PLANO DE GESTÃO CÂMPUS CAÇADOR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE GESTÃO CÂMPUS CAÇADOR"

Transcrição

1 PLANO DE GESTÃO CÂMPUS CAÇADOR Consolidar, Incluir e Unir com ética, transparência e responsabilidade

2 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO METODOLOGIA EQUIPE MAPA SITUACIONAL EIXOS ESTRATÉGICOS DE GESTÃO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO ESTRUTURA FÍSICA PERMANÊNCIA E ÊXITO ORGANIZAÇÃO GERENCIAL CONSIDERAÇÕES FINAIS

3 1 APRESENTAÇÃO Este documento tem como objetivo apresentar a proposta de gestão para o período Esta proposta foi construída com base na experiência já vivenciada no Câmpus Caçador, não apenas pela equipe que a propõem, mas também por inúmeros servidores que têm, ao longo do tempo, compartilhado sua visão em relação ao futuro do câmpus. Buscou-se ao máximo construir um conjunto de propostas alinhado com a missão institucional e articulado com os objetivos estratégicos institucionais, estabelecidos no Plano de Desenvolvimento Institucinal (PDI). Nosso esforço se concentrará na consolidação do câmpus, tanto no âmbito da infraestrutura, quanto no quadro de pessoas, prezando por uma gestão ética, transparente e participativa. Convidamos todos os servidores e discentes do câmpus Caçador a ler este documento na certeza de que mais importante do que a contrução dele, é a implementação, que representa uma oportunidade de atualização e melhoria do que aqui está proposto para que possamos avançar no atendimento à comunidade. 5

4 2 METODOLOGIA O presente Plano de Gestão ( ) foi pensado e elaborado tendo como princípios a vivência da equipe de gestão desde a implantação até o momento presente do câmpus, considerando informações absorvidas ao longo de discussões e opiniões de servidores do câmpus, da instituição, alunos, membros da sociedade civil e do poder público municipal. A partir deste embasamento, foram elaborados 4 eixos estratégicos, que de acordo com a equipe, constituem-se nos primordiais para alcance do sucesso como instituição educacional pública, que visa formar cidadãos críticos e preparados para os desafios da vida. Este sucesso é fortemente dependente da consolidação da estrutura física e, principalmente, humana do câmpus. Com relação à última, diversas estratégias listadas no documento buscam a manutenção e melhoria contínua das condições de trabalho e, primordialmente, a satisfação profissional. As estratégias e suas descrições conferem uma visão ampla do que é pretendido para o câmpus em diferentes intervalos de tempo. 6

5 3 EQUIPE Eduardo Nascimento Pires Diretor-Geral Mestre em Ciência e Engenharia de Materiais e graduado em Engenharia de Materiais, ambos pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é doutorando no Programa de Pósgraduação em Ciência e Engenharia de Materiais pela mesma universidade. Possui Técnico em Mecânica pelo Instituto Federal de Santa Catarina e integra o quadro de docentes efetivos do IFSC desde Iniciou suas atividades como docente no Curso Técnico em Plásticos, em 2011, e atuou na Chefia de Ensino, Pesquisa e Extensão nas três últimas gestões, onde colaborou ativamente na estruturação do campus. Desde abril de 2015 atua como Diretor-Geral pro tempore do câmpus Caçador. Possui experiência na área de Engenharia de Materiais, com ênfase em processamento de materiais poliméricos e compósitos. Priscilla Canalli Caramori Maffessoni Chefe do Departamento de Administração Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (2009), graduação em Turismo pela Universidade Positivo (2003), especialização Lato Sensu em Administração - Gestão Empresarial pela Universidade do Contestado (2005) e especialização em Educação Infantil e Séries Iniciais pela Sociedade de Educação Continuada (2009). Ingressou no IFSC em 2010, onde atua como assistente em administração. Coordenou o setor de Gestão de Pessoas entre 2010 e 2013, e a partir de 2014 atua como Chefe do Departamento de Administração. Rodrigo Acácio Paggi Chefe do Departamento de Ensino, Pesquisa e Extensão Possui Doutorado (2014) e Mestrado (2008) em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, além de graduação em Engenharia de Materiais (2007) pela mesma instituição. Desde de 2010 faz parte do quadro docente efetivo do Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC Câmpus Caçador. Entre 2010 e 2014 atuou como responsável pela pesquisa e inovação, de novembro de 2012 a abril de 2013 atuou como coordenador de extensão e relações externas, de março a outubro de 2013 atuou como coordenador adjunto do Pronatec, e desde agosto de 2013 atua como assessor da direção geral do câmpus. Tem experiência na área de Engenharia de Materiais e Metalúrgica, com ênfase em materiais poliméricos e técnicas de prototipagem rápida, materiais compósitos/nanocompósitos, processamento de polímeros bioreabsorvíveis e determinação de propriedades dinâmico-mecânicas. 7

6 4 MAPA SITUACIONAL As propostas aqui estabelecidas estão baseadas em uma análise do contexto atual da instituição, considerando nossos pontos fortes, pontos que necessitam melhorias, bem como os desafios futuros, embasados nos documentos norteadores institucionais, como o Planejamento Estratégico Institucional, o Plano de Oferta de Cursos e Vagas do câmpus, o relatório da CPA, entre outros. A gestão se pautará no conjunto de Objetivos Estratégicos relativos aos Alunos e Sociedade, contidos no PDI, acreditando que, uma vez alcançados, possibilitarão ao câmpus a promoção de melhoria socioeconômica em Caçador e região, cumprindo as diretrizes institucionais. Para delimitar estes objetivos estratégicos institucionais considerando a realidade local, destacam-se os seguintes fatores: Ampliação e fortalecimento da oferta de cursos em diferentes modalidades; Busca pela efetividade nas relações com a comunidade externa; Consolidação da estrutura física do Câmpus Caçador; Fortalecimento da imagem institucional em Caçador e região; Foco na permanência e êxito; Estreitamento das relações de gestão do câmpus com a reitoria, buscando a gestão em rede; Promoção da indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão. 8

