Organização. Gold Sponsor. Silver Sponsor. Bronze Sponsor. Other Sponsors. Apoios Institucionais ORDEM DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Organização. Gold Sponsor. Silver Sponsor. Bronze Sponsor. Other Sponsors. Apoios Institucionais ORDEM DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS"

Transcrição

1

2 Organização Gold Sponsor ORDEM DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS Silver Sponsor Bronze Sponsor Other Sponsors Apoios Institucionais

3 ÍNDICE Mensagem de Amândio Santos Mensagem de Manuela Vaz Velho Comissão Organizadora e Comissão Científica Enquadramento Programa Resumo das Apresentações e Nota Biográfica dos Oradores Sessão 1: Inovação na Comunicação Sessão 2: Inovação & Sustentabilidade Sessão 3: Inovação & Consumidor Sessão 4: Inovação no Produto Sessão 5: Inovação Tecnológica Sessão 6: Gestão da Inovação PortugalFoods Normex Ordem dos Engenheiros Técnicos Stratia Cvtrans Viagens Abreu BPI Brandit

4 Mensagem de Amândio Santos Com a aproximação do penta aniversário da PortugalFoods, é com muito orgulho que vemos surgir a 1ª iniciativa CITAI&Brokerage. Estas jornadas são mais um passo na consolidação da missão da PortugalFoods, no cumprimento do seu desígnio da promoção da competitividade pelo aumento do índice tecnológico e inovação. Na PortugalFoods, a abordagem à inovação não se extingue em si só, não é um início nem um fim. É sim um meio para servir outros propósitos, aqueles que verdadeiramente aportam valor a internacionalização dos produtos, das empresas, dos saberes e do conhecimento. Para concretizar este objetivo servimo-nos da inovação em todas as suas dimensões. A CITAI permite atingir a partilha de experiências e ideias da comunicação ao produto, cruzando com a tecnologia e a sustentabilidade, passando pelo consumidor e pela gestão da inovação. A PortugalFoods pretende ainda que esta seja uma iniciativa a replicar, que cria pontes, lança cabos e solta amarras. Ambicionamos sempre atingir destinos mais longínquos, como tão bem outros souberam fazer, com audácia e astúcia e acima de tudo, com criação de valor. É isto que queremos! Amândio Santos Presidente do Conselho de Administração da PortugalFoods 4 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE

5 Mensagem de Manuela Vaz Velho Bem-vindos à CITAI A 1ª Conferência Internacional - Tecnologia Agroalimentar e Inovação (CITAI) & Brokerage tem como principais objetivos mostrar, fomentar e fortalecer a articulação entre quatro agentes essenciais, que podemos designar como a quadrupla hélice: empresas, produtores de conhecimento, entidades governamentais e utilizadores/consumidores. A CITAI não é uma conferência meramente científica que cobre os habituais circuitos de difusão da investigação na área da ciência e tecnologia alimentares, mas pretende ser um espaço alargado onde os agentes envolvidos poderão interagir partilhando as experiências e sucessos de empresários e investigadores da diáspora portuguesa no mundo do agroalimentar, visando a obtenção de propostas concretas que permitam exercer ações a curto e a médio prazo em prol do desenvolvimento do setor agroalimentar português. Porque a inovação, em todas as suas dimensões, é um ponto de interseção entre as empresas e as instituições produtoras de conhecimentos, e ambas devem ser consideradas sócias do mesmo nível na promoção da inovação e no regime de política industrial, o tema central da CITAI é a inovação nas vertentes da comunicação, da sustentabilidade, do consumidor, do produto, da tecnologia e da própria gestão dessa inovação. Para além das sessões plenárias subordinadas a cada um desses temas, a CITAI promove reuniões bilaterais entre a indústria e as entidades do sistema científico nacional, aproximando a oferta tecnológica aos interesses da indústria, ambicionando alcançar acordos de cooperação na transferência de tecnologia e de conhecimento. Paralelamente, oferece-se um cenário tecnológico sobre as novas criações de produto e tecnologias nacionais e internacionais desenvolvidas a que os participantes poderão ter acesso. Manuela Vaz Velho Presidente da Comissão Organizadora da 1ª CITAI&Brokerage 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE 5

6 Comissão Organizadora Presidência Diretora da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo e Membro do Conselho de Administração da PortugalFoods Manuela Vaz Velho Equipa Operacional PortugalFoods - Ana Cláudia Cruz PortugalFoods - Catarina Vila Real PortugalFoods - Isabel Braga da Cruz PortugalFoods - Ondina Afonso Instituto Politécnico de Viana de Castelo - Rita Pinheiro Instituto Politécnico de Viana de Castelo - Susana Caldas da Fonseca Comissão Científica Escola Superior de Biotecnologia-Universidade Católica Portuguesa Manuela Pintado Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica Teresa Crespo Instituto Piaget Rui Tomás Instituto Politécnico de Bragança Orlando Rodrigues Instituto Politécnico de Viana do Castelo Manuela Vaz Velho Instituto Superior de Agronomia Universidade Técnica de Lisboa Margarida Moldão Instituto Superior de Engenharia do Porto Cristina Delerue Matos Instituto Superior Técnico - Universidade Técnica de Lisboa Tiago Delgado Domingos Universidade de Aveiro Ivonne Delgadillo Universidade do Minho José António Teixeira Universidade do Porto Jorge Gonçalves Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro António Fontaínhas Fernandes 6 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE

7 Enquadramento A PortugalFoods, enquanto interlocutor e dinamizador do setor agroalimentar português e entidade de referência na interface credível entre o sistema científico e a indústria, está a organizar a 1ª Conferência Internacional-Tecnologia Agroalimentar e Inovação & Brokerage, a realizar-se nos dias 24 e 25 de Outubro de 2013, na Maia (TecMaia). A Conferência Internacional-Tecnologia Agroalimentar e Inovação (CITAI) visa promover um intercâmbio de experiências entre o mundo indústrial e o mundo científico, maioritariamente através da divulgação de casos de sucesso da diáspora portuguesa no âmbito da inovação ao nível da comunicação, da sustentabilidade, do consumidor, do produto, da tecnologia e da gestão da inovação. Pretende-se explorar a diáspora portuguesa, com posições em empresas ou em centros de conhecimento de relevo, de forma a que as intervenções sirvam de exemplo para a indústria nacional, fazendo valer as suas experiências e mostrando case-studies de sucesso que decorrem destas interações. A conferência irá versar sobre seis grandes eixos: Inovação na Comunicação; Inovação & Sustentabilidade; Inovação & Consumidor; Inovação no Produto; Inovação Tecnológica e Gestão da Inovação. Na parte da tarde do dia 25 irá decorrer uma sessão de Brokerage com as Entidades do Sistema Científico Nacional a apresentarem as suas valências. Nesta sessão pretende-se coligir a oferta tecnológica da academia aos interesses da indústria agroalimentar, ambicionando alcançar acordos de cooperação na transferência de tecnologia e de conhecimento. Paralelamente, no decurso da conferência, a PortugalFoods pretende dar oportunidade às empresas de exporem as novas criações de produtos, tecnologias ou serviços a que os participantes poderão ter acesso, durante a vigência do evento e num espaço dedicado. 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE 7

