Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas: Financeira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas: Financeira"

Transcrição

1

2

3

4

5 Diretoria Administrativo-Financeira Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas: Administrativa Gestão de pessoas Financeira

6 Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas administrativa, financeira e de gestão de pessoas; Definir e coordenar a aplicação de normas internas, portarias, gestão de contratos e serviços de licitações; Propor normas para acompanhamento, gestão e fiscalização de contratos, convênios e demais ajustes, de interesse do IPLANFOR; Coordenar o plano de aquisições, em articulação com as demais Diretorias; Coordenar o sistema de material e logística;

7 Assessorar o Superintendente do Instituto de Planejamento em sua área de atuação, elaborando relatórios mensais físicos e financeiros; Coordenar a execução e o acompanhamento orçamentário, contábil e financeiro; Acompanhar processos de pagamento junto a Secretaria Municipal de Finanças (SEFIN); Executar outras atividades correlatas.

8 Monitorar documentação Elaborar, fiscalizar contratos Programar e monitorar da frota de veículos Realizar inventário patrimonial Supervisionar serviços gerais

9 Realizar o inventário físico anual, conforme legislação vigente; Supervisionar a execução dos serviços gerais, compreendendo as atividades de protocolo, transporte, manutenção, zeladoria, limpeza, copa, manutenção de equipamentos e instalações; Monitorar e orientar o patrimônio e a distribuição do material no almoxarifado; Programar e monitorar as atividades de transporte, de guarda e manutenção de veículos, de acordo com as regulamentações específicas relativas à gestão da frota oficial; Enviar e acompanhar a documentação para o arquivo, de acordo com a legislação vigente e elaborar a tabela de temporariedade da documentação a ser arquivada periodicamente, e realizar a destinação de documentos inservíveis;

10 Elaborar, acompanhar e fiscalizar a execução dos contratos, convênios, prestação de serviços e outros instrumentos equivalentes em sua área de atuação; Analisar e monitorar o consumo de materiais e insumos do Instituto; Elaborar minutas de editais de licitação, dispensas e inexigibilidades; Monitorar a numeração dos editais de licitação, contratos, convênios, termos aditivos e outros instrumentos equivalentes, de interesse do IPLANFOR; Gerenciar as publicações do Diário Oficial do Municipal de interesse do IPLANFOR; Acompanhar e fiscalizar a execução dos contratos de prestação de serviços.

11 Tombar os bens do IPLANFOR e Identificar material inservível Organizar e manter atualizado o cadastro de fornecedores Atender requisições de materiais Elaborar inventário patrimonial Gerenciar, controlar patrimônio mobiliário e imobiliário

12 Gerenciar e executar as atividades de administração de material, de serviços e de controle do patrimônio mobiliário e imobiliário, inclusive dos bens cedidos do IPLANFOR Manter tombados e controlados os bens patrimoniais do Instituto, procedendo, quando necessário, as respectivas baixas; Identificar o material inservível ou em desuso do Instituto e encaminhá-lo à Equipe Central de Material e Patrimônio do órgão competente; Elaborar anualmente o inventário de bens patrimoniais, através de comissão nomeada pelo Superintendente;

13 Realizar balancetes periódicos dos inventários físicos do material estocados e elaborar levantamento estatístico de consumo anual para subsidiar a elaboração do orçamento; Garantir a todas as áreas do Instituto, os materiais necessários ao desempenho de suas funções e ao desenvolvimento de suas atividades; Dar cumprimento às normas relativas à guarda dos veículos e transportes utilizados no Instituto; Elaborar, em conjunto com as demais unidades, a previsão anual de material de uso coletivo;

14 Organizar e manter atualizado o cadastro de fornecedores; Implantar e executar o sistema de controle de suprimento do Instituto, de acordo com as normas estabelecidas pelos órgãos competentes; Atender as requisições de material dos diversos setores do Instituto, de acordo com as normas estabelecidas; Executar outras tarefas correlatas.

15 Providenciar a emissão de pedidos de empenho Elaborar e enviar balancetes mensais Programar, planejar e executar atividades financeira, contábil e orçamentária Movimentar contas bancárias Proceder a verificação de lançamentos contábeis

16 Planejar, programar, executar, controlar e avaliar as atividades relacionadas com a administração financeira, contábil e orçamentária, por meio de relatórios, empenhos e liquidações; Desenvolver as atividades relativas à administração financeira e orçamentária, com diretrizes estabelecidas pelo COGEFFOR e demais órgãos municipais competentes; Participar da elaboração da proposta orçamentária do Instituto e sua efetivação e respectiva execução financeira; Registrar, executar e acompanhar o registro dos atos e fatos ou outro documento de natureza contábil;

17 Acompanhar a execução financeira, elaborar a prestação de contas de convênios, acordos e instrumentos congênitos e realizar as tomadas de contas dos responsáveis pela execução do exercício financeiro. Elaborar e enviar balancetes mensais, balanço geral e prestação de contas para a Administração Pública Municipal, Câmara Municipal de Fortaleza, Tribunal de Contas dos Municípios e outros órgãos de controles; Elaborar e enviar balancetes mensais, balanço geral e prestação de contas para a Administração Pública Municipal, Câmara Municipal de Fortaleza, Tribunal de Contas dos Municípios e outros órgãos de controles;

18 Orientar as demais unidades do Instituto na instrução de processos de adiantamento para suprimento de fundos e na prestação de contas dos recursos consignados ao Instituto; Proceder a verificação, preparo e escrituração de documentos sujeitos a lançamentos contábeis, promovendo o controle da receita e das despesas; Manter informada a Diretoria, mediante análises e resumos gráficos, da situação econômico-financeira do Instituto;

19 Providenciar a emissão de pedidos de empenho do Instituto, acompanhando sua tramitação, em observância as normas e regulamentos classificados nas despesas orçamentárias; Movimentar contas bancárias, junto à Superintendência; Realizar processos de pagamento junto à Secretaria Municipal de Finanças - SEFIN; Exercer outras atividades correlatas.

