MANUAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU"

Transcrição

1 MANUAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU APRESENTAÇÃO A disputa por uma vaga no mercado de trabalho está cada vez mais intensa, tornando os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu indispensáveis. Fazê-los em uma instituição que prima pela qualidade e organização dos cursos que oferece é, sem dúvida, o diferencial da sua carreira. Os cursos Lato Sensu da Uniguaçu procuram atender às suas exigências do mercado de trabalho, no sentido de capacitar os profissionais para a aplicação de novos métodos e tecnologias. Os cursos da Pós-Graduação Lato Sensu da Uniguaçu, são revisados e melhorados constantemente para atender às necessidades dos alunos. Assim, as Propostas Pedagógicas de Curso (PPC) sempre estão atualizadas, abordando o que há de mais novo e primoroso no processo de ensino-aprendizagem, científico e tecnológico. A consolidação de ementas embasadas teoricamente, contribuí na valorização do currículo do curso, propiciando ao aluno o aprofundamento necessário nos mais diversos conhecimentos de seu campo de atuação. Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu têm por finalidade a especialização de diversos campos e áreas de atuação, contribuindo para o progresso técnico, científico, profissional e educacional. Os cursos são regidos pela Resolução 001/2007, de 8 de junho de 2007, do Conselho Nacional de Educação e por um Regimento próprio. INFORMAÇÕES ACADÊMICAS Coordenação Geral de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão A Coordenação Geral de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão é o órgão executivo que promove e superintende as atividades e os serviços referentes à Pós- Graduação, à pesquisa e à extensão. Tem sua atuação definia por seu próprio Regimento em consonância com o Regimento Interno, com o Plano de 1

2 Desenvolvimento Institucional (PDI) e pelo Projeto Pedagógico Institucional (PPI) da Uniguaçu. Conforme Art. 9º do Regimento da Pós-Graduação, Pesquisa e extensão, compete ao Coordenador: I Orientar aos Coordenadores de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu, auxiliando na oferta de cursos, levando em consideração as leis vigentes e o que é determinado neste Regimento; II Estabelecer as rotinas de procedimentos e funcionamento, desempenho e produtividade dos setores sob a égide da Coordenação Geral da Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão; III Propor estratégias de divulgação e captação de novos alunos e parcerias institucionais, convênios e intercâmbios; IV Dar visibilidade e firmar a marca institucional das Faculdades Integradas do Vale do Iguaçu junto a potenciais parcerias institucionais, com o propósito de dinamizar e expandir a oferta e o desenvolvimento de cursos de Pós-Graduação Lato Sensu; V Assessorar os setores responsáveis pelas campanhas de divulgação dos cursos de Pós-Graduação Lato Sensu, opinando e fornecendo as informações necessárias para a elaboração de catálogos e demais materiais de divulgação; VI Acompanhar e avaliar os resultados das campanhas e estratégias de divulgação e capacitação de novos alunos e parcerias institucionais; VII Emitir parecer preliminar sobre a adequação e a viabilidade técnica e logística de propostas de parceria institucional para apoiar a realização de cursos de Pós- Graduação Lato Sensu; 2

3 VIII Encaminhar e acompanhar o trâmite e os procedimentos administrativos e pedagógicos para aprovação de cursos de Pós-Graduação Lato Sensu, bem como de novas parcerias institucionais; IX Coordenar o processo de supervisão, auditoria, controle e avaliação da condução administrativa pedagógica dos cursos de Pós-Graduação Lato Sensu; X Promover o intercâmbio entre as parcerias institucionais no sentido da permanente qualificação e da expansão das atividades acadêmicas das Faculdades Integradas do Vale do Iguaçu na esfera da Pós-Graduação Lato Sensu; XI Elaborar relatórios periódicos de suas atividades para atender às necessidades oriundas dos órgãos superiores das Faculdades Integradas do Vale do Iguaçu e de outros órgãos ou setores relacionados à Avaliação Institucional. Além da Coordenação Geral da Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, há um Coordenador para cada Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, segundo o Art. 10 do Regimento da Pós-Graduação Lato Sensu, compete ao Coordenador dos Cursos Lato Sensu: I Assessorar a Coordenação Geral de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, no sentido de apresentar informações sobre o curso, professores e alunos; II Apresentar, organizar e coordenar os Projetos Pedagógicos de Cursos (PPC) e encaminhá-los à Coordenação Geral de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão; III Elaborar projetos de pesquisa e cadastrá-los junto à Coordenação Geral de Pós- Graduação, Pesquisa e Extensão; IV Organizar e acompanhar o desenvolvimento das atividades de ensinoaprendizagem e pesquisa dos Cursos sob sua coordenação; 3

