Os Tempos da Fotografia

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os Tempos da Fotografia"

Transcrição

1 Os Tempos da Fotografia No dia 13 de junho será o lançamento de um novo livro de Boris Kossoy intitulado Os tempos da fotografia: o efêmero e o perpétuo. O evento será na cidade de São Paulo e a obra é uma edicão de Ateliê Editorial. Pode haver relações entre fotografia e educação? Perguntamos nós. Boris Kossoy é professor da Universidade de São Paulo e coordenador de Iconografia do PROIN Projeto Integrado Arquivo Público do Estado de São Paulo / USP. A contribuição desse pesquisador foi pioneira quando, no ano de 1989, lançou o livro Fotografia e História (Editora Ática). A partir daí, junto com Maria Luiza Tucci Carneiro, diversas obras vêm a público, como O olhar europeu: o negro na iconografia brasileira do século XIX, pela Editora EDUSP, e o livro A imprensa confiscada pelo DEOPS: , pela Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. Afinal, pode haver relações entre Fotografia e Educação, este é o nosso interesse principal. No livro didático Santa Catarina de todas as gentes: história e cultura de Neide Almeida Fiori e Ivone Regina Lunardon (Base Editora), destinado aos

2 alunos do Ensino Fundamental, o Manual do Professor salienta a importância da imagem fotográfica para as atividades relacionadas com a educação. A seguir texto desse livro (p ), em trecho que incorporou contribuições do pensamento de Boris Kossoy. A obra foi aprovada pelo MEC e faz parte do Programa Nacional do Livro Didático/2007. A imagem fotográfica Do artesanato à tecnologia A Revolução Industrial, como se sabe, surge no bojo de grandes transformações sociais, econômicas e culturais que ocorreram na Inglaterra entre os anos e que, como numa relação de causa e efeito, estavam intimamente ligadas ao desenvolvimento das ciências. Ambos, mudanças sociais e avanço científico, prepararam o advento da sociedade industrial que, para além do berço onde surgiu, logo se espalhou por outros países. No decorrer desse tempo as nações transformam-se em Estados; daí a importância da meta de ampliar a homogeneidade cultural, para que melhor ocorresse o domínio político da ordem estatal. Os sistemas educacionais dos países mais desenvolvidos muito se ampliaram nesse tempo e todos os níveis de ensino foram chamados a colaborar com essa tarefa. Mas o maior avanço ocorreu nas escolas primárias, cujo objetivo era não apenas transmitir rudimentos da língua ou aritmética mas, talvez mais do que isso, impor os valores da sociedade (moral, patriotismo) aos seus alunos (Hobsbawm, 1979, p.114). Também ocorreram modificações de outra ordem. No contexto da Revolução Industrial, surgiram muitas invenções que foram incorporadas à história da humanidade. Uma delas foi a fotografia, possibilitando que, sob determinadas condições de luz, a imagem de objetos pudesse ser gravada diretamente sobre uma superfície preparada quimicamente de forma adequada. A reprodução fotográfica teve início de forma artesanal e, com o decorrer do tempo, sua tecnologia foi se desenvolvendo. Em nossos dias, as imagens

3 fotográficas podem percorrer o mundo em tempo real, transmitidas pelos caminhos de redes virtuais. A fotografia como fonte de conhecimento A fotografia, porém, não se relaciona apenas com questões de ordem tecnológica, mas também pode constituir-se em uma importante fonte de estudos no âmbito das Ciências Humanas. Atualmente, as fotografias fazem parte do mundo da história e da cultura dos grupos sociais e, por esta razão, figuram no presente livro. Muitas dessas imagens, especialmente aquelas que aparecem na seção Retrato em Branco e Preto [um dos ícones do livro didático] foram produzidas a partir de originais com mais de meio século de existência; nelas podem ser observados os resultados de ações de conservação e de recuperação. A maioria dessas imagens possivelmente se ajusta às palavras de Boris Kossoy em sua conhecida obra Fotografia e História: É a fotografia um intrigante documento visual cujo conteúdo é a um só tempo revelador de informações e detonador de emoções. Segunda vida perene e imóvel preservando a miniatura de seu referente: reflexos de vida congelados pelo ato fotográfico. Conteúdos que despertam sentimentos profundos de afeto, ódio ou nostalgia para uns, ou exclusivamente meios de conhecimento e informação para outros que os observam livres de paixões, estejam eles próximos ou afastados do lugar e da época em que aquelas imagens tiveram origem. Desaparecidos os cenários, personagens e monumentos, sobrevivem, por vezes, os documentos escritos e também fotográficos. (Kossoy, 1989, p.16) Será que uma imagem vale mil palavras? Seguindo o pensamento de Miriam Moreira Leite, a imagem, ao contrário da comunicação verbal, seria um conjunto de informações de transmissão direta, com uma mediação a ser decodificada. Mas fica ainda uma questão: existiria uma leitura da imagem fotográfica capaz de substituir ou equivaler a documentos escritos ou depoimentos verbais? (1993, p.23). Para esta pergunta há respostas diferentes. Por um lado, uma tendência historiográfica entende que o documento fala: a eloqüência da imagem fotográfica chega a transmitir informações claras e de forma direta. Por outro lado, para outra forma de pensar, tanto o documento escrito quanto as imagens iconográficas ou

4 fotográficas são representações que não falam por si mas que aguardam um leitor que as decifre. (Leite, 1993, p.23) Uma fotografia é um objeto que pode ser analisado de forma multifacetada: A fotografia tem um destino duplo... Ela é a filha do mundo do aparente, do instante vivido, e como tal guardará sempre algo de documento histórico ou científico sobre ele; mas ela é também filha do retângulo, um produto das belas-artes, o qual requer o preenchimento agradável ou harmonioso do espaço com sinais em preto e branco ou em cores. Nesse sentido, a fotografia terá sempre um pé no campo das artes gráficas e nunca será suscetível de escapar desse fato. (Brassai citado por Kossoy, 1989, p.32) Ao nos defrontarmos com fotografias, podemos percebê-las sob variadas perspectivas, como as referentes à arte e à política. Sabe-se que, durante o governo de Getúlio Vargas, o Estado criou uma verdadeira rede de veneração dirigida ao presidente. Suas palavras eram divulgadas no âmbito das escolas e seu aniversário, no dia 19 de abril, era anualmente um evento cívico nacional. Uma das formas de culto político era através da imagem fotográfica de Getúlio Vargas, tanto em festas cívicas realizadas como grandes eventos públicos quanto no âmbito das escolas primárias de então. Festa Cívica Grupo Escolar São Virgílio Nova Trento (sem data) A cena apresenta o Altar da Pátria, comum no decorrer das homenagens ao aniversário de Getúlio Vargas (Fonte: Arquivo Público do Estado de Santa Catarina)

5 Festa Cívica passeata unindo empresários, trabalhadores e estudantes Joinville, 10 de novembro de (Fonte: Arquivo Público do Estado de Santa Catarina) As imagens fotográficas também podem ser percebidas na perspectiva das belas-artes. Penetra-se no mundo do subjetivo e da estética no campo do belo, do harmonioso. Na fotografia que apresenta uma aula de educação física do professor Erwin Teichmann, em Pomerode, há alguma coisa de esvoaçante ginástica rítmica ou situações que lembram um balé no meio do campo?

