Qual o papel das palavras na propaganda de medicamentos?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Qual o papel das palavras na propaganda de medicamentos?"

Transcrição

1 São Revista Acadêmica do Grupo Comunicacional de São Bernardo Ano 1 - nº 2 - (julho/dezembro de 2004) Textos originais, revisados pelos membros do conselho editorial Qual o papel das palavras na propaganda de medicamentos? Paula Renata Camargo de Jesus* (UNISANTA e IMES) "Tomou Doril, a dor sumiu". Frases como essas, mais conhecidas como slogans publicitários são livremente divulgadas desde o início da história da propaganda no Brasil, como se medicamento fosse mercadoria comum. A proposta desse trabalho é analisar até que ponto as palavras utilizadas na propaganda de medicamentos, seduzem e prometem algo que não podem cumprir. São palavras que acompanham as marcas, estão inseridas em anúncios e diariamente veiculadas na mídia de massa. Persuasivas, podem ser ditas pelo próprio médico, autoridade máxima ao prescrever um medicamento, ou estarem na propaganda boca a boca, que acaba por consagrar uma mensagem e até o medicamento. O questionamento feito no título é muito sério. Através da força das palavras, existente na propaganda de medicamentos, uma população pobre, com fome, doente pode ser vítima da "poderosa" indústria farmacêutica. Palavras-chave: slogans medicamentos - propaganda Introdução: O medicamento pode então ser considerado um produto industrial submetido às lógicas comerciais de modo que a demanda social criada induz ao seu consumo? Medicamento é mercadoria comum? O que o cenário atual mostra é que sim. São inúmeros fatores que fazem parte desse contexto, mas sem dúvida a falta de informação faz com que a população brasileira seja vítima da situação. A indústria farmacêutica, que investe

2 milhões em pesquisas buscando a cura das pessoas, é a mesma que não mede esforços ao recorrer a todo tipo de marketing e propaganda para esvaziar as prateleiras das farmácias. Em quem confiar? Se até mesmo uma parte dos pesquisadores científicos e entidades médicas estão questionando a própria idoneidade, com os altos investimentos em centros de pesquisa, patrocinado pela indústria farmacêutica? Como se não bastasse o poder da indústria farmacêutica em altos investimentos de marketing, ela encontra como parceira a mídia de massa, que legitima algumas informações e divulga muitas vezes, sem responsabilidade, medicamentos a leigos, que não deveriam receber determinada informação sem orientação de um profissional da saúde. Mas enquanto há uma preocupação na questão da venda dos medicamentos para curar determinada doença, alguns especialistas têm se preocupado com a questão da venda desenfreada de medicamentos causada pelo próprio uso de medicamentos, ou seja, de substâncias utilizadas em alguns medicamentos que geram dependência, até mesmo no caso das doenças de fundo psicológico, que em algumas pesquisas comprovou a eficácia do placebo (a pílula constituída de farinha). A ausência do médico, ou o pouco tempo de dedicação do médico ao paciente podem gerar um estímulo ao consumo de determinado medicamento. Dez minutos de consulta e diversas prescrições médicas, podem acelerar o processo de automedicação. A realidade é que, atualmente no Brasil, calmantes e moderadores de apetite, estão sendo vendidos hoje sem controle e são os principais responsáveis pela dependência. Enquanto os órgãos ligados ao controle de Defesa ao Consumidor e Regulamentação Publicitária, preocupam-se com propagandas de cerveja e cigarro, o medicamento tem uma fiscalização mínima e quase nenhum controle, e é uma droga. Uma droga lícita que leva à dependência, causa danos irreversíveis ao ser humano e pode através de intoxicação, levar à morte. O marketing da dor não deixa dúvidas quanto aos altos investimentos em propaganda. A propaganda direcionada aos médicos, quando se trata de medicamentos éticos ou controlados, que por lei (no Brasil) não podem ser anunciados na mídia de massa. E a propaganda de medicamentos OTC, considerados de venda livre, que podem ser anunciados na mídia de massa. Esses, quase sempre, utilizando imagem de artistas famosos na televisão e com depoimentos exagerados da melhoria de vida ao usar tal medicamento. São frases, expressões, enfim palavras que produzem efeitos fantásticos, principalmente quando repetidos em: rádios, tvs, revistas, outdoors e até no material de ponto de venda das farmácias e drogarias. A pesquisa documental e a análise do discurso utilizado pelos slogans na propaganda de medicamentos OTC, utilizadas como metodologia desse estudo, oferecem uma percepção interessante ao pesquisador e proporciona uma reflexão importante para se chegar às conclusões. Palavras e promessas: uma análise do discurso.

3 Enquanto analisamos o caos da saúde no Brasil, com pessoas morrendo em filas de hospitais, sem medicamentos, sem farmacêuticos nas farmácias e sem médicos em hospitais, a propaganda de medicamentos parece ir muito bem. A indústria farmacêutica utiliza a comunicação integrada em busca dos lucros. Nas revistas semanais, consegue espaço nas capas para nas páginas internas realizar reportagens de medicamentos milagrosos. Matéria paga? Provavelmente. No rádio, patrocina os locutores líderes de audiência. Os discursos utilizados são sempre persuasivos e vão de receitas de chá de limão e comprimidos à rezas contra a gripe. Em outdoors anuncia desde vitaminas, xaropes aos fortificantes. As imagens são quase sempre as embalagens dos medicamentos e as frases de efeito, são os slogans. Os eventos são patrocinados pelos laboratórios e os congressos médicos também. O material impresso utilizado, é graficamente bem elaborado e rico nos detalhes para ser exposto em farmácias e drogarias, verdadeiros supermercados de medicamentos e produtos de beleza. As estratégias mercadológicas utilizadas pela indústria vão desde visitas de propagandistas aos consultórios, farmácias, drogarias e hospitais, à distribuição de brindes e premiação aos envolvidos diretamente na venda dos medicamentos: farmacêuticos e balconistas. As promessas de cura se multiplicam e a sensação de reagir a elas é de total impotência. Mas ao pesquisar a história da propaganda no Brasil, nota-se que os primeiros anunciantes potencialmente conhecidos, foram os medicamentos. Dos cartazes em bondes, aos primeiros anúncios de revistas, a promessa de cura sempre acompanhou a propaganda de medicamentos. No rádio, as radionovelas já eram patrocinadas por antigripais e os jingles eram particularmente conhecidos por repetirem slogans elaborados através de rimas: "Melhoral é melhor e não faz mal". Mas de lá pra cá, muitos anos se passaram, o avanço tecnológico deu um novo panorama aos meios de comunicação de massa, a linguagem publicitária passou a ser mais rápida e objetiva, porém a linguagem da propaganda de medicamentos, mesmo após revoluções, guerras e leis regulamentando a propaganda, órgãos de proteção ao consumidor, jamais deixou de conter promessas. O slogan pode facilitar, e muito, a lembrança da marca, contribuindo de maneira significativa para a venda de um produto. Alguns slogans passam a ser tão importantes quanto suas próprias marcas e chegam a despertar tal recall que, em alguns testes de lembrança de marca, só de citar "Tomou...sumiu!", as pessoas já sabem de qual produto se trata e associam imediatamente ao analgésico Doril ou mesmo quando usam uma frase como "não basta ser pai, tem que participar", podem se lembrar do creme Gelol. Para Pinho (1996, p 75) as marcas utilizam-se dos slogans como valiosos instrumentos de

