Não constitui hipótese de incidência. a revenda de embalagens usadas que acondicionaram matérias-primas. ou produtos intermediários empregados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Não constitui hipótese de incidência. a revenda de embalagens usadas que acondicionaram matérias-primas. ou produtos intermediários empregados"

Transcrição

1 Boletim Manual de Procedimentos ICM - IPI e Outros Federal IPI - Revenda de embalagens usadas UMÁRIO 1. Introdução 2. ão incidência 3. Hipótese de incidência 4. Produtos adquiridos para uso, consumo ou Ativo Imobilizado 5. ota fiscal 1. ITRODUÇÃO Examinaremos, no presente texto, o tratamento fiscal previsto na legislação do IPI para a revenda de embalagens usadas, assim entendidas aquelas que acondicionaram produtos (insumos) adquiridos pelo estabelecimento industrial, tais como barris, tambores, caixas de madeira, de papelão e outras, com base no Regulamento do IPI, aprovado pelo Decreto n o 7.212/2010 e em outros atos legais que serão citados no transcorrer da matéria. (RIPI/2010) 2. ÃO ICIDÊCIA ão constitui hipótese de incidência do IPI a revenda de embalagens usadas que acondicionaram matérias-primas ou produtos intermediários empregados pelo contribuinte no processo industrial e que se tornaram impróprias para reutilização como embalagens. Esse foi o entendimento firmado pela Coordenação do istema de Tributação divulgado por meio do Parecer ormativo CT n o 311/1971 (item 11). (Parecer ormativo CT n o 311/1971, item 11) 2.1 Manutenção do crédito fiscal O crédito do IPI relativo à entrada dos produtos será mantido integralmente, não sendo exigido o seu estorno (proporcional ao valor das embalagens usadas vendidas). ão constitui hipótese de incidência do IPI a revenda de embalagens usadas que acondicionaram matérias-primas ou produtos intermediários empregados pelo contribuinte no processo industrial e que se tornaram impróprias para reutilização como embalagens Essa afirmativa se fundamenta no 2 o do art. 33 do Regulamento do IPI vigente à época (Decreto n o /1967), dispositivo que corresponde ao art. 255 do atual Regulamento do IPI, aprovado pelo Decreto n o 7.212/2010, o qual tem a seguinte redação: Art É assegurado o direito à manutenção do crédito do imposto em virtude da saída de sucata, aparas, resíduos, fragmentos e semelhantes, que resultem do emprego de matéria-prima, produto intermediário e material de embalagem, bem como na ocorrência de quebras admitidas neste Regulamento. O item 11 do Parecer ormativo CT n o 311/1971 esclarece, ainda, que, nos termos do 2 o do art. 33 do RIPI/1967 (aparas, resíduos etc.), serve como indicador da impropriedade dos materiais de embalagem o ínfimo valor que lhes seja atribuído na venda, em relação ao preço pelo qual normalmente são comercializados os produtos novos, da mesma natureza e finalidade. (RIPI/2010, art. 255; Parecer ormativo CT n o 311/1971, item 11) 2.2 Revenda a não contribuinte Também não incide o IPI na venda de embalagens usadas quando destinadas a não contribuintes do IPI, sendo obrigatório, nesse caso, o estorno proporcional do crédito fiscal lançado na entrada de matérias-primas e produtos intermediários no estabelecimento. O valor do IPI a ser estornado será determinado por meio da aplicação da alíquota desse imposto relativo a matérias-primas e produtos intermediários adquiridos sobre o valor das embalagens usadas vendidas (item 12 do Parecer ormativo CT n o 311/1971). (Parecer ormativo CT n o 311/1971, item 12) Boletim IOB - Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 PR 1

2 ICM - IPI e Outros 3. HIPÓTEE DE ICIDÊCIA O item 12 do Parecer ormativo CT n o 311/1971 esclarece, ainda, que, se as embalagens não tiverem se tornado impróprias à utilização normal, sendo vendidas para esse fim a industriais ou revendedores (para serem utilizadas como material de embalagem), a sua saída será tributada, e o cálculo será feito com aplicação da alíquota correspondente ao código da Tabela de Incidência do IPI (TIPI) sob o qual se classificam as embalagens vendidas. esse mesmo sentido decidiu o Conselho de Contribuintes do Ministério da Fazenda, por meio do recurso a seguir mencionado: úmero do Recurso: Câmara: PRIMEIRA CÂMARA úmero do Processo: /95-10 Tipo do Recurso: VOLUTÁRIO Matéria: IPI Recorrente: [ ] Recorrida/Interessado: DRJ-FORTALEZA/CE Data da essão: 06/12/ :00:00 Relator: érgio Gomes Velloso Decisão: ACÓRDÃO Resultado: PPU - DADO PROVIMETO PARCIAL POR UAIMIDADE Texto da Decisão: Por unanimidade de votos, deu-se provimento parcial ao recurso, nos termos do voto do relator. Ementa: [ ] UCATA - ÃO CARACTERIZAÇÃO - FALTA DE LAÇAMETO - ão podem ser consideradas sucata as embalagens que não se tornaram impróprias à utilização normal, sendo vendidas para esse fim a industriais ou revendedores. Tais saídas serão tributadas pelo imposto, cujo cálculo far-se-á com aplicação da alíquota correspondente ao código da Tabela de Incidência de IPI, sob o qual se classificam as embalagens usadas. [ ] (Parecer ormativo CT n o 311/1971, item 12) 3.1 Decisão do egundo Conselho de Contribuintes A Terceira Câmara do egundo Conselho de Contribuintes do Ministério da Fazenda, ao julgar recurso interposto por contribuinte, decidiu, por unanimidade de votos, que o IPI incide na saída de bombonas usadas e próprias para uso normal, bem como na saída de refugo plástico resultante do processo produtivo. Para conhecimento, reproduzimos, a seguir, a íntegra da referida decisão (cuja ementa foi publicada no DOU de ): Ministério da Fazenda egundo Conselho de Contribuintes Processo n o : /91-23 essão de: 21 de setembro de 1994 Acórdão n o : Recurso n o : Recorrente: [ ] Recorrida: DRF no Rio de Janeiro - RJ IPI - Bombonas usadas e próprias para uso normal e refugo plástico proveniente do processo produtivo ao serem vendidos devem ser tributados. Recurso negado. Vistos, relatados e discutidos os presentes autos de recurso interposto por [ ] Acordam os Membros da Terceira Câmara do egundo Conselho de Contribuintes, por unanimidade de votos, em negar provimento ao recurso. Ausentes os Conselheiros Tiberany Ferraz dos antos (justificadamente) e ebastião Borges Taquary. ala das essões, em 21 de setembro de Osvaldo José de ouza Presidente Ricardo Leite Rodrigues Relator Maria Vanda Diniz Barreira Procuradora-Representante da Fazenda acional Vista em essão de 26 de janeiro de Participaram, ainda, do presente julgamento, os Conselheiros Maria Thereza Vasconcellos de Almeida, érgio Afanasieff, Mauro Wasilewski e Celso Angelo Lisboa Gallucci. Relatório O presente processo já foi apreciado por esta Câmara, em essão de 08 de julho de 1993, ocasião em que, por unanimidade de votos, foi o julgamento do recurso voluntário convertido em diligência à repartição de origem para que fossem tomadas as seguintes providências: a) anexar aos autos xerox das notas fiscais emitidas nas vendas dos refugos plásticos; b) se tais refugos fazem parte do processo produtivo da empresa. e não, onde a empresa consegue tais refugos?; e c) anexar aos autos xerox das notas fiscais emitidas nas vendas das bombonas. Em atendimento à solicitação feita, foi juntada a documentação de fls. 47 a PR Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 - Boletim IOB

3 ICM - IPI e Outros É o relatório. Voto do Conselheiro-Relator Ricardo Leite Rodrigues A documentação, juntada quando da diligência, em nada favoreceu a Recorrente. As notas fiscais anexadas têm numeração e data diferentes das relacionadas nos Demonstrativos de fls. 08/10 e 13/14, não sendo possível qualquer análise para comprovar os argumentos da defesa. Por outro lado, quando foi solicitada uma explicação a respeito da origem dos refugos plásticos vendidos pela Recorrente, queríamos algo mais consistente do que a argumentação expendida na petição inicial, pois aquela não convencera, já que, pela descrição usada nas notas fiscais citadas nos autos, entende-se que tais refugos são conseqüentes do processo industrial existente na empresa autuada. Finalmente, cabe ressaltar que a legislação aplicada pela fiscalização para cálculo dos juros e correção monetária encontra-se legalmente amparada e, por conseguinte, não foi de encontro ao disposto no art. 144 do CT. Pelo acima exposto, nego provimento ao recurso. ala das essões, 21 de setembro de Ricardo Leite Rodrigues ota O Primeiro, o egundo e o Terceiro Conselho de Contribuintes do Ministério da Fazenda, além da Câmara uperior de Recursos Fiscais, foram unificados em um órgão, denominado Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), com competência para julgar recursos de ofício e voluntários de decisão de primeira instância, bem como recursos especiais, sobre a aplicação da legislação referente a tributos administrados pela ecretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) (Lei n o /2009, art. 49). 4. PRODUTO ADQUIRIDO PARA UO, COUMO OU ATIVO IMOBILIZADO A revenda, por estabelecimento industrial, de embalagens que acondicionaram produtos adquiridos para emprego em suas próprias instalações (uso ou consumo ou Ativo Imobilizado) não está sujeita à incidência do IPI, uma vez que essa operação não configura fato gerador do imposto. Esse foi o entendimento divulgado por meio do Parecer ormativo CT n o 154/1973, cujos principais itens são transcritos a seguir: Parecer ormativo CT n o 154/ IPI Fato gerador Revenda, por estabelecimento industrial, de embalagens que acondicionaram produtos adquiridos para emprego em suas próprias instalações: a saída não é tributada, pois não ocorre o fato gerador. Para emprego nas instalações de seu próprio estabelecimento, empresa industrial adquire - conforme eventuais necessidades - cabos condutores elétricos que lhe são fornecidos em grandes bobinas. Esporadicamente, revende essas bobinas às próprias indústrias fornecedoras, as quais estipulam o preço da operação e refugam as unidades que não estejam em condições de reutilização. Indaga-se se essa revenda está sujeita à incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados, devendo ser esse tributo destacado na nota fiscal que acompanhar a saída, e se pode a empresa revendedora creditar-se do IPI pago na aquisição, crédito que não escritura na entrada dessas mercadorias por não se destinarem as mesmas a consumo no processo produtivo. 2 - [...] 3 - A consulente não consome os condutores elétricos como produtos intermediários de seu processo industrial, mas simplesmente na reposição ou melhoria de suas instalações, e não é fabricante das bobinas em que esses mesmos condutores são acondicionados, não tendo, portanto, relativamente às mesmas, a condição de produtor. Também não se equipara a estabelecimento industrial (na verdade, ela o é, mas com referência a outros produtos), como comerciante de bens de produção, tendo em vista o caráter facultativo dessa equiparação (art. 3 o, 6 o, do RIPI). Assim, [ ] 4 - o caso, inocorre o fato gerador e, em conseqüência, as saídas dessas embalagens, revendidas aos fornecedores dos materiais de que foram continentes, como a outrem, não estão sujeitos ao IPI não havendo, pois, imposto a destacar na nota fiscal, nem razão para cogitar-se do tributo pago na aquisição. 5 - [...] (Parecer ormativo CT n o 154/1973) 5. OTA FICAL as saídas de embalagens usadas, o estabelecimento industrial deve emitir ota Fiscal, modelo 1 ou 1-A, com todos os requisitos normalmente exigidos (inclusive com lançamento do IPI, caso a operação se enquadre na hipótese descrita no item 3), indicando um dos seguintes Códigos Fiscais de Operações e Prestações (CFOP): a) nas operações internas: Vendas de mercadorias adquiridas e/ou recebidas de terceiros ; b) nas operações interestaduais: b.1) destinadas a contribuintes: Vendas de mercadorias adquiridas e/ou recebidas de terceiros ; b.2) destinadas a não contribuintes: Vendas de mercadorias adquiridas e/ou recebidas de terceiros, destinadas a não contribuintes. (Convênio s/n o de , art. 5 o ) Boletim IOB - Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 PR 3

4 ICM - IPI e Outros 5.1 Exemplo A seguir, reproduzimos modelo de nota fiscal de revenda interna de embalagens usadas, sujeita ao IPI. EMITETE Indústria FF Ltda. OTA FICAL º X AÍDA ETRADA LOGOTIPO Rua dos Trilhos nº Curitiba Fone/Fax: Centro PR CEP: ª VIA CPJ DETIATÁRIO/ REMETETE ATUREZA DA OPERAÇÃO Revenda de embalagem usada DETIATÁRIO/REMETETE OME/RAZÃO OCIAL Lua Ind. e Com. de Tecidos Ltda. EDEREÇO Rua Coronel Francisco Leite nº 10 MUICÍPIO ão José dos Pinhais FATURA CFOP IC. ETADUAL DO UBTITUTO TRIBUTÁRIO ICRIÇÃO ETADUAL DATA-LIMITE PARA EMIÃO FOE/FAX BAIRRO/DITRITO Centro UF PR CPJ/CPF CEP ICRIÇÃO ETADUAL DATA DA EMIÃO DATA DA AÍDA/ETRADA HORA DA AÍDA 10h00min DADO DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DECRIÇÃO DO PRODUTO CLAIFICAÇÃO FICAL ITUAÇÃO TRIBUTÁRIA UIDADE QUATIDADE VALOR UITÁRIO VALOR ALÍQUOTA TOTAL ICM IPI VALOR DO IPI Carretel plástico Un , , ,00 CÁLCULO DO IMPOTO BAE DE CÁLCULO DO ICM VALOR DO ICM BAE DE CÁLCULO ICM UBTITUIÇÃO VALOR DO ICM UBTITUIÇÃO VALOR TOTAL DO PRODUTO ,00 VALOR DO FRETE VALOR DO EGURO OUTRA DEPEA ACEÓRIA VALOR TOTAL DO IPI 1.500,00 VALOR TOTAL DA OTA ,00 TRAPORTADOR/VOLUME TRAPORTADO OME/RAZÃO OCIAL FRETE POR COTA PLACA DO VEÍCULO UF CPJ/CPF 1. EMITETE Destinatário 2. DETIATÁRIO P EDEREÇO MUICÍPIO UF ICRIÇÃO ETADUAL P QUATIDADE EPÉCIE MARCA ÚMERO PEO BRUTO PEO LÍQUIDO DADO ADICIOAI Material de embalagem que acondicionou matéria prima adquirida pelo vendedor e que terá a mesma finalidade pelo adquirente. REERVADO AO FICO º DE COTROLE DO FORMULÁRIO DADO DA AIDF E DO IMPREOR RECEBEMO DE (RAZÃO OCIAL DO EMITETE) O PRODUTO COTATE DA OTA FICAL IDICADA AO LADO OTA FICAL DATA DO RECEBIMETO IDETIFICAÇÃO E AIATURA DO RECEBEDOR º PR Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 - Boletim IOB