6 Aula de Educação Física ministrada pelo professor Erwin Teichmann Pomerode, ano (Fonte: Acervo N. Cordova) Enfim, na perspectiva das belas artes podem ser vistas telas, esculturas e imagens fotográficas; até mesmo mapas antigos que revelam muito da imaginação de quem os desenhou; ou seja, apresentam um cunho mais artístico do que propriamente científico.

O MEC, o Conselho Nacional de Educação e a Educação Básica A LDB 9.394/96 - CONTEXTO E PRINCIPAIS ASPECTOS DA TRAMITAÇÃO

O MEC, o Conselho Nacional de Educação e a Educação Básica A LDB 9.394/96 - CONTEXTO E PRINCIPAIS ASPECTOS DA TRAMITAÇÃO O MEC, o Conselho Nacional de Educação e a Educação Básica A LDB 9.394/96 - CONTEXTO E PRINCIPAIS ASPECTOS DA TRAMITAÇÃO META Apresentar os artigos da Lei referentes à educação básica e ao ensino superior

Leia mais

PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Fotografia e memória: as representações do negro na cultura Brasileira

PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Fotografia e memória: as representações do negro na cultura Brasileira PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Fotografia e memória: as representações do negro na cultura Brasileira Proponente: Emiliano Dantas Pesquisador externo LabDidática/FUNDAJ http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=k4332360p7

Leia mais

escola paulista na década de 1930 Photography and research in History of Education: School of São Paulo in the 1930s.

escola paulista na década de 1930 Photography and research in History of Education: School of São Paulo in the 1930s. A fotogra a e a pesquisa em História da Educação: escola paulista na década de 1930 Photography and research in History of Education: School of São Paulo in the 1930s. 134 InterMeio: revista do Program

Leia mais

A Fotografia como complemento pedagógico nas escolas integrais: Uma Atividade extensionista na cidade de Caruaru - PE

A Fotografia como complemento pedagógico nas escolas integrais: Uma Atividade extensionista na cidade de Caruaru - PE A Fotografia como complemento pedagógico nas escolas integrais: Uma Atividade extensionista na cidade de Caruaru - PE Márcio Cleyton Vasconcelos Barbosa², Pedro Brandão da Costa Neto 1, Letícia Azevedo

Leia mais

1- Prof. Me. Dep. Química/UERN; 2- Alunos de Licenciatura em Química, Matemática e Física.

1- Prof. Me. Dep. Química/UERN; 2- Alunos de Licenciatura em Química, Matemática e Física. PIBID- O Ensino na Área de Ciências Exatas e Naturais com Alunos 1 ano A e 2 ano D do Ensino Médio no Centro de Educação Integrada Professor Eliseu Viana (CEIPEV) Mossoró/RN. Gama, K. K. S. 2 ; Leite,

Leia mais

INCLUSÃO EDUCACIONAL DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: DESAFIOS E PERSPECTIVAS.

INCLUSÃO EDUCACIONAL DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: DESAFIOS E PERSPECTIVAS. INCLUSÃO EDUCACIONAL DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: DESAFIOS E PERSPECTIVAS. INTRODUÇÃO Nayara Viturino dos Santos Faculdades Integradas de Patos Nayara.edu@hotmail.com A ausência de conhecimento sobre

Leia mais

AÇÕES CULTURAIS E EDUCATIVAS EM INSTITUIÇÕES ARQUIVÍSTICAS ESTADUAIS BRASILEIRAS. Keyla Santos Jussara Borges

AÇÕES CULTURAIS E EDUCATIVAS EM INSTITUIÇÕES ARQUIVÍSTICAS ESTADUAIS BRASILEIRAS. Keyla Santos Jussara Borges AÇÕES CULTURAIS E EDUCATIVAS EM INSTITUIÇÕES ARQUIVÍSTICAS ESTADUAIS BRASILEIRAS Keyla Santos Jussara Borges Art. 1º - É dever do Poder Público a gestão documental e a proteção especial a documentos de

Leia mais

Revista Educação, Arte e Inclusão. Trata-se de revista

Revista Educação, Arte e Inclusão. Trata-se de revista Caros leitores, É com prazer que lançamos o v. 11, n.1 de 2015 da Revista Educação, Arte e Inclusão. Trata-se de revista científica do Grupo de Pesquisa Educação, Arte e Inclusão vinculado a UDESC (Universidade

Leia mais

O som de uma infância desaparecendo 1. Fernando Luiz FAVERO 2 Maria Zaclis VEIGA 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR

O som de uma infância desaparecendo 1. Fernando Luiz FAVERO 2 Maria Zaclis VEIGA 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR O som de uma infância desaparecendo 1 Fernando Luiz FAVERO 2 Maria Zaclis VEIGA 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR RESUMO É dito e repetido que a fotografia é um recorte da realidade. Mas de qual realidade?

Leia mais

O PAPEL DA EDUCAÇÃO EM PROCESSOS DE TUTELA DE MENORES DESVALIDOS. Alessandra David Moreira da Costa

O PAPEL DA EDUCAÇÃO EM PROCESSOS DE TUTELA DE MENORES DESVALIDOS. Alessandra David Moreira da Costa 1 O PAPEL DA EDUCAÇÃO EM PROCESSOS DE TUTELA DE MENORES DESVALIDOS. Alessandra David Moreira da Costa A escolha da temática da pesquisa que estamos desenvolvendo ou seja, a análise do discurso educacional

Leia mais

OFERTA DA EDUCAÇÃO EM CACHOEIRA DO SUL: UM OLHAR SOBRE AS POLÍTICAS PÚBLICAS BRASILEIRAS

OFERTA DA EDUCAÇÃO EM CACHOEIRA DO SUL: UM OLHAR SOBRE AS POLÍTICAS PÚBLICAS BRASILEIRAS OFERTA DA EDUCAÇÃO EM CACHOEIRA DO SUL: UM OLHAR SOBRE AS POLÍTICAS PÚBLICAS BRASILEIRAS Mirian Cristina Hettwer Universidade Federal de Santa Maria mirian_hettwer@hotmail.com deboramellors@yahoo.com.br