4 comunicação para ajudar na criação ou manutenção da lembrança. O slogan publicitário tem a função de reforçar uma imagem de marca por meio da associação de um valor a um nome. O slogan tem o propósito de satisfazer, seduzir, mostrar, demonstrar e de agradar. Os slogans publicitários favorecem a divulgação da marca e, assim, afetam seu reconhecimento e lembrança. Mas ao se tratar de medicamentos, a frase: "Tomou Doril, a dor sumiu", envolve uma série de implicações, não apenas éticas, já que se trata de medicamento e não de mercadoria comum, mas de promessa, de apelo, enfim, de uma provável imagem criada em cima de uma propaganda que utiliza rima e que é facilmente repetível. E esse fato não é de hoje, a história dos slogans tem uma relação direta com a história da propaganda no Brasil, onde se tem registro dos primeiros grandes anunciantes: os medicamentos. Em 1910, com o semanário "A Lua", com anúncios do Xarope Bromil, que prometia curar a tosse dos doentes em 24h, em seu próprio slogan.a dor como vilã e o medicamento como salvador, sempre fizeram parte da história da propaganda de medicamentos, em todos os tempos. "Tomou Doril a dor sumiu" é uma promessa de cura, inclusive imediata. No entanto, Doril utiliza esse slogan completo em propagandas de televisão, com artistas famosos e em busdoor, onde toda a população na rua, pode ler e reler a frase de efeito. Se essas frases de efeito, conhecidas como slogans publicitários são instrumentos valiosos utilizados pela propaganda para persuadir o consumidor, não seria diferente na propaganda de medicamentos. Fernando Lefèvre (1999, p. 69) demonstra preocupação com a linguagem utilizada pela comunicação na área da saúde. Para Lefèvre, slogan pode ser definido como apelido pragmático do nome próprio, ou seja, um recurso comunicativo utilizado pela propaganda para agregar valores à marca. E que para a área de saúde, não deveria ser utilizado da maneira como o é, já que medicamento não é uma mercadoria qualquer, e por isso mesmo, requer cuidado. Para ele, expressões metonímicas como "a dor sumiu" dizem muito mais que um simples nome da marca. São expressões que falam com o consumidor, persuadindo-o. Slogans como: "a saúde do seu fígado" de Hepatoviz e "feita sob medida para a sua enxaqueca", da Aspirina Forte, não deixam de exaltar a qualidade do medicamento, se referem ao consumidor. São frases de efeito como essas, que Lefèvre que medicamentos podem ser vistos como instrumentos para repassar idéias, informações. Considerações Finais O texto apresentado nos leva a fazer alguns questionamentos: Vale tudo para vender mais medicamentos, até mesmo comprometer a saúde da população? Por que as leis existem e não são cumpridas no país? Falta boa vontade, fiscalização ou uma política efetiva nesse sentido? São inúmeros fatores que fazem parte desse contexto, mas sem dúvida a falta de informação e de formação faz com que a população brasileira seja vítima da situação. A indústria farmacêutica, que investe milhões em pesquisas buscando a cura das pessoas, é a

5 mesma que não mede esforços ao recorrer a todo tipo de marketing e propaganda para esvaziar as prateleiras das farmácias. Como se não bastasse o poder da indústria farmacêutica em altos investimentos de marketing, ela encontra como parceira a mídia de massa, que legitima as mensagens, sejam elas em forma de frases de efeito (slogans publicitários), reportagens em revistas ou qualquer outro meio de comunicação de massa, tornando-as propagadas a um enorme contingente de pessoas. O doente, muitas vezes sem acesso a médicos e sem orientação de um profissional da saúde, fica sem saída. Em quem acreditar? Muitas vezes a resposta é: na propaganda de medicamentos, que promete e nem sempre cumpre, até porque são promessas milagrosas de cura, historicamente existente no país. Não é à toa que o Brasil é um dos campeões em automedicação, um ranking nada agradável à saúde pública. As palavras, quando utilizadas na publicidade e propaganda, deveriam assumir um compromisso com o produto, que no caso é um medicamento e não uma mercadoria comum, portanto um compromisso com o consumidor, provável doente. O fato de ser utilizada como instrumento persuasivo não anula a responsabilidade com o social, para isso existem leis, que mal são cumpridas, seja por falta de fiscalização ou por questões de ordem política. O falar a verdade não compromete o discurso da propaganda legal. O uso adequado das palavras na propaganda de medicamentos pode dar credibilidade à indústria farmacêutica. Pena que poucos pensam assim... Bibliografia: BARROS, José Augusto. Propaganda de Medicamentos atentado à saúde? São Paulo: Hucitec/Sobravime, BELFORT, Paulo. Propaganda Médica. Revista Médico-Científica: Jornal Brasileiro de Medicina. São Paulo: JBM, ano 41, n.3, p. 88, mar BONFIM, José Ruben de Alcântara e BERMUDEZ, Jorge Antonio Zepeda. Medicamentos e a Reforma do Setor da Saúde. São Paulo: Hucitec/Sobravime, CARLINI, E.A. Medicamento, Drogas e Saúde. São Paulo: Hucitec/ Sobravime, CHALHUB, Samira. Funções da Linguagem. São Paulo: Ática, CITELLI, Adilson.Linguagem e Persuasão. São Paulo: Ática, JESUS, Paula Renata C. Uma história de frases e efeitos a configuração do slogan publicitário na indústria farmacêutica no Brasil. São Paulo: UMESP, 2001 (dissertação) LEFÈVRE, Fernando. Mitologia Sanitária saúde, doença, mídia e linguagem. São Paulo: EDUSP, 1999.

