Os Princípios do Equador e o Desempenho Socioambiental do Setor Financeiro

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os Princípios do Equador e o Desempenho Socioambiental do Setor Financeiro"

Transcrição

1 Avaliação do desempenho socioambiental de projetos com foco nos Princípios do Equador e Parâmetros de Desempenho do IFC Os Princípios do Equador e o Desempenho Socioambiental do Setor Financeiro São Paulo, 12 de maio de 2014 Alejandro Dorado

2 Sustentabilidade? Sustentabilidade no âmbito de uma economia de mercado, hoje dominante e sem propostas alternativas viáveis, que deem respostas perante as características intrínsecas da nossa espécie, onde o consumo éa força motora do desenvolvimento é, no mínimo, contraditório.

3 Sustentabilidade? A busca pelos indicadores de sustentabilidade socioambiental transformou se, na última década, na ferramenta de decisão e de avaliação das relações econômicas entre os homens onde, o capital natural é mais um valor agregado.

4 Sustentabilidade? A sustentabilidade transformou se em um importante fator no traçado de estratégias de negócios. Envolve noções de crescimento e atividade humana em escalas temporais abrangentes. Inclui explicitamente o meio ambiente e a ideia de alocar e conservar recursos ao longo do tempo, em uma forma sustentada.

5 Sustentabilidade? A adoção de respostas aos temas sociais e ambientais e um sistema de gestão para a sustentabilidade corporativa se traduz em redução de custos, maior crescimento e aumento do valor da imagem, assim como o estreitamento das relações com todas as partes interessadas (stakeholders ou atores sociais) e diminuição de riscos.

6 Sustentabilidade? Impactos e riscos ambientais Dentro dos impactos ambientais das ações humanas, as mudanças produzidas pelas atividades urbano industriais hoje são as forças que mais transformam o ambiente. A partir de 2007 mais da metade da população mundial vive em cidades. No Brasil, esse processo aconteceu na década de 1960, transformando à população brasileira em urbana. Hoje existem no país mais de 30 regiões metropolitanas e mais de 80% da população mora nas mais de cidades brasileiras. Os problemas decorrentes desse processo (clima urbano, enchentes, uso e ocupação do solo, mobilidade urbana, saúde pública, saneamento básico, etc.) desafiam nossa capacidade de resposta e potencializam a degradação dos recursos naturais.

7 Sustentabilidade Mais do que um objetivo, a sustentabilidade para o homem urbano éum processo. Sendo assim, sua definição é mais próxima a um processo de melhoria continua (PDCA) do que a um conceito que possa ser aplicado.

8 Sustentabilidade? A Corporação Financeira Internacional, o IFC, apresentou em 2013 esse tema no binômio negócios x sustentabilidade e como os grandes problemas relacionados àcrescente e rápida urbanização, ao aumento da população mundial, à demanda de recursos naturais, aos desequilíbrios econômicos, às mudanças climáticas e àperda da biodiversidade são tratados pelas grandes corporações multinacionais.

9 Sustentabilidade? Simultaneamente, quase todos os setores empresariais adotaram o conceito de sustentabilidade na definição dos seus objetivos e metas, mesmo que em forma retórica ou como um diferencial de propaganda

10 Risco e Imagem O setor financeiro não éimune a essa tendência. O risco e a imagem são assuntos de importância estratégica para os grandes agentes econômicos. Como uma forma de adaptação ao cenário acima descrito, as instituições financeiras incorporaram o processo de avaliação dos riscos socioambientais nas políticas corporativas.

11 Os PE Criados em outubro de 2002 pela International Finance Corporation (IFC) e o ABN Amro no encontro de discussão de experiências em projetos de investimento em mercados emergentes, que envolviam questões sociais e ambientais, os Princípios do Equador são critérios de desempenho para a concessão de crédito. Esses critérios asseguram que os projetos financiados pelas instituições que aderiram aos PE sejam desenvolvidos de forma social e ambientalmente responsáveis.

12 Os PE O objetivo dessas regras era garantir a sustentabilidade socioambiental dos projetos de investimento e a gestão adequada dos riscos de inadimplência por parte dos tomadores de crédito.

13 Os PE Em termos práticos os PE determinaram que todas as empresas interessadas na obtenção de recursos no mercado financeiro, para financiar seus projetos, incorporassem: a gestão de risco socioambiental, proteção àbiodiversidade e hábitat naturais, adoção de mecanismos de prevenção e controle de poluição, proteção à saúde, proteção à diversidade cultural e étnica, adoção de sistemas de saúde e segurança ocupacional, avaliação de impactos socioeconômicos, inclusão de comunidades tradicionais, eficiência na produção, distribuição e consumo de recursos naturais (água e energia), combate àmão de obra infantil e escrava e respeito aos direitos humanos.