8 Programa 24 de Outubro Quinta 09:00 09:30 REGISTO SESSÃO DE ABERTURA Nuno Vieira de Brito Secretário de Estado Alimentação e Investigação Agroalimentar José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP António Tavares Diretor-Geral do TecMaia Amândio Santos Presidente do Conselho de Administração da PortugalFoods 11:45 SESSÃO 2: INOVAÇÃO & SUSTENTABILIDADE Hélder Muteia Responsável pelo Escritório de Lisboa da FAO Portugal Proteger para Crescer Isabel Lima Investigadora no USDA (United States Department of Agriculture) EUA Transferência de Tecnologias de Sucesso do Laboratório de Investigação até à Indústria Pedro Sousa Responsável Europeu de Qualidade na McDonald s Portugal Boas Práticas Agrícolas e Sustentabilidade João Miranda Presidente do Grupo Frulact e Presidente do Conselho de Administração da PortugalFoods ( ) Manuela Vaz Velho Presidente da Comissão Organizadora da Conferência e Membro do Conselho de Administração da PortugalFoods 10:00 SESSÃO 1: INOVAÇÃO NA COMUNICAÇÃO Daniel Bessa Diretor-Geral da COTEC Portugal O que não se comunica Pedro Pimentel Diretor-Geral da Centromarca Portugal Comunicar a Marca, Permitir a Escolha, Demonstrar a Diferenciação Rui Silva CEO & Creative Director at BBDO Portugal Da informação ao diálogo: desafios e soluções das marcas, no mercado do consumidor-cidadão Sérgio Loureiro Moderador Associate Consultant, Business Development at E.M.Wasylik & Associates EUA 11:15 INTERVALO PARA CAFÉ 13:00 15:00 16:15 16:45 Tiago Domingos Moderador Professor no Instituto Superior Técnico Portugal ALMOÇO SESSÃO 3: INOVAÇÃO & CONSUMIDOR Paulo Peereboom SVP store operations at Albert Heijn, Royal Ahold Holanda Missed opportunities Ana Rute Neves Manager for Strains Department, Innovation, Culture and Enzymes Division at Chr. Hansen A/S Dinamarca Da Universidade à Indústria, um percurso do conhecimento ao consumidor Jaime Silva e Nuno Patrício Promotores do Projeto Nata 28 Londres, Reino Unido We are not in the food business serving people. We are in the people business serving food. Rui Costa Lima Moderador CEO at SenseTest Portugal INTERVALO PARA CAFÉ SESSÃO 4: INOVAÇÃO NO PRODUTO Flor Mansilla Trends & Innovation Consultant at Mintel Reino Unido Innovation & Opportunities: Old Gold and Generation Next Isabel Aidos Category Operations Manager at Danone Holanda Inovação de Produto: Antecipação do Futuro Tiago Brandão Moderador Research & NPD at Unicer S.A. Portugal 8 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE

9 Programa 25 de Outubro Sexta 09:00 SESSÃO 5: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Lília Ahrné Diretora do Departamento de Processo e Desenvolvimento Tecnológico no Swedish Institute for Food and Biotechnology Suécia Produção de alimentos com valor acrescentado 12:30 10:45 Maria José Gallagher Professora do Departamento de Processos e Engenharia Química na University College Cork Irlanda Quality by Design novo paradigma na Indústria Alimentar António Vicente Professor e Investigador no Departamento de Engenharia Biológica da Universidade do Minho Portugal Inovação tecnológica na Indústria Alimentar exemplos da experiência do Departamento de Engenharia Biológica da Universidade do Minho Jorge Saraiva Investigador no Departamento de Química da Universidade de Aveiro Portugal Tecnologia de alta pressão 20 anos de sucesso comercial crescente e potencial futuro José António Teixeira Moderador Professor e Investigador no Departamento de Engenharia Biológica da Universidade do Minho Portugal INTERVALO PARA CAFÉ SESSÃO ENCERRAMENTO Pedro Gonçalves Secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade António Bragança Fernandes Presidente da Câmara da Maia Amândio Santos Presidente do Conselho de Administração da PortugalFoods / Administrador Executivo do Grupo Derovo Ana Raquel Vieira de Castro Membro do Conselho de Administração da PortugalFoods Administradora da Vieira de Castro - Produtos Alimentares S.A. André Oliveira Membro do Conselho de Administração da PortugalFoods Administrador do Grupo PRIMOR António Costa Membro do Conselho de Administração da PortugalFoods Administrador da Novarroz- Produtos Alimentares S.A. João Vieira Membro do Conselho de Administração da PortugalFoods Administrador da Pascoal & Filhos Lda. Manuela Vaz Velho Membro do Conselho de Administração da PortugalFoods Diretora da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do IPVC 11:15 SESSÃO 6: GESTÃO DA INOVAÇÃO Vítor Corado Simões Professor no Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa Portugal Gestão da Inovação: Sete Ideias para a Ação Elena López Colmenero Responsável pela gestão de projetos e formação no CT Lácteo - Aula de Produtos Lácteos na Universidade de Santiago de Compostela Espanha La gestión de la Innovación entre la Universidad y la Industria Jorge Fernandes VP Innovation Program Office at DSM Suíça Construindo uma empresa intrinsecamente inovadora Learning s de uma longa experiência de transformação na DSM Gabriela Pinheiro Moderador Auditora em IDI na APCER Portugal 13:00 15:00 Tim Hogg Membro do Conselho de Administração da PortugalFoods Diretor adjunto da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa ALMOÇO EVENTO DE BROKERAGE 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE 9

10 10 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE

11 RESUMO DAS APRESENTAÇÕES E NOTA BIOGRÁFICA DOS ORADORES 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE 11

12 SESSÃO 01 INOVAÇÃO NA COMUNICAÇÃO Daniel Bessa Diretor-Geral da COTEC Portugal Natural do Porto (1948). Casado. Uma filha. Licenciado e Doutorado em Economia, na FEP e no ISEG, respectivamente. Director-Geral da COTEC Portugal desde Administrador não executivo da Efacec Capital. Presidente do Conselho Fiscal da Bial, da Galp Energia e da Sonae SGPS. Vogal do Conselho de Administração da Fundação Bial. Foi Presidente da Direcção da EGP - University of Porto Business School ( ) e docente da Universidade do Porto ( ). Economista em regime de profissão liberal. 12 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE

13 SESSÃO 01 INOVAÇÃO NA COMUNICAÇÃO O que não se Comunica... É um lugar comum, hoje, chamar-se a atenção para a importância da comunicação. É possível que tenha sido sempre assim. Não sei. Sei, em qualquer caso, que a comunicação se reveste, nas nossas sociedades, de uma importância crucial. O tempo que dedicamos à comunicação social, e a importância da comunicação social na transmissão das nossas mensagens. O alargamento dos mercados, cada vez mais longe do número reduzido de pessoas com quem, dantes, interagíamos, de forma quase pessoal, e directa. O aprofundamento da concorrência, perante a qual temos de fazer valer as nossas vantagens competitivas, junto de potenciais compradores, por vezes a muitos milhares de quilómetros de distância, e de quem sabemos muito pouco. A complexidade crescente das organizações, por vezes integrando milhares de pessoas, colocando desafios cada vez mais exigentes a quem tem a responsabilidade de as liderar e não vejo outra forma de liderar que não seja comunicar, por mais parca em palavras que esta comunicação possa revelar-se, como no caso do exemplo. Houve tempos em que, sobre a inovação, foram produzidos discursos que hoje consideramos muito redutores: o produto, os processos, a tecnologia. Sabemos hoje que não é assim, podendo (e devendo?) a inovação fazer-se sentir na totalidade dos procedimentos, e também nas atitudes e mesmo na cultura de uma organização. E, como em outros aspectos da gestão, não excluo que possa aplicar-se também à inovação a tese de que, com múltiplas componentes, vale, na globalidade, o que valer o seu elo mais fraco. Há, nos processos de inovação, duas componentes em que a comunicação me parece decisiva. A primeira refere-se aos mercados, e à relação com os mercados. Se o nosso produto, acompanhado das mensagens adequadas, não chega ao mercado... A segunda refere-se à liderança, e à forma como esta deve fazer-se sentir em todos os aspectos da organização e do seu funcionamento. Não falta quem pense bem, e tenha a cabeça cheia de boas ideias, de boas iniciativas e de bons projectos, que comunica mal. Um problema insolúvel, enquanto as suas premissas se mantiverem... 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE 13