6 LOPES, Ney Deputado (relator). Relatório da CPI de Medicamentos. Brasília, 30 de maio de PINTO, Milton José. Comunicação e Discurso. São Paulo: Hacker, REBOUL, Olivier. O Slogan. São Paulo: Cultrix, ROMERO, Mariza. Medicalização da Saúde e Exclusão Social. Bauru/SP, EDUSC, SANTAELLA, Lucia. Matrizes da Linguagem e Pensamento sonora, visual, verbal. São Paulo: Iluminuras, e NÖTH, Winfried. Imagem cognição, semiótica, mídia. São Paulo: Iluminuras, TEMPORÃO, José Gomes. A propaganda de medicamentos e o mito da saúde. Rio de Janeiro: Graal, 1986.Introdução: * doutoranda em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP, Professora de Publicidade das Universidades: UNISANTA/Santos e Centro Universitário Municipal de São Caetano do Sul/IMES.

O medicamento controlado na mídia de massa. Propaganda ou

O medicamento controlado na mídia de massa. Propaganda ou COMSAÚDE 2003 VI Conferência Brasileira de Comunicação e Saúde. GT 6 Mídia, Medicação e Medicalização Informação ou Persuasão? O medicamento controlado na mídia de massa. Propaganda ou Informação? CAMARGO

Leia mais

O humor como ferramenta persuasiva na Propaganda de Medicamentos. 1. Paula Renata Camargo de JESUS 2

O humor como ferramenta persuasiva na Propaganda de Medicamentos. 1. Paula Renata Camargo de JESUS 2 O humor como ferramenta persuasiva na Propaganda de Medicamentos. 1 Paula Renata Camargo de JESUS 2 Universidade Presbiteriana Mackenzie e Universidade Santa Cecília, São Paulo. RESUMO O presente trabalho

Leia mais

A linguagem publicitária em movimento: O ciber anúncio 1

A linguagem publicitária em movimento: O ciber anúncio 1 A linguagem publicitária em movimento: O ciber anúncio 1 Paula Renata Camargo de Jesus (Publicitária, doutoranda em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP) 2 Giovanna Capomaccio (Publicitária, cursando especialização

Leia mais

Propaganda de Medicamentos. Os éticos e a ética da indústria farmacêutica no Brasil

Propaganda de Medicamentos. Os éticos e a ética da indústria farmacêutica no Brasil Propaganda de Medicamentos Os éticos e a ética da indústria farmacêutica no Brasil INTRODUÇÃO O tema Propaganda de Medicamentos, foi escolhido por ser muito questionado, já que a propaganda é um instrumento

Leia mais

Universidade IMES/São Caetano do Sul/SP e UNISANTA/Santos/SP.

Universidade IMES/São Caetano do Sul/SP e UNISANTA/Santos/SP. Propaganda de Medicamentos - pra você ficar legal! 1 Paula Renata Camargo de Jesus. 2 Universidade IMES/São Caetano do Sul/SP e UNISANTA/Santos/SP. Resumo O presente estudo é parte integrante da minha

Leia mais

Instituições: Universidade Santa Cecília - UNISANTA e Instituto Municipal de Ensino Superior de São Caetano do Sul - IMES

Instituições: Universidade Santa Cecília - UNISANTA e Instituto Municipal de Ensino Superior de São Caetano do Sul - IMES A CONFIGURAÇÃO DO SLOGAN PUBLICITÁRIO NA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA NO BRASIL Paula Renata Camargo de Jesus Instituições: Universidade Santa Cecília - UNISANTA e Instituto Municipal de Ensino Superior de São

Leia mais

Izabela Vanessa izabela@dsc.ufcg.edu.br

Izabela Vanessa izabela@dsc.ufcg.edu.br Universidade Federal de Campina Grande UFCG Departamento de Sistemas e Computação DSC Ciclo de Seminários Não Técnicos - CSNT izabela@dsc.ufcg.edu.br O que é automedicação? Crescimento da automedicação

Leia mais

O consumo desenfreado de medicamentos no Brasil e a responsabilidade da propaganda.

O consumo desenfreado de medicamentos no Brasil e a responsabilidade da propaganda. O consumo desenfreado de medicamentos no Brasil e a responsabilidade da propaganda. Paula Renata Camargo de JESUS 1 Resumo É reconhecida a importância do medicamento na vida das pessoas. O problema é quando

Leia mais

Filhos de famosos na publicidade brasileira: análise da imagem dos filhos de celebridades junto às marcas de medicamentos 1

Filhos de famosos na publicidade brasileira: análise da imagem dos filhos de celebridades junto às marcas de medicamentos 1 Filhos de famosos na publicidade brasileira: análise da imagem dos filhos de celebridades junto às marcas de medicamentos 1 Paula Renata Camargo de Jesus 2 Universidade Presbiteriana Mackenzie e Universidade

Leia mais

MARKETING II. Comunicação Integrada de Marketing

MARKETING II. Comunicação Integrada de Marketing CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO CIÊNCIAS SOCIAIS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MARKETING II Comunicação Integrada de Marketing Profª: Michele Freitas Santa Maria, 2012. O que é comunicação integrada? É o desenvolvimento

Leia mais

810gan publicitário. é isso aí! Paula Renata Camarao de Jesus

810gan publicitário. é isso aí! Paula Renata Camarao de Jesus ~omunicação [Artigo} 810gan publicitário é isso aí! Paula Renata Camarao de Jesus Professora do IMES, vice-diretora e professora da UNISANTA, Mestre em Comunicação Social pela UMESP Todos se lembram do

Leia mais

ANAIS 2010 ISSN 1808-3579 CARACTERÍSTICAS DO GÊNERO ANÚNCIO PUBLICITÁRIO SOB AS ÓTICAS DE BAKHTIN E BRONCKART RESUMO

ANAIS 2010 ISSN 1808-3579 CARACTERÍSTICAS DO GÊNERO ANÚNCIO PUBLICITÁRIO SOB AS ÓTICAS DE BAKHTIN E BRONCKART RESUMO CARACTERÍSTICAS DO GÊNERO ANÚNCIO PUBLICITÁRIO SOB AS ÓTICAS DE BAKHTIN E BRONCKART Tatiele J. Faria (GP - Leitura e Ensino CLCA-UENP/ CJ) Vera Maria Ramos Pinto (Orientadora - GP Leitura e Ensino CLCA