4 V Supervisionar o trabalho dos professores no desenvolvimento de suas atividades inerentes ao curso; VI Acompanhar os trâmites das documentações do curso encaminhados ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) das Faculdades Integradas do Vale do Iguaçu; VII Exercer as demais funções inerentes às atividades da Pós-Graduação Lato Sensu nos limites do Regimento Interno das Faculdades Integradas do Vale do Iguaçu, bem como ao Plano de Desenvolvimento Institucional, ao Projeto Pedagógico Institucional e a este Regimento; VIII Organizar, ou presidir, o processo de seleção de alunos, ou ingresso de alunos nos cursos de Pós-Graduação Lato Sensu; IX Elaborar e divulgar, antes de seu início, o cronograma do curso de Pós- Graduação Lato Sensu sob a sua responsabilidade acadêmica, zelando pelo seu cumprimento; X Acompanhar todas as atividades pedagógicas do curso, zelando pelo cumprimento do Projeto Pedagógico de Curso (PPC), conforme aprovado no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE); XI Zelar pelo lançamento dos graus de frequência dos alunos, bem como pelo lançamento das notas em cada disciplina, ou módulo, dentro dos prazos estabelecidos; XII Acompanhar e supervisionar o lançamento de toda e qualquer documentação inerente ao curso; XIII Prestar, a qualquer tempo, todas as informações sobre o curso quando requerido pela Direção Geral das Faculdades Integradas do Vale do Iguaçu, ou pela Coordenação Geral de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão. 4

5 AULAS As aulas ocorrerão quinzenalmente aos sábados, das 8h às 12h e das 13h30min às 17h, em datas previamente definidas no calendário acadêmico da Pós- Graduação Lato Sensu. Em alguns cursos, poderá ocorrer a concentração de módulos em sábados consecutivos ou períodos intensivos, de acordo com as necessidades do curso, bem como a partir de uma discussão com os alunos. Alguns cursos poderão ter suas aulas na quarta-feira e nos domingos, semanalmente, conforme o que estabelece o Regimento da Pós-Graduação Lato Sensu. ATENDIMENTO EXTRA-SALA E COMUNICAÇÃO Os Coordenadores de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu estarão à disposição dos alunos, em horários previamente estabelecidos. Sempre que o aluno necessitar se comunicar com o Coordenador, ou com a Instituição deverá se dirigir via telefonema, ou pessoalmente à Secretaria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, situado no Edifício Francisco Cleve. Telefone (42) , MÓDULOS TEMÁTICOS Cada curso possui um Projeto Pedagógico de Curso (PPC) que propõe o funcionamento do curso, bem como institui os módulos/disciplinas. Os módulos/disciplinas de cada curso é divulgado no site da Instituição, ou por meio de editais específicos, apresentando o nome do docente, titulação, ementa, carga horária e referências bibliográficas. A ordem de apresentação dos módulos/disciplinas não representa a ordem de realização destes, porém, será colocado em edital, ou site, as informações e avisos correspondentes à realização dos módulos/disciplinas, sempre com antecedência. 5

6 FREQUÊNCIA A aprovação depende de frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária prevista por módulo/disciplina. Serão abonadas as faltas devidamente justificadas na forma da legislação e no que prevê o Regimento da Pós- Graduação Lato Sensu. O controle de frequência será realizado por meio de livros de presença, que estará em posse do professor do módulo/disciplina. AVALIAÇÃO DOS ALUNOS Os alunos serão avaliados pelo professor de cada módulo/disciplina, ao final da realização deste, a partir do modelo estabelecido no Projeto Pedagógico de Curso (PPC), bem como definido pelo Plano de Ensino do professor e sua metodologia, através de provas escritas, trabalhos, resenhas, artigos, ensaios, projetos, entre outros instrumentos avaliação. A nota mínima será de 7,0 (sete vírgula zero), levando-se em consideração, também, a frequência de, pelo menos, 75% (setenta e cinco por cento) nos módulos/disciplinas. Os alunos que atingirem nota abaixo de 7,0 (sete vírgula zero), ou menos de 75% de frequência serão reprovados e deverão refazer o módulo/disciplina, quando este for novamente ofertado. As notas e presenças estarão à disposição do aluno no site da Instituição (www.uniguacu.edu.br), ou o aluno poderá requerê-las junto à Secretaria de Pós- Graduação, Pesquisa e Extensão. AVALIAÇÃO DOS PROFESSORES Para garantir a qualidade do curso, ao final de cada módulo/disciplina, os alunos avaliarão os professores e sua atuação nos módulos. O resultado não será publicado, sendo repassado para cada um dos professores de forma isolada. Se ocorrerem eventuais problemas entre discentes e docentes, estes deverão ser resolvidos pela Coordenação Geral de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão. 6

7 DO TRABALHO FINAL DE CURSO Conforme o que se pregoa no Art. 25 do Regimento da Pós-Graduação Lato Sensu para concluir o curso, além da aprovação em todas as disciplinas, o aluno de Pós-Graduação Lato Sensu deverá apresentar um Trabalho de Conclusão de Curso, conforme definido no respectivo Projeto Pedagógico de Curso, e obter nota igual ou superior a 7,0 (sete vírgula zero), em uma escola de 0 (zero) a 10 (dez). O Art. 26, também do Regimento da Pós-Graduação Lato Sensu, em consonância com a legislação em vigor, o Trabalho de Conclusão de Curso pode ser desenvolvido sob a forma de Monografia, Artigo Científico, Projeto de Pesquisa, Estudo ou Relato Analítico de Caso, ou outra forma específica apresentada no Projeto Pedagógico de Curso (PPC), realizado pelo aluno, individualmente ou em dupla, desde que o Projeto Pedagógico de Curso (PPC) preveja o trabalho em dupla. O Trabalho de Conclusão de Curso deverá ser elaborado de acordo com as normas estabelecidas no Projeto Pedagógico de Curso (PPC), levando em considerações as normas vigentes da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). O prazo de entrega do Trabalho de Conclusão de Curso é de, no máximo, 6 (seis) meses após o final do último módulo/disciplina, conforme o Projeto Pedagógico de Curso (PPC). Conforme o Art. 27, do Regimento da Pós-Graduação Lato Sensu, para apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso, deverá o aluno, dentro do prazo estabelecido, satisfazer os seguintes itens: I Ter integralizado todos os módulos/disciplinas ou carga horária total; II Para apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso, o aluno deverá ter entregue os documentos mencionados no Art. 14 do Regimento, além do diploma de curso de graduação em nível superior; 7