14 SESSÃO 01 INOVAÇÃO NA COMUNICAÇÃO Pedro Pimentel Diretor-Geral da Centromarca Portugal Licenciado em Economia, pela Faculdade de Economia do Porto, com 47 anos, casado e com duas filhas, iniciou a sua carreira profissional na Portucel, de onde transitou para a Escola Superior de Biotecnologia (UCP), onde, durante cinco anos, assumiu a responsabilidade pelo respectivo Gabinete de Planeamento e Análise de Projectos. De seguida, foi convidado a assumir a direcção-geral da entidade associativa mais representativa do sector de lacticínios em Portugal a ANIL funções que desempenhou entre 1995 e Entre 2011 e 2013, por vontade expressa das empresas associadas, acumulou aquelas funções com as de Presidente de Direcção da Associação, sendo que nesses dezassete anos de ligação ao sector lácteo, assumiu responsabilidades em diferentes entidades como a CIP, a FIPA e a associação europeia do sector, a EDA. Participou também em inúmeros grupos e comissões instituídas pelo Estado ao nível dos Ministérios do Ambiente e da Agricultura. Em Fevereiro passado, foi convidado a assumir a Direcção Geral da CentroMarca Associação Portuguesa de Empresas de Produtos de Marca, uma importante e representativa associação transversal. Nessa qualidade, passou de imediato e por inerência de funções, a integrar os comités de National Associations e Legal Affairs da AIM Association des Industries de Marques, sendo também membro de várias comissões e grupos de trabalho no âmbito dos Ministérios da Agricultura, da Economia e do Ambiente, bem como de órgãos sociais, conselhos consultivos, conselhos científicos e conselhos editoriais de diversas entidades e publicações. É ainda colaborador regular de diversos órgãos de comunicação social económica e especializada. 14 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE

15 SESSÃO 01 INOVAÇÃO NA COMUNICAÇÃO Comunicar a Marca, Permitir a Escolha, Demonstrar a Diferenciação Se na natureza tudo estivesse disponível, se tudo fosse indistinto e se nada possuísse um sinal identificativo, viveríamos num Mundo Sem Marcas No entanto, os produtos não são todos iguais e a reação dos seres humanos também eles intrinsecamente diferentes à respetiva experimentação resulta, mais cedo ou mais tarde, numa diferenciação, a qual motiva uma identificação, fazendo nascer a Marca. Pessoas diferentes percebem a realidade de forma diferente e como tal estabelecem as suas preferências. É fácil verificar que qualquer que seja a categoria, podemos sempre lembrar-nos de uma marca que simbolize os produtos que queremos ou aspiramos, permitindo-nos assim afirmar que As Marcas Dão Sentido aos Produtos. As marcas identificam e representam as possibilidades de escolha dos consumidores entre variantes de um mesmo produto, considerando um sem número de parâmetros que objetivamente caracterizam os produtos físicos - qualidade, preço, durabilidade, propriedades de utilização mas também outras características menos tangíveis: o design, estilos de vida, o status, a ligação a causas Uma marca oferece ao consumidor a capacidade de escolhermos com intenção o produto com que melhor nos identificamos e, de um outro ângulo, oferece ao fabricante a capacidade de cativar a vontade e a imaginação dos seus consumidores As ligações que se estabelecem nos nossos cérebros entre marcas e produtos são fortes e duradouras, desde que as marcas não desiludam a expectativa que construíram com a sua comunicação e a sua experiência de consumo. Há marcas que o fizeram muito rapidamente, outras ao longo de muitas décadas. A capacidade de comunicação instantânea e global que as tecnologias de informação e comunicação hoje permitem, veio, em muitos casos, encurtar o período necessário para a consolidação dessas relações emocionais entre consumidores e produtos. A construção de uma marca é uma tarefa que tem que ser executada de forma persistente e consistente, adaptada à sua envolvente e realizada de forma inovadora, se quiser perdurar no imaginário dos consumidores e como tal na prioridade de acesso às suas carteiras, nunca esquecendo, contudo, que tal como se pode construir rapidamente uma marca, o inverso também se pode verificar e em menos de nada se pode destruir uma reputação que levou anos a criar. 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE 15

16 SESSÃO 01 INOVAÇÃO NA COMUNICAÇÃO Rui Silva CEO & Creative Director at BBDO Portugal Rui Silva, 42 anos de idade, nasci no Porto. Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho. No meu percurso profissional fui Copywriter na Z. Publicidade, e posteriormente Sénior Copywriter na Strat Publicidade e Supervisor criativo da Ogilvy&Mather, onde estive 7 anos. Entrei para BBDO em 2008, tendo assumido a Direção Criativa e dois anos mais tarde, a Direção Criativa Executiva da agência. Ao longo de 16 anos de profissão, tive a honra e o privilégio de trabalhar, criativa e estrategicamente marcas como Mercedes-Benz, BMW, Lexus, Audi, Toyota, Super Bock, Super Bock Abadia, Água de Luso, Expresso, Blitz, CTT, Zon Multimédia, Galp Energia, MTV, WWF, Santander, Turismo de Portugal, Unilever, Nestlé, Azeite Gallo, Oreo, 7up, Pepsico, Delta Cafés, REN ou Banco Espirito Santo. Ao longo do meu percurso fui acumulando mais de meia centena de prémios em festivais nacionais e internacionais, e foi com agrado que vi trabalhos serem distinguidos em certames como os EFFIES, CCP, El Ojo, El Sol de Iberoamerica, FPLP, Cresta, Epica, Eurobest, NYFest, Cannes One Show. Colaborei também com a Universidade do Minho e o IPAM como orador/formador nas licenciaturas e pós- -graduações de Publicidade e Marketing. Atualmente sou Chairman e Chief Creative Officer do Grupo BBDO Portugal. 16 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE

17 SESSÃO 01 INOVAÇÃO NA COMUNICAÇÃO Da informação ao diálogo: desafios e soluções das marcas, no mercado do consumidor-cidadão. A) O Mercado atual 1. A viragem do mercado da comunicação comercial: custo vs benefício e a abordagem a um mundo diferente 2. O mercado da atenção 3. O mercado da relação B) Produto & Marca 1. A narrativa comercial: tática e estratégia 2. Produto e marca, pequena e grande narrativa 3. Media: entoações diferentes de uma só voz 4. Media paga & gratuita: a marca fabricante e a marca cidadã 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE 17

