MINUTA ESTATUTO DO CENTRO DE APOIO SOCIAL AO ALUNO - CASA ESTATUTO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINUTA ESTATUTO DO CENTRO DE APOIO SOCIAL AO ALUNO - CASA ESTATUTO"

Transcrição

1 MINUTA ESTATUTO DO CENTRO DE APOIO SOCIAL AO ALUNO - CASA (ALTERAÇÕES EFETUADAS EM 26/04/2011) ESTATUTO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE FORO, FINALIDADES E DURAÇÃO. Art. 1º- O Centro de Apoio Social ao Aluno (CASA) é vinculado à Diretoria Adjunta de Alunos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, criado pela Portaria FAMERP nº 091 de 31 de outubro de É uma unidade auxiliar de apoio ao corpo discente e foi instituído consoante dispõem os artigos 39 e 43 do Regimento FAMERP/99, o qual passa a ser regulado e regido pelo Presente Estatuto e outras disposições legais aplicáveis. Art. 2º- O Centro de Apoio Social ao Aluno (CASA) tem sede, administração e foro na cidade de São José do Rio Preto, município e comarca do mesmo nome, situada à Avenida Faria Lima, 5416, sala da Diretoria de Alunos, vinculada à Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto FAMERP Autarquia Estadual de Regime Especial, criada pela Lei nº 8.899, de 27 de setembro de Art. 3º- Tem por finalidade dar acolhimento aos alunos matriculados no ensino de graduação que apresentem em sua expressão social, estado de desequilíbrio que requer orientação e apoio nos campos, pessoal, acadêmico e/ou econômico. Art. 4º- O prazo de duração deste Centro de Apoio Social ao Aluno é indeterminado. CAPÍTULO II DOS PRINCÍPIOS, ORGANIZAÇÃO, COMPOSIÇÃO, MANDATO E COMPETÊNCIAS

2 Art. 5º- Princípios norteadores de apoio, dentre outros são: I Os alunos devem ser focados como unidade bio-psico-social; II Em caso que envolva outras Diretorias Adjuntas, as mesmas deverão ser ouvidas; III- Os atendimentos dar-se-ão exclusivamente por especialistas nos respectivos assuntos após diagnósticos técnicos e científicos realizados. ORGANIZAÇÃO Art. 6º- A organização do CASA tem a seguinte estrutura: I Comissão; II Assistentes Sociais; III Secretaria. COMPOSIÇÃO Art. 7º O CASA compõe-se dos seguintes membros: I - Coordenador Geral Diretor Adjunto de Alunos; II Assistentes Sociais da FAMERP; III Dois representantes docentes de cada curso de Graduação; IV Dois representantes discentes de cada curso de graduação; V Secretária, funcionária lotada na Diretoria Adjunta de Alunos.

3 MANDATO Art. 8º - Os membros que compõem o Centro de Apoio Social ao Aluno (CASA) terão o seguinte mandato: I Coordenador Geral: Diretor Adjunto de Aluno, cujo mandato coincidirá com o seu cargo na respectiva Diretoria Adjunta; II Assistentes Sociais da Famerp por tempo indeterminado; III Representantes Docentes: Indicado pelo Coordenador de cada curso referendado pelo Diretor Adjunto de Alunos, terão mandato de 04 anos IV Representantes Discentes: Serão dois representantes discentes escolhidos por meio de eleição anual por maioria simples de votos, a qual se dará em conjunto com a realizada para eleição dos representantes dos Conselhos Departamental e Congregação. Apenas os alunos do 2º e 3º ano do Curso de Enfermagem e alunos do 2º, 3º e 4º ano do Curso de Medicina poderão candidatar-se, com mandato de 01 ano, podendo os alunos candidatar-se á reeleição por até duas vezes. V Secretária: Funcionária lotada na Diretoria Adjunta de Alunos. Art. 9º - À Comissão compete por meio de seus membros: I. Coordenador Geral: a. Autorizar as questões apresentadas pelos Assistentes Sociais e representantes docentes e discentes; b. Coordenar reuniões ordinárias e extraordinárias; c. Discutir em reuniões da Diretoria Geral os assuntos pertinentes ao Centro de Apoio Social ao Aluno (CASA), encaminhando aos órgãos competentes as decisões.

4 II. Assistentes Sociais: a. Atender o aluno com o objetivo de realizar estudos sócio-econômicos, para fins de concessão de Bolsa Auxílio,sendo atribuição privativa art.4º da Lei 8.662/93 Código de Ética do/a Assistente Social; b. Acompanhar os alunos inscritos no CASA durante o ano letivo; c. Participar do Processo de Seleção dos alunos para a Bolsa Trabalho nos Departamentos da Instituição e fora dela; d. Acompanhar o desempenho acadêmico dos alunos bolsistas sistematicamente e quando for o caso encaminhá-los aos setores competentes; e. Fazer o controle mensal dos alunos inscritos na Bolsa Alimentação; f. Apresentar relatórios de atividades e propostas; g. Oferecer atendimento a todos os alunos inscritos no CASA ou não, que procurarem o Serviço Social; h. Prover as decisões tomadas pela Comissão; i. Participar das reuniões ordinárias e extraordinárias da Comissão; j. Contribuir com sugestões a assuntos de interesse do CASA; k. Apresentar aos alunos propostas da Comissão e vice-versa. III. Representantes Discentes de cada Curso: a. Devem apresentar sugestões da comunidade acadêmica em reunião da Comissão; b. Os representantes discentes do CASA devem freqüentar as reuniões da Comissão com assiduidade, justificando suas faltas e inteirando-se dos

5 temas discutidos e decisões tomadas; c. Os discentes devem respeitar a ética exigida na Comissão; d. Os discentes devem representar os alunos na Comissão e trazer ao mesmo propostas encaminhadas e comprometer-se com a divulgação e operacionalização das ações determinadas. IV. Representantes Docentes de cada Curso: a. Deverão apresentar sugestões da comunidade acadêmica em reunião da Comissão; b. Os representantes docentes do CASA devem freqüentar as reuniões da Comissão com assiduidade, justificando suas faltas e inteirando-se dos temas discutidos e decisões tomadas. V. Secretária: a. Deverá convocar membros da Comissão para reuniões; b. Digitar, encaminhar, protocolar e arquivar documentos do CASA; c.. Comparecer as reuniões lavrando as respectivas Atas; 1º. A Comissão reunir-se-á ordinariamente a cada 04 meses, ou seja, nos meses de abril, agosto e dezembro, e deliberará com o quorum de maioria simples, mediante convocação com 5 (cinco) dias de antecedência. 2º. As reuniões extraordinárias serão realizadas exclusivamente quando motivadas por questões técnico-administrativas determinadas por assuntos urgentes ou situações emergentes especiais, e serão convocadas com 24 horas de antecedência.