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54 Curso: DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Centro de Ciências Humanas e da Comunicação Comunicação Social (Noturno) Ano/Semestre: 011/1 09/05/011 1:5 COM.0000.0.000- COM.0001.0.001-0 COM.0019.01.001-7 FIL.0051.00.00-3

Leia mais

O que vale a pena saber sobre a propaganda e o uso de medicamentos. A informação é o melhor remédio

O que vale a pena saber sobre a propaganda e o uso de medicamentos. A informação é o melhor remédio O que vale a pena saber sobre a propaganda e o uso de medicamentos A informação é o melhor remédio Copyright 2008. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Diretor-Presidente Dirceu Raposo de Mello Adjunto

Leia mais

O PAPEL DO PONTO DE VENDA NA PROPAGANDA DE MEDICAMENTOS. UM EXERCÍCIO DE ANÁLISE DA CAMPANHA DE NEOSALDINA.

O PAPEL DO PONTO DE VENDA NA PROPAGANDA DE MEDICAMENTOS. UM EXERCÍCIO DE ANÁLISE DA CAMPANHA DE NEOSALDINA. O PAPEL DO PONTO DE VENDA NA PROPAGANDA DE MEDICAMENTOS. UM EXERCÍCIO DE ANÁLISE DA CAMPANHA DE NEOSALDINA. Marcela Noéli Fernandes Caló marcelanfcalo@hotmail.com Prof. Dra. Paula Renata Camargo de Jesus

Leia mais

A Resolução CFM nº 1.974/2011

A Resolução CFM nº 1.974/2011 A Resolução CFM nº 1.974/2011 A Resolução CFM nº 1.974/2011 Publicada no Diário Oficial da União em 19/8/2011. Entra em vigor 180 dias após sua publicação. Ementa: Estabelece os critérios norteadores da

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI N o 3.771, DE 2004 Dispõe sobre a identificação obrigatória da localização de paisagens de interesse turístico nas condições que

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

CONAR: NOVAS RESTRIÇÕES PARA A PUBLICIDADE DE BEBIDAS ALCOÓLICAS

CONAR: NOVAS RESTRIÇÕES PARA A PUBLICIDADE DE BEBIDAS ALCOÓLICAS : NOVAS RESTRIÇÕES PARA A PUBLICIDADE DE BEBIDAS ALCOÓLICAS Conheça todas as novidades que o Conar está implantando a partir de 10 de abril de 2008 para a publicidade de cervejas, vinhos, aguardentes,

Leia mais

O consumidor do futuro e as estratégias persuasivas: a utilização da criança nos anúncios publicitários no Brasil. 1

O consumidor do futuro e as estratégias persuasivas: a utilização da criança nos anúncios publicitários no Brasil. 1 O consumidor do futuro e as estratégias persuasivas: a utilização da criança nos anúncios publicitários no Brasil. 1 Paula Renata Camargo de JESUS 2 Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, SP.

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de

Leia mais

Projeto Integrado de Comunicação Do Bem Sucos Integrais: Peça de Mídia Impressa Recado do Bem 1

Projeto Integrado de Comunicação Do Bem Sucos Integrais: Peça de Mídia Impressa Recado do Bem 1 Projeto Integrado de Comunicação Do Bem Sucos Integrais: Peça de Mídia Impressa Recado do Bem 1 Amanda DIAS 2 Ana Carolina SACCOMANN 3 Beatriz REBELO 4 Bruna CLARA 5 Isabela SANTOS 6 Nathalia COBRA 7 Antonio

Leia mais

CONHECENDO MELHOR A FARMÁCIA E SEUS PRODUTOS

CONHECENDO MELHOR A FARMÁCIA E SEUS PRODUTOS CONHECENDO MELHOR A FARMÁCIA E SEUS PRODUTOS No Brasil, a venda de medicamentos é feita em estabelecimentos devidamente registrados em órgãos específicos que visam a monitorar a venda correta desses produtos,

Leia mais

Comunicação Integrada de marketing.

Comunicação Integrada de marketing. Comunicação Integrada de marketing. - COMPOSTO DE COMUNICAÇÃO - 4 A s - 4 C s Comunicação: é a transmissão de uma mensagem de um emissor para um receptor, de modo que ambos a entendam da mesma maneira.

Leia mais

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas o Docente universitária na disciplina Fundamentos de marketing o 12 anos de experiência em comunicação

Leia mais

Análise Semiótica de Anúncio de TV

Análise Semiótica de Anúncio de TV Análise Semiótica de Anúncio de TV DADOS TÉCNICOS: Título: Segredos; Anunciante: Etti ; Criação: Fábio Fernandes e Renata Flori; Agência: F/Nazca; Produto: Molho de Tomate Salsaretti; Ano de veiculação

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Publicidade e Propaganda 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Publicidade e Propaganda 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Publicidade e Propaganda 2011-2 DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO CAMPANHA DE POSICIONAMENTO

Leia mais

QUADRO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA QUADRO ANTERIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGENTE NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos

QUADRO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA QUADRO ANTERIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGENTE NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos QUADRO CURSO D PUBLICIDAD PROPAGANDA QUADRO ANTRIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGNT NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos DISCIPLINA A DISCIPLINA B CÓDIGO DISCIPLINA - 2008 C/H CUR -SO DISCIPLINA C/H CÓDIGO

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. EDIVALDO HOLANDA JÚNIOR)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. EDIVALDO HOLANDA JÚNIOR) PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. EDIVALDO HOLANDA JÚNIOR) Altera a Lei nº 9.294 de 15 de julho de 1996 que Dispõe sobre as restrições ao uso e à propaganda de produtos fumígeros, bebidas alcoólicas,

Leia mais

Agrupamento de Escolas do Búzio Escola Básica 2,3/S de Vale de Cambra. Português 11ºano Ficha Informativa sobre PUBLICIDADE

Agrupamento de Escolas do Búzio Escola Básica 2,3/S de Vale de Cambra. Português 11ºano Ficha Informativa sobre PUBLICIDADE Agrupamento de Escolas do Búzio Escola Básica 2,3/S de Vale de Cambra Português 11ºano Ficha Informativa sobre PUBLICIDADE A. PUBLICIDADE A publicidade é o ato de divulgar um produto ou uma ideia com o

Leia mais

Aprendizagem. Liliam Maria da Silva

Aprendizagem. Liliam Maria da Silva Liliam Maria da Silva O Consumidor como um ser aprendiz A aprendizagem é um processo de adaptação permanente do indivíduo ao seu meio ambiente, onde acontece uma modificação relativamente durável do comportamento

Leia mais

Sumário. Apresentação. Qual a diferença entre medicamento e remédio? O que é automedicação? Por que se faz propaganda de medicamentos?

