IUS RESUMOS. Direitos Políticos. Organizado por: Samille Lima Alves

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IUS RESUMOS. Direitos Políticos. Organizado por: Samille Lima Alves"

Transcrição

1 Direitos Políticos Organizado por: Samille Lima Alves

2 SUMÁRIO I. DIREITOS POLÍTICOS Caracterizando os Direitos Políticos Conceito de Direitos Políticos Direitos políticos, nacionalidade e cidadania Modalidades de direitos políticos Da aquisição da cidadania Direitos Políticos Positivos Conceito Do sufrágio Do voto Escrutínio Referências... 12

3 DIREITOS POLÍTICOS DIREITOS POLÍTICOS Os direitos políticos são importantíssimos no estudo do Direito Eleitoral, uma vez que versam sobre as garantias dadas aos cidadãos de participarem do processo eleitoral, seja exercendo o direito de voto, seja exercendo o direito de ser votado. Nesse segundo resumo de Direito Eleitoral caracterizaremos e definiremos os direitos políticos, as modalidades e as formas de aquisição da cidadania. Além disso, o que são os direitos políticos positivos, conceituando e diferenciado o sufrágio, o voto e o escrutínio. Esperamos que sua leitura seja proveitosa Samille Lima Alves Equipe Ius Resumos I. DIREITOS POLÍTICOS 1. Caracterizando os Direitos Políticos 1.1 Conceito de Direitos Políticos Direitos políticos podem ser conceituados como 1 : Conceito de Direitos Políticos José Jairo Gomes Denominam-se direitos políticos ou cívicos as prerrogativas e os deveres inerentes à cidadania. Englobam o direito de participar direta ou indiretamente do governo, da organização e do funcionamento do Estado [3]

4 José Afonso da Silva Denominam-se direitos políticos ou cívicos as prerrogativas e os deveres inerentes à cidadania. Englobam o direito de participar direta ou indiretamente do governo, da organização e do funcionamento do Estado Rosah Russomano Direitos políticos, visualizados em sua acepção restrita, encarnam o poder de que dispõe o indivíduo para interferir na estrutura governamental, através do voto Constituição Traz uma conceito em sentido estrito conjunto de regras que regula os problemas eleitorais - artigos 14 a 16 da CF/88 Os direitos políticos não são conferidos a toda a população, mas apenas ao povo um conceito variável conforme a época, a sociedade, entre outros fatores 2. Os direitos políticos são conferidos apenas ao povo, que significa... Povo constitui um conceito operativo, designando o conjunto dos indivíduos a que se reconhece o direito de participar na formação da vontade estatal, elegendo ou sendo eleitos, ou seja, votando ou sendo votados com vistas a ocupar cargos político-eletivos 1.2 Direitos políticos, nacionalidade e cidadania Nesse contexto, é importante diferenciar direitos políticos dos conceitos de nacionalidade e cidadania. Direitos Políticos Cidadania Nacionalidade O meio pelo qual o cidadão participa direta ou indiretamente no governo, ligado à ideia de democracia (soberania popular e livre participação nas atividades estatais) Ligada ao regime político, em sentido estrito, é um atributo jurídico-político que o nacional obtém no momento em que se torna eleitor Diz respeito à situação do indivíduo perante o Estado, o vínculo territorial estatal por nascimento ou naturalização

5 DIREITOS POLÍTICOS Destacamos que: Importante! Em sentido amplo, a cidadania enfeixa os direitos civis, políticos, sociais e econômicos, sendo certo que sua aquisição se dá antes mesmo do nascimento do indivíduo Cidadão é a pessoa detentora de direitos políticos, podendo, pois, participar do processo governamental, elegendo ou sendo eleito para cargos públicos 1.3 Modalidades de direitos políticos São modalidades de direito políticos: direitos políticos ativos e direitos políticos passivos, ligados às noções de capacidade eleitoral passiva e ativa, cuja distinção estudaremos a seguir 3 : Modalidades de Direitos Políticos Direitos políticos ativos Direitos políticos passivos Cuidam do eleitor e sua atividade Referem-se ao elegíveis e aos eleitos Capacidade eleitoral ativa Está consubstanciada nas condições do direito de votar Capacidade eleitoral passiva Diz respeito à elegibilidade atributo de quem preenche as condições do direito de ser votado Essas modalidades não se confundem com direitos políticos positivos e direitos políticos negativos, que assim são caracterizados: [5]

6 Direitos políticos positivos Normas que asseguram a participação no processo político eleitoral, votando ou sendo votado Envolve as duas modalidades de direito eleitoral Direitos políticos ativos Direitos políticos passivos Direitos políticos negativos Normas que impedem a atuação no processo eleitoral e tem seu núcleo nas inelegibilidades definido: 1.4 Da aquisição da cidadania Os direitos de cidadão são adquiridos pelo alistamento eleitoral, que assim é Alistamento eleitoral É a inscrição da pessoa como eleitor perante a Justiça Eleitoral O alistamento será obrigatório ou facultativo, de acordo com os requisitos do art. 14, 1º da CF/88 O alistamento depende da iniciativa da pessoa em comparecer ao cartório eleitoral de sua região Obrigatório A qualidade de eleitor é adquirida a partir do recebimento do título de eleitor Facultativo Maiores de 18 anos e menores de 70 anos Homens e mulheres Analfabetos Maiores de 16 e menores de 18 anos Maiores de 70 anos Não podem se alistar... Estrangeiros e conscritos Conscritos são os convocados para o serviço militar obrigatório

7 DIREITOS POLÍTICOS Observe que... A alistabilidade é um direito subjetivo dos brasileiros analfabetos, maiores de 16 e menores de 18 anos e com idade superior a 70 anos Não são obrigados a se alistarem, contudo, não podem ser impedidos se quiserem e preencherem as demais condições de alistamento 2. Direitos Políticos Positivos 2.1 Conceito Por direitos políticos positivos entende-se 4 : Direitos Políticos Positivos Conjunto de normas que asseguram o direito subjetivo de participação no processo político e nos órgãos governamentais Os direitos políticos positivos garantem ao povo... Direito de voto das eleições, referendos e plebiscitos Direito de elegibilidade (ser votado) Direito de participação popular iniciativa popular, ação popular, composição de partidos políticos Adiante, trataremos de distinguir sufrágio, voto e escrutínio. 2.2 Do sufrágio O sufrágio é assim caracterizado 5 : Do Sufrágio Conceito Direito público subjetivo de natureza política que tem o cidadão de eleger, ser eleito e de participar da organização e da atividade do poder estatal [7]

