Gestão do clima organizacional - Prof. Ms. Marco A. Arbex

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gestão do clima organizacional - Prof. Ms. Marco A. Arbex"

Transcrição

1 Gestão do clima organizacional: Introdução Prof. Ms. ORGANIZAÇÃO A Organização pode ser definida como a união de pessoas com objetivos em comum. Exemplos de organizações: Escolas Hospitais Família Exército Organizações criminosas EMPRESAS Onde houver uma organização, é necessário haver GESTÃO OU GERENCIAMENTO. ORGANIZAÇÃO Mas o que é gerenciar? Quais etapas devem ser cumpridas para afirmarmos que estamos gerenciando uma organização ou atividade? 1

2 ETAPAS DO CICLO DO GERENCIAMENTO 1) Planejar: definir metas / analisar o contexto em que a empresa está inserida 2) Organizar: estabelecer estratégias / determinar recursos 3) Liderar: integrar, liderar e motivar a equipe / executar planos 4) Controlar: acompanhar a execução / monitorar / realizar ação corretiva ETAPAS DO CICLO DO GERENCIAMENTO ETAPAS DO CICLO DO GERENCIAMENTO Não existe gestão sem passar por todas as etapas descritas anteriormente Exemplo do churrasco: Você vai realizar um churrasco para os amigos. É possível visualizar as 4 etapas do ciclo de gerenciamento nesta atividade? 2

3 ABORDAGEM SISTÊMICA NAS EMPRESAS Assim como no churrasco, o gerenciamento das organizações deve passar por todas as etapas do ciclo. A diferença é que as empresas são sistemas complexos, com muitas partes diferentes e, ao mesmo tempo, interdependentes. Alguém se lembra do que diz a abordagem sistêmica nas empresas? ABORDAGEM SISTÊMICA NAS EMPRESAS As organizações são constituídas por uma complexa combinação de pessoas, procedimentos, tecnologia e outros recursos, interpdendentes, que buscam alcançar objetivos comuns (MYWISEOWL, 2005 apud BARBARÁ, 2008) A empresa deve ser vista como um sistema: aberto (parte de um sistema maior seu ambiente externo) complexo (composto de diversas partes interrelacionadas e interdependentes). ABORDAGEM SISTÊMICA NAS EMPRESAS Assim, a atividade de qualquer setor de uma organização afeta em diferentes graus a atividade de todos os outros setores A organização, portanto, deve ser vista como um conjunto de subsistemas que trabalham de forma coordenada como um único sistema global, para atingir os objetivos do negócio. 3

4 ABORDAGEM SISTÊMICA NAS EMPRESAS Nesse contexto, o componente mais complexo das organizações são as pessoas. Se as empresas fossem formadas apenas por máquinas, a gestão seria muito mais simples. O exemplo pioneiro dessa constatação foi a chamada Experiência de Hawthorne. Alguém se lembra? A EXPERIÊNCIA DE HAWTHORNE A partir da década de 1930, as organizações começaram a sofrer influência das ciências humanas, como sociologia e psicologia. Surge então o movimento das relações humanas, que passou a identificar necessidade sociais e psicológicas do trabalhador, considerando que tais necessidades influenciariam sua produtividade. O trabalhador deixa, portanto, de ser visto como um recurso como outro qualquer. A EXPERIÊNCIA DE HAWTHORNE O principal precursor da escola de relações humanas foi Elton Mayo, que comandou entre meados da década de 1920 e inicio da década de 1930 a chamada experiência de Hawthorne. Ao estudar o impacto das condições físicas de trabalho (iluminação e horários de trabalho) na produtividade dos operários, Mayo detectou que a produtividade se mantinha ou até aumentava, quando a intensidade da luz aumentava demais ou era reduzida abaixo do razoável. 4

5 A EXPERIÊNCIA DE HAWTHORNE Mayo chegou à conclusão que os aumentos de produtividade tinham mais a ver com o espírito de grupo e as relações entre as chefias que com as condições físicas em que se desenvolvia o trabalho. A liderança e motivação dos indivíduos eram as variáveis que melhor explicavam os resultados da sua experiência. Surge o conceito de organizacao informal (agrupamentos sociais na empresa), que até então era ignorado A EXPERIÊNCIA DE HAWTHORNE Estas descobertas revolucionaram o conceito de eficiência organizacional vigente até então, pois começou-se a perceber que as pessoas possuem demandas psicológicas e sociais, e precisam mais do que incentivos salariais para manter-se motivadas. Aspectos como liderança, motivação, cultura organizacional, clima organizacional passam a ganhar espaço na administração. Surge a gestão de recursos humanos (ou gestão de pessoas, como é chamada atualmente) A HUMANIZAÇÃO NA GESTÃO ORGANIZACIONAL 5

6 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL O movimento das relações humanas deu origem, portanto, ao estudo das pessoas nas organizações : o comportamento organizacional O Comportamento Organizacional estuda como as atitudes e percepções das pessoas nas empresas afeta o desempenho destas organizações. O comportamento organizacional inclui tópicos como motivação, liderança, comunicação interpessoal, gestão de grupos, aprendizado, atitudes e percepção, processos de mudanças, administração de conflitos, estresse no trabalho. COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Nesse contexto, os gestores precisam identificar as habilidades e competências que precisam para atingir suas metas, levando em conta a estrutura e os preceitos da organização em que está inserido. Dentro dessa análise que o gestor faz da organização, dois pontos serão destacados aqui: - Cultura organizacional - Clima organizacional CULTURA ORGANIZACIONAL Porque algumas organizações são mais rígidas enquanto outras se mostram como extremamente flexíveis? Por que algumas preferem a hierarquização de praticamente tudo enquanto outras funcionam somente com um mero contrato verbal? Estas e outras questões da mesma natureza podem ser respondidas através de um único conceito: a cultura da organização. 6

