VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL"

Transcrição

1 VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL 1

2 Quadro Institucional Estratégias : Até 22 Sanitarização da abordagem Depois de 22 Multisectorialidade e Descentralização Prevalência do VIH (%), em adultos dos anos, por País. ONUSIDA, 25. Portugal Brasil USA Espanha Cabo Verde Senegal Angola G. Bissau Moçambique Africa Sul

3 VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL Taxa de Prevalência do VIH. Cabo Verde, IDSR II, 25 R.Santia Praia Santiag C.Verde,8,9 1,2 1,7,5 1 1,5 2 % VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL Taxa de Seroprevalencia do VIH, por Sexo. Cabo Verde, 25 1,5 1,1 % 1,5,4 masculino feminino 3

4 Casos de VIH notificado por sexo Ano 1987 Casos de VIH notificado por sexo Ano 26 Homem % Mulher % Homem % Mulher % Casos Cumulativos de VIH notificados por sexo Cabo Verde, N/Especif % Mulher % Homem % 4

5 VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL Taxa de Seroprevalencia do VIH, por Grupo Etário. Cabo Verde, 25. Fonte INE, 25. 2,5 2 1,5 % 1, Grupo VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL Taxa de Seroprevalencia do VIH, por Zona. Cabo Verde, 25 1,8,6,4,2,9 urbano rural,6 5

6 Evolução do Nº de casos da infecção VIH e de SIDA por ano Cabo Verde, VIH SIDA 25 Nº de casos Casos e Óbitos de Sida Cabo Verde, Casos Óbitos 1 Nº de casos

7 PVVIH 1.5 Casos de SIDA Nos últimos anos /ano Em tratamento 348 pacientes Óbitos De 6 para 4-5 óbitos nos dois últimos anos Pacientes avaliados e com TARV (cumulativo) Avaliados (cumulativo) a) Tratamento (cumulativo) b) a) 131 Crianças b) 26 Crianças 7

8 VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL Comportamento O IDSR II-25: Informação veiculada Chega a quase toda a população em risco (99,8% das mulheres e 94,8% dos homens). VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL Prática de Sexo de Alto Risco. Cabo Verde, IDSR II, ,8 % 5 43,4 Mas. Fem Pop. Geral 8

9 VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL Utilização da Camisinha na Prática de Sexo de Alto Risco.Cabo Verde, IDSR II, 25 % ,7 55,8 72,3 45,8 Mas. Fem Pop. Geral VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL Evolução da Utilização da Camisinha. Cabo Verde, IDSR, ,3 % ,8 Mas. Fem. IDSR I IDSR II 9

10 VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL Prática de Sexo com PS. Cabo Verde, IDSR II, 25 % ,9 4, Pop. Geral VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL 2 ou Mais Parceiros não Regulares. Cabo Verde, IDSR II, 25 % Mas. 2,4 Fem. 4,

11 VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL Idade da 1ª Relação Sexual (mediana). Cabo Verde, IDSR,25. Idade (anos) ,3 16, ,3 Mas. Fem. 14 IDSR I IDSR II NOVO PLANO ESTRATÉGICO 11

12 4 ÁREAS PRIORITÁRIAS E OBJECTIVOS 1. Prevenção global da transmissão do VIH Reduzir a propagação sexual e pela via sanguínea do VIH, assegurando o Acesso Universal aos Meios de Prevenção; ÁREAS PRIORITÁRIAS E OBJECTIVOS 2. Qualidade de vida das pessoas infectadas e afectadas pelo VIH/SIDA. Melhorar a Qualidade de Vida das Pessoas Infectadas e Afectadas pelo VIH/SIDA, assegurando o Acesso Universal aos Tratamentos e aos Cuidados 12

13 ÁREAS PRIORITÁRIAS E OBJECTIVOS 3. Implicação dos sectores público, privado e da sociedade civil, em geral, na implementação do PMLS. Reforçar a participação de outros ministérios, além do da Saúde, dos Municípios, das Associações Comunitárias, das ONG s e dos privados na Implementação do PMLS ÁREAS PRIORITÁRIAS E OBJECTIVOS 4. Gestão e Coordenação do PMLS (informação estratégica / Seguimento & avaliação e financeira). Assegurar a Gestão e a Coordenação da Resposta Nacional Multi-sectorial ao VIH/SIDA, no Respeito pelos Três Princípios 13

14 RESULTADOS ESPERADOS Resultados Esperados/Objectivos 1. Prevenir a transmissão sexual do VIH e de outras IST Aumentar de 12% para 8% até 21, a percentagem da população geral incluindo os grupos de alto risco que efectuou um teste de VIH e que conhece o seu estatuto serológico. Assegurar até 21 um diagnóstico e um atendimento correctos de pelo menos 8% dos casos IST na população geral e nos grupos de riscos. Aumento de utilização dos preservativos, para os jovens de anos, aquando da última relação sexual com um parceiro não regular, para 9 %. 14

15 Resultados Esperados/Objectivos 2. Prevenir a transmissão vertical do VIH Aumentar de 13% para 8% até 21, a percentagem de grávidas que beneficiaram de um aconselhamento e despistagem do VIH. Aumentar de 8% para 1%, a proporção de grávidas detectadas seropositivas que completaram o protocolo ARV com vista à PTV. Resultados Esperados/Objectivos 3. Prevenir a transmissão pela via sanguínea do VIH e de outras infecções transmitidas por esta via Aumentar de 35% para 7% até 21, a percentagem de doadores de sangue benévolos fidelizados. Manter em 1% até 21, a percentagem de unidades de sangue de transfusões que tenham sido objecto de despistagem das infecções transmitidas pelo sangue (VIH, Hepatites B e C, Sífilis). Pelo menos 8% dos UDI, dos PS e de outras populações de risco conhecem o seu estatuto serológico. 15

16 Resultados Esperados/Objectivos 4. Assegurar o atendimento médico e psicossocial das PVVIH, assegurando o acesso universal aos tratamentos e aos cuidados Aumentar de 3% para 7%, a proporção de pessoas (adultos e crianças) infectadas pelo VIH que beneficiam de um acompanhamento médico e psicossocial regular. Aumentar de 88% para 95%, a taxa de aderência das pessoas que vivem com o VIH/SIDA aos tratamentos por ARV. Resultados Esperados/Objectivos 5. Reduzir o impacto socio-económico do VIH/SIDA nas pessoas infectadas ou afectadas De 26 a 21 aumentar para 9% o número de PVVIH-SIDA elegíveis, que beneficiam de um apoio nutricional. De 26 a 21 aumentar para 8% o número de PVVIH-SIDA elegíveis, que beneficiam de um apoio AGR. De 26 a 21 aumentar para 9% o número de órfãos e de outras crianças vulneráveis elegíveis, que beneficiam de um apoio escolar. De 26 a 21 aumentar para 9% o número de órfãos e de outras crianças vulneráveis elegíveis, que beneficiam de um apoio para a formação profissional. 16

