CUF Químicos Industriais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CUF Químicos Industriais"

Transcrição

1 CUF Químicos Industriais

2 Sergio Faias De: Antonio Mesquita de Sousa Enviado: segunda-feira, 15 de Setembro de :43 Para: mpqs2014 Assunto: comentários à proposta de alteração do procedimento nº 6 do manual de Procedimentos da Qualidade de Serviço do sector eléctrico.-r-técnicos/1682 "Comentários à proposta de alteração do procedimento nº 6 do manual de Procedimentos da Qualidade de Serviço do sector eléctrico" Exmos Senhores, Entendemos oportuna a apresentação da proposta acima referenciada de forma a incentivar a melhoria do nivel de continuidade de serviço dos clientes pior servidos. Concordamos com a proposta de estrutura da componente 2 do mecanismo de incentivo à melhoria da continuidade de serviço, idêntica, em termos de conceito, à estrutura da componente 1. Sugerimos, no entanto, que o valor do incentivo à melhoria da continuidade de serviço, dependente da energia não distribuida (caso da componente 1) e da duração média anual das interrupções (caso da componente 2), tenha também em consideração o número de interrupções, pois para o sector industrial este indicador é bastante relevante. Os critérios de classificação de eventos excepcionais deveriam ser claros e bem definidos. Cumprimentos Mesquita Sousa Director de Operações CUF - Quimicos Industrais Aviso: Este e quaisquer ficheiros informáticos com ele transmitidos são confidenciais e podem conter informação legalmente privilegiada. Caso tenha recebido este indevidamente ou julgue não ser o destinatário do mesmo, queira informar de imediato o remetente e proceder à eliminação desta mensagem. É estritamente proibido o uso, reencaminhamento ou reprodução não autorizada desta mensagem e de quaisquer ficheiros nela contidos. Qualquer opinião expressa na presente mensagem é imputável somente à pessoa que a enviou, a não ser que o contrário resulte expressamente do seu texto. Como o correio electrónico pode ser afectado por dificuldades técnicas ou operacionais, não se garante a sua recepção de forma adequada e atempada. A mensagem foi filtrada por um detector de vírus pelo que o remetente não se responsabiliza por danos provocados por terceiros no sistema informático do destinatário. Warning: This and any files transmitted are confidential and may well also be legally privileged. If you are not the intended recipient or have received it in error or if you believe that you received a misaddressed transmission, please notify us immediately by reply and then delete this message from your system. Any unauthorized use, copying, disclosure or distribution of contents of this is strictly prohibited and may be unlawful. Unless otherwise stated, all views and opinion herein contained are solely the expression of the sender. As can be subject to operational or technical difficulties, the quality of reception may be affected and may be subjected to time delays. A virus checker sweeps outgoing . Therefore the sender doesn't accept any responsibility or liability whatsoever for any adverse effects on your systems or data arising from intercepted, corrupted or virus infected . CUFdisclaimer2011 1

3 DECO Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor

4

5

6

7

8

9

10 EDP Comercial

11 Sergio Faias De: Gonçalo Santos Enviado: terça-feira, 9 de Setembro de :09 Para: mpqs2014 Cc: Miguel Stilwell Andrade; Pedro Pires João; Joana Simões; Rita Alexandra Mota Assunto: Re: Consulta à Proposta de Alteração do Procedimento n.º 6 do Manual de Procedimentos da Qualidade de Serviço do setor elétrico-r-técnicos/1647 Exmos. Senhores. A EDP Comercial agradece o convite endereçado pela ERSE, no sentido de apresentar o seu contributo no âmbito da Consulta à Proposta de Alteração do Procedimento n.º 6 do Manual de Procedimentos da Qualidade de Serviço do sector eléctrico (MPQS). A qualidade de serviço é um assunto da maior importância para os clientes domésticos e não-domésticos, valorizando-se o interesse da ERSE em promover mecanismos de incentivo às entidades reguladas, com o objectivo de melhorar a qualidade de serviço dos clientes piores servidos. A este respeito, EDP Comercial considera que, por princípio, os incentivos devem ser simples, economicamente racionais e transmissores de sinais claros aos agentes. Assim, a EDP Comercial reconhece o potencial positivo do mecanismo de incentivo proposto nesta alteração do MPQS, entendendo que o seu desempenho deve ser monitorizado neste primeiro período da sua aplicação e estando naturalmente disponível para contribuir para a análise e comentário dos resultados que forem atingidos. Agradecendo, uma vez mais, o convite endereçado, Com os melhores cumprimentos, Gonçalo Santos EDP Comercial - Comercialização de Energia, S.A. Gestão de Energia e Preços Diretor Rua Castilho, 165-5º Piso Lisboa, Portugal Tel: Fax: Tlm: Adira à EDP em mercado livre e tenha ainda mais vantagens. Saiba mais aqui. O conteúdo desta mensagem de correio electrónico e seus anexos é confidencial e de uso reservado. Se não é o destinatário, não a guarde, não a reenvie a terceiros, nem faça qualquer uso da informação nela contida. Por favor, apague-a e informe de imediato o remetente. A Internet não garante a confidencialidade e a entrega correcta de mensagens de correio electrónico. A ERSE não aceita responsabilidade por danos causados pela recepção incorrecta desta mensagem. Apesar de esta mensagem ter sido verificada pelo nosso sistema de anti-virus, não podemos garantir que não contenha virus informáticos, e não aceitamos qualquer responsabilidade por danos causados por virus que possam estar contidos nesta mensagem. Para informações sobre a ERSE visite o nosso website em Filtered by Microsoft Forefront Online Security for Exchange 1

12 Clique aqui para reportar este mail como SPAM. Esta mensagem e os ficheiros anexos podem conter informação confidencial ou reservada. Se, por engano, receber esta mensagem, solicita-se que informe de imediato o remetente e que elimine a mensagem e ficheiros anexos sem os reproduzir. This message and any files herewith attached may contain confidential or privileged information. If you receive this message in error, please notify us immediately and delete this message and any files attached without copying them in any way. 2

13 EDP Distribuição

14 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO AO PROCEDIMENTO N.º6 DO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA QUALIDADE DE SERVIÇO Comentários da EDP Distribuição à proposta da ERSE Setembro 2014

15 Alteração do Procedimento n.º 6 do MPQS - Comentários da EDP Distribuição

16 Alteração do Procedimento n.º 6 do MPQS - Comentários da EDP Distribuição Índice 1 Considerações gerais Incentivo à melhoria da continuidade de serviço Cálculo da Energia Não Distribuída (END) na Componente 1 do Incentivo Estrutura proposta para a Componente 2 do Incentivo Cálculo da média deslizante do SAIDI MT 5% Cálculo do SAIDI MT 5% t Banda neutra da Componente Valorização do SAIDI MT 5% Prestação de informação à ERSE Gralhas... 6

