PROPOSTA DE ALTERAÇÃO E RATIFICAÇÃO ANUAL E GLOBAL DOS ADMINISTRADORES DA COMPANHIA PARA O EXERCÍCIO DE 2013.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROPOSTA DE ALTERAÇÃO E RATIFICAÇÃO ANUAL E GLOBAL DOS ADMINISTRADORES DA COMPANHIA PARA O EXERCÍCIO DE 2013."

Transcrição

1 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO E RATIFICAÇÃO ANUAL E GLOBAL DOS ADMINISTRADORES DA COMPANHIA PARA O EXERCÍCIO DE Tendo em vista as substanciais transformações ocorridas na realidade empresarial da Companhia ao longo de 2013, notadamente em decorrência da incorporação de sua controlada Carbocloro Indústrias Químicas Ltda. ( Carbocloro ), o Conselho de Administração deliberou, por unanimidade, submeter à Assembleia Geral a proposta de alteração e ratificação da remuneração anual e global dos administradores da Companhia para o exercício de 2013, aprovada na Assembleia Geral Ordinária realizada em 29 de abril de Proposta de Remuneração dos Administradores (exigido pelo artigo 12, da ICVM nº 481) Proposta de Remuneração do Conselho de Administração e Diretoria para 2013 Na assembleia geral extraordinária de 29 de abril de 2014, será proposto a saber: a) A alteração e ratificação da remuneração global do Conselho de administração e diretoria no total para o exercício de 2013 de até R$ ,00 para até R$ ,00. b) A remuneração do Conselho fiscal será a mínima prevista no a Artigo 162 3º da Lei 6404/76 O montante de Honorários Globais proposto para o período de maio de 2013 a abril de 2014 engloba a remuneração fixa e variável e benefícios diretos e indiretos sempre que aplicável, cujo valor total realizado foi de R$ 8,8 milhões, contra R$ 6 milhões referente ao período anterior. A variação de Honorários Globais entre o período 2012/2013 é fruto da nova composição da Administração da Companhia após incorporação da Carbocloro, e está alinhada com as práticas de mercado.

2 Item 13 do Formulário de Referência Remuneração dos administradores Descrição da política ou prática de remuneração do conselho de administração, da diretoria estatutária e não estatutária, do conselho fiscal, dos comitês estatutários e dos comitês de auditoria, de risco, financeiro e de remuneração, abordando os seguintes aspectos: a) Objetivos da política ou prática de remuneração Visa atender de forma satisfatória a competência dos profissionais em relação aos cargos que ocupam na administração e nos demais órgãos da Companhia, quando existentes, além da responsabilidade inerente aos mesmos. A remuneração da diretoria estatutária é baseada nas práticas de mercado no segmento em que está inserida e comparada com empresas do mesmo porte econômico de outros segmentos. b) Composição da remuneração, indicando: i. descrição dos elementos da remuneração e os objetivos de cada um deles. O conselho de administração recebe uma remuneração fixa mensal, e os diretores além da remuneração fixa mensal, recebem benefícios indiretos tais como Previdência Privada, Assistência Médica e Seguros de Vida em Grupo. Conforme disposição estatutária cabe à diretoria da Companhia uma participação no lucro do exercício em valor até o teto legal admitido, cabendo ao Conselho de Administração a deliberação sobre essa participação. O conselho Fiscal tem sua remuneração fixada em Assembleia Geral, no limite mínimo de 10% (dez por cento) da média da remuneração fixa mensal da diretoria estatutária, conforme item 13.2 abaixo. Essa remuneração só se aplica aos membros titulares do referido órgão ii. qual a proporção de cada elemento na remuneração total. Conselho de Administração Remuneração fixa 100% Diretoria Remuneração fixa 38%, remuneração variável 51% e Benefícios 11% Conselho Fiscal Remuneração fixa 100%

3 iii. metodologia de cálculo e de reajuste de cada um dos elementos da remuneração. A remuneração dos administradores é fixada pelo seu limite global em assembleia geral ordinária. O conselho de Administração estabelece a remuneração individual dos administradores e à época do reajuste avalia se acompanhará o dissídio da categoria dos empregados da Companhia. iv. razões que justificam a composição da remuneração. A política de remuneração dos administradores considera as responsabilidades do cargo e as práticas de mercado. c) Principais indicadores de desempenho que são levados em consideração na determinação de cada elemento da remuneração. Para determinação da remuneração mensal do conselho de Administração e da Diretoria estatutária, é considerado o valor do cargo através de sistema de avaliação de cargos e referências do mercado. O conselho Fiscal tem sua remuneração fixada em Assembleia Geral, no limite mínimo de 10% (dez por cento) da média da remuneração fixa mensal da diretoria estatutária, conforme item 13.2 abaixo. Essa remuneração só se aplica aos membros titulares do referido órgão. Para determinação da remuneração variável, Participação nos Lucros e Resultados (PLR), aos diretores estatutários, é considerado o desempenho anual da Companhia, medido pelo Lucro Líquido e EBITDA, em relação às metas previamente traçadas. d) Como a remuneração é estruturada para refletir a evolução dos indicadores de desempenho. É vinculada ao atingimento de metas econômico-financeiras da Companhia.

4 e) Como a política ou prática de remuneração se alinha aos interesses da Companhia de curto, médio e longo prazo. A política de remuneração vigente é pautada em indicadores de curto prazo (aprovada anualmente) e procura incentivar a diretoria estatutária no atingimento das metas previamente acordadas. Tais metas são, usualmente, vinculadas a melhoria do resultado da Companhia. O conselho Fiscal tem sua remuneração fixada em Assembleia Geral, no limite mínimo de 10% (dez por cento) da média da remuneração fixa mensal da diretoria estatutária, conforme item 13.2 abaixo. Essa remuneração só se aplica aos membros titulares do referido órgão. f) Existência de remuneração suportada por subsidiárias, controladas ou controladores diretos ou indiretos Não é aplicável visto que a remuneração dos administradores que eventualmente participam da gestão de subsidiárias, controladas ou controladores diretos ou indiretos, se aplicável, é totalmente desvinculado da remuneração percebida de cada uma dessas empresas. g) Existência de qualquer remuneração ou benefício vinculado à ocorrência de determinado evento societário, tal como a alienação do controle societário da Companhia. Não é aplicável, visto que não existem acordos firmados nesse sentido.

5 13.2. Remuneração reconhecida no resultado dos 3 últimos exercícios sociais e à prevista para o exercício social corrente do conselho de administração, da diretoria estatutária e do conselho fiscal. Exercício social 31/12/2013 Proposto a. órgão Conselho de Administração Diretoria Executiva Conselho Fiscal Total b. Número de Membros 4,2 2,3 5,0 11,5 c. remuneração segregada em: i - Remuneração fixa anual Salário fixo ou Pró-Labore , , , ,73 Benefícios diretos e indiretos 0, ,75 0, ,75 ii - Remuneração variável, iii - benefícios pós emprego iv - benefícios motivados pela cessação do exercício do cargo v - remuneração baseada em ações d. valor, por órgão, da remuneração do conselho de administração, da diretoria , , , ,48 estatutária e do conselho fiscal e. total da remuneração do conselho de administração, da diretoria estatutária e do conselho fiscal , , , ,48 Exercício social 31/12/2013 Realizado (¹) a. órgão Conselho de Administração Diretoria Executiva Conselho Fiscal Total b. Número de Membros 4,2 2,3 5,0 11,5 c. remuneração segregada em: i - Remuneração fixa anual Salário fixo ou Pró-Labore , , , ,13 Benefícios diretos e indiretos , , , ,29 ii - Remuneração variável, , ,00 iii - benefícios pós emprego iv - benefícios motivados pela cessação do exercício do cargo v - remuneração baseada em ações d. valor, por órgão, da remuneração do conselho de administração, da diretoria , , , ,42 estatutária e do conselho fiscal e. total da remuneração do conselho de administração, da diretoria estatutária e do , , , ,42 conselho fiscal (¹) Valor realizado do exercício de 2013, sujeito a ratificação em AGE a ser convocada para o dia 29 de abril de 2014.

6 Exercício social 31/12/2012 a. órgão Conselho de Administração Diretoria Executiva Conselho Fiscal Total b. Número de Membros 4,0 2,0 4,7 10,7 c. remuneração segregada em: i - Remuneração fixa anual Salário fixo ou Pró-Labore , , , ,22 Benefícios diretos e indiretos , ,24 ii - Remuneração variável, , ,46 iii - benefícios pós emprego iv - benefícios motivados pela cessação do exercício do cargo v - remuneração baseada em ações d. valor, por órgão, da remuneração do conselho de administração, da diretoria , , , ,92 estatutária e do conselho fiscal e. total da remuneração do conselho de administração, da diretoria estatutária e do conselho fiscal , , , ,92 Exercício social 31/12/2011 a. órgão Conselho de Administração Diretoria Executiva Conselho Fiscal Total b. Número de Membros 6,2 2,0 4,9 13,1 c. remuneração segregada em: i - Remuneração fixa anual Salário fixo ou Pró-Labore , , , ,93 Benefícios diretos e indiretos , ,28 ii - Remuneração variável, iii - benefícios pós emprego iv - benefícios motivados pela cessação do exercício do cargo v - remuneração baseada em ações d. valor, por órgão, da remuneração do conselho de administração, da diretoria , , , ,21 estatutária e do conselho fiscal e. total da remuneração do conselho de administração, da diretoria estatutária e do conselho fiscal , , , ,21

7 Exercício social 31/12/2010 a. órgão Conselho de Administração Diretoria Executiva Conselho Fiscal Total b. Número de Membros 7,0 2,0 5,0 14,0 c. remuneração segregada em: i - Remuneração fixa anual Salário fixo ou Pró-Labore , , , ,53 Benefícios diretos e indiretos , , ,24 ii - Remuneração variável, iii - benefícios pós emprego iv - benefícios motivados pela cessação do exercício do cargo v - remuneração baseada em ações d. valor, por órgão, da remuneração do conselho de administração, da diretoria , , , ,77 estatutária e do conselho fiscal e. total da remuneração do conselho de administração, da diretoria estatutária e do conselho fiscal , , , ,77

8 13.3. Em relação à remuneração variável dos 3 últimos exercícios sociais e à prevista para o exercício social corrente do conselho de administração, da diretoria estatutária e do conselho fiscal. Exercício social Conselho de Administração Diretoria Executiva Conselho Fiscal Número de Membros 4,2 2,3 5,0 Bônus Não aplicável Não aplicável Valor mínimo previsto no plano de remuneração Valor máximo previsto no plano de remuneração ,00 Valor previsto no plano de remuneração metas atingidas ,00 Valor efetivamente reconhecido ,00 Participação no resultado Não aplicável Não aplicável Valor mínimo previsto no plano de remuneração 0 Valor máximo previsto no plano de remuneração ,00 Valor previsto no plano de remuneração ,00 Valor efetivamente reconhecido ,00 Exercício social encerrado em Conselho de Administração Diretoria Executiva Conselho Fiscal Número de Membros 4,0 2,0 4,7 Bônus Não aplicável Não aplicável Não aplicável Valor mínimo previsto no plano de remuneração Valor máximo previsto no plano de remuneração Valor previsto no plano de remuneração metas atingidas Valor efetivamente reconhecido Participação no resultado Não aplicável Não aplicável Valor mínimo previsto no plano de remuneração 0 Valor máximo previsto no plano de remuneração ,00 Valor previsto no plano de remuneração ,00 Valor efetivamente reconhecido ,00