6 CAPÍTULO III DAS NORMAS DE FUNCIONAMENTO E INSCRIÇÕES AOS PROGRAMAS DO CASA Art. 10. O funcionamento do Casa compreende dois momentos distintos: I Proposição planejada e aprovação; II Desenvolvimento, Acompanhamento e Avaliação. Orientações Gerais de Inscrição aos Programas do CASA Art. 11. São Programas de Bolsas Auxílio: a. Bolsa Alimentação Interna e Externa; b. Bolsa Trabalho. Art. 12. Programa de Bolsa-Auxílio divulgará calendário diferenciado para alunos veteranos e alunos ingressantes para Processo Seletivo de Bolsa - Auxilio. 1º - Alunos de graduação regularmente matriculados poderão candidatar-se a todas as Bolsas Auxílio; 2º - Para inscreverem-se, os candidatos deverão preencher diretamente o formulário específico a ser disponibilizado no site da FAMERP; 3º - Haverá uma pré-seleção dos candidatos por meio da análise do formulário on- line 4º - Os candidatos pré-selecionados serão convocados para entrevista com a Assistente Social, munidos do formulário descrito no parágrafo segundo as declarações assinadas e datadas (em anexo) e de todos os documentos exigidos, conforme relação disponibilizadas no site da FAMERP;

7 5º - Se necessário, será realizada visita domiciliar para o aprofundamento ou complementação de dados, com vista à instrumentalização do parecer social; 6º - Todos os documentos estarão sujeitos a veracidade durante o curso de graduação e a omissão de informações ou apresentação de dados ou documentos falsos e/ou divergentes implica, a qualquer tempo, no cancelamento da bolsa auxílio, se concedida, e obrigam a imediata devolução dos valores indevidamente recebidos, além das medidas judiciais cabíveis. Art. 13. Para inscrição e continuidade na Bolsa Auxílio o aluno não poderá ter vínculo empregatício; Art. 14. Será excluído das Bolsas Auxílio o aluno que: I - Não comprovar as declarações feitas no formulário de inscrição; II - Perder os prazos estabelecidos pelas convocações; III - Trancar a matrícula ou desistir dos cursos de graduação; Art. 15. Bolsa Alimentação o aluno terá direito a três refeições diárias no Refeitório do Hospital de Base durante o período letivo; I O aluno que tiver cinco faltas durante o mês, em dias úteis não justificadas terá a Bolsa Alimentação suspensa no mês seguinte e se for reincidente será excluído do Programa Bolsa Auxílio; II O aluno que emprestar seu crachá para terceiros para usufruir das refeições será excluído do Programa. Art. 16. Bolsa Alimentação Externa BAE O aluno terá direito em receber a BAE em depósito em conta corrente ou poupança do Banco do Brasil durante o período letivo; Art.17. Bolsa Trabalho FUNFARME-FAMERP: são atividades desenvolvidas pelos alunos selecionados por um período de 12 meses, carga horária de 24 horas, com direito ao atestado de bolsista;

8 1º Poderão participar do processo de seleção para Bolsa Trabalho apenas os alunos que tenham a Bolsa Alimentação Interna ou Externa; 2º Bolsa Trabalho oferecida pelos Departamentos/Disciplinas deverá seguir as mesmas normas da Bolsa Trabalho Funfarme Famerp. 3º - É vedada a participação no processo seletivo do aluno que: I Tenha outras bolsas remuneradas pela Funfarme -Famerp ou pelos Departamentos/Disciplinas; II Tenha participado em anos anteriores. 4º - O aluno selecionado para Bolsa Trabalho deverá: I Entregar os documentos exigidos para bolsista na Diretoria Adjunta de Alunos; II Cumprir a carga horária estabelecida; III Exercer com responsabilidade o trabalho designado pela Chefia do Setor; IV Entregar no CASA até o 5º dia útil a folha de freqüência do mês trabalhado assinada pelo responsável do Setor. 5º - O não cumprimento da carga horária mensal implicará na suspensão do pagamento e se houver reincidência a bolsa será cancelada. A Bolsa Trabalho poderá ser cancelada a qualquer momento por decisão do responsável pelo setor ou pelo aluno. 6º - Bolsas Remuneradas: I. Auxílio Alimentação Externa não exclui a concomitância com Bolsas Científicas, Monitoras, CIEE, Cursinho e outras; II. As demais bolsas remuneradas não poderão ser acumulativas.

9 CAPÍTULO IV DAS OBRIGAÇÕES DO CASA Art. 18. São obrigações do Centro de Apoio Social ao Aluno: I. Identificar as necessidades de apoio e acolhimento e solicitar a criação de programas à Comissão; II. Tornar público os editais de inscrições nos Programas ; III. As Assistentes Sociais do CASA procede à sua classificação e habilita ou não ao usufruto do Programa; IV.A divulgação dos nomes dos alunos selecionados é através de lista nominal e o tipo de Bolsa, afixada no Mural da Diretoria de Alunos CASA; V. O aluno é acompanhado durante o período letivo pelas Assistentes Sociais,e a prioridade é dada aos alunos ingressantes durante o primeiro semestre com agendamento para atendimento individual e, os alunos da 2ª série em diante serão agendados durante o segundo semestre; VI. O CASA. está disponível para atendimento aos alunos, pais e professores. CAPÍTULO V DOS DIREITOS E DEVERES DOS ALUNOS Art. 19. Direitos : I. A isenção de taxa da Vida Escolar; Monitorias(03), Ligas Acadêmicas(03); II. Solicitar apenas 02 Históricos Escolares Limpo ou Sujo durante o ano letivo, sendo 01 por semestre; III. Prova substitutiva deverá apresentar atestado médico do aluno, cópia do atestado de óbito de parentes de 1º grau, ou comprovante intimação judicial; IV. A isenção de taxas dos Cursos de Residência Médica e Enfermagem, Aprimoramento e Aperfeiçoamento; V. Auxílio Transporte exclusivamente para estágio curricular. Art. 20. Deveres:

10 I. Para receber isenção de taxas da Vida Escolar o aluno deverá apresentar à Diretoria Adjunta de Alunos o documento impresso através do Sistema de Gestão Escolar, o qual será autorizado mediante carimbo específico do CASA, datado e assinado pela secretária e protocolado pelo próprio aluno no Setor responsável; II. O aluno deverá comunicar ao CASA qualquer alteração de endereço ou telefone e do próprio e dos pais ou responsáveis; III. O aluno deverá atender todas as convocações realizadas pelo CASA., caso de não comparecimento justificado a bolsa será suspensa; IV. O aluno que tornar-se ex bolsista do CASA deverá retirar os xerox dos documentos, dentro do prazo de 10 dias a contar da data do recebimento do aviso através de , caso contrário serão inutilizados. CAPÍTULO VI DA AVALIAÇÃO Art. 21. Procedimentos para Avaliação: I. A avaliação deverá ser contínua pela Comissão, pelos discentes e docentes através de seus representantes e pela Diretoria Geral; II. Deverá ser realizada com todos os alunos formandos, entrevista de, avaliação de encerramento, para receber a isenção da taxa de inscrição para o Curso de Residência Médica e de Enfermagem, Aprimoramento e Aperfeiçoamento.

11 ESTATUTO DO CENTRO DE APOIO SOCIAL AO ALUNO CASA Alteração e Inclusão Capítulo II Art.7º alterar itens II, III e IV Art. 8º alterar item II e IV Art. 9º alterar item II alínea d, IV incluir alínea b Capítulo III Art. 12. alterar o caput Art. 12. alterar 4º Art. 12. acrescentar 5º Art. 12. acrescentar 6º Art. 15. transferido para o artigo 17 Art. 15. juntar item I e II incluir item II Art. 16. alterado o caput e excluir todos os incisos Art. 17. alterar 4º item IV Capítulo IV Art. 17. renumerado os incisos de III,IV Art. 17. juntar no inciso V os incisos VI e VII Art. 17. alterar o inciso VI

12 Art.18. alterar incisos de I e II Art. 18. incluído IV,V Capítulo V Renumerado art. 19. e alterado inciso I,II e IV Renumerado art. 20. e incluído inciso I,II,III e IV Renumerado o art. 21. Capítulo VI

MINUTA ESTATUTO DO CENTRO DE APOIO SOCIAL AO ALUNO C.A.S.A. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FINALIDADES E DURAÇÃO

MINUTA ESTATUTO DO CENTRO DE APOIO SOCIAL AO ALUNO C.A.S.A. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FINALIDADES E DURAÇÃO MINUTA ESTATUTO DO CENTRO DE APOIO SOCIAL AO ALUNO C.A.S.A. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FINALIDADES E DURAÇÃO Art. 1º O Centro de Apoio Social ao Aluno C.A.S.A., instituído nos termos dos artigos 39, I

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO MONITORIA 2010.2

EDITAL DE SELEÇÃO MONITORIA 2010.2 1 Laureate International Universities R EDITAL DE SELEÇÃO MONITORIA 2010.2 A FACULDADE DOS GUARARAPES, mantida pela Sociedade Capibaribe de Educação e Cultura - SOCEC, com sede em Jaboatão dos Guararapes

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS Educar pela Pesquisa CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS Educar pela Pesquisa CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS Educar pela Pesquisa CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1 - O curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA. Capítulo I Das Disposições Gerais

REGULAMENTO DE MONITORIA. Capítulo I Das Disposições Gerais REGULAMENTO DE MONITORIA Dispõe sobre a regulamentação da Monitoria Capítulo I Das Disposições Gerais Art. 1 O presente regulamento estabelece normas para o processo seletivo de monitoria da Faculdade

Leia mais

DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA

DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO PARA SERVIDORES TÉCNICO ADMINISTRATIVOS DA UFG PRO QUALIFICAR DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA Art.1º. O Programa

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM SERES HUMANOS DA FACULDADE CATÓLICA DO TOCANTINS CEPh/FACTO

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM SERES HUMANOS DA FACULDADE CATÓLICA DO TOCANTINS CEPh/FACTO REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM SERES HUMANOS DA FACULDADE CATÓLICA DO TOCANTINS CEPh/FACTO A FACTO, em cumprimento a Resolução nº. 196, do Conselho Nacional de Saúde (CNS/MS), expedida

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI PRÓ-REITORIA DE ENSINO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI PRÓ-REITORIA DE ENSINO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI PRÓ-REITORIA DE ENSINO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL N 01/2015/PROEN-PROEX/UFCA PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO DE ENSINO E EXTENSÃO PEEX As Pró Reitorias de Ensino e Extensão da

Leia mais

SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE ASSISTENCIA ESTUDANTIL/2013 EDITAL N 005/2013

SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE ASSISTENCIA ESTUDANTIL/2013 EDITAL N 005/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CAMPUS SÃO JOÃO DOS PATOS DIRETORIA GERAL NÚCLEO DE ASSISTENCIA AO EDUCANDO SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE ASSISTENCIA

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH

Regulamento do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH Regulamento do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO Art. 1º O Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH (NAPMED-BH) foi criado

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE PSICOLOGIA ESTÁGIO PROFISSIONAL EM PSICOLOGIA (CURRÍCULO 3) I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE PSICOLOGIA ESTÁGIO PROFISSIONAL EM PSICOLOGIA (CURRÍCULO 3) I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE PSICOLOGIA ESTÁGIO PROFISSIONAL EM PSICOLOGIA (CURRÍCULO 3) I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Psicologia é uma atividade obrigatória, em consonância

Leia mais

EDITAL N. 03, DE 08 DE JULHO DE 2015

EDITAL N. 03, DE 08 DE JULHO DE 2015 1 EDITAL N. 03, DE 08 DE JULHO DE 2015 Regulamenta o Processo Seletivo para ingresso no curso de Graduação em Medicina da Faculdade Alfredo Nasser, no 2º semestre letivo de 2015, na condição de Transferido

