Este procedimento tem por objetivo descrever a sistemática do monitoramento, mensuração e inspeção do Sistema de Gestão de SMS da SMART EXPRESS.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Este procedimento tem por objetivo descrever a sistemática do monitoramento, mensuração e inspeção do Sistema de Gestão de SMS da SMART EXPRESS."

Transcrição

1 1. OBJETIVO Este procedimento tem por objetivo descrever a sistemática do monitoramento, mensuração e inspeção do Sistema de Gestão de SMS da SMART EXPRESS. Nas inspeções, procura-se identificar, registrar e comunicar as condições de perigo e aspectos e propor ações para sua neutralização e/ou eliminação de forma a prevenir acidentes, doenças ocupacionais e impactos ambientais. 2. ALCANCE Aplicável a todas as atividades da SMART EXPRESS, incluindo equipamentos e instalações que pertencem à Empresa ou alugados. 3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Plano de Gestão de SMS. ISO Sistema de Gestão Ambiental OHSAS Occupational Health and Safety Management Systems Specification. PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional 4. Responsabilidade Cabe ao CO Fornecer os recursos necessários aos monitoramentos e mensuração. Avaliar os resultados dos monitoramentos e mensuração e definir ações e objetivos de SMS. Desenvolver o monitoramento dos treinamentos. Manter os registros dos monitoramentos e mensuração. Divulgar para toda empresa os resultados dos monitoramentos e mensurações. Cabe à ECESMS Elaborar os programas dos monitoramentos e mensuração. Coordenar os monitoramentos e definir a sistemática de execução. Elaborar os relatórios de dados para análise crítica com os dados consolidados.

2 5. DESCRIÇÃO 5.1- e Mensuração Os monitoramentos e mensurações, realizados pela SMART EXPRESS, têm por finalidade fornecer informações para a avaliação do desempenho de SMS da Empresa, a eficiência e eficácia dos controles e a conformidade com os objetivos e metas. O monitoramento envolve o acompanhamento do atendimento aos indicadores que possam causar riscos a SMS, ou fazem parte de requisitos legais. Os registros de monitoramentos e mensurações devem ser realizados mensalmente pelo CO. Os resultados dos monitoramentos e a mensuração de conformidades são mantidos pelo CO e são utilizados como subsídios para definir ações preventivas e/ou corretivas. A planilha para cálculo dos Indicadores de SMS tem seu modelo conforme é apresentado anexo A. Esta planilha contém os principais parâmetros a serem monitorados e incluem os indicadores de eficiência das medidas de controle em SMS e aqueles relevantes para a Empresa cujos limites estejam determinados por lei, constem de requisitos internos ou contratuais ou de normas regulamentadoras. Esta planilha deverá ser preenchida mensalmente pelo CO ou seu preposto. 5.2 Inspeções de SMS Estabelece a necessidade de identificar operações, atividades e equipamentos onde sejam aplicáveis medidas de controle, sendo ainda necessário a sistematização de rotinas de inspeção e manutenção dos itens a controlar. Tal inspeção deverá ser realizada conforme formulário apresentado no anexo I. 5.3 Avaliação do desempenho de SMS A avaliação do desempenho de SMS e o tratamento dos desvios encontrados em relação aos padrões ou referenciais estabelecidos, ocorrerão na análise crítica pela administração, compreendendo a comparação dos resultados dos monitoramentos e mensurações, com os padrões legais vigentes, com objetivos, metas e indicadores definidos pelo empreendimento, envolvendo os seguintes aspectos principais: Avaliação dos resultados dos monitoramentos Acompanhamento dos indicadores internos de desempenho de SMS

3 Acompanhamento e tratamento das não conformidades. 5.4 Inspeção de veículos Deverá ser realizado conforme Check List, apresentado nos anexos II e III. Após a realização da referida inspeção, deverá ser preenchido o Relatório de Não Conformidade,Ação Corretiva e Preventiva, conforme anexo IV. O procedimento de inspeção poderá ser realizado de forma visual e/ou em operação. É conveniente, no caso dos equipamentos, que o operador se encontre presente para realizá-a em operação. Inspeção Visual: é aquela que se realiza com o equipamento parado e será realizada observando os pontos que forem danificáveis e que sejam possíveis de ser inspecionados dessa forma. Em Operação: é aquela inspeção que se realiza com o equipamento em funcionamento.

4 MONITORAMENTO E INSPEÇÕES SMART EXPRESS TRANSPORTES

5 ANEXO I RELATÓRIO DE INSPEÇÃO DE SMS DATA: Local: Avaliador: DES : Desvios Nome / Mat. Rubrica OK = Atende NA=Não Aplicado Condições do local O PPRA está implantado e avaliado globalmente Existe ordem/arrumação/limpeza nas áreas de trabalho Todos resíduos removidos ou acondicionados PCMSO está sendo cumprido O Mapa de Risco está visível em todos os ambientes Efluentes descartados corretamente Extintores de incêndio no local e devidamente vistoriados Plano de manutenção preventiva dos veículos e equipamentos está sendo realizado regularmente Todo pessoal conhece a Política da Empresa Idem para Objetivos e Metas Sanitários em bom estado de limpeza e conservação Sem acúmulo de água / focos de Aedes aegypti OK DES NA Observações: Nº de itens: % de desvios: Desvios: ANEXO II