14 Os 10 Princípios do Equador Princípio 1 Análise e Categorização (Anexo 1) Princípio 2 Avaliação Socioambiental (Cat A e B Anexo 2) Princípio 3 Padrões sociais e ambientais (Anexos 3 e 4)

15 Parâmetros de Desempenho 1. Sistema de Gerenciamento e Avaliação Socioambiental; 2. Trabalho e Condições de Trabalho; 3. Prevenção e Redução da Poluição; 4. Segurança e Saúde da Comunidade; 5. Aquisição de Terras e Reassentamento Involuntário; 6. Preservação da Biodiversidade e Gerenciamento Sustentável dos Recursos Naturais; 7. Povos Indígenas e 8. Patrimônio Cultural.

16 Parâmetro de Desempenho 1 Performance Standard 1 (PS 1) Avaliação e Manejo dos Riscos e Impactos Socioambientais Identificar riscos socioambientais do projeto Adotar mitigação hierarquizada Aumentar o desempenho através de um Sistema de Manejo Socioambiental Acoplamento com as partes interessadas (incluindo mecanismos de comunicação e reclamação)

17 PS 2 Trabalho e Condições de Trabalho Não discriminação. Igualdade de oportunidades. Tratamento justo Proteção de trabalhadores Promoção da saúde e segurança Trabalho escravo e infantil Adequação às leis trabalhistas Relações de trabalho

18 OS 3 Eficiência no Uso de Recursos e Prevenção da Poluição Evitar ou minimizar poluição relacionada com o projeto e proteger a saúde humana e o meio ambiente Promover o uso sustentável dos recursos incluindo água e energia Reduzir as emissões do projeto relacionadas aos GEE

19 PS 4 Saúde e Segurança das Comunidades Antecipar e evitar impactos adversos sobre a saúde e segurança das comunidades afetadas Proteção das pessoas e infraestrutura conforme com princípios humanos relevantes

20 PS 5 Aquisição de Terras e Reassentamento Involuntário Evitar e minimizar impactos socioeconômicos adversos pela aquisição de terras e reassentamentos involuntários ou restrições de uso Aumentar ou restaurar a qualidade de vida Aumentar as condições de vida das pessoas reassentadas

21 PS 6 Conservação da Biodiversidade e Manejo Sustentável dos Recursos Naturais Vivos Proteção e conservação da biodiversidade Manutenção dos serviços ambientais Promoção do uso sustentável dos recursos naturais vivos Integração e conservação e o desenvolvimento

22 PS 7 Comunidades Indígenas Assegurar o total respeito pelas CI Evitar e minimizar impactos adversos Oferecer oportunidades e desenvolvimento apropriado (cultural e sustentável) Informação e liberdade de escolha

23 PS 8 Patrimônio Cultural Proteção e preservação do patrimônio cultural Promoção e divisão igualitária dos benefícios do patrimônio cultural

24 Os 10 Princípios do Equador Princípio 4 Plano de Ação e Sistema de Gestão Princípio 5 Consulta e Divulgação Princípio 6 Mecanismo de Reclamação Princípio 7 Análise Independente Princípio 8 Compromissos Contratuais Princípio 9 Monitoramento Independente Princípio 10 Divulgação de Informações

25 Na revisão de 2012 foi introduzido o conceito de mitigação ambiental (environmental offsets) para proporcionar que os impactos socioambientais inevitáveis sejam contrabalanceados por ganhos ambientais com a visão geral de alcançar um balanço neutro o positivo.

26 Due diligence As auditorias ambientais aumentaram a partir da década de 1990, com o crescimento das operações de fusões e aquisições no Brasil transformando se em um nicho de mercado importante para consultoria ambiental no mercado imobiliário. Já com a adoção dos PE por parte das instituições financeiras, o mercado se ampliou e hoje está em expansão.

27 Due diligence As instituições financeiras brasileiras estão se adaptando a esse novo processo de avaliação de riscos socioambientais. Assim, todos os grandes bancos estão qualificando seu pessoal ou contratando especialistas nas diversas áreas envolvidas nas avaliações dos pedidos de financiamento e acompanhamento das due diligences, da mesma forma que o fizeram o Banco Mundial e o IFC

28 Desempenho Financeiro de Corporações com Forte e Fraca Atuação Socioambiental e Governança vermelho empresas com forte atuação e com fraca atuação Fonte: Eccles et al., 2011

29 Os PE são sobre financiamento de projetos. Não se pode esperar que façam coisas diferentes. Outros setores devem desenvolver parâmetros de desempenho equivalentes aos dos setor financeiro.