5 ICM - IPI e Outros Estadual ICM - Microempreendedor individual UMÁRIO 1. Introdução 2. Definição 3. istema de Recolhimento em Valores Fixos Mensais dos Tributos Abrangidos pelo imples acional 4. Créditos do ICM 5. Cadastro de Contribuintes do ICM 6. Documento fiscal 7. Tabela de Código acional de Atividade Econômica 1. ITRODUÇÃO A figura do microempreendedor individual (MEI) foi instituída pela Lei Complementar n o 128/2008. Posteriormente, a Resolução CG n o 58/2009 tratou sobre o assunto no âmbito do imples acional. Essa legislação trouxe benefícios para muitos que trabalhavam na informalidade e não contavam com nenhuma proteção social, exercendo suas funções por conta própria. este procedimento trataremos das disposições abordadas no Regulamento do ICM do Estado do Paraná em relação ao MEI. 2. DEFIIÇÃO O MEI é o empresário individual que atenda cumulativamente às seguintes condições: ota O Código Civil/2002, art. 966, define que é empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou circulação de bens ou serviços. Entretanto, não se considera empresário quem exerce profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, ainda com o concurso de auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constituir elemento de empresa. a) tenha auferido receita bruta acumulada no ano-calendário anterior de até R$ ,00; b) seja optante pelo imples acional; c) exerça somente as atividades relacionadas no item 7; d) possua um único estabelecimento; e) não participe de outra empresa como titular, sócio ou administrador; f) não contrate mais de um empregado, observado o disposto na Resolução CG n o 58/2009, art. 5 o. ota o caso da letra f, o MEI poderá contratar um único empregado que receba exclusivamente 1 salário-mínimo ou o piso salarial da categoria profissional. o caso de início de atividade, o limite de que trata a letra a será de R$ 3.000,00, multiplicados pelo número de meses compreendido entre o início da atividade e o final do respectivo ano-calendário, consideradas as frações de meses como 1 mês inteiro. (RICM-PR/2007, Anexo VIII, art. 14, I a VI; Resolução CG n o 58/2009, art. 1 o, 1 o, e art. 5 o ) 3. ITEMA DE RECOLHIMETO EM VALORE FIXO MEAI DO TRIBUTO ABRAGIDO PELO IMPLE ACIOAL O MEI poderá optar pelo istema de Recolhimento em Valores Fixos Mensais dos Tributos Abrangidos pelo imples acional (imei), efetuando o recolhimento de valor fixo mensal por meio do Documento de Arrecadação do imples acional (DA), independentemente da receita bruta por ele auferida no mês. ota A opção pelo imei importa opção simultânea pelo recolhimento da contribuição para a eguridade ocial, relativa à pessoa do empresário, na qualidade de contribuinte individual. Assim, o optante pelo imei recolherá, por meio do DA, valor fixo mensal correspondente à soma das seguintes parcelas: a) R$ 51,15, a título de contribuição para a eguridade ocial, relativa à pessoa do empresário, na qualidade de contribuinte individual; b) R$ 1,00, a título de ICM, caso seja contribuinte desse imposto; c) R$ 5,00, a título de I, caso seja contribuinte desse imposto. Ademais, o valor a ser pago a título de ICM ou de I será determinado de acordo com os códigos de atividades econômicas previstos na Classificação acional de Atividades Econômicas (CAE), registrados no Cadastro acional de Pessoas Jurídicas (CPJ), observando-se: a) o enquadramento previsto no item 6 a seguir; b) as atividades econômicas constantes do CPJ na 1 a geração do documento de arrecadação relativo ao mês de início do enquadramento no imei ou ao 1 o mês de cada ano-calendário. (RICM-PR/2007, Anexo VIII, art. 16; Resolução CG n o 58/2009, art. 1 o, 5 o e 6 o ) Boletim IOB - Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 PR 5

6 ICM - IPI e Outros 3.1 ão aplicabilidade ao MEI A legislação define que, na vigência da opção pelo imei, não se aplicam ao MEI: a) valores fixos que tenham sido estabelecidos por Estado, município ou Distrito Federal na forma do disposto na Lei Complementar n o 123/2006, art. 18, 18; b) reduções previstas na Lei Complementar n o 123/2006, art. 18, 20, ou qualquer dedução na base de cálculo; c) isenções específicas para as microempresas e empresas de pequeno porte concedidas pelo Estado, município ou Distrito Federal, desde 1 o , que abranjam integralmente a faixa de receita bruta anual de até R$ ,00; d) retenções de I sobre os serviços prestados; e) atribuições da qualidade de substituto tributário. (Resolução CG n o 58/2009, art. 1 o, 3 o ) 4. CRÉDITO DO ICM O MEI optante pelo imei não fará jus à apropriação nem à transferência de créditos do ICM. (RICM-PR/2007, Anexo VIII, art. 16, parágrafo único) 5. CADATRO DE COTRIBUITE DO ICM Em relação ao Cadastro de Contribuinte do ICM (CAD/ICM), o MEI ficará dispensado da inscrição, desde que pratique apenas: a) operações ou prestações de serviço que promover para consumidor final pessoa física; b) operações que promover para pessoa jurídica que emita nota fiscal para documentar a entrada da mercadoria no estabelecimento. Cabe observar que não será concedida inscrição no CAD/ICM ao MEI optante pelo imei. Ademais, o MEI deverá apresentar, sempre que solicitada, documentação comprobatória da sua situação cadastral. (RICM-PR/2007, Anexo VIII, art. 15, parágrafo único, arts. 17 e 18) 6. DOCUMETO FICAL O MEI ficará dispensado da emissão de documento fiscal: a) nas operações ou prestações de serviço que promover para consumidor final pessoa física; b) nas operações que promover para pessoa jurídica que emita nota fiscal para documentar a entrada da mercadoria no estabelecimento. O contribuinte optante pelo imei, quando obrigado a emitir documento fiscal nas operações com mercadorias e nas prestações de serviços realizadas para destinatário cadastrado no CPJ, observado o disposto na letra b, emitirá ota Fiscal Avulsa, na forma estabelecida no subitem 6.1. (RICM-PR/2007, Anexo VIII, art. 15, I e II, art. 18, parágrafo único) 6.1 ota Fiscal Avulsa Eletrônica O contribuinte MEI optante pelo imei, nas operações que promover com pessoa jurídica, poderá emitir a ota Fiscal Avulsa Eletrônica (FA-e), nos termos da orma de Procedimento Fiscal n o 50/2007. Assim, a emissão de FA-e, para o contribuinte MEI, será realizada exclusivamente nas Agências da Receita Estadual (ARE), por auditor fiscal, no ambiente Intranet da ecretaria da Fazenda (efanet). Ademais,o contribuinte MEI deverá apresentar previamente à ARE de seu domicílio tributário o requerimento constante no subitem 6.1.1, devidamente assinado pelo representante legal. ota O requerimento deverá permanecer arquivado na ARE por 6 anos. A ARE emitirá a FA-e com base nos dados apresentados no requerimento, os quais são de exclusiva responsabilidade do signatário. (orma de Procedimento Fiscal CRE n o 29/2010) Modelo do requerimento para emissão de FA-e A seguir, demonstraremos modelo de requerimento para emissão de FA-e. 6 PR Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 - Boletim IOB

7 ICM - IPI e Outros REQUERIMETO PARA EMIÃO DE FA-e (orma de Procedimento Fiscal CRE n o 29/2010, Anexo Único) 6.2 ota Fiscal Eletrônica A legislação estadual define que a obrigatoriedade da emissão da ota Fiscal Eletrônica (F-e) não se aplica ao MEI. (orma de Procedimento Fiscal CRE n o 41/2009, subitem 4.1.6; orma de Procedimento Fiscal CRE n o 95/2009, subitem 4.4) 7. TABELA DE CÓDIGO ACIOAL DE ATIVIDADE ECOÔMICA A seguir, transcreveremos a tabela de códigos da CAE para opção pelo imei. Cabe observar que, na hipótese de qualquer alteração da tabela, seus efeitos vigerão a partir do anocalendário subsequente, observadas as seguintes regras: a) se determinada atividade econômica passar a ser considerada permitida ao imei, o contribuinte que exerça essa atividade poderá optar por tal sistema de recolhimento a partir do ano-calendário seguinte ao da alteração, desde que não incorra em nenhuma das vedações previstas na legislação; b) se determinada atividade econômica deixar de ser considerada como permitida ao imei, o contribuinte optante que exerça essa atividade deverá efetuar a sua exclusão obrigatória do referido sistema, com efeitos para o anocalendário subsequente. Boletim IOB - Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 PR 7

8 ICM - IPI e Outros CÓDIGO PREVITO A CAE PERMITIDO PARA OPÇÃO PELO IMEI OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO DA UBCLAE I ICM ABATEDOR DE AVE /01 ABATE DE AVE ABATEDOR DE AVE COM COMERCIALIZA /00 COMÉRCIO VAREJITA DE HORTIFRUTIGRAJEIRO ÇÃO DO PRODUTO ACABADOR DE CALÇADO /02 ACABAMETO DE CALÇADO DE COURO OB COTRATO AÇOUGUEIRO /01 COMÉRCIO VAREJITA DE CARE - AÇOUGUE ADETRADOR DE AIMAI /03 ALOJAMETO, HIGIEE E EMBELEZAMETO DE AIMAI ADETRADOR DE CÃE DE GUARDA /02 ERVIÇO DE ADETRAMETO DE CÃE DE GUARDA AGETE DE CORREIO FRAQUEADO /02 ATIVIDADE DE FRAQUEADA E PERMIIOÁRIA DO COR- REIO ACIOAL AGETE DE VIAGE /00 AGÊCIA DE VIAGE AGETE FUERÁRIO /04 ERVIÇO DE FUERÁRIA AGETE MATRIMOIAL /02 AGÊCIA MATRIMOIAI ALFAIATE /02 COFECÇÃO, OB MEDIDA, DE PEÇA DO VETUÁRIO, EXCE- TO ROUPA ÍTIMA ALIHADOR DE PEU /04 ERVIÇO DE ALIHAMETO E BALACEAMETO DE VEÍ- CULO AUTOMOTORE AMOLADOR DE ARTIGO DE CUTELARIA /99 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE OUTRO OBJETO E EQUI- PAMETO PEOAI E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE AIMADOR DE FETA /99 OUTRA ATIVIDADE DE RECREAÇÃO E LAZER ÃO EPECIFI- CADA ATERIORMETE ATIQUÁRIO /01 COMÉRCIO VAREJITA DE ATIGUIDADE APLICADOR AGRÍCOLA /01 ERVIÇO DE PULVERIZAÇÃO E COTROLE DE PRAGA AGRÍ- COLA APURADOR, COLETOR E FORECEDOR DE /00 OUTRA ATIVIDADE DE PRETAÇÃO DE ERVIÇO DE IFOR- RECORTE DE MATÉRIA PUBLICADA EM JORAI E REVITA MAÇÃO ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE ARMADOR DE FERRAGE A COTRU /01 ERVIÇO DE COFECÇÃO DE ARMAÇÕE METÁLICA PARA ÇÃO CIVIL A COTRUÇÃO ARQUIVITA DE DOCUMETO /00 ERVIÇO COMBIADO DE ECRITÓRIO E APOIO ADMII- TRATIVO ARTEÃO DE BIJUTERIA /00 FABRICAÇÃO DE BIJUTERIA E ARTEFATO EMELHATE ARTEÃO EM BORRACHA /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE BORRACHA ÃO EPECIFI- CADO ATERIORMETE ARTEÃO EM CERÂMICA /99 FABRICAÇÃO DE PRODUTO CERÂMICO ÃO-REFRATÁRIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO EM CIMETO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO ARTEFATO E PRODUTO DE CO- CRETO, CIMETO, FIBROCIMETO, GEO E MATERIAI E- MELHATE ARTEÃO EM CORTIÇA, BAMBU E AFI /02 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DIVERO DE CORTIÇA, BAMBU, PA- LHA, VIME E OUTRO MATERIAI TRAÇADO, EXCETO MÓVEI ARTEÃO EM COURO /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE COURO ÃO EPECIFICA- DO ATERIORMETE ARTEÃO EM GEO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO ARTEFATO E PRODUTO DE COCRETO, CIMETO, FIBROCIMETO, GEO E MATERIAI EMELHATE ARTEÃO EM LOUÇA, VIDRO E CRITAL /01 DECORAÇÃO, LAPIDAÇÃO, GRAVAÇÃO, VITRIFICAÇÃO E OU- TRO TRABALHO EM CERÂMICA, LOUÇA, VIDRO E CRITAL ARTEÃO EM MADEIRA /01 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DIVERO DE MADEIRA, EXCE- TO MÓVEI ARTEÃO EM MÁRMORE, GRAITO, ARDÓ /03 APARELHAMETO DE PLACA E EXECUÇÃO DE TRABALHO IA E OUTRA PEDRA EM MÁRMORE, GRAITO, ARDÓIA E OUTRA PEDRA ARTEÃO EM METAI /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO PRODUTO DE METAL ÃO EPECI- FICADO ATERIORMETE ARTEÃO EM METAI PRECIOO /02 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE JOALHERIA E OURIVEARIA ARTEÃO EM OUTRO MATERIAI /99 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DIVERO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO EM PAPEL /00 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE PATA CELULÓICA, PA- PEL, CARTOLIA, PAPEL-CARTÃO E PAPELÃO ODULADO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO EM PLÁTICO /99 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE MATERIAL PLÁTICO PARA OUTRO UO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO EM VIDRO /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO DE VIDRO ATRÓLOGO /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO PEOAI ÃO EPECIFI- CADA ATERIORMETE AZULEJITA /05 APLICAÇÃO DE REVETIMETO E DE REIA EM ITERIO- RE E EXTERIORE BALACEADOR DE PEU /04 ERVIÇO DE ALIHAMETO E BALACEAMETO DE VEÍ- CULO AUTOMOTORE 8 PR Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 - Boletim IOB