7 Este apanhado de informações fundamentaram estratégias de gestão, categorizadas em quatro eixos, conforme ilustrado abaixo e detalhadas ao longo deste plano. ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO ESTRUTURA FÍSICA PERMANÊNCIA E ÊXITO ORGANIZAÇÃO GERENCIAL Fortalecimento da Pesquisa e Extensão Divulgação dos Câmpus PRONATEC Projetos Socias Ensino à Distância POCV Captação de recursos externos Transporte público Ginásio Poliesportivo Auditório Laboratórios Bilbioteca Consolidação dos espaços dos Blocos I e II Revitalização do Bloco I Cantina Reprografia Expansão do terreno Redução da evasão Acompanhamento de egressos NAPNE Aluno integrado Semana Acadêmica Estágios Comunicação interna Plano anual de Trabalho Tipologia do Câmpus Ambientação de Servidores Servidores integrados Mapeamento dos fluxos de processo IFSC Caçador Sustentável 9

8 5 EIXOS ESTRATÉGICOS DE GESTÃO Aqui são detalhados os quatro eixos de gestão e suas respectivas estratégias para atingílos: 5.1 ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Estratégias Fortalecimento da Pesquisa e Extensão Divulgação do câmpus PRONATEC Projetos Sociais Ensino à Distância POCV Captação de recursos externos Transporte Público Descrição Apoiar projetos individuais e dos grupos de pesquisa no desenvolvimento de atividades que resultem em publicações em eventos e periódicos indexados. Incentivar a geração e divulgação de produtos de extensão Aumentar a visibilidade do câmpus através do maior número de matérias enviadas à imprensa local e da melhoria dos canais de comunicação externa. Articular a ampliação da oferta de cursos FIC e técnico através do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego. Diversificar a oferta de serviços a públicos em vulnerabilidade social por meio de parcerias, projetos e ações de extensão e cursos. Fortalecer oferta de cursos na modalidade à distância, bem como a aproximação do câmpus em programas e projetos junto ao CERFEaD. Revisar e adequar a execução do Plano de Oferta de Cursos e Vagas (POCV) baseando-se na demanda da região, respeitando os eixos de atuação do câmpus. Ampliar a captação de recursos por meio do fomento à participação em editais externos de pesquisa e extensão e do fechamento de parcerias para a utilização da estrutura física e humana do câmpus. Viabilizar, junto aos órgãos públicos a ampliação da oferta de transporte público de acordo com os horários de aulas do câmpus. Datas Previstas Dez/2017 Jul/

9 5.2 ESTRUTURA FÍSICA Estratégias Ginásio Poliesportivo Auditório Laboratórios Biblioteca Consolidação dos espaços dos Blocos I e II Revitalização do Bloco I Cantina Reprografia Expansão do terreno Descrição Articular junto a Reitoria a construção do ginásio poliesportivo. Articular junto a Reitoria a construção do auditório para 300 pessoas. Melhorar a estrutura física e de equipamentos dos laboratórios do câmpus. Viabilizar a ampliação física e do acervo da bibliográfico. Consolidar a distribuição dos espaços físicos dos Blocos I e II e equipá-los adequadamente. Articular junto à Reitoria a reforma/benfeitorias necessárias à edificação. Executar processo de licitação para viabilizar o funcionamento da cantina no câmpus. Executar processo de licitação para viabilizar o funcionamento do serviço de reprografia no câmpus. Obter licenças para construção no terreno atual e expansão do terreno atual através de doação pela PMC. Datas Previstas Dez/2017 Jul/2019 Dez/2016 Dez/2017 Dez/2016 Dez/2018 Dez/2016 Jul/2017 Jul/

10 5.3 PERMANÊNCIA E ÊXITO Estratégias Redução da evasão Acompanhamento de egressos NAPNE Aluno Integrado Semana Acadêmica Estágios Descrição Realizar estudos sobre os motivos da evasão e implementar ações que visem sua redução. Acompanhar situação dos egressos e promover atividades de integração. Viabilizar a estruturação e funcionamento do Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas. Fomentar a participação dos discentes nos projetos de pesquisa e extensão e outras atividades acadêmicas, como empresa júnior e centro acadêmico. Otimizar ambientação de novos discentes por meio de Semana Acadêmica, visando redução da evasão nas primeiras semanas. Fortalecer a rede de contatos com órgãos que ofertam estágios para ampliar o número de ofertas. Ofertar vagas através de editais internos. Datas Previstas Dez/2017 Dez/2016 Jul/2017 Jul/2016 Jul/

11 5.4 ORGANIZAÇÃO GERENCIAL Estratégias Comunicação Interna Plano Anual de Trabalho Tipologia do câmpus Ambientação de servidores Servidores Integrados Mapeamento dos fluxos de processos IFSC Caçador Sustentável Descrição Implantar e manter canais de comunicação interna entre os servidores. Otimizar metodologia para o acompanhamento da execução do PAT. Articular junto à Reitoria quadro de referência compatível com o quantitativo de alunos e tamanho do Câmpus. Elaborar e implantar programa de ambientação no câmpus de novos servidores Articular a consolidação do espaço de convivência do câmpus, bem como apoiar o desenvolvimento e execução de ações de integração entre os servidores. Mapear os fluxos dos processos internos do câmpus e otimizá-los. Articular com a reitoria o desenvolvimento e execução de ações de sustentabilidade. Datas Previstas Jul/2016 Maio/2017 Dez/2018 Mar/2016 Jul/