Leia mais

REGULAMENTO DOS COLEGIADOS DOS CURSOS SUPERIORES DO IFRS CAMPUS CANOAS CAPÍTULO I DO CONCEITO

REGULAMENTO DOS COLEGIADOS DOS CURSOS SUPERIORES DO IFRS CAMPUS CANOAS CAPÍTULO I DO CONCEITO REGULAMENTO DOS COLEGIADOS DOS CURSOS SUPERIORES DO IFRS Regulamenta o funcionamento dos Colegiados dos Cursos Superiores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Campus

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AO ESTUDANTE PAAE EDITAL Nº 007/2015

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AO ESTUDANTE PAAE EDITAL Nº 007/2015 Loteamento Espaço Alpha (BA522) Bairro: Limoeiro- CEP 42.808-590 Camaçari-BA Telefax: (71) 3649-8600 E-mail: camacari@ifba.edu.br Site: www.camacari.ifba.edu.br POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este regulamento disciplina o Trabalho de Conclusão de Curso - TCC dos Cursos das Faculdades Integradas Hélio Alonso,

Leia mais

Regimento da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação

Regimento da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO Regimento da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação Aprovado pela Resolução

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ESTUDANTES MONITORES PARA O CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ESTUDANTES MONITORES PARA O CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO EDITAL PARA SELEÇÃO DE ESTUDANTES MONITORES PARA O CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO A Diretoria da FCHPE e a Coordenação do Curso de Direito da Faculdade de Ciências Humanas de Pernambuco, com base no ANEXO

Leia mais

Edital para seleção de orientadores e bolsistas de iniciação tecnológica e inovação para o período de 2016-2017

Edital para seleção de orientadores e bolsistas de iniciação tecnológica e inovação para o período de 2016-2017 Edital para seleção de orientadores e bolsistas de iniciação tecnológica e inovação para o período de 2016-2017 O Comitê Institucional dos Programas de Iniciação Científica (CIPIC) da Universidade Federal

Leia mais

FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico

FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico Credenciada pela portaria: MEC 292, de 15.02.2001 DOU Nº 35-E, de 19.02.2001, Seção 1 RESOLUÇÃO

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA - FAMEMA FÓRMULA SANTANDER - 2012 PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL

FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA - FAMEMA FÓRMULA SANTANDER - 2012 PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL FÓRMULA SANTANDER - 2012 O Diretor Geral da Faculdade de Medicina de Marília (Famema), Professor Doutor José Augusto Alves Ottaiano, no uso de suas atribuições, torna público este Edital de seleção de

Leia mais

Ato de autorização Portaria Ministerial nº 1009 de 11 de dezembro de 2015, publicada no D.O.U. no dia 14/12/2015.

Ato de autorização Portaria Ministerial nº 1009 de 11 de dezembro de 2015, publicada no D.O.U. no dia 14/12/2015. Edital de Aviso do Processo Seletivo 2016/1 A Faculdade do Educador Feduc, credenciada pela Portaria nº 1097 de 27 de novembro de 2015 e mantida pela Associação Projeto Nacional de Ensino PRONACE, atendendo

Leia mais

CONSELHO DO CURSO DE DIREITO. Resolução nº 01/2015 do Conselho do curso de graduação em Direito do ILES/Ulbra Itumbiara/GO

CONSELHO DO CURSO DE DIREITO. Resolução nº 01/2015 do Conselho do curso de graduação em Direito do ILES/Ulbra Itumbiara/GO CONSELHO DO CURSO DE DIREITO Resolução nº 01/2015 do Conselho do curso de graduação em Direito do ILES/Ulbra Itumbiara/GO Dispõe sobre as atividades complementares do curso. CONSIDERANDO o que determina

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSUNI Nº 28/2014

RESOLUÇÃO CONSUNI Nº 28/2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO CONSUNI Nº 28/2014 Cria o Laboratório de Análises Clínicas e Ensino em Saúde, Órgão Complementar do Instituto de Ciências Biológicas, e aprova

Leia mais

Edital N 05/2016 - SRI

Edital N 05/2016 - SRI Edital N 05/2016 - SRI Dispõe sobre o programa de Mobilidade Internacional de alunos de graduação da Universidade Federal Fluminense Bolsas Luso- Brasileiras Santander Universidades 2016.2 e 2017.1 A Superintendência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE CULTURA E ARTE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE CULTURA E ARTE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE CULTURA E ARTE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ Maio/2011 1

Leia mais

NORMA DE PROGRAMA DE BOLSA DE EXTENSÃO PARA ALUNOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ -PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO-

NORMA DE PROGRAMA DE BOLSA DE EXTENSÃO PARA ALUNOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ -PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO- NORMA DE PROGRAMA DE BOLSA DE EXTENSÃO PARA ALUNOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ -PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO- CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - A presente norma fixa os procedimentos para

Leia mais

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL PARA GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE DE AVEIRO-PORTUGAL - UA REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA EDITAL Nº 01/2013

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL PARA GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE DE AVEIRO-PORTUGAL - UA REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA EDITAL Nº 01/2013 PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL PARA GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE DE AVEIRO-PORTUGAL - UA REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA EDITAL Nº 01/2013 O Reitor do Centro Universitário UNA, Prof. Átila Simões

Leia mais

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 1/2008

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 1/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário Viçosa, MG 36570-000 Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br RESOLUÇÃO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSANTES NO CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO MODALIDADE LATO SENSU

PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSANTES NO CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO MODALIDADE LATO SENSU PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSANTES NO CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO MODALIDADE LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE CULTURAL O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no uso de suas atribuições

Leia mais

EDITAL PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO ANO LETIVO 2016

EDITAL PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO ANO LETIVO 2016 EDITAL PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO ANO LETIVO 2016 1 DAS INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 O presente regulamento, baseado na Lei 12.868, de 15/10/2013 e no Decreto 8242, de 26/05/2014, disciplina o processo