17 Alteração do Procedimento n.º 6 do MPQS - Comentários da EDP Distribuição 1 Considerações gerais O MPQS aprovado pelo Regulamento nº 455/2013, de 29 de novembro, estabelece no Procedimento n.º 6 o mecanismo de incentivo à melhoria da continuidade de serviço na rede de Média Tensão (MT). Este mecanismo de incentivo tem o duplo objetivo de melhorar a continuidade global de fornecimento de energia elétrica (componente 1) e de incentivar a melhoria do nível de continuidade de serviço dos clientes pior servidos (componente 2). A aprovação pela ERSE da estrutura da Componente 2 do mecanismo de incentivo à melhoria da continuidade de serviço vai permitir que os seus parâmetros possam ser considerados no processo de aprovação dos parâmetros para o novo período de regulação do setor elétrico que irá ocorrer a partir de 15 de outubro próximo. Desta forma, a ERSE refere no Documento Justificativo da proposta de alteração do MPQS que estarão reunidas as condições para que a aplicação da Componente 2 do mecanismo de incentivo tenha início em Reconhecendo o caminho positivo que tem sido percorrido na continuidade de serviço da rede elétrica, apresentam-se seguidamente algumas considerações gerais que se submetem à ponderação da ERSE. No capítulo seguinte são apresentados comentários específicos às propostas de alteração do Procedimento n.º 6 do MPQS submetidas a consulta pública pela ERSE. Modelo de regulação da continuidade de serviço O modelo de regulação da continuidade de serviço integra os seguintes incentivos à melhoria do desempenho do ORD: A Componente 1 do incentivo que se destina a melhorar a continuidade de serviço da rede de MT em termos globais; A Componente 2 que se destina a incentivar o ORD a reduzir a duração das interrupções nos PTs com pior continuidade de serviço; As compensações individuais a pagar aos clientes sempre que a duração ou o número das interrupções ultrapasse os padrões individuais estabelecidos pela ERSE. Importa assegurar que o modelo de regulação da continuidade de serviço transmite de forma clara os sinais económicos ao ORD para atingir os objetivos pretendidos e é facilmente compreendido por todos os interessados no setor elétrico. Nesse sentido, considera-se necessário assegurar que a Componente 2 que começará a vigorar no início de 2015 constitua um incentivo simples, objetivo e facilmente mensurável. Valores máximos dos prémios ou penalidades do incentivo à melhoria da continuidade de serviço (Componente 1 e 2) A ERSE refere no Documento Justificativo que a operacionalização de uma Componente 2 do mecanismo não irá alterar o valor máximo do prémio ou da penalidade que resultará anualmente 1

18 Alteração do Procedimento n.º 6 do MPQS - Comentários da EDP Distribuição da aplicação do mecanismo de incentivo à melhoria da continuidade de serviço. Resulta desta afirmação que a soma dos valores máximos dos prémios (ou penalidades) das duas componentes se manterá nos 5 milhões de euros (ou -5 milhões de euros) que têm vigorado para a Componente 1 desde Atendendo à falta de experiência na aplicação da Componente 2 e à natureza complementar desta componente do incentivo, considera-se que o valor máximo do prémio desta componente não deve ultrapassar os 20% do valor máximo total, ou seja, 1 milhão de euros. 2

19 Alteração do Procedimento n.º 6 do MPQS - Comentários da EDP Distribuição 2 Incentivo à melhoria da continuidade de serviço Nos pontos seguintes são analisados alguns aspetos da proposta da ERSE para a Componente 1 e 2 do incentivo à melhoria da continuidade de serviço na rede de MT. 2.1 Cálculo da Energia Não Distribuída (END) na Componente 1 do Incentivo A ERSE propõe que o cálculo da END t-2 seja efetuado considerando a totalidade das interrupções acidentais, com exceção das associadas a eventos classificados como eventos excecionais. Reiterando as posições que têm sido defendidas pela EDP Distribuição sobre esta matéria e tratando-se de um incentivo para promover o investimento destinado a melhorar a continuidade de serviço na rede de MT, considera-se que seria mais adequado que fossem excluídas do cálculo da END t-2 todas as interrupções decorrentes de causas não imputáveis ao operador da rede de distribuição, como sejam as razões de segurança, casos fortuitos, casos de força maior e situações com origem noutras redes ou instalações, garantindo o respeito pela correta imputação e separação de responsabilidades entre operadores. Note-se que, estando aqui em avaliação a atuação concreta do ORD e não a perceção do cliente, considerada em diferente sede carece de sentido que o incentivo considere ocorrências que o ORD não domina e sobre as quais não pode, razoavelmente e de forma exequível, atuar. Caso a ERSE venha a manter a formulação proposta, importa ter em conta as alterações introduzidas pelo novo RQS na fixação do valor da END REF, t-2. Nesse sentido, o valor deste parâmetro deve considerar o facto de a END t-2 poder passar a incluir interrupções que não são responsabilidade do ORD (designadamente as classificadas como razões de segurança, casos fortuitos, casos de força maior e outras redes ou instalações que não sejam classificadas como eventos excecionais). 2.2 Estrutura proposta para a Componente 2 do Incentivo A ERSE propõe uma estrutura simétrica para a Componente 2 à semelhança da estrutura existente para a Componente 1. De acordo com a proposta da ERSE, o ORD recebe um prémio ou paga uma penalidade consoante o desempenho alcançado num determinado ano relativamente ao valor de referência fixado pela ERSE. Tal proposta não se considera adequada pelo facto de poder configurar uma dupla penalização para o ORD. Com efeito, o ORD já suporta as compensações por incumprimento dos padrões individuais dos clientes alimentados pelos PTs com pior continuidade de serviço. Assim, existindo já compensações por incumprimento dos padrões individuais e tratando-se de um incentivo 3

20 Alteração do Procedimento n.º 6 do MPQS - Comentários da EDP Distribuição complementar à Componente 1, considera-se que a Componente 2 deveria constituir um prémio ao ORD para reduzir a duração das interrupções nos PTs com pior continuidade de serviço. Na Figura seguinte apresenta-se a estrutura considerada mais adequada para a Componente 2 do incentivo à continuidade de serviço. PROPOSTA DE ESTRUTURA PARA A COMPONENTE 2 Considera-se adequada a proposta da ERSE de considerar como valor de referência a média deslizante do SAIDI MT dos 5% piores pontos de entrega em MT em termos de continuidade de serviço em cada um dos três anos anteriores, de modo a constituir uma referência mais estável ( Y horas na Figura). Reiteramos que a estrutura a aplicar para a componente 2 deverá ser a indicada anteriormente. Admitindo que, numa segunda fase, após adquirirmos experiência e conhecimento com a aplicação do mecanismo, possamos avançar com a estrutura proposta pela ERSE, apresentam-se comentários à mesma. 2.3 Cálculo da média deslizante do SAIDI MT 5% Os valores verificados do SAIDI MT 5% em cada ano no período apresentam variações acentuadas, o que aconselha a que se considere para o valor de referência de cada ano uma média dos valores de SAIDI MT dos 5% piores pontos de entrega em MT nos últimos 3 anos para os quais já são conhecidos os valores de SAIDI. Assim, a título de exemplo, o valor de referência para 2015, a publicar pela ERSE em 2014, corresponderá à média aritmética dos SAIDI MT 5% de 2013, 2012 e No sentido de assegurar a clareza e simplicidade dos cálculos, considera-se que na determinação do SAIDI MT 5%, em cada um dos anos, deverá ser considerado o universo total dos pontos de 4

21 Alteração do Procedimento n.º 6 do MPQS - Comentários da EDP Distribuição entrega em MT (Postos de Transformação de serviço público e clientes) da rede de distribuição em cada ano, independentemente da data de entrada em exploração. 2.4 Cálculo do SAIDI MT 5% t-2 Embora considerando adequada a metodologia proposta para o cálculo do SAIDI MT 5% t-2, tornase necessário alertar para a descontinuidade de procedimentos introduzida pela aprovação do novo RQS, designadamente no que se refere à introdução do conceito de eventos excecionais. Os valores de SAIDI MT 5% t-2 apurados em cada ano da vigência do RQS 2006 (2013 e anos anteriores) excluem interrupções que no novo referencial regulamentar só serão excluídas no caso de serem classificadas como eventos excecionais pela ERSE. Este facto conduz à fixação de valores de referência para o período significativamente mais exigentes no referencial do novo RQS. Considera-se, por isso, essencial assegurar que para os anos 2015 a 2017 o cálculo dos valores de SAIDI MT 5% t-2 exclua todas as interrupções decorrentes de causas não imputáveis ao ORD, como sejam razões de segurança, casos fortuitos, casos de força maior e outras redes ou instalações, nomeadamente no que respeita a repartição de responsabilidades entre Operadores. Além do considerado no parágrafo anterior, dado ser uma metodologia ainda não testada, consideramos que a definição do valor de SAIDI MT 5% t-2 dos três primeiros anos de funcionamento da Componente 2 ( ) são os que resultam da fórmula estabelecida no ponto 4 do Procedimento n.º 6, com uma adequada majoração. A determinação do valor deve ter em conta que os resultados obtidos em 2011 e 2012 foram fortemente marcados, pela positiva, por condições anormalmente boas dificilmente repetíveis. 2.5 Banda neutra da Componente 2 Atendendo às variações observadas no SAIDI MT 5% nos anos analisados (2009 a 2012) e à falta de experiência na aplicação desta nova componente do incentivo à melhoria da continuidade de serviço, considera-se que deverá ser estabelecida uma banda neutra 1 que tenha em conta esta realidade. 1 Este comentário é efetuado tendo em consideração a proposta apresentada pela ERSE para a estrutura da Componente 2 do incentivo. No ponto 2.2 são apresentados os comentários da EDP Distribuição sobre a estrutura considerada mais adequada para a Componente 2. 5