9 Exercício social encerrado em Conselho de Administração Diretoria Executiva Conselho Fiscal Número de Membros 6,2 2,0 4,9 Bônus Não aplicável Não aplicável Não aplicável Valor mínimo previsto no plano de remuneração Valor máximo previsto no plano de remuneração Valor previsto no plano de remuneração metas atingidas Valor efetivamente reconhecido Participação no resultado Não aplicável Não aplicável Valor mínimo previsto no plano de remuneração Valor máximo previsto no plano de remuneração ,00 Valor previsto no plano de remuneração metas atingidas ,00 Valor efetivamente reconhecido 0,00 Exercício social encerrado em Conselho de Administração Diretoria Executiva Conselho Fiscal Número de Membros 6,2 2,0 4,9 Bônus Não aplicável Não aplicável Não aplicável Valor mínimo previsto no plano de remuneração Valor máximo previsto no plano de remuneração Valor previsto no plano de remuneração metas atingidas Valor efetivamente reconhecido Participação no resultado Não aplicável Não aplicável Valor mínimo previsto no plano de remuneração Valor máximo previsto no plano de remuneração ,00 Valor previsto no plano de remuneração metas atingidas ,00 Valor efetivamente reconhecido 0,00

10 13.4 Em relação ao plano de remuneração baseado em ações do conselho de administração e da diretoria estatutária, em vigor no último exercício social e previsto para o exercício social corrente: a. Termos e condições gerais b. Principais objetivos do plano c. Forma como o plano contribui para esses objetivos d. Como o plano se insere na política de remuneração da Companhia e. Como o plano alinha os interesses dos administradores e da Companhia a curto, médio e longo prazo. f. Número máximo de opções a serem outorgadas. g. Condições de aquisição de ações h. Critérios para fixação do preço de aquisição ou exercício i. Critérios para fixação do prazo de exercício g. Condições de aquisição de ações h. Critérios para fixação do preço de aquisição ou exercício i. Critérios para fixação do prazo de exercício j. Forma de liquidação k. Restrições à transferência das ações l. Critérios e eventos que, quando verificados, ocasionarão a suspensão, alteração ou extinção do plano m. Efeitos da saída do administrador dos órgãos da Companhia sobre seus direitos previstos no plano de remuneração baseado em ações Item não é aplicável, visto a inexistência de disposição estatutária neste sentido.

11 13.5. Quantidade de ações ou cotas direta ou indiretamente detidas, no Brasil ou no exterior, e outros valores mobiliários conversíveis em ações ou cotas, emitidos pela Companhia, seus controladores diretos ou indiretos, sociedades controladas ou sob controle comum, por membros do conselho de administração, da diretoria estatutária ou do conselho fiscal, agrupados por órgão, na data de encerramento do último exercício social. Ações de emissão da Companhia, detidas por membros do Conselho de Administração, Conselho fiscal e Diretoria em 31 de dezembro de 2013, Conselho de Administração Ações ordinárias: Ações preferenciais Classe A: Ações preferenciais Classe B: Diretoria Estatutária Os membros da Diretoria Estatutária não são titulares de valores mobiliários emitidos pela Companhia. Conselho Fiscal Os membros do Conselho Fiscal não são titulares de valores mobiliários emitidos pela Companhia. Ações ou quotas de emissão do controlador direto detidas por membros do conselho de administração, conselho fiscal e diretoria em 31 em dezembro de 2013, Conselho de Administração Ações ordinárias:

12 Diretoria Estatutária Os membros da Diretoria Estatutária não são titulares de valores mobiliários emitidos pelo Controlador direto. Conselho Fiscal Os membros do Conselho Fiscal não são titulares de valores mobiliários emitidos pelo Controlador direto.

13 13.6. Em relação à remuneração baseada em ações reconhecida no resultado dos 3 últimos exercícios sociais e à prevista para o exercício social corrente, do conselho de administração e da diretoria estatutária: Não é aplicável conforme informado no item 13.4 acima Em relação às opções em aberto do conselho de administração e da diretoria estatutária ao final do último exercício social: Não é aplicável conforme informado no item 13.4 acima Em relação às opções exercidas e ações entregues relativas à remuneração baseada em ações do conselho de administração e da diretoria estatutária, nos 3 últimos exercícios sociais: Não é aplicável conforme informado no item 13.4 acima Descrição sumária das informações necessárias para a compreensão dos dados divulgados nos itens 13.6 a 13.8, tal como a explicação do método de precificação do valor das ações e das opções, indicando: a. Modelo de precificação b. Dados e premissas utilizadas no modelo de precificação, incluindo o preço médio ponderado das ações, preço de exercício, volatilidade esperada, prazo de vida da opção, dividendos esperados e a taxa de juros livre de risco c. Método utilizado e as premissas assumidas para incorporar os efeitos esperados de exercício antecipado d. Forma de determinação da volatilidade esperada e. Se alguma outra característica da opção foi incorporada na mensuração de seu valor justo Não é aplicável conforme informado no item 13.4 acima.

14 Em relação aos planos de previdência em vigor conferidos aos membros do conselho de administração e aos diretores estatutários, fornecer as seguintes informações em forma de tabela: a. Órgão Diretoria Diretoria b. Número de membros 1 Diretor 3 Diretores c. Nome do plano Brasilprev Carboprev d. Quantidade de administradores que reúnem as condições de se aposentar 0 0 e. Condições para se aposentar antecipadamente 0 1 f. g. Valor atualizado das contribuições acumuladas no plano de previdência até o encerramento do último exercício social, descontada a parcela relativa a contribuições feitas pelos administradores. Valor total acumulado das contribuições realizadas durante o último exercício social, descontadas a parcela relativa a contribuições feitas diretamente pelos administradores. h. Se há possibilidade de resgate antecipado e quais as condições Contribuições realizadas para a Carboprev, como envolve um plano BD, não há como identificar por participante. A Empresa efetua a contribuição na forma de % da folha de salários, em uma conta conjunta e, por ocasião do desligamento, o benefício definido é Não há. Se resgatar perdem a Não há. Se resgatar perdem a parcela constituída pela parcela constituída pela Patrocinadora. Patrocinadora.

15 Indicação dos itens da tabela abaixo, para os 3 últimos exercícios sociais, em relação ao conselho de administração, à diretoria estatutária e ao conselho fiscal Valores Anuais 31/12/2013 Diretoria Estatutária Conselho de Administração Conselho Fiscal Nº de membros 2,3 4,2 5,0 valor da maior remuneração (Reais) , , ,90 valor da menor remuneração (Reais) 7.517, , ,07 valor médio da remuneração (Reais) , , ,26 31/12/2012 Diretoria Estatutária Conselho de Administração Conselho Fiscal Nº de membros 2,0 4,0 4,7 valor da maior remuneração (Reais) , , ,80 valor da menor remuneração (Reais) 9.465, , ,45 valor médio da remuneração (Reais) , , ,71 31/12/2011 Diretoria Estatutária Conselho de Administração Conselho Fiscal Nº de membros 2,0 6,2 4,9 valor da maior remuneração (Reais) , , ,22 valor da menor remuneração (Reais) 3.762, , ,04 valor médio da remuneração (Reais) , , ,37 31/12/2010 Diretoria Estatutária Conselho de Administração Conselho Fiscal Nº de membros 2,00 7,0 5,0 valor da maior remuneração (Reais) , , ,54 valor da menor remuneração (Reais) 1.213, , ,54 valor médio da remuneração (Reais) , , ,54

16 Descrição dos arranjos contratuais, apólices de seguros ou outros instrumentos que estruturem mecanismos de remuneração ou indenização para os administradores em caso de destituição do cargo ou de aposentadoria, indicando quais as consequências financeiras para a Companhia. Item não aplicável visto não existir arranjos contratuais com as características citadas Em relação aos 3 últimos exercícios sociais, indicar o percentual da remuneração total de cada órgão reconhecida no resultado da Companhia referente a membros do conselho de administração, da diretoria estatutária ou do conselho fiscal que sejam partes relacionadas aos controladores, diretos ou indiretos, conforme definido pelas regras contábeis que tratam desse assunto Diretoria Estatutária 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% Conselho de Administração 62,2% 79,4% 100% 95,2% Conselho Fiscal 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% Em relação aos 3 últimos exercícios sociais, indicar os valores reconhecidos no resultado da Companhia como remuneração de membros do conselho de administração, da diretoria estatutária ou do conselho fiscal, agrupados por órgão, por qualquer razão que não a função que ocupam, como por exemplo, comissões e serviços de consultoria ou assessoria prestados. Não houve pagamentos aos membros do conselho de administração, diretoria estatutária ou do conselho fiscal, por qualquer razão que não relacionados com as funções que ocupam na Companhia.