18 SESSÃO 02 INOVAÇÃO & SUSTENTABILIDADE Hélder Muteia Responsável pelo Escritório da FAO Lisboa Hélder Muteia nasceu a 21 de Setembro de 1960 em Quilimane, na província da Zambézia em Moçambique. Concluiu em 1990 a licenciatura em Medicina Veterinária na Universidade Eduardo Mondlane, em Maputo e em 2010 o Mestrado em Economia Agrícola na Universidade de Londres, no Reino Unido. Entre 1994 e 1999 foi membro do Parlamento e Presidente da Comissão de Agricultura, Desenvolvimento Rural e Administração Pública da Assembleia da República Moçambique. Em 1997 tornou-se Diretor Nacional do Centro de Treinamento para Agricultura e Desenvolvimento Rural. Foi depois nomeado em 1998 como Vice-Ministro de Agricultura e Pesca e em 2000 como Ministro da Agricultura e do Desenvolvimento Rural em Moçambique. A sua carreia na FAO inicou-se em 2005 como Representante da FAO na Nigéria e, em 2010, foi nomeado Representante da FAO no Brasil. Em 2013 foi nomeado para dirigir o Escritório da FAO em Lisboa para Portugal e para a CPLP. Hélder Muteia já recebeu dois prémidos: o Golden Ark Award (2001), em reconhecimento pela dedicação à conservação da natureza; e um Diploma de Honra em reconhecimento pela contribuição para a Paz, Democracia, Economia, Desenvolvimento Social e Cultural de Moçambique. Já publicou vários livros e escreveu diversos artigos e crónicas para a imprensa e outros meios de comunicação social. Muitos dos seus trabalhos literários estão incluídos em antologias moçambicanas e estrangeiras. 18 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE

19 SESSÃO 02 INOVAÇÃO & SUSTENTABILIDADE Proteger para Crescer Em 2011 a FAO propôs um novo paradigma de produção agrícola intensiva de alta produtividade e, ao mesmo tempo, sustentável para o meio ambiente. Ao longo da segunda metade do século passado, o desenvolvimento da agricultura com base na utilização intensiva de fatores de produção permitiu aumentar a produção alimentar mundial e o consumo alimentar per capita. No entanto, este modelo afetou os recursos naturais de muitos agroecossistemas, pondo em risco a produtividade futura e contribuindo para o aumento dos gases com efeito de estufa na atmosfera. Além disso, não foi capaz de reduzir significativamente os níveis de fome crónica, que afeta ainda 870 milhões de pessoas em todo o mundo. O desafio passa, então, por encontrar um equilíbrio sustentável entre a produção agrícola e o consumo alimentar. Até 2050 a população mundial deverá crescer de 7 para 9 mil milhões de pessoas, o que vai exigir um aumento de 60% da produção alimentar. Dada a contínua diminuição de terras disponíveis com potencial agrícola, o aumento da oferta alimentar terá de passar por uma maior produtividade das culturas. Este aumento, por sua vez, terá de ser alcançado no contexto de uma maior competição pelos recursos naturais, como o solo e a água, do aumento dos preços do petróleo e dos fertilizantes e dos impactos das alterações climáticas. O novo paradigma da FAO contempla a dimensão da produção na gestão sustentável do sistema alimentar. No essencial, propõe uma Revolução Verde mais verde, através de uma abordagem ecossistémica com base na contribuição da natureza para o desenvolvimento das culturas. Esta agricultura, amiga do ambiente, combina o conhecimento tradicional com as tecnologias modernas, nomeadamente, promovendo a agricultura de conservação, o controlo biológico de pragas e a gestão eficiente da água. Mas a produção alimentar sustentável é apenas uma parte do desafio. Do lado do consumo será necessária uma mudança para dietas alimentares nutritivas com menor pegada ambiental e a redução das perdas e do desperdício. Fundamentalmente, melhorar o sistema agrícola e alimentar é essencial para um mundo com pessoas mais saudáveis e com ecossistemas mais sustentáveis. A agricultura tem, por isso, de produzir mais alimentos com menos recursos. 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE 19

20 SESSÃO 02 INOVAÇÃO & SUSTENTABILIDADE Isabel Lima Investigadora no USDA (United States Department of Agriculture) EUA EDUCATION Ph.D. Food Engineering. University of California, Davis, December Dissertation: Rheological Properties of Fried Foods. Thesis advisor: Dr. R. Paul Singh. Master of Science, Food Engineering. University of California, June Dissertation: Textural Properties of Cooked Rice During Storage. Advisor: Dr. R. Paul Singh. Bachelor of Science, Food Science and Engineering, Escola Superior de Biotecnologia, ESB Universidade Católica Portuguesa, Porto, Portugal, December RESEARCH EXPERIENCE Research Chemist, United States Department of Agriculture (USDA), Agricultural Research Service (ARS), Southern Regional Research Center (SRRC), New Orleans, Louisiana, August 2001 present. Principal investigator (including design, collaboration, implementation, completion and evaluation) on a project involving researching cost-effective environmentally-friendly technologies to convert agricultural residuals to value-added enhanced quality products such as activated carbons and biochars for environmental remediation, soil amendment and bioenergy applications. Generated two patents from the technologies and significant international interest. Master students mentor at Louisiana State University. Post-Doctorate, Research Food Technologist, USDA, ARS, Food Processing and Sensory Quality Research Unit, New Orleans, Louisiana, under the supervision of Dr. Harmeet Guraya, August 1997 July Responsible for the experimental design, research, development and processing optimization of a reduced fat peanut butter of superior quality. Principal investigator on a project leading to the development, technology transfer and successful commercialization of a sunflower-butter product, generating sales in excess of $25M. Final undergraduate project. E.S.B. Development of a low calorie ice cream, Conducted in cooperation with a food industry equipment supplier, Arsopi, Portugal. March 1989 October TEACHING EXPERIENCE Adjunct Associate Professor, Dept Environmental Health Sciences, Tulane University, New Orleans, LA: Co-chaired a Doctoral Dissertation and Masters student and gives regular lectures. Food Chemistry and Food Technology Lecturer, ESB Responsible for selecting and preparing class materials, teaching, grading, supervising laboratory sessions and organizing student field trips. September 1996 April PUBLICATIONS/PRESENTATIONS/AWARDS Isabel Lima has over 100 publications in peer reviewed Journals and abstracts and symposia proceedings for presentations at both national and international conferences as well as universities, several of which as invited speaker. Received numerous prestigious awards including 2003 USDA-SRRC Employee of the Year Award, for Tech Transfer Adoption Award, 2004 Federal Laboratory Consortium National Award for Excellence in Technology, 2004 USDA-ARS Outstanding Tech Transfer Award, 2006 MSA Early Career Scientist Award and the 2011 MSA Outstanding Scientist Award. Principal investigator in three Cooperative Research and Development Agreements with industries. 20 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE

21 SESSÃO 02 INOVAÇÃO & SUSTENTABILIDADE Transferência de Tecnologias de Sucesso do Laboratório de Investigação até à Indústria A missão principal do departamento de agricultura dos Estados Unidos (USDA) envolve a criação de um sistema alimentar competitivo e sustentável, através de investigação, análise e educação integradas. Em particular, o serviço de investigação agrícola é a principal agência científica do USDA responsável por executar ciências aplicadas e básicas para o benefício da indústria agroalimentar e o público em geral. O laboratório de investigação da região sul dos Estados Unidos (SRRC) é um dos laboratórios regionais onde o USDA desenvolve investigação com o objetivo de resolver problemas específicos relacionados com a área agroalimentar dos Estados Unidos. O processo envolve a execução de projetos de investigação que refletem as necessidades atuais das várias indústrias agroalimentares, desde o agricultor até ao produto final transformado a partir da matéria-prima. Os projetos são estabelecidos com intervenção direta desses mesmos clientes, de maneira a que o seu envolvimento seja fomentado desde o início. Estabelece-se um projeto de investigação detalhado com objetivos e metas específicas a atingir. Será feita referência a várias tecnologias de sucesso, resultantes de parcerias entre os vários laboratórios de investigação do USDA com a indústria agroalimentar e universidades. Uma das oportunidades de transferência de sucesso de tecnologias desenvolvidas no laboratório de investigação até à indústria envolveu a criação de uma manteiga de semente de girassol. O laboratório desenvolveu a ideia e toda a parte científica desde o conceito à criação e finalmente manufatura do produto com semelhanças sensoriais à manteiga de amendoim, que é um produto fortemente estabelecido no mercado americano e de grande agrado por parte do consumidor. A produção da manteiga de semente de girassol foi otimizada, desde a escolha de ingredientes, processamento, até à manufatura do produto final utilizando métodos de otimização estatísticos para se determinar uma fórmula de sucesso. Uma vez feito o contacto com uma empresa interessada na tecnologia, estabeleceu-se um acordo de investigação e desenvolvimento o qual permitiu à empresa comercializar o produto desenvolvido no laboratório. A contribuição da empresa que comercializou a tecnologia incluiu um estudo de mercado detalhado do produto, a qual aproveitou o facto do mesmo apresentar uma alternativa não alérgica ao segmento da população alérgica ao amendoim. Na área da sustentabilidade ambiental em particular, decorre um projeto de aproveitamento de resíduos agrícolas e a sua transformação em produtos de valor agregado, nomeadamente carbonos ativados, os quais são utilizados para limpeza de águas residuais. Este projeto visa, sobretudo, ajudar pequenos agricultores e pequenas e médias empresas a encontrar soluções que reduzam o desperdício de perdas pós-colheita tornando algo normalmente rejeitado em produtos com valor acrescentado. Seja qual for a tecnologia, é fundamental que a contribuição de cada uma das partes envolvidas seja claramente definida para a transferência eficiente da tecnologia, onde as áreas de investigação abrangem a avaliação e gestão das cadeias de valor, o desenvolvimento tanto de mercados novos como alternativos, bem como a validação das tecnologias capazes de cumprir os objetivos propostos. 1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TECNOLOGIA AGROALIMENTAR E INOVAÇÃO & BROKERAGE 21

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA 2015 CONSTITUIÇÃO DO JÚRI Joaquim Sérvulo Rodrigues Membro da Direcção da COTEC Portugal, Presidente do Júri; Carlos Brazão Director Sénior de Vendas

Leia mais

ce tec CURSO DE EMPREENDEDORISMO 3ª Edição-Internacional CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA

ce tec CURSO DE EMPREENDEDORISMO 3ª Edição-Internacional CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA ce tec CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA CURSO DE EMPREENDEDORISMO 3ª Edição-Internacional O CEITEC (Centro de Empreendedorismo ISMAI-Tecmaia) apresenta a 3ª edição do Curso em Empreendedorismo,

Leia mais

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa PARCERIA

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa PARCERIA 3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA ORGANIZAÇÃO PARCERIA UMA PUBLICAÇÃO Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa APRESENTAÇÃO Depois de duas edições,

Leia mais

Sandra Maria Fevereiro Marnoto Licenciada em Gestão (1994) e Mestre em Finanças (2001) pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto e é

Sandra Maria Fevereiro Marnoto Licenciada em Gestão (1994) e Mestre em Finanças (2001) pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto e é Célio Alberto Alves Sousa Licenciado em Relações Internacionais, Ramo Ciências Económicas e Políticas, pela Universidade do Minho (1994), pós graduado em Gestão Empresarial (1998) e doutorado em Management

Leia mais

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO CONVÉNIO CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO ÍNDICE FINALIDADE... 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CONSTITUIÇÃO E GOVERNÂNCIA... 4 FINANCIAMENTO... 5 RELATÓRIOS... 5 Ficha de Adesão ao CLUSTER

Leia mais

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa INICIATIVA INSERIDA NA EVENTO 3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA ORGANIZAÇÃO APOIOS UMA PUBLICAÇÃO ALTO PATROCÍNIO Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da

Leia mais

Leader Coach. Creating high performance teams. Lisboa, 25 e 26 de junho de 2013. www.pwc.pt/academy. Academia da PwC

Leader Coach. Creating high performance teams. Lisboa, 25 e 26 de junho de 2013. www.pwc.pt/academy. Academia da PwC www.pwc.pt/academy Creating high performance teams Lisboa, 25 e 26 de junho de 2013 Academia da PwC Um curso onde irá conhecer as melhores práticas de gestão e desenvolvimento e equipas. Creating high

Leia mais

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 3 Hemisfério esquerdo responsável pelo pensamento lógico e pela competência

Leia mais

INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050

INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050 INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050 Lisboa, 26 de Novembro 2009 1. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 2. MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 3. EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO 4. DOUTORAMENTO EM MEIO EMPRESARIAL 5. OPEN

Leia mais

Grant Thornton & Associados SROC, Lda. Apresentação da Firma

Grant Thornton & Associados SROC, Lda. Apresentação da Firma Grant Thornton & Associados SROC, Lda. Apresentação da Firma A nossa competência e experiência e a qualidade dos nossos serviços ao seu serviço A Grant Thornton assenta a sua estratégia no desenvolvimento

Leia mais

Managing Team Performance

Managing Team Performance www.pwc.pt/academy Managing Team Performance Helping you push harder Lisboa, 22 e 24 de abril Academia da PwC Um curso onde irá conhecer as melhores práticas de gestão contínua de performance e de resultados

Leia mais

Realizou-se dia 24 de Março, na Maia, nas instalações da Sonae Learning Center, a 6ª sessão da CoP, desta vez presencial.

Realizou-se dia 24 de Março, na Maia, nas instalações da Sonae Learning Center, a 6ª sessão da CoP, desta vez presencial. CoP de Gestão do Conhecimento Notas da sessão presencial de 24 de Março de 2014 Realizou-se dia 24 de Março, na Maia, nas instalações da Sonae Learning Center, a 6ª sessão da CoP, desta vez presencial.

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020 COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA 2014-2020 18-11-2015 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL, IP-RAM MISSÃO Promover o desenvolvimento, a competitividade e a modernização das empresas

Leia mais

HR Scorecard Linking Strategy, People and Performance

HR Scorecard Linking Strategy, People and Performance www.pwc.pt/academy Linking Strategy, People and Performance Lisboa, 8 e 9 de abril de 2013 Academia da PwC Um curso onde irá conhecer as tendências e melhores práticas de alinhamento da estratégia com

Leia mais

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes)

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes) Processo nº1-project Manager Construction Company Engenheiro Civil para ser Gerente de Projetos - Experiência de 5 anos em empresas relevantes (construção); Alto nível de habilidades organizacionais e

Leia mais

SEMINÁRIO. Observatório da Nutrição e Alimentação em Portugal 1ª Edição. Fundação Calouste Gulbenkian 15:30. 21 de março de 2013

SEMINÁRIO. Observatório da Nutrição e Alimentação em Portugal 1ª Edição. Fundação Calouste Gulbenkian 15:30. 21 de março de 2013 SEMINÁRIO Observatório da Nutrição e Alimentação em Portugal 1ª Edição Fundação Calouste Gulbenkian 15:30 Programa do seminário 15:30 - Receção aos participantes 16:00 - Sessão de Abertura Dr. Helena Ávila

Leia mais

Segurança Alimentar. Pós-Graduação. 45 ECTS // www.esb.ucp.pt

Segurança Alimentar. Pós-Graduação. 45 ECTS // www.esb.ucp.pt Pós-Graduação Segurança Alimentar 45 ECTS // www.esb.ucp.pt Nesta pós-graduação estudam-se os perigos, riscos, metodologias e legislação com que a segurança alimentar é confrontada na atualidade, numa

Leia mais

Training Manager. Certificação PwC. 7, 14 e 21 de março. www.pwc.pt/academy. Academia da PwC

Training Manager. Certificação PwC. 7, 14 e 21 de março. www.pwc.pt/academy. Academia da PwC www.pwc.pt/academy Training Manager Certificação PwC 7, 14 e 21 de março Academia da PwC As empresas líderes analisam quais as competências necessárias para o desempenho dos seus colaboradores, implementam

Leia mais

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA UNIVERSIDADE DO PORTO PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA LITERACIA FINANCEIRA DA U.PORTO Outubro de 2012 Enquadramento do programa na Estratégia Nacional de Formação Financeira Plano Nacional de Formação Financeira

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Desde Janeiro 2006 Responsável pela Unidade de Negócios da Lisboagás para Lisboa e Amadora.

