Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31 6 C ; > OE O ƐƚĂƚƵƐ 6 > 8 2/

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

61

62

63

64

65

66

67

68

69

70

71

72 72

73

74

75

76

77 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0

78 ,

79

80

81

82

83

84

85

86

87

88 o

89

90

91

92

93

94

95

96

97

98

99

100

101

102

103

104

105

106

107

108

109

110

111

112

113

114

115

116

117

118

119

120

121

122

123

124

125

126

127

128

129

130 o

131 o o o o o o o o o

132

133

134

135

136

137

138

139

140

141

142

143

144

145

146

147

148

149

150

151

152

153 ,3% 1,3% 1,3%

154

155

156

157

158

159

160

161

162

163

164

165

166

167 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras (Traduçãolivredooriginaleminglês) DemonstraçõesContábeisConsolidadas em31dedezembrode2012,2011e2010 comrelatóriodosauditoresindependentes

168 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras Conteúdo Parecerdosauditoresindependentes...F3F5 BalançoPatrimonialConsolidado...F6 DemonstraçãodoResultadoConsolidada...F7 DemonstraçãodoResultadoAbrangenteConsolidada...F8 DemonstraçãodasMutaçõesdoPatrimônioLíquidoConsolidada...F9 DemonstraçãodoFluxodeCaixaConsolidada...F10 F11 Notasexplicativasàsdemonstraçõescontábeisconsolidadas 1ACompanhiaesuasoperações...F12 2Basedepreparação...F12 3Basedeconsolidação...F14 4Sumáriodasprincipaispráticascontábeis...F15 5Caixaeequivalentesdecaixa...F24 6Títulosevaloresmobiliários...F25 7Contasareceber...F25 8Estoques...F26 9Outrasinformaçõessobreativos...F27 10Investimentos...F28 11Imobilizado...F31 12Intangível...F33 13Atividadesdeexploraçãoeavaliaçãodereservadepetróleoegásnatural...F35 14Fornecedores...F37 15Financiamentos...F37 16Arrendamentosmercantis...F41 17Partesrelacionadas...F42 18Provisõesparadesmantelamentodeáreas(nãocirculante)...F44 19Impostos...F45 20Benefíciosconcedidosaempregados...F49 21Participaçãonoslucrosouresultados...F55 22Patrimôniolíquido...F55 23Receitadevendas...F58 24Outrasdespesasoperacionais,líquidas...F59 25Despesaspornatureza...F59 26Resultadofinanceirolíquido...F60 27Processosjudiciaisecontingências...F60 28Compromissodecompradegásnatural...F67 29Garantiasaoscontratosdeconcessãoparaexploraçãodepetróleo...F67 30Gerenciamentoderiscoseinstrumentosfinanceirosderivativos...F67 31Valorjustodosativosepassivosfinanceiros...F76 32Seguros...F77 33InformaçõesporSegmento...F78 34Eventossubsequentes...F83 35InformaçãosobreTítulosEmitidosporSubsidiárias,Garantidos...F83 InformaçãoComplementarsobreAtividadesdeExploraçãoeProduçãodePetróleoeGás(Não Auditadas)...F90 F-2

169 (Tradução livre do original em inglês) Parecer da firma registrada de auditoria independente Ao Conselho de Administração e acionistas Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras Somos de parecer que os balanços patrimoniais consolidados e as correspondentes demonstrações consolidadas do resultado, dos resultados abrangentes, dos fluxos de caixa e das mutações do patrimônio líquido, apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras e de suas controladas (a "Companhia") em 31 de dezembro de 2012, de acordo normas internacionais de relatório financeiro (IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board (IASB). Somos também de parecer que a Companhia manteve, em todos os aspectos relevantes, controles internos efetivos relacionados às demonstrações contábeis consolidadas em 31 de dezembro de 2012, com base nos critérios estabelecidos no Internal Control - Integrated Framework emitido pelo Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission - COSO. A administração da Companhia é responsável por essas demonstrações contábeis, por manter controles internos efetivos sobre as demonstrações contábeis e pela avaliação da efetividade dos controles internos relacionados às demonstrações contábeis, incluída no Relatório da Administração sobre Controles Internos Relacionados às Demonstrações Contábeis. Nossa responsabilidade é a de emitir opiniões sobre essas demonstrações contábeis e sobre a efetividade dos controles internos da Companhia relacionados às demonstrações contábeis, com base em nossas auditorias integradas. Nossos exames foram conduzidos de acordo com as normas do Public Company Accounting Oversight Board dos Estados Unidos da América. Essas normas exigem que os exames de auditoria sejam planejados e executados com o objetivo de obtermos razoável segurança de que as demonstrações contábeis estão livres de erros relevantes e se a efetividade dos controles internos da Companhia relacionados às demonstrações contábeis foi mantida em seus aspectos relevantes. Nossos procedimentos de auditoria sobre as demonstrações contábeis compreenderam o exame, com base em testes, das evidências que suportam os valores e as informações contábeis divulgados, a avaliação das práticas e estimativas contábeis mais representativas adotadas pela administração da Companhia, bem como da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Nosso exame de controles internos relacionados às demonstrações contábeis consolidadas compreende a obtenção de um entendimento dos controles internos relacionados às demonstrações contábeis consolidadas, a avaliação do risco de que exista fraqueza material e o teste e a avaliação do desenho e da efetividade operacional dos controles internos com base em nossa avaliação de risco. Nossos exames também incluíram a realização de outros procedimentos que consideramos necessários nas circunstâncias. Acreditamos que nossos exames proporcionam uma base adequada para nossas opiniões. F-3

170 Os controles internos de uma companhia relacionados às demonstrações contábeis são processos desenvolvidos para fornecer conforto razoável em relação à confiabilidade dos relatórios financeiros e à elaboração das demonstrações contábeis consolidadas, divulgadas de acordo com princípios contábeis geralmente aceitos. Os controles internos de uma companhia relacionados às demonstrações contábeis incluem as políticas e procedimentos que: (i) dizem respeito à manutenção de registros que, em detalhes razoáveis, refletem precisa e adequadamente as transações e destinações dos ativos da companhia; (ii) proporcionam conforto razoável de que as transações são registradas conforme necessário para permitir a adequada apresentação das demonstrações contábeis consolidadas de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos, e que os recebimentos e pagamentos da companhia são efetuados somente de acordo com autorizações da administração e dos diretores da companhia; e (iii) fornecem conforto razoável em relação à prevenção ou detecção tempestiva de aquisição, utilização ou destinação não autorizadas dos ativos da companhia que poderiam ter um efeito relevante sobre as demonstrações contábeis. Em razão de suas limitações inerentes, os controles internos relacionados às demonstrações contábeis podem não impedir ou não detectar erros. Da mesma forma, as futuras avaliações da efetividade dos controles internos estão sujeitas ao risco de que estes venham a se tornar inadequados por causa de mudanças nas condições, ou que o grau de adequação às políticas e aos procedimentos venham a se deteriorar. O balanço patrimonial consolidado da Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras em 31 de dezembro de 2011 e as correspondentes demonstrações consolidadas dos resultados, dos resultados abrangentes, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para cada um dos exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e de 2010, foram auditados por outros auditores que emitiram relatório de auditoria em 30 de março de 2012, sem ressalvas. Rio de Janeiro, 4 de fevereiro de 2013 PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes CRC 2SP000160/O-5 "F" RJ Marcos Donizete Panassol Contador CRC 1SP155975/O-8 "S" RJ F-4

171 (Tradução livre do original em inglês) Relatório dos auditores independentes registrados no PCAOB (*) Ao Conselho de Administração e aos Acionistas da Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras Rio de Janeiro RJ Auditamos os balanços patrimoniais consolidados da Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras e controladas ( Companhia ) em 31 de dezembro 2011, e as respectivas demonstrações dos resultados, resultado abrangente, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para cada um dos exercícios no período de dois anos findos em 31 de dezembro de A administração da Companhia é responsável por essas demonstrações contábeis consolidadas Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis consolidadas com base em nossa auditoria. Nossa auditoria foi conduzida de acordo com as normas do Conselho de Supervisão de Contabilidade das Companhias Abertas nos Estados Unidos da América (PCAOB Public Company Accounting Oversight Board). Estas normas requerem que uma auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis consolidadas não contêm erros materiais. Nossa auditoria das demonstrações contábeis consolidadas compreende ainda a constatação, com base em testes, das evidências e dos registros que suportam os valores e as informações contábeis divulgados nas demonstrações contábeis consolidadas, a avaliação das práticas e das estimativas contábeis mais representativas adotadas pela administração, bem como da apresentação das demonstrações contábeis consolidadas tomadas em conjunto. Acreditamos que nossa auditoria proporciona uma base adequada para emitir nossa opinião. Em nossa opinião, as demonstrações contábeis consolidadas referidas anteriormente representam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição financeira da Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras e controladas em 31 de dezembro de 2011, os resultados de suas operações e seus fluxos de caixa para cada um dos exercícios no período de dois anos findos em 31 de dezembro de 2011, de acordo com as normas internacionais de relatório financeiro (IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board - IASB. KPMG Auditores Independentes Rio de Janeiro, Brasil 30 de março de 2012 (*) Conselho de Supervisão de Contabilidade das Companhias Abertas nos Estados Unidos (PCAOB - Public Company Accounting Oversight Board ). F-5

172 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras BalançoPatrimonialConsolidado Exercíciosfindosem31dedezembrode2012e2011 (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos) Ativo Nota Passivo Nota Circulante Circulante Caixaeequivalentesdecaixa Fornecedores Títulosevaloresmobiliários Financiamentosdecurtoprazo Contasareceber,líquidas Parceladecurtoprazodearrendamentos Estoques mercantisfinanceiros Impostosetaxasarecuperar Impostosecontribuiçõessociais Adiantamentoafornecedores Dividendospropostos Outrosativoscirculantes Salários,férias,encargoseparticipações Planosdepensãoesaúde Outrospassivoscirculantes Nãocirculante Nãocirculante RealizávelaLongoPrazo NãoCirculante Contasareceber,líquidas Financiamentosdelongoprazo Títulosevaloresmobiliários Parceladelongoprazodearrendamentos Depósitosjudiciais mercantisfinanceiros Impostosecontribuiçãosocialdiferidos Impostosecontribuiçãosocialdiferidos Impostosecontribuiçãosocial Planosdepensãoesaúde Adiantamentoafornecedores Provisãoparaprocessosjudiciais Outrosativosrealizáveisalongoprazo Provisãoparadesmantelamentodeáreas Outrospassivosnãocirculantes Investimentos ImobilizadoLíquido Patrimôniolíquido 22 Intangível Capitalsocialrealizado Contribuiçãoadicionaldecapital Reservasdelucros Outrosresultadosabrangentesacumulados (7.144) PatrimôniolíquidoPetrobras Participaçãodosacionistasnãocontroladores PatrimôniolíquidoTotal Totaldoativo Totaldopassivoepatrimôniolíquido As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis consolidadas. F-6