20 Elaborar ordem bancária Processar restituição de saldo Pagamentos Acompanhamento bancário

21 Efetivar o pagamento de despesas, através de ordens bancárias, cheques nominais e outros documentos equivalentes com a observância dos empenhos e liquidações; Processar restituições de saldos não aplicados de suprimento de fundo, além de outras decorrentes de anulações de despesas; Acompanhar a movimentação financeira, através do sistema bancário, registrando o movimento de conta respectiva, de forma a evidenciar os saldos atualizados; Preparar boletins diários referentes à movimentação financeira das contas, bem como proceder às conciliações bancárias mensais.

22 Executar e controlar nomeação exoneração, admissão e demissão Benefícios Alocação de servidores Elaborar folha de pagamento de pessoal Capacitação Monitorar a Frequência

23 Realizar a gestão das atividades relacionadas com o desenvolvimento de pessoas nas áreas de capacitação mantendo atualizado o banco de dados de cursos dos servidores, para efeito do plano de cargos e salários, em matéria de sua competência, o cadastro funcional e financeiro dos servidores do Instituto; Executar e controlar as atividades de alocação, nomeação, exoneração, demissão, remoção, cessão, bem como redistribuição de pessoal disponível; Realizar a gestão de frequência, bem como escala de férias, utilização de folgas e readequação de horários de trabalho;

24 Gerenciar e monitorar atos de concessão de diárias, gratificações, licenças e demais formas de afastamento. Controlar e fornecer informações sobre a frequência dos servidores postos à disposição do Instituto; Providenciar mensalmente os vales transportes dos servidores; Encaminhar processo de concessão de direitos e vantagens dos servidores do Instituto, tais como: férias, salário-família, anuênio e aposentadoria ao órgão competente; Fornecer declarações e/ou certidões e demais documentos expedidos pelo IPLANFOR;

25 Encaminhar e acompanhar junto aos órgãos competentes processos de concursos e de seleção pública de pessoal, conforme legislação vigente, com a devida autorização do Superintendente da entidade; Informar a Relação Anual de Informação Social RAIS e Declaração do Imposto de Renda retido na fonte DIRF; Orientar os servidores e instruir processos sobre seus direitos, vantagens, deveres e responsabilidades dos servidores, bem como sobre outras questões pertinentes à legislação e políticas de pessoal submetendo-os quando necessário, à apreciação superior;

26 Executar toda rotina referente a administração de pessoal e elaborar a folha de pagamento e emitir a margem consignada solicitada pelo servidor; Realizar avaliação de desempenho no âmbito da entidade, fornecendo informações para fins de concessão de gratificações e ascensão funcional, segundo orientações do órgão competente; Identificar necessidades de treinamento para desenvolver competências essenciais à obtenção de resultados, solicitando ao órgão competente o atendimento à demanda, devendo, no caso de impossibilidade de atendimento pelo órgão competente, tomar as providências cabíveis;

27 Identificar e solicitar programas de formação, treinamento e aperfeiçoamento profissional do quadro de pessoal, de acordo com as diretrizes fixadas pelo órgão central competente; Zelar pelo cumprimento de horário de trabalho, controlando a freqüência do pessoal e registrando ocorrências, no controle de freqüência e mapa de contagem de tempo de serviço; Manter atualizado o cadastro funcional e financeiro dos servidores do Instituto; Exercer outras atividades correlatas.

28 SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO (R$) ALÍQUOTA INSS até 1.399,12 8% de 1.399,13 até 2.331,88 9% de 2.331,89 até 4.663,75 11% O valor máximo do INSS do segurado empregado é R$ 513,01

29 - : Base de Cálculo em R$ Até 1.868,22 De 1.868,23 até 2.799,86 De 2.799,87 até 3.733,19 De 3.733,20 até 4.664,68 Alíquota % 7,5 140, ,11 22,5 630,10 Acima de 4.664,68 27,5 863,33 Dedução por dependente: R$ 187,80 Parcela a Deduzir do Imposto em R$

30 Diretoria Administrativo Financeira: Conceição Cidrack Gerência Administrativa: Rosaura Holanda Gerência Financeira: Iêda Soares Gerência de Gestão de Pessoas: Káthia Cruz Chefe de Núcleo de Suprimento e Patrimônio: Joseline Veras Chefe de Núcleo de Tesouraria: Yvenee Borges Telefones:

DECRETO RIO Nº DE 30 DE JUNHO DE 2017 (PUBLICADO NO DO DE 03/07/2017) O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO RIO Nº DE 30 DE JUNHO DE 2017 (PUBLICADO NO DO DE 03/07/2017) O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, DECRETO RIO Nº 43378 DE 30 DE JUNHO DE 2017 (PUBLICADO NO DO DE 03/07/2017) Dispõe sobre a estrutura organizacional da Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro S.A. - RIOSAÚDE. O PREFEITO DA CIDADE DO

Leia mais

Função em Confiança ANALISTA TÉCNICO

Função em Confiança ANALISTA TÉCNICO Função em Confiança ANALISTA TÉCNICO Nível Anterior 15 Nível Atual 19 Requisitos: Diploma de Graduação reconhecido pelo MEC e inscrição no Conselho da Profissão, Descrição da Função: Prestar orientações

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 002, de 28 de fevereiro de 2000

RESOLUÇÃO n o 002, de 28 de fevereiro de 2000 RESOLUÇÃO n o 002, de 28 de fevereiro de 2000 Aprova Regimento da Assessoria Jurídica da FUNREI ASJUR O Presidente do Conselho Deliberativo Superior da Fundação de Ensino Superior de São João del-rei FUNREI,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE CATAGUASES

CÂMARA MUNICIPAL DE CATAGUASES LEI Nº 3.764/2009 Autoria: MESA DIRETORA DA CÂMARA Altera dispositivos e anexos da Lei Municipal nº 3.245, de 06 de novembro de 2003, que Dispõe sobre a Reorganização da Câmara Municipal de Cataguases

Leia mais

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO CARGO Assistente Operacional Assistente Administrativo PRÉ- REQUISITO completo completo TOTAL DE VAGAS VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA 01 R$ 1.813,45 40 horas 02 R$

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006 O MINISTRO DE ESTADO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da

