Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 A presente Comunicação à Assembleia Municipal de Aveiro retrata, resumidamente, nos termos da Lei, as actividades e os projectos desenvolvidos pelo Município de Aveiro, de acordo com as competências e as atribuições que lhe estão consignadas, relativos ao período compreendido entre 1 de Dezembro de 2007 e 31 de Janeiro de Juntam-se, na descrição dos dois meses, as iniciativas mais estruturantes que foram levadas a cabo, com as que se destinando ou sendo usufruídas por segmentos mais restritos da população não deixaram de ser realizadas por esta Autarquia com a dedicação e o brio que se justifica na prestação do serviço público. O Plano de Urbanização da Cidade de Aveiro (PUCA) foi aprovado, após o processo de elaboração que durou quase 13 anos. Significa que o Município passará a dispor de um instrumento de planeamento e ordenamento do território que contribuirá para o desenvolvimento sustentável de Aveiro. Este Plano permite, entre outros aspectos, integrar com harmonia as zonas industriais no território, acentua a defesa das áreas urbanísticas e arquitectónicas mais características e sensíveis da cidade e estabelece o espaço urbano e a paisagem rural, uma vez que ambas as realidades estão presentes na área que abrange. A entrada em vigência do PUCA regulamentará o teor da ocupação do solo, propiciando o crescimento económico, imobiliário, industrial, comercial e turístico, conjugado com o interesse social, nomeadamente, com a vivência qualificada do território, destinando áreas para a localização de equipamentos de utilização colectiva nas operações urbanísticas, prevendo, ainda, a manutenção e a criação de espaços verdes, os locais de estacionamento e as infra-estruturas viárias indispensáveis para as necessidades do presente e do tempo vindouro. A aprovação deste Plano constitui, com certeza, um passo significativo para que Aveiro seja, ainda mais, um Concelho em que vale a pena viver e investir. O Plano de Alinhamentos e a limitação a uma cércea máxima de cinco pisos para os edifícios a construir na Avenida Dr. Lourenço Peixinho é uma das propostas cujos termos estão contemplados no PUCA e que tem em vista o desenvolvimento de um programa de requalificação urbanística daquela que se considera a mais emblemática avenida aveirense. O alinhamento dos novos edifícios, a sua integração arquitectónica, a reabilitação daqueles que sendo considerados de interesse se encontram degradados e a desejável reocupação dos imóveis devolutos, devolverão a dignidade histórica à

2 Lourenço Peixinho, artéria considerada como imagem de marca de Aveiro e como relevante espaço físico e simbólico da identidade aveirense. Quer o Município que a qualificação resulte de um processo participado pelos cidadãos, que seja plural nas perspectivas, quer na dos residentes ou na dos comerciantes, entre as de outros intervenientes no projecto, mas que seja integrado nas resoluções, o mesmo é dizer que, a solução a encontrar tenha como fio condutor a lógica que agregue as motivações particulares ao interesse colectivo, em ordem ao arranjo e ao futuro usufruto de uma das principais artérias da cidade. No plano urbanístico salientam-se ainda três factos. Foi concedida autorização para a conclusão das obras do prédio da Vidor, melhorando a imagem de uma importante entrada no centro da cidade, revalorizando, estética e economicamente, o enquadramento urbano em que o imóvel está inserido. Desenrolou-se a negociação com o proprietário do terreno da antiga Luzostela para proceder à demolição das instalações que têm dado cobertura a práticas criminosas, agravando o risco de insegurança, sobretudo da população que vive em redor do local. Concretizou-se o acordo do Município com a Publialsa, saindo a empresa para um espaço apropriado, a Zona Industrial de Taboeira, o que permite cumprir, por fim, o objectivo de valorizar a zona residencial da urbanização da Quinta do Cruzeiro e reforçar a qualidade de vida dos moradores que, assim, ficam libertos do ruído e dos demais inconvenientes provocados pela existência de uma unidade fabril na vizinhança. O Município aprovou o novo Regulamento das Zonas de Estacionamento de Duração Limitada. As novas realidades legislativas introduzidas pelo Código da Estrada, incorporadas pela recente regulamentação, tornavam-no inadiável, assim como a actualização dos princípios e dos seus termos teria de espelhar o crescimento da cidade e a correspondente necessidade de estacionamento público dele decorrente. Mas este novo Regulamento visa, também, reforçar a implementação dos princípios do desenvolvimento sustentável, defendendo o ambiente, em especial, por criar condições que reduzam a utilização automóvel no centro da cidade. A consolidação de uma política de mobilidade estruturada e articulada pela MoveAveiro Empresa Municipal de Mobilidade, no âmbito do Serviço Público de Transportes constituiu, também, um factor decisivo de mudança e um incentivo à elaboração do novo documento regulador. A adopção deste Regulamento pode favorecer a rotatividade nos lugares de estacionamento mediante a extensão das zonas de parcómetros, beneficiando os cidadãos automobilistas e incrementando a actividade comercial e de serviços envolvida no contexto. Trata-se pois de um normativo com consequências no tecido social e económico, abrindo melhores perspectivas e oportunidades de desenvolvimento.

3 Ainda no plano da mobilidade, referência para a abertura do concurso público para o estabelecimento da Parceria Público-Privada que vai permitir resolver o problema de trânsito em Aveiro nas próximas gerações, com a construção de quatro parques estacionamentos ligados a acessos e saídas da cidade, com o intuito claro de revitalizar a urbe, de a tornar competitiva, de trazer mais pessoas para o centro, mas menos automóveis, que ficarão estacionados no subsolo. Esta parceria consagra a firme vontade do Município de Aveiro vir a dispor de um Parque Escolar de excelência, com as mais modernas instalações para o ensino e a aprendizagem. Os termos previstos na parceria prevêem a solução financeira para a construção de 13 novos Centros Educativos e a requalificação de outros 13, assegurando-se, ainda, a manutenção futura dos 26 equipamentos. Ficam assim criadas as condições para que a Educação tenha o efeito multiplicador desejado, seja no plano social, cultural, económico, contribuindo para o desenvolvimento e coesão da comunidade. A Câmara Municipal de Aveiro e o Instituto Nacional para a Reabilitação (INR), assinaram um protocolo de cooperação que visa melhorar o atendimento e os serviços prestados a pessoas incapacitadas. Este protocolo foi estabelecido no decorrer do programa Viver Diferente, iniciativa do Município para assinalar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência e o Dia Nacional da Pessoa com Deficiência. A celebração deste protocolo constitui mais uma evidência de que os assuntos sociais têm uma grande importância na política municipal aveirense, na assumpção que o verdadeiro e completo desenvolvimento local deve ser e tem de ser socialmente inclusivo. Na realidade, no dia 3 de Dezembro, Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, iniciou-se um conjunto de actividades que se prolongaram até ao 9 de Dezembro, Dia Nacional da Pessoa com Deficiência. Ambicionou o Município e os seus parceiros, com este projecto, Viver Diferente, estabelecer um programa de consolidação de apoio às pessoas com deficiência e de fomento à compreensão social dos temas e dos problemas que lhes são relativos, prosseguindo, assim, o objectivo de mobilizar a comunidade para a defesa da dignidade e para integração destes cidadãos. Com a vigência do protocolo subscrito com o INR o Concelho de Aveiro ganha um Serviço de Informação e Mediação para Pessoas com Deficiência, o que representa um passo em frente no propósito de oferecer, a estes cidadãos, uma estrutura de atendimento e informação sobre os seus direitos, benefícios e recursos existentes, apoiando o seu encaminhamento na busca das soluções mais ajustadas, tratando cada cidadão como um caso concreto. Substantiva-se, assim, o princípio político do equilíbrio e da coesão social, conferindo-lhe um precioso conteúdo, concreto e com uma imensa possibilidade de obter profusos resultados práticos.

4 A Câmara Municipal implementou o Sistema de Sugestões Internas de Melhoria SIM, com o intuito de apostar no fomento da participação e do envolvimento dos colaboradores nos assuntos gerais da Autarquia e na melhoria dos serviços prestados aos munícipes. A iniciativa visa criar as condições necessárias para a definição e prossecução de melhores práticas no sector da administração pública local, promovendo a qualidade, a celeridade e a excelência. Depois de protocolada a criação do Campus da Justiça de Aveiro, cuja obra deve arrancar ainda este ano, é possível que vários serviços de mediação penal tenham lugar em Aveiro, tendo esta edilidade revelado ao Ministério da Justiça a disponibilidade para ceder as instalações tidas como necessárias. Tendo em conta a vontade de aproximar os cidadãos da vida da comunidade e reforçar a participação cívica dos munícipes, a Autarquia transferiu as reuniões públicas da Câmara Municipal para a noite, para o período pós-laboral, podendo o público intervir a partir das 21h30. Augura a edilidade que a mudança traga proveito no que respeita à exposição e à resolução de problemas da população, em benefício de uma urbe melhor. As datas de todas as reuniões públicas, do ano de 2008, estão disponíveis no sítio da Autarquia na Internet. A Câmara Municipal aprovou o Regulamento do Museu da Cidade de Aveiro, documento que estabelece os termos de uma gestão museológica moderna, assente no conceito de um Museu polinucleado em que o seu pólo aglutinador é o Museu da Cidade e os seus pólos descentralizados são os designados Museu de Arte Nova, o EcoMuseu Marinha da Troncalhada e o Museu Etnográfico de Requeixo. A nova regulamentação do Museu permite articular de forma sistemática e integrada as diferentes realidades aveirenses, rural e urbana, tradicional e contemporânea, entre outras, visando a eficiência e a eficácia na protecção, conservação e divulgação do património cultural aveirense. O presente instrumento regulamentador define, com rigor até aqui desconhecido, os termos de funcionamento do Museu Cidade de Aveiro, nomeadamente no que diz respeito às exposições, à venda de livros e ao merchandising, às funções museológicas, às condições da utilização dos auditórios, entre os diversos aspectos da actividade do Museu. De referir, ainda, que este regulamento, de acordo com o princípio de Museu polinucleado, optimiza os recursos financeiros e humanos que lhe estão alocados, melhorando assim o serviço público do Museu de Aveiro sem necessidade de lhe acrescer custos. A Câmara Municipal regulamentou, também, a atribuição de subsídios desportivos, com a definição de critérios que tornem mais justa, equitativa e transparente a distribuição de recursos públicos municipais para o fomento e a formação desportivos. Os 25 critérios definidos por esta autarquia servem para