173 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras DemonstraçãodoResultadoConsolidada Exercíciosfindosem31dedezembrode2012,2011e2010 (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos,excetoolucroporação) Nota Receitadevendas Custodosprodutosvendidos ( ) (99.595) (77.145) Lucrobruto Receitas(despesas) Vendas (4.927) (5.346) (4.863) Geraiseadministrativas (5.034) (5.161) (4.441) Custosexploratóriosparaextraçãodepetróleoegás (3.994) (2.630) (2.168) Custoscompesquisaedesenvolvimento (1.143) (1.454) (989) Tributárias (386) (460) (509) Outrasreceitasedespesasoperacionais,líquidas 24 (4.185) (3.984) (3.965) (19.669) (19.035) (16.935) Lucroantesdoresultadofinanceiro,participaçãoeimpostos Resultadofinanceirolíquido 26 (1.926) Resultadodeparticipaçõeseminvestimentos Participaçãonoslucrosouresultados 21 (524) (867) (996) Lucroantesdosimpostos Impostoderendaecontribuiçãosocial 19.3 (3.562) (6.732) (6.825) Lucrolíquido Lucro(perda)líquido(a)atribuívelaos: AcionistasdaPetrobras Acionistasnãocontroladores (103) (129) Lucrobásicoediluídoporação(emUS$) ,85 1,54 2,03 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis consolidadas. F-7

174 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras DemonstraçãodoResultadoAbrangenteConsolidada Exercíciosfindosem31dedezembrode2012,2011e2010 (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos) Lucrolíquido Outrosresultadosabrangentes: Ajustesacumuladosdeconversão (14.558) (21.859) Custoatribuídodecoligadas Resultadosnãorealizadosemtítulosdisponíveisparaavenda Reconhecidosnopatrimôniolíquido Transferidosparaoresultado (714) 14 (4) Resultadosnãorealizadoscomhedgedefluxodecaixa Reconhecidosnopatrimôniolíquido (3) (29) 8 Transferidosparaoresultado 7 4 (7) Impostoderendaecontribuiçãosocialdiferidos 73 (24) (62) (14.692) (21.816) Resultadoabrangentetotal (3.761) (1.824) Resultadoabrangenteatribuívelaos: AcionistasdaPetrobras (3.481) (1.670) Acionistasnãocontroladores (280) (154) 350 Resultadoabrangentetotal (3.761) (1.824) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis consolidadas. F-8

175 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras DemonstraçãodasMutaçõesdoPatrimônioLíquidoConsolidada Exercíciosfindosem31dedezembrode2012,2011e2010 (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos) Contribuiçãoadicionalde capital Reservasde capital Outrosresultados abrangentes Reservasdelucros Capital subscritoe integralizado Gastoscom emissãode ações Mudançade participação em subsidiárias Incentivos fiscais Ajuste acumulado deconversão Outros resultados abrangentes Legal Estatutária Incentivos fiscais Retençãode lucros Lucros acumulados Totaldo patrimônio líquido atribuívelaos acionistasda Petrobras Participação dos acionistas não controladores Totaldo patrimônio líquido consolidado Saldosajustadosem1ºdejaneirode (716) Aumentodecapitalcomreservas (220) (520) (8) (2.723) Aumentodecapitalcomemissãodeações (279) Ajusteacumuladodeconversão (20) (44) Resultadosnãorealizadosemtítulos paraavendaehedgedefluxodecaixa Realizaçãodecustoatribuído (6) 6 Mudançadeparticipaçãoemsubsidiárias (563) (563) 175 (388) Lucrolíquido Destinações: Apropriaçõesdolucrolíquidoemreservas (12.451) Dividendos (6.874) (6.874) 79 (6.795) Saldosem31dedezembrode (279) Aumentodecapitalcomreservas 14 (14) Aumentodecapitalcomemissãodeações Ajusteacumuladodeconversão (22.433) 599 (21.834) (25) (21.859) Resultadosnãorealizadosemtítulos paraavendaehedgedefluxodecaixa Realizaçãodecustoatribuído (6) 6 Mudançadeparticipaçãoemsubsidiárias (292) 17 Lucrolíquido (129) Destinações: Apropriaçõesdolucrolíquidoemreservas (13.821) Dividendos (6.905) (6.905) (121) (7.026) Saldosem31dedezembrode (279) Aumentodecapitalcomreservas 7 (7) Aumentodecapitalcomemissãodeações Ajusteacumuladodeconversão (14.943) 563 (14.380) (178) (14.558) Resultadosnãorealizadosemtítulos paraavendaehedgedefluxodecaixa (139) (139) (139) Realizaçãodecustoatribuído (5) 5 Mudançadeparticipaçãoemsubsidiárias Lucrolíquido (103) Destinações: Apropriaçõesdolucrolíquidoemreservas (7.103) Dividendos (4.499) (4.499) (109) (4.608) (279) 628 (7.246) Saldosem31dedezembrode (7.144) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis consolidadas. F-9

176 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras DemonstraçãodoFluxodeCaixaConsolidada Exercíciosfindosem31dedezembrode2012,2011e2010 (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos) Fluxosdecaixadasatividadesoperacionais LucrolíquidoatribuívelaosacionistasdaPetrobras Ajustespara: Resultadodosacionistasnãocontroladores (103) (129) 394 Resultadodeparticipaçõeseminvestimentos (43) (230) (347) Depreciação,depleçãoeamortização Perdanarecuperaçãodeativos Baixadepoçossecos Valorresidualdebensbaixadosdenaturezapermanente Variaçõescambiais,monetáriaseencargosfinanceiros (7) Impostoderendaecontribuiçãosocialdiferidos,líquidos DespesaAtuarialcomplanodepensãoesaúde Aumento/Reduçãodeativos Contasareceber (1.522) (2.326) (2.454) Estoques (1.864) (5.035) (453) Outrosativos (1.990) (2.537) 13 Aumento/Reduçãodepassivos Fornecedores Impostos,taxasecontribuições (1.139) (1.991) (2.089) Planosdepensãoedesaúde (735) (837) (647) Outrospassivos (335) Recursoslíquidosgeradospelasatividadesoperacionais Atividadesdeinvestimentos Outrosinvestimentos (43.868) Títulosevaloresmobiliários Dividendosrecebidos (4.351) Fluxodecaixausadonasatividadesdeinvestimentos (16.936) Investimentosemexploraçãoeprodução (21.397) (18.714) (21.287) Investimentosemabastecimento (13.717) (15.683) (15.982) Investimentosemgáseenergia (1.967) (2.627) (4.135) Investimentonosegmentointernacional (2.354) (2.360) (2.332) Investimentosemdistribuição (620) (630) (494) Investimentosembiocombustível (145) (299) (688) Outrosinvestimentos (471) (1.400) (607) Títulosevaloresmobiliários (14.652) Dividendosrecebidos Fluxodecaixausadonasatividadesdeinvestimentos (38.379) (34.619) (59.951) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis consolidadas. F-10

177 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras DemonstraçãodoFluxodeCaixaConsolidada(Continuação) Exercíciosfindosem31dedezembrode2012,2011e2010 (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos) Fluxodecaixadasatividadesdefinanciamento (39.517) (279) Aquisiçãodeparticipaçãodeacionistasnãocontroladores (342) Financiamentos,líquidos Captações Amortizaçõesdeprincipal (11.347) (8.750) (11.347) Pagamentodejuros (4.772) (4.574) (3.659) Dividendospagos (3.272) (6.422) (5.398) Recursoslíquidosgerados/(usados)pelasatividadesdefinanciamentos Efeitodevariaçãocambialsobrecaixaeequivalentesdecaixa (1.115) (1.909) (45) Acréscimo/(redução)líquidadecaixaeequivalentesdecaixanoexercício (5.537) Caixaeequivalentesdecaixanoiníciodoexercício Caixaeequivalentesdecaixanofimdoexercício Informaçõesadicionaisaosfluxosdecaixa Valorespagoserecebidosduranteoperíodo Impostoderendaecontribuiçãosocial Impostoderendaretidonafontedeterceiros Transaçõesdeinvestimentosefinanciamentosquenãoenvolvemcaixa Aquisiçãodeimobilizadoaprazo Contratoscomtransferênciadebenefícios,riscosecontrolesdebens 19 Constituiçãodeprovisãoparadesmantelamentodeáreas EmissãodeAçõespagascomtítulosdoTesouroNacional, utilizadosparaaaquisiçãodedireitossobrecontratodecessãoonerosa F-11