Leia mais

Education and Cinema. Valeska Fortes de Oliveira * Fernanda Cielo **

Education and Cinema. Valeska Fortes de Oliveira * Fernanda Cielo ** Educação e Cinema Education and Cinema Valeska Fortes de Oliveira * Fernanda Cielo ** Rosália Duarte é professora do Departamento de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação, da PUC do Rio de

Leia mais

APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL: PROJETO AS PEGADAS DO DINOSSAURO

APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL: PROJETO AS PEGADAS DO DINOSSAURO APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL: PROJETO AS PEGADAS DO DINOSSAURO Artur CARMELLO NETO, Faculdade de Ciências e Letras Unesp Araraquara-SP Formação de professores na perspectiva

Leia mais

II ENCONTRO "OUVINDO COISAS: EXPERIMENTAÇÕES SOB A ÓTICA DO IMAGINÁRIO"

II ENCONTRO OUVINDO COISAS: EXPERIMENTAÇÕES SOB A ÓTICA DO IMAGINÁRIO II ENCONTRO "OUVINDO COISAS: EXPERIMENTAÇÕES SOB A ÓTICA DO IMAGINÁRIO" Título da Exposição: A poética da morada e os cenários do imaginário habitado Trabalho fotográfico realizado com base no livro A

Leia mais

Mariana Caminha by Mariana Caminha - 2007 Arte final da capa: Editoração eletrônica: Revisão / composição: Foto da capa: Victor Tagore Rones Lima Edmílson Caminha Cristiano Nunes ISBN: 978-85-????-???-??????

Leia mais

TÍTULO: UTILIZAÇÃO CRIATIVA DA LITERATURA INFANTIL NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM

TÍTULO: UTILIZAÇÃO CRIATIVA DA LITERATURA INFANTIL NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM TÍTULO: UTILIZAÇÃO CRIATIVA DA LITERATURA INFANTIL NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE BELO HORIZONTE

Leia mais

Resenha do livro A Câmara Clara, de Roland Barthes

Resenha do livro A Câmara Clara, de Roland Barthes Resenha do livro A Câmara Clara, de Roland Barthes Este trabalho, realizado no âmbito do curso de pós-graduação em Fotografia da Universidade Cândido Mendes, tem como finalidade comentar o livro A Câmara

Leia mais

As Novas Tecnologias no Processo Ensino-Aprendizagem da Matemática

As Novas Tecnologias no Processo Ensino-Aprendizagem da Matemática A UTILIZAÇÃO DE BLOGs COMO RECURSO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Maria Angela Oliveira Oliveira Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho matematicangela2007@yahoo.com.br Resumo: O Mini-Curso

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2301GD - Bacharelado em Design. Ênfase. Disciplina A - Fotografia III

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2301GD - Bacharelado em Design. Ênfase. Disciplina A - Fotografia III Curso 2301GD - Bacharelado em Design Ênfase Identificação Disciplina 0003642A - Fotografia III Docente(s) Luiz Fernando Cardoso Furtado Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Departamento

Leia mais

EDUCADOR, MEDIADOR DE CONHECIMENTOS E VALORES

EDUCADOR, MEDIADOR DE CONHECIMENTOS E VALORES EDUCADOR, MEDIADOR DE CONHECIMENTOS E VALORES BREGENSKE, Édna dos Santos Fernandes* Em seu livro, a autora levanta a questão da formação do educador e a qualidade de seu trabalho. Deixa bem claro em diversos

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENSINO DE QUÍMICA III. Aula

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENSINO DE QUÍMICA III. Aula ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENSINO DE QUÍMICA III Estágio Supervisionado em Ensino de Química INTRODUÇÃO Neste capítulo estarão expostos objetivos e metas, bem como as orientações necessárias para o desenvolvimento

Leia mais

Imagem 1 disponível em: Imagem 2 disponível em: HTTP.www.folha.uol.com.br. Acesso em 07/02/2014.

Imagem 1 disponível em:  Imagem 2 disponível em: HTTP.www.folha.uol.com.br. Acesso em 07/02/2014. 6º Fabiana Unidade I História Leia a letra da música de Lulu Santos: Como uma onda. Após a leitura dedicada, utilize a letra da música como ponto de reflexão para responder as questões 01 e 02. Pontuação

Leia mais

Orientações Gerais Período de Adaptação Educação Infantil

Orientações Gerais Período de Adaptação Educação Infantil Orientações Gerais -2014 Período de Adaptação Educação Infantil Este informativo visa a orientar sobre aspectos que podem ser úteis para a adaptação do seu (sua) filho (a) no ambiente escolar. O início

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL 2015-2017 DE FOTOGRAFIA A RECRIAR O ENSINO DA FOTOGRAFIA DESDE 1968. ipf.lisboa@ipf.pt ipf.porto@ipf.pt www.ipf.pt.

CURSO PROFISSIONAL 2015-2017 DE FOTOGRAFIA A RECRIAR O ENSINO DA FOTOGRAFIA DESDE 1968. ipf.lisboa@ipf.pt ipf.porto@ipf.pt www.ipf.pt. CURSO PROFISSIONAL DE FOTOGRAFIA 2015-2017 Carlos Guiomar A RECRIAR O ENSINO DA FOTOGRAFIA DESDE 1968 ipf.lisboa@ipf.pt ipf.porto@ipf.pt www.ipf.pt CURSO PROFISSIONAL DE FOTOGRAFIA 2015-2017 O Curso Profissional

Leia mais

APRENDENDO COM OS CONTOS DE MISTÉRIO. E. E. DR. JOSÉ AMÉRICO DE ALMEIDA

APRENDENDO COM OS CONTOS DE MISTÉRIO. E. E. DR. JOSÉ AMÉRICO DE ALMEIDA APRENDENDO COM OS CONTOS DE MISTÉRIO. E. E. DR. JOSÉ AMÉRICO DE ALMEIDA Professor(es) Apresentador(es): Mariana Lima Bastos de Freitas Sandra Regina Braga Granzotti Realização: Foco do Projeto Este projeto

Leia mais

Síntese e Conclusões. Paula Santos

Síntese e Conclusões. Paula Santos Síntese e Conclusões Paula Santos AVALIAÇÃO DAS ESCOLAS Paula Santos Confesso a minha dificuldade para, chegados ao fim deste dia, fazer uma síntese ou tirar umas conclusões que façam algum sentido e que