5 encontrar uma lógica de cálculo da repartição do orçamento municipal destinado ao Desporto, designadamente aos clubes, às federações e associações desportivas, às colectividades e às empresas e às sociedades desportivas. Pretende a Câmara Municipal que os contratos-programa a estabelecer com as entidades desportivas reflictam apoios financeiros calculados com objectividade, valorizando, através dos critérios estipulados, diferentes princípios, como o fairplay, o aumento de praticantes do sexo feminino e a excelência desportiva, como seja, neste caso, por exemplo, a participação em Campeonatos do Mundo e em Jogos Olímpicos. De acordo com esta solução, a subsidiação das instituições passa a reger-se pela reavaliação anual do cumprimento do conjunto de critérios, mantendo ou actualizando a definição do montante atribuído no contrato-programa do ano anterior. O Banco do Voluntariado de Aveiro passou a ter existência oficial, após anos de actividade informal. Esta entidade resulta de uma parceria estabelecida entre o Município e o Projecto RIA Rede de Intervenção de Aveiro. O passo, agora dado, reforça a missão Banco do Voluntariado, em especial no desígnio de aproximar a procura e a oferta nesta área, fomentando a divulgação dos projectos de cooperação com as instituições locais em que os cidadãos podem intervir. O Banco de Voluntariado vai gerir a disponibilidade do serviço cívico à comunidade em diversas áreas, como a acção social, a saúde, a cultura, o emprego, a formação profissional, a defesa do consumidor e o ambiente. Aveiro aprofunda, assim, com o apoio inequívoco do Município, o sentido de uma cidade mais solidária e em que a fraternidade tem uma dimensão concreta cada vez mais ampla. Aveiro distinguiu-se, uma vez mais, pela realização da Bienal Internacional de Cerâmica Artística, a VIII edição, que decorreu de 8 a 30 de Dezembro, no Parque de Exposições de Aveiro. Trata-se de uma das principais, se não mesmo a mais relevante, manifestação cultural do género que se realiza em Portugal. Consolidada por um brilhante percurso de duas décadas, a Bienal é já, seguramente, um motivo de orgulho para os aveirenses e uma imagem de marca do Município, no país e no estrangeiro. Preza-nos muito, por isso, valorizar a iniciativa e engrandecer a ligação histórica que Aveiro tem com a prática ceramista. A organização da VIII Bienal prestigiou o caminho da divulgação de obras, das nacionais e das de autores estrangeiros, que estiveram expostas ao público, peças que fizeram admirar os avanços tecnológicos verificados na produção cerâmica, progressos técnicos sucedidos por novas linguagens e diferentes concepções estéticas. Aveiro apreciou o recurso aos novos materiais e às novas técnicas, elemento característico do signo experimental e inovador que diferencia o certame aveirense.

6 A Bienal constitui um relevante evento para o fomento da expressão artística contemporânea, objectivo que o Município vem prosseguindo como estratégia cultural, que se não dissocia de uma vivência cosmopolita que reforce Aveiro como local de eleição para viver, investir ou enquanto destino turístico privilegiado. De referir, ainda, que estiveram patentes, na edição de 2007, 102 obras de 83 artistas, oriundos de Portugal, Alemanha, Brasil, Bulgária, Colômbia, Cuba, Eslovénia, Espanha, Estados Unidos da América, França, Hungria, Itália, Roménia, Sérvia, Singapura e Ucrânia. Uma nota final para dar conta que, em simultâneo com a Bienal, decorreu no mesmo espaço, a Exposição Movimento do Grupo 10+Outro e uma outra de Heitor Figueiredo, artista convidado, intitulada Razões. O Município assinalou o Dia da Restauração da Independência de Portugal, no dia 1 de Dezembro, com um momento comemorativo da efeméride que constou do Hastear da Bandeira nos Paços do Concelho, com a presença da Banda Amizade. A Autarquia ofereceu à população um programa de Animação de Natal, que teve como objectivo assinalar a época festiva através de actividades de carácter cultural, social e lúdico, relacionadas com a época natalícia, programa que foi dedicado aos diferentes públicos que compõem a comunidade aveirense. Do programa constaram diversas actividades: Bazar de Natal, animação de rua com a actuação de vários grupos, roteiro de presépios, ludoteca de Natal, concerto coral de Natal pelos vários Coros do Concelho Coral S. Pedro de Aradas, Coral da Vera-Cruz, Coral Polifónico de Aveiro e Coro de Santa Joana -, uma festa de Natal para a população sénior, que juntou várias centenas de pessoas e o concerto de Ano Novo pela Orquestra Filarmonia das Beiras. Compreendendo a importância social e simbólica para a comunidade aveirense o Município procurou, juntamente com a respectiva Comissão de Festas, promover a Festa de São Gonçalinho, aliando aos traços tradicionais do culto popular aspectos de uma vivência contemporânea, atractiva para os mais jovens. Com este intuito procedeu-se ao lançamento junto das escolas do CD-Rom interactivo sobre São Gonçalinho e as suas festividades, São Gonçalinho contado às crianças, numa actividade designada Vamos festejar o São Gonçalinho, que reuniu largas dezenas de crianças que já haviam participado em actividades criativas sobre o tema, de que é exemplo o Concurso São Gonçalinho conta um conto e acrescenta um ponto. Ainda com vocação pedagógica a edilidade desenvolveu a oficina didáctica apelidada «São Gonçalinho Pés de Barro», actividade em que os participantes moldaram o barro para dar forma ao Santo. A Câmara Municipal realizou, também, uma exposição de fotografia, na Galeria dos Paços do Concelho, com imagens que retratam as festas de São Gonçalinho, com trabalhos

7 da autoria de Ricardo Esteves, Sandra Silva, José Esteves, António Matias e Carlos Marques. Outras exposições povoaram de beleza e de significados os espaços municipais de cultura. Referimos, por exemplo, a exposição de Cerâmica de autoria de Carlets, Joaquim Pombal, José Mateus e Marisa Alves, que decorreu na Galeria da antiga Capitania e a exposição de cerâmica Si02 de José Loura, que se efectuou na Galeria dos Paços do Concelho. A Biblioteca Municipal prosseguiu com acções tendentes a desenvolver instrumentos de orientação à leitura e às práticas de indução do prazer de ler. Visa, esta política, consolidar os actuais utilizadores e procurar novos públicos na rede concelhia de bibliotecas. Destacam-se, nesta estratégia, as acções A Literatura Popular- do Maravilhoso ao Fantástico, Sedução da Leitura, através de simples contos e Histórias Habitadas que tiveram como público alvo as crianças do 1º Ciclo do Ensino Básico e do Pré-Escolar. Entendamos, resumidamente, o que cada uma destas acções faz para estimular a afeição pelo livro e pela leitura. Do Maravilhoso ao Fantástico : dois contos populares portugueses recolhidos por Alexandre Parafita e um conto mitológico O nascimento das Estações constam como a matéria de leitura(s) e escrita(s) individuais, colectivas, criativas, encenadas e o ponto de partida para um trabalho de expressão plástica. Actividade a decorrer nas Bibliotecas Escolares de Barrocas, Esgueira, Santiago e Vera Cruz, destinada aos alunos do 3º e 4º anos do 1º Ciclo do Ensino Básico. Sedução da Leitura, através de simples contos : começando pelo Livro Contos de Ratinhos, entramos no mundo do imaginário, transformando a leitura num jogo onde associamos o acto de ler a diferentes formas de expressão e através do lúdico e dos afectos, as palavras dos livros transformam-se em matéria de sedução. Actividade a decorrer nos Pólos de Leitura de Eixo, Esgueira e Santiago, destinada a crianças do ensino Pré-escolar. Histórias Habitadas : a partir de duas histórias Dos Ratones en la luna de Lucia Scuderi e Papá, por favor apanha-me a Lua de Eric Carle, a lua envolve com abraços cor de prata, uma outra história Tanto, tanto de Trish Cooke que será habitada por alguns dos presentes na animação. A Actividade decorre no edifício da Biblioteca Municipal de Aveiro e é destinada a crianças do 1º Ciclo do Ensino Básico. Outra actividade desenvolvida foi a Experiências com Letras, atelier efectuado com o objectivo de motivar os jovens para a leitura através do contacto com o texto literário e com o objecto livro. Criar experiências afectivas em torno do objecto livro, desenvolver expectativas de leitura, perceber a lógica narrativa, treinar a leitura em voz alta, relacionar linguagem escrita e linguagem visual. A

8 Actividade decorreu no Pólo de Leitura de Esgueira, destinada à Comunidade Escolar do 2º e 3º Ciclo. A Biblioteca Municipal continua o serviço de empréstimo de livros, como é consabido, como segue editando a newsletter, com o objectivo de divulgar os serviços e as actividades da Biblioteca Central, dos Pólos de Leitura e das Bibliotecas Escolares. Estes serviços desenvolvem um veículo de comunicação com os leitores através da Internet. Este documento é enviado mensalmente para todos os seus subscritores. Por seu turno a Livraria Municipal, instalada no r/c da Casa Municipal da Cultura, Edifício Fernando Távora, continua diariamente aberta ao público, tendo este período servido para a consolidação e divulgação do local de exposição/venda. Paralelamente, através da sua página na Web vende publicações em vários locais do país e atende os pedidos de diversos estabelecimentos comerciais que solicitam a aquisição das publicações da autarquia. O Ciclo de Conferências, quinzenal, em memória dos Aveirenses Ilustres prosseguiu em Dezembro e Janeiro, homenageando, neste período, Mário Duarte, Antónia Rodrigues, José Ferreira Pinto Basto e Gustavo Ferreira Pinto Basto. O Centro Cultural e de Congressos continua a espelhar a centralidade e o dinamismo aveirenses. Os espaços que disponibiliza prestam-se a uma interessante versatilidade, acolhendo exposições, festas, seminários, exibição de cinema, acções de formação, reuniões, congressos, jantares, entre outros eventos, assim se rentabilizando um espaço público que serve os múltiplos interesses da comunidade. O Centro Cultural e de Congressos foi um dos equipamentos divulgados pelo Município na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) 2008, Feira que contou com a presença de cerca de 800 expositores nacionais e internacionais, com presença directa e indirecta, e a representação de mais de 50 países. Relativamente à Câmara Municipal de Aveiro, a posição no pavilhão foi bastante importante, pois ficou decisivamente realçada a importância que a Marca Aveiro tem no panorama regional. Com uma participação repartida pelo Stand promocional de Aveiro, da GAMA e da Região de Turismo Rota da Luz, foi possível obtermos um ganho potencial na identidade e definição estratégica de Aveiro. Como este ano era pretendido um acentuar das características do destino Aveiro, enquanto destino de lazer e recreio, foi importante demonstrarmos a imagem das salinas com um brinde único e inovador e a ideia resultou no desenvolvimento de um saquinho de sal, com o logo da Marca Aveiro e o sítio da Internet inscritos no mesmo. No âmbito dos contactos e reuniões com operadores, agentes e empresários na área do turismo, realizaram-se aproximadamente 50 contactos directos com o