12 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS As propostas aqui apresentadas representam a visão da equipe de gestão em relação ao caminho pelo qual o câmpus deve trilhar nos próximos quatro anos. Não se constitui uma proposta fechada. Muito pelo contrário. Representa uma semente que deve ser regada e cuidada, sendo que para isso, a participação de todos é fundamental. Críticas e sugestões são e sempre serão bem-vindas. Acreditamos que a construção coletiva propiciará um Câmpus Forte, Unido e Inclusivo, em sintonia com a nossa comunidade. Desejamos que os próximos quatro anos, e os outros mais, sejam de muito trabalho e muita satisfação para todos os servidores do câmpus, e que possamos cumprir a missão de nossa instituição em sua plenitude: Promover a inclusão e formar cidadãos, por meio da educação profissional, científica e tecnológica, gerando, difundindo e aplicando conhecimento e inovação, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico e cultural. Eduardo Nascimento Pires Priscilla Canalli Caramori Maffessoni Rodrigo Acácio Paggi 14

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional Plano de Desenvolvimento Institucional Âmbito de atuação Missão Visão Elementos Duráveis Princípios Elementos Mutáveis (periodicamente) Análise Ambiental Objetivos Estratégicos Metas Planos de Ação PDI

Leia mais

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação 25 de maio de 2016 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Fragilidades Melhorar as reuniões da CPA e reestruturar

Leia mais

Acompanhamento do Planejamento

Acompanhamento do Planejamento MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE ENSINO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PROPLAN Acompanhamento do Planejamento A

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO. ANEXO I DA RESOLUÇÃO Nº. 02/2014 CUn

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO. ANEXO I DA RESOLUÇÃO Nº. 02/2014 CUn ANEXO I DA RESOLUÇÃO Nº. 02/2014 CUn PLANO DE CAPACITAÇÃO DE SERVIDORES DESTA UNIVERSIDADE 1. APRESENTAÇÃO O Plano de Cargos e Carreiras do Pessoal Técnico-Administrativo em Educação (PCCTAE) foi implantado

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES Junho de 2014 a junho de 2016

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES Junho de 2014 a junho de 2016 PLANEJAMENTO ESTRATEGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES Junho de 2014 a junho de 2016 Apresentação O Curso de Licenciatura em Artes da tem como meta principal formar o professor de artes através de

Leia mais

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE GOVERNO

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE GOVERNO DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE GOVERNO Formular e implementar estratégias de gestão com participação, transparência, compromisso, responsabilidade e efetividade, potencializando a administração pública

Leia mais

11) Incrementar programas de mobilidade e intercâmbio acadêmicos. Propiciar a um número maior de discentes a experiência de interação

11) Incrementar programas de mobilidade e intercâmbio acadêmicos. Propiciar a um número maior de discentes a experiência de interação Apresentação A vocação natural da instituição universitária é fazer-se um centro de convergência e articulação de esforços intelectuais, científicos, artísticos e culturais, estimulando o pensamento crítico,

Leia mais

CONSTRUINDO O FUTURO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI. Diamantina, agosto de 2009.

CONSTRUINDO O FUTURO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI. Diamantina, agosto de 2009. CONSTRUINDO O FUTURO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI Diamantina, agosto de 2009. Até 2013 UFVJM estará entre as melhores instituições de ensino superior do Brasil... B SITUAÇÃO

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA Agosto de 2015 INTRODUÇÃO O Ministério de Educação (MEC) através do Sistema Nacional

Leia mais

DE PÓS-GRADUAÇÃO

DE PÓS-GRADUAÇÃO 6.2.2. DE PÓS-GRADUAÇÃO As áreas de abrangência da UFOB têm experimentado importante crescimento econômico e populacional nos últimos 30 anos, fato que tem ampliado significativamente a demanda por profissionais

Leia mais

Consórcio das Universidades Federais do Sul/Sudeste de Minas Gerais. Uma proposta inovadora e estratégica para a região, o Estado e o País

Consórcio das Universidades Federais do Sul/Sudeste de Minas Gerais. Uma proposta inovadora e estratégica para a região, o Estado e o País Consórcio das Universidades Federais do Sul/Sudeste de Minas Gerais Uma proposta inovadora e estratégica para a região, o Estado e o País Consórcio O que não é: Uma Superuniversidade Uma Fusão de Universidades

Leia mais

CAPÍTULO 8 POLÍTICAS DE ATENDIMENTO AOS DISCENTES 8.1 INGRESSO

CAPÍTULO 8 POLÍTICAS DE ATENDIMENTO AOS DISCENTES 8.1 INGRESSO CAPÍTULO 8 POLÍTICAS DE ATENDIMENTO AOS DISCENTES O IFSC estabeleceu em seu planejamento estratégico, no objetivo estratégico A4, um compromisso com o atendimento efetivo às demandas dos alunos. Esse objetivo

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2012 2013 APRESENTAÇÃO O Planejamento Estratégico tem como objetivo descrever a situação desejada de uma organização e indicar os caminhos para

Leia mais

SEMINÁRIO Planejamento Estratégico Elaborado por: Jesus Borges (Pró-Reitor de Desenvolvimento Institucional) Fabrício Sobrosa Affeldt (Coordenador de

SEMINÁRIO Planejamento Estratégico Elaborado por: Jesus Borges (Pró-Reitor de Desenvolvimento Institucional) Fabrício Sobrosa Affeldt (Coordenador de SEMINÁRIO Planejamento Estratégico Elaborado por: Jesus Borges (Pró-Reitor de Desenvolvimento Institucional) Fabrício Sobrosa Affeldt (Coordenador de Ensino - Campus Feliz) Cláudia Lorenzon (RH-Reitoria)

Leia mais

RELATÓRIO DE RESPOSTAS OBTIDAS NA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS CCR: MODALIDADE PRESENCIAL

RELATÓRIO DE RESPOSTAS OBTIDAS NA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS CCR: MODALIDADE PRESENCIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO DE RESPOSTAS OBTIDAS NA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 DE CIÊNCIAS RURAIS

Leia mais

CULTURA. Reunião do dia 14/08/2014

CULTURA. Reunião do dia 14/08/2014 Reunião do dia 14/08/2014 Coordenador: João Heitor Silva Macedo Visão: Que Santa Maria seja um Polo Cultural, por meio da realização de ações culturais, nos diversos espaços do seu território, e do reconhecimento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 08/CONSUP/IFRO, DE 08 DE MAIO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 08/CONSUP/IFRO, DE 08 DE MAIO DE 2015. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 08/CONSUP/IFRO, DE 08 DE MAIO DE

Leia mais

Aquisição de equipamentos de TI (computadores, projetores, notebook) para atendimento de atividades acadêmicas e administrativas.

