Processo C-372/02. Roberto Adanez-Vega. contra. Bundesanstalt für Arbeit. (pedido de decisão prejudicial apresentado pelo Bundessozialgericht)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Processo C-372/02. Roberto Adanez-Vega. contra. Bundesanstalt für Arbeit. (pedido de decisão prejudicial apresentado pelo Bundessozialgericht)"

Transcrição

1 Processo C-372/02 Roberto Adanez-Vega contra Bundesanstalt für Arbeit (pedido de decisão prejudicial apresentado pelo Bundessozialgericht) «Regulamento (CEE) n. 1408/71 Determinação da legislação aplicável Prestações de desemprego Condições de totalização dos períodos de seguro ou de emprego Medida nacional que não toma em conta um período de serviço militar obrigatório cumprido noutro Estado-Membro» Conclusões do advogado-geral F. G. Jacobs apresentadas em 25 de Março de 2004 I Acórdão do Tribunal de Justiça (Primeira Secção) de 11 de Novembro de 2004 I Sumário do acórdão 1. Segurança social dos trabalhadores migrantes Legislação aplicável Trabalhador desempregado no Estado-Membro de residência após ter cumprido o serviço militar obrigatório noutro Estado-Membro Competência da legislação do Estado-Membro de residência [Regulamento n. 1408/71 do Conselho, artigo 13., n. 2, alínea f)] I

2 SUMARIO - PROCESSO C-372/02 2. Segurança social dos trabalhadores migrantes Desemprego Regras particulares de conexão Desempregado que residiu, quando do seu último emprego, no território de um Estado-Membro diferente do Estado competente Conceito de «emprego» (Regulamento n. 1408/71 do Conselho, artigo 71., n. 1) 3. Segurança social dos trabalhadores migrantes Desemprego Legislação que subordina a concessão das prestações ao cumprimento de períodos de seguro ou de emprego Totalização dos períodos de seguro ou de emprego Certificado que refere os períodos de seguro e de emprego cumpridos ao abrigo da legislação de um Estado-Membro Força probatória relativamente às instituições de segurança social dos outros Estados-Membros Limites (Artigo 10. CE; Regulamento n. 574/72 do Conselho, artigo 80. ) 4. Segurança social dos trabalhadores migrantes Desemprego Regras particulares de conexão Desempregado que residiu, quando do seu último emprego, no território de um Estado-Membro diferente do Estado competente Conceito de «residência» (Regulamento n. 1408/71 do Conselho, artigo 71. a, n. 1) 5. Segurança social dos trabalhadores migrantes Desemprego Regras particulares de conexão Artigo 71., n. 1, alínea b), ii), do Regulamento n. 1408/71 Alcance Não aplicação das regras gerais de conexão Condição Verificação que cabe ao órgão jurisdicional nacional [Regulamento n. 1408/71 do Conselho, artigo 71, n. 1, alínea b), ii)] 6. Segurança social dos trabalhadores migrantes Regulamentação comunitária Âmbito de aplicação pessoal Trabalhador na acepção do Regulamento n. 1408/71 Conceito Pessoa que presta serviço militar Inclusão Condição [Regulamento n. 1408/71 do Conselho, artigo 1., alínea a)] 7. Segurança social dos trabalhadores migrantes Desemprego Legislação que subordina a concessão das prestações ao cumprimento de períodos de seguro Totalização dos períodos de seguro Tomada em conta de períodos de seguro ou de emprego cumpridos sob a legislação de outro Estado-Membro Períodos de emprego Conceito (Regulamento n. 1408/71 do Conselho, artigo 67, n. 1) I

3 ADANEZ-VEGA 8. Segurança social dos trabalhadores migrantes Desemprego Legislação que subordina a concessão das prestações ao cumprimento de períodos de seguro Totalização dos períodos de seguro Tomada em conta de períodos de seguro ou de emprego cumpridos sob a legislação de outro Estado-Membro Condições Cumprimento em último lugar de períodos de seguro no Estado-Membro ao qual é apresentado o pedido de prestações Apreciação que cabe ao órgão jurisdicional nacional (Regulamento n. 1408/71 do Conselho, artigo 67., n. 3) 9. Segurança social dos trabalhadores migrantes Igualdade de tratamento Inaplicabilidade às prestações de desemprego que se regem por disposições especiais do Regulamento n. 1408/71 (Regulamento n. 1408/71 do Conselho, artigos 3. e 67. ) 1. O artigo 13., n. 2, alínea f), do n. 2195/91, deve ser interpretado no sentido de que uma pessoa que resida num Estado-Membro e aí se encontre em situação de desemprego após ter cumprido o serviço militar obrigatório noutro Estado-Membro está sujeita à legislação do Estado-Membro de residência. emprego, num Estado-Membro diferente do Estado competente, deve ser interpretada recorrendo à definição dada pela legislação nacional em matéria de segurança social. Um «emprego» na acepção dessa disposição é, por isso, um emprego que é considerado como tal para efeitos de aplicação da legislação de segurança social do Estado-Membro no qual é exercido. (cf. n. 33) (cf. n. s 26, 41, disp. 1) 2. A noção de «emprego» na acepção do artigo 71., n. 1, do Regulamento n. 1408/71, na versão actualizada pelo Regulamento n. 2001/83, alterado pelo Regulamento n. 2195/91, que determina a legislação aplicável, em matéria de prestações de desemprego, ao trabalhador que residiu, durante o seu último 3. Enquanto um certificado emitido, em aplicação do artigo 80. do Regulamento n. 574/72, pela instituição competente de um Estado-Membro e que refira os períodos de seguro e de emprego cumpridos por um trabalhador ao abrigo da legislação desse Estado não for revogado ou declarado inválido, a instituição competente de outro Estado- -Membro deve tê-lo em conta para I

