Produção de alimentos e energia: a experiência da Itaipu Binacional na implantação do Condomínio de Agroenergia Ajuricaba

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Produção de alimentos e energia: a experiência da Itaipu Binacional na implantação do Condomínio de Agroenergia Ajuricaba"

Transcrição

1 Produção de alimentos e energia: a experiência da Itaipu Binacional na implantação do Condomínio de Agroenergia Ajuricaba Introdução Cícero Bley Júnior - Assessoria de Energias Renováveis/Itaipu Binacional Jeferson Toyama - Assessoria de Energias Renováveis/Itaipu Binacional Maria de Fátima dos Santos Ribeiro - IAPAR O Paraná contribui de forma significativa para a produção agrícola e pecuária nacional. Na safra 2011/2012, contribuiu com 22% e 20% da produção nacional de milho e soja, respectivamente, e com 12%, 13% e 26% da produção de leite, suínos e frango, respectivamente. É um estado típico de agricultura familiar, sendo que 87% dos estabelecimentos possuem menos de 50 ha. Dessa forma, as atividades da família na agricultura estão diretamente refletidas nos setores especializados do comércio local e as indústrias que os abastecem com máquinas, insumos, sementes, ferramentas, etc. Além disso, os serviços locais também são estimulados pela agricultura familiar e são estabelecidos na dependência direta de épocas de colheita ou os fluxos financeiros do comércio dos produtos gerados. Além da sua extrema relevância econômica a produção agropecuária deve garantir condições dignas para a manutenção das famílias no meio rural, cuidando-se para que os impactos ambientais sejam os mínimos possíveis. Na produção animal, os principais fatores de impacto ambiental estão relacionados à alimentação do rebanho (incluindo-se a produção dos grãos, o transporte e o processamento da ração) e à produção de dejetos, sobretudo no caso da suinocultura. Dentre as diversas possibilidades de manejo dos dejetos, a biodigestão anaeróbia tem merecido destaque, por possibilitar não apenas a mitigação dos impactos ambientais, mas também por gerar um produto o biogás o qual pode ser utilizado na geração de energia térmica, mecânica, elétrica e veicular. Dessa forma, o biogás pode ser incorporado aos sistemas de produção agropecuária como mais um produto gerado, que pode ser utilizado internamente pelo próprio sistema, e cujo excedente pode ser exportado nas diversas formas de energia, contribuindo assim para a redução dos custos de produção, para a geração de renda e a redução do impacto ambiental da atividade. Todo este cenário justifica os esforços institucionais voltados a viabilizar a inserção das propriedades da agricultura familiar na era da agroenergia, contribuindo para a sustentabilidade da produção.

2 2172 Anais do X Congresso da Sociedade Brasileira de Sistemas de Produção Após viabilizar as tecnologias de aproveitamento da biomassa residual para geração distribuída de energia elétrica a partir do biogás em seis protótipos instalados na Plataforma Itaipu de Energias Renováveis, e atendendo a uma orientação da Secretaria de Agricultura do Estado do Paraná, a Assessoria de Energias Renováveis da Itaipu Binacional Brasil partiu para o desafio de elaborar e implantar a geração de energia elétrica com biomassa residual em propriedades de agricultura familiar. Nesse sentido foi concebido o projeto Condomínio de Agroenergia para Agricultura Familiar Ajuricaba com objetivo de fornecer uma referência concreta e indicadores de sustentabilidade econômica, ambiental, social e energética para a agroenergia aplicada à agricultura familiar de pequena escala. A implantação do projeto Condomínio de Agroenergia para Agricultura Familiar Ajuricaba contou com os seguintes parceiros: Centro Internacional de Energias Renováveis/CIBiogás, Parque Tecnológico de Itaipu/PTI, Prefeitura Municipal de Marechal Cândido Rondon, Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural/Emater-PR, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária/Embrapa Propósitos do Projeto O projeto tem como objetivo fornecer uma referência concreta para a inserção da agroenergia na agricultura familiar de pequena escala através da definição de critérios econômicos, ambientais, sociais e energéticos. Alguns pontos importantes delinearam as ações propostas neste projeto: A biodigestão de resíduos agrícolas, incluindo os dejetos animais, é a fonte de energia com o melhor custo benefício em relação a investimentos e manutenção; O paradigma da bioenergia em pequena escala é essencialmente coletivo, colaborativo e cooperativo. Seu limite territorial de planejamento e gestão é definido pelo território delineado pela microbacia compartilhada pelo pequeno grupo de agricultores familiares; É necessário manter os processos de bioenergia sob controle total dos agricultores familiares. Isso permite que o projeto de energia em uma pequena bacia hidrográfica consiga ser concebido exclusivamente através da localização territorial, sem levar em consideração as ligações industriais e comerciais que os produtores possam ter; A necessidade de novas estruturas para lidar com o paradigma da produção da bioenergia de pequena escala foi equacionada por meio da criação de condomínios de agroenergia;

3 GT 4 - Transição Agroecológica em Sistemas de Produção 2173 Caracterização do Condomínio de AgroenergiaAjuricaba O Condomínio de Agroenergia Ajuricaba reúne 33 pequenos estabelecimentos familiares localizadas na na microbacia hidrográfica do rio Ajuricaba. Nesse ambiente, foi constatado que o potencial de produção de biogás disponível nas propriedades da agricultura familiar, quando analisado individualmente, não atingiria a escala necessária para viabilizar o seu aproveitamento para produção de energia elétrica. Dessa forma, a proposta para viabilizar o aproveitamento dos recursos energéticos renováveis na agricultura familiar foi assumir a microbacia como a unidade de planejamento. Ao assumir a microbacia como a unidade planejamento, ficou evidente que, se somado o potencial de produção de biogás disponível em cada propriedade seria possível alcançar a escala necessária para viabilizar a implantação de uma microcentral termelétrica. Dessa forma, o aproveitamento do biogás produzido em propriedades da agricultura familiar se tornou viável por meio da interligação dos biodigestores instalados em cada uma das propriedades através de gasodutos rurais. O processo de integração das propriedades rurais, considerando a microbacia como unidade de planejamento, utilizou ferramentas de gestão territorial por meio de um software livre de código aberto, desenvolvido pelo Centro Internacional de Hidroinformática/PTI, para cadastro das informações associadas às coordenadas geográficas, o qual é chamado de cadastro técnico multifinalitário (CTM). A partir desse cadastro foi possível mapear o potencial de produção de biogás presente em cada propriedade e estruturar a logística de deslocamento do biogás. Este processo resultou na concepção do condomínio. A Figura 1 apresenta o arranjo geográfico da estrutura do condomínio. Na Figura 1 destaca-se: na cor verde as propriedades que fazem parte do condomínio; na cor alaranjada a localização da microcentral termelétrica (MCT); a linha de cor vermelha corresponde ao gasoduto primário, o qual liga os biodigestores ao gasoduto principal; e a linha de cor alaranjada o gasoduto principal. Além do biogás, os sistemas de biodigestão instalados no condomínio produzem o biofertilizante, o qual é uma importante fonte de nutrientes às culturas e contribui com a melhoria das características físicas do solo, (Angonese, 2006), contribuindo ainda para a redução dos custos de produção das lavouras. As iniciativas de uso do biogás implantadas na região comtribuiram para viabilizar uma séria de tecnologias sociais inovadoras para a produção produção, o transporte e o uso do biogás, tais como: gasodutos rurais (Figura 2a), biodigestores de pequena vazão (Figura 2b), filtro para purificação do biogás específico para pequena escala, secador de grãos a biogás, motores a biogás, etc.