7 CULTURA ORGANIZACIONAL Cultura organizacional é um sistema de valores compartilhados pelos seus membros, em todos os níveis, que diferencia uma organização das demais. Em outras palavras, a cultura organizacional representa as normas informais e não escritas que orientam o comportamento dos membros de uma organização no dia-a-dia e que direcionam suas ações para o alcance dos objetivos organizacionais CULTURA ORGANIZACIONAL A cultura organizacional influencia o comportamento de todos os indivíduos e grupos dentro da organização. Ela impacta no cotidiano das empresas: suas decisões, formas de recompensas e punições, formas de relacionamento com parceiros comerciais, estilo de liderança, processo de comunicação, forma como funcionários se vestem e se portam no ambiente de trabalho, padrão arquitetônico, estilo do mobiliário e estilos da propaganda, entre outros aspectos. CULTURA ORGANIZACIONAL A transmissão da Cultura Organizacional ocorre a partir de ensinamentos que passam a literalmente compor o sujeito, e este por sua vez, passa a ser um agente transmissor natural destes preceitos para outros sujeitos. É necessário salientar que a transmissão da Cultura Organizacional não pode ser classificada como perfeita, pois é através da mesma que se criam diferentes culturas e até mesmo movimentos de resistência à preceitos dominantes dentro das organizações. 7

8 Aqui sempre foi assim e sempre será Essa frase indica que nessa empresa há uma cultura organizacional enraizada. Isso é bom? É possível mudar a cultura de uma organização? Se for possível, é desejável? A COMPLEXIDADE DA GESTÃO DA CULTURA ORGANIZACIONAL Fusão entre Casas Bahia e o Grupo Pão de Açucar: qual cultura vai prevalecer? Pão de Açucar: gestão profissionalizada, processos bem estruturados e forte controle sobre custos. Foco nas classes A/B. Casas Bahia: gestão familiar, processos pouco formalizados, forte valorização das pessoas. Foco nas classes C/D. Desafio do Google: crescer sem perder a cultura 8

9 CULTURA ORGANIZACIONAL Cultura organizacional: a experiência com macacos CULTURA ORGANIZACIONAL A revitalização e a inovação são fatores importantes para as empresas, e de certo modo só se consegue isso mudando a cultura da organização. Pode-se dizer, portanto, que o administrador de qualquer organização tem que ser um agente flexível, atento a mudanças, que saiba superar resistências e consiga criar no sistema que opera uma cultura organizacional. CULTURA E CLIMA ORGANIZACIONAL Cultura organizacional e clima organizacional são conceitos complementares. A diferença é que cultura é mais duradoura e o clima é mais momentâneo. Ou seja, enquanto a cultura é enraizada e raramente muda, o clima pode mudar rapidamente. Além disso, muitos autores afirmar que a cultura organizacional apresenta forte influência sobre o clima. 9

10 CLIMA ORGANIZACIONAL Há consenso no meio empresarial de que empregados satisfeitos produzem mais e, consequentemente, alavancam os resultados da empresa. Sabemos que há um amplo leque de motivos que provocam satisfação ou frustração no trabalho. Entre estes, podemos citar a política salarial, os benefícios, a possibilidade de crescimento na empresa, o reconhecimento pelo trabalho. A motivação dos colaboradores tende a refletir em vários aspectos na empresa, inclusive no clima organizacional. Os seis processos da gestão de pessoas (CHIAVENATO) Foco da disicplina CLIMA ORGANIZACIONAL O clima organizacional está intimamente relacionado com o grau de motivação na organização. Quando há elevada motivação, o clima motivacional se traduz em relações de satisfação, de animação, interesse, colaboração, etc. Quando há baixa motivação, o clima organizacional tende a se caracterizar por estados de insatisfação, desinteresse, apatia, agressividade. 10

11 Mas o que motiva as pessoas? CLIMA ORGANIZACIONAL Em síntese, o clima organizacional pode ser entendido como a expressão dos sentimentos dos empregados diante dos valores e políticas, das práticas de gestão, do relacionamento com os colegas, da postura da empresa ao estabelecer metas e retribuir pelo alcance delas. O clima influencia diretamente a produtividade do indivíduo e, consequentemente da empresa. Assim sendo, os gestores devem criar um ambiente e condições que gerem motivação e interesse nos colaboradores a fim de manter o clima favorável. CLIMA ORGANIZACIONAL O clima pode ser diretamente influenciado pela cultura da empresa. Porém, enquanto a cultura é mais perene, o clima se altera quando as condições mudam Clima no Palmeiras hoje? Ruim Pode melhorar logo? Sim. Basta ganhar um campeonato. E a cultura? A eleição da nova presidência é um sinal de que o clube está tentando mudar a cultura. Mas é um processo lento e de difícil previsão. 11

12 Textos base: CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas. Rio De Janeiro; Elsevier, LUZ, Ricardo. Gestão do clima organizacional. São Paulo: Qualitymark, MEGGINSON, Leon C.; MOSLEY, Donald C.; PIETRI Jr., Paul H. Administração. São Paulo : Harbra,

Gestão do clima organizacional: Introdução

Gestão do clima organizacional: Introdução ORGANIZAÇÃO Gestão do clima organizacional: Introdução Prof. Ms. Marco A. Arbex A Organização pode ser definida como a união de pessoas com objetivos em comum. Exemplos de organizações: Escolas Hospitais

Leia mais

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Prof. Ms. Marco A. Arbex marco.arbex@fatecourinhos.edu.br Introdução ARH (Administração de Recursos Humanos) é a função na organização que está relacionada

Leia mais

PARTE 1: INTRODUÇÃO. Gestão do clima organizacional. Prof. Ms. Marco A. Arbex ORGANIZAÇÃO

PARTE 1: INTRODUÇÃO. Gestão do clima organizacional. Prof. Ms. Marco A. Arbex ORGANIZAÇÃO Gestão do clima organizacional PARTE 1: INTRODUÇÃO Prof. Ms. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br ORGANIZAÇÃO A Organização pode ser definida como a união de pessoas com objetivos em comum. Exemplos