30 O Futuro Em 2012, o Banco Central publicou o Edital de Audiência Pública 41/2012 para implementar uma política de responsabilidade socioambiental por todas as instituições financeiras que atuam no Brasil e que inclua dentre outros, os impactos socioambientais de seus produtos e serviços e os riscos e oportunidades em mudanças climáticas e biodiversidade e a divulgação de informações sobre esses assuntos e seu desempenho.

31 Em 25/04/14 foi publicada a Resolução que dispõe sobre as diretrizes que devem ser observadas no estabelecimento e na implementação da Política de Responsabilidade Socioambiental pelas instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

32 A PRSA deve conter princípios e diretrizes que norteiem as ações de natureza socioambiental nos negócios e na relação com as partes interessadas. Deve estabelecer diretrizes sobre as ações estratégicas relacionadas àsua governança, inclusive para fins do gerenciamento do risco socioambiental

33 As instituições mencionadas devem manter estrutura de governança compatível com o seu porte, a natureza do seu negócio, a complexidade de serviços e produtos oferecidos, bem como com as atividades, processos e sistemas adotados, para assegurar o cumprimento das diretrizes e dos objetivos da PRSA. As instituições mencionadas devem estabelecer critérios e mecanismos específicos de avaliação de risco quando da realização de operações relacionadas a atividades econômicas com maior potencial de causar danos socioambientais

34 O setor financeiro está ciente dos desafios e das oportunidades que se encontram nesse caminho sem esquecer sua missão e objetivo, inseridos na lógica do mercado de uma sociedade de risco e consumo. A sustentabilidade como processo deve dar lugar à sustentabilidade como uma estratégia de longo prazo, não de crescimento e sim de equilíbrio.

35 Considerações Finais Base de recursos naturais x desenvolvimento Mercado de consumo x sustentabilidade Sustentabilidade como processo Trade offs Sustentabilidade? Avaliação do desempenho socioambiental de projetos com foco nos Princípios do Equador e Parâmetros de Desempenho do IFC

A ESTRUTURA DE SUSTENTABILIDADE International Finance Corporation (IFC) Gladis Ribeiro

A ESTRUTURA DE SUSTENTABILIDADE International Finance Corporation (IFC) Gladis Ribeiro A ESTRUTURA DE SUSTENTABILIDADE International Finance Corporation (IFC) Gladis Ribeiro INTERNATIONAL FINANCE CORPORATION (IFC), QUEM SOMOS? A IFC, membro do Grupo Banco Mundial, é uma instituição de desenvolvimento

Leia mais

Política de Responsabilidade So cio Ambiental

Política de Responsabilidade So cio Ambiental Política de Responsabilidade So cio Ambiental Sumário 1. FINALIDADE:... 4 2. ABRANGÊNCIA:... 4 3. DIVULAGAÇÃO... 4 4. IMPLEMENTAÇÃO... 4 5. SUSTENTABILIDADE EM NOSSAS ATIVIDADES... 4 6. REVISÃO DA POLÍTICA...

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental e Gestão de Risco Socioambiental na CAIXA

Política de Responsabilidade Socioambiental e Gestão de Risco Socioambiental na CAIXA Política de Responsabilidade Socioambiental e Gestão de Risco Socioambiental na CAIXA Vice Presidência de Operações Corporativas Gerência Nacional Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental AGO

Leia mais

TRANSPARÊNCIA E VALOR PARA O INVESTIDOR. ISE 2013 São Paulo, 05 de março de 2013

TRANSPARÊNCIA E VALOR PARA O INVESTIDOR. ISE 2013 São Paulo, 05 de março de 2013 TRANSPARÊNCIA E VALOR PARA O INVESTIDOR ISE 2013 São Paulo, 05 de março de 2013 TRANSPARÊNCIA E VALOR PARA O INVESTIDOR TRANSPARÊNCIA É A BASE PARA NOSSO PROCESSO DECISÓRIO E ESTRUTURA DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Esta Política tem como objetivos: Apresentar de forma transparente os princípios e as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e direcionam

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

Padrão de Desempenho 8:

Padrão de Desempenho 8: Visão Geral dos Padrões de Desempenho sobre Sustentabilidade Socioambiental 1. A Estrutura de Sustentabilidade da IFC articula o compromisso estratégico da Corporação com o desenvolvimento sustentável

Leia mais

Empresas se veem numa nova lógica de mercado...

