BALANÇO PATRIMONIAL AMBIENTAL - EXERCÍCIO COMENTADO Prof Alan

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BALANÇO PATRIMONIAL AMBIENTAL - EXERCÍCIO COMENTADO Prof Alan"

Transcrição

1 FACULDADE EVANGÉLICA CIÊNCIAS CONTÁBEIS DISCIPLINA: CONTABILIDADE AMBIENTAL E SOCIAL TURMA: 3º, 4º e 5º PERÍODOS BALANÇO PATRIMONIAL AMBIENTAL - EXERCÍCIO COMENTADO Prof Alan Considere os fatos contábeis a seguir e realize os lançamentos contábeis, apure o resultado, caso houver, refazendo o Balanço Patrimonial Ambiental. 1) Compra de Créditos de Carbono, a prazo, sendo R$ para serem revendidos oportunamente e R$ como investimento permanente; 2) Venda, a prazo, de produtos reciclados, de R$ , por R$ ; 3) Venda, a prazo, de Insumos ambientais, no valor de R$ , sendo que o custo foi de R$ ; 4) Pagamento de Imposto de Renda no valor de R$ ; 5) Foram pagos R$ de licenças e impostos ambientais. 6) Pagamento a vista de Aluguel de veículos no valor de R$

2 RESOLUÇÃO 1) Compra de Créditos de Carbono, a longo prazo, sendo R$ para serem revendidos oportunamente e R$ como investimento permanente; A primeira coisa que tem a fazer é analisar quais contas irão sofrer modificações com esta operação. Olhando o balancete, podemos deduzir que as contas influenciadas serão: - CRÉDITOS DE CARBONO (registrar o investimento permanente); - INSUMOS AMBIENTAIS (registrar os Créditos de Carbono que são estoques do Ativo disponíveis a qualquer momento para revenda) (Poderia também abrir uma nova conta de CRÉDITOS DE CARBONO no Circulante); - FINANCIAMENTOS AMBIENTAIS (não circulante) (Registrar a dívida a longo prazo resultante da compra). - Então, abrimos os razonetes das contas que sofrerão alterações, com os respectivos nomes e lançamos as operações. Ficaria assim: Créditos de Carbono (S) (1) Insumos Ambientais ,00(S) ,00(1) Aqui poderia ser também Créditos de Carbono do circulante. Atente ao seguinte: Já sabemos que a conta de Financiamentos Ambientais representa uma obrigação, ou seja, compramos a prazo e temos que pagar, logo essa conta é uma conta do Passivo, então o seu saldo (R$ ,00), deve aparecer do lado direito do razonete (lado do crédito), pois é no lado direito do Balanço Patrimonial que relacionamos as nossas obrigações. Vejamos: Financiamentos Ambientas (NC) (S) (1) 2) Venda a prazo de produtos reciclados, de R$ , por R$ ; Aprendemos que existem 3 tipos de grupos de contas, ATIVO, PASSIVO e PATRIMONIO LIQUIDO. A partir de agora, veremos, na prática, mais 3 tipos de grupos de contas que são as contas de RECEITA, DESPESA e CUSTO. Aprendemos que as contas de ativo, passivo e patrimônio liquido, têm cada uma a sua respectiva finalidade. E qual seria a finalidade das contas de receita, despesa e custo? Essas contas são chamadas de contas temporárias ou transitórias, chamamo-las assim porque em alguma data elas serão zeradas propositalmente com a finalidade de permitir a apuração do resultado. Assim essas contas nunca aparecerão no balanço. Quando exemplificarmos ficará mais fácil a assimilação. Receita são grupos de contas que registram as operações que ocasionam um aumento no patrimônio (AUMENTO DE DINHEIRO, OU DE DIREITOS TAIS COMO CONTAS A RECEBER). Custos são grupos de contas que registram as operações que ocasionam uma redução no patrimônio, porém os custos estão diretamente associados às vendas. Assim ocorre um custo quando há diminuição de um ativo (geralmente mercadorias). Despesas - são grupos de contas que registram as operações que ocasionam uma redução no patrimônio, porém as despesas não estão diretamente associadas às vendas. Identicamente haverá uma diminuição de um ativo (geralmente dinheiro). Para diferenciar melhor Custo de Despesa, temos que nos atentar ao seguinte: os custos estão diretamente associados às vendas e as despesas não. 2

3 Vejam como: Quando você faz uma venda de mercadoria, você entrega a mercadoria (DIMINUIÇÃO DO ATIVO MERCADORIAS) e em contrapartida você terá o recebimento de dinheiro pela venda. Nesse caso temos um custo, que é o custo de mercadorias vendidas, pois a saída da mercadoria esta associada à venda efetuada. Já o pagamento (DIMINUIÇÃO DO ATIVO DINHEIRO) do aluguel é uma despesa, pois não está associada à venda, ou seja, você pagará o aluguel independente de ter efetuado uma venda ou não. Para melhor assimilar o conceito de receita, pense assim: uma empresa quando vende algo, tem em mente, obter um lucro. Se você vendeu uma mercadoria que custou R$ 300,00 por R$ 500,00, você terá um aumento no seu patrimônio de R$ 200,00, (UM LUCRO DE R$ 200,00) em vista que R$ 300,00 referente ao custo, não foi aumento no patrimônio e sim uma troca, você trocou uma mercadoria que custou R$ 300,00, por dinheiro em igual valor monetário (R$ 300,00) Outro conceito muito importante é que as contas de Receitas serão creditadas nos aumentos e debitadas nas diminuições. Já as contas de Despesas e Custos, serão debitadas nos aumentos e creditadas nas diminuições. Analisando a 2ª operação (Venda a prazo de produtos reciclados, de R$ , por ), evidenciamos o seguinte: - Se a operação foi venda, abaixou o estoque de mercadoria; foi à prazo aumentou a conta de clientes (alguém comprou...) vendeu por um valor maior que o preço de custo teve lucro! 1) O primeiro passo foi registrar a saída da mercadoria, então creditamos a conta de PRODUTOS RECICLADOS em R$ e debitamos a conta de CMV no mesmo valor. 2) No segundo passo, fazemos o registro da venda (da Receita), debitamos a conta de Subvenções Ambientais a Receber (venda a prazo), e creditamos a conta de Receita de Vendas. Produtos Reciclados (S) (2) Custo de Mercadorias Vendidas (CMV) (2) Subvenções Ambientais a Receber (NC) (S) Receita de Vendas 3) Venda de Insumos ambientais, a prazo, de R$ , por R$ ; A mesma explicação do item anterior também é válida aqui. Abaixo, apenas transcrevemos os razonetes com as novas operações (3): Insumos Ambientais (S) (1) Custo de Mercadorias Vendidas (CMV) (2) (3) Subvenções Ambientais a Receber (NC) (S) Receita de Vendas 4) Pagamento de Imposto de Renda no valor de R$ A quarta operação foi o pagamento de impostos, logo debitamos a conta de Obrigações Fiscais, para diminui-la (PASSIVO) e creditamos a conta Bancos para diminui-la também (ATIVO), ambas em R$ Obrigações Fiscais (4) (S) Bancos (S) (4) 3