8 III Estar quite quanto aos pagamentos das mensalidades estabelecidas no contrato de prestação de serviços educacionais, apresentando negativa do financeiro, da biblioteca e da secretaria. Os procedimentos e critérios de avaliação dos Trabalhos de Conclusão de Curso deverão ser estabelecidos nos Projetos Pedagógicos de Curso (PPC), bem como através de uma resolução da Instituição. DA CERTIFICAÇÃO Os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu é regido pela Resolução CES/CNE nº 01 de 03 de abril de 2001 e pelo parecer CES/CNE 908/98 de 02 de julho de 1998 do Conselho de Educação do Ministério da Educação (MEC). O certificado será expedido pelas Faculdades Integradas do Vale do Iguaçu (Uniguaçu), de União da Vitória, PR, instituição devidamente credenciada junto ao MEC para oferecer cursos de Pós-Graduação Lato Sensu. Após a conclusão de todos os módulos/disciplinas com aproveitamento e frequência mínimos exigidos e a aprovação do Trabalho de Conclusão de Curso, conforme os critérios estabelecidos neste Regulamento, o aluno fará jus ao Certificado de Conclusão de Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. Para obter o certificado, o aluno deverá ter cumprido integralmente com todas as suas obrigações e condições acadêmicas, administrativas e financeiras. O prazo para expedição do certificado é de até 90 (noventa) dias a partir do protocolamento do requerimento junto à Secretaria da Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, seja diretamente por parte do aluno ou por procuração, desde que toda a documentação pessoal e acadêmica do requerente esteja completa e adequada. No caso de haver algum tipo de pendência, a Coordenação Geral de Pós- Graduação, Pesquisa e Extensão das Faculdades Integradas do Vale do Iguaçu, terá mais 30 (trinta) dias para a expedição do certificado, depois de cumpridas e protocoladas as pendências existentes, e iguais prazos sucessivos se as providências tomadas não satisfizerem o que estabelece a legislação em vigor. UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA 8

9 Para usufruir dos serviços da Biblioteca, o aluno deverá apresentar a carteirinha de estudante de Pós-Graduação, a qual será emitida pela Uniguaçu. No primeiro dia de aula, a Coordenação Geral de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão fica responsável pela foto digital e preparo da carteira de estudante. 9

REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSO

REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSO REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSO Guarantã do Norte - MT Sumário CAPÍTULO I... 3 DA NATUREZA E FINALIDADES... 3 CAPÍTULO II... 4 DA PROPOSIÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS CURSOS... 4 CAPÍTULO III...

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Em conformidade com a Resolução CNE/CES n 1, de 08 de Junho de 2007 e o Regimento da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação.

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS Educar pela Pesquisa CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS Educar pela Pesquisa CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS Educar pela Pesquisa CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1 - O curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em

Leia mais

FACULDADE DE TEOLOGIA - FAT

FACULDADE DE TEOLOGIA - FAT VOTO CONSU 2012-16 DE 26/04/2012 CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO - UNASP FACULDADE DE TEOLOGIA - FAT REGIMENTO 2012 2 SUMÁRIO TÍTULO I DA FACULDADE, SEUS FINS E OBJETIVOS... 3 TÍTULO II DA

Leia mais

RESOLUÇÃO/CONSUNI Nº05/2012. Regulamenta os Cursos de Pós- Graduação Lato Sensu. RESOLVE

RESOLUÇÃO/CONSUNI Nº05/2012. Regulamenta os Cursos de Pós- Graduação Lato Sensu. RESOLVE RESOLUÇÃO/CONSUNI Nº05/2012 Regulamenta os Cursos de Pós- Graduação Lato Sensu. O Presidente do Conselho Universitário do Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí - UNIDAVI, no

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. Este Regulamento estabelece as políticas básicas das

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Praia Grande São Paulo Outubro de 2009 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo 1º - O presente Regulamento disciplina a organização e as atividades

Leia mais

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 1/2008

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 1/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário Viçosa, MG 36570-000 Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br RESOLUÇÃO

Leia mais

DELIBERAÇÃ0 CONSEP Nº 116/2007

DELIBERAÇÃ0 CONSEP Nº 116/2007 DELIBERAÇÃ0 CONSEP Nº 116/2007 (Republicação aprovada pela Del. CONSEP Nº 098/2008, de 14/8/2008) Regulamenta os Cursos de Pósgraduação lato sensu na Universidade de Taubaté. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO ACADÊMICO DE PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 03/2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO ACADÊMICO DE PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 03/2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO ACADÊMICO DE PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 03/2014 Aprova as Normas Complementares para Cursos de Pós-Graduação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECOLÓGICA DA BAHIA COORDENAÇÃO TÉCNICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECOLÓGICA DA BAHIA COORDENAÇÃO TÉCNICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECOLÓGICA DA BAHIA COORDENAÇÃO TÉCNICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA NORMAS COMPLEMENTARES PARA CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO CEFET-BA Normas adicionais