4 SUMÁRIO - PROCESSO C-372/02 efeitos da totalização dos períodos de seguro ou de emprego. Contudo, o princípio da cooperação leal enunciado no artigo 10. CE obriga as instituições de segurança social a proceder a uma apreciação correcta dos factos relevantes, em especial para efeitos de aplicação das regras relativas à determinação da legislação aplicável ou das regras de totalização dos períodos de seguro ou de emprego, e, consequentemente, para garantir a exactidão das referências constantes dos certificados que emitem. Compete-lhes, assim, reconsiderar o fundamento da emissão dos certificados e, eventualmente, revogá-los em caso de dúvidas quanto à exactidão dos factos que estão na base desses certificados e, consequentemente, das menções deles constantes. (cf. n. s 34, 36) 4. O lugar de residência de um trabalhador, na acepção do artigo 71., n. 1, do n. 2195/91, que determina a legislação aplicável em matéria de prestações de desemprego ao trabalhador que residiu durante o seu último emprego num Estado-Membro diferente do Estado competente, é constituído pelo lugar onde se encontre o centro habitual dos seus interesses. A este respeito, há que ter em conta a situação familiar do trabalhador bem como as razões que o levam a deslocar-se e a natureza do trabalho efectuado. (cf. n. 37) 5. O artigo 71., n. 1, alinea b), ii), do n. 2195/91, que determina a legislação aplicável em materia de prestações de desemprego ao trabalhador não fronteiriço em situação de desemprego que, no decurso do último emprego, residia no território de um Estado-Membro diferente do Estado-Membro competente, deve ser interpretado no sentido de que constitui uma disposição especial relativa à determinação da legislação aplicável em matéria de prestações de desemprego, pelo que, se as suas condições de aplicação estiverem reunidas, a legislação aplicável é a prevista nesta disposição e não nas regras gerais de conexão do título II do referido regulamento. Cabe ao órgão jurisdicional de reenvio verificar se as condições de aplicação da referida disposição estão ou não reunidas. (cf. n. 41, disp. 1) I

5 ADANEZ-VEGA 6. A noção de «trabalhador» utilizada pelo n. 2195/91, abrange todas as pessoas que estão seguradas, mesmo que contra um só risco, a título de seguro obrigatório ou facultativo no âmbito de um regime geral ou especial de segurança social mencionado no artigo 1., alínea a), do referido regulamento, e isto independentemente da existência de uma relação de trabalho. n. 2195/91, se esse período for definido ou admitido como tal pela referida legislação ou equiparado e reconhecido por esta última como período equivalente a um período de emprego. Nessa hipótese, a instituição competente de outro Estado-Membro cuja legislação faça depender a concessão de prestações de desemprego do cumprimento de períodos de seguro deve ter em conta esse facto para efeitos da totalização dos períodos de seguro ou de emprego. Consequentemente, deve ser qualificado de trabalhador, para efeitos da aplicação do Regulamento n. 1408/71, alterado, a pessoa que presta serviço militar, desde que tenha estado segurada, na acepção do artigo 1., alínea a), do mesmo regulamento, ao abrigo de um regime de segurança social. (cf. n. s 46, 47, 54, disp. 2) 7. Um período de serviço militar obrigatório cumprido num Estado-Membro constitui um período de emprego cumprido ao abrigo da legislação deste Estado, na acepção do artigo 67., n. 1, do (cf. n. s 47, 54, disp. 2) 8. Cabe aos órgãos jurisdicionais nacionais apreciar se se mostra preenchida a condição imposta pelo artigo 67., n. 3, do n. 2195/91, segundo o qual uma pessoa que cumpriu períodos de seguro ou de emprego num Estado-Membro só pode invocar esses períodos a fim de obter uma prestação de desemprego noutro Estado-Membro se aí tiver cumprido em último lugar períodos de seguro ao abrigo do disposto na legislação deste último Estado. A este respeito, um período de seguro deve ser considerado cumprido «em I

6 SUMÁRIO - PROCESSO C-372/02 último lugar» num Estado-Membro se, independentemente do tempo decorrido entre a conclusão do último período de seguro e o pedido das prestações, não tiver entretanto sido cumprido outro período de seguro noutro Estado-Membro. (cf. n. s 52, 53, disp. 2) 9. O artigo 3. do Regulamento n. 1408/71, na versão n. 2195/91, que consagra o princípio da igualdade de tratamento no âmbito de aplicação desse regulamento, não se opõe a que a instituição competente, para efeitos da análise do direito de um trabalhador a prestações de desemprego, não tome em consideração, no cálculo dos períodos de seguro cumpridos, um período de serviço militar obrigatório cumprido noutro Estado-Membro, mesmo quando a legislação ao abrigo da qual são requeridas as prestações o preveja, dado que esta solução resulta da aplicação do artigo 67. do referido regulamento, disposição especial que rege o direito de um trabalhador às prestações de desemprego. (cf. n. s 57, 58, disp. 3) I

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: Art. 12º; D. L. 21/2007. Assunto:

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: Art. 12º; D. L. 21/2007. Assunto: FICHA DOUTRINÁRIA Diploma: Artigo: Assunto: CIVA Art. 12º; D. L. 21/2007. Renuncia à Isenção Operações Imobiliárias - Leasing imobiliário. Processo: nº 655, por despacho do Director Geral dos Impostos,

Leia mais

Projecto. e Popular, por outro;

Projecto. e Popular, por outro; 23.11.2010 Jornal Oficial da União Europeia L 306/15 Projecto DECISÃO N. o / DO CONSELHO DE ASSOCIAÇÃO instituído pelo Acordo Euro-Mediterrânico que cria uma associação entre as Comunidades Europeias e

Leia mais

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Sétima Secção) 28 de Julho de 2011 (*)

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Sétima Secção) 28 de Julho de 2011 (*) Decisão copiada em 2 de agosto de 2011 do endereço: http://curia.europa.eu/jurisp/cgi-bin/form.pl? lang=pt&jurcdj=jurcdj&newform=newform&docj=docj&docop=docop&docnoj=docnoj&typeord=alltyp&numaff=&ddatefs=26&mda

Leia mais

Jornal Oficial nº L 018 de 21/01/1997 p. 0001-0006

Jornal Oficial nº L 018 de 21/01/1997 p. 0001-0006 Directiva 96/71/CE do Parlamento Europeu e do Conselho de 16 de Dezembro de 1996 relativa ao destacamento de trabalhadores no âmbito de uma prestação de serviços Jornal Oficial nº L 018 de 21/01/1997 p.