178 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras Notasexplicativasàsdemonstraçõescontábeisconsolidadas (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos,excetoquandoespecificamenteindicado) 1ACompanhiaesuasoperações APetróleoBrasileiroS.A. Petrobrasdedicase,diretamenteoupormeiodesuassubsidiáriasecontroladas (denominadas, em conjunto, Petrobras ou a Companhia ), à pesquisa, lavra, refinação, processamento, comércioetransportedepetróleoprovenientedepoço,dexistooudeoutrasrochas,deseusderivados,degás naturaledeoutroshidrocarbonetosfluidos,alémdasatividadesvinculadasàenergia,podendopromover pesquisa,desenvolvimento,produção,transporte,distribuiçãoecomercializaçãodetodasasformasdeenergia, bemcomoquaisqueroutrasatividadescorrelatasouafins.asedesocialdacompanhiaestálocalizadanoriode Janeiro RJ,Brasil. 2Basedepreparação 2.1Basedeapresentaçãodasdemonstraçõescontábeis Asdemonstraçõescontábeisconsolidadasforampreparadasesãoapresentadasdeacordocomospadrões internacionaisdedemonstraçõescontábeis(ifrs)emitidospelointernationalaccountingstandardsboard IASB.Asinformaçõessãoapresentadasemdólaresnorteamericanos. Asdemonstraçõescontábeisconsolidadasforampreparadasutilizandoocustohistóricocomobasedevalor, exceto por ativos financeiros classificadas como disponíveis para venda, ativos e passivos financeiros mensuradospelovalorjusto(incluindoinstrumentosfinanceiros derivativosmensuradosaojustovalorcom ganhoseperdasregistradasnoresultado)ealgunsativosepassivosnãocirculantes,conformedetalhadosno sumáriodepráticascontábeisapresentadoposteriormente. Algunsvaloresrelativosaosperíodosanterioresforamreclassificadosparamelhorcomparabilidadecomo períodoatual.estasreclassificaçõesnãoafetaramoresultadoepatrimôniolíquidodacompanhia. OConselhodeAdministraçãodaCompanhia,emreuniãorealizadaem4defevereirode2013,aprovoue autorizouadivulgaçãodestasdemonstraçõescontábeis. 2.2Relatóriosporsegmentodenegócio Asinformaçõescontábeisporsegmentooperacional(áreadenegócio)daCompanhiasãoelaboradascombase emitensatribuíveisdiretamenteaosegmento,bemcomoaquelesquepodemseralocadosembasesrazoáveisa cadasegmento. Na apuração dos resultados segmentados são consideradas as transações realizadas com terceiros e as transferênciasentreasáreasdenegócio,sendoestasvaloradasporpreçosinternosdetransferênciadefinidos entreasáreasecommetodologiasdeapuraçãobaseadasemparâmetrosdemercado. ACompanhiaoperaatravésdosseguintessegmentosdenegócio: a) ExploraçãoeProdução:abrangeasatividadesdeexploração,desenvolvimentodaproduçãoeproduçãode petróleo,lgn(líquidodegásnatural)egásnaturalnobrasil,objetivandoatender,prioritariamente,nossas refinariasdopaíse,ainda,comercializandonosmercadosinternoeexternooexcedentedepetróleo,bemcomo derivadosproduzidosemsuasplantasdeprocessamentodegásnatural.osegmentodeexploraçãoeprodução atuatambémdeformaassociadacomoutrasempresasemparcerias. F-12

179 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras Notasexplicativasàsdemonstraçõescontábeisconsolidadas (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos,excetoquandoespecificamenteindicado) b) Abastecimento:contemplaasatividadesderefino,logística,transporteecomercializaçãodederivadose petróleo,exportaçãodeetanol,extraçãoeprocessamentodexisto,alémdasparticipaçõesemempresasdo setorpetroquímiconobrasil. c) GáseEnergia:englobaasatividadesdetransporteecomercializaçãodogásnaturalproduzidonopaísou importado,detransporteecomercializaçãodegnl,degeraçãoecomercializaçãodeenergiaelétrica,assim comoasparticipaçõessocietáriasemtransportadorasedistribuidorasdegásnaturaleemtermoelétricasno Brasil,alémdeserresponsávelpelosnegócioscomfertilizantes. d) Biocombustível:contemplaasatividadesdeproduçãodebiodieseleseuscoprodutoseasatividadesde etanol,atravésdeparticipaçõesacionárias,daproduçãoedacomercializaçãodeetanol,açúcareoexcedentede energiaelétricageradoapartirdobagaçodacanadeaçúcar. e) Distribuição:estesegmentoincluiprincipalmenteasatividadesdaPetrobrasDistribuidora,queoperaatravés deseuscanaisdevendanadistribuiçãodederivados,etanolegásnaturalveicularnobrasil,paraclientes comerciais,industriaiseoutrosdistribuidores. f) Internacional:abrangeasatividadesdeexploraçãoeproduçãodepetróleoegás,deabastecimento,degáse energiaededistribuição,realizadasnoexterior,emdiversospaísesdasaméricas,áfrica,europaeásia. No grupo de órgãos corporativos são alocados os itens que não podem ser atribuídos às demais áreas, notadamenteaquelesvinculadosàgestãofinanceiracorporativa,ooverheadrelativoàadministraçãocentrale outrasdespesas,inclusiveasatuariaisreferentesaosplanosdepensãoedesaúdedestinadosaosaposentadose beneficiários. 2.3Moedadeapresentaçãoemoedafuncional AmoedafuncionaldaPetrobras,assimcomoadesuascontroladasbrasileiras,éoreal.Amoedafuncionalda PetrobrasInternationalFinanceCompanyPifCo,PetrobrasGlobalFinanceBV(PGF)edealgumascontroladase sociedadesdepropósitoespecíficoqueatuamemambienteeconômicointernacionaléodólarnorteamericano. AmoedafuncionaldaPetrobrasArgentinaS.A.éopesoargentino. Nasdemonstraçõescontábeisconsolidadas,asdemonstraçõesderesultadoedefluxodecaixadecontroladas, emambienteeconômicoestável,commoedafuncionaldiferentedorealsãoconvertidasparaorealutilizando taxasmédiasprevalecentesduranteoano.ativosepassivossãoconvertidospararealpelataxadadatade fechamentodasdemonstraçõescontábeiseositenspatrimoniaissãoconvertidosutilizandoastaxasdecâmbio vigentesnasdatasdastransaçõesoudaavaliação,naqualositensforamremensurados. APetrobrasadotacomomoedadeapresentaçãoodólarnorteamericano.Asdemonstraçõesfinanceirasforam convertidasdamoedafuncional(real)paraamoedadeapresentação(dólarnorteamericano),deacordocomo IAS21 EfeitosdasMudançasnasTaxasdeCâmbio.Osativosepassivossãoconvertidosparadólaresnorte americanospelataxadecâmbiodadatadobalanço(fechamento);receitasedespesas,bemcomoosfluxosde caixasãoconvertidosparadólaresnorteamericanospelataxamédiaprevalecenteaolongodoano.asvariações cambiais decorrentes da conversão das demonstrações financeiras da moeda funcional para a moeda de apresentação são reconhecidas como ajustes acumulados de conversão (CTA) em outros resultados abrangentes nademonstraçãodasmutaçõesdopatrimôniolíquido. F-13

180 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras Notasexplicativasàsdemonstraçõescontábeisconsolidadas (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos,excetoquandoespecificamenteindicado) Osajustesacumuladosdeconversãoforamzeradosem1ºdeJaneirode2009(datadatransiçãoparaIFRS). 2.4Usodeestimativas Naelaboraçãodasdemonstraçõescontábeisénecessárioutilizarestimativasparacertosativos,passivose outrastransações.essasestimativasincluem:reservasdepetróleoegás,passivosdeplanosdepensãoede saúde,depreciação,exaustãoeamortização,custosdeabandono,provisõesparaprocessosjudiciais,valorde mercadodeinstrumentosfinanceiros,ajustesavalorpresentedecontasarecebereapagardastransações relevantes,impostoderendaecontribuiçãosocial.emboraaadministraçãoutilizepremissasejulgamentosque sãorevisadosperiodicamente,osresultadosreaispodemdivergirdessasestimativas. 3Basedeconsolidação As demonstrações contábeis consolidadas abrangem informações da Petrobras e de suas subsidiárias, controladasesociedadesdepropósitoespecífico,cujaspráticascontábeisforamadequadas,quandonecessário, paragarantirconsistênciacomaquelasadotadaspelacompanhia.assubsidiárias,controladasesociedadesde propósitoespecíficosãoapresentadasnatabelaabaixo. ParticipaçãonocapitalSubscrito, integralizadoevotante% Subsidiáriasecontroladas País PetrobrasDistribuidoraS.A.BResuascontroladas Brasil 100,00 100,00 BraspetroOilServicesCompanyBrasoilesuascontroladas(i) IlhasCayman 100,00 100,00 BraspetroOilCompanyBOCesuascontroladas(i) IlhasCayman 100,00 100,00 PetrobrasInternationalBraspetroB.V.PIBBVesuascontroladas(i)(ii) Holanda 100,00 100,00 PetrobrasComercializadoradeEnergiaLtda.PBEN(iii) Brasil 100,00 100,00 PetrobrasNegóciosEletrônicosS.A.EPetro(iv) Brasil 100,00 100,00 PetrobrasGásS.A.Gaspetroesuascontroladas Brasil 99,99 99,99 PetrobrasInternationalFinanceCompanyPifCoesuascontroladas(i) IlhasCayman 100,00 100,00 PetrobrasTransporteS.A.Transpetroesuascontroladas Brasil 100,00 100,00 DownstreamParticipaçõesLtda.esuacontrolada Brasil 99,99 99,99 PetrobrasNetherlandsB.V.PNBVesuascontroladas(i) Holanda 100,00 100, ParticipaçõesLtda. Brasil 100,00 100,00 FundodeInvestimentoImobiliárioRBLogísticaFII Brasil 99,00 99,00 BaixadaSantistaEnergiaLtda. Brasil 100,00 100,00 SociedadeFluminensedeEnergiaLtda.SFE Brasil 100,00 100,00 TermocearáLtda. Brasil 100,00 100,00 TermomacaéLtda. Brasil 100,00 100,00 TermomacaéComercializadoradeEnergiaLtda. Brasil 100,00 100,00 TermobahiaS.A. Brasil 98,85 98,85 IbiritermoS.A. Brasil 50,00 50,00 PetrobrasBiocombustívelS.A. Brasil 100,00 100,00 RefinariaAbreueLimaS.A. Brasil 100,00 100,00 CompanhiaLocadoradeEquipamentosPetrolíferosS.A. CLEP Brasil 100,00 100,00 ComperjParticipaçõesS.A. Brasil 100,00 100,00 ComperjEstirênicosS.A. Brasil 100,00 100,00 ComperjMEGS.A. Brasil 100,00 100,00 ComperjPoliolefinasS.A. Brasil 100,00 100,00 CordobaFinancialServicesGmbhCFSesuacontrolada(i) Áustria 100,00 100,00 BreitenerEnergéticaS.A.esuascontroladas Brasil 93,66 65,00 CaymanCabiunasInvestimentCO.(i) IlhasCayman 100,00 100,00 InnovaS.A. Brasil 100,00 100,00 CompanhiadeDesenvolvimentodePlantasUtilidadesS.A.CDPU(v) Brasil 100,00 100,00 CompanhiadeRecuperaçãoSecundáriaS.A.CRSEC Brasil 100,00 100,00 PetrobrasQuímicaS.A.Petroquisaesuascontroladas(vi) Brasil 100,00 ArembepeEnergiaS.A.(vii) Brasil 100,00 30,00 EnergéticaCamaçariMuricyS.A.(vii) Brasil 71,60 49,00 CompanhiaIntegradaTêxtildePernanbucoS.A.Citepe(viii) Brasil 100,00 CompanhiaPetroquímicadePernanbucoS.A.PetroquímicaSuape(viii) Brasil 100,00 PetrobrasLogísticadeExploraçãoeProduçãoS.A.PBLOG(viii)e(ix) Brasil 100,00 LiquigásS.A.(viii) Brasil 100,00 F-14