17 Em relação aos 3 últimos exercícios sociais, indicar os valores reconhecidos no resultado de controladores, diretos ou indiretos, de sociedades sob controle comum e de controladas da Companhia, como remuneração de membros do conselho de administração, da diretoria estatutária ou do conselho fiscal da Companhia, agrupados por órgão, especificando a que título tais valores foram atribuídos a tais indivíduos. Honorários registrados no resultado de controladas: ORGÃO Conselho de Administração , , , ,20 Conselho Fiscal , , , ,72 Diretoria 2.800, , , ,00 TOTAL , , , , Outras informações que a Companhia julga relevantes A administração da Companhia julga relevante informar os valores previstos para o ano de 2013 relativas às informações solicitadas no Item 13.11, conforme abaixo: Valore Anuais PREVISTO PARA 31/12/2014 Diretoria Estatutária Conselho de Administração Conselho Fiscal Nº de membros 3,3 3,7 5,00 valor da maior remuneração (Reais) , , ,56 valor da menor remuneração (Reais) , , ,56 valor médio da remuneração (Reais) , , ,56

18 RELATÓRIO DE ORIGEM E JUSTIFICATIVA DA PROPOSTA DE REFORMA AO ESTATUTO SOCIAL DA COMPANHIA Nos termos do artigo 11, inciso II, da Instrução CVM nº 481/09, o presente relatório detalha a proposta de reforma ao Estatuto Social da Unipar Carbocloro S.A. ( Proposta e Companhia, respectivamente), elaborada pela Diretoria da Companhia e aprovada por seu Conselho de Administração, em reunião realizada em 27 de março de 2014, e que será submetida à Assembleia Geral Extraordinária da Companhia convocada para o dia 29 de abril de I. Introdução Como é de conhecimento dos acionistas e do mercado em geral, a realidade empresarial da Companhia passou por substanciais transformações no ano de 2013, tendo em vista a aquisição da totalidade do capital social e posterior incorporação de sua controlada Carbocloro Indústrias Químicas Ltda ( Carbocloro ). Uma das principais consequências desse processo foi a transformação da Companhia em uma sociedade operacional, que passou a conduzir diretamente as atividades anteriormente desenvolvidas por meio da Carbocloro. Essa transformação exigiu a adoção, ao longo dos últimos meses, de relevantes medidas internas, notadamente (i) a eleição de novos diretores, ampliando-se a área de atuação da Diretoria da Companhia; (ii) a realização de estudos visando ao aprimoramento da estrutura administrativa e dos mecanismos de governança corporativa existentes na Companhia. A Proposta resulta justamente dos estudos feitos pela administração até este momento, os quais levaram em conta, substancialmente, o novo cotidiano da Companhia. Portanto, o principal objetivo da Proposta é permitir que o Estatuto Social reflita aquela que é, no entendimento da administração, a estrutura administrativa mais adequada para a atual realidade empresarial da Companhia. Adicionalmente, a Proposta também abrange a criação de novos mecanismos de governança, que assegurarão maior transparência aos acionistas. Este é o caso, por exemplo, da escolha do Presidente e do Vice-Presidente do Conselho de Administração da Companhia, que passará a ser feita pela Assembleia Geral, e não mais pelo próprio Conselho de Administração. Em síntese, no entendimento da administração, a aprovação da Proposta representará substancial modernização do Estatuto Social da Companhia, tornando-o adequado à sua

19 nova realidade empresarial, especialmente no que diz respeito à sua estrutura administrativa. II. Origem e Justificativa da Proposta de Reforma Estatutária Feitos esses esclarecimentos iniciais, a administração da Companhia passa a relatar a origem, a justificativa e os efeitos jurídicos e econômicos dos principais itens da proposta de reforma ao Estatuto Social objeto da Assembleia Geral Extraordinária, nos termos do art. 11, incisos I e II, da Instrução CVM nº 481/09. II.A Reforma proposta ao Capítulo III Assembleia Geral Com relação ao Capítulo III do Estatuto Social, que trata das Assembleias Gerais da Companhia, a administração propõe uma série de alterações que visam a elucidar e aprimorar os requisitos e procedimentos relativos à instalação e condução das Assembleias Gerais. Nesse sentido, merecem destaque: (i) as alterações que tratam do funcionamento da mesa e da condução dos trabalhos assembleares; (ii) as alterações que visam a aprimorar a organização prévia das assembleias. II.B Reforma proposta ao Capítulo IV - Administração Com relação ao Capítulo IV do Estatuto Social, que trata da administração da Companhia, a Proposta abrange uma série de alterações que têm por finalidade a implementação de estrutura administrativa adequada à atual realidade da Companhia. Conforme acima indicado, tendo em vista a condução das atividades operacionais anteriormente desenvolvidas pela Carbocloro, a reforma estatutária proposta é necessária para fazer frente às recorrentes demandas apresentadas no cotidiano da Companhia, de modo a garantir maior eficiência administrativa e melhores mecanismos de tomada de decisões. Dentre as alterações propostas, ressalta-se: (i) (ii) o aumento do mandato dos administradores para o prazo de 2 (dois) anos, com o propósito de lhes garantir maior estabilidade para, no exercício de suas respectivas funções, elaborar e implementar as estratégias e projetos de desenvolvimento sustentável da Companhia; com relação ao Conselho de Administração, a delineação de suas atribuições específicas e a adoção de medidas que visam facilitar a participação dos

20 conselheiros em reuniões, inclusive por meios de comunicação que permitam a sua identificação e a comunicação simultânea com os demais; (iii) a atribuição de competência à Assembleia Geral para escolher, entre os conselheiros de administração eleitos, o Presidente e o Vice-Presidente do Conselho de Administração da Companhia; (iv) com relação à Diretoria, o aumento de sua composição para até 7 (sete) membros; (v) a criação de cargos específicos para a Diretoria, notadamente os de Diretor Financeiro e de Diretor de Relações com Investidores, bem como a delineação das atribuições gerais da Diretoria e das competências dos respectivos diretores com designação específica; (vi) o aprimoramento das regras de representação da Companhia perante terceiros; II.C Reforma proposta ao Capítulo VI - Exercício Social, Demonstrações Financeiras e Destinação de Lucros Com relação ao Capítulo VI, a administração propõe a alteração do Artigo 34 do Estatuto Social para a criação de uma nova reserva estatutária: a reserva para investimentos, que terá a finalidade de assegurar a realização de investimentos de interesse da Companhia, bem como reforçar seu capital de giro. Nesse contexto, é importante notar que a administração propõe a suspensão da eficácia dos dispositivos estatutários referentes à reserva para investimento até a Assembleia Geral Ordinária que aprovar as demonstrações financeiras do exercício de 2014, de modo que a destinação dos resultados na Assembleia Geral Ordinária que aprovar as demonstrações financeiras do exercício de 2013 ocorra em conformidade com o Estatuto Social atualmente em vigor. II.D Demais ajustes à estrutura, redação e forma do Estatuto Social Além das alterações narradas acima, a Proposta da administração compreende uma série de ajustes à estrutura, redação e forma do Estatuto Social, com o propósito de tornar o seu conteúdo mais facilmente compreensível para os acionistas da Companhia e para o mercado em geral. Este é o caso, por exemplo, dos ajustes propostos aos Capítulos I, II, V, VII e VIII da versão atual do Estatuto Social, que não implicam alterações substanciais ao conteúdo. Em alguns casos, buscou-se harmonizar a linguagem do Estatuto com os dispositivos da legislação e da regulamentação em vigor.

21 III. Visualização e Compreensão da Proposta Com o propósito de facilitar a visualização e compreensão da Proposta, as alterações estatutárias se encontram devidamente comentadas e fundamentadas no quadro comparativo constante do Anexo A, que reproduz, a partir da esquerda para a direita: (i) (ii) (iii) (iv) a versão do Estatuto Social atualmente em vigor (sem as alterações propostas); a nova versão proposta pelo Conselho de Administração (não comparada com a versão atualmente em vigor), a versão comparada (assinalando todas as diferenças entre o texto atual e o texto ora proposto), e os comentários e justificativas em relação a cada alteração proposta. Adicionalmente, a nova versão do Estatuto Social proposta pelo Conselho de Administração consta, de forma consolidada, do Anexo B. São Paulo, 11 de abril de 2014.

22 Anexo A Redação atual Redação proposta Redação comparada Comentários / Justificativas CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, OBJETO, SEDE E DURAÇÃO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, OBJETO, SEDE E DURAÇÃO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, OBJETO, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º - A UNIPAR CARBOCLORO S.A. é uma Companhia que se rege pelo presente Estatuto e pelas disposições legais aplicáveis. Artigo 1º A UNIPAR CARBOCLORO S.A. é uma companhia que se rege pelo presente Estatuto e pelas disposições legais aplicáveis. Artigo 1º A UNIPAR CARBOCLORO S.A. é uma companhia que se rege pelo presente Estatuto e pelas disposições legais aplicáveis. Art. 2º - A Companhia tem por objeto (i) a indústria, comércio, importação e exportação de soda cáustica, cloro e produtos químicos derivados, e também a importação e exportação de quaisquer outros produtos fabricados/comercializados por terceiros, inclusive produtos agrícolas de qualquer natureza e derivados, que sejam do interesse da Companhia; (ii) a prestação de serviços relacionados às atividades descritas no item anterior; (iii) a Artigo 2º A Companhia tem por objeto (i) a indústria, comércio, importação e exportação de soda cáustica, cloro e produtos químicos derivados, e também a importação e exportação de quaisquer outros produtos fabricados/comercializados por terceiros, inclusive produtos agrícolas de qualquer natureza e derivados, que sejam do interesse da Companhia; (ii) a prestação de serviços relacionados às atividades descritas no item anterior; (iii) a Artigo 2º A Companhia tem por objeto (i) a indústria, comércio, importação e exportação de soda cáustica, cloro e produtos químicos derivados, e também a importação e exportação de quaisquer outros produtos fabricados/ comercializados por terceiros, inclusive produtos agrícolas de qualquer natureza e derivados, que sejam do interesse da Companhia; (ii) a prestação de serviços relacionados às atividades descritas no item anterior; (iii) a

23 representação, por conta própria ou de terceiros, de sociedades nacionais e estrangeiras; e (iv) a participação como sócia ou acionista de outras sociedades, direta ou indiretamente, inclusive por meio de fundos de investimento. representação, por conta própria ou de terceiros, de sociedades nacionais e estrangeiras; e (iv) a participação como sócia ou acionista de outras sociedades, direta ou indiretamente, inclusive por meio de fundos de investimento. representação, por conta própria ou de terceiros, de sociedades nacionais e estrangeiras; e (iv) a participação como sócia ou acionista de outras sociedades, direta ou indiretamente, inclusive por meio de fundos de investimento. Art. 3º - A Companhia tem sede e foro na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo. Artigo 3º A Companhia tem sede e foro na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo. Artigo 3º A Companhia tem sede e foro na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo. Art. 4º - O prazo de duração da Companhia é indeterminado. Artigo 4º O prazo de duração da Companhia é indeterminado. Artigo 4º O prazo de duração da Companhia é indeterminado. CAPÍTULO II CAPITAL SOCIAL E AÇÕES CAPÍTULO II CAPITAL SOCIAL E AÇÕES CAPÍTULO II CAPITAL SOCIAL E AÇÕES Art. 5º - O capital social é de R$ ,12 (trezentos e oitenta e quatro milhões, trezentos e trinta mil, novecentos e cinquenta e três reais e doze centavos), dividido em ações com valor nominal de R$0,46 (quarenta e seis centavos) cada uma, todas nominativas e escriturais, das seguintes espécies e classes: Artigo 5º O capital social é de R$ ,12 (trezentos e oitenta e quatro milhões, trezentos e trinta mil, novecentos e cinquenta e três reais e doze centavos), dividido em (oitocentas e trinta e cinco milhões, quinhentas e duas mil e setenta e duas) ações com valor nominal de R$0,46 (quarenta e seis centavos) cada uma, todas Artigo 5º O capital social é de R$ ,12 (trezentos e oitenta e quatro milhões, trezentos e trinta mil, novecentos e cinquenta e três reais e doze centavos), dividido em (oitocentas e trinta e cinco milhões, quinhentas e duas mil e setenta e duas) ações com valor nominal de R$0,46 (quarenta e seis centavos) cada uma, todas Alteração meramente redacional.