Leia mais

Apresentação das Gerências Financeira e Contábil do CFO 2015/2016. Reunião de Diretoria CFO Convocada pela CI-01/2016)

Apresentação das Gerências Financeira e Contábil do CFO 2015/2016. Reunião de Diretoria CFO Convocada pela CI-01/2016) Apresentação das Gerências Financeira e Contábil do CFO 2015/2016 Reunião de Diretoria CFO Convocada pela CI-01/2016) GERÊNCIA FINANCEIRA E CONTÁBIL A Gerência Contábil e Financeira tem sob sua responsabilidade

Leia mais

MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA

MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA DESCRIÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR E DAS FUNÇÕES DE CONFIANÇA DENOMINAÇÃO DO CARGO: Professor FORMA DE PROVIMENTO: Ingresso por concurso público de provas e títulos. REQUISITOS PARA PROVIMENTO Para ingresso

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Departamento de Gestão de Pessoas

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Departamento de Gestão de Pessoas Quantidade Setor Local de Trabalho Horário de Trabalho 1 Programa de Pós-graduação em Biotecnologia - CCS Secretaria do Programa de Pósgraduação em Biotecnologia 8:00-12:00h 13:00-17:00h NÍVEL DE CLASSIFICAÇÃO:

Leia mais

SISTAFE SISTAFE SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO ESTADO. Criação: Lei 09/2002 Regulamentação: Decreto 23/2004

SISTAFE SISTAFE SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO ESTADO. Criação: Lei 09/2002 Regulamentação: Decreto 23/2004 SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO ESTADO Criação: Lei 09/2002 Regulamentação: Decreto 23/2004 1 Objectivos Estabelecer e harmonizar regras e procedimentos de programação, gestão, execução, controlo

Leia mais

QUADRO III ATRIBUIÇÕES DAS FUNÇÕES

QUADRO III ATRIBUIÇÕES DAS FUNÇÕES QUADRO III ATRIBUIÇÕES DAS FUNÇÕES ESTAGIÁRIO - ANALISTA DE RECURSOS HUMANOS Executar tarefas ligadas à área de Recursos Humanos de empresa. Participar do levantamento e análise de necessidade, executar

Leia mais

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Comunicação. Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº /06 e Nº

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Comunicação. Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº /06 e Nº - REGIMENTO INTERNO Secretaria de Comunicação Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº 12.659/06 e Nº 15.052 I - Secretaria Executiva: - assessorar o Secretário Municipal no exercício de suas atribuições;

Leia mais

Resolução nº 07 - CONSU, de 10 de julho de 2015.

Resolução nº 07 - CONSU, de 10 de julho de 2015. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI DIAMANTINA MINAS GERAIS www.ufvjm.edu.br Conselho Universitário (CONSU) Resolução nº 07 - CONSU, de 10 de julho de 2015.

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE LONDRINA Estado do Paraná

CÂMARA MUNICIPAL DE LONDRINA Estado do Paraná CÂMARA MUNICIPAL DE LONDRINA Estado do Paraná Descrição das atribuições dos cargos objeto do concurso público da Câmara Municipal de Londrina aberto por meio do Edital nº 01/2006, de acordo com o disposto

Leia mais

RESOLUÇÃO CRP-16 nº 002/2005

RESOLUÇÃO CRP-16 nº 002/2005 RESOLUÇÃO CRP-16 nº 002/2005 Cria o quadro organizacional do CRP-16 O Conselho Regional de Psicologia da 16.ª Região (ES) CRP-16, pelo seu I.ºPlenário, no exercício de suas atribuições legais e regimentais

Leia mais

ESTADO DA CEARÁ CÂMARA MUNICIPAL DE MAURITI EDITAL 002/2016

ESTADO DA CEARÁ CÂMARA MUNICIPAL DE MAURITI EDITAL 002/2016 ESTADO DA CEARÁ CÂMARA MUNICIPAL DE MAURITI EDITAL 002/2016 O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE MAURITI-CE torna pública a RETIFICAÇÃO ao Edital 001/2016, conforme especificações infra: ANEXO I Relação

Leia mais

Rede de SIBRATEC de Centros de Inovação em Equipamentos Médicos, Odontológicos e Hospitalares. Posições de trabalho para a Rede EMOH

Rede de SIBRATEC de Centros de Inovação em Equipamentos Médicos, Odontológicos e Hospitalares. Posições de trabalho para a Rede EMOH Posições de trabalho para a Rede EMOH A Rede SIBRATEC de Equipamentos Médicos, Odontológicos e Hospitalares (Rede EMOH) tem abertas as seguintes posições: Técnico para assuntos administrativos (1, período

Leia mais

Dos Serviços de Obras, Arquitetura, Engenharia e Tecnologia, Sanitária.

Dos Serviços de Obras, Arquitetura, Engenharia e Tecnologia, Sanitária. Dos Serviços de Obras, Arquitetura, Engenharia e Tecnologia, Sanitária. - Planejar, programar, executar, avaliar, capacitar, orientar e fiscalizar as atividades relacionadas à análise, avaliação e aprovação

Leia mais

SEÇÃO IV DA PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS

SEÇÃO IV DA PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS SEÇÃO IV DA PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS Art. 146 As competências da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis estão descritas no caput do art. 23 do Regimento da Reitoria. Art. 147 À Divisão de Apoio

Leia mais

CONHECENDO A UFRRJ: um olhar mais próximo da estrutura física, organizacional, funcional e cultural da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

CONHECENDO A UFRRJ: um olhar mais próximo da estrutura física, organizacional, funcional e cultural da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. CONHECENDO A UFRRJ: um olhar mais próximo da estrutura física, organizacional, funcional e cultural da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pósgraduação (PROPPG) Pró-Reitor:

Leia mais

SUMÁRIO. Finalidade...3. 1. Horário de Funcionamento do laboratório...3. 2. Competência dos Coordenadores de Cursos junto aos Laboratórios...