17 Resultados Esperados/Objectivos 6. Implicar outros Ministérios, que não o da Saúde, os Municípios e as empresas públicas, na resposta ao VIH-SIDA De 26 a 28, aumentar para 1% os Ministérios e os Municípios que terão um programa de luta contra a SIDA funcional. De 26 a 28, aumentar para 9% as empresas públicas elegíveis que terão um programa de luta contra a SIDA funcional. Resultados Esperados/Objectivos 7. Reforçar a participação das associações e das ONG s a nível comunitário De 26 a 27, ter pronto um levantamento de associações e ONG a nível nacional com vocação para intervir no processo de luta contra o VIH-SIDA, nas suas diferentes vertentes. 17

18 Resultados Esperados/Objectivos 8. Promover a criação de associações das PVVH- SIDA De 26 a 28, deve ser criada nos Municípios da Praia, Sta. Catarina, S. Vicente e Fogo pelo menos uma associação de apoio às PVVIH-SIDA. Até 21 as associações de apoio às PVVIH-SIDA estarão implicadas e operacionais na implementação do PMLS. MUITO OBRIGADO! 18

HIV/AIDS and the road transport sector

HIV/AIDS and the road transport sector Apresentação 1 HIV/AIDS and the road transport sector VIH e SIDA e o sector do transporte rodoviário Compreender o VIH e a SIDA VIH e SIDA VIH: Vírus da Imunodeficiência Humana SIDA: Síndrome da Imunodeficiência

Leia mais

Instituto t Nacional de Estatística

Instituto t Nacional de Estatística Apresentação dos Resultados Definitivos do Recenseamento Geral da População e Habitação - RGPH 2010 - Instituto t Nacional de Estatística tí ti CABO VERDE Gabinete do Censo Resultados definitivos do RGPH

Leia mais

Médicos do Mundo Prevenção do VIH para pessoas que vivem com VIH

Médicos do Mundo Prevenção do VIH para pessoas que vivem com VIH Médicos do Mundo Prevenção do VIH para pessoas que vivem com VIH Mwivano Victoria Malimbwi Intervenções de prevenção para pessoas que vivem com VIH Alargamento de programas de prestação de cuidados e tratamento

Leia mais

Intervenção dos Centros de Aconselhamento e Deteção Precoce do VIH, Cuidados de Saúde Primários e Urgências na implementação do diagnóstico,

Intervenção dos Centros de Aconselhamento e Deteção Precoce do VIH, Cuidados de Saúde Primários e Urgências na implementação do diagnóstico, do VIH, Cuidados de Saúde Primários e Urgências na implementação do diagnóstico, estratégia e implementação dos testes do VIH, Cuidados de Saúde Primários e Urgências na implementação do diagnóstico, estratégia

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DE LUTA CONTRA A SIDA (2006-2010)

PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DE LUTA CONTRA A SIDA (2006-2010) PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DE LUTA CONTRA A SIDA (2006-2010) Praia, Junho de 2006 1 II PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DE LUTA CONTRA O VIH-SIDA EM CABO VERDE (2006-2010) ÍNDICE CAPÍTULO I: INTRODUÇÃO GERAL

Leia mais

Estratégia da ONUSIDA para : Acelerar o financiamento para pôr fim à SIDA

Estratégia da ONUSIDA para : Acelerar o financiamento para pôr fim à SIDA Estratégia da ONUSIDA para 2016-2020: Acelerar o financiamento para pôr fim à SIDA www.itcilo.org INTRODUÇÃO Estratégia global orientar e apoiar a resposta à SIDA, a nível global e assente em princípios

Leia mais

Relatório Semana das Hepatites 2015

Relatório Semana das Hepatites 2015 1 Semana da Prevenção, Rastreio e Literacia sobre Hepatites Virais O GAT organizou uma ação conjunta com a sociedade civil durante a semana de 27 a 31 de julho, para assinalar o dia mundial das hepatites

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE CENTRO NACIONAL DE ENDEMIAS. Programa Nacional de Luta Contra o SIDA MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO/

MINISTÉRIO DA SAÚDE CENTRO NACIONAL DE ENDEMIAS. Programa Nacional de Luta Contra o SIDA MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO/ REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE S. TOMÉ E PRÍNCIPE MINISTÉRIO DA SAÚDE CENTRO NACIONAL DE ENDEMIAS Programa Nacional de Luta Contra o SIDA MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO/ EVOLUÇÃO DOS DADOS EPIDEMIOLÓGICOS 2005 a

Leia mais

Questionário. Para a concretização dos objectivos referidos, solicita-se a sua colaboração no preenchimento do seguinte questionário.

Questionário. Para a concretização dos objectivos referidos, solicita-se a sua colaboração no preenchimento do seguinte questionário. Questionário Eu, Sónia Manuela da Silva Pinto, aluna do 4º ano da Licenciatura em Enfermagem da Universidade Fernando Pessoa, encontro-me a realizar uma investigação Conhecimentos e Comportamentos face

Leia mais

e Habitação RGPH 2010

e Habitação RGPH 2010 Instituto t Nacional de Estatística tí ti Gabinete do Recenseamento Geral da População e Habitação RGPH 2010 Resultados preliminares do recenseamento Praia, 24 de Setembro de 2010 População de cabo Verde

Leia mais

PORTUGAL. 1. Contexto Nacional

PORTUGAL. 1. Contexto Nacional PORTUGAL 1. Contexto Nacional Portugal tem uma área de 92.117,5 Km2. A população residente em Portugal referenciada ao dia 21 de Março de 2011 era de 10 561 614 habitantes, tendo-se registado um agravamento

Leia mais

Epidemia de VIH nos países de língua oficial portuguesa

Epidemia de VIH nos países de língua oficial portuguesa Epidemia de VIH nos países de língua oficial portuguesa Situação atual e perspectivas futuras rumo ao acesso universal à prevenção, tratamento e cuidados Epidemia de VIH nos países de língua oficial portuguesa