6 Motorista: Veículo Marca: Modelo: Placa: Ano: Modelo: Tipo de Combustível CHECK-LIST DE INSPEÇÃO DE VEÍCULOS TÓPICO 1/ITEM 1-CHECK DOS COMPONENTES DE SEGURANÇA (VEÍCULO PARADO) ( ) Níveis de óleo do motor; ( ) Níveis de fluído do freio; ( ) Farol baixo; ( ) Farol alto; ( ) setas; ( ) luz de ré; ( ) luz de freio; ( ) lanternas dianteira e traseira; ( ) pressão dos pneus; ( ) retrovisor interno; ( ) retrovisor externo; ( ) extintor de incêndio; ( ) triângulo, macaco e chave de roda. TÓPICO 2/ITEM 2-CHECK DOS COMPONENTES DE SEGURANÇA (VEÍCULO PARADO) ( ) Luz indicadora de bateria; ( ) Luz indicadora de óleo; ( ) Indicador de combustível; ( ) Luz indicadora de anomalia da injeção; ( ) Luz indicadora do freio de estacionamento. TÓPICO 3/ITEM 3-CHECK DOS COMPONENTES (VEÍCULO PRONTO PARA ENTRAR EM MOVIMENTO) ( ) Afivelamento do cinto de segurança; ( ) Liberação do freio de mão; ( ) Domínio do controle de embreagem; ( ) Domínio e controle de troca de marcha; ( ) Domínio e controle da sinalização; ( ) Domínio e controle de direção; ( ) Estacionamento do veículo; ( ) Manobra de veículo. Observações: Por este Termo de Responsabilidade, assumo a total responsabilidade sobre o veículo acima citado de minha responsabilidade, que disponho para o uso dos serviços prestados a esta Empresa, mantendo sempre o veículo em ótimas condições de transito e abastecido para o cumprimento da prestação dos serviços solicitados pela Empresa. A Empresa não se responsabiliza por nenhum tipo de Multa ou Acidente que venha a ocorrer com o veículo acima citado. Assinatura do funcionário Assinatura da EMPRESA

7 ANEXO III INSPEÇÃO DE MEIO AMBIENTE TRANSPORTE DE PRODUTO PERIGOSO Data: / / Referência: Portaria MT 204/97 / Decreto 96044/88 Veículo: Itens OK desvio observações Calços EPI Escoramento entre os tanques Extintores Ficha de emergência Fumantes no local Jogo de ferramenta Motor desligado Motorista com treinamento específico Painel de segurança Pessoas na carona Rótulo de risco Tanque fechado Vestígios de combustível externo ao tanque Material Absorvente Responsável veículo/equipamento: Órgão de Meio Ambiente/Avaliador: Nome Rubrica Nome Rubrica

8 ANEXO IV RELATÓRIO DE NÃO CONFORMIDADE, AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA Data: Referência: Descrição da não conformidade real ou potencial: Ação Mitigadora: Causa da não conformidade Emitente: Ação Corretiva / Preventiva Data Ciente (DO): Data: Eficácia da ação adotada e fechamento da NC Fechamento da Não Conformidade Emitente Data: DO: Data:

9 ANEXO A INDICADORES DE SMS Efetiv o HH T Nº Acidentad os Índice de Acidentad os Taxa Freq. Acidentados CPT SPT CPT SPT Perd. Dias Computado s De bit. Taxa Gravida de Exames Periódicos Pro g. Realiz. Índice de Exames Periódicos Itens Inspeções de SSO Lev ant. Corri g. Índic e Elim. / Neut. Itens Insp. SSO Nº de Acident es de Trânsito Indice de Acident es de Trânsito Ja n /0 0 Fe v /0 Ma r /0 Ab r /0 Ma i /0 Ju n /0 Jul /0 Ag o /0 Se t /0 Ou t /0 No v /0 De z /0 To t /0 0

Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços

Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços Famílias Todos Todos Todas Critério SMS Critério CONJUNTO DE REQUISITOS DE SMS PARA CADASTRO CRITÉRIO DE NOTAS DO SMS Portal do Cadastro SMS MEIO AMBIENTE Certificação ISO 14001 - Sistema de Gestão Ambiental

Leia mais

ADITIVO 03 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2014

ADITIVO 03 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2014 ADITIVO 03 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2014 O Prefeito Municipal de Piranga MG, faz saber que fica alterado o Edital de Concurso Público da seguinte forma: Fica acrescentado ao Edital 01/2014 a

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL PARA PG 012/04 GESTÃO DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS Página 2 de 7

PROCEDIMENTO GERENCIAL PARA PG 012/04 GESTÃO DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS Página 2 de 7 EQUIPAMENTOS Página 2 de 7 1 OBJETIVO Este procedimento estabelece os critérios básicos de suprimento e logística de materiais assim como as diretrizes para a armazenagem, preservação e manuseio de materiais

Leia mais

IN 002/2009 UTILIZAÇÃO DA FROTA DE VEÍCULOS

IN 002/2009 UTILIZAÇÃO DA FROTA DE VEÍCULOS IN 002/2009 UTILIZAÇÃO DA FROTA DE VEÍCULOS Instrução Normativa do Conselho Nacional do Brasil Nº 002/2009, de 24/01/2009.aprovada em Reunião Plenária Ordinária desse Conselho, realizada no dia 24 de janeiro

Leia mais

LOTE 05 ESPECIFICAÇÕES TÉNICAS TRATOR 4X4, 85 CV

LOTE 05 ESPECIFICAÇÕES TÉNICAS TRATOR 4X4, 85 CV LOTE 05 ESPECIFICAÇÕES TÉNICAS TRATOR 4X4, 85 CV 1/5 SUMÁRIO 1 OBJETO... 3 2 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS MÍNIMAS DO TRATOR... 3 3 COMPARTIMENTO DO OPERADOR... 4 5 OBSERVAÇÕES NA PROPOSTA... Erro! Indicador

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAGUACEMA

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAGUACEMA COMISSÃO ESPECIAL DO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS DOS CARGOS EFETIVOS QUE COMPÕEM O QUADRO GERAL DE SERVIDORES PÚBLICOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE ARAGUACEMA/TO

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE CRÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA

RELATÓRIO DE ANÁLISE CRÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA 1/ 22 LOCAL: Sala de Reunião Presidência HORÁRIO: 14:00 H Assuntos tratados: 1. Resultados das auditorias internas e das avaliações do atendimento aos requisitos legais e outros subscritos pela organização