Leia mais

L 343/10 Jornal Oficial da União Europeia 29.12.2010

L 343/10 Jornal Oficial da União Europeia 29.12.2010 L 343/10 Jornal Oficial da União Europeia 29.12.2010 REGULAMENTO (UE) N. o 1259/2010 DO CONSELHO de 20 de Dezembro de 2010 que cria uma cooperação reforçada no domínio da lei aplicável em matéria de divórcio

Leia mais

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Terceira Secção) 10 de outubro de 2013 (*)

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Terceira Secção) 10 de outubro de 2013 (*) ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Terceira Secção) 10 de outubro de 2013 (*) «Segurança social Regulamento (CEE) n. 1408/71 Artigo 28., n. 2, alínea b) Prestações de seguro de saúde Titulares de pensões

Leia mais

TRIBUNAL ARBITRAL DE CONSUMO

TRIBUNAL ARBITRAL DE CONSUMO Proc. n.º 2825/2015 Requerente: Fernando Requerida: S.A. 1. Relatório 1.1. O Requerente, alegando que a Requerida lhe solicita o pagamento da factura n.º 10072130333, de 07.07.2015, respeitante a acertos

Leia mais

Tunísia Atualizado em: 12-11-2015

Tunísia Atualizado em: 12-11-2015 Tunísia Atualizado em: 12-11-2015 Esta informação destina-se a que cidadãos SEGURANÇA SOCIAL Trabalhadores que sejam nacionais de Portugal ou da Tunísia, que estejam ou tenham estado sujeitos à legislação

Leia mais

Ato Isolado - Tudo o que precisa de saber!

Ato Isolado - Tudo o que precisa de saber! Ato Isolado - Tudo o que precisa de saber! Conceito de Ato Isolado Enquadramento Fiscal (IRS e IVA) Obrigações Fiscais e Legais Emissão Fatura-Recibo (Portal das Finanças) Pedro Moura Webinar - Ato Isolado

Leia mais

El Salvador Atualizado em:

El Salvador Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL El Salvador Atualizado em: 12-11-2015 Esta informação destina-se a que cidadãos Pessoas que estejam ou tenham estado sujeitas à legislação de Portugal ou de El Salvador, referida no separador

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO ISENÇÃO DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO DOS JOVENS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL,

Leia mais

Critérios de elegibilidade das operações

Critérios de elegibilidade das operações S Critérios de elegibilidade das operações Critérios de elegibilidade dos beneficiários Fontes de financiamento Criação do próprio emprego Confirmação de situação face ao emprego Contratação de estagiários

Leia mais

Estados da União Europeia, Islândia, Listenstaina, Noruega e Suíça (Sou cidadão) Atualizado em:

Estados da União Europeia, Islândia, Listenstaina, Noruega e Suíça (Sou cidadão) Atualizado em: Estados da União Europeia, Islândia, SEGURANÇA SOCIAL Listenstaina, Noruega e Suíça (Sou cidadão) Atualizado em: 25-07-2016 Esta informação destina-se a que cidadãos Mobilidade Internacional Pessoas abrangidas

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia

Jornal Oficial da União Europeia C 91/4 PT 12.4.2008 Comunicação interpretativa da Comissão sobre a aplicação do direito comunitário em matéria de contratos públicos e de concessões às parcerias público-privadas institucionalizadas (PPPI)

Leia mais

Síntese de diversas matérias fiscais de maior relevo ocorridas na 2.ª quinzena de setembro de 2014 1 2

Síntese de diversas matérias fiscais de maior relevo ocorridas na 2.ª quinzena de setembro de 2014 1 2 Síntese de diversas matérias fiscais de maior relevo ocorridas na 2.ª quinzena de setembro de 2014 1 2 1 - Orçamento retificativo: - Lei n.º 75-A/2014, de 30 de setembro. Procede à segunda alteração à

Leia mais

Reenvios prejudiciais pelo Tribunal Arbitral Tributário Português (O Acórdão ASCENDI)

Reenvios prejudiciais pelo Tribunal Arbitral Tributário Português (O Acórdão ASCENDI) Reenvios prejudiciais pelo Tribunal Arbitral Tributário Português (O Acórdão ASCENDI) Rogério M. Fernandes Ferreira * Pedro Saraiva Nércio ** O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) pronunciou-se

Leia mais

DESPACHO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Oitava Secção) 13 de fevereiro de 2014 (*)

DESPACHO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Oitava Secção) 13 de fevereiro de 2014 (*) DESPACHO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Oitava Secção) 13 de fevereiro de 2014 (*) «Reenvio prejudicial Conceito de ʻórgão jurisdicional nacionalʼ na aceção do artigo 267. TFUE Tribunal Arbitral necessário Admissibilidade

Leia mais

BASE JURÍDICA OBJETIVOS REALIZAÇÕES

BASE JURÍDICA OBJETIVOS REALIZAÇÕES COBERTURA DA SEGURANÇA SOCIAL NOUTROS ESTADOS-MEMBROS DA UE A coordenação dos sistemas de segurança social é necessária para apoiar a livre circulação de pessoas no território da União Europeia. Anteriormente,

Leia mais

L 306/2 Jornal Oficial da União Europeia 23.11.2010

L 306/2 Jornal Oficial da União Europeia 23.11.2010 L 306/2 Jornal Oficial da União Europeia 23.11.2010 Projecto DECISÃO N. o / DO CONSELHO DE ASSOCIAÇÃO instituído pelo Acordo Euro-Mediterrânico que cria uma associação entre as Comunidades Europeias e

Leia mais

Decreto n.º 11/2002 Convenção sobre Segurança Social entre a República Portuguesa e a Austrália, assinada em Lisboa em 3 de Setembro de 2001

Decreto n.º 11/2002 Convenção sobre Segurança Social entre a República Portuguesa e a Austrália, assinada em Lisboa em 3 de Setembro de 2001 Decreto n.º 11/2002 Convenção sobre Segurança Social entre a República Portuguesa e a Austrália, assinada em Lisboa em 3 de Setembro de 2001 Considerando que Portugal e a Austrália gozam de excelentes

Leia mais

ANEXO. Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

ANEXO. Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Estrasburgo, 13.12.2016 COM(2016) 815 final ANNEX 1 ANEXO Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera o Regulamento (CE) n.º 883/2004, relativo à coordenação

Leia mais

CONCLUSÕES DO ADVOGADO-GERAL JEAN MISCHO apresentadas em 4 de Junho de 1991 *

CONCLUSÕES DO ADVOGADO-GERAL JEAN MISCHO apresentadas em 4 de Junho de 1991 * SCHULTE E REINERT CONCLUSÕES DO ADVOGADO-GERAL JEAN MISCHO apresentadas em 4 de Junho de 1991 * Senhor Presidente, Senhores Juízes, Quanto à primeira questão 1. As presentes conclusões incidem sobre questões

Leia mais

DECRETO N.º 238/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.