Leia mais

Administração Interdisciplinar

Administração Interdisciplinar Administração Interdisciplinar 21/9/2015 Rosely Gaeta Revisão Fundamentos da Administração Introdução àadministração e às organizações Fonte: Felipe Sobral Alketa Peci - Teoria e Prática no Contexto Brasileiro

Leia mais

PSICOLOGIA. Profª Tassiany Maressa Santos Aguiar

PSICOLOGIA. Profª Tassiany Maressa Santos Aguiar PSICOLOGIA Profª Tassiany Maressa Santos Aguiar 1º Semestre de 2016 PLANEJAMENTO DO MÓDULO 2 AULA / DATA 12ª Aula (25.04.16) 13ª Aula (02.05.16) 14ª Aula (09.05.16) 15ª Aula (16.05.16) 16ª Aula (23.05.16)

Leia mais

Escola de Relações Humanas e o Comportamento nas Organizações

Escola de Relações Humanas e o Comportamento nas Organizações Escola de Relações Humanas e o Comportamento nas Organizações Aulas 6 e 7 EAD-610 2017 1 SUMÁRIO Contextualizando A Escola de Relações Humanas Elton Mayo e o efeito Hawthorne Conceitos relacionados: Motivação:

Leia mais

MOTIVAÇÃO HUMANA. Compreendendo as forças que movem o Comportamento Humano

MOTIVAÇÃO HUMANA. Compreendendo as forças que movem o Comportamento Humano MOTIVAÇÃO HUMANA Compreendendo as forças que movem o Comportamento Humano Por que as pessoas se comportam de certos modos? Qual a empresa que não quer ter em seus quadros pessoas altamente motivadas e

Leia mais

O Desafio do gestor em desenvolver uma equipe

O Desafio do gestor em desenvolver uma equipe O Desafio do gestor em desenvolver uma equipe Guilherme Mendonça MENDONÇA 1 Jair Junior Pinheiro NATEL 2 Priscila silva DORNELAS Andrea Marcia Pennacchi MARCONDES 3 RESUMO: Este artigo analisa algumas

Leia mais

Desafio: Administração Geral - Parte I

Desafio: Administração Geral - Parte I Desafio: Administração Geral - Parte I 1. Em uma organização, os líderes podem possuir diferentes perfis ou estilos. Qual o estilo em que a liderança ocorre quando o colaborador necessita aprender a tarefa

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS. PROJEÇÕES DAS AULAS Professora: SIMONE

GESTÃO DE PESSOAS. PROJEÇÕES DAS AULAS Professora: SIMONE GESTÃO DE PESSOAS PROJEÇÕES DAS AULAS Professora: SIMONE BIBLIOGRAFIA BÁSICA CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Campus, 2006.

Leia mais

Capítulo 1. Introdução à administração e às organizações. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro 2008 Pearson Prentice Hall

Capítulo 1. Introdução à administração e às organizações. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro 2008 Pearson Prentice Hall Capítulo 1 Introdução à administração e às organizações Conteúdo do capítulo Introdução à administração e às organizações As organizações e a administração O processo de administração As áreas funcionais

Leia mais

Anotações LIDERANÇA - MÓDULO 2 ESCOLA DAS RELAÇÕES HUMANAS

Anotações LIDERANÇA - MÓDULO 2 ESCOLA DAS RELAÇÕES HUMANAS ESCOLA DAS RELAÇÕES HUMANAS Em 1924, especialistas em eficiência da empresa Western Electric Company, em Hawthorne, Estados Unidos, iniciaram uma pesquisa que tinha por objetivo estudar os efeitos das

Leia mais

MBA em Gerenciamento de Projetos. Teoria Geral do Planejamento. Professora: Maria Erileuza do Nascimento de Paula

MBA em Gerenciamento de Projetos. Teoria Geral do Planejamento. Professora: Maria Erileuza do Nascimento de Paula MBA em Gerenciamento de Projetos Teoria Geral do Planejamento Professora: Maria Erileuza do Nascimento de Paula SOBRAL - CE 2014 O que é Planejamento É um processo contínuo e dinâmico que consiste em um

Leia mais

PORTFÓLIO DE SERVIÇOS

PORTFÓLIO DE SERVIÇOS PORTFÓLIO DE SERVIÇOS PORTFÓLIO DE SERVIÇOS Ana Paula Lima Coaching, Consultoria e Palestras é uma empresa especializada em Gestão de Pessoas, que visa identificar o potencial humano e desenvolvê-lo através

Leia mais

Núcleo de Materiais Didáticos

Núcleo de Materiais Didáticos Gestão de Talentos e Mapeamento por Aula 4 Prof a Cláudia Patrícia Garcia Aula 4 - Gestão por claudiagarcia@grupouninter.com.br MBA em Gestão de Recursos Humanos Lembrando... A gestão por competências

Leia mais

IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE

IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE 18 e 19 de março de 2011 RECIFE/PE A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO COM PESSOAS PARA O SUCESSO NA IMPLANTAÇÃO DO MODELO DE GESTÃO Ana Paula Penido

Leia mais

Palestrante Motivacional, Dinâmico e Inusitado

Palestrante Motivacional, Dinâmico e Inusitado APRESENTAÇÃO COMERCIAL Palestrante Motivacional, Dinâmico e Inusitado Garanta o sucesso do seu evento com o palestrante que já faz sucesso no mercado! Quem é Palestrante Motivacional há mais de 07 anos,

Leia mais

Introdução aos Princípios da Gestão Empresarial

Introdução aos Princípios da Gestão Empresarial Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Unidade Curricular Gestão Empresarial ADS 2 M/N Introdução aos Princípios da Gestão Empresarial

Leia mais

POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS CONHECENDO UM POUCO MAIS...

POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS CONHECENDO UM POUCO MAIS... POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS CONHECENDO UM POUCO MAIS... As avaliações e premiações são consideradas salários indiretos que tem como principal objetivo motivar, reter e consequentemente garantir bons

Leia mais

Cada criatura é um rascunho,a ser retocado sem cessar..." Guimarães Rosa

Cada criatura é um rascunho,a ser retocado sem cessar... Guimarães Rosa Clima organizacional Cada criatura é um rascunho,a ser retocado sem cessar..." Guimarães Rosa Conceitos básicos Clima Organizacional é o potencial de energia disponível para alavancar resultados. Perfil

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS. Gestão de Pessoas. Gestão de Pessoas

GESTÃO DE PESSOAS. Gestão de Pessoas. Gestão de Pessoas GESTÃO DE PESSOAS Gestão de Pessoas Prof. Dr. Roberto Coda 1 Gestão de Pessoas O B J E T I V O S FORNECER COMPREENSÃO AMPLA DOS TEMAS MOTIVAÇÃO E LIDERANÇA COMO CONDICIONANTES DO PAPEL GERENCIAL APRESENTAR

Leia mais

Palavras-chave: Organização sem fins lucrativos. Administrador de organização sem fins lucrativos. Terceiro setor.

Palavras-chave: Organização sem fins lucrativos. Administrador de organização sem fins lucrativos. Terceiro setor. O ADMINISTRADOR DE ORGANIZAÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS Marcileia Costa dos Santos* RESUMO O Terceiro Setor compreende Organizações Sem Fins Lucrativos que buscam promover o bem estar social e mudanças na

Leia mais

Aula 2 Abordagem Humanística da Administração (Teoria das Relações Humanas)

Aula 2 Abordagem Humanística da Administração (Teoria das Relações Humanas) Aula 2 Abordagem Humanística da Administração (Teoria das Relações Humanas) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Graduada em Administração

Leia mais

A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua;

A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua; QUEM SOMOS A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua; Especializada em Vida e Previdência, possui portfólio completo para assegurar nossos clientes e seus familiares dos

Leia mais

Aula 5. Abordagem Humanística da Administração (Teoria das Relações Humanas)

Aula 5. Abordagem Humanística da Administração (Teoria das Relações Humanas) Aula 5 Abordagem Humanística da Administração (Teoria das Relações Humanas) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Graduada em Administração

Leia mais

A motivação como fator importante para o alcance dos objetivos da empresa

A motivação como fator importante para o alcance dos objetivos da empresa A motivação como fator importante para o alcance dos objetivos da empresa INTRODUÇÃO Com o avanço da ciência, da tecnologia e a dinamicidade com que o mundo dos negócios muda, há uma necessidade de maior

Leia mais

Governança Corporativa de Empresas Familiares. Migrando do Conselho para os níveis operacionais

Governança Corporativa de Empresas Familiares. Migrando do Conselho para os níveis operacionais Governança Corporativa de Empresas Familiares Migrando do Conselho para os níveis operacionais O que é "empresa familiar"? A família detém o controle societário Empresas Familiares no Mundo Fonte: Consultoria

Leia mais

TOTAL GERAL 1.000 ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO (OPTATIVA)

TOTAL GERAL 1.000 ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO (OPTATIVA) ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO EM RECURSOS HUMANOS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DC 4021 19/12/2013 Rev. 01 1. Dados Legais Autorizado pelo Parecer 469 de 24/11/2009. DECRETO No 2.929, de 21 de dezembro de

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

RAMO DE AUTOMÓVEIS EM PALMAS-TO

RAMO DE AUTOMÓVEIS EM PALMAS-TO RAMO DE AUTOMÓVEIS EM PALMAS-TO 1 2 3 6 Resumo Este trabalho busca estudar um dos mais complexos elementos do comportamento seja na cultura, crença, classe social entre outros, o clima organizacional analisa

Leia mais

Administração Pública

Administração Pública Administração Pública Abordagem Humanística Professor Rafael Ravazolo www.acasadoconcurseiro.com.br Administração Pública 1. ABORDAGEM HUMANÍSTICA O tema central da escola das relaço es humanas no trabalho

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA GESTÃO SECRETARIAL. Palestrante Márcia Siqueira

COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA GESTÃO SECRETARIAL. Palestrante Márcia Siqueira COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA GESTÃO SECRETARIAL Palestrante Márcia Siqueira Proposta 1. Refletir sobre as competências profissionais que contribuirão para solidificação da identidade, fortalecimento e continuidade

Leia mais

BUSCA DE FIDELIZACÃO DOS CLIENTES ATRAVES DA QUALIDADE NO ATENDIMENTO

BUSCA DE FIDELIZACÃO DOS CLIENTES ATRAVES DA QUALIDADE NO ATENDIMENTO BUSCA DE FIDELIZACÃO DOS CLIENTES ATRAVES DA QUALIDADE NO ATENDIMENTO Taynná BECKER 1 Priscila GUIDINI 2 RESUMO: O artigo apresenta a importância da fidelização de clientes para as empresas, e como a qualidade

Leia mais

PPODE - ESTRATÉGICO. Slide 1 BALANCED SCORECARD CRESCIMENTO PRODUTIVIDADE MAIS RESULTADOS. Ms. RICARDO RESENDE DIAS

PPODE - ESTRATÉGICO. Slide 1 BALANCED SCORECARD CRESCIMENTO PRODUTIVIDADE MAIS RESULTADOS. Ms. RICARDO RESENDE DIAS Slide 1 BALANCED SCORECARD PRODUTIVIDADE CRESCIMENTO MAIS RESULTADOS Ms. RICARDO RESENDE DIAS BALANCED SCORECARD Slide 2 BSC CONCEITO FINALIDADE APLICAÇÃO PRÁTICA ESTRATÉGIA - BSC Slide 3 Ativos Tangíveis

Leia mais

GV em Novos olhares por Prof. Adm. Luciano Nicoletti Jr admfreework

GV em Novos olhares por Prof. Adm. Luciano Nicoletti Jr admfreework GV em Novos olhares por Prof. Adm. Luciano Nicoletti Jr admfreework 2 Luciano Nicoletti Jr Administrador de Empresas CRA SP 123340 MBA Gestão Administrativa e Marketing Pós Graduado em Logística Empresarial