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 00 11/01/10 Emissão Inicial N/A

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 00 11/01/10 Emissão Inicial N/A Página 1 de 9 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 11/01/10 Emissão Inicial N/A Documento via original Assinada OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 015/2011

RESOLUÇÃO Nº 015/2011 RESOLUÇÃO Nº 015/2011 Súmula: Aprova o Manual de normas para a utilização de veículos no âmbito da UENP. CONSIDERANDO as disposições estatutárias e regimentais, e a aprovação pelo Conselho de Administração

Leia mais

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA 1 / 8 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Meio Ambiente por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Diretoria de Sustentabilidade DS, sobre as obras executadas no

Leia mais

Guia de Mobilização de Terceiros Vale Fertilizantes

Guia de Mobilização de Terceiros Vale Fertilizantes Guia de Mobilização de Terceiros Vale Fertilizantes Rev.: 05 - Julho/2014 1 1. INTRODUÇÃO O objetivo deste guia é definir conceitos e estabelecer diretrizes básicas para mobilização de empresas CONTRATADAS

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 6 1. OBJETIVO Estabelecer procedimentos para identificação de não-conformidades, assim como a implantação de ação corretiva e ação preventiva, a fim de eliminar as causas das não-conformidades

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO TUTORIA PRESENCIAL T03 MG

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO TUTORIA PRESENCIAL T03 MG I IDENTIFICAÇÃO Elaborado por: Bethania Rocha Cardoso Silva Aprovado por: Katyana Aragão Versão: 01 Data da aprovação: II IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA ATENDIDA Empresa: ELBI ELÉTRICA INDUSTRIAL LTDA Nome do

Leia mais

Curso Técnico de Segurança do Trabalho: 3 (três) períodos com 7 (sete) disciplinas por período. 1º PERÍODO DO CURSO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

Curso Técnico de Segurança do Trabalho: 3 (três) períodos com 7 (sete) disciplinas por período. 1º PERÍODO DO CURSO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Campus São Gonçalo Curso Técnico de Segurança do Trabalho:

Leia mais

PROCEDIMENTO IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO

PROCEDIMENTO IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO . NOME DA ATIVIDADE: RESULTADOS ESPERADOS: - VERIFICAR SE A EMPRESA ESTÁ ATENDENDO ÀS EXIGÊNCIAS LEGAIS. - MANTER O EMPREGADOR INFORMADO SOBRE AS EXIGÊNCIAS LEGAIS APLICÁVEIS AO SEU NEGÓCIO. - ORIENTAR

Leia mais

REGULAMENTO 3º DRAG BIKE RACE VALLEY

REGULAMENTO 3º DRAG BIKE RACE VALLEY REGULAMENTO 3º DRAG BIKE RACE VALLEY NORMAS E REGULAMENTO 0 Obrigatório o Uso de Capacete Fechado 1 Calça Jeans 2 Jaqueta Manga Longa 3 Tênis 4 Proibido testes de Motocicletas na área de boxes, estacionamento

Leia mais

Grupo MAHLE Brasil Data 01/08/08 Página 1/6 Nº Id. SSO Revisão 01

Grupo MAHLE Brasil Data 01/08/08 Página 1/6 Nº Id. SSO Revisão 01 Grupo MAHLE Brasil Data 01/08/08 Página 1/6 1. OBJETIVO 1.1 Assegurar que os trabalhos não rotineiros sejam executados com segurança. 1.2 Garantir a prévia coordenação / comunicação entre os empregados

Leia mais

2º Prêmio SICEPOT-MG Boas Práticas em Saúde e Segurança no Trabalho. Programa Produtividade Segura

2º Prêmio SICEPOT-MG Boas Práticas em Saúde e Segurança no Trabalho. Programa Produtividade Segura 2º Prêmio SICEPOT-MG Boas Práticas em Saúde e Segurança no Trabalho Programa Produtividade Segura O que é terraplenagem? É o conjunto de operações de escavação, carga, transporte, descarga, compactação

Leia mais

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Revisão: 02 Página 1 de 6 DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 21/08/2014 01 03/12/2015 02 Definição mais clara da sistemática de tratativa de cargas

Leia mais

RIO DE JANEIRO - RJ, QUARTA-FEIRA, 13 DE FEVEREIRO DE PARA CONHECIMENTO DESTA INSPETORIA E DEVIDA EXECUÇÃO, PUBLICO O SEGUINTE: Sem Alteração.

RIO DE JANEIRO - RJ, QUARTA-FEIRA, 13 DE FEVEREIRO DE PARA CONHECIMENTO DESTA INSPETORIA E DEVIDA EXECUÇÃO, PUBLICO O SEGUINTE: Sem Alteração. Pág. Nr 1 RIO DE JANEIRO - RJ, QUARTA-FEIRA, 13 DE FEVEREIRO DE 2013. PARA CONHECIMENTO DESTA INSPETORIA E DEVIDA EXECUÇÃO, PUBLICO O SEGUINTE: 1ª PARTE SERVIÇOS DIÁRIOS Sem Alteração. 2ª PARTE INSTRUÇÃO

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA SAD/COMPESA N.º xxx, de xx de novembro de 2012 ANEXO I QUADRO DE VAGAS

PORTARIA CONJUNTA SAD/COMPESA N.º xxx, de xx de novembro de 2012 ANEXO I QUADRO DE VAGAS PORTARIA CONJUNTA SAD/COMPESA N.º xxx, de xx de novembro de 2012 ANEXO I QUADRO DE VAGAS I - QUADROS DE VAGAS, COM RESERVAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E REMUNERAÇÕES MENSAIS Reservadas para Advogado

Leia mais

Referência: Licença de Operação (Transporte de Resíduos) Atividade objeto do licenciamento: Código DN 74/04 Descrição

