Encontro com a Imprensa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Encontro com a Imprensa"

Transcrição

1 Encontro com a Imprensa TÍTULO Maio/2011

2 Acionistas

3 Diretoria Antônio José de Mattos Patrício Júnior Diretor Comercial 49 anos, Casado a 26 anos e pai de 2 filhos (24 e 23 anos) Formação: MBA Gestão Portuária USP Universidade de São Paulo São Paulo/Brasil EDP Executive Develpment Plan IMD - Suiça Gerenciamento de Terminais - Lloyds Maritime Academy - Londres/Inglaterra Ciências Náuticas - Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante Rio de Janeiro/Brasil Experiência profissional: Há 28 anos ocupando cargos de Diretorias, Comandos e Gerencias em Terminais de Contêineres no Brasil e no exterior, Empresas privadas e Navios da Marinha Mercante Brasileira. Formado na Escola de Formação de Oficias da Marinha Mercante em 1983 com carreira toda dedicada a Navegação e Logística no Brasil e no exterior. Embarcado durante 11 anos em Navios e Rebocadores de Alto mar com viagens para mais de 100 portos no mundo. Em 1995 começou a sua carreira em terra como Vessel planner dos Navios da Empresa de Navegação Aliança. Em 1997 Assumiu a Gerencia Operacional da Empresa Americana e segunda maior Empresa de Containers do mundo, Sealand Service em seu escritório Regional América do Sul em Campinas, passando em 1999 a Diretor de Operações. Durante este período desenvolveu vários projetos logísticos e Operacionais relativos a melhoramento das operações e custos dos Navios da Sealand na América do Sul. Em 1999 após a aquisição da Sealand Service passou a trabalhar para a Maersk Sealand (1ra Armadora Mundial de Containers ) no escritório Regional da América do Sul como Gerente de Operações e planejamento para o Caribe e América do Sul. Em 2002 foi convidado designado para abrir uma entidade estivadora no Porto do Pecém, sendo responsável pela abertura da empresa desde seu dia 01 com total responsabilidade em todas as áreas da Empresa. Em 2004 foi convidado e aceitou a transferência para Jordânia para ser o CEO do APM Terminal s Jordânia(pertencente ao grupo AP Moller Maersk). Durante 2 anos exerceu este cargo sendo responsável pelo cumprimento do acordo de concessão assinado com o Reino da Jordânia. Em 2006 com sucesso após o após o termino do contrato inicial ocupou o cargo de 1ro CEO Chief Executive Office do Terminal de Contêineres de Aqaba, uma Joint venture entre o APM Terminals Internacional e o Reino da Jordânia, concessão esta de anos. No mesmo ano foi agraciado pessoalmente pelo Rei Abdullah com a cidadania Jordaniana, referenda esta que poucos estrangeiros receberam de sua Majestade. Após 5 anos na Jordânia foi promovido a Chief Commercial Officer para toda Região da América do Sul e Caribe nos escritórios Regional no Panamá e no Brasil. Foi responsável por toda parte de marketing e tratamento contratual com os maiores clientes do APM Terminals na Região e autoridades afim. Durante este período também atuou em 4 conselhos administrativos com Diretor efetivo; do Teconvi, da Ceara Terminal Operator CTO, do APM Terminals Jamaica e do APM Terminals Buenos Aires. Também representou o APM Terminals como Conselheiro do CAP do Porto de Itajaí e Conselheiro da ABRATEC (Associação Brasileira de Terminais de Contêineres) até Durante o ano de 2010 atuou como Diretor / Empresário e Consultor da TLC Transporti Logística e Consultoria. Estando envolvido com o consorcio vencedor do processo de venda do TCP em Paranaguá, além de estar a frente de uma empresa de transporte altamente rentável. Além dessas atividades também esteve em varias conferencias do ramos como speaker, entre elas a Itajai Trade Summit e TOC Américas 2010 entre outras no estrangeiro. Em 2010 aceitou o convite para ser o novo Diretor Comercial do Porto de Itapoá. Idiomas: inglês fluente / Espanhol (conversação e leitura) Histórico profissional TLC Transporti Logística e Consultoria Diretor Superintendente - 1 ano APM Terminals - Regional CCO Chief Comercial Officer Diretor Comercial Regional (caribe e América do Sul) Panamá/Brasil - 2 anos APM Terminals - CEO- Chief Executive Office Diretor Superintendente Aqaba Container Terminal ACT Jordânia 3 anos APM Terminals - CEO- Chief Executive Office Diretor Superintendente APM Terminals Jordan - Jordânia 2 anos Maersk Brasil CTO (Ceara Terminal Operator Diretor Superintendente - 2 anos Maersk South América Gerente de Operações e Coordenação - 3 anos Sealand Service do Brasil Diretor / Gerente de Operações e Coordenação 2 anos

4 Diretoria Márcio Guiot Braga Martins Pereira Diretor de Operações Casado, 2 filhos, 34 anos Formação: MBA Executivo Empresarial FDC Fundação Dom Cabral MG (Em curso) EDP Executive Develpment Plan IMD - Suiça Gerenciamento de Terminais - Curso de 2 anos Ministrado pela Lloyds Maritime - Inglaterra Ciências da Náuticas - Oficial de Marinha Mercante Centro de Instrução Almirante Graça Aranha RJ Experiência profissional: Há 7 anos ocupando cargos de diretoria em Terminais de Contêineres no Brasil. Em 2000, mudou-se para Buenos Aires para trabalhar no primeiro Terminal de Contêineres do Grupo A.P Moller Maersk. Nesse mesmo ano, iniciou o curso de graduação (Magnum) em gestão de Terminais de Contêineres ( ), promovido pelo grupo APMM, tendo o Lloyds Maritime como responsável acadêmico. Em Buenos Aires, ajudou na transição de uma empresa de gestão familiar para um modelo de gestão internacional. Além disso, atuou como superusuário do Sistema Operacional (Navis), sendo responsável pela implementação do mesmo. Em 2002 voltou para o Brasil para assumir a Gerência Operacional da CTO, empresa de Operação Portuária do grupo APMM, sediada no Porto do Pecém/CE. Participou da implementação e starup da operação. Em 2004 assumiu a Direção da empresa, onde permaneceu até o final de Em 2006 mudou-se para Itajaí para assumir a Direção do Teconvi, joint venture entre APMM (50%), Cattallini Terminais (30%) e Marcon Despachos Aduaneiros (20%). Nessa ocasião atuou como Conselheiro do CAP do Porto de Itajaí, Diretor do OGMO (Órgão Gestor de Mão-de-obra), Membro do Conselho de Supervisão, Diretor do SINDOPIN (Sindicato dos Operadores Portuários de Itajaí e Navegantes) e Conselheiro da ABRATEC (Associação Brasileira de Terminais de Contêineres). O Teconvi era responsável por toda a movimentação de contêineres de Itajaí, chegando da movimentar 36mil contêineres por mês. Em 2008 desligou-se do grupo APMM e iniciou atividade como Consultor em Assuntos Portuários. Principais projetos de atuação: Embraport, Itapoá e TCBUEN (Buenaventura Colômbia). Na Embraport ficou como consultor exclusivo entre agosto/08 fevereiro/09. Em Fevereiro de 2009, assumiu a Direção Operacional do Terminal na Libra em Santos. Responsável por toda a operação do Terminal da Libra Santos, segundo maior terminal de contêineres do Brasil em movimentação, com uma equipe operacional de aproximadamente 700 funcionários. Em Outubro de 2010 foi promovido a Diretor Geral da unidade Santos. Em Dezembro do mesmo ano, desligou-se do Grupo Libra para integrar a equipe do Porto Itapoá como Diretor de Operações. Idiomas: inglês fluente / Espanhol (conversação e leitura) Histórico profissional Libra Terminais Santos Diretor de Operações (2 anos) Consultor Independente 1 ano APM Terminals - Teconvi (JV 50% APMT / 50% Parceiros Locais )- Diretor Superintendente (2 anos) Maersk Brasil CTO (Ceara Terminal Operator Gerente de Operações (1,5 anos) / Diretor Superintendente (1,5 anos) Maersk South America (Buenos Aires) Terminal 4 (JV 70% Maersk - 30% Parceiro Local)- Assistente Diretor Geral / Superusuário Navis (2 anos) Maersk South America sede em São Paulo Vessel Stowage Coordinator (9 meses) Fertimport - Rio de Janeiro Assistente Operacional (1,8 meses) Aliança Navegação Oficial de Marinha Mercante 2 Piloto (10 meses)