Leia mais

PRINCÍPIOS DA GESTÃO PARA A EDUCAÇÃO

PRINCÍPIOS DA GESTÃO PARA A EDUCAÇÃO PRINCÍPIOS DA GESTÃO PARA A EDUCAÇÃO Prof. Dr. Bernardo Meyer Departamento de Ciências da Administração - CAD Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO - A educação vive um processo

Leia mais

Clima organizacional dos colaboradores da indústria de Panificação do Grupo Cíntia

Clima organizacional dos colaboradores da indústria de Panificação do Grupo Cíntia Clima organizacional dos colaboradores da indústria de Panificação do Grupo Cíntia Michele Firmino Guimarães Vanessa Q. Rocha Centro Universitário do Norte (Uninorte) RESUMO Este trabalho vem mostrar o

Leia mais

Afundamentos da Administração

Afundamentos da Administração Afundamentos da Administração aula 3 Professor Douglas Pereira da Silva 1 Fayol em uma de suas contribuições para o estudo da Administração define o chamado processo administrativo, com o desempenho de

Leia mais

Unidade I. Avaliação de Desempenho. Profª. Ana Paula de Andrade Trubbianelli

Unidade I. Avaliação de Desempenho. Profª. Ana Paula de Andrade Trubbianelli Unidade I Avaliação de Desempenho Profª. Ana Paula de Andrade Trubbianelli Avaliação / desempenho Avaliação: apreciação, análise Desempenho: possibilidade de atuação Conceituação de avaliação de desempenho

Leia mais

CICLO MCT. Mentoring, Coaching e Training. Coordenador Estratégico de IES

CICLO MCT. Mentoring, Coaching e Training. Coordenador Estratégico de IES CICLO MCT Mentoring, Coaching e Training Coordenador Estratégico de IES Ciclo MCT Mentoring, Coaching e Training Coordenador Estratégico de IES Mentoring Inspira o participante a melhorar seu desempenho

Leia mais

Clima e Socialização organizacional

Clima e Socialização organizacional Função Aplicação de pessoas: Clima e Socialização organizacional Livros: CHIAVENATO, Gestão de pessoas TACHIZAMA, et al. Material na xerox (pg.240-255) SOCIALIZAÇÃO ORGANIZACIONAL É a maneira pela qual

Leia mais

Curso de Gerente de Loja - Ações Práticas que Geram Lucro

Curso de Gerente de Loja - Ações Práticas que Geram Lucro Curso de Gerente de Loja - Ações Práticas que Geram Lucro Módulo 1 Liderança e Gestão de Lojas de Varejo Tema 3 - Liderança Liderança Liderança: Como liderar uma equipe de vendas? Quais as habilidades

Leia mais

ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES SOBRE SEU AMBIENTE DE TRABALHO ATRAVÉS DA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL

ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES SOBRE SEU AMBIENTE DE TRABALHO ATRAVÉS DA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES SOBRE SEU AMBIENTE DE TRABALHO ATRAVÉS DA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL WILLIAM

Leia mais

MAPEAMENTO E MODELAGEM DE PROCESSOS COM NOTAÇÃO BPMN

MAPEAMENTO E MODELAGEM DE PROCESSOS COM NOTAÇÃO BPMN MAPEAMENTO E MODELAGEM DE PROCESSOS COM NOTAÇÃO BPMN Fonte: Cláudio Márcio / Eder Bart - Pirâmides do Egito - Foram erguidas 2700 a.c. - 2,3 milhões de blocos de rocha, cada um pesando em média 2,5 toneladas

Leia mais

Qualidade de Vida no Trabalho. QVT Uma visão mais conceitual

Qualidade de Vida no Trabalho. QVT Uma visão mais conceitual Qualidade de Vida no Trabalho QVT Uma visão mais conceitual XX XIX Cronologia da QVT XVIII Robert Owen Qualidade de Vida no Trabalho Século XVIII - Revolução industrial - Liberalismo o Século XVIII: o

Leia mais

Perfil Caliper de Vendas. The Inner Seller Report

Perfil Caliper de Vendas. The Inner Seller Report Perfil Caliper de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Perfil Caliper de Vendas The Inner Seller Report Página 1

Leia mais

Tecnologias da informação com aplicabilidade ao RH. O Modelo Competitivo de Gestão de Pessoas

Tecnologias da informação com aplicabilidade ao RH. O Modelo Competitivo de Gestão de Pessoas Tecnologias da informação com aplicabilidade ao RH O Modelo Competitivo de Gestão de Pessoas 1 2 3 A nova economia Início do século XX Papéis determinantes para a empresa: Localização; Mão de obra barata;

Leia mais

Desenvolvimento Organizacional. Cultura e Clima Organizacional

Desenvolvimento Organizacional. Cultura e Clima Organizacional Cultura e Clima Organizacional Atualizado em 01/03/2016 OBJETIVO: Compreender as implicações das novas configurações e alternativas que permeiam o trabalho no mundo contemporâneo; Compreender e analisar

Leia mais

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. Diagnóstico sobre a motivação no trabalho

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. Diagnóstico sobre a motivação no trabalho I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ Diagnóstico sobre a motivação no trabalho Maria Cristiane de Araújo Graduanda Curso de Administração Universidade De Ribeirão Preto

Leia mais

Unidade II MODELOS DE LIDERANÇA. Prof. Gustavo Nascimento

Unidade II MODELOS DE LIDERANÇA. Prof. Gustavo Nascimento Unidade II MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento O líder como administrador de conflitos A dinâmica dos grupos organizacionais é marcada por diferentes conflitos, principalmente do tipo interpessoal,

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Dinâmica nas Organizações. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 3.

Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Dinâmica nas Organizações. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 3. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Dinâmica nas Organizações Prof.: Fernando Hadad Zaidan Unidade 3.3 3 A DINÂMICA DAS ORGANIZAÇÕES E AS ORGANIZAÇÕES DO CONHECIMENTO

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção Curso de Engenharia de Produção Organização do Trabalho na Produção Estrutura Organizacional Organização da Empresa: É a ordenação e agrupamento de atividades e recursos, visando ao alcance dos objetivos

Leia mais

Gestão de Pessoas Prof (a): Mestre Patrícia Bellotti

Gestão de Pessoas Prof (a): Mestre Patrícia Bellotti Gestão de Pessoas Prof (a): Mestre Patrícia Bellotti As competências nas Problematizações das unidades d de aprendizagem UNID 2.1 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas. Como o treinamento atua no desenvolvimento

Leia mais

Classificação dos Sistemas de Informação

Classificação dos Sistemas de Informação Sistemas de Informação Classificação dos Sistemas de Informação O que veremos? Estaremos examinando o tipo de sistema de apoio à decisão. E, também, o tipo de sistema de informação estratégico. É o sistema

Leia mais

Teoria de Taylor e Mayo

Teoria de Taylor e Mayo Pág 1 Teoria de Taylor e Mayo No início sua preocupação era tentar eliminar o desperdício e das perdas sofridas pelas indústrias americanas e elevar os níveis de produtividade através de métodos e técnicas

Leia mais

Marli de Oliveira Macedo¹, Michele Rodrigues². Introdução

Marli de Oliveira Macedo¹, Michele Rodrigues². Introdução 99 BALANCED SCORECARD COMO FERRAMENTA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Marli de Oliveira Macedo¹, Michele Rodrigues² Resumo: O planejamento estratégico é o processo administrativo que estabelece a melhor direção

Leia mais

Gestão da Qualidade. Aula 13. Prof. Pablo

Gestão da Qualidade. Aula 13. Prof. Pablo Gestão da Qualidade Aula 13 Prof. Pablo Proposito da Aula 1. Conhecer as normas da família ISO 9000. Família da norma ISO 9000 Família ISO 9000 As normas ISO da família 9000 formam um conjunto genérico

Leia mais

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC)

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC) CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC) Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT 1 Objetivos de uma empresa Objetivo principal Pessoas Meios Satisfação das necessidades das pessoas CONSUMIDORES EMPREGADOS ACIONISTAS

Leia mais

1. O PAPEL DO ADMINISTRADOR

1. O PAPEL DO ADMINISTRADOR 4 INTRODUÇÃO Cada vez que o mundo dos negócios fica suficientemente complexo, e inexplicável concluímos que essa é a maneira de Deus dizer a simples mortais como nós que o mundo dos negócios indiscutivelmente

Leia mais

Os Recursos Humanos e o TQM

Os Recursos Humanos e o TQM Os Recursos Humanos e o TQM Considerações Iniciais> Círculos de Controle de Qualidade> Trabalhos em equipes> > PPGEP / UFRGS ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Os Recursos Humanos e o TQM TQM conjugação de métodos

Leia mais

O Que Você Deve Fazer Como Gestor De Vendas Para Gerenciar Com Qualidade Suas Equipes Externas?

O Que Você Deve Fazer Como Gestor De Vendas Para Gerenciar Com Qualidade Suas Equipes Externas? O Que Você Deve Fazer Como Gestor De Vendas Para Gerenciar Com Qualidade Suas Equipes Externas? Assumir o cargo de gestão de uma empresa realmente não é uma tarefa fácil. É preciso que você tenha talento

Leia mais

Módulo 16 Relações com os trabalhadores. Segurança, Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho.

Módulo 16 Relações com os trabalhadores. Segurança, Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho. Módulo 16 Relações com os trabalhadores. Segurança, Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho. 16.1 Relações com os trabalhadores O estilo de gestão adotado por uma empresa estrutura toda a forma de condução

Leia mais

empowering talents WWW.CASLEADER.COM.BR UM PRODUTO:

empowering talents WWW.CASLEADER.COM.BR UM PRODUTO: empowering talents WWW.CASLEADER.COM.BR UM PRODUTO: "VIMOS A TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, E A NECESSIDADE DE MELHOR ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE APRENDIZAGEM, E ENTÃO SABÍAMOS QUE ERA PRECISO CRIAR O CASLEADER".

Leia mais

MELO, Carlos Antônio de Oliveira UniSEB Interativo. Eixo Temático: Políticas Educacionais e Gestão Escolar

MELO, Carlos Antônio de Oliveira UniSEB Interativo. Eixo Temático: Políticas Educacionais e Gestão Escolar ANALISE DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ENSINO FUNDAMENTAL I E II DA CIDADE DE JATAÍ - GO FRENTE AOS CRESCENTES CONCEITOS ORGANIZACIONAIS MELO, Carlos Antônio de Oliveira UniSEB Interativo

Leia mais

2.2 Elementos formais e informais

2.2 Elementos formais e informais 2.2 Elementos formais e informais A produtividade de um grupo e sua eficiência estão estreitamente relacionadas não somente com a competência de seus membros, mas, sobretudo com a solidariedade de suas

Leia mais

Ergonomia e Organização do Trabalho CNROSSI ERGONOMIA E FISIOTERAPIA PREVENTIVA

Ergonomia e Organização do Trabalho CNROSSI ERGONOMIA E FISIOTERAPIA PREVENTIVA Ergonomia e Organização do Trabalho Ergonomia Modern Times Charles Chaplin EUA/1936 Conceito Ergonomia é o estudo do relacionamento entre o homem e o seu trabalho, equipamento, ambiente e, particularmente,

Leia mais

CONCEITO DE ADMINISTRAÇÃO

CONCEITO DE ADMINISTRAÇÃO CONCEITO DE ADMINISTRAÇÃO Sistema Aberto DISCIPLINA: Introdução à Administração FONTE: BATEMAN, Thomas S. SNELL, Scott A. Administração Construindo Vantagem Competitiva. Atlas. São Paulo, 1998. IA_02_CONCEITO

Leia mais

Teorias da Motivação O processo Motivacional

Teorias da Motivação O processo Motivacional Teorias da Motivação O processo Motivacional Taylor, Elton Mayo, McGregor, Herzberg, Likert e Skinner 1 2 Taylor Administração Científica A administração científica é um modelo de administração criado