4 2174 Anais do X Congresso da Sociedade Brasileira de Sistemas de Produção Figura 1. Bacia hidrográfica Ajuricaba e propriedades rurais., Figura 2. a) Biodigestor instalado em uma propriedade familiar; b) Instalação do gasoduto.

5 GT 4 - Transição Agroecológica em Sistemas de Produção 2175 Conclusões O Condomíniode Agroenergia para Agricultura Familiar Ajuricaba é formado por 33 propriedades da agricultura familiar que produzem juntas 16 mil toneladas por ano de resíduos, com os quais é possível produzir cerca de m 3 /ano de biogás. Em cada uma das propriedades foi instalado um biodigestor individual a fim de produzir localmente o biofertilizante e o biogás. O biofertizante é utilizado pelos produtores para a fertilização orgânica do solo, aumentando o potencial produtivo do solo e evitando o custo com a compra de fertilizantes químicos usados na agricultura. O biogás pode ser consumido na própria propriedade, gerando receita através da substituição do GLP (gás liquefeito de petróleo) utilizado na cocção de alimentos e agregando valor ao leite através da esterilização de ordenhadeiras. O excedente de biogás da propriedade é transportado por uma rede de gasodutos rurais de 22 quilômetros de extensão até uma Micro Central Termelétrica (MCT), onde parte do biogás é utilizado para a secagem de grãos e outra parte é transformado em biometano, o qual pode utilizado na produção de eletricidade. A fim de tornar a produção da agroenergia descentralizada uma realidade nacional e permitir que a sociedade tire proveito de seus benefícios algumas medidas são necessárias: Criação de uma nova estrutura para gestão de projetos em agroenergia; É necessário o estimulo a fundos de incentivo e pesquisa, desenvolvimento e inovação para o desenvolvimento e aprimoramento de novas tecnologias, as quais devem ser incorporadas àcadeia de suprimentos do biogás; Capacitação de projetistas, especialistas em operações e técnicos para supervisionar a instalação, manutenção e monitoramento das unidades geradoras; Criação de assistência técnica, com ênfase em bioenergia, gerada a partir da agricultura familiar; Estabelecimento de uma estratégia para o plantio de culturas energéticas sem prejuízo a produção de alimentos, como por exemplo, o uso de terras de vocação florestal para produção biomassa florestal; Estimulo à organização dos agricultores familiares de pequena escala para a geração e utilização de bioenergia; Definição de normas para Licenciamento Ambiental e Mecanismos de desenvolvimento limpo para a operacionalização de condomínios de agroenergia. A adoção legal da metodologia de Geração Distribuída é uma questão-chave para o aproveitamento de todas as fontes de energias renováveis viáveis, dentre elas a bioenergia gerada pela agricultura familiar.

6 2176 Anais do X Congresso da Sociedade Brasileira de Sistemas de Produção Referências Angose, AR, AT Campos, CE Zacarkim, MS Matsuo, F. Rev. Bras. Eng. Agríc. Ambiental, 2006 Scielo Brasil. Bley, C; Amon, D. BIO-ENERGY IN FAMILY FARMING: A NEW SUSTAINABLE PERSPECTIVE FOR THE RURAL SECTOR IN BRAZIL. A Case Story, International Energy Agency - Bioenergy Task 37. setembro de 2013.

CONDOMÍNIO DE AGROENERGIA PARA A AGRICULTURA FAMILIAR SANGA AJURICABA RIO DE JANEIRO, 2015

CONDOMÍNIO DE AGROENERGIA PARA A AGRICULTURA FAMILIAR SANGA AJURICABA RIO DE JANEIRO, 2015 CENTRO INACIONAL DE ENERGIASAS RENOVÁVEIS BIOGÁ PRODUÇÃO DESCENTRALIZADA CIBIOGÁS - ER DE BIOGÁS: EXPERIÊNCIAS COM ARRANJOS EM CONDOMÍNIOS Case: Condomínio de RURAIS Agroenergia para a Agricultura Familiar

Leia mais

CIER-Biogás é formatado

CIER-Biogás é formatado CIER-Biogás é formatado Nesta quarta (25) e quinta-feira (26), dez instituições de pesquisa do Brasil e do exterior estiveram reunidas no Parque Tecnológico de Itaipu (PTI) para formatar o Centro Internacional

Leia mais

CONDOMINIO DE AGROENERGIA PARA AGRICULTURA FAMILIAR

CONDOMINIO DE AGROENERGIA PARA AGRICULTURA FAMILIAR CONDOMINIO DE AGROENERGIA PARA AGRICULTURA FAMILIAR PROGRAMA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIA GERAÇÃO DISTRIBUÍDA BASE BIOGÁS COM SANEAMENTO AMBIENTAL Agroenergia - Geração de energia com fontes

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO gvsig NA DEMONSTRAÇÃO DA PRODUÇÃO DE BIOGÁS E NA DEFINIÇÃO DO TRAÇADO DE GASODUTO

UTILIZAÇÃO DO gvsig NA DEMONSTRAÇÃO DA PRODUÇÃO DE BIOGÁS E NA DEFINIÇÃO DO TRAÇADO DE GASODUTO UTILIZAÇÃO DO gvsig NA DEMONSTRAÇÃO DA PRODUÇÃO DE BIOGÁS E NA DEFINIÇÃO DO TRAÇADO DE GASODUTO Resumo Devido crescente demanda por energia elétrica, novas fontes são buscadas, o que impulsiona pesquisas

Leia mais

Cícero Bley Jr Superintendente de Energias Renováveis ITAIPU BINACIONAL

Cícero Bley Jr Superintendente de Energias Renováveis ITAIPU BINACIONAL Cícero Bley Jr Superintendente de Energias Renováveis ITAIPU BINACIONAL SANEAMIENTO BÁSICO Município População 1 (hab) Carga Orgânica 2 (kg/hab.dia) Coleta e Tratamento de Esgoto IARCE (%)³ Cascavel 285.784