5 Diretoria André Romero Castro Diretor Financeiro 40 anos, Casado, um filho. Formação: Pós MBA Kellog School of Management / NorthWestern University Illinois - USA MBA Gestão de negócios FDC Fundação Dom Cabral MG Contabilidade Faculdade Moraes Jr RJ Experiência Profissional: Mais de 15 anos de experiência em auditoria, consultoria na emissão de títulos no mercado internacional, administração de Investimentos corporativos, planejamento estratégico e administração de projetos em vários segmentos econômicos. Ingressou na PricewaterhouseCoopers em 1991, onde prestou serviços de auditoria e consultoria para grandes empresas como Petrobras, Cia Vale do Rio Doce, Eletrobras, Odebrecht S.A., Club Med do Brasil, IRB-Instituto de Resseguros do Brasil, Unibanco, Unipar Quimica, Grupo Brascan, dentre outras. O último grande projeto que participou na PwC foi o lançamento das ações da Petrobras (IPO) na NYSE - Bolsa de Valores de Nova York, na valor de US$ 4 Bilhões, na época o maior IPO da história. Em 2000 ingressou na Brasil Telecom, onde participou do projeto especial de lançamento de ações do grupo no mercado norte-americano. Em 2001 ingressou na Organização Odebrecht, onde foi responsável pela consolidação dos negócios internacionais da Construtora Norberto Odebrecht S.A. (CNO) de 2001 até Nesse ano, passou a responder pelas áreas financeira e comercial de investimentos da CNO em Angola, no ramo de diamantes, a Sociedade de Desenvolvimento Mineiro de Angola SARL SDM. Em 2006 assumiu a responsabilidade por investimentos e finanças da Reserva do Paiva, no Estado de Pernambuco, desenvolvido pela Odebrecht Realizações Imobiliárias S.A., com o principal desafio da estruturação da parceria público privada (PPP) viária da Praia do Paiva. Com a efetivação da PPP, em 2008 foi nomeado diretor da Via Parque SA, concessão para implantar e operar a ponte pedagiada de acesso a Paria do Paiva, acumulando a gestão de finanças/planejamento de todo o destino Reserva do Paiva. A partir de 2011 assumiu a diretoria financeira do Porto de Itapoá S.A. com a responsabilidade de estruturar o inicia das operações do mais moderno porto privado do país. Idiomas: inglês fluente / Espanhol (conversação e leitura) Histórico profissional: Via Parque S.A. (Odebrecht Group) 2 anos Odebrecht Realizações S.A. (Odebrecht Group) 2 anos SDM Angola (Odebrecht Group) 2 anos Construtora Norberto Odebrecht S.A (Odebrecht Group) 3 anos Brasil Telecom S.A.- 1 ano Pricewaterhouse Coopers - 10 ano

6 Fases do Projeto Pátio Conteiners Fase Capacidade Área (TEUs/Ano) (000 m²) Ponte 2 Fase 2 Alargamento do Cais Fase 3 Área Manobra - Fase 2 Fase 4 Ponte 1 Fase 1 Fase 4 Alargamento do Cais Fase 2 Pier Fase 1

7 Projeto Etapa ,00m² Dry Box (6-40 ) 950 mil boxes Etapa ,00m² Dry Box (6-40 ) 600 mil boxes Etapa inicial ,00m² Dry Box (6-40 ) Reefer Box (5-40 ) 315 mil boxes Área para os Prédios de Apoio ,00m²; Área a ser Construída 9 mil m²

8 Uso e Ocupação Área Industrial Armazéns/câmaras SC-415-A, avenida de acesso Pátio contêineres cheios/vazios Expansão pátio contêineres Área de apoio retroportuário com mais de 12 milhões de m², definida no Plano Diretor do Município e aprovada pela Câmara Municipal, conforme Lei Complementar 021/2008 de 20 de maio de 2008.

9 Acesso Rodoviário SC 415 Obra em execução com recursos do Estado (trecho azul);

10 Rodovia SC 415 Obra em execução com recursos do Estado; Valor da Obra orçado em R$ 39,78 milhões;

11 Rodovia SC 415- Fotos de Março e Abril/2011

12 Rodovia SC 415- Fotos de Março e Abril/2011

13 Rodovia SC 415- Fotos de Março e Abril/2011

14 Acesso Provisório

15 Trânsito de caminhões por dentro da cidade de Itapoá entre Maio 2011 e Dezembro Com trânsito de containers vazios. Definiçao % mai/11 jun/11 jul/11 ago/11 set/11 out/11 nov/11 dez/11 NAVIOS Total de containers movimentados no Porto por mês Total de containers de Importação - para fora da cidade 17% Total de containers de Exportação - para dentro da cidade 19% Total de containers de Vazios - Para terminais no Barreiro e/ou ficarao no Porto 33% Total de containers de Transbordo - ficarao no porto para reembarque 31% Total de caminhoes por mes (Impo+Expo) 69% Fator de correçao devido a termos 2 containers de 20' em cima de 1 caminhão em alguma viagens 75% Caminhoes em transito por dia Viagens de caminhoes por dia (ida & volta ao porto) Viagens de caminhoes por hora (ida & volta ao porto) Viagens de caminhoes por minuto (ida & volta ao porto) 0,0 0,0 0,1 0,1 0,1 0,2 0,2 0,3

16 Trânsito de caminhões por dentro da cidade de Itapoá entre Maio 2011 e Dezembro 2011 Sem trânsito de containers vazios. Definiçao % mai/11 jun/11 jul/11 ago/11 set/11 out/11 nov/11 dez/11 NAVIOS Total de containers movimentados no Porto por mês Total de containers de Importação - para fora da cidade 17% Total de containers de Exportação - para dentro da cidade 19% Total de containers de Vazios - Para terminais no Barreiro e/ou ficarao no Porto 33% Total de containers de Transbordo - ficarao no porto para reembarque 31% Total de caminhoes por mes (Impo+Expo) 36% Fator de correçao devido a termos 2 containers de 20 em cima de 1 caminhao em alguma viagens 75% Caminhoes em transito por dia Viagens de caminhoes por dia (ida & volta ao porto) Viagens de caminhoes por hora (ida & volta ao porto) Viagens de caminhoes por minuto (ida & volta ao porto) 0,0 0,0 0,0 0,1 0,1 0,1 0,1 0,2