22 2.6 Valorização do SAIDI MT 5% Alteração do Procedimento n.º 6 do MPQS - Comentários da EDP Distribuição Os valores de referência apresentados no Documento Justificativo da proposta da ERSE revelam uma variação significativa de ano para ano. A variabilidade observada justifica, conforme referido no ponto anterior, que a banda neutra corresponda a um intervalo significativo. No que diz respeito à valorização do SAIDI MT 5% (V SAIDI MTt-2) considera-se que poderia ser calculada de modo a que o valor máximo do prémio seja atingido para um valor de SAIDI MT 5%t-2 correspondente a um valor 2 vezes a banda neutra 1, conforme apresentado graficamente na Figura seguinte. METODOLOGIA DE CÁLCULO DO PARÂMETRO V SAIDI MT T Prestação de informação à ERSE No ponto 5 do Procedimento n.º 6 é estabelecida a data de 1 de maio para envio à ERSE dos valores de END t-2 e SAIDI MT 5% t-2. Atendendo aos prazos fixadas pela ERSE para classificação dos eventos excecionais, a EDP Distribuição alerta para eventuais dificuldades que possam vir a existir na prestação da informação na data indicada, sendo de ponderar que a fixação de uma nova data-limite para prestação desta informação. 2.8 Gralhas Seguidamente apresentam-se as seguintes gralhas identificadas na redação do Procedimento n.º 6: No ponto 2, fórmula (3) onde está RQS min, t-2 conidera-se que deveria estar RQS1 min, t-2 6

23 Alteração do Procedimento n.º 6 do MPQS - Comentários da EDP Distribuição No ponto 2, fórmula (4), considera-se que a parte acrescentada à definição de ED deverá ser eliminada 7

24 EDP Serviço Universal

25 Sergio Faias De: João Aguiar Enviado: quarta-feira, 10 de Setembro de :37 Para: mpqs2014 Assunto: Consulta à Proposta de Alteração do Procedimento n.º 6 do Manual de Procedimentos da Qualidade de Serviço do setor elétrico-r-técnicos/1658 Exmos. Senhores, No âmbito da Consulta à Proposta de Alteração do Procedimento n.º 6 do Manual de Procedimentos da Qualidade de Serviço do setor elétrico, a ERSE endereçou convite à EDP Serviço Universal para se pronunciar, o qual se agradece. A EDP Serviço Universal considera que os incentivos à melhoria da qualidade de serviço são um instrumento importante na regulação, compreendendo o racional de criação de um incentivo que dê sinais ao Operador da Rede Nacional de Distribuição para reduzir a assimetria de continuidade de serviço sentida pelos clientes pior servidos, pese embora a necessidade de racionalidade económica que deve estar subjacente aos investimentos e atuação operacional. A EDP Serviço Universal considera que este incentivo deve ser aplicado com cautela, dado o seu caráter inovador e a inexistência de dados para um período suficientemente longo, que permita uma análise continuada. Não tendo, neste momento, contributos em concreto a acrescentar, a EDP Serviço Universal reitera o seu interesse e disponibilidade para acompanhar a implementação deste incentivo. Agradecendo, subscrevemo-nos respeitosamente. João Aguiar EDP Serviço Universal, S.A. Conselho de Administração Presidente Rua Camilo Castelo Branco 43-5º Lisboa, Portugal Tel: Fax: Leitura Certa EDP, para quem no fim de contas não gosta de estimativas. Saiba mais aqui. Esta mensagem e os ficheiros anexos podem conter informação confidencial ou reservada. Se, por engano, receber esta mensagem, solicita-se que informe de imediato o remetente e que elimine a mensagem e ficheiros anexos sem os reproduzir. This message and any files herewith attached may contain confidential or privileged information. If you receive this message in error, please notify us immediately and delete this message and any files attached without copying them in any way. 1

Fw: Mailing List ERSE: ERSE lança consulta pública sobre revisão do Regulamento da Qualidade de Serviço do Setor Elétrico_R-Técnicos/1160 Anexos:

Fw: Mailing List ERSE: ERSE lança consulta pública sobre revisão do Regulamento da Qualidade de Serviço do Setor Elétrico_R-Técnicos/1160 Anexos: Maria Moura De: João Aguiar [Joao.Aguiar@edp.pt] Enviado: segunda-feira, 15 de Julho de 2013 12:51 Para: rqseletricidade2013 Assunto: Fw: Mailing List ERSE: ERSE lança consulta pública sobre revisão do

Leia mais

para mim Caro(a) Cliente, Obrigado por contratar o casa total click e por confiar na EDP Comercial como seu fornecedor de energia.

para mim Caro(a) Cliente, Obrigado por contratar o casa total click e por confiar na EDP Comercial como seu fornecedor de energia. EDP Comercial 26/03 para mim Caro(a) Cliente, Obrigado por contratar o casa total click e por confiar na EDP Comercial como seu fornecedor de energia. Estamos a tratar de tudo por si.

Leia mais

Da análise do mesmo resulta que o episódio participado não consubstancia, por si só, a existência de qualquer acidente.

Da análise do mesmo resulta que o episódio participado não consubstancia, por si só, a existência de qualquer acidente. Cláudio Alípio 24-01-2013 16:54 To: , cc: Subject: RE: Participação de Sinistro - Manuel Lopes de

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Joel Rocha 2013. Joelrochacom joelrocha@escolhadigital.com 916 020 678

CURRICULUM VITAE. Joel Rocha 2013. Joelrochacom joelrocha@escolhadigital.com 916 020 678 CURRICULUM VITAE Joel Rocha 2013 Curriculum Vitae Joel Rocha 2013 Nome: Joel Rocha Nacionalidade: Portuguesa Naturalidade: Castelo de Paiva Estado Civil: Solteiro Data de Nascimento: 13 Agosto 1988 Residencia:

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 20/2013. Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 20/2013. Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico Diário da República, 2.ª série N.º 227 22 de novembro de 2013 34305 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Diretiva n.º 20/2013 Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico

Leia mais

2015_05_25 - PL alteração lei fundo compensação - v1.docx

2015_05_25 - PL alteração lei fundo compensação - v1.docx Carla Batista De: António Clemente Enviado: quarta-feira, 27 de Maio de 2015 19:22 Para: José Teixeira Martins Cc: Sónia Martins Páscoa; Leonor Vale de Castro; Agenda - MPAP Assunto: Parecer ANACOM Anexos:

Leia mais

ALTERAÇÃO AO PROCEDIMENTO N.º 6 DO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA QUALIDADE DE SERVIÇO DO SETOR ELÉTRICO

ALTERAÇÃO AO PROCEDIMENTO N.º 6 DO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA QUALIDADE DE SERVIÇO DO SETOR ELÉTRICO ALTERAÇÃO AO PROCEDIMENTO N.º 6 DO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA QUALIDADE DE SERVIÇO DO SETOR ELÉTRICO Setembro 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão

Leia mais

Caro Reencaminho comentários e propostas da ANACOM relativos à proposta de diploma de transposição da Directiva ITS

Caro Reencaminho comentários e propostas da ANACOM relativos à proposta de diploma de transposição da Directiva ITS Ana Filipa Duarte De: Sérgio Pinheiro Enviado: terça-feira, 10 de Janeiro de 2012 13:20 Para: João Pedro Loreto Assunto: FW: Transposição de Directiva 2010/40/EU Contributos ANACOM

Leia mais

Esta mensagem é uma resposta automática que visa confirmar a recepção do seu contacto. Por favor não responda a este e-mail.