Sumário. Apresentação. Qual a diferença entre medicamento e remédio? O que é automedicação? Por que se faz propaganda de medicamentos? Sumário 3 4 5 7 9 11 Apresentação Qual a diferença entre medicamento e remédio? O que é automedicação? Por que se faz propaganda de medicamentos? Quem controla a propaganda de produtos farmacêuticos no

Leia mais

introdução a publicidade & propaganda Aula 3 - Departamentos e uxograma da agência de propaganda

introdução a publicidade & propaganda Aula 3 - Departamentos e uxograma da agência de propaganda introdução a publicidade & propaganda Aula 3 - Departamentos e uxograma da agência de propaganda professor Rafael Ho mann Campanha Conjunto de peças com o mesmo objetivo, conjunto de peças publicitárias

Leia mais

ANÁLISE DOS PONTOS DE VISTA IDEOLÓGICOS COMO REFERÊNCIA NA FORMAÇÃO DO PÚBLICO LEITOR.

ANÁLISE DOS PONTOS DE VISTA IDEOLÓGICOS COMO REFERÊNCIA NA FORMAÇÃO DO PÚBLICO LEITOR. ANÁLISE DOS PONTOS DE VISTA IDEOLÓGICOS COMO REFERÊNCIA NA FORMAÇÃO DO PÚBLICO LEITOR. Autor: Wagner de Araújo Baldêz 1 - UFOP. Orientador: William Augusto Menezes 2 - UFOP. O objetivo desse artigo é relatar

Leia mais

Estratégias de Comunicação Ferramentas Utilizadas para Comunicação de Marketing

Estratégias de Comunicação Ferramentas Utilizadas para Comunicação de Marketing Estratégias de Comunicação Ferramentas Utilizadas para Comunicação de Marketing Profa. Waléria Macaciel Comunicação de marketing É o meio pelo qual as empresas buscam informar, persuadir e lembrar os consumidores,

Leia mais

Planejamento de Campanha de Propaganda. Aula 5. Contextualização. Instrumentalização. Meios e Veículos. Mídia Conceito. Profa.

Planejamento de Campanha de Propaganda. Aula 5. Contextualização. Instrumentalização. Meios e Veículos. Mídia Conceito. Profa. Planejamento de Campanha de Propaganda Aula 5 Contextualização Profa. Karin Villatore Esta aula tem como objetivo mostrar quais são as principais mídias que podem ser usadas em campanhas de publicidade

Leia mais

ESPECIAL 2014. SAÚDE da Mulher

ESPECIAL 2014. SAÚDE da Mulher ESPECIAL 2014 SAÚDE da Mulher ESPECIAL 2014 SAÚDE da MULHER APRESENTAÇÃO A mulher redefiniu seu papel na sociedade e tem hoje grandes desafios e variadas demandas que terminam por impactar no seu estilo

Leia mais

Problemas de incentivo: Depende da experiência de especialistas (artistas) É difícil fazer contratos que alinhem incentivos

Problemas de incentivo: Depende da experiência de especialistas (artistas) É difícil fazer contratos que alinhem incentivos Propaganda Desafios É difícil medir a resposta à propaganda A demanda é afetada pela concorrência e pelas decisões relativas ao composto de marketing A resposta pode não ocorrer imediatamente Problemas

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de massa. Os tipos

Leia mais

ANÚNCIO PROPOSTA DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS. Ronaldo Martins (http://www.ronaldomartins.pro.br)

ANÚNCIO PROPOSTA DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS. Ronaldo Martins (http://www.ronaldomartins.pro.br) ANÚNCIO Você está cotidianamente exposto a vários tipos de texto em que predomina a função apelativa da linguagem, caracterizada pelo desejo de co(n)ação, ou seja, de persuasão e de convencimento do interlocutor,

Leia mais

Florianópolis: / /2014 Professor(a): 2º Trimestre EXERCÍCIO ESTRUTURAL FINAL 4ª UNIDADE

Florianópolis: / /2014 Professor(a): 2º Trimestre EXERCÍCIO ESTRUTURAL FINAL 4ª UNIDADE Aluno(a): 6º ano Florianópolis: / /2014 Professor(a): 2º Trimestre NOTA EXERCÍCIO ESTRUTURAL FINAL 4ª UNIDADE 01) Considerando-se que não somente as palavras, mas também as imagens dizem algo, analise

Leia mais

MANDAMENTOS DO USO CORRETO DOS MEDICAMENTOS

MANDAMENTOS DO USO CORRETO DOS MEDICAMENTOS ELIEZER J. BARREIRO NATALIA MEDEIROS DE LIMA MANDAMENTOS DO USO CORRETO DOS MEDICAMENTOS ISBN 978-85-910137-1-5 INCT INOFAR/ Portal dos Fármacos 2009 DOS MEDICAMENTOS INCT INOFAR/ Portal dos Fármacos 2009

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo saber como é desenvolvido o trabalho de Assessoria de Imprensa, sendo um meio dentro da comunicação que através

Leia mais

Análise semiótica de campanha publicitária O Boticário

Análise semiótica de campanha publicitária O Boticário Análise semiótica de campanha publicitária O Boticário Jacqueline Calisto Costa Raquel de Paula Pinto Soares RESUMO A abordagem semiótica entende o texto como uma unidade de sentido, independente da linguagem.