SUMÁRIO. Finalidade...3. 1. Horário de Funcionamento do laboratório...3. 2. Competência dos Coordenadores de Cursos junto aos Laboratórios... Instituto Superior de Educação de Barretos - ISEB Mantido pelo Centro de Educação e Idiomas de Barretos Autorizado pela Portaria 71 conforme DOU de 12/01/2005 Cursos: Pedagogia Reconhecido Portaria 663,

Leia mais

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 05/2012

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 05/2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário Viçosa, MG 36570-000 Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br RESOLUÇÃO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL Nº 01/201 7 CRESCER CONSULTORIAS

PROCESSO SELETIVO EDITAL Nº 01/201 7 CRESCER CONSULTORIAS ANEXO VI DAS ATRIBUIÇÕES GERAIS DOS CARGOS PERFIL DE COMPETÊNCIAS E DESEMPENHO CARGO ANALISTA / FUNÇÃO ANALISTA DE COOPERATIVISMO E MONITORAMENTO Missão do Cargo: Desenvolver atividades técnicas e prestar

Leia mais

ANEXO IV QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, POR CARGO ATRIBUIÇÕES

ANEXO IV QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, POR CARGO ATRIBUIÇÕES ANEXO IV QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, POR CARGO CARGO Auxiliar de Serviços Gerais I Merendeira I Fiscal de Obras e Edificações I ATRIBUIÇÕES Manter limpos os móveis, arrumar e manter limpos os locais de trabalho;

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regimento Interno da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação PROPE, anexo a esta Resolução.

Art. 1º Aprovar o Regimento Interno da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação PROPE, anexo a esta Resolução. RESOLUÇÃO N o 015, de 1º de junho de 2009. Aprova Regimento Interno da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROPE. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

Leia mais

ANEXO II MINUTA. Regulamenta as atribuições das unidades administrativas que integram a estrutura da Próreitoria de Planejamento Estratégico e Gestão.

ANEXO II MINUTA. Regulamenta as atribuições das unidades administrativas que integram a estrutura da Próreitoria de Planejamento Estratégico e Gestão. ANEXO II MINUTA PORTARIA UNESP Nº, DE DE DE 2018. Regulamenta as atribuições das unidades administrativas que integram a estrutura da Próreitoria de Planejamento Estratégico e Gestão. O Reitor da Universidade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 719, DE 20 DE SETEMBRO DE 2013

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 719, DE 20 DE SETEMBRO DE 2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 719, DE 20 DE SETEMBRO DE 2013 Altera dispositivos da Resolução n. 662-CONSUN, de 31 de março de 2009, que aprovou

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO SAAE DE MANACAPURU RETIFICAÇÃO 02 DO EDITAL 01/2018 DE 24 DE ABRIL DE 2018

CONCURSO PÚBLICO SAAE DE MANACAPURU RETIFICAÇÃO 02 DO EDITAL 01/2018 DE 24 DE ABRIL DE 2018 RETIFICAÇÃO 02 DO EDITAL 01/2018 DE 24 DE ABRIL DE 2018 MAYSA PINHEIRO MONTEIRO, Diretora Presidente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto da cidade de MANACAPURU - AM, no uso de suas atribuições, torna

Leia mais

Resolução SE 11, de

Resolução SE 11, de Resolução SE 11, de 17-2-2017 Altera a Resolução SE 52, de 9-8-2011, que dispõe sobre as atribuições dos integrantes das classes do Quadro de Apoio Escolar - QAE da Secretaria da Educação O Secretário

Leia mais

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Esportes e Lazer. Leis nº 6.529/05 e nº 6.551/06, Decretos nº /06, nº /06 e nº 16.

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Esportes e Lazer. Leis nº 6.529/05 e nº 6.551/06, Decretos nº /06, nº /06 e nº 16. - REGIMENTO INTERNO Secretaria de Esportes e Lazer Leis nº 6.529/05 e nº 6.551/06, Decretos nº 12.660/06, nº 12.979/06 e nº 16.385/15 I - Secretaria Executiva: - auxiliar e assessorar o Secretário Municipal

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 52.567, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015. (publicado no DOE n.º 183, de 24 de setembro de 2015) Dispõe sobre o

Leia mais

PORTARIA CAU/SP Nº 88, DE 28 DE MARÇO DE 2016

PORTARIA CAU/SP Nº 88, DE 28 DE MARÇO DE 2016 Amplia o número de cargos efetivos e comissionados, no âmbito do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo CAU/SP, e dá outras providencias. O Presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de

Leia mais

SAF.RG.01.02: REGULAMENTO INTERNO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS - SAF SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS

SAF.RG.01.02: REGULAMENTO INTERNO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS - SAF SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS REGULAMENTO INTERNO DOS SAF Preâmbulo Os Estatutos do ISEL, anexos ao Despacho n.º 5576/2010, publicados no Diário da República, 2.ª série, n.º 60, de 26 de março, enumeram, no n.º 1 do artigo 78.º, os

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP CAPÍTULO I DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SEUS FINS

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP CAPÍTULO I DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SEUS FINS Vice-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP CAPÍTULO I DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SEUS FINS Art. 1º O Núcleo de Inovação

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS AUXILIAR LEGISLATIVO (efetivo) - Cumprir as determinações das chefias superiores; - Realizar tarefas burocráticas auxiliares relativas ao expediente, finanças, pessoal,

Leia mais

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu LEI N o 3.829, DE 14 DE JUNHO DE 2011. Regulamenta os cargos de provimento efetivo e em comissão do quadro próprio de pessoal do FOZPREV Órgão Gestor do Regime próprio de previdência social dos servidores

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS REGULAMENTO DO PROGRAMA BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO EDUCACIONAL CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADE

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS REGULAMENTO DO PROGRAMA BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO EDUCACIONAL CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADE CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS REGULAMENTO DO PROGRAMA BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO EDUCACIONAL CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADE Art.1º- O presente Regulamento destina-se a fixar diretrizes

Leia mais

GRUPO SOLIDARIEDADE DA ASSOCIAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS APOSENTADOS DO PARANÁ

GRUPO SOLIDARIEDADE DA ASSOCIAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS APOSENTADOS DO PARANÁ GRUPO SOLIDARIEDADE DA ASSOCIAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS APOSENTADOS DO PARANÁ DA DEFINIÇÃO MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Art. 1 - O GRUPO SOLIDARIEDADE DA ASSOCIAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS APOSENTADOS DO PARANÁ