Esta mensagem é uma resposta automática que visa confirmar a recepção do seu contacto. Por favor não responda a este e-mail. Estimado Cliente, Esta mensagem é uma resposta automática que visa confirmar a recepção do seu contacto. Por favor não responda a este e-mail. Desde já agradecemos o seu contacto, cujo assunto merecerá

Leia mais

2º Curso COMUNICAÇÃO E LITERACIA EM SAÚDE Potenciar o empowerment do cidadão, contribuir para melhor educação para a saúde

2º Curso COMUNICAÇÃO E LITERACIA EM SAÚDE Potenciar o empowerment do cidadão, contribuir para melhor educação para a saúde Inscrições abertas* ISPA LANÇA 2º «CURSO DE COMUNICAÇÃO E LITERACIA EM SAÚDE». 2 e 9 junho 12 horas INSCRIÇÕES ABERTAS (ficha inscrição em anexo) http://www.psicologia.pt/profissional/formacao/ver_formacao.php?id=3019&grupo=1

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva N.º 20/2013. Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva N.º 20/2013. Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Diretiva N.º 20/2013 Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico O Regulamento da Qualidade de Serviço do setor elétrico (RQS) prevê que

Leia mais

RE: Autorização débito directo <<#256090-2026916#>>

RE: Autorização débito directo <<#256090-2026916#>> Imprimir Fechar RE: Autorização débito directo De: Ricardo João (kont28@hotmail.com) Moveu esta mensagem para a sua localização atual. Enviada: quarta-feira, 22 de Janeiro de 2014

Leia mais

Auditoria ao Processo de Mudança de Comercializador. A. Enquadramento e Objectivos. Síntese do Relatório de Auditoria

Auditoria ao Processo de Mudança de Comercializador. A. Enquadramento e Objectivos. Síntese do Relatório de Auditoria A. Enquadramento e Objectivos A EDP Distribuição - Energia, S.A. (EDP Distribuição), empresa que exerce a actividade de Operador de Rede de Distribuição (ORD) de Energia Eléctrica em Média Tensão (MT)

Leia mais

Alargamento do Horário dos Centros de Saúde - Plano de Contingência - Frio 2015/2016

Alargamento do Horário dos Centros de Saúde - Plano de Contingência - Frio 2015/2016 Alargamento do Horário dos Centros de Saúde - Plano de Contingência - Frio 2015/2016 Os Planos de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas - Módulo Inverno, têm como objetivo prevenir e minimizar

Leia mais

DOCUMENTO JUSTIFICATIVO DA ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR DO GÁS NATURAL

DOCUMENTO JUSTIFICATIVO DA ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR DO GÁS NATURAL DOCUMENTO JUSTIFICATIVO DA ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR DO GÁS NATURAL Dezembro 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.:

Leia mais

Resp: Ofício SAOFB-001/09 - Solicitação temporária para realização de vôos extras Anexos: COMCLAR. Inspetor : Romeiro Credencial : A- 1232

Resp: Ofício SAOFB-001/09 - Solicitação temporária para realização de vôos extras Anexos: COMCLAR. Inspetor : Romeiro Credencial : A- 1232 Vinicius da Silva Manoel De: João Carlos Romeiro Filho Enviado em: segunda-feira, 12 de janeiro de 2009 16:44 Para: Gerência de Operações Domésticas - Comclar; Charter Assunto: Resp: Ofício SAOFB-001/09

Leia mais

www.pwc.pt Auditoria nos termos do Regulamento da Qualidade de Serviço Relatório resumo EDP Distribuição, S.A.

www.pwc.pt Auditoria nos termos do Regulamento da Qualidade de Serviço Relatório resumo EDP Distribuição, S.A. www.pwc.pt Auditoria nos termos do Regulamento da Qualidade de Serviço Relatório resumo EDP Distribuição, S.A. Janeiro 2014 Enquadramento A promoção da melhoria contínua da qualidade de serviço no âmbito

Leia mais

QUALIDADE DE SERVIÇO DE NATUREZA TÉCNICA NO SECTOR ELÉCTRICO

QUALIDADE DE SERVIÇO DE NATUREZA TÉCNICA NO SECTOR ELÉCTRICO QUALIDADE DE SERVIÇO TÉCNICA A qualidade de serviço de natureza técnica no sector eléctrico está associada à análise dos seguintes aspectos: Fiabilidade do fornecimento da energia eléctrica (continuidade

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O USO DA INTERNET E

ORIENTAÇÕES SOBRE O USO DA INTERNET E ORIENTAÇÕES SOBRE O USO DA INTERNET E DO CORREIO ELECTRÓNICO NA SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO CÓDIGO DE CONDUTA (VERSÃO 1.0 2005-12-09) Índice 1 INTRODUÇÃO...2 2 CÓDIGO DE CONDUTA...2 2.1 CONDIÇÕES GERAIS

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR - CONSULTA PÚBLICA -

PROCEDIMENTOS DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR - CONSULTA PÚBLICA - PROCEDIMENTOS DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR - CONSULTA PÚBLICA - 1. ENQUADRAMENTO Na sequência da consulta pública acima mencionada, promovida conjuntamente pelos reguladores português e espanhol, vem

Leia mais

Normas de Utilização do Correio Electrónico Instituto das Tecnologias de Informação na Justiça, I.P.

Normas de Utilização do Correio Electrónico Instituto das Tecnologias de Informação na Justiça, I.P. I Normas de Utilização do Correio Electrónico Este documento pertence Instituto de Tecnologias de Informação na Justiça, I.P., e toda a informação incluída é estritamente confidencial. Todos os direitos

Leia mais

Auditoria ao Processo de. no Sector Eléctrico

Auditoria ao Processo de. no Sector Eléctrico Auditoria ao Processo de Mudança de Comercializador no Sector Eléctrico Agenda 1. Enquadramento e objectivos 2. Descrição dos trabalhos do auditor 3. Conclusões do trabalho do auditor 4. Recomendações

Leia mais

Relatório de Qualidade de Serviço. Ano Gás 2009-2010

Relatório de Qualidade de Serviço. Ano Gás 2009-2010 Relatório de Qualidade de Serviço Ano Gás 29-21 15 de Novembro de 21 Índice 1. Enquadramento... 3 2.Qualidade de Serviço Técnico - Continuidade e interrupção de Serviço... 4 2.1 Art. 15º Indicadores gerais

Leia mais

Ana Oliveira. Anibal T. de Almeida [aalmeida@isr.uc.pt] Enviado: sexta-feira, 9 de Março de 2001 18:06 Para: De: erse@erse.pt Cc:

Ana Oliveira. Anibal T. de Almeida [aalmeida@isr.uc.pt] Enviado: sexta-feira, 9 de Março de 2001 18:06 Para: De: erse@erse.pt Cc: Ana Oliveira De: Anibal T. de Almeida [aalmeida@isr.uc.pt] Enviado: sexta-feira, 9 de Março de 2001 18:06 Para: erse@erse.pt Cc: anacris@isr.uc.pt Assunto: Comentarios Anexos: ERSE-Revisão dos Regulamentos.doc;