Leia mais

Avaliação da Inserção de Unidades de Geração Distribuída em Propriedades Rurais. Jeferson Toyama Bolsista FPTI Projeto Geração Distribuída

Avaliação da Inserção de Unidades de Geração Distribuída em Propriedades Rurais. Jeferson Toyama Bolsista FPTI Projeto Geração Distribuída Avaliação da Inserção de Unidades de Geração Distribuída em Propriedades Rurais Jeferson Toyama Bolsista FPTI Projeto Geração Distribuída Projeto Geração Distribuída Implantação de unidade geradoras, conectadas

Leia mais

Gás LP no Brasil: Energia limpa e abundante para o agronegócio e áreas remotas

Gás LP no Brasil: Energia limpa e abundante para o agronegócio e áreas remotas Gás LP no Brasil: Energia limpa e abundante para o agronegócio e áreas remotas O Sindigás 33 milhões de botijões entregues porta a porta mensalmente 5 bilhões em tributos arrecadados anualmente 27% Participação

Leia mais

VIABILIDADE ECONÔMICA DO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA- MILHO SAFRINHA 1.INTRODUÇÃO

VIABILIDADE ECONÔMICA DO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA- MILHO SAFRINHA 1.INTRODUÇÃO VIABILIDADE ECONÔMICA DO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA- MILHO SAFRINHA Alceu Richetti 1 1.INTRODUÇÃO No cenário nacional, o Estado de Mato Grosso do Sul é o terceiro maior produtor de milho safrinha e o quinto

Leia mais

Metodologia Participativa para avaliação da qualidade do Sistema Plantio Direto Índice de Qualidade Participativo do Sistema Plantio Direto - IQP

Metodologia Participativa para avaliação da qualidade do Sistema Plantio Direto Índice de Qualidade Participativo do Sistema Plantio Direto - IQP Metodologia Participativa para avaliação da qualidade do Sistema Plantio Direto Índice de Qualidade Participativo do Sistema Plantio Direto - IQP Cooperação: O projeto O projeto Estímulo à Qualidade do

Leia mais

IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO USO IRREGULAR DE DEJETOS DE SUÍNOS NO SOLO

IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO USO IRREGULAR DE DEJETOS DE SUÍNOS NO SOLO IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO USO IRREGULAR DE DEJETOS DE SUÍNOS NO SOLO Rodrigo de Almeida Silva (1) ; Rita Maria de Souza (2) ; Érica Nacif Rufino Vieira (3) ; (1) Graduando do curso de Gestão Ambiental,

Leia mais

Modelo de gestão ambiental para a suinocultura. Rodrigo S. Nicoloso Eng. Agrônomo, Dr. Núcleo Temático de Meio Ambiente Embrapa Suínos e Aves

Modelo de gestão ambiental para a suinocultura. Rodrigo S. Nicoloso Eng. Agrônomo, Dr. Núcleo Temático de Meio Ambiente Embrapa Suínos e Aves Modelo de gestão ambiental para a suinocultura Rodrigo S. Nicoloso Eng. Agrônomo, Dr. Núcleo Temático de Meio Ambiente Embrapa Suínos e Aves Conceito: balanço de nutrientes Fertilizantes (NPK) Propriedade

Leia mais

Políticas Públicas para o Desenvolvimento Agropecuário no Brasil

Políticas Públicas para o Desenvolvimento Agropecuário no Brasil Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo - SDC Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA Políticas Públicas para o Desenvolvimento Agropecuário no Brasil Reunião Regional

Leia mais

Nuevos Usos para el Biogás Movilidad y uso Industrial

Nuevos Usos para el Biogás Movilidad y uso Industrial Nuevos Usos para el Biogás Movilidad y uso Industrial 14 de Octubre de 2015 Montevideo Rodrigo Regis de Almeida Galvão Diretor-Presidente Agronegócio no Brasil 33% do PIB do Brasil 42% das Exportações

Leia mais

DEMANDAS POR FONTES DE ENERGIAS RENOVÁVEIS

DEMANDAS POR FONTES DE ENERGIAS RENOVÁVEIS DEMANDAS POR FONTES DE ENERGIAS RENOVÁVEIS 02 de outubro de Rafael González Diretor-Desenvolvimento Tecnológico AGRONEGÓCIO Brasil 25% do PIB do Brasil 46% das exportações DESAFIO 35% Segurança Alimentar

Leia mais

Anais do 1º Simpósio Internacional de Arborização de Pastagens em Regiões Subtropicais

Anais do 1º Simpósio Internacional de Arborização de Pastagens em Regiões Subtropicais 111 Demanda por lenha no Paraná: oportunidade para o sistema agrossilvipastoril Ives Clayton Gomes dos Reis Goulart 1, Gilson Martins 2, Emiliano Santarosa 3, Rogério Morcelles Dereti 4, Joel Penteado

Leia mais

PROJETO CAMINHÃO TANQUE DISTRIBUIDOR DE DEJETOS SUÍNOS

PROJETO CAMINHÃO TANQUE DISTRIBUIDOR DE DEJETOS SUÍNOS ASSOCIAÇÃO ÁGUA E SOLO Entidade voltada ao Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Familiar do Meio Oeste de Santa Catarina - Sede/foro Município de Videira SC Decreto de Utilidade Pública Municipal

Leia mais

USO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS NA GERAÇÃO DE BIOGÁS PARA FINS DE APROVEITAMENTO ENERGÉTICO

USO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS NA GERAÇÃO DE BIOGÁS PARA FINS DE APROVEITAMENTO ENERGÉTICO USO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS NA GERAÇÃO DE BIOGÁS PARA FINS DE APROVEITAMENTO ENERGÉTICO Prof. Dr. Odorico Konrad Eng. Civil e Doutor em Eng. Ambiental e Sanitária Camila Hasan Eng. Ambiental e Mestranda

Leia mais

Licenciamento Ambiental de Plantas de Biogás

Licenciamento Ambiental de Plantas de Biogás Licenciamento Ambiental de Plantas de Biogás Antônio Malard Gerente de Produção Sustentável 23/11/2015 FEAM: Eixos de Atuação POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. Estudos,

Leia mais

8º Congresso Brasileiro da Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior 7 a 11 de outubro de 2013 Cascavel - PR

8º Congresso Brasileiro da Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior 7 a 11 de outubro de 2013 Cascavel - PR 8º Congresso Brasileiro da Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior 7 a 11 de outubro de 2013 Cascavel - PR Jorge Miguel Samek Diretor-Geral Brasileiro ITAIPU BINACIONAL A ÁGUA DO MUNDO A ÁGUA