Empresas se veem numa nova lógica de mercado... Empresas se veem numa nova lógica de mercado... 20/04/2010 Acidente com uma plataforma de petróleo que causou o vazamento de 2,2 milhões de barris no mar. - 53,79% ... mas também enxergam novas oportunidades.

Leia mais

Uma Visão Prática dos Fatos: Case Itaú BBA. Outubro 2014

Uma Visão Prática dos Fatos: Case Itaú BBA. Outubro 2014 Uma Visão Prática dos Fatos: Case Itaú BBA Outubro 2014 1 Itaú BBA Risco Socioambiental Outubro 2014 Sistema de Gestão Socioambiental Por quê???? The Banker 2 Itaú BBA Risco Socioambiental Outubro 2014

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos e o Setor de Petróleo e Gás

Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos e o Setor de Petróleo e Gás Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos e o Setor de Petróleo e Gás Ana Paula Grether Consultora da Gerência de Orientações e Práticas de Responsabilidade Social Gerência Executiva de

Leia mais

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO DECLARAÇÃO DE APOIO CONTÍNUO DO DIRETOR PRESIDENTE Brasília-DF, 29 de outubro de 2015 Para as partes

Leia mais

(Environmental and Social Assessments and Audits / Due Diligences)

(Environmental and Social Assessments and Audits / Due Diligences) (Environmental and Social Assessments and Audits / Due Diligences) Agências Multilaterais Fundos de governos de países desenvolvidos para financiar projetos públicos e privados visando ao desenvolvimento

Leia mais

A Sustentabilidade no Processo de Decisão Financeira. Indicadores e práticas nos setores de Crédito, Investimentos e Seguros

A Sustentabilidade no Processo de Decisão Financeira. Indicadores e práticas nos setores de Crédito, Investimentos e Seguros A Sustentabilidade no Processo de Decisão Financeira Indicadores e práticas nos setores de Crédito, Investimentos e Seguros 15 de Agosto 2013 Agenda Conceitos e Evolução Atuação do Setor Financeiro O Mercado

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA ISO 14.001:2004 O que é ISO? A ISO - International Organization for Standardization é uma organização sediada em Genebra, na Suíça. Foi fundada em 1946; A sigla ISO foi

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DO EQUADOR

OS PRINCÍPIOS DO EQUADOR OS PRINCÍPIOS DO EQUADOR UMA ABORDAGEM DO SETOR PARA INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS SOBRE DETERMINAÇÃO, AVALIAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCO AMBIENTAL E SOCIAL EM FINANCIAMENTO DE PROJETOS Florianópolis Junho/2004

Leia mais

A Aon Global Risk Consulting (AGRC), líder mundial em consultoria de gestão de riscos, está presente em mais de 120 países. São mais de 2.

A Aon Global Risk Consulting (AGRC), líder mundial em consultoria de gestão de riscos, está presente em mais de 120 países. São mais de 2. A Aon Global Risk Consulting (AGRC), líder mundial em consultoria de gestão de riscos, está presente em mais de 120 países. São mais de 2.000 consultores que se dedicam de forma integral à gestão de riscos

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

Políticas e Padrões de Desempenho da IFC sobre Sustentabilidade Socioambiental Revisão e Atualização

Políticas e Padrões de Desempenho da IFC sobre Sustentabilidade Socioambiental Revisão e Atualização Políticas e Padrões de Desempenho da IFC sobre Sustentabilidade Socioambiental Revisão e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação Corporação Financeira Internacional 26 de agosto

Leia mais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental

Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental O momento certo para incorporar as mudanças A resolução 4.327 do Banco Central dispõe que as instituições

Leia mais

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS do conteúdo dos Indicadores Ethos com outras iniciativas Com a evolução do movimento de responsabilidade social e sustentabilidade, muitas foram as iniciativas desenvolvidas

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para realização de um plano de sustentabilidade financeira para o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, no âmbito da

Leia mais

Responsabilidade Social Empresarial

Responsabilidade Social Empresarial Responsabilidade Social Empresarial Henry Ford: produto e preço - Gestão de Produto e Processo. Jerome McCarty e Philip Kotler: produto, preço, praça (ponto de venda) e promoção. - Gestão de Marketing.