Aquisição de equipamentos de TI (computadores, projetores, notebook) para atendimento de atividades acadêmicas e administrativas. NOR001 Aquisição de equipamentos de TI (computadores, projetores, notebook) para atendimento de atividades acadêmicas e administrativas. NOR002 Capacitação de servidores para utilização de softwares educacionais

Leia mais

Como você avalia a atuação do seu orientador em relação ao acompanhamento e orientação do seu projeto de pós-graduação?

Como você avalia a atuação do seu orientador em relação ao acompanhamento e orientação do seu projeto de pós-graduação? Na Unidade Des. sei/ se Pós- Co você avalia a atuação do seu orientador em relação ao acompanhamento e orientação do seu projeto de pós-graduação? 90,06% 6,63% 2,76% 0,55% Possuir currículos interdisciplinares,

Leia mais

Plano de Ação Coordenadoria de Desenvolvimento Ins9tucional

Plano de Ação Coordenadoria de Desenvolvimento Ins9tucional Plano de Ação 2013 Coordenadoria de Desenvolvimento Ins9tucional Áreas estratégicas Ensino Pesquisa Desenvolvimento Ins.tucional Administração Extensão Coordenadoria de Desenvolvimento Ins9tucional DIRETRIZES

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental da PREVI

Política de Responsabilidade Socioambiental da PREVI 1.1. A PREVI, para o cumprimento adequado de sua missão administrar planos de benefícios, com gerenciamento eficaz dos recursos aportados, buscando melhores soluções para assegurar os benefícios previdenciários,

Leia mais

Integração dos câmpus

Integração dos câmpus Integração dos câmpus I Fórum de Graduação da Unifesp - Pró-Reitoria de Graduação Prof. Marcos Macari Profa. Sheila Zambello de Pinho Pró-Reitora de Graduação da Unesp São Paulo 2012 Histórico Unesp origem

Leia mais

Ricardo Agostinho de Rezende Junior. Por um c ampus melhor

Ricardo Agostinho de Rezende Junior. Por um c ampus melhor Por um c ampus melhor PROPOSTA E PLANO DE GESTÃO (2017 2020) Prof. Ricardo Agostinho de Rezende Junior CANDIDATURA A DIREÇÃO GERAL Campus Guarulhos APRESENTAÇÃO Ensinar não é transferir conhecimento, mas

Leia mais

ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO

ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO OBJETIVOS DO GOVERNO: Consolidar e aprofundar os projetos e ações

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DA ESCOLA INCLUSIVA. Marcos Legais Resolução CNE-CES 1-2001 Resolução CNE-CES 1-2007 PROJETO PEDAGÓGICO

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DA ESCOLA INCLUSIVA. Marcos Legais Resolução CNE-CES 1-2001 Resolução CNE-CES 1-2007 PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DA ESCOLA INCLUSIVA Marcos Legais Resolução CNE-CES 1-2001 Resolução CNE-CES 1-2007 PROJETO PEDAGÓGICO Campo Limpo Paulista 2016 1 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011.

RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011. RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira. Demonstrativo de Programas Temáticos PPA

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira. Demonstrativo de Programas Temáticos PPA Governo do Estado do Ano Base: 06 007 - SEGURANÇA PÚBLICA, PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL Diretriz 06 - PROMOÇÃO DO BEM-ESTAR DO POTIGUAR ATRAVÉS DA GARANTIA AO ACESSO AOS DIREITOS FUNDAMENTAIS Indicadores Nome

Leia mais

PDI IFCE/PRPI

PDI IFCE/PRPI PDI 2014-2019 IFCE/PRPI Perspectiva dos Clientes da PRPI Expansão e consolidação da pesquisa científica e tecnológica Captação de recursos externos para Pesquisa e Inovação Cronograma de Metas 01 R$ 34.000.000,00

Leia mais

Prof. Luiz Carlos Pinto da Silva Filho Diretor da Escola de Engenharia Profa. Carla Schwengber ten Caten Vice-Diretora da Escola de Engenharia

Prof. Luiz Carlos Pinto da Silva Filho Diretor da Escola de Engenharia Profa. Carla Schwengber ten Caten Vice-Diretora da Escola de Engenharia ESCOLA DE ENGENHARIA Prof. Luiz Carlos Pinto da Silva Filho Diretor da Escola de Engenharia lcarlos66@gmail.com (51) 3308.3489 Profa. Carla Schwengber ten Caten Vice-Diretora da Escola de Engenharia tencaten@producao.ufrgs.br

Leia mais

CARTA PROGRAMA. Marta de Lana e José Geraldo A. de A. Brito

CARTA PROGRAMA. Marta de Lana e José Geraldo A. de A. Brito CARTA PROGRAMA Marta de Lana e José Geraldo A. de A. Brito APRESENTAÇÃO É com entusiasmo e motivação que nos apresentamos como candidatos a Reitora e Vice-Reitor da Universidade Federal de Ouro Preto com

Leia mais

Questões Gerais Planejamento e Avaliação Institucional

Questões Gerais Planejamento e Avaliação Institucional Como você avalia a gestão ambiental da Instituição? Questões Gerais Planejamento e Avaliação Institucional 4 3,36% 8,53% Boa 28 23,53% 36,91% Como você avalia a divulgação dos resultados da Pesquisa de

Leia mais

Especificação da Ação Descrição do desenvolvimento da Ação (Como?) Responsável

Especificação da Ação Descrição do desenvolvimento da Ação (Como?) Responsável Identificação do Campus: ARARANGUÁ EIXO I: Ensino, Pesquisa e Extensão 1 Especificação da Ação Descrição do desenvolvimento da Ação (Como?) Responsável Elaborar planos de curso que promovam a indissociabilidade

Leia mais

EDITAL N 42, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012.