181 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras Notasexplicativasàsdemonstraçõescontábeisconsolidadas (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos,excetoquandoespecificamenteindicado) (i)empresassediadasnoexteriorcomdemonstraçõescontábeiselaboradasemmoedaestrangeira. (ii)participaçãode11,87%da5283participaçõesltda. (iii)participaçãode0,09%dapetrobrasgáss.a.gaspetro. (iv)participaçãode0,05%dadownstream. (v)participaçãode20%docomperjparticipaçõess.a. (vi)empresasincorporadaspelapetróleobrasileiros.a. (vi)empresaincorporadapelapetróleobrasileiros.a. (vii)aquisiçãodecontrole(combinaçãodenegócios). (viii)participaçãodiretaem2012(indiretaem2011),decorrentedereorganizaçõessocietáriasemcontroladas. (ix)em1ºdenovembrode2012aempresadelogísticadee&ps.a.(elep),passouasechamarpetrobraslogísticadeexploraçãoeproduçãos.a.( PB LOG ). SociedadesdePropósitosEspecíficosSPE País Atividadeprincipal CharterDevelopmentLLC CDC(i) E.U.A ExploraçãoeProdução CompanhiadeDesenvolvimentoeModernizaçãodePlantasIndustriais CDMPI Brasil Refino PDETOffshoreS.A. Brasil ExploraçãoeProdução NovaTransportadoradoNordesteS.A. NTN Brasil Logística NovaTransportadoradoSudesteS.A. NTS Brasil Logística FundodeInvestimentoemDireitosCreditóriosNãopadronizadosdoSistemaPetrobras Brasil Corporativo (i)empresassediadasnoexteriorcomdemonstraçõescontábeiselaboradasemmoedasestrangeira. Oprocessodeconsolidaçãodascontaspatrimoniaisederesultadoenvolveasomadossaldosdascontasde ativo,passivo,receitasedespesas,segundoasuanatureza,eliminaçãodasoperaçõesrealizadasentreempresas consolidadas,bemcomodossaldoseresultadosnãorealizadoseconomicamenteentreasreferidasempresas. 4Sumáriodasprincipaispráticascontábeis Aspráticascontábeisapresentadasaseguirforamaplicadasdeformaconsistenteparatodososperíodos reportadosnasdemonstraçõescontábeis. 4.1Ativosepassivosfinanceiros 4.1.1Caixaeequivalentesdecaixa Incluemnumerárioemespécie,depósitosbancáriosdisponíveiseaplicaçõesfinanceirasdecurtoprazocomalta liquidez,vencíveisematétrêsmeses,contadosdadatadacontrataçãooriginal,prontamenteconversíveisem ummontanteconhecidodecaixaecomriscoinsignificantedemudançadevalor Títulosevaloresmobiliários A Companhia classifica os títulos e valores mobiliários de acordo com a finalidade determinada pela Administraçãoparaaqualforamadquiridoseestabeleceaclassificaçãonoreconhecimentoinicialparaestes ativosfinanceiros,conformeasseguintescategorias: Títulosparanegociaçãosãoadquiridoscomfinalidadedevendanocurtoprazoemensuradosaovalorjusto. Osjuros,asatualizaçõesmonetáriaseasvariaçõesdecorrentesdaavaliaçãoaovalorjustosãoregistradosno resultado. Títulosmantidosatéovencimento sãotítulosparaosquaisaadministraçãotemaintençãoecapacidade financeirademanteremcarteiraatéovencimento,sendoreconhecidosemensuradospelocustoamortizado, utilizandoométododataxadejurosefetiva.osjuroseatualizaçõesmonetáriassãoalocadosaoresultado. F-15

182 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras Notasexplicativasàsdemonstraçõescontábeisconsolidadas (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos,excetoquandoespecificamenteindicado) Títulosdisponíveisparavendasãoinstrumentosnãoderivativosquesãodesignadosnessacategoriaouque nãosãoclassificadosemnenhumaoutracategoria.sãomensuradosaovalorjustoeosjuroseasatualizações monetáriassãoregistradosnoresultado,enquantoqueasvariaçõesdecorrentesdaavaliaçãoaovalorjustosão registradasnopatrimôniolíquido,emajustesdeavaliaçãopatrimonial,sendotransferidasparaoresultadodo períodoquandodaliquidaçãodotítulo Contasareceber São contabilizados inicialmente pelo valor justo da contraprestação a ser recebida e, subsequentemente, mensuradospelocustoamortizado,comousodométododataxadejurosefetiva,sendodeduzidasasperdas emcréditodeliquidaçãoduvidosa. ACompanhiareconheceasperdasemcréditosdeliquidaçãoduvidosaquandoexisteevidênciaobjetivadeque não será capaz de receber os valores devidos pelos clientes, como em casos de dificuldades financeiras significativaseprobabilidadedodevedorentrarcompedidodefalênciaouemrecuperaçãojudicial Empréstimosefinanciamentos Sãoreconhecidospelovalorjustomenososcustosdetransaçãoincorridose,apósoreconhecimentoinicial,são mensuradospelocustoamortizadoutilizandosedométododataxadejurosefetiva Instrumentosfinanceirosderivativoseoperaçõesdehedge Osinstrumentosfinanceirosderivativossãoreconhecidosemensuradosporvalorjustoeestãoclassificados comoativosoupassivosnobalançopatrimonial. Asmudançasnovalorjustodosderivativossãoregistradasemcadaexercíciocomoganhosouperdasno resultadofinanceirodoperíodo,excetoquandoatransaçãoforelegívelecaracterizadacomoumhedgeefetivo namodalidadedefluxodecaixa. Nasoperaçõesenvolvendoderivativosdesignadosequalificadoscomoinstrumentosdehedgedefluxodecaixa, aparcelaeficazdosganhoseperdasdecorrentesdasvariaçõesdovalorjustosãoreconhecidosnopatrimônio líquido,emajustesdeavaliaçãopatrimonial,sendotransferidosparaoresultadoquandooitemprotegidofor efetivamenterealizado.aparcelaineficazdohedgeéregistradanoresultadodoperíodo. 4.2Estoques Osestoquessãodeterminadospelocustomédiodeaquisiçãooudeprodução(métododamédiaponderada móvel)econtemplam: Matériasprimascompreendeprincipalmenteosestoquesdepetróleobruto,queestãodemonstradospelo customédiodeproduçãooudeimportação,ajustados,quandoaplicável,aoseuvalorderealizaçãolíquido; Produtoscontemplaprincipalmentederivadosdepetróleoebiocombustíveis,queestãodemonstradospelo customédiodeproduçãoouaquisição,ajustados,quandoaplicável,aoseuvalorderealizaçãolíquido; F-16

183 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras Notasexplicativasàsdemonstraçõescontábeisconsolidadas (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos,excetoquandoespecificamenteindicado) Materiaisesuprimentosparamanutenção representaminsumosdeproduçãoemateriaisdeoperaçãoe consumoqueserãoutilizadosnasatividadesdacompanhia,excetomatériasprimas,eestãodemonstradosao customédiodecompra,quenãoexcedeaodereposição. Ovalorderealizaçãolíquidocompreendeopreçodevendaestimadonocursonormaldosnegócios,menosos custosestimadosdeconclusãoeaquelesnecessáriosparaarealizaçãodavenda. Asimportaçõesemandamentoestãodemonstradasaocustoidentificado. 4.3Investimentossocietários Os investimentos em controladas em conjunto e coligadas, nas quais a administração tenha influência significativasobreasdecisõesfinanceiraseoperacionaissãoavaliadaspelométododaequivalênciapatrimonial. 4.4Combinaçãodenegóciosegoodwill Aanálisedaaquisiçãoéfeitacasoacasoparadeterminarseatransaçãorepresentaumacombinaçãode negóciosouumacompradeativos.transaçõesentreempresassobcontrolecomumnãoconfiguramuma combinaçãodenegócios. Osativosepassivosadquiridosemumacombinaçãodenegóciossãocontabilizadosemconsonânciacomo métododeaquisição,sendoreconhecidospelosseusrespectivosvaloresjustosnadatadeaquisição.qualquer excessodocustodeaquisiçãosobreovalorjustodosativoslíquidosadquiridos(ativosidentificáveisepassivos adquiridos,líquidos)éreconhecidocomogoodwillnoativointangível.quandoocustodeaquisiçãoformenor queovalorjustodosativoslíquidosadquiridos,éreconhecidoumganhonoresultado. As mudanças de participações em controladas que não resultem em perda de controle são reconhecidas diretamente no patrimônio líquido, como contribuição adicional de capital, pela diferença entre o preço pago/recebidoeovalorcontábildaparticipaçãoadquirida/vendida. Nasaquisiçõesdeparticipaçãoemcoligadasecontroladasemconjunto,semaobtençãodecontrole,osativos líquidos adquiridos também são reconhecidos pelo valor justo, sendo que o goodwill é apresentado no investimento.ogoodwillémedidopelaparceladovalorpagoquesuperaovalorjustodosativoslíquidos. 4.5GastoscomExploraçãoeDesenvolvimentodePetróleoeGás Osgastosincorridoscomexploraçãoedesenvolvimentodaproduçãodepetróleoegássãocontabilizadosde acordocomométododosesforçosbemsucedidos,queconsideraasseguintescaracterísticasgerais: Gastosrelacionadoscomatividadesdegeologiaegeofísicasãoreconhecidoscomodespesasnoperíodoem quesãoincorridos. Valoresrelacionadosàobtençãodedireitoseconcessõesparaexploraçãodepetróleoegásnatural(custos capitalizadosdeaquisição)sãoinicialmentecapitalizados. Custosexploratóriosdiretamenteassociadosàperfuraçãodepoçossãoinicialmentecapitalizadosnoativo imobilizadoatéquesejamconstatadasounãoreservasprovadasrelativasaopoço.oscustosposterioresà F-17