9 objectivo de dinamização e promoção de Aveiro e dos equipamentos municipais para a área do Turismo de negócios. Face ao número de visitantes da Feira e ao movimento que pudemos presenciar no stand promocional, estimamos que passaram pelo stand da Câmara Municipal de Aveiro mais de visitantes. Para além da presença na BTL, a Marca Aveiro conheceu outros desenvolvimentos. Durante este período foram realizadas reuniões com os Presidentes das Juntas de Freguesia, com o objectivo de definir e estruturar canais de comunicação. Para a estratégia de promoção do Turismo Municipal, por sua vez, foi definido um slogan promocional: «Aveiro, um destino, muitas sensações!». No âmbito da Habitação Social assinala-se, a propósito do Plano de Realojamento que, no dia 19 de Dezembro, se procedeu à atribuição de 5 habitações da Urbanização de Santiago, a famílias residentes no Concelho de Aveiro, designadamente, provenientes das Freguesias de Vera Cruz Ilha do Canastro (2), Esgueira (2) e Glória (1). Os alojamentos de origem dizem respeito a 3 construções abarracadas, uma habitação em mau estado de conservação e uma situação de sobreocupação do espaço. No dia 21 de Dezembro, procedeu-se à entrega da habitação sita na Urbanização de Santiago, Bloco 30 2º B a um agregado familiar residente no Canal de S. Roque, Freguesia da Vera Cruz, cujo alojamento de origem diz respeito a barraca. Esta medida municipal dá resposta ao direito a uma habitação condigna, que todos os aveirenses devem ter, condição para uma vida com um mínimo de conforto e com melhores perspectivas de integração social. O Município vem, igualmente, cuidando de valorizar a vida nos bairros, realizando acções com os residentes. No dia 5 de Dezembro procedeu-se à entrega de prémios e certificados de participação nas actividades promovidas ao longo do ano de 2007, nomeadamente, os concursos Viver o meu Quintal (30 participantes) e Florir na Primavera (18 participantes), que decorreram de Março a Junho; uma acção de formação sobre Vivências e Boas Práticas Domésticas (14 participantes) que decorreu de Maio a Junho; 1.º Atelier de Bricolage (10 participantes) que decorreu de 8 a 30 de Outubro; ciclo de Sessões Formativas/ Informativas Viver com Segurança (14 participantes por sessão), que decorreu durante o mês de Novembro. Na Urbanização das Quintãs o Natal foi celebrado de forma especial. No dia 15 de Dezembro, a Câmara Municipal, em parceria com a Junta de Freguesia de Oliveirinha, dinamizou um convívio comunitário, nos espaços exteriores da Urbanização, com as famílias aí residentes. Investindo no envolvimento da comunidade, pretendeu-se com esta iniciativa a promoção de boas relações de

10 vizinhança e estilos de vida saudáveis, através de actividades direccionadas para a sensibilização de boas práticas ambientais numa lógica de intervenção e integração social e comunitária assente em relações de proximidade entre população, técnicos e Junta de Freguesia. Esta acção integrou a limpeza dos espaços comuns e quintais e colocação e ornamentação da árvore de Natal naquela Urbanização, ao que se seguiu um almoço convívio que decorreu na Associação Pró-Quintãs, com a população residente na referida urbanização e restantes participantes na iniciativa. Entretanto, decorreu o II Concurso de Administrações de Condomínio da Urbanização de Santiago, uma iniciativa dinamizada entre 27 de Dezembro e 20 de Janeiro, que visou promover a participação activa e a implicação dos moradores, da referida Urbanização, na gestão dos espaços comuns das habitações, fundamentalmente, ao nível da sua organização e conservação. Teve ainda como objectivos, o fortalecimento das relações de vizinhança, a convivência entre os moradores e o aumento da sua motivação e participação na gestão do condomínio. O referido concurso destina-se a todas as Administrações de Condomínio da Urbanização de Santiago dos blocos atribuídos em regime de arrendamento. Terminamos a descrição da actividade mais relevante no domínio da Habitação Social, referindo que na sequência da aprovação do Regulamento Municipal das Habitações Sociais propriedade do Município de Aveiro, procedeu-se à actualização das rendas das Urbanizações de Santiago, Eixo, Eirol, Quintãs, Mataduços, Taboeira, S. Jacinto Fase I e Fase II, Novo Empreendimento do Caião, monoblocos pré-fabricados e das fracções propriedade do Município implantadas nos Bairros do PIAS, Caião e Griné. Assim e, dando prosseguimento a uma metodologia de intervenção centrada no atendimento individualizado e personalizado, foram convocados os 234 moradores, cujas rendas sofreram aumento, tendo o atendimento decorrido nas instalações da Divisão de Habitação Social, no período compreendido entre 7 e 17 de Janeiro. Nesta perspectiva, cada situação familiar foi objecto de análise a nível económicosocial, o que, nalguns casos, resultou na formalização de requerimentos para efeitos de reavaliação das respectivas rendas. Para além dos esclarecimentos prestados na Divisão de Habitação Social foi, ainda, realizada uma reunião alargada a todos os moradores interessados em participar, que decorreu na Junta de Freguesia da Glória e, na qual estiveram presentes o Sr. Presidente da Junta da referida Freguesia, o Sr. Vereador Dr. Miguel Capão Filipe e técnicos da citada Divisão. O objectivo foi esclarecer, novamente, a metodologia adoptada quanto à uniformização da Renda Apoiada e dos apoios concedidos pela Autarquia nesta matéria, nomeadamente: coeficiente de correcção de 65% para os preços técnicos e uma forma de cálculo mais favorável do que a definida no Decreto-Lei nº

11 166/93 de 7 de Maio. No final da reunião, os moradores interessados foram atendidos, individualmente, nas instalações da Junta de Freguesia pelas Técnicas da Divisão de Habitação Social. Na Acção Social relativamente ao período em apreciação, salientam-se vários aspectos. Na Rede Social sublinha-se o trabalho de colaboração desenvolvido pela Rede Social de Aveiro, no âmbito da Plataforma Supra-Concelhia do Baixo Vouga, através da articulação dos 12 Núcleos Executivos dos CLAS que a constituem, tendo em vista a elaboração do Plano de Acção 2008, a apresentar ao plenário desta plataforma, no próximo mês de Fevereiro, que surge como a primeira tentativa de desenvolver um planeamento social integrado. Relativamente ao Sistema de Informação, importa também realçar a metodologia participativa adoptada para preenchimento da Base de Dados do CLAS (BD CLAS), no que diz respeito às Respostas Sociais disponibilizadas pelas IPSS de Aveiro. No âmbito da implementação do Projecto RIA Rede de Intervenção de Aveiro, encontra-se a decorrer um processo de auto-avaliação do Projecto, sob a dinamização da REAPN (Rede Europeia Anti-Pobreza/Portugal) Núcleo Distrital de Aveiro, sendo que a realização deste tipo de avaliação pressupõe a participação dos parceiros do Projecto, da Equipa Técnica, da Entidade Executora e da Entidade Promotora, tendo sido iniciada, com a Acção nº Espaços Lúdico Pedagógicos e da Acção nº. 1 Intervenção Psicossocial, através de reuniões alargadas, nos dias 15 e 25 de Janeiro, respectivamente. Outras actividades relevantes foram a promoção de uma sessão de esclarecimento sobre a iniciativa Novas Oportunidades, realizada no Pequeno Auditório do Centro Cultural e de Congressos no dia 12/12/2007, em colaboração com o Centro Novas Oportunidades do Centro de Formação Profissional / IEFP e a organização de sessão informativa QREN: que novos desafios para a acção social realizada no Pequeno Auditório do Centro Cultural e de Congressos, no dia 04/01/2008 pela empresa Multiformactiva. Um sublinhado final para o Programa para a Prevenção e Eliminação da Exploração do Trabalho Infantil - PETI Equipa Aveiro Litoral, dando conta que foi estabelecida uma parceria com esta Autarquia, no sentido da implementação de uma turma de PIEF, destinada a jovens residentes no concelho de Aveiro que abandonaram precocemente o sistema educativo sem concluírem a escolaridade obrigatória, tendo sido constituída no ano lectivo 2007/2008 uma turma com 13 alunos na Escola Básica Integrada de Eixo, que se destina à conclusão do 3º Ciclo do Ensino Básico. Na Educação o resumo da actividade, no intervalo de tempo a que respeita esta Comunicação, contempla o seguinte: o envio de dados complementares solicitados pela Direcção Regional de Educação do Centro sobre a Carta Educativa do Município de Aveiro; a realização de um Concurso Público Internacional para

12 fornecimento de refeições escolares durante o ano de 2008; o acompanhamento da execução do programa de Generalização do Ensino do Inglês e de outras Actividades de Enriquecimento Curricular no 1.º CEB; a reunião com a Direcção Regional de Educação para esclarecimentos acerca da respectiva execução financeira e reunião com a Universidade de Aveiro para avaliação do funcionamento das AEC no 1.º Período; a apresentação de candidatura à DREC no âmbito do Programa de Desenvolvimento e Expansão da Educação Pré-Escolar para 2007/2008; a gestão do Pessoal Não Docente em jardins de infância e escolas do 1.º CEB da rede pública concelhia, para satisfação das necessidades permanentes existentes nos estabelecimentos de ensino e a avaliação intermédia do Pessoal Não Docente, com a recolha de informações necessárias à criação de propostas de melhoria dos serviços, através de questionário a ser preenchido pelos Educadores/Professores que trabalham diariamente com o Pessoal Não Docente. A política de Juventude vem contribuindo para que Aveiro se afirme uma cidade mais criativa, desenhada e construída por cidadãos criativos. Os apelos à criatividade e as atitudes inovadoras antecipam a chegada do futuro à cidade e contribuem para que as novas ideias, nas artes e nos outros domínios do tecido social, sejam estimuladas e indutoras de melhores dinâmicas colectivas. Neste enquadramento e nesta lógica, o Concurso Aveiro Jovem Criador incentiva o despontar da imaginação, da fantasia e da sensibilidade, estimulando os mais jovens a ousar a expressão artística, nas áreas da Arte Digital, da Escrita (poesia), da Pintura, da Escultura e da Fotografia. A edição de 2007 apresentou trabalhos que impressionaram pela sua qualidade, no sentido estético e técnico, em cada área do concurso. O mérito destas obras, dos seus excelentes autores, pôde ser reconhecido em Dezembro no Centro Cultural e de Congressos de Aveiro, ocasião para se testemunhar Aveiro como uma cidade mais criativa. O Conselho Consultivo de Juventude reuniu em Janeiro passado, com a participação de associações, grupos informais e movimentos partidários, a saber: Juventude Social Democrata, Associação de Estudantes do Conservatório de Música de Aveiro, Associação Regresso à Terra, Juventude Popular, HIDRA Associação Cultural e GIOAveiro. A ordem de trabalhos incidiu, fundamentalmente, na apresentação do Plano de Actividades para 2008 e na discussão sobre o Projecto Lei n.º 430/X que cria o regime jurídico dos Conselhos Municipais de Juventude. Por último, foi ainda apresentado e emitido parecer quanto à candidatura apresentada ao PMAIJ pelo Grupo Secret Force. A Casa Municipal de Juventude continua a ser muito procurada, sendo de salientar a grande frequência nos Projectos/Actividades, juntando cerca de 200 pessoas devido, essencialmente: à realização do Campo de Férias Natal.cool, ao Workshop de pintura Dar cor à vida e à Oficina de Retrato, em Dezembro de