8 Decorre do princípio fundamental: todo poder emana do povo Instituição fundamental da democracia representativa Ninguém é elegível se não for eleitor Natureza Funções Direito público subjetivo democrático Seleção e nomeação das pessoas que exercerão as atividades governamentais Desdobra-se nas seguintes formas Titulares do direito de sufrágio Ativa - direito de votar Passiva - direito de ser votado Eleitor direito de votar Elegível direito de ser votado Formas de sufrágio As formas de sufrágio classificam-se quanto à extensão e à igualdade 6 : { Quanto à extensão Universal Restrito { Censitário Cultural ou Capacitário Quanto à igualdade { Igual Plural Desigual Múltiplo {Familiar Quanto à extensão, o sufrágio caracteriza-se:

9 DIREITOS POLÍTICOS Quanto à extensão Universal Restrito O direito de votar é atribuído ao maior número possível de nacionais. As eventuais restrições só devem fundar-se em circunstâncias que naturalmente impedem os indivíduos de participar do processo político É o sufrágio concedido a apenas alguns nacionais, apenas uma minoria qualificada por condições econômicas ou de capacidades especiais Censitário Fundado na capacidade econômica do indivíduo Adotado na Europa no século XIX e no Brasil nas Constituições de 1824, 1891 e 1934 Somente se atribui cidadania aos que auferirem determinada renda, forem proprietários de imóveis ou recolherem aos cofres públicos certa quantia pecuniária a título de tributo Fundado na aptidão intelectual dos indivíduos Os analfabetos são inelegíveis, segundo o art. 14, 4º, CF/88 Cultural ou Capacitário Os direitos políticos somente são concedidos àqueles que detiverem determinadas condições intelectuais, demonstradas mediante diploma escolar Exclusão com fulcro no sexo Masculino é o sufrágio que veda a participação de mulheres no processo político Importante! O voto feminino só foi permitido com o Código Eleitoral de 1932 Quanto à igualdade, o sufrágio pode ser caracterizado: [9]

10 Quanto à igualdade Decorre do princípio da isonomia O voto de todos têm mesmo peso político, independentemente de riquezas, idade, grau de instrução, naturalidade ou sexo Igual A CF/88 adotou critério etário como condição de elegibilidade para alguns cargos - art. 14, 3º, VI Critério etário Presidente, Vice-Presidente da República e Senador - 35 anos Governador e Vice-Governador - 30 anos Deputado, Prefeito e Vice-Prefeito - 21 anos Vereador - 18 anos Desigual Outorga a determinados eleitores, por circunstância especial, o direito de votar mais de uma vez ou de dispor de mais de um voto para prover o mesmo cargo Plural O eleitor pode votar mais de uma vez na mesma eleição, desde que o faça na mesma circunscrição eleitoral Múltiplo O eleitor pode votar mais de uma vez na mesma eleição em mais de uma circunscrição eleitoral Familiar O eleitor e pai de família dispõe de um ou mais votos em função do número dos membros do núcleo familiar 2.3 Do voto Por voto entende-se 7 : Do Voto Conceito Forma de expressão da vontade em um processo decisório (eleição, referendo e plebiscito) É um dever cívico e, por isso, é obrigatório para os maiores de 18 anos e menores de 70 anos

11 DIREITOS POLÍTICOS Natureza Direito, função ou dever? Direito público subjetivo, uma função social (função da soberania popular), em razão disto, é imposto como um dever (dever sociopolítico), pois o indivíduo deve manifestar sua vontade pelo povo Características do voto Personalidade Obrigatoriedade Liberdade Secreto Direto Periódico Igual O cidadão só pode votar pessoalmente, logo, não é possível exercer esse direito por procuração, representante ou correspondência O eleitor tem o dever de votar e, caso não compareça a seu domicílio eleitoral no dia da eleição, deverá justificar a ausência em até 60 dias após o pleito, sob pena de multa O eleitor pode escolher livremente entre os partidos políticos e os candidatos, votar em branco e até mesmo anular o voto O voto é sigiloso, não podendo ser revelado pelos órgãos da Justiça Eleitoral Não existem intermediários na escolham dos governantes, que é feita diretamente pelos cidadãos O direito de voto deve ser exercido em intervalos regulares de tempo, característica que decorre do princípio republicano, que impõe a rotatividade no exercício do poder político Os votos de todos os cidadãos têm valor igual, o mesmo peso, no processo político-eleitoral 2.4 Escrutínio O escrutínio significa 8 : Do Escrutínio É o modo de exercício do voto, in concreto, envolvendo, assim, todas as operações eleitorais concretas destinadas a recolher e apurar os sufrágios [11]

12 É o modo de exercício e concretização do direito de sufrágio Pode ser secreto, público ou de lista Compreende a operação de votação e de apuração dos votos, previstas nos arts. 135 e 137 do Código Eleitoral Diz respeito também a urna onde as cédulas serão depositadas e o processo de apuração dos votos No próximo resumo estudaremos os direitos políticos negativos. Até o próximo IUS RESUMO. Acesse Veja esse e outros resumos de direito, além de notícias e atualidades do mundo jurídico Referências GOMES, José Jairo. Direito eleitoral. 11. ed. rev. atual. e ampl. São Paulo: Atlas, 2015 RAMAYANA, Marcos. Direito eleitoral. 10. ed. Rio de Janeiro: Impetus, SILVA, José Afonso da. Curso de Direito Constitucional Positivo. 25. ed. rev. e atual. São Paulo: Malheiros, NOTAS: 1 Gomes (2015, p. 4); Silva (2005, p. 344). 2 Gomes (2015, p. 5). 3 Silva (2005, p. 346). 4 Silva (2005, p. 49). 5 Silva (2005, p. 349) 6 Silva (2005, p ); Gomes (2015, p ). 7 Gomes (2015, p ). 8 Gomes (2015, p. 53), Silva (2005, p. 379).