Leia mais

DIGITALIZAÇÃO DO ACERVO FOTOGRÁFICO: UMA EXPERIÊNCIA NA BIBLIOTECA LÀJUOMIM

DIGITALIZAÇÃO DO ACERVO FOTOGRÁFICO: UMA EXPERIÊNCIA NA BIBLIOTECA LÀJUOMIM DIGITALIZAÇÃO DO ACERVO FOTOGRÁFICO: UMA EXPERIÊNCIA NA BIBLIOTECA LÀJUOMIM TATIANE LEMOS CALMON tatyanelemos@yahoo.com.br RENATO MARQUES ALVES renamarkalves@yahoo.com.br RESUMO A fotografia por muitos

Leia mais

paulinhaven@hotmail.com Introdução

paulinhaven@hotmail.com Introdução DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NO ENSINO DE BIOLOGIA: REFLEXÃO A PARTIR DE SUBSTRATOS TEÓRICOS E PESQUISAS EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE PARNAÍBA/PI 1 Ana Paula Costa do Nascimento 1 Nailton de Souza

Leia mais

Grandezas fev proporcionais e escala. 01. Resumo 02. Exercícios de Aula 03. Exercícios de Casa 04. Questão Contexto

Grandezas fev proporcionais e escala. 01. Resumo 02. Exercícios de Aula 03. Exercícios de Casa 04. Questão Contexto 17 Grandezas fev proporcionais e escala 01. Resumo 02. Exercícios de Aula 03. Exercícios de Casa 04. Questão Contexto RESUMO Grandezas Diretamente Proporcionais Duas grandezas são diretamente proporcionais

Leia mais

Licenciatura em Design e Tecnologia das Artes Gráficas

Licenciatura em Design e Tecnologia das Artes Gráficas Feriado FREQUÊNCIAS 2014/2015 Avaliação Contínua até 13 de junho 00-jan 01-jun 02-jun 03-jun 04-jun 08-jun 09-jun 10-jun 11-jun 12-jun 13-jun 2ª F 2ª F 3ª F 4ª F 5ª F 2ª F 3ª F 4ª F 5ª F 6ª F SÁB Análise

Leia mais

Arte do Brasil aplicada a Museologia II (MUL 193)

Arte do Brasil aplicada a Museologia II (MUL 193) Arte do Brasil aplicada a Museologia II (MUL 193) Disciplina Arte do Brasil aplicada a Museologia II Departamento Museologia Carga Horária Semanal Teórica 04 Prática 00 Unidade EDTM N o de Créditos 04

Leia mais

Resenha. Fanzines: autoria, subjetividade e invenção de si (MUNIZ, Cellina Rodrigues (Org.). Fortaleza: Edições UFC, 2010. 139 p.)

Resenha. Fanzines: autoria, subjetividade e invenção de si (MUNIZ, Cellina Rodrigues (Org.). Fortaleza: Edições UFC, 2010. 139 p.) Resenha Fanzines: autoria, subjetividade e invenção de si (MUNIZ, Cellina Rodrigues (Org.). Fortaleza: Edições UFC, 2010. 139 p.) Alessandro Wilson Gonçalves Reinaldo FERNANDES 1 Na tentativa de compreensão

Leia mais

Arqueólogo da UFS comanda primeira missão do Brasil no Egito

Arqueólogo da UFS comanda primeira missão do Brasil no Egito Arqueólogo da UFS comanda primeira missão do Brasil no Egito Ideia é transformar o espaço de pesquisa em campo escola para alunos brasileiros já em 2018. Julian Sanchez analisando blocos com decoração.

Leia mais

ENSINO E SENSIBILIZAÇÃO PARA DOAÇÃO DE ÓRGÃOS: NOTA PRÉVIA

ENSINO E SENSIBILIZAÇÃO PARA DOAÇÃO DE ÓRGÃOS: NOTA PRÉVIA ENSINO E SENSIBILIZAÇÃO PARA DOAÇÃO DE ÓRGÃOS: NOTA PRÉVIA Simone Lysakowski 1 Rita Catalina Caregnato 2 Aline Sudbrack 3 RESUMO Atualmente existe um percentual de 49% de negativa familiar para a doação

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: ENSINO SUPERIOR Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Física FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( X) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

CAMINHOS DA ESCOLA Arte na Escola

CAMINHOS DA ESCOLA Arte na Escola CAMINHOS DA ESCOLA Arte na Escola Resumo A série Caminhos da Escola nos apresenta neste episódio Arte na Escola, uma coletânea de matérias gravadas a partir de experiências em escolas de formação técnica

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS JOVENS DA SEICHO-NO-IE DO BRASIL

ASSOCIAÇÃO DOS JOVENS DA SEICHO-NO-IE DO BRASIL Dia 26 Sábado 05h15 Despertar SEMINÁRIO PARA JOVENS MULHERES Academia Sul-Americana de Treinamento Espiritual da Seicho-No-Ie Ibiúna-SP 26 e 27 de Março de 2011 Em Busca da Verdadeira Razão de Viver 05h55

Leia mais

PAULO CASÉ 80 ANOS: VIDA, OBRA E PENSAMENTO

PAULO CASÉ 80 ANOS: VIDA, OBRA E PENSAMENTO Patrocínio CDP_PauloCase_CAPA_AF.indd 1 Copatrocínio engenheiro SÉRGIO DIAS arquiteto JAIME LERNER Nunca procurei rotular a arquitetura de Paulo Casé. A percepção sempre é a da qualidade: uma arquitetura

Leia mais

Fotografias e documentação iconográfica

Fotografias e documentação iconográfica Programa de Iniciação Científica Universidade de São Paulo Mariane Parente Nascimento Graduanda do curso de História Orientação Profa. Dra. Elizabeth F. C. R. Azevedo TIPOLOGIA DOCUMENTAL PARA O AQUIVO

Leia mais

Diretoria Regional do SENAI-SP e Superintendência do SESI-SP Edição nº 11-1º de fevereiro de 2013. Foto: Everton Amaro. HISTÓRIA Soprando velas

Diretoria Regional do SENAI-SP e Superintendência do SESI-SP Edição nº 11-1º de fevereiro de 2013. Foto: Everton Amaro. HISTÓRIA Soprando velas Diretoria Regional do SENAI-SP e Foto: Everton Amaro HISTÓRIA Soprando velas O SENAI completou 71 anos no dia 22 de janeiro. Uma trajetória pautada pela excelência na educação e profissionalização de gerações

Leia mais

Aulas 21 à 24 TEXTO NARRATIVO

Aulas 21 à 24 TEXTO NARRATIVO Aulas 21 à 24 Prof. Sabrina Moraes TEXTO NARRATIVO Maioritariamente escrito em prosa, o texto narrativo é caracterizado por narrar uma história, ou seja, contar uma história através de uma sequência de

Leia mais

Iluminação Artificial Luminotécnica Aplicada

Iluminação Artificial Luminotécnica Aplicada Iluminação Artificial Luminotécnica Aplicada Introdução Entender os conceitos de iluminação, as novas tecnologias, e aprender a fazer cálculos é fundamental em projetos de luminotecnia são as propostas

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICIPIO DE XINGUARA/PA¹

EDUCAÇÃO INCLUSIVA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICIPIO DE XINGUARA/PA¹ EDUCAÇÃO INCLUSIVA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICIPIO DE XINGUARA/PA¹ Vilmones da Silva 1. Marlise Geller 2 RESUMO: Neste artigo será apresentado e explanado a Educação Inclusiva nas Escolas da Rede Pública

Leia mais

Comunicabilidade 07-09/04/2014. O que é dito? Como é dito? INF1403 Introdução a IHC.