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Standard Chartered Bank, Brasil Página 1 de 8 ÍNDICE I. OBJETIVO... 3 II. CICLO DE REVISÃO... 3 III. DISPOSIÇÕES GERAIS... 3 IV. ESTRUTURA DE GOVERNANÇA... 4

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental Sumário 1 Introdução... 1 1.1 Objetivo da Política... 1 1.2 Princípios e Diretrizes... 1 2 Governança... 2 3 Partes Interessadas... 2 4 Definição de Risco Socioambiental...

Leia mais

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil 1 A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO MUNDO GLOBALIZADO 1 Introdução Área de atuação. A Carta de Bangkok (CB) identifica ações, compromissos e garantias requeridos para atingir os determinantes

Leia mais

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 14001:2015 Tendências da nova revisão

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 14001:2015 Tendências da nova revisão ISO 14001:2015 Tendências da nova revisão A ISO 14001 EM SUA NOVA VERSÃO ESTÁ QUASE PRONTA Histórico ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA As normas da série ISO 14000 foram emitidas pela primeira vez

Leia mais

Estratégia e Desenvolvimento Sustentável. Responsabilidade e Índices de Sustentabilidade Empresarial. Aula 6

Estratégia e Desenvolvimento Sustentável. Responsabilidade e Índices de Sustentabilidade Empresarial. Aula 6 Estratégia e Desenvolvimento Sustentável Aula 6 Prof. Marcos Rogério Maioli rogeriomaioli@grupouninter.com.br Investimentos com Responsabilidade e Índices de Sustentabilidade Empresarial MBA em Planejamento

Leia mais

MEIO AMBIENTE COMO UMA QUESTÃO DE NEGÓCIOS OBJETIVOS

MEIO AMBIENTE COMO UMA QUESTÃO DE NEGÓCIOS OBJETIVOS MEIO AMBIENTE COMO UMA QUESTÃO DE NEGÓCIOS OBJETIVOS Prover uma compreensão básica : do desenvolvimento da abordagem das empresas com relação às questões ambientais, dos benefícios provenientes de melhorias

Leia mais

POLÍTICA A. OBJETIVO... 2 B. ABRANGÊNCIA... 2 C. VIGÊNCIA... 2 D. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 1. DEFINIÇÕES... 2 2. INTRODUÇÃO... 3 3. GOVERNANÇA...

POLÍTICA A. OBJETIVO... 2 B. ABRANGÊNCIA... 2 C. VIGÊNCIA... 2 D. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 1. DEFINIÇÕES... 2 2. INTRODUÇÃO... 3 3. GOVERNANÇA... A. OBJETIVO... 2 B. ABRANGÊNCIA... 2 C. VIGÊNCIA... 2 D. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 1. DEFINIÇÕES... 2 2. INTRODUÇÃO... 3 3. GOVERNANÇA... 4 4. RELACIONAMENTO E ENGAJAMENTO COM PARTES INTERESSADAS... 4 5.

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

Questões para Consultas da Fase 3 Introdução ao CODE

Questões para Consultas da Fase 3 Introdução ao CODE Questões para Consultas da Fase 3 Introdução ao CODE Em 01 de julho de 2015, a Comissão sobre a Eficácia do Desenvolvimento (CODE) discutiu a segunda versão da Revisão e Atualização das Políticas de Salvaguarda

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Publicado em: 27/02/2015 Válido até: 26/02/2020 Política de Responsabilidade Socioambiental 1. SUMÁRIO 2 2. OBJETIVO 2 3. ABRANGÊNCIA 2 4. IMPLEMENTAÇÃO 2 5. DETALHAMENTO 2 5.1. Definições 3 5.2. Envolvimento

Leia mais

Padrão de Desempenho 1: Sistemas de Gerenciamento e Avaliação Socioambiental

Padrão de Desempenho 1: Sistemas de Gerenciamento e Avaliação Socioambiental Introdução 1. O Padrão de Desempenho 1 destaca a importância do gerenciamento do desempenho socioambiental durante o ciclo de um projeto (qualquer atividade comercial sujeita a avaliação e administração).

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020

PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 INDICE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1. Objetivo...2 2. Aplicação...2 3. implementação...2 4. Referência...2 5. Conceitos...2 6. Políticas...3

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ABRANGÊNCIA... 3 4. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO... 4 5. GERENCIAMENTO DO RISCO... 5 6. ATIVIDADES PROIBITIVAS E RESTRITIVAS... 6 7. ANÁLISE DE CRÉDITO...