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Em conformidade com a Resolução CNE/CES n 1, de 08 de Junho de 2007 e o Regimento da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. (Aprovado pelo Parecer

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP REGULAMENTO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO)

SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP REGULAMENTO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO) SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP REGULAMENTO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO) Capivari de Baixo (SC), dezembro de 2014. CAPITULO I Da Criação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 12/2005, DE 26/09/2005.

RESOLUÇÃO Nº 12/2005, DE 26/09/2005. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE UBERABA-MG CONSELHO DIRETOR RESOLUÇÃO Nº 12/2005, DE 26/09/2005. Aprova o Regulamento de Estágio dos Cursos do Centro Federal de

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Faculdade de Direito de Alta Floresta - FADAF

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Faculdade de Direito de Alta Floresta - FADAF REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Faculdade de Direito de Alta Floresta - FADAF 2010 SUMÁRIO TITULO I... 3 DA CONCEITUAÇÃO DO PROGRAMA... 3 CAPÍTULO I... 3 DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... 3

Leia mais

REGIMENTO DO COMITÊ DE ÉTICA NA EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL DA UNIVERSIDADE DE UBERABA (Aprovado pelo CEEA / UNIUBE em 28/03/2012) Capítulo I Do Comitê

REGIMENTO DO COMITÊ DE ÉTICA NA EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL DA UNIVERSIDADE DE UBERABA (Aprovado pelo CEEA / UNIUBE em 28/03/2012) Capítulo I Do Comitê REGIMENTO DO COMITÊ DE ÉTICA NA EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL DA UNIVERSIDADE DE UBERABA (Aprovado pelo CEEA / UNIUBE em 28/03/2012) Capítulo I Do Comitê Art. 1º - O Comitê de Ética na Experimentação Animal (CEEA)

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO -

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO - Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO - CAPÍTULO I Da Natureza, das Finalidades e dos Objetivos Art.

Leia mais

FACULDADE SÃO PAULO MANTIDA PELA SOCIEDADE SÃO PAULO DE ENSINO SUPERIOR SSPES REGULAMENTO DO NDE

FACULDADE SÃO PAULO MANTIDA PELA SOCIEDADE SÃO PAULO DE ENSINO SUPERIOR SSPES REGULAMENTO DO NDE FACULDADE SÃO PAULO MANTIDA PELA SOCIEDADE SÃO PAULO DE ENSINO SUPERIOR SSPES REGULAMENTO DO NDE 1 REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) Artigo 1º - O Núcleo Docente Estruturante é órgão de

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH

Regulamento do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH Regulamento do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO Art. 1º O Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH (NAPMED-BH) foi criado

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011.

RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011. RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Sociedade Brasileira de Matemática. Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS

Sociedade Brasileira de Matemática. Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS Sociedade Brasileira de Matemática Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS Art. 1⁰ O Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional

Leia mais

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade:

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade: Resolução n 225, de 21 de junho 2016. Aprova emendas ao Regimento Geral da Universidade, cria setores e dá outras providências. O Conselho Universitário CONSUNI, da Universidade do Planalto Catarinense

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE PSICOLOGIA ESTÁGIO PROFISSIONAL EM PSICOLOGIA (CURRÍCULO 3) I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE PSICOLOGIA ESTÁGIO PROFISSIONAL EM PSICOLOGIA (CURRÍCULO 3) I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE PSICOLOGIA ESTÁGIO PROFISSIONAL EM PSICOLOGIA (CURRÍCULO 3) I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Psicologia é uma atividade obrigatória, em consonância

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MINEIROS UNIFIMES POLÍTICA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU STRICTO SENSU

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MINEIROS UNIFIMES POLÍTICA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU STRICTO SENSU CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MINEIROS UNIFIMES POLÍTICA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU STRICTO SENSU Mineiros Goiás 2015 Reitora Ita de Fátima Dias Silva Vice-Reitora Marilaine de Sá Fernandes Pró-Reitor de Administração

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU TÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU TÍTULO I DOS OBJETIVOS REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu oferecidos pela Universidade Vila Velha ES (UVV), em caráter de educação continuada,

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO. EDITAL N o 01

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO. EDITAL N o 01 UNCISAL UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE ALAGOAS Transformada em Universidade pela Lei n 6.660 de 28 de dezembro de 2005 Campus Governador Lamenha Filho Rua Jorge de Lima, 113, Trapiche da

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE/UFERSA Nº 007/2010, de 19 de agosto de 2010.