Leia mais

VIH e SIDA: Uma visão geral da epidemia e da importância da ação no mundo do trabalho

VIH e SIDA: Uma visão geral da epidemia e da importância da ação no mundo do trabalho VIH e SIDA: Uma visão geral da epidemia e da importância da ação no mundo do trabalho www.itcilo.org PORQUÊ DEBATER O VIH E A Afetam a faixa etária mais produtiva e economicamente ativa. É difícil conhecer

Leia mais

Unidades Móveis de Saúde

Unidades Móveis de Saúde Saúde Comunitária Unidades Móveis de Saúde Enfª Maria Teresa Antunes 2009 Metodologia : Projectos de intervenção comunitária utilizando como meio de acessibilidade Unidades Móveis de Saúde: Lisboa - 3

Leia mais

Questionário. O tempo previsto para o preenchimento do questionário é de 10 minutos.

Questionário. O tempo previsto para o preenchimento do questionário é de 10 minutos. Questionário Rita Mafalda Rodrigues de Matos, a frequentar o 4º ano da Licenciatura em Enfermagem da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa, encontra-se a elaborar o Projecto de

Leia mais

A SITUAÇÃO SOBRE OS CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE E A LEGISLAÇÃO RELACIONADA. Maputo, Dezembro de 2015

A SITUAÇÃO SOBRE OS CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE E A LEGISLAÇÃO RELACIONADA. Maputo, Dezembro de 2015 MINISTÉRIO DO GÉNERO, CRIANÇA E ACÇÃO SOCIAL A SITUAÇÃO SOBRE OS CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE E A LEGISLAÇÃO RELACIONADA Maputo, Dezembro de 2015 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1. Introdução; 2. Situação

Leia mais

DIA MUNDIAL DA SIDA ANOS DE VIH/SIDA NA RAM

DIA MUNDIAL DA SIDA ANOS DE VIH/SIDA NA RAM 1. EVOLUÇÃO DOS CASOS PELO ANO DO DIAGNÓSTICO E ESTADIO INICIAL DA INFEÇÃO, RAM, 1987-2013 PA: 255 (45 %); SIDA: 164 (29 %); CRS: 145 (26 %); IAG: 3 (1%). TOTAL: 567 2. N.º DE CASOS POR GRUPO ETÁRIO E

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO PARA A PREVENÇÃO DA INFECÇÃO VIH / SIDA 2007 / 2010 REGIÃO DE SAÚDE DE LISBOA E VALE DO TEJO

PLANO DE ACÇÃO PARA A PREVENÇÃO DA INFECÇÃO VIH / SIDA 2007 / 2010 REGIÃO DE SAÚDE DE LISBOA E VALE DO TEJO PLANO DE ACÇÃO PARA A PREVENÇÃO DA INFECÇÃO VIH / SIDA 27 / 21 REGIÃO DE SAÚDE DE LISBOA E VALE DO TEJO Manuela Lucas Com a colaboração de: Ana Cristina Neves Eduardo Magalhães Lina Guarda Maria João Barros

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - MULHER VIH POSITIVO

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - MULHER VIH POSITIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Após inscrição no estudo, os participantes devem preencher este questionário de avaliação inicial. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado. Após o

Leia mais

Quadro Catalisador para Pôr Termo à SIDA, Tuberculose e Eliminar a Malária em África até 20130

Quadro Catalisador para Pôr Termo à SIDA, Tuberculose e Eliminar a Malária em África até 20130 Quadro Catalisador para Pôr Termo à SIDA, Tuberculose e Eliminar a Malária em África até 20130 Introdução O quadro catalisador para pôr termo à SIDA, tuberculose e eliminar a malária em África até 2030

Leia mais

Percentagem de escolas que são gratuitas, desagregadas por ano (*)

Percentagem de escolas que são gratuitas, desagregadas por ano (*) Indicadores globais propostos Objetivo 4. Garantir uma educação inclusiva e equitativa de qualidade e promover as oportunidades de aprendizagem contínua para todos Estas recomendações são feitas em conjunto

Leia mais

Guia de Saúde da Reprodução

Guia de Saúde da Reprodução Guia de Saúde da Reprodução Este Guia vai fornecer-te informação acerca de dois assuntos: (a) Controlo de Natalidade / Contracepção (b) VIH e outras Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) Nota: Este

Leia mais

Matriz estratégica do PEE

Matriz estratégica do PEE MEC02-000 MEC02-001 MEC02-002 MEC02-003 Matriz estratégica do PEE Ensino (Pré-) Primário MEC02 Ensino Primário Objectivo Geral Assegurar que todas as crianças tenham oportunidade de concluir uma educação

Leia mais

CONSIDERANDO: A Declaração sobre VIH/SIDA assinada durante a Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, em Maputo em 2000;

CONSIDERANDO: A Declaração sobre VIH/SIDA assinada durante a Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, em Maputo em 2000; MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O PROGRAMA CONJUNTO DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE VIH/SIDA (ONUSIDA) E A COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA (CPLP) RELATIVO A APOIO PARA A REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES DE

Leia mais

Programa de identificação precoce e prevenção da infecção VIH/Sida direccionado a utilizadores de Drogas

Programa de identificação precoce e prevenção da infecção VIH/Sida direccionado a utilizadores de Drogas Programa de identificação precoce e prevenção da infecção VIH/Sida direccionado a utilizadores de Drogas DESCRIÇÃO DOS REGISTOS DA AVALIAÇÃO BASAL NO ÂMBITO DO PROGRAMA JUNHO DEZEMBRO 2007 Equipas de Tratamento

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA AIDS E OUTRAS DST NO ESTADO DO PARANÁ

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA AIDS E OUTRAS DST NO ESTADO DO PARANÁ PLANO DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA AIDS E OUTRAS DST NO ESTADO DO PARANÁ SVS/DECA/DVDST-Aids POR QUE MULHERES? 50% de pessoas com AIDS no mundo são mulheres. Na nossa sociedade, as relações entre

Leia mais

PRONUNCIAMENTO SOBRE DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA A AIDS DEPUTADO MARCELO SERAFIM (PSB-AM)

PRONUNCIAMENTO SOBRE DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA A AIDS DEPUTADO MARCELO SERAFIM (PSB-AM) PRONUNCIAMENTO SOBRE DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA A AIDS DEPUTADO MARCELO SERAFIM (PSB-AM) Senhoras Deputadas, Senhores Deputados, Povo do estado do Amazonas, Ontem foi o Dia Mundial de Luta Contra à Aids.