Referência: Licença de Operação (Transporte de Resíduos) Atividade objeto do licenciamento: Código DN 74/04 Descrição PARECER ÚNICO nº 176 /2008 PROTOCOLO Nº 556469/2008 Indexado ao(s) Processo(s) Licenciamento Ambiental Nº LO DEFERIMENTO Outorga Nº: (Não Aplicável) xxx xxx APEF Nº: (Não Aplicável) xxx xxx Reserva legal

Leia mais

Regulamento 4ª edição: Motorista TOP 10 Coopercarga

Regulamento 4ª edição: Motorista TOP 10 Coopercarga Regulamento 4ª edição: Motorista TOP 10 Coopercarga Objetivo do Projeto Abrangência Categorias Comissão Organizadora Indicadores de Avaliação Pontuação Normas Gerais (regras) Premiações Calendário Considerações

Leia mais

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA 1 MÓDULO 20: SEGURANÇA NO TRABALHO CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA ANEXOS: 1 Fluxo do Subprocesso Constituir Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA 2 Formulário

Leia mais

Grupo MAHLE Brasil Data: 01/08/08 Página 1/5 Nº Id. SSO Revisão: 03

Grupo MAHLE Brasil Data: 01/08/08 Página 1/5 Nº Id. SSO Revisão: 03 Grupo MAHLE Brasil Data: 01/08/08 Página 1/5 1. OBJETIVO Estabelecer procedimentos de segurança para Aquisição de Maquinas e Equipamentos, conforme legislação aplicável disposto na Portaria n. º 3.214/78,

Leia mais

Módulo 8. NBR ISO Interpretação dos requisitos: 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, 4.5.5, 4.6 Exercícios

Módulo 8. NBR ISO Interpretação dos requisitos: 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, 4.5.5, 4.6 Exercícios Módulo 8 NBR ISO 14001 - Interpretação dos requisitos: 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, 4.5.5, 4.6 Exercícios 4.4.6 Controle Operacional A organização deve identificar e planejar aquelas operações

Leia mais

Ações voltadas para saúde, segurança e prevenção de acidentes nas empresas de transporte. Ricardo Hegele

Ações voltadas para saúde, segurança e prevenção de acidentes nas empresas de transporte. Ricardo Hegele Ações voltadas para saúde, segurança e prevenção de acidentes nas empresas de transporte Ricardo Hegele Footer Text 11/23/2016 1 Dr. Ricardo Hegele - Graduado em Medicina e Direito - Pós Graduado em Medicina

Leia mais

GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS-GDP

GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS-GDP GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS-GDP SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS JOAO FRANCISCO ALVES ORGANOGRAMA FUNCIONAL Gerência de Desenvolvimento de

Leia mais

Gestão de Riscos Operacionais

Gestão de Riscos Operacionais 1 Gestão de Riscos Operacionais EHS Business 2016 Rafael Purcell Breckenfeld purcell_breckenfeldrafael@siemens.com (11) 3908-2214 / 99461-3362 16/05/ 2016 Text do footer Restrito / Chemtech Serviços de

Leia mais

19ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA. Sustentabilidade e Meio Ambiente. Monitoramento Ambiental das Obras da Linha 17 Ouro

19ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA. Sustentabilidade e Meio Ambiente. Monitoramento Ambiental das Obras da Linha 17 Ouro 19ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA Sustentabilidade e Meio Ambiente Monitoramento Ambiental das Obras da Linha 17 Ouro OBJETIVO Apresentar a metodologia utilizada pela Gerência do Empreendimento

Leia mais

PREVENÇÃO, PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIAS E DESASTRES QUÍMICOS

PREVENÇÃO, PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIAS E DESASTRES QUÍMICOS Curso de Auto-aprendizagem PREVENÇÃO, PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIAS E DESASTRES QUÍMICOS Gerenciamento de risco Químico Edson Haddad CETESB Gerenciamento de risco Propósito do PGR Programa de Gerenciamento

Leia mais

REGULAMENTO 2º DRAG BIKE RACE VALLEY.

REGULAMENTO 2º DRAG BIKE RACE VALLEY. REGULAMENTO 2º DRAG BIKE RACE VALLEY. NORMAS E REGULAMENTO Obrigatório o Uso de Capacete Fechado Calça Jeans Camisa manga longa ou Jaqueta Proibido testes de Motocicletas na área de boxes, estacionamento

Leia mais

CONHEÇA TODAS AS VERSÕES DO HYUNDAI CRETA: Itens de série em todas as versões

CONHEÇA TODAS AS VERSÕES DO HYUNDAI CRETA: Itens de série em todas as versões CONHEÇA TODAS AS VERSÕES DO HYUNDAI CRETA: Itens de série em todas as versões Moldura cromada na tampa do porta-malas Lanternas Clear Type Retrovisores externos na cor da carroceria com luz indicadora

Leia mais

ANEXO I - Modelo de requerimento para solicitação de veículo

ANEXO I - Modelo de requerimento para solicitação de veículo ANEXO I - Modelo de requerimento para solicitação de veículo À Prefeitura Universitária A/C da Seção de Transportes do Departamento de Segurança e Logística Solicitante: ( ) Servidor ( ) Aluno Matrícula:

Leia mais

- ; - -1,- NOTA TÉCNICA N`&5-7.12016/ CGNOR/DSST/SIT/MTPS

- ; - -1,- NOTA TÉCNICA N`&5-7.12016/ CGNOR/DSST/SIT/MTPS . - ; - -1,- - MINISTÉRIO DO TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO Esplanada dos Ministérios, Bloco F, Anexo, Ala B, 1 andar, sala 176 - CEP: 70056-900 - Brasilia/DF sitgmte

Leia mais

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - QUALIDADE, MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Empresa: Cristal Raidalva Rocha OBJETIVO Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos

Leia mais

Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas: Financeira

Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas: Financeira Diretoria Administrativo-Financeira Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas: Administrativa Gestão de pessoas Financeira Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas

Leia mais

<!ID410643-0> PORTARIA Nº 808, DE 11 DE OUTUBRO DE 2011

<!ID410643-0> PORTARIA Nº 808, DE 11 DE OUTUBRO DE 2011 PORTARIA Nº 808, DE 11 DE OUTUBRO DE 2011 O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO - DENATRAN, no uso das atribuições legais, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art.