24 nominativas e escriturais, das seguintes espécies e classes: nominativas e escriturais, das seguintes espécies e classes: I) ações ordinárias; (i) (duzentas e setenta e oito milhões, quinhentas mil, seiscentas e noventa) ações ordinárias; (i) (duzentas e setenta e oito milhões, quinhentas mil, seiscentas e noventa) ações ordinárias; II) ações preferenciais classe A ; e (ii) (vinte e cinco milhões, novecentas e sete mil, cento e nove) ações preferenciais classe A ; e (ii) (vinte e cinco milhões, novecentas e sete mil, cento e nove) ações preferenciais classe A ; e III) ações preferenciais classe B. (iii) (quinhentas e trinta e uma milhões, noventa e quatro mil, duzentas e setenta e três) ações preferenciais classe B. (iii) (quinhentas e trinta e uma milhões, noventa e quatro mil, duzentas e setenta e três) ações preferenciais classe B. Art. 6º - Nas deliberações da Assembleia Geral, cada ação ordinária dará direito a um voto. Artigo 6º Nas deliberações da Assembleia Geral, cada ação ordinária dará direito a um voto. Artigo 6º Nas deliberações da Assembleia Geral, cada ação ordinária dará direito a um voto. Art. 7º - As ações preferenciais da Companhia dividem-se em 2 (duas) classes, com os seguintes direitos e vantagens: Artigo 7º As ações preferenciais da Companhia dividem-se em 2 (duas) classes, com os seguintes direitos e vantagens: Artigo 7º As ações preferenciais da Companhia dividem-se em 2 (duas) classes, com os seguintes direitos e vantagens: I) Ações Preferenciais classe A - recebimento de dividendo mínimo prioritário de 10% (dez por cento) ao (i) Ações Preferenciais classe A recebimento de dividendo mínimo prioritário de 10% (dez por cento) ao (i) Ações Preferenciais classe A recebimento de dividendo mínimo prioritário de 10% (dez por cento) ao

25 ano sobre o valor nominal de cada ação, sendo assegurado que tais dividendos não serão inferiores a 110% do atribuído a cada ação ordinária. ano sobre o valor nominal de cada ação, sendo assegurado que tais dividendos não serão inferiores a 110% do atribuído a cada ação ordinária; ano sobre o valor nominal de cada ação, sendo assegurado que tais dividendos não serão inferiores a 110% do atribuído a cada ação ordinária; II) Ações Preferenciais classe B a) prioridade no reembolso do capital, sem prêmio, no caso de liquidação da Companhia; e b) recebimento de um dividendo, por ação preferencial, 10% (dez por cento) maior do que o atribuído a cada ação ordinária. (i) Ações Preferenciais classe B (a) prioridade no reembolso do capital, sem prêmio, no caso de liquidação da Companhia e (b) recebimento de um dividendo, por ação preferencial, 10% (dez por cento) maior do que o atribuído a cada ação ordinária. (i) Ações Preferenciais classe B (a) prioridade no reembolso do capital, sem prêmio, no caso de liquidação da Companhia e (b) recebimento de um dividendo, por ação preferencial, 10% (dez por cento) maior do que o atribuído a cada ação ordinária. Reprodução, para fins de melhor. Parágrafo 1º As ações preferenciais classes "A" e "B" não terão direito a voto. Parágrafo 1º As ações preferenciais classes "A" e "B" não terão direito a voto. organização, de parte do conteúdo do parágrafo 2º do Artigo 7º da versão atual do Estatuto Social. Redação inalterada. Parágrafo Primeiro - As ações preferenciais classe "B" poderão, por deliberação da Assembleia Geral, ser convertidas em ordinárias ou em outra classe de preferenciais que vier Parágrafo 2º As ações preferenciais classe "B" poderão, por deliberação da Assembleia Geral, ser convertidas em ordinárias ou em outra classe de preferenciais que vier a ser criada. Parágrafo 2º As ações preferenciais classe "B" poderão, por deliberação da Assembleia Geral, ser convertidas em ordinárias ou em outra classe de preferenciais que vier a ser criada.

26 a ser criada Parágrafo Segundo - As ações preferenciais classes "A" e "B" não terão direito a voto e, à vontade do acionista, as ações preferenciais da classe "A" poderão ser convertidas em igual número de ações preferenciais da classe "B". Parágrafo 3º As ações preferenciais da classe "A" poderão, à vontade do acionista, ser convertidas em igual número de ações preferenciais da classe "B". Parágrafo 3º As ações preferenciais classes "A" e "B" não terão direito a voto e As ações preferenciais da classe "A" poderão, à vontade do acionista, as ações preferenciais da classe "A" poderão ser convertidas em igual número de ações preferenciais da classe "B". Transferência, para fins de melhor organização, de parte do conteúdo do parágrafo 2º do Artigo 7º da versão atual do Estatuto Social para o parágrafo 1º do Artigo 7º da nova versão. Alteração meramente redacional. Parágrafo Terceiro - Enquanto não efetivada a conversão total das ações preferenciais da classe "A" em "B", considerar-se-á, para efeito de representação do capital social, a posição de cada uma dessas classes declarada em Assembleia Geral. Parágrafo 4º Enquanto não efetivada a conversão total das ações preferenciais da classe "A" em "B", considerar-se-á, para efeito de representação do capital social, a posição de cada uma dessas classes declarada em Assembleia Geral. Parágrafo 4º Enquanto não efetivada a conversão total das ações preferenciais da classe "A" em "B", considerar-se-á, para efeito de representação do capital social, a posição de cada uma dessas classes declarada em Assembleia Geral. Art. 8º - A Companhia poderá aumentar o capital social, independentemente de reforma estatutária, por deliberação do Conselho de Administração, até o valor correspondente a R$ ,00 (oitocentos e quarenta milhões de reais), Artigo 8º A Companhia poderá aumentar o capital social, independentemente de reforma estatutária, por deliberação do Conselho de Administração, até o valor correspondente a R$ ,00 (oitocentos e quarenta milhões de reais), Artigo 8º A Companhia poderá aumentar o capital social, independentemente de reforma estatutária, por deliberação do Conselho de Administração, até o valor correspondente a R$ ,00 (oitocentos e quarenta milhões de reais),

27 observados os seguintes limites quanto às espécies e classes de ações: observados os seguintes limites quanto às espécies e classes de ações: observados os seguintes limites quanto às espécies e classes de ações: I) ações preferenciais classe "A" não excederão o limite fixado no inciso II do Artigo 5º deste Estatuto; (i) ações preferenciais classe "A" não excederão o limite fixado no inciso (ii) do Artigo 5º deste Estatuto; (i) ações preferenciais classe "A" não excederão o limite fixado no inciso (ii) do Artigo 5º deste Estatuto; II) até 2/3 (dois terços) do capital social serão representados por ações preferenciais; e (ii) até 2/3 (dois terços) do capital social serão representados por ações preferenciais; e (ii) até 2/3 (dois terços) do capital social serão representados por ações preferenciais; e III) o restante do capital social será representado por ações ordinárias. (iii) o restante do capital social será representado por ações ordinárias. (iii) o restante do capital social será representado por ações ordinárias. Parágrafo Primeiro - As deliberações do Conselho de Administração sobre a emissão de ações serão transcritas no livro próprio, e conterão: Parágrafo Primeiro As deliberações do Conselho de Administração sobre a emissão de ações serão transcritas no livro próprio, e estabelecerão, entre outros termos: Parágrafo Primeiro As deliberações do Conselho de Administração sobre a emissão de ações serão transcritas no livro próprio, e conterãoestabelecerão, entre outros termos: Alteração meramente redacional. a) a quantidade, a espécie e a classe de ações objeto da emissão; (i) a quantidade, a espécie e a classe de ações objeto da emissão; (i) a quantidade, a espécie e a classe de ações objeto da emissão; b) se a subscrição será pública ou particular; (ii) se a subscrição será pública ou particular; (ii) se a subscrição será pública ou particular; c) as condições de integralização em moeda, bens, ou direitos, o valor e o prazo ou datas de pagamento das prestações, que deverão constar do (iii) as condições de integralização em moeda, bens ou direitos, o valor e o prazo ou datas de pagamento das prestações, que deverão constar do (iii) as condições de integralização em moeda, bens ou direitos, o valor e o prazo ou datas de pagamento das prestações, que deverão constar do

28 Boletim de Subscrição; Boletim de Subscrição; Boletim de Subscrição; d) os valores fixos mínimos pelos quais as ações poderão ser colocadas ou subscritas; e e) o prazo para subscrição das ações. Parágrafo Segundo - A não realização pelo acionista, nas condições previstas no Boletim de Subscrição, de qualquer prestação correspondente às ações subscritas importará de pleno direito, independentemente de aviso ou notificação, na constituição do acionista em mora, sujeitando-se o mesmo ao pagamento do valor da(s) prestação(ões) vencida(s), atualizada(s) monetariamente, pelos índices de atualização dos débitos fiscais, multa de 5% (cinco por cento) e juros de 6% (seis por cento) ao ano sobre o total da dívida. Na hipótese acima a Companhia poderá à sua escolha promover a execução do (iv) os valores fixos mínimos pelos quais as ações poderão ser colocadas ou subscritas; e (v) o prazo para exercício do direito de preferência para subscrição das ações, se aplicável. Parágrafo 2º A não realização pelo acionista, nas condições previstas no Boletim de Subscrição, de qualquer prestação correspondente às ações subscritas importará de pleno direito, independentemente de aviso ou notificação, na constituição do acionista em mora, sujeitando-se o mesmo ao pagamento do valor da(s) prestação(ões) vencida(s), atualizada(s) monetariamente, pelos índices de atualização dos débitos fiscais, multa de 5% (cinco por cento) e juros de 6% (seis por cento) ao ano sobre o total da dívida. Na hipótese acima a Companhia poderá à sua escolha promover a execução do acionista ou determinar a venda das (iv) os valores fixos mínimos pelos quais as ações poderão ser colocadas ou subscritas; e (v) o prazo para exercício do direito de preferência para subscrição das ações, se aplicável. Parágrafo 2º A não realização pelo acionista, nas condições previstas no Boletim de Subscrição, de qualquer prestação correspondente às ações subscritas importará de pleno direito, independentemente de aviso ou notificação, na constituição do acionista em mora, sujeitando-se o mesmo ao pagamento do valor da(s) prestação(ões) vencida(s), atualizada(s) monetariamente, pelos índices de atualização dos débitos fiscais, multa de 5% (cinco por cento) e juros de 6% (seis por cento) ao ano sobre o total da dívida. Na hipótese acima a Companhia poderá à sua escolha promover a execução do Alteração meramente redacional.