9 ICM - IPI e Outros OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO DA UBCLAE I ICM BALEIRO /04 COMÉRCIO VAREJITA DE DOCE, BALA, BOMBO E E- MELHATE BAHITA DE AIMAI DOMÉTICO /03 ALOJAMETO, HIGIEE E EMBELEZAMETO DE AIMAI BARBEIRO /01 CABELEIREIRO BARQUEIRO /99 OUTRO TRAPORTE AQUAVIÁRIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE BARRAQUEIRO /00 COMÉRCIO VAREJITA DE MERCADORIA EM GERAL, COM PREDOMIÂCIA DE PRODUTO ALIMETÍCIO - MIIMER- CADO, MERCEARIA E ARMAZÉ BIKEBOY (CICLITA MEAGEIRO) /02 ERVIÇO DE ETREGA RÁPIDA BIKE PROPAGADITA /99 OUTRA ATIVIDADE DE PUBLICIDADE ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE BOLACHEIRO/BICOITEIRO /00 FABRICAÇÃO DE BICOITO E BOLACHA BOMBEIRO HIDRÁULICO /01 ITALAÇÕE HIDRÁULICA, AITÁRIA E DE GÁ BOELEIRO (FABRICATE DE BOÉ) /00 FABRICAÇÃO DE ACEÓRIO DO VETUÁRIO, EXCETO PARA EGURAÇA E PROTEÇÃO BORDADEIRA /99 OUTRO ERVIÇO DE ACABAMETO EM FIO, TECIDO, AR- TEFATO TÊXTEI E PEÇA DO VETUÁRIO BORRACHEIRO /06 ERVIÇO DE BORRACHARIA PARA VEÍCULO AUTOMOTORE BRITADOR /01 BRITAMETO DE PEDRA, EXCETO AOCIADO À EXTRAÇÃO CABELEIREIRO /01 CABELEIREIRO CALAFETADOR /05 APLICAÇÃO DE REVETIMETO E DE REIA EM ITERIO- RE E EXTERIORE CAMIHOEIRO DE CARGA ÃO PERI /02 TRAPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA, EXCETO PRODUTO GOA PERIGOO E MUDAÇA, ITERMUICIPAL, ITERETADU- AL E ITERACIOAL CATOR/MÚICO IDEPEDETE /02 PRODUÇÃO MUICAL CAPOTEIRO /08 ERVIÇO DE CAPOTARIA CARPITEIRO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO ARTIGO DE CARPITARIA PARA COTRUÇÃO CARPITEIRO ITALADOR /02 ITALAÇÃO DE PORTA, JAELA, TETO, DIVIÓRIA E AR- MÁRIO EMBUTIDO DE QUALQUER MATERIAL CARREGADOR (VEÍCULO DE TRAPOR /00 CARGA E DECARGA TE TERRETRE) CARREGADOR DE MALA /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO PEOAI ÃO EPECIFI- CADA ATERIORMETE CARROCEIRO - COLETA DE ETULHO E /00 COLETA DE REÍDUO ÃO-PERIGOO REÍDUO CARROCEIRO - TRAPORTE DE CARGA /01 TRAPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA, EXCETO PRODUTO PERIGOO E MUDAÇA, MUICIPAL CARROCEIRO - TRAPORTE DE MUDAÇA /04 TRAPORTE RODOVIÁRIO DE MUDAÇA CARTAZITA, PITOR DE FAIXA PUBLICI /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO PRETADO PRICIPAL- TÁRIA E DE LETRA METE À EMPREA ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE CHAPELEIRO /00 FABRICAÇÃO DE ACEÓRIO DO VETUÁRIO, EXCETO PARA EGURAÇA E PROTEÇÃO CHAVEIRO /02 CHAVEIRO CHOCOLATEIRO /01 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DERIVADO DO CACAU E DE CHOCOLATE CHURRAQUEIRO AMBULATE /00 ERVIÇO AMBULATE DE ALIMETAÇÃO CHURRAQUEIRO EM DOMICÍLIO /02 ERVIÇO DE ALIMETAÇÃO PARA EVETO E RECEPÇÕE - BUFÊ CLICHERITA /00 ERVIÇO DE PRÉ-IMPREÃO COBRADOR DE DÍVIDA /00 ATIVIDADE DE COBRAÇA E IFORMAÇÕE CADATRAI COLCHOEIRO /00 FABRICAÇÃO DE COLCHÕE COLETOR DE REÍDUO ÃO-PERIGOO /00 COLETA DE REÍDUO ÃO-PERIGOO COLETOR DE REÍDUO PERIGOO /00 COLETA DE REÍDUO PERIGOO COLOCADOR DE PIERCIG /06 ERVIÇO DE TATUAGEM E COLOCAÇÃO DE PIERCIG COLOCADOR DE REVETIMETO /05 APLICAÇÃO DE REVETIMETO E DE REIA EM ITERIO- RE E EXTERIORE COMERCIATE DE IETICIDA E RATICIDA /05 APLICAÇÃO DE REVETIMETO E DE REIA EM ITERIO- RE E EXTERIORE COMERCIATE DE PRODUTO PARA PI /05 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO AEATE DOMIA- CIA COMERCIATE DE AIMAI VIVO E DE ARTIGO E ALIMETO PARA AIMAI DE ETIMAÇÃO ITÁRIO /04 COMÉRCIO VAREJITA DE AIMAI VIVO E DE ARTIGO E ALIMETO PARA AIMAI DE ETIMAÇÃO COMERCIATE DE ARTIGO DE ARMARIHO /02 COMERCIO VAREJITA DE ARTIGO DE ARMARIHO COMERCIATE DE ARTIGO DE BEBÊ /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECI- FICADO ATERIORMETE Boletim IOB - Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 PR 9

10 ICM - IPI e Outros OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO DA UBCLAE I ICM COMERCIATE DE ARTIGO DE CAÇA, /04 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE CAÇA, PECA E CAMPIG PECA E CAMPIG COMERCIATE DE ARTIGO DE CAMA, /03 COMERCIO VAREJITA DE ARTIGO DE CAMA, MEA E BAHO MEA E BAHO COMERCIATE DE ARTIGO DE COLCHOARIA /02 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE COLCHOARIA COMERCIATE DE ARTIGO DE CUTELARIA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO DE UO DOMÉ- TICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ARTIGO DE ILUMIAÇÃO /03 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE ILUMIAÇÃO COMERCIATE DE ARTIGO DE JOALHERIA /01 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE JOALHERIA COMERCIATE DE ARTIGO DE ÓPTICA /00 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE ÓPTICA COMERCIATE DE ARTIGO DE RELOJOARIA /02 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE RELOJOARIA COMERCIATE DE ARTIGO DE TAPEÇA /01 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE TAPEÇARIA, CORTI- RIA, CORTIA E PERIAA A E PERIAA COMERCIATE DE ARTIGO DE VIAGEM /02 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE VIAGEM COMERCIATE DE ARTIGO DO VETUÁ /00 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DO VETUÁRIO E ACE- RIO E ACEÓRIO ÓRIO COMERCIATE DE ARTIGO ERÓTICO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECI- FICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ARTIGO EPORTIVO /02 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO EPORTIVO COMERCIATE DE ARTIGO FOTOGRÁFI /08 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO FOTOGRÁFIO E PARA CO E PARA FILMAGEM FILMAGEM COMERCIATE DE ARTIGO FUERÁRIO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECI- FICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ARTIGO MÉDICO E /00 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO MÉDICO E ORTOPÉDICO ORTOPÉDICO COMERCIATE DE ARTIGO PARA ABITAÇÃO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO DE UO DOMÉ- TICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ARTIGO UADO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO UADO COMERCIATE DE BEBIDA /00 COMÉRCIO VAREJITA DE BEBIDA COMERCIATE DE BICICLETA E TRICI /03 COMÉRCIO VAREJITA DE BICICLETA E TRICICLO; PEÇA E CLO; PEÇA E ACEÓRIO ACEÓRIO COMERCIATE DE BIJUTERIA E ARTEA /01 COMÉRCIO VAREJITA DE UVEIRE, BIJUTERIA E ARTEA- ATO ATO COMERCIATE DE BRIQUEDO E ARTI /01 COMÉRCIO VAREJITA DE BRIQUEDO E ARTIGO RECRE- GO RECREATIVO ATIVO COMERCIATE DE CAL, AREIA, PEDRA /04 COMÉRCIO VAREJITA DE CAL, AREIA, PEDRA BRITADA, TIJO- BRITADA, TIJOLO E TELHA LO E TELHA COMERCIATE DE CALÇADO /01 COMÉRCIO VAREJITA DE CALÇADO COMERCIATE DE CARVÃO E LEHA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECI- FICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE CETA DE CAFÉ DA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO ALIMETÍCIO EM GE- MAHÃ RAL OU EPECIALIZADO EM PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE COMÉTICO E ARTI /00 COMÉRCIO VAREJITA DE COMÉTICO, PRODUTO DE PER- GO DE PERFUMARIA FUMARIA E DE HIGIEE PEOAL COMERCIATE DE DICO, CD, DVD E /00 COMÉRCIO VAREJITA DE DICO, CD, DVD E FITA FITA COMERCIATE DE ELETRODOMÉTICO E /00 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE ELETRODOMÉTI- EQUIPAMETO DE ÁUDIO E VÍDEO CO E EQUIPAMETO DE ÁUDIO E VÍDEO COMERCIATE DE EMBALAGE /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECI- FICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE EQUIPAMETO DE TE /00 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE EQUIPAMETO LEFOIA E COMUICAÇÃO DE TELEFOIA E COMUICAÇÃO COMERCIATE DE EQUIPAMETO E U /01 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE EQUIPAMETO E PRIMETO DE IFORMÁTICA UPRIMETO DE IFORMÁTICA COMERCIATE DE EQUIPAMETO PARA /07 COMÉRCIO VAREJITA DE EQUIPAMETO PARA ECRITÓ- ECRITÓRIO RIO COMERCIATE DE EXTITORE DE I /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECI- CÊDIO FICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE FERRAGE E FERRA /01 COMÉRCIO VAREJITA DE FERRAGE E FERRAMETA META COMERCIATE DE FLORE, PLATA E /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECI- FRUTA, ARTIFICIAI FICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE FOGO DE ARTIFÍCIO /06 COMÉRCIO VAREJITA DE FOGO DE ARTIFÍCIO E ARTIGO PIROTÉCICO COMERCIATE DE GÁ LIQÜEFEITO DE /00 COMÉRCIO VAREJITA DE GÁ LIQÜEFEITO DE PETRÓLEO PETRÓLEO (GLP) COMERCIATE DE ITRUMETO MUI- CAI E ACEÓRIO (GLP) /00 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE ITRUMETO MUICAI E ACEÓRIO 10 PR Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 - Boletim IOB

11 ICM - IPI e Outros OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO DA UBCLAE I ICM COMERCIATE DE LATICÍIO /03 COMÉRCIO VAREJITA DE LATICÍIO E FRIO COMERCIATE DE LUBRIFICATE /00 COMÉRCIO VAREJITA DE LUBRIFICATE COMERCIATE DE MADEIRA E ARTEFATO /02 COMÉRCIO VAREJITA DE MADEIRA E ARTEFATO COMERCIATE DE MATERIAI DE CO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE MATERIAI DE COTRUÇÃO EM TRUÇÃO EM GERAL GERAL COMERCIATE DE MATERIAI HIDRÁULICO /03 COMÉRCIO VAREJITA DE MATERIAI HIDRÁULICO COMERCIATE DE MATERIAL ELÉTRICO /00 COMÉRCIO VAREJITA DE MATERIAL ELÉTRICO COMERCIATE DE MEDICAMETO VETE /04 COMÉRCIO VAREJITA DE MEDICAMETO VETERIÁRIO RIÁRIO COMERCIATE DE MIUDEZA E QUIQUI /02 LOJA DE VARIEDADE, EXCETO LOJA DE DEPARTAMETO LHARIA OU MAGAZIE COMERCIATE DE MOLDURA E QUA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECI- DRO FICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE MÓVEI /01 COMÉRCIO VAREJITA DE MÓVEI COMERCIATE DE OBJETO DE ARTE /03 COMÉRCIO VAREJITA DE OBJETO DE ARTE COMERCIATE DE PEÇA E ACEÓRIO /03 COMÉRCIO A VAREJO DE PEÇA E ACEÓRIO OVO PARA OVO PARA VEÍCULO AUTOMOTORE COMERCIATE DE PEÇA E ACEÓRIO PARA APARELHO ELETROELETRÔICO PARA UO DOMÉTICO VEÍCULO AUTOMOTORE /00 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE PEÇA E ACEÓ- RIO PARA APARELHO ELETROELETRÔICO PARA UO DO- MÉTICO, EXCETO IFORMÁTICA E COMUICAÇÃO COMERCIATE DE PEÇA E ACEÓRIO /05 COMÉRCIO A VAREJO DE PEÇA E ACEÓRIO PARA MOTO- PARA MOTOCICLETA E MOTOETA CICLETA E MOTOETA COMERCIATE DE PEÇA E ACEÓRIO /04 COMÉRCIO A VAREJO DE PEÇA E ACEÓRIO UADO UADO PARA VEÍCULO AUTOMOTORE PARA VEÍCULO AUTOMOTORE COMERCIATE DE PERUCA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECI- FICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE PLATA, FLORE A /02 COMÉRCIO VAREJITA DE PLATA E FLORE ATURAI TURAI, VAO E ADUBO COMERCIATE DE PEUMÁTICO E CÂ /05 COMÉRCIO A VAREJO DE PEUMÁTICO E CÂMARA-DE-AR MARA-DE-AR COMERCIATE DE PRODUTO DE LIMPEZA /05 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO AEATE DOMIA- ITÁRIO COMERCIATE DE PRODUTO DE PAIFI /02 PADARIA E COFEITARIA COM PREDOMIÂCIA DE REVEDA CAÇÃO COMERCIATE DE PRODUTO DE TABACARIA /01 TABACARIA COMERCIATE DE PRODUTO FARMA /03 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO FARMACÊUTICO HO- CÊUTICO HOMEOPÁTICO MEOPÁTICO COMERCIATE DE PRODUTO FARMACÊU /02 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO FARMACÊUTICO, COM TICO, COM MAIPULAÇÃO DE FÓRMULA MAIPULAÇÃO DE FÓRMULA COMERCIATE DE PRODUTO FARMACÊUTI /01 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO FARMACÊUTICO, EM CO, EM MAIPULAÇÃO DE FÓRMULA MAIPULAÇÃO DE FÓRMULA COMERCIATE DE PRODUTO ATURAI /99 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO ALIMETÍCIO EM GE- RAL OU EPECIALIZADO EM PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE PRODUTO PARA FE /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECI- TA E ATAL FICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE PRODUTO RELIGIOO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECI- FICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE REDE PARA DORMIR /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECI- FICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ITEMA DE EGURA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO DE UO DO- ÇA REIDECIAL MÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE TECIDO /01 COMÉRCIO VAREJITA DE TECIDO COMERCIATE DE TITA E MATERIAI /00 COMÉRCIO VAREJITA DE TITA E MATERIAI PARA PITURA PARA PITURA COMERCIATE DE TOLDO E PAPEL DE /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO DE UO DO- PAREDE MÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE VIDRO /00 COMÉRCIO VAREJITA DE VIDRO COMPOTEIRO /00 FABRICAÇÃO DE COERVA DE FRUTA COCRETEIRO /05 PREPARAÇÃO DE MAA DE COCRETO E ARGAMAA PARA COTRUÇÃO COFECCIOADOR DE CARIMBO /02 FABRICAÇÃO DE CAETA, LÁPI E OUTRO ARTIGO PARA ECRITÓRIO COFECCIOADOR DE FRALDA DE /01 FABRICAÇÃO DE FRALDA DECARTÁVEI CARTÁVEI COFEITEIRO /01 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE PAIFICAÇÃO IDUTRIAL COTADOR/TÉCICO COTÁBIL /01 ATIVIDADE DE COTABILIDADE COTUREIRA DE ROUPA, EXCETO OB /01 COFECÇÃO, OB MEDIDA, DE PEÇA DO VETUÁRIO, EXCE- MEDIDA TO ROUPA ÍTIMA Boletim IOB - Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 PR 11