Leia mais

PROJETO GERAL. 22 A 25 / MAIO / 2014 9h ÀS 20h - PARQUE DA EFAPI CHAPECÓ - SC - BRASIL

PROJETO GERAL. 22 A 25 / MAIO / 2014 9h ÀS 20h - PARQUE DA EFAPI CHAPECÓ - SC - BRASIL PROJETO GERAL 22 A 25 / MAIO / 2014 9h ÀS 20h - PARQUE DA EFAPI CHAPECÓ - SC - BRASIL Promoção: Associação Catarinense de Criadores de Bovinos Organização: Montadora Oficial: zoom FEIRAS&EVENTOS Apoio

Leia mais

Papel dos Bancos de Desenvolvimento e das Agências de Fomento no apoio aos APLs

Papel dos Bancos de Desenvolvimento e das Agências de Fomento no apoio aos APLs Papel dos Bancos de Desenvolvimento e das Agências de Fomento no apoio aos APLs Brasília, abril de 2014 Sumário da Apresentação Política Nacional de Desenvolvimento Regional PNDR; Programa Rotas de Integração

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX ANEXO 1 FORMULÁRIO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PROJETO DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA DO PROJETO 1.1 Área temática (ver Anexo 1.1) 1.2 Linha de extensão (informar em qual (is) linha(s) se enquadra

Leia mais

Potencial da utilização do biogás na gestão dos efluentes agro-pecuários Madalena Alves. Universidade do Minho 31/10/2012

Potencial da utilização do biogás na gestão dos efluentes agro-pecuários Madalena Alves. Universidade do Minho 31/10/2012 Potencial da utilização do biogás na gestão dos efluentes agro-pecuários Madalena Alves Universidade do Minho 31/10/2012 sumário Sustentabilidade do Biogás Benchmarking Europeu exemplos Modelos de negócio

Leia mais

Potencial para geração de energia a partir de resíduos agrossilvopastoris no Brasil

Potencial para geração de energia a partir de resíduos agrossilvopastoris no Brasil Potencial para geração de energia a partir de resíduos agrossilvopastoris no Brasil Diagnóstico dos Resíduos Orgânicos do Setor Agrossilvopastoril Relatório de Pesquisa Equipe: Vania Elisabete Schneider

Leia mais

energia sobra Há fartura de resíduos, mas ainda é preciso tornar mais eficientes os processos de aproveitamento energético da biomassa panorama

energia sobra Há fartura de resíduos, mas ainda é preciso tornar mais eficientes os processos de aproveitamento energético da biomassa panorama panorama sobra energia Há fartura de resíduos, mas ainda é preciso tornar mais eficientes os processos de aproveitamento energético da biomassa Planta da GEO Energética produz 4 MW de energia elétrica,

Leia mais

EAD CR CAMPEIRO 7. Visão Geral do Sistema

EAD CR CAMPEIRO 7. Visão Geral do Sistema EAD CR CAMPEIRO 7 Visão Geral do Sistema Prof. Dr. Enio Giotto Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Rurais Universidade Federal de Santa Maria O Projeto CR Campeiro O Projeto de Ciência

Leia mais

Prof. Clésio Farrapo

Prof. Clésio Farrapo Prof. Clésio Farrapo Podemos dividir a área agrícola em dois tipos de Iavoura: cultura permanente e cultura temporária. No primeiro caso, as culturas Ievam mais de um ano para produzir; podem ser retiradas

Leia mais

ATER em Feijão e Milho desenvolvida no Estado do Paraná. Germano do R. F. Kusdra Eng. Agrônomo Emater

ATER em Feijão e Milho desenvolvida no Estado do Paraná. Germano do R. F. Kusdra Eng. Agrônomo Emater ATER em Feijão e Milho desenvolvida no Estado do Paraná Germano do R. F. Kusdra Eng. Agrônomo Emater germano@emater.pr.gov.br PROJETO CENTRO-SUL DE FEIJÃO E MILHO O Instituto EMATER, ao longo de sua existência,

Leia mais

Findeter financiamento para a reconstrução e a mitigação de mudanças climáticas

Findeter financiamento para a reconstrução e a mitigação de mudanças climáticas Findeter financiamento para a reconstrução e a mitigação de mudanças climáticas Linhas de Financiamento para Reconstrução e Mitigação de Mudanças Climáticas Fortalecimento de estratégias e produtos financeiros

Leia mais

Geração de Renda a Partir dos Dejetos da Suinocultura: Biofertilizante, Biogás e Energia Elétrica

Geração de Renda a Partir dos Dejetos da Suinocultura: Biofertilizante, Biogás e Energia Elétrica APROVEITAMENTO ECONÔMICO DOS RESÍDUOS DA PRODUÇÃO DE SUÍNOS Geração de Renda a Partir dos Dejetos da Suinocultura: Biofertilizante, Biogás e Energia Elétrica Fabiano Coser Fabrício Oliveira Leitão MINISTÉRIO

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE HABITAÇÃO. Cooperação Técnico-Financeira BNDES/ITERJ. Mayumi Sone. Presidência. Setembro/2013

SECRETARIA DE ESTADO DE HABITAÇÃO. Cooperação Técnico-Financeira BNDES/ITERJ. Mayumi Sone. Presidência. Setembro/2013 SECRETARIA DE ESTADO DE HABITAÇÃO Presidência Setembro/2013 Conheça o... Há 16 anos promovendo a Regularização Fundiária no Estado do Rio de Janeiro Regularização Fundiária Títulos Emitidos por Ano Comunidades

Leia mais

Programa ABC. Banco do Brasil Safra 2013/2014

Programa ABC. Banco do Brasil Safra 2013/2014 Programa ABC Banco do Brasil Safra 2013/2014 Balanço da Safra 2012/2013 Plano Safra 2012/2013 Crédito Rural - Desembolsos R$ 61,5 bilhões CRESCIMENTO de 28% em relação à safra anterior R$ 6,5 bilhões acima

Leia mais

Agricultura de Precisão desafiando produtividades agrícolas

Agricultura de Precisão desafiando produtividades agrícolas Agricultura de Precisão desafiando produtividades agrícolas É fácil identificar na sociedade atual, globalizada, características e hábitos alicerçados no consumismo, na necessidade progressiva de uma maior

Leia mais

SISTEMA DE IRRIGAÇÃO EFICIENTE POR PIVÔ CENTRAL

SISTEMA DE IRRIGAÇÃO EFICIENTE POR PIVÔ CENTRAL SISTEMA DE IRRIGAÇÃO EFICIENTE POR PIVÔ CENTRAL Definição da Problemática Necessidade de produzir mais alimentos X Restrição para ampliar a área plantada Como Resolver o Impasse? Investimento em pesquisa

Leia mais

AGENDA DE DESENVOLVIMENTO DA ZONA DA MATA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DA ZONA DA MATA

AGENDA DE DESENVOLVIMENTO DA ZONA DA MATA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DA ZONA DA MATA AGENDA DE DESENVOLVIMENTO DA ZONA DA MATA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DA ZONA DA MATA Eixos Temáticos: 1. Desenvolvimento Industrial 2. Desenvolvimento do Agronegócio 3. Desenvolvimento Ambiental