29 acionista ou determinar a venda das ações em Bolsa de Valores, por conta e risco do acionista inadimplente. ações em Bolsa de Valores, por conta e risco do acionista inadimplente. acionista ou determinar a venda das ações em Bolsa de Valores, por conta e risco do acionista inadimplente. Art. 9º - Na proporção do número de ações que possuírem, os acionistas terão preferência para subscrição do aumento de capital. Artigo 9º Na proporção do número de ações que possuírem, os acionistas terão preferência para subscrição do aumento de capital. Artigo 9º Na proporção do número de ações que possuírem, os acionistas terão preferência para subscrição do aumento de capital. Parágrafo Primeiro - O disposto neste artigo não se aplica aos aumentos de capital mediante emissão de ações destinadas a: Parágrafo 1º O disposto neste artigo não se aplica aos aumentos de capital mediante emissão de ações destinadas a: Parágrafo 1º O disposto neste artigo não se aplica aos aumentos de capital mediante emissão de ações destinadas a: a) venda em Bolsa de Valores ou subscrição pública; (i) venda em Bolsa de Valores ou subscrição pública; (i) venda em Bolsa de Valores ou subscrição pública; b) permuta por ações, em oferta pública de aquisição de controle; e (ii) permuta por ações, em oferta pública de aquisição de controle; e (ii) permuta por ações, em oferta pública de aquisição de controle; e c) subscrição de ações nos termos de lei especial sobre incentivos fiscais. (iii) subscrição de ações nos termos de lei especial sobre incentivos fiscais. Parágrafo Segundo - Quando os acionistas tiverem direito de preferência à subscrição, o prazo de exercício desse direito será fixado em edital publicado na forma legal e não será inferior a 30 (trinta) dias a contar Parágrafo 2º Quando os acionistas tiverem direito de preferência à subscrição, o prazo de exercício desse direito não será inferior a 30 (trinta) dias a contar da primeira publicação da ata da deliberação social que Parágrafo 2º Quando os acionistas tiverem direito de preferência à subscrição, o prazo de exercício desse direito será fixado em edital publicado na forma legal e não será inferior a 30 (trinta) dias a contar da Alteração para que a contagem do prazo para exercício de direito de preferência se inicie automaticamente a partir da publicação da ata da deliberação social que aprovar o respectivo aumento de capital, com

30 da primeira publicação. aprovar o respectivo aumento de capital. primeira publicação da ata da deliberação social que aprovar o vistas à redução de custos operacionais e ganhos de eficiência, respectivo aumento de capital. sem nenhum prejuízo da divulgação temporânea de Aviso aos Acionistas detalhando os procedimentos a serem observados. Art O aumento de capital social poderá ocorrer quando o saldo das reservas de lucros, exceto as reservas para contingências e de lucros a realizar, ultrapassar o capital social, ficando a critério da Assembleia Geral deliberar sobre o aumento do capital social ou a maneira de distribuir o excedente. Art O aumento de capital social poderá ocorrer quando o saldo das reservas de lucros, exceto as reservas para contingências e de lucros a realizar, ultrapassar o capital social, ficando a critério da Assembleia Geral deliberar sobre o aumento do capital social ou a maneira de distribuir o excedente. Exclusão do Artigo 10, tendo em vista que se trata de disposição expressamente prevista no art. 199 da Lei, que possui redação mais clara do que aquela do Estatuto Social atualmente em vigor. Art No limite do capital autorizado a Companhia poderá: Artigo 10 No limite do capital autorizado a Companhia poderá: Art. 11 -Artigo 10 No limite do capital autorizado a Companhia poderá: Renumeração do Artigo 11 do Estatuto Social. I) de acordo com plano aprovado pela Assembleia Geral com base em proposta do Conselho de Administração, e por deliberação deste, outorgar opção de compra de ações aos seus administradores ou (i) de acordo com plano aprovado pela Assembleia Geral com base em proposta do Conselho de Administração, e por deliberação deste, outorgar opção de compra de ações a administradores, empregados (i) de acordo com plano aprovado pela Assembleia Geral com base em proposta do Conselho de Administração, e por deliberação deste, outorgar opção de compra de ações aos seusa administradores ou, Inclusão de redação com o fim de esclarecer que o Comitê eventualmente constituído para a execução de plano de opção de compra de ações deverá ser composto por administradores da Companhia.

31 empregados, ou a pessoas naturais que prestem serviços à Companhia ou a sociedade sob seu controle, podendo o Conselho de Administração delegar a execução do plano a um Comitê cujos membros serão por ele designados; e ou pessoas naturais prestadoras de serviços da Companhia ou de sociedade sob o seu controle, podendo o Conselho de Administração delegar a execução do plano a um Comitê cujos membros serão por ele designados dentre os administradores da Companhia; e empregados, ou a pessoas naturais que prestemprestadoras de serviços àda Companhia ou ade sociedade sob o seu controle, podendo o Conselho de Administração delegar a execução do plano a um Comitê cujos membros serão por ele designados dentre os administradores da Companhia; e II) por deliberação do Conselho de Administração, emitir bônus de subscrição de ações do capital social, com ou sem direito de preferência para os antigos acionistas. (ii) por deliberação do Conselho de Administração, emitir bônus de subscrição de ações do capital social, com ou sem direito de preferência para os antigos acionistas. (ii) por deliberação do Conselho de Administração, emitir bônus de subscrição de ações do capital social, com ou sem direito de preferência para os antigos acionistas. Parágrafo Primeiro - A proposta de outorga de opção de compra de ações será lavrada em livro próprio e conterá: Parágrafo 1º A proposta de outorga de opção de compra de ações será lavrada em livro próprio e conterá: Parágrafo 1º A proposta de outorga de opção de compra de ações será lavrada em livro próprio e conterá: a) a quantidade, a espécie e a classe das ações com a indicação do titular do direito de opção; (i) a quantidade, a espécie e a classe das ações com a indicação do titular do direito de opção; (i) a quantidade, a espécie e a classe das ações com a indicação do titular do direito de opção; b) o prazo ou a época para seu exercício; e (ii) o prazo ou a época para seu exercício; e (ii) o prazo ou a época para seu exercício; e c) o preço de aquisição das ações objeto da opção, ou os critérios de sua (iii) o preço de aquisição das ações objeto da opção, ou os critérios de sua (iii) o preço de aquisição das ações objeto da opção, ou os critérios de sua

c. Principais indicadores de desempenho que são levados em consideração na determinação de cada elemento da remuneração

c. Principais indicadores de desempenho que são levados em consideração na determinação de cada elemento da remuneração ITEM 13 - REMUNERAÇÃO DOS ADMINISTRADORES 13.1. Descrição da política ou prática de remuneração do conselho de administração, da diretoria estatutária e não estatutária, do conselho fiscal, dos comitês

Leia mais

INFORMAÇÕES ADICIONAIS - INSTRUÇÃO CVM 481/09

INFORMAÇÕES ADICIONAIS - INSTRUÇÃO CVM 481/09 PROPOSTA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS, A SER SUBMETIDA À DELIBERAÇÃO DOS ACIONISTAS EM ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCADA

Leia mais

R$ ,15 (dezesseis milhões, seiscentos e trinta e quatro mil, duzentos e quatorze reais e quinze centavos)

R$ ,15 (dezesseis milhões, seiscentos e trinta e quatro mil, duzentos e quatorze reais e quinze centavos) DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1) Lucro líquido do exercício: R$ 16.634.214,15 (dezesseis milhões, seiscentos e trinta e quatro mil, duzentos e quatorze reais e quinze centavos) 2) Montante global e valor

Leia mais

BR HOME CENTERS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº / NIRE nº

BR HOME CENTERS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº / NIRE nº BR HOME CENTERS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 11.102.250/0001-59 NIRE nº 52300013836 COMPANHIA ABERTA PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA (AGO) DE 28 DE ABRIL DE 2017 Prezados Senhores,

Leia mais

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados PROPOSTA DE DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO QUE CONTENHA, NO MÍNIMO, AS INFORMAÇÕES INDICADAS NO ANEXO 9.1.II DA INSTRUÇÃO NORMATIVA CVM n. 481/09 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro

Leia mais

UNIPAR CARBOCLORO S.A. Companhia Aberta. CNPJ/MF nº / NIRE

UNIPAR CARBOCLORO S.A. Companhia Aberta. CNPJ/MF nº / NIRE UNIPAR CARBOCLORO S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 33.958.695/0001-78 NIRE 35.300.454.758 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 27 DE NOVEMBRO DE 2014 1. DATA, HORA, LOCAL: Realizada aos

Leia mais

CYRELA BRAZIL REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES. CNPJ/MF nº / NIRE

CYRELA BRAZIL REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES. CNPJ/MF nº / NIRE CYRELA BRAZIL REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF nº 73.178.600/0001-18 NIRE - 35.300.137.728 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DATA, HORA E LOCAL: 23 de março de 2016, às 10:00

Leia mais

ANEXO 30-XXXII. Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 11 de maio de 2016

ANEXO 30-XXXII. Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 11 de maio de 2016 ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 11 de maio de 2016 1) Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social: O valor do Aumento

Leia mais

PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09

PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09 PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro líquido do exercício de 2012 foi de R$ 1.448.887.908,07

Leia mais

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados 1. Informar o lucro líquido do exercício ANEXO 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO O lucro líquido do exercício de 2009 foi de R$198.263.226,61 (cento e noventa e oito milhões, duzentos e sessenta e três

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS UNIBANCO C - PETROBRÁS CNPJ Nº 03.916.755/0001-29 DO FUNDO

REGULAMENTO DO FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS UNIBANCO C - PETROBRÁS CNPJ Nº 03.916.755/0001-29 DO FUNDO REGULAMENTO DO FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS UNIBANCO C - PETROBRÁS CNPJ Nº 03.916.755/0001-29 DO FUNDO Artigo 1º - O FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS UNIBANCO C - PETROBRÁS, doravante designado, abreviadamente,

Leia mais

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº 16.590.234/0001-76 NIRE 31.300.025.91-8 AVISO AOS ACIONISTAS AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. ( Companhia ), COMUNICA aos seus acionistas

Leia mais

DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO

DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro líquido do exercício social findo em 31.12.2010 foi de R$ 72.793.804,47 (setenta e dois milhões, setecentos e noventa e três

Leia mais

LINX S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ: / NIRE:

LINX S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ: / NIRE: LINX S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ: 06.948.969/0001-75 NIRE: 35.300.316.584 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 13 DE FEVEREIRO DE 2017 1 DATA, HORA E LOCAL: Aos

Leia mais

MMX MINERAÇÃO E METÁLICOS S.A. CNPJ/MF n / NIRE Companhia Aberta

MMX MINERAÇÃO E METÁLICOS S.A. CNPJ/MF n / NIRE Companhia Aberta MMX MINERAÇÃO E METÁLICOS S.A. CNPJ/MF n 02.762.115/0001-49 NIRE 3.33.002.6111-7 Companhia Aberta ANEXO 14 DA INSTRUÇÃO CVM 481/2009 AUMENTO DE CAPITAL Em conformidade com o artigo 14 da Instrução CVM

Leia mais

INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES EM INFRA-ESTRUTURA S.A. INVEPAR CNPJ/MF / NIRE:

INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES EM INFRA-ESTRUTURA S.A. INVEPAR CNPJ/MF / NIRE: ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 19 DE NOVEMBRO DE 2009 1. Data, hora e local: 19 de novembro de 2009, às 10:00 horas, na sede social, localizada na cidade do Rio de Janeiro, na

Leia mais

MAHLE METAL LEVE S.A. C.N.P.J/MF / COMPANHIA ABERTA FATO RELEVANTE

MAHLE METAL LEVE S.A. C.N.P.J/MF / COMPANHIA ABERTA FATO RELEVANTE MAHLE METAL LEVE S.A. C.N.P.J/MF 60.476.884/0001-87 COMPANHIA ABERTA FATO RELEVANTE Os administradores de Mahle Metal Leve S.A. ("Companhia"), na forma e para os fins das Instruções CVM nºs 319/99 e 358/02,

Leia mais

AUTOPISTA LITORAL SUL S.A. CNPJ/MF N / NIRE Companhia Aberta

AUTOPISTA LITORAL SUL S.A. CNPJ/MF N / NIRE Companhia Aberta ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 20 DE FEVEREIRO DE 2017 1. Data, Hora e Local: Aos vinte dias do mês de fevereiro de 2017, às 14:00 horas, na sede social da Autopista Litoral Sul S.A.