184 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras Notasexplicativasàsdemonstraçõescontábeisconsolidadas (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos,excetoquandoespecificamenteindicado) perfuraçãodopoçocontinuamasercapitalizadosdesdequeovolumedereservasdescobertosjustifiqueoseu reconhecimentofuturocomopoçoprodutoreestudosdasreservasedaviabilidadeeconômicaeoperacionaldo empreendimento estiverem em curso. Uma comissão interna de executivos técnicos da Petrobras revisa mensalmente as condições de cada poço, levandose em consideração os dados de geologia, geofísica e engenharia,condiçõeseconômicas,métodosoperacionaiseregulamentaçõesgovernamentais. Poçosexploratóriossecosousemviabilidadeeconômicaeosdemaiscustosvinculadosàsreservasnão comerciais(quenãoencontraramquantidadesdeóleoegáscompotencialeconômico),sãoreconhecidoscomo despesanoperíodo,quandoidentificadoscomotal. Custosrelacionadosàconstrução,instalaçãoeconclusãodeinfraestrutura,taiscomoplataformas,dutos, perfuraçãodepoçosdedesenvolvimentoeoutroscustosrelacionadosaodesenvolvimentodereservasprovadas eeconomicamenteviáveissãocapitalizadosnoativoimobilizadoedepreciadosapartirdoiníciodaprodução, comodescritoposteriormente. 4.6Imobilizado Oimobilizadoestádemonstradopelocustodeaquisiçãooucustodeconstrução,incluindotodososcustospara colocaroativoemcondiçõesdeoperação,corrigidomonetariamenteduranteperíodoshiperinflacionários,pelo valorpresentedoscustosestimadoscomdesmontagemeremoçãodoimobilizadoederestauraçãodolocalno qualesteestálocalizado,deduzidodadepreciaçãoacumuladaeperdaporimpairment. OsdireitosquetenhamporobjetobenscorpóreosdestinadosàmanutençãodasatividadesdaCompanhia, decorrentesdeoperaçõesquetransfiramosbenefícios,riscosecontrolesdessesbens(arrendamentomercantil financeiro),sãoreconhecidosinicialmentepelovalorjustoou,seinferior,pelovalorpresentedospagamentos mínimosdocontratoesãodepreciadosdeacordocomasregrasaplicáveisaosativosimobilizados.noscasosem queacompanhianãopossuirazoávelcertezadequeviráaobterapropriedadedosativosnofimdoprazodo contrato,osbenssãodepreciadospelomenorentresuavidaútileoprazodoarrendamentomercantil. Osgastosrelevantescommanutençõesdasunidadesindustriaisedosnavios,queincluempeçasdereposição, serviçosdemontagem,entreoutros,sãoregistradosnoimobilizado,seoscritériosdereconhecimentodoias16 forematendidos.essasmanutençõesocorrem,emmédia,acadaquatroanoseseusgastossãodepreciados comocustodaproduçãoatéoiníciodaparadaseguinte. Osencargosfinanceirosdeempréstimosobtidos,quandodiretamenteatribuíveisàaquisiçãoouàconstruçãode ativos,sãocapitalizadoscomopartedoscustosdessesativos.osencargosfinanceirossobrerecursoscaptados semdestinaçãoespecífica,utilizadoscompropósitodeobterumativoqualificável,sãocapitalizadospelataxa médiadosempréstimosvigenteduranteoperíodo,aplicadasobreosaldodeobrasemandamento.essescustos sãoamortizadosaolongodasvidasúteisestimadasoupelométododasunidadesproduzidasdosrespectivos ativos. Osativosdeexploraçãoedesenvolvimentodaproduçãodepetróleoegássãodepreciados/amortizadosapartir doiníciodaproduçãodocampo,considerandoosseguintescritérios: i)adepreciaçãodeativosprodutoresdeóleoegás,incluindoequipamentoseinstalaçõescativosaosrespectivos poçosdesenvolvidossãodepreciadosdeacordocomométododasunidadesproduzidas,considerandoovolume deproduçãomensalemrelaçãoàsreservasprovadasdesenvolvidasdecadacampoprodutor; F-18

185 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras Notasexplicativasàsdemonstraçõescontábeisconsolidadas (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos,excetoquandoespecificamenteindicado) ii)demaisativos,contemplandoaquelescomvidaútilmenordoqueavidadocampoouquesãovinculadosa camposcomdiversasfasesdedesenvolvimentodaproduçãosãodepreciadosutilizadoseométodolinear;e iii)direitoseconcessõessãoamortizadosdeacordocomométododasunidadesproduzidas,considerandoo volumedeproduçãomensalemrelaçãoàsreservasprovadastotaisdecadacampoprodutor; As reservas são estimadas por profissionais especializados da Companhia, de acordo com as definições estabelecidaspelasecuritiesandexchangecommission SEC,erevisadasanualmente,ouemumintervalo menor,casohajaindíciodealteraçõessignificativas(parafinsdedepreciação,amortizaçãoedepleção). Osterrenosnãosãodepreciados.Osoutrosbensdoimobilizadosãodepreciadospelométodolinearcombase nasvidasúteisestimadas,queestãodemonstradasporclassedeativonanotaexplicativa Intangível Osativosintangíveisestãodemonstradospelocustodeaquisição,deduzidodaamortizaçãoacumuladaeperdas porimpairmentesãocompostospordireitoseconcessõesqueincluem,principalmente,bônusdeassinatura pagos pela obtenção de concessões para exploração de petróleo ou gás natural (custos capitalizados de aquisição),cessãoonerosadedireitosdeexploração,prospecçãoeperfuraçãodeóleoegásnaturalemblocos daáreadoprésal,concessõesdeserviçospúblicos,alémdemarcasepatentes,softwaresegoodwill. Os direitos e concessões correspondentes aos bônus de assinatura das concessões e cessão onerosa são inicialmentecapitalizadosnointangívelereclassificadosparaoativoimobilizadoquandodadeclaraçãode comercialidadedoscampos. Osbônusdeassinaturadasconcessõeseacessãoonerosanãosãoamortizadosenquantoestãonoativo intangível.osdemaisintangíveiscomvidaútildefinidasãoamortizadoslinearmentepelavidaútilestimada. Ativosintangíveisgeradosinternamente,excetoosgastoscomdesenvolvimentoqueatendamtodososcritérios dereconhecimento(doias38),nãosãocapitalizados,portantosãoreconhecidoscomodespesanoresultadodo períodoemqueforamincorridos. Ativosintangíveiscomvidaútilindefinidanãosãoamortizados,massãotestadosanualmenteemrelaçãoa perdasporimpairmentindividualmenteounoníveldaunidadegeradoradecaixa.aavaliaçãodevidaútil indefinidaérevisadaanualmenteparadeterminarseessaavaliaçãocontinuaaserjustificável.casocontrário,a mudançanavidaútildeindefinidaparadefinidaéfeitadeformaprospectiva. 4.8Impairment ACompanhiaavaliaosativosdoimobilizadoedointangívelcomvidaútildefinidaquandoháindicativosdenão recuperação do seu valor contábil. Os ativos vinculados a exploração e desenvolvimento da produção de petróleoegáseaquelesquetêmumavidaútilindefinida,comoogoodwillresultantedecombinaçõesde negócio,têmarecuperaçãodoseuvalortestadaanualmente,independentementedehaverindicativosde impairment. Otestedeimpairmentenvolveacomparaçãodovalorcontábildeumativoouunidadegeradoradecaixacomo seu valor recuperável. Se o valor recuperável for inferior ao valor contábil, uma baixa por impairment é conhecidaparareduzirovalorcontábilaovalorrecuperável.ovalorrecuperáveléomaiorvalorentreovalor líquidodevendadeumativoeseuvaloremuso.considerandoseasparticularidadesdosativosdacompanhia, F-19

186 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras Notasexplicativasàsdemonstraçõescontábeisconsolidadas (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos,excetoquandoespecificamenteindicado) ovalorrecuperávelutilizadoparaavaliaçãodotestedereduçãoaovalorrecuperáveléovaloremuso,exceto quandoespecificamenteindicado. Estevalordeusoéestimadocombasenovalorpresentedefluxosdecaixafuturos,resultadodasmelhores estimativas da Companhia. Os fluxos de caixa, decorrentes do uso contínuo dos ativos relacionados, são ajustadospelosriscosespecíficoseutilizamataxadedescontopréimposto.estataxaderivadataxapós impostoestruturadanocustomédioponderadodecapital(wacc).asprincipaispremissasdosfluxosdecaixa são: preços baseados no último plano estratégico divulgado, curvas de produção associadas aos projetos existentes no portfólio da Companhia, custos operacionais de mercado e investimentos necessários para realizaçãodosprojetos. Paraotestedeimpairmentéconsideradoomenorníveldeativosparaoqualexistamfluxosdecaixafortemente independentesidentificáveis.osativosvinculadosaexploraçãoedesenvolvimentodaproduçãodepetróleoe gássãorevisadosanualmente,campoacampo,parafinsdeimpairment. Areversãodeperdasreconhecidasanteriormenteépermitida,excetocomrelaçãoaogoodwill. 4.9Arrendamentosmercantis OsarrendamentosmercantisnosquaisaCompanhiaassumesubstancialmentetodososriscos,benefíciose controledosbenssãoreconhecidasnopassivocomoarrendamentosmercantisfinanceiros.noscasosemquea Companhiaéarrendadora,essescontratossãoreconhecidoscomorecebíveisnoativo. Os arrendamentos mercantis nos quais uma parte significativa dos riscos e benefícios de propriedade permanecemcomoarrendadorsãoclassificadoscomooperacionaiseospagamentossãoreconhecidoscomo despesanoresultadoduranteoprazodocontrato. 4.10Abandonodepoçosedesmantelamentodeáreas Representamosgastosfuturoscomaobrigaçãopararecuperaromeioambienteeparadesmobilizaredesativar asunidadesprodutivas,emfunçãodaexaustãodaáreaexploradaoupelasuspensãopermanentedasatividades naáreaporrazõeseconômicas.sãoreconhecidosnoimobilizadopeloseuvalorpresente,descontadoauma taxalivrederiscodecréditoajustado,comopartedovalordosativosquelhesdeuorigem,desdequeexista obrigaçãolegaleseuvalorpossaserestimadoembasesconfiáveis,tendocomocontrapartidaoregistrodeuma provisãonopassivodacompanhia.osjurosincorridospelaatualizaçãodaprovisãoestãoclassificadoscomo despesas financeiras. As estimativas de desmantelamento de área revisadas anualmente sofrem depreciação/amortizaçãonasmesmasbasesdosativosprincipais. Aobrigaçãofuturacomdesmantelamentodeáreadeproduçãoéregistradanomomentodadeclaraçãode comercialidadedecadacampoeérevisadaanualmente.adepreciação/amortizaçãoérealizadacombaseno métododasunidadesproduzidas,apenasparaasreservasprovadasdesenvolvidas,campoacampo. 4.11Impostoderendaecontribuiçãosocial Osimpostossobrearendacontemplamimpostoscorrentesediferidos.Parafinsdeapuraçãodoimpostode rendaedacontribuiçãosocialsobreolucrocorrente,acompanhiaadotouoregimetributáriodetransição RTT,conformeprevistonaLei11.941/09,ouseja,nadeterminaçãodolucrotributávelconsiderouoscritérios contábeisdalei6.404/76,antesdasalteraçõesdalei11.638/07.diferençastemporáriasoriundasdatransição F-20