Comunicabilidade 07-09/04/2014. O que é dito? Como é dito? INF1403 Introdução a IHC. 1 Comunicabilidade Metacomunicação: O que é? Quem fala com quem? O que é dito? Como é dito? 07-09/04/2014 www.inf.puc-rio.br/~inf1403 2 Roteiro da Aula Discussão da atividade de auto aprendizado da aula

Leia mais

A IMAGEM DE TELEVISÃO

A IMAGEM DE TELEVISÃO STV 18 AGO 2008 1 A IMAGEM DE TELEVISÃO a televisão, basicamente, reproduz imagens estáticas a seqüência dessas imagens, em rápida sucessão, nos dá a sensação de movimento cada uma das imagens, ou quadro,

Leia mais

A TECNOLOGIA NA ÁREA DE GEOGRAFIA

A TECNOLOGIA NA ÁREA DE GEOGRAFIA Centro Universitário Leonardo Da Vinci NEAD Núcleo de Ensino a Distância Everton Leite A TECNOLOGIA NA ÁREA DE GEOGRAFIA BLUMENAU 2009 EVERTON LEITE A TECNOLOGIA NA ÁREA DE GEOGRAFIA Projeto apresentado

Leia mais

UM ESPETÁCULO DE DANÇA COMO MEDIADOR SEMIÓTICO NA AULA DE ARTE

UM ESPETÁCULO DE DANÇA COMO MEDIADOR SEMIÓTICO NA AULA DE ARTE UM ESPETÁCULO DE DANÇA COMO MEDIADOR SEMIÓTICO NA AULA DE ARTE Mary Fátima Gomes Rodrigues Fundação Regional Educacional de Avaré e-mail: rodriguesmary@bol.com.br Laudo Rodrigues Sobrinho Universidade

Leia mais

Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um.

Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um. A Educação Básica, B Avanços e Desafios Maria do Pilar Lacerda Almeida e Silva Secretária de Educação Básica Ministério da Educação Foto: João Bittar Garantir o direito de aprender, para todos e para cada

Leia mais

Relatório - Fevereiro a Julho de 2013

Relatório - Fevereiro a Julho de 2013 Relatório - Fevereiro a Julho de 2013 De: CEIA Centro Educacional para a Infância e a Adolescência Pavão/MG Para: Amigos das Missões - Itália Relato das atividades executadas pelo CEIA de fevereiro a julho

Leia mais

CAMINHOS DO LIVRO. Aluno: Rodrigo do Carmo Neves Orientador: Luiz Antônio Luzio Coelho

CAMINHOS DO LIVRO. Aluno: Rodrigo do Carmo Neves Orientador: Luiz Antônio Luzio Coelho CAMINHOS DO LIVRO Aluno: Rodrigo do Carmo Neves Orientador: Luiz Antônio Luzio Coelho Introdução O Núcleo de Estudos do Design do Livro do Laboratório de Comunicação no Design da PUC-Rio conta com a participação

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 14, Toledo PR Fone: 77-810 PLANEJAMENTO ANUAL DE LINGUAGEM SÉRIE: PRÉ I PROFESSOR: Carla Iappe

Leia mais

PROEJETO ARBORIZAÇÃO, JARDINAGEM E HORTA COMUNIDADE BETEL: Contribuições Para a Formação Acadêmica

PROEJETO ARBORIZAÇÃO, JARDINAGEM E HORTA COMUNIDADE BETEL: Contribuições Para a Formação Acadêmica PROEJETO ARBORIZAÇÃO, JARDINAGEM E HORTA COMUNIDADE BETEL: Contribuições Para a Formação Acadêmica Fernanda S. Seger 1 Érika Lucatelli 2 RESUMO Este artigo propõe apresentar os resultados e discussões

Leia mais

PLANO DE CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DO MUSEU CASA DE RUI BARBOSA- DOCUMENTAÇÃO PARA PRESERVAÇÃO. Claudia S. Rodrigues de Carvalho, Arquiteta, DSc

PLANO DE CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DO MUSEU CASA DE RUI BARBOSA- DOCUMENTAÇÃO PARA PRESERVAÇÃO. Claudia S. Rodrigues de Carvalho, Arquiteta, DSc CMI Dados do Projeto e do(a) Coordenador do Projeto CMI Centro de Memória e Informação Título do Projeto Plano de Conservação Preventiva do Museu Casa de Rui Barbosa: Documentação para Preservação Sistema

Leia mais

CONCURSO CULTURAL 7 ANOS LUZ DE UM NOVO CICLO. Regulamento

CONCURSO CULTURAL 7 ANOS LUZ DE UM NOVO CICLO. Regulamento CONCURSO CULTURAL Aniversário do IFG/Câmpus Luziânia 7 ANOS LUZ DE UM NOVO CICLO Regulamento O Concurso Cultural 7 ANOS LUZ DE UM NOVO CICLO será promovido como parte das comemorações dos 7 anos do advento

Leia mais

RESENHA / REVIEW COMPUTADORES E LINGUAGENS NAS AULAS DE CIÊNCIAS

RESENHA / REVIEW COMPUTADORES E LINGUAGENS NAS AULAS DE CIÊNCIAS RESENHAS REVIEWS RESENHA / REVIEW COMPUTADORES E LINGUAGENS NAS AULAS DE CIÊNCIAS GIORDAN, Marcelo. Computadores e Linguagens nas aulas de Ciências: uma perspectiva sociocultural para compreender a construção

Leia mais

Programas e projetos implementados pelo Governo Federal A EDUCAÇÃO E A CONSTITUIÇÃO

Programas e projetos implementados pelo Governo Federal A EDUCAÇÃO E A CONSTITUIÇÃO Programas e projetos implementados pelo Governo Federal A EDUCAÇÃO E A CONSTITUIÇÃO Aula 6 META Demonstrar a evolução dos objetivos e finalidades da educação nas diferentes Constituições brasileiras. OBJETIVOS