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança. Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

Número: IT-DRH-SST-001. Revisão: 00 CIPA. Data: Página 1 de 6 SUMÁRIO

Número: IT-DRH-SST-001. Revisão: 00 CIPA. Data: Página 1 de 6 SUMÁRIO Página 1 de 6 SUMÁRIO 1. Objetivo... 3 2. Escopo... 3 3. Referências... 3 4. Definições... 3 Conceitos... 3 Siglas... 3 5. Detalhamento... 4 Atribuições da... 4 Constituição da... 4 Treinamento da... 4

Leia mais

ANEXO XI-B ACORDO DE NÍVEL DE SERVIÇO ANS

ANEXO XI-B ACORDO DE NÍVEL DE SERVIÇO ANS ANEXO XI-B ACORDO DE NÍVEL DE SERVIÇO ANS 1. Disponibilidade dos serviços do ambiente de produção Meta aceitável Garantir que os serviços do ambiente de produção do Data Center do estejam disponíveis para

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO D E SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE OCUPACIONAL

SISTEMA DE GESTÃO D E SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE OCUPACIONAL ROCEDIMENTO CONTROLE DE REGISTROS Nº E-SMS-010 Fl. 1/5 Rev. Data Descrição Executado Verificado Aprovado 0 A 20/03/07 02/02/08 Emissão Inicial Revisado logotipo, endereço e razão social da GENRO; Incluído

Leia mais

AMPLITUDE 2.1. Todas as atividades realizadas no escopo do SGI da ABCZ.

AMPLITUDE 2.1. Todas as atividades realizadas no escopo do SGI da ABCZ. 1. OBJETIVO Sistematizar em toda a Empresa a forma de identificar o potencial e de atender a acidentes e situações de emergência, bem como para prevenir e mitigar os impactos ambientais que possam estar

Leia mais

PROVA 2 Direção Defensiva

PROVA 2 Direção Defensiva PROVA 2 Direção Defensiva 01 São deveres do motorista defensivo, exceto: a) Usar sempre o cinto de segurança. b) Manter o veículo sempre em boas condições de funcionamento. c) Ser capaz de raciocinar com

Leia mais

Código Revisão Área Aprovação Data Página PS 12 3 Gestão Diretor Técnico 17/04/2017 1

Código Revisão Área Aprovação Data Página PS 12 3 Gestão Diretor Técnico 17/04/2017 1 PS 12 3 Gestão Diretor Técnico 17/04/2017 1 1. OBJETIVO Estabelecer uma sistemática para análise das causas de não conformidades e implementação de ações corretivas, com o intuito de eliminar a reincidência

Leia mais

II.9.4 - Projeto de Educação Ambiental dos Trabalhadores

II.9.4 - Projeto de Educação Ambiental dos Trabalhadores Atividade de Perfuração Marítima no Projeto de Educação Ambiental dos Trabalhadores II.9.4 Pág. 1 / 10 II.9.4 - Projeto de Educação Ambiental dos Trabalhadores II.9.4.1 - Introdução e Justificativa A atividade

Leia mais

SGi. SOLUÇÃO GESTÃO INTELIGENTE

SGi. SOLUÇÃO GESTÃO INTELIGENTE RELAÇÃO DE TREINAMENTOS 2017 www.sginteligente.com.br TREINAMENTOS PARA SUA EMPRESA - 1º SEMESTRE DE 2017 1 QUALIDADE Empresas e Profissionais interessados na ISO 9001 1.1 Interpretação da ISO 9001:2015

Leia mais

Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes

Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO UFERSA DISCIPLINA: INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes 2012.2 INTRODUÇÃO Principais ferramentas - garantia da inocuidade,

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Pelo presente instrumento particular, de um lado, a EMPRESA, qualificada no TERMO DE ADESÃO À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

Dicas para um bom aprendizado

Dicas para um bom aprendizado Dicas para um bom aprendizado A Primeira dica é manter-se calmo, a paciência é o melhor remédio para um bom aprendizado. Não deixe que nervosismo tome conta de você, mostre para ele que você é mais forte.

Leia mais

A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA AR PARA PARCEIROS TQUIM TRANSPORTES

A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA AR PARA PARCEIROS TQUIM TRANSPORTES A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA AR PARA PARCEIROS TQUIM TRANSPORTES Estrutura Fundação: 1980 Estrutura: Matriz: Diadema/SP Pátio Estação de limpeza de tanques equipe com 12 operadores, 3 líderes, 3 turnos de

Leia mais

Modificação de componentes e sistemas Scania cobertos por certificados. Informações gerais

Modificação de componentes e sistemas Scania cobertos por certificados. Informações gerais Informações gerais Os veículos e os sistemas incluídos são certificados para atender a requisitos legais com relação à segurança na estrada, impacto ambiental etc. Informações gerais Um componente pode

Leia mais

LISTA DE CHECAGEM. TRANSPORTE DE TRABALHADORES EM VEÍCULOS AUTOMOTORES (Caminhões)

LISTA DE CHECAGEM. TRANSPORTE DE TRABALHADORES EM VEÍCULOS AUTOMOTORES (Caminhões) LISTA DE CHECAGEM DE TRANSPORTE DE TRABALHADORES EM VEÍCULOS AUTOMOTORES (Caminhões) 1 Autor DEOGLEDES MONTICUCO Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurança

Leia mais

1 - Sistema Integrado de Gestão Sócio Ambiental Saúde e Segurança do Empreendimento/Canteiro Obras... 1/161