12 ICM - IPI e Outros OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO DA UBCLAE I ICM COTUREIRA DE ROUPA, OB MEDIDA /02 COFECÇÃO, OB MEDIDA, DE PEÇA DO VETUÁRIO, EXCE- TO ROUPA ÍTIMA COVEIRO /03 ERVIÇO DE EPULTAMETO COZIHEIRA QUE FORECE REFEIÇÕE /04 FORECIMETO DE ALIMETO PREPARADO PREPODE- PROTA E EMBALADA PARA COUMO RATEMETE PARA COUMO DOMICILIAR CRIADOR DE AIMAI DOMÉTICO /02 CRIAÇÃO DE AIMAI DE ETIMAÇÃO CRIADOR DE PEIXE ORAMETAI EM /04 CRIAÇÃO DE PEIXE ORAMETAI EM ÁGUA DOCE ÁGUA DOCE CRIADOR DE PEIXE ORAMETAI EM /04 CRIAÇÃO DE PEIXE ORAMETAI EM ÁGUA ALGADA E ÁGUA ALGADA ALOBRA CROCHETEIRA /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO DO VETUÁRIO, PRODUZIDO EM MALHARIA E TRICOTAGE, EXCETO MEIA CUIDADOR DE IDOO E EFERMO /00 ATIVIDADE DE FORECIMETO DE IFRA-ETRUTURA DE APOIO E AITÊCIA A PACIETE O DOMICÍLIO CUHADOR DE MOEDA E MEDALHA /03 CUHAGEM DE MOEDA E MEDALHA CURTIDOR DE COURO /00 CURTIMETO E OUTRA PREPARAÇÕE DE COURO CUTOMIZADOR DE ROUPA /99 OUTRO ERVIÇO DE ACABAMETO EM FIO, TECIDO, AR- TEFATO TÊXTEI E PEÇA DO VETUÁRIO DEDETIZADOR /00 IMUIZAÇÃO E COTROLE DE PRAGA URBAA DEPILADORA /02 ATIVIDADE DE ETÉTICA E OUTRO ERVIÇO DE CUIDA- DO COM A BELEZA DIGITADOR /99 PREPARAÇÃO DE DOCUMETO E ERVIÇO EPECIALIZADO DE APOIO ADMIITRATIVO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE DIC JOCKEY (DJ) OU VIDEO JOCKEY (VJ) /06 ATIVIDADE DE OORIZAÇÃO E DE ILUMIAÇÃO DITRIBUIDOR DE ÁGUA POTÁVEL EM CA /02 DITRIBUIÇÃO DE ÁGUA POR CAMIHÕE MIHÃO PIPA DOCEIRA /04 FORECIMETO DE ALIMETO PREPARADO PREPODE- RATEMETE PARA COUMO DOMICILIAR DUBLADOR /01 ERVIÇO DE DUBLAGEM EDITOR DE JORAI /00 EDIÇÃO DE JORAI EDITOR DE LITA DE DADO E DE OUTRA /00 EDIÇÃO DE CADATRO, LITA E OUTRO PRODUTO GRÁ- IFORMAÇÕE FICO EDITOR DE LIVRO /00 EDIÇÃO DE LIVRO EDITOR DE REVITA /00 EDIÇÃO DE REVITA EDITOR DE VÍDEO /99 ATIVIDADE DE PÓ-PRODUÇÃO CIEMATOGRÁFICA, DE VÍ- DEO E DE PROGRAMA DE TELEVIÃO ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE ELETRICITA DE AUTOMÓVEI /03 ERVIÇO DE MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO ELÉTRICA DE VEÍ- CULO AUTOMOTORE ELETRICITA EM REIDÊCIA E ETABE /00 ITALAÇÃO E MAUTEÇÃO ELÉTRICA LECIMETO COMERCIAI ECADERADOR/PLATIFICADOR /01 ERVIÇO DE ECADERAÇÃO E PLATIFICAÇÃO ECAADOR /01 ITALAÇÕE HIDRÁULICA, AITÁRIA E DE GÁ EGRAXATE /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO PEOAI ÃO EPECIFI- CADA ATERIORMETE ETREGADOR DE MALOTE /01 ERVIÇO DE MALOTE ÃO REALIZADO PELO CORREIO ACIOAL EVAADOR E EMPACOTADOR /00 EVAAMETO E EMPACOTAMETO OB COTRATO ETAMPADOR DE PEÇA DO VETUÁRIO /01 ETAMPARIA E TEXTURIZAÇÃO EM FIO, TECIDO, ARTEFA- TO TÊXTEI E PEÇA DO VETUÁRIO ETETICITA /02 ATIVIDADE DE ETÉTICA E OUTRO ERVIÇO DE CUIDA- DO COM A BELEZA ETETICITA DE AIMAI DOMÉTICO /03 ALOJAMETO, HIGIEE E EMBELEZAMETO DE AIMAI ETOFADOR /05 REPARAÇÃO DE ARTIGO DO MOBILIÁRIO FABRICATE DE ABORVETE HIGIÊICO /02 FABRICAÇÃO DE ABORVETE HIGIÊICO FABRICATE DE AÇÚCAR MACAVO /00 FABRICAÇÃO DE AÇÚCAR EM BRUTO (MACAVO, RAPADURA, MELADO ETC) FABRICATE DE ÁGUA ATURAI /99 FABRICAÇÃO DE OUTRA BEBIDA ÃO-ALCOÓLICA ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE FABRICATE DE ALIMETO PROTO /00 FABRICAÇÃO DE ALIMETO E PRATO PROTO COGELADO FABRICATE DE AMIDO E FÉCULA DE VE /01 FABRICAÇÃO DE AMIDO E FÉCULA DE VEGETAI GETAI FABRICATE DE ARTEFATO DE FUILA /01 PRODUÇÃO DE ARTEFATO ETAMPADO DE METAL RIA FABRICATE DE ARTEFATO ETAMPADO /01 PRODUÇÃO DE ARTEFATO ETAMPADO DE METAL DE METAL FABRICATE DE ARTEFATO PARA PECA /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO PARA PECA E EPORTE E EPORTE 12 PR Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 - Boletim IOB

13 ICM - IPI e Outros OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO DA UBCLAE I ICM FABRICATE DE ARTEFATO TÊXTEI PARA /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO TÊXTEI PARA UO DOMÉTICO UO DOMÉTICO FABRICATE DE ARTIGO DE CUTELARIA /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO DE CUTELARIA FABRICATE DE AVIAMETO PARA COTURA /05 FABRICAÇÃO DE AVIAMETO PARA COTURA FABRICATE DE BALA, COFEITO E /02 FABRICAÇÃO DE FRUTA CRITALIZADA, BALA E EME- FRUTA CRITALIZADA LHATE FABRICATE DE BOLA/BOLEIRO /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO PARA VIAGEM, BOLA E EME- LHATE DE QUALQUER MATERIAL FABRICATE DE BRIQUEDO ÃO ELE /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO BRIQUEDO E JOGO RECREATI- TRÔICO VO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE FABRICATE DE CALÇADO DE BORRA /00 FABRICAÇÃO DE CALÇADO DE MATERIAI ÃO EPECIFICA- CHA, MADEIRA E TECIDO E FIBRA DO ATERIORMETE FABRICATE DE CALÇADO DE COURO /01 FABRICAÇÃO DE CALÇADO DE COURO FABRICATE DE CHÁ /05 FABRICAÇÃO DE PRODUTO PARA IFUÃO (CHÁ, MATE ETC.) FABRICATE DE CITO/CITEIRO /00 FABRICAÇÃO DE ACEÓRIO DO VETUÁRIO, EXCETO PARA EGURAÇA E PROTEÇÃO FABRICATE DE COERVA DE FRUTA /00 FABRICAÇÃO DE COERVA DE FRUTA FABRICATE DE COERVA DE LEGUME /99 FABRICAÇÃO DE COERVA DE LEGUME E OUTRO VEGE- E OUTRO VEGETAI TAI, EXCETO PALMITO FABRICATE DE DEIFETATE /00 FABRICAÇÃO DE DEIFETATE DOMIAITÁRIO FABRICATE DE EMBALAGE DE CARTO /00 FABRICAÇÃO DE EMBALAGE DE CARTOLIA E PAPEL- LIA E PAPEL-CARTÃO CARTÃO FABRICATE DE EMBALAGE DE MA /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE TAOARIA E DE EMBALA- DEIRA GE DE MADEIRA FABRICATE DE EMBALAGE DE PAPEL /00 FABRICAÇÃO DE EMBALAGE DE PAPEL FABRICATE DE EPECIARIA /00 FABRICAÇÃO DE EPECIARIA, MOLHO, TEMPERO E CO- DIMETO FABRICATE DE EQUADRIA METÁLICA /00 FABRICAÇÃO DE EQUADRIA DE METAL FABRICATE DE FIO DE ALGODÃO /00 PREPARAÇÃO E FIAÇÃO DE FIBRA DE ALGODÃO FABRICATE DE FIO DE LIHO, RAMI, /00 PREPARAÇÃO E FIAÇÃO DE FIBRA TÊXTEI ATURAI, EXCE- JUTA, EDA E LÃ TO ALGODÃO FABRICATE DE FUMO E DERIVADO DO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO PRODUTO DO FUMO, EXCETO CI- FUMO GARRO, CIGARRILHA E CHARUTO FABRICATE DE GELÉIA DE MOCOTÓ /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO E- PECIFICADO ATERIORMETE FABRICATE DE GELO COMUM /04 FABRICAÇÃO DE GELO COMUM FABRICATE DE GUARDA-CHUVA E I /01 FABRICAÇÃO DE GUARDA-CHUVA E IMILARE MILARE FABRICATE DE GUARDAAPO E COPO /99 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE PAPEL PARA UO DOMÉTICO E DE PAPEL HIGIÊICO-AITÁRIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE FABRICATE DE ITRUMETO MUICAI /00 FABRICAÇÃO DE ITRUMETO MUICAI, PEÇA E ACE- ÓRIO FABRICATE DE JOGO RECREATIVO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO BRIQUEDO E JOGO RECREA- TIVO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE FABRICATE DE LATICÍIO /00 FABRICAÇÃO DE LATICÍIO FABRICATE DE LETREIRO, PLACA E /03 FABRICAÇÃO DE LETRA, LETREIRO E PLACA DE QUAL- PAIÉI ÃO LUMIOO QUER MATERIAL, EXCETO LUMIOO FABRICATE DE LUMIÁRIA E OUTRO /02 FABRICAÇÃO DE LUMIÁRIA E OUTRO EQUIPAMETO EQUIPAMETO DE ILUMIAÇÃO DE ILUMIAÇÃO FABRICATE DE MALA /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO PARA VIAGEM, BOLA E EME- LHATE DE QUALQUER MATERIAL FABRICATE DE MAA ALIMETÍCIA /00 FABRICAÇÃO DE MAA ALIMETÍCIA FABRICATE DE MEIA /00 FABRICAÇÃO DE MEIA FABRICATE DE MOCHILA E CARTEIRA /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO PARA VIAGEM, BOLA E EME- LHATE DE QUALQUER MATERIAL FABRICATE DE PAIÉI E LETREIRO /04 FABRICAÇÃO DE PAIÉI E LETREIRO LUMIOO LUMIOO FABRICATE DE PÃO DE QUEIJO COGE /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO E- LADO PECIFICADO ATERIORMETE FABRICATE DE PAPEL /00 FABRICAÇÃO DE PAPEL FABRICATE DE PARTE DE PEÇA DO /03 FACÇÃO DE PEÇA DO VETUÁRIO, EXCETO ROUPA Í- VETUÁRIO - FACÇÃO TIMA FABRICATE DE PARTE DE ROUPA ÍTI /02 FACÇÃO DE ROUPA ÍTIMA MA - FACÇÃO FABRICATE DE PARTE DE ROUPA PRO /03 FACÇÃO DE ROUPA PROFIIOAI FIIOAI - FACÇÃO FABRICATE DE PARTE PARA CALÇADO /00 FABRICAÇÃO DE PARTE PARA CALÇADO, DE QUALQUER MATERIAL Boletim IOB - Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 PR 13

14 ICM - IPI e Outros OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO DA UBCLAE I ICM FABRICATE DE PRODUTO DE PERFUMA /00 FABRICAÇÃO DE COMÉTICO, PRODUTO DE PERFUMARIA RIA E DE HIGIEE PEOAL E DE HIGIEE PEOAL FABRICATE DE PRODUTO DE POLIMETO /00 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE LIMPEZA E POLIMETO FABRICATE DE PRODUTO DE OJA /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO E- PECIFICADO ATERIORMETE FABRICATE DE PRODUTO DE TECIDO /02 FABRICAÇÃO DE EQUIPAMETO E ACEÓRIO PARA E- ÃO TECIDO PARA UO ODOTO-MÉDI- CO-HOPITALAR GURAÇA PEOAL E PROFIIOAL FABRICATE DE PRODUTO DERIVADO /01 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE CARE DE CARE FABRICATE DE PRODUTO DERIVADO /02 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DO ARROZ DO ARROZ FABRICATE DE RAPADURA E MELAÇO /00 FABRICAÇÃO DE AÇÚCAR EM BRUTO (MACAVO, RAPADURA, MELADO ETC) FABRICATE DE REFRECO, XAROPE E /03 FABRICAÇÃO DE REFRECO, XAROPE E PÓ PARA REFRE- PÓ PARA REFRECO CO, EXCETO REFRECO DE FRUTA FABRICATE DE ROUPA ÍTIMA /01 COFECÇÃO DE ROUPA ÍTIMA FABRICATE DE ABÕE E DETERGETE /00 FABRICAÇÃO DE ABÕE E DETERGETE ITÉTICO ITÉTICO FABRICATE DE UCO DE FRUTA, HOR /02 FABRICAÇÃO DE UCO DE FRUTA, HORTALIÇA E LEGU- TALIÇA E LEGUME ME, EXCETO COCETRADO FABRICATE DE VELA, ICLUIVE DECO /06 FABRICAÇÃO DE VELA, ICLUIVE DECORATIVA RATIVA FARIHEIRO DE MADIOCA /00 FABRICAÇÃO DE FARIHA DE MADIOCA E DERIVADO FARIHEIRO DE MILHO /00 FABRICAÇÃO DE FARIHA DE MILHO E DERIVADO, EXCETO ÓLEO DE MILHO FERRAMETEIRO /00 FABRICAÇÃO DE FERRAMETA FERREIRO/FORJADOR /00 FABRICAÇÃO DE FERRAMETA FILMADOR /04 FILMAGEM DE FETA E EVETO FORECEDOR DE ALIMETO PREPARA /01 FORECIMETO DE ALIMETO PREPARADO PREPODE- DO PARA EMPREA RATEMETE PARA EMPREA FOEIRO (LIMPADOR DE FOA) /00 ATIVIDADE RELACIOADA A EGOTO, EXCETO A GETÃO DE REDE FOTOCOPIADOR /01 FOTOCÓPIA FOTÓGRAFO /01 ATIVIDADE DE PRODUÇÃO DE FOTOGRAFIA, EXCETO AÉ- REA E UBMARIA FOTÓGRAFO AÉREO /02 ATIVIDADE DE PRODUÇÃO DE FOTOGRAFIA AÉREA E UB- MARIA FOTÓGRAFO UBMARIO /02 ATIVIDADE DE PRODUÇÃO DE FOTOGRAFIA AÉREA E UB- MARIA FUILEIRO/LATEREIRO /02 ERVIÇO DE LATERAGEM OU FUILARIA E PITURA DE VEÍCULO AUTOMOTORE GALVAIZADOR /02 ERVIÇO DE TRATAMETO E REVETIMETO EM METAI GEEIRO /03 OBRA DE ACABAMETO EM GEO E ETUQUE GRAVADOR DE CARIMBO /03 ERVIÇO DE GRAVAÇÃO DE CARIMBO, EXCETO COFECÇÃO GUARDADOR DE MÓVEI /02 GUARDA-MÓVEI GUIA DE TURIMO /00 OPERADORE TURÍTICO GUICHEIRO (REBOQUE DE VEÍCULO) /02 ERVIÇO DE REBOQUE DE VEÍCULO HUMORITA /01 PRODUÇÃO TEATRAL ITALADOR DE ATEA DE TV /00 ITALAÇÃO E MAUTEÇÃO ELÉTRICA ITALADOR DE EQUIPAMETO DE E- GURAÇA DOMICILIAR E EMPREARIAL, EM PRETAÇÃO DE ERVIÇO DE VIGI /00 ITALAÇÃO E MAUTEÇÃO ELÉTRICA LÂCIA E EGURAÇA ITALADOR DE EQUIPAMETO PARA ORIETAÇÃO À AVEGAÇÃO MARÍTIMA, FLUVIAL E LACUTRE /02 ITALAÇÃO DE EQUIPAMETO PARA ORIETAÇÃO À AVE- GAÇÃO MARÍTIMA, FLUVIAL E LACUTRE ITALADOR DE IOLATE ACÚTICO E /05 TRATAMETO TÉRMICO, ACÚTICO OU DE VIBRAÇÃO DE VIBRAÇÃO ITALADOR DE IOLATE TÉRMICO /05 TRATAMETO TÉRMICO, ACÚTICO OU DE VIBRAÇÃO ITALADOR DE MÁQUIA E EQUIPA /00 ITALAÇÃO DE MÁQUIA E EQUIPAMETO IDUTRIAI METO IDUTRIAI ITALADOR DE PAIÉI PUBLICITÁRIO /01 ITALAÇÃO DE PAIÉI PUBLICITÁRIO ITALADOR DE REDE DE COMPUTADO /99 OUTRA ATIVIDADE DE TELECOMUICAÇÕE ÃO EPECI- RE FICADA ATERIORMETE ITALADOR DE ITEMA DE PREVEÇÃO /03 ITALAÇÕE DE ITEMA DE PREVEÇÃO COTRA ICÊ- COTRA ICÊDIO DIO ITALADOR E REPARADOR DE ACEÓ- RIO AUTOMOTIVO /07 ERVIÇO DE ITALAÇÃO, MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE ACEÓRIO PARA VEÍCULO AUTOMOTORE 14 PR Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 - Boletim IOB

