Estrutura da propriedade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estrutura da propriedade"

Transcrição

1 06 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Governo Corporativo 2003

2 02.01 CAPITAL DA SOCIEDADE Na data deste Relatório, o capital social da Telefónica, subscrito e totalmente integralizado, é de euros, encontrando-se dividido em ações de um euro de valor nominal cada uma delas. Todas as ações em que o capital social da Telefónica é dividido são ordinárias,de uma única série,e estão representadas por anotações em conta. As ações estão totalmente subscritas e integralizadas e outorgam os mesmos direitos e obrigações aos acionistas. As ações da Telefónica não implicam em prestação acessória alguma. Da mesma forma, os Estatutos Sociais da Telefónica não contêm nenhuma previsão sobre privilégios, faculdades ou deveres especiais emanantes da titularidade das ações. Do mesmo modo, não existe nenhum preceito estatutário que implique numa restrição ou limitação à livre transmissibilidade das ações da Telefónica. Independentemente disso, e em virtude do estabelecido na «Lei 5/1995, de 23 de março, de Regime Jurídico de Alienação de Participações Públicas em Determinadas Empresas», o Conselho de Ministros aprovou o «Real Decreto 8/1997,de 10 de Janeiro, de Aplicação do Regime de Autorização Administrativa prévia à Telefónica e a outras sociedades de seu Grupo» no qual estabeleceu a necessidade de solicitar uma autorização administrativa prévia para a tomada pela Telefónica de determinadas deliberações especialmente relevantes, em virtude de que a participação pública na mesma tinha desaparecido totalmente. Ficava igualmente submetida ao regime de autorização administrativa prévia a aquisição de ações da Telefónica, quando tivesse como conseqüência a disposição sobre, pelo menos, dez por cento do capital social correspondente. Após a alteração da «Lei 5/1995,de 23 de março,de regime jurídico de alienação de participações públicas em determinadas empresas»,introduzida pela «Lei 6/2003,de 30 de dezembro (Lei de Acompanhamento)»,existe atualmente,vigorando até o dia 18 de fevereiro de 2007,um regime de intervenção administrativa (necessidade de notificação e poder de veto por parte do Estado espanhol) no que respeita a atos de disposição de ações da Telefónica que representem,pelo menos, dez por cento de seu capital social. Finalmente, e de acordo com o estabelecido nos Estatutos da Companhia, nenhum acionista poderá exercer um número de votos superior a dez por cento do total do capital social com direito a voto existente a cada momento, sem depender do número de ações de que seja titular. Na determinação do número máximo de votos que pode ser emitido por cada acionista, serão computadas apenas as ações de que cada um deles for titular, não sendo incluídas as que correspondam a outros titulares que tenham delegado àquele a sua representação. A limitação estabelecida no parágrafo anterior será também aplicável ao número de votos que,no máximo,poderão ser emitidas quer conjuntamente,quer por separado por duas ou mais sociedades acionistas pertencentes a um mesmo grupo de entidades,bem como ao número de votos que,no máximo,possa ser emitido por uma pessoa física ou jurídica acionista e pela entidade ou entidades, também acionistas,que aquela controlar direta ou indiretamente. Tendo em conta o total do capital social da Telefónica, e levando em consideração sua atual Relatório Anual de Governo Corporativo 2003 Telefónica, S.A. 07

3 (1) Ao não existir um registro de acionistas da Companhia, os últimos dados que podem ser obtidos pela Telefónica são os constantes do X-25 solicitado à Iberclear na última reunião da Assembléia Geral Ordinária de Acionistas da Companhia. estrutura acionária, o citado limite do número de votos estabelecido nos Estatutos Sociais não tem, na prática, aplicação, não existindo atualmente nenhum acionista com uma participação, direta ou indireta, superior a sete por cento do capital social PARTICIPAÇÕES SIGNIFICATIVAS NO CAPITAL DA SOCIEDADE Dado que as ações da Telefónica estão representadas mediante anotações em conta, não existindo, portanto, um registro de acionistas mantido pela própria Companhia, não se pode saber com exatidão a estrutura de propriedade da mesma. De qualquer modo, de acordo com a informação existente na Companhia, pode-se dizer que não existe nenhuma pessoa física ou jurídica que, direta ou indiretamente, isolada ou conjuntamente, exerça ou possa exercer controle sobre a Telefónica, nos termos estabelecidos no artigo 4 da Lei do Mercado de Valores. Existem, no entanto, determinados acionistas que são titulares de participações que podem ser consideradas significativas, nos termos da Portaria 3722/2003, de 26 de Dezembro, (veja-se o quadro 1, Participaçoes significativas no capital da Sociedade). De acordo com a informação da qual a Companhia dispõe, não se verificam durante o exercício de 2003 movimentos significativos em sua estrutura de capital. Quanto a esses acionistas significativos, foram propostas como membros do Conselho de Administração as pessoas especificadas no capítulo III deste Relatório. Além dessas participações significativas mantidas com caráter estável, a instituição financeira Chase Manhattan Nominees Ltd., conforme comunicação remetida à Comissão Nacional do Mercado de Valores, em 8 de Janeiro de 2003, tinha uma participação no capital da Telefónica de 6,80%, como entidade depositária, motivo pelo qual essa participação é possuída em nome e por conta de seus clientes. Por outro lado, a instituição financeira Citibank, NA era, em 6 de fevereiro de 2004, titular de ações da Telefónica que representavam 4,9% de seu capital social, de acordo com relatórios internos elaborados pela própria Companhia. Essa participação é detida de acordo com o estabelecido no contrato de depósito («Depositary Agreement») outorgado entre a Companhia e o Citibank NA em nome e por conta dos titulares de ADRs, para os efeitos da emissão e da negociação dos referidos títulos na Bolsa de Nova Iorque e na Bolsa de Lima. Conforme o previsto no citado contrato, o Citibank N.A. é obrigado a exercer os direitos políticos e econômicos que como titular das referidas ações lhe correspondem segundo as instruções que lhe forem remetidas pelos titulares de ADRs nos termos e condições estabelecidos no contrato de depósito. De acordo com a informação obtida da «Sociedad de Gestión de los Sistemas de Registro, Compensación y Liquidación de Valores» (Iberclear), com data de 1 de abril de ,o número de acionistas da Telefónica, conforme os registros individualizados a favor tanto de pessoas físicas como de pessoas jurídicas, era de, aproximadamente, acionistas. 08 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Governo Corporativo 2003