CURRICULUM VITAE. Desde Janeiro 2006 Responsável pela Unidade de Negócios da Lisboagás para Lisboa e Amadora. CURRICULUM VITAE Nome: Nuno Miguel de Campos Matos Vaz Neto Morada: Rua João de Oliveira Miguens, 5-5º C Código Postal e Localidade: 1350-187 Lisboa Nacionalidade: Portuguesa Telefone: +351917765911 E-mail:

Leia mais

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP Soluções integradas para a Indústria do turismo empresarial THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP A equipa da XYM Hospitality e os seus parceiros possuem vastos conhecimentos sobre a

Leia mais

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique. Consolidar o Futuro

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique. Consolidar o Futuro Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique Consolidar o Futuro Abreu Advogados Ferreira Rocha & Associados 2012 PORTUGAL

Leia mais

Daniel Bessa. Foi ministro da Economia, Indústria, Comércio e Turismo(1995-1996).

Daniel Bessa. Foi ministro da Economia, Indústria, Comércio e Turismo(1995-1996). Daniel Bessa Licenciado em Economia pela FEP (1970). Doutorado em Economia pelo Instituto Superior de Economia da Universidade Técnica de Lisboa (1986). Docente da Universidade do Porto: da FEP (1970-1999),

Leia mais

HR Strategic Delivery Model HR as a strategic partner

HR Strategic Delivery Model HR as a strategic partner www.pwc.pt/academy HR Strategic Delivery Model HR as a strategic partner Lisboa, 21 e 22 de março de 2013 Academia da PwC Um curso onde irá conhecer os desafios da função de RH e como se posicionar como

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

JOSE GABRIEL REGO. Resumo. Especializações. Experiência. Assistant Card Manager at Grupo Banco Popular jgrego@netcabo.pt

JOSE GABRIEL REGO. Resumo. Especializações. Experiência. Assistant Card Manager at Grupo Banco Popular jgrego@netcabo.pt JOSE GABRIEL REGO jgrego@netcabo.pt Resumo My main objective is to develop my career in order to deepen the experience I accumulated over the years based in the development of practical and theoretical

Leia mais

BOLSA DO EMPREENDEDORISMO 2015. Sara Medina saramedina@spi.pt. IDI (Inovação, Investigação e Desenvolvimento) - Algumas reflexões

BOLSA DO EMPREENDEDORISMO 2015. Sara Medina saramedina@spi.pt. IDI (Inovação, Investigação e Desenvolvimento) - Algumas reflexões BOLSA DO EMPREENDEDORISMO 2015 INSERIR IMAGEM ESPECÍFICA 1 I. Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) Missão: Apoiar os nossos clientes na gestão de projetos que fomentem a inovação e promovam oportunidades

Leia mais

A EXPERIÊNCIA FALA POR NÓS. geral@qualitividade.pt 800 10 24 20

A EXPERIÊNCIA FALA POR NÓS. geral@qualitividade.pt 800 10 24 20 A EXPERIÊNCIA FALA POR NÓS geral@qualitividade.pt 800 10 24 20 CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2012 Curso GERIR PARA A SUSTENTABILIDADE & COMPETITIVIDADE Curso WAKE UP YOUR SKILLS Conferência A PRÁTICA DA INOVAÇÃO

Leia mais

Capacitação em Valorização de Tecnologias

Capacitação em Valorização de Tecnologias Capacitação em Valorização de Tecnologias Enquadramento No âmbito do projeto INESPO 2 Innovation Network Spain-Portugal, as universidades parceiras propuseram-se dinamizar uma ação de Capacitação em Valorização

Leia mais

B U S I N E S S I M P R O V E M E N T

B U S I N E S S I M P R O V E M E N T BUSINESS IMPROVEMENT A I N D E V E QUEM É A Indeve é uma empresa especializada em Business Improvement, composta por consultores com uma vasta experiência e com um grande conhecimento do mundo empresarial

Leia mais

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS ENCONTRO DA COMISSÃO SECTORIAL PARA A EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO CS/11 ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE APRESENTAÇÃO DO TRABALHO GT2 - Ensino Superior

Leia mais

Health Management Future

Health Management Future 2012 Health Management Future COM O PATROCÍNIO DE O grupo BIAL tem como missão desenvolver, encontrar e fornecer novas soluções terapêuticas na área da Saúde. Fundado em 1924, ao longo dos anos BIAL conquistou

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES

HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES 2011 HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES COM O PATROCÍNIO DE: ÍNDICE A NOSSA PROPOSTA DE VALOR 3 HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES 4 Estrutura e Coordenação 5 Conteúdos e Corpo Docente 6 Introdução: Health Servuction

Leia mais

Almadesign Conceito e Desenvolvimento de Design, Lda.

Almadesign Conceito e Desenvolvimento de Design, Lda. Almadesign Conceito e Desenvolvimento de Design, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A Almadesign Conceito e Desenvolvimento de Design, Lda. é uma empresa com competências nucleares

Leia mais

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental A Nestlé, na qualidade de Companhia líder em Nutrição, Saúde e Bem-Estar, assume o seu objectivo

Leia mais

FrontWave Engenharia e Consultadoria, S.A.

FrontWave Engenharia e Consultadoria, S.A. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa é uma empresa criada em 2001 como spin-off do Instituto Superior Técnico (IST). Desenvolve tecnologias e metodologias de inovação para rentabilizar

Leia mais

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 Vítor Escária CIRIUS ISEG, Universidade de Lisboa e Augusto Mateus & Associados Barreiro, 30/06/2014 Tópicos Enquadramento A Estratégia de Crescimento

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

PÓLO DAS TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO

PÓLO DAS TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO PÓLO DAS TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO 1 CONTEXTO APOSTAS DA INDÚSTRIA TRANSFORMADORA Novos produtos (materiais, design, etc.) Integração de produto + serviço (extended products) Customização Resposta rápida

Leia mais

EEUM Plano de Atividades e Orçamento 2012. Escola de Engenharia

EEUM Plano de Atividades e Orçamento 2012. Escola de Engenharia EEUM Plano de Atividades e Orçamento 2012 Escola de Engenharia Plano de Atividades e Orçamento 2014 i Introdução A Escola de Engenharia tem vindo a destacar-se pela consistência dos seus resultados e pela

Leia mais

o Empresa Internacional de Executive Search e Consultoria em Gestão Estratégica de Recursos Humanos.