Leia mais

Edital nº 02/2012. SELEÇÃO DE TUTORIA A DISTÂNCIA PARA AS DISCIPLINAS DO 1º e 2º SEMESTRES DE 2012

Edital nº 02/2012. SELEÇÃO DE TUTORIA A DISTÂNCIA PARA AS DISCIPLINAS DO 1º e 2º SEMESTRES DE 2012 Edital nº 02/2012 SELEÇÃO DE TUTORIA A DISTÂNCIA PARA AS DISCIPLINAS DO 1º e 2º SEMESTRES DE 2012 Os Colegiados dos Cursos de Graduação de Filosofia, Letras-Inglês e Letras-Português na modalidade a distância

Leia mais

Manual. Rede SEI EaD - Educação a Distância CETEG. Centro de Ensino Tecnológico de Goiás

Manual. Rede SEI EaD - Educação a Distância CETEG. Centro de Ensino Tecnológico de Goiás Manual Rede SEI EaD - Educação a Distância CETEG Centro de Ensino Tecnológico de Goiás CETEG - Centro de Ensino Tecnológico de Goiás Versão: 12/12/2016 12:23 Table of Contents REDE SEI EAD - EDUCAÇÃO A

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO

UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO ABRE PORTAS ÀS ARTES A arte, enquanto resultado da cultura e das alterações permanentes do universo, precisa de mostrar, a todos os públicos, as suas múltiplas

Leia mais

3º INTEGRAR - Congresso Internacional de Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação e Museus PRESERVAR PARA AS FUTURAS GERAÇÕES

3º INTEGRAR - Congresso Internacional de Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação e Museus PRESERVAR PARA AS FUTURAS GERAÇÕES Projeto apoio a biblioteca FESP-SP : preservação e integração entre equipes, acervo e disciplina Fernanda Kelly Silva de Brito Rosa Maria Beretta Eixo Temático: Preservação da Memória Institucional. Palavras-chave:

Leia mais

A ESCRITA DE CARTAS EM AULAS DE ESTATÍSTICA: A EXPERIÊNCIA DE UMA PRÁTICA NO ENSINO SUPERIOR

A ESCRITA DE CARTAS EM AULAS DE ESTATÍSTICA: A EXPERIÊNCIA DE UMA PRÁTICA NO ENSINO SUPERIOR A ESCRITA DE CARTAS EM AULAS DE ESTATÍSTICA: A EXPERIÊNCIA DE UMA PRÁTICA NO ENSINO SUPERIOR Jónata Ferreira de Moura 1 Resumo Entendendo que a escrita acadêmica não pode se limitar ao texto dissertativo,

Leia mais

Aula 1 O processo educativo: a Escola, a Educação e a Didática. Profª. M.e Cláudia Benedetti

Aula 1 O processo educativo: a Escola, a Educação e a Didática. Profª. M.e Cláudia Benedetti Aula 1 O processo educativo: a Escola, a Educação e a Didática Profª. M.e Cláudia Benedetti Profa. M.e Cláudia Benedetti Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita

Leia mais

REGULAMENTO DE PRÁTICA EDUCACIONAL / PROJETOS INTERDISCIPLINARES Curso de Letras Português e Inglês Licenciatura Currículo: LPI00001

REGULAMENTO DE PRÁTICA EDUCACIONAL / PROJETOS INTERDISCIPLINARES Curso de Letras Português e Inglês Licenciatura Currículo: LPI00001 REGULAMENTO DE PRÁTICA EDUCACIONAL / PROJETOS Fundamentação Legal PARECER CNE/CP 28/2001, DE 02 DE OUTUBRO DE 2001 - Dá nova redação ao Parecer CNE/CP 21/2001, que estabelece a duração e a carga horária

Leia mais

O eu e o outro no ato de ler

O eu e o outro no ato de ler O eu e o outro no ato de ler Jessica de Castro Gonçalves 1 O ser humano relaciona-se com a realidade por meio da linguagem. Esta possibilita ao homem apreender, transformar e modificar o mundo ao seu redor.

Leia mais

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS/PORTUGUÊS Gêneros textuais como ferramenta para o ensino de Língua Portuguesa INTRODUÇÃO De acordo com os objetivos do programa, conforme portaria 096/2013 Capes, essa proposta de

Leia mais

Professor. TOTVS Educacional

Professor. TOTVS Educacional TOTVS Educacional Sumário Sumário... 2 1 Introdução... 3 1.1 Objetivos Instrucionais... 3 1.2 Conceito... 3 1.3 Cadastro de Professores... 3 1.4 Anexo do Cadastro de Professores... 11 1.5 Conclusão...

Leia mais

EDUCAÇÃO E IMAGENS: A UTILIZAÇÃO DO AUDIOVISUAL COMO RECURSO DIDÁTICO NO CAMPUS AVANÇADO SOMBRIO

EDUCAÇÃO E IMAGENS: A UTILIZAÇÃO DO AUDIOVISUAL COMO RECURSO DIDÁTICO NO CAMPUS AVANÇADO SOMBRIO EDUCAÇÃO E IMAGENS: A UTILIZAÇÃO DO AUDIOVISUAL COMO RECURSO DIDÁTICO NO CAMPUS AVANÇADO SOMBRIO Autores: Ulysses Tavares CARNEIRO Orientador IFC Campus Avançado Sombrio, Cynthia Nalila Souza Silva Colaboradora

Leia mais

EXPRESSÕES E EXPERIMENTOS

EXPRESSÕES E EXPERIMENTOS EXPRESSÕES E EXPERIMENTOS Chapecó na lente de Luiz Palma: a década de 1940 Julio Cesar Farias * Cadernos do CEOM - Ano 18, n. 22 - Arquivo: pesquisa, acervo e comunicação Resgatar o trabalho do primeiro

Leia mais

ARTE: Conceito, Origem e Função

ARTE: Conceito, Origem e Função ARTE: Conceito, Origem e Função Irama Sonary de Oliveira Ferreira Lívia Freire de Oliveira INTRODUÇÃO Arte é conhecimento, e partindo deste princípio, pode-se dizer que é uma das primeiras manifestações

Leia mais

Os recursos tecnológicos na Educação de Jovens e Adultos: um diferencial no processo ensino aprendizagem.