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para desenvolver o Plano de Uso Público para a visitação do Jardim Botânico do Rio de Janeiro concentrando na análise

Leia mais

Trabalho, Mudanças Climáticas e as Conferências do Clima: subsídios para as negociações da UGT na COP-21 Resumo Executivo

Trabalho, Mudanças Climáticas e as Conferências do Clima: subsídios para as negociações da UGT na COP-21 Resumo Executivo Trabalho, Mudanças Climáticas e as Conferências do Clima: subsídios para as negociações da UGT na COP-21 Resumo Executivo I Informações Gerais Impactos das Mudanças Climáticas As mudanças climáticas impõem

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente Prof. Claudimar Fontinele Em dois momentos a ONU reuniu nações para debater

Leia mais

Credit Suisse (Brasil) Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) Julho de 2015

Credit Suisse (Brasil) Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) Julho de 2015 Credit Suisse (Brasil) Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) Julho de 2015 Sumário 1. Aplicação... 02 2. Definições... 02 2.1 Risco socioambiental... 02 2.2 Partes relacionadas... 02 2.3 Termos...

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Ambiental. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados.

Ambiental. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Ambiental Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Nossos serviços Temos forte atuação na gestão de pleitos perante as agências ambientais e o Ministério

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 007

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 007 INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 007 Consultoria especializada (pessoa física) para elaborar e implantar novas metodologias

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO 2014 GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE O modelo de Gestão da Sustentabilidade do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE é focado no desenvolvimento de

Leia mais

Política sobre Sustentabilidade Socioambiental Rev-0.1 14 de abril de 2010

Política sobre Sustentabilidade Socioambiental Rev-0.1 14 de abril de 2010 Primeira Parte: Objetivo desta Política 1. A International Finance Corporation (IFC) busca resultados positivos de desenvolvimento nas atividades do setor privado que apoia em países em desenvolvimento.

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROJETO DE LEI N o 4.095, DE 2012 Altera a Lei nº 10.257, de 10 de julho 2001, que regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013 SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX Agosto 2013 ESTRATÉGIA EM SUSTENTABILIDADE Visão Uma estratégia de sustentabilidade eficiente deve estar alinhada com o core business da empresa

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

Índice. 4. Princípios Os seguintes princípios norteiam as ações de Responsabilidade Socioambiental da Chevrolet Serviços Financeiros.

Índice. 4. Princípios Os seguintes princípios norteiam as ações de Responsabilidade Socioambiental da Chevrolet Serviços Financeiros. Índice 1. Objetivo... 1 2. Escopo e Partes Afetadas... 1 3. Definições... 1 4. Princípios... 1 5. Objetivos, metas e programas... 2 6. Papéis e Responsabilidades... 5 7. Regulamentação Aplicável... 6 1.

Leia mais

PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015

PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015 PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015 RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO Este Manual/Relatório foi elaborado pela ATIVA com fins meramente informativos. É proibida a reprodução total ou

Leia mais

6.2.2 RISCO SOCIOAMBIENTAL NA CONCESSÃO DE CRÉDITO 6.3 RELACIONAMENTO COM FUNCIONÁRIOS E COLABORADORES

6.2.2 RISCO SOCIOAMBIENTAL NA CONCESSÃO DE CRÉDITO 6.3 RELACIONAMENTO COM FUNCIONÁRIOS E COLABORADORES Índice 1. INTRODUÇÃO 2. PARTES INTERESSADAS. NORMATIVOS. ESTRUTURA DE GOVERNANÇA. PRINCÍPIOS 6. DIRETRIZES 6.1 NORMATIZAÇÃO 6.2 GERENCIAMENTO DO RISCO SOCIOAMBIENTAL 6.2.1 RISCO SOCIOAMBIENTAL DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

MMX - Controladas e Coligadas

MMX - Controladas e Coligadas POLITICA CORPORATIVA PC. 1.16.01 Política de Meio Ambiente Emissão: 02/10/06 1 Objetivo: Estabelecer diretrizes visando proteger os recursos naturais e o meio ambiente em todas das unidades operacionais.