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE PARELHAS Palácio Severino da Silva Oliveira GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE PARELHAS Palácio Severino da Silva Oliveira GABINETE DO PREFEITO RESOLUÇÃO DO LEGISLATIVO Nº 005/2013, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013. A MESA DIRETORA DA CÂMARA MUNICIPAL DE PARELHAS RN, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES, CONFERIDAS PELO ART 35, INCISO IV DA LEI ORGÂNICA DESTE MUNICÍPIO,

Leia mais

DELIBERAÇÃO Nº 16 DE 16 DE DEZEMBRO DE 1991

DELIBERAÇÃO Nº 16 DE 16 DE DEZEMBRO DE 1991 DELIBERAÇÃO Nº 16 DE 16 DE DEZEMBRO DE 1991 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 63ª Reunião Extraordinária, realizada em 16

Leia mais

7 Conselho Regional de Economia da 9 a Região (Pará) Cidade de lotação: Belém/PA QUADRO DE VAGAS, SALÁRIOS, BENEFÍCIOS E JORNADA DE TRABALHO

7 Conselho Regional de Economia da 9 a Região (Pará) Cidade de lotação: Belém/PA QUADRO DE VAGAS, SALÁRIOS, BENEFÍCIOS E JORNADA DE TRABALHO 7 Conselho Regional de Economia da 9 a Região (Pará) Cidade de lotação: Belém/PA 103 Profissional Técnico Especializado PTE - Contador(a) (NS) R$ 1.550,71 1 20 106 Fiscal da Profissão do Economista FPE

Leia mais

Coordenar, anualmente, a elaboração de proposta orçamentária e o gerenciamento da execução financeira relativos às ações de gestão de pessoas;

Coordenar, anualmente, a elaboração de proposta orçamentária e o gerenciamento da execução financeira relativos às ações de gestão de pessoas; A Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoal PROGEP é responsável pela valorização e desenvolvimento do servidor, mediante a proposição de políticas e diretrizes de pessoal articuladas com a missão

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: TECNOLOGIA EM LOGISTICA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: TECNOLOGIA EM LOGISTICA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001308 - TECNOLOGIA EM LOGISTICA Nivel: Superior Area Profissional: GESTAO DA ADMINISTRACAO Area de Atuacao: LOGISTICA/GESTAO Planejar,

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP. Data de Vigência 06/01/2016 ORGANOGRAMA

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP. Data de Vigência 06/01/2016 ORGANOGRAMA Página 1 de 8 ARQ-GAD: POP ORGANOGRAMA ATRIBUIÇÕES Gerência de Administração 1. Assessorar a Diretoria Geral em assuntos relacionados ao planejamento, desenvolvimento, controle e avaliação da administração

Leia mais

PROPOSTA DE REGIMENTO INTERNO DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO ACADÊMICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

PROPOSTA DE REGIMENTO INTERNO DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO ACADÊMICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES PROPOSTA DE REGIMENTO INTERNO DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO ACADÊMICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º A Diretoria de Planejamento e Gestão Acadêmica é um órgão vinculado à Pró-reitoria

Leia mais

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 Revogada pela RMPC 2/11 O Procurador-Geral do Ministério Público de Contas, com fundamento direto nos artigos 32 e 119 da Lei Complementar nº 102, de 17 de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARANI. Praça Antônio Carlos, 10 Centro CEP: Guarani MG (32)

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARANI.   Praça Antônio Carlos, 10 Centro CEP: Guarani MG (32) LEI Nº. 829 DE 04 DE JULHO DE 2017. Altera o inciso II do Art. 1º, da Lei nº. 829/2.017, que cria cargos efetivos constantes do Quadro de Servidores, e dá outras providências. Art. 1 o O Arigo. I 01 (um)

Leia mais

ANEXO II REQUISITOS, ATRIBUIÇÕES E REMUNERAÇÕES DOS CARGOS CARGO/GRUPO ATRIBUIÇÕES REQUISITOS REMUNERA

ANEXO II REQUISITOS, ATRIBUIÇÕES E REMUNERAÇÕES DOS CARGOS CARGO/GRUPO ATRIBUIÇÕES REQUISITOS REMUNERA ANEXO II REQUISITOS, ATRIBUIÇÕES E REMUNERAÇÕES DOS CARGOS CARGO/GRUPO ATRIBUIÇÕES REQUISITOS REMUNERA Analista de Informática de Sistemas Codificar e manter aplicações e classes Executar análise, diagnóstico

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL PARA PG 012/04 GESTÃO DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS Página 2 de 7

PROCEDIMENTO GERENCIAL PARA PG 012/04 GESTÃO DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS Página 2 de 7 EQUIPAMENTOS Página 2 de 7 1 OBJETIVO Este procedimento estabelece os critérios básicos de suprimento e logística de materiais assim como as diretrizes para a armazenagem, preservação e manuseio de materiais

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA AO ESTUDANTE - FMAE CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2012 EDITAL RETIFICADO E CONSOLIADO N.º 02/2012, 15 DE MARÇO DE 2012.

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA AO ESTUDANTE - FMAE CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2012 EDITAL RETIFICADO E CONSOLIADO N.º 02/2012, 15 DE MARÇO DE 2012. CONCURSOPÚBLCON.º01/2012DAFUNDAÇÃOMUNCPALDEASSSTÊNCAAOESTUDANTE FMAE 1 / 5 PREFETURA MUNCPAL DE BELÉM/PA - PMB FUNDAÇÃO MUNCPAL DE ASSSTÊNCA AO ESTUDANTE - FMAE CONCURSO PÚBLCO N.º 01/2012 EDTAL RETFCADO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS ECONÔMICAS IEPE REGIMENTO INTERNO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS ECONÔMICAS IEPE REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS ECONÔMICAS IEPE REGIMENTO INTERNO Porto Alegre, julho de 2001 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE

Leia mais

LEI N 3.994, DE 18 DE MARÇO DE 2014.

LEI N 3.994, DE 18 DE MARÇO DE 2014. LEI N 3.994, DE 18 DE MARÇO DE 2014. FIA. Dispõe sobre o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PALHOÇA, Estado de Santa Catarina.