4 QUADRO 1 PARTICIPAÇOES SIGNIFICATIVAS NO CAPITAL DA SOCIEDADE Total Participação direta Participação indireta Percentagem Ações Percentagem Ações Percentagem Ações BBVA (*) 6.09% 301,813, % 89,701, % 212, «La Caixa» (**) 3.5% 173,456,198 (*) Conforme a informação disponibilizada pelo Banco Bilbao Vizcaya Argentaria, S.A. (doravante, BBVA) em suas Demonstrações Contábeis encerradas em 31 de dezembro de Conforme a própria entidade indica neste documento, a participação mantida com critérios de permanência no capital da Telefónica é de 5,17%. (**) Conforme os dados disponibilizados pela Caja de Ahorros y Pensiones de Barcelona, «La Caixa» (doravante, La Caixa) em sua página web, com informação atualizada em 31 de dezembro de QUADRO 2 RELAÇOES COM TITULARES DE PARTICIPAÇOES SIGNIFICATIVAS Participação Participação Sociedade Telefónica BBVA Atividade ESPANHA Adquira España, S.A. 40%(1) 40%(2) Prestação de serviços em telecomunicações, na Internet e no comércio eletrônico Azeler Automoción, S.A. 50%(3) 50%(4) Portal do automóvel Hispasat, S.A. 13,23% 10,75%(5) Exploração de sistemas de comunicações por satélite Iniciativas Residenciales en Internet, S.A. 50%(3) 50%(2) Portal imobiliário Mobipay España, S.A. 13,3%(6) 8%(2) Desenvolvimento de meios de pagamento através da telefonia celular Mobipay International, S.A. 36%(7) 27,5%(2) Desenvolvimento de modos de pagamento através da telefonia celular Servicios on line para usuarios múltiples, S.A. (SOLIUM) 33,3%(8) 33,3%(2) Prestação de serviços tecnológicos como suporte e operativa da Internet Telefónica Factoring E.F.C., S.A. 50% 30% Prestação de serviços de factoring aos fornecedores do Grupo Telefónica Uno-e Bank, S.A. 33%(3) 67%(9) Prestação de serviços de bancos pela Internet BRASIL Telefónica Factoring Brasil, S.L. 59,98 10,24%(10) Prestação de serviços de factoring aos fornecedores do Grupo Telefónica COLÔMBIA Telefónica Data Colombia, S.A. 65%(11) 35%(12) Prestação de serviços de telecomunicações MÉXICO Adquira México S.A. de C.V. 50%(13) 50%(14) Prestação de soluções que otimizam a compra e venda de bens e serviços entre empresas OUTRAS SOCIEDADES Atento, N.V. 91,35% 8,65%(15) Prestação de serviços de telemarketing (1) Participação possuída através de sua filial: Telefónica de España, S.A.U. (20%) e Telefónica Publicidad e Información, S.A. (20%). (2) Participação possuída através de sua filial: Banco Bilbao Vizcaya E-Commerce, S.A. (3) Participação possuída através de sua filial: Terra Networks, S.A. (4) Participação possuída através de sua filial: Banco Bilbao Vizcaya E-Commerce, S.A. (25%) e Finanzia Banco de Crédito Local, S.A.(25%). (5) Participação possuída através de sua filial: BBVA Factoring, S.A. (6) Participação possuída através de sua filial: Telefónica Móviles España, S.A.U. (7) Participação possuída através de sua filial: Telefónica Móviles, S.A. (8) Participação possuída através de sua filial: Telefónica Data España, S.A.U. (9) Participação possuída através de suas filiais: Banco Bilbao Vizcaya E-Commerce, S.A. (51%) e Finanzia Banco de Crédito Local, S.A. (16%). (10) Participação possuída através de sua filial: BBVA Factoring, S.A. (11) Participação possuída através de sua filial: Telefónica DataCorp, S.A.U. (12) Participação possuída através de sua filial: Cidessa Uno, S.L. (participadas em 100%). (13) Participação possuída através de sua filial: Katalyx Inc. (14) Participação possuída através de sua filial: Visacom, S.A. de C.V. (15) Participação possuída através de sua filial: General de Participaciones Empresariales, S.L. Relatório Anual de Governo Corporativo 2003 Telefónica, S.A. 09

5 .03 RELAÇÕES COM TITULARES DE PARTICIPAÇÕES SIGNIFICATIVAS A Companhia mantém relações comerciais ordinárias com ambos os acionistas titulares de participações significativas, em relação às quais é disponibilizada uma informação pormenorizada no ponto 4.1 do presente Relatório. Essas operações serão realizadas em condições de mercado e cumprindo as exigências que, em matéria de transações com acionistas significativos, são estabelecidas pelo Regulamento do Conselho de Administração. No que diz respeito às relações societárias que possam existir com esses acionistas, cabe assinalar, em relação ao BBVA, que a Telefónica, através de sua filial Telefónica de España, S.A.U., é titular de ações do BBVA, o que representa 1,13% de seu capital social. Por outro lado, no quadro 2 são especificadas as sociedades nas quais a Telefónica e o BBVA participam conjuntamente. Adicionalmente, e no que respeita a La Caixa, a Telefónica Soluciones Sectoriales, S.A.U. (sociedade filial da Telefónica de España, S.A.U.) é titular de 6,92% do capital da sociedade Barcelona Empren, S.A., na qual o BBVA e a La Caixa participam, cada um deles, com 6,92%. Igualmente, essa mesma filial do Grupo Telefónica tem uma participação de 5% na sociedade Foment de Ciutat Vella, S.A., na qual o BBVA tem 10% e a La Caixa 12,5%. Finalmente, e quanto à possível existência de Conselheiros cruzados ou vinculados, cabe assinalar que, em relação à Telefónica, a Telefónica de España, S.A.U. foi nomeada membro do Conselho de Administração do BBVA. Atualmente, O Sr. Angel Vilá Boix representa essa pessoa jurídica no Conselho de Administração desta entidade PARTICIPAÇÕES ACIONÁRIAS DOS MEMBROS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Conforme os dados de que a Companhia dispõe, o número total de ações da Telefónica das quais os atuais Conselheiros são proprietários a título individual, direta ou indiretamente, na data do presente Relatório, eleva-se a ações (0,015% do capital social) (veja-se o quadro 3, Participaçoes acionárias dos membros do conselho de administração) EXISTÊNCIA DE PACTOS PARA-SOCIAIS. A Telefónica não recebeu nenhuma comunicação da existência de pactos para-sociais entre seus acionistas INFORMAÇÃO SOBRE CARTEIRA PRÓPRIA Em 31 de dezembro de 2002, a Telefónica possuía um total de ações próprias, que representavam 1,88516% do capital social da Companhia. Durante o Exercício de 2003,e em cumprimento da obrigação de comunicação de aquisição de ações próprias, a Telefónica comunicou à CNMV, em 22 de outubro de 2003, a aquisição acumulada de ações próprias no total (compras brutas) que representavam 1,016% do capital social existente na data da referida comunicação. Nessa mesma data, a posição de carteira de 10 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Governo Corporativo 2003