13 2007 e, em Janeiro de 2008, devido ao Gabinete de Apoio ao Jovem - Ponto Jovem e à Exposição de Pintura Ucraniana. A época natalícia foi marcada pela realização de eventos específicos como o Natal.Gifts - Workshop de Postais e de Presentes de Natal, realizado no dia 15 de Dezembro, das 10h00 às 17h30, o qual pretendeu proporcionar aos participantes a elaboração e envio de postais on-line, através de sites pré-definidos e em software de desenho, bem como elaborar diversos presentes de Natal, utilizando diversas técnicas, nomeadamente: découpage, colagem, pintura em acrílico e óleo. O Gabinete de Apoio ao Jovem Ponto Jovem constitui já um importante espaço de informação e atendimento gratuito, anónimo e confidencial, no qual os jovens poderão obter, junto de uma equipa especializada, esclarecimentos, informações e apoio em áreas como a saúde, emprego, educação, associativismo, habitação, relações familiares, tempos livres, entre outras. Neste contexto, apresenta como principais objectivos: facilitar o acesso à informação aos jovens sobre os recursos existentes na comunidade, ao nível da Educação, Formação e Saídas Profissionais; proceder à avaliação multidimensional do jovem e dos seus universos relacionais, perspectivando um projecto de vida adequado; coordenar com as diversas entidades e serviços existentes no concelho, na procura de uma melhor resposta face às necessidades diagnosticadas; estimular a formação cívica dos jovens contribuindo para uma melhor formação dos mesmos enquanto seres humanos; apoiar o desenvolvimento do trabalho voluntário; incentivar a criação de uma bolsa de emprego, em parceria com o tecido empresarial do concelho. Relativamente às valências, destacam-se as seguintes: Social/Psicológico (Apoio, acompanhamento e encaminhamento social), Saúde (Sexualidade, HIV, consumos e dependências e Comportamentos Alimentares), Educação (Apoio e orientação vocacional e Saídas ao nível de formação), Emprego (UNIVA s, Ofertas de Formação e de Emprego em Aveiro, Bolsas de Estágios), Habitação (Arrendamento Jovem), Associativismo (apoio na constituição de associações, base de dados das associações, núcleos temáticos), Direitos/Deveres Cívicos (Serviço Militar, Racismo,...), Ocupação de Tempos Livres (Informação sobre projectos de ocupação de tempos livres em férias escolares), O psicólogo dinamizador do referido espaço, desde a sua abertura a 1 de Julho, já efectuou atendimento a 43 jovens, 21 do sexo feminino e 22 do sexo masculino. Do grupo de 43, 20 solicitaram e receberam respostas ao nível das saídas profissionais existentes no concelho de Aveiro. Não obstante, o facto da procura de emprego continuar a ser um vector determinante das visitas a este espaço de informação e atendimento, as respostas dadas procuraram mobilizar os jovens para uma exploração mais ampla nos domínios da formação, do trabalho voluntário e da ocupação de tempos livres, no sentido de, por um lado, se promover uma realização integral da pessoa e, por

14 outro, uma ponderação mais completa das alternativas que iam ao encontro das necessidades avaliadas nas entrevistas. Os motivos das visitas ao Gabinete relacionam-se, de uma forma geral, com: necessidades ao nível de apoio psicológico; ao nível do Voluntariado e dos programas de ocupação de tempos livres; aconselhamento e orientação vocacional; criação de associação juvenil; candidatura ao programa de arrendamento jovem; Reinserção de Pessoa com Doença Mental e Apoio Social. Ao nível das áreas de intervenção do Ponto Jovem, integram-se, ainda, iniciativas a realizar em prol de jovens, sendo que foram realizadas as seguintes: Sessão de informação/esclarecimento sobre direitos e deveres do trabalhador, na Escola Secundária Jaime Magalhães Lima, no dia 10 de Dezembro, das 14h30m às 16h30m, tendo sido o seu dinamizador o Dr. Adriano Marinho Teixeira, jurista da Câmara Municipal de Aveiro no GAI/SIAC (Gabinete de Apoio Integrado/Sector de Informação Autárquico ao Consumidor) e advogado. A sessão foi dirigida aos alunos do 9º Ano dos cursos de educação/formação de Electricidade, Madeiras e Têxtil - Vestuário e do 11º ano, turma J do CEF de Práticas Administrativas. A outra Sessão de informação/esclarecimento, sobre direitos e deveres do trabalhador, ocorreu no anfiteatro da Escola Profissional de Aveiro, no passado dia 13 de Dezembro, das 14h30m às 16h30m, tendo como seu dinamizador o Dr. Adriano Marinho Teixeira e foi dirigida aos alunos do 12º ano. Referência ainda para o Cartão Jovem Municipal, uma modalidade de Cartão Jovem Euro<26, que resulta de uma parceria entre a Movijovem, entidade tutelada da Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto, e os Municípios de todo o país. O Cartão Jovem Municipal tem uma imagem que congrega a imagem do Cartão Jovem Euro<26 com elementos identificativos do Município. Todos os jovens residentes no Município, com idade entre os 12 e os 25 anos de idade, inclusive, podem ter o Cartão, beneficiando das seguintes vantagens: as do Cartão Jovem Euro<26, a nível Nacional e Europeu, as vantagens que o Município decidir atribuir nos seus equipamentos e taxas/serviços e as vantagens que as entidades angariadas pelo Município desejem oferecer a estes portadores do Cartão Jovem Municipal. Importa, ainda, referir que, a implementação do Cartão Jovem Municipal constitui um meio privilegiado do Município possibilitar aos jovens do seu Concelho um conjunto alargado de vantagens, de dimensão concelhia, regional, nacional e inclusivamente europeia, face à sua filosofia de reciprocidade de vantagens, associando a sua imagem a uma iniciativa de âmbito europeu, que envolve 40 países. Neste contexto, foi celebrada a cerimónia de assinatura de protocolo entre ambas as partes, em 2007, tendo-se iniciado a venda ao público somente no mês de Dezembro, aquando da recepção dos referidos cartões pela Movijovem.

15 Uma última referência na área da Juventude para a actividade Dar por um sorriso. Tratou-se de uma Campanha de recolha de Roupa, Brinquedos e Material Escolar, desenvolvida em parceria com as Instituições do Concelho. A referida Campanha terminou a 7 de Dezembro, sendo o local de recolha a Casa Municipal da Juventude de Aveiro, de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 18h00. A entrega oficial dos donativos às instituições do concelho decorreu no dia 14 de Dezembro, pelas 17h00, na Casa Municipal da Juventude. Agrada-nos referir o altruísmo da comunidade aveirense, que se apresenta nos dados estatísticos sobre o material recolhido e pelas pessoas abrangidas pela presente iniciativa: 4000 peças de roupa, 3500 brinquedos, 200 pares de sapatos, 100 jogos, 80 adereços de material escolar e 110 embalagens de produtos alimentares. Ao nível de beneficiários, 11 foram as entidades inscritas, totalizando 550 as pessoas potenciais beneficiárias desta Campanha. No âmbito do fomento do Desporto o Município prossegue com os vários programas que geram hábitos de saúde e valorizam a ocupação dos tempos livres dos jovens e dos seniores. Recordamos o AveiroComVida, um projecto dinamizado com o intuito de promover a prática do desporto nas crianças e jovens, com idades compreendidas entre os 6 e os 12 anos de idade. Este Projecto é constituído por diversos sub-projectos ( Expressão Física e Motora, Campo de Férias Desportivas, Plano de Desenvolvimento de Xadrez, Concentração Desportiva, Oficina de Desporto e outros). Lembramos o Projecto FelizIdade, realizado no âmbito do programa Aveiro em Forma, que consiste na oferta de uma aula de Expressão Corporal e de Natação uma vez por semana, para a população sénior das Instituições de Solidariedade Social e uma vez por semana para a população sénior de várias Freguesias do Concelho. Este projecto tem como principais objectivos combater o sedentarismo desta faixa etária, melhorar a qualidade de vida, prevenir algumas doenças, dinamizar o convívio entre as várias instituições, promover a relação com os espaços verdes e proporcionar a saída das instituições. Esta iniciativa envolve os seguintes parceiros: Centro Paroquial de S. Bernardo, Florinhas do Vouga, Patronato N. Senhora de Fátima, Associação de Melhoramentos de Eixo, Centro Social Azurva, Centro Paroquial Sta. Eulália, Junta de Freguesia de Eixo, Junta Freguesia da Glória, Junta Freguesia S.Bernardo e Junta Freguesia de Cacia. A Câmara Municipal promove, através do programa Escola Aberta, com as escolas locais, a Escola Secundária Dr. Mário Sacramento, a Escola Secundária José Estêvão, a Escola E.B.2/3 João Afonso, a Escola E.B. 2/3 S.Bernardo e a E.B. 2/3 Cacia, novos espaços para a prática desportiva, nos recintos das Escolas do 2º, e 3º Ciclo e Secundárias. Estes espaços estão abertos ao sábado (das 9h às 18h) e aos domingos (das 9h às 13h) e funcionam livremente para toda a comunidade.