Leia mais

A mulher e a infecção VIH no Centro Hospitalar de Gaia. A Infecção VIH, reconhecida desde o início da década de oitenta, foi

A mulher e a infecção VIH no Centro Hospitalar de Gaia. A Infecção VIH, reconhecida desde o início da década de oitenta, foi A mulher e a infecção VIH no Centro Hospitalar de Gaia Rosas Vieira, Margarida Mota, Joana Moreira, Eduardo Eiras, Margarida Câmara Introdução A Infecção VIH, reconhecida desde o início da década de oitenta,

Leia mais

Apresentação das Actividades com os Grupos Vulneráveis de São Luís e Matam

Apresentação das Actividades com os Grupos Vulneráveis de São Luís e Matam Encontros regionais de Médicos Del Mundo em África São Luís do Senegal de 20 a 24 de Abril de 2009 Conclusiones MEDICOS DEL MUNDO SENEGAL Apresentação das Actividades com os Grupos Vulneráveis de São Luís

Leia mais

Intervenções realizadas com pessoas que fazem trabalho sexual em apartamento na Grande Lisboa

Intervenções realizadas com pessoas que fazem trabalho sexual em apartamento na Grande Lisboa Intervenções realizadas com pessoas que fazem trabalho sexual em apartamento na Grande Lisboa De 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2014 Foram conduzidas 1710 intervenções onde foi recolhida informação,

Leia mais

O HIV no Mundo Lusófono

O HIV no Mundo Lusófono 3º CONGRESSO VIRTUAL HIV / AIDS 1 O HIV no Mundo Lusófono Fenotipagem CD4+/CD8+/CD3+ em 133 doentes seropositivos (HIV) para inicio de terapêutica antiretroviral, em Moçambique. Casanovas, J. (*), Folgosa,

Leia mais

Acelerar a resposta para pôr um fim à SIDA Estratégia ONUSIDA

Acelerar a resposta para pôr um fim à SIDA Estratégia ONUSIDA Acelerar a resposta para pôr um fim à SIDA Estratégia ONUSIDA 2016 2021 Apresentado por: Dr.ª Hellen Magutu Amakobe, Ponto Focal para o VIH e SIDA, OIT Quénia Síntese 1 2 3 4 Processo de elaboração da

Leia mais

FORMULÁRIO DE SEGUIMENTO DE PACIENTES COM CARGA VIRAL > CÓPIAS/ML (CONSULTA DE AVALIAÇÃO E ADESÃO REFORÇADA) Nome da Unidade de Saúde:

FORMULÁRIO DE SEGUIMENTO DE PACIENTES COM CARGA VIRAL > CÓPIAS/ML (CONSULTA DE AVALIAÇÃO E ADESÃO REFORÇADA) Nome da Unidade de Saúde: República de Angola Ministério de Saúde Instituto Nacional de Luta Contra o SIDA FORMULÁRIO DE SEGUIMENTO DE PACIENTES COM CARGA VIRAL > 1.000 CÓPIAS/ML (CONSULTA DE AVALIAÇÃO E ADESÃO REFORÇADA) Nome

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística. Inquérito Multiobjectivo Contínuo. Estatísticas das famílias e Condições de vida. Presidente

Instituto Nacional de Estatística. Inquérito Multiobjectivo Contínuo. Estatísticas das famílias e Condições de vida. Presidente Instituto Nacional de Estatística Inquérito Multiobjectivo Contínuo Estatísticas das famílias e Condições de vida Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Av Cidade de

Leia mais

O PARTO NA PACIENTE SOROPOSITIVO

O PARTO NA PACIENTE SOROPOSITIVO O PARTO NA PACIENTE SOROPOSITIVO 1. TRIAGEM SOROLÓGICA - É recomendada a realização de teste anti-hiv com aconselhamento e com consentimento para todas as gestantes na primeira consulta pré-natal; - Enfatiza-se

Leia mais

ADOLESCENTES PORTUGUESES: ALIMENTAÇÃO E ESTILOS DE VIDA SAUDAVEIS

ADOLESCENTES PORTUGUESES: ALIMENTAÇÃO E ESTILOS DE VIDA SAUDAVEIS ADOLESCENTES PORTUGUESES: ALIMENTAÇÃO E ESTILOS DE VIDA SAUDAVEIS Margarida Gaspar de Matos* Marlene Silva e Equipa Aventura Social & Saúde *Psicologa, Prof Ass F M H / UTL Coordenadora Nacional do HBSC/OMS

Leia mais

Ministério da Agricultura ESTUDO DO IMPACTO DO VIH NA AGRICULTURA E SEGURANÇA ALIMENTAR

Ministério da Agricultura ESTUDO DO IMPACTO DO VIH NA AGRICULTURA E SEGURANÇA ALIMENTAR Ministério da Agricultura ESTUDO DO IMPACTO DO VIH NA AGRICULTURA E SEGURANÇA ALIMENTAR Apresentação dos resultados Página 1/7 Sumário Executivo Introdução: Angola possui um potencial agro-pecuário, com

Leia mais

AIDS e HPV Cuide-se e previna-se!

AIDS e HPV Cuide-se e previna-se! AIDS e HPV Cuide-se e previna-se! O que é AIDS? Existem várias doenças que são transmissíveis através das relações sexuais e por isso são chamadas DSTs (doenças sexualmente transmissíveis). As mais conhecidas

Leia mais

PROGRAMA DE ACÇÃO SAÚDE. - Advocacia junto ao Ministério da Saúde para criação de mais centros de testagem voluntária.