15 ICM - IPI e Outros OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO DA UBCLAE I ICM ITALADOR E REPARADOR DE ELEVADO /03 ITALAÇÃO, MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE ELEVADORE, RE, ECADA E ETEIRA ROLATE ECADA E ETEIRA ROLATE ITALADOR E REPARADOR DE ITEMA /02 ITALAÇÃO E MAUTEÇÃO DE ITEMA CETRAI DE AR CETRAI DE AR CODICIOADO, DE VETILAÇÃO E REFRIGERAÇÃO CODICIOADO, DE VETILAÇÃO E REFRIGERAÇÃO ITRUTOR DE ARTE E CULTURA EM GE /99 EIO DE ARTE E CULTURA ÃO EPECIFICADO ATERIOR- RAL METE ITRUTOR DE ARTE CÊICA /02 EIO DE ARTE CÊICA, EXCETO DAÇA ITRUTOR DE CURO GERECIAI /04 TREIAMETO EM DEEVOLVIMETO PROFIIOAL E GE- RECIAL ITRUTOR DE CURO PREPARATÓRIO /05 CURO PREPARATÓRIO PARA COCURO ITRUTOR DE IDIOMA /00 EIO DE IDIOMA ITRUTOR DE IFORMÁTICA /03 TREIAMETO EM IFORMÁTICA ITRUTOR DE MÚICA /03 EIO DE MÚICA JARDIEIRO /00 ATIVIDADE PAIAGÍTICA JORALEIRO /02 COMÉRCIO VAREJITA DE JORAI E REVITA LAPIDADOR /01 LAPIDAÇÃO DE GEMA LAVADEIRA DE ROUPA /01 LAVADERIA LAVADEIRA DE ROUPA PROFIIOAI /03 TOALHEIRO LAVADOR E POLIDOR DE CARRO /05 ERVIÇO DE LAVAGEM, LUBRIFICAÇÃO E POLIMETO DE VEÍCULO AUTOMOTORE LAVADOR DE ETOFADO E OFÁ /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO PEOAI ÃO EPECIFI- CADA ATERIORMETE LIVREIRO /01 COMÉRCIO VAREJITA DE LIVRO LOCADOR DE ADAIME /02 ALUGUEL DE ADAIME LOCADOR DE APARELHO DE JOGO ELE /01 ALUGUEL DE APARELHO DE JOGO ELETRÔICO TRÔICO LOCADOR DE EQUIPAMETO CIETÍ- FICO, MÉDICO E HOPITALARE, EM OPERADOR /02 ALUGUEL DE EQUIPAMETO CIETÍFICO, MÉDICO E HO- PITALARE, EM OPERADOR LOCADOR DE EQUIPAMETO RECREATI /00 ALUGUEL DE EQUIPAMETO RECREATIVO E EPORTIVO VO E EPORTIVO LOCADOR DE FITA DE VÍDEO, DVD E I /00 ALUGUEL DE FITA DE VÍDEO, DVD E IMILARE MILARE LOCADOR DE LIVRO, REVITA, PLATA /99 ALUGUEL DE OUTRO OBJETO PEOAI E DOMÉTICO E FLORE ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE LOCADOR DE EQUIPAMETO MÁQUIA /00 ALUGUEL DE MÁQUIA AGRÍCOLA EM OPERADOR E E AGRÍCOLA EM OPERADOR EQUIPAMETO LOCADOR DE MÁQUIA E EQUIPAME- TO PARA COTRUÇÃO EM OPERADOR, EXCETO ADAIME /01 ALUGUEL DE MÁQUIA E EQUIPAMETO PARA COTRU- ÇÃO EM OPERADOR, EXCETO ADAIME LOCADOR DE MÁQUIA E EQUIPAME /00 ALUGUEL DE MÁQUIA E EQUIPAMETO PARA ECRITÓ- TO PARA ECRITÓRIO RIO LOCADOR DE MATERIAL MÉDICO /03 ALUGUEL DE MATERIAL MÉDICO LOCADOR DE MÓVEI E UTEÍLIO, I /02 ALUGUEL DE MÓVEI, UTEÍLIO E APARELHO DE UO DO- CLUIVE PARA FETA MÉTICO E PEOAL; ITRUMETO MUICAI LOCADOR DE ITRUMETO MUICAI /02 ALUGUEL DE MÓVEI, UTEÍLIO E APARELHO DE UO DO- MÉTICO E PEOAL; ITRUMETO MUICAI LOCADOR DE OBJETO DO VETUÁRIO, /00 ALUGUEL DE OBJETO DO VETUÁRIO, JÓIA E ACEÓ- JÓIA E ACEÓRIO RIO LOCADOR DE OUTRA MÁQUIA E EQUI- PAMETO COMERCIAI E IDUTRIAI ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE, EM OPERADOR /99 ALUGUEL DE OUTRA MÁQUIA E EQUIPAMETO COMER- CIAI E IDUTRIAI ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE, EM OPERADOR LOCADOR DE PALCO, COBERTURA E OUTRA ETRUTURA DE UO TEMPORÁ- RIO, EXCETO ADAIME /03 ALUGUEL DE PALCO, COBERTURA E OUTRA ETRUTURA DE UO TEMPORÁRIO, EXCETO ADAIME LOCUTOR DE MEAGE FOADA E AO /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO PEOAI ÃO EPECIFI- VIVO CADA ATERIORMETE MÁGICO /99 OUTRA ATIVIDADE DE RECREAÇÃO E LAZER ÃO EPECIFI- CADA ATERIORMETE MAICURE/PEDICURE /02 ATIVIDADE DE ETÉTICA E OUTRO ERVIÇO DE CUIDA- DO COM A BELEZA MAQUIADOR /02 ATIVIDADE DE ETÉTICA E OUTRO ERVIÇO DE CUIDA- DO COM A BELEZA MARCEEIRO /00 FABRICAÇÃO DE MÓVEI COM PREDOMIÂCIA DE MADEIRA MARMITEIRO /04 FORECIMETO DE ALIMETO PREPARADO PREPODE- RATEMETE PARA COUMO DOMICILIAR MECÂICO DE MOTOCICLETA E MOTOETA /00 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MOTOCICLETA E MOTOETA Boletim IOB - Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 PR 15

16 ICM - IPI e Outros OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO DA UBCLAE I ICM MECÂICO DE VEÍCULO /01 ERVIÇO DE MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO MECÂICA DE VEÍCULO AUTOMOTORE MERCEEIRO/VEDEIRO /00 COMÉRCIO VAREJITA DE MERCADORIA EM GERAL, COM PREDOMIÂCIA DE PRODUTO ALIMETÍCIO - MIIMER- CADO, MERCEARIA E ARMAZÉ MERGULHADOR (ECAFADRITA) /02 ECAFADRIA E MERGULHO METRE DE OBRA /03 OBRA DE ALVEARIA MOEDEIRO /00 MOAGEM E FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE ORIGEM VEGE- TAL ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE MOTADOR DE MÓVEI /01 ERVIÇO DE MOTAGEM DE MÓVEI DE QUALQUER MATERIAL MOTADOR E ITALADOR DE ITEMA /04 MOTAGEM E ITALAÇÃO DE ITEMA E EQUIPAMETO E EQUIPAMETO DE ILUMIAÇÃO E I- ALIZAÇÃO EM VIA PÚBLICA, PORTO E AEROPORTO DE ILUMIAÇÃO E IALIZAÇÃO EM VIA PÚBLICA, PORTO E AEROPORTO MOTOBOY /02 ERVIÇO DE ETREGA RÁPIDA MOTOTAXITA /01 ERVIÇO DE TÁXI MOVELEIRO /00 FABRICAÇÃO DE MÓVEI DE OUTRO MATERIAI, EXCETO MADEIRA E METAL MOVELEIRO DE MÓVEI METÁLICO /00 FABRICAÇÃO DE MÓVEI COM PREDOMIÂCIA DE METAL OLEIRO /02 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE CERÂMICA E BARRO COZIDO PARA UO A COTRUÇÃO, EXCETO AZULEJO E PIO OPERADOR DE MARKETIG DIRETO /03 MARKETIG DIRETO ORGAIZADOR MUICIPAL DE EXCUR /03 ORGAIZAÇÃO DE EXCURÕE EM VEÍCULO RODOVIÁRIO ÕE EM VEÍCULO PRÓPRIO PRÓPRIO, MUICIPAL OURIVE /06 REPARAÇÃO DE JÓIA PADEIRO /01 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE PAIFICAÇÃO PAFLETEIRO /02 PROMOÇÃO DE VEDA PAPELEIRO /03 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE PAPELARIA PATILHEIRO /05 APLICAÇÃO DE REVETIMETO E DE REIA EM ITERIO- RE E EXTERIORE PEDREIRO /03 OBRA DE ALVEARIA PEIXEIRO /02 PEIXARIA PITOR DE AUTOMÓVEI /02 ERVIÇO DE LATERAGEM OU FUILARIA E PITURA DE VEÍCULO AUTOMOTORE PITOR DE PAREDE /04 ERVIÇO DE PITURA DE EDIFÍCIO EM GERAL PIPOQUEIRO /00 ERVIÇO AMBULATE DE ALIMETAÇÃO PIROTÉCICO /02 FABRICAÇÃO DE ARTIGO PIROTÉCICO PIZZAIOLO EM DOMICÍLIO /02 ERVIÇO DE ALIMETAÇÃO PARA EVETO E RECEPÇÕE - BUFÊ POCEIRO/CITEREIRO/CACIMBEIRO /05 PERFURAÇÃO E COTRUÇÃO DE POÇO DE ÁGUA PRODUTOR DE PEDRA PARA COTRU /02 APARELHAMETO DE PEDRA PARA COTRUÇÃO, EXCETO ÇÃO, ÃO AOCIADA À EXTRAÇÃO AOCIADO À EXTRAÇÃO PROFEOR PARTICULAR /99 OUTRA ATIVIDADE DE EIO ÃO EPECIFICADA ATE- RIORMETE PROMOTOR DE EVETO /01 ERVIÇO DE ORGAIZAÇÃO DE FEIRA, COGREO, EX- POIÇÕE E FETA PROMOTOR DE TURIMO LOCAL /00 ERVIÇO DE REERVA E OUTRO ERVIÇO DE TURIMO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE PROMOTOR DE VEDA /02 PROMOÇÃO DE VEDA PROPRIETÁRIO DE ALBERGUE ÃO AI /01 ALBERGUE, EXCETO AITECIAI TECIAL PROPRIETÁRIO DE BAR E COGÊERE /02 BARE E OUTRO ETABELECIMETO EPECIALIZADO EM ERVIR BEBIDA PROPRIETÁRIO DE CAMPIG /02 CAMPIG PROPRIETÁRIO DE CATIA /03 CATIA - ERVIÇO DE ALIMETAÇÃO PRIVATIVO PROPRIETÁRIO DE CARRO DE OM PARA /99 OUTRA ATIVIDADE DE PUBLICIDADE ÃO EPECIFICADA FI PUBLICITÁRIO ATERIORMETE PROPRIETÁRIO DE CAA DE CHÁ /03 LACHOETE, CAA DE CHÁ, DE UCO E IMILARE PROPRIETÁRIO DE CAA DE UCO /03 LACHOETE, CAA DE CHÁ, DE UCO E IMILARE PROPRIETÁRIO DE CAA DE FETA E /02 CAA DE FETA E EVETO EVETO PROPRIETÁRIO DE ETACIOAMETO DE /00 ETACIOAMETO DE VEÍCULO VEÍCULO PROPRIETÁRIO DE FLIPERAMA /04 EXPLORAÇÃO DE JOGO ELETRÔICO RECREATIVO PROPRIETÁRIO DE HOPEDARIA /99 OUTRO ALOJAMETO ÃO EPECIFICADO ATERIOR- METE PROPRIETÁRIO DE LACHOETE /03 LACHOETE, CAA DE CHÁ, DE UCO E IMILARE PROPRIETÁRIO DE PEÃO /03 PEÕE (ALOJAMETO) PROPRIETÁRIO DE RETAURATE /01 RETAURATE E IMILARE 16 PR Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 - Boletim IOB

17 ICM - IPI e Outros OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO DA UBCLAE I ICM PROPRIETÁRIO DE ALA DE ACEO À I /07 ALA DE ACEO À ITERET TERET PROPRIETÁRIO DE ALÃO DE JOGO DE /03 EXPLORAÇÃO DE JOGO DE IUCA, BILHAR E IMILARE IUCA E BILHAR QUEIJEIRO/MATEIGUEIRO /00 FABRICAÇÃO DE LATICÍIO QUITADEIRO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO ALIMETÍCIO EM GE- RAL OU EPECIALIZADO EM PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE QUITADEIRO AMBULATE /00 ERVIÇO AMBULATE DE ALIMETAÇÃO RECARREGADOR DE CARTUCHO PARA /02 RECARGA DE CARTUCHO PARA EQUIPAMETO DE IFOR- EQUIPAMETO DE IFORMÁTICA MÁTICA RECICLADOR DE BORRACHA, MADEIRA, /99 RECUPERAÇÃO DE MATERIAI ÃO EPECIFICADO ATE- PAPEL E VIDRO RIORMETE RECICLADOR DE MATERIAI METÁLICO, /99 RECUPERAÇÃO DE MATERIAI METÁLICO, EXCETO ALUMÍ- EXCETO ALUMÍIO IO RECICLADOR DE MATERIAI PLÁTICO /00 RECUPERAÇÃO DE MATERIAI PLÁTICO RECICLADOR DE UCATA DE ALUMÍIO /01 RECUPERAÇÃO DE UCATA DE ALUMÍIO REDEIRO /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE CORDOARIA RELOJOEIRO /03 REPARAÇÃO DE RELÓGIO REMOVEDOR E EXUMADOR DE CADÁVER /99 ATIVIDADE FUERÁRIA E ERVIÇO RELACIOADO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE REDEIRA /00 FABRICAÇÃO DE OUTRO PRODUTO TÊXTEI ÃO EPECIFI- CADO ATERIORMETE REPARADOR DE APARELHO E EQUIPA- METO PARA DITRIBUIÇÃO E COTRO- LE DE EERGIA ELÉTRICA /99 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MÁQUIA, APARELHO E MATERIAI ELÉTRICO ÃO EPECIFICADO ATERIOR- METE REPARADOR DE ARTIGO E ACEÓRIO DO VETUÁRIO /99 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE OUTRO OBJETO E EQUI- PAMETO PEOAI E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE REPARADOR DE BALAÇA IDUTRIAI E /10 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MÁQUIA E EQUIPAMETO COMERCIAI PARA UO GERAL ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE REPARADOR DE BATERIA E ACUMULADO /02 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE BATERIA E ACUMULADO- RE ELÉTRICO, EXCETO PARA VEÍCULO RE ELÉTRICO, EXCETO PARA VEÍULO REPARADOR DE BICICLETA /04 REPARAÇÃO DE BICICLETA, TRICICLO E OUTRO VEÍCULO ÃO-MOTORIZADO REPARADOR DE BRIQUEDO /99 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE OUTRO OBJETO E EQUI- PAMETO PEOAI E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE REPARADOR DE CORDA, VELAME E /00 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE EQUIPAMETO E PRODU- LOA TO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE REPARADOR DE EMBARCAÇÕE PARA E /02 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE EMBARCAÇÕE PARA E- PORTE E LAZER PORTE E LAZER REPARADOR DE EQUIPAMETO EPOR /99 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE OUTRO OBJETO E EQUI- TIVO PAMETO PEOAI E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO REPARADOR DE EQUIPAMETO HI- DRÁULICO E PEUMÁTICO, EXCETO VÁLVULA REPARADOR DE EQUIPAMETO MÉDICO- ATERIORMETE /02 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE EQUIPAMETO HIDRÁULI- CO E PEUMÁTICO, EXCETO VÁLVULA /00 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE EQUIPAMETO E PRODU- HOPITALARE ÃO-ELETRÔICO TO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE REPARADOR DE EXTITOR DE ICÊDIO /10 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MÁQUIA E EQUIPAME- TO PARA UO GERAL ÃO EPECIFICADO ATERIOR- METE REPARADOR DE FILTRO IDUTRIAI /10 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MÁQUIA E EQUIPAME- TO PARA UO GERAL ÃO EPECIFICADO ATERIOR- METE REPARADOR DE GERADORE, TRAFOR- MADORE E MOTORE ELÉTRICO /01 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE GERADORE, TRAFOR- MADORE E MOTORE ELÉTRICO REPARADOR DE GUARDA CHUVA E OM /99 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE OUTRO OBJETO E EQUI- BRIHA PAMETO PEOAI E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO REPARADOR DE ITRUMETO MUI- CAI REPARADOR DE MÁQUIA DE ECREVER, CALCULAR E DE OUTRO EQUIPAMETO ÃO-ELETRÔICO PARA ECRITÓRIO REPARADOR DE MÁQUIA E APARELHO DE REFRIGERAÇÃO E VETILAÇÃO PARA UO IDUTRIAL E COMERCIAL ATERIORMETE /99 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE OUTRO OBJETO E EQUI- PAMETO PEOAI E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE /09 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MÁQUIA DE ECREVER, CALCULAR E DE OUTRO EQUIPAMETO ÃO-ELETRÔI- CO PARA ECRITÓRIO /07 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MÁQUIA E APARELHO DE REFRIGERAÇÃO E VETILAÇÃO PARA UO IDUTRIAL E COMERCIA Boletim IOB - Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 PR 17