6 QUADRO 3 PARTICIPAÇOES ACIONÁRIAS DOS MEMBROS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Titularidade Titularidade Número Nome Direta Indireta de ações possuídas César Alierta Izuel Isidro Fainé Casas (1) José Antonio Fernández Rivero (2) Fernando de Almansa Moreno-Barreda Jesús María Cadenato Matía (2) Maximino Carpio García Carlos Colomer Casellas Alfonso Ferrari Herrero (4) José Fonollosa García (2) Gonzalo Hinojosa Fernández de Angulo Miguel Horta e Costa Pablo Isla Alvarez de Tejera Luis Lada Díaz Antonio Massanell Lavilla (1) (3) Enrique Used Aznar (4) Mario E. Vázquez Antonio Viana-Baptista Gregorio Villalabeitia Galarraga (2) Antonio Alonso Ureba Total (1) Nomeado sob proposta da La Caixa. (2) Nomeado sob proposta do BBVA. (3) Participação possuída através de familiares em primeiro grau de consangüinidade. (4) Participação possuída através de duas sociedades controladas, uma com 60% e a outra com 100%. ações próprias líquida da Companhia era de ações, que representavam 0,606% de seu capital social. Finalmente, cabe sublinhar que, em 31 de Dezembro de 2003, a Telefónica possuía um total de ações próprias, que representavam 0,842 % do capital social da Companhia. Relatório Anual de Governo Corporativo 2003 Telefónica, S.A. 11

TELEFÓNICA, S.A. Assembléia Geral Ordinária de Acionistas

TELEFÓNICA, S.A. Assembléia Geral Ordinária de Acionistas TELEFÓNICA, S.A. Assembléia Geral Ordinária de Acionistas Devido à decisão adotada pelo Conselho de Administração da TELEFÓNICA, S.A., convoca-se os acionistas para Assembléia Geral Ordinária, a ser celebrada

Leia mais

SR. CÉSAR ALIERTA IZUEL (Zaragoza, 1945)

SR. CÉSAR ALIERTA IZUEL (Zaragoza, 1945) BREVE RESUMO DO PERFIL PROFISSIONAL DOS CONSELHEIROS CUJO CARGO ESTÀ SUJEITO A RE-ELEÇÃO E RATIFICAÇÃO SEGUNDO O ITEM II DA AGENDA DA ASSEMBLÉIA GENERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS 9/10 de majo de 2007 SR.

Leia mais

INFORMAÇÃO EXIGIDA PELO ARTIGO 116.BIS DA LEI DO MERCADO DE VALORES

INFORMAÇÃO EXIGIDA PELO ARTIGO 116.BIS DA LEI DO MERCADO DE VALORES INFORMAÇÃO EXIGIDA PELO ARTIGO 116.BIS DA LEI DO MERCADO DE VALORES Em cumprimento do previsto no artigo 116.bis da Lei 24/1988, de 28 de julho, do Mercado de Valores, o Conselho de Administração da Telefónica,

Leia mais

TELEFÓNICA, S.A. Assembléia Geral Ordinária de Acionistas

TELEFÓNICA, S.A. Assembléia Geral Ordinária de Acionistas TELEFÓNICA, S.A. Assembléia Geral Ordinária de Acionistas Em virtude do acordo adotado pelo Conselho de Administração da TELEFÓNICA, S.A., convoca-se os acionistas para a Assembléia Geral Ordinária de

Leia mais

FATO RELEVANTE. Boadilla del Monte (Madrid), 11 de julho de 2014

FATO RELEVANTE. Boadilla del Monte (Madrid), 11 de julho de 2014 FATO RELEVANTE O Banco Santander, S.A. divulga informação relativa ao programa de retribuição flexível Santander Dividendo Elección que se deliberou aplicar ao primeiro dividendo por conta de 2014. Junta-se

Leia mais

BANCO SANTANDER, S.A.

BANCO SANTANDER, S.A. BANCO SANTANDER, S.A. Sede social: Paseo de Pereda, 9-12, Santander, Espanha Capital Social: 4.220.749.230,50 euros Registada no Registro Mercantil de Santander - Cantabria H286, F. 64, Livro n.º 5, Ins.

Leia mais

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS DA TELEFÓNICA, S.A. - ANO 2009 -

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS DA TELEFÓNICA, S.A. - ANO 2009 - ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS DA TELEFÓNICA, S.A. - ANO 2009 - PROPOSTAS DE DELIBERAÇÕES QUE O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO SUBMETE À DECISÃO DA ASSEMBLÉIA GERAL DE ACIONISTAS 22 / 23 de junho

Leia mais

Informe Anual de Responsabilidade Corporativa Telefónica, S.A.