4 5) Foram pagos R$ de licenças e impostos ambientais. Nesta operação, debitamos na conta Impostos Verdes, para diminui-la (PASSIVO) e creditamos o mesmo valor na conta Bancos (ATIVO), também para diminui-la. Impostos Verdes 1.000(5) (S) Bancos (S) (4) 1.000(5) 6) Pagamento a vista de Aluguel de veículos no valor de R$ O pagamento de aluguel no valor de R$ a vista. Podemos perceber que essa operação não aumenta com as vendas, logo ela é uma despesa. Assim abrimos o razonete de Despesa com Aluguéis, debitamos R$ nela e creditamos o mesmo valor na conta Caixa. Caixa Ambiental (S) 5.000(6) Despesa com Aluguéis 5.000(6) APURAÇÃO DO RESULTADO Acima eu tinha dito que as contas de Receitas, Despesas e Custos são as contas transitórias ou temporárias, assim elas não aparecem no balanço, elas só possuem saldo até o momento em que queremos apurar o resultado, quando fazemos a apuração essas contas tem o seu saldo transferido para outra conta, é nesse momento que falamos que essas contas são zeradas. PRIMEIRO PASSO: Identificar quais das contas que foram modificadas (os razonetes que você fez), as contas de RECEITA, DESPESA e CUSTO. Pela análise, temos: 1 - As contas PODUTOS RECICLADOS, CLIENTES AMBIENTAIS, INSUMOS AMBIENTAIS, BANCOS e CAIXA AMBIENTAL são contas do ATIVO (vi isto no balancete inicial e também porque eu aprendi isto no curso de Teoria da Contabilidade). 2 As contas OBRIGAÇÕES FISCAIS e IMPOSTOS VERDES pertencem ao PASSIVO. 3 Então sobraram apenas 3 contas (que não constam do balanço):. RECEITA DE VENDAS;. CUSTO DE MERCADORIA VENDIDAS (CMV);. DESPESAS COM IMPOSTOS. 4

5 SEGUNDO PASSO: Identificadas as contas de resultado, o próximo passo é zerar elas, transferindo o seu saldo para a conta de ARE. Abrimos uma conta chamara APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO, que abreviadamente a chamaremos de ARE. As contas de resultado são zeradas (LEMBRA-SE? No final da apuração elas devem ser zeradas isto é um procedimento contábil para facilitar a apuração do resultado). Custo de Mercadorias Vendidas (CMV) (2) (C) (3) Receita de Vendas (R) Despesa com Aluguéis 5.000(6) 5.000(D) Apuração do Resultado do Exercício (ARE) (C) (R) 5.000(D) Vejam que transferimos os saldos de todas as contas de despesas, receitas e custos, para a conta de ARE (Apuração do Resultado do Exercício), as transferências, a débito ( ( )), totalizaram R$ , o que representou o lucro líquido da empresa. Este Lucro Líquido é aberto em outro razonete, como se segue: Lucro do Exercício TERCEIRO PASSO: Verifique o saldo de cada uma das contas, exceto RECEITAS, DESPESAS E LUCROS, e transcreva-as para o balancete. No nosso exemplo, quando você terminou as operações (obteve o RESULTADO DO EXERCÍCIO), todos os seus razonetes estavam assim (último momento): Créditos de Carbono (S) (1) Produtos Reciclados (S) (2) Financiamentos Ambientas (NC) (S) (1) Obrigações Fiscais (4) (S) Subvenções Ambientais a Receber (NC) (S) Insumos Ambientais (S) (1) Bancos (S) (4) 1.000(5) Caixa Ambiental (S) 5.000(6) Impostos Verdes 1.000(5) (S) Agora é só transcrever os dados dos razonetes para o balanço, evidentemente, realizando as somas de adição e subtração necessárias. Transcreva o resultado no Patrimônio Líquido. Perceba que o resultado de ATIVO tem de ser igual ao PASSIVO + PL. 5

6 4º PASSO: ATUALIZR O BALANÇO Lucro do Exercício Não fica mais fácil de se entender? Claro que sim. Mais isso porque você agora sabe que Ativo são bens e direitos e Passivo são obrigações e deveres. Mas porque o ativo fica do lado esquerdo e o passivo fica do lado direito? Porque ficou convencionado que seria assim, ou seja, um monte de gente se reuniu e disse a partir de hoje isso é assim e pronto. Para que? Para ficar mais fácil, assim você sabe que tudo o que estiver do lado esquerdo desse relatório pertence ao Ativo e tudo que tiver do lado direito ao Passivo, assim passou a adotar esse método em vários paises, e não só no Brasil, até balanços internacionais são desta forma. Poucas são as exceções tais como a França (se eu não me engano). Bom, então o Balanço Patrimonial possui somente os grupos Ativo e o Passivo? Não!!! Ainda existe mais um grupo chamado de Patrimônio Líquido, que fica no lado do passivo. O Patrimônio Líquido também é uma obrigação, só que é NÃO EXIGÍVEL A EMPRESA NÃO PRECISA PAGAR. É um dinheiro que pertence aos sócios da empresa (obrigação da empresa), por isso ele fica do lado do PASSIVO. E O CONTADOR? PRECISA FAZER TODOS ESSES CÁLCULOS PARA APURAR O RESULTADO? NÃO!!! HOJE EM DIA EXISTEM SOFTWARES QUE REALIZAM TODO ESSE TRABALHO, RAPIDAMENTE!!!! MAS ISTO NÃO QUER DIZER QUE VOCÊ NÃO DEVA APRENDER COMO SE FAZ ISTO, VIU? E SE O COMPUTADOR PIFAR? E SE FICAR SEM ENERGIA ELÉTRICA VÁRIOS DIAS? E SE O SEU CHEFE LHE PEDIR PRÁ EXPLICAR COMO CHEGOU A ESSE RESULTADO? TUDO PODE ACONTECER!!! FIM 6

Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC) Contabilidade Intermediária II Fucamp/2017

Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC) Contabilidade Intermediária II Fucamp/2017 Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC) Contabilidade Intermediária II Fucamp/2017 Correção Exercícios de Fixação 2- Utilizando os dados apresentados pela Cia ABC no exemplo, na data de 20X0, considere que

Leia mais

Contabilidade Agente da Polícia Federal

Contabilidade Agente da Polícia Federal Olá Pessoal!!! Contabilidade Tendo em vista a proximidade do concurso para AGENTE DA POLÍCIA FEDERAL, cargo em que exige do candidato Noções de Contabilidade, comentamos abaixo algumas questões que foram

Leia mais

A apuração do resultado leva em consideração as origens de recursos representadas pelas RECEITAS, e as aplicações de recursos em DESPESAS e CUSTOS.

A apuração do resultado leva em consideração as origens de recursos representadas pelas RECEITAS, e as aplicações de recursos em DESPESAS e CUSTOS. c) Resultado Econômico Sabemos, primitivamente, que toda empresa busca ter lucratividade na execução de seus objetivos sociais, da mais simples como é a do nosso estudo, a mais complexa. Porém, nem sempre

Leia mais

Contabilidade para não Contadores (Soluções dos Exercícios)

Contabilidade para não Contadores (Soluções dos Exercícios) Contabilidade para não Contadores (Soluções dos Exercícios) Página 1 Exercício Nº 2 Página 2 Balanços Patrimoniais em 31/12/X0 e 31/12/X1 ATIVO 31.12.X0 31.12.X1 PASSIVO 31.12.X0 31.12.X1 Ativo circulante

Leia mais

Contabilidade Avançada Prof. João Domiraci Paccez Exercício Nº 13

Contabilidade Avançada Prof. João Domiraci Paccez Exercício Nº 13 Exercício Nº 13 1 Exercício Nº 13 - Contabilidade em nível geral de preços Elaboração do Balanço Patrimonial de em ATIVO na Ativo circulante 150.000 78.341,9444 164.518 Caixa 20.000 20.000 10.000,0000

Leia mais

Considerando-se apenas as informações apresentadas, apresente o registro contábil relativo à apuração do ICMS no mês de fevereiro de 2017:

Considerando-se apenas as informações apresentadas, apresente o registro contábil relativo à apuração do ICMS no mês de fevereiro de 2017: CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA: QUESTÕES DE REVISÃO 01) Uma Sociedade Empresária que possui um único estabelecimento apresentava, em 31.1.2017, após a apuração do Imposto sobre Circulação de Mercadorias ICMS,

Leia mais

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: a) compra de galpão para a fábrica. b) venda de mercadoria a prazo. c) pagamento de salários

Leia mais

4 ApurAção InstAntâneA de resultados econômicos

4 ApurAção InstAntâneA de resultados econômicos 4 Apuração Instantânea de Resultados Econômicos Se observarmos bem, os contadores estão utilizando o computador para elaborar, não só o balancete como também outras demonstrações financeiras como a Demonstração

Leia mais

Conceito de estoque e Apuração do Resultado do Exercício Seção 6

Conceito de estoque e Apuração do Resultado do Exercício Seção 6 Conceito de estoque e Apuração do Resultado do Exercício Seção 6 Prof. Me. Hélio Esperidião O que é estoque? Conceito de Estoque Estoque é a acumulação de recursos materiais em um sistema de produção,

Leia mais

Curso Fluxo de Caixa Realizado

Curso Fluxo de Caixa Realizado Curso Fluxo de Caixa Realizado C o nta d o r S a l é z i o D a g o s t i m s a l e z i o @ d a g o st i m. c o m. b r 1 DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA A Demonstração dos Fluxos de Caixa tornou-se obrigatória

Leia mais

FECHAMENTO DE BALANÇO - PROCEDIMENTOS

FECHAMENTO DE BALANÇO - PROCEDIMENTOS 1 - INTRODUÇÃO FECHAMENTO DE BALANÇO - PROCEDIMENTOS Nesta matéria, abordaremos os procedimentos para fechamento de balanço. Em primeiro lugar deve ser levado em consideração o plano de contas utilizado

Leia mais

Contabilidade Avançada Prof. João Domiraci Paccez Exercício Nº 17

Contabilidade Avançada Prof. João Domiraci Paccez Exercício Nº 17 Exercício Nº 17 1 Elaboração do Balanço Patrimonial de em moeda de ATIVO Valores Históricos Valores ajustados Quant. de Valores na moeda de Ativo circulante 350.000 105.132,3249 416.324 Caixa 80.000 80.000

Leia mais

Contabilidade Empresarial. Profa. Dra. Natália Diniz Maganini

Contabilidade Empresarial. Profa. Dra. Natália Diniz Maganini Contabilidade Empresarial Profa. Dra. Natália Diniz Maganini Avaliação de Estoques Ao longo do tempo existem flutuações nos preços de compra, seja por causa da inflação, da concorrência, dos impostos,

Leia mais

Contabilidade Comercial Aula 1: Refrescando a Memória. Professora Esp. Caroline Camera

Contabilidade Comercial Aula 1: Refrescando a Memória. Professora Esp. Caroline Camera Contabilidade Comercial Aula 1: Refrescando a Memória Professora Esp. Caroline Camera Princípios da Contabilidade Entidade Continuidade Oportunidade Registro pelo Valor Original Prudência Competência CONTAS