187 PetróleoBrasileiroS.A.Petrobras Notasexplicativasàsdemonstraçõescontábeisconsolidadas (Emmilhõesdedólaresnorteamericanos,excetoquandoespecificamenteindicado) paraoregimetributáriodetransiçãoforamregistradoscomoimpostosecontribuiçõesdiferidosativose passivos. OLucrotributáveldiferedolucrocontábil,devidoaajustesrequeridospelalegislaçãofiscal.Osimpostose contribuiçõessociaisdiferidossãoreconhecidosemfunçãodasdiferençastemporáriasentreovalorcontábildo ativooupassivoesuabasefiscal,prejuízofiscalebasenegativadacontribuiçãosocial,quandoaplicável.os reconhecimentosnoativosãorealizadosnaproporçãodaprobabilidadedequelucrotributávelfuturoesteja disponívelecontraoqualasdiferençastemporáriaspossamserusadas. 4.12Benefíciosconcedidosaempregados Oscompromissosatuariaiscomosplanosdebenefíciosdepensãoeaposentadoriaeosdeassistênciamédica sãoprovisionadoscombaseemcálculoatuarialelaboradoanualmenteporatuárioindependente,deacordo comométododaunidadedecréditoprojetada,líquidodosativosgarantidoresdoplano,quandoaplicável, sendooscustosreferentesaoaumentodovalorpresentedaobrigação,resultantedoserviçoprestadopelo empregado,reconhecidosduranteoperíodolaboraldosempregados. Ométododaunidadedecréditoprojetadaconsideracadaperíododeserviçocomofatogeradordeuma unidadeadicionaldebenefício,quesãoacumuladasparaocômputodaobrigaçãofinal. Osganhoseperdasatuariais,decorrentesdeajustescombasenaexperiênciaenasmudançasdaspremissas atuariais,sãoincluídosouexcluídos,respectivamente,nadeterminaçãodocompromissoatuariallíquidoesão amortizadosaolongodoperíodomédiodeserviçoremanescentedosempregadosativosdeacordocomo métodocorredor. Aspremissasatuariaisrelativasàsvariáveisquedeterminamocustofinalparaproporcionarosbenefíciospós emprego incluem: estimativas biológicas e econômicas, estimativas dos custos médicos, bem como dados históricossobreasdespesasecontribuiçõesdosfuncionários. ACompanhiatambémcontribuiparaosplanosdecontribuiçãodefinida,cujospercentuaissãobaseadosnafolha depagamento,sendoessascontribuiçõeslevadasaoresultadoquandoincorridas. 4.13CapitalSocialeRemuneraçãoaosAcionistas Ocapitalsocialestárepresentadoporaçõesordináriasepreferenciais.Osgastosincrementaisdiretamente atribuíveisàemissãodeaçõessãoapresentadoscomodeduçãodopatrimôniolíquido,comocontribuição adicionaldecapital,líquidodeefeitostributários. Asaçõespreferenciaistêmprioridadenocasodereembolsodocapitalenorecebimentodosdividendos,no mínimo,de3%dovalordopatrimôniolíquidodaação,oude5%calculadosobreapartedocapitalrepresentada poressaespéciedeações,prevalecendosempreomaior,participando,emigualdadecomasaçõesordinárias, nosaumentosdocapitalsocialdecorrentesdeincorporaçãodereservaselucros.asaçõespreferenciaisnão asseguramdireitodevotoenãosãoconversíveisemaçõesordináriaseviceversa. Aremuneraçãoaosacionistaséefetuadasobaformadedividendose/oujurossobreocapitalprópriocombase noslimitesdefinidosnoestatutodacompanhia. Jurossobrecapitalprópriosãoumaformadedistribuição,dedutívelparafinstributáriosnoBrasil.Obenefício fiscaldosjurossobrecapitalpróprioéreconhecidonoresultadodoexercício. F-21

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Ativo Passivo e Patrimônio Líquido Circulante R$ Circulante R$ Caixa e equivalentes

Leia mais

Relatório dos Auditores Independentes... 3. Relatório do Comitê de Auditoria... 4. Demonstração Consolidada do Resultado... 5

Relatório dos Auditores Independentes... 3. Relatório do Comitê de Auditoria... 4. Demonstração Consolidada do Resultado... 5 Demonstrações Contábeis Consolidadas de acordo com as Normas internacionais de relatório financeiro (IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board - IASB Bradesco 1 Sumário oação de Relatóriosca

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2012 ---

ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2012 --- ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2012 --- SUMÁRIO Análise Financeira 04 Resumo Econômico-Financeiro 06 Resultados s 07 Resultado por Área de Negócio 08 Demonstração do Valor Adicionado 08 Liquidez

Leia mais

RELATÓRIO DE REVISÃO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Acionistas e Administradores da IESA Projetos, Equipamentos e Montagens S.A. Araraquara - SP Introdução Revisamos as informações contábeis intermediárias,

Leia mais

Notas explicativas da administração às demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013

Notas explicativas da administração às demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 Índice Balanço patrimonial...3 Demonstração do resultado...4 Demonstração do resultado abrangente...5 Demonstração das mutações do patrimônio líquido...6 Demonstração dos fluxos de caixa...7 Demonstração

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ MULTIPLUS SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ MULTIPLUS SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM

INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International é uma rede mundial

Leia mais

Adoção das normas internacionais de contabilidade Diretoria de Finanças, Relações com Investidores e Controle Financeiro de Participações - DFN Superintendência de Controladoria CR 1 Convergência A convergência

Leia mais

Informações Financeiras Pro Forma Exercício findo em 31 de dezembro de 2015

Informações Financeiras Pro Forma Exercício findo em 31 de dezembro de 2015 Informações Financeiras Pro Forma Exercício findo em 31 de dezembro de 2015 KPDS 144575 Conteudo Relatório de asseguração sobre a compilação de informações financeiras pro forma para atendimento à instrução

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Seis meses findos em 30 de junho de 2013 Exercício findo em 31 de dezembro de 2012

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/A Versão : 1. Composição do Capital 1

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/A Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Safra Multicarteira Agressivo - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de junho de

Safra Multicarteira Agressivo - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de junho de Safra Multicarteira Agressivo - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2004 e de 2003 e parecer de auditores independentes Parecer

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/AVersão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/AVersão : 1. Composição do Capital 1 DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/AVersão : 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais

Leia mais

https://www.rad.cvm.gov.br/enet/frmprotocolo.aspx?codigoinstituicao=1&numero...

https://www.rad.cvm.gov.br/enet/frmprotocolo.aspx?codigoinstituicao=1&numero... ENET Protocolo Página 1 de 1 https://www.rad.cvm.gov.br/enet/frmprotocolo.aspx?codigoinstituicao=1&numero... 15/08/2011 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial

Leia mais

Biosev Bioenergia S.A.

Biosev Bioenergia S.A. Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas Referentes ao Exercício Findo em 31 de Março de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Deloitte Touche Tohmatsu

Leia mais

IPLF Holding S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil apurado por meio dos livros contábeis

IPLF Holding S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil apurado por meio dos livros contábeis IPLF Holding S.A Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil apurado por meio dos livros contábeis KPMG Assurance Services Ltda. Agosto de 2016 KPDS 159478 KPMG Assurance Services Ltda. Rua Arquiteto

Leia mais

HOLDCO PARTICIPAÇÕES LTDA.

HOLDCO PARTICIPAÇÕES LTDA. HOLDCO PARTICIPAÇÕES LTDA. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE NOVEMBRO DE 2009 E 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES BDO International é uma rede mundial de empresas

Leia mais

Demonstrações Financeiras da Controladora e Consolidadas. BHG S.A. - Brazil Hospitality Group

Demonstrações Financeiras da Controladora e Consolidadas. BHG S.A. - Brazil Hospitality Group Demonstrações Financeiras da Controladora e Consolidadas BHG S.A. - Brazil Hospitality Group com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras da controladora

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e de 2013

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e de 2013 (Companhia em fase pré-operacional) KPDS 113063 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstração de resultado 6 Demonstração do resultado

Leia mais

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013 Elekeiroz S.. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013 Balanço patrimonial tivo Circulante Nota 31 de dezembro de 2013 31 de

Leia mais

Bioflex Agroindustrial Ltda. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 (em fase pré-operacional)

Bioflex Agroindustrial Ltda. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 (em fase pré-operacional) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 (em fase pré-operacional) Demonstrações financeiras Período de 26 de maio de 2011 (data de constituição da Empresa) a 31 de dezembro de 2011 (em fase

Leia mais

Rumo S.A. Relatório de procedimentos previamente acordados

Rumo S.A. Relatório de procedimentos previamente acordados Relatório de procedimentos previamente acordados KPMG Auditores Independentes Maio de 2017 KPMG Auditores Independentes Rua Arquiteto Olavo Redig de Campos, 105, 6º andar - Torre A 04711-904 - São Paulo/SP

Leia mais

Relatório de Auditoria e Contas Anuais Consolidadas 2008

Relatório de Auditoria e Contas Anuais Consolidadas 2008 Relatório de Auditoria e Contas Anuais Consolidadas 2008 Relatório de Auditoria e Contas Anuais Consolidadas 2008 Modelo de Controlo Interno 2 Relatório de Auditoria e Contas Anuais Consolidadas 6 Anexos

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Raízen Combustíveis S.A. Informações contábeis intermediárias consolidadas condensadas em 30 de setembro de 2016 e relatório de revisão dos auditores independentes) KPDS 166933 Raízen Combustíveis S.A.