RESOLUÇÃO CONSEPE/UFERSA Nº 007/2010, de 19 de agosto de 2010. CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO CONSEPE/UFERSA Nº 007/2010, de 19 de agosto de 2010. Cria o Núcleo de Educação à Distância na estrutura organizacional da Pró- Reitoria de Graduação da

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. Este Regulamento estabelece as políticas básicas

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este regulamento disciplina o Trabalho de Conclusão de Curso - TCC dos Cursos das Faculdades Integradas Hélio Alonso,

Leia mais

por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, ou outro documento com mesmo valor legal; 3 (três) anos, no mínimo, de experiência

por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, ou outro documento com mesmo valor legal; 3 (três) anos, no mínimo, de experiência AGÊNCIA DE PROMOÇÃO DE EXPORTAÇÕES DO BRASIL - APEX-BRASIL EDITAL No- 1, DE 31 DE AGOSTO DE 2006 PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRORESERVA EM EMPREGOS DE NÍVEL SUPERIOR

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO ARAGUAIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE LETRAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO ARAGUAIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE LETRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO ARAGUAIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE LETRAS EDITAL Nº 01 LETRAS/ICHS/CUA/UFMT/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

EMENTA: APROVA A PROPOSTA DE REGULAMENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DO PROJETO DE AÇÕES COMUNITÁRIAS.

EMENTA: APROVA A PROPOSTA DE REGULAMENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DO PROJETO DE AÇÕES COMUNITÁRIAS. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 028/06-CONSU/UNIFAP de 29 de setembro de 2006. EMENTA: APROVA A PROPOSTA DE REGULAMENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 139/2009/CONEPE Aprova alteração nas Normas Específicas do Estágio

Leia mais

REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE MUNICIPAL DE PALHOÇA

REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE MUNICIPAL DE PALHOÇA REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE MUNICIPAL DE PALHOÇA Este Regimento foi julgado e aprovado pelo Conselho da Faculdade Municipal de Palhoça (CONFAP) no dia 08 de abril de 2015,

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO MEDIO INTEGRADO À EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA

Leia mais

RESOLUÇÃO 01 /2015 RESOLVE. Art. 1 - Aprovar o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, em nível de Especialização, denominado Autismo.

RESOLUÇÃO 01 /2015 RESOLVE. Art. 1 - Aprovar o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, em nível de Especialização, denominado Autismo. RESOLUÇÃO 01 /2015 Aprova o Curso de Pós-Graduacão Lato Sensu, na modalidade de Especialização, com a denominação de Curso de Especialização em Autismo. O COLEGIADO ACADÊMICO DA FACULDADE CAMPOS ELÍSEOS

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Aprovado pelo CONSUNI Nº15 em 24/05/2016 ÍNDICE CAPITULO I Da Constituição,

Leia mais

Regulamento dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Regulamento dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CONFRARIA NOSSA SENHORA DA PIEDADE DA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA PIEDADE Faculdade de Pará de Minas - FAPAM Reconhecida pelo Decreto 79090, de 04/01/77 Rua Ricardo Marinho, 110 - São Geraldo - Pará de Minas/MG

Leia mais

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 24 de abril de 2014.

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 24 de abril de 2014. RESOLUÇÃO CAS Nº 04/2014 DISPÕE A CRIAÇÃO E REGULAMENTAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS CONTÁBEIS VINCULADO AO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DAS FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS FEMA. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E EMPREENDEDORISMO EM SAÚDE NITE SAÚDE CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E EMPREENDEDORISMO EM SAÚDE NITE SAÚDE CAPÍTULO I DAS FINALIDADES REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E EMPREENDEDORISMO EM SAÚDE NITE SAÚDE CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º. O Núcleo de Inovação Tecnológica e Empreendedorismo em Saúde da Universidade Federal

Leia mais

REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE PSICOLOGIA

REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE PSICOLOGIA Mantida pela Instituição Adventista Nordeste Brasileira de Educação e Assistência Social REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE PSICOLOGIA SUMÁRIO Capítulo I 3 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento, elaborado de acordo com a Resolução 026/2011

Leia mais

Regimento da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação

Regimento da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO Regimento da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação Aprovado pela Resolução

Leia mais

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO COORDENAÇÃO DE TGI TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO SÃO PAULO JUNHO DE 2007 CAPÍTULO 1 DA CONCEITUAÇÃO Art. 1º - O Trabalho de Graduação Interdisciplinar (TGI), atividade obrigatória

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Da Concepção e Objetivos Art. 1º. O presente regulamento tem como finalidade normatizar a atividade relacionada

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Conselho Superior

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Conselho Superior RESOLUÇÃO Nº 023 CONSUPER/2017 Dispõe sobre sobre o Regulamento de Cursos Livres de Extensão do Instituto Federal Catarinense. A Presidente do do IFC, professora Sônia Regina de Souza Fernandes, no uso

Leia mais

Sociedade Brasileira de Matemática. Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO II DA NATUREZA E OBJETIVOS

Sociedade Brasileira de Matemática. Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO II DA NATUREZA E OBJETIVOS Sociedade Brasileira de Matemática Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS Art. 1 ⁰ O Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM SERES HUMANOS DA FACULDADE CATÓLICA DO TOCANTINS CEPh/FACTO

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM SERES HUMANOS DA FACULDADE CATÓLICA DO TOCANTINS CEPh/FACTO REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM SERES HUMANOS DA FACULDADE CATÓLICA DO TOCANTINS CEPh/FACTO A FACTO, em cumprimento a Resolução nº. 196, do Conselho Nacional de Saúde (CNS/MS), expedida