Leia mais

9ª Edição do Prémio de Boas Práticas em Saúde 2015

9ª Edição do Prémio de Boas Práticas em Saúde 2015 9ª Edição do Prémio de Boas Práticas em Saúde 2015 Decorreu no passado dia 30 de novembro, no Auditório do Edifício Tomé Pires, do INFARMED, a 9ª Edição do Prémio de Boas Práticas em Saúde 2015(PBPS) promovido

Leia mais

CONSELHO CONSULTIVO Secção do Sector Eléctrico. Parecer CC/SE n 2/2010 Sobre a proposta de revisão do Regulamento de Operação de Redes

CONSELHO CONSULTIVO Secção do Sector Eléctrico. Parecer CC/SE n 2/2010 Sobre a proposta de revisão do Regulamento de Operação de Redes Secção do Sector Eléctrico Parecer CC/SE n 2/2010 Sobre a proposta de revisão do Regulamento de Operação de Redes ENQUADRAMENTO O presente Parecer sobre os documentos apresentados pelo Conselho de Administração

Leia mais

Análise da proposta de. condições gerais do. Contrato de Uso das Redes - RARI

Análise da proposta de. condições gerais do. Contrato de Uso das Redes - RARI Análise da proposta de condições gerais do Contrato de Uso das Redes - RARI Junho de 2006 Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt www.erse.pt

Leia mais

www.pwc.pt Auditoria nos termos do Regulamento da Qualidade de Serviço Relatório resumo EDP Serviço Universal, S.A.

www.pwc.pt Auditoria nos termos do Regulamento da Qualidade de Serviço Relatório resumo EDP Serviço Universal, S.A. www.pwc.pt Auditoria nos termos do Regulamento da Qualidade de Serviço Relatório resumo EDP Serviço Universal, S.A. Janeiro 2014 Enquadramento A promoção da melhoria contínua da qualidade de serviço no

Leia mais

Pessoal, por favor, revisem TODO o arquivo para ver se tem alguma coisa errada!

Pessoal, por favor, revisem TODO o arquivo para ver se tem alguma coisa errada! Clique com o botão direito do Clique com o botão direito do Thais Satto Oishi De: Enviado em: quarta-feira, 9 de novembro de 2011 16:12 Para: Braga, Ricardo Nabas [ICG-IT] Cc: Thais

Leia mais

Grupo de Trabalho da Qualidade de Energia Elétrica (GT-QEE) Relatório da Reunião n.º 6

Grupo de Trabalho da Qualidade de Energia Elétrica (GT-QEE) Relatório da Reunião n.º 6 Grupo de Trabalho da Qualidade de Energia Elétrica (GT-QEE) Relatório da Reunião n.º 6 Dia: 28 de maio de 2015 Hora: 15h00 a 17h00 Local: ERSE, Rua Dom Cristóvão da Gama 1, 1400-113 Lisboa Participantes:

Leia mais

Optimus DANIEL PEREIRA NEVES MORGADO FERREIRA 8 mensagens

Optimus DANIEL PEREIRA NEVES MORGADO FERREIRA 8 mensagens daniel morgado ferreira Optimus - 1.43260097 - DANIEL PEREIRA NEVES MORGADO FERREIRA 8 mensagens Contacto Contencioso 10 de Outubro de 2014

Leia mais

RE: Apresentação de reclamação contra Repsol

RE: Apresentação de reclamação contra Repsol RE: Apresentação de reclamação contra Repsol From: (a_pneves@hotmail.com) Sent: Saturday, November 23, 2013 12:22:26 PM To: RIBEIRO, PAULA (pribeiro@repsol.com) Cc: SAC SOLRED PT (sacsolred.pt@repsol.com);

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO e CONDIÇÕES GENÉRICAS DE VENDA

TERMOS E CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO e CONDIÇÕES GENÉRICAS DE VENDA pág. 1 / 5 TERMOS E CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO e CONDIÇÕES GENÉRICAS DE VENDA 1. INTRODUÇÃO O site de vendas online www.fitnesshut.pt (adiante designado por site ou loja online) é um site de vendas online

Leia mais

Em seguimento da carta de referência junto o PARECER CC-PL- EXT N 2/2015 aprovado

Em seguimento da carta de referência junto o PARECER CC-PL- EXT N 2/2015 aprovado ERSE " 0 ^ -'ip^o-/ ENTIDADE REGULADORA 'Vvy'^VC^ C / = OOSSERVIÇOS ENERGÉnCOS., Exmo. Senhor Prof. Doutor Vítor Santos Presidente do Conselho de Administração da ERSE ERSE - Entidade Reguladora dos Serviços

Leia mais

UIFCUL. Unidade de Informática. Faculdade de Ciências. Universidade de Lisboa

UIFCUL. Unidade de Informática. Faculdade de Ciências. Universidade de Lisboa UIFCUL Unidade de Informática Universidade de Lisboa Regulamento de utilização do Sistema de Correio Eletrónico e de listas de distribuição da FCUL Versão 1.0 2 Janeiro de 2014 Versão Data Alterações /

Leia mais

Especificações de oferta Serviços de Gestão de Correio Electrónico Segurança do Correio Electrónico

Especificações de oferta Serviços de Gestão de Correio Electrónico Segurança do Correio Electrónico Especificações de oferta Serviços de Gestão de Correio Electrónico Segurança do Correio Electrónico Apresentação dos serviços A Segurança do Correio Electrónico dos Serviços de Gestão de Correio Electrónico

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Despacho n.º 18138/2009

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Despacho n.º 18138/2009 31322 Diário da República, 2.ª série N.º 150 5 de Agosto de 2009 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Despacho n.º 18138/2009 No âmbito do novo período regulatório (2009-2011), a ERSE procedeu

Leia mais

RE: EMEL - Plataforma epark de novo disponível 12 mensagens

RE: EMEL - Plataforma epark de novo disponível 12 mensagens mail - RE: EMEL - Plataforma epark de novo disponível of 15 07-05-2015 14:43 Jorge Orge RE: EMEL - Plataforma epark de novo disponível 12 mensagens EMEL 23 de fevereiro

Leia mais

Política de Privacidade de Dados Pessoais Cabovisão - Televisão por Cabo S.A.

Política de Privacidade de Dados Pessoais Cabovisão - Televisão por Cabo S.A. Política de Privacidade de Dados Pessoais Cabovisão - Televisão por Cabo S.A. Princípios Gerais A garantia que os clientes e utilizadores da Cabovisão-Televisão por Cabo S.A. ( Cabovisão ) sabem e conhecem,

Leia mais

Atributos da Proposta e Preço Contratual

Atributos da Proposta e Preço Contratual Atributos da Proposta e Preço Contratual António José da Silva Coutinho, portador do cartão de cidadão nº. 08419828, com domicílio profissional na Rua Castilho, 165, 4º, 1070-050 Lisboa, na qualidade de

Leia mais

Definição da informação a constar no material promocional no sentido de assegurar a sua exatidão, transparência e fácil compreensão; Simplificação e

Definição da informação a constar no material promocional no sentido de assegurar a sua exatidão, transparência e fácil compreensão; Simplificação e Resposta à solicitação da Comissão de Economia e Obras Públicas de informações sobre o objeto da petição n.º 338/XII/3 1. No dia 28 de fevereiro de 2014, foi solicitada pela Comissão de Economia e Obras

Leia mais

ERMOS & CONDIÇÕES Ao aceder a este site

ERMOS & CONDIÇÕES Ao aceder a este site TERMOS & CONDIÇÕES Ao aceder a este site, ou a qualquer conteúdo do mesmo, o utilizador toma conhecimento e estabelece um acordo com a SDEA Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores, EPER

Leia mais

TERMOS DE UTILIZAÇÃO

TERMOS DE UTILIZAÇÃO TERMOS DE UTILIZAÇÃO O serviço de CLASSIPECADOS é prestado por JPVF. Os presentes termos e condições de utilização dos CLASSIPECADOS estabelecem os termos nos quais este serviço é prestado definindo as