Leia mais

Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária

Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária REGIMENTO INTERNO RESOLUÇÃO Nº 002/2010-CC. Aprova o Regimento Geral da Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária O Presidente do Conselho Curador da Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão

Leia mais

Manual de Procedimentos ISGH Gestão de Viagens Página 1

Manual de Procedimentos ISGH Gestão de Viagens Página 1 Manual de Procedimentos ISGH Gestão de Viagens Página 1 ELABORAÇÃO Cristina Isidio Gracília dos Santos Gonçalves Tatiany Torres FORMATAÇÃO Silvânia Oliveira Teixeira DATA Estabelecido em 10/12/2013 Manual

Leia mais

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ESTRUTURA ORGANIZACIONAL LEI 12.527/2011 Lei de Acesso a Informação LAI SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Endereço: Av. Frei Serafim, nº 223 Centro Itapissuma CEP: 53700-000 Telefone:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009.

RESOLUÇÃO Nº CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI CONSU RESOLUÇÃO Nº. 16 - CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regimento interno da Diretoria de Relações Internacionais

Leia mais

SETOR DE PATRIMÔNIO E MATERIAL

SETOR DE PATRIMÔNIO E MATERIAL SETOR DE PATRIMÔNIO E MATERIAL Chefia Adjunta de Administração 07 de julho de 2010 Membros do setor: Atribuições do setor: Assessorar a Chefia Adjunta de Administração e as áreas técnicas e administrativas

Leia mais

Regimento da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação

Regimento da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO Regimento da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação Aprovado pela Resolução

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO ESPECIALIDADE: Manutenção de Hardware Requisitos: Ensino Médio completo com cursos de manutenção em microcompuadores. 1. Dar suporte técnico nos equipamentos de informática, recuperar, conservar e dar

Leia mais

P O R T A R I A N 009/2017

P O R T A R I A N 009/2017 P O R T A R I A N 009/2017 Estabelece as atribuições dos Funcionários da ALMAGIS. O PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO ALAGOANA DE MAGISTRADOS ALMAGIS, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, e: CONSIDERANDO

Leia mais

REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA

REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA Art. 1º - A Secretaria de Relações Institucionais SERIN, criada pela Lei nº 10.549, de 28 de dezembro de 2006, tem

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO Nº 01/2016

PROCESSO DE SELEÇÃO Nº 01/2016 PROCESSO DE SELEÇÃO Nº 01/2016 MATERNIDADE NASCER CIDADÃO O Diretor Executivo da FUNDAHC, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, comunica a realização de processo seletivo para os cargos abaixo

Leia mais

ANEXO I (Lei Municipal nº 2.759/2016) ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ADMINISTRATIVA DA CÂMARA MUNICIPAL DE DOMINGOS MARTINS

ANEXO I (Lei Municipal nº 2.759/2016) ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ADMINISTRATIVA DA CÂMARA MUNICIPAL DE DOMINGOS MARTINS ANEXO I (Lei Municipal nº 2.759/2016) ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ADMINISTRATIVA DA CÂMARA MUNICIPAL DE DOMINGOS MARTINS 1 - UNIDADE DE DIREÇÃO SUPERIOR - Tem a responsabilidade de dirigir e decidir sobre

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO -

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO - Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO - CAPÍTULO I Da Natureza, das Finalidades e dos Objetivos Art.

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 104, DE 18 DE ABRIL DE 2006.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 104, DE 18 DE ABRIL DE 2006. Situação: Vigente Portaria Nº 104, DE 18 DE ABRIL DE 2006 Publicado no Diário Oficial da União de 19/04/2006, Seção 1, Página 10 Ementa: Aprova o Regimento Interno dos Laboratórios Nacionais Agropecuários.

Leia mais

DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARGOS DOS SERVIDORES DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE XANGRI-LÁ - PREV- XANGRI-LÁ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARGOS DOS SERVIDORES DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE XANGRI-LÁ - PREV- XANGRI-LÁ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. www.leismunicipais.com.br LEI Nº 1771, DE 08/07/2015 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARGOS DOS SERVIDORES DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE XANGRI-LÁ - PREV- XANGRI-LÁ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO

Leia mais

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 24 de abril de 2014.

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 24 de abril de 2014. RESOLUÇÃO CAS Nº 04/2014 DISPÕE A CRIAÇÃO E REGULAMENTAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS CONTÁBEIS VINCULADO AO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DAS FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS FEMA. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

LEI N 885, DE 16 DE JULHO DE O POVO DE COMENDADOR LEVY GASPARIAN, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte lei:

LEI N 885, DE 16 DE JULHO DE O POVO DE COMENDADOR LEVY GASPARIAN, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte lei: LEI N 885, DE 16 DE JULHO DE 2015. Altera a Lei nº 010, de 12 de abril de 1993; altera Lei nº 626 de 12 de janeiro de 2009; cria a nova estrutura administrativa da Secretaria Municipal do Fazenda - SEFAZ,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº009/2013, de 02 de maio de 2013.

RESOLUÇÃO Nº009/2013, de 02 de maio de 2013. RESOLUÇÃO Nº009/2013, de 02 de maio de 2013. Estabelece atribuições administrativas, hierarquia, avaliação de eficiência, lotação e jornada de trabalho dos cargos do quadro de pessoal do CONSISA-VRT. SÉRGIO

Leia mais

Ministério da Educação. Universidade Federal de São Paulo ANEXO I REGIMENTO INTERNO DA COORDENADORIA DA REDE DE BIBLIOTECAS DA UNIFESP TÍTULO I

Ministério da Educação. Universidade Federal de São Paulo ANEXO I REGIMENTO INTERNO DA COORDENADORIA DA REDE DE BIBLIOTECAS DA UNIFESP TÍTULO I ANEXO I REGIMENTO INTERNO DA COORDENADORIA DA REDE DE BIBLIOTECAS DA UNIFESP TÍTULO I DEFINIÇÃO E FINALIDADE Art. 1º A Coordenadoria da Rede de Bibliotecas da UNIFESP (CRBU) é um órgão vinculado à Reitoria,