Leia mais

Centro de Excelência em Tecnologia do Leite desenvolve atividades em Rondon

Centro de Excelência em Tecnologia do Leite desenvolve atividades em Rondon Centro de Excelência em Tecnologia do Leite desenvolve atividades em Rondon Criado pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o Centro funciona junto à Unioeste, com o objetivo de interagir

Leia mais

II ENCONTRO DE IRRIGANTES POR ASPERSÃO DO RS

II ENCONTRO DE IRRIGANTES POR ASPERSÃO DO RS II ENCONTRO DE IRRIGANTES POR ASPERSÃO DO RS 02 de OUTUBRO DE 2014 CRUZ ALTA RIO GRANDE DO SUL O INÍCIO DA IRRIGAÇÃO 5.000 anos atrás, Egito Antigo; Construção de diques, represas e canais para melhor

Leia mais

EQUIVALÊNCIA DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA MATRIZ 2015 COM A MATRIZ Coordenador: Prof. Elton Fialho dos Reis

EQUIVALÊNCIA DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA MATRIZ 2015 COM A MATRIZ Coordenador: Prof. Elton Fialho dos Reis EQUIVALÊNCIA DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA MATRIZ 2015 COM A MATRIZ 2009 Coordenador: Prof. Elton Fialho dos Reis Quadro 1 - Equivalência de disciplinas do curso de Engenharia Agrícola

Leia mais

Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado

Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado Audiência Pública O PLANO DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO (PDA) E A AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO MATOPIBA (MARANHÃO,

Leia mais

IDÉIAS ORIENTADORAS PARA O MERCADO DE LEITE

IDÉIAS ORIENTADORAS PARA O MERCADO DE LEITE IDÉIAS ORIENTADORAS PARA O MERCADO DE LEITE Março/94 ÍNDICE Págin a 1. CARACTERIZAÇÃO DO PROBLEMA... 1 2. PARÂMETROS ORIENTADORES PARA O MERCADO DO LEITE... 6 3. OPERACIONALIZAÇÃO DOS PARÂMETROS PARA O

Leia mais

SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL BACIA DO PARANÁ III. Programa Paranaense de Bioenergia - PR Bioenergia -

SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL BACIA DO PARANÁ III. Programa Paranaense de Bioenergia - PR Bioenergia - SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL BACIA DO PARANÁ III Programa Paranaense de Bioenergia - PR Bioenergia - Programa PR Bioenergia Criado pelo Decreto nº 2101 10/11/2003 Coordenação: SEAB

Leia mais

AGRICULTURA FAMILAR E SUA IMPORTÂNCIA PARA A CONSERVAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS

AGRICULTURA FAMILAR E SUA IMPORTÂNCIA PARA A CONSERVAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS AGRICULTURA FAMILAR E SUA IMPORTÂNCIA PARA A CONSERVAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS RESUTADOS E EXPERIÊNCIAS DO PROJETO SEMEANDO SUSTENTABILIDADE FABIANA B. GOMES CES RIOTERRA RECURSOS NATURAIS ENERGIA SOLAR

Leia mais

PRODUÇÃO INTEGRADA DE ALGODÃO

PRODUÇÃO INTEGRADA DE ALGODÃO PRODUÇÃO INTEGRADA DE ALGODÃO Alderi Emídio de Araújo Eng o Agr o,fitopatologista, D.Sc. VIII Congresso Brasileiro de Algodão São Paulo 20 de setembro de 2011 Foto: GBCA O que é a Produção Integrada? Produtos

Leia mais

PREFEITURA DE OURO VERDE DO OESTE PRÁTICAS CONSERVACIONISTAS DO USO DO SOLO E ÁGUA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PREFEITURA DE OURO VERDE DO OESTE PRÁTICAS CONSERVACIONISTAS DO USO DO SOLO E ÁGUA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL PREFEITURA DE OURO VERDE DO OESTE PRÁTICAS CONSERVACIONISTAS DO USO DO SOLO E ÁGUA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL OURO VERDE DO OESTE PR 2016 SUMÁRIO 1 INFORMAÇÕES... 2 2 DIAGNÓSTICO... 2 3 JUSTIFICATIVA... 3 4

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2016

PROJETO DE LEI Nº, DE 2016 PROJETO DE LEI Nº, DE 2016 (Do Sr. Evair de Melo) Institui a Política Nacional de Incentivo à Produção de Borracha Natural de Qualidade. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei institui a Política

Leia mais

A Agricultura do Brasil e do Paraná

A Agricultura do Brasil e do Paraná Governo do Estado do Paraná A Agricultura do Brasil e do Paraná Políticas Públicas para a Produção de Biodiesel Orlando Pessuti Vice-Governador Abril/2007 BRASIL 5º Maior país do mundo PIB de US$ 1,0 trilhão

Leia mais

Plano ABC & Suinocultura de Baixa Emissão de Carbono

Plano ABC & Suinocultura de Baixa Emissão de Carbono SECRETARIA DE MOBILIDADE SOCIAL, DO PRODUTOR RURAL E DO COOPERATIVISMO DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS, E DA PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL Plano ABC & Suinocultura de Baixa Emissão de Carbono

Leia mais

"Economia Verde nos Contextos Nacional e Global" - Desafios e Oportunidades para a Agricultura -

Economia Verde nos Contextos Nacional e Global - Desafios e Oportunidades para a Agricultura - "Economia Verde nos Contextos Nacional e Global" - Desafios e Oportunidades para a Agricultura - Maurício Antônio Lopes Diretor Executivo de Pesquisa e Desenvolvimento Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

GESTÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

GESTÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EMENTA GESTÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL DISCIPLINA: Educação Ambiental EMENTA: Educação ambiental no contexto histórico do desenvolvimento da sociedade capitalista. História contemporânea da questão ambiental.

Leia mais

REDD NO BRASIL UM ENFOQUE AMAZÔNICO PARTE 1: EMISSÕES POR DESMATAMENTO TROPICAL E O PAPEL

REDD NO BRASIL UM ENFOQUE AMAZÔNICO PARTE 1: EMISSÕES POR DESMATAMENTO TROPICAL E O PAPEL REDD NO BRASIL UM ENFOQUE AMAZÔNICO PARTE 1: EMISSÕES POR DESMATAMENTO TROPICAL E O PAPEL DA AMAZÔNIA BRASILEIRA Grupo de Estudo em REDD Amapá Jaqueline Homobono EMISSÕES POR DESMATAMENTO TROPICAL E O

Leia mais

ASPECTOS ECONÔMICOS DA SUBSTITUIÇÃO DE FONTES CONVENCIONAIS DE ENERGIA POR BIOGÁS EM ASSENTAMENTO RURAL DO ESTADO DE SÃO PAULO.