16 Destaque, por fim, para o Torneio de Natal Inter-Escolas de Xadrez, que contou com o apoio da Associação de Xadrez e do Clube dos Galitos. De realçar que este torneio é o mais antigo a ser realizado no Concelho e que novamente se notabilizou num grande sucesso. Esta edição contou com a presença de 60 jovens (lotação máxima), com idades compreendidas entre os 6 e os 12 anos. Por sua vez, a actividade desenvolvida em Dezembro de 2007 e Janeiro de 2008, no âmbito do Parque Desportivo de Aveiro, apresenta três vectores de maior relevância que gostaríamos de realçar: continuou-se o processo de aquisição de terrenos, vector fundamental para o desenvolvimento de qualquer projecto na área de intervenção do Parque Desportivo de Aveiro. Durante o período em apreço foram decididas e concretizadas as aquisições de mais 10 terrenos (prédios rústicos), com um investimento total de ,00 (duzentos e noventa e três mil, oitocentos e dez euros).também se procedeu à aquisição de uma habitação (prédio urbano) existente na área prevista para a construção do Campo de Golfe, pelo montante de ,00 (cento e dez mil euros). Assim, o montante investido em aquisições de imobilizado fixo durante Dezembro de 2007 e Janeiro de 2008 ascendeu a ,00 (quatrocentos e três mil, oitocentos e dez euros). Foram resolvidas assim as duas questões delicadas existentes na área em que vai ser construído o Campo de Golfe, respeitante a habitações preexistentes. Tal como tem acontecido com o processo de aquisição dos outros terrenos rústicos, estas compras foram conseguidas através de negociação, com pleno agrado para as partes envolvidas, na preocupação sempre mantida de respeitar os legítimos interesses dos proprietários na zona de intervenção do Parque Desportivo de Aveiro. Foram desenvolvidos contactos com especialistas de renome (nomeadamente professores da Universidade de Aveiro), e realizadas reuniões com as entidades competentes, nomeadamente com a CCDR Centro e o INAG, tendo em vista encontrar uma boa solução técnica, e economicamente exequível, no que respeita às exigências de impermeabilização de terrenos que têm vindo a ser colocadas em sede de DIA e de RECAPE. No período em referência, gostaríamos ainda de dar nota de outras tarefas que foram desenvolvidas ou concluídas: realizaram-se contactos com a Associação Desportiva de Taboeira tendo em vista a inclusão de um novo complexo desportivo daquele Clube na zona de intervenção do Parque Desportivo de Aveiro e continuou a ser desenvolvido o plano de negócios, com o respectivo modelo financeiro anexo (business plan), documentos de suporte indispensáveis à negociação dos financiamentos externos que serão necessários contratar para o desenvolvimento do projecto. Na área do Ambiente destaca-se a preparação do dossier de candidatura da praia de S. Jacinto ao galardão Bandeira Azul 2008, incluindo as actividades de Educação Ambiental previstas para a nova época balnear. Sublinha-se, também, a

17 implementação e dinamização da Agenda 21 Escolar de Aveiro em parceria com a ASPEA Associação Portuguesa de Educação Ambiental. Neste âmbito, deu-se continuidade aos trabalhos de implementação do projecto, tendo-se realizado, para o efeito, sessões de trabalho com o Grupo de Professores da EB1 da Vera-Cruz que irão participar no projecto Horta Escolar. Reuniu-se com o Jardim de Infância de Azurva, que serviu para fazer o balanço dos trabalhos já realizados ao nível das infraestruturas (reabilitação da rede eléctrica e pintura de paredes) e iniciaram-se, ainda, os trabalhos de estruturação da Horta no Centro Social e Paroquial da Vera- Cruz, com a preparação dos primeiros canteiros de plantação e túnel de estufa de apoio às primeiras sementeiras. Fez-se, igualmente, o acompanhamento da realização das acções pré-definidas e que correspondiam à actuação dos serviços municipais, ao nível de infra-estruturas e equipamentos nas escolas. No que respeita às obras municipais destacamos, nos dois meses em apreço neste relatório, a obra dos acessos ao Estádio Municipal de Aveiro arruamento 4 já concluídas as infraestruturas e iniciados os lancis para a delimitação dos diferentes corredores de passeio, pista de ciclistas e zonas ajardinadas; a conclusão da obra de pavimentação da Travessa da Rua D. Sancho I, bem como da impermeabilização de servidão administrativa na Rua Dr. Mário Sacramento, ambas em Dezembro de Já em Janeiro foi concluída a obra de pavimentação de arruamentos na Freguesia da Glória, com a conclusão do arruamento em falta Rua Aires Barbosa. Na sequência do início da obra de construção do novo edifício do Centro Social e Paroquial da Vera Cruz, o acesso existente de ligação da Rua do Carril ficou sem efeito, tendo sido por isso criado um novo acesso à Rua Prior Manuel Fernandes. De mencionar também os projectos PARES, no âmbito da prestação de apoio às IPSS s do Concelho Centro Social e Paroquial de Sto. André de Esgueira/Mataduços apoio ao processo de concurso; Lar e Centro de Dia de Sta. Joana rectificação de alguns desenhos a pedido da Segurança Social; Centro Social e Paroquial de Sta. Eulália de Eirol Idem; Centro Comunitário da Vera Cruz Idem. Destacamos também outros projectos como o de reabilitação da Ala Norte da Igreja da Sé e organização do processo para o IPPAR; o projecto de construção de sanitários e zona envolvente da Capela da Sra. da Memória, na Moita, Freguesia de Oliveirinha; o levantamento do edifício, desenho de pormenores e projecto de reabilitação do Convento das Carmelitas; a elaboração do projecto de remodelação e reabilitação das instalações do Cemitério Sul e o Plano Ambiental de Recuperação Paisagística e de Recuperação do Sapal e Caniçal no âmbito do projecto da Pista de Remo e Canoagem do Rio Novo do Príncipe. De destacar, ainda, o reinício da obra de reabilitação da pérgola do Parque Infante D. Pedro, o apoio ao nível da fiscalização e coordenação de segurança à obra da Creche e Serviços de Apoio da Associação de Assistência de Eixo no âmbito do PARES tendo já sido concluída a estrutura de betão armado do edifício, a

18 execução dos muros de contenção no exterior e o início dos trabalhos de execução do piso térreo. Não podemos deixar de fazer referência à obra de Concepção/Construção da Consolidação dos Limites da Plataforma da Antiga Lota, cuja conclusão está prevista para o mês de Fevereiro de 2008 e a obra de Concepção/Construção da Ponte Viária sobre o Canal das Pirâmides, em que falta apenas retirar as comportas para reparação em oficina metalomecânica. Mas fez-se ainda mais. Dotou-se de condições de segurança a travessia de peões através da colocação de um sistema de controlo de velocidade, que permita o abrandamento desta na proximidade da travessia e mediante de sinalização apropriada na Rua General Costa Cascais, em Esgueira e procedeu-se à adaptação de passeio, com execução de rampa para utilização de pessoas com mobilidade reduzida, de modo a facilitar a travessia das mesmas numa zona com degraus na Rua Viana do Castelo, Vera Cruz. A valorização paisagística do Município tem em consideração o cuidado com os espaços verdes. Procedeu-se, nesse sentido, à manutenção de canteiros, de floreiras fixas e ao corte de relva no separador de Santa Joana, rotunda do Centro Comercial Glicínias, Centro Cultural de Congressos, Av. Araújo e Silva e rotunda Sr. dos Aflitos, rotunda do Hipermercado Feira Nova, separadores do Hipermercado Continente, do Centro Comercial Carramona, da Rua das Cardadeiras, em Esgueira, do Largo da Igreja e envolvente ao cemitério e Junta de Freguesia, em Aradas, da Aldeia Desportiva e envolvente à Junta de Freguesia, em S. Bernardo, Capela N.ª Sr.ª da Memória, em Oliveirinha, frente ao Centro Social, em Nariz, e zona envolvente à Biblioteca e rotunda das Pontes, na Vera Cruz. Foram também elaborados novos espaços verdes com instalação de sistema de rega por aspersão: rotunda da Av. Dr. Vasco Branco, em Esgueira, jardim da Rua Dr. Evangelista Lima Vidal, jardim da Rua de S. Martinho e Jardim da Rua da Pega, na Glória, jardim da Av. António José Cordeiro, na Vera Cruz, e separador do eixo estruturante, em Santa Joana. No que respeita à situação financeira do Município até 31 de Janeiro de 2008, no âmbito do Quadro Comunitário de Apoio III e outros programas de financiamento, o montante de investimento total candidatado e homologado até à data é de ,14. O valor de FEDER/Outros aprovado e homologado cifra-se em ,02. Ao nível do IIIQCA, no período que decorreu desde a última Assembleia Municipal não se verificou qualquer homologação de projectos. No que respeita à execução física e financeira dos projectos candidatados, foi já executado um montante total de Investimento de ,54, tendo sido recebidas comparticipações FEDER/Outros no montante global de

19 ,42, tendo sido já recebidos ,32 e em curso a aguardar recebimento ,10. Em termos globais temos uma taxa de execução de investimento na ordem dos 82,89 %, considerando o aumento do valor de investimento e Feder entretanto aprovados. No que diz respeito à execução orçamental, foram efectuados compromissos no total de ,53 sendo ,41 de despesas correntes e ,12 de capital, foram facturados ,45 sendo ,60 de despesas correntes e ,85 de capital e do total de despesas pagas de ,72, ,83 correspondem a pagamentos relativos a despesas correntes e ,89 a despesas de capital. As receitas globais cifram-se à data num montante global cobrado de ,97 sendo ,94 relativas a receitas correntes, ,92 referentes a receitas de capital e 2.764,11 de outras receitas. Relativamente à evolução do passivo em contabilidade, o montante total em divida é de ,82, distribuídos pelas seguintes rubricas patrimoniais: Dívidas a terceiros - Médio e longo prazo ,73 Instituições de Crédito - Empréstimos de Médio e Longo Prazo ,67 Fornecedores, c/c (Sociedades de Factoring) ,97 Fornecedores de Imobilizado, c/c (Sociedades de Factoring) ,28 Fornecedores de Imobilizado, c/c (Locação Financeira) ,81 Dívidas a Terceiros - Curto prazo ,09 Fornecedores, c/c ,25 Fornecedores - Facturas em Recepção e Conferência 0,00 Instituições de Crédito - Empréstimos de Curto Prazo* ,00 Clientes e Utentes c/cauções ,23 Fornecedores de Imobilizado, c/c ,59 Estado e Outros Entes Públicos ,82 Administração Autárquica ,68 Outros Credores ,27 Operações de Tesouraria ,25 Total do Passivo ,82 A deduzir ao passivo de curto prazo pode e deve ser contabilizado o activo decorrente de pagamentos a receber pela Câmara Municipal de Aveiro a título de

20 comparticipações do III Quadro Comunitário de Apoio, relativos a projectos já aprovados e a obras já realizadas, no montante de ,10, ou seja, a diferença entre aquele passivo e este activo é de ,99. De salientar ainda que, relativamente ao passivo apresentado, estão em curso 245 acordos de regularização de dívida, tendo para o mês de Janeiro sido prevista a afectação de ,70, a liquidar em 8 prestações. O período, que ora analisamos, abriu novas perspectivas, tendo-se, a propósito do futuro, iniciado a Revisão do Plano Estratégico da Cidade de Aveiro PECA, estando em elaboração a Carta Económica do Concelho e preparando-se projectos candidatáveis ao QREN, como o dos Corredores Ecológicos, o dos Centros de Freguesia, o do Parque Urbano e o da Bolsa de Salvaguarda de Arte Nova. Com os olhos postos no tempo vindouro, olhamos já para 2009, ano em que Aveiro comemora os 1050 anos de história e os 250 anos de elevação a Cidade, efemérides com um grande significado para a comunidade aveirense, justificando a antecedência da sua divulgação, conforme já sucede com a inclusão do logótipo alusivo, desenhado para o efeito, nas comunicações do Município em suporte digital. A Comunicação que se submete a esta Assembleia descreve, como se teve a oportunidade de verificar, um conjunto muito considerável de actividades que, estamos em crer, demonstra dinamismo e vitalidade. O documento apresenta, também, ideias e projectos com ambição, que a grave situação financeira do Município, dissecada no Relatório da Auditoria da Inspecção Geral de Finanças, não pode protelar, em nome do desenvolvimento de Aveiro, objectivo que todos, nesta Assembleia, certamente, comungamos. Aveiro, 19 de Fevereiro de 2008 Presidente da Câmara Municipal de Aveiro (Dr. Élio Manuel Delgado da Maia)

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr. JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006 Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.ª Guadalupe Tel. e Fax: 266 781 165 Tel.: 266 747 916 email: jfguadalupe@mail.evora.net

Leia mais

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes 2 Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Índice 1 Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) 2 Crédito

Leia mais

ANEXO I. FICHAS DE CARACTERIZAÇÃO DAS MEDIDAS 3.1. e 3.2. - EIXO 3 DO PRORURAL versão 7

ANEXO I. FICHAS DE CARACTERIZAÇÃO DAS MEDIDAS 3.1. e 3.2. - EIXO 3 DO PRORURAL versão 7 3.1.1. Diversificação de Actividades Não-Agrícolas na Exploração Descrição Apoio a iniciativas empresariais promotoras do saber fazer tradicional Apoio a actividades lúdicas de carácter inovador nas explorações

Leia mais

OPÇÕES DO PLANO 2015:2018 datas 2015 2016 2017 2018. conclusão. Respons. início 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196.