Leia mais

Atividades Práticas. 01) Faça os lançamentos em razonetes e levante o Balanço Patrimonial e a DRE para cada situação abaixo:

Atividades Práticas. 01) Faça os lançamentos em razonetes e levante o Balanço Patrimonial e a DRE para cada situação abaixo: CONTABILIDADE II CAPÍTULO 2: DATA PARA ENTREGA: 17/10/2017 PROTOCOLO DE ENTREGA: Data: Data: Ass. Do Aluno: Ass. Do Professor: Atividades Práticas 01) Faça os lançamentos em razonetes e levante o Balanço

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I CONTABILIDADE

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I CONTABILIDADE Prof. Jean Cavaleiro Unidade I CONTABILIDADE Objetivos Conhecer o papel da contabilidade. Conhecer aspectos legais da contabilidade. Conhecer aspectos técnicos de contabilidade. Conhecer as mudanças recentes

Leia mais

Balanço Patrimonial consolidado Cia Camilo e Santos S.A e Cia Silva e Silva S.A 31/3/2016 Em R$ Controladora Cia Camilo e Santos S.

Balanço Patrimonial consolidado Cia Camilo e Santos S.A e Cia Silva e Silva S.A 31/3/2016 Em R$ Controladora Cia Camilo e Santos S. O balanço em sequência apresenta a posição final de duas entidades, na data do dia. Cia R$ 200,000,00 Fornecedores - Terceiros R$ 450,000,00 Clientes - Terceiros R$ 150,000,00 R$ 200,000,00 R$ 400,000,00

Leia mais

Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo.

Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo. Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo. a. Máquina adquirida por $18.000, com vida útil estimada de 15 anos e valor residual $3.000. b. Veículo adquirido por $30.000, com vida

Leia mais

Unidade IV. xxxx. Unidade IV. yyyy. Método das partidas dobradas

Unidade IV. xxxx. Unidade IV. yyyy. Método das partidas dobradas Unidade IV Unidade IV 4 PARTIDAS DOBRADAS DÉBITO E CRÉDITO Método das partidas dobradas Em qualquer operação há um débito e um crédito de igual valor ou um débito (ou mais débitos) de valor idêntico a

Leia mais

Dicas 01. Contabilidade Geral. Professores: Gustavo Jubé e Vicente Chagas. Profs. Gustavo e Vicente 1

Dicas 01. Contabilidade Geral. Professores: Gustavo Jubé e Vicente Chagas.  Profs. Gustavo e Vicente 1 bilidade Geral Professores: Gustavo Jubé e Vicente Chagas www.pontodosconcursos.com.br Profs. Gustavo e Vicente 1 O essencial para diferenciar ativo de passivo Você que está começando a estudar contabilidade

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais

RESOLUÇÃO EXERCÍCIOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS BÁSICOS SEGUNDO O MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS 1

RESOLUÇÃO EXERCÍCIOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS BÁSICOS SEGUNDO O MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS 1 RESOLUÇÃO EXERCÍCIOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS BÁSICOS SEGUNDO O MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS 1 EXERCÍCIO 1: A seguir estão relacionadas as operações realizadas pela sociedade de prestação de serviços Remendão

Leia mais

CONTAS DE RESULTADO OPERAÇÕES A VISTA A PRAZO RECEITA + CAIXA + DUPLICATAS A RECEBER DESPESA - CAIXA + CONTAS A PAGAR

CONTAS DE RESULTADO OPERAÇÕES A VISTA A PRAZO RECEITA + CAIXA + DUPLICATAS A RECEBER DESPESA - CAIXA + CONTAS A PAGAR 1/5 CONTAS DE RESULTADO RECEITAS As Receitas correspondem às vendas de produtos, mercadorias ou prestação de serviços. No Balanço Patrimonial, as receitas são refletidas através da entrada de dinheiro

Leia mais

ATOS ADMINISTRATIVOS E FATOS CONTÁBEIS: Definição, exemplos e contabilização.

ATOS ADMINISTRATIVOS E FATOS CONTÁBEIS: Definição, exemplos e contabilização. ATOS ADMINISTRATIVOS E FATOS CONTÁBEIS: Definição, exemplos e contabilização. 1. Atos Administrativos Atos administrativos são acontecimentos em geral que ocorrem na entidade, mas que não alteram de imediato

Leia mais

SIMULADOS elaborados pelo Prof: Humberto Lucena

SIMULADOS elaborados pelo Prof: Humberto Lucena SIMULADOS elaborados pelo Prof: Humberto Lucena Em cada questão, marque o item correto: 1. O princípio contábil que atribui às entidades personalidade própria, distinta da dos sócios, é o princípio da:

Leia mais

Capítulo 02: O Método das Partidas Dobradas

Capítulo 02: O Método das Partidas Dobradas Capítulo 02: O Método das Partidas Dobradas Livro Base: Contabilidade Básica César Augusto Tibúrcio Silva & Gilberto Tristão Universidade de Brasília - UnB Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais

Leia mais

Teoria da Contabilidade (aula 9) Prof. Dr. Felipe Ramos

Teoria da Contabilidade (aula 9) Prof. Dr. Felipe Ramos Teoria da Contabilidade (aula 9) Prof. Dr. Felipe Ramos Aula 9 Métodos das Partidas Dobradas Partidas de Diário e Razonete Método sistematizado por Luca Pacioli em 1494 o qual ainda é utilizado para registro

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL. Demonstrações Contábeis Balancete de Verificação. Prof. Claudio Alves

CONTABILIDADE GERAL. Demonstrações Contábeis Balancete de Verificação. Prof. Claudio Alves CONTABILIDADE GERAL Demonstrações Contábeis Balancete de Verificação Prof. Claudio Alves O Balancete de Verificação, ou simplesmente Balancete, é um demonstrativo contábil que reúne todas as contas em

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL SEI DIRFACIC Nº 2/2018 Disciplina: CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA I GABARITO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL SEI DIRFACIC Nº 2/2018 Disciplina: CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA I GABARITO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL SEI DIRFACIC Nº 2/2018 Disciplina: CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA I Valor da Avaliação: 100 PONTOS GABARITO Exame de Suficiência para