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS CONCEITO: O direito democrático de participação do povo no governo, por seus representantes, acabou exigindo a formação de um conjunto de normas legais permanentes, que recebe a denominação de direitos

Leia mais

CIDADANIA Direitos políticos e sufrágio

CIDADANIA Direitos políticos e sufrágio CIDADANIA Direitos políticos e sufrágio Introdução Direitos políticos são os direitos do cidadão que permitem sua participação e influência nas atividades de governo. Para Pimenta Bueno, citado por Silva

Leia mais

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1 DIREITOS POLÍTICOS Prof. Fábio Ramos prof.fabioramos@hotmail.com Conjunto de normas que disciplinam as formas de exercício da soberania popular. Princípio da Soberania Popular: Art. 1º, par. único: Todo

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS (ARTS 14 AO 17)

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS (ARTS 14 AO 17) DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS (ARTS 14 AO 17) Atualizado em 02/12/2015 DIREITOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS (ARTIGOS 14 a 17) GENERALIDADES Os direitos políticos estão

Leia mais

Direitos políticos. Conceitos fundamentais. Direitos políticos positivos. Direitos políticos positivos e direitos políticos negativos.

Direitos políticos. Conceitos fundamentais. Direitos políticos positivos. Direitos políticos positivos e direitos políticos negativos. Direitos políticos Conceitos fundamentais Cidadania É qualificação daquele que participa da vida do Estado, participando do governo e sendo ouvido por este. Assim, é cidadão aquele que possui a capacidade

Leia mais

A distância entre o sonho e a conquista chama-se ATITUDE!

A distância entre o sonho e a conquista chama-se ATITUDE! A distância entre o sonho e a conquista chama-se ATITUDE! PLANO DE AULA Nº 6 DIRIETOS POLÍTICOS 1. NOÇÕES TEÓRICAS DIREITOS POLÍTICOS No capítulo IV do título II, a CF dispôs de um conjunto de normas para

Leia mais

Cidadania e voto: breve discussão

Cidadania e voto: breve discussão 79 Cidadania e voto: breve discussão Gabriel de Souza Leal Graduando pela Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti. Chefe de Cartório da 079ª Zona Eleitoral de Ibaiti/PR Palavras-chave:

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO I DIREITOS POLÍTICOS... 1 CAPÍTULO II DIREITO ELEITORAL... 15 CAPÍTULO III PRINCÍPIOS DE DIREITO ELEITORAL... 23

SUMÁRIO CAPÍTULO I DIREITOS POLÍTICOS... 1 CAPÍTULO II DIREITO ELEITORAL... 15 CAPÍTULO III PRINCÍPIOS DE DIREITO ELEITORAL... 23 SUMÁRIO CAPÍTULO I DIREITOS POLÍTICOS... 1 1. Compreensão dos direitos políticos... 1 1.1. Política... 1 1.2. Direito Político... 2 1.3. Direitos políticos... 2 2. Direitos humanos e direitos políticos...

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA UNICEUB FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS FAJS RAÍSSA BARRETO DE ARAÚJO

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA UNICEUB FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS FAJS RAÍSSA BARRETO DE ARAÚJO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA UNICEUB FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS FAJS RAÍSSA BARRETO DE ARAÚJO A PERDA DO MANDATO PARLAMENTAR EM DECORRÊNCIA DE CONDENAÇÃO CRIMINAL: UMA ANÁLISE DA AÇÃO

Leia mais

Evolução da Disciplina. Direito Constitucional CONTEXTUALIZAÇÃO INSTRUMENTALIZAÇÃO

Evolução da Disciplina. Direito Constitucional CONTEXTUALIZAÇÃO INSTRUMENTALIZAÇÃO Evolução da Disciplina Direito Constitucional Aula 1: Evolução histórica das constituições brasileiras Aula 2: Princípios fundamentais Aula 3: Direitos e garantias fundamentais Prof. Silvano Alves Alcantara

Leia mais

Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi

Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi I Direitos políticos, 1 1 Compreensão dos direitos políticos, 1 1.1 Política, 1 1.2 Direito político, direito constitucional e ciência política, 3

Leia mais

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS 1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS DIREITOS POLÍTICOS e REGIME DEMOCRÁTICO O REGIME DEMOCRÁTICO como princípio:

Leia mais

O despreparo político X a necessidade de legitimação do direito ao voto

O despreparo político X a necessidade de legitimação do direito ao voto O despreparo político X a necessidade de legitimação do direito ao voto Diandra Figueiredo Vasconcelos SUMÁRIO: 1. Introdução 2. Democracia; 2.1. Participação política da população 3. Separação das funções

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral da Bahia

Tribunal Regional Eleitoral da Bahia Tribunal Regional Eleitoral da Bahia Editoração Secretaria Judiciária Coordenadoria de Jurisprudência e Documentação Seção de Biblioteca e Editoração e-mail: sj-cojud@tre-ba.gov.br Pesquisa e texto Cristiane

Leia mais

Sumário. Nota do autor para a terceira edição... 31

Sumário. Nota do autor para a terceira edição... 31 Nota do autor para a terceira edição... 31 APRESENTAÇÃO... 33 ABREVIATURAS E SIGLAS... 35 Capítulo I Introdução ao direito eleitoral... 37 1. Introdução ao Direito Eleitoral... 37 1.1. Conceito de Direito

Leia mais

Os Direitos Políticos na CF/88 Parte II

Os Direitos Políticos na CF/88 Parte II Os Direitos Políticos na CF/88 Parte II Olá Concursando, Hoje vamos continuar estudando um pouco de Direito Constitucional, finalizando o tema dos direitos políticos tratados na Constituição Federal de

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE RONDÔNIA

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE RONDÔNIA PATRULHA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE RONDÔNIA O Brasil tornou-se uma República em 1889, quando um golpe militar liderado pelo Marechal Deodoro da Fonseca tirou D. Pedro II do poder. No Brasil,

Leia mais

VOTO E PARTIDOS POLÍTICOS: OS PRINCÍPIOS BÁSICOS DA DEMOCRACIA Nathássia FORATO 1

VOTO E PARTIDOS POLÍTICOS: OS PRINCÍPIOS BÁSICOS DA DEMOCRACIA Nathássia FORATO 1 VOTO E PARTIDOS POLÍTICOS: OS PRINCÍPIOS BÁSICOS DA DEMOCRACIA Nathássia FORATO 1 RESUMO: A pesquisa, intitulada Voto e Partidos Políticos: Os princípios básicos da democracia - têm como objeto de estudo

Leia mais

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA Victor Barau 1- O Conceito da palavra Democracia Democracia demos = povo, e kratos = autoridade Origem Conceito Moderno: Revoluções Francesa e Americana.