Leia mais

Sociedade Brasileira de Matemática Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT

Sociedade Brasileira de Matemática Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT Sociedade Brasileira de Matemática Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS Art. 1 o O Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional

Leia mais

Regulamento Específico do Curso de Especialização em Planejamento Tributário

Regulamento Específico do Curso de Especialização em Planejamento Tributário MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÂNIA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS Regulamento Específico do Curso de Especialização em Planejamento

Leia mais

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF REGULAMENTO N. 007 /2015 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NUEMA DA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF GARÇA/SP Vanessa Zappa, Diretora da FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Conselho Superior

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Conselho Superior RESOLUÇÃO Nº 023 CONSUPER/2017 Dispõe sobre sobre o Regulamento de Cursos Livres de Extensão do Instituto Federal Catarinense. A Presidente do do IFC, professora Sônia Regina de Souza Fernandes, no uso

Leia mais

FACULDADE PRESBITERIANA MACKENZIE RIO MANTIDA PELO INSTITUTO PRESBITERIANO MACKENZIE

FACULDADE PRESBITERIANA MACKENZIE RIO MANTIDA PELO INSTITUTO PRESBITERIANO MACKENZIE Regulamento Núcleo Docente Estruturante REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE DE CURSO DE GRAUDAÇÃO CAPÍTULO I DO OBJETIVO E DA FINALIDADE Art. 1º. O Núcleo Docente Estruturante NDE, de Curso de Graduação

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PALMAS/2011 SUMÁRIO CAPÍTULO I - DA NATUREZA...03 CAPÍTULO II - DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO...03 Seção I - Da

Leia mais

EDITAL Nº 33, DE 18 DE MARÇO DE 2015.

EDITAL Nº 33, DE 18 DE MARÇO DE 2015. EDITAL Nº 33, DE 18 DE MARÇO DE 2015. O PRÓ-REITOR DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições, torna público o Edital de Abertura

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Colegiado Acadêmico de Ciências da Natureza Senhor do Bonfim Bahia Rua Tomás Guimarães S/N Fone: (74) 3221-4809 - www.univasf.edu.br REGIMENTO INTERNO

Leia mais

REGIMENTO GERAL DO NÚCLEOS DOCENTES ESTRUTURANTES. NDEs DA FACULDADE DE VINHEDO

REGIMENTO GERAL DO NÚCLEOS DOCENTES ESTRUTURANTES. NDEs DA FACULDADE DE VINHEDO REGIMENTO GERAL DO NÚCLEOS DOCENTES ESTRUTURANTES NDEs DA FACULDADE DE VINHEDO 1 SUMÁRIO CAPÍTULO I- DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES--------------------------------------3 CAPÍTULO II- DAS ATRIBUIÇÕES DOS

Leia mais

Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional

Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional Capítulo I Natureza e Objetivos Artigo 1 - O Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT) tem como objetivo proporcionar

Leia mais

NÚCLEO DE MISSÕES E CRESCIMENTO DE IGREJA FACULDADE ADVENTISTA DE TEOLOGIA (FAT) UNASP REGULAMENTO

NÚCLEO DE MISSÕES E CRESCIMENTO DE IGREJA FACULDADE ADVENTISTA DE TEOLOGIA (FAT) UNASP REGULAMENTO Texto Aprovado CONSU Nº 2009-14 - Data: 03/09/09 PRÓ-REITORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE MISSÕES E CRESCIMENTO DE IGREJA FACULDADE ADVENTISTA DE TEOLOGIA (FAT) UNASP REGULAMENTO Conforme Regimento do UNASP Artigo

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento visa normatizar as Atividades Complementares do Curso de História. Parágrafo único As Atividades Complementares

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Diretoria de Pós-Graduação Divisão de Admissão e Mobilidade EDITAL PROPPG/DPG/DAM Nº 010/2015 CURSOS

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Diretoria de Pós-Graduação Divisão de Admissão e Mobilidade EDITAL PROPPG/DPG/DAM Nº 010/2015 CURSOS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Diretoria de Pós-Graduação Divisão de Admissão e Mobilidade EDITAL PROPPG/DPG/DAM Nº 010/2015 A PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO da UNIVERSIDADE ESTADUAL

Leia mais

1. DOS PRÉ-REQUISITOS 2. FUNCIONAMENTO DO CURSO

1. DOS PRÉ-REQUISITOS 2. FUNCIONAMENTO DO CURSO 1 Edital de oferta de vagas para o Curso de Pós- GraduaçãoLato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios, na modalidade a distância. A Reitora da Universidade Anhanguera-Uniderp, credenciada pelo MEC

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRO-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRO-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO REGIMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO NA CULTURA DIGITAL TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º. O presente regimento estabelece normas gerais e a organização básica do curso de especialização em Educação

Leia mais

REGULAMENTO GERAL PARA CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO GERAL PARA CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO GERAL PARA CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Os cursos de pós-graduação lato sensu do Centro Universitário Ritter dos Reis/UniRitter orientam-se

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE DESIGN

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE DESIGN UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC ÁREA DAS CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CURSO DE DESIGN MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE DESIGN São Miguel do Oeste,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 20 DE OUTUBRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 20 DE OUTUBRO DE 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.740, DE 20 DE OUTUBRO DE 2015 Aprova o Regimento do Programa de Pós- Graduação em Administração