Leia mais

LFG MAPS. 2 - ( Prova: CESPE - 2012 - Polícia Federal - Agente da Polícia Federal / Contabilidade Geral / Contabilidade -

LFG MAPS. 2 - ( Prova: CESPE - 2012 - Polícia Federal - Agente da Polícia Federal / Contabilidade Geral / Contabilidade - Escrituração Contábil 05 questões Noções Gerais; Escrituração Contábil ) Considere os eventos de I a V listados abaixo. I aquisição de veículo à vista para uso na atividade operacional II baixa de bem

Leia mais

CONTABILIDADE MÓDULO 8

CONTABILIDADE MÓDULO 8 CONTABILIDADE MÓDULO 8 Índice 1. Demonstração de Resultado do Exercício (DRE) Uma Pequena Introdução...3 2. Regime de caixa, regime de competência...4 3. Ajustes...5 2 1. DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO

Leia mais

CONTABILIDADE II DATA PARA ENTREGA: 27/10/2017 PROTOCOLO DE ENTREGA:

CONTABILIDADE II DATA PARA ENTREGA: 27/10/2017 PROTOCOLO DE ENTREGA: CONTABILIDADE II DATA PARA ENTREGA: 27//17 PROTOCOLO DE ENTREGA: Data: Data: Ass. Do Aluno: Ass. Do Professor: INVENTÁRIO DE MERCADORIAS EXEMPLOS: A empresa Rio Sul Ltda comercializa Móveis, passou em

Leia mais

4. Apure o valor da depreciação acumulada em 31/12/20015, sendo dados:

4. Apure o valor da depreciação acumulada em 31/12/20015, sendo dados: 1. Classifique os itens abaixo em: bens, direitos ou obrigações item bens direito obrigação Empréstimos a receber Dinheiro em caixa Dinheiro depositado no banco veículos biblioteca Salários a pagar estoques

Leia mais

1 CONCEITO DE CONTAS. Teoria Patrimonalista Patrimoniais (bens, direitos, obrigações e P.L) Resultado (despesa e receita)

1 CONCEITO DE CONTAS. Teoria Patrimonalista Patrimoniais (bens, direitos, obrigações e P.L) Resultado (despesa e receita) R O T E I R O 1) CONCEITO DE CONTAS 2) ELEMENTOS DE UMA CONTA 3) FUNÇÃO E FUNCIONAMENTO DAS CONTAS 4) MECANISMOS DE DÉBITO E CRÉDITO 5) CONTAS SINTÉTICAS E ANÁLITICAS 6) CONTAS DE RESULTADO 7) CONTAS BILATERAIS

Leia mais

8.000 ATIVO CIRCULANTE

8.000 ATIVO CIRCULANTE BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO Ativo X0 X1 Receita de Vendas 8.000 ATIVO CIRCULANTE 500 2.150 (-) CPV -5.000 Caixa 100 1.000 Lucro Bruto 3.000 Bancos 200 100 (-) Despesas financeiras -1.500

Leia mais

Balanço Patrimonial da Cia Salve&Kana

Balanço Patrimonial da Cia Salve&Kana Elaboração da DFC Método Direto A fim de possibilitar melhor entendimento, vamos desenvolver um exemplo passo a passo da montagem da DFC pelo método direto, tomando por base as informações a seguir: Balanço

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO- DVA FLUXOGRAMA 1 3 (1 2) 5 (3 4) 7 (5+6)

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO- DVA FLUXOGRAMA 1 3 (1 2) 5 (3 4) 7 (5+6) DEMONSTRAÇÃO DO VALOR - DVA FLUXOGRAMA 1 3 (1 2) 5 (3 4) 7 (5+6) VENDAS Vendas Operacionais Vendas não Operacionais PDD- Constituição/Reversão VALOR BRUTO VALOR LIQUIDO VALOR TOTAL A DISTRIBUIR 2 4 6 INSUMOS

Leia mais

A U L A 15 O BALANÇO PATRIMONIAL

A U L A 15 O BALANÇO PATRIMONIAL 1 A fé é uma conquista difícil, que exige combates diários para ser mantida. Paulo Coelho 2 A U L L A 15 14 O RECEITAS BALANÇO PATRIMONIAL E DESPESAS 1) Apresentar uma das principais demonstrações que

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL. Noções Gerais. Escrituração e Lançamento Contábil Parte 1. Prof. Cláudio Alves

CONTABILIDADE GERAL. Noções Gerais. Escrituração e Lançamento Contábil Parte 1. Prof. Cláudio Alves CONTABILIDADE GERAL Noções Gerais Escrituração e Lançamento Contábil Parte 1 Prof. Cláudio Alves Escrituração é uma técnica contábil responsável pelos registros dos fatos relacionados com o Patrimônio.

Leia mais

CONTABILIDADE II CAPÍTULO 01 BALANÇO PATRIMONIAL BP

CONTABILIDADE II CAPÍTULO 01 BALANÇO PATRIMONIAL BP CONTABILIDADE II CAPÍTULO 01 BALANÇO PATRIMONIAL BP ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa Fornecedores Banco Conta Movimento Duplicatas a pagar Aplicações Financeiras ICMS a recolher Duplicatas a receber

Leia mais

ANALISE DAS DEMONSGTRAÇÕES CONTÁBEIS

ANALISE DAS DEMONSGTRAÇÕES CONTÁBEIS ATIVO ANALISE DAS DEMONSGTRAÇÕES CONTÁBEIS GABARITO DA II NPC - 17.06.2013 BALANÇO PATRIMONIAL 31.12.2009 31.12.2010 31.12.2009 31.12.2010 R$ R$ R$ R$ PASSIVO E PL CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa 1.600,00

Leia mais

CONTABILIDADE DE GRUPOS DE EMPRESAS

CONTABILIDADE DE GRUPOS DE EMPRESAS CONTABILIDADE DE GRUPOS DE EMPRESAS Consolidação de Demonstrações Financeiras PROF. MARCIO SAMPAIO 2018 2 Consolidação das Demonstrações Financeiras Definições de Termos: Demonstrações Financeiras Consolidadas:

Leia mais

Balancete de Verificação. Prof: Fernando Aprato

Balancete de Verificação. Prof: Fernando Aprato Balancete de Verificação Prof: Fernando Aprato O balancete de verificação é um demonstrativo contábil que reúne todas as contas em movimento na empresa e seus respectivos saldos (saldos de débito/saldos

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais

A U L A 07 BALANÇO PATRIMONIAL E DRE

A U L A 07 BALANÇO PATRIMONIAL E DRE 1 2 Se as coisas não saíram como planejei, posso ficar feliz por ter o dia de hoje para recomeçar. Charles Chaplin 1) Apresentar o Balanço Patrimonial e demonstrar a lógica de sua construção. 2) Conceituar

Leia mais

5 Os gastos com aquisição de uma marca devem ser classificadas no seguinte grupo de contas do balanço patrimonial:

5 Os gastos com aquisição de uma marca devem ser classificadas no seguinte grupo de contas do balanço patrimonial: FUCAMP Fundação Carmelitana Mário Palmério FACIHUS Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso: Disciplina Ano Letivo: Semestre: Ciências Contábeis 1 Relacione a coluna da direita com a da esquerda:

Leia mais

Contabilidade. Resumo

Contabilidade. Resumo Contabilidade Resumo Siglas usadas AC = Ativo circulante ADF = Análise de demonstrações financeiras ANC = Ativo não circulante AV = À vista BP = Balanço patrimonial DFC = Demonstração do fluxo de caixa

Leia mais

CONTABILIDADE PÚBLICA

CONTABILIDADE PÚBLICA CONTABILIDADE PÚBLICA Sistema Contábil Prof. Cláudio Alves Contas - Conceito Vários são os conceitos apresentados para contas: Conta é o nome técnico que identifica os elementos patrimoniais (bens, direitos,

Leia mais

1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200

1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Disciplina Estrutura e Análise das Demonstrações Contábeis ALUNO(A): Exercício : a. preencha os balancetes: TURMA 6º CCN AULA 04 e 05 Turno/Horário

Leia mais

Sumário. Capítulo 2. Conceitos Básicos...1. Patrimônio Contabilidade_Geral_Resumida_cap_00.indd 9 14/10/ :44:34

Sumário. Capítulo 2. Conceitos Básicos...1. Patrimônio Contabilidade_Geral_Resumida_cap_00.indd 9 14/10/ :44:34 Sumário Capítulo 1 Conceitos Básicos...1 1. Contabilidade: Conceitos, Objeto, Objetivo, Finalidade e Campo de Aplicação...1 2. Usuários da Informação Contábil...2 3. Principais Tipos de Sociedades Existentes

Leia mais

Exercícios Corrigidos A CONTABILIDADE

Exercícios Corrigidos A CONTABILIDADE Exercícios Corrigidos A CONTABILIDADE Prof. Odair - 2009-1 1) A finalidade da Contabilidade é: a) o Patrimônio b) permitir o estudo e o controle do Patrimônio c) permitir a seus usuários a obtenção de

Leia mais

Curso intensivo CFC

Curso intensivo CFC Curso intensivo CFC 2018.1 Prof.: Osvaldo Marques DISCIPLINAS Contabilidade Geral Prof. Osvaldo Marques 1 Q. 1 Utilizando a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), temos: Custo dos Produtos Vendidos

Leia mais

Comentarei as questões 56 a 63 da prova de Contabilidade de Auditor Fiscal da Fazenda do Ceará 2007.

Comentarei as questões 56 a 63 da prova de Contabilidade de Auditor Fiscal da Fazenda do Ceará 2007. Comentarei as questões 56 a 63 da prova de Contabilidade de Auditor Fiscal da Fazenda do Ceará 2007. CONTABILIDADE GERAL 56 Na empresa Nutricional S/A, o resultado do exercício havia sido apurado acusando

Leia mais

Funções contábeis: Técnicas contábeis: Campo de aplicação: Classificação geral: Áreas de atuação da contabilidade:

Funções contábeis: Técnicas contábeis: Campo de aplicação: Classificação geral: Áreas de atuação da contabilidade: Síntese Contábil Contabilidade: Contabilidade é a ciência que se ocupa do registro, por meio de técnicas próprias, dos atos e fatos da administração das entidades econômicofinanceiras, que possam ser

Leia mais

CONTABILIDADE BÁSICA

CONTABILIDADE BÁSICA CONTABILIDADE BÁSICA PARTE 2 / EXERCICIO RESOLVIDO http://www.grupoempresarial.adm.br 24/7/2007 16:18 Página 1 de 6 Conteúdo 1. Balancete de Verificação pág. 3 2. Demonstrativo de Resultados pág. 4 3.

Leia mais

Contabilidade Financeira e IFRS

Contabilidade Financeira e IFRS Contabilidade Financeira e IFRS Objetivos de aprendizagem: Depois de ler e discutir este tópico você será capaz entender As Principais causas da variação do Patrimônio Líquido; O Período contábil As Normas

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL. Noções Gerais. Regimes Contábeis Parte 2. Prof. Cláudio Alves

CONTABILIDADE GERAL. Noções Gerais. Regimes Contábeis Parte 2. Prof. Cláudio Alves CONTABILIDADE GERAL Noções Gerais Regimes Contábeis Parte 2 Prof. Cláudio Alves Possíveis nomes de Receitas e Despesas relativos a Juros, Aluguéis e Descontos Interpretação quanto ao grupo de contas a

Leia mais

Contabilidade Avançada 1 TAREFA 2. Exercício MEP 1

Contabilidade Avançada 1 TAREFA 2. Exercício MEP 1 Contabilidade Avançada 1 TAREFA 2 Exercício MEP 1 1) A Cia. Zolding foi fundada em 30/12/16, com capital inicial de $ 9.000 (em dinheiro). PARTE A) Informações adicionais: A1) Investimentos iniciais integralizados

Leia mais

ATIVIDADES DE REVISÃO CONTABILIDADE II:

ATIVIDADES DE REVISÃO CONTABILIDADE II: ATIVIDADES DE REVISÃO CONTABILIDADE II: 01) Classifique as contas: Conta contábil Imóvel Imóvel para aluguel Obras de arte Marca Cliente Caixa Impostos a recolher Impostos a recuperar Fornecedores Veículos

Leia mais

EXERCICIOS SOBRE DFC. As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em X2, eram os seguintes:

EXERCICIOS SOBRE DFC. As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em X2, eram os seguintes: EXERCICIOS SOBRE DFC As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em 31.12.X2, eram os seguintes: ATIVO X1 X2 PASSIVO X1 X2 Disponível 3.000 1.500 Fornecedores 54.000

Leia mais

Módulo Financeiro Cadastro de Conta Contábil

Módulo Financeiro Cadastro de Conta Contábil Módulo Financeiro Cadastro de Conta Contábil 1 Conta Contábil O que é? Uma conta contábil é a origem de todas as receitas e despesas da empresa. Também denominada plano de contas. Para que é utilizada?