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO. PROJETO DE LEI N o 2.079, DE 2003

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO. PROJETO DE LEI N o 2.079, DE 2003 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO PROJETO DE LEI N o 2.079, DE 2003 Determina a perda de mandato para Prefeito e Vice-Prefeito que transferir domicílio eleitoral. Autor: Deputado Lupércio

Leia mais

Resumo de Direito Eleitoral parte constitucional

Resumo de Direito Eleitoral parte constitucional Resumo de Direito Eleitoral A maioria das disciplinas busca as regras centrais da matéria dentro do Texto Constitucional. Em Direito Eleitoral não poderia ser diferente. A CF reserva especialmente os arts.

Leia mais

CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA Nº

CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA Nº CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA 2016.1 Nº DATA DISCIPLINA Direito Constitucional PROFESSOR Paulo Nasser MONITOR Bruna Oliveira AULA Aula 10 TEMA: DIREITOS POLÍTICOS E NACIONALIDADE DIREITOS POLÍTICOS:

Leia mais

1.1. Regime Político (Regime de Governo) O Estado Democrático de Direito

1.1. Regime Político (Regime de Governo) O Estado Democrático de Direito DIREITO ELEITORAL Direitos Políticos Professor Ricardo Cunha Chimenti 1. DIREITOS POLÍTICOS Direitos Políticos são as regras que disciplinam o exercício da soberania popular (jus civitatis), a participação

Leia mais

Marcos Soares da Mota e Silva

Marcos Soares da Mota e Silva Marcos Soares da Mota e Silva Pós-graduado em Direito Tributário pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (IBET) e em Direito Processual Tributário pela Universidade de Brasília (UnB). Graduado

Leia mais

No Brasil: Misto de Democracia Semidireta ( meios de participação popular) + Indireta (mandato representativo)

No Brasil: Misto de Democracia Semidireta ( meios de participação popular) + Indireta (mandato representativo) DIREITO ELEITORAL - Aula 01 (Conceitos e Princípios do Direito Eleitoral, Aspectos Constitucionais, Composição, competências e funções dos órgãos da Justiça Eleitoral) CONCEITOS: O Direito Eleitoral, ramo

Leia mais

Catalogação na Publicação (CIP)

Catalogação na Publicação (CIP) GUIA AOS ELEITORES Catalogação na Publicação (CIP) P221 Pará. Ministério Público. Guia aos eleitores: Perguntas e respostas sobre as eleições municipais de 2016 / Elaboração e Organização de José Edvaldo

Leia mais

DEMOCRACIA, ÉTICA E CIDADANIA

DEMOCRACIA, ÉTICA E CIDADANIA DEMOCRACIA, ÉTICA E CIDADANIA Seminário do ENADE Agronomia, Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Educação Física, Medicina Veterinária e Estética e Cosmética Profª. Ma. Denise Tatiane Girardon

Leia mais

Questões Aplicadas no Exame de Ordem (OAB/RJ) e outros Concursos; Referências Bibliográficas.

Questões Aplicadas no Exame de Ordem (OAB/RJ) e outros Concursos; Referências Bibliográficas. ASSUNTO: Cidadania, Direitos e Partidos Políticos (Texto 10) OBJETIVOS: Conceituar Cidadania, Direitos e Partidos Políticos; Identificar e caracterizar Cidadania, Direitos e Partidos Políticos. SUMÁRIO:

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL ACÓRDÃO N 193 (15.09.98)

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL ACÓRDÃO N 193 (15.09.98) PUBLICADO EM SESSÃO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL ACÓRDÃO N 193 (15.09.98) RECURSO ORDINÁRIO N 193 - CLASSE 27 a - TOCANTINS (Palmas). Relator: Ministro Edson Vidigal. Recorrente: Coligação "Tocantins para

Leia mais

IUS RESUMOS. Teoria Geral dos Direitos Fundamentais Parte III. Organizado por: Elaine Cristina Ferreira Gomes

IUS RESUMOS. Teoria Geral dos Direitos Fundamentais Parte III. Organizado por: Elaine Cristina Ferreira Gomes Teoria Geral dos Direitos Fundamentais Parte III Organizado por: Elaine Cristina Ferreira Gomes SUMÁRIO I. TEORIA GERAL DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS - PARTE III... 4 1. A Constituição de 1988 e os direitos

Leia mais

Eixo II MECANISMOS DE CONTROLE SOCIAL, ENGAJAMENTO E CAPACITAÇÃO DA SOCIEDADE PARA O CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA

Eixo II MECANISMOS DE CONTROLE SOCIAL, ENGAJAMENTO E CAPACITAÇÃO DA SOCIEDADE PARA O CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA 5 Eixo II MECANISMOS DE CONTROLE SOCIAL, ENGAJAMENTO E CAPACITAÇÃO DA SOCIEDADE PARA O CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA 1 CONTROLE SOCIAL: O controle social é entendido como a participação do cidadão na gestão

Leia mais

WWW.CARREIRAFISCAL.COM.BR André Alencar dos Santos DIREITO CONSTITUCIONAL NACIONALIDADE

WWW.CARREIRAFISCAL.COM.BR André Alencar dos Santos DIREITO CONSTITUCIONAL NACIONALIDADE NACIONALIDADE PODIVM 1 Conceito: Representa um vínculo jurídico que designa quais são as pessoas (povo) que fazem parte da sociedade política estatal. Define a relação jurídica de Direito Público interno

Leia mais

NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NATOS

NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NATOS CONCEITO Nacionalidade é o vínculo jurídico-político que liga um indivíduo a um certo e determinado Estado POVO ESPÉCIES Nacionalidade primária/originária: Nacionalidade secundária/adquirida: A) Ius soli:

Leia mais

Definição como se transformam votos em poder

Definição como se transformam votos em poder Definição. Sistema eleitoral é o conjunto de regras que define como, em uma determinada eleição, o eleitor pode fazer suas escolhas e como os votos são contabilizados para serem transformados em mandatos.