18 ICM - IPI e Outros OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO DA UBCLAE I ICM REPARADOR DE MÁQUIA E APARELHO /99 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE OUTRA MÁQUIA E EQUI- PARA A IDÚTRIA GRÁFICA PAMETO PARA UO IDUTRIAI ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE REPARADOR DE MÁQUIA E EQUIPAME- TO PARA A IDÚTRIA DA MADEIRA REPARADOR DE MÁQUIA E EQUIPAME- TO PARA A IDÚTRIA TÊXTIL, DO VETU- ÁRIO, DO COURO E CALÇADO /99 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE OUTRA MÁQUIA E EQUI- PAMETO PARA UO IDUTRIAI ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE /20 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MÁQUIA E EQUIPAME- TO PARA A IDÚTRIA TÊXTIL, DO VETUÁRIO, DO COURO E CALÇADO REPARADOR DE MÁQUIA E EQUIPAME- TO PARA AGRICULTURA E PECUÁRIA /11 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MÁQUIA E EQUIPAME- TO PARA AGRICULTURA E PECUÁRIA REPARADOR DE MÁQUIA E EQUIPAME /19 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MÁQUIA E EQUIPAME- TO PARA A IDÚTRIA DE ALIMETO, TO PARA A IDÚTRIA DE ALIMETO, BEBIDA E FUMO BEBIDA E FUMO REPARADOR DE MÁQUIA MOTRIZE /01 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MÁQUIA MOTRIZE ÃO- ÃO-ELÉTRICA ELÉTRICA REPARADOR DE MÁQUIA PARA BARE E /10 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MÁQUIA E EQUIPAME- LACHOETE TO PARA UO GERAL ÃO EPECIFICADO ATERIOR- REPARADOR DE MÁQUIA PARA ECA- DERAÇÃO REPARADOR DE MÁQUIA, APARELHO E EQUIPAMETO PARA ITALAÇÕE TÉR- MICA METE /99 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE OUTRA MÁQUIA E EQUI- PAMETO PARA UO IDUTRIAI ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE /06 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE MÁQUIA, APARELHO E EQUIPAMETO PARA ITALAÇÕE TÉRMICA REPARADOR DE MÓVEI /05 REPARAÇÃO DE ARTIGO DO MOBILIÁRIO REPARADOR DE PAELA (PAELEIRO) /99 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE OUTRO OBJETO E EQUI- PAMETO PEOAI E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE REPARADOR DE TAQUE, REERVATÓ- RIO METÁLICO E CALDEIRA, EXCETO PARA VEÍCULO /00 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE TAQUE, REERVATÓRIO METÁLICO E CALDEIRA, EXCETO PARA VEÍCULO REPARADOR DE TOLDO E PERIAA /05 REPARAÇÃO DE ARTIGO DO MOBILIÁRIO REPARADOR DE TOÉI, BARRI E PALE /00 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE EQUIPAMETO E PRODU- TE DE MADEIRA TO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE REPARADOR DE TRATORE AGRÍCOLA /12 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE TRATORE AGRÍCOLA REPARADOR DE VEÍCULO DE TRAÇÃO /00 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE EQUIPAMETO E PRODU- AIMAL TO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE RETAURADOR DE ITRUMETO MUI /00 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE EQUIPAMETO E PRODU- CAI HITÓRICO TO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE RETAURADOR DE JOGO ACIOADO /00 MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE EQUIPAMETO E PRODU- POR MOEDA TO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE RETAURADOR DE LIVRO /99 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE OUTRO OBJETO E EQUI- PAMETO PEOAI E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE RETAURADOR DE OBRA DE ARTE /02 RETAURAÇÃO DE OBRA DE ARTE RETAURADOR DE PRÉDIO HITÓRICO /02 RETAURAÇÃO E COERVAÇÃO DE LUGARE E PRÉDIO HITÓRICO RETIFICADOR DE MOTORE PARA VEÍ /00 RECODICIOAMETO E RECUPERAÇÃO DE MOTORE PARA CULO AUTOMOTORE VEÍCULO AUTOMOTORE REVELADOR DE FILME FOTOGRÁFICO /03 LABORATÓRIO FOTOGRÁFICO ALGADEIRA /04 FORECIMETO DE ALIMETO PREPARADO PREPODE- RATEMETE PARA COUMO DOMICILIAR ALIEIRO/EXTRATOR DE AL MARIHO /01 EXTRAÇÃO DE AL MARIHO ALICHEIRO/LIGUICEIRO /01 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE CARE APATEIRO /01 REPARAÇÃO DE CALÇADO, BOLA E ARTIGO DE VIAGEM ELEIRO /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE COURO ÃO EPECIFICA- DO ATERIORMETE EPULTADOR /03 ERVIÇO DE EPULTAMETO ERIGRAFITA /99 IMPREÃO DE MATERIAL PARA OUTRO UO ERIGRAFITA PUBLICITÁRIO /01 IMPREÃO DE MATERIAL PARA UO PUBLICITÁRIO ERRALHEIRO /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO DE ERRALHERIA, EXCETO E- QUADRIA ITEQUEIRO /05 APLICAÇÃO DE REVETIMETO E DE REIA EM ITERIO- RE E EXTERIORE OLDADOR/BRAADOR /01 ERVIÇO DE UIAGEM, TOREARIA E OLDA ORVETEIRO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO ALIMETÍCIO EM GE- RAL OU EPECIALIZADO EM PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE 18 PR Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 - Boletim IOB

19 ICM - IPI e Outros OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO DA UBCLAE I ICM ORVETEIRO AMBULATE /00 ERVIÇO AMBULATE DE ALIMETAÇÃO TAOEIRO /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE TAOARIA E DE EMBALA- GE DE MADEIRA TAPECEIRO /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE TAPEÇARIA TATUADOR /06 ERVIÇO DE TATUAGEM E COLOCAÇÃO DE PIERCIG TAXITA /01 ERVIÇO DE TÁXI TECELÃO /00 TECELAGEM DE FIO DE FIBRA TÊXTEI ATURAI, EXCETO ALGODÃO TECELÃO DE ALGODÃO /00 TECELAGEM DE FIO DE ALGODÃO TÉCICO DE MAUTEÇÃO DE COMPU /00 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE COMPUTADORE E DE TADOR EQUIPAMETO PERIFÉRICO TÉCICO DE MAUTEÇÃO DE ELETRO /00 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE EQUIPAMETO ELETROE- DOMÉTICO LETRÔICO DE UO PEOAL E DOMÉTICO TÉCICO DE MAUTEÇÃO DE TELEFO /00 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE EQUIPAMETO DE COMU- IA ICAÇÃO TELHADOR /99 ERVIÇO EPECIALIZADO PARA COTRUÇÃO ÃO EPE- CIFICADO ATERIORMETE TITUREIRO /02 TITURARIA TOREIRO MECÂICO /01 ERVIÇO DE UIAGEM, TOREARIA E OLDA TOADOR DE AIMAI DOMÉTICO /03 ALOJAMETO, HIGIEE E EMBELEZAMETO DE AIMAI TOQUIADOR /02 ERVIÇO DE TOQUIAMETO DE OVIO TRAPORTADOR AQUAVIÁRIO PARA PA /01 TRAPORTE AQUAVIÁRIO PARA PAEIO TURÍTICO EIO TURÍTICO TRAPORTADOR DE ECOLARE /00 TRAPORTE ECOLAR TRAPORTADOR DE MUDAÇA /04 TRAPORTE RODOVIÁRIO DE MUDAÇA TRAPORTADOR MARÍTIMO DE CARGA /01 TRAPORTE MARÍTIMO DE CABOTAGEM - CARGA TRAPORTADOR MUICIPAL DE CARGA /01 TRAPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA, EXCETO PRODUTO ÃO PERIGOA (CARRETO) PERIGOO E MUDAÇA, MUICIPAL TRAPORTADOR MUICIPAL DE PAA /01 TRAPORTE RODOVIÁRIO COLETIVO DE PAAGEIRO, OB GEIRO OB FRETE REGIME DE FRETAMETO, MUICIPAL TRAPORTADOR MUICIPAL DE TRAVE /01 TRAPORTE POR AVEGAÇÃO DE TRAVEIA, MUICIPAL IA POR AVEGAÇÃO TRAPORTADOR MUICIPAL HIDROVIÁ /01 TRAPORTE POR AVEGAÇÃO ITERIOR DE CARGA, MUI- RIO DE CARGA CIPAL, EXCETO TRAVEIA TRICOTEIRA /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO DO VETUÁRIO, PRODUZIDO EM MALHARIA E TRICOTAGE, EXCETO MEIA VAOUREIRO /00 FABRICAÇÃO DE ECOVA, PICÉI E VAOURA VEDEDOR AMBULATE DE PRODUTO /00 ERVIÇO AMBULATE DE ALIMETAÇÃO ALIMETÍCIO VEDEDOR DE AVE VIVA, COELHO E /00 COMÉRCIO VAREJITA DE HORTIFRUTIGRAJEIRO OUTRO PEQUEO AIMAI PARA ALI- METAÇÃO VERDUREIRO /00 COMÉRCIO VAREJITA DE HORTIFRUTIGRAJEIRO VIDRACEIRO DE AUTOMÓVEI /01 ERVIÇO DE MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO MECÂICA DE VEÍCULO AUTOMOTORE VIDRACEIRO DE EDIFICAÇÕE /99 OUTRA OBRA DE ACABAMETO DA COTRUÇÃO VIAGREIRO /01 FABRICAÇÃO DE VIAGRE (Resolução CG n o 58/2009, art. 1 o, 8 o, e Anexo único) IOB Entende ETADUAL I - Emissão de nota fiscal sem ocorrência do fato gerador os termos da Constituição Federal/1988, art. 146, III, cabe a lei complementar estabelecer normas gerais em matéria de legislação tributária, especialmente sobre a definição de tributos e suas espécies, bem como dos respectivos fatos geradores, bases de cálculo e contribuintes, em relação aos impostos nela discriminados. Assim, a Lei Complementar n o 116/2003, art. 1 o (norma federal), dispõe que o Imposto obre erviços de Qualquer atureza (I), de competência dos municípios e do Distrito Federal, tem como fato gerador Boletim IOB - Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 PR 19

20 ICM - IPI e Outros a prestação de serviços listados na legislação, ainda que esses não se constituam como atividade preponderante do prestador. Ademais, a Lei Complementar n o 40/2001, art. 3 o (norma municipal), no mesmo sentido, definiu que se considera ocorrido o fato gerador quando consumada a atividade em que consiste a prestação do serviço. Em linhas gerais, as notas fiscais de prestação de serviço devem ser emitidas depois de consumada a prestação do serviço. o entanto, é muito comum o prestador apresentar a nota fiscal ao usuário a fim de receber remuneração ajustada, antes da ocorrência do fato gerador, antes mesmo da realização da prestação. a adoção, pelo prestador de serviço, desses procedimentos, que na prática são muito utilizados, surgem questionamentos quanto à sua adequação e validade. É importante ressaltar que o fato de o contribuinte emitir o documento fiscal para receber o valor da prestação, ou seja, utilizá-lo única e exclusivamente para fins de cobrança, não caracteriza o fato gerador do imposto. esses casos, entendemos que a ota Fiscal de erviços somente poderá ser emitida por ocasião da efetiva prestação de serviço, não sendo permitida a sua emissão apenas para o recebimento da remuneração ajustada com o tomador. (Constituição Federal/1988, art. 146, III; Lei Complementar n o 116/2003, art. 1 o ; Lei Complementar n o 40/2001, art. 3 o ) IOB Perguntas e Respostas IPI/ZFM - Isenção - Bens de informática 1) Existe isenção para bens de informática industrializados na Zona Franca de Manaus? im. Os produtos do setor de informática fabricados por empresas estabelecidas na Zona Franca de Manaus com projetos aprovados pelo Conselho de Administração da uperintendência da Zona Franca de Manaus (uframa) estão isentos do IPI desde que apliquem, anualmente, parcela de seus recursos em atividades de pesquisa desenvolvida na Amazônia. (RIPI/2010, arts. 81 e 82) imples acional/cálculo - ubstituição tributária - Exclusão da receita 2) Quando se tratar de operação sujeita à substituição tributária, qual o valor a ser considerado para efeito de cálculo dos demais tributos? o cálculo dos tributos devidos pelo regime do imples acional, não serão consideradas na receita de venda ou de revenda de mercadorias as operações sob o regime de substituição tributária. Portanto, o imposto deverá ser calculado com base nas tabelas do imples acional. Do valor total 20 PR Manual de Procedimentos - ov/ Fascículo 46 - Boletim IOB

Resolução CGSN nº 78, de 13 de setembro de 2010

Resolução CGSN nº 78, de 13 de setembro de 2010 Resolução CG nº 78, de 13 de setembro de 2010 DOU de 15.9.2010 O Comitê Gestor do imples acional (CG), no uso das competências que lhe conferem a Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, o Decreto

Leia mais

MEI: SIMPLES NACIONAL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL NOVAS ALTERAÇÕES DA NORMA REGULAMENTADORA PROCEDIMENTO

MEI: SIMPLES NACIONAL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL NOVAS ALTERAÇÕES DA NORMA REGULAMENTADORA PROCEDIMENTO MEI: IMPLE ACIOAL MICROEMPREEDEDOR IDIVIDUAL OVA ALTERAÇÕE DA ORMA REGULAMETADORA PROCEDIMETO Resenha de Matérias Técnicas nº 666 CRC-P Matérias Especiais: UMÁRIO 1. Considerações Iniciais 2. Quem Pode

Leia mais

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2012 SIMPLES NACIONAL

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2012 SIMPLES NACIONAL AO XXIII - 2012-4ª EMAA DE JAEIRO DE 2012 BOLETIM IFORMARE º 04/2012 IMPLE ACIOAL ITEMA DE RECOLHIMETO EM VALORE FIXO MEAI DO TRIBUTO ABRAGIDO PELO IMPLE ACIOAL - IMEI - ORMA GERAI A PARTIR DE 1º DE JAEIRO

Leia mais

ATIVIDADES PERMITIDAS AO MEI. Anexo XIII da Resolução CGSN 94/2011. *

ATIVIDADES PERMITIDAS AO MEI. Anexo XIII da Resolução CGSN 94/2011. * ATIVIDADE PERMITIDA AO MEI Anexo XIII da Resolução CG 94/2011. * OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABATE DE AVE ABATEDOR(A) DE AVE COM COMERCIALIZAÇÃO 4724-5/00 COMÉRCIO

Leia mais

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABATE

Leia mais

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABATE

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACUCO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACUCO GABINETE DO PREFEITO LEI º 490/09 ETADO DO RIO DE JAEIRO PREFEITURA MUICIPAL DE MACUCO GABIETE DO PREFEITO ITITUI A LEI GERAL MUICIPAL DO EMPREEDEDOR IDIVIDUAL, E DÁ OUTRA PROVIDÊCIA. O Prefeito Municipal de Macuco, no uso

Leia mais

Comentários ao Microempreendedor Individual - MEI

Comentários ao Microempreendedor Individual - MEI Comentários ao Microempreendedor Individual - MEI ão temo em dizer que a criação da figura do MEI Microempreendedor Individual foi uma das ideias mais inteligentes surgidas nos últimos tempos. Foi uma

Leia mais

CARTILHA EI EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

CARTILHA EI EMPREENDEDOR INDIVIDUAL CARTILHA EI EMPREEDEDOR IDIVIDUAL Dispõe sobre o empreendedor Individual, no âmbito do imples acional, que produzirá efeitos a partir de 1º de julho de 2009. Instituiu o IMEI, que é o istema de Recolhimento

Leia mais

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. (Aletrado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) (Vide art. 5º da Res. CG nº 104/2012) (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I)

Leia mais

Atividades Permitidas ao MEI

Atividades Permitidas ao MEI Atividades Permitidas ao MEI Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011 - arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I (Alterado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) (Vide art.