Os recursos tecnológicos na Educação de Jovens e Adultos: um diferencial no processo ensino aprendizagem. Os recursos tecnológicos na Educação de Jovens e Adultos: um diferencial no processo ensino aprendizagem. Fátima Aparecida Machado dos Santos Centro Educacional de Jovens e Adultos /Secretaria Municipal

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 42 Discurso na reunião da Academia

Leia mais

HISTÓRIA DA COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL E PRINCIPAIS ELEMENTOS

HISTÓRIA DA COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL E PRINCIPAIS ELEMENTOS HISTÓRIA DA COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL E PRINCIPAIS ELEMENTOS A primeira necessidade? Comunicar-se. COMUNICAÇÃO É o processo que consiste em transmitir e receber uma mensagem, com a finalidade de afetar

Leia mais

MELHORANDO AS COMPETÊNCIAS DOS ALUNOS EM LEITURA E ESCRITA.

MELHORANDO AS COMPETÊNCIAS DOS ALUNOS EM LEITURA E ESCRITA. MELHORANDO AS COMPETÊNCIAS DOS ALUNOS EM LEITURA E ESCRITA. Ana Maria Gonçalves Machado, Angela Valéria Rosa Vianna Fava, Eliane Aparecida Marcatto da Silva e Márcia Maria de Oliveira Tessarin. SEEC -

Leia mais

PROJETO ESPECIAL DE AÇÃO

PROJETO ESPECIAL DE AÇÃO PROJETO ESPECIAL DE AÇÃO - 2013 PORTARIA Nº 1.566 DE 18/03/08 Nome da Unidade Educacional EMEI MÁRIO SETTE Diretoria Regional de Educação CAMPO LIMPO Modalidade (art.2º): A tematização das práticas desenvolvidas

Leia mais

Palavras-chave: projeto, educação especial, aprendizagem significativa, adaptação curricular.

Palavras-chave: projeto, educação especial, aprendizagem significativa, adaptação curricular. A IMPORTÂNCIA DA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NA EDUCAÇÃO ESPECIAL Artur Carmello Neto Diretoria de Ensino Região de Araraquara RESUMO A prática docente bem sucedida foi realizada em uma Sala de Recursos

Leia mais

O nome atual - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) - só foi adotado em À época da federalização, já estavam integradas à UFMG a Escola

O nome atual - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) - só foi adotado em À época da federalização, já estavam integradas à UFMG a Escola UFMG História : Em Minas Gerais, a primeira instituição de nível superior - a Escola de Farmácia, de Ouro Preto - data de 1839. Em 1875 é criada a Escola de Minas e, em 1892, já no período republicano,

Leia mais

ESPANHOL INIC. Ano Letivo 2013/2014 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade

ESPANHOL INIC. Ano Letivo 2013/2014 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade Ano Letivo 2013/2014 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL INIC. 11º Ano de Escolaridade Prova 375 2014 Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta

Leia mais

Português. Eduardo Valladares (Maria Carolina Coelho) 27 e Linguagem Artística

Português. Eduardo Valladares (Maria Carolina Coelho) 27 e Linguagem Artística Linguagem Artística Linguagem Artística 1. A diva Vamos ao teatro, Maria José? Quem me dera, desmanchei em rosca quinze kilos de farinha tou podre. Outro dia a gente vamos Falou meio triste, culpada, e

Leia mais

Gisllene Rodrigues FERREIRA 2 Gerson de SOUSA 3 Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG

Gisllene Rodrigues FERREIRA 2 Gerson de SOUSA 3 Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG FOTO OUTROS OLHARES SOBRE A LEITURA 1 Gisllene Rodrigues FERREIRA 2 Gerson de SOUSA 3 Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG RESUMO O paper apresenta uma produção fotográfica, desenvolvida

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO INTRODUÇÃO As diferentes unidades que compõem o conjunto de cadernos, visam desenvolver práticas de ensino de matemática que favoreçam as aprendizagens dos alunos. A

Leia mais

OS HEMISFÉRIOS CEREBRAIS

OS HEMISFÉRIOS CEREBRAIS OS HEMISFÉRIOS CEREBRAIS UMA COMPARAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS DE CADA HEMISFÉRIO esquerdo Verbal: usa palavras para nomear, descrever e definir; Analítico: decifra as coisas de maneira sequencial e por partes;

Leia mais

IRREVERÊNCIA E IDENTIDADE NO PROJETO GRÁFICO E NA DIAGRAMAÇÃO DO JORNAL-LABORATÓRIO ESTAÇÃO CENTRO 1

IRREVERÊNCIA E IDENTIDADE NO PROJETO GRÁFICO E NA DIAGRAMAÇÃO DO JORNAL-LABORATÓRIO ESTAÇÃO CENTRO 1 IRREVERÊNCIA E IDENTIDADE NO PROJETO GRÁFICO E NA DIAGRAMAÇÃO DO JORNAL-LABORATÓRIO ESTAÇÃO CENTRO 1 Washington Correa 2 Miguel Valione 3 RESUMO Este paper trata da criação do projeto gráfico e da diagramação

Leia mais

LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS(LIBRAS) AULA 03: O PROFISSIONAL TRADUTOR E INTÉRPRETE DA LÍNGUA DE SINAIS (TILS) TÓPICO 03: O PROFISSIONAL INTÉRPRETE DA LÍNGUA DE SINAIS (ILS) E SUA ATUAÇÃO NA ESCOLARIZAÇÃO

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Norte Pró-Reitoria de Pesquisa Núcleo de Inovação Tecnológica DIREITO AUTORAL

Universidade Federal do Rio Grande do Norte Pró-Reitoria de Pesquisa Núcleo de Inovação Tecnológica DIREITO AUTORAL DIREITO AUTORAL O direito autoral é um conjunto de prerrogativas conferidas pela lei nº. 9610/98 à pessoa física ou jurídica criadora da obra intelectual, para que ela possa gozar dos benefícios morais

Leia mais

Quem faz arte? O homem criou objetos para satisfazer as suas necessidades práticas, como as ferramentas para cavar a terra e os utensílios de

Quem faz arte? O homem criou objetos para satisfazer as suas necessidades práticas, como as ferramentas para cavar a terra e os utensílios de ROTULAÇÃO Rotulação na arte A arte é uma criação humana com valores estéticos (beleza, equilíbrio, harmonia, revolta) que sintetizam as suas emoções, sua história, seus sentimentos e a sua cultura. É um

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE SALA DE RECURSOS MUTIFUNCIONAIS

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE SALA DE RECURSOS MUTIFUNCIONAIS FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE SALA DE RECURSOS MUTIFUNCIONAIS Thatyana Machado Silva Claudia Miharu Togashi Gabriela Ferreira Ramiro de Souza Leila Regina de Oliveira de Paula Nunes Universidade

Leia mais

Docência no Ensino Superior: aspectos didáticos e pedagógicos. Profa Dra Glaucia Maria da Silva DQ/FFCLRP/USP