Leia mais

Acer Consultores em Imóveis S/A

Acer Consultores em Imóveis S/A Acer Consultores em Imóveis S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e 31 de Dezembro de 2006 e 2005 Parecer dos auditores independentes Aos

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (C.N.P.J. nº 03.910.929/0001-46) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (C.N.P.J. nº 03.910.929/0001-46) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores

Leia mais

BM EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES SPE S.A. Relatório do auditor independente. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2016 e de 2015

BM EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES SPE S.A. Relatório do auditor independente. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2016 e de 2015 BM EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES SPE S.A. Relatório do auditor independente Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2016 e de 2015 WNJ/EL/LCSM 0881/17 BM EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES SPE S.A.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA - PETRÓPOLIS

ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA - PETRÓPOLIS ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA - PETRÓPOLIS DEMOSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA PETRÓPOLIS Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2012 e

Leia mais

RA Catering Ltda. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

RA Catering Ltda. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes RA Catering Ltda. Laudo de Avaliação do Patrimônio Líquido Contábil Apurado por Meio dos Livros Contábeis da International Meal Company Holdings S.A., em 30 de Setembro de 2014, para Integralização ao

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005

Leia mais

Valid Soluções e Serviços de Segurança em Meios de Pagamento e Identificação S.A.

Valid Soluções e Serviços de Segurança em Meios de Pagamento e Identificação S.A. Valid Soluções e Serviços de Segurança em Meios de Pagamento e Identificação S.A. Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2016 e Relatório

Leia mais

Laudo de avaliação do patrimônio líquido da AES Rio PCH Ltda. apurado por meio dos livros contábeis Companhia Brasiliana de Energia

Laudo de avaliação do patrimônio líquido da AES Rio PCH Ltda. apurado por meio dos livros contábeis Companhia Brasiliana de Energia Laudo de avaliação do patrimônio líquido da AES Rio PCH Ltda. apurado por meio dos livros contábeis Companhia Brasiliana de Energia Condomínio São Luiz Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1830 Torre I

Leia mais

IX ENCONTRO DE AUDITORES

IX ENCONTRO DE AUDITORES IX ENCONTRO DE AUDITORES E PERITOS DO ES Relatório dos Auditores Independentes - uma análise crítica - Eduardo Assumpção IX ENCONTRO DE AUDITORES E PERITOS DO ES Cursos Pontuados pelo PEC do CFC Atualização

Leia mais

IMIGRANTES COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A.

IMIGRANTES COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. IMIGRANTES COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS INTERMEDIÁRIAS PARA O TRIMESTRE FINDO EM 30 DE SETEMBRO DE 2014 (Em milhares de reais - R$,

Leia mais

RELATÓRIO FINANCEIRO 2014

RELATÓRIO FINANCEIRO 2014 PREPARADOS PARA VENCER RELATÓRIO FINANCEIRO 2014 RT 007/2015 Demonstrações Financeiras Confederação Brasileira de Judô 31 de dezembro de 2014 Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações

Leia mais

Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - SABESP

Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - SABESP RELATÓRIO ANUAL RESUMIDO DO COMITÊ DE AUDITORIA - 2016 Aos Conselheiros de Administração da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo 1. APRESENTAÇÃO O Comitê de Auditoria (Comitê) da Companhia

Leia mais

Concessionária da Rodovia Sul- Matogrossense S.A.

Concessionária da Rodovia Sul- Matogrossense S.A. Concessionária da Rodovia Sul- Matogrossense S.A. Demonstrações Financeiras Intermediárias Referentes ao Semestre Findo em 30 de Junho de 2017 KPDS 197466 KPMG Auditores Independentes Rua Arquiteto Olavo

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A. Informações Financeiras Consolidadas Condensadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório sobre a revisão de Informações

Raízen Combustíveis S.A. Informações Financeiras Consolidadas Condensadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório sobre a revisão de Informações Informações Financeiras Consolidadas Condensadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório sobre a revisão de Informações Financeiras Consolidadas Condensadas Relatório sobre a revisão de informações financeiras

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas

Demonstrações Financeiras Consolidadas Demonstrações Financeiras Consolidadas 31 de dezembro de 2010. 1 Página Índice Relatório dos auditores independentes...3 Balanço Patrimonial Consolidado...5 Ouvidoria Demonstrações Financeiras Consolidadas

Leia mais

Avaliação do patrimônio líquido contábil apurado por meio dos livros 31 de Dezembro de 2013

Avaliação do patrimônio líquido contábil apurado por meio dos livros 31 de Dezembro de 2013 Marck Holdings S.A. contábil apurado por meio dos livros 31 de Dezembro de 2013 KPDS 80638 KPMG Auditores Independentes Rua Sete de Setembro, 1.950 13560-180 - São Carlos, SP - Brasil Caixa Postal 708

Leia mais

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ I S.A.

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ I S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 Demonstrações Financeiras Em 31 de Dezembro de 2011 Conteúdo Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Balanço Patrimonial

Leia mais

Unidade II. No ativo, a disposição das contas obedece ao grau decrescente de liquidez dos elementos nelas registrados.

Unidade II. No ativo, a disposição das contas obedece ao grau decrescente de liquidez dos elementos nelas registrados. Unidade II 8 ATIVO Ativo compreende, como já vimos, os bens e direitos da empresa, classificados de acordo com sua destinação específica, que varia segundo os fins da empresa. No ativo, a disposição das

Leia mais

Companhia de Fiação e Tecidos Cedronorte

Companhia de Fiação e Tecidos Cedronorte Companhia de Fiação e Tecidos Cedronorte Laudo de Avaliação do Patrimônio Líquido apurado por meios dos livros contábeis em 28 de fevereiro de 2014 Deloitte Touche Tohmatsu Auditores independentes Deloitte

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Banco do Nordeste Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20) com Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

Demonstrações Financeiras 31 de dezembro de 2016

Demonstrações Financeiras 31 de dezembro de 2016 Demonstrações Financeiras 31 de dezembro de 2016 IFRS em US$ (Português) Demonstrações Financeiras Vale S.A. Conteúdo Página Relatório do auditor independente registrado no PCAOB 3 Relatório da Administração

Leia mais

Companhia de Saneamento de Minas Gerais COPASA MG Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2011 e de 2010

Companhia de Saneamento de Minas Gerais COPASA MG Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 Relatório dos Auditores Independentes Sobre as Demonstrações Financeiras Aos Administradores e Acionistas da Companhia de Saneamento de Minas Gerais COPASA Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

SPE - BRASIL SOLAIR LOCAÇÃO E ARRENDAMENTO DE PAINÉIS SOLARES S.A.

SPE - BRASIL SOLAIR LOCAÇÃO E ARRENDAMENTO DE PAINÉIS SOLARES S.A. SPE - BRASIL SOLAIR LOCAÇÃO E ARRENDAMENTO DE PAINÉIS SOLARES S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 SPE - BRASIL SOLAIR LOCAÇÃO E ARRENDAMENTO DE PAINÉIS SOLARES S.A. Demonstrações

Leia mais

Laudo de avaliação do acervo líquido formado por determinados ativos e passivos apurados por meio dos livros contábeis Companhia Brasiliana de Energia

Laudo de avaliação do acervo líquido formado por determinados ativos e passivos apurados por meio dos livros contábeis Companhia Brasiliana de Energia Laudo de avaliação do acervo líquido formado por determinados ativos e passivos Companhia Brasiliana de Energia Condomínio São Luiz Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1830 Torre I - 8º Andar - Itaim

Leia mais

Demonstrações Financeiras Technos S.A. 31 de dezembro de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Technos S.A. 31 de dezembro de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Technos S.A. 31 de dezembro de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2015 e 2014

Leia mais

Demonstrações Financeiras Tegma Gestão Logística S.A. 31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Tegma Gestão Logística S.A. 31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Tegma Gestão Logística S.A. 31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2014 Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Relatório da Administração Queiroz Galvão Naval S.A.

Relatório da Administração Queiroz Galvão Naval S.A. Relatório da Administração Queiroz Galvão Naval S.A. Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições estatuárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração e as demonstrações

Leia mais

Relatório dos Auditores Independentes Relatório do Comitê de Auditoria Demonstração Consolidada do Resultado... 5

Relatório dos Auditores Independentes Relatório do Comitê de Auditoria Demonstração Consolidada do Resultado... 5 Demonstrações Contábeis Consolidadas de acordo com as Normas internacionais de relatório financeiro (IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board - IASB 2015 Bradesco 1 Sumário oação de

Leia mais

CURSOS CREDENCIADOS 2014

CURSOS CREDENCIADOS 2014 Auditoria para Seniores Nível I SC-00297 24 24 24 24 0 Auditoria para Seniores Nível II SC-00298 24 24 24 24 0 Normas de Auditoria Independente das Demonstrações Financeiras e Normas Profissionais de Auditor

Leia mais

Concessionária do Sistema Anhanguera- Bandeirantes S.A.

Concessionária do Sistema Anhanguera- Bandeirantes S.A. Concessionária do Sistema Anhanguera- Bandeirantes S.A. Demonstrações Financeiras Intermediárias Referentes ao Semestre Findo em 30 de Junho de 2017 KPDS 197153 KPMG Auditores Independentes Rua Arquiteto

Leia mais

Relatório da Administração Queiroz Galvão Naval S.A.