Leia mais

Demonstrações Contábeis. Osni Moura Ribeiro ; Contabilidade Fundamental 1, Editora Saraiva- ISBN

Demonstrações Contábeis. Osni Moura Ribeiro ; Contabilidade Fundamental 1, Editora Saraiva- ISBN Demonstrações Contábeis Osni Moura Ribeiro ; Contabilidade Fundamental 1, Editora Saraiva- ISBN 9788502065901 Demonstrações Contábeis O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece : Ao final de cada exercício

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade III CONTABILIDADE

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade III CONTABILIDADE Prof. Jean Cavaleiro Unidade III CONTABILIDADE Objetivos Praticar os conceitos até aqui discutidos. Enxergar a aplicação da legislação vigente na prática. Exercício completo Vimos em unidades anteriores

Leia mais

Pede-se: Efetuar os lançamentos no livro diário e no livro razão, encerrando as contas de resultado.

Pede-se: Efetuar os lançamentos no livro diário e no livro razão, encerrando as contas de resultado. CONTABILIDADE BÁSICA I 2ª LISTA DE EXERCÍCIOS UNIDADE IV VARIAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 1) A seguir estão mencionadas as transações da Empresa Petrópolis Ltda., organizada em 1º de dezembro de 2015: 01

Leia mais

Contabilidade Geral Valter Ferreira

Contabilidade Geral Valter Ferreira Contabilidade Geral Valter Ferreira 1. (FCC-2012) As contas de resultado dividem-se em a) contas de despesas e obrigações. b) X contas de despesas e de receitas. c) receitas e caixa líquido. d) despesas

Leia mais

PROVA COMENTADA CONTABILIDADE TRE PR

PROVA COMENTADA CONTABILIDADE TRE PR PROVA COMENTADA CONTABILIDADE TRE PR Olá, pessoal. Tudo bem? Comentamos a prova realizada ontem, pela Fundação Carlos Chagas, para o Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Paraná. Uma prova padrão FCC

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E (Em R$ Mil) ATIVO

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E (Em R$ Mil) ATIVO CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 ATIVO ATIVO CIRCULANTE 2009 2008 Caixa e Bancos 164 637 Aplicações Financeiras 1.774 11.348 Contas a Receber 74.329 77.806

Leia mais

Faculdades Integradas de Taquara

Faculdades Integradas de Taquara IX DESAFIO CULTURAL DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS- 2016 Questões de Planejamento Tributário Prof. Oscar Scherer Questão nº 01 A constituição de Fundos de Investimentos Mobiliário é uma alternativa interessante

Leia mais

Contabilidade Avançada Prof. João Domiraci Paccez Exercício Nº 4

Contabilidade Avançada Prof. João Domiraci Paccez Exercício Nº 4 Exercício Nº 4 1 Exercício Nº 4 Lançamentos (legislação atual) Contas do Balanço Patrimonial Caixa Contas a Pagar Capital 10.000 16.800 (2) 30.000 32.000 (1) 22.000 30.000 15.200 32.000 Terrenos Imp. Renda

Leia mais

Contabilidade Básica - Material 4 - Prof. Marcos César Bottaro

Contabilidade Básica - Material 4 - Prof. Marcos César Bottaro Contas Anteriormente registramos cada uma das operações contábeis diretamente no balanço patrimonial. Contudo, na prática, cada uma dessas operações ocorre inúmeras vezes no decorrer de um único dia, tornando

Leia mais

Page 1 of 6 Balanço patrimonial 11 de Maio de 2010 Em face da publicação da Lei nº 11.941/2009, DOU 1 de 28.05.2009, este procedimento foi atualizado. Tópicos atualizados: 1. Introdução; 3. Classificação

Leia mais

Conceitos Fundamentais

Conceitos Fundamentais São Paulo, fevereiro de 2012 Conceitos Fundamentais 1 CONCEITOS FUNDAMENTAIS Bens Direitos Obrigações Fato Contábil Regime Lançamento Contábil Plano de Contas Exercício Bem - é tudo o que possa satisfazer

Leia mais

ATIVOS explicativa 31/12/11 31/12/10 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO explicativa 31/12/11 31/12/10

ATIVOS explicativa 31/12/11 31/12/10 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO explicativa 31/12/11 31/12/10 BALANÇOS PATRIMONIAIS LEVANTADOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E DE 2010 ATIVOS explicativa 31/12/11 31/12/10 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO explicativa 31/12/11 31/12/10 ATIVOS CIRCULANTES PASSIVOS CIRCULANTES

Leia mais

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MARÇO DE 2015 (Em R$ Mil)

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MARÇO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MARÇO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 714 Fornecedores 64.985 Contas a Receber 226.960

Leia mais

Entendendo o Fluxo de Caixa Guia prático para elaboração e interpretação da Demonstração dos Fluxos de Caixa de acordo com a nova legislação

Entendendo o Fluxo de Caixa Guia prático para elaboração e interpretação da Demonstração dos Fluxos de Caixa de acordo com a nova legislação Entendendo o Fluxo de Caixa Guia prático para elaboração e interpretação da Demonstração dos Fluxos de Caixa de acordo com a nova legislação societária. Entendendo o Fluxo de Caixa Guia prático para elaboração

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 11.859 Fornecedores 40.112 Contas a Receber 77.159

Leia mais

Unidade III. Unidade III

Unidade III. Unidade III Unidade III Unidade III 3 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO () UMA PEQUENA INTRODUÇÃO Enquanto o balanço patrimonial nos apresenta a situação econômica e financeira da empresa, demonstrando os saldos