Docência no Ensino Superior: aspectos didáticos e pedagógicos. Profa Dra Glaucia Maria da Silva DQ/FFCLRP/USP Docência no Ensino Superior: aspectos didáticos e pedagógicos Profa Dra Glaucia Maria da Silva DQ/FFCLRP/USP Objetivos Subsidiar o aluno de pós-graduação para atuação como docente no ensino superior, contribuindo

Leia mais

02/05/14. Para início de Conversa. Tema 1 - A importância das Artes na Infância. Objetivos

02/05/14. Para início de Conversa. Tema 1 - A importância das Artes na Infância. Objetivos Tema 1 - A importância das Artes na Infância Para início de Conversa Objetivos Conhecer a importância do ensino das artes na educação infantil. Compreender a diferença das abordagens inatista e pragmática

Leia mais

LISTA DE TRABALHOS APROVADOS

LISTA DE TRABALHOS APROVADOS Comunicações orais LISTA DE TRABALHOS APROVADOS O USO DE PLANILHAS GOOGLE DOCS NO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO AMBIENTE VIRTUAL DE ENSINO-APRENDIZAGEM LIVRE NA INTEGRAÇÃO E CONVERGÊNCIA DAS MODALIDADES

Leia mais

ESCOLHA DO NOME DA TURMA:

ESCOLHA DO NOME DA TURMA: ESCOLHA DO NOME DA TURMA: Sequência de atividade de um projeto Professora: Gabriela Caldeira Aranha Apresentação da professora Pós-graduação: Relações Interpessoais e a Construção da Autonomia Moral. Unifran.

Leia mais

STOP MOTION: FORMAÇÃO CONTINUADA PARA SEU USO NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM

STOP MOTION: FORMAÇÃO CONTINUADA PARA SEU USO NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM STOP MOTION: FORMAÇÃO CONTINUADA PARA SEU USO NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM Élidi P. Pavanelli-Zubler Jeferson Lucas Zanin Sandra Regina Braz Ayres 21º Seminário de Educação, Tecnologia e Sociedade

Leia mais

1ª Série. 6NIC088 FOTOGRAFIA Conceitos de fotografia analógica e digital e sua aplicação nos meios de comunicação de massa e na comunicação dirigida.

1ª Série. 6NIC088 FOTOGRAFIA Conceitos de fotografia analógica e digital e sua aplicação nos meios de comunicação de massa e na comunicação dirigida. 1ª Série 6NIC091 ADMINISTRAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS Conceitos básicos de administração geral. Organizações e grupos formais e informais. Estrutura organizacional. Funções organizacionais da administração.

Leia mais

Composição do material

Composição do material BURITI MIRIM Composição do material O material do aluno no Projeto Buriti Mirim é composto de: Livro-texto: organizado com temas interessantes e desafiadores para as crianças. Possibilita uma vivência

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE A MATEMÁTICA ESCOLAR E A MATEMÁTICA DO COTIDIANO PROFISSIONAL

RELAÇÕES ENTRE A MATEMÁTICA ESCOLAR E A MATEMÁTICA DO COTIDIANO PROFISSIONAL RELAÇÕES ENTRE A MATEMÁTICA ESCOLAR E A MATEMÁTICA DO COTIDIANO PROFISSIONAL 08932243409 Eixo temático: Etnomatemática e as relações entre tendências em educação Matemática. RESUMO: Este trabalho visa

Leia mais

Estudo dirigido artes Milton Gomes Segundo ano Ensino Médio. Capítulo 14. A arte no Barroco Europeu. 01 Como foi criado o termo Barroco? R. na p.

Estudo dirigido artes Milton Gomes Segundo ano Ensino Médio. Capítulo 14. A arte no Barroco Europeu. 01 Como foi criado o termo Barroco? R. na p. Estudo dirigido artes Milton Gomes Segundo ano Ensino Médio Capítulo 14 A arte no Barroco Europeu 01 Como foi criado o termo Barroco? R. na p.141 02 No livro, encontramos duas explicações para o surgimento

Leia mais

O ENSINO DE ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA/PB

O ENSINO DE ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA/PB O ENSINO DE ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA/PB Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais (PPGAV) Universidade Federal da Paraíba (UFPB) / Universidade Federal de Pernambuco

Leia mais

O PROEJA, A FORMAÇÃO PROFISSIONAL E O MUNDO DO TRABALHO

O PROEJA, A FORMAÇÃO PROFISSIONAL E O MUNDO DO TRABALHO O PROEJA, A FORMAÇÃO PROFISSIONAL E O MUNDO DO TRABALHO ROSMANN, Márcia Adriana 1 Palavras-chave: Educação. Jovem-Adulto. Profissionalização. Cidadania. A Educação de Jovens e Adultos foi implementada

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DO PROJETO VIAJANDO E APRENDENDO COM ZÉ DO LIVRO PARA O INCENTIVO DA LEITURA: UMA ANÁLISE NO MUNICÍPIO DE PAULISTA PB

A CONTRIBUIÇÃO DO PROJETO VIAJANDO E APRENDENDO COM ZÉ DO LIVRO PARA O INCENTIVO DA LEITURA: UMA ANÁLISE NO MUNICÍPIO DE PAULISTA PB A CONTRIBUIÇÃO DO PROJETO VIAJANDO E APRENDENDO COM ZÉ DO LIVRO PARA O INCENTIVO DA LEITURA: UMA ANÁLISE NO MUNICÍPIO DE PAULISTA PB GT - 15 ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA Zelga Dantas de Almeida Soares Secretaria

Leia mais

ENADE 2012 INFORMAÇOES IMPORTANTES PROACAD - UFPE DIRETORIA DE GESTÃO ACADÊMICA JUNHO 2012

ENADE 2012 INFORMAÇOES IMPORTANTES PROACAD - UFPE DIRETORIA DE GESTÃO ACADÊMICA JUNHO 2012 ENADE 2012 INFORMAÇOES IMPORTANTES PROACAD - UFPE DIRETORIA DE GESTÃO ACADÊMICA JUNHO 2012 1 Documentos 2 Estudantes ingressantes e concluintes para o ENADE 2012 3 Regularização dos estudantes em situação

Leia mais

10 ANOS COM MAFALDA. José Douglas Alves dos Santos *

10 ANOS COM MAFALDA. José Douglas Alves dos Santos * 10 ANOS COM MAFALDA 10 years with Mafalda José Douglas Alves dos Santos * 10 anos com Mafalda (2010), publicado pela Editora WMF Martins Fontes e traduzido por Monica Stahel, é um livro que reproduz as

Leia mais