17 Investimentos Investimentos (total): R$ 475 milhões No Porto Obras civis infra estrutura: R$ 220 milhões Equipamentos: R$ 90 milhões Edificações: R$ 20 milhões Tecnologia e Sistemas: R$ 10 milhões Infra Estrutura Obras de acesso da Estrada da Jaca: R$ 16 milhões Linha de Transmissão de Energia: R$ 6,5 milhões Subestação de alta tensão de 138 kv: R$ 7 milhões

18 O Porto em Números Cais: 630 metros de comprimento e 43 de largura Profundidade natural: 16 metros Berços de atracação: 2 para navios Post-Panamax (9.000 TEU s) Ponte de acesso: 230 metros Retroárea: 136 mil m² Área administrativa e edificações de apoio: 9 mil m² Gates de acesso: 6 Tomadas reefers: 1.380

19 Compromissos do Porto referente ao Acesso - Acesso de Caráter Provisório - 8km de Ciclovias - Pavimentação do Acesso Utilizado - Análise de Impacto do Acesso (Inclusive na Estrada Cornelsen) - Educação para o Trânsito

20 Compromissos já executados pelo Porto - Empregos Diretos Quadro atual (junho/2011) = mais de 300 colaboradores (60% de Itapoá); - Empregos Indiretos Aproximadamente empregos da área retro portuária e comércio local; - TECON Cidadão / Programa Adolescente Aprendiz - Receita Municipal Previsão de arrecadação de R$ 3 milhões no primeiro ano de operação; - Energia Elétrica Investimentos de R$ 8 milhões na linha de transmissão de 138 kv - Estrada da Jaca Asfaltamento da Estrada da Jaca - Programa de Educação Ambiental Programa de Comunicação e Conscientização Ambiental nas Escolas Municipais; - Urbanização da orla Acompanhamento da Operação Portuária pela Comunidade, proteção e paisagismo da Figueira do Pontal; - Academia ao ar livre, Capela da Figueira e Apoio aos Projetos Locais

21 Evolução do Quadro de Colaboradores status mai/ colaboradores * Distribuição dos Colaboradores, por residência Itapoá...80,7% Joinville...4,4% Outras cidades...14,9% (Curitiba, Garuva, SFS, etc..) * 48 Em processo de seleção e admissão Observação: Efetivo, sem estagiários e Tecon Cidadão.

22 Faixa Etária e Gênero status mai/ colaboradores 30% 25% 20% 17% 26% 23% 16% 17% 15% 10% 5% 0% Feminino 12% Idade média = 33 anos Masculino 88%

23 Escolaridade status mai/ colaboradores 60% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 4% 24% 11% 0% Ens. Fundamental Ens. Médio Ens. Superior Pós-Graduação

24 Recrutamento e Seleção Total de CVs no site: Mais de 20 mil (abril/2011) Avaliados: Em torno de 8 mil Compareceram presencialmente em processos seletivos: mais de 3 mil pessoas Joinville e Região Itapoá Paranaguá e Região Vale do Itajaí Curitiba Outras Regiões

25 Proposta de Ações a Serem Avaliadas para o 2º Semestre Programa de Sustentabilidade Sustentabilidade Econômica: - Empreendedorismo - Educação Financeira - Turismo e Gastronomia - Sustentabilidade Ambiental: - Educação Ambiental - Programa Praia Limpa - Sustentabilidade Social: - Educação para o Trânsito - Programa Adolescente Aprendiz - PROERD Programa Resistência às Drogas - DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis), AIDS e Métodos Contraceptivos - Programa de Dependência Química (Tabagismo e outras)

26

27

28 TÍTULO Contatos: Obrigado!

Fazendo a diferença para sempre fazer melhor

Fazendo a diferença para sempre fazer melhor Fazendo a diferença para sempre fazer melhor Acionistas 60% 40% Portinvest 70% 30% Diretoria Presidente - CEO Patrício Júnior Diretor de Operações Márcio Guiot Diretor Comercial Marcus Harwardt Diretor

Leia mais

Sec. XIX Porta de entrada dos imigrantes e comércio fluvial. 2001-1905 Primeiro estudos técnicos 1914 Construção do molhe sul 1938 Primeiro trecho do

Sec. XIX Porta de entrada dos imigrantes e comércio fluvial. 2001-1905 Primeiro estudos técnicos 1914 Construção do molhe sul 1938 Primeiro trecho do Sec. XIX Porta de entrada dos imigrantes e comércio fluvial. 2001-1905 Primeiro estudos técnicos 1914 Construção do molhe sul 1938 Primeiro trecho do cais (233m) 1950/56 Complementação do cais (total 703m)

Leia mais

SENADO FEDERAL COMISSÃO DE SERVIÇOS E INFRA-ESTRUTURA. NELSON CARLINI +55 21 2272.9594 bra.ncarlini@cma-cgm.com

SENADO FEDERAL COMISSÃO DE SERVIÇOS E INFRA-ESTRUTURA. NELSON CARLINI +55 21 2272.9594 bra.ncarlini@cma-cgm.com SENADO FEDERAL COMISSÃO DE SERVIÇOS E INFRA-ESTRUTURA NELSON CARLINI +55 21 2272.9594 bra.ncarlini@cma-cgm.com Agenda Introdução Mercado Brasileiro de containeres. Principais limitações nos Portos Brasileiros.

Leia mais

VI Congresso Brasileiro do Algodão Uberlândia MG. Panorama: Logística Portuária

VI Congresso Brasileiro do Algodão Uberlândia MG. Panorama: Logística Portuária VI Congresso Brasileiro do Algodão Uberlândia MG Panorama: Logística Portuária Bacharel em Comércio Exterior pela Unicenp (Curitiba/PR) Rodrigo FONSECA rodrigo.fonseca@tcp.com.br +55 41 3420.3334 +55 41

Leia mais

Portos públicos sob gestão privada promovem comércio exterior e abertura da economia ABRATEC

Portos públicos sob gestão privada promovem comércio exterior e abertura da economia ABRATEC SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS COMISÃO DE SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E TURISMO Portos públicos sob gestão privada promovem comércio exterior e abertura

Leia mais

30º Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2011

30º Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2011 30º Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2011 Rio de Janeiro, 18 e 19 de Agosto de 2011 Reflexos das Concessões de Terminais Públicos e Privativos Juarez Moraes e Silva Presidente do Conselho Associação

Leia mais

COMUS. RSE / Março 2011

COMUS. RSE / Março 2011 COMUS RSE / Março 2011 1 História da Hamburg Süd Fundada em 1871 por um consórcio de onze comerciantes hamburgueses, a empresa se desenvolveu a partir de uma companhia de navegação convencional em uma

Leia mais

. Conceituação da Região. . A Formação do Porto. . A Engenharia no Porto de Itajaí. . O Desenvolvimento Regional

. Conceituação da Região. . A Formação do Porto. . A Engenharia no Porto de Itajaí. . O Desenvolvimento Regional . Conceituação da Região. A Formação do Porto. A Engenharia no Porto de Itajaí. O Desenvolvimento Regional Estrategicamente localizado em um dos principais entroncamentos rodoviários do Sul do Brasil.