Leia mais

I. mínimo de 3 (três) anos para o mestrado; II. mínimo de 4 (quatro) anos para doutorado

I. mínimo de 3 (três) anos para o mestrado; II. mínimo de 4 (quatro) anos para doutorado MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS CÂMPUS JATAÍ EDITAL Nº 003/2015/IFG-CÂMPUS JATAÍ SELEÇÃO DE SERVIDORES

Leia mais

Numero do Documento: 1037522

Numero do Documento: 1037522 Numero do Documento: 1037522 EDITAL N.º 19/2011 A Escola de Saúde Pública do Ceará, Autarquia vinculada à Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, criada pela Lei Estadual nº 12.140, de 22 de julho de 1993,

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016 O reitor do Centro Universitário de Brasília UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna público que

Leia mais

Rua Visconde de Inhaúma, 730 - Bairro Nova Gerty - São Caetano do Sul - SP - CEP: 09571-380 Fone/Fax: (11) 4239-2020

Rua Visconde de Inhaúma, 730 - Bairro Nova Gerty - São Caetano do Sul - SP - CEP: 09571-380 Fone/Fax: (11) 4239-2020 EDITAL PRONATEC CULTURA/FASCS 001/2015 A Fundação das Artes de São Caetano do Sul e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, no uso da competência que lhe confere o artigo 11 da Resolução

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS REGULAMENTO DO PROGRAMA BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO EDUCACIONAL CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADE

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS REGULAMENTO DO PROGRAMA BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO EDUCACIONAL CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADE CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS REGULAMENTO DO PROGRAMA BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO EDUCACIONAL CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADE Art.1º- O presente Regulamento destina-se a fixar diretrizes

Leia mais

EDITAL Nº. 43/2014 Processo Seletivo Discente Concessão de Benefícios do Prosup, Bolsas e Taxas Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu

EDITAL Nº. 43/2014 Processo Seletivo Discente Concessão de Benefícios do Prosup, Bolsas e Taxas Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu EDITAL Nº. 43/2014 Processo Seletivo Discente Concessão de Benefícios do Prosup, Bolsas e Taxas No período de 6 a 13 de maio de 2014, estarão abertas as inscrições para o processo seletivo entre os discentes

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS- CCL Coordenação do Curso de Letras

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS- CCL Coordenação do Curso de Letras REGULAMENTO DE MONITORIA TÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1 o A Monitoria no Centro de Comunicação e Letras (CCL) será regida por este regulamento e corresponderá ao conjunto

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 12/2005, DE 26/09/2005.

RESOLUÇÃO Nº 12/2005, DE 26/09/2005. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE UBERABA-MG CONSELHO DIRETOR RESOLUÇÃO Nº 12/2005, DE 26/09/2005. Aprova o Regulamento de Estágio dos Cursos do Centro Federal de

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA DE MEDICINA ESPORTIVA Capítulo I da Liga e seus fins Art. 1º A Liga de Medicina Esportiva é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão da da Universidade

Leia mais

REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (LABEC) DO CENTRO DE EDUCAÇÃO - UFES

REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (LABEC) DO CENTRO DE EDUCAÇÃO - UFES REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (LABEC) DO CENTRO DE EDUCAÇÃO - UFES TÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E DOS SEUS FINS Art. 1 O Laboratório de Educação em Ciências (LABEC) é um órgão do Centro de

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE FORMAÇÃO ACADÊMICA MODALIDADE: MESTRADO E DOUTORADO EDITAL Nº. 11/2015

PROGRAMA DE BOLSAS DE FORMAÇÃO ACADÊMICA MODALIDADE: MESTRADO E DOUTORADO EDITAL Nº. 11/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE FORMAÇÃO ACADÊMICA MODALIDADE: MESTRADO E DOUTORADO EDITAL Nº. 11/2015 O Presidente da Funcap, Prof. Francisco César de Sá Barreto, no uso de suas atribuições estatutárias e regimentais,

Leia mais

EDITAL N 14/2017 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

EDITAL N 14/2017 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS EDITAL N 14/2017 0 DIRETOR-GERAL DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO - CAMPUS JUÍNA, no uso de suas atribuições legais, conferidas pela Portaria IFMT N 864, de 19/04/2017,

Leia mais

EDITAL Nº 79/2017 PROJETO DE APOIO SOCIAL E PEDAGÓGICO DA UNIPAMPA PASP

EDITAL Nº 79/2017 PROJETO DE APOIO SOCIAL E PEDAGÓGICO DA UNIPAMPA PASP EDITAL Nº 79/2017 PROJETO DE APOIO SOCIAL E PEDAGÓGICO DA UNIPAMPA PASP O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna público que estão abertas as inscrições

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA UNIVERSIDADE DA AMAZONIA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA UNIVERSIDADE DA AMAZONIA 29/02/26 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE AMAZONIA Belém 26 29/02/26 Dispõe sobre normas de Monitoria da Universidade da Amazônia. CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º Adotar e estimular a Monitoria Acadêmica, que

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU TÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU TÍTULO I DOS OBJETIVOS REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu oferecidos pela Universidade Vila Velha ES (UVV), em caráter de educação continuada,

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS

Universidade Federal de São Paulo PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS EDITAL PRAE Nº 04/2015 PROGRAMA DE AUXÍLIO PARA ESTUDANTES PAPE/UNIFESP PROGRAMA BOLSA PERMANÊNCIA PBP/MEC (2016) BAIXADA SANTISTA, DIADEMA, GUARULHOS, OSASCO, SÃO JOSÉ DOS CAMPOS E SÃO PAULO. A Pró-Reitoria

Leia mais

COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DO OBJETO E SUAS FINALIDADES CAPÍTULO II DA COMPOSIÇÃO

COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DO OBJETO E SUAS FINALIDADES CAPÍTULO II DA COMPOSIÇÃO M A T E R N I D A D E - E S C O L A COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DO OBJETO E SUAS FINALIDADES ARTIGO 1 0 O COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DA MATERNIDADE ESCOLA DA UNIVERSIDADE

Leia mais

1.8. Correspondência eletrônica dirigida ao Polo 46 do MNPEF deve ser endereçada a: aclm@df.ufpe.br, mnpef.caa@ufpe.br

1.8. Correspondência eletrônica dirigida ao Polo 46 do MNPEF deve ser endereçada a: aclm@df.ufpe.br, mnpef.caa@ufpe.br Universidade Federal de Pernambuco Centro acadêmico do Agreste Núcleo Interdisciplinar de Ciências Exatas e Inovação Tecnológica Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física [POLO 46 UFPE/CARUARU] EDITAL

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 03/2016. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias;

RESOLUÇÃO Nº 03/2016. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias; RESOLUÇÃO Nº 03/2016 Revoga a Resolução nº 05/2014- CONUNI e estabelece normas para o Programa Integrado de Desenvolvimento e capacitação Estudantil da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF).