Leia mais

RENOVA ENERGIA S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS

RENOVA ENERGIA S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS RENOVA ENERGIA S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF 08.534.605/0001-74 NIRE 35.300.358.295 AVISO AOS ACIONISTAS RENOVA ENERGIA S.A. ( Companhia ) em cumprimento ao disposto na Instrução CVM nº 358/02, comunica

Leia mais

BRQ SOLUÇÕES EM INFORMATICA S.A. CNPJ/MF / NIRE COMPANHIA ABERTA

BRQ SOLUÇÕES EM INFORMATICA S.A. CNPJ/MF / NIRE COMPANHIA ABERTA BRQ SOLUÇÕES EM INFORMATICA S.A. CNPJ/MF 36.542.025/0001-64 NIRE 35.300.451-23-6 COMPANHIA ABERTA PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO DA BRQ SOLUÇÕES EM INFORMÁTICA S.A. PARA A ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA A

Leia mais

RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta CNPJ / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS

RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta CNPJ / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta CNPJ 89.086.144/0011-98 NIRE 43300032680 AVISO AOS ACIONISTAS Nos termos da Instrução CVM nº 358/02, conforme alterada, a Randon S.A. Implementos

Leia mais

Companhia de Gás de São Paulo - COMGÁS Formulário de Referência

Companhia de Gás de São Paulo - COMGÁS Formulário de Referência ANEXO 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro líquido do exercício de 2009 foi de R$ 367.867 mil. 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais

Invest Tur Brasil Desenvolvimento Imobiliário Turístico S.A. CNPJ nº 08.723.106/000125 NIRE 35.300.340.540 Companhia Aberta

Invest Tur Brasil Desenvolvimento Imobiliário Turístico S.A. CNPJ nº 08.723.106/000125 NIRE 35.300.340.540 Companhia Aberta Invest Tur Brasil Desenvolvimento Imobiliário Turístico S.A. CNPJ nº 08.723.106/000125 NIRE 35.300.340.540 Companhia Aberta Ata da Assembléia Geral de Debenturistas da 1ª Emissão de Debêntures da Invest

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA CARBOCLORO INDÚSTRIAS QUÍMICAS LTDA. PELA UNIPAR CARBOCLORO S.A.

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA CARBOCLORO INDÚSTRIAS QUÍMICAS LTDA. PELA UNIPAR CARBOCLORO S.A. PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA CARBOCLORO INDÚSTRIAS QUÍMICAS LTDA. PELA UNIPAR CARBOCLORO S.A. Os administradores das sociedades (a) UNIPAR CARBOCLORO S.A. sociedade por ações com capital

Leia mais

VIA VAREJO S.A. CNPJ/MF nº / NIRE

VIA VAREJO S.A. CNPJ/MF nº / NIRE VIA VAREJO S.A. CNPJ/MF nº 33.041.260/0652-90 NIRE 35.300.394.925 EXTRATO DA ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 21 DE MARÇO DE 2017 1. DATA, HORA E LOCAL: aos 21 (vinte e um) dias

Leia mais

BANCO INDUSVAL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS

BANCO INDUSVAL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS BANCO INDUSVAL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ nº 61.024.352/0001-71 NIRE 353.000.242-90 AVISO AOS ACIONISTAS Comunicamos aos senhores acionistas que em Assembleia Geral Extraordinária

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ - SANEPAR COMPANHIA DE CAPITAL ABERTO REGISTRO CVM Nº CNPJ Nº / AVISO AOS ACIONISTAS

COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ - SANEPAR COMPANHIA DE CAPITAL ABERTO REGISTRO CVM Nº CNPJ Nº / AVISO AOS ACIONISTAS COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ - SANEPAR COMPANHIA DE CAPITAL ABERTO REGISTRO CVM Nº. 01862-7 CNPJ Nº. 76.484.013/0001-45 AVISO AOS ACIONISTAS A COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ - SANEPAR ( Companhia

Leia mais

CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE COMPANHIA ABERTA

CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE COMPANHIA ABERTA CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A. CNPJ/MF nº 42.771.949/0001-35 NIRE 31.300.096.246 COMPANHIA ABERTA ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 22 DE NOVEMBRO DE 2016 Data, Horário e Local:

Leia mais

COSAN LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF / NIRE ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 21 DE JUNHO DE 2016

COSAN LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF / NIRE ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 21 DE JUNHO DE 2016 COSAN LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF 17.346.997/0001-39 NIRE 35.300.447.581 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 21 DE JUNHO DE 2016 1. Data, Horário e Local: Realizada no dia 21 de junho de

Leia mais

MOVIDA PARTICIPAÇÕES S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF 21.314.559/0001-66 NIRE 3530047210-1

MOVIDA PARTICIPAÇÕES S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF 21.314.559/0001-66 NIRE 3530047210-1 MOVIDA PARTICIPAÇÕES S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF 21.314.559/0001-66 NIRE 3530047210-1 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 10 DE JULHO DE 2015 Data, hora e Local:

Leia mais

MULTINER S.A. CNPJ/MF nº / NIRE nº Companhia Aberta

MULTINER S.A. CNPJ/MF nº / NIRE nº Companhia Aberta MULTINER S.A. CNPJ/MF nº 08.935.054/0001-50 NIRE nº 33.3.0028245-9 Companhia Aberta ATA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 14 DE MARÇO DE 2016 1. DATA, HORA E LOCAL DA ASSEMBLEIA: Realizada

Leia mais

COMUNICAÇÃO SOBRE AUMENTO DE CAPITAL DELIBERADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO.

COMUNICAÇÃO SOBRE AUMENTO DE CAPITAL DELIBERADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO. COMUNICAÇÃO SOBRE AUMENTO DE CAPITAL DELIBERADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO. 1. Informar o valor do aumento e do novo capital social: O aumento do capital social da Companhia proposto é de R$25.032.8

Leia mais

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,02

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,02 ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 1. Informar o lucro líquido do exercício. 937.418.802,02 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 551, DE 25 DE SETEMBRO DE 2014

INSTRUÇÃO CVM Nº 551, DE 25 DE SETEMBRO DE 2014 Altera e acrescenta dispositivos à Instrução CVM nº 332, de 4 de abril de 2000, à Instrução CVM nº 400, de 29 de dezembro de 2003, e à Instrução CVM nº 476, de 16 de janeiro de 2009. O PRESIDENTE DA COMISSÃO

Leia mais

MAGAZINE LUIZA S.A. CNPJ/MF N.º 47.960.950/0001-21 NIRE 35.300.104.811 Capital Aberto

MAGAZINE LUIZA S.A. CNPJ/MF N.º 47.960.950/0001-21 NIRE 35.300.104.811 Capital Aberto MAGAZINE LUIZA S.A. CNPJ/MF N.º 47.960.950/0001-21 NIRE 35.300.104.811 Capital Aberto ATA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 4 DE OUTUBRO DE 2012 1. DATA, HORA E LOCAL:

Leia mais

METALÚRGICA GERDAU S.A.

METALÚRGICA GERDAU S.A. METALÚRGICA GERDAU S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado (Categoria A ) CNPJ/MF nº 92.690.783/0001-09 Código CVM 8656 Avenida Farrapos, nº 1811 90220-005, Porto Alegre, RS FATO RELEVANTE METALÚRGICA

Leia mais

PAUTA DO ACORDO COLETIVO 2016/2017 CONCESSIONÁRIA RIO GALEÃO

PAUTA DO ACORDO COLETIVO 2016/2017 CONCESSIONÁRIA RIO GALEÃO PAUTA DO ACORDO COLETIVO 2016/2017 CONCESSIONÁRIA RIO GALEÃO Considerando, suas funções institucionais, e a constante luta pela melhoria das condições gerais de trabalho, o Sindicato Nacional dos Empregados

Leia mais

ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 26 de junho de 2015

ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 26 de junho de 2015 ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 26 de junho de 2015 1.) Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social: O valor do aumento

Leia mais

VAA VISTA ALEGRE ATLANTIS, SGPS SA.