Leia mais

COLÉGIO CASTRO ALVES - EFMP

COLÉGIO CASTRO ALVES - EFMP COLÉGIO CASTRO ALVES - EFMP TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Prof. Paulo Sérgio Tagata 1 HABILIDADES DO ADMINISTRADOR 1.1 OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM Ao finalizar o estudo deste capítulo, o aluno deverá

Leia mais

PROCESSOS ADMINISTRATIVOS

PROCESSOS ADMINISTRATIVOS Educar Virtual PROCESSOS ADMINISTRATIVOS Motivação Tópicos ADMINISTRAÇÃO PLANEJAMENTO ORGANIZAÇÃO DIREÇÃO Motivação CONTROLE OBJETIVO E EVOLUÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO As pessoas costumam dizer que a motivação

Leia mais

desenvolva e utilize seu pleno potencial de modo coerente e convergente com os objetivos estratégicos da organização. Dentro da área de gestão de

desenvolva e utilize seu pleno potencial de modo coerente e convergente com os objetivos estratégicos da organização. Dentro da área de gestão de Gestão de Pessoas Hoje a sociedade busca desenvolver trabalhos para aprimorar o conhecimento das pessoas em um ambiente de trabalho. A capacitação e o preparo que uma organização deve ter para com os seus

Leia mais

Gestão da Segurança Gestão por Times. Nova Visão

Gestão da Segurança Gestão por Times. Nova Visão Gestão da Segurança Gestão por Times Nova Visão Gestão da Segurança Nova Visão A qualidade do cuidado em saúde é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como: o grau em que os serviços de saúde

Leia mais

Lista de exercícios. Liderança. Prof. Carlos Xavier.

Lista de exercícios. Liderança. Prof. Carlos Xavier. INSTITUTO DE GESTÃO, ECONOMIA E POLÍTICAS PÚBLICAS Lista de exercícios Liderança 1. (CESPE/STJ/Técnico/2008) O gestor de recursos humanos que utiliza a liderança centrada nas pessoas se preocupa em passar

Leia mais

PSICOLOGIA E GERENCIAMENTO DE PESSOAS. DISCIPLINA: RELACIONAMENTO INTERPESSOAL Prof. Dr. Márcio Magalhães Fontoura

PSICOLOGIA E GERENCIAMENTO DE PESSOAS. DISCIPLINA: RELACIONAMENTO INTERPESSOAL Prof. Dr. Márcio Magalhães Fontoura PSICOLOGIA E GERENCIAMENTO DE PESSOAS DISCIPLINA: RELACIONAMENTO INTERPESSOAL Prof. Dr. Márcio Magalhães Fontoura Psicologia Objeto de Estudo Psique = alma + logos = estudo Grécia berço da Psicologia Desejo

Leia mais

SETOR DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL GERENCIAMENTO DE RH. Prof.ª: MSc.: Heloisa Fuganti Campos

SETOR DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL GERENCIAMENTO DE RH. Prof.ª: MSc.: Heloisa Fuganti Campos SETOR DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL GERENCIAMENTO DE RH Prof.ª: MSc.: Heloisa Fuganti Campos HISTÓRIA 2 A ARH surge em decorrência do crescimento das organizações

Leia mais

PROFESSOR RINALDO LIMA AUDITORIA EM RECURSOS HUMANOS OBJETIVOS ANÁLISE DA CONSULTORIA PREMISSAS PARA CONSULTORIA

PROFESSOR RINALDO LIMA AUDITORIA EM RECURSOS HUMANOS OBJETIVOS ANÁLISE DA CONSULTORIA PREMISSAS PARA CONSULTORIA PROFESSOR RINALDO LIMA Graduado em Ciências e Matemática e Especializado em Reengenharia e Qualidade Total e Engenharia de Telecomunicações. rinaldo@unopar.br AUDITORIA EM RECURSOS HUMANOS OBJETIVOS Aula

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO CLIMA ORGANIZACIONAL PARA O SUCESSO DA EMPRESA

A IMPORTÂNCIA DO CLIMA ORGANIZACIONAL PARA O SUCESSO DA EMPRESA A IMPORTÂNCIA DO CLIMA ORGANIZACIONAL PARA O SUCESSO DA EMPRESA O sucesso de uma empresa e um bom clima organizacional estão intimamente ligados. Quando os funcionários sentem felicidade nas tarefas e

Leia mais

REVISÃO PARA A PROVA

REVISÃO PARA A PROVA REVISÃO PARA A PROVA EQUIPE 01 Teoria Geral da Administração "O mundo em que vivemos é uma sociedade institucionalizada e composta por organizações." Idalberto Chiavenato Como foi visto em sala de aula,

Leia mais

Gerenciamento das Partes Interessadas (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento das Partes Interessadas (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento das Partes Interessadas (PMBoK 5ª ed.) Este é o capítulo 13 do PMBoK e é uma área muito importante para o PMI, pois antes de levar em consideração o cumprimento dos prazos, orçamento e qualidade,

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

Data: 22/02/2015 Nome: Milton Barreto

Data: 22/02/2015 Nome: Milton Barreto ÂNCORAS DE CARREIRA Perfil de Competência Profissional Data: 22/02/2015 Nome: Milton Barreto Avaliado: Milton Barreto Introdução Âncoras de Carreira é um Mapeamento dos Principais fatores de motivação

Leia mais

Comunicação e Relacionamento Interpessoal

Comunicação e Relacionamento Interpessoal Comunicação e Relacionamento Interpessoal Prof. José Junio Lopes Prof. Roberto César Ferreira Comunicação e Relacionamento Interpessoal A beleza de um trabalho em equipe se dá através de um elemento muito

Leia mais

NÃO EXISTE GESTÃO SEM COMUNICAÇÃO DANIEL COSTA

NÃO EXISTE GESTÃO SEM COMUNICAÇÃO DANIEL COSTA NÃO EXISTE GESTÃO SEM COMUNICAÇÃO DANIEL COSTA O que é engajamento? Engajamento no trabalho é uma forma de agir em que o indivíduo, motivado por uma causa, expressa sua vontade e predisposição de fazer