Leia mais

Comercialização de grãos. Frota fluvial. Geração. Terminal flutuante. Terminal. Grupo André Maggi. Fundação André Maggi. Originação.

Comercialização de grãos. Frota fluvial. Geração. Terminal flutuante. Terminal. Grupo André Maggi. Fundação André Maggi. Originação. Grupo André Maggi Comercialização de grãos Divisão Agro Energia Navegação Originação Processamento Frota fluvial Soja Geração Exportação Terminal Milho Algodão Terminal flutuante Fundação André Maggi Geração

Leia mais

TERMINAIS DE CONTÊINERES O que fazem pelo Brasil. Investimentos: US$ 615,4 milhões. Resultado: Eficiência, Competitividade e Confiabilidade

TERMINAIS DE CONTÊINERES O que fazem pelo Brasil. Investimentos: US$ 615,4 milhões. Resultado: Eficiência, Competitividade e Confiabilidade TERMINAIS DE CONTÊINERES O que fazem pelo Brasil. Investimentos: US$ 615,4 milhões. Resultado: Eficiência, Competitividade e Confiabilidade O Cenário O contêiner passou a ser o principal meio de transporte

Leia mais

SUAPE COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO

SUAPE COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO SUAPE COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS SUAPE Movimentação de Cargas Complexo Industrial Portuário Movimentação de Cargas TECON Suape Novo Terminal de Containers Localização Privilegiada

Leia mais

Logística Integrada na Prestação de Serviços de Cabotagem De Porto-a-Porto a Porta-a-Porta

Logística Integrada na Prestação de Serviços de Cabotagem De Porto-a-Porto a Porta-a-Porta Logística Integrada na Prestação de Serviços de Cabotagem De Porto-a-Porto a Porta-a-Porta Renata de Oliveira Carvalho. Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Negócios da Universidade

Leia mais

Diferenciais Competitivos do Porto do Rio Grande

Diferenciais Competitivos do Porto do Rio Grande Diferenciais Competitivos do Porto do Rio Grande Fórum de Infraestrutura e Logística do RS Nov/2009 Eng. Darci Tartari Divisão de Planejamento Localização do Porto do Rio Grande no Conesul São Francisco

Leia mais

Reunião APIMEC - 3T15 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279

Reunião APIMEC - 3T15 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279 Reunião APIMEC - 3T15 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279 Ressalvas sobre considerações futuras As afirmações contidas neste documento quanto a perspectivas de negócios para a Santos Brasil Participações

Leia mais

TRANSPORTES EDIÇÃO DEZEMBRO DE 2013 EDIÇÃO Nº 11 / Nº NOVEMBRO 12

TRANSPORTES EDIÇÃO DEZEMBRO DE 2013 EDIÇÃO Nº 11 / Nº NOVEMBRO 12 EDIÇÃO RIO EDIÇÃO Nº 11 / Nº NOVEMBRO 12 LOPES / DEZEMBRO 2012 DE 2012 TRANSPORTES EDIÇÃO DEZEMBRO DE 2013 Mudanças do Porto Seco de São Cristóvão (EADI-DAP) Aeroporto do Galeão é arrematado RIO LOPES

Leia mais

SEPETIBA TECON. VISÃO GERAL Localização estratégica Ficha técnica/ Equipamento One-Stop-Shop

SEPETIBA TECON. VISÃO GERAL Localização estratégica Ficha técnica/ Equipamento One-Stop-Shop SEPETIBA TECON MAIS DO QUE UM PORTO, UM PARCEIRO LOGÍSTICO VISÃO GERAL Localização estratégica Ficha técnica/ Equipamento One-Stop-Shop INFRAESTRUTURA/ ACESSOS Rodoviário Ferroviário Marítimo Linhas de

Leia mais

Formação e Capacitação de Pessoas na Infraero

Formação e Capacitação de Pessoas na Infraero Formação e Capacitação de Pessoas na Infraero Desafios, Necessidades e Perspectivas da Formação e Capacitação de Recursos Humanos na Área Aeronáutica (Senado Federal Comissão de Serviços de Infraestrutura)

Leia mais

Logística Maritima Brasileira. Nelson Carlini Setembro 2007

Logística Maritima Brasileira. Nelson Carlini Setembro 2007 Logística Maritima Brasileira Nelson Carlini Setembro 2007 Agenda 1. Evolução do volume de Contêineres no Brasil. 2. Aspectos Operacionais. 3. Custos para o Armador e para a Carga. 4. Intermodalidade.

Leia mais

6. Terminais Dedicados

6. Terminais Dedicados 6. Terminais Dedicados 6.1. Viáveis no caso brasileiro? Com base no que já foi exposto, cabe ainda outra discussão que cada vez mais está presente para armadores e operadores portuários. Existe real vantagem

Leia mais

Modernização portuária impulsiona comércio exterior. Richard Klien

Modernização portuária impulsiona comércio exterior. Richard Klien Modernização portuária impulsiona comércio exterior Richard Klien Modernização portuária impulsiona comércio exterior 1. Programa de modernização portuária 2. Operadores privados alavancam portos públicos

Leia mais

A Modernização dos Portos Brasileiros para a Copa do Mundo de 2014

A Modernização dos Portos Brasileiros para a Copa do Mundo de 2014 A Modernização dos Portos Brasileiros para a Copa do Mundo de 2014 TIAGO PEREIRA LIMA Diretor da ANTAQ Rio de Janeiro, 29 de setembro de 2010 A ANTAQ E A ESTRUTURA DO ESTADO UNIÃO Poder Executivo ANTAQ

Leia mais

4/11/2010 MODERNIZAÇÃO E EXPANSÃO DO TERMINAL ATÉ 2016 1

4/11/2010 MODERNIZAÇÃO E EXPANSÃO DO TERMINAL ATÉ 2016 1 MODERNIZAÇÃO E EXPANSÃO DO TERMINAL ATÉ 2016 1 AQUISIÇÃO DE 01 SCANNER MAIOR EFICIÊNCIA E SEGURANÇA NO PROCESSO DE INSPEÇÃO DOS CONTEINERS. VALOR ESTIMADO: R$ 7,0 MILHÕES BLOCO DE UTILIDADES E SERVIÇOS

Leia mais

Renato Ferreira Barco

Renato Ferreira Barco 27/08/2013 OS PROBLEMAS LOGÍSTICOS DO PORTO DE SANTOS E SOLUÇÕES A CURTO, MÉDIO E LONGO PRAZO Renato Ferreira Barco DIRETOR PRESIDENTE 34 35 36 38 39 42 43 48 53 60 68 72 76 80,7 81,1 83,2 96 97,2 104,5

Leia mais

A T R E S ASSOCIAÇÃO DO TERMINAIS PORTUÁRIOS E RETROPORTUÁRIOS E DOS USUÁRIOS DOS PORTOS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. www.atres.org.