EDITAL N 42, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012. PRÓ-REITORIA REITORIA DE EXTENSÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS O Diretor Geral Pro Tempore do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão Campus CAXIAS, no uso de suas atribuições, torna

Leia mais

Secretaria de Turismo e Lazer da Cidade do Recife

Secretaria de Turismo e Lazer da Cidade do Recife Secretaria de Turismo e Lazer da Cidade do Recife Revisão do Planejamento Estratégico para o período de 2014-2017 Este relatório apresenta os resultados da revisão do Planejamento Estratégico utilizando

Leia mais

Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um.

Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um. A Educação Básica, B Avanços e Desafios Maria do Pilar Lacerda Almeida e Silva Secretária de Educação Básica Ministério da Educação Foto: João Bittar Garantir o direito de aprender, para todos e para cada

Leia mais

CAPÍTULO III DO FINANCIAMENTO

CAPÍTULO III DO FINANCIAMENTO PROJETO DE LEI Institui o Plano Estadual de Cultura da Bahia e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO

Leia mais

Criando Conhecimento e Desenvolvendo Competências ESCOLA DE GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL

Criando Conhecimento e Desenvolvendo Competências ESCOLA DE GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL Criando Conhecimento e Desenvolvendo Competências ESCOLA DE GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL Plano de Trabalho 2013 PALAVRA DO PRESIDENTE Desde 2007, os municípios de Santa Catarina contam com a Escola de Gestão

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2016 APROVADO EM REUNIÃO 01/2016 CONCAMP

PLANO DE AÇÃO 2016 APROVADO EM REUNIÃO 01/2016 CONCAMP PLANO DE AÇÃO 2016 APROVADO EM REUNIÃO 01/2016 CONCAMP Ação Valor Tipo orçamentário agenciamento de viagens e compra de passagens aéreas para serviços administrativos Contratação e manutenção dos serviços

Leia mais

CAPÍTULO 11 EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 11.1 HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO IFSC

CAPÍTULO 11 EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 11.1 HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO IFSC CAPÍTULO 11 EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 11.1 HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO IFSC No Brasil, as bases legais para a modalidade de educação a distância foram estabelecidas pela Lei de Diretrizes e Bases da

Leia mais

RELATÓRIO GERAL DE RESPOSTAS DA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 GESTOR: MODALIDADE PRESENCIAL

RELATÓRIO GERAL DE RESPOSTAS DA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 GESTOR: MODALIDADE PRESENCIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO GERAL DE RESPOSTAS DA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 GESTOR: MODALIDADE

Leia mais

PLANO DE TRABALHO ANUAL

PLANO DE TRABALHO ANUAL PLANO DE TRABALHO 2017 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG OUVIDORIA PLANO DE TRABALHO ANUAL 2017-2018 A FURG quer lhe ouvir... Você melhorando a Universidade!

Leia mais

Proposta de Gestão do Prof. Joei Saade Candidato a Diretor Geral do IFSP - Câmpus Guarulhos

Proposta de Gestão do Prof. Joei Saade Candidato a Diretor Geral do IFSP - Câmpus Guarulhos JoelSaade Proposta de Gestão do Prof. Joei Saade Candidato a Diretor Geral do IFSP - Câmpus Guarulhos Guarulhos Agosto/2016 1. introdução Este documento reflete a Proposta de Gestão, conforme exigência

Leia mais

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFERÊNCIA EM FORMAÇÃO E

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS OBJETIVOS E METAS DO PDI ANO DE REFERÊNCIA: 2016

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS OBJETIVOS E METAS DO PDI ANO DE REFERÊNCIA: 2016 RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS OBJETIVOS E METAS DO PDI ANO DE REFERÊNCIA: 2016 PERSPECTIVA DO ALUNO 01. Objetivo Consolidar e fortalecer os cursos presenciais ofertados no IFTM. Meta 2 : Obter nota igual

Leia mais

SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR

SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR Elza Cristina Giostri elza@sociesc.org.br PROGRAMA Apresentação Diagnóstico de conhecimento e necessidades Conceito Geral Elaboração do relatório

Leia mais

Excelência na Gestão

Excelência na Gestão Mapa Estratégico 2012-2014 Visão Até 2014, ser referência no atendimento ao público, na fiscalização e na valorização das profissões tecnológicas, reconhecido pelos profissionais, empresas, instituições

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

Avaliação Institucional Docentes

Avaliação Institucional Docentes Avaliação Institucional Docentes A avaliação é um processo fundamental para a qualidade do trabalho desenvolvido nas Instituições de Ensino Superior. Nesse sentido, a Comissão Própria de Avaliação (CPA)

Leia mais

É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem.

É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem. É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem. Está pautada no compromisso, no diálogo, no planejamento

Leia mais

Planejamento Institucional 2015

Planejamento Institucional 2015 # Projeto Metas DRGP 2015 GP01 - Capacitação de 100% da equipe da DRGP e CDGPs. 01/01/2015 30/12/2015 Gestão DRGP 2015 GP02 - Normatizar no mínimo 50% dos procedimentos e fluxos no âmbito da Diretoria

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional data Plano de Desenvolvimento Institucional PDI - 2016-2020 Prof. Esper Cavalheiro Pró-Reitor de Planejamento - PROPLAN Profa. Cíntia Möller Araujo Coordenadora de Desenvolvimento Institucional e Estudos

Leia mais

Juntos fazemos mais e melhor.