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE IBIPORÃ Estado do Paraná

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE IBIPORÃ Estado do Paraná EDITAL Nº 026/2016 R E T I F I C A Ç Ã O Nº 02 E D I T A L D E C O N C U R S O P Ú B L I C O Nº 005/2016 ANEXO I O Prefeito do Município de Ibiporã, no uso de suas atribuições legais, mediante as condições

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAPETINGA PLANO DE CARGOS,CARREIRAS E REMUNERAÇÃO TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO ANEXO IV ART.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAPETINGA PLANO DE CARGOS,CARREIRAS E REMUNERAÇÃO TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO ANEXO IV ART. 1 Carreira de Professor de Educação Básica 1.1 Exercer a docência na educação básica, em unidade escolar, responsabilizando-se pela regência de turmas, pela orientação de aprendizagem na educação de jovens

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NO ESTADO DO TOCANTINS CORE-TO ORGANOGRAMA

CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NO ESTADO DO TOCANTINS CORE-TO ORGANOGRAMA ORGANOGRAMA Nota Explicativa do Organograma Plenária do Conselho Reunião dos conselheiros em exercício, para discursão das matérias constantes na ordem do dia e para assuntos gerais, reúne-se ordinariamente,

Leia mais

Universidade Estadual de Ponta Grossa Pró-Reitoria de Recursos Humanos

Universidade Estadual de Ponta Grossa Pró-Reitoria de Recursos Humanos I AUXILIAR ADMINISTRATIVO Ensino Médio - Completo Salário R$ 1384,56 Taxa de inscrição R$ 120,00 1. Executar serviços de apoio nas áreas de recursos humanos, administração, finanças e outras de interesse

Leia mais

COMISSÃO INTEGRANTE DOS ASSISTENTES DE ADMINISTRAÇÃO DA PREFEITURA DO MUNÍCIPIO DE JUNDIAI.

COMISSÃO INTEGRANTE DOS ASSISTENTES DE ADMINISTRAÇÃO DA PREFEITURA DO MUNÍCIPIO DE JUNDIAI. Ofício nº 031/2017/SSPMJ Jundiaí, 02 de Fevereiro de 2017. Ilmo. Sr. Secretário Municipal de Administração e Gestão de Pessoas Secretário Municipal da Casa Civil SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO

Leia mais

FUNDO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE APARECIDA DE GOIÂNIA APARECIDAPREV. EDITAL 001/2017

FUNDO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE APARECIDA DE GOIÂNIA APARECIDAPREV. EDITAL 001/2017 1 FUNDO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE APARECIDA DE GOIÂNIA APARECIDAPREV EDITAL 001/2017 CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NOS CARGOS DO QUADRO PERMANENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE APARECIDA

Leia mais

ANEXO II (artigo 26) QUADRO DE CARGOS EM COMISSÃO E FUNÇÕES GRATIFICADAS

ANEXO II (artigo 26) QUADRO DE CARGOS EM COMISSÃO E FUNÇÕES GRATIFICADAS ANEXO II (artigo 26) CARGO: Assessor Jurídico - CC-5 ou FG-5 SÍNTESE DOS DEVERES: execução, coordenação e controle das atividades jurídicas da câmara, competindo-lhe pronunciar-se sobre toda a matéria

Leia mais

DECRETO Nº DE 16 DE FEVEREIRO DE 1998

DECRETO Nº DE 16 DE FEVEREIRO DE 1998 DECRETO Nº 19.520 DE 16 DE FEVEREIRO DE 1998 Aprova o Estatuto da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba - FAPESQ, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA PARAIBA, no uso das atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 02/2006, DE 08 DE JUNHO DE Aprova o Regimento da Auditoria-Geral da UFMG, e revoga a Resolução n o 08/85, de 14 de junho de 1985

RESOLUÇÃO N o 02/2006, DE 08 DE JUNHO DE Aprova o Regimento da Auditoria-Geral da UFMG, e revoga a Resolução n o 08/85, de 14 de junho de 1985 RESOLUÇÃO N o 02/2006, DE 08 DE JUNHO DE 2006 Aprova o Regimento da Auditoria-Geral da UFMG, e revoga a Resolução n o 08/85, de 14 de junho de 1985 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS

Leia mais

2009, que criou o Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema

2009, que criou o Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema &00t06dfu> t-sracã&zczcaí Ze&táipa RESOLUÇÃO 214, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2015 Dispõe sobre a organização e o funcionamento dos Grupos de Monitoramento e Fiscalização (GMF) nos Tribunais de Justiça dos Estados,

Leia mais

Câmara Municipal de Castro

Câmara Municipal de Castro PROJETO DE LEI N 179/2013 (LEI Nº...) SUMULA: Altera a Lei nº 1.538/2006, que institui a Guarda Municipal e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE CASTRO, LEI CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

LEI N DE 02 DE ABRIL DE 2019.

LEI N DE 02 DE ABRIL DE 2019. LEI N 3.424 DE 02 DE ABRIL DE 2019. Reajusta os valores dos salários dos Servidores Efetivos e Comissionados da Câmara Municipal de Currais Novos e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE CURRAIS

Leia mais

CONSIDERANDO a Constituição da República Federativa do Brasil, nos artigos 197 e 199;

CONSIDERANDO a Constituição da República Federativa do Brasil, nos artigos 197 e 199; Resolução COFEN 292 / 2004 O Conselho Federal de Enfermagem, no uso de suas atribuições a que alude a Lei nº 5.905/73 e a Lei 7.498/86, e tendo em vista deliberação do Plenário em sua reunião ordinária

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COORDENADORIA DE TESOURARIA GERAL - CTG

REGIMENTO INTERNO DA COORDENADORIA DE TESOURARIA GERAL - CTG REGIMENTO INTERNO DA COORDENADORIA DE TESOURARIA GERAL - CTG COORDENADORIA DE TESOURARIA GERAL CTG REGIMENTO INTERNO RI CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 o. Estabelecer normas, critérios e procedimentos

Leia mais

ANEXO III ATRIBUIÇÕES PARA CADA CARGO ÁREA DE SAÚDE

ANEXO III ATRIBUIÇÕES PARA CADA CARGO ÁREA DE SAÚDE ANEXO III ATRIBUIÇÕES PARA CADA CARGO ÁREA DE SAÚDE TÍTULO DO CARGO: Assistente Social Orientar os usuários da UPA quanto a seus direitos e encaminhá-los aos órgãos competentes quando necessário; Providenciar

Leia mais

REGULAMENTO DO IESP-UERJ Instituto de Estudos Sociais e Políticos IESP-UERJ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO IESP-UERJ Instituto de Estudos Sociais e Políticos IESP-UERJ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO IESP-UERJ Instituto de Estudos Sociais e Políticos IESP-UERJ Anexo ao Ato Executivo de Decisão Administrativa n.º 031 de 26de julho de 2010 TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Ato

Leia mais

LEI MUNICIPAL N.º 1431/2007 DE 01 DE OUTUBRO DE 2007.