Leia mais

DIREITOS POLÍTICOS. Nacionalidade não se confunde com cidadania.

DIREITOS POLÍTICOS. Nacionalidade não se confunde com cidadania. DIREITOS POLÍTICOS 1.- CONCEITO PEDRO POLITANO NETO 30/06/2004 É o conjunto de normas que disciplina a atuação da soberania popular, constituindo-se em desdobramento do princípio democrático inscrito no

Leia mais

OS DIREITOS POLÍTICOS NA CONSTITUIÇÃO DE 1988 RESUMO

OS DIREITOS POLÍTICOS NA CONSTITUIÇÃO DE 1988 RESUMO 1 OS DIREITOS POLÍTICOS NA CONSTITUIÇÃO DE 1988 MARCIA WEBER LOTTO RIBEIRO 1 RESUMO Objetiva-se demonstrar através deste trabalho as regras constitucionais que regem o exercício dos direitos políticos

Leia mais

DIREITOS POLÍTICOS DOS CIDADÃOS BRASILEIROS E AS PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA

DIREITOS POLÍTICOS DOS CIDADÃOS BRASILEIROS E AS PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA DIREITOS POLÍTICOS DOS CIDADÃOS BRASILEIROS E AS PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA Patrícia Camargo SPOLADOR 1 Rodrigo Mesquita SPOLADOR 2 Orientador: Prof. Sérgio Tibiriçá AMARAL 3 Resumo: O presente

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br O sursis processual e a inelegibilidade Wilson Pedro dos Anjos* O Direito Eleitoral é apaixonante e ao mesmo tempo abrangente porque, a cada dia, ao trocar idéias acerca de algumas

Leia mais

---------------------------------------------------------------------------------------------- O ESTADO DE DIREITO DEMOCRÁTICO E OS ADVOGADOS

---------------------------------------------------------------------------------------------- O ESTADO DE DIREITO DEMOCRÁTICO E OS ADVOGADOS ORDEM DOS ADVOGADOS DELEGAÇÃO DE BARCELOS DIA DO ADVOGADO 19 DE MAIO DE 2010 ---------------------------------------------------------------------------------------------- O ESTADO DE DIREITO DEMOCRÁTICO

Leia mais

3 Exercício da Soberania Popular nos Estados Libanês e Brasileiro

3 Exercício da Soberania Popular nos Estados Libanês e Brasileiro 3 Exercício da Soberania Popular nos Estados Libanês e Brasileiro No presente capítulo, analisaremos as duas formas de exercício da soberania popular, quais sejam o direito de sufrágio, que envolve a escolha

Leia mais

Atividade Colaborativa. Aula-tema 3: As Liberdades Públicas A Declaração de 1789

Atividade Colaborativa. Aula-tema 3: As Liberdades Públicas A Declaração de 1789 Atividade Colaborativa Aula-tema 3: As Liberdades Públicas A Declaração de 1789 TAREFA 3 Passo 01: Leia os textos abaixo. Texto 1: Espécies de Regimes Democráticos: Democracia Direta, Semidireta e Indireta

Leia mais

Declaração sobre a Eliminação da Discriminação contra a Mulher

Declaração sobre a Eliminação da Discriminação contra a Mulher Declaração sobre a Eliminação da Discriminação contra a Mulher Proclamada pela Assembléia Geral na Resolução 2263(XXII), de 7 de novembro de 1967 A Assembléia Geral, Considerando que os povos das Nações

Leia mais

IUS RESUMOS. Agentes Públicos Parte I. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. Agentes Públicos Parte I. Organizado por: Samille Lima Alves Públicos Parte I Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. AGENTES PÚBLICOS PARTE 1... 3 1. Conceito... 3 2. Espécies de agentes públicos... 4 2.1 políticos... 4 2.2 Particulares em colaboração com

Leia mais

PONTO DOS CONCURSOS CURSO DE DIREITO ELEITORAL TRE/AP 4º Simulado de Direito Eleitoral p/ TRE-AMAPÁ! PROFESSOR: RICARDO GOMES AVISOS:

PONTO DOS CONCURSOS CURSO DE DIREITO ELEITORAL TRE/AP 4º Simulado de Direito Eleitoral p/ TRE-AMAPÁ! PROFESSOR: RICARDO GOMES AVISOS: AVISOS: Estamos ministrando os seguintes CURSOS: DIREITO ELEITORAL P/ O TSE - ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA JUDICIÁRIA (TEORIA E EXERCÍCIOS) DIREITO ELEITORAL P/ O TSE - ANALISTA E TÉCNICO ÁREA ADMINISTRATIVA

Leia mais

A VEDAÇÃO DO ALISTAMENTO ELEITORAL DO CONSCRITO E O DIREITO FUNDAMENTAL AO VOTO II- DO DIREITO AO VOTO E DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS

A VEDAÇÃO DO ALISTAMENTO ELEITORAL DO CONSCRITO E O DIREITO FUNDAMENTAL AO VOTO II- DO DIREITO AO VOTO E DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS Texto extraído do site JUS MILITARIS www.jusmilitaris.com.br A VEDAÇÃO DO ALISTAMENTO ELEITORAL DO CONSCRITO E O DIREITO FUNDAMENTAL AO VOTO Cirelene Maria da Silva Buta 1 I- INTRODUÇÃO O presente estudo

Leia mais

Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta constituição.

Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta constituição. O Parágrafo Único do Artigo 1º da nossa Constituição (1988) diz: Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta constituição. 2012 é ano de o

Leia mais

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS 01 Vereador: Papel Constitucional e Sistema de Eleição Juiz JAILSOM LEANDRO DE SOUSA 02 Quem é o vereador? O Vereador é o Membro do Poder Legislativo Municipal. 03 Qual é o papel do Vereador? O papel do

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Declaração Universal dos Direitos Humanos Declaração Universal dos Direitos Humanos Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade,

Leia mais

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao terceiro bimestre escolar ou à Unidade 3 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê 5 o ano Avaliação 3 o bimestre 1 Avaliação NOME: ESCOLA: PROFESSOR: TURMA:

Leia mais

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe:

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe: Sistemas Eleitorais Voto e Eleições A expressão "sistema eleitoral" designa o modo, os instrumentos e os mecanismos empregados nos países de organização política democrática para constituir seus Poderes

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA DO ESTADO DE GOIÁS DIREITO ELEITORAL PROFESSOR ALDO SABINO ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA CURSO PREPARATÓRIO

ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA DO ESTADO DE GOIÁS DIREITO ELEITORAL PROFESSOR ALDO SABINO ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA CURSO PREPARATÓRIO 1 ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA CURSO PREPARATÓRIO DIREITO ELEITORAL PROFESSOR ALDO SABINO Totalmente revista à luz dos novos entendimentos do TSE Atualizada até 05 de novembro de 2011 Incluindo, além

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948)

Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) PREÂMBULO Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e dos seus direitos iguais e inalienáveis constitui

Leia mais

IUS RESUMOS. Tributos e Competência Tributária. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. Tributos e Competência Tributária. Organizado por: Samille Lima Alves Tributos e Tributária Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. TRIBUTOS E COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA... 3 1. Caracterizando o tributo... 3 1.1 Conceito... 3 1.2 Classificação dos tributos... 4 2 tributária...