Informe Anual de Responsabilidade Corporativa Telefónica, S.A. Informe Anual de Responsabilidade Corporativa Telefónica, S.A. Comprometidos com você INFORME ANUAL DE RESPONSABILIDADE CORPORATIVA 2003 Governança Corporativa página 014 Ativos intangíveis página 020

Leia mais

Nível de seguimento das recomendações de bom governo

Nível de seguimento das recomendações de bom governo Nível de seguimento das recomendações de bom governo 54 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Governo Corporativo 2003 Nível de seguimento das recomendações de bom governo 07.01 TELEFONICA, S.A. A seguir

Leia mais

CARLOS COLOMER CASELLAS (Barcelona, 1944)

CARLOS COLOMER CASELLAS (Barcelona, 1944) BREVE RESUMO DO PERFIL PROFISSIONAL DOS CONSELHEIROS CUJO CARGO ESTÀ SUJEITO A RE-ELEÇÃO E RATIFICAÇÃO SEGUNDO O ITEM III DA AGENDA DA ASSEMBLÉIA GENERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS 20/21 de junho de 2006

Leia mais

Índice. Relatório Anual 2002. 2 Carta do Presidente 11 Variáveis significativas 16 Conselho de Administração e Diretores. 21 Assim é a Telefõnica

Índice. Relatório Anual 2002. 2 Carta do Presidente 11 Variáveis significativas 16 Conselho de Administração e Diretores. 21 Assim é a Telefõnica Índice 2 Carta do Presidente 11 Variáveis significativas 16 Conselho de Administração e Diretores 21 Assim é a Telefõnica 35 2002 21 Uma empresa de vanguarda 26 Marcando Tendências 31 A Cultura do Compromisso

Leia mais

RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA TELEFONICA, S.A. (PONTO XII DA ORDEM DO DIA)

RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA TELEFONICA, S.A. (PONTO XII DA ORDEM DO DIA) RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM RELAÇÃO COM A PROPOSTA DE AUMENTO DE CAPITAL SOCIAL COM A SUPRESSÃO DO DIREITO PREFERÊNCIA PARA A SUBSCRIÇÃO A FIM DE ATENDER UM PLANO DE OPÇÕES PARA EMPREGADOS.

Leia mais

09_02. Contas anuais e Informe de gestão Telefónica, S.A.

09_02. Contas anuais e Informe de gestão Telefónica, S.A. _02 Contas anuais e Informe de gestão Telefónica, S.A. 294 Telefónica, S.A. Informe anual 2003 Informe anual 2003 Telefónica, S.A. 295 296 296 Infome anual 2003 Telefónica,S.A Informe anual 2003 Telefónica,

Leia mais

DEMOSTRAÇAO DA POSIÇAO FINANCIERA CONSOLIDADA (Milhões de euros) Nota 31/12/2009 (*) 31/12/2008 A) ATIVO NÃO CIRCULANTE 84.311 81.

DEMOSTRAÇAO DA POSIÇAO FINANCIERA CONSOLIDADA (Milhões de euros) Nota 31/12/2009 (*) 31/12/2008 A) ATIVO NÃO CIRCULANTE 84.311 81. GRUPO TELEFÓNICA DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS CONDENSADAS CONSOLIDADAS E RELATÓRIO DE GESTÃO INTERMEDIÁRIO CONSOLIDADO CORRESPONDENTES AO SEGUNDO SEMESTRE DE 2009 DEMOSTRAÇAO DA POSIÇAO FINANCIERA

Leia mais

TERRA NETWORKS, S.A. e CONTROLADAS

TERRA NETWORKS, S.A. e CONTROLADAS TERRA NETWORKS, S.A. e CONTROLADAS Demonstrações Financeiras Consolidadas referentes ao Exercício de 2003 comparadas com as do exercício de 2002, acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes. (Tradução

Leia mais

FACTO RELEVANTE. Boadilla del Monte (Madrid), 11 de Abril de 2012

FACTO RELEVANTE. Boadilla del Monte (Madrid), 11 de Abril de 2012 FACTO RELEVANTE O Banco Santander, S.A. divulga informação relativa ao programa de retribuição flexível Santander Dividendo Elección que se deliberou aplicar ao dividendo complementar de 2011. Junta-se

Leia mais

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO Disciplina: Direito Empresarial II JUR 1022 Turma: C02 Prof.: Luiz Fernando Capítulo VI SOCIEDADES ANÔNIMAS 1. Evolução Legal: a) Decreto n. 575/49;

Leia mais

A Telefónica, S.A., conforme estabelecido no artigo 82 da Lei do Mercado de Valores espanhola, vem por meio desta apresentar o seguinte: COMUNICADO

A Telefónica, S.A., conforme estabelecido no artigo 82 da Lei do Mercado de Valores espanhola, vem por meio desta apresentar o seguinte: COMUNICADO A Telefónica, S.A., conforme estabelecido no artigo 82 da Lei do Mercado de Valores espanhola, vem por meio desta apresentar o seguinte: COMUNICADO Como continuação do Comunicado enviado em 26 de abril

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO:

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: Denominação Artigo 1º - Corrêa Ribeiro S/A Comércio e Indústria é uma sociedade

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF 02.558.157/0001 62 NIRE 35.3.001.5881 4 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF 02.558.157/0001 62 NIRE 35.3.001.5881 4 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Para a Assembleia Geral Extraordinária a ser realizada em 16 de julho de 2015 às 11:00 horas. EXPOSIÇÃO AOS ACIONISTAS Aos Senhores Acionistas da Telefônica Brasil S.A. ( Companhia,

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA FORNO DE MINAS ALIMENTOS S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA FORNO DE MINAS ALIMENTOS S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA FORNO DE MINAS ALIMENTOS S.A. 1 PROPÓSITO A presente Política de Negociação de Valores Mobiliários tem como propósito estabelecer regras para

Leia mais

Pelo presente instrumento particular e na melhor forma de direito, os administradores das companhias abaixo qualificadas,

Pelo presente instrumento particular e na melhor forma de direito, os administradores das companhias abaixo qualificadas, INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DO BANCO ABN AMRO REAL S.A. PELO BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A. (NOVA DENOMINAÇÃO SOCIAL DO BANCO SANTANDER S.A., EM FASE DE HOMOLOGAÇÃO

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

180 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004. Fornecedores

180 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004. Fornecedores 180 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 09 Fornecedores Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 181 09/01 Grande número de fornecedores 09/02

Leia mais

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A.