1 - Sistema Integrado de Gestão Sócio Ambiental Saúde e Segurança do Empreendimento/Canteiro Obras... 1/161 1 - Sistema Integrado de Gestão Sócio Ambiental Saúde e Segurança do Empreendimento/Canteiro Obras... 1/161 1.1 - Aspectos Gerais... 1/161 1.1.1 - Apresentação... 1/161 1.2 - Introdução... 2/161 1.2.1

Leia mais

A Implantação do Sistema do Sistema da Qualidade e os requisitos da Norma ISO NBR 9001:2000

A Implantação do Sistema do Sistema da Qualidade e os requisitos da Norma ISO NBR 9001:2000 1. A Norma NBR ISO 9001:2000 A Implantação do Sistema do Sistema da Qualidade e os requisitos da Norma ISO NBR 9001:2000 A ISO International Organization for Standardization, entidade internacional responsável

Leia mais

MANUAL DE PESSOAL MÓDULO 39: PROGRAMA DE GESTÃO DA SAÚDE PREVENTIVA E QUALIDADE DE VIDA VIVA MELHOR

MANUAL DE PESSOAL MÓDULO 39: PROGRAMA DE GESTÃO DA SAÚDE PREVENTIVA E QUALIDADE DE VIDA VIVA MELHOR 1 MÓDULO 39: PROGRAMA DE GESTÃO DA SAÚDE PREVENTIVA E QUALIDADE DE VIDA VIVA MELHOR CAPÍTULO 1: GESTÃO INTEGRADA DO PROGRAMA VIVA MELHOR - GIPS ANEXOS: 1 Fluxo do Subprocesso de Gestão Integrada do Programa

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA DE ANCHIETA CNPJ 27.142.694/0001-58

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA DE ANCHIETA CNPJ 27.142.694/0001-58 INSTRUÇÃO NORMATIVA PARA COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO Nº 01 /2015 Data: 21/11/2014 Versão: Original 01 ASSUNTO DISCIPLINA SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO CAT NO ÂMBITO

Leia mais

CAPÍTULO II DA ESTRUTURA DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

CAPÍTULO II DA ESTRUTURA DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES, que dispõe sobre a estruturação e operacionalização do Núcleo de Prática Jurídica - NUPRAJUR

Leia mais

Transporte de Trabalhador Rural. Exigências Conforme NR 31

Transporte de Trabalhador Rural. Exigências Conforme NR 31 Transporte de Trabalhador Rural Exigências Conforme NR 31 Carta do Presidente Cada vez mais, o compromisso dos cidadãos, organizações não governamentais, públicas e privadas com o desenvolvimento sustentável

Leia mais

PROCESSO DE COMPRAS Revisão: 01 Página 1 de 8

PROCESSO DE COMPRAS Revisão: 01 Página 1 de 8 PROCEDIMENTO PR 7.02 PROCESSO DE COMPRAS Revisão: 01 Página 1 de 8 1. HISTÓRICO DE REVISÕES DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 24/09/2014 01 Adequação da sistemática do processo

Leia mais

Assessoria, Consultoria e Treinamentos em Segurança do Trabalho e Meio Ambiente.

Assessoria, Consultoria e Treinamentos em Segurança do Trabalho e Meio Ambiente. www.ssocial.com.br TÓPICOS Sobre Nós...03 Relatório do perfil profissiográfico previdenciário - PPP...04 Laudo técnico das condições do ambiente de trabalho...04 Laudo de avaliação dos riscos ambientais...05

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA AS EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) SUMÁRIO & '!

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA AS EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) SUMÁRIO & '! Página 1 de 11 SUMÁRIO! " #$ % & $! & '! $ " () % %% % ($)& $ Página 2 de 11 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS PÁGINA SUMÁRIO DE MUDANÇA DATA ELABORADO APROVADO Todas Liberação do documento 07/07/2001 Todas Todas

Leia mais

Método de Análise e Solução de Problemas PROGRAMA DE QUALIDADE USP. Tópicos principais: MÉTODO PDCA. 1 Método PDCA para gerenciamento de melhorias.

Método de Análise e Solução de Problemas PROGRAMA DE QUALIDADE USP. Tópicos principais: MÉTODO PDCA. 1 Método PDCA para gerenciamento de melhorias. Método de Análise e Solução de Problemas PROGRAMA DE QUALIDADE USP Ano 2006 Prof. Jésus L. Gomes Tópicos principais: 1 Método PDCA para gerenciamento de melhorias. 2 Abordagem para identificação de problemas

Leia mais

Parceria. Visite nossos sites!

Parceria. Visite nossos sites! Parceria http://www.as-solucoes.com.br http://www.allservice.com.br Visite nossos sites! Parceria AS x All Service Visando as alterações de mercado, verificamos a necessidade de muitos clientes que não

Leia mais

ALLURE BUSINESS PRO THP AUTO

ALLURE BUSINESS PRO THP AUTO ALLURE BUSINESS PRO THP AUTO CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS MOTOR Número de cilindros Número de válvulas / cilindro Cilindrada ( l ) Potência máxima cv (DIN) / rpm Torque máximo kgf.m (DIN) / rpm Velocidade

Leia mais

Gordura (g/100g) Mínimo de 3,0. Sólidos Não-Gordurosos (g/100g) Mínimo de 8,4. Acidez em ácido lático (g/100ml) 0,14 a 0,18

Gordura (g/100g) Mínimo de 3,0. Sólidos Não-Gordurosos (g/100g) Mínimo de 8,4. Acidez em ácido lático (g/100ml) 0,14 a 0,18 1. INTRODUÇÃO Atualmente se compreende como leite de qualidade os que seguem os parâmetros de composição química eigidos pela Instrução Normativa Nº62 (IN 62) do MAPA e que sejam seguidos procedimentos

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA. Responsável Técnico: Executante: Portador/ Ponto de Uso: Recursos Necessários:

PLANO DE EMERGÊNCIA. Responsável Técnico: Executante: Portador/ Ponto de Uso: Recursos Necessários: TÍTULO: PLANO DE EMERGÊNCIA N.º PRO- -DECG Pág.: 1 de 5 Responsável Técnico: Executante: Portador/ Ponto de Uso: Recursos Necessários: PLANO DE EMERGÊNCIA TÍTULO: PLANO DE EMERGÊNCIA N.º PRO- -DECG Pág.:

Leia mais

COORDENAR SERVIÇOS GERAIS DE INFRAESTRUTURA 1 OBJETIVO

COORDENAR SERVIÇOS GERAIS DE INFRAESTRUTURA 1 OBJETIVO Proposto por: Diretora do Departamento de Administração (DEADM) Analisado por: Assessora da Assessoria de Gestão Estratégica (ASGET) Aprovado por: Secretária da Secretaria-Geral de Ensino (SECGE) 1 OBJETIVO

Leia mais

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA.