ASPECTOS ECONÔMICOS DA SUBSTITUIÇÃO DE FONTES CONVENCIONAIS DE ENERGIA POR BIOGÁS EM ASSENTAMENTO RURAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. ASPECTOS ECONÔMICOS DA SUBSTITUIÇÃO DE FONTES CONVENCIONAIS DE ENERGIA POR BIOGÁS EM ASSENTAMENTO RURAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. MAURA SEIKO TSUTSUI ESPERANCINI; FERNANDO. COLEN; OSMAR DE CARVALHO BUENO;

Leia mais

Equipe Principal: Jonas Irineu dos Santos Filho, Marcelo Miele,

Equipe Principal: Jonas Irineu dos Santos Filho, Marcelo Miele, Plano de Ação: 12. Avaliação econômica, social e ambiental das tecnologias e elaboração de planos de negócio Equipe Principal: Jonas Irineu dos Santos Filho, Marcelo Miele, Objetivo Final - Plano de Negocio

Leia mais

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE GOVERNO

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE GOVERNO DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE GOVERNO Formular e implementar estratégias de gestão com participação, transparência, compromisso, responsabilidade e efetividade, potencializando a administração pública

Leia mais

Apresentar alternativas compensatórias a estas medidas.

Apresentar alternativas compensatórias a estas medidas. SUSTENTABILIDADE DOS FUNDOS CONSTITUCIONAIS DE FINANCIAMENTO: efeito das medidas excepcionais necessárias frente à manutenção do patrimônio dos Fundos Constitucionais de Financiamento. Discutir os efeitos

Leia mais

Universidade Federal da Integração Latino-Americana Fundação Parque Tecnológico Itaipu

Universidade Federal da Integração Latino-Americana Fundação Parque Tecnológico Itaipu Universidade Federal da Integração Latino-Americana Fundação Parque Tecnológico Itaipu Projeto Pedagógico do Curso de Especialização em Energias Renováveis, com Ênfase em Biogás e Saneamento Ambiental

Leia mais

CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO

CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO QUEM SÃO OS TRABALHADORES BRASILEIROS E ONDE DESENVOLVEM SUAS ATIVIDADES ECONÔMICAS P. 37 PEA do Brasil: 100 milhões

Leia mais

Manejo da adubação para produção de grãos em solos de fertilidade construída. Álvaro V. Resende

Manejo da adubação para produção de grãos em solos de fertilidade construída. Álvaro V. Resende Manejo da adubação para produção de grãos em solos de fertilidade construída Álvaro V. Resende Roteiro Solo de fertilidade construída: base para produção intensiva Construção de um ambiente de alto potencial

Leia mais

Land Tenure Regularization in Urban Protected Areas. Preliminary considerations from ongoing experience

Land Tenure Regularization in Urban Protected Areas. Preliminary considerations from ongoing experience Land Tenure Regularization in Urban Protected Areas. Preliminary considerations from ongoing experience in community located in the buffer zone of the Pedra Branca State Park in Rio de Janeiro, Brazil.

Leia mais

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ CICLO DE PALESTRAS E DEBATES SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ E TRIGO NO BRASIL Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal Flávio Turra Gerente Técnico e Econômico da Ocepar fturra@ocepar.org.br

Leia mais

Desafios. Impactos nos pobres urbanos

Desafios. Impactos nos pobres urbanos Alimento para as cidades Nem as Metas de Desenvolvimento do Milênio nem as metas da Cúpula Mundial da Alimentação serão atingidas se não for dada a devida atenção às cidades e aos vínculos rural-urbanos.

Leia mais

Tatiane Antonovz (UFPR) - Mayla Cristina Costa (UFPR) - Resumo:

Tatiane Antonovz (UFPR) - Mayla Cristina Costa (UFPR) - Resumo: Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Impacto da inovação social nos custos de transação: uma análise dos benefícios da constituição do Condomínio de Agroenergia para a agricultura familiar Tatiane Antonovz

Leia mais

Governos Sociedades Entidades / ONGs Empresas públicas ou privadas Escolas / Universidades Cidadãos / Cidadãs

Governos Sociedades Entidades / ONGs Empresas públicas ou privadas Escolas / Universidades Cidadãos / Cidadãs Se queremos melhorar o mundo temos que melhorar a nós mesmos. Individual e coletivamente construirmos Modelo de Desenvolvimento para a SUSTENTABILIDADE e implementarmos CIDADES e VIDAS SAUDÁVEIS- SUSTENTÁVEIS

Leia mais

Biomassa e Energia Raízen CTBE

Biomassa e Energia Raízen CTBE Biomassa e Energia Raízen CTBE Biomassa agrícola; Custos de Produção; Potencial Bagaço e Palha; AGENDA Potencial Vinhaça e Torta de Filtro; Cogeração Eletricidade; Etanol 2ª Segunda Geração T MS/há/ ano

Leia mais

Lançamento do Plano Safra 2012/2013 Banco do Brasil

Lançamento do Plano Safra 2012/2013 Banco do Brasil Lançamento do Plano Safra 2012/2013 Banco do Brasil Plano Safra 2011/2012 Volume de crédito rural desembolsado R$ 2.965,9 bilhões CRESCIMENTO de 59,8% Plano Safra 2011/2012 Comparativo: Safras 2010/2011

Leia mais

GERAÇÃO DE ENERGIA NO MEIO RURAL BIODIGESTORES

GERAÇÃO DE ENERGIA NO MEIO RURAL BIODIGESTORES GERAÇÃO DE ENERGIA NO MEIO RURAL BIODIGESTORES X CONGRESSO SOBRE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA NO MEIO RURAL - AGRENER IEE/USP JORGE DE LUCAS JUNIOR SÃO PAULO SP 2015 E E E E E E E E SOBRAS DE ENERGIA ENERGIA Sobras

Leia mais

Financiamentos para o Agronegócio

Financiamentos para o Agronegócio Financiamentos para o Agronegócio Banco do Brasil Maior Parceiro do Agronegócio Carteira em Dez/2012 R$ 100 bilhões Banco do Brasil Sustentabilidade e Meio Ambiente Programa ABC Em Dezembro de 2012 R$

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Disciplina: D.4.6. Gestão, Avaliação e Revisão do PPA (20h) (Caso 2: Piloto do Monitoramento do PPA 2012-2015 - Programa Mudanças Climáticas) Professor:

Leia mais

Experiências práticas e inovadoras na gestão da água em microbacias. Eng Agr Me Paulo José Alba

Experiências práticas e inovadoras na gestão da água em microbacias. Eng Agr Me Paulo José Alba Experiências práticas e inovadoras na gestão da água em microbacias. Eng Agr Me Paulo José Alba COOPERATIVA AGRÁRIA / FAPA COOPERATIVA AGRÁRIA / FAPA Estado - Paraná Meso Região Centro - Sul Município