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. Acordo de Acionistas Diretrizes da CPFL de Energia Governança S.A. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. 1 Sumário I Introdução 3 II Estrutura Corporativa

Leia mais

EDP ENERGIAS DO BRASIL S.A.

EDP ENERGIAS DO BRASIL S.A. EDP ENERGIAS DO BRASIL S.A. ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA 29.04.2014 Manual de Participação em Assembléias Gerais de Acionistas 1 Sumário Pag. Mensagem da Administração ( 3 ) Estatuto Social

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇOS S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇOS S.A. CNPJ 02.328.280/0001-97 POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇOS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 02.238.280/0001-97 Rua Ary Antenor de Souza, nº 321,

Leia mais

IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL

IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL I - DENOMINAÇÃO E OBJETIVO Artigo 1 - O IC Clube de Investimento é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a

Leia mais

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001 Assim é a Telefónica A aquisição da Lycos, aliada ao fato de a nova empresa Terra Lycos operar em 43 países, permitiu, por um lado, uma maior penetração nos Estados Unidos e no Canadá. Por outro lado,

Leia mais

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Demonstrações Financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de

Leia mais

TELEFÓNICA, S.A. E SOCIEDADES QUE COMPÕEM O GRUPO TELEFÓNICA DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS E RELATÓRIO DE GESTÃO

TELEFÓNICA, S.A. E SOCIEDADES QUE COMPÕEM O GRUPO TELEFÓNICA DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS E RELATÓRIO DE GESTÃO TELEFÓNICA, S.A. E SOCIEDADES QUE COMPÕEM O GRUPO TELEFÓNICA DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS E RELATÓRIO DE GESTÃO CORRESPONDENTES AOS EXERCÍCIOS DE 2003 E 2002 (Traduzidas das demonstrações financeiras

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PLATINUM

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PLATINUM ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PLATINUM I Denominação e Objetivo Artigo 1º O Clube de Investimento PLATINUM é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NAS ASSEMBLEIAS GERAIS ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DA MARFRIG ALIMENTOS S.A.

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NAS ASSEMBLEIAS GERAIS ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DA MARFRIG ALIMENTOS S.A. MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NAS ASSEMBLEIAS GERAIS ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DA MARFRIG ALIMENTOS S.A. AGOE DE 28 DE ABRIL DE 2012. SUMÁRIO Mensagem da Administração... 03 Data, hora e local

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR 1 ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PROGRAMADO PJ RENOIR

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PROGRAMADO PJ RENOIR ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PROGRAMADO PJ RENOIR I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO PROGRAMADO PJ RENOIR, doravante designado simplesmente CLUBE, formado exclusivamente

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO, constituído por número limitado de membros

Leia mais

TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF 02.558.157/0001-62 - NIRE 35.3.0015881-4

TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF 02.558.157/0001-62 - NIRE 35.3.0015881-4 1. DATA, HORA e LOCAL: 11 de junho de 2013, às 11:00h, na sede social da Companhia, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Eng. Luiz Carlos Berrini, nº 1376, Bairro Cidade Monções. 2.

Leia mais

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ: 02.558.154/0001-29 NIRE 3130002551-9 Companhia Aberta

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ: 02.558.154/0001-29 NIRE 3130002551-9 Companhia Aberta TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ: 02.558.154/0001-29 NIRE 3130002551-9 Companhia Aberta Assembleia Geral Extraordinária Realizada em 9 de março de 2009 1. Data, Hora e Local. Realizada, em primeira

Leia mais

TRACTEBEL ENERGIA S.A. CNPJ/MF 02.474.103/0001-19 POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES

TRACTEBEL ENERGIA S.A. CNPJ/MF 02.474.103/0001-19 POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES TRACTEBEL ENERGIA S.A. CNPJ/MF 02.474.103/0001-19 POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES 1 ÍNDICE I. Finalidade... 3 II. Abrangência... 3 III. Definições... 4 IV. Divulgação de

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE EMPRÉSTIMO DE AÇÕES

INSTRUMENTO PARTICULAR DE EMPRÉSTIMO DE AÇÕES INSTRUMENTO PARTICULAR DE EMPRÉSTIMO DE AÇÕES Pelo presente instrumento particular, as Partes : (a) BANCO CITIBANK S.A., instituição financeira com sede na Avenida Paulista, n.º 1.111, 2º andar parte,

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES SOBRE ATO OU FATO RELATIVO À EMPRESA DE INFOVIAS S/A

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES SOBRE ATO OU FATO RELATIVO À EMPRESA DE INFOVIAS S/A POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES SOBRE ATO OU FATO RELATIVO À EMPRESA DE INFOVIAS S/A 1. Introdução e Objetivo A Empresa de Infovias S/A sempre pautou a sua conduta pelo princípio da transparência,

Leia mais

EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A.

EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA COMPANHIA EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. Aprovada em Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 27 de abril de 2012

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS I DENOMINAÇÃO E OBJETIVO ARTIGO 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

POLÍTICAS DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÃO SOBRE ATO OU FATO RELEVANTE E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES ABRANGÊNCIA

POLÍTICAS DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÃO SOBRE ATO OU FATO RELEVANTE E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES ABRANGÊNCIA A Diretoria da Participações Industriais do Nordeste S.A. ( Companhia ) comunica que, por deliberação do Conselho de Administração, em reunião extraordinária realizada em 30.06.2002, foram aprovadas as

Leia mais

Radar Stocche Forbes Março 2015

Radar Stocche Forbes Março 2015 Março 2015 RADAR STOCCHE FORBES - SOCIETÁRIO Ofício-Circular CVM-SEP 2015 Principais Novidades No dia 26 de fevereiro de 2015, a Comissão de Valores Mobiliários ( CVM ) emitiu o Ofício-Circular nº 02/2015

Leia mais

CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE ACCIONISTAS EDP RENOVÁVEIS, S.A.

CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE ACCIONISTAS EDP RENOVÁVEIS, S.A. CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE ACCIONISTAS EDP RENOVÁVEIS, S.A. Os Senhores Administradores decidiram unanimemente convocar a Assembleia Geral Ordinária de Accionistas da EDP Renováveis,

Leia mais

TELEFÓNICA, S.A. E SOCIEDADES QUE COMPÕEM O GRUPO TELEFÓNICA

TELEFÓNICA, S.A. E SOCIEDADES QUE COMPÕEM O GRUPO TELEFÓNICA TELEFÓNICA, S.A. E SOCIEDADES QUE COMPÕEM O GRUPO TELEFÓNICA DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS E RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO CONSOLIDADO CORRESPONDENTES AO EXERCÍCIO DE 2005 GRUPO TELEFÓNICA BALANÇOS

Leia mais

GUIA BDR SANTANDER GUIA BDR SANTANDER

GUIA BDR SANTANDER GUIA BDR SANTANDER GUIA BDR SANTANDER 1 PARA QUE SERVE ESSE GUIA? Este guia se propõe a trazer os principais conceitos relacionados aos Brazilian Depositary Receipts (BDRs) e a explicar como funcionam. Ao término de sua

Leia mais

Telefônica Brasil S.A.

Telefônica Brasil S.A. Este anúncio é de caráter exclusivamente informativo, não se tratando de oferta de venda de valores mobiliários. ANÚNCIO DE ENCERRAMENTO DE OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA DE AÇÕES ORDINÁRIAS E

Leia mais

TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.157/0001-62 - NIRE 35.3.001.5881-4 F A TO RELEV A N TE

TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.157/0001-62 - NIRE 35.3.001.5881-4 F A TO RELEV A N TE F A TO RELEV A N TE A Telefônica Brasil S.A. ("Companhia" ou Telefônica Brasil ), na forma e para os fins das Instruções CVM nºs 319/99 e 358/02, conforme alteradas e, em complementação aos Fatos Relevantes

Leia mais

GOL LINHAS AÉREAS INTELIGENTES S.A. (Companhia Aberta) C.N.P.J. n.º 06.164.253/0001-87 N.I.R.E. 35.300.314.441 AVISO AOS ACIONISTAS

GOL LINHAS AÉREAS INTELIGENTES S.A. (Companhia Aberta) C.N.P.J. n.º 06.164.253/0001-87 N.I.R.E. 35.300.314.441 AVISO AOS ACIONISTAS GOL LINHAS AÉREAS INTELIGENTES S.A. (Companhia Aberta) C.N.P.J. n.º 06.164.253/0001-87 N.I.R.E. 35.300.314.441 AVISO AOS ACIONISTAS Nos termos da Instrução CVM nº 358/02, conforme alterada, a Gol Linhas

Leia mais

DIBENS LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

DIBENS LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO DIBENS LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL NIRE 35300130707 CNPJ/MF nº 65.654.303/0001-73 COMPANHIA ABERTA PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO ASSEMBLEIAS GERAIS ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA 30.4.2015 Horário: 14

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS TEGMA GESTÃO LOGÍSTICA S.A. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO E PRINCÍPIOS GERAIS 2. DEFINIÇÕES 3. OBJETIVOS E ABRANGÊNCIA 4. PERÍODO DE VEDAÇÕES ÀS NEGOCIAÇÕES 5. AUTORIZAÇÃO

Leia mais

DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. CNPJ -33.851.064/0001-55

DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. CNPJ -33.851.064/0001-55 DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. BALANÇO PATRIMONIAL FINDO EM 31/12/2011 E 2010 EM R$ Mil A T I V O 31/12/2011 31/12/2010 ATIVO CIRCULANTE 2.888 3.606 DISPONIBILIDADE 1.105 1.213

Leia mais

CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS EDP RENOVÁVEIS, S.A.

CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS EDP RENOVÁVEIS, S.A. CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS EDP RENOVÁVEIS, S.A. Os Senhores Administradores decidiram unanimemente convocar a Assembleia Geral Ordinária de Acionistas da EDP Renováveis, S.A.,

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE GOVERNO CORPORATIVO

RELATÓRIO ANUAL DE GOVERNO CORPORATIVO RELATÓRIO ANUAL DE GOVERNO CORPORATIVO Exercício de 2003 3 1 - -Índice - - 1. INTRODUÇÃO..... 4 2. ESTRUTURA DA PROPRIEDADE...6 2.1 CAPITAL DA SOCIEDADE..... 6 2.2 PARTICIPAÇÕES SIGNIFICATIVAS NO CAPITAL

Leia mais

Invest Tur Brasil Desenvolvimento Imobiliário Turístico S.A. CNPJ nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540

Invest Tur Brasil Desenvolvimento Imobiliário Turístico S.A. CNPJ nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540 Invest Tur Brasil Desenvolvimento Imobiliário Turístico S.A. CNPJ nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540 Ata da Reunião do Conselho de Administração realizada em 7 de janeiro de 2009 Data, hora e local

Leia mais

TRACTEBEL ENERGIA S.A. CNPJ/MF 02.474.103/0001-19 POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES

TRACTEBEL ENERGIA S.A. CNPJ/MF 02.474.103/0001-19 POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES TRACTEBEL ENERGIA S.A. CNPJ/MF 02.474.103/0001-19 POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES Versão: 02 Aprovação: 130ª RCA, de 20.02.2014 ÍNDICE I. FINALIDADE... 3 II. ABRANGÊNCIA...

Leia mais

Estatutos da Caixa Geral de Depósitos

Estatutos da Caixa Geral de Depósitos Estatutos da Caixa Geral de Depósitos Conforme aprovado em Assembleia Geral de 22 de julho de 2011 e posterior alteração pela Deliberação Unânime por Escrito de 27 de junho de 2012. CAPÍTULO I Natureza,

Leia mais

AULA 10 Sociedade Anônima:

AULA 10 Sociedade Anônima: AULA 10 Sociedade Anônima: Conceito; características; nome empresarial; constituição; capital social; classificação. Capital aberto e capital fechado. Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Bolsa de Valores.