Leia mais

Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CNAE DESCRIÇÃO SUBCLASSE CNAE ISS ICMS ABATEDOR(A) DE AVES 1012-1/01 ABATE DE AVES N N

Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CNAE DESCRIÇÃO SUBCLASSE CNAE ISS ICMS ABATEDOR(A) DE AVES 1012-1/01 ABATE DE AVES N N Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. (Alterado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) (Vide art. 5º da Res. CG nº 104/2012) (Alterado pela Resolução CG nº 111, de

Leia mais

OPINIÃO: CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA PATRONAL E SUA INCIDÊNCIA SOBRE SERVIÇOS CONTRATADOS POR INTERMÉDIO DE MEI (MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL)

OPINIÃO: CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA PATRONAL E SUA INCIDÊNCIA SOBRE SERVIÇOS CONTRATADOS POR INTERMÉDIO DE MEI (MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL) OPIIÃO: COTRIBUIÇÃO PREVIDECIÁRIA PATROAL E UA ICIDÊCIA OBRE ERVIÇO COTRATADO POR ITERMÉDIO DE MEI (MICROEMPREEDEDOR IDIVIDUAL) A Receita Federal do Brasil (RFB) e o Conselho Gestor do imples acional (CG)

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTA DO MEI - Microempreendedor Individual atualizado em março de 2012

PERGUNTAS E RESPOSTA DO MEI - Microempreendedor Individual atualizado em março de 2012 PERGUTA E REPOTA DO MEI - Microempreendedor Individual atualizado em março de 2012 1)O que é Microempreendedor Individual? Considera-se MEI o empresário individual a que se refere o art. 966 da Lei nº

Leia mais

CNAES Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem Alfabética

CNAES Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem Alfabética CAE Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem Alfabética ABATEDOR(A) DE AVE COM COMERCIALIZAÇÃO DO PRODUTO Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. Com vigência a

Leia mais

CNAES Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem por CNAE

CNAES Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem por CNAE CAE Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem por CAE Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. Vigência a partir de janeiro de 2012 (Alterado pela Resolução CG nº

Leia mais

pela Resolução CGSN nº 117/2014) 22/12/2014

pela Resolução CGSN nº 117/2014) 22/12/2014 AEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI (Alterado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de (Vide art. 5º da Res. CG nº 104/ (Alterado pela Resolução CG nº 111,

Leia mais

ATIVIDADES GERADORAS E NÃO GERADORAS DE ICMS

ATIVIDADES GERADORAS E NÃO GERADORAS DE ICMS Faça um Curso de Contabilidade Básica e adquira conhecimentos suficientes para cuidar de sua própria empresa Acesse: http://www.cursocerto.net.br ATIVIDADE GERADORA E ÃO GERADORA DE ICM AEXO XIII (arts.

Leia mais

LEGISLAÇÃO CITADA ANEXADA PELA COORDENAÇÃO DE ESTUDOS LEGISLATIVOS CEDI Seção de Legislação Citada - SELEC

LEGISLAÇÃO CITADA ANEXADA PELA COORDENAÇÃO DE ESTUDOS LEGISLATIVOS CEDI Seção de Legislação Citada - SELEC LEGILAÇÃO CITADA AEXADA PELA COORDEAÇÃO DE ETUDO LEGILATIVO CEDI eção de Legislação Citada - ELEC LEI COMPLEMETAR º 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 (Republicada no DOU de 6/3/2012 em atendimento ao disposto

Leia mais

Resolução CGSN nº 58, de 27 de abril de 2009

Resolução CGSN nº 58, de 27 de abril de 2009 Resolução CG nº 58, de 27 de abril de 2009 DOU de 28.4.2009 Dispõe sobre o Microempreendedor Individual MEI no âmbito do imples acional. Alterada pela Resolução CG nº 60, de 22 de junho de 2009. Alterada

Leia mais

ANEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I)

ANEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) AEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI O C U PA Ç Ã O CAE DECRI UBCLAE CAE I ICM ABADOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABA DE AVE ABADOR(A) DE AVE COM CO- 4724-5/00 COMÉRCIO

Leia mais

Manual de Desenvolvimento dos Municípios

Manual de Desenvolvimento dos Municípios 2 Manual de Desenvolvimento dos Municípios 2 a Edição Brasília, 2012. DIRETORIA Presidente da CM Paulo Roberto Ziulkoski Diretor-Presidente do ebrae Luiz Barretto CRÉDITO DA PUBLICAÇÃO Coordenação Augusto

Leia mais

OCUPAÇÃO CNAE DESCRIÇÃO SUBCLASSE CNAE ISS ICMS ABATEDOR(A) DE AVES 1012-1/01 ABATE DE AVES N N ABATEDOR(A) DE AVES COM

OCUPAÇÃO CNAE DESCRIÇÃO SUBCLASSE CNAE ISS ICMS ABATEDOR(A) DE AVES 1012-1/01 ABATE DE AVES N N ABATEDOR(A) DE AVES COM AEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABATE DE AVE ABATEDOR(A) DE AVE COM 4724-5/00 COMÉRCIO

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

Receita Bruta em 12 meses (em Alíquota IRPJ CSLL COFINS P I S / PA S E P CPP ISS

Receita Bruta em 12 meses (em Alíquota IRPJ CSLL COFINS P I S / PA S E P CPP ISS D.440.000,0 a.60.000,00 9,53% 0,4% 0,4%,5% 0,30% 3,57% 3,07% 0,50% D.60.000,0 a.800.000,00 9,6% 0,4% 0,4%,6% 0,30% 3,6% 3,0% 0,50% D.800.000,0 a.980.000,00 0,45% 0,46% 0,46%,38% 0,33% 3,94% 3,38% 0,50%

Leia mais

Receita Federal do Brasil. Lei Complementar 128. Alterações na Legislação Previdenciária

Receita Federal do Brasil. Lei Complementar 128. Alterações na Legislação Previdenciária Lei Complementar 128 Alterações na Legislação Previdenciária Microempreendedor Individual MEI Conceito: É o empresário individual, referido no art. 966 do Novo Código Civil, que tenha auferido receita

Leia mais

IPI ICMS - DF/GO/TO LEGISLAÇÃO - DF LEGISLAÇÃO - TO ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009

IPI ICMS - DF/GO/TO LEGISLAÇÃO - DF LEGISLAÇÃO - TO ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009 ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009 IPI SUSPENSÃO - LEI Nº 10.637/2002 - PROCEDIMENTOS Introdução - Estabelecimentos Com Direito à Suspensão - Preponderância de Faturamento

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0015, DE 13 DE AGOSTO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0015, DE 13 DE AGOSTO DE 2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0015, DE 13 DE AGOSTO DE 2012 Publicada no DOE(Pa) de 14.08.12. Vide IN 16/12, que trata do registro eletrônico de documentos fiscais. Alterada pelas IN 17/12, 03/14, 23/14. Vide

Leia mais

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado RESOLUÇÃO SEFA Nº 145/2015 Publicada no DOE 9428 de 09.04.2015 O SECRETÁRIO DE ESTADO DA FAZENDA, com fundamento nos Ajustes SINIEF 1/2013, 22/2013 e 5/2014; no inciso XIV do art. 45 da Lei n. 8.485, de

Leia mais

( RIPI/2010, art. 43, VII, art. 190, II, art. 191 e art. 497, e RICMS-SP/2000 - Decreto nº 45.490/2000 )

( RIPI/2010, art. 43, VII, art. 190, II, art. 191 e art. 497, e RICMS-SP/2000 - Decreto nº 45.490/2000 ) ICMS/SP - Industrialização - Operações triangulares de industrialização 20 de Agosto de 2010 Em face da publicação do novo Regulamento do IPI, aprovado pelo Decreto nº 7.212/2010, este procedimento foi

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Tributos Microempreendedor Individual (MEI)

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Tributos Microempreendedor Individual (MEI) 04/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Contratação de Empregado... 7 3.2 Cessão ou Locação de Mão-de-Obra... 7

Leia mais

Lei Complementar 123/2006

Lei Complementar 123/2006 Lei Complementar 123/2006 Art. 18-A. O Microempreendedor Individual - MEI poderá optar pelo recolhimento dos impostos e contribuições abrangidos pelo Simples Nacional em valores fixos mensais, independentemente

Leia mais

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Minas Gerais. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Minas Gerais. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas Boletimj Manual de Procedimentos Fascículo N o 33/2014 Minas Gerais // Federal IPI Revenda de embalagens usadas.... 01 // Estadual ICMS Regime especial.... 05 // IOB Setorial Federal Tecnológico - IPI

Leia mais

IPI - Devolução de produtos - Tratamento fiscal

IPI - Devolução de produtos - Tratamento fiscal IPI - Devolução de produtos - Tratamento fiscal Sumário 1. Introdução... 2 2. Devolução por contribuinte do ICMS e/ou do IPI... 3 2.1 Procedimentos do contribuinte que efetuar a devolução... 3 2.1.1 Estorno

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

Acabador de calçados Adestrador de cães de guarda Agente de correio franqueado Agente de viagens Agente funerário Agente matrimonial Antiquário

Acabador de calçados Adestrador de cães de guarda Agente de correio franqueado Agente de viagens Agente funerário Agente matrimonial Antiquário Acabador de calçados Adestrador de cães de guarda Agente de correio franqueado Agente de viagens Agente funerário Agente matrimonial Antiquário Aplicador agrícola Apurador, coletor e fornecedor de recortes

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

Incidência do PIS e da Cofins sobre água, refrigerante e cerveja

Incidência do PIS e da Cofins sobre água, refrigerante e cerveja Confira a incidência do PIS e da Cofins sobre água, refrigerante e cerveja Nesta Orientação examinamos a incidência do PIS/Pasep e da Cofins na comercialização por pessoas jurídicas industriais das bebidas

Leia mais

Convém ressaltar, de início, que o benefício do diferimento não se confunde com a isenção ou com a suspensão do imposto.

Convém ressaltar, de início, que o benefício do diferimento não se confunde com a isenção ou com a suspensão do imposto. ICMS/SP - Diferimento - Tratamento fiscal 6 de Abril de 2010 Em face da publicação do Decreto nº 55.305/2009 - DOE SP de 31.12.2009, este procedimento foi atualizado (tópico 9 - bens do ativo imobilizado

Leia mais

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente 0116-4/99 Cultivo de outras

Leia mais

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014*

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* Estabelece parâmetros para o Licenciamento Ambiental das atividades de comércio atacadista e de confecção e fabricação de produtos têxteis. O SECRETÁRIO

Leia mais

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI?

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI? FAQ -MEI 1. Qual o significado da sigla MEI? R: MEI é a sigla utilizada para Micro Empreendedor Individual 2. Qual é a definição de MEI? R: O MEI é o empresário individual a que se refere o art. 966 do

Leia mais

ANO XXVI - 2015-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2015

ANO XXVI - 2015-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2015 AO XXVI - 2015-2ª EMAA DE JAEIRO DE 2015 BOLETIM IFORMARE º 02/2015 IMPOTO DE REDA PEOA JURÍDICA TAXA DE CÂMBIO PARA ATUALIZAÇÃO DO CRÉDITO E OBRIGAÇÕE EM MOEDA ETRAGEIRA - ATUALIZAÇÃO EM 31.12.2014...

Leia mais

ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO

ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO Sumário 1. Introdução 2. Antecipação tributária 3. Produtos sujeitos - Relação

Leia mais

ICMS Substituição Tributária. Outubro 2004

ICMS Substituição Tributária. Outubro 2004 ICMS Substituição Tributária Conceituação Consiste na alteração do momento do fato gerador, gerando uma antecipação do pagamento do imposto incidente nas operações seguintes. Responsabilidade Tributária

Leia mais

Ocupação CNAE Descrição da Subclasse ISS ICMS. Açougueiro 4722-9/01 Comércio varejista de carnes - açougues N S

Ocupação CNAE Descrição da Subclasse ISS ICMS. Açougueiro 4722-9/01 Comércio varejista de carnes - açougues N S Ocupação CAE Descrição da ubclasse I ICM Açougueiro 4722-9/01 Comércio varejista de carnes - açougues Agente de correio franqueado 5310-5/02 Atividades de franqueadas e permissionárias do Correio acional

Leia mais

PIS/PASEP E COFINS - REGRAS APLICÁVEIS AO REGIME ESPECIAL DE BEBIDAS FRIAS (REFRI)

PIS/PASEP E COFINS - REGRAS APLICÁVEIS AO REGIME ESPECIAL DE BEBIDAS FRIAS (REFRI) PIS/PASEP E COFINS - REGRAS APLICÁVEIS AO REGIME ESPECIAL DE BEBIDAS FRIAS (REFRI) Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 03/09/2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - PREÇO DE REFERÊNCIA 2.1 -

Leia mais

ANEXO II Autorização para geração da NFS-e a partir de 05/01/2015. Descrição do Código CNAE 2.0

ANEXO II Autorização para geração da NFS-e a partir de 05/01/2015. Descrição do Código CNAE 2.0 6201-5/00 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 01.01 6201-5/00 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 01.02 6190-6/01 Provedores de acesso às redes de comunicações

Leia mais

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Bahia. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Bahia. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas Boletimj Manual de Procedimentos Fascículo N o 33/2014 Bahia // Federal IPI Revenda de embalagens usadas... 01 // Estadual ICMS Regime especial de tributação.... 05 // IOB Setorial Federal Tecnológico

Leia mais

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APOSTILA 5 LIVRO V DO RICMS-RJ. Atualizada até o Decreto 44.200 de 13/05/2013

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APOSTILA 5 LIVRO V DO RICMS-RJ. Atualizada até o Decreto 44.200 de 13/05/2013 DECRETO 27.427/00 - RICMS RJ LIVRO V PROF. CLÁUDIO BORBA 1 LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APOSTILA 5 LIVRO V DO RICMS-RJ Atualizada até o Decreto 44.200 de 13/05/2013 PROF. CLÁUDIO BORBA

Leia mais

www.icmspratico.com.br Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Fortaleza, 06/06/14

www.icmspratico.com.br Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Fortaleza, 06/06/14 Fortaleza, 06/06/14 Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Em análise: I C M S Questões Atuais Arquivos Eletrônicos ICMS-ST com Material de Construção ICMS-ST com Supermercado/minimercado/atacadistas

Leia mais

AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES

AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES 1 Entradas de mercadorias de outros Estados sujeitas ao regime da substituição tributária no Rio Grande do Sul ( ICMS ST pago na Entrada ) Procedimentos

Leia mais

Distrito Federal > Novembro/2015

Distrito Federal > Novembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Distrito Federal

Leia mais

TREINAMENTOS ABRACAF MÓDULO 1 PIS / COFINS

TREINAMENTOS ABRACAF MÓDULO 1 PIS / COFINS TREINAMENTOS ABRACAF MÓDULO 1 PIS / COFINS Base Constitucional: PIS E COFINS PIS: Art. 149 e 239 da Constituição Federal COFINS: Art. 195 da Constituição Federal 1 COFINS Art. 195. A seguridade social

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura,

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, exceto morango 0122-9/00 Cultivo de flores e plantas

Leia mais

ICMS/SP - Principais operações - Venda à ordem

ICMS/SP - Principais operações - Venda à ordem ICMS/SP - Principais operações - Venda à ordem Sumário 1. Introdução... 2 2. Operações de venda à ordem - emissão de documentos fiscais... 3 2.1 Procedimentos adotados pelo vendedor remetente (fornecedor)...