VAA VISTA ALEGRE ATLANTIS, SGPS SA. VAA VISTA ALEGRE ATLANTIS, SGPS SA. Sociedade aberta Sede: Lugar da Vista Alegre, 3830-292 Ílhavo Matriculada na C.R.C. de Ílhavo - NIPC: 500.978.654 Capital social: 92.507.861,92 Euros -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA S.A. CNPJ/MF / NIRE (Companhia Aberta)

FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA S.A. CNPJ/MF / NIRE (Companhia Aberta) FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA S.A. CNPJ/MF 00.924.429/0001-75 NIRE 313001187-9 (Companhia Aberta) ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 11 DE OUTUBRO DE 2016 1. DATA, HORA E LOCAL: Realizada

Leia mais

CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES S.A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES. Companhia Aberta de Capital Autorizado

CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES S.A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES. Companhia Aberta de Capital Autorizado CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES S.A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF nº 08.801.621/0001-86 NIRE 35.300.341.881 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA

Leia mais

ODONTOPREV S.A. Senhores Acionistas,

ODONTOPREV S.A. Senhores Acionistas, ODONTOPREV S.A. Proposta de Destinação do Lucro Líquido do Exercício - Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária a ser realizada em 25/03/2010 (art. 9º da Instrução CVM 481/2009) Senhores Acionistas,

Leia mais

DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO. - Exercício Srs. Acionistas,

DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO. - Exercício Srs. Acionistas, DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO - Exercício 2012 Srs. Acionistas, Consoante as disposições da Lei 6.404, de 15.12.1976, e o Estatuto do Banco, apresento à deliberação desta Assembleia a destinação do Lucro

Leia mais

VULCABRAS AZALEIA S.A. Companhia aberta CNPJ/MF nº / NIRE ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

VULCABRAS AZALEIA S.A. Companhia aberta CNPJ/MF nº / NIRE ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO VULCABRAS AZALEIA S.A. Companhia aberta CNPJ/MF nº 50.926.955/0001-42 NIRE 35.300.014.910 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO 1. DATA, HORA E LOCAL: Realizada aos 09 (nove) dias do mês de agosto

Leia mais

LEI 8.849, DE 28 DE JANEIRO DE 1994

LEI 8.849, DE 28 DE JANEIRO DE 1994 LEI 8.849, DE 28 DE JANEIRO DE 1994 Altera a legislação do Imposto sobre a Renda e proventos de qualquer natureza, e dá outras providências. Faço saber que o presidente da República adotou a Medida Provisória

Leia mais

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº 16.590.234/0001-76 NIRE 31.300.025.91-8

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº 16.590.234/0001-76 NIRE 31.300.025.91-8 AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº 16.590.234/0001-76 NIRE 31.300.025.91-8 AVISO AOS ACIONISTAS RETIFICAÇÃO DOS VALORES DO AUMENTO DE CAPITAL QUE CONSTARAM NA ATA DA REUNIÃO

Leia mais

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29 ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 1. Informar o lucro líquido do exercício. (R$) 864.940.364,29 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais

Item 10 do formulário de Referência CEMEPE INVESTIMENTOS S/A. a. Condições financeiras e patrimoniais gerais

Item 10 do formulário de Referência CEMEPE INVESTIMENTOS S/A. a. Condições financeiras e patrimoniais gerais Item 10 do formulário de Referência CEMEPE INVESTIMENTOS S/A 10. Comentários dos diretores sobre a situação financeira da Companhia 10.1. a. Condições financeiras e patrimoniais gerais A companhia tem

Leia mais

MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF Nº 03.853.896/0001-40 (BM&FBOVESPA: MRFG3)

MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF Nº 03.853.896/0001-40 (BM&FBOVESPA: MRFG3) MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF Nº 03.853.896/0001-40 (BM&FBOVESPA: MRFG3) COMUNICADO SOBRE O AUMENTO DE CAPITAL SOCIAL DA COMPANHIA APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 25 DE

Leia mais

Proposta para Remuneração Global Anual dos Administradores e membros do Conselho Fiscal - Exercício 2010

Proposta para Remuneração Global Anual dos Administradores e membros do Conselho Fiscal - Exercício 2010 Braskem - Assembléia Geral Ordinária 15 de Abril de 2009 Proposta para Remuneração Global Anual dos Administradores e membros do Conselho Fiscal - Exercício 2010 1. Administradores Diretores Estatutários

Leia mais

BRF S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ / NIRE CVM

BRF S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ / NIRE CVM 1. DATA, HORÁRIO E LOCAL: Realizada virtualmente no dia 29 do mês de junho de 2015, às 18h00min, conforme faculta o Parágrafo Segundo do Artigo 17 do Estatuto Social. 2. COMPOSIÇÃO DA MESA: Presidente:

Leia mais

BAHIA SUL CELULOSE S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado. CNPJ nº / N.I.R.E. nº

BAHIA SUL CELULOSE S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado. CNPJ nº / N.I.R.E. nº BAHIA SUL CELULOSE S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ nº 16.404.287/0001-55 N.I.R.E. nº 29.300.016.331 Ata de Assembléia Geral Extraordinária DATA: 29 de junho de 2004. HORÁRIO: 10:00 horas.

Leia mais

CTEEP Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista Rua Casa do Ator, º andar São Paulo - SP Companhia Aberta CNPJ:

CTEEP Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista Rua Casa do Ator, º andar São Paulo - SP Companhia Aberta CNPJ: CTEEP Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista Rua Casa do Ator, 1155 10º andar São Paulo - SP Companhia Aberta CNPJ: 02.998.611/0001-04 Informações Complementares e Consolidadas do ANEXO

Leia mais

JOÃO FORTES ENGENHARIA S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF: /

JOÃO FORTES ENGENHARIA S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF: / JOÃO FORTES ENGENHARIA S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF: 33.035.536/0001-00 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA A ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 20 DE JUNHO DE 2013 ANEXO 14 (Instrução CVM nº481 de 17 de dezembro

Leia mais

EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A - ENERSUL CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta

EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A - ENERSUL CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A - ENERSUL CNPJ/MF nº 15.413.826/0001-50 NIRE 54.300.000.566 Companhia Aberta Campo Grande - MS, 04 de outubro de 2010. Aos Srs. Acionistas da ENERSUL. PROPOSTA

Leia mais

RUMO LOGÍSTICA OPERADORA MULTIMODAL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS

RUMO LOGÍSTICA OPERADORA MULTIMODAL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS RUMO LOGÍSTICA OPERADORA MULTIMODAL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF nº 71.550.388/0001-42 NIRE 35.300.170.865 AVISO AOS ACIONISTAS Nos termos da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários

Leia mais

BRASIL PHARMA S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE Nº ( Companhia )

BRASIL PHARMA S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE Nº ( Companhia ) BRASIL PHARMA S.A. CNPJ/MF Nº 11.395.624/0001-71 NIRE Nº 35.300.374.797 ( Companhia ) ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 06 DE MAIO DE 2014 1. DATA, HORA E LOCAL: Aos 06 dias do mês

Leia mais

AVISO AOS ACIONISTAS

AVISO AOS ACIONISTAS TELECOMUNICAÇÕES DE SÃO PAULO S/A TELESP COMPANHIA ABERTA CVM - nº 1767-1 CNPJ - MF nº 02.558.157/0001-62 NIRE 35.3.0015881-4 TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. COMPANHIA ABERTA CVM - nº 18937 CNPJ -

Leia mais

USINAS SIDERÚRGICAS DE MINAS GERAIS S.A. - USIMINAS CNPJ/MF / NIRE Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS

USINAS SIDERÚRGICAS DE MINAS GERAIS S.A. - USIMINAS CNPJ/MF / NIRE Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS USINAS SIDERÚRGICAS DE MINAS GERAIS S.A. - USIMINAS CNPJ/MF 60.894.730/0001-05 NIRE 313.000.1360-0 Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS Comunicamos aos senhores acionistas da Usinas Siderúrgicas de Minas

Leia mais

VANGUARDA AGRO S.A. CNPJ/MF sob n.º / NIRE n.º

VANGUARDA AGRO S.A. CNPJ/MF sob n.º / NIRE n.º VANGUARDA AGRO S.A. CNPJ/MF sob n.º 05.799.312/0001-20 NIRE n.º 35.300.380.657 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO FISCAL REALIZADA EM 11 DE NOVEMBRO DE 2014 1. DATA, HORÁRIO E LOCAL: Realizada às 18:00 horas do

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM EVENTO: Reunião do Conselho de Administração Ata lavrada em forma de sumário.

ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM EVENTO: Reunião do Conselho de Administração Ata lavrada em forma de sumário. M. DIAS BRANCO S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS CNPJ 07.206.816/0001-15 NIRE 2330000812-0 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 28.02.2011 1. EVENTO: Reunião do Conselho de Administração

Leia mais

CPFL ENERGIAS RENOVÁVEIS S.A. NIRE CVM CNPJ/MF nº /

CPFL ENERGIAS RENOVÁVEIS S.A. NIRE CVM CNPJ/MF nº / CPFL ENERGIAS RENOVÁVEIS S.A. NIRE 3530033581-3 CVM 20540 CNPJ/MF nº 08.439.659/0001-50 Ata de Reunião do Conselho de Administração DATA E HORÁRIO E LOCAL: 28 de fevereiro de 2014, às 9:00 horas, na sede

Leia mais

PARANAPANEMA S.A. CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta

PARANAPANEMA S.A. CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta PARANAPANEMA S.A. CNPJ/MF nº 60.398.369/0004-79 NIRE 29.300.030.155 Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS COMUNICAÇÃO SOBRE AUMENTO DE CAPITAL DELIBERADO EM REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA

Leia mais

MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. CNPJ/MF / NIRE COMPANHIA ABERTA

MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. CNPJ/MF / NIRE COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF 03.853.896/0001-40 NIRE 35.300.341.031 COMPANHIA ABERTA ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 26 DE JANEIRO DE 2017 Data, Hora e Local: Reunião do Conselho de Administração da

Leia mais

LITEL PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ Nº / NIRE: ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA

LITEL PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ Nº / NIRE: ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA LITEL PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ Nº 00.743.065/0001-27 NIRE: 33300161899 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA 1. DATA, HORA E LOCAL Às 13 horas do dia 28 de abril de 2017, na

Leia mais

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta. CNPJ/MF nº 02.950.811/0001-89 NIRE 33.300.285.199 AVISO AOS ACIONISTAS

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta. CNPJ/MF nº 02.950.811/0001-89 NIRE 33.300.285.199 AVISO AOS ACIONISTAS PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta CNPJ/MF nº 02.950.811/0001-89 NIRE 33.300.285.199 AVISO AOS ACIONISTAS PDG Realty S.A. Empreendimentos e Participações ( Companhia ou PDG

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DA OPERAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA MULTIPAR S/A, PLANEJAMENTO E CORRETAGEM DE SEGUROS PELA ENERGISA S/A. Que entre si celebram

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DA OPERAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA MULTIPAR S/A, PLANEJAMENTO E CORRETAGEM DE SEGUROS PELA ENERGISA S/A. Que entre si celebram PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DA OPERAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA MULTIPAR S/A, PLANEJAMENTO E CORRETAGEM DE SEGUROS PELA ENERGISA S/A Que entre si celebram ENERGISA S/A, companhia aberta com sede na Cidade e Estado

Leia mais

BANCO MERCANTIL DE INVESTIMENTOS S.A.