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. CLAUSULA PRIMEIRA: OBJETIVO. 1.1. Estabelecer diretrizes de

Leia mais

PROGRAMA VIAGEM SEGURA

PROGRAMA VIAGEM SEGURA PROGRAMA VIAGEM SEGURA O que é o Programa Viagem Segura? Trata-se de um programa de monitoramento do comportamento dos condutores e usuários dos veículos de transporte coletivo, focado principalmente nas

Leia mais

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO CARGO Assistente Operacional Assistente Administrativo PRÉ- REQUISITO completo completo TOTAL DE VAGAS VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA 01 R$ 1.813,45 40 horas 02 R$

Leia mais

Ficha de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ) FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

Ficha de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ) FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Página 1 de 9 Página 01/07 SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO NOME DO FABRICANTE ENDEREÇO Rua Dr. Fernão Pompeu de Camargo, 1704/52 Jardim do Trevo - Campinas/SP - CEP: 13040-010 SEÇÃO 2.0 TIPO DE PRODUTO PREPARADO

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE SMS

SISTEMA DE GESTÃO DE SMS PROCEDIMENTO CAPACITAÇÃO TÉCNICA Nº PE-SMS-015 Fl. 1/6 Rev. Data Descrição Executado Verificado Aprovado 0 18/10/2010 Emissão Inicial CGS JMn NDF SISTEMA DE GESTÃO DE SMS Propriedade e uso exclusivo da

Leia mais

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Professor: Graduação: Valmir Gonçalves Carriço www.professorvalmir.com.br / valmir.carrico@anhanguera.com Engenheiro Industrial Mecânico UNISANTA Universidade Santa Cecília Pós Graduação: Engenheiro de

Leia mais

Impresso em 26/08/2015 13:39:41 (Sem título)

Impresso em 26/08/2015 13:39:41 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Andrea Gaspar/BRA/VERITAS em 02/12/2013 Verificado por Cristiane Muniz em 05/12/2013 Aprovado por Denis Fortes/BRA/VERITAS em 06/12/2013 ÁREA GRH Tipo Procedimento Regional Número

Leia mais

Avaliação MT-611-00003 Última Atualização 25/04/2012

Avaliação MT-611-00003 Última Atualização 25/04/2012 Avaliação MT-611-00003 Última Atualização 25/04/2012 I. Objetivos Após completar este módulo de capacitação você será capaz de: 1. Entender os conceitos envolvidos no processo de avaliação realizado pela

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) DETERGENTE LIMPOL (Neutro, Cristal, Limão, Coco, Maçã, Chá Verde, Laranja e Caribe)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) DETERGENTE LIMPOL (Neutro, Cristal, Limão, Coco, Maçã, Chá Verde, Laranja e Caribe) Página 1 de 7 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome: Detergente Limpol Códigos internos: Neutro: 5004 (500ml) / 19008 (5L) Cristal: 5002 (500ml) Limão: 5003 (500ml) Coco: 5006 (500ml) Maçã: 5005

Leia mais

Polidor de Automóveis

Polidor de Automóveis Polidor de Automóveis O Curso de Iniciação Profissional Polidor de Automóveis tem por objetivo o desenvolvimento de competências relativas a realização de polimento e conservação de pinturas automotivas.

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08)

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) Oficina 07 Política de Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho Objetivos, Metas e Programas 4.2 Política de SSTMA A Alta Administração

Leia mais

Portaria n.º 106, de 25 de fevereiro de 2015. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 106, de 25 de fevereiro de 2015. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 106, de 25 de fevereiro de 2015. CONSULTA

Leia mais

A BÍblia. de Segurança

A BÍblia. de Segurança A BÍblia de Segurança Copyright da Katoen Natie e da Dicky para as ilustrações. Esta publicação não pode ser reproduzida ou transmitida, no todo ou em parte, sob qualquer forma ou por qualquer meio eletrônico

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado do Ambiente Instituto Estadual do Ambiente LICENÇA DE OPERAÇÃO

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado do Ambiente Instituto Estadual do Ambiente LICENÇA DE OPERAÇÃO b43a7c91-76fd-4413-a4bd-b24656633492 O (Inea), no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei nº 5.101, de 04 de outubro de 2007 e pelo Decreto nº 41.628, de 12 de janeiro de 2009 e suas modificações

Leia mais

BIT 374 LAÇAMENTO PEUGEOT 3008

BIT 374 LAÇAMENTO PEUGEOT 3008 CIRCULAR REDE De : DIREÇÃO PEÇAS E SERVIÇOS Para : Rede de Concessionárias Data : 03/11/2010 Código Circular: 374 Depto 11/10 Página (s) : 07 Cc: Gerentes regionais Peças e Serviços Peugeot Direção PBRA

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto Anti embaçante Código interno de identificação 00.00.000.000 Nome da empresa Endereço Aeroflex Indústria de Aerosol Ltda. Rod. BR 116 km 120 n 26640

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016

PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016 PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016 1. INTRODUÇÃO A Faculdade de Medicina Veterinária/UNESP Câmpus de Araçatuba, é uma instituição que possui como principais atividades: o Ensino e a Pesquisa.