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA TRISUL S.A. Companhia Aberta CNPJ nº o8.811.643/0001-27 / NIRE 35.300.341.627 Av. Paulista, 37 15º andar Bairro Paraíso, CEP 01311-000 - São

Leia mais

Deveres e Responsabilidades dos Membros do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal. Os Deveres dos Conselheiros na Instrução CVM nº 358/02

Deveres e Responsabilidades dos Membros do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal. Os Deveres dos Conselheiros na Instrução CVM nº 358/02 1 Deveres e Responsabilidades dos Membros do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal Os Deveres dos Conselheiros na Instrução CVM nº 358/02 Elizabeth Lopez Rios Machado SUPERINTENDÊNCIA DE RELAÇÕES

Leia mais

Sumário. Demonstrações Contábeis. Notas Explicativas. Pareceres

Sumário. Demonstrações Contábeis. Notas Explicativas. Pareceres Companhia Estadual de Energia Elétrica Participações Divisão Contábil Departamento de Demonstrações Contábeis DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DEZEMBRO 2007 Sumário Demonstrações Contábeis Relatório da Administração...

Leia mais

MANUAL DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA COMPANHIA.

MANUAL DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA COMPANHIA. MANUAL DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA COMPANHIA. 1 Objetivos e Princípios Este Manual tem por objeto o estabelecimento de padrões de conduta e transparência

Leia mais

Telefónica, S.A. ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA 11 DE ABRIL DE 2003 ACORDOS ADOTADOS ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA ANO 2003 1

Telefónica, S.A. ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA 11 DE ABRIL DE 2003 ACORDOS ADOTADOS ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA ANO 2003 1 ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA 11 DE ABRIL DE 2003 ACORDOS ADOTADOS ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA ANO 2003 1 Item 1 da Ordem do Dia: Análise e aprovação, no caso, das Contas Anuais e do Informe de Gestão, da

Leia mais

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM 1. C ontexto operacional A Bovespa Supervisão de Mercados BSM (BSM) criada em 16 de agosto de 2007 como uma associação civil sem finalidade lucrativa, em cumprimento ao disposto na regulamentação pertinente

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO CAPITAL SEGURO ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição,

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES 2 I. Finalidade A presente Política de Divulgação de Informações e de Negociação de Ações tem como finalidade estabelecer as práticas de divulgação

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DE CLUBE DE INVESTIMENTO GRUPOINVEST

ESTATUTO SOCIAL DE CLUBE DE INVESTIMENTO GRUPOINVEST ESTATUTO SOCIAL DE CLUBE DE INVESTIMENTO GRUPOINVEST I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O Clube de Investimento GRUPOINVEST, doravante designado simplesmente Clube constituído por número limitado de

Leia mais

VIVO PARTICIPAÇÕES S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.074/0001 73 NIRE 35.3.001.587 92 TELECOMUNICAÇÕES DE SÃO PAULO S.A. TELESP FATO RELEVANTE

VIVO PARTICIPAÇÕES S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.074/0001 73 NIRE 35.3.001.587 92 TELECOMUNICAÇÕES DE SÃO PAULO S.A. TELESP FATO RELEVANTE FATO RELEVANTE As administrações da Vivo Participações S.A. ( Vivo Part. ) e da Telecomunicações de São Paulo S.A. Telesp ("Telesp") (conjuntamente referidas como Companhias ), na forma e para os fins

Leia mais

Art. 2º A aquisição, de modo direto ou indireto, de ações de emissão da companhia, para permanência em tesouraria ou cancelamento, é vedada quando:

Art. 2º A aquisição, de modo direto ou indireto, de ações de emissão da companhia, para permanência em tesouraria ou cancelamento, é vedada quando: TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM Nº 10, DE 14 DE FEVEREIRO DE 1980, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº 268, DE 13 DE NOVEMBRO DE 1997 E Nº 390, DE 8 DE JULHO DE 2003. Dispõe sobre a

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA LE LIS BLANC DEUX COMÉRCIO E CONFECÇÕES DE ROUPAS S.A. I. PROPÓSITO

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA LE LIS BLANC DEUX COMÉRCIO E CONFECÇÕES DE ROUPAS S.A. I. PROPÓSITO POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA LE LIS BLANC DEUX COMÉRCIO E CONFECÇÕES DE ROUPAS S.A. I. PROPÓSITO Este Manual visa a consolidar as regras e procedimentos que devem ser observados

Leia mais

Aprovada na Reunião do Conselho de Administração de 10.05.2012. Sumário

Aprovada na Reunião do Conselho de Administração de 10.05.2012. Sumário POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES Aprovada na Reunião do Conselho de Administração de 10.05.2012 Sumário I. Finalidade... 3 II. Abrangência... 3 III. Divulgação de Informação

Leia mais

CAPÍTULO III - DA COMPOSIÇÃO E DIVERSIFICAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

CAPÍTULO III - DA COMPOSIÇÃO E DIVERSIFICAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO CAPÍTULO - DO FUNDO Artigo 1º O CAXA FUNDO MÚTUO DE PRVATZAÇÃO FGTS VALE DO RO DOCE CAXA FMP FGTS VALE DO RO DOCE, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é uma comunhão de recursos constituída sob

Leia mais

Relatório Anual 2003 Telefónica, S.A.

Relatório Anual 2003 Telefónica, S.A. Relatório Anual 2003 Telefónica, S.A. 00_ Dados Significativos 004 01_ Carta do Presidente 006 02_ Órgãos de Governo 010 03_ Informação Corporativa 012 03.01 Já somos cem milhões 014 03.02 Nosso centro:

Leia mais

HIGHLAND BRASIL GESTORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS. São Paulo, novembro de 2014

HIGHLAND BRASIL GESTORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS. São Paulo, novembro de 2014 HIGHLAND BRASIL GESTORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS São Paulo, novembro de 2014 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CAPÍTULO

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DA OPERAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA COMPANHIA ALAGOAS INDUSTRIAL CINAL PELA BRASKEM S.A. Que entre si celebram

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DA OPERAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA COMPANHIA ALAGOAS INDUSTRIAL CINAL PELA BRASKEM S.A. Que entre si celebram PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DA OPERAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA COMPANHIA ALAGOAS INDUSTRIAL CINAL PELA BRASKEM S.A. Que entre si celebram COMPANHIA ALAGOAS INDUSTRIAL - CINAL, sociedade por ações de capital fechado,