Relatório da Administração Queiroz Galvão Naval S.A. Relatório da Administração Queiroz Galvão Naval S.A. Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições estatuárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração e as demonstrações

Leia mais

TELEFÓNICA, S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RELATÓRIO DE GESTÃO CORRESPONDENTES AO EXERCÍCIO DE 2008

TELEFÓNICA, S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RELATÓRIO DE GESTÃO CORRESPONDENTES AO EXERCÍCIO DE 2008 RELATÓRIO DE AUDITORÍA, DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RELATÓRIO DE GESTÃO DA TELEFÓNICA, S.A. CORRESPONDENTES AO EXERCÍCIO DE 2008 TELEFÓNICA, S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RELATÓRIO DE GESTÃO CORRESPONDENTES

Leia mais

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ II S.A.

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ II S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 Demonstrações Financeiras Em 31 de Dezembro de 2011 Conteúdo Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Balanço Patrimonial

Leia mais

Demonstrações Contábeis Consolidadas de 2011 em IFRS

Demonstrações Contábeis Consolidadas de 2011 em IFRS Demonstrações Contábeis Consolidadas de 2011 em IFRS BANESTES S.A. - Banco do Estado do Espírito Santo 1 ÍNDICE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CONSOLIDADAS EM IFRS 1. BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO 2. DEMONSTRAÇÃO

Leia mais

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Antônio Carlos Palácios Vice Presidente Técnico CRCRS O tema no contexto da CONVERGÊNCIA das Normas Contábeis A CRONOLOGIA DA CONVERGÊNCIA

Leia mais

LPS BRASIL CONSULTORIA DE IMÓVEIS S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

LPS BRASIL CONSULTORIA DE IMÓVEIS S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO LPS BRASIL CONSULTORIA DE IMÓVEIS S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A REALIZAR-SE EM 30 DE ABRIL DE 2014 ÍNDICE ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA: - Demonstrações Financeiras Relatório

Leia mais

Demonstrações Financeiras BTG Pactual Stigma Participações S.A.

Demonstrações Financeiras BTG Pactual Stigma Participações S.A. Demonstrações Financeiras BTG Pactual Stigma Participações S.A. Período de 13 de setembro a 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Relatório

Leia mais

SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS

SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 CONTEÚDO

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BICICLETAS MONARK SA Versão : 3. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BICICLETAS MONARK SA Versão : 3. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

IAS 1 Apresentação das Demonstrações Contábeis

IAS 1 Apresentação das Demonstrações Contábeis IAS 1 Apresentação das Demonstrações Contábeis CPC 26 / NBC TG 26 Apresentação das Demonstrações Contábeis FAS 205 Histórico Emitida em 1997, já foi revisada em 2003,2004,2005 e 2007 Substituiu: IAS 1

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ Harpia Ômega Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ Harpia Ômega Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Itaú Seguros S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil 30 de setembro de 2009

Itaú Seguros S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil 30 de setembro de 2009 Itaú Seguros S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil 30 de setembro de 2009 Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil Itaú Seguros S.A. PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes,

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Araucárias (CVM/113-9)

Fundo de Investimento Imobiliário Araucárias (CVM/113-9) Fundo de Investimento Imobiliário Araucárias (CVM/113-9) (Administrado por Rio Bravo Investimentos Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.) DRAFT das Demonstrações Contábeis para os Exercícios

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE LEVANTAMENTO DE PESOS

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE LEVANTAMENTO DE PESOS CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE LEVANTAMENTO DE PESOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 e 2014 12 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Aos Administradores da

Leia mais

Demonstrações Financeiras Unipar Participações S.A.

Demonstrações Financeiras Unipar Participações S.A. Demonstrações Financeiras Unipar Participações S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 3 Demonstrações financeiras auditadas

Leia mais

Lumina Resíduos Industriais S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2010

Lumina Resíduos Industriais S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2010 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em de 2010 Balanços patrimoniais Em milhares de reais Ativo Nota explicativa 31 de dezembro de 2010 31 de dezembro 1º de janeiro

Leia mais

Oficina Técnica. Adoção Inicial das Novas Normas Contábeis OUTUBRO 2012. Elaborado por: Elias da Silveira Cerqueira

Oficina Técnica. Adoção Inicial das Novas Normas Contábeis OUTUBRO 2012. Elaborado por: Elias da Silveira Cerqueira Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Informações Financeiras Trimestrais Magnesita Refratários S.A.

Informações Financeiras Trimestrais Magnesita Refratários S.A. Informações Financeiras Trimestrais Magnesita Refratários S.A. 30 de junho de 2015 com Relatório dos Auditores Independentes Edifício Phelps Offices Towers Rua Antônio de Albuquerque, 156 11º andar - Savassi

Leia mais

2. APRESENTAÇÃO E ELABORAÇÃO DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS Apresentação das informações contábeis intermediárias individuais

2. APRESENTAÇÃO E ELABORAÇÃO DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS Apresentação das informações contábeis intermediárias individuais TEREOS INTERNACIONAL S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS INDIVIDUAIS PARA O PERIODO DE NOVE MESES FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 (Valores expressos em milhões de reais

Leia mais

Relatório da Administração QGMI Construção S.A.

Relatório da Administração QGMI Construção S.A. Relatório da Administração QGMI Construção S.A. Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições estatuárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração e as demonstrações financeiras

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2003 E DE 2002 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2003 E DE 2002 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2003 E DE 2002 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA - FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE

Leia mais

Demonstrações financeiras Fertilizantes Heringer S.A.

Demonstrações financeiras Fertilizantes Heringer S.A. Demonstrações financeiras Fertilizantes Heringer S.A. Em com relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras

Leia mais

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS.

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Aos Acionistas e Administradores da BICICLETAS MONARK S.A. Examinamos as demonstrações financeiras individuais e consolidadas da

Leia mais

Net Belo Horizonte Ltda. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil em 31 de outubro de 2010 para fins de incorporação

Net Belo Horizonte Ltda. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil em 31 de outubro de 2010 para fins de incorporação Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil em 31 de outubro de 2010 1. Globalconsulting Assessoria Contábil Ltda., empresa devidamente inscrita no Conselho Regional de Contabilidade de São Paulo

Leia mais

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Aos Acionistas, Conselheiros e Administradores da Elekeiroz S.A. Várzea Paulista - SP Opinião Examinamos as demonstrações contábeis

Leia mais

Austral Resseguradora S.A. 30 de junho de 2011 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as. Demonstrações Financeiras Intermediárias

Austral Resseguradora S.A. 30 de junho de 2011 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as. Demonstrações Financeiras Intermediárias Demonstrações Financeiras Intermediárias Austral Resseguradora S.A. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Intermediárias Demonstrações financeiras Intermediárias

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

CNPJ: / DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO COMPARADO DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMONIO LIQUIDO

CNPJ: / DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO COMPARADO DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMONIO LIQUIDO Rio de Janeiro, 18 de fevereiro de 2016. DT-P 16-007. CONTÉM: PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES BALANÇO PATRIMONIAL COMPARADO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO COMPARADO DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES

Leia mais

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A.

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições estatuárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração

Leia mais

Safra Plus DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em

Safra Plus DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em Safra Plus DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de março de 2004 e de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores

Leia mais

Demonstrações Financeiras ibi Participações S.A. 31 de julho de 2009 com Parecer dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras ibi Participações S.A. 31 de julho de 2009 com Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras ibi Participações S.A. com Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Parecer dos auditores independentes...1 Demonstrações financeiras Balanço patrimonial...3

Leia mais

Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais Minas Gerais - APIMEC - MG

Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais Minas Gerais - APIMEC - MG Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais Minas Gerais - APIMEC - MG Demonstrações Financeiras referentes aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2007 e de 2006

Leia mais

Demonstrações Financeiras Net Serviços de Comunicação S.A.

Demonstrações Financeiras Net Serviços de Comunicação S.A. Demonstrações Financeiras Net Serviços de Comunicação S.A. com relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras...

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE 1 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE 2 OBJETIVOS Entender as principais alterações contábeis referentes ao processo de convergência das normas brasileiras de contabilidade para as normas internacionais

Leia mais

Relatório da Administração. Aos Senhores Acionistas,

Relatório da Administração. Aos Senhores Acionistas, Relatório da Administração Aos Senhores Acionistas, Atendendo às disposições legais e estatutárias, a Administração da All Ore Cosmetics S.A. (atual denominação de All Ore Mineração S.A., All Ore ou Companhia

Leia mais

Ref: Resposta ao Ofício n ₒ 155-2014

Ref: Resposta ao Ofício n ₒ 155-2014 À BM&F Bovespa S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros Gerência de Acompanhamento de Emissores At: Sr. Nelson Barroso Ortega Cc: Comissão de Valores Mobiliários At: Sr. Jorge Luís da Rocha Andrade

Leia mais

Demonstrações Financeiras HSBC Fundo de Investimento em Ações Petrobras CNPJ: 03.922.006/0001-04 (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A.

Demonstrações Financeiras HSBC Fundo de Investimento em Ações Petrobras CNPJ: 03.922.006/0001-04 (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A. Demonstrações Financeiras HSBC Fundo de Investimento em Ações Petrobras (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A. - Banco Múltiplo - 31 de março de 2011 e 2010 com relatório dos auditores independentes

Leia mais

Saneamento de Goiás S.A.

Saneamento de Goiás S.A. Saneamento de Goiás S.A. Demonstrações contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2015 Índice Página Relatório dos auditores independentes 3 Demonstrações contábeis

Leia mais

BRB Banco de Brasília S.A. Demonstrações contábeis em 30 de junho de 2008 e de 2007 e parecer dos auditores independentes

BRB Banco de Brasília S.A. Demonstrações contábeis em 30 de junho de 2008 e de 2007 e parecer dos auditores independentes BRB Banco de Brasília S.A. Demonstrações contábeis em 30 de junho de 2008 e de 2007 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores e Acionistas BRB Banco

Leia mais

Oxiteno S. A. Indústria e Comércio e Sociedades Controladas

Oxiteno S. A. Indústria e Comércio e Sociedades Controladas O x i t e n o Balanço patrimonial em 31 de dezembro C o n s o l i d a d o A t i v o 2001 2000 C i r c u l a n t e Caixa e bancos 8. 469 5. 522 Aplicações financeiras 380. 134 376. 287 Contas a receber

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE Prof. Wanderson S. Paris, M.