DECRETO N.º 238/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1. DECRETO N.º 238/XII Estabelece o regime de acesso e de exercício da profissão de auditor de segurança rodoviária, de emissão dos respetivos títulos profissionais e de acesso e exercício da atividade de

Leia mais

PARECER N.º 65/CITE/2014

PARECER N.º 65/CITE/2014 PARECER N.º 65/CITE/2014 Assunto: Parecer prévio ao despedimento de trabalhadora grávida por extinção de posto de trabalho, nos termos do n.º 1 e da alínea c) do n.º 3 do artigo 63.º do Código do Trabalho,

Leia mais

2008R0593 PT 24.07.2008 000.001 1

2008R0593 PT 24.07.2008 000.001 1 2008R0593 PT 24.07.2008 000.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B REGULAMENTO (CE) N. o 593/2008 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 17 de Junho

Leia mais

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Quinta Secção) 14 de Setembro de 2000 *

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Quinta Secção) 14 de Setembro de 2000 * ACÓRDÃO DE 14. 9. 2000 PROCESSO C-348/98 ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Quinta Secção) 14 de Setembro de 2000 * No processo C-348/98, que tem por objecto um pedido dirigido ao Tribunal de Justiça, nos

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta alterada de REGULAMENTO DO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta alterada de REGULAMENTO DO CONSELHO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 10.3.2006 COM(2006) 110 final 2003/0218 (CNS) Proposta alterada de REGULAMENTO DO CONSELHO que altera o Regulamento (CE) nº 1030/2002 que estabelece um modelo

Leia mais

Comentário às Conclusões da Advogada-Geral Juliane Kokott no Processo C-116/08 (Meerts), tendo como reportação o Acórdão de 22 de Outubro de 2009

Comentário às Conclusões da Advogada-Geral Juliane Kokott no Processo C-116/08 (Meerts), tendo como reportação o Acórdão de 22 de Outubro de 2009 Comentário às Conclusões da Advogada-Geral Juliane Kokott no Processo C-116/08 (Meerts), tendo como reportação o Acórdão de 22 de Outubro de 2009 Ementa Directiva 96/34/CE Licença parental a tempo parcial

Leia mais

CALHETA D ESPERANÇAS

CALHETA D ESPERANÇAS CÂMARA MUNICIPAL DA CALHETA MADEIRA REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO À FAMILIA E INCENTIVO À NATALIDADE CALHETA D ESPERANÇAS Página 1 de 5 Nota Justificativa Considerando a crescente intervenção deste Município

Leia mais

PROJETO DE CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS

PROJETO DE CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS PROJETO DE CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS Concurso limitado por prévia qualificação para a seleção da empresa a designar para a prestação do serviço universal de disponibilização de uma lista telefónica

Leia mais

Universidade do Minho Escola de Direito

Universidade do Minho Escola de Direito Universidade do Minho Escola de Direito Mestrado em Direito da União Europeia Contencioso da União Europeia COMENTÁRIO AO ACÓRDÃO PONTIN DE 29 DE OUTUBRO 2009 PROCESSO C-63/08 Joana Whyte PG 15148 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Decreto-Lei n.º 154/2003 de 15 de Julho

Decreto-Lei n.º 154/2003 de 15 de Julho Decreto-Lei n.º 154/2003 de 15 de Julho O Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta entre a República Portuguesa e a República Federativa do Brasil, assinado em Porto Seguro em 22 de Abril de 2000, aprovado,

Leia mais

Manual do Revisor Oficial de Contas. Directriz de Revisão/Auditoria 810

Manual do Revisor Oficial de Contas. Directriz de Revisão/Auditoria 810 Directriz de Revisão/Auditoria 810 CERTIFICAÇÃO DE CRÉDITOS INCOBRÁVEIS E DE DEDUÇÃO DE IVA Nos termos do n.ºs 9 e 10 do art.º 71.º do Código do Imposto sobre o Valor Acrescentado (CIVA) Introdução Julho

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO E DE MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO E DE MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO E DE MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO SETEMBRO/2015 Artigo 1º Objeto REG.SEC.02.02 Página 1 de 7 O presente regulamento estabelece as normas relativas aos regimes

Leia mais

MUNICÍPIO DE VALPAÇOS REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Preâmbulo

MUNICÍPIO DE VALPAÇOS REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Preâmbulo MUNICÍPIO DE VALPAÇOS REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Preâmbulo Nos termos do artigo 235º nº2 da Constituição da República Portuguesa, as Autarquias são pessoas colectivas territoriais

Leia mais

PARECER N.º 2/CITE/2010

PARECER N.º 2/CITE/2010 PARECER N.º 2/CITE/2010 Assunto: Parecer prévio ao despedimento de trabalhadora grávida, nos termos do n.º 1 e da alínea a) do n.º 3 do artigo 63.º do Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009,

Leia mais

Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio

Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR ARMANDO DE LUCENA MALVEIRA Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio 2017-2021 Preâmbulo O presente regulamento define as regras

Leia mais

Manual da aposentadoria especial dos deficientes e fatores multiplicadores

Manual da aposentadoria especial dos deficientes e fatores multiplicadores 1 Orientações básicas sobre a aposentadoria especial dos deficientes e fatores multiplicadores (Decreto n. 8.145, de 03 de dezembro de 2013) Segundo a Lei Complementar n. 142, de 8 de maio de 2013, foram

Leia mais

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA 7 de Julho de 1992 *

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA 7 de Julho de 1992 * ACÓRDÃO DE 7. 7. 1992 PROCESSO C-369/90 ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA 7 de Julho de 1992 * No processo C-369/90, que tem por. objecto um pedido dirigido ao Tribunal de Justiça, nos termos : do artigo

Leia mais

REGULAMENTO PARA O PROCEDIMENTO CONCURSAL DE ELEIÇÃO DO DIRETOR PARA O QUADRIÉNIO 2017/2021. Preâmbulo. Artigo 1.º Concurso

REGULAMENTO PARA O PROCEDIMENTO CONCURSAL DE ELEIÇÃO DO DIRETOR PARA O QUADRIÉNIO 2017/2021. Preâmbulo. Artigo 1.º Concurso REGULAMENTO PARA O PROCEDIMENTO CONCURSAL DE ELEIÇÃO DO DIRETOR PARA O QUADRIÉNIO 2017/2021 Preâmbulo O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do Diretor

Leia mais

Regulamento do Procedimento Concursal de Eleição do Diretor AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ MARIA DOS SANTOS PINHAL NOVO

Regulamento do Procedimento Concursal de Eleição do Diretor AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ MARIA DOS SANTOS PINHAL NOVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ MARIA DOS SANTOS PINHAL NOVO Regulamento do Procedimento Concursal de Eleição do(a) Diretor(a) para o Quadriénio 2017-2021 Preâmbulo O presente regulamento define as regras

Leia mais

Preâmbulo. O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do

Preâmbulo. O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do ESCOLA SECUNDÁRIA JOSÉ SARAMAGO-MAFRA Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio 2015-2019 Preâmbulo O presente regulamento define as regras a observar no procedimento

Leia mais

ENQUADRAMENTO DO VOLUNTARIADO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

ENQUADRAMENTO DO VOLUNTARIADO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO ENQUADRAMENTO DO VOLUNTARIADO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO Considerando: O relevo formativo, social, cultural e cívico do voluntariado e o papel importante que a Universidade de Aveiro (UA) pode desempenhar

Leia mais

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DATA: Segunda-feira, 16 de setembro de 2013 NÚMERO: 178 SÉRIE I, 1º SUPLEMENTO EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DIPLOMA: Portaria n.º 286-A/2013 SUMÁRIO: Cria a medida Incentivo

Leia mais

DIRECTIVA 2005/36/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 7 de Setembro de 2005 relativa ao reconhecimento das qualificações profissionais

DIRECTIVA 2005/36/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 7 de Setembro de 2005 relativa ao reconhecimento das qualificações profissionais L 255/22 DIRECTIVA 2005/36/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 7 de Setembro de 2005 relativa ao reconhecimento das qualificações profissionais (Texto relevante para efeitos do EEE) O PARLAMENTO

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA. Auxílio Estatal SA.34160 (2011/N) Portugal Alteração do regime da Zona Franca da Madeira N 421/2006

COMISSÃO EUROPEIA. Auxílio Estatal SA.34160 (2011/N) Portugal Alteração do regime da Zona Franca da Madeira N 421/2006 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 2.7.2013 C(2013) 4043 final VERSÃO PÚBLICA O presente documento é um documento interno da Comissão disponível exclusivamente a título informativo. Assunto: Auxílio Estatal SA.34160

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia L 146/7

Jornal Oficial da União Europeia L 146/7 8.6.2007 Jornal Oficial da União Europeia L 146/7 REGULAMENTO (CE) N. o 633/2007 DA COMISSÃO de 7 de Junho de 2007 que estabelece requisitos para a aplicação de um protocolo de transferência de mensagens

Leia mais

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Grande Secção) 5 de Outubro de 2004 *

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Grande Secção) 5 de Outubro de 2004 * ACÓRDÃO DE 5. 10. 2004 PROCESSOS APENSOS C-397/01 A C-403/01 ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Grande Secção) 5 de Outubro de 2004 * Nos processos apensos C-397/01 a C-403/01, que têm por objecto pedidos

Leia mais

03-07-12 - Prospeto a publicar nas ofertas públicas de valores mobiliários

03-07-12 - Prospeto a publicar nas ofertas públicas de valores mobiliários 03-07-12 - Prospeto a publicar nas ofertas públicas de valores mobiliários A Comissão Europeia (CE) emitiu novas regras quanto ao formato e ao conteúdo do prospeto, do prospeto de base, do sumário, das

Leia mais

Instruções para os trabalhadores a recibo verde da. Câmara Municipal de Lisboa

Instruções para os trabalhadores a recibo verde da. Câmara Municipal de Lisboa Instruções para os trabalhadores a recibo verde da Câmara Municipal de Lisboa Os trabalhadores a recibo verde que configuram verdadeiros contratos de trabalho deverão proceder da seguinte forma: 1- Elaborar

Leia mais

REGULAMENTOS Jornal Oficial da União Europeia L 61/1. (Actos aprovados ao abrigo dos Tratados CE/Euratom cuja publicação é obrigatória)

REGULAMENTOS Jornal Oficial da União Europeia L 61/1. (Actos aprovados ao abrigo dos Tratados CE/Euratom cuja publicação é obrigatória) 5.3.2009 Jornal Oficial da União Europeia L 61/1 I (Actos aprovados ao abrigo dos Tratados CE/Euratom cuja publicação é obrigatória) REGULAMENTOS REGULAMENTO (CE) N. o 169/2009 DO CONSELHO de 26 de Fevereiro

Leia mais

REGULAMENTO DO VOO BILUGAR EM ASA DELTA E PARAPENTE

REGULAMENTO DO VOO BILUGAR EM ASA DELTA E PARAPENTE REGULAMENTO DO VOO BILUGAR EM ASA DELTA E PARAPENTE Federação Portuguesa de Voo Livre 2006 CAPÍTULO I [Disposições Gerais] Artigo 1.º [Objecto] O presente documento tem por objectivo, no âmbito da FPVL,

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE CONFLITOS DE INTERESSE DO BANCO ESPIRITO SANTO NO ÂMBITO DAS ACTIVIDADES DE INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE CONFLITOS DE INTERESSE DO BANCO ESPIRITO SANTO NO ÂMBITO DAS ACTIVIDADES DE INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA POLÍTICA DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE CONFLITOS DE INTERESSE DO BANCO ESPIRITO SANTO NO ÂMBITO DAS ACTIVIDADES DE INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 1. Introdução O Banco Espírito Santo, S.A. (o Banco) desenvolve diversas

Leia mais

Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar

Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar PROPOSTA DE LEI Nº 247/X PROPOSTA DE ADITAMENTO Ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, os Deputados abaixo assinados, do Grupo Parlamentar

Leia mais

Profissão de advogado na União Européia. Directiva 98/5/CE 08-05-2002

Profissão de advogado na União Européia. Directiva 98/5/CE 08-05-2002 Profissão de advogado na União Européia Directiva 98/5/CE 08-05-2002 tendente a facilitar o exercício permanente da profissão de advogado num Estado-membro diferente daquele em que foi adquirida a qua

Leia mais

Acompanhamento, Apreciação e Pronúncia pela Assembleia da República no âmbito do Processo de Construção da União Europeia 1

Acompanhamento, Apreciação e Pronúncia pela Assembleia da República no âmbito do Processo de Construção da União Europeia 1 Acompanhamento, Apreciação e Pronúncia pela Assembleia da República no âmbito do Processo de Construção da União Europeia 1 Lei n.º 43/2006, de 25 de agosto (TP), com as alterações introduzidas pela Lei

Leia mais

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições 1997R0338 PT 10.06.2009 013.002 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B REGULAMENTO (CE) N. o 338/97 DO CONSELHO de 9 de Dezembro de 1996 relativo à protecção

Leia mais

Acompanhamento, Apreciação e Pronúncia pela Assembleia da República no âmbito do Processo de Construção da União Europeia 1

Acompanhamento, Apreciação e Pronúncia pela Assembleia da República no âmbito do Processo de Construção da União Europeia 1 Acompanhamento, Apreciação e Pronúncia pela Assembleia da República no âmbito do Processo de Construção da União Europeia 1 Lei n.º 43/2006, de 25 de agosto (TP), com as alterações introduzidas pela Lei

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Direito

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Direito UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Direito Regulamento dos regimes de reingresso e de mudança par instituição/curso da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa Nos termos do disposto no

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 4.4.2006 COM(2006) 159 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO Orientações relativas ao destacamento de trabalhadores no âmbito de uma prestação de serviços {SEC(2006)

Leia mais

Jornal Oficial das Comunidades Europeias

Jornal Oficial das Comunidades Europeias 3.3.2001 PT Jornal Oficial das Comunidades Europeias L 63/21 REGULAMENTO (CE) N. o 438/2001 DA COMISSÃO de 2 de Março de 2001 que estabelece as regras de execução do Regulamento (CE) n. o 1260/1999 do

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO (ISCA)

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO (ISCA) Aprovado em reunião do Conselho Directivo de 13 de Setembro de 2007, com alterações introduzidas em reunião do Conselho Directivo de 28-11-2007. Artigo 1.º (Âmbito de aplicação) O presente Regulamento

Leia mais

Resistencia mecanica e estabilidade Segurança contra incêndio Higiene, Saude e Ambiente Segurança e acessibilidade na utilização Protecção conta o

Resistencia mecanica e estabilidade Segurança contra incêndio Higiene, Saude e Ambiente Segurança e acessibilidade na utilização Protecção conta o 1 2 Resistencia mecanica e estabilidade Segurança contra incêndio Higiene, Saude e Ambiente Segurança e acessibilidade na utilização Protecção conta o ruido Econonomia de energia e isolamento termico 3

Leia mais

REGULAMENTO BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PARA ESTRANGEIROS

REGULAMENTO BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PARA ESTRANGEIROS I. DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1. Com o fim de estimular a difusão da cultura portuguesa em países estrangeiros, a Fundação Calouste Gulbenkian, através do Serviço de Bolsas Gulbenkian, concede bolsas de

Leia mais

para a aplicação do Regulamento relativo à injunção de pagamento europeia

para a aplicação do Regulamento relativo à injunção de pagamento europeia Guia prático para a aplicação do Regulamento relativo à injunção de pagamento europeia Rede Judiciária Europeia em matéria civil e comercial Índice 2 I. Introdução: O processo civil europeu........................................................................................

Leia mais

CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VALE DO TAMEL

CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VALE DO TAMEL CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VALE DO TAMEL Regulamento relativo ao Procedimento Concursal para a Eleição do Diretor para o Quadriénio 2017/2021 Objeto O presente regulamento estabelece as condições

Leia mais

Notas sobre o formulário de pedido de transformação de um registo internacional (RI) que designe a Comunidade Europeia (CE)

Notas sobre o formulário de pedido de transformação de um registo internacional (RI) que designe a Comunidade Europeia (CE) INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (IHMI) Marcas, Desenhos e Modelos Notas sobre o formulário de pedido de transformação de um registo internacional (RI) que designe a Comunidade Europeia (CE)

Leia mais

O IRC no Orçamento do Estado para 2012. Audit Tax Advisory Consulting

O IRC no Orçamento do Estado para 2012. Audit Tax Advisory Consulting Audit Tax Advisory Consulting Opção por período de tributação distinto do ano civil Período mínimo de vigência da opção: 5 anos Período mínimo poderá ser < 5 anos, se o s.p. passar a integrar grupo obrigado

Leia mais

Deliberação n.º 515/2010, de 3 de Março (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010)

Deliberação n.º 515/2010, de 3 de Março (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) Define os elementos que devem instruir a notificação, a efectuar ao INFARMED, I. P., do exercício da actividade de distribuição por grosso de dispositivos

Leia mais

PORTARIA N.º 131/2017, DE 7 DE ABRIL, QUE REGULA A CRIAÇÃO DA MEDIDA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAIS

PORTARIA N.º 131/2017, DE 7 DE ABRIL, QUE REGULA A CRIAÇÃO DA MEDIDA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAIS PORTARIA N.º 131/2017, DE 7 DE ABRIL, QUE REGULA A CRIAÇÃO DA MEDIDA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAIS Foi publicada a Portaria n.º 131/2017, de 7 de Abril, que regula a criação da medida de Estágios Profissionais

Leia mais

Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 03 Aula 001-019 Direito Previdenciário para o Concurso do INSS

Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 03 Aula 001-019 Direito Previdenciário para o Concurso do INSS Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 03 Aula 001-019 Direito Previdenciário para o Concurso do INSS Lei 8.213/91, art. 16... 3º. Considera-se companheira ou companheiro a pessoa que, sem ser casada,

Leia mais

MEDIDA ESTIMULO 2012 Regulamento do Instituto do Emprego e Formação Profissional

MEDIDA ESTIMULO 2012 Regulamento do Instituto do Emprego e Formação Profissional MEDIDA ESTIMULO 2012 Regulamento do Instituto do Emprego e Formação Profissional No âmbito da medida de incentivos ao emprego "Estímulo 2012", estabelecida pela Portaria n 45/2012, de 13.2, o Instituto

Leia mais

As disposições da UE em matéria de segurança social

As disposições da UE em matéria de segurança social Actualização 2010 As disposições da UE em matéria de segurança social Os seus direitos quando se desloca no interior da União Europeia Comissão Europeia As disposições da UE em matéria de segurança social

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 25/XII/1.ª CONSAGRA O EFEITO SUSPENSIVO DOS RECURSOS PREVISTOS NA LEI DE IMIGRAÇÃO

PROJECTO DE LEI N.º 25/XII/1.ª CONSAGRA O EFEITO SUSPENSIVO DOS RECURSOS PREVISTOS NA LEI DE IMIGRAÇÃO Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 25/XII/1.ª CONSAGRA O EFEITO SUSPENSIVO DOS RECURSOS PREVISTOS NA LEI DE IMIGRAÇÃO Exposição de Motivos A possibilidade de apresentar um recurso, que tenha efeito

Leia mais

Anexo 1 FUNDAÇÃO MACAU. Regulamento de Atribuição da. Bolsa para Estudos sobre Macau. Artigo 1.º. Objecto

Anexo 1 FUNDAÇÃO MACAU. Regulamento de Atribuição da. Bolsa para Estudos sobre Macau. Artigo 1.º. Objecto Anexo 1 FUNDAÇÃO MACAU Regulamento de Atribuição da Bolsa para Estudos sobre Macau Artigo 1.º Objecto O presente Regulamento define as regras de atribuição da Bolsa para Estudos sobre Macau, adiante designada

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 111/IX

PROPOSTA DE LEI N.º 111/IX PROPOSTA DE LEI N.º 111/IX TRANSPÕE PARA A ORDEM JURÍDICA NACIONAL A DIRECTIVA 98/27/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO, DE 19 DE MAIO DE 1998, RELATIVA ÀS ACÇÕES INIBITÓRIAS EM MATÉRIA DE PROTECÇÃO

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia

Jornal Oficial da União Europeia 6.2.2003 L 31/3 REGULAMENTO (CE) N. o 223/2003 DA COMISSÃO de 5 de Fevereiro de 2003 que diz respeito aos requisitos em matéria de rotulagem relacionados com o modo de produção biológico aplicáveis aos

Leia mais

A PROBLEMÁTICA DO REENVIO PREJUDICIAL ART. 267º DO TFUE

A PROBLEMÁTICA DO REENVIO PREJUDICIAL ART. 267º DO TFUE A PROBLEMÁTICA DO REENVIO PREJUDICIAL ART. 267º DO TFUE DIREITO COMUNITÁRIO E COMPETÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Direito Comunitário primário e Direito Comunitário derivado O princípio do primado (ou primazia)

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: Auditoria financeira e de conformidade de partidos políticos e fundações políticas ao nível europeu 2016/S 114-202107

Bélgica-Bruxelas: Auditoria financeira e de conformidade de partidos políticos e fundações políticas ao nível europeu 2016/S 114-202107 1 / 7 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:202107-2016:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Auditoria financeira e de conformidade de partidos políticos e fundações

Leia mais

REGIMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE LOURES

REGIMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE LOURES REGIMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE LOURES aprovado por unanimidade na 1.ª Reunião Extraordinária de Câmara Municipal, realizada em 3 de Novembro de 2009 M U N I C I P I O D E L O U R E S C ÂM AR A M U N

Leia mais

CONCLUSÕES DO ADVOGADO-GERAL JÁN MAZÁK apresentadas em 14 de Fevereiro de 2008 (1) Processo C-33/07

CONCLUSÕES DO ADVOGADO-GERAL JÁN MAZÁK apresentadas em 14 de Fevereiro de 2008 (1) Processo C-33/07 Page 1 of 12 CONCLUSÕES DO ADVOGADO-GERAL JÁN MAZÁK apresentadas em 14 de Fevereiro de 2008 (1) Processo C-33/07 Ministerul Administraţiei şi Internelor Direcţia Generală de Paşapoarte Bucureşti contra

Leia mais

ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E PROCESSO DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Lei n.o 28/82, (*) de 15 de Novembro (Excertos)

ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E PROCESSO DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Lei n.o 28/82, (*) de 15 de Novembro (Excertos) ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E PROCESSO DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Lei n.o 28/82, (*) de 15 de Novembro (Excertos) A Assembleia da República decreta, nos termos do artigo 244.o da Lei Constitucional n.o

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BENEFÍCIOS AOS MEMBROS DA ORDEM DOS ENFERMEIROS,

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BENEFÍCIOS AOS MEMBROS DA ORDEM DOS ENFERMEIROS, Preâmbulo Foi aprovado em Assembleia Geral da Ordem dos Enfermeiros de 25 de Maio de 2002, sob proposta do Conselho Diretivo, o Regulamento de Acesso a Benefícios aos Membros, em cumprimento do desígnio

Leia mais

1802 Diário da República, 1.ª série N.º de Março de 2009

1802 Diário da República, 1.ª série N.º de Março de 2009 1802 Diário da República, 1.ª série N.º 56 20 de Março de 2009 actualiza o regime jurídico de protecção social na eventualidade desemprego. Artigo 2.º Prorrogação 1 É prorrogada, por um período de seis

Leia mais

Deliberação sobre isenção / redução de taxa de inscrição para o Concurso Vestibular FUVEST 2014

Deliberação sobre isenção / redução de taxa de inscrição para o Concurso Vestibular FUVEST 2014 CONCURSO VESTIBULAR FUVEST 2014 Isenção/Redução de Taxa de Inscrição Informe nº 03/2014-23/05/2013 Deliberação sobre isenção / redução de taxa de inscrição para o Concurso Vestibular FUVEST 2014 O Vice-Reitor,

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 15.3.2007 COM(2007) 106 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO em conformidade com o n.º 1 do artigo 19.º da Directiva 2003/96/CE do Conselho (transportes

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA. PARA: Beneficiários no âmbito dos cuidados de saúde transfronteiriços

CIRCULAR INFORMATIVA. PARA: Beneficiários no âmbito dos cuidados de saúde transfronteiriços CIRCULAR INFORMATIVA Nº 5/2015/DPS/ACSS DATA: 16-01-2015 PARA: Beneficiários no âmbito dos cuidados de saúde transfronteiriços Assunto: Informação sobre os direitos referentes à obtenção de cuidados de

Leia mais

P á g i n a 1. Introdução

P á g i n a 1. Introdução P á g i n a 1 Introdução O processo de integração europeia tem vindo a evoluir gradualmente ao longo das décadas. Nesse espaço de tempo, temos assistido a vários momentos de avanços e recuos, dúvidas e

Leia mais

Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas (IRC)

Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas (IRC) FLASH NEWS FISCAL N.º 2 (IRC) PROPOSTA ORÇAMENTO DE ESTADO 2012 Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas (IRC) Taxas de IRC É eliminada a taxa de 12,5% aplicável aos primeiros 12.500,00 de matéria

Leia mais

REGULAMENTO APLICÁVEL AOS REGIMES DE REINGRESSO E DE MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO

REGULAMENTO APLICÁVEL AOS REGIMES DE REINGRESSO E DE MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO I Âmbito e disposições comuns 1. O presente regulamento estabelece as normas do IPSN para os regimes de reingresso e de mudança de par instituição/curso, previstos na Portaria n.º 181-D/2015, de 19-06.

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) de 27 de Novembro de 2003

Jornal Oficial da União Europeia. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) de 27 de Novembro de 2003 23.12.2003 L 338/1 I (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) REGULAMENTO (CE) N. o 2201/2003 DO CONSELHO de 27 de Novembro de 2003 relativo à competência, ao reconhecimento e à execução

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS LIVRO VERDE. sobre a lei aplicável e a competência em matéria de divórcio. (apresentado pela Comissão)

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS LIVRO VERDE. sobre a lei aplicável e a competência em matéria de divórcio. (apresentado pela Comissão) COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 14.3.2005 COM(2005) 82 final LIVRO VERDE sobre a lei aplicável e a competência em matéria de divórcio (apresentado pela Comissão) {SEC(2005) 331} PT PT LIVRO

Leia mais

TRANSPORTES RODOVIÁRIOS: HARMONIZAÇÃO DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS

TRANSPORTES RODOVIÁRIOS: HARMONIZAÇÃO DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS: HARMONIZAÇÃO DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS A criação de um mercado único europeu dos transportes rodoviários não é possível sem uma harmonização das disposições legais em vigor nos Estados-Membros.

Leia mais

ACTIVIDADES TRANSFRONTEIRIÇAS DE GESTÃO DE PLANOS DE PENSÕES PROFISSIONAIS NACIONAIS EM PORTUGAL

ACTIVIDADES TRANSFRONTEIRIÇAS DE GESTÃO DE PLANOS DE PENSÕES PROFISSIONAIS NACIONAIS EM PORTUGAL ACTIVIDADES TRANSFRONTEIRIÇAS DE GESTÃO DE PLANOS DE PENSÕES PROFISSIONAIS NACIONAIS EM PORTUGAL INTRODUÇÃO O presente documento define o conjunto de requisitos que deverão ser observados no caso de actividades

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. Decreto-Lei n.º 137/2006 de 26 de Julho

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. Decreto-Lei n.º 137/2006 de 26 de Julho MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Decreto-Lei n.º 137/2006 de 26 de Julho O gás natural comprimido, designado por GNC, é um combustível alternativo, que pode ser utilizado na alimentação dos motores

Leia mais

RECOMENDAÇÃO n.º 2-A/2010

RECOMENDAÇÃO n.º 2-A/2010 Sua Excelência O Ministro da Justiça Praça do Comércio 1149-019 Lisboa Sua referência Sua comunicação Nossa referência Proc. P-3333/09 (A5) Assunto: Requisitos relativos à concessão de nacionalidade portuguesa;

Leia mais

Apelido: Nome próprio:

Apelido: Nome próprio: DECLARAÇÃO DE INTERESSES FINANCEIROS DOS DEPUTADOS NOS TERMOS DO ANEXO I DO REGIMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU RELATIVO AO CÓDIGO DE CONDUTA DOS DEPUTADOS AO PARLAMENTO EUROPEU EM MATÉRIA DE INTERESSES FINANCEIROS

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica Prática Processual Penal e Direito Constitucional e Direitos Humanos (8 Valores) 22 de Julho de 2011 Responda a todas

Leia mais

PARECER N.º 6/CITE/2005

PARECER N.º 6/CITE/2005 PARECER N.º 6/CITE/2005 Assunto: Parecer prévio à prestação de trabalho a tempo parcial, nos termos dos n. os 2 e 6 do artigo 80.º da Lei n.º 35/2004, de 29 de Julho Processo n.º 3 TP/2005 I OBJECTO 1.1.

Leia mais

Emitente: CONSELHO DIRECTIVO. Norma Regulamentar N.º 13/2006-R. Data: Assunto: REGULAMENTAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 83/2006, DE 3 DE MAIO

Emitente: CONSELHO DIRECTIVO. Norma Regulamentar N.º 13/2006-R. Data: Assunto: REGULAMENTAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 83/2006, DE 3 DE MAIO Emitente: CONSELHO DIRECTIVO Norma Regulamentar N.º 13/2006-R Data: 05-12-2006 Assunto: REGULAMENTAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 83/2006, DE 3 DE MAIO O Decreto-Lei n.º 83/2006, de 3 de Maio, transpôs parcialmente

Leia mais