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO COPACABANA ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição, em

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA Invest Tur Brasil Desenvolvimento Imobiliário Turístico S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540 Rua Ramos Batista,

Leia mais

(c) promover, realizar ou orientar a captação, em fontes internas e externas, de recursos a serem aplicados pela Companhia ou pela sua controlada;

(c) promover, realizar ou orientar a captação, em fontes internas e externas, de recursos a serem aplicados pela Companhia ou pela sua controlada; RELATORIO DA ADMINISTRAÇÃO SENHORES ACIONISTAS, Atendendo às disposições legais e estatutárias, a Administração da TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. sociedade anônima de capital aberto, submete à apreciação

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da Estácio Participações S.A. 1. Propósito Este Manual visa a consolidar as regras e procedimentos que devem ser observados pelos (i) Administradores

Leia mais

Diretrizes de Governança Corporativa

Diretrizes de Governança Corporativa Diretrizes de Governança Corporativa DIRETRIZES DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA BM&FBOVESPA Objetivo do documento: Apresentar, em linguagem simples e de forma concisa, o modelo de governança corporativa da

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA BRASCAN RESIDENTIAL PROPERTIES S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA BRASCAN RESIDENTIAL PROPERTIES S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA BRASCAN RESIDENTIAL PROPERTIES S.A. I. PROPÓSITO 1.1 A presente Política visa a consolidar as regras e procedimentos que devem ser observados

Leia mais

BRASILAGRO COMPANHIA BRASILEIRA DE PROPRIEDADES AGRÍCOLAS CNPJ/MF n.º 07.628.528/0001-59

BRASILAGRO COMPANHIA BRASILEIRA DE PROPRIEDADES AGRÍCOLAS CNPJ/MF n.º 07.628.528/0001-59 BRASILAGRO COMPANHIA BRASILEIRA DE PROPRIEDADES AGRÍCOLAS CNPJ/MF n.º 07.628.528/0001-59 PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES APROVADO PELA ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DA BRASILAGRO COMPANHIA BRASILEIRA DE

Leia mais

Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante do BRB BANCO DE BRASÍLIA S.A. Companhia Aberta CNPJ 00.000.208/0001-00 NIRE 5330001430 CVM 01420-6

Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante do BRB BANCO DE BRASÍLIA S.A. Companhia Aberta CNPJ 00.000.208/0001-00 NIRE 5330001430 CVM 01420-6 Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante do BRB BANCO DE BRASÍLIA S.A. Companhia Aberta CNPJ 00.000.208/0001-00 NIRE 5330001430 CVM 01420-6 FINALIDADE 1. - São regulados pelas disposições da presente

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS-CEMIG COMPANHIA ABERTA CNPJ 17.155.730/0001-64 - NIRE 31300040127 ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO Ficam os senhores acionistas convocados para se reunirem

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE AÇÕES À VISTA PARA INVESTIDORES INSTITUCIONAIS

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE AÇÕES À VISTA PARA INVESTIDORES INSTITUCIONAIS CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE AÇÕES À VISTA PARA INVESTIDORES INSTITUCIONAIS Redecard S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF n.º 01.425.787/0001-04 Av. Andrômeda, 2.000, Bloco 10, Níveis 4

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTOS IMPACTO

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTOS IMPACTO ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTOS IMPACTO I Denominação e Objetivo Artigo 1º - O Clube de Investimento IMPACTO constituído por número limitado de membros que tem por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DA COPASA MG

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DA COPASA MG Companhia de Saneamento de Minas Gerais REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DA COPASA MG Adequado conforme Estatuto Social aprovado pela AGE de 28/03/2011 2 REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DA COPASA

Leia mais

GAS NATURAL SERVIÇOS S.A. ESTATUTO SOCIAL APROVADO NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DE 27.04.2012

GAS NATURAL SERVIÇOS S.A. ESTATUTO SOCIAL APROVADO NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DE 27.04.2012 GAS NATURAL SERVIÇOS S.A. ESTATUTO SOCIAL APROVADO NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DE 27.04.2012 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO DE DURAÇÃO E OBJETO SOCIAL. Artigo 1º - Sob a denominação

Leia mais

ENTENDENDO O PATRIMÔNIO LÍQUIDO

ENTENDENDO O PATRIMÔNIO LÍQUIDO ENTENDENDO O PATRIMÔNIO LÍQUIDO A interpretação introdutória ao estudo da riqueza patrimonial Anderson Souza 1 Na última quarta-feira (dia 14/03/2013), ao ministrar o conteúdo programático relativo ao

Leia mais

RESOLUCAO 2.689. Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e capitais.

RESOLUCAO 2.689. Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e capitais. RESOLUCAO 2.689 Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9. da Lei n. 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna

Leia mais

Relatório Anual. Espírito de Progresso

Relatório Anual. Espírito de Progresso Relatório Anual 2007 Queremos melhorar a vida das pessoas, facilitar o desenvolvimento dos negócios e contribuir para o progresso das comunidades onde operamos, proporcionando-lhes serviços inovadores

Leia mais

Manual da Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária

Manual da Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária Manual da Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária 09 de abril de 2013 ÍNDICE 1 - Mensagem da Administração 03 2 - Orientações para Participação nas Assembleias Gerais 2.1 Detentores de Ações 2.1.1.

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL DOC I CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO Art. 1º: SOCIALCRED S/A SOCIEDADE DE CRÉDITO AO MICROEMPREENDEDOR E À EMPRESA DE PEQUENO PORTE rege-se pelo presente estatuto social

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

CLARO TELECOM PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF n.º 07.043.628./0001-13 NIRE 35 3 003537 49

CLARO TELECOM PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF n.º 07.043.628./0001-13 NIRE 35 3 003537 49 ESTATUTO SOCIAL DE CLARO TELECOM PARTICIPAÇÕES S.A. CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, OBJETO, SEDE E DURAÇÃO Artigo 1º - Claro Telecom Participações S.A. é uma sociedade anônima que se rege por este Estatuto Social

Leia mais