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ GUILHERME DE OLIVEIRA MATOS

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ GUILHERME DE OLIVEIRA MATOS UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ GUILHERME DE OLIVEIRA MATOS DA DESCARACTERIZAÇÃO DA INFIDELIDADE PARTIDÁRIA PARA PERDA DO MANDATO ELETIVO QUANDO DA GRAVE DISCRIMINAÇÃO PESSOAL SÃO JOSÉ 2009 2 GUILHERME

Leia mais

AS QUESTÕES DA DEFESA E O CONGRESSO NACIONAL

AS QUESTÕES DA DEFESA E O CONGRESSO NACIONAL AS QUESTÕES DA DEFESA E O CONGRESSO NACIONAL João Paulo Batista Botelho Consultor Legislativo do Senado Federal 10/4/2014 OBJETIVO Apresentar aspectos gerais do Poder Legislativo brasileiro e seu papel

Leia mais

NACIONALIDADE. Questões CESPE

NACIONALIDADE. Questões CESPE NACIONALIDADE Ano: 2015Banca: CESPEÓrgão: MPOGProva: Analista Técnico Administrativo - Cargo 2 Acerca dos princípios fundamentais e dos direitos e deveres individuais e coletivos, julgue o item a seguir.

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Desejamos a todos uma boa leitura, uma boa discussão em grupo e sucesso na escolha de seus candidatos!

APRESENTAÇÃO. Desejamos a todos uma boa leitura, uma boa discussão em grupo e sucesso na escolha de seus candidatos! APRESENTAÇÃO Estamos, mais uma vez, nos aproximando das eleições municipais e somos convocados a exercer o dever cívico de votar. Esta convocação nos apresenta muitos desafios: Que representantes estaremos

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS (ARTS 1 AO 4)

DIREITO CONSTITUCIONAL PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS (ARTS 1 AO 4) DIREITO CONSTITUCIONAL PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS (ARTS 1 AO 4) Atualizado até 13/10/2015 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS (ARTS. 1º AO 4º DA CF88): Todo princípio fundamental é constitucional, mas nem todo princípio

Leia mais

IUS RESUMOS. Empresário. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. Empresário. Organizado por: Samille Lima Alves Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. EMPRESÁRIO... 3 1. Caracterizando o empresário... 3 1.1 Conceito... 3 1.2 Elementos essenciais de caracterização do empresário... 4 1.3 Classificação do empresário...

Leia mais

Professora de Direito da FTEC - Novo Hamburgo/RS. Assessora Jurídica do PRÓ-SINOS.

Professora de Direito da FTEC - Novo Hamburgo/RS. Assessora Jurídica do PRÓ-SINOS. Orientação sobre a constituição dos Conselhos Municipais de Saneamento Básico para os municípios integrantes do Consórcio PRÓ-SINOS. O Controle Social no Saneamento Básico: constituição dos conselhos municipais,

Leia mais

ASPECTO HISTÓRICO DOS DIREITOS POLÍTICOS NO BRASIL COM O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA E DEMOCRACIA

ASPECTO HISTÓRICO DOS DIREITOS POLÍTICOS NO BRASIL COM O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA E DEMOCRACIA ASPECTO HISTÓRICO DOS DIREITOS POLÍTICOS NO BRASIL COM O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA E DEMOCRACIA Marcelo Agamenon Goes de SOUZA 1 Isabela Fernanda da SILVA 2 RESUMO: Este artigo aborda que o Estado surgiu

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL OFÍCIO- Nº 005/2012 COMISSÃO ELEITORAL/UFAC Ao Senhor Eduardo Henrique de Almeida Aguiar Procurador da República Av. Epaminondas Jacome, nº 3017, Centro NC

Leia mais

Tabela de Temporalidade de Documentos de Pessoa Física

Tabela de Temporalidade de Documentos de Pessoa Física Tabela de Temporalidade de Documentos de Pessoa Física 1. VIDA FINANCEIRA 1.1 PAGAMENTO DE TRIBUTOS 1.1.1 Imposto de Renda de Pessoa Física(IRPF) e seu respectivo DARF 1.1.2 Imposto Predial e Territorial

Leia mais

EXERCENDO A DEMOCRACIA: O DIREITO AO VOTO

EXERCENDO A DEMOCRACIA: O DIREITO AO VOTO EXERCENDO A DEMOCRACIA: O DIREITO AO VOTO Miguel Coca GIMENEZ 1 Sérgio Tibiriçá AMARAL 2 RESUMO: Atualmente, um dos regimes políticos com o maior número de adeptos em todo o mundo, é o regime democrático,

Leia mais

CONCEITO. Seus valores básicos são: liberdade e a igualdade. Princípios básicos: soberania popular e participação do povo no poder.