PROGRAMA DE ACÇÃO SAÚDE. - Advocacia junto ao Ministério da Saúde para criação de mais centros de testagem voluntária. PROGRAMA DE ACÇÃO A diversidade e complexidade dos assuntos integrados no programa de acção da OMA permitirá obter soluções eficazes nos cuidados primários de saúde, particularmente na saúde reprodutiva

Leia mais

POPULAÇÃO ESTRANGEIRA CRESCE A RITMO INFERIOR AO DOS ÚLTIMOS ANOS

POPULAÇÃO ESTRANGEIRA CRESCE A RITMO INFERIOR AO DOS ÚLTIMOS ANOS População Estrangeira em Portugal 23 28 de Junho de 24 POPULAÇÃO ESTRANGEIRA CRESCE A RITMO INFERIOR AO DOS ÚLTIMOS ANOS Em 23, segundo informação do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, a população estrangeira

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - MULHER VIH NEGATIVO

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - MULHER VIH NEGATIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Após inscrição no estudo, os participantes devem preencher este questionário de avaliação inicial. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado. Após o

Leia mais

Controlo da qualidade e supervisão laboratorial. Cláudia Amorim Vaz Centro hospitalar de são João 1 julho

Controlo da qualidade e supervisão laboratorial. Cláudia Amorim Vaz Centro hospitalar de são João 1 julho Controlo da qualidade e supervisão laboratorial Cláudia Amorim Vaz Centro hospitalar de são João 1 julho A importância do diagnóstico precoce PHOTO CAPTION A realização dos testes de rastreio vão permitir

Leia mais

NOVIDADES MULHERES EM ACÇÃO - CABINDA

NOVIDADES MULHERES EM ACÇÃO - CABINDA NOVIDADES MULHERES EM ACÇÃO - CABINDA JANEIRO 2011 - DEZEMBRO 2012 GOVERNO PROVINCIAL DE CABINDA INTRODUÇAO Financiado pela União Europeia Implementado pela ADPP Angola com o apoio do Governo Provincial

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE ACTIVIDADES COLABORATIVAS TB/HIV EXPERIÊNCIA DE MOÇAMBIQUE 18ª Reunião do Núcleo do Grupo de Trabalho Global sobre TB/HIV e Seminário para intensificar a implementação

Leia mais

V CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA São Tomé, 26 e 27 de Julho de 2004

V CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA São Tomé, 26 e 27 de Julho de 2004 V CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA São Tomé, 26 e 27 de Julho de 2004 ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE OS ESTADOS MEMBROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE

Leia mais

REUNIÃO ANUAL DE REFLEXÃO MONITORIA VIRADA PARA RESULTADOS

REUNIÃO ANUAL DE REFLEXÃO MONITORIA VIRADA PARA RESULTADOS REUNIÃO ANUAL DE REFLEXÃO MONITORIA VIRADA PARA RESULTADOS Tópicos Chuva de ideias; Contextualização; Conceptualização (monitoria e avaliação); Monitoria virada para resultados vs monitoria tradicional

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO VOLUNTARIADO NA AQUISIÇÃO DE NOVAS COMPETÊNCIAS E SUA VALORIZAÇÃO NO ÂMBITO DO MERCADO DE TRABALHO

A IMPORTÂNCIA DO VOLUNTARIADO NA AQUISIÇÃO DE NOVAS COMPETÊNCIAS E SUA VALORIZAÇÃO NO ÂMBITO DO MERCADO DE TRABALHO A IMPORTÂNCIA DO VOLUNTARIADO NA AQUISIÇÃO DE NOVAS COMPETÊNCIAS E SUA VALORIZAÇÃO NO ÂMBITO DO MERCADO DE TRABALHO I ENCONTRO DE VOLUNTARIADO NA UNIVERSIDADE Machado Caetano Filomena Frazão de Aguiar

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão (POP)_8. Reuniões de Coordenação para a Monitoria da Implementação da Carga Viral

Procedimento Operacional Padrão (POP)_8. Reuniões de Coordenação para a Monitoria da Implementação da Carga Viral República de Angola Ministério de Saúde Instituto Nacional de Luta Contra o SIDA Procedimento Operacional Padrão (POP)_8 Reuniões de Coordenação para a Monitoria da Implementação da Carga Viral Desenvolvido

Leia mais

Relatório de missão 17-24 Maio de 2011 Estudo de caso em Angola

Relatório de missão 17-24 Maio de 2011 Estudo de caso em Angola Relatório de missão 17-24 Maio de 2011 Estudo de caso em Angola Projecto Investigação «O papel das organizações da sociedade civil na educação e formação: o caso de Angola, Guiné-Bissau, Moçambique e São

Leia mais

Notícias ao Minuto Online

Notícias ao Minuto Online Notícias ao Minuto Online ID: 63846691 04-04-2016 Visitas diárias: 99136 Âmbito: Informação Geral OCS: Notícias ao Minuto Online Programa de bolsas distingue reciclagem de medicamentos para a sida http://www.noticiasaominuto.com/pais/565855/programa-de-bolsas-distinguereciclagem-de-medicamentos-para-a-sida

Leia mais

Enquadramento económico dos mercados regionais da CPLP

Enquadramento económico dos mercados regionais da CPLP www.pwc.com/pt Enquadramento económico dos mercados regionais da CPLP Oportunidades maximizadas? Jaime Carvalho Esteves 19 de Março 2013 Agenda 1. Conceito de hub 2. Relevância da CPLP 3. Os mercados de

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA PLANO DE ATIVIDADES 2012 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA DESENVOLVIMENTO DA PRÁTICA DESPORTIVA ALTO RENDIMENTO E SELEÇÕES NACIONAIS FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS MARKETING, COMUNICAÇÃO & IMAGEM 1.-

Leia mais

SECTOR: INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA

SECTOR: INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA SECTOR: INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA Panorama 2010 Políticas Públicas para infância e adolescência Criança, prioridade absoluta em Cabo Verde As políticas públicas para atender ao sector da infância e adolescência

Leia mais

SUGESTÕES DE LEITURA História dos países africanos de língua portuguesa

SUGESTÕES DE LEITURA História dos países africanos de língua portuguesa ! 5 2015 1 SUGESTÕES DE LEITURA História dos países africanos de língua portuguesa Maio 2015 Universidade de Aveiro Serviços de Biblioteca, Informação Documental e Museologia ServiçosdeBiblioteca,InformaçãoDocumentaleMuseologia

Leia mais

ENCONTRO DE TRABALHOS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E DA SEGURANÇA SOCIAL CIDADE VELHA 8 A12 AGOSTO DE 2016

ENCONTRO DE TRABALHOS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E DA SEGURANÇA SOCIAL CIDADE VELHA 8 A12 AGOSTO DE 2016 ENCONTRO DE TRABALHOS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E DA SEGURANÇA SOCIAL CIDADE VELHA 8 A12 AGOSTO DE 2016 O PAPEL DA ENFERMAGEM NA ABORDAGEM DAS DOENÇAS CRÓNICAS O Concelho Dos Mosteiros Estende-se por uma

Leia mais

Campanha de Sensibilização para a Prevenção ao VIH/SIDA

Campanha de Sensibilização para a Prevenção ao VIH/SIDA Relatório 1. Introdução Cabo verde possui um Programa Multisectorial de Luta contra a Sida, que envolve todos os sectores da sociedade Cabo-verdiana, para a prevenção e o combate ao VIH SIDA. A Sida é

Leia mais

VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE

VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE HEPATITE É uma inflamação do fígado provocada, na maioria das vezes, por um vírus. Diferentes tipos de vírus podem provocar a doença, que se caracteriza por febre, icterícia

Leia mais

Innocenti Report Card 14

Innocenti Report Card 14 Innocenti Report Card 14 Os países ricos terão de fazer mais esforços para assegurar que todas as crianças recebem cuidados, nutrição e protecção como previsto pelos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

Horário de atendimento Segunda a Sexta-feira das 7h às 19h.