Juntos fazemos mais e melhor. SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO BIGUAÇU / SANTA CATARINA PLANO DE GESTÃO 2017/2020 KÁTIA ROUSSENQ BICHELS Juntos fazemos mais e melhor. Eu, KÁTIA ROUSSENQ BICHELS, filha de Vinícius Roussenq e de Adalcy

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO CONSULTA PÚBLICA

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO CONSULTA PÚBLICA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO CONSULTA PÚBLICA Objetivos Estratégicos: descrições, indicadores e iniciativas Florianópolis, dezembro de 2013 SUMÁRIO Legenda...3 A1 Atender aos potenciais alunos, considerando

Leia mais

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES PROPOSTAS PRIORITÁRIAS: 1. PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL Criar o Conselho Estadual da cidade e apoiar a criação dos conselhos municipais, de forma paritária, de caráter

Leia mais

Gestão Pública Democrática

Gestão Pública Democrática Gestão Pública Democrática Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa Gestão Pública Democrática Conceito de gestão Tem origem na palavra latina gestione que se refere ao ato de gerir, gerenciar e administrar.

Leia mais

Programa Escola de Gestores Apresentação

Programa Escola de Gestores Apresentação Programa Escola de Gestores Apresentação PRODEGESP PPGAU APRESENTAÇÃO - A Escola de Gestores É um Programa de Capacitação vinculado a Linha de Gestão promovido pela PRODEGESP, por meio: Departamento de

Leia mais

EDITAL PROEX Nº 01/2017 CRIAÇÃO E (RE)CADASTRAMENTO DE EMPRESAS JUNIORES

EDITAL PROEX Nº 01/2017 CRIAÇÃO E (RE)CADASTRAMENTO DE EMPRESAS JUNIORES EDITAL PROEX Nº 01/2017 CRIAÇÃO E (RE)CADASTRAMENTO DE EMPRESAS JUNIORES Retificação de 24-04-2017 EXECUÇÃO: 15 DE JANEIRO DE 2017 A 31 DE DEZEMBRO DE 2017 1 APRESENTAÇÃO Em consonância com a Lei número

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA - INTA PRO-DIRETORIA DE PESQUISA E POS-GRADUAÇAO STRICTO SENSU - PROPESP

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA - INTA PRO-DIRETORIA DE PESQUISA E POS-GRADUAÇAO STRICTO SENSU - PROPESP INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA - INTA PRO-DIRETORIA DE PESQUISA E POS-GRADUAÇAO STRICTO SENSU - PROPESP REGULAMENTO DE PESQUISA SOBRAL-CEARÁ 2015 I- POLÍTICA DE PESQUISA Art.1º O Instituto Superior

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DAS SALAS DE COORDENAÇÃO DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE PARA O PROCESSO DE RECONHECIMENTO DE CURSOS À DISTÂNCIA PELO INEP

CONTRIBUIÇÕES DAS SALAS DE COORDENAÇÃO DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE PARA O PROCESSO DE RECONHECIMENTO DE CURSOS À DISTÂNCIA PELO INEP 1 CONTRIBUIÇÕES DAS SALAS DE COORDENAÇÃO DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE PARA O PROCESSO DE RECONHECIMENTO DE CURSOS À DISTÂNCIA PELO INEP Ouro Preto MG Abril de 2014 Luciano Miguel Moreira

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional PDI -

Plano de Desenvolvimento Institucional PDI - Plano de Desenvolvimento Institucional PDI - Diretrizes para Elaboração Eixos Temáticos Essenciais do PDI Perfil Institucional Avaliação e Acompanhamento do Desenvolvimento Institucional Gestão Institucional

Leia mais

Visualização Completa do Questionários

Visualização Completa do Questionários Visualização Completa do Questionários Informações do Questionário Programa Autoavaliação Institucional UFSM 2016 Questionário Questões Gerais Descrição do Programa A ção do instrumento de autoavaliação

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Campus Bragança Paulista Plano de Gestão

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Campus Bragança Paulista Plano de Gestão Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Campus Bragança Paulista Plano de Gestão Candidatura a Diretor Prof. Ms. Mauricio Costa Carreira Abril/2013 Onde quer que haja mulheres

Leia mais

PLANO DE GESTÃO ORÇAMENTÁRIA 2013

PLANO DE GESTÃO ORÇAMENTÁRIA 2013 PLANO DE GESTÃO ORÇAMENTÁRIA 2013 João Pessoa-PB 2013 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 1 1.PROGRAMAS E AÇÕES... 2 1.1. PROGRAMA 2031 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TECNOLÓGICA... 2 1.1.1.Principais Ações do Programa...

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS CAMPUS PALMAS

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS CAMPUS PALMAS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS CAMPUS PALMAS CANDIDATURA A DIRETOR- GERAL VALCI FERREIRA VICTOR PLANO DE AÇÃO PARA A GESTÃO 2014-2018 EDUCAÇÃO PÚBLICA, GRATUITA E DE QUALIDADE

Leia mais

Campus Sorriso. FORMULÁRIO PARA COLETA DE OPINIÕES DOS DISCENTES Questionário Avaliação Discente CPA SRS 3 semestre Gestão ambiental

Campus Sorriso. FORMULÁRIO PARA COLETA DE OPINIÕES DOS DISCENTES Questionário Avaliação Discente CPA SRS 3 semestre Gestão ambiental Campus Sorriso FORMULÁRIO PARA COLETA DE OPINIÕES DOS DISCENTES Questionário Avaliação Discente CPA SRS 3 semestre Gestão ambiental Esta pesquisa tem por objetivo obter informações sobre as variáveis em