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TUCURUÍ RESOLUÇÃO:

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TUCURUÍ RESOLUÇÃO: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TUCURUÍ RESOLUÇÃO N. 730, DE 01 DE SETEMBRO DE 2015. Aprova o Regimento dos Cursos de Pós-Graduação Lato

Leia mais

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1190

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1190 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1190 Cria o Programa de Monitoria da UFG, fixa os objetivos e estabelece as estruturas de funcionamento da Monitoria na UFG, e

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SOLEDADE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO. Especialização em Políticas e Gestão da Educação

PREFEITURA MUNICIPAL DE SOLEDADE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO. Especialização em Políticas e Gestão da Educação PREFEITURA MUNICIPAL DE SOLEDADE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO Especialização em Políticas e Gestão da Educação Curso de Pós Graduação lato sensu UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO EDITAL

Leia mais

INÍCIO E TÉRMINO DAS AULAS. Início das aulas: 20/09/2014 Término das aulas: dezembro de 2015.

INÍCIO E TÉRMINO DAS AULAS. Início das aulas: 20/09/2014 Término das aulas: dezembro de 2015. EDITAL DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2014 Os Diretores Executivo e Técnico do, no uso das atribuições que lhes conferem o Regimento Interno do, informam, por meio do presente Edital, que estão abertas as

Leia mais

REGULAMENTO DA MONITORIA

REGULAMENTO DA MONITORIA REGULAMENTO DA MONITORIA REGULAMENTO DA MONITORIA Art. 1º. O presente regulamento estabelece as regras para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação do Centro Universitário de União da Vitória

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CAPITULO I Das considerações preliminares Art. 1 - Este regulamento disciplina os processos de planejamento, elaboração, execução e avaliação dos cursos

Leia mais

EDITAL nº 01/2015 CHAMADA PARA CREDENCIAMENTO DE LIDERES DE GRUPOS DE PESQUISA

EDITAL nº 01/2015 CHAMADA PARA CREDENCIAMENTO DE LIDERES DE GRUPOS DE PESQUISA EDITAL nº 01/2015 CHAMADA PARA CREDENCIAMENTO DE LIDERES DE GRUPOS DE PESQUISA A Coordenação de Pesquisa e Extensão (COPEX) informa à comunidade acadêmica da Faculdade Leão Sampaio que está recebendo solicitações

Leia mais

ANEXO 3 - Regulamento de TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC

ANEXO 3 - Regulamento de TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC ANEXO 3 - Regulamento de TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Capítulo I Dos Objetivos Art. 1º - O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC O Trabalho de Conclusão de Curso está estruturado sob a forma de elaboração de artigo científico, sendo este resultado de um trabalho integrado entre as disciplinas de

Leia mais

REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO -PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FACULDADE DR. FRANCISCO MAEDA-FAFRAM/FE

REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO -PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FACULDADE DR. FRANCISCO MAEDA-FAFRAM/FE REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO -PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FACULDADE DR. FRANCISCO MAEDA-FAFRAM/FE CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares Art. 1º. Os cursos de Pós Graduação

Leia mais

REGULAMENTO N. 001 /2010 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA

REGULAMENTO N. 001 /2010 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA REGULAMENTO N. 001 /2010 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA Simone da Silva Gomes Cardoso, Diretora da FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE SERVIÇO SOCIAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO CAPÍTULO I DA NATUREZA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE SERVIÇO SOCIAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO CAPÍTULO I DA NATUREZA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE SERVIÇO SOCIAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º O presente regulamento fixa diretrizes e normas básicas para o funcionamento dos estágios

Leia mais

CAPÍTULO II - DA REALIZAÇÃO

CAPÍTULO II - DA REALIZAÇÃO REGIMENTO 3ª Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres Regimento CAPÍTULO I - DO OBJETIVO Art. 1º - A 3ª Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres, convocada pelo Decreto do Governo Estadual,

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU Nº 008/2016

RESOLUÇÃO CONSU Nº 008/2016 RESOLUÇÃO CONSU Nº 008/2016 (Alteração da Resolução CONSU Nº 001/2015) Estabelece Normas para Funcionamento e Execução do Projeto Integrador Componente da Matriz Curricular 2011 e 2014 A Diretora Geral

Leia mais

UNIVERSIDADE ALTO VALE DO RIO DO PEIXE UNIARP CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

UNIVERSIDADE ALTO VALE DO RIO DO PEIXE UNIARP CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO UNIVERSIDADE ALTO VALE DO RIO DO PEIXE UNIARP CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MATRIZ CURRICULAR 2013 Fabieli Spessatto Coordenadora do Curso Caçador, 2016

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 086/2005-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 086/2005-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 086/2005-CEPE/UNICENTRO Cria o Núcleo de Educação a Distância da Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO e aprova o seu Regulamento. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE,

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA outubro/2010

Leia mais

Associação Educativa Evangélica FACULDADE RAÍZES Plantando Conhecimento para a Vida

Associação Educativa Evangélica FACULDADE RAÍZES Plantando Conhecimento para a Vida REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE CAPÍTULO I DAS CONSIDRAÇÕES PRELIMINARES Art.1º O presente Regulamento disciplina as atribuições e o funcionamento do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Curso