Horário de atendimento Segunda a Sexta-feira das 7h às 19h. CENTRO DE REFERÊNCIA DE DST/AIDS PENHA Endereço: Praça Nossa Senhora da Penha, 55 (subsolo) Penha CEP 03632-060 Telefones: 2092-4020 / 2295-0391 Supervisão Técnica de Saúde Penha Coordenadoria Regional

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular INTERVENÇÃO

Leia mais

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 ACNUR ALTO COMISSARIADO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA REFUGIADOS

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 ACNUR ALTO COMISSARIADO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA REFUGIADOS COPATROCINADOR UNAIDS 2015 ACNUR ALTO COMISSARIADO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA REFUGIADOS COPATROCINADORES UNAIDS 2015 ACNUR O QUE É ACNUR? Estigma e discriminação continuam a ser um importante obstáculo para

Leia mais

Boletim epidemiológico HIV/AIDS - 2015 30/11/2015

Boletim epidemiológico HIV/AIDS - 2015 30/11/2015 HIV/AIDS - 215 3/11/215 Página 1 de 6 1. Descrição da doença A AIDS é uma doença causada pelo vírus do HIV, que é um retrovírus adquirido principalmente por via sexual (sexo desprotegido) e sanguínea,

Leia mais

INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES. Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação

INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES. Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação INDICE 1. OBJECTIVO 2. PORQUÊ A INICIATIVA? 3. PARA OS JOVENS: UMA OPORTUNIDADE NOVA 4. PARA OS ADULTOS:

Leia mais

GRAVIDEZ E INFECÇÃO VIH / SIDA

GRAVIDEZ E INFECÇÃO VIH / SIDA GRAVIDEZ E INFECÇÃO VIH / SIDA CASUÍSTICA DA MATERNIDADE BISSAYA BARRETO CENTRO HOSPITALAR DE COIMBRA 1996 / 2003 Eulália Galhano,, Ana Isabel Rei Serviço de Obstetrícia / MBB Maria João Faria Serviço

Leia mais

Julian Perelman Escola Nacional de Saúde Pública

Julian Perelman Escola Nacional de Saúde Pública Prevenção e tratamento do VIH/SIDA nos migrantes e não migrantes: alguns aspectos económicos Julian Perelman Escola Nacional de Saúde Pública (com a colaboração de Alexandre Carvalho e Helena Vaz, Coordenação

Leia mais

PLANO DE ACÇAO ANUAL PARA A IMPLEMENTAÇAO DA RCS 1325, 2010-2011 Comité de Pilotagem da RCS 1325 Guiné- Bissau

PLANO DE ACÇAO ANUAL PARA A IMPLEMENTAÇAO DA RCS 1325, 2010-2011 Comité de Pilotagem da RCS 1325 Guiné- Bissau PLANO DE ACÇAO ANUAL PARA A IMPLEMENTAÇAO DA RCS 1325, 2010-2011 Comité de Pilotagem da RCS 1325 Guiné- Bissau Discuçao e validaçao reunion Comité Pilotagem 18 / 08 / 10 - Parceiros responsables por actividades

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA INSTITUTO DE HIGIENE E MEDICINA TROPICAL

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA INSTITUTO DE HIGIENE E MEDICINA TROPICAL UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA INSTITUTO DE HIGIENE E MEDICINA TROPICAL Diagnóstico tardio da infecção por VIH na ilha de Santiago António Lima Moreira MARÇO DE 2013 Titulo: Diagnóstico tardio da infecção

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA

APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA AGENDA AS 5 MARCAS DO POPH I EIXOS PRIORITÁRIOS II ARRANQUE DO PROGRAMA III I AS 5 MARCAS DO POPH AS 5 MARCAS DO POPH 1 O MAIOR PROGRAMA OPERACIONAL DE SEMPRE 8,8 mil M 8,8 Mil

Leia mais

APLICAÇÃO DA ENERGIA RENOVÁVEL NA ENERGIA SOLAR RAQUEL FERRER

APLICAÇÃO DA ENERGIA RENOVÁVEL NA ENERGIA SOLAR RAQUEL FERRER APLICAÇÃO DA ENERGIA RENOVÁVEL NA BOMBAGEM DE ÁGUA EM CABO VERDE - ENERGIA SOLAR RAQUEL FERRER 21-01-10 INTRODUÇÃO -Em 1986 os chefes de estado dos 9 países membros do CILSS (Comité Inter-Estados de Luta

Leia mais

Desafiar Paradigmas: VIH/ SIDA. Perspetiva de modulação de políticas de saúde sensíveis à epidemiologia e à necessidade de controlo da infeção

Desafiar Paradigmas: VIH/ SIDA. Perspetiva de modulação de políticas de saúde sensíveis à epidemiologia e à necessidade de controlo da infeção Desafiar Paradigmas: VIH/ SIDA Perspetiva de modulação de políticas de saúde sensíveis à epidemiologia e à necessidade de controlo da infeção Escola Nacional de Saúde Pública - 27 de Fevereiro 2012 Ricardo

Leia mais

Despacho n.º 280/96, de 6 de Setembro (DR, 2.ª série, n.º 237, de 12 de Outubro de 1996)

Despacho n.º 280/96, de 6 de Setembro (DR, 2.ª série, n.º 237, de 12 de Outubro de 1996) (DR, 2.ª série, n.º 237, de 12 de Outubro de 1996) Acesso aos medicamentos anti-retrovíricos, destinados ao tratamento da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (VIH) Em resultado da investigação