OPÇÕES DO PLANO 2015:2018 datas 2015 2016 2017 2018. conclusão. Respons. início 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196. 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196.916,00 1 ENSINO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO 116.500,00 93.625,00 100.574,00 103.487,00 1 Apoios e subsídios CM 13 18 5 05-06-02-03-99 1.000,00 1.030,00 2.122,00

Leia mais

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido.

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2015 ÍNDICE Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. Ações Educação e Formação 2 Ação Social 3 Gestão Participada e Finanças 4 Saúde 5 Desporto 5 Juventude 6 Cultura 6 Turismo

Leia mais

para um novo ano lectivo

para um novo ano lectivo Ano Lectivo 2008/09 20 medidas de política para um novo ano lectivo Este documento apresenta algumas medidas para 2008/09: Apoios para as famílias e para os alunos Modernização das escolas Plano Tecnológico

Leia mais

Apresentação do Projeto do Centro Social Paroquial de Lustosa

Apresentação do Projeto do Centro Social Paroquial de Lustosa Centro Social Paroquial de Lustosa Apresentação do Projeto do Centro Social Paroquial de Lustosa 1. Identificação da Instituição: Centro Social Paroquial de Lustosa, NPC: 502431440, com sede em Alameda

Leia mais

Ação Social e Inclusão

Ação Social e Inclusão Ação Social e Inclusão Ação Social O campo de actuação da Ação Social compreende, em primeira instância, a promoção do bem estar e qualidade de vida da população e a promoção duma sociedade coesa e inclusiva,

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 INDICE NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4 Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 Eixo de Desenvolvimento 2: Empregabilidade de Formação Profissional... 13 Eixo

Leia mais

VISEU PRIMEIRO, VISEU EDUCA

VISEU PRIMEIRO, VISEU EDUCA Setembro 2014 VISEU PRIMEIRO, VISEU EDUCA O lançamento de um programa pedagógico e de desenvolvimento educativo de crianças e jovens, partilhado por todos os agentes do sistema escolar e educativo local,

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais:

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: PROGRAMA AÇÃO 2015 O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: - Preservar a identidade da Instituição, de modo especial no que respeita a sua preferencial ação junto das pessoas, famílias e grupos

Leia mais

INTRODUÇÃO O QUE É O PLANO «SALATIA»?

INTRODUÇÃO O QUE É O PLANO «SALATIA»? INTRODUÇÃO O QUE É O PLANO «SALATIA»? No actual cenário económico-financeiro do Mundo e do País, é obrigação de todas as entidades públicas, à sua escala, promoverem medidas de apoio às empresas e às famílias

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO

PROJETO DE INTERVENÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES CANDIDATURA A DIRETOR PROJETO DE INTERVENÇÃO (2013-2017) Pedro Paulo da Costa Cerqueira Amares, maio de 2013 As organizações, tal como os organismos vivos, têm os seus

Leia mais

CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL (CLDS) ESPINHO VIVO

CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL (CLDS) ESPINHO VIVO CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL (CLDS) ESPINHO VIVO EIXO 1 EMPREGO, FORMAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E EMPREENDEDORISMO 01 - BALCÃO DE EMPREGABILIDADE; O Balcão de Empregabilidade pretende apoiar os desempregados

Leia mais

ANEXO I (À Tabela de Preços e Outras Receitas Municipais 2012) DESCONTOS A APLICAR AOS VALORES DA TABELA DE PREÇOS E OUTRAS RECEITAS MUNICIPAIS

ANEXO I (À Tabela de Preços e Outras Receitas Municipais 2012) DESCONTOS A APLICAR AOS VALORES DA TABELA DE PREÇOS E OUTRAS RECEITAS MUNICIPAIS ANEXO I (À Tabela de Preços e Outras Receitas Municipais 2012) DESCONTOS A APLICAR AOS VALORES DA TABELA DE PREÇOS E OUTRAS RECEITAS MUNICIPAIS Aos preços da Tabela de Preços e Outras Receitas Municipais

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011 1. Análise do Plano Plurianual de Investimentos (PPI) Neste orçamento, o Município ajustou, as dotações para despesas de investimento, ao momento de austeridade que o país

Leia mais

EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação

EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL de ODEMIRA 2014-2015 EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação Promover o conhecimento e o acesso dos empresários aos apoios e incentivos no âmbito do empreendedorismo

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Projecto +Skillz E5G Programa Escolhas Promotor: Associação Mais Cidadania 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto +Skillz E5G Promotor: Associação Mais

Leia mais

Execução Anual das Grandes Opções do Plano

Execução Anual das Grandes Opções do Plano das Grandes Opções do Plano 01 EDUCAÇÃO 01 01 EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E ENSINO BÁSICO 01 01 /1 Infraestruturas de Ano Anos seguintes Anos Anteriores Ano 01 01 /1 1 Centro Escolar de Caria 0102 07010305 E

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 Versão Preliminar Este relatório tem por objectivo da conta do que de mais relevante foi realizado no cumprimento

Leia mais

Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005. Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005

Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005. Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005 Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005 Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005 Senhor Presidente da ALRAA Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente do Governo

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO. Programa Viver Solidário/ Normas Página 1

NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO. Programa Viver Solidário/ Normas Página 1 NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO Programa Viver Solidário/ Normas Página 1 PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO NORMAS DE FUNCIONAMENTO 1.INTRODUÇÃO A prática de actividades de animação regular e sistemática,

Leia mais

Acção Sócio-Educativa

Acção Sócio-Educativa Acção Sócio-Educativa Dinamizar estratégias que visam prevenir situações de absentismo e abandono escolar, voltar a colocar os jovens no Sistema Educativo. Estruturar os cursos de Alfabetização e Formação

Leia mais

Fls. 1. Fich: EDITAL L N.º 11 - Reunião ordinária de 12 de Junho de 2008.doc

Fls. 1. Fich: EDITAL L N.º 11 - Reunião ordinária de 12 de Junho de 2008.doc Fls. 1 EDITAL ANTÓNIO MAGALHÃES, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE GUIMARÃES, FAZ SABER, em cumprimento do disposto no art. 91º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, alterada e republicada pela Lei 5-A/2002,

Leia mais

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012 Plano de Acção - Rede Social Plano de Acção Rede Social Conselho Local da Acção Social de Figueira de Castelo Plano de Acção Rede Social Acções a desenvolver Objectivos Resultados esperados Calendarização

Leia mais

Iniciativa JESSICA. Perguntas Frequentes

Iniciativa JESSICA. Perguntas Frequentes 1 - Como nasceu a iniciativa JESSICA? A iniciativa JESSICA (Joint European Support for Sustainable Investment in City Areas) é um instrumento financeiro promovido pela Comissão Europeia e desenvolvido

Leia mais

INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL

INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL JESSICA KICK-OFF MEETING FÁTIMA FERREIRA mrferreira@ihru.pt POLÍTICA DE CIDADES NO ÂMBITO DO QREN - PORTUGAL PO Regional Programas integrados de regeneração

Leia mais

Relatório de Actividades 2008

Relatório de Actividades 2008 Relatório de Actividades 2008 Elaborado por: Grupo Dinamizador da Comissão Social de Freguesia de Stº Antº dos Cavaleiros, 2009 Nota Introdutória O presente documento tem como principal objectivo a avaliação

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO PFR INVEST - SOCIEDADE DE GESTÃO URBANA, EM (MANDATO 2009/2013)

PROGRAMA DE GESTÃO PFR INVEST - SOCIEDADE DE GESTÃO URBANA, EM (MANDATO 2009/2013) PROGRAMA DE GESTÃO DA PFR INVEST - SOCIEDADE DE GESTÃO URBANA, EM (MANDATO 2009/2013) 1 Índice Introdução! 3 Visão! 5 Missão! 6 Valores! 8 Objectivos! 9 Modelo de Gestão! 15 Modelo de Organização! 17 Conclusão!

Leia mais

Apoio a crianças e jovens em situação de risco

Apoio a crianças e jovens em situação de risco Ficha de Projecto Dezembro/2006 Designação Parceria Acordo de Parceiros de 20.12.05 Gabinete para a Cooperação do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social de Portugal Gabinete do Ministro do Trabalho,

Leia mais

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação SABE 12-11-2007 2 Apresentação O conceito de Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE) que se

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA PLANO DE COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO Deliverable 4 Fase 2 Novembro 2008 1 P á g i n a Índice 1. Objectivos... 3 2. Públicos-alvo... 4 3. Estratégia de Comunicação... 5 3.1

Leia mais

Conselho Local de Acção Social De Vila Nova de Cerveira

Conselho Local de Acção Social De Vila Nova de Cerveira Conselho Local de Acção Social De Vila Nova de Cerveira REGULAMENTO INTERNO INTRODUÇÃO A rede social é uma plataforma de articulação de diferentes parceiros públicos e privados que tem por objectivos combater

Leia mais

1. Como pensam integrar, no âmbito dos poderes e competências da autarquia, as questões da educação intercultural e do combate ao racismo?