Leia mais

Jingle Sabores do Brasil para a marca Chocolates Brasil Cacau 1

Jingle Sabores do Brasil para a marca Chocolates Brasil Cacau 1 Jingle Sabores do Brasil para a marca Chocolates Brasil Cacau 1 Simone MARIANO 2 Sheilla REIS 3 Mariana BRASIL 4 Mariane FREITAS 5 Amanda CARVALHO 6 Jéssica SANTOS 7 Suelen VALENTE 8 Universidade Católica

Leia mais

A IMAGEM DA PROPAGANDA NO BRASIL

A IMAGEM DA PROPAGANDA NO BRASIL A IMAGEM DA PROPAGANDA NO BRASIL Terceira medição ano 2006 Pesquisa encomendada ao IBOPE pela ABP- Associação Brasileira de Propaganda Série histórica iniciada em 2002 Principais objetivos - Avaliar a

Leia mais

Sérgio Simka [coordenação] Mário Mauro Barbosa Cabral MARKETING NÃO É UM BICHO-DE-SETE-CABEÇAS

Sérgio Simka [coordenação] Mário Mauro Barbosa Cabral MARKETING NÃO É UM BICHO-DE-SETE-CABEÇAS Sérgio Simka [coordenação] Mário Mauro Barbosa Cabral MARKETING NÃO É UM BICHO-DE-SETE-CABEÇAS SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO: objetivo do livro. O ambiente pro ssional (mercado): veículos, agências, empresas privadas

Leia mais

Lucas Corazzini. Análise Semiótica da Propaganda Eleitoral

Lucas Corazzini. Análise Semiótica da Propaganda Eleitoral Lucas Corazzini Análise Semiótica da Propaganda Eleitoral UNICAMP Campinas 2010 1 Resumo: O trabalho a seguir foca-se inicialmente na conceituação da propaganda eleitoral quanto sua construção de significados,

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO ANÁLISE DO DISCURSO DA PROPAGANDA MARLBORO SOROCABA 2014 1 Introdução O presente trabalho

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

Apresentação da Disciplina

Apresentação da Disciplina Mídia - 2015.1 Nilmar Figueiredo 1 2 3 4 Calendário Acadêmico Comentários Apresentação da Disciplina Sistema de Avaliação 1 - Apresentação da Disciplina O que é Mídia? Departamento de Mídia - Organização

Leia mais

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido 1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido No estudo da Comunicação, a publicidade deve figurar como um dos campos de maior interesse para pesquisadores e críticos das Ciências Sociais e Humanas.

Leia mais

Por que a propaganda de medicamentos é fiscalizada? Regulamentação da promoção de medicamentos pela ANVISA SAÚDE ART. 196 CF

Por que a propaganda de medicamentos é fiscalizada? Regulamentação da promoção de medicamentos pela ANVISA SAÚDE ART. 196 CF Regulamentação da promoção de medicamentos pela ANVISA VIGILÂNCIA SANITÁRIA / ART. 200 - CF Ao Sistema Único de Saúde compete, além de outras atribuições, nos termos da lei: II - executar as ações de vigilância

Leia mais

SLOGAN E INTERAÇÃO DE TEMPO, SUJEITO E ESPAÇO: UM ESTUDO DE CASO DO GUARANÁ ANTÁRTICA

SLOGAN E INTERAÇÃO DE TEMPO, SUJEITO E ESPAÇO: UM ESTUDO DE CASO DO GUARANÁ ANTÁRTICA 1 SLOGAN E INTERAÇÃO DE TEMPO, SUJEITO E ESPAÇO: UM ESTUDO DE CASO DO GUARANÁ ANTÁRTICA Bruna Carreira Barcaroli Jéssica Gonçalves Evangelista¹ Orientadora: Profª. Drª. Sheila F. P. de Oliveira Resumo:

Leia mais

Anuários de Criação. Imagens da intimidade em propaganda impressa

Anuários de Criação. Imagens da intimidade em propaganda impressa USCS UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PRÓ-REITORIA DE PÓS GRADUAÇÃO E PESQUISA COMISSÃO DE PESQUISAS ACADÊMICAS Anuários de Criação Imagens da intimidade em propaganda impressa Docente Responsável:

Leia mais

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA Maria Eliane Gomes Morais (PPGFP-UEPB) Linduarte Pereira Rodrigues (DLA/PPGFP-UEPB) Resumo: Os textos publicitários

Leia mais

Relatório de Pesquisa Qualitativa. Avaliação da Campanha de Fim de Ano 2010

Relatório de Pesquisa Qualitativa. Avaliação da Campanha de Fim de Ano 2010 Relatório de Pesquisa Qualitativa Avaliação da Campanha de Fim de Ano 2010 Dezembro de 2010 2 Sumário Introdução... 3 1. Avaliação do Filme Fim de Ano - 2010... 5 1.1. Percepção do Filme no Break... 5

Leia mais

A INTERATIVIDADE: ALGO MAIS NA SEDUÇÃO PUBLICITÁRIA

A INTERATIVIDADE: ALGO MAIS NA SEDUÇÃO PUBLICITÁRIA A INTERATIVIDADE: ALGO MAIS NA SEDUÇÃO PUBLICITÁRIA Vera Maria Ramos Pinto (PG - UEL / GP Leitura e Ensino- CLCA- UENP/CJ) Anúncios interativos são aqueles criados com a finalidade de levar o leitor a

Leia mais

Promoção de vendas é a pressão de marketing de mídia ou não mídia exercida durante um período predeterminado e limitado de tempo ao nível de

Promoção de vendas é a pressão de marketing de mídia ou não mídia exercida durante um período predeterminado e limitado de tempo ao nível de Metas das Comunicações de Marketing: Criação de consciência informar os mercados sobre produtos, marcas, lojas ou organizações. Formação de imagens positivas desenvolver avaliações positivas nas mentes

Leia mais

PROJETO. Denise de Oliveira Resende Gerente-Geral de Alimentos

PROJETO. Denise de Oliveira Resende Gerente-Geral de Alimentos PROJETO Comunicação de risco para população: rotulagem, suplementos alimentares e redução de nutrientes (sódio, açúcares e gorduras trans e saturadas) nos alimentos Denise de Oliveira Resende Gerente-Geral

Leia mais

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br PROPOSTA DE PROPAGANDA - ANUNCIE NO JDC Apresentação de Plano de Publicidade Online no Site O JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ atende com o nome de JDC, porque é uma empresa que tem como sua atividade

Leia mais

Os símbolos na TV: a propaganda como legitimação da semiótica. Estudo de caso do VT campanha de doação de órgãos da Santa Casa 1

Os símbolos na TV: a propaganda como legitimação da semiótica. Estudo de caso do VT campanha de doação de órgãos da Santa Casa 1 Os símbolos na TV: a propaganda como legitimação da semiótica. Estudo de caso do VT campanha de doação de órgãos da Santa Casa 1 Resumo Daiane Aparecida do Carmo Esteves 2 Silvia Spagnol Simi dos Santos