Leia mais

11/04/2017. Aula 9. Gestão de Recursos Humanos. Agenda. Seminário 7. Gestão de RH

11/04/2017. Aula 9. Gestão de Recursos Humanos. Agenda. Seminário 7. Gestão de RH Aula 9 Gestão de Recursos Humanos Agenda Seminário 7 Gestão de RH 2 1 Gestão de RH Gestão de Recursos Humanos O conjunto de políticas, práticas e programas que tem por objetivo atrair, selecionar, socializar,

Leia mais

Teoria Básica da Administração. Decorrências da Teoria das Relações Humanas. Professor: Roberto César

Teoria Básica da Administração. Decorrências da Teoria das Relações Humanas. Professor: Roberto César Teoria Básica da Administração Decorrências da Teoria das Relações Humanas Professor: Roberto César Motivação Humana A motivação procura explicar por que as pessoas se comportam. Administração Cientifica

Leia mais

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Kleber Gonçalves de Sousa* RESUMO O comportamento organizacional é o ramo que investiga o impacto que indivíduos, grupos e a estrutura têm sobre

Leia mais

Você gostaria de ter um espaço aberto para trocar idéias sobre...

Você gostaria de ter um espaço aberto para trocar idéias sobre... Você gostaria de ter um espaço aberto para trocar idéias sobre... Este bate papo que tivemos foi, na verdade, para inaugurar o Programa Sua carreira; Sua vida profissional; Dicas para o auto-desenvolvimento;

Leia mais

Profa. Cláudia Palladino. Unidade IV SUPRIMENTO DE MÃO DE OBRA

Profa. Cláudia Palladino. Unidade IV SUPRIMENTO DE MÃO DE OBRA Profa. Cláudia Palladino Unidade IV SUPRIMENTO DE MÃO DE OBRA Seleção, admissão e avaliação Nesta unidade vamos estudar: Seleção por competências; Processo Admissional; Avaliação do processo de recrutamento

Leia mais

Prof. Jairo Molina - Gestão em Petróleo e Gás. Entendendo a Administração. Prof. Jairo Molina

Prof. Jairo Molina - Gestão em Petróleo e Gás. Entendendo a Administração. Prof. Jairo Molina Entendendo a Administração Prof. Jairo Molina 1 Entendendo a Administração Metas principais: 1) Entender o significado da palavra administração. 2) A importância da administração para as diferentes organizações

Leia mais

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL GALILEU GALILEI ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONAL CAIO FERNANDO ABREU TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO TA2 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL GALILEU GALILEI ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONAL CAIO FERNANDO ABREU TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO TA2 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL GALILEU GALILEI ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONAL CAIO FERNANDO ABREU TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO TA2 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ARTIGO CIENTÍFICO QUAIS RAZÕES LEVAM UMA INSTITUIÇÃO

Leia mais

Relatório de Competências de Nataly Lopez (Perfil Natural) Autoconfiança. Autocontrole. Busca de Informação. Capacidade de Negociação.

Relatório de Competências de Nataly Lopez (Perfil Natural) Autoconfiança. Autocontrole. Busca de Informação. Capacidade de Negociação. IMPORTANTE: Em ótimas condições do ambiente, a grande maioria das pessoas pode ter a capacidade de desempenhar-se adequadamente em quaisquer das seguintes competências. Referimo-nos a "ótimas condições"

Leia mais

Processos Organizacionais

Processos Organizacionais Processos Organizacionais 1 Contextualização Organizar: prática humana milenar Administração: esforços de racionalização do processo de trabalho adequação de meios e fins 2 As funções administrativas:

Leia mais

TBL Gestão de Pessoas

TBL Gestão de Pessoas TBL Gestão de Pessoas SLIDES DE APOIO FABIO PATRUS Questão-chave: Diante do contexto apresentado, como desenvolver e engajar pessoas? Gestão de Competências a evolução do conceito Evolução do conceito

Leia mais

Motivação Conceito e Aplicações

Motivação Conceito e Aplicações Motivação Conceito e Aplicações Cap. 6 e 7 (11º edição) Cap. 7 e 8 (14º edição) Profª. Drª. Adriana Cristina Ferreira Caldana Motivação Origem Etimológica: (Latim: Movere), noção de dinâmica ou de ação

Leia mais

TÍTULO: A INFLUÊNCIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS NO SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES UM ESTUDO NA EMPRESA CONTEC

TÍTULO: A INFLUÊNCIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS NO SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES UM ESTUDO NA EMPRESA CONTEC TÍTULO: A INFLUÊNCIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS NO SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES UM ESTUDO NA EMPRESA CONTEC CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE

Leia mais

ROTEIRO ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS

ROTEIRO ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS FILIPE S. MARTINS ROTEIRO ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS LIDERANÇA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO LIDERANÇA É UM DOS PAPÉIS DOS ADMINISTRADORES. O LÍDER INFLUENCIA O COMPORTAMENTO DE UM OU MAIS LIDERADOS OU SEGUIDORES.

Leia mais

Sucessão em Empresa Familiar

Sucessão em Empresa Familiar Sucessão em Empresa Familiar Daqui a um Ano você vai desejar ter começado Hoje!!!! Daniel Corrêa julho/2016 Daqui a um Ano você vai desejar ter começado Hoje!!!! Daniel Corrêa Coach E-mail: daniel.correa@camposcampos.com.br

Leia mais

Pesquisa de Clima Organizacional

Pesquisa de Clima Organizacional Pesquisa de Clima Organizacional Não é necessário imprimir este documento. O objetivo é apenas para você tomar conhecimento do conteúdo de pesquisa, poder refletir e estimar o tempo de resposta antes de

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Disciplina PRÁTICAS GERENCIAIS Curso ADMINISTRAÇÃO Turno/Horário NOTURNO Terça-feira: 20:40 às 22:30 Quarta-feira: 20:40 às 22:30 Professor(a): Ana Cristina Gonçalves da Silva Turma: 7º ADN Carga Horária

Leia mais