1. Como pensam integrar, no âmbito dos poderes e competências da autarquia, as questões da educação intercultural e do combate ao racismo? Gostaríamos de iniciar a resposta a este questionário com uma nota prévia relativamente às questões que nos foram colocadas: as questões da discriminação e do racismo constituem, desde o surgimento desta

Leia mais

Grelha de Análise SWOT (Strengths (forças); Weaknesses (fraquezas); Opportunities (oportunidades), Threats (ameaças))... Factores Endógenos

Grelha de Análise SWOT (Strengths (forças); Weaknesses (fraquezas); Opportunities (oportunidades), Threats (ameaças))... Factores Endógenos Problemática Essencial I Envelhecimento Demográfico - Apoio Domiciliário do Centro de Saúde com viatura cedida pela Câmara Municipal. - Iniciativas da Câmara Municipal com o objectivo de proporcionar momentos

Leia mais

MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 2014 Nos termos da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro

MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 2014 Nos termos da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 204 Nos termos da Lei n.º 2-A/2008, de 27 de Fevereiro SECÇÃO DE APOIO E DE COORDENAÇÃO GERAL (Capitulo III do Regulamento da Organização dos Serviços)

Leia mais

Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades (PMPA)

Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades (PMPA) Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades (PMPA) Definições O Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades irá conter um programa das intenções necessárias para assegurar a acessibilidade física

Leia mais

RESUMO DAS OBRAS VISITADAS:

RESUMO DAS OBRAS VISITADAS: RESUMO DAS OBRAS VISITADAS: Bairro da Laje, freguesia de Porto Salvo: - Parque Urbano Fase IV Os Arranjos Exteriores do Parque Urbano Fase IV do bairro da Laje, inserem-se num vasto plano de reconversão

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão. Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão. Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas Introdução No âmbito da sua actividade, o Conselho de Prevenção da Corrupção (CPC), aprovou a Recomendação n.º 1/2009,

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE CEDÊNCIA DE VIATURAS MUNICIPAIS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO, AGENTES CULTURAIS, SOCIAIS E

REGULAMENTO MUNICIPAL DE CEDÊNCIA DE VIATURAS MUNICIPAIS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO, AGENTES CULTURAIS, SOCIAIS E REGULAMENTO MUNICIPAL DE CEDÊNCIA DE VIATURAS MUNICIPAIS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO, AGENTES CULTURAIS, SOCIAIS E INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO CONCELHO Aprovado na 3.ª Reunião Ordinária

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Há escolhas no bairro-e5g Programa Escolhas Promotor: Mediar - Associação Nacional de Mediação Sócio-Cultural 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto

Leia mais

Estrutura Orgânica dos Serviços do Município de Paredes de Coura

Estrutura Orgânica dos Serviços do Município de Paredes de Coura Estrutura Orgânica dos Serviços do Município de Paredes de Coura Nos termos do disposto na alínea a) do artigo 7.º e no n.º 3 do artigo 10.º do Decretolei n.º 305/2009, de 23 de Outubro e dentro dos limites

Leia mais

SANTA CRUZ FREGUESIA EM MOVIMENTO

SANTA CRUZ FREGUESIA EM MOVIMENTO Boletim Informativo Concelho da Praia da Vitória SANTA CRUZ FREGUESIA EM MOVIMENTO Edição do Município da Praia da Vitória em colaboração com a Junta de Freguesia de Santa Cruz agosto 2013 ROBERTO MONTEIRO

Leia mais

Id Serviços de Apoio

Id Serviços de Apoio Id Serviços de Apoio Cafetaria do Museu Calouste Gulbenkian e seu prolongamento no jardim. Serviços Centrais Valores em euros Encargos com pessoal 6 219 770 Despesas de funcionamento 9 606 628 Investimento

Leia mais

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo 22 de Fevereiro 2010 Índice Índice PARTE I SÍNTESE DO 2º FÓRUM PARTICIPATIVO (10 minutos) PARTE II SÍNTESE DA ESTRATÉGIA DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

Decreto-Lei n.º 144/2008 de 28 de Julho

Decreto-Lei n.º 144/2008 de 28 de Julho Decreto-Lei n.º 144/2008 de 28 de Julho O Programa do XVII Governo prevê o lançamento de uma nova geração de políticas locais e de políticas sociais de proximidade, assentes em passos decisivos e estruturados

Leia mais

Discurso de Sua Excelência o Presidente da República

Discurso de Sua Excelência o Presidente da República Continuarei a percorrer o País, de Norte a Sul, a apelar à união de esforços, a levar uma palavra de esperança e a mostrar bons exemplos de resposta à crise. Discurso de Sua Excelência o Presidente da

Leia mais

Comissão Social Inter Freguesias da Zona Central

Comissão Social Inter Freguesias da Zona Central Comissão Social Inter Freguesias da Zona Central Regulamento Interno Preâmbulo O Regulamento Interno estabelece a constituição, organização e funcionamento da Comissão Social Inter Freguesia da Zona Central,

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL ESPAÇO PÚBLICO ACESSIBILIDADE E CIDADANIA PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA A AV. DR. LOURENÇO PEIXINHO FREDERICO MOURA E SÁ

SEMINÁRIO INTERNACIONAL ESPAÇO PÚBLICO ACESSIBILIDADE E CIDADANIA PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA A AV. DR. LOURENÇO PEIXINHO FREDERICO MOURA E SÁ SEMINÁRIO INTERNACIONAL ESPAÇO PÚBLICO ACESSIBILIDADE E CIDADANIA PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA A AV. DR. LOURENÇO PEIXINHO FREDERICO MOURA E SÁ 4 DE OUTUBRO DE 2011. AVEIRO EQUIPA: Câmara Municipal de Aveiro

Leia mais

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho De : DCED/DICUL Carlos Anjos Proc. Nº Para : ANA JOSÉ CARVALHO, CHEFE DA DICUL Assunto : PROPOSTA DE PLANO DE ACTIVIDADES DO GRUPO DE TRABALHO PARA O MOVIMENTO ASSOCIATIVO - 2011 Para os efeitos tidos

Leia mais

Iniciativa JESSICA. Perguntas Frequentes

Iniciativa JESSICA. Perguntas Frequentes Iniciativa JESSICA Perguntas Frequentes Iniciativa JESSICA: Perguntas Frequentes 1 - Como nasceu a iniciativa JESSICA? A iniciativa JESSICA (Joint European Support for Sustainable Investment in City Areas)

Leia mais

CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE"

CICLO DE CONFERÊNCIAS 25 ANOS DE PORTUGAL NA UE Boletim Informativo n.º 19 Abril 2011 CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE" A Câmara Municipal de Lamego no âmbito de atuação do Centro de Informação Europe Direct de Lamego está a promover

Leia mais

Proposta de Alteração Normas Municipais de Apoio Social para Melhorias Habitacionais

Proposta de Alteração Normas Municipais de Apoio Social para Melhorias Habitacionais Proposta de Alteração Normas Municipais de Apoio Social para Melhorias Habitacionais Preâmbulo Uma habitação condigna representa um dos vectores fundamentais para a qualidade de vida do ser humano, sendo,

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS E APOIOS ÀS ASSOCIAÇÕES/COLECTIVIDADES SEM FINS LUCRATIVOS DO MUNICÍPIO DE BORBA

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS E APOIOS ÀS ASSOCIAÇÕES/COLECTIVIDADES SEM FINS LUCRATIVOS DO MUNICÍPIO DE BORBA REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS E APOIOS ÀS ASSOCIAÇÕES/COLECTIVIDADES SEM FINS LUCRATIVOS DO MUNICÍPIO DE BORBA Praça da República 7150-249 Borba Telf.: 268 891 630 Fax: 268 894 806 balcaounico@cm-borba.pt

Leia mais

DIA EUROPEU SEM CARROS SEXTA-FEIRA, 22 DE SETEMBRO DE 2000 AVEIRO

DIA EUROPEU SEM CARROS SEXTA-FEIRA, 22 DE SETEMBRO DE 2000 AVEIRO DIA EUROPEU SEM CARROS SEXTA-FEIRA, 22 DE SETEMBRO DE 2000 AVEIRO Objectivos Encorajar a adopção de comportamentos compatíveis com o desenvolvimento sustentável e, em particular, com a protecção da qualidade

Leia mais

3.4. EDUCAÇÃO. Problemas Sociais Identificados. Problemas Sociais Priorizados. 3.4.1. Educação: Enquadramento: Alunos sem projecto de vida

3.4. EDUCAÇÃO. Problemas Sociais Identificados. Problemas Sociais Priorizados. 3.4.1. Educação: Enquadramento: Alunos sem projecto de vida 3.4. EDUCAÇÃO Problemas Sociais Identificados Insucesso escolar Falta de expectativas socioprofissionais Alunos sem projecto de vida Expectativas inadequadas para famílias Problemas Sociais Priorizados

Leia mais

Ação Piloto para a Regeneração Urbana. Avenida da Liberdade, Braga. Concurso de Ideias Profissionais de Arquitectura

Ação Piloto para a Regeneração Urbana. Avenida da Liberdade, Braga. Concurso de Ideias Profissionais de Arquitectura Ação Piloto para a Regeneração Urbana Avenida da Liberdade, Braga Concurso de Ideias Profissionais de Arquitectura Cientes da importância de promover uma intervenção capaz de revitalizar o centro histórico

Leia mais

para melhorar a escola pública

para melhorar a escola pública Educação 2006 50 Medidas de Política para melhorar a escola pública 9 medidas para qualificar e integrar o 1.º ciclo do ensino básico O documento apresenta o conjunto das medidas e acções lançadas, em

Leia mais

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil O Voluntariado e a Protecção Civil 1. O que é a Protecção Civil A 03 de Julho de 2006, a Assembleia da Republica publica a Lei de Bases da Protecção Civil, que no seu artigo 1º dá uma definição de Protecção

Leia mais

Emprego e Formação Profissional

Emprego e Formação Profissional (%) Emprego e Formação Profissional Panorama: Maio 2010 Emprego: taxa de desemprego a 13,1% em 2010 O Instituto Nacional de Estatística, INE, apresentou os resultados da primeira fase do Inquérito ao Emprego

Leia mais

Relatório de Avaliação

Relatório de Avaliação PDS Plano de Acção 2005 Relatório de Avaliação Rede Social CLAS de Vieira do Minho Introdução Este documento pretende constituir-se como um momento de avaliação e análise do trabalho que tem vindo a ser

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO E INFORMAÇÃO FINANCEIRA

RELATÓRIO DE GESTÃO E INFORMAÇÃO FINANCEIRA Junta de Freguesia de A-Dos-Negros 2º Trimestre 2015 RELATÓRIO DE GESTÃO E INFORMAÇÃO FINANCEIRA Exmos. Senhores: Presidente da Assembleia Senhores Deputados Senhores Munícipes Começo por, em nome do Executivo,

Leia mais

Perguntas Frequentes sobre Voluntariado

Perguntas Frequentes sobre Voluntariado Perguntas Frequentes sobre Voluntariado Juntos podemos fazer da solidariedade um compromisso Índice 1. O que é o Voluntariado? 3 2. Que organizações podem ser promotoras do Voluntariado? 3 3. O que é ser

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 17 AGOSTO DE 2011

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 17 AGOSTO DE 2011 REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 17 AGOSTO DE 2011 A Câmara deliberou, por unanimidade, justificar a falta do Senhor Presidente e do Vereador Senhor Eng.º Sérgio Manuel

Leia mais

GUIA INFORMATIVO PARA ORGANIZAÇÕES

GUIA INFORMATIVO PARA ORGANIZAÇÕES GUIA INFORMATIVO PARA ORGANIZAÇÕES FICHA TÉCNICA Organização: Câmara Municipal da Amadora, Gabinete de Acção Social Equipa Técnica: Ana Costa, Rute Gonçalves e Sandra Pereira Design/Paginação: Estrelas

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Página 2 de 29 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Índice Índice de Siglas. 4 Nota Prévia... 5 Exposição e Explicação dos

Leia mais

QUADRO DE TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS EM MATÉRIA DE EDUCAÇÃO

QUADRO DE TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS EM MATÉRIA DE EDUCAÇÃO QUADRO DE TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS EM MATÉRIA DE EDUCAÇÃO APROVADO PELO DECRETO-LEI N.º 144/2008, DE 28 DE JULHO ALTERADO PELOS SEGUINTES DIPLOMAS: - Lei n.º 3-B/2010, de 28 de

Leia mais

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida.