Leia mais

DISCUSSÃO DOS COMENTÁRIOS PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DOS REGULAMENTO DO ACESSO ÀS REDES E ÀS INTERLIGAÇÕES REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS

DISCUSSÃO DOS COMENTÁRIOS PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DOS REGULAMENTO DO ACESSO ÀS REDES E ÀS INTERLIGAÇÕES REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS DISCUSSÃO DOS COMENTÁRIOS À PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DOS REGULAMENTO DO ACESSO ÀS REDES E ÀS INTERLIGAÇÕES REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS REGULAMENTO TARIFÁRIO PARA PERMITIR A SUA APLICAÇÃO NAS REGIÕES

Leia mais

FW: Questões no âmbito da 42 Consulta Pública

FW: Questões no âmbito da 42 Consulta Pública Alexandra Paulo De: ERSE Enviado: quinta-feira, 20 de Dezembro de 2012 10:27 Para: Revisao Regulamento Gas Natural 2012 Assunto: FW: Questões no âmbito da 42 Consulta Pública Sinal. de seguimento: Estado

Leia mais

Condições Gerais do Website. 1. Objeto

Condições Gerais do Website. 1. Objeto Condições Gerais do Website 1. Objeto 1.1 As presentes Condições Gerais destinam-se a regular os termos e condições de acesso e utilização do site www.phone-ix.pt (adiante designado por Site ), bem como

Leia mais

CORREIO ELETRÓNICO E-MAIL. Informática para pais correio eletrónico

CORREIO ELETRÓNICO E-MAIL. Informática para pais correio eletrónico CORREIO ELETRÓNICO E-MAIL Informática para pais correio eletrónico O correio eletrónico, ou e-mail (abreviatura de electronic mail ), permite o envio de uma mensagem para uma ou várias pessoas em qualquer

Leia mais

REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS

REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS DO SECTOR DO GÁS NATURAL Fevereiro 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 213 033 200 Fax:

Leia mais

SPAM: COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS NÃO SOLICITADAS

SPAM: COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS NÃO SOLICITADAS SPAM: COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS NÃO SOLICITADAS 1. INTRODUÇÃO Com o desenvolvimento da Internet, surgiu a possibilidade de se enviarem mensagens por correio electrónico, de forma quase instantânea e a

Leia mais

Para qualquer questão relacionada com o passatempo de EDP COOL JAZZ MELODY GARDOT: envie um e-mail para passatempos@sol.pt

Para qualquer questão relacionada com o passatempo de EDP COOL JAZZ MELODY GARDOT: envie um e-mail para passatempos@sol.pt ATENDIMENTO AO LEITOR SEMANÁRIO SOL Para qualquer questão relacionada com o passatempo de EDP COOL JAZZ MELODY GARDOT: envie um e-mail para passatempos@sol.pt ou ligue 210 434 000 Horário de Atendimento

Leia mais

COMUNICADO DE IMPRENSA

COMUNICADO DE IMPRENSA COMUNICADO DE IMPRENSA Marketing digital, novo veículo para o spam Para uma onda de spam de conteúdo pornográfico, com mais de 5.000 bots activos, foram criados 250 novos bots por dia. Para algumas campanhas,

Leia mais

Nova visão: Business Continuity Plan e gestão do risco operacional. Alexandre Canadas BP2S Location Manager Lisboa, 20 de Maio de 2008

Nova visão: Business Continuity Plan e gestão do risco operacional. Alexandre Canadas BP2S Location Manager Lisboa, 20 de Maio de 2008 Nova visão: Business Continuity Plan e gestão do risco operacional Alexandre Canadas BP2S Location Manager Lisboa, 20 de Maio de 2008 Agend Introdução De recuperação de actividade Dual Office Conclusão

Leia mais

Ligações às redes de energia eléctrica de instalações consumidoras (em vigor a partir de 12 de maio de 2013)

Ligações às redes de energia eléctrica de instalações consumidoras (em vigor a partir de 12 de maio de 2013) Ligações às redes de energia eléctrica de instalações consumidoras (em vigor a partir de 12 de maio de 2013) Novembro de 2012 Índice Competências da ERSE Princípios e conceitos gerais Potência requisitada

Leia mais

Acordo entre os Ministérios das Finanças e da Saúde e a Indústria Farmacêutica

Acordo entre os Ministérios das Finanças e da Saúde e a Indústria Farmacêutica Acordo entre os Ministérios das Finanças e da Saúde e a Indústria Farmacêutica Os Ministérios das Finanças, representado pela Ministra de Estado e das Finanças, e da Saúde, representado pelo Ministro da

Leia mais

Entrega de Folhas de Férias

Entrega de Folhas de Férias Entrega de Folhas de Férias Guia do Utilizador Versão 4.0 Agosto/ 2014 Índice 1. Introdução 2. Criar/ Validar Folhas de Férias 3. Acesso à funcionalidade 4. Inserir/ Consultar Folhas de Férias 5. Comprovativo

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DA INOVAÇÃO E DO DESENVOLVIMENTO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DA INOVAÇÃO E DO DESENVOLVIMENTO MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DA INOVAÇÃO E DO DESENVOLVIMENTO Decreto-Lei n.º 39/2010 de 26 de Abril O Programa do XVIII Governo Constitucional estabelece como uma das principais linhas de modernização estrutural

Leia mais

Contribuição Eletropaulo Metropolitana S/A Expositor Antoninho Borghi

Contribuição Eletropaulo Metropolitana S/A Expositor Antoninho Borghi Audiência Pública ANEEL 027/2003 Estabelece as condições de atendimento por meio de Central de Teleatendimento (CTA) das concessionárias ou permissionárias, critérios de classificação de serviços e metas

Leia mais

ACERTOS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA

ACERTOS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA ACERTOS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA Parecer interpretativo da ERSE (ao abrigo do artigo 290.º do Regulamento de Relações Comerciais) Julho de 2005 ACERTOS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA Parecer

Leia mais

Procedimento Corporativo GESTÃO E CONTROLO DE DOCUMENTOS CONFIDENCIAIS

Procedimento Corporativo GESTÃO E CONTROLO DE DOCUMENTOS CONFIDENCIAIS GESTÃO E CONTROLO DE DOCUMENTOS CONFIDENCIAIS 1. Índice 1. Índice... 1 2. Objectivo... 1 3. Âmbito... 1 4. Definições... 1 5. Siglas / Abreviaturas... 1 6. Referências... 1 7. Introdução... 2 8. Medidas

Leia mais

Descrição do serviço Serviço de Rastreio e Recuperação de Computadores Portáteis e Serviço de Eliminação Remota de Dados

Descrição do serviço Serviço de Rastreio e Recuperação de Computadores Portáteis e Serviço de Eliminação Remota de Dados Descrição do serviço Serviço de Rastreio e Recuperação de Computadores Portáteis e Serviço de Eliminação Remota de Dados Apresentação do serviço A Dell tem o prazer de fornecer o Serviço de rastreio e

Leia mais

30 de Junho de 2010. Carmo Sousa Machado carmo.s.machado@abreuadvogados.com. LOCAL : Porto DATA : 01-07-2010

30 de Junho de 2010. Carmo Sousa Machado carmo.s.machado@abreuadvogados.com. LOCAL : Porto DATA : 01-07-2010 30 de Junho de 2010 Carmo Sousa Machado carmo.s.machado@abreuadvogados.com 1 LOCAL : Porto DATA : 01-07-2010 1. A videovigilância no local de trabalho 2. Confidencialidade e acesso à informação 3. Monitorização

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 01 / SAESCTN / 2012

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 01 / SAESCTN / 2012 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 01 / SAESCTN / 2012 SISTEMA DE APOIO A ENTIDADES DO SISTEMA CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO NACIONAL (SAESCTN) PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Unidades da ARSLVT Acreditadas