o Empresa Internacional de Executive Search e Consultoria em Gestão Estratégica de Recursos Humanos. o Empresa Internacional de Executive Search e Consultoria em Gestão Estratégica de Recursos Humanos. o Formada por uma Equipa de Consultores com uma consolidada e diversificada experiência, quer na área

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) - INOVAÇÃO PRODUTIVA Objectivos e Prioridades O presente concurso destina-se a apoiar investimentos

Leia mais

BRIEFING BRASIL. Parceiro:

BRIEFING BRASIL. Parceiro: BRIEFING BRASIL Parceiro: 1 ÍNDICE 1 Índice... 1 2 Introdução... 2 3 Apresentação... 3 3.1 Tema 1 Consumo consciente... 3 3.2 Tema 2 - Qualidade e Satisfação no Atendimento ao Cliente... 4 4 Desenvolvimento

Leia mais

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa INICIATIVA INSERIDA NA EVENTO 3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA ORGANIZAÇÃO APOIOS UMA PUBLICAÇÃO ALTO PATROCÍNIO Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da

Leia mais

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO OUI- IOHE MISSÃO OUI DE UNIVERSIDADES CANADENSES NO BRASIL 28 de novembro a 2 de dezembro de 2011 Programa preliminar A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO À luz dos excelentes

Leia mais

XLM Innovation & Technology

XLM Innovation & Technology 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A XLM, sedeada em Aveiro, iniciou a sua atividade em 1995. Nesta data, a sua área de atuação cingia-se à venda, instalação e assistência técnica

Leia mais

Compromissos na educação

Compromissos na educação Compromissos na educação Comentário Paulo Santiago Direcção da Educação e das Competências, OCDE Ciclo de Seminários Sextas da Reforma Lisboa, 23 de Maio de 2014 Organização do Banco de Portugal, do Conselho

Leia mais

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL MESA DA ASSEMBLEIA GERAL Informação a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 289.º do Código das Sociedades Comerciais FRANCISCO XAVIER ZEA MANTERO é natural de Lisboa, onde nasceu em 25 de Dezembro

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO AMBIENTE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE O Ministério do Ambiente tem o prazer de convidar V. Exa. para o Seminário sobre Novos Hábitos Sustentáveis, inserido na Semana Nacional do Ambiente que terá

Leia mais

MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS SGS. Duração 112 Horas / 3 meses. Edição 1ª Edição. Calendário outubro dezembro 2015

MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS SGS. Duração 112 Horas / 3 meses. Edição 1ª Edição. Calendário outubro dezembro 2015 Edição 1ª Edição Calendário outubro dezembro 2015 Duração 112 Horas / 3 meses Regime Pós-laboral e ao sábado MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS Em parceria com: SGS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS COORDENAÇÃO

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA Gestão Empresarial Internacional e Diplomacia Económica International Management and Economic Diplomacy 2 O aumento das exportações

Leia mais

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 João Cotrim de Figueiredo 10 Out 2014 Turismo: crescimento e resiliência No século do Turismo? Mais de 1.100 milhões de turistas em 2014 OMT prevê crescimento médio anual

Leia mais

Gestão de Equipas. Lisboa, 11 e 18 de abril de 2013. www.pwc.pt/academy. Academia da PwC

Gestão de Equipas. Lisboa, 11 e 18 de abril de 2013. www.pwc.pt/academy. Academia da PwC www.pwc.pt/academy Gestão de Equipas Lisboa, 11 e 18 de abril de 2013 Academia da PwC O sucesso das organizações depende cada vez mais de equipas de alto desempenho. Venha conhecer connosco as melhores

Leia mais

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Pedro Jorge Richheimer Marta de Sequeira Marília Oliveira Inácio Henriques 1 P á g i n a 1. Enquadramento da Candidatura

Leia mais

Como delegar eficazmente?

Como delegar eficazmente? www.pwc.pt/academy Como delegar eficazmente? How to improve your skills? 21 e 22 de maio de 2013 Academia da PwC Delegar é um conceito aparentemente claro, mas que na prática, nem todos aplicam. A base

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Gestão de Projectos info@ipn-incubadora.pt +351 239 700 300 BEST SCIENCE BASED INCUBATOR AWARD Incentivos às Empresas Objectivos: - Promoção do up-grade das empresas de PME; - Apoiar

Leia mais

Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo

Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo www.pwc.pt Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo 16 Cláudia Coelho Diretora Sustainable Business Solutions da Turismo é um setor estratégico para a economia e sociedade nacional o que se reflete

Leia mais

12. ª GRANDE CONFERÊNCIA DO JORNAL ÁGUA&AMBIENTE. PORTUGAL EFICIENTE NA GESTÃO DE RECURSOS Novos actores, novas políticas

12. ª GRANDE CONFERÊNCIA DO JORNAL ÁGUA&AMBIENTE. PORTUGAL EFICIENTE NA GESTÃO DE RECURSOS Novos actores, novas políticas 12. ª GRANDE CONFERÊNCIA DO JORNAL ÁGUA&AMBIENTE PORTUGAL EFICIENTE NA GESTÃO DE RECURSOS Novos actores, novas políticas 23 de Maio de 2012 Centro de Congressos da Univ. Católica de Lisboa ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II PARTILHA DE EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGEM SOBRE O DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL O URBACT permite que as cidades europeias trabalhem em conjunto e desenvolvam

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO F O R M A Ç Ã O A V A N Ç A D A CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS ENQUADRAMENTO O CEGE/ISEG é um centro de investigação e projectos do ISEG Instituto

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Licenciado em Economia pelo ISE Instituto Superior de Economia em 1978/79. MBA em Finanças pela Universidade Católica em 1995

CURRICULUM VITAE. Licenciado em Economia pelo ISE Instituto Superior de Economia em 1978/79. MBA em Finanças pela Universidade Católica em 1995 CURRICULUM VITAE Franquelim Fernando Garcia Alves Nascido em 16/11/1954, 2 filhas Licenciado em Economia pelo ISE Instituto Superior de Economia em 1978/79 Revisor Oficial de Contas em 1987 MBA em Finanças

Leia mais

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia:

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia: GRUPO FERREIRA A GFH, é um Grupo sólido e inovador, detendo um curriculum de projectos de qualidade reconhecida, com um portfólio de negócios diversificado, e que aposta no processo de internacionalização,

Leia mais

LUXURY BRAND MANAGEMENT

LUXURY BRAND MANAGEMENT 15 LUXURY BRAND MANAGEMENT O Luxury Brand Management Executive Course é um curso intensivo de 4 dias, onde são abordados os temas principais da gestão dos produtos e serviços de luxo. Com um formato inovador,

Leia mais

Boletim Benchmarking Internacional. Extensão Tecnológica

Boletim Benchmarking Internacional. Extensão Tecnológica Boletim Benchmarking Internacional Extensão Tecnológica Dezembro de 2012 Apresentação Visando contribuir para os objetivos estratégicos do SEBRAE, são apresentadas neste boletim informações relacionadas

Leia mais

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org 1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org CONCEITO Realização do 1º Fórum União de Exportadores CPLP (UE-CPLP) que integra:

Leia mais

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A Gestão da Inovação Proposta de Utilização do Guia de Boas Práticas de IDI e das ferramentas desenvolvidas no âmbito da iniciativa DSIE da COTEC para o desenvolvimento do sistema

Leia mais

A inovação e essencial à competitividade

A inovação e essencial à competitividade Crédito A inovação e essencial à competitividade das empresas Financiamento para a inovação e desenvolvimento do sector agrícola, agro-alimentar e florestal sai reforçado no mais recente Quadro Comunitário

Leia mais

Programa Avançado de Gestão para o Setor do Pós Venda Automóvel

Programa Avançado de Gestão para o Setor do Pós Venda Automóvel Programa Avançado de Gestão para o Setor do Pós Venda Automóvel ACAP de Portas Abertas para a Universidade RAZÃO DE SER Antes da Agenda O que sabe hoje chega para garantir a SUSTENTABILIDADE e o SUCESSO

Leia mais

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 O desafio Horizonte 2020 Compromissos Nacionais Metas UE-27 20%

Leia mais

7º Programa-Quadro de I&DT (2007-2013)

7º Programa-Quadro de I&DT (2007-2013) 7º Programa Quadro Tema ENERGIA O 7ºPrograma Quadro e o PPQ Eduardo Maldonado Coordenador dos Pontos de Contacto Nacionais 7º Programa-Quadro de I&DT (2007-2013) Promoção da carreira de investigação e

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia

Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES)

Leia mais

ANÚNCIO DE VAGA DESCRIÇÃO DO POSTO. Junho de 2012.