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida. 1. APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO A Casa do Povo de Alvalade foi criada em 1943, por grupo informal de pessoas, na tentativa de dar resposta às necessidades das pessoas que a esta se iam associando. Com o

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL. Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL. Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete A construção de um futuro impõe que se considere fundamental investir na capacitação e formação das pessoas,

Leia mais

Integrado do Vale do Minho. Av. Miguel Dantas, n.º 69. 4930-678 Valença. Tel.: +351 251 825 811/2. Fax: +351 251 825 620. adriminho@mail.telepac.

Integrado do Vale do Minho. Av. Miguel Dantas, n.º 69. 4930-678 Valença. Tel.: +351 251 825 811/2. Fax: +351 251 825 620. adriminho@mail.telepac. Eixo 3 do PRODER Dinamização das zonas Rurais Englobam no eixo 3 do PRODER Abordagem Leader as seguintes Medidas e Acções Medida 3.1 Diversificação da Economia e Criação de Emprego 3.1.1 Diversificação

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social do Município de Gondomar 2015-2020

Plano de Desenvolvimento Social do Município de Gondomar 2015-2020 Plano de Desenvolvimento Social do Município de Gondomar 2015-2020 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social de Gondomar 16 de março de 2015 Biblioteca Municipal de Gondomar Eixo 1 Capacitação,

Leia mais

Dinamização das Zonas Rurais

Dinamização das Zonas Rurais Dinamização das Zonas Rurais Dinamização das Zonas Rurais A Abordagem LEADER A Europa investe nas Zonas Rurais As zonas rurais caracterizam-se por condições naturais e estruturais que, na maioria dos

Leia mais

Regulamento da Universidade Sénior dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa

Regulamento da Universidade Sénior dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa Regulamento da Universidade Sénior dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa Índice Capítulo I Âmbito de Aplicação Capítulo II Disposições Gerais Art.º 2 Noção e Objecto Art.º 3 Objectivo Geral

Leia mais

PROGRAMA VOCAÇÃO 2012

PROGRAMA VOCAÇÃO 2012 PROGRAMA VOCAÇÃO 2012 Preâmbulo A ocupação dos tempos livres dos jovens em tempo de aulas, através de actividades que contribuam significativamente para o enriquecimento da sua formação pessoal, funcionando

Leia mais

Programa de Promoção Turística e Cultural

Programa de Promoção Turística e Cultural Programa de Promoção Turística e Cultural Sintra encontra-se em 11º lugar no ranking dos 50 melhores lugares a visitar, nas escolhas dos leitores do jornal New York Times? Sintra é uma das 21 finalistas

Leia mais

c u r r i c u l u m v i t a e

c u r r i c u l u m v i t a e c u r r i c u l u m v i t a e Informação pessoal Nome Morada Telefone 912079346 Fax Sousa, Cláudia Cristina Assunção Rua Miguel Bombarda, n.º 3, 4ºDto Viseu Correio electrónico floresdelivro@gmail.com

Leia mais

1.1.1.1. Objectivo Especifico Garantir que os alunos de 1.º e 2.º Ciclo assistam a acções de prevenção primária da toxicodependência.

1.1.1.1. Objectivo Especifico Garantir que os alunos de 1.º e 2.º Ciclo assistam a acções de prevenção primária da toxicodependência. Conselho Local de Acção Social de de Ourique Cuba Plano de Acção 2008 - Rede Social Programação Anual. Prioridade Promover a melhoria das condições de vida das crianças, dos idosos e das famílias através

Leia mais

6. ESTRATÉGIAS DE ACÇÃO Relatório Agenda 21 - CASCAIS 2007 119 A implementação de uma estratégia no âmbito da Agenda Local 21 é apenas alcançável com a colaboração de todos os actores que actuam no Concelho,

Leia mais

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha A Cáritas Diocesana de Viseu no Bairro Social de Paradinha A Cáritas continua com um trabalho de relevante interesse social no Bairro Social de Paradinha. No ano de 2008, a Cáritas continuou a desenvolver

Leia mais

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social PLANO DE ACÇÃO 2007 Introdução O CLASA - Conselho Local de Acção Social de Almada, de acordo com a filosofia do Programa da Rede Social, tem vindo a suportar a sua intervenção em dois eixos estruturantes

Leia mais

Ano Lectivo 2006-2007

Ano Lectivo 2006-2007 Ano Lectivo 2006-2007 CLUBE EUROPEU da Escola Secundária de Viriato RELATÓRIO FINAL DAS ACTIVIDADES No âmbito dos Objectivos do Clube Europeu, foram desenvolvidas as seguintes actividades: 1. Comemoração

Leia mais

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Área Geográfica de Intervenção

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Área Geográfica de Intervenção ADRIL ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO RURAL INTEGRADO DO LIMA Artigo 1º Âmbito 1-O presente regulamento tem por objectivo definir os normativos técnicos, administrativos e financeiros do Programa de Iniciativa

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS)

ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) Data: 26-01-2012 Local: Auditório do Edifício Cultural da Câmara Municipal de Peniche Hora de início: 21h15mn Hora do fecho: 23h30mn

Leia mais

Algumas ideias, ferramentas e exemplos

Algumas ideias, ferramentas e exemplos Pensar as cidades como territórios inclusivos Algumas ideias, ferramentas e exemplos Liliana Sousa Universidade de Aveiro 1. Adoptar instrumentos De análise demográfica: mapas sociais De análise participada:

Leia mais

NORMAS PARA A CONCESSÃO DE APOIO FINANCEIRO ÀS ACTIVIDADES DE INTERESSE PÚBLICO MUNICIPAL. Artigo 1º Objecto e âmbito de aplicação

NORMAS PARA A CONCESSÃO DE APOIO FINANCEIRO ÀS ACTIVIDADES DE INTERESSE PÚBLICO MUNICIPAL. Artigo 1º Objecto e âmbito de aplicação NORMAS PARA A CONCESSÃO DE APOIO FINANCEIRO ÀS ACTIVIDADES DE INTERESSE PÚBLICO MUNICIPAL Artigo 1º Objecto e âmbito de aplicação O presente conjunto de normas disciplina e regulamenta a concessão de apoio

Leia mais

---------------------------- ACTA NÚMERO CINCO -----------------------------

---------------------------- ACTA NÚMERO CINCO ----------------------------- Rede Social de Pombal Município de Pombal Largo do Cardal 3-44 Pombal ---------------------------- ACTA NÚMERO CINCO ----------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento. Participativo

A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento. Participativo Cecília Branco Programa Urbal Red 9 Projecto Orçamento Participativo Reunião de Diadema Fevereiro 2007 A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento Participativo Município

Leia mais

São igualmente tidas em conta situações de pobreza e de exclusão social que necessitam um tratamento específico no âmbito do PRODESA.

São igualmente tidas em conta situações de pobreza e de exclusão social que necessitam um tratamento específico no âmbito do PRODESA. 1. Medida 3.4: Apoio ao desenvolvimento do Emprego e da Formação Profissional 2. Descrição: A Medida Apoio ao desenvolvimento do Emprego e Formação Profissional do PRODESA visa criar as condições para

Leia mais

Fls. 1. Departamento de Administração Geral tel.: 351 + 253 + 51 51 23 / 33 fax: 351 + 253 + 51 51 34 e-mail: camaraguimaraes@mail.telepac.

Fls. 1. Departamento de Administração Geral tel.: 351 + 253 + 51 51 23 / 33 fax: 351 + 253 + 51 51 34 e-mail: camaraguimaraes@mail.telepac. Fls. 1 EDITAL ANTÓNIO MAGALHÃES, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE GUIMARÃES, FAZ SABER, em cumprimento do disposto no art.º 91º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, alterada e republicada pela Lei 5-A/2002,

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa. Banco de Voluntariado LagoaSocial

Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa. Banco de Voluntariado LagoaSocial Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa Banco de Voluntariado LagoaSocial Projecto de Voluntariado Social de Lagoa O Banco de Voluntariado LagoaSocial será enquadrado num conjunto de medidas e acções

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede 1. Identificação DEPARTAMENTO: Pré-Escolar PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES - PROPOSTA DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO - 2010 / 2011 Coordenador(a):

Leia mais

INTERVENÇÃO SOCIAL DOS MUNICÍPIOS PARA ALÉM DAS SUAS COMPETÊNCIAS LEGAIS

INTERVENÇÃO SOCIAL DOS MUNICÍPIOS PARA ALÉM DAS SUAS COMPETÊNCIAS LEGAIS INTERVENÇÃO SOCIAL DOS MUNICÍPIOS PARA ALÉM DAS SUAS COMPETÊNCIAS LEGAIS Está em curso um inquérito, promovido pela ANMP, sobre as despesas municipais com acções de carácter social que ultrapassam as competências

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO

NORMAS DE FUNCIONAMENTO NORMAS DE FUNCIONAMENTO Preâmbulo O Voluntariado é uma actividade inerente ao exercício de cidadania que se traduz numa relação solidária para com o próximo, participando de uma forma livre, responsável

Leia mais

DEBATE DO PG SRETC 21/05/2015

DEBATE DO PG SRETC 21/05/2015 DEBATE DO PG SRETC 21/05/2015 Senhor Presidente da Assembleia Legislativa Regional, Excelência Senhor Presidente do Governo Regional da Madeira, Excelência Senhoras e Senhores Secretários Regionais Senhoras

Leia mais

VISEU TERCEIRO. Programa de Apoio Direto à Cultura e Criatividade. Normas de Acesso e Apoio. Enquadramento

VISEU TERCEIRO. Programa de Apoio Direto à Cultura e Criatividade. Normas de Acesso e Apoio. Enquadramento VISEU TERCEIRO Programa de Apoio Direto à Cultura e Criatividade 2015 Normas de Acesso e Apoio Enquadramento A atividade de criação e programação exercida por entidades, grupos e pessoas singulares no

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL Câmara Municipal de Aveiro REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL PREÂMBULO A REDE SOCIAL, criada através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 197/97, de 18 de Novembro, pretende, conforme

Leia mais