CONCEITO. Seus valores básicos são: liberdade e a igualdade. Princípios básicos: soberania popular e participação do povo no poder. DEMOCRACIA CONCEITO É o processo de convivência social em que ocorre a afirmação da cidadania de um povo, sendo-lhe garantidos os direitos fundamentais, mediante o exercício direto ou indireto do poder

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º (Objecto)

REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º (Objecto) REGULAMENTO ELEITORAL Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º (Objecto) 1. O regulamento eleitoral, adiante designado por regulamento, estabelece, ao abrigo do disposto no artigo 25.º dos estatutos, o

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CMAS Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social EDITAL 01/2016

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CMAS Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social EDITAL 01/2016 CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CMAS Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social EDITAL 01/2016 Edital de convocação de Assembleia Geral de Entidades de Assistência Social de Diamantina para

Leia mais

ELEIÇÕES 2016 O QUE VOCÊ PRECISAR SABER

ELEIÇÕES 2016 O QUE VOCÊ PRECISAR SABER ADVOCACIA & CONSULTORIA EVILSON BRAZ Rua Rodrigues de Aquino, n.º 267, 9º Andar/Sala 903 Edf. Asplan, Centro, João Pessoa/PB - (083) 98761-0375/99989-6277/3021-8444 E-mail: evilsonbraz@ig.com.br / Site:

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 8.242/16

PROJETO DE LEI Nº 8.242/16 PROJETO DE LEI Nº 8.242/16 DETERMINA A AFIXAÇÃO DE CARTAZES NAS SALAS DE AULA DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO BÁSICA PERTENCENTES AO SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

PROJETO DE LEI DE INICIATIVA POPULAR

PROJETO DE LEI DE INICIATIVA POPULAR PROJETO DE LEI DE INICIATIVA POPULAR O bem estar de uma cidade, não depende exclusivamente de seus governantes. Cabe a todos os habitantes, sem distinção de classe o dever sagrado de defendê-lo, contornando

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CAMPINAS EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 01 / 2016.

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CAMPINAS EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 01 / 2016. FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CAMPINAS EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 01 / 2016. A Diretora da, no uso de suas atribuições legais, torna pública a realização do Processo Seletivo e faz saber o número de VAGAS

Leia mais

EDITAL Nº 03/2016 I DA COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO ELEITORAL

EDITAL Nº 03/2016 I DA COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO ELEITORAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL- RIO- GRANDENSE CAMPUS VENÂNCIO AIRES EDITAL Nº 03/2016 Dispõe sobre o regulamento

Leia mais

O programa Parlamento dos Jovens é uma iniciativa da Assembleia da República (AR) dirigida aos jovens do 2.º e do 3.ºciclos do ensino básico e do

O programa Parlamento dos Jovens é uma iniciativa da Assembleia da República (AR) dirigida aos jovens do 2.º e do 3.ºciclos do ensino básico e do O programa Parlamento dos Jovens é uma iniciativa da Assembleia da República (AR) dirigida aos jovens do 2.º e do 3.ºciclos do ensino básico e do ensino secundário Quem orienta este programa na Escola?

Leia mais

Olá Prezados(as) Alunos(as) e Concurseiros!!

Olá Prezados(as) Alunos(as) e Concurseiros!! Olá Prezados(as) Alunos(as) e Concurseiros!! Em atendimento a muitas demandas de alunos, disponibilizo a todos as Questões de Direito Eleitoral da Prova do TSE 2007, devidamente comentadas. Bons estudos!

Leia mais

Curso Formação Cidadã

Curso Formação Cidadã DEMOCRACIA REPRESENTATIVA E PARTICIPATIVA 1- O Conceito da palavra Democracia Democracia demos = povo, e kratos = autoridade Origem: Revoluções Francesa e América. Princípio da Igualdade Liberdade e Fraternida,

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE DIREITO

INSTITUIÇÕES DE DIREITO INSTITUIÇÕES DE DIREITO Prof. Rogério Dias Correia Tipos de democracia Democracia direta Democracia indireta Democracia semidireta 2 Conceito de Sistemas eleitorais Conjunto de regras e procedimentos utilizados

Leia mais

EDITAL DE ELEIÇÃO/FUNDEB Nº 001/2010 DE 19 DE JULHO DE 2010.

EDITAL DE ELEIÇÃO/FUNDEB Nº 001/2010 DE 19 DE JULHO DE 2010. PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE SERGIPE Nº 26.047 04/08/2010 GOVERNO DE SERGIPE EDITAL DE ELEIÇÃO/FUNDEB Nº 001/2010 DE 19 DE JULHO DE 2010. PROCESSO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS REPRESENTANTES

Leia mais

Serviço Público Federal Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão IFMA Diretoria de Educação a Distância

Serviço Público Federal Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão IFMA Diretoria de Educação a Distância Serviço Público Federal Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão IFMA Diretoria de Educação a Distância Edital n 014/2010 DEAD / IFMA Seleção Simplificada

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 224, DE 2010

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 224, DE 2010 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 224, DE 2010 Altera o art. 14 da Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003, para determinar como causa de aumento de pena do crime de porte ilegal de arma de fogo

Leia mais

Lição 3. Alistabilidade (cidadania ativa ou capacidade eleitoral ativa):

Lição 3. Alistabilidade (cidadania ativa ou capacidade eleitoral ativa): Lição 3. Alistabilidade (cidadania ativa ou capacidade eleitoral ativa): Temos como primeira premissa desse estudo entender o que é Alistamento Eleitoral: Alistamento Eleitoral significa Procedimento Administrativo

Leia mais

!" # ) ) * +,-+ #.! 0..1(

! # ) ) * +,-+ #.! 0..1( !" # $%&'( ) ) * +,-+ #. #.! / 0..1( 234 3 5 67 8 09 7 ):+;

Leia mais

ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA ELEIÇÕES 2010 DEZ QUESTÕES QUE O ELEITOR DEVE SABER. Elaboração: ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA

ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA ELEIÇÕES 2010 DEZ QUESTÕES QUE O ELEITOR DEVE SABER. Elaboração: ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA ELEIÇÕES 2010 DEZ QUESTÕES QUE O ELEITOR DEVE SABER Elaboração: ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA Assessoria de Imprensa Comissão Justiça e Paz CJP Movimento dos Focolares Contato: Cúria

Leia mais

Sumário CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21. TÍTULO III Da Organização do Estado... 39

Sumário CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21. TÍTULO III Da Organização do Estado... 39 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21 TÍTULO I Dos Princípios Fundamentais... 21 TÍTULO II Dos Direitos e Garantias

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO PORTARIA Nº 276/2012

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO PORTARIA Nº 276/2012 TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO PORTARIA Nº 276/2012 Dispõe sobre a requisição de técnicos para realização do exame das prestações de contas de candidatos e de comitês financeiros nas campanhas

Leia mais

Curso TRE/RS 2010 EXERCÍCIOS DE NACIONALIDADE E DE DIREITOS POLÍTICOS

Curso TRE/RS 2010 EXERCÍCIOS DE NACIONALIDADE E DE DIREITOS POLÍTICOS EXERCÍCIOS DE NACIONALIDADE E DE DIREITOS POLÍTICOS Professora Alessandra Vieira 1. NACIONALIDADE 1) Do direito brasileiro, decorre a existência de duas classes de nacionalidade: a) A do nato e a do equiparado;

Leia mais

Resolvem os ministros do Tribunal Superior Eleitoral, por unanimidade, responder afirmativamente à consulta, nos termos do voto do relator.