ANÚNCIO DE VAGA DESCRIÇÃO DO POSTO. Junho de 2012. ANÚNCIO DE VAGA DESCRIÇÃO DO POSTO Posição: Director Executivo Programa Inter Religioso Contra a Malária (PIRCOM) Projecto Academy for Educational Development/Communication for Change (C Change) Supervisor:

Leia mais

ConselhoCientíficodoLNEGCo nselhocientíficodolnegconsel hocientíficodolnegconselho CientíficodoLNEGConselhoCie

ConselhoCientíficodoLNEGCo nselhocientíficodolnegconsel hocientíficodolnegconselho CientíficodoLNEGConselhoCie ConselhoCientíficodoLNEGCo nselhocientíficodolnegconsel hocientíficodolnegconselho CientíficodoLNEGConselhoCie RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ntíficodolnegconselhocientífi Científico 2011 12/31/2011 codolnegconselhocientíficod

Leia mais

Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios

Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios Sandra Sofia Brito da Silva Dissertação

Leia mais

Aspectos Sócio-Profissionais da Informática

Aspectos Sócio-Profissionais da Informática Escola Superior de Tecnologia Instituto Politécnico de Castelo Branco Licenciatura em Engenharia Informática Aspectos Sócio-Profissionais da Informática Portugal Golfe e a Internet Alunos Número André

Leia mais

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 A aposta no apoio à internacionalização tem sido um dos propósitos da AIDA que, ao longo dos anos, tem vindo a realizar diversas acções direccionadas para

Leia mais

Plano de Sustentabilidade da Unilever

Plano de Sustentabilidade da Unilever Unilever Plano de Sustentabilidade da Unilever Eixo temático Governança Principal objetivo da prática Para a Unilever, o crescimento sustentável e lucrativo requer os mais altos padrões de comportamento

Leia mais

Estratégia Empresarial. Capítulo 4 Missão e Objectivos. João Pedro Couto

Estratégia Empresarial. Capítulo 4 Missão e Objectivos. João Pedro Couto Estratégia Empresarial Capítulo 4 Missão e Objectivos João Pedro Couto ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Pensamento Estratégico Análise do Meio Envolvente Análise da Empresa Análise Estratégica Missão, Objectivos

Leia mais

Os novos desafios do secretariado profissional

Os novos desafios do secretariado profissional www.pwc.pt/academy Os novos desafios do secretariado profissional Lisboa, 19 e 26 de fevereiro de 2013 Academia da PwC Um programa que mobiliza competências de eficiência pessoal e profissional apoiando

Leia mais

Ser empreendedor em Portugal é ser:

Ser empreendedor em Portugal é ser: Ser empreendedor em Portugal é ser: Um pouco louco; Muito curioso; Muito persistente; Capaz de arriscar de forma sustentada; É ter noção das limitações do mercado nacional e das potencialidades do mercado

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Lisboa, 10 janeiro 2014 António Rendas Reitor da Universidade Nova de Lisboa Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas Queria começar

Leia mais

ENTERPRISE 2020 Inteligente Sustentável Inclusivo

ENTERPRISE 2020 Inteligente Sustentável Inclusivo ENTERPRISE 2020 Inteligente Sustentável Inclusivo With the support of the European Commission and the Belgian Presidency of the European Union Porquê Enterprise 2020? Os desafios económicos, sociais e

Leia mais

Advanced Leadership! Um percurso de transformação para melhor liderar pessoas, equipas e organizações. www.pwc.pt/academy

Advanced Leadership! Um percurso de transformação para melhor liderar pessoas, equipas e organizações. www.pwc.pt/academy www.pwc.pt/academy Advanced! Um percurso de transformação para melhor liderar pessoas, equipas e organizações. PwC s Academy Aceite o desafio e empreenda uma transformação de relevo nas suas competências

Leia mais

DESCRIÇÃO DO TRABALHO. Directora Nacional, WWF Moçambique

DESCRIÇÃO DO TRABALHO. Directora Nacional, WWF Moçambique DESCRIÇÃO DO TRABALHO Título de posição: Responde a: Supervisiona: Localização: Gestor de Comunicação Directora Nacional, WWF Moçambique Todo pessoal de comunicações Maputo, Moçambique Data: 19 de Agosto

Leia mais

MBA ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. Arcos Dorados

MBA ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. Arcos Dorados MBA ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Arcos Dorados MBA ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Sustentabilidade deixou de ser uma escolha e tornou-se premissa fundamental para a competitividade

Leia mais

Escola de Lisboa. Relatório de Actividades 2012/13 Elaborado por Direcção e aprovado por Administração e Conselho Cientifico

Escola de Lisboa. Relatório de Actividades 2012/13 Elaborado por Direcção e aprovado por Administração e Conselho Cientifico Escola de Lisboa Relatório de Actividades 2012/13 Elaborado por Direcção e aprovado por Administração e Conselho Cientifico Índice 1. Cumprimento do plano estratégico e anual 2. Realização dos Objectivos

Leia mais

DESAFIO PORTUGAL 2020

DESAFIO PORTUGAL 2020 DESAFIO PORTUGAL 2020 Estratégia Europa 2020: oportunidades para os sectores da economia portuguesa Olinda Sequeira 1. Estratégia Europa 2020 2. Portugal 2020 3. Oportunidades e desafios para a economia

Leia mais

ce tec CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA CURSO DE EMPREENDEDORISMO

ce tec CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA CURSO DE EMPREENDEDORISMO ce tec CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA CURSO DE EMPREENDEDORISMO O CEITEC é uma organização juridicamente dependente da Maiêutica Cooperativa de Ensino Superior e, em termos científicopedagógicos,

Leia mais

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO Citação de Dr. Emílio Rui Vilar 2 Tempo de mudanças sociais Estamos no início de um século que se adivinha difícil e instável nos seus Problemas Globais

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais

Human Resources Human Resources. Estudos de Remuneração 2012

Human Resources Human Resources. Estudos de Remuneração 2012 Human Resources Human Resources Estudos de Remuneração 2012 3 Michael Page Page 4 Apresentamos-lhe os Estudos de Remuneração 2012, realizados pela Michael Page. O objectivo dos nossos Estudos de Remuneração

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

Alexandre Ulisses. Habilitações Académicas:

Alexandre Ulisses. Habilitações Académicas: Alexandre Ulisses Pós-Graduação em Ciências da Educação, da Faculdade de Psicologia e Ciências de Educação do Porto; Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores, Faculdade de Engenharia da

Leia mais