A T R E S ASSOCIAÇÃO DO TERMINAIS PORTUÁRIOS E RETROPORTUÁRIOS E DOS USUÁRIOS DOS PORTOS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. www.atres.org. A T R E S ASSOCIAÇÃO DO TERMINAIS PORTUÁRIOS E RETROPORTUÁRIOS E DOS USUÁRIOS DOS PORTOS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO A ATRES - Associação dos Terminais Retroportuários, Portuários e dos Usuários dos Portos

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Apresentação da Empresa 1 Perfil Empresarial 2 Marcos empresariais 3 Escritórios 4 Organização 5 Produtos 6 Filosofia 7 Diferenciais 8 Clientes e parceiros 9 Serviços realizados

Leia mais

O DESAFIO BRASILEIRO

O DESAFIO BRASILEIRO O DESAFIO BRASILEIRO 1 Principais desafios do comércio mundial para o Brasil O comércio global brasileiro por meio de contêineres principal motor para a globalização do país está crescendo cerca de 4%

Leia mais

Logística e Infra-estrutura

Logística e Infra-estrutura Siderurgia Mineração Cimento Logística e Infra-estrutura CSN apresenta Plataforma Logística CSN em Itaguaí Plataforma Logística CSN em Itaguaí Um projeto alinhado às necessidades do Brasil Plataforma Logística

Leia mais

Porto de Fortaleza. O desenvolvimento do Ceará passa por aqui

Porto de Fortaleza. O desenvolvimento do Ceará passa por aqui Porto de Fortaleza O desenvolvimento do Ceará passa por aqui O Porto de Fortaleza: porto de múltiplo uso Navios de Carga Geral / Navios Roll-on e Roll-off Navios Porta-Contêineres Navios de Passageiros

Leia mais

GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES PORTO DE SANTOS A PORTA DO BRASIL. Março/2004

GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES PORTO DE SANTOS A PORTA DO BRASIL. Março/2004 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES GOVERNO FEDERAL PORTO DE SANTOS A PORTA DO BRASIL Março/2004 PORTO DE SANTOS Localização dos Terminais Derivados Petróleo Autos Inflam. Papel Margem Esquerda Contêineres. Trigo

Leia mais

Hermasa e o Corredor Noroeste de Exportação de Grãos

Hermasa e o Corredor Noroeste de Exportação de Grãos Hermasa e o Corredor Noroeste de Exportação de Grãos Grupo André Maggi Comercialização de grãos Divisão Agro Energia Navegação Fundação André Maggi Originação Processamento Exportação Soja Milho Geração

Leia mais

A Empresa. Missão. Visão. Valores

A Empresa. Missão. Visão. Valores A Empresa Com um know-how de 10 anos de excelência em Treinamento Transcultural e Linguístico, a CTL tem se especializado em Comunicação Corporativa e Relações Internacionais e oferece uma variedade de

Leia mais

Odebrecht TransPort assume operação do Galeão

Odebrecht TransPort assume operação do Galeão nº 338 agosto 2014 Odebrecht TransPort assume operação do Galeão Odebrecht 70 anos: trajetória em aeroportos Novos serviços para usuários-clientes de água e esgoto Rota do Oeste deve investir R$5,5 bilhões

Leia mais

PORTO DE SÃO FRANCISCO DO SUL

PORTO DE SÃO FRANCISCO DO SUL HISTÓRICO ESTADO DE SANTA CATARINA PORTO DE SÃO FRANCISCO DO SUL A história do Porto de São Francisco do Sul teve inicio em dezembro de 1912, quando a Companhia Estrada de Ferro São Paulo - Rio Grande

Leia mais

Comercialização de grãos. Frota fluvial. Geração. Terminal flutuante. Terminal. Grupo André Maggi. Fundação André Maggi. Originação.

Comercialização de grãos. Frota fluvial. Geração. Terminal flutuante. Terminal. Grupo André Maggi. Fundação André Maggi. Originação. Grupo André Maggi Comercialização de grãos Divisão Agro Energia Navegação Originação Processamento Frota fluvial Soja Geração Exportação Terminal Milho Algodão Terminal flutuante Fundação André Maggi Geração

Leia mais

Pós-graduação MBA em Administração e Marketing

Pós-graduação MBA em Administração e Marketing 1 Ascensão Acadêmica Pós-Graduação alavanca sucesso na carreira profissional Pesquisa coordenada pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em 2010, indica que as pessoas que não

Leia mais

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS Vigência: 15/03/2014 a 14/03/2015 ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS OPERAÇÃO PORTUÁRIA - Tarifas devidas pelo armador, agente de navegação ou requisitante - A. OPERAÇÃO

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS EDITORIAL: Caros Leitores, TRIBUNAL MARÍTIMO TM Justiça e Segurança para Navegação 80 Anos a Serviço da Comunidade Marítima Brasileira Biblioteca Almirante Adalberto Nunes Centro de Conhecimento em Direito

Leia mais

Lista dos Consultores e Especialistas

Lista dos Consultores e Especialistas Lista dos Consultores e Especialistas Álvaro José Lopes da Nova - especialista em faltas e avarias, licenciado pelo IICL ocupando o cargo de supervisor de operações na Empresa Santos Brasil Tecon, maior

Leia mais

Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura

Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura Presidência da República Secretaria de Portos Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura 29 de junho de 2010 Subsecretário de Planejamento

Leia mais

PESQUISA CNT DA NAVEGAÇÃO INTERIOR 2013

PESQUISA CNT DA NAVEGAÇÃO INTERIOR 2013 PESQUISA CNT DA NAVEGAÇÃO INTERIOR 2013 Considerando o potencial de expansão do transporte hidroviário, a sua importância para o desenvolvimento econômico, social e ambiental do Brasil e a necessidade

Leia mais

REVITALIZAÇÃO DO CAIS COMERCIAL DO PORTO DE VITÓRIA

REVITALIZAÇÃO DO CAIS COMERCIAL DO PORTO DE VITÓRIA REVITALIZAÇÃO DO CAIS COMERCIAL DO PORTO DE VITÓRIA O projeto de revitalização do Porto de Vitória é uma obra do Plano de Aceleração do Crescimento PAC e complementa os projetos de Ampliação do Cais Comercial,

Leia mais

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL Seminário: Terminais, Ferrovias e Contêineres Maio/2009 A Empresa Nossa Atuação Logística de Minério de Ferro Transporte, manuseio e armazenagem de minério de ferro e pelotas

Leia mais

ESTRATÉGIA PARA A FORMAÇÃO MARÍTIMO-PORTUÁRIA NO ESPAÇO APLOP. Prof. Eng. Dea, Msc. Adalmir José de Souza

ESTRATÉGIA PARA A FORMAÇÃO MARÍTIMO-PORTUÁRIA NO ESPAÇO APLOP. Prof. Eng. Dea, Msc. Adalmir José de Souza ESTRATÉGIA PARA A FORMAÇÃO MARÍTIMO-PORTUÁRIA NO ESPAÇO APLOP Prof. Eng. Dea, Msc. Adalmir José de Souza CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Especialização APRESENTAÇÃO O curso tem como objetivo

Leia mais

Portos Brasileiros: Diagnósticos, Políticas e Perspectivas

Portos Brasileiros: Diagnósticos, Políticas e Perspectivas Portos Brasileiros: Diagnósticos, Políticas e Perspectivas Congresso Internacional NAVEGAR 2010 Carlos Campos Neto Carlos.campos@ipea.gov.br Porto Alegre, agosto de 2010 2/33 Sumário Diagnóstico Marco