Resolvem os ministros do Tribunal Superior Eleitoral, por unanimidade, responder afirmativamente à consulta, nos termos do voto do relator. TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO N 22.767 CONSULTA N 1.476 - CLASSE 5 a - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Carlos Ayres Britto. Consulente: Ciro Francisco Pedrosa, deputado federal.

Leia mais

DIREITOS POLÍTICOS I. João Fernando Lopes de Carvalho

DIREITOS POLÍTICOS I. João Fernando Lopes de Carvalho DIREITOS POLÍTICOS I João Fernando Lopes de Carvalho Constituição Federal Art. 1º - A República Federativa do Brasil,..., constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos: I a soberania;

Leia mais

CONSELHOS MUNICIPAIS DE MEIO AMBIENTE

CONSELHOS MUNICIPAIS DE MEIO AMBIENTE 2010 SEMA-PR Elias Araújo CONSELHOS MUNICIPAIS DE MEIO AMBIENTE O documento trata da conceituação, instituição, composição e funcionamento dos conselhos municipais de meio ambiente e é parte integrante

Leia mais

Parlamento dos Jovens 2015

Parlamento dos Jovens 2015 Parlamento dos Jovens 2015 Ensino público e privado: Que desafios? REPORTAGEM SESSÃO NACIONAL 25 & 26 MAIO 2015 Lorène Gonçalves Parlamento dos Jovens 2015 No dia 2 de Abril de 1976 foi aprovada a Constituição

Leia mais

Para dar seu voto consciente, o eleitor deverá:

Para dar seu voto consciente, o eleitor deverá: Neste ano teremos eleições gerais, para elegermos nossos representantes nas três esferas de Governo: municipal, estadual e federal. Numa democracia representativa, a escolha de prefeitos, governadores,

Leia mais

CARTA DO COLEGIADO MICRONACIONAL LUSÓFONO CML PREÂMBULO

CARTA DO COLEGIADO MICRONACIONAL LUSÓFONO CML PREÂMBULO CARTA DO COLEGIADO MICRONACIONAL LUSÓFONO CML PREÂMBULO EM NOME DE SEUS POVOS, AS MICRONAÇÕES REPRESENTADAS NA PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERMICRONACIONAL DE NAÇÕES LUSÓFONAS, Convencidas que a missão histórica

Leia mais

CONSTITUÇÃO DIREITO CONSTITUCIONAL. Conceito Básico CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS

CONSTITUÇÃO DIREITO CONSTITUCIONAL. Conceito Básico CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS CONSTITUÇÃO DIREITO CONSTITUCIONAL Prof. Eduardo Tanaka Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 05/10/1988. Constituição Federal CF Carta Magna Lei Maior 1 2 CONSTITUIÇÃO E AS A Constituição

Leia mais

Democracia: conceito, tipos e aplicação. Prof. Deivid

Democracia: conceito, tipos e aplicação. Prof. Deivid Democracia: conceito, tipos e aplicação. Prof. Deivid deividcarneiro_gyn@hotmail.com Teoria contemporânea da Democracia Três tradições históricas: Teoria clássica: divulgada como teoria aristotélica das

Leia mais

EXERCÍCIOS DIREITOS FUNDAMENTAIS CURSO MÚLTIPLA PROFESSORA : MYRIAN BRANDAO myrianpcdireito@yahoo.com.br

EXERCÍCIOS DIREITOS FUNDAMENTAIS CURSO MÚLTIPLA PROFESSORA : MYRIAN BRANDAO myrianpcdireito@yahoo.com.br EXERCÍCIOS ARTIGO 5º Assinale V para verdadeira ou F para falso as alternativas seguintes: 1 - ( ) é livre a manifestação do pensamento, sendo permitido o anonimato 2 - ( ) a casa é asilo inviolável do

Leia mais

EDITAL INTERNO Nº 19/2015-DG/NC/IFRN. Eleição para o Grêmio Estudantil do Campus Nova Cruz

EDITAL INTERNO Nº 19/2015-DG/NC/IFRN. Eleição para o Grêmio Estudantil do Campus Nova Cruz SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS NOVA CRUZ EDITAL INTERNO

Leia mais

2. SEGURIDADE SOCIAL NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

2. SEGURIDADE SOCIAL NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL SEGURIDADE SOCIAL 1. DEFINIÇÃO Conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à Previdência e à Assistência Social

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO EM CARÁTER TEMPORÁRIO ACT Nº. 0001 DE 02 DE JANEIRO DE 2014.

EDITAL DE SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO EM CARÁTER TEMPORÁRIO ACT Nº. 0001 DE 02 DE JANEIRO DE 2014. EDITAL DE SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO EM CARÁTER TEMPORÁRIO ACT Nº. 0001 DE 02 DE JANEIRO DE 2014. atribuições; O PREFEITO MUNICIPAL DE FRAIBURGO, Estado de Santa Catarina, no uso de suas FAZ SABER: Encontram-se

Leia mais

REGULAMENTO Nº 03, DE 16 DE ABRIL DE 2015, DA COMISSÃO ELEITORAL LOCAL DO CAMPUS GURUPI.

REGULAMENTO Nº 03, DE 16 DE ABRIL DE 2015, DA COMISSÃO ELEITORAL LOCAL DO CAMPUS GURUPI. REGULAMENTO Nº 03, DE 16 DE ABRIL DE 2015, DA COMISSÃO ELEITORAL LOCAL DO. A Comissão Eleitoral Local do Campus Gurupi designada pela Resolução Ad Referendum nº 1/2015/consup/ifto, de 05 de março de 2015,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º. Objeto

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º. Objeto AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define o processo eleitoral dos membros do Conselho Geral referido nos artigos

Leia mais