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A PESQUISA E USO DE LEGUMINOSAS EM PASTAGENS TROPICAIS: UMA REFLEXÃO. Sila Carneiro da Silva 1

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A PESQUISA E USO DE LEGUMINOSAS EM PASTAGENS TROPICAIS: UMA REFLEXÃO. Sila Carneiro da Silva 1 DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A PESQUISA E USO DE LEGUMINOSAS EM PASTAGENS TROPICAIS: UMA REFLEXÃO Sila Carneiro da Silva 1 O interesse pela produção animal em pastagens tem crescido bastante nos últimos

Leia mais

Informação de imprensa

Informação de imprensa Informação de imprensa BASF propõe soluções para a produção sustentável e o consumo consciente de alimentos no Brasil Documento apresenta propostas para minimizar perdas e desperdícios na cadeia produtiva

Leia mais

Desenvolvimento de uma planilha eletrônica para avaliação energética de secadores de grãos

Desenvolvimento de uma planilha eletrônica para avaliação energética de secadores de grãos Desenvolvimento de uma planilha eletrônica para avaliação energética de secadores de grãos Adriano Divino Lima Afonso 1, João Batista Guerra Jr 2, Jefferson Luiz Gonçalves Silva 2 52 1 Professor Adjunto

Leia mais

Energia solar. É a solução para seu comércio. Economize e preserve o meio ambiente. davantisolar.com.br

Energia solar. É a solução para seu comércio. Economize e preserve o meio ambiente. davantisolar.com.br Energia solar É a solução para seu comércio. Economize e preserve o meio ambiente. Conquiste sua independência energética com a A Davanti Solar é uma empresa brasileira comprometida em levar mais autonomia

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo de internacionalização

Leia mais

Relações Brasil - China: oportunidades de negócios para o setor agropecuário

Relações Brasil - China: oportunidades de negócios para o setor agropecuário Relações Brasil - China: oportunidades de negócios para o setor agropecuário Eduardo Correa Riedel Vice-Presidente e Diretor da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil - CNA Relações Brasil -

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2016-2018

PLANO DE AÇÃO 2016-2018 ÁREA DE COMPETÊNCIA: PLANO DE AÇÃO 2016-2018 SUMÁRIO Monitoramento e instrumentação para o meio ambiente: desenvolvimento de soluções tecnológicas inovadoras voltadas para o uso eficiente de recursos naturais

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis Competências a serem trabalhadas nesta aula Conhecer o segmento econômico da Agroindústria

Leia mais

I CONGRESSO ESTADUAL DA AGROPECUÁRIA UMUARAMA. Nova dinâmica da Assistência Técnica e Extensão Rural. (Emater-PR)

I CONGRESSO ESTADUAL DA AGROPECUÁRIA UMUARAMA. Nova dinâmica da Assistência Técnica e Extensão Rural. (Emater-PR) I CONGRESSO ESTADUAL DA AGROPECUÁRIA UMUARAMA Nova dinâmica da Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-PR) Eng. Agr. Hernani Alves da Silva Gerente de Produção Agropecuária e Negocios hernanialves@emater.pr.gov.br

Leia mais

II Congresso Caciopar O Papel da Iniciativa Privada no Desenvolvimento Territorial

II Congresso Caciopar O Papel da Iniciativa Privada no Desenvolvimento Territorial II Congresso Caciopar O Papel da Iniciativa Privada no Desenvolvimento Territorial As Cadeias Propulsivas e sua relação com as demais Atividades do Território Carlos Aguedo Paiva A Pergunta O Oeste Paranaense

Leia mais

Bioeletricidade - a energia elétrica da cana: Evolução e perspectivas

Bioeletricidade - a energia elétrica da cana: Evolução e perspectivas Bioeletricidade - a energia elétrica da cana: Evolução e perspectivas Zilmar José de Souza Thermal Energy LatAm 2012 Rio de Janeiro RJ 31 de janeiro de 2012 A UNICA A União da Indústria de Cana-de-Açúcar

Leia mais

Stara e SAP levam o conceito de IoT para o agronegócio

Stara e SAP levam o conceito de IoT para o agronegócio Stara e SAP levam o conceito de IoT para o agronegócio A Stara é uma das maiores fabricantes brasileiras de máquinas agrícolas, hoje presente em cinco continentes. A companhia, que já equipava seus tratores

Leia mais

LEI N 878, DE 12 DE AGOSTO DE 1997

LEI N 878, DE 12 DE AGOSTO DE 1997 LEI N 878, DE 12 DE AGOSTO DE 1997 DISPÕE SOBRE O PLANO PLURIANUAL DO MUNICÍPIO DE CIRÍACO, PARA O PERÍODO DE 1998 A 2001. O PREFEITO MUNICIPAL DE CIRÍACO, Estado do Rio Grande do Sul, FAÇO SABER que a

Leia mais

PRONAF - AGRICULTURA FAMILIAR ANO AGRÍCOLA 2015/2016

PRONAF - AGRICULTURA FAMILIAR ANO AGRÍCOLA 2015/2016 PRONAF - AGRICULTURA FAMILIAR ANO AGRÍCOLA 2015/2016 Linha Risco Beneficiários (1) Finalidade Limites (R$) Juros Prazo/Carência CUSTEIO Pronaf Custeio Grupo "A/C" (2) /FCO Assentados da Reforma Agrária

Leia mais

Perspectivas e Desafios da Energia no Meio Rural no Estado de São Paulo e no Brasil

Perspectivas e Desafios da Energia no Meio Rural no Estado de São Paulo e no Brasil Perspectivas e Desafios da Energia no Meio Rural no Estado de São Paulo e no Brasil Coordenação Geral de Biocombustíveis - MDA Secretaria da Agricultura Familiar - SAF Departamento de Geração de Renda

Leia mais

COMPARATIVO DE LUCRATIVIDADE ENTRE O PLANTIO DE MILHO SEQUEIRO/SOJA E O ARRENDAMENTO DA ÁREA

COMPARATIVO DE LUCRATIVIDADE ENTRE O PLANTIO DE MILHO SEQUEIRO/SOJA E O ARRENDAMENTO DA ÁREA COMPARATIVO DE LUCRATIVIDADE ENTRE O PLANTIO DE MILHO SEQUEIRO/SOJA E O ARRENDAMENTO DA ÁREA Mariana S. de Proença 1, Leonel J. Ribeiro 2, Maria C. Ferrari 3, Flavia C. Cavalini 4 1 Graduanda em Agronegócio,

Leia mais

Desenvolvimento Rural Sustentável em Microbacias Hidrográficas do Estado do Rio de Janeiro UNIDADE DE PESQUISA PARTICIPATIVA