Leia mais

Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013

Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013 Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013 Gerente de Relações Institucionais Marcio Mendonça Cruz Revitalização Revitalização da da indústria indústria

Leia mais

CONCESSÕES, GESTÃO OPERACIONAL E TECNOLOGIA PARA PORTOS E TERMINAIS

CONCESSÕES, GESTÃO OPERACIONAL E TECNOLOGIA PARA PORTOS E TERMINAIS 4ª edição CONCESSÕES, GESTÃO OPERACIONAL E TECNOLOGIA PARA PORTOS E TERMINAIS 5 DE MARÇO 2013 - NOVOTEL SANTOS DUMONT RIO DE JANEIRO Concessões de Terminais Investimentos no setor Tecnologia Regulação

Leia mais

Yusen Logistics do Brazil. Supply Chain Solutions

Yusen Logistics do Brazil. Supply Chain Solutions Yusen Logistics do Brazil Supply Chain Solutions Yusen Logistics Group NYK A YUSEN LOGISTICS é uma empresa do Grupo NYK (fundada em Tóquio em 1885), que atua na gestão do fluxo de bens, serviços e informações

Leia mais

Congestionamento de Porto + Desembaraço + Infraestrutura = Impacto no Custo Brasil Fabiana Nakai, Gerente de Soluções para Clientes, Automotivo

Congestionamento de Porto + Desembaraço + Infraestrutura = Impacto no Custo Brasil Fabiana Nakai, Gerente de Soluções para Clientes, Automotivo Congestionamento de Porto + Desembaraço + Infraestrutura = Impacto no Custo Brasil Fabiana Nakai, Gerente de Soluções para Clientes, Automotivo Outubro, 2013 UTi Provedor de Soluções Logísticas Financeiro

Leia mais

A Infra-estrutura e os Desafios Logísticos das Exportações Brasileiras

A Infra-estrutura e os Desafios Logísticos das Exportações Brasileiras A Infra-estrutura e os Desafios Logísticos das Exportações Brasileiras P. Fernando Fleury Um dos principais efeitos do processo de globalização que vem afetando a grande maioria das nações, é o aumento

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer Técnico n.º 06358/2005/RJ COGAM/SEAE/MF 13 de setembro de 2005 Referência: Ofício n 4168/2005/SDE/GAB Assunto: ATO DE CONCENTRAÇÃO n.º

Leia mais

O TURISMO MARÍTIMO SOB A PERSPECTIVA DA ANTAQ. Giovanni Cavalcanti Paiva Ilhabela, 29 de março de 2010

O TURISMO MARÍTIMO SOB A PERSPECTIVA DA ANTAQ. Giovanni Cavalcanti Paiva Ilhabela, 29 de março de 2010 O TURISMO MARÍTIMO SOB A PERSPECTIVA DA ANTAQ Giovanni Cavalcanti Paiva Ilhabela, 29 de março de 2010 Navegação Interior Navegação Marítima e Apoio Portuário Esfera de atuação ANTAQ Terminal Privativo

Leia mais

Investimentos do Governo Federal nos Portos do Brasil e o Plano Nacional de Logística Portuária

Investimentos do Governo Federal nos Portos do Brasil e o Plano Nacional de Logística Portuária Secretaria de Portos da Presidência da República Investimentos do Governo Federal nos Portos do Brasil e o Plano Nacional de Logística Portuária Ministro Leônidas Cristino São Luiz, abril 2011 AGENDA:

Leia mais

WILLIAM DEN HARTOG 38 anos Holandês Casado 1 Filho

WILLIAM DEN HARTOG 38 anos Holandês Casado 1 Filho WILLIAM DEN HARTOG 38 anos Holandês Casado 1 Filho Tel. 98202-0143 (celular) / 3853-0734 (residencial) E-mail: hartog.william@yahoo.com.br Objetivo Síndico Profissional Formação Acadêmica Graduação: Administração

Leia mais

POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL

POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL SOBRE LOG-IN BENEFÍCIOS MONITORAMENTO 24HS DAS CARGAS Monitoramento de risco e informação de todas as viagens; INTERMODALIDADE

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Av. Paulista -SP Eco s Natureza Clube- SP UP Residence Macaé (RJ) Porto Pinheiros- SP Terraço Empresarial Jd Sul - SP Set Cabral -Curitiba Connect Campos de Goytacazes(RJ) In

Leia mais

O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira

O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira Mauro Dias Diretor-Presidente 1 Seminário Cabotagem Brasileira Agosto 2009 Mercado de Cabotagem de Contêineres O mercado de contêineres

Leia mais

SENADO FEDERAL Gabinete do Senador ALOYSIO NUNES FERREIRA RELATÓRIO

SENADO FEDERAL Gabinete do Senador ALOYSIO NUNES FERREIRA RELATÓRIO RELATÓRIO Da COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL, sobre a Mensagem nº 93, de 2011 (Mensagem nº 212, de 17/06/2011, na origem), da Presidente da República, que submete à apreciação do Senado

Leia mais

EVOLUÇÃO DO CUSTO PORTUÁRIO BRASILEIRO Janeiro de 2009 a Junho de 2013

EVOLUÇÃO DO CUSTO PORTUÁRIO BRASILEIRO Janeiro de 2009 a Junho de 2013 EVOLUÇÃO DO CUSTO PORTUÁRIO BRASILEIRO Janeiro de 2009 a Junho de 2013 GILBERTO LUIZ DO AMARAL JOÃO ELOI OLENIKE LETÍCIA MARY FERNANDES DO AMARAL 28 de agosto de 2013. 1 EVOLUÇÃO DO CUSTO PORTUÁRIO BRASILEIRO

Leia mais

SISTEMAS DE TRANSPORTES TT046

SISTEMAS DE TRANSPORTES TT046 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT046 Prof. Eduardo Ratton Prof. Garrone Reck Prof a. Gilza Fernandes Blasi Prof. Jorge Tiago Bastos Prof a. Márcia de

Leia mais

AEROPORTO INTERNACIONAL DE CABO FRIO UMA NOVA OPÇÃO LOGÍSTICA

AEROPORTO INTERNACIONAL DE CABO FRIO UMA NOVA OPÇÃO LOGÍSTICA AEROPORTO INTERNACIONAL DE CABO FRIO UMA NOVA OPÇÃO LOGÍSTICA Conferência Internacional sobre Capital Privado em Aeroportos FIESP / CIESP 23/Abril/2009 A Costa da Sol Operadora Aeroportuária S.A. é uma

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS ENSINO PROFISSIONAL MARÍTIMO

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS ENSINO PROFISSIONAL MARÍTIMO MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS ENSINO PROFISSIONAL MARÍTIMO CURSO DE TÉCNICAS DE OPERAÇÕES EM TERMINAIS DE CONTÊINERS SIGLA: CTOTC SINOPSE GERAL DO CURSO DURAÇÃO: 3,5 SEMANAS CARGA HORÁRIA

Leia mais

Navegação de Cabotagem no Brasil. João Guilherme Araujo. Novembro/2013

Navegação de Cabotagem no Brasil. João Guilherme Araujo. Novembro/2013 Navegação de Cabotagem no Brasil João Guilherme Araujo Novembro/2013 Agenda Porque falar de Cabotagem? Cabotagem no Brasil Pontos Favoráveis e Desfavoráveis Números da Cabotagem no Brasil Cabotagem de

Leia mais

TARIFA DO PORTO DE SUAPE

TARIFA DO PORTO DE SUAPE SUAPE COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO TARIFA DO PORTO DE SUAPE Homologada pela RESOLUÇÃO Nº 4.091, DE 7 DE MAIO DE 2015 (D.O.U. de 08.05.15) TABELA 1 UTILIZAÇÃO DA INFRAESTRUTURA MARÍTIMA (Taxas devidas

Leia mais

Pós - Graduação Internacional em Administração

Pós - Graduação Internacional em Administração PÓS - GRADUAÇÃO INTERNACIONAL Pós - Graduação Internacional em Administração 22 a 31 de agosto de 2014 Coordenação Acadêmica: Prof. Pedro Carvalho de Mello Convênio.................... 3 Apresentação...................

Leia mais

PDG Realty ingressa no mercado imobiliário argentino, adquirindo

PDG Realty ingressa no mercado imobiliário argentino, adquirindo PDG Realty ingressa no mercado imobiliário argentino, adquirindo participação i na TGLT Relações com Investidores: Michel Wurman Diretor Vice-Presidente Financeiro e de RI João Mallet Gerente Financeiro

Leia mais

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios A importância da economia paulista transcende as fronteiras brasileiras. O Estado é uma das regiões mais desenvolvidas de toda a América

Leia mais

INFORME INFRA-ESTRUTURA ÁREA DE PROJETOS DE INFRA-ESTRUTURA JANEIRO/98 Nº 18

INFORME INFRA-ESTRUTURA ÁREA DE PROJETOS DE INFRA-ESTRUTURA JANEIRO/98 Nº 18 INFORME INFRA-ESTRUTURA ÁREA DE PROJETOS DE INFRA-ESTRUTURA JANEIRO/98 Nº 18 Privatização dos Portos Os principais portos brasileiros foram construídos sob o regime de concessão privada monopolista por

Leia mais

ANALISTA CONTÁBIL (AUDITORIA).

ANALISTA CONTÁBIL (AUDITORIA). VAGA DE EMPREGO ANALISTA CONTÁBIL (AUDITORIA). Local: Belo Horizonte/ MG. Formação: Ciências Contábeis. Descrição: Desejável MBS (auditoria / controla Doria); Experiência consolidação de balanços, atendimento

Leia mais

SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE COMERCIAL DE CARGA DO LITORAL PAULISTA SINDISAN

SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE COMERCIAL DE CARGA DO LITORAL PAULISTA SINDISAN Proposta para Aumento de Eficiência Logística: DEPOTS 24 HORAS SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE COMERCIAL DE CARGA DO LITORAL PAULISTA SINDISAN OBJETIVOS MODELO ATUAL Terminais operando em média de

Leia mais

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio CBA Comércio Internacional Comércio Internacional A intensidade das relações comerciais e produtivas das empresas no atual contexto econômico tem exigido das empresas um melhor entendimento da complexidade

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

Fundada em 29 de novembro de 1976, a ABTTC congregava empresas que atuavam no seguimento de transporte rodoviário de contêineres Passados 33 anos, a

Fundada em 29 de novembro de 1976, a ABTTC congregava empresas que atuavam no seguimento de transporte rodoviário de contêineres Passados 33 anos, a Fundada em 29 de novembro de 1976, a ABTTC congregava empresas que atuavam no seguimento de transporte rodoviário de contêineres Passados 33 anos, a ABTTC representa um grupo de empresas e profissionais

Leia mais

Banif Banco de Investimento S.A. Oportunidades de Investimento nos Portos Brasileiros

Banif Banco de Investimento S.A. Oportunidades de Investimento nos Portos Brasileiros Banif Banco de Investimento S.A. Oportunidades de Investimento nos Portos Brasileiros Fernando Antonio Brito Fialho Agência Nacional de Transportes Aquaviários Diretor Geral São Paulo, 16 de junho de 2009

Leia mais

Portos e Hidrovias. Extensão da costa brasileira: 7.400 Km. Extensão hidroviária 47.882 Km. Fonte: DNIT

Portos e Hidrovias. Extensão da costa brasileira: 7.400 Km. Extensão hidroviária 47.882 Km. Fonte: DNIT 1 Portos e Hidrovias Extensão da costa brasileira: 7.400 Km Extensão hidroviária 47.882 Km Fonte: DNIT 2 Ferrovias Extensão da malha ferroviária: 29.283 Km Fonte: DNIT 3 Rodovias Extensão da malha rodoviária:

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CET-FAESA

APRESENTAÇÃO DO CET-FAESA APRESENTAÇÃO DO CET-FAESA A FAESA, com atuação na área de ensino há mais de 40 anos, fundou em 2004 a Faculdade de Tecnologia FAESA, CET-FAESA, que há 10 anos oferece graduações Tecnológicas de forma pioneira

Leia mais

Portos 2021. Avaliação de Demanda e Capacidade do Segmento Portuário de Contêineres no Brasil

Portos 2021. Avaliação de Demanda e Capacidade do Segmento Portuário de Contêineres no Brasil Portos 2021 Avaliação de Demanda e Capacidade do Segmento Portuário de Contêineres no Brasil Portos 2021 Avaliação de Demanda e Capacidade do Segmento Portuário de Contêineres no Brasil 1 Agenda Portos

Leia mais

Universidade Corporativa do Transporte PROGRAMAS DE CAPACITAÇÃO

Universidade Corporativa do Transporte PROGRAMAS DE CAPACITAÇÃO Universidade Corporativa do Transporte PROGRAMAS DE CAPACITAÇÃO SISTEMA FETRANSPOR Federação das Empresas de Transporte de Passageiros Transporte por ônibus urbanos, intermunicipais, turismo e fretamento

Leia mais

O PAPEL DA MATRIZ DE TRANSPORTES DE CARGAS NA EFICIÊNCIA DA CADEIA DE LOGÍSTICA DO ESTADO DE SÃO PAULO

O PAPEL DA MATRIZ DE TRANSPORTES DE CARGAS NA EFICIÊNCIA DA CADEIA DE LOGÍSTICA DO ESTADO DE SÃO PAULO Agência Nacional de Transportes Aquaviários O PAPEL DA MATRIZ DE TRANSPORTES DE CARGAS NA EFICIÊNCIA DA CADEIA DE LOGÍSTICA DO ESTADO DE SÃO PAULO FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO FIESP

Leia mais

23 DE NOVEMBRO DE 2010

23 DE NOVEMBRO DE 2010 Reunião APIMEC - MG 23 DE NOVEMBRO DE 2010 ECORODOVIAS ESTRUTURA SOCIETÁRIA A EcoRodovias é uma das maiores empresas de infraestrutura logística integrada do Brasil, cujo foco é operar ativos de logística

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DO COMÉRCIO EXTERIOR ENAEX 2013. Painel V: Oportunidades e Mercados Promissores no Comércio Internacional de Serviços

ENCONTRO NACIONAL DO COMÉRCIO EXTERIOR ENAEX 2013. Painel V: Oportunidades e Mercados Promissores no Comércio Internacional de Serviços ENCONTRO NACIONAL DO COMÉRCIO EXTERIOR ENAEX 2013 Painel V: Oportunidades e Mercados Promissores no Comércio Internacional de Serviços EVOLUÇÃO DA EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE SERVIÇOS (US$ bilhões) 36,4

Leia mais

2015 GC8 do Brasil Todos Direitos Reservados All Rights Reserved www.gc8.us. Expandindo Fronteiras

2015 GC8 do Brasil Todos Direitos Reservados All Rights Reserved www.gc8.us. Expandindo Fronteiras 2015 GC8 do Brasil Todos Direitos Reservados All Rights Reserved www.gc8.us Expandindo Fronteiras GC8 do Basil 1. Quem somos 2. Diferencial 3. Onde Atuamos 4. Internacionalização 5. O que fazemos 6. Entre

Leia mais

Gestão de Pessoas. Formação, desenvolvimento e qualificação de profissionais na PricewaterhouseCoopers* *connectedthinking

Gestão de Pessoas. Formação, desenvolvimento e qualificação de profissionais na PricewaterhouseCoopers* *connectedthinking Gestão de Pessoas Formação, desenvolvimento e qualificação de profissionais na * *connectedthinking Gestão de Pessoas Quem somos e o que fazemos Slide 2 Gestão de Pessoas Presença no Mundo Mais de 140.000

Leia mais

PORTO ORGANIZADO DE PORTO VELHO TARIFA PORTUÁRIA VIGÊNCIA: 07/05/2015.

PORTO ORGANIZADO DE PORTO VELHO TARIFA PORTUÁRIA VIGÊNCIA: 07/05/2015. 1 SOCIEDADE DE PORTOS E HIDROVIAS DO PORTO ORGANIZADO DE PORTO VELHO TARIFA PORTUÁRIA VIGÊNCIA: 07/05/2015. RESOLUÇÃO Nº 4.093-ANTAQ, DE 07/05/2015. (ANTAQ-Agência Nacional de Transportes Aquaviário) PORTO

Leia mais

Lições aprendidas durante a realização de um grande projeto com final feliz na Wilson, Sons

Lições aprendidas durante a realização de um grande projeto com final feliz na Wilson, Sons Lições aprendidas durante a realização de um grande projeto com final feliz na Wilson, Sons A Wilson Sons Quem Somos? Um dos maiores operadores de serviços portuários, marítimos e logísticos terrestres

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes. A Melhoria da Estrutura Portuária

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes. A Melhoria da Estrutura Portuária MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes A Melhoria da Estrutura Portuária AGENDA PORTOS Coordenação das ações de governo, na Câmara de Política de Infra-estrutura,

Leia mais

Legislação de Cabotagem no Brasil: oportunidades e entraves para a indústria de construção naval. São Paulo, 23 de outubro de 2007

Legislação de Cabotagem no Brasil: oportunidades e entraves para a indústria de construção naval. São Paulo, 23 de outubro de 2007 Legislação de Cabotagem no Brasil: oportunidades e entraves para a indústria de construção naval São Paulo, 23 de outubro de 2007 O transporte por cabotagem cresce solidamente no Brasil Milhões de Toneladas

Leia mais

Logística integrada promove competitividade

Logística integrada promove competitividade Logística integrada promove competitividade São Luís, Maranhão 30 de novembro de 2011 Andreas Klien andreas@klien.net Link para esta apresentação: http://bit.ly/uesfwf 1. Breve histórico 2. Multiterminais

Leia mais

CADASTRO DE VISTORIA

CADASTRO DE VISTORIA 01 - Empresa: COMPANHIA VALE DO RIO DOCE - CVRD 02 - Endereço da Sede (Rua, Avenida, etc) Avenida Dante Micheline 04 - Complemento: Ponta de Tubarão 08 - CEP: 29090-900 11 CNPJ/MF: (Sede) 33 592 510 /

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

Profissionais Portugueses no Brasil. Empresas Familiares

Profissionais Portugueses no Brasil. Empresas Familiares Profissionais Portugueses no Brasil Empresas Familiares Tópicos Abordados As Gerações e o Mercado de Trabalho Empresas Familiares no Brasil Cenário Brasileiro e Estatísticas de Emprego no Brasil Características

Leia mais

CBA PERFIL DO ALUNO. Certification in Business Administration

CBA PERFIL DO ALUNO. Certification in Business Administration CBA Pós - Graduação QUEM SOMOS PARA PESSOAS QUE TÊM COMO OBJETIVO DE VIDA ATUAR LOCAL E GLOBALMENTE, SER EMPREENDEDORAS, CONECTADAS E BEM POSICIONADAS NO MERCADO, PROPORCIONAMOS UMA FORMAÇÃO DE EXCELÊNCIA,

Leia mais

Fazendo a diferença para sempre fazer melhor

Fazendo a diferença para sempre fazer melhor II CONGRESSO INTERNACIONAL DE DESEMPENHO PORTUÁRIO Desafios de Implantação e Gestão de um Porto Privado Uma experiência nacional e internacional Florianópolis, 4 de outubro de 2015 PATRÍCIO JUNIOR - Presidente

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia Universidade Estácio de Sá Turismo, Hotelaria e Gastronomia A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE DO POLO INDUSTRIAL DE CUBATÃO. Marco Paulo Penna Cabral Effectio, associada a Fundação Dom Cabral na Baixada Santista

O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE DO POLO INDUSTRIAL DE CUBATÃO. Marco Paulo Penna Cabral Effectio, associada a Fundação Dom Cabral na Baixada Santista O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE DO POLO INDUSTRIAL DE CUBATÃO Marco Paulo Penna Cabral Effectio, associada a Fundação Dom Cabral na Baixada Santista NA BAIXADA SANTISTA E ALTO TIETÊ Conheça a Fundação Dom

Leia mais

R I O G R A N D E S. A.

R I O G R A N D E S. A. ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS A. UTILIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES DE ACOSTAGEM (CAIS/DEFENSAS) A.1. Ocupação do cais de acostagem por embarcação, incluindo serviços de atracação, desatracação e uso de defensas.

Leia mais

ATRIBUTOS DE DESEMPENHO DA OPERAÇÃO DE CABOTAGEM - UM ESTUDO NO TERMINAL PRIVATIVO EM MANAUS - AM

ATRIBUTOS DE DESEMPENHO DA OPERAÇÃO DE CABOTAGEM - UM ESTUDO NO TERMINAL PRIVATIVO EM MANAUS - AM XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público

Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público nº 345 novembro 2014 Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público Odebrecht 70 anos: histórico e perspectivas em Óleo e Gás Foz Saneatins passa a se chamar Odebrecht Ambiental Saneatins

Leia mais

O PAPEL DOS AGENTES FINANCIADORES NO APOIO AOS PROJETOS DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS

O PAPEL DOS AGENTES FINANCIADORES NO APOIO AOS PROJETOS DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS O PAPEL DOS AGENTES FINANCIADORES NO APOIO AOS PROJETOS DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS AGENDA 1. PERFIL OPERACIONAL DO BANCO DO NORDESTE DO BRASIL 2. PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS NO BNB Principais Atividades

Leia mais