Leia mais

MIDIA KIT. Aqui você fica atualizado. www.noticiasdealagoinhas.com.br

MIDIA KIT. Aqui você fica atualizado. www.noticiasdealagoinhas.com.br MIDIA KIT Aqui você fica atualizado. www.noticiasdealagoinhas.com.br Sobre nosso site O Notícias de Alagoinhas hoje é o portal mais completo da cidade. Somos um Canal de comunicação online que integra

Leia mais

Activia 1. Rebecca BOAVENTURA 2 Mauro Celso de AGUIAR 3

Activia 1. Rebecca BOAVENTURA 2 Mauro Celso de AGUIAR 3 Activia 1 Rebecca BOAVENTURA 2 Mauro Celso de AGUIAR 3 Edézio Domingos dos SANTOS 4 Maikon SCHULZ 5 Leonel de FRANÇA 6 Caroline STEINHORST 7 Diogo da Rosa Schimitz SILVA 8 David José THEISS 9 Deivi Eduardo

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

MARKETING PROMOCIONAL X PROMOÇÃO DE VENDAS. Qual a diferença?

MARKETING PROMOCIONAL X PROMOÇÃO DE VENDAS. Qual a diferença? MARKETING PROMOCIONAL X PROMOÇÃO DE VENDAS Qual a diferença? Marketing promocional É uma ferramenta que se utiliza de várias outras para promover a promoção de vendas. Por exemplo: Marketing promocional

Leia mais

CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1

CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1 CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1 (Orientador) Profa. Dra. Tatiana Machiavelli Carmo Souza 2 RESUMO O presente trabalho

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE A IMPORTÂNCIA DO MARKETING NA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA <>

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE A IMPORTÂNCIA DO MARKETING NA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA <> UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE A IMPORTÂNCIA DO MARKETING NA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA Márcia da Silva Freitas Orientador

Leia mais

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA?

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? Definição: a manipulação planejada da comunicação visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza. Funções: cabe a propaganda informar

Leia mais

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação Manual Como elaborar uma estratégia de comunicação Índice Introdução Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação. Passo 2 - Defina os alvos da comunicação Passo 3 - Estabeleça os objetivos da comunicação

Leia mais

Governo lança campanha de prevenção dos riscos do consumo de bebidas alcoólicas Resultados das pesquisas:

Governo lança campanha de prevenção dos riscos do consumo de bebidas alcoólicas Resultados das pesquisas: Governo lança campanha de prevenção dos riscos do consumo de bebidas alcoólicas O Ministério da Saúde lançou, nesta sexta-feira (10) no Rio de Janeiro (RJ), uma campanha publicitária alertando sobre os

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2015.1

PLANO DE ENSINO 2015.1 PLANO DE ENSINO 2015.1 Publicidade e Propaganda Módulo A Carga Horária: 50 h Ementa Introdução aos conceitos de Publicidade e Propaganda intrinsecamente ligados aos aspectos sociais pessoais (comportamentais)

Leia mais

Atendimento. Item 4- Publicidade e Propaganda

Atendimento. Item 4- Publicidade e Propaganda Atendimento Item 4- Publicidade e Propaganda Atendimento Item 4- Publicidade e Propaganda PUBLICIDADE X PROPAGANDA PUBLICIDADE Deriva de público (latim: publicus) Atendimento Item 4- Publicidade e Propaganda

Leia mais

PLANO DE ENSINO I EMENTA

PLANO DE ENSINO I EMENTA PLANO DE ENSINO CURSO: Comunicação Social Publicidade e Propaganda Série: 4º semestre TURNO: Diurno e Noturno DISCIPLINA: Oficina De Criação E Redação CARGA HORÁRIA SEMANAL: 4h/aula I EMENTA O curso instruirá

Leia mais

O processo de significação nas capas da Revista Elle Brasil em maio e junho de 2015 1

O processo de significação nas capas da Revista Elle Brasil em maio e junho de 2015 1 O processo de significação nas capas da Revista Elle Brasil em maio e junho de 2015 1 Pierre Míchel 2 Luãn Chagas 3 Faculdade Campo Real, Guarapuava, PR Resumo A partir dos estudos semióticos serão analisadas

Leia mais

Anexo I Ementário das Modalidades conforme Categorias DA EXPOCOM

Anexo I Ementário das Modalidades conforme Categorias DA EXPOCOM Anexo I Ementário das Modalidades conforme Categorias DA EXPOCOM JORNALISMO JO 01 Agência Jr. de Jornalismo (conjunto/ série) Modalidade voltada a agências de jornalismo experimentais, criadas, desenvolvidas

Leia mais

Primo Schincariol Indústria de Cerveja e Refrigerantes S.A.

Primo Schincariol Indústria de Cerveja e Refrigerantes S.A. São Paulo, 14 de maio 2013 À Primo Schincariol Indústria de Cerveja e Refrigerantes S.A. A/C Sr. Luiz Cláudio Taya de Araújo Diretor de Marketing Av. Primo Schincariol, 2300 Itu São Paulo 13312-900 Ref.:

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: COMUNICAÇÃO SOCIAL BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR PUBLICIDADE E PROPAGANDA SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL

Leia mais

A linguagem publicitária e os recursos lingüísticos utilizados nas campanhas de prevenção à AIDS

A linguagem publicitária e os recursos lingüísticos utilizados nas campanhas de prevenção à AIDS A linguagem publicitária e os recursos lingüísticos utilizados nas campanhas de prevenção à AIDS Neide Aparecida Arruda de Oliveira Carla Brant Wurthmann Saad Cátia Aparecida de Carvalho Nunes Elem Nepomuceno

Leia mais

CLIPPING SINFARMIG RETORNO DE MÍDIA PESQUISA GENÉRICOS

CLIPPING SINFARMIG RETORNO DE MÍDIA PESQUISA GENÉRICOS CLIPPING SINFARMIG RETORNO DE MÍDIA PESQUISA GENÉRICOS Fonte: Jornal Estado de Minas - Caderno Opinião Fonte: Agência Brasil Fonte: Jornal Hoje em Dia - Carderno Economia Fonte: Jornal O Tempo VERSÕES

Leia mais

Revista. Sua vitrine no varejo carioca MÍDIA KIT ASSERJ. Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro

Revista. Sua vitrine no varejo carioca MÍDIA KIT ASSERJ. Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro Revista Sua vitrine no varejo carioca MÍDIA KIT ASSERJ Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro O VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO QUE FALA AO TRADE SUPERMERCADISTA A revista que cresceu, evoluiu

Leia mais

A guerra dos slogans:um estudo sobre os efeitos da comunicação política na campanha para Prefeito de São José dos Campos/SP em 2008.