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 46 Fornecedores 41.785 Aplicações Financeiras 5.541 Provisão

Leia mais

Exercícios - Soluções

Exercícios - Soluções Propriedades para Investimento CPC 28/ IAS 40 Exercícios - Soluções EAC 0481 Contabilidade Intermediária II 1 Exercício 1 - Resposta Ativo imobilizado até a conclusão da obra (manutenção da atividade O

Leia mais

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JANEIRO DE 2017 (Em R$ Mil)

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JANEIRO DE 2017 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JANEIRO DE 2017 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 2.123 Fornecedores 29.301 Contas a Receber 9.155 Provisão Férias

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2010 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2010 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2010 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 468 Fornecedores 52.692 Aplicações Financeiras 6.085 Provisão

Leia mais

AdTranz Sistemas Eletromecânicos Ltda. Balanços patrimoniais (em Reais)

AdTranz Sistemas Eletromecânicos Ltda. Balanços patrimoniais (em Reais) Balanços patrimoniais Ativo 2011 2012 2013 2014 Circulante Caixa e equivalentes de caixa 926.526 3.193.826 3.364.892 1.236.383 Contas a receber 2.850.832 1.686.654 545.336 479.798 Créditos diversos 1.047.857

Leia mais

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE MAIO DE 2017 (Em R$ Mil)

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE MAIO DE 2017 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE MAIO DE 2017 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 15.027 Fornecedores 26.500 Contas a Receber 20.494 Provisão Férias

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MARÇO DE 2013 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MARÇO DE 2013 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MARÇO DE 2013 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 363 Fornecedores 39.863 Aplicações Financeiras 2.346 Provisão Férias

Leia mais

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2017 (Em R$ Mil)

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2017 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2017 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 23.605 Fornecedores 29.103 Contas a Receber 7.623 Provisão Férias

Leia mais

U F F M B A P G G N GESTÃO CONTÁBIL GERENCIAL Araújo

U F F M B A P G G N GESTÃO CONTÁBIL GERENCIAL Araújo 1 Técnicas e Registro de Operações Contábeis 2 a) A Companhia Belém foi constituída em primeiro de setembro de 20X1 com capital social de $ 20.000 para atuar na revenda de produtos. Os eventos, que a empresa

Leia mais

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JULHO DE 2017 (Em R$ Mil)

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JULHO DE 2017 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JULHO DE 2017 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 8.073 Fornecedores 30.775 Contas a Receber 6.255 Provisão Férias

Leia mais

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE AGOSTO DE 2017 (Em R$ Mil)

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE AGOSTO DE 2017 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE AGOSTO DE 2017 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 9.925 Fornecedores 31.761 Contas a Receber 6.457 Provisão Férias

Leia mais

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE ABRIL DE 2017 (Em R$ Mil)

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE ABRIL DE 2017 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE ABRIL DE 2017 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 4.364 Fornecedores 30.646 Contas a Receber 21.252 Provisão Férias

Leia mais

Noções sobre balanço patrimonial. Profa. Daciane de Oliveira Silva

Noções sobre balanço patrimonial. Profa. Daciane de Oliveira Silva Noções sobre balanço patrimonial Profa. Daciane de Oliveira Silva Estática patrimonial: o balanço O balanço patrimonial é uma das mais importantes demonstrações contábeis, por meio do qual podemos apurar

Leia mais

T D P. Escrita Contábil ALUNO PROFESSOR TURMA

T D P. Escrita Contábil ALUNO PROFESSOR TURMA T D P Escrita Contábil ALUNO TURMA PROFESSOR 1 1) Com base no dia-a-dia da empresa abaixo, responda as questões que seguem: Rômulo e Arnaldo são sócios da empresa TUDO ERRADO LTDA. A loja exerce suas atividades

Leia mais

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MARÇO DE 2017 (Em R$ Mil)

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MARÇO DE 2017 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MARÇO DE 2017 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 3.287 Fornecedores 23.610 Contas a Receber 9.023 Provisão Férias

Leia mais

OPERAÇÕES COM MERCADORIAS- PARTE II

OPERAÇÕES COM MERCADORIAS- PARTE II OPERAÇÕES COM MERCADORIAS- PARTE II Impostos nas operações com mercadorias Comércio Indústria Prestadora de serviços Contribuinte de ICMS Contribuinte de ICMS/ IPI Não é contribuinte do ICMS nem do IPI

Leia mais

Quais são os objetivos do tópico... TEMA II. DETALHAMENTO DOS REGISTROS CONTÁBEIS. 05. Estoque

Quais são os objetivos do tópico... TEMA II. DETALHAMENTO DOS REGISTROS CONTÁBEIS. 05. Estoque USP-FEA Curso de Administração Disciplina: EAC0111 Noções de Contabilidade para Administração TEMA II. DETALHAMENTO DOS REGISTROS CONTÁBEIS 05. Estoque Profa. Dra. Joanília Cia (joanilia@usp.br) 1 Quais

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2013 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2013 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2013 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 281 Fornecedores 32.561 Aplicações Financeiras 1.819 Provisão Férias

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: EAC0111 NOÇÕES DE CONTABILIDADE PARA ADMINISTRADORES

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JULHO DE 2013 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JULHO DE 2013 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JULHO DE 2013 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 314 Fornecedores 36.047 Aplicações Financeiras 2.323 Provisão Férias

Leia mais

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2012 (Em R$ Mil)

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2012 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2012 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 922 Fornecedores 31.124 Aplicações Financeiras 13.013 Provisão

Leia mais

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE AGOSTO DE 2012 (Em R$ Mil)

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE AGOSTO DE 2012 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE AGOSTO DE 2012 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 855 Fornecedores 29.290 Aplicações Financeiras 32.139 Provisão

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 01

PROVA ESPECÍFICA Cargo 01 18 PROVA ESPECÍFICA Cargo 01 QUESTÃO 41 Em um determinado patrimônio, a soma do Ativo é igual ao dobro da soma das obrigações. Sabendo-se que o Patrimônio Líquido é igual a R$ 150.000,00, indique qual

Leia mais