Leia mais

VII Encontro Amazônico de Agrárias

VII Encontro Amazônico de Agrárias VII Encontro Amazônico de Agrárias Segurança Alimentar: Diretrizes para Amazônia CONCESSÃO DE CRÉDITO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DO BANCO DA AMAZÔNIA RESUMO No Brasil, o setor bancário assume

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO invepar índice Apresentação Visão, Missão, Valores Objetivos Princípios Básicos Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 8 Abrangência / Funcionários Empresas do Grupo Sociedade / Comunidade

Leia mais

Revista Tecnologia de Crédito

Revista Tecnologia de Crédito Revista Tecnologia de Crédito Finanças Sustentáveis: Criação de Valor para o Negócio Bancário Edição 61 Os Bancos vêm incorporando, por convicção, o conceito de finanças sustentáveis em sua política corporativa

Leia mais

Prefeitura Municipal de Jaboticabal

Prefeitura Municipal de Jaboticabal LEI Nº 4.715, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015 Institui a Política Municipal de estímulo à produção e ao consumo sustentáveis. RAUL JOSÉ SILVA GIRIO, Prefeito Municipal de Jaboticabal, Estado de São Paulo, no

Leia mais

Relatos de Sustentabilidade

Relatos de Sustentabilidade Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Relatos de Sustentabilidade Descreva até 3 projetos/programas/iniciativas/práticas relacionadas a sustentabilidade Instruções 2015 Esse espaço é reservado

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Título: PRSA - Política de Responsabilidade Socioambiental POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ABRANGÊNCIA... 3 4. PRINCÍPIOS... 3 5. DIRETRIZES...

Leia mais

MANIFESTO SOBRE PRINCÍPIOS E SALVAGUARDAS PARA O REDD

MANIFESTO SOBRE PRINCÍPIOS E SALVAGUARDAS PARA O REDD MANIFESTO SOBRE PRINCÍPIOS E SALVAGUARDAS PARA O REDD INTRODUÇÃO O REDD (Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação) é o mecanismo que possibilitará países detentores de florestas tropicais poderem

Leia mais

POLÍTICA DE SALVAGUARDAS AMBIENTAIS E SOCIAIS

POLÍTICA DE SALVAGUARDAS AMBIENTAIS E SOCIAIS POLÍTICA DE SALVAGUARDAS AMBIENTAIS E SOCIAIS P-24/2013 Unidade Responsável: Gestão de Programas OBJETIVO: Estabelecer salvaguardas ambientais e sociais para prevenir ou minimizar qualquer impacto ambiental

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Atuação da Organização 1. Qual(is) o(s) setor(es) de atuação da empresa? (Múltipla

Leia mais

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PARA POVOS INDÍGENAS

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PARA POVOS INDÍGENAS PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PARA POVOS INDÍGENAS PO-02/2013 Unidade Responsável: Mudanças Climáticas e Energia OBJETIVOS: Descrever os procedimentos relacionados a ações proativas para lidar com as questões

Leia mais

Planejamento Estratégico do Setor de Florestas Plantadas -2012

Planejamento Estratégico do Setor de Florestas Plantadas -2012 CONTEXTO O setor de florestas plantadas no Brasil éum dos mais competitivos a nível mundial e vem desempenhando um importante papel no cenário socioeconômico do País, contribuindo com a produção de bens

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Gestão Ambiental campus Angra Missão O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Estácio de Sá tem por missão a formação de Gestores Ambientais

Leia mais

Dispõe sobre a implementação de estrutura de gerenciamento de capital.

Dispõe sobre a implementação de estrutura de gerenciamento de capital. RESOLUCAO 3.988 Dispõe sobre a implementação de estrutura de gerenciamento de capital. O Banco Central do Brasil, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna público que o Conselho

Leia mais

Sustentabilidade como diferencial competitivo na gestão de fornecedores

Sustentabilidade como diferencial competitivo na gestão de fornecedores Sustentabilidade como diferencial competitivo na gestão de fornecedores Webinar DNV O Impacto da Gestão da Cadeia de Fornecedores na Sustentabilidade das Organizações 04/09/2013 Associação civil, sem fins

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras Versão 1.0 18/08/2014 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Conceitos... 3 3. Diretrizes... 3 3.1. Diretrizes Gerais... 3 3.2. Diretrizes Específicas...

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas.

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas. 1. OBJETIVOS Estabelecer diretrizes que norteiem as ações das Empresas Eletrobras quanto à promoção do desenvolvimento sustentável, buscando equilibrar oportunidades de negócio com responsabilidade social,

Leia mais

experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria

experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria A Íntegra é uma empresa de auditoria e consultoria, com 25 anos de experiência no mercado brasileiro. Cada serviço prestado nos diferentes

Leia mais

Sustentabilidade Empresarial

Sustentabilidade Empresarial Política de Sustentabilidade como Instrumento de Competitividade São Paulo Out/2010 Laercio Bruno Filho 1 Desenvolvimento Sustentável 2 Aquecimento Global Word Population WORLD GDP 3 Questões Críticas