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006 O MINISTRO DE ESTADO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS. CONSELHO SUPERIOR Avenida Professor Mário Werneck, nº. 2590,

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU IFCE

REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU IFCE REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU IFCE TÍTULO I - DA NATUREZA E DAS FINALIDADES CAPÍTULO I - DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO II - DA IMPLANTAÇÃO E DO OFERECIMENTO TITULO II - DA

Leia mais

REGIMENTO GERAL DO MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA - MNPEF

REGIMENTO GERAL DO MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA - MNPEF REGIMENTO GERAL DO MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA - MNPEF I - DOS OBJETIVOS Art. 1º - O Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física MNPEF é uma ação da Sociedade Brasileira de

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PNEUMOLOGIA DA ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PNEUMOLOGIA DA ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PNEUMOLOGIA DA ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Aprovado em Reunião ordinária da CEPG em 03 de setembro de 2013 Capítulo I Disposição

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO - CEPEAGE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO - CEPEAGE REGULAMENTO DE ESTÁGIO - CEPEAGE REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CENTRO DE PRÁTICA EM ENGENHARIA, ARQUITETURA E GESTÃO - CEPEAGE DAS FACULDADES INTEGRADAS PITÁGORAS / FIPMoc I - DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1.

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA FACULDADE BATISTA DE MINAS GERAIS

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA FACULDADE BATISTA DE MINAS GERAIS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES FACULDADE BATISTA DE MINAS GERAIS Art. 1 O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades do Trabalho

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA. CAPÍTULO I Das Considerações Preliminares

REGULAMENTO DE MONITORIA. CAPÍTULO I Das Considerações Preliminares F a c u l d a d e d e R e a b i l i t a ç ã o d a A S C E - F R A S C E REGULAMENTO DE MONITORIA CAPÍTULO I Das Considerações Preliminares Art.1º A Monitoria constitui-se em mais um espaço de aprendizagem

Leia mais

2º A monitoria remunerada por bolsa não gera nenhum vínculo empregatício entre o IFPE e o estudante.

2º A monitoria remunerada por bolsa não gera nenhum vínculo empregatício entre o IFPE e o estudante. 2º A monitoria remunerada por bolsa não gera nenhum vínculo empregatício entre o IFPE e o estudante. 3º O estudante-monitor deverá assinar um Termo de Compromisso específico à atividade de monitoria. Art.4º

Leia mais

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE AIMORÉS SUMÁRIO

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE AIMORÉS SUMÁRIO REGULAMENTO DO PROJETO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AIMORÉS/MG SUMÁRIO REGULAMENTO DO PROJETO EMPRESARIAL... 1 Objetivos... 4 Objetivos Específicos... 4 Duração do Projeto Empresarial... 5 Disciplina

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS REGULAMENTO DO PROGRAMA BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO EDUCACIONAL CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADE

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS REGULAMENTO DO PROGRAMA BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO EDUCACIONAL CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADE CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS REGULAMENTO DO PROGRAMA BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO EDUCACIONAL CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADE Art.1º- O presente Regulamento destina-se a fixar diretrizes

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento disciplina o processo de elaboração, apresentação e avaliação do

Leia mais

Edital para seleção de orientadores e bolsistas de iniciação tecnológica e inovação para o período de 2016-2017

Edital para seleção de orientadores e bolsistas de iniciação tecnológica e inovação para o período de 2016-2017 Edital para seleção de orientadores e bolsistas de iniciação tecnológica e inovação para o período de 2016-2017 O Comitê Institucional dos Programas de Iniciação Científica (CIPIC) da Universidade Federal

Leia mais

EDITAL N 06, DE 14 DE MARÇO DE ABERTURA DE PROCESSO ELEITORAL PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CAMPUS RESTINGA

EDITAL N 06, DE 14 DE MARÇO DE ABERTURA DE PROCESSO ELEITORAL PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CAMPUS RESTINGA EDITAL N 06, DE 14 DE MARÇO DE 2016. ABERTURA DE PROCESSO ELEITORAL PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CAMPUS RESTINGA O Diretor-Geral do do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE EDUCADOR EM CARÁTER TEMPORÁRIO

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE EDUCADOR EM CARÁTER TEMPORÁRIO 1 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE EDUCADOR EM CARÁTER TEMPORÁRIO A Fundação Educacional São Carlos, por determinação da Sra. Diretora Presidente Vera Lúcia Ciarlo Raymundo,

Leia mais

EDITAL 21/2015 PARA ELEIÇÃO DE REPRESENTAÇÃO DISCENTE NA CONGREGAÇÃO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE BARUERI PADRE DANILO JOSÉ DE OLIVEIRA OHL.

EDITAL 21/2015 PARA ELEIÇÃO DE REPRESENTAÇÃO DISCENTE NA CONGREGAÇÃO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE BARUERI PADRE DANILO JOSÉ DE OLIVEIRA OHL. EDITAL 21/2015 PARA ELEIÇÃO DE REPRESENTAÇÃO DISCENTE NA CONGREGAÇÃO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE BARUERI PADRE DANILO JOSÉ DE OLIVEIRA OHL. A Comissão Eleitoral da Fatec Barueri, tendo em vista a instalação

Leia mais