Leia mais

1. DO OBJETIVO 2. DOS REQUISITOS

1. DO OBJETIVO 2. DOS REQUISITOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS SETOR DE BOLSAS ESTUDANTIS AUXÍLIO TRANSPORTE 1º SEMESTRE EDITAL Nº. 011/2016, 20 DE ABRIL DE 2016 A Pró-Reitora de Assuntos Estudantis,

Leia mais

Faculdade Processus REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS

Faculdade Processus REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS Dispõe sobre a oferta de atividades de Monitoria no curso de graduação da Faculdade Processus e dá outras providências.

Leia mais

EDITAL Nº 21, DE 27 DE ABRIL DE 2016.

EDITAL Nº 21, DE 27 DE ABRIL DE 2016. EDITAL Nº 21, DE 27 DE ABRIL DE 2016. O PRÓ-REITOR DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO da, no uso de suas atribuições, torna público o presente Edital para abertura das inscrições, visando à seleção

Leia mais

FACULDADE DE TEOLOGIA - FAT

FACULDADE DE TEOLOGIA - FAT VOTO CONSU 2012-16 DE 26/04/2012 CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO - UNASP FACULDADE DE TEOLOGIA - FAT REGIMENTO 2012 2 SUMÁRIO TÍTULO I DA FACULDADE, SEUS FINS E OBJETIVOS... 3 TÍTULO II DA

Leia mais

EDITAL Nº 48/2011. Para inscrever-se nesse curso o candidato deve ter concluído o ensino médio até julho de 2011.

EDITAL Nº 48/2011. Para inscrever-se nesse curso o candidato deve ter concluído o ensino médio até julho de 2011. EDITAL Nº 48/2011 O Instituto Federal do Paraná - IFPR torna públicas as normas a seguir, que regem o Processo Seletivo para ingresso no curso Técnico Subsequente (pós-médio) em Aquicultura do Campus Foz

Leia mais

Ato de autorização Portaria Ministerial nº 1009 de 11 de dezembro de 2015, publicada no D.O.U. no dia 14/12/2015.

Ato de autorização Portaria Ministerial nº 1009 de 11 de dezembro de 2015, publicada no D.O.U. no dia 14/12/2015. Edital de Aviso do Processo Seletivo 2016/2 A Faculdade do Educador Feduc, credenciada pela Portaria nº 1097 de 27 de novembro de 2015 e mantida pela Associação Projeto Nacional de Ensino PRONACE, atendendo

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE MONITORIA

REGULAMENTO GERAL DE MONITORIA CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ REGULAMENTO GERAL DE MONITORIA FAFIL/FAECO/FAENG Índice Capítulo I Das Finalidades 3 Capítulo II - Das Inscrições dos Alunos 3 Capítulo III - Dos critérios de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TUCURUÍ RESOLUÇÃO:

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TUCURUÍ RESOLUÇÃO: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TUCURUÍ RESOLUÇÃO N. 730, DE 01 DE SETEMBRO DE 2015. Aprova o Regimento dos Cursos de Pós-Graduação Lato

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES CEP/HUOL REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA CENTRO DE FORMAÇÃO DA UFGD

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA CENTRO DE FORMAÇÃO DA UFGD REGULAMENTO DO 1 DEFINIÇÃO/OBJETIVO O Projeto de Extensão Centro de Formação da UFGD está sob a coordenação da Pró- Reitoria de Extensão e Cultura e objetiva oferecer à comunidade cursos de extensão de

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. Este Regulamento estabelece as políticas básicas das

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 97/2008

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 97/2008 CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 97/2008 Assunto: Estabelece normas para atividades dos representantes de turma. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão do

Leia mais

EMENTA: APROVA A PROPOSTA DE REGULAMENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DO PROJETO DE AÇÕES COMUNITÁRIAS.

EMENTA: APROVA A PROPOSTA DE REGULAMENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DO PROJETO DE AÇÕES COMUNITÁRIAS. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 028/06-CONSU/UNIFAP de 29 de setembro de 2006. EMENTA: APROVA A PROPOSTA DE REGULAMENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DO

Leia mais

INSTITUTO DE UROLOGIA E NEFROLOGIA CGC: 46.905.121/0001-83 CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES

INSTITUTO DE UROLOGIA E NEFROLOGIA CGC: 46.905.121/0001-83 CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES Diretoria Executiva Dr. Carlos B. M. Verona Dr. Cleverson Luiz R. D Avila Prof. Dr. Mário Abbud Filho Diretor Clínico Prof.Dr. Miguel Zerati Filho Coordenadores da Coreme Dr. Carlos B. M. Verona Prof.Dr.

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O presente Regulamento de Estágios visa disciplinar os estágios do curso de Engenharia da Computação,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (COREME-FMUSP)

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (COREME-FMUSP) REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (COREME-FMUSP) TÍTULO I - DA CATEGORIA, FINALIDADE E COMPETÊNCIA DA COMISSÃO E RESIDÊNCIA MÉDICA

Leia mais

COREMU/COREME. Edital 002/2015 Edital conjunto da COREMU/CEULP e COREME/FESP-Palmas, TO

COREMU/COREME. Edital 002/2015 Edital conjunto da COREMU/CEULP e COREME/FESP-Palmas, TO COREMU/COREME Edital 002/2015 Edital conjunto da COREMU/CEULP e COREME/FESP-Palmas, TO SELEÇÃO DE TUTORES E PRECEPTORES PARA COMPOREM CADASTRO RESERVA PARA ATUAR NO PROGRAMA INTEGRADO DE RESIDÊNCIAS EM

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DE ENSINO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DE ENSINO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DE ENSINO

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO -

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO - Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO - CAPÍTULO I Da Natureza, das Finalidades e dos Objetivos Art.

Leia mais

Art. 5º - São direitos dos membros efetivos:

Art. 5º - São direitos dos membros efetivos: ANTE-PROJETO DO ESTATUTO DA EMPRESA JÚNIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE AMERICANA - 06/04/ Capítulo I - Denominação, Sede, Finalidade e Duração Art. 1º - A empresa Júnior da Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

ANEXO I EDITAL Nº 01/2013 SELEÇÃO DE ALUNOS DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA UTFPR PARA O PROGRAMA DE LICENCIATURAS INTERNACIONAIS

ANEXO I EDITAL Nº 01/2013 SELEÇÃO DE ALUNOS DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA UTFPR PARA O PROGRAMA DE LICENCIATURAS INTERNACIONAIS ANEXO I EDITAL Nº 01/2013 SELEÇÃO DE ALUNOS DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA UTFPR PARA O PROGRAMA DE LICENCIATURAS INTERNACIONAIS As Diretorias de Graduação e Educação Profissional da Universidade Tecnológica

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DESPORTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DESPORTO Edital simplificado para seleção de acadêmicos remunerados e voluntários do projeto de extensão Amigos

Leia mais

REGULAMENTO PARA ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Maio de 2011

REGULAMENTO PARA ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Maio de 2011 REGULAMENTO PARA ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Maio de 2011 Este documento trata das especificidades referentes ao curso de Arquitetura e Urbanismo da da UNESP Presidente Prudente.

Leia mais

Faculdade Presidente Antônio Carlos de Itabirito Faculdade de Administração de Itabirito Faculdade de Tecnologia dos Inconfidentes

Faculdade Presidente Antônio Carlos de Itabirito Faculdade de Administração de Itabirito Faculdade de Tecnologia dos Inconfidentes EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 O Diretor Acadêmico da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Itabirito, da Faculdade de Administração de Itabirito e da, em consonância com as Portarias

Leia mais

EDITAL Nº 16/2015 INGRESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR (MATRÍCULA ESPECIAL)

EDITAL Nº 16/2015 INGRESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR (MATRÍCULA ESPECIAL) EDITAL Nº 16/2015 INGRESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR (MATRÍCULA ESPECIAL) A Direção Acadêmica e Administrativada Faculdade Guanambi, no uso de suas atribuições legais, em atendimento ao

Leia mais

CÂMARA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EFLCH - UNIFESP REGULAMENTO

CÂMARA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EFLCH - UNIFESP REGULAMENTO Regulamento aprovado pelo Conselho de Pós- Graduação e Pesquisa da UNIFESP (24 de junho de 2015) e pela Congregação da EFLCH (06 de agosto de 2015). CÂMARA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EFLCH - UNIFESP REGULAMENTO

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DA PREVIDÊNCIA ESCOLA DE GOVERNO DO PARANÁ CENTRAL DE ESTÁGIO

SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DA PREVIDÊNCIA ESCOLA DE GOVERNO DO PARANÁ CENTRAL DE ESTÁGIO A Lei Federal Nº 11.788/2008 em seu Art. 2 1º, determina que Estágio obrigatório é aquele definido como tal no projeto do curso, cuja carga horária é requisito para aprovação e obtenção de diploma. Para

Leia mais

EDITAL MOBILIDADE INTERNACIONAL AMÉRICA LATINA Edital N 05/2014 DRI/PROAES

EDITAL MOBILIDADE INTERNACIONAL AMÉRICA LATINA Edital N 05/2014 DRI/PROAES EDITAL MOBILIDADE INTERNACIONAL AMÉRICA LATINA Edital N 05/2014 DRI/PROAES Dispõe sobre o programa de Mobilidade Acadêmica Internacional para alunos de graduação da Universidade Federal Fluminense que

Leia mais

REGIMENTO DO COMITÊ DE ÉTICA NA EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL DA UNIVERSIDADE DE UBERABA (Aprovado pelo CEEA / UNIUBE em 28/03/2012) Capítulo I Do Comitê

REGIMENTO DO COMITÊ DE ÉTICA NA EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL DA UNIVERSIDADE DE UBERABA (Aprovado pelo CEEA / UNIUBE em 28/03/2012) Capítulo I Do Comitê REGIMENTO DO COMITÊ DE ÉTICA NA EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL DA UNIVERSIDADE DE UBERABA (Aprovado pelo CEEA / UNIUBE em 28/03/2012) Capítulo I Do Comitê Art. 1º - O Comitê de Ética na Experimentação Animal (CEEA)

Leia mais

EDITAL SELEÇÃO DE ESTUDANTES DA UNOESTE PARA O PROGRAMA DE BOLSAS IBERO AMERICANAS - MOBILIDADE INTERNACIONAL SANTANDER UNIVERSIDADES

EDITAL SELEÇÃO DE ESTUDANTES DA UNOESTE PARA O PROGRAMA DE BOLSAS IBERO AMERICANAS - MOBILIDADE INTERNACIONAL SANTANDER UNIVERSIDADES EDITAL SELEÇÃO DE ESTUDANTES DA UNOESTE PARA O PROGRAMA DE BOLSAS IBERO AMERICANAS - MOBILIDADE INTERNACIONAL SANTANDER UNIVERSIDADES PROGRAMA DE BOLSAS IBERO-AMERICANAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO SANTANDER

Leia mais

EDITAL DA N.º 01/2017

EDITAL DA N.º 01/2017 EDITAL DA N.º 01/2017 DIVULGA AS VAGAS CONTEMPLADAS E INFORMA OS PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE MONITORES PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA PIM 2017. O Diretor Acadêmico da FAE São

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS UFAL Secretaria Executiva dos Conselhos Superiores SECS/UFAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS UFAL Secretaria Executiva dos Conselhos Superiores SECS/UFAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS UFAL Secretaria Executiva dos Conselhos Superiores SECS/UFAL RESOLUÇÃO Nº 55/2008-CONSUNI/UFAL, de 10 de novembro de 2008. APROVA NORMAS QUE DISCIPLINAM O PROGRAMA DE MONITORIA