Leia mais

NORMATIVO SARB Nº 14, de 28 DE AGOSTO DE 2014

NORMATIVO SARB Nº 14, de 28 DE AGOSTO DE 2014 NORMATIVO SARB Nº 14, de 28 DE AGOSTO DE 2014 O Sistema de Autorregulação Bancária da Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN institui o NORMATIVO DE CRIAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT

Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT Professor Samuel Graeff prof.samuel@uniuv.edu.br COBIT O que e? COBIT significa Control Objectives for Information and related Technology - Objetivos

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Introdução A consulta a seguir é um novo passo em direção às melhores práticas

Leia mais

Informação para a imprensa não atribuível. As novas exigências ambientais e sociais da International Finance Corporation

Informação para a imprensa não atribuível. As novas exigências ambientais e sociais da International Finance Corporation Março de 2006 Informação para a imprensa não atribuível As novas exigências ambientais e sociais da International Finance Corporation De Políticas de Salvaguarda Ambiental e Social para Política e Normas

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1/9 Sumário 1. Introdução... 3 2. Objetivo... 3 3. Princípios... 4 4. Diretrizes... 4 4.1. Estrutura de Governança... 4 4.2. Relação com as partes interessadas...

Leia mais

Corporação Financeira Internacional

Corporação Financeira Internacional Corporação Financeira Internacional World Bank Group ANEXO A ANÁLISE E ATUALIZAÇÃO DO CONTEXTO DE SUSTENTABILIDADE DA IFC: VISÃO GERAL DE PROBLEMAS-CHAVE I. Introdução As partes interessadas identificaram

Leia mais

Regulamento de Avaliação da Conformidade para Etanol Combustível

Regulamento de Avaliação da Conformidade para Etanol Combustível Regulamento de Avaliação da Conformidade para Etanol Combustível Alfredo Lobo Diretor da Qualidade Rio de Janeiro, 14/08/2008 ções Desenvolvidas pelo Inmetro no Programa de Avaliação da Conformidade para

Leia mais

Empresas e as mudanças climáticas

Empresas e as mudanças climáticas Empresas e as mudanças climáticas O setor empresarial brasileiro, por meio de empresas inovadoras, vem se movimentando rumo à economia de baixo carbono, avaliando seus riscos e oportunidades e discutindo

Leia mais

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

COP 2011 - Visão Sustentável

COP 2011 - Visão Sustentável COP 2011 - Visão Sustentável A Visão Sustentável é uma consultoria brasileira especializada em Responsabilidade Social Corporativa e Sustentabilidade, trabalhando com o desenvolvimento de ferramentas e

Leia mais

A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro publica a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares

A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro publica a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares Projeto de lei n. Institui a Política Estadual sobre Mudança do Clima e fixa seus princípios, objetivos, diretrizes e instrumentos. A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro publica a seguinte

Leia mais

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade Desenvolvido por: Neuza Maria Rodrigues Antunes neuzaantunes1@gmail.com AUMENTO DA POPULAÇÃO URBANA 85% NO BRASIL (Censo

Leia mais

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias Sustentabilidade no Grupo Boticário Atuação com a Rede de Franquias Mais de 6.000 colaboradores. Sede (Fábrica e Escritórios) em São José dos Pinhais (PR) Escritórios em Curitiba (PR) e São Paulo (SP).

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO SOCIOAMBIENTAL (PRSA)

POLÍTICA DE RISCO SOCIOAMBIENTAL (PRSA) (PRSA) INTRODUÇÃO A Brickell busca perenidade e sustentabilidade em seus negócios e atividades, de modo a minimizar impactos socioambientais negativos e gerar oportunidades para o desenvolvimento sustentável

Leia mais

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS Resumo da Agenda 21 CAPÍTULO 1 - Preâmbulo Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS CAPÍTULO 2 - Cooperação internacional para acelerar o desenvolvimento sustentável dos países em desenvolvimento e políticas

Leia mais

Gestão da sustentabilidade aplicada à estratégia institucional Gestão da sustentabilidade aplicada ao negócio

Gestão da sustentabilidade aplicada à estratégia institucional Gestão da sustentabilidade aplicada ao negócio A sustentabilidade faz parte da estratégia de negócios do grupo segurador bb e mapfre, que adota um modelo de gestão focado no desenvolvimento de uma cultura socioambiental que protege e, ao mesmo tempo,

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental 1.0 PROPÓSITO A Política de Responsabilidade Socioambiental ( PRSA ) do Banco CNH Industrial Capital S.A. tem, como finalidade, estabelecer princípios e diretrizes que norteiem as ações da Instituição

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais