uol.com.br Prof. Dr. Dalcio Roberto dos Reis (UTFPR) dalcioreis@terra.com.br Prof. Dr. Luiz Alberto Pillati (UTFPR) lapilatti@pg.cefetpr.br

Leia mais

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Bruna Jheynice Silva Rodrigues 1 ; Lauriene Teixeira Santos 2 ; Augusto Chaves Martins 3 ; Afonso Régis Sabino

Leia mais

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS Elane de Oliveira, UFRN 1 Max Leandro de Araújo Brito, UFRN 2 Marcela Figueira de Saboya Dantas, UFRN 3 Anatália Saraiva Martins Ramos,

Leia mais

A GESTÃO DE PESSOAS NA ÁREA DE FOMENTO MERCANTIL: UM ESTUDO DE CASO NA IGUANA FACTORING FOMENTO MERCANTIL LTDA

A GESTÃO DE PESSOAS NA ÁREA DE FOMENTO MERCANTIL: UM ESTUDO DE CASO NA IGUANA FACTORING FOMENTO MERCANTIL LTDA ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 A GESTÃO DE PESSOAS NA ÁREA DE FOMENTO MERCANTIL: UM ESTUDO DE CASO NA IGUANA FACTORING FOMENTO MERCANTIL

Leia mais

Fiorella Del Bianco. ... há alguma diferença? Tema: definição de serviços, suas características e particularidades.

Fiorella Del Bianco. ... há alguma diferença? Tema: definição de serviços, suas características e particularidades. Fiorella Del Bianco Tema: definição de serviços, suas características e particularidades. Objetivo: apresentar as características dos serviços com o objetivo de possibilitar o desenvolvimento de estratégias

Leia mais

Resumo para Identificação das Necessidades dos Clientes

Resumo para Identificação das Necessidades dos Clientes Resumo para Identificação das Necessidades dos Clientes O processo de decisão de compra é feito através da percepção de que os consumidores têm um problema. Então, se movem em direção à resolução. Disto

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL. PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. NOME DA EMPRESA

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL. PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. NOME DA EMPRESA PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL NOME DA EMPRESA A pesquisa foi desenvolvida e aplicada pela PERSPECTIVA Consultores Associados. Coordenador Interno: Ricardo Lezana

Leia mais

Toda estratégia que visa melhorar vendas tem como objetivo final a retenção e fidelização de clientes. Por isso, conhecer em detalhes o público-alvo,

Toda estratégia que visa melhorar vendas tem como objetivo final a retenção e fidelização de clientes. Por isso, conhecer em detalhes o público-alvo, Toda estratégia que visa melhorar vendas tem como objetivo final a retenção e fidelização de clientes. Por isso, conhecer em detalhes o público-alvo, suas necessidades e preferências, é o primeiro passo

Leia mais

QUALIDADE EM SERVIÇOS EM INSTITUIÇÃO BANCÁRIA SOB A ÓTICA DO CLIENTE FINAL

QUALIDADE EM SERVIÇOS EM INSTITUIÇÃO BANCÁRIA SOB A ÓTICA DO CLIENTE FINAL XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil 2014 Objetivo Metodologia Perfil da Empresa de Consultoria Características das Empresas Áreas de Atuação Honorários Perspectivas e Percepção de Mercado

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS Érica de Souza Rabelo 1 Helen Rita M. Coutinho 2 RESUMO Este artigo científico tem

Leia mais

REDES DE RELACIONAMENTO: MAIS QUE UM MEIO DE CONTATO, UM LUGAR ONDE SE CONSTROEM MARCAS RESUMO. Palavras-chave: redes - público-alvo - fidelização.

REDES DE RELACIONAMENTO: MAIS QUE UM MEIO DE CONTATO, UM LUGAR ONDE SE CONSTROEM MARCAS RESUMO. Palavras-chave: redes - público-alvo - fidelização. REDES DE RELACIONAMENTO: MAIS QUE UM MEIO DE CONTATO, UM LUGAR ONDE SE CONSTROEM MARCAS Djúlia Denise Bohn 1 Lidiane Kasper 2 Alexandre Rafael Mattjie 3 RESUMO Este artigo pretende trazer uma contribuição

Leia mais

Americanas.com x Lojas Americanas 1

Americanas.com x Lojas Americanas 1 Americanas.com x Lojas Americanas 1 Rayra Costa da SILVA 2 Gabriela Lima RIBEIRO 3 Hugo Osvaldo ACOSTA REINALDO 4 Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE RESUMO Mesmo que no site Americanas.com haja

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO: COMPRA PESSOAL E COMPRA ONLINE RESUMO

ESTUDO COMPARATIVO: COMPRA PESSOAL E COMPRA ONLINE RESUMO ESTUDO COMPARATIVO: COMPRA PESSOAL E COMPRA ONLINE Maira Couto Curtinove 1 João Antonio Jardim Silveira 2 RESUMO O presente trabalho enfoca o conhecimento dos hábitos dos consumidores varejistas, quanto

Leia mais

Projeto CAPAZ Básico Introdução a Venda

Projeto CAPAZ Básico Introdução a Venda 1 Introdução Ao assistir à aula você teve acesso a técnicas de vendas, uma introdução simples ao processo de venda. Hoje, relembraremos e aprofundaremos os processos de abordagem, sondagem, apoio, fechamento

Leia mais

MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA

MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA Mestre em turismo e hotelaria-univali Professora do curso de turismo da Universidade de Uberaba-MG Trata-se nesse artigo da teoria e da prática do marketing no turismo.

Leia mais

CONTROLE ESTRATÉGICO

CONTROLE ESTRATÉGICO CONTROLE ESTRATÉGICO RESUMO Em organizações controlar significa monitorar, avaliar e melhorar as diversas atividades que ocorrem dentro de uma organização. Controle é fazer com que algo aconteça como foi

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE

ATENDIMENTO AO CLIENTE ATENDIMENTO AO CLIENTE 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 PROBLEMAS PARA CLIENTES SÃO PROVOCADOS POR: PROPRIETÁRIOS GERENTES SUPERVISORES SINTOMAS DE MAU ATENDIMENTO VOCÊ PODE TER CERTEZA

Leia mais

A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO

A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO 122 A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO Edilene Mayumi Murashita Takenaka, Sérgio Luís Destro, João Vitor Minca Campioni, Dayane Magalhães Fernandes, Giovana Maria

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

Estudo do Mercado de Clínicas Veterinárias. Sebrae/DF - UAM

Estudo do Mercado de Clínicas Veterinárias. Sebrae/DF - UAM Estudo do Mercado de Clínicas Veterinárias Sebrae/DF - UAM Sumário Introdução... 03 Objetivos... 04 Metodologia... 05 Análise Perfil... 08 Análise Avaliação da Imagem...16 Análise Avaliação do Consumo...

Leia mais

A PEDAGOGIA EMPRESARIAL E A GESTÃO ESTRATÉGICA NA EMPRESA

A PEDAGOGIA EMPRESARIAL E A GESTÃO ESTRATÉGICA NA EMPRESA A PEDAGOGIA EMPRESARIAL E A GESTÃO ESTRATÉGICA NA EMPRESA Luciano Matos Nobre1 Autor Universidade Tiradentes nobre_matos_luciano@yahoo.com.br Marisa Marchi Uchôa Espindola2 Co-autora Universidade Tiradentes

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

Importância da normalização para as Micro e Pequenas Empresas 1. Normas só são importantes para as grandes empresas...

Importância da normalização para as Micro e Pequenas Empresas 1. Normas só são importantes para as grandes empresas... APRESENTAÇÃO O incremento da competitividade é um fator decisivo para a maior inserção das Micro e Pequenas Empresas (MPE), em mercados externos cada vez mais globalizados. Internamente, as MPE estão inseridas

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS FARMÁCIAS COM MANIPULAÇÃO DE SOBRAL-CE

UTILIZAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS FARMÁCIAS COM MANIPULAÇÃO DE SOBRAL-CE UTILIZAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS FARMÁCIAS COM MANIPULAÇÃO DE SOBRAL-CE Ana Gizele Araújo Sousa 1 Resumo: O objetivo principal desta pesquisa é analisar como a utilização

Leia mais

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA 1 TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA Alan Nogueira de Carvalho 1 Sônia Sousa Almeida Rodrigues 2 Resumo Diversas entidades possuem necessidades e interesses de negociações em vendas, e através desses

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: São José do Rio Pardo Código: 150 Município: São José do Rio Pardo Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível

Leia mais

Marketing não Sobrevive sem Endomarketing

Marketing não Sobrevive sem Endomarketing Marketing não Sobrevive sem Endomarketing Um ótimo serviço pode se tornar ruim se os funcionários não confiam em si mesmos. Uma endoentrevista sobre endomarketing. Troquemos de lugar! O título é, sem dúvida,

Leia mais

Módulo 6. O Produto. 6.1. Conceito de produto

Módulo 6. O Produto. 6.1. Conceito de produto Módulo 6. O Produto Para os consumidores a existência de uma multiplicidade de produtos expostos no mercado, cheio de características e adicionais, é de encher os olhos. A livre concorrência possibilita

Leia mais

1. Motivação para o sucesso (Ânsia de trabalhar bem ou de se avaliar por uma norma de excelência)

1. Motivação para o sucesso (Ânsia de trabalhar bem ou de se avaliar por uma norma de excelência) SEREI UM EMPREENDEDOR? Este questionário pretende estimular a sua reflexão sobre a sua chama empreendedora. A seguir encontrará algumas questões que poderão servir de parâmetro para a sua auto avaliação

Leia mais

Bens duráveis: duram muito tempo como, por exemplo, casas, carros, etc.

Bens duráveis: duram muito tempo como, por exemplo, casas, carros, etc. A3 - Produto e Preço O que é produto? Produto é o conjunto de benefícios que satisfaz o desejo e/ou a necessidade do consumidor, pelo qual ele está predisposto a pagar em função da sua disponibilidade

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

2 DESENVOLVIMENTO DO PLANO 2.1 MISSÃO:

2 DESENVOLVIMENTO DO PLANO 2.1 MISSÃO: RESUMO O presente trabalho constitui em uma elaboração de um Plano de Marketing para a empresa Ateliê Delivery da Cerveja com o objetivo de facilitar a compra de bebidas para os consumidores trazendo conforto

Leia mais

AS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DO MARKETING PESSOAL EMPREGADAS PELO MERCADO

AS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DO MARKETING PESSOAL EMPREGADAS PELO MERCADO AS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DO MARKETING PESSOAL EMPREGADAS PELO MERCADO No mundo globalizado e competitivo em que vivemos, surgem novas necessidades tanto para o consumidor como para as empresas, saber

Leia mais

A relação entre os canais de atendimento e a satisfação dos clientes: estudo de caso na agência alfa em São Bento do Una - PE

A relação entre os canais de atendimento e a satisfação dos clientes: estudo de caso na agência alfa em São Bento do Una - PE A relação entre os canais de atendimento e a satisfação dos clientes: estudo de caso na agência alfa em São Bento do Una - PE Lucyanno Moreira Cardoso de Holanda (FAVIP/UNESC) lucyanno@gmail.com Thayanne

Leia mais

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL: A CONDUTA DO INDIVÍDUO RESUMO

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL: A CONDUTA DO INDIVÍDUO RESUMO 1 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL: A CONDUTA DO INDIVÍDUO ALCALDE, Elisângela de Aguiar 1 MARIANO, Rosiane da Conceição 2 SANTOS, Nathália Ribeiro dos SANTOS, Rosilei Ferreira dos SANTOS, Sirene José Barbosa

Leia mais

Marketing de Relacionamento e Fidelização na Empresa Via Sul Automóveis

Marketing de Relacionamento e Fidelização na Empresa Via Sul Automóveis Marketing de Relacionamento e Fidelização na Empresa Via Sul Automóveis Danielle Cajueiro de Oliveira, Especialista em Comunicação Social pela ESURP, MBA de Gestão de Marketing e Vendas do CEDEPE, prestando

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE

MENSAGEM DO PRESIDENTE Ética para viver Ética para viver MENSAGEM DO PRESIDENTE Caro colaborador, A Bandeirante possui missão, visão e valores definidos. Eles estão discriminados em um documento amplamente difundido dentro e

Leia mais

O PAPEL DA LOGÍSTICA NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS

O PAPEL DA LOGÍSTICA NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS 190 O PAPEL DA LOGÍSTICA NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS Douglas Fernandes, Josélia Galiciano Pedro, Daryane dos Santos Coutinho, Diego Trevisan de Vasconcelos, Regiane

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS COMERCIAL E MARKETING

MANUAL DE PROCEDIMENTOS COMERCIAL E MARKETING MANUAL DE PROCEDIMENTOS COMERCIAL E MARKETING Tenha seu próprio negócio no segmento que mais cresce no Brasil! SUMÁRIO Definições... 4 1. Ações Comerciais Conceito... 4 2. Ações de Marketing Conceito...

Leia mais

Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO

Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO OBJETIVOS Definir com maior precisão o que é marketing; Demonstrar as diferenças existentes entre marketing externo, marketing interno e marketing de treinamento;

Leia mais

MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG

MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG Wemerton Luis EVANGELISTA()*; Franciele Ribeiro DA COSTA (2). () Professor do Curso Superior de Tecnologia em Administração: Pequenas e

Leia mais