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PNEUMOLOGIA DA ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PNEUMOLOGIA DA ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PNEUMOLOGIA DA ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Aprovado em Reunião ordinária da CEPG em 03 de setembro de 2013 Capítulo I Disposição

Leia mais

Regulamento Institucional

Regulamento Institucional FACULDADES INTEGRADAS DE CACOAL Regulamento Institucional COMITÊ EDITORIAL O Comitê Editorial da UNESC te como finalidade coordenar, orientar e avaliar a produção de artigos e similares para a publicação

Leia mais

VOTO CONSU de 26/04/2012 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA

VOTO CONSU de 26/04/2012 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOTO CONSU 2012-04 de 26/04/2012 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA 2012 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º O Programa de Monitoria do Centro Universitário Adventista de São Paulo UNASP é um programa

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE EVANGÉLICA DE GOIANÉSIA

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE EVANGÉLICA DE GOIANÉSIA REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE EVANGÉLICA DE GOIANÉSIA TÍTULO I DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO DA COMISSÃO Art. 1º - O presente Regulamento Interno

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL 2013. Edital Nº 016/2013

PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL 2013. Edital Nº 016/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CAMPUS TIMON DIRETORIA GERAL NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA AO EDUCANDO/SERVIÇO SOCIAL PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ACOMPANHAMENTO DA INTEGRAÇÃO DE ASSESSORAMENTO AO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ACOMPANHAMENTO DA INTEGRAÇÃO DE ASSESSORAMENTO AO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ACOMPANHAMENTO DA INTEGRAÇÃO DE ASSESSORAMENTO AO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I DO COMITÊ DE ACOMPANHAMENTO DA INTEGRAÇÃO Artigo 1º. O Comitê de Acompanhamento da

Leia mais

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA EDITAL Nº 009/2016 DO PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR CONTINUADO A Instituição Adventista Nordeste Brasileira de Educação e Assistência Social torna público o Edital Nº 009/2016 do Processo Seletivo de Vestibular

Leia mais

Edital 20/2015 DIRGRAD Seleção de alunos para projetos de Melhoria dos Cursos de Graduação e Técnicos Integrados de Nível Médio da UTFPR

Edital 20/2015 DIRGRAD Seleção de alunos para projetos de Melhoria dos Cursos de Graduação e Técnicos Integrados de Nível Médio da UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Diretoria de Graduação e Educação Profissional PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Edital 20/2015 DIRGRAD Seleção de alunos para

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ

PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA Artigo 1º - O Programa de Monitoria, mantido pela Faculdade de Medicina de Itajubá,

Leia mais

ADMISSÃO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO 2015. 2B EDITAL Nº 03

ADMISSÃO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO 2015. 2B EDITAL Nº 03 ADMISSÃO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO 2015. 2B EDITAL Nº 03 Recife,2015 Sumário Edital nº 03 - Admissão de alunos para os cursos de Pós-Graduação A Devry João Pessoa, estabelecimento de ensino superior,

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA (valido a partir de 1º de fevereiro de 2016)

REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA (valido a partir de 1º de fevereiro de 2016) REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA (valido a partir de 1º de fevereiro de 2016) Aprovado pelo Conselho de Curso de Graduação em Engenharia Elétrica em / /. Aprovado pela

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO ACADÊMICO DE PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 03/2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO ACADÊMICO DE PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 03/2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO ACADÊMICO DE PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 03/2014 Aprova as Normas Complementares para Cursos de Pós-Graduação

Leia mais

EDITAL nº 17/2016 PRÊMIO CAPES DE TESE - EDIÇÃO 2016 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

EDITAL nº 17/2016 PRÊMIO CAPES DE TESE - EDIÇÃO 2016 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS EDITAL nº 17/2016 PRÊMIO CAPES DE TESE - EDIÇÃO 2016 A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Capes, instituída como Fundação Pública, criada pela Lei nº. 8.405, de 09 de janeiro de

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- VITÓRIA 003/2016 ALTERADO EM 14/06/2016

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- VITÓRIA 003/2016 ALTERADO EM 14/06/2016 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- VITÓRIA 003/2016 ALTERADO EM 14/06/2016 Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE

Leia mais

FACULDADE PITAGORAS EDITAL 01/16 PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE PITAGORAS - SÃO LUIS

FACULDADE PITAGORAS EDITAL 01/16 PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE PITAGORAS - SÃO LUIS EDITAL 01/16 PROGRAMA DE MONITORIA DA - SÃO LUIS O Diretor Geral da Faculdade Pitágoras, através da Núcleo de Atendimento Institucional - NAI, no uso de suas atribuições regimentais e de acordo com o que

Leia mais

EDITAL Nº 002/2016 SELEÇÃO DE LICENCIANDOS PARA O PROGRAMA DE MONITORIA DE SUPORTE DE APRENDIZAGEM

EDITAL Nº 002/2016 SELEÇÃO DE LICENCIANDOS PARA O PROGRAMA DE MONITORIA DE SUPORTE DE APRENDIZAGEM INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CAMPUS MACEIÓ DIRETORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE FORMAÇÃO GERAL EDITAL Nº 002/2016 SELEÇÃO DE LICENCIANDOS PARA O PROGRAMA DE MONITORIA

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 1 SEMESTRE DE 2016 FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 1 SEMESTRE DE 2016 FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 1 SEMESTRE DE 2016 FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM COMISSÃO ORGANIZADORA Solange Fonseca Marquione Gomes Raquel Munis Suelen Gomes 2 SUMÁRIO 1 - CURSOS OFERECIDOS 04 2 - AGENDA

Leia mais

1.3 - A taxa de inscrição, que não será devolvida em hipótese nenhuma, terá o valor de R$ 25,00.

1.3 - A taxa de inscrição, que não será devolvida em hipótese nenhuma, terá o valor de R$ 25,00. EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DE OUTRAS CAPTAÇÕES UNA 2016/2º - PARA OS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA, FACULDADE UNA DE BETIM E A FACULDADE UNA DE CONTAGEM A Vice-Reitoria do Centro Universitário

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 004/2011 CONSUNI/CGRAD Institui o Programa de Monitorias no âmbito da UFFS e dá outras providências. A Câmara de Graduação do Conselho Universitário CGRAD/CONSUNI, da Universidade Federal

Leia mais