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE OCUPACIONAL

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE OCUPACIONAL PROCEDIMENTO AUDITORIA INTERNA Nº PE-SMS-008 Fl. 1/8 Rev. Data Descrição Executado Verificado Aprovado 0 A B 20/03/07 02/02/08 30/04/15 Emissão Inicial Revisado logotipo, endereço e razão social da GENPRO

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA outubro/2010

Leia mais

NORMA DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS NORMATIVOS - NOR 101

NORMA DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS NORMATIVOS - NOR 101 ASSUNTO: Elaboração de Instrumentos Normativos MANUAL DE ORGANIZAÇÃO APROVAÇÃO: Deliberação DIREX nº 25, de 12/05/2016 COD. VIGÊNCIA: 100 12/05/2016 NORMA DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS 1/10 SUMÁRIO 1 FINALIDADE...

Leia mais

04/07/2008 Dra. Claudia Meira

04/07/2008 Dra. Claudia Meira 42º Congresso Brasileiro de Patologia Clinica / Medicina Laboratorial 04/07/2008 Não-conformidades: Como tratá-las de forma eficaz? 04/07/2008 04/07/2008 Como classificá-las? A competitividade é a palavra

Leia mais

PPODE - ESTRATÉGICO. Slide 1 BALANCED SCORECARD CRESCIMENTO PRODUTIVIDADE MAIS RESULTADOS. Ms. RICARDO RESENDE DIAS

PPODE - ESTRATÉGICO. Slide 1 BALANCED SCORECARD CRESCIMENTO PRODUTIVIDADE MAIS RESULTADOS. Ms. RICARDO RESENDE DIAS Slide 1 BALANCED SCORECARD PRODUTIVIDADE CRESCIMENTO MAIS RESULTADOS Ms. RICARDO RESENDE DIAS BALANCED SCORECARD Slide 2 BSC CONCEITO FINALIDADE APLICAÇÃO PRÁTICA ESTRATÉGIA - BSC Slide 3 Ativos Tangíveis

Leia mais

nas redes sociais: OnibusVolare Conforto e tecnologia de ponta.

nas redes sociais: OnibusVolare Conforto e tecnologia de ponta. www.volare.com.br nas redes sociais: OnibusVolare Conforto e tecnologia de ponta. linhapremium A Volare buscou no conceito veicular aplicado nos automóveis a inspiração para projetar a linha Premium:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 14/98 (com as alterações das Resoluções nº 87/99, nº 228/07, nº 259/07 e nº 279/08)

RESOLUÇÃO Nº 14/98 (com as alterações das Resoluções nº 87/99, nº 228/07, nº 259/07 e nº 279/08) RESOLUÇÃO Nº 14/98 (com as alterações das Resoluções nº 87/99, nº 228/07, nº 259/07 e nº 279/08) Estabelece os equipamentos obrigatórios para a frota de veículos em circulação e dá outras providências.

Leia mais

PROCESSO DE LIBERAÇÃO DE ACESSO Aos prestadores de serviço AKZO NOBEL PULP AND PERFORMANCE QUIMICA BAHIA LTDA

PROCESSO DE LIBERAÇÃO DE ACESSO Aos prestadores de serviço AKZO NOBEL PULP AND PERFORMANCE QUIMICA BAHIA LTDA PROCESSO DE LIBERAÇÃO DE ACESSO Aos prestadores de serviço AKZO NOBEL PULP AND PERFORMANCE QUIMICA BAHIA LTDA Este procedimento tem por objetivo estabelecer os critérios a serem observados pelas empresas

Leia mais

OPERADOR DE MÁQUINAS PESADAS

OPERADOR DE MÁQUINAS PESADAS PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 1/2014 Prefeitura Municipal de Bom Despacho OPERADOR DE MÁQUINAS PESADAS 1)- Marque a opção CORRETA que constitui infração gravíssima. A) Dirigir sem atenção ou sem os

Leia mais

VALIDAÇÃO DE FORNECEDORES

VALIDAÇÃO DE FORNECEDORES 1 de 5 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial ATO, VSC, LAS 1 Objetivo Estabelecer uma comissão e um fluxo de trabalho para

Leia mais

Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC

Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 INTRODUÇÃO... 2 OBJETIVOS... 3 CONCEITOS...

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS

GERENCIAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS PS 15 2 Segurança do Trabalho Diretor Técnico 17/04/2017 1 1. OBJETIVO Definir sistemática para o gerenciamento dos produtos químicos utilizados nos processos da CASTILHO a fim de prevenir impactos ambientais

Leia mais

CONSULTORIA EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

CONSULTORIA EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Documentos legais: PPRA, LTCAT, PPP, PCMSO, E social; Monitoramento de Ruído, vibração, calor e químicos (NR 15) Emissão de laudos técnicos em atendimento a NR 15 e NR 16 Assistência técnica Pericial;

Leia mais

PADRÃO OPERACIONAL - PO

PADRÃO OPERACIONAL - PO Págs.: 1/7 1. OBJETIVO Esclarecer aos Operadores, Ajudantes, Encarregados, Engenheiro e departamento Operacional Guindaste suas responsabilidades perante a Locar e seus clientes. 2. APLICAÇÃO Esta instrução

Leia mais

Clipping Eletrônico - Terça-feira - dia 05/01/2016 Jornal Em Tempo Dia a dia pág. C2 05 de Janeiro de 2016

Clipping Eletrônico - Terça-feira - dia 05/01/2016 Jornal Em Tempo Dia a dia pág. C2 05 de Janeiro de 2016 Clipping Eletrônico - Terça-feira - dia 05/01/2016 Jornal Em Tempo Dia a dia pág. C2 05 de Janeiro de 2016 Jornal A Crítica Cidades pág. C3 05 de Janeiro de 2016. Av. Mário Ypiranga, 1695 Adrianópolis

Leia mais