BANCO MERCANTIL DE INVESTIMENTOS S.A. BANCO MERCANTIL DE INVESTIMENTOS S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado (Categoria A ) Rua Rio de Janeiro, nº 654, 9º andar Centro, CEP 30.160-912, Belo Horizonte, MG CNPJ/MF nº 34.169.557/0001-72

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 67, DE 4 DE FEVEREIRO DE 2004 TÍTULO I DA ACEITAÇÃO DE ATIVOS COMO GARANTIDORES DAS PROVISÕES TÉCNICAS

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 67, DE 4 DE FEVEREIRO DE 2004 TÍTULO I DA ACEITAÇÃO DE ATIVOS COMO GARANTIDORES DAS PROVISÕES TÉCNICAS RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 67, DE 4 DE FEVEREIRO DE 2004 (REVOGADA PELA RN Nº 159, DE 03/06/2007) Dispõe sobre a diversificação dos ativos das Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde para aceitação

Leia mais

OSX BRASIL S.A. CNPJ/MF: / NIRE: Companhia Aberta

OSX BRASIL S.A. CNPJ/MF: / NIRE: Companhia Aberta OSX BRASIL S.A. CNPJ/MF: 09.112.685/0001-32 NIRE: 33.3.0028401-0 Companhia Aberta ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 22 DE MAIO DE 2013 I. DATA, HORA E LOCAL: No dia 22 de maio de

Leia mais

Lucro Líquido ,43. Lucros Acumulados ,71. Lucro Líquido Ajustado ,14. Reserva Legal

Lucro Líquido ,43. Lucros Acumulados ,71. Lucro Líquido Ajustado ,14. Reserva Legal DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO - Exercício 2011 Srs. Acionistas, Consoante as disposições da Lei 6.404, de 15.12.1976, e o Estatuto do Banco, apresento à deliberação desta Assembleia a destinação do Lucro

Leia mais

TOTVS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 15 DE MARÇO DE 2016

TOTVS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 15 DE MARÇO DE 2016 TOTVS S.A. CNPJ/MF nº 53.113.791/0001-22 NIRE 35.300.153.171 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 15 DE MARÇO DE 2016 1. - DATA, HORA E LOCAL DA REUNIÃO: Realizada no dia 15 de março

Leia mais

IDEIASNET S.A. CNPJ/MF n.º / NIRE Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS

IDEIASNET S.A. CNPJ/MF n.º / NIRE Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS IDEIASNET S.A. CNPJ/MF n.º 02.365.069/0001 44 NIRE 3330016719 6 Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração da Ideiasnet S.A. 1.

Leia mais

1. Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social:

1. Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social: Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo conselho de administração (conforme Anexo 30-XXXII da ICVM 480) 1. Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social: O valor do aumento

Leia mais

PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO LIGHT S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE 11/04/2012 Sumário Proposta da Administração... 2 I - Destinação dos Resultados... 3 Orçamento de Capital... 8 II - Remuneração dos Administradores

Leia mais

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº / NIRE

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº / NIRE PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº 02.950.811/0001-89 NIRE 33.3.0028519-9 FATO RELEVANTE (resumido conforme disposto no 4º do Art. 3º da Instrução CVM nº 358/02) Em atendimento às

Leia mais

ADITIVO AO PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE CISÃO PARCIAL DA SHOPPING CIDADE JARDIM S.A. E INCORPORAÇÃO DA PARCELA CINDIDA PELA JHSF PARTICIPAÇÕES S.A.

ADITIVO AO PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE CISÃO PARCIAL DA SHOPPING CIDADE JARDIM S.A. E INCORPORAÇÃO DA PARCELA CINDIDA PELA JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. ADITIVO AO PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE CISÃO PARCIAL DA SHOPPING CIDADE JARDIM S.A. E INCORPORAÇÃO DA PARCELA CINDIDA PELA JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. O presente instrumento particular é firmado por, de um

Leia mais

SWEET COSMETICS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS

SWEET COSMETICS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS SWEET COSMETICS S.A. CNPJ/MF nº 10.345.009/0001-98 NIRE 35.300.362.462 AVISO AOS ACIONISTAS Este Aviso está sendo reapresentado por solicitação da BM&FV+BOVESPA, com os esclarecimentos e as informações

Leia mais

COMUNICADO AO MERCADO

COMUNICADO AO MERCADO COMUNICADO AO MERCADO Em atenção ao OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-4/Nº337/12 RESPOSTA 1 Em resposta a sua solicitação vem confirmar que em 30.5.2012, o Conselho de Administração se reuniu e aprovou a homologação

Leia mais

ATA DA 575ª REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIPAR CARBOCLORO S.A., REALIZADA NO DIA 28 DE MARÇO DE 2017.

ATA DA 575ª REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIPAR CARBOCLORO S.A., REALIZADA NO DIA 28 DE MARÇO DE 2017. ATA DA 575ª REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIPAR CARBOCLORO S.A., REALIZADA NO DIA 28 DE MARÇO DE 2017. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF n 33.958.695/0001-78 NIRE 35.300.454.758 DATA, HORA E LOCAL: 28

Leia mais

DIREITOS DOS ACIONISTAS

DIREITOS DOS ACIONISTAS DO GRUPO DE ESTUDOS DE DIREITO EMPRESARIAL FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS DIREITO SOCIETÁRIO APLICADO Mário Tavernard Martins de Carvalho Patrocinadores: 2 Direitos essenciais

Leia mais

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA EXPOSIÇÃO AOS ACIONISTAS ITEM I RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO, DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS E PARECER DO CONSELHO FISCAL, RELATIVOS AO EXERCÍCIO DE 2009 Senhores Acionistas, O Relatório

Leia mais

BRASIL AGROSEC COMPANHIA SECURITIZADORA

BRASIL AGROSEC COMPANHIA SECURITIZADORA Notas explicativas da Administração às informações contábeis intermediárias 1. Contexto operacional A Brasil Agrosec Companhia Securitizadora (Companhia) é uma sociedade securitizadora de direitos creditórios

Leia mais

ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 28 de dezembro de 2015

ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 28 de dezembro de 2015 ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 28 de dezembro de 2015 1.) Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social: O valor do aumento

Leia mais

WHIRLPOOL S.A. Valor absoluto em Reais

WHIRLPOOL S.A. Valor absoluto em Reais WHIRLPOOL S.A. Proposta de Destinação do Lucro Liquido do Exercício de 2011 Informações do ANEXO 9-1-II, Instrução 481 CVM 1. Informar o lucro líquido do exercício. _ O lucro líquido do exercício foi de

Leia mais

BRASMOTOR S.A. Data Valor Valor Data. 26/10/2010 Dividendos Ordinárias ,02 0, /11/2010

BRASMOTOR S.A. Data Valor Valor Data. 26/10/2010 Dividendos Ordinárias ,02 0, /11/2010 BRASMOTOR S.A. Proposta de Destinação do Lucro Liquido do Exercício de 2010 Informações do ANEXO 9-1-II, Instrução 481 CVM 1. Informar o lucro líquido do exercício. _ O lucro líquido do exercício foi de

Leia mais

ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. CNPJ/MF nº 06.082.980/0001-03 NIRE 33.3.0028176-2 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO 1. Data, hora e local: 17 de outubro de 2017, às 14:00, na sede social da Companhia,

Leia mais

SMILES S.A. (Companhia Aberta) CNPJ nº 15.912.764/0001-20 NIRE 35.300.439.490

SMILES S.A. (Companhia Aberta) CNPJ nº 15.912.764/0001-20 NIRE 35.300.439.490 SMILES S.A. (Companhia Aberta) CNPJ nº 15.912.764/0001-20 NIRE 35.300.439.490 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 05 DE AGOSTO DE 2016 Data, Hora e Local: aos 05 dias do mês de agosto

Leia mais

EDP ENERGIAS DO BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº / AVISO AOS ACIONISTAS

EDP ENERGIAS DO BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº / AVISO AOS ACIONISTAS EDP ENERGIAS DO BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 03.983.431/0001-03 AVISO AOS ACIONISTAS EDP Energias do Brasil S.A. ( Companhia ) vem comunicar aos Senhores Acionistas que em Reunião do Conselho

Leia mais

PROPOSTA DA DIRETORIA

PROPOSTA DA DIRETORIA PROPOSTA DA DIRETORIA Senhores Acionistas: A Diretoria da COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO ( Companhia ) vem propor à Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária o Plano de Investimentos para o ano

Leia mais

ROSSI RESIDENCIAL S.A. NIRE CVM nº CNPJ/MF nº / Companhia Aberta de Capital Autorizado

ROSSI RESIDENCIAL S.A. NIRE CVM nº CNPJ/MF nº / Companhia Aberta de Capital Autorizado ROSSI RESIDENCIAL S.A. NIRE 35.300.108.078 CVM nº 16306 CNPJ/MF nº 61.065.751/0001-80 Companhia Aberta de Capital Autorizado AVISO AOS ACIONISTAS Aumento de Capital por Subscrição Privada Comunicamos aos

Leia mais

MRS LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº / NIRE nº Companhia Aberta Registro CVM nº

MRS LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº / NIRE nº Companhia Aberta Registro CVM nº MRS LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº 01.417.222/0001-77 NIRE nº 33.300.163.565 Companhia Aberta Registro CVM nº 01794-9 Ata da Reunião do Conselho de Administração da MRS LOGÍSTICA S.A. ( Companhia ) realizada

Leia mais

UNIDAS S.A. CNPJ/MF nº: 04.437.534/0001-30 NIRE: 35.300.186.281. Ata de Assembleia Geral Extraordinária realizada em 30 de maio de 2016

UNIDAS S.A. CNPJ/MF nº: 04.437.534/0001-30 NIRE: 35.300.186.281. Ata de Assembleia Geral Extraordinária realizada em 30 de maio de 2016 UNIDAS S.A. CNPJ/MF nº: 04.437.534/0001-30 NIRE: 35.300.186.281 Ata de Assembleia Geral Extraordinária realizada em 30 de maio de 2016 Data, Hora e Local: No dia 30 de maio de 2016, às 10:00 horas, na

Leia mais

PDG Realty S.A. Empreendimentos e Participações

PDG Realty S.A. Empreendimentos e Participações PDG Realty S.A. Empreendimentos e Participações Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF nº 02.950.811/0001-89 Praia de Botafogo, n 501, bloco 1, salão 201, parte CEP 22250-040, Torre Pão de Açúcar.

Leia mais

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº / NIRE

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº / NIRE PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº 02.950.811/0001-89 NIRE 33.3.0028519-9 FATO RELEVANTE (resumido conforme disposto no 4º do Art. 3º da Instrução CVM nº 358/02) Em atendimento às

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA. Edital nº 001/2017 AVISO DE RETIFICAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA. Edital nº 001/2017 AVISO DE RETIFICAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Edital nº 001/2017 AVISO DE RETIFICAÇÃO A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo torna públicas as retificações nos documentos do leilão para

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. I - OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Artigo 1 o A presente Política de Negociação tem por objetivo estabelecer as regras

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (C.N.P.J. nº 03.910.929/0001-46) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (C.N.P.J. nº 03.910.929/0001-46) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores

Leia mais

Proposta de destinação do lucro líquido do exercício de 2009 (conforme Anexo 9-1-II da ICVM 481/2009)

Proposta de destinação do lucro líquido do exercício de 2009 (conforme Anexo 9-1-II da ICVM 481/2009) Proposta de destinação do lucro líquido do exercício de 2009 (conforme Anexo 9-1-II da ICVM 481/2009) Apesar de, no exercício de 2009, a Braskem S.A. ( Companhia ) ter apurado um lucro líquido (R$ 917.228

Leia mais