Leia mais

BOLETIM ESPECIAL CPA/2016

BOLETIM ESPECIAL CPA/2016 Unidade Guarapari BOLETIM ESPECIAL CPA/2016 Você sabe o que é CPA? CPA Comissão Própria de Avaliação - é uma comissão de Autoavaliação que tem o objetivo de coordenar e articular o processo interno de

Leia mais

Atribuições das Decanias, Direção de Unidade Acadêmicas, Chefias de Departamento e Coordenação de Curso

Atribuições das Decanias, Direção de Unidade Acadêmicas, Chefias de Departamento e Coordenação de Curso Atribuições das Decanias, Direção de Unidade Acadêmicas, Chefias de Departamento e Coordenação de Curso Reunião de 01/11/2012 Considerando o atual Regimento interno da UNIRIO Acréscimo de novas atribuições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PLANO DE GESTÃO APRESENTADO À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA PROCESSO ELEITORAL 2009

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PLANO DE GESTÃO APRESENTADO À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA PROCESSO ELEITORAL 2009 PARTICIPAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PLANO DE GESTÃO APRESENTADO À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA PROCESSO ELEITORAL 2009 Paulo Márcio de Faria e Silva (candidato ao cargo de Reitor) Edmer Silvestre

Leia mais

PROPOSTA POLÍTCA DE ATIVIDADE EM PESQUISA NO CAMPUS OURO BRANCO

PROPOSTA POLÍTCA DE ATIVIDADE EM PESQUISA NO CAMPUS OURO BRANCO Coordenação de Pesquisa PROPOSTA POLÍTCA DE ATIVIDADE EM PESQUISA NO CAMPUS OURO BRANCO Elaborador por: Prof Leandro Elias Morais JUNHO 2016 1 As atividades de pesquisa é uma área estratégica para o Instituto

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO - UFOP PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO - UFOP PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO EDITAL PROGRAD/PROPLAD Nº 01, de 05 de maio de 2014. As Pró-reitorias de Graduação (PROGRAD) e de Planejamento e Desenvolvimento (PROPLAD) no uso das atribuições que lhes conferem o Regimento Geral da

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E T

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E T SETEC EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA XXXV ENDP Porto Alegre, 02 de setembro de 2015. Histórico Organização da Educação Brasileira EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Formação Inicial e Continuada

Leia mais

RESOLUÇÃO N 23, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2010

RESOLUÇÃO N 23, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2010 RESOLUÇÃO N 23, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2010 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sessão de 16 de dezembro de 2010, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 19 do

Leia mais

Setembro de 2016

Setembro de 2016 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA FACUL DADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2016-2018 Setembro de 2016 Conteúdo 1 SITUAÇÃO ATUAL... 3 2 MISSÃO, VISÃO E VALORES... 4 3 MAPA ESTRATÉGICO... 5 4 OBJETIVOS E INDICADORES

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional PDI (versão preliminar)

Plano de Desenvolvimento Institucional PDI (versão preliminar) VII Encontro de Avaliação Institucional da USP Plano de Desenvolvimento Institucional PDI 2012-2017 (versão preliminar) Comissão Permanente de Avaliação - CPA Helio Nogueira da Cruz SP, 16 de agosto de

Leia mais

DIAGNÓSTICO QUALITATIVO. Nível de Ensino: Educação Básica

DIAGNÓSTICO QUALITATIVO. Nível de Ensino: Educação Básica Plano Estratégico de Intervenção e Monitoramento para Superação da Evasão e Retenção CÂMPUS REGISTRO DIAGNÓSTICO QUALITATIVO Nível de Ensino: Educação Básica Cursos Principais CAUSAS de Evasão e Retenção

Leia mais

PDI UNIVASF Notas sobre questões legais-normativas e sobre o processo de elaboração

PDI UNIVASF Notas sobre questões legais-normativas e sobre o processo de elaboração UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Propladi Av. José de Sá Maniçoba, s/n, Centro Petrolina-PE - CEP.: 56.304-917 Fone: (87) 2101-6804

Leia mais

E I X O S

E I X O S 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 5 E I X O S 10 dimensões 5 eixos 8- Planejamento e Avaliação. 1- Missão e Plano de Desenvolvimento Institucional. 0011 3- Responsabilidade 0010 1010 1101 Social 0001

Leia mais

VIII Jornada de estágio de Serviço Social.

VIII Jornada de estágio de Serviço Social. VIII Jornada de estágio de Serviço Social. CONSTRUÇÃO E FORTALECIMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NA DIVISÃO DE GESTÃO DE BENEFICIOS DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA. *ALMEIDA, Ana Beatriz Baggio

Leia mais

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que?

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que? ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO CCSH Questão Geral 1.1 Como você percebe a utilização dos resultados da autoavaliação como subsídio à revisão, proposição e implementação das ações

Leia mais

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de

Leia mais

Programa de Cooperação Científica e Tecnológica Subprograma de Empresas Juniores. Plano de trabalho

Programa de Cooperação Científica e Tecnológica Subprograma de Empresas Juniores. Plano de trabalho Programa de Cooperação Científica e Tecnológica Subprograma de Empresas Juniores Plano de trabalho 2016-2017 1. JUSTIFICATIVA O Subprograma de Empresas Juniores, vinculado ao PDI PROGRAMA 10 PROGRAMA UNESP

Leia mais

Fórum Empresarial de Apoio à Cidade de São Paulo. Propostas para 2011

Fórum Empresarial de Apoio à Cidade de São Paulo. Propostas para 2011 Fórum Empresarial de Apoio à Cidade de São Paulo Propostas para 2011 Justificativa A cidade de São Paulo representa um enorme desafio para todos que se empenham pelo desenvolvimento sustentável e justo

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTRUÇÃO DO PDI (PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL)