Leia mais

2015 INFORMATIVO DECRETO Nº 8.442, DE 29 DE ABRIL DE 2015

2015 INFORMATIVO DECRETO Nº 8.442, DE 29 DE ABRIL DE 2015 DECRETO Nº 8.442, DE 29 DE ABRIL DE 2015 Vigência Regulamenta os art. 14 a art. 36 da Lei nº 13.097, de 19 de janeiro de 2015, que tratam da incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI,

Leia mais

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC)

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) EMPRESA: LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) NOME DO ARQUIVO Existem dois nomes possíveis: um para as notas de saída e outro para as notas de entrada. - Saídas : O nome do arquivo deve

Leia mais

Dispositivos Legais ICMS RJ

Dispositivos Legais ICMS RJ Dispositivos Aplicados na Emissão de Notas Fiscais. NOTAS FISCAIS SAÍDAS NÃO ESPECIFICADAS. Descrição CFOP Tratamento Dispositivos Natureza Operação D.E. F.E EX. ICMS IPI Bases legais Para Constar na Nota

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral Contribuinte, Confira os dados de Identificação da Pessoa Jurídica e, se houver qualquer divergência, providencie junto à RFB a sua atualização cadastral.

Leia mais

Até: Sexta-feira, dia 2 ICMS - Scanc Fato Gerador: Dezembro/2014

Até: Sexta-feira, dia 2 ICMS - Scanc Fato Gerador: Dezembro/2014 Até: Sexta-feira, dia 2 - Scanc Transportador Revendedor Retalhista (TRR) Entrega das informações relativas às operações interestaduais com combustíveis derivados de petróleo ou com álcool etílico carburante

Leia mais

CIRCULAR ICMS / IPI : Atualização / 2003 ( Anula a Anterior) ÍNDICE

CIRCULAR ICMS / IPI : Atualização / 2003 ( Anula a Anterior) ÍNDICE ÁREA FISCAL Escrituração Fiscal. Assessoria geral de escrituração fiscal. Assessoria e atualização das legislações Federal, Estadual e Municipal. Assessoria nas Fiscalizações. CIRCULAR ICMS / IPI : Atualização

Leia mais

OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA 1. OPERAÇÕES INTERNAS 1.1-BASE DE CÁLCULO - OPERAÇÃO INTERNA No RICMS/SP temos as hipóteses de definição da base de cálculo do ICMS-ST

Leia mais

MATERIAL EXTRAIDO DA REVISTA SEMANA COAD Nº 19 PG. 285 / 2009

MATERIAL EXTRAIDO DA REVISTA SEMANA COAD Nº 19 PG. 285 / 2009 MATERIAL EXTRAIDO DA REVISTA SEMANA COAD Nº 19 PG. 285 / 2009 Informativo 19 - Página 285 - Ano 2009 ORIENTAÇÃO MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Opção pelo SIMEI Conheça as condições para recolhimento

Leia mais

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. São Paulo. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. São Paulo. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas Boletimj Manual de Procedimentos Fascículo N o 33/2014 São Paulo // Federal IPI Revenda de embalagens usadas... 01 // Estadual ICMS Regime especial.... 05 // IOB Setorial Federal Tecnológico - IPI - Incentivo

Leia mais

Pergunte à CPA. Simples Nacional Regras Gerais para o ICMS

Pergunte à CPA. Simples Nacional Regras Gerais para o ICMS 1º/08/2014 Pergunte à CPA Simples Nacional Regras Gerais para o ICMS Apresentação: José A. Fogaça Neto Simples Nacional Criado pela Lei Complementar 123/06, reúne oito tributos em um recolhimento unificado

Leia mais

Créditos. a. das aquisições de bens para revenda efetuadas no mês;

Créditos. a. das aquisições de bens para revenda efetuadas no mês; Créditos Dos valores de Contribuição para o PIS/Pasep e Cofins apurados, a pessoa jurídica submetida à incidência não-cumulativa poderá descontar créditos, calculados mediante a aplicação das alíquotas

Leia mais

Microempreendedores. Sem taxas

Microempreendedores. Sem taxas Microempreendedores O Comitê Gestor do Simples Nacional aprovou, no dia 28 de abril de 2009, a formalização dos chamados microempreendedores individuais a partir de julho deste ano. A decisão permitirá

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito diferencial de alíquota no Ativo Imobilizado - SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito diferencial de alíquota no Ativo Imobilizado - SP Crédito 17/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Crédito do ICMS próprio adquirido do Simples Nacional com destino

Leia mais

IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS ASSOCIADOS

IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS ASSOCIADOS UP-TO-DATE. ANO I. NÚMERO 46 IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS Dr. João Inácio Correia (advcor@mandic.com.br)

Leia mais

PARECER Nº. 277/2013/GETRI/CRE/SEFIN Processo nº: 20100060000935

PARECER Nº. 277/2013/GETRI/CRE/SEFIN Processo nº: 20100060000935 Ementa: CONSULTA À LEGISLAÇÃO - TRIBUTAÇÃO DAS OPERAÇÕES DE ARRENDAMENTO MERCANTIL (LEASING) E SEUS PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS RELACIONADOS. 1. Relatório A encaminhou a esta Gerência de Tributação,

Leia mais

Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI

Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI BASE CONSTITUCIONAL E LEGAL Artigo 153, Inciso IV, da Constituição Federal. Decreto 4.544 de 26/12/2002: Regulamento do IPI vigência a partir de 27/12/2002.

Leia mais

Especial Área Fiscal Legislação Tributária do Estado de São Paulo Professor Dermeval Frossard

Especial Área Fiscal Legislação Tributária do Estado de São Paulo Professor Dermeval Frossard 1 O que você aconselha para quem começa agora a se preparar para a área fiscal? É necessário começar a estudar Contabilidade e Direito Tributário, pois sem exceção, estas matérias entram no edital de todos

Leia mais

DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE

DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE 1 SIMPLES NITERÓI. Lei nº 2115 de 22 de dezembro 2003. A Câmara Municipal de Niterói decreta e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei: TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Fica instituído, na forma

Leia mais

Evento Especial Antecipação Tributária Art. 426 A do RICMS. Apresentação: Fernanda Silva Samyr H. M. Qbar

Evento Especial Antecipação Tributária Art. 426 A do RICMS. Apresentação: Fernanda Silva Samyr H. M. Qbar Evento Especial Antecipação Tributária Art. 426 A do RICMS Apresentação: Fernanda Silva Samyr H. M. Qbar 24/09/2014 Substituição Tributária A substituição tributária do ICMS é um regime jurídico em que

Leia mais

MANUAL Processo Simples Nacional

MANUAL Processo Simples Nacional 1. VISÃO GERAL 1.1 OBJETIVOS: Conforme combinação com a Equipe Teorema Joinville teríamos que criar uma tabela de Receitas, uma tabela com as alíquotas por faturamento com data inicial final de validade,

Leia mais

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA Tendo em vista a implantação das Áreas de Livre Comércio de Brasiléia,

Leia mais

Página 1 de 12 Agenda Tributária Emissão: às 14:02h Agenda Tributária (Janeiro de 2014) Obrigações Filtros Aplicados: Agenda: Janeiro/2014 - Estado: São - Cidade: São - Dia Inicial: 1 - Dia Final: 31 Dia

Leia mais

SUBCLASSE (na tabela AÇOUGUEIRO 4722-9/01 COMÉRCIO VAREJISTA DE CARNES - AÇOUGUES

SUBCLASSE (na tabela AÇOUGUEIRO 4722-9/01 COMÉRCIO VAREJISTA DE CARNES - AÇOUGUES DENOMINAÇÃO AÇOUGUEIRO 4722-9/01 COMÉRCIO VAREJISTA DE CARNES - AÇOUGUES ADESTRADOR DE ANIMAIS ALFAIATE 1412-6/02 ALFAIATE QUE REVENDE ARTIGOS LIGADOS À SUA ATIVIDADE 8011-1/02 SERVIÇOS DE ADESTRAMENTO

Leia mais

Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de

Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de comunicação - ICMS BASE CONSTITUCIONAL E LEGAL Artigo 155,

Leia mais

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS DEMONSTRAÇÃO

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS DEMONSTRAÇÃO EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS DEMONSTRAÇÃO Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Autor: Roberto Ferreira de Freitas Data: 21/07/2006 Para toda remessa de demonstração haverá retorno. Quando a remessa

Leia mais

(UTV) = Atividade está dispensada de Consulta Branca, porém é obrigatório Autorização da UTV Unidade de Transportes e Vias Públicas.

(UTV) = Atividade está dispensada de Consulta Branca, porém é obrigatório Autorização da UTV Unidade de Transportes e Vias Públicas. Tabela conforme Anexo XIII da Resolução CGN nº 94, de 29 de novembro de 2011(arts. 91,inciso I e 92, 2º, inciso I), contendo a forma de inscrição/alteração no Município de Joinville, das atividades que

Leia mais

Paulo Caliendo Doutor PUC/SP e Professor PUC/RS

Paulo Caliendo Doutor PUC/SP e Professor PUC/RS Do conceito de insumo e da jurisprudência do CARF relativo aos créditos de PIS e COFINS na sistemática não cumulativa Paulo Caliendo Doutor PUC/SP e Professor PUC/RS CONCEITO CONSTITUCIONAL 12. A lei definirá

Leia mais

Cadeia tributária nacional Exemplo prático. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua

Cadeia tributária nacional Exemplo prático. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua Cadeia tributária nacional Exemplo prático Autor: Ader Fernando Alves de Pádua RESUMO O presente artigo demonstra de forma clara e objetiva as varias fases da cadeia tributária nacional, criando um exemplo

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Rio de Janeiro. Federal/Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Rio de Janeiro. Federal/Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas Boletimj Manual de Procedimentos Fascículo N o 09/2014 Rio de Janeiro // Federal/Estadual ICMS/IPI CFOP e CST.... 01 // IOB Setorial Federal Industrial - IPI - Retorno de industrialização por encomenda

Leia mais

CONTABILIDADE COMERCIAL I PROFESSOR Salomão Dantas Soares APOSTILA 3 Operações Típicas de Empresas Comerciais : Contabilização de Impostos e Taxas

CONTABILIDADE COMERCIAL I PROFESSOR Salomão Dantas Soares APOSTILA 3 Operações Típicas de Empresas Comerciais : Contabilização de Impostos e Taxas CONTABILIDADE COMERCIAL I PROFESSOR Salomão Dantas Soares APOSTILA 3 Operações Típicas de Empresas Comerciais : Contabilização de Impostos e Taxas TURMA: PECC Você estudará, nesta unidade, os principais

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

CRÉDITO ACUMULADO ICMS

CRÉDITO ACUMULADO ICMS CRÉDITO ACUMULADO ICMS Conceito Geração Apropriação Utilização Transferência Artigo 71 - Para efeito deste capítulo, constitui crédito acumulado do imposto o decorrente de : I - aplicação de alíquotas

Leia mais

Palestra. ICMS/SP Substituição Tributária Regime Especial Distribuidor. Apoio: Elaborado por: Giuliano Kessamiguiemon Gioia

Palestra. ICMS/SP Substituição Tributária Regime Especial Distribuidor. Apoio: Elaborado por: Giuliano Kessamiguiemon Gioia Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Pergunte à CPA. Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais

Pergunte à CPA. Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais 03/04/2014 Pergunte à CPA Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais Apresentação: José A. Fogaça Neto Devolução regras gerais Artigo 4º - Para efeito de aplicação da legislação do imposto, considera-se...

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO GETRI

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO GETRI 1 Interessado: 6ª DRRE/ARIQUEMES. EMENTA: Diferencial de alíquota. Bens do ativo fixo. Produtor rural. Leasing. Incidência do ICMS na opção de compra. 1. DO RELATÓRIO: A 6ª DRRE, com suporte no disposto

Leia mais

SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD

SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD Luiz Antonio Baptista da Costa Leite Auditor Fiscal da Fazenda Estadual Coordenação dos Estudos Econômico-Fiscais - COEFI Coordenador dos projetos NF-e, CT-e, EFD

Leia mais

Palestra. ICMS - Substituição Tributária - Atividades Sujeitas ao Regime. Julho 2010. Apoio: Elaborado por:

Palestra. ICMS - Substituição Tributária - Atividades Sujeitas ao Regime. Julho 2010. Apoio: Elaborado por: Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Portanto, não deve o instituto ser utilizado por empresas para a transformação em MEI de pessoas físicas que lhes prestam serviços.

Portanto, não deve o instituto ser utilizado por empresas para a transformação em MEI de pessoas físicas que lhes prestam serviços. O Comitê Gestor do imples acional (CG) aprovou a Resolução CG nº 67, que acrescentou novas ocupações autorizadas a se cadastrarem como Microempreendedores Individuais (MEI). As ocupações que representam

Leia mais

ANEXO I ATIVIDADES PERMITIDAS AO MEI DISPENSADAS DA LICENÇA DE FUNCIONAMENTO;

ANEXO I ATIVIDADES PERMITIDAS AO MEI DISPENSADAS DA LICENÇA DE FUNCIONAMENTO; ANEXO I ATIVIDADES PERMITIDAS AO MEI DISPENSADAS DA LICENÇA DE FUNCIONAMENTO; Subclasse CNAE 2.0 Denominação 0161-0/02 Serviço de poda de árvores para lavouras 0161-0/03 Serviço de preparação de terreno,

Leia mais

DECRETO N 4.282. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, DECRETA:

DECRETO N 4.282. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, DECRETA: DECRETO N 4.282 O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, DECRETA: Art. 1º Ficam introduzidas no Regulamento do ICMS, aprovado

Leia mais

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 Comércio Varejista 2000 Comércio a Varejo e por Atacado de VeículosAutomotores 50 Manutenção e Reparação de VeículosAutomotores

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Alterações da Lei 13.097 de 2015 para Tributação de Bebidas Frias IPI, PIS e COFINS

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Alterações da Lei 13.097 de 2015 para Tributação de Bebidas Frias IPI, PIS e COFINS Alterações da Lei 13.097 de 2015 para Tributação de Bebidas Frias IPI, PIS e COFINS 23/02/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria...

Leia mais