Leia mais

Consultoria para o planeamento do Sistema de Informação sobre Trabalho e Emprego de Cabo Verde

Consultoria para o planeamento do Sistema de Informação sobre Trabalho e Emprego de Cabo Verde Termos de Referência Consultoria para o planeamento do Sistema de Informação sobre Trabalho e Emprego de Cabo Verde Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Título: Consultoria para o planeamento

Leia mais

Briefing. Boletim Epidemiológico 2011

Briefing. Boletim Epidemiológico 2011 Briefing Boletim Epidemiológico 2011 1. HIV Estimativa de infectados pelo HIV (2006): 630.000 Prevalência da infecção (15 a 49 anos): 0,61 % Fem. 0,41% Masc. 0,82% 2. Números gerais da aids * Casos acumulados

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE PESSOAL, ENSINO, SAÚDE E DESPORTO - SEPESD DEPARTAMENTO DE SAÚDE E ASSISTÊNCIA SOCIAL - DESAS COPRECOS-BRASIL

MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE PESSOAL, ENSINO, SAÚDE E DESPORTO - SEPESD DEPARTAMENTO DE SAÚDE E ASSISTÊNCIA SOCIAL - DESAS COPRECOS-BRASIL MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE PESSOAL, ENSINO, SAÚDE E DESPORTO - SEPESD DEPARTAMENTO DE SAÚDE E ASSISTÊNCIA SOCIAL - DESAS COPRECOS-BRASIL ANDERSON BERENGUER Ten Cel Farm (EB) Gerente-Geral do Programa

Leia mais

Vírus do Papiloma Humanos (HPV) DSR-

Vírus do Papiloma Humanos (HPV) DSR- Vírus do Papiloma Humanos (HPV) O que é o HPV? O HPV é um vírus frequente nos humanos, responsável pela formação de lesões chamadas papilomas. Existem diferentes tipos de HPV Alguns podem infectar a zona

Leia mais

O QUE É QUE O RGA 2015 TEM A OFERECER AOS UTILIZADORES?

O QUE É QUE O RGA 2015 TEM A OFERECER AOS UTILIZADORES? O QUE É QUE O RGA 2015 TEM A OFERECER AOS UTILIZADORES? Características sociodemográficas e económicas do agregado familiar agrícola Características da explorações agrícolas Características das parcelas

Leia mais

Programa de Internacionalização Agronegócios CPLP 2017/18

Programa de Internacionalização Agronegócios CPLP 2017/18 financiamento financiamento qualificação relações relações sector sector seguros comunicação comunicação desenvolvimento desenvolvimento legislação legislação logística keting keting keting keting mercado

Leia mais

COMPROMISSOS DE ACELERAÇÃO DA RESPOSTA PARA ACABAR COM A EPIDEMIA DE AIDS ATÉ 2030

COMPROMISSOS DE ACELERAÇÃO DA RESPOSTA PARA ACABAR COM A EPIDEMIA DE AIDS ATÉ 2030 COMPROMISSOS DE ACELERAÇÃO DA RESPOSTA PARA ACABAR COM A EPIDEMIA DE AIDS ATÉ 2030 COMPROMISSOS DE ACELERAÇÃO DA RESPOSTA PARA ACABAR COM A EPIDEMIA DE AIDS ATÉ 2030 1 2 3 4 5 Garantir que 30 milhões de

Leia mais

Directora Geral. Editor. Impressão. Difusão. Preço. Tiragem. Telefone (244) /57. Maria Ferreira dos Santos de Oliveira

Directora Geral. Editor. Impressão. Difusão. Preço. Tiragem. Telefone (244) /57. Maria Ferreira dos Santos de Oliveira MINISTÉRIO DO PLANEAMENTO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA Inquérito Integrado Sobre o BemEstar da População (IBEP) 200809 Principais Resultados Grelha de es Agosto de 2010 Directora Geral Maria Ferreira

Leia mais

RELATÓRIO INVESTIMENTO SOCIAL 2012

RELATÓRIO INVESTIMENTO SOCIAL 2012 RELATÓRIO INVESTIMENTO SOCIAL 2012 INFORMAÇÕES GERAIS RAZÃO SOCIAL: UNIÃO DE ENSINO VILA VELHA LTDA NOME FANTASIA: FACULDADE UNIÃO CNPJ: 03.568.170/0001-65 ENDEREÇO: RUA TIBÚRCIO PEDRO FERREIRA, 55 CEP:

Leia mais

Objectivos de Desenvolvimento do Milénio

Objectivos de Desenvolvimento do Milénio República de Moçambique Objectivos de Desenvolvimento do Milénio Ponto de Situação, Progressos e Metas Conferência Cumprir Bissau Desafios e Contribuições da CPLP para o cumprimento dos ODMS 5 de Junho

Leia mais

1.-(2 min) Com base na informação disponível no gráfico (A) A maioria das crianças almoçam na cantina da escola (B) A maioria das crianças almoçam em

1.-(2 min) Com base na informação disponível no gráfico (A) A maioria das crianças almoçam na cantina da escola (B) A maioria das crianças almoçam em .-( min) Com base na informação disponível no gráfico (A) A maioria das crianças almoçam na cantina da escola (B) A maioria das crianças almoçam em casa (C) A maioria das crianças almoçam em outro local

Leia mais

ANEXO 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO SOCIAL

ANEXO 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO SOCIAL ANEXO 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO SOCIAL 1 - FICHAS SOCIAIS (Esta ficha deve ser aplicada para todos os subprojetos e contempla o levantamento e demanda da área social, inclusive os povos tradicionais e demais

Leia mais

(DRAFT) CONCLUSÕES DA II REUNIÃO DO FÓRUM DA SOCIEDADE CIVIL DA CPLP Díli, 17 de julho de 2015

(DRAFT) CONCLUSÕES DA II REUNIÃO DO FÓRUM DA SOCIEDADE CIVIL DA CPLP Díli, 17 de julho de 2015 (DRAFT) CONCLUSÕES DA II REUNIÃO DO FÓRUM DA SOCIEDADE CIVIL DA CPLP Díli, 17 de julho de 2015 A II Reunião Fórum da Sociedade Civil da CPLP (FSC-CPLP) realizou-se nos dias 13 a 17 de julho de 2015, em