Desenvolvimento Rural Sustentável em Microbacias Hidrográficas do Estado do Rio de Janeiro UNIDADE DE PESQUISA PARTICIPATIVA Desenvolvimento Rural Sustentável em Microbacias Hidrográficas do Estado do Rio de Janeiro setembro/2014 UNIDADE DE PESQUISA PARTICIPATIVA DIAGNÓSTICO PARTICIPATIVO DAS PROPRIEDADES LEITEIRAS VISANDO À

Leia mais

PANORAMA DA AGROPECUÁRIA

PANORAMA DA AGROPECUÁRIA PANORAMA DA AGROPECUÁRIA SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO BELO HORIZONTE-MG NOVEMBRO/2006 ÍNDICE 1. Estado de Minas Gerais 2. Informações do Agronegócio 3. Produção agrícola

Leia mais

Cadeia Produtiva da Soja e Biodiesel

Cadeia Produtiva da Soja e Biodiesel Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Cadeia Produtiva da Soja e Biodiesel Daniel Furlan Amaral Gerente de Economia 18 de agosto de 2017 Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do

Leia mais

RESÍDUOS AGROSILVOPASTORIS

RESÍDUOS AGROSILVOPASTORIS RESÍDUOS AGROSILVOPASTORIS Diretriz 01: Desenvolvimento e inovação de tecnologias para o aproveitamento de resíduos agrosilvopastoris. >>Redação final: Pesquisa, desenvolvimento e inovação de tecnologias

Leia mais

Programa Iberoamericano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Proposta de Ação Estratégica para a Convocatória 2017

Programa Iberoamericano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Proposta de Ação Estratégica para a Convocatória 2017 Programa Iberoamericano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Proposta de Ação Estratégica para a Convocatória 2017 Área de Energia: Utilização de na Produção de Combustíveis de Transporte 1 ÁREA

Leia mais

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ENERGÉTICO A PARTIR DE DEJETOS ANIMAIS

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ENERGÉTICO A PARTIR DE DEJETOS ANIMAIS AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ENERGÉTICO A PARTIR DE DEJETOS ANIMAIS T. de A. C. GONÇALVES 1,2, M. A. P. G. COUTO 2 e E. R. BORGES 2 1 Instituto Federal do Norte de Minas Gerais, Departamento de Engenharia Química

Leia mais

Política da Qualidade. Visão Estar entre os três maiores produtores de biodiesel no Brasil. Missão. Valores

Política da Qualidade. Visão Estar entre os três maiores produtores de biodiesel no Brasil. Missão. Valores Empresa A BSBIOS - Indústria e Comércio de Biodiesel Sul Brasil S/A, fundada em 2005, é referência na produção de biodiesel e, é a única indústria para a produção de energia renovável que possui sociedade

Leia mais

Edição 37 (Março2014)

Edição 37 (Março2014) Edição 37 (Março2014) Cenário Econômico: PIB brasileiro cresce 2,3% em 2013 e chega a R$ 4,8 trilhões A economia brasileira cresceu 0,7% no quarto trimestre de 2013, na comparação com os três meses anteriores,

Leia mais

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade O Mundo atravessa um período de aumento expressivo do consumo de alimentos, impulsionado pela melhora da renda das famílias dos

Leia mais

ADUBAÇÃO VERDE E BANCO DE SEMENTES Uma alternativa para o agricultor familiar

ADUBAÇÃO VERDE E BANCO DE SEMENTES Uma alternativa para o agricultor familiar ADUBAÇÃO VERDE E BANCO DE SEMENTES Uma alternativa para o agricultor familiar Lucas Alves Jural¹; Thais Monteiro de Souza²; Isabelle Sá e Silva Rangel³; Sandra Barros Sanchez 4 RESUMO O trabalho aqui apresentado

Leia mais

SEGUNDA EDIÇÃO REVISTA EATUALIZADA D) CO. D f ANTÓNIO DIAS LEITE PRÉMIO JABUTI 1998 CAMPUS ELSEVIER

SEGUNDA EDIÇÃO REVISTA EATUALIZADA D) CO. D f ANTÓNIO DIAS LEITE PRÉMIO JABUTI 1998 CAMPUS ELSEVIER SEGUNDA EDIÇÃO REVISTA EATUALIZADA ANTÓNIO DIAS LEITE D) CO IL D f PRÉMIO JABUTI 1998 ELSEVIER CAMPUS CAPÍTULO I - A QUESTÃO GLOBAL DA ENERGIA Visão da energia no inundo 34 Antecedentes 35 Longo domínio

Leia mais

O PNPB e a Organização da Produção de Biodiesel

O PNPB e a Organização da Produção de Biodiesel O PNPB e a Organização da Produção de Biodiesel Renata Lèbre La Rovere GEI/IE/UFRJ Selena Herrera LIMA/COPPE/UFRJ 1 O Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel - PNPB BIODIESEL: combustível produzido

Leia mais

Avaliação econômica CURSO SOBRE MANEJO E TRATAMENTO DE DEJETOS COM BIODIGESTORES. 29 de setembro a 01 de outubro de 2009 Foz do Iguaçu/PR

Avaliação econômica CURSO SOBRE MANEJO E TRATAMENTO DE DEJETOS COM BIODIGESTORES. 29 de setembro a 01 de outubro de 2009 Foz do Iguaçu/PR CURSO SOBRE MANEJO E TRATAMENTO DE DEJETOS COM BIODIGESTORES 29 de setembro a 01 de outubro de 2009 Foz do Iguaçu/PR Avaliação econômica Marcelo Miele Franco Müller Martins A suinocultura brasileira Desempenho

Leia mais

Responsabilidade ambiental na produção agropecuária

Responsabilidade ambiental na produção agropecuária Responsabilidade ambiental na produção agropecuária Sumário Análise de conjuntura; Impactos das atividades agropecuárias sobre o meio ambiente; Responsabilidade ambiental; Boas práticas produtivas. Organograma

Leia mais

Energia verde, sustentabilidade e cidadania

Energia verde, sustentabilidade e cidadania www.coopernico.org coopernico@coopernico.org 213 471 376 Energia verde, sustentabilidade e cidadania quem somos? A Coopérnico é a primeira cooperativa Portuguesa de energias renováveis. Foi fundada em

Leia mais

Perspectivas da Cadeia Produtiva da Cana-de-Açucar no Sistema Orgânico. O caso de Morretes, PR

Perspectivas da Cadeia Produtiva da Cana-de-Açucar no Sistema Orgânico. O caso de Morretes, PR Perspectivas da Cadeia Produtiva da Cana-de-Açucar no Sistema Orgânico. O caso de Morretes, PR KNOPIK, Marco Aurelio. FAFIPAR, marcoknopik@hotmail.com; FLEIG, Daniel. FAFIPAR, Resumo Dentre os principais

Leia mais