Unidades da ARSLVT Acreditadas Unidades da ARSLVT Acreditadas Realizou-se no passado dia 9 de julho de 2015, no Infarmed, a reunião nacional da Direcção-geral de Saúde com as Comissões de Qualidade e Segurança. A Acreditação da qualidade

Leia mais

34318 Diário da República, 2.ª série N.º 227 22 de novembro de 2013

34318 Diário da República, 2.ª série N.º 227 22 de novembro de 2013 34318 Diário da República, 2.ª série N.º 227 22 de novembro de 2013 Diretiva n.º 23/2013 Diferenciação de imagem no setor elétrico Ao abrigo do disposto nos artigos 36.º, n.º 2, alínea e) e 47.º, n.º 2

Leia mais

A utilização pelo utilizador dos serviços contidos na web da TRAVELPLAN S.A. implica a aceitação das seguintes condições gerais:

A utilização pelo utilizador dos serviços contidos na web da TRAVELPLAN S.A. implica a aceitação das seguintes condições gerais: TRAVELPLAN S.A. POLITICA DE PRIVACIDADE E CONDIÇÕES DE USO DA PAGINA WEB O presente documento estabelece as Condições Gerais de Uso dos serviços prestados por meio do web site da TRAVELPLAN S.A. (www.travelplan.pt),

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DESPACHO N.º 7 094/2011 Através do despacho n.º 9 178/2008, de 28 de Março, foram aprovadas pela ERSE as condições gerais que integram o contrato de fornecimento

Leia mais

Prémio Excelência no Trabalho 2015

Prémio Excelência no Trabalho 2015 FAQ Frequently Asked Questions Índice Prémio Excelência no Trabalho 2015 INSCRIÇÃO... 2 COMUNICAÇÃO INTERNA... 4 QUESTIONÁRIO DIRIGIDO AOS COLABORADORES... 5 INQUÉRITO À GESTÃO DE TOPO... 7 TRATAMENTO

Leia mais

VOLTE À CAÇA AO TESOURO COM AS BARRINHAS PESCANOVA

VOLTE À CAÇA AO TESOURO COM AS BARRINHAS PESCANOVA REGULAMENTO DO PASSATEMPO VOLTE À CAÇA AO TESOURO COM AS BARRINHAS PESCANOVA 1. DESCRIÇÃO 1.1 - O Passatempo Volte à Caça ao Tesouro com as Barrinhas Pescanova, adiante designado por "Passatempo", é promovido

Leia mais

Acordo entre o Ministério das Finanças, o Ministério da Saúde e a Indústria Farmacêutica

Acordo entre o Ministério das Finanças, o Ministério da Saúde e a Indústria Farmacêutica Acordo entre o Ministério das Finanças, o Ministério da Saúde e a Indústria Farmacêutica Os Ministérios das Finanças, representado pela Ministra de Estado e das Finanças, da Saúde, representado pelo Ministro

Leia mais

6. Loja online: Todos os utilizadores têm que se registar para poder efetuar encomendas no site www.burdastyle.pt.

6. Loja online: Todos os utilizadores têm que se registar para poder efetuar encomendas no site www.burdastyle.pt. Queremos prestar-lhe o melhor serviço como marca de elevada qualidade e prestígio internacional que atua no segmento da moda com produtos exclusivos A burdastylept é um serviço online que lhe permite a

Leia mais

1. Titularidade do domínio www.estrelacoop.pt

1. Titularidade do domínio www.estrelacoop.pt 1. Titularidade do domínio www.estrelacoop.pt O site www. www.estrelacoop.pt encontra-se registado ao abrigo do Regulamento do registo de domínios/subdomínios de. PT", e é propriedade Estrelacoop Cooperativa

Leia mais

REGIME JURÍDICO APLICÁVEL AOS CALL CENTERS

REGIME JURÍDICO APLICÁVEL AOS CALL CENTERS TMT N.º 2 /2009 MAIO/JUNHO 2009 REGIME JURÍDICO APLICÁVEL AOS CALL CENTERS Foi publicado no passado dia 2 de Junho o Decreto-Lei nº 134/2009 que veio estabelecer o regime jurídico aplicável à prestação

Leia mais

Regulamento do Passatempo 12 anos SLB

Regulamento do Passatempo 12 anos SLB Regulamento do Passatempo 12 anos SLB 1. Identificação 1.1. O presente passatempo denominado 12 anos SLB (adiante abreviadamente designado por Passatempo ) é promovido pela EDP Comercial - Comercialização

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL Entre EDP Serviço Universal, S.A., com sede na Rua Camilo Castelo Branco, 43, em Lisboa, com o capital social de 10 100 000 (dez

Leia mais

INFORMAÇÃO SOBRE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA PRINCÍPIOS E BOAS PRÁTICAS RECOMENDAÇÃO N.º 1/2010

INFORMAÇÃO SOBRE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA PRINCÍPIOS E BOAS PRÁTICAS RECOMENDAÇÃO N.º 1/2010 INFORMAÇÃO SOBRE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA PRINCÍPIOS E BOAS PRÁTICAS RECOMENDAÇÃO N.º 1/2010 Julho 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa

Leia mais

SOPHUS TECNOLOGIA POLÍTICA DE ENVIO DE E-MAILS

SOPHUS TECNOLOGIA POLÍTICA DE ENVIO DE E-MAILS SOPHUS TECNOLOGIA POLÍTICA DE ENVIO DE E-MAILS Com o objetivo de manter um alto nível no serviço de e-mails, a SOPHUS TECNOLOGIA disponibiliza soluções voltadas para cada necessidade de seus clientes.

Leia mais

CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE DIREITOS DE UTILIZAÇÃO DE CAPACIDADE DE INTERLIGAÇÃO VIP PORTUGAL-ESPANHA

CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE DIREITOS DE UTILIZAÇÃO DE CAPACIDADE DE INTERLIGAÇÃO VIP PORTUGAL-ESPANHA CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE DIREITOS DE UTILIZAÇÃO DE CAPACIDADE DE INTERLIGAÇÃO VIP PORTUGAL-ESPANHA ENTRE REN - GASODUTOS, S.A., na qualidade de concessionária da Rede Nacional de Transporte de Gás Natural

Leia mais

Regulamento. Prémio Desafio OUSAR: Criar a minha Empresa

Regulamento. Prémio Desafio OUSAR: Criar a minha Empresa Regulamento Prémio Desafio OUSAR: Criar a minha Empresa 2011/2012 Artigo 1º Organização e objetivo A AIMinho Associação Empresarial (AIMinho) leva a efeito o Prémio Desafio OUSAR: Criar a minha Empresa

Leia mais

CONTRATO DE ADESO PRESTAÇO DE SERVIÇOS DE GESTO DE RECURSOS FINANCEIROS E ORÇAMENTAIS EM MODO PARTILHADO (GeRFiP)

CONTRATO DE ADESO PRESTAÇO DE SERVIÇOS DE GESTO DE RECURSOS FINANCEIROS E ORÇAMENTAIS EM MODO PARTILHADO (GeRFiP) CONTRATO DE ADESO PRESTAÇO DE SERVIÇOS DE GESTO DE RECURSOS FINANCEIROS E ORÇAMENTAIS EM MODO PARTILHADO (GeRFiP) Cláusula 1. Objeto 1. O presente Contrato tem por objeto a adeso aos serviços de partilha

Leia mais

Enc: Pregão Eletrônico AA nº 35/2015 - BNDES. Thiago Abreu dos Santos Tourinho para: Holanda Ramos Ferreira

Enc: Pregão Eletrônico AA nº 35/2015 - BNDES. Thiago Abreu dos Santos Tourinho para: Holanda Ramos Ferreira Enc: Pregão Eletrônico AA nº 35/2015 - BNDES Luciana de Thiago Abreu dos Santos Tourinho para: Holanda Ramos Ferreira 24/08/2015 12:12 Thiago Tourinho Departamento de Licitações Av. República do Chile,

Leia mais

2. Duração do Passatempo O Passatempo Ainda se Lembra decorre de 4 de Novembro de 2013 a 1 de Dezembro de 2013 (inclusive).

2. Duração do Passatempo O Passatempo Ainda se Lembra decorre de 4 de Novembro de 2013 a 1 de Dezembro de 2013 (inclusive). 1.Passatempo Ainda se Lembra O promotor da presente promoção é a Mundicenter II Gestão de Espaços Comerciais, S.A., com sede no Spacio Shoppig, Rua Cidade de Bolama, Nº4 1800-079 Lisboa Portugal, doravante

Leia mais

EUROPOL JOINT SUPERVISORY BODY

EUROPOL JOINT SUPERVISORY BODY EUROPOL JOINT SUPERVISORY BODY Parecer 12/05 da Instância Comum de Controlo da Europol relativo à notificação da Europol de uma operação de tratamento de dados pessoais: Horário de trabalho/horário flexível

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO Entre, residente em com o número de contribuinte, adiante designado(a) abreviadamente por Produtor; e EDP Serviço Universal, S.A., com sede

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO Entre [ ]., com sede em [ ], matriculada na Conservatória do Registo Comercial de [ ], com o número de matrícula e pessoa coletiva

Leia mais

Carta registada com A/R Ao Conselho de Administração do. Consulta Pública sobre Cadastro de Infra-estruturas

Carta registada com A/R Ao Conselho de Administração do. Consulta Pública sobre Cadastro de Infra-estruturas Carta registada com A/R Ao Conselho de Administração do. - 1 B - A ü t o r i d a d e ~ d e ~ Av.JoséMalhobl2 1099-017 Lisboa Lisboa, 16 de Outubro de 2007 Assunto: Consulta Pública sobre Cadastro de Infra-estruturas

Leia mais

Na Segunda-feira 10/8 os vencedores são notificados por SMS e contactados

Na Segunda-feira 10/8 os vencedores são notificados por SMS e contactados Regulamento de no Concurso 20 Anos, 20 Dias, 20 Carros Regulamento do concurso 20 Anos, 20 Dias, 20 Carros. O LIDL & Cia. Lojas Alimentares, com sede em Rua Pé de Mouro, 18, 2714-510 Sintra, registada

Leia mais

5. TIPOS DE SERVIÇO PRESTADOS TARIFÁRIO E FATURAÇÃO

5. TIPOS DE SERVIÇO PRESTADOS TARIFÁRIO E FATURAÇÃO s oc i alde230. 000. 000, 00Eur os,s í t i onai nt er net 4.4. O CLIENTE compromete-se igualmente a observar todas as disposições legais aplicáveis, nomeadamente, a não praticar ou a fomentar a prática

Leia mais

Manual do Revisor Oficial de Contas. Directriz de Revisão/Auditoria 700 ÍNDICE

Manual do Revisor Oficial de Contas. Directriz de Revisão/Auditoria 700 ÍNDICE Directriz de Revisão/Auditoria 700 RELATÓRIO DE REVISÃO/AUDITORIA Fevereiro de 2001 ÍNDICE Parágrafos INTRODUÇÃO 1-3 OBJECTIVO 4-5 RELATÓRIO DE REVISÃO/AUDITORIA 6-21 Considerações gerais 6-10 Elementos

Leia mais

1. Introdução. 2. O pedido

1. Introdução. 2. O pedido http://www.anacom.pt/template31.jsp?categoryid=227462 Deliberação de 11.1.2007 FUNDAMENTAÇÃO PARA O SENTIDO PROVÁVEL DE DECISÃO SOBRE A CRIAÇÃO DE CÓDIGOS ESPECÍFICOS NO PLANO NACIONAL DE NUMERAÇÃO PARA

Leia mais

Por outro lado, estabelece ainda o referido preceito a susceptibilidade da Norma Regulamentar emitida se aplicar igualmente aos mediadores de seguros.

Por outro lado, estabelece ainda o referido preceito a susceptibilidade da Norma Regulamentar emitida se aplicar igualmente aos mediadores de seguros. Não dispensa a consulta da Norma Regulamentar publicada em Diário da República NORMA REGULAMENTAR N.º 03/2010-R, DE 18 DE MARÇO DE 2010 Publicidade Pelo Decreto-Lei n.º 8-A/2002, de 11 de Janeiro, foram

Leia mais

Plataforma de correio eletrónico Microsoft Office 365

Plataforma de correio eletrónico Microsoft Office 365 1 Plataforma de correio eletrónico Microsoft Office 365 A plataforma Microsoft Office 365 disponibiliza a toda a comunidade académica um conjunto de recursos que permite suportar o trabalho colaborativo

Leia mais

Ligações às redes de energia eléctrica. Setembro de 2011

Ligações às redes de energia eléctrica. Setembro de 2011 Ligações às redes de energia eléctrica Setembro de 2011 Índice Competências da ERSE Princípios e conceitos gerais Potência requisitada Procedimentos para ligação de uma instalação à rede Ponto de ligação

Leia mais

Assunto: Consulta Pública nº1/2010. Exmos. Senhores,

Assunto: Consulta Pública nº1/2010. Exmos. Senhores, Assunto: Consulta Pública nº1/2010 Exmos. Senhores, Fundada em 13 de Outubro de 1994 por diversas empresas de Rádio e Televisão e Associações de Imprensa e de Rádio, a Confederação Portuguesa dos Meios

Leia mais

PROCEDIMENTO N.º 13 DO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA GESTÃO GLOBAL DO SISTEMA DO SETOR ELÉTRICO

PROCEDIMENTO N.º 13 DO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA GESTÃO GLOBAL DO SISTEMA DO SETOR ELÉTRICO PROCEDIMENTO N.º 13 DO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA GESTÃO GLOBAL DO SISTEMA DO SETOR ELÉTRICO Abril 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente

Leia mais

SEMINÁRIO ERSE, 23 de Junho de 2009 2009-06-23 1

SEMINÁRIO ERSE, 23 de Junho de 2009 2009-06-23 1 SEMINÁRIO ERSE, 23 de Junho de 2009 O 4º RELATÓRIO de BENCHMARKING EUROPEU sobre a QUALIDADE de SERVIÇO no SECTOR ELÉCTRICO e a SITUAÇÃO em PORTUGAL APIGCEE Associação Portuguesa dos Industriais Grandes

Leia mais

Relatório SHST - 2003

Relatório SHST - 2003 Relatório da Actividade dos Serviços de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Relatório SHST - 2003 Programa de Validação e Encriptação Manual de Operação Versão 1.1 DEEP Departamento de Estudos, Estatística

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO III AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

EIXO PRIORITÁRIO III AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EIXO PRIORITÁRIO III PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS NATURAIS E TECNOLÓGICOS PREVENÇÃO E GESTÃO DE RISCOS CÓDIGO DO AVISO: POVT- 35-2011-41 17 de Janeiro

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO Entre, com sede em, com o capital social de ( Euros), matriculada na Conservatória do Registo Comercial de, com o número de matrícula e

Leia mais

Sistema de gestão de energia Norma ISO 50001

Sistema de gestão de energia Norma ISO 50001 Sistema de gestão de energia Norma ISO 50001 A norma ISO 50001:2011, publicada em Junho de 2011, foi desenvolvida pela Organização Internacional de Normalização (ISO), como o futuro referencial para a

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO II SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO DE COESÃO)

EIXO PRIORITÁRIO II SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO DE COESÃO) CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EM REGIME DE OVERBOOKING EIXO PRIORITÁRIO II SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO DE COESÃO) DOMÍNIO DE INTERVENÇÃO PREVENÇÃO

Leia mais