LEI MUNICIPAL N.º 1431/2007 DE 01 DE OUTUBRO DE 2007. LEI MUNICIPAL N.º 1431/2007 DE 01 DE OUTUBRO DE 2007. Altera redação do artigo 24, Extingue e Cria Cargos da Lei Municipal N : 1.413/2007, de 06/08/2007. JORGE LUIZ WILHELM, Prefeito Municipal de Três

Leia mais

EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2009 DE 04 DE DEZEMBRO DE 2009 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2009 DE 04 DE DEZEMBRO DE 2009 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2009 DE 04 DE DEZEMBRO DE 2009 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS: 1. executar trabalhos de limpeza e conservação, em geral, nas dependências internas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMEIRA DOS ÍNDIOS CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO COORDENAÇÃO DE CONTROLE INTERNO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMEIRA DOS ÍNDIOS CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO COORDENAÇÃO DE CONTROLE INTERNO ANEXO ÚNICO PLANO ANUAL DE AUDITORIA INTERNA 2018 MESES Janeiro a Janeiro a maio e novembro Estruturação da Unidade Central de Controle Interno responsável pelo Sistema de Controle Interno, dotando-a de

Leia mais

Proposta de elaboração de Regimento Interno para as Comissões Especiais

Proposta de elaboração de Regimento Interno para as Comissões Especiais Atualizado em 06.12.2013 Proposta de elaboração de Regimento Interno para as Comissões Especiais CAPITULO I Da Natureza e Finalidade Com o intuito de contribuir com os coordenadores de Comissões Especiais

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÍRA SP PROCESSO SELETIVO EDITAL 001/2017

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÍRA SP PROCESSO SELETIVO EDITAL 001/2017 PRIMEIRA RETIFICAÇÃO A Prefeitura Municipal de Guaíra, Estado de São Paulo, torna público que realizará por meio do INSTITUTO EXCELÊNCIA LTDA - ME, na forma prevista no artigo 37, inciso IX, da Constituição

Leia mais

PORTARIA Nº 2.164, 30 de Setembro de Aprova o Regimento Interno da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos.

PORTARIA Nº 2.164, 30 de Setembro de Aprova o Regimento Interno da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos. PORTARIA Nº 2.164, 30 de Setembro de 2011 Aprova o Regimento Interno da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos. O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições que lhes

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Câmpus de São Paulo REGIMENTO INTERNO

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Câmpus de São Paulo REGIMENTO INTERNO REGIMENTO INTERNO DIRETORIA TÉCNICA DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO INSTITUTO DE ARTES CAPÍTULO I - Da Biblioteca e seus fins Artigo 1º - A Biblioteca do Instituto de Artes da UNESP (BIA) denominada Biblioteca

Leia mais

PROPOSTA DE REESTRUTURAÇÃO ORGANIZACIONAL DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS

PROPOSTA DE REESTRUTURAÇÃO ORGANIZACIONAL DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS ANEXO DA RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº /2012 PROPOSTA DE REESTRUTURAÇÃO ORGANIZACIONAL DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS Junho de 2012 Reestruturação Organizacional A Reestruturação Organizacional e o

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE COLATINA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

CÂMARA MUNICIPAL DE COLATINA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS 01. AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS Descrição Sintética: Executar serviços de limpeza, arrumação e conservação dos próprios públicos, bem como auxiliar no preparo de alimentação

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 6/2013 R E S O L U Ç Ã O CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

RESOLUÇÃO N.º 6/2013 R E S O L U Ç Ã O CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL RESOLUÇÃO N.º 6/2013 Regulamenta a estrutura organizacional da Câmara Municipal de Agudo - RS. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE AGUDO. FAÇO SABER, em cumprimento ao disposto nos artigos 46, I da Lei

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 21 DE 10 DE DEZEMBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 21 DE 10 DE DEZEMBRO DE 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CONSELHO UNIVERSITÁRIO - CONSUNI Secretaria dos Órgãos Colegiados Superiores (Socs) Bloco IV, Segundo Andar, Câmpus de Palmas (63) 3232-8067 (63) 3232-8238 socs@uft.edu.br

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA outubro/2010

Leia mais

MANUAL DE PESSOAL. Regulamentar a concessão, fixar critérios e estabelecer procedimentos a serem observados no fornecimento de Vale-Transporte.

MANUAL DE PESSOAL. Regulamentar a concessão, fixar critérios e estabelecer procedimentos a serem observados no fornecimento de Vale-Transporte. MÓD : 25 CAP : 1 EMI: 07.03.91 10 ª ROD VIG: 27.03.91 1 MÓDULO 25: VALE-TRANSPORTE CAPÍTULO 1: APRESENTAÇÃO 1. FINALIDADE Regulamentar a concessão, fixar critérios e estabelecer procedimentos a serem observados

Leia mais

NORMA DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS NORMATIVOS - NOR 101

NORMA DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS NORMATIVOS - NOR 101 ASSUNTO: Elaboração de Instrumentos Normativos MANUAL DE ORGANIZAÇÃO APROVAÇÃO: Deliberação DIREX nº 25, de 12/05/2016 COD. VIGÊNCIA: 100 12/05/2016 NORMA DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS 1/10 SUMÁRIO 1 FINALIDADE...

Leia mais