COMISSÃO DE CONSTRUÇÃO DO PDI (PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL) UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COMISSÃO DE CONSTRUÇÃO DO PDI (PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL) RICARDO SILVA CARDOSO PRESIDENTE LOREINE HERMIDA

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Instituto de Biociências Câmpus do Litoral Paulista PLANO DE METAS TRIENAL

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Instituto de Biociências Câmpus do Litoral Paulista PLANO DE METAS TRIENAL PLANO DE METAS TRIENAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIODIVERSIDADE AQUÁTICA PPGBA. (1 ano) curto, (2 anos) médio e (3 anos) longo prazo. Propostas do Programa Estratégia Criar a identidade do PPGBA Promover

Leia mais

Débora Pereira Laurino Ivete Martins Pinto Universidade Federal do Rio Grande FURG

Débora Pereira Laurino Ivete Martins Pinto Universidade Federal do Rio Grande FURG Universidade Federal de Santa Catarina III Seminário de Pesquisa EAD: Experiências e reflexões sobre a Universidade Aberta do Brasil (UAB) e seus efeitos no ensino superior brasileiro Débora Pereira Laurino

Leia mais

Projeto de Extensão. Versão para Tremüeçêo (versão no ) (Publicação na Intranet e site do IF-SC autorizada)

Projeto de Extensão. Versão para Tremüeçêo (versão no ) (Publicação na Intranet e site do IF-SC autorizada) na Tlhi~l,\ CAMPUS GAROPABA Versão para Tremüeçêo (versão no 01-2014) (Publicação na Intranet e site do IF-SC autorizada) Projeto de Extensão Levantamento de necessidades profissionais dos professores

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE EDITAL n. 74/ UNESC Dispõe sobre os critérios de seleção de estudantes de graduação, cursos de licenciatura; para participar do Programa Observatório da Educação - OBEDUC. O Magnífico Reitor da Universidade

Leia mais

PROGRAMA DE TRABALHO

PROGRAMA DE TRABALHO PROGRAMA DE TRABALHO (Proposta de Gestão 2014-2018) Chapa: SAÚDE NO OESTE DO PARÁ Candidatos: Prof. Dr. WALDINEY PIRES MORAES (DIRETOR) Prof. Dr. WILSON SABINO (VICE-DIRETOR) Santarém 2014 1 ÍNDICE 1.APRESENTAÇÃO...3

Leia mais

EDITAL N.º 17/2016 ANEXO I TRILHAS DE APRENDIZAGEM DO PFGC. Competência: Visão Estratégica

EDITAL N.º 17/2016 ANEXO I TRILHAS DE APRENDIZAGEM DO PFGC. Competência: Visão Estratégica 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIREÇÃO GERAL DO CAMPUS JOÃO PESSOA PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE GESTORES

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC -INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC -INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC -INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO RESOLUÇÃO AD REFERENDUM Nº 96/2013, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2013 Dispõe sobre a aprovação do Plano de

Leia mais

VISÃO 2020 SER RECONHECIDO COMO A MELHOR SOLUÇÃO EM SERVIÇOS INTEGRADOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA PROPÓSITO JUNTOS PELO DESENVOLVIMENTO

VISÃO 2020 SER RECONHECIDO COMO A MELHOR SOLUÇÃO EM SERVIÇOS INTEGRADOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA PROPÓSITO JUNTOS PELO DESENVOLVIMENTO VISÃO 2020 SER RECONHECIDO COMO A MELHOR SOLUÇÃO EM SERVIÇOS INTEGRADOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA PROPÓSITO JUNTOS PELO DESENVOLVIMENTO Garantir a sustentabilidade financeira Assegurar a eficiência

Leia mais

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing Curso do Superior de Tecnologia em Objetivos do curso 1.5.1 Objetivo Geral O Curso Superior de Tecnologia em na modalidade EaD da universidade Unigranrio, tem por objetivos gerais capacitar o profissional

Leia mais

O Plano Nacional de Educação PL. 8035/2010 Perspectivas, Desafios e Emendas dos/as Trabalhadores/as em Educação

O Plano Nacional de Educação PL. 8035/2010 Perspectivas, Desafios e Emendas dos/as Trabalhadores/as em Educação SEMINÁRIO CNTE O Plano Nacional de Educação PL. 8035/2010 Perspectivas, Desafios e Emendas dos/as Trabalhadores/as em Educação Secretário Carlos Abicalil EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 59, DE 11 DE NOVEMBRO

Leia mais

PLANO DE AÇÃO

PLANO DE AÇÃO INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO SUPERIOR COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO 2016-207 São Luís 2016 1 INTRODUÇÃO O plano de ações da CPA define os rumos dos trabalhos que serão desenvolvidas pela

Leia mais

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID Programa 1448 Qualidade na Escola Ações Orçamentárias Número de Ações 16 0E530000 Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola Veículo adquirido Unidade de Medida: unidade UO:

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL INTEGRADA À EDUCAÇÃO BÁSICA NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL INTEGRADA À EDUCAÇÃO BÁSICA NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL INTEGRADA À EDUCAÇÃO BÁSICA NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Descrição do Curso O curso tem duração de 360 horas sendo

Leia mais

O ENADE 2011 e demais instrumentos de avaliação do Sinaes

O ENADE 2011 e demais instrumentos de avaliação do Sinaes O ENADE 2011 e demais instrumentos de avaliação do Sinaes OUTUBRO, 2011 S I Avaliação da Cursos N A E Avaliação Instituciona l Enade S AVALIAÇÃO A avaliação das instituições visa identificar o perfil e

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR 1. Título do Projeto: Aprimoramento da sistemática de

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO - IFPE

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO - IFPE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS

Leia mais

Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC

Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 INTRODUÇÃO... 2 OBJETIVOS... 3 CONCEITOS...

Leia mais