A guerra dos slogans:um estudo sobre os efeitos da comunicação política na campanha para Prefeito de São José dos Campos/SP em 2008. A guerra dos slogans:um estudo sobre os efeitos da comunicação política na campanha para Prefeito de São José dos Campos/SP em 2008. Margarete Salles Iwanikow 1 RESUMO Este artigo mostra a importância

Leia mais

OBJETIVOS DE MARKETING

OBJETIVOS DE MARKETING CASE Banco do Brasil Todo Seu O Banco do Brasil é a mais antiga instituição bancária brasileira. Reconhecido como fundamental para o desenvolvimento econômico e social do país, é também o maior banco da

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

DA PRESCRIÇÃO À DECISÃO

DA PRESCRIÇÃO À DECISÃO DA PRESCRIÇÃO À DECISÃO QUEM INFLUENCIA QUEM? Ricardo Moura Latam Client Group Lead Health and Consumer Health 1 O Projeto 2 400 entrevistas web 10 capitais 3 49% Homens 51% Mulheres 49% Universitário

Leia mais

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas. Copyright 2006 by Pearson Education

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas. Copyright 2006 by Pearson Education Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Copyright 2006 by Pearson Education Propaganda Qualquer forma paga de apresentação não pessoal e promocional

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

A Pobreza tem Cor no Brasil: Precisamos Reverter este Quadro 1

A Pobreza tem Cor no Brasil: Precisamos Reverter este Quadro 1 A Pobreza tem Cor no Brasil: Precisamos Reverter este Quadro 1 Andrey Scariott FILIPPI 2 Lucas Paiva de OLIVEIRA 3 Marcelo Barbosa CORRÊA 4 Virgínia FEIX 5 Centro Universitário Metodista do IPA, Porto

Leia mais

Campanha Para Citroën C4 Picasso: Banner Interstitial 1

Campanha Para Citroën C4 Picasso: Banner Interstitial 1 Campanha Para Citroën C4 Picasso: Banner Interstitial 1 Laura Silva RATTO 2 Marcela Noéli Fernandes CALÓ 3 Juliana Cabrillano GUIMARÃES 4 Prof. Dra. Paula Renata Camargo de JESUS 5 Universidade Presbiteriana

Leia mais

Estratégias em Propaganda e Comunicação

Estratégias em Propaganda e Comunicação Ferramentas Gráficas I Estratégias em Propaganda e Comunicação Tenho meu Briefing. E agora? Planejamento de Campanha Publicitária O QUE VOCÊ DEVE SABER NO INÍCIO O profissional responsável pelo planejamento

Leia mais

Comunicação eficaz impulsionando o seu negócio

Comunicação eficaz impulsionando o seu negócio Comunicação eficaz impulsionando o seu negócio Perfeita combinação Todo mundo adora compras e TV. E cada vez mais, as pessoas estão abertas a conhecer produtos novos e dispostas a pagar por algo que lhes

Leia mais

As Notícias Sobre Saúde nas Revistas Única, Ótima e RDM 1

As Notícias Sobre Saúde nas Revistas Única, Ótima e RDM 1 As Notícias Sobre Saúde nas Revistas Única, Ótima e RDM 1 Priscilla de Almeida CARDOSO 2 Benedito Dielcio MOREIRA 3 Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, MT. RESUMO Este artigo discute as notícias

Leia mais

JORNAL DO COMMERCIO 2015 ALMANAQUE PUBLICITÁRIO JC SAÚDE

JORNAL DO COMMERCIO 2015 ALMANAQUE PUBLICITÁRIO JC SAÚDE JORNAL DO COMMERCIO 2015 ALMANAQUE PUBLICITÁRIO JC APRESENTAÇÃO O Jornal do Commercio faz parte do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação, empresa do grupo JCPM, que atua também nos setores de shoppings

Leia mais

A INTERATIVIDADE DA IMAGEM COM A (RE)LEITURA DO MUNDO: UMA PROPOSTA DE INCENTIVO À LEITURA ATRAVÉS DO ESTÍMULO VISUAL

A INTERATIVIDADE DA IMAGEM COM A (RE)LEITURA DO MUNDO: UMA PROPOSTA DE INCENTIVO À LEITURA ATRAVÉS DO ESTÍMULO VISUAL A INTERATIVIDADE DA IMAGEM COM A (RE)LEITURA DO MUNDO: UMA PROPOSTA DE INCENTIVO À LEITURA ATRAVÉS DO ESTÍMULO VISUAL Deise Belisário * Pedro Ivo Silveira Andretta ** Resumo: Este artigo refere-se ao uso

Leia mais

Farmacêutica Priscila Xavier

Farmacêutica Priscila Xavier Farmacêutica Priscila Xavier A Organização Mundial de Saúde diz que há USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS: quando pacientes recebem medicamentos apropriados para suas condições clínicas, em doses adequadas às

Leia mais

A Responsabilidade Ética na Propaganda & Marketing. Com DANILO CUNHA

A Responsabilidade Ética na Propaganda & Marketing. Com DANILO CUNHA A Responsabilidade Ética na Propaganda & Marketing Com DANILO CUNHA Ética A Responsabilidade Ética na Propaganda & Marketing Conceito Estudo dos juízos de apreciação referentes à conduta humana suscetível

Leia mais

PUBLICIDADE E MARKETING MÉDICO NA ERA ELETRÔNICA: QUAIS OS LIMITES?

PUBLICIDADE E MARKETING MÉDICO NA ERA ELETRÔNICA: QUAIS OS LIMITES? VIII SIMPÓSIO MINEIRO DE INTERCORRÊNCIAS EM CIRURGIA PLÁSTICA OURO PRETO, 04 de abril de 2014 PUBLICIDADE E MARKETING MÉDICO NA ERA ELETRÔNICA: QUAIS OS LIMITES? EDUARDO SUCUPIRA Comissão de Marketing

Leia mais

Planejamento de Campanha Publicitária

Planejamento de Campanha Publicitária Planejamento de Campanha Publicitária Prof. André Wander UCAM O briefing chegou. E agora? O profissional responsável pelo planejamento de campanha em uma agência de propaganda recebe o briefing, analisa

Leia mais

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Capítulo 18 Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Copyright 2006 by Pearson Education Questões abordadas no capítulo Quais são as etapas envolvidas

Leia mais