Leia mais

INFECÇÃO VIH E IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL

INFECÇÃO VIH E IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL INFECÇÃO VIH E IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL Domitília Faria Assistente Hospitalar de Medicina Interna Hospital do Barlavento Algarvio Helena Ferreira Assistente Graduada de Saúde Pública Comissão Distrital de

Leia mais

Introdução No contexto presente de pós-guerra, Angola enfrenta um conjunto de obstáculos no combate à pobreza e à fome, reconstrução das infra-estrutu

Introdução No contexto presente de pós-guerra, Angola enfrenta um conjunto de obstáculos no combate à pobreza e à fome, reconstrução das infra-estrutu REPÚBLICA DE ANGOLA RELATÓRIO DE UNGASS 2006 Dezembro, 2005 1 Introdução No contexto presente de pós-guerra, Angola enfrenta um conjunto de obstáculos no combate à pobreza e à fome, reconstrução das infra-estruturas

Leia mais

BARÓMETRO DE OPINIÃO PÚBLICA: Atitudes dos portugueses perante Leitura e o Plano Nacional de Leitura

BARÓMETRO DE OPINIÃO PÚBLICA: Atitudes dos portugueses perante Leitura e o Plano Nacional de Leitura BARÓMETRO DE OPINIÃO PÚBLICA: Atitudes dos portugueses perante Leitura e o Plano Nacional de Leitura António Firmino da Costa Elsa Pegado Patrícia Ávila CIES-ISCTE 2008 BARÓMETRO DE OPINIÃO PÚBLICA: Atitudes

Leia mais

Programa de Hepatites Virais do Ministério da Saúde

Programa de Hepatites Virais do Ministério da Saúde Programa de Hepatites Virais do Ministério da Saúde Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids

Leia mais

A Graduação de Angola da Categoria de Países Menos Avançados (PMAs): Desafios e Oportunidades

A Graduação de Angola da Categoria de Países Menos Avançados (PMAs): Desafios e Oportunidades Workshop: A Graduação de Angola da Categoria de Países Menos Avançados (PMAs): Desafios e Oportunidades Luanda, 27 de Outubro de 2016 Graduação de Angola de PMA e os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

LEGISLAÇÃO E DIREITOS das pessoas infectadas pelo VIH/SIDA. Diana Paraíso Vicente 02/04/2014 1

LEGISLAÇÃO E DIREITOS das pessoas infectadas pelo VIH/SIDA. Diana Paraíso Vicente 02/04/2014 1 LEGISLAÇÃO E DIREITOS das pessoas infectadas pelo VIH/SIDA Diana Paraíso Vicente 02/04/2014 1 Protocolo entre o Alto Comissariado da Saúde (Coordenação Nacional de Luta Contra a SIDA) e a FDUNL 2010 Coordenação

Leia mais

Lisboa. uma cidade de bairros

Lisboa. uma cidade de bairros Lisboa uma cidade de bairros Fonte: Relatório do PDM Lisboa, Câmara Municipal de Lisboa, Setembro 2010 No PDM de Lisboa, foram identificadas Zonas de Moderação da circulação automóvel, que podem ser concretizadas

Leia mais

1ª CONFERÊNCIA SOBRE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL ANGOLA

1ª CONFERÊNCIA SOBRE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL ANGOLA 1ª CONFERÊNCIA SOBRE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL ANGOLA Fórum de Responsabilidade Social Corporativa () das Empresas Petrolíferas em Angola 1 Objectivos da da partes interessadas da final 2 Objectivos

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. Avaliação da Cobertura Vacinal Contra o Sarampo e a Rubéola, de Outubro de 2013.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. Avaliação da Cobertura Vacinal Contra o Sarampo e a Rubéola, de Outubro de 2013. INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE Avaliação da Cobertura Vacinal Contra o Sarampo e a Rubéola, 14-23 de Outubro de 2013 Relatório Praia, Abril de 2014 Instituto Nacional de Estatística Relatório

Leia mais

Em, Portugal, segundo dados do Instituto Nacional de estatística, em 10 anos ocorreram 47.178 partos em adolescentes dos 11 aos 17 anos.

Em, Portugal, segundo dados do Instituto Nacional de estatística, em 10 anos ocorreram 47.178 partos em adolescentes dos 11 aos 17 anos. Contracepção, um modo de evitar uma gravidez não desejada. Será que estou grávida? Será que ela está grávida? SERÁ QUE ESTOU GRÁVIDA? Esqueci-me do usar preservativo RELAÇÕES SEXUAIS DESPROTEGIDAS FALTA

Leia mais

Observatório. do Turismo. Cabo Verde

Observatório. do Turismo. Cabo Verde Observatório do Turismo Cabo Verde Emanuel Almeida, Beja, 03 de Maio 2012 Agenda I. CABO VERDE E O SECTOR DO TURISMO 1. Importância do Turismo 2. Estatísticas do Turismo em CV II. OBSERVATÓRIO DO TURISMO

Leia mais

O Projecto SURE-Africa: Reabilitação Urbana Sustentável Eficiência Energética em Edifícios no Contexto Africano

O Projecto SURE-Africa: Reabilitação Urbana Sustentável Eficiência Energética em Edifícios no Contexto Africano O Projecto SURE-Africa: Reabilitação Urbana Sustentável Eficiência Energética em Edifícios no Contexto Africano Manuel Correia Guedes Instituto Superior Técnico, Lisboa, Portugal (mcguedes@civil.ist.utl.pt)

Leia mais

Manual do facilitador

Manual do facilitador Manual do facilitador Introdução Este manual faz parte do esforço para institucionalizar o sistema de informação de uma maneira coordenada a fim de que as informações possam ser de acesso de todos que

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 95/VIII COMBATE À INSEGURANÇA E VIOLÊNCIA EM MEIO ESCOLAR

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 95/VIII COMBATE À INSEGURANÇA E VIOLÊNCIA EM MEIO ESCOLAR PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 95/VIII COMBATE À INSEGURANÇA E VIOLÊNCIA EM MEIO ESCOLAR A preocupação com o aumento e as características dos múltiplos episódios de violência vividos na e pela comunidade escolar

Leia mais

Programa 2012 FICHA DE CANDIDATURA. Refª: 010 Espaço de (Re) Encontro Familiar Pais-Filhos

Programa 2012 FICHA DE CANDIDATURA. Refª: 010 Espaço de (Re) Encontro Familiar Pais-Filhos Programa 2012 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 010 Espaço de (Re) Encontro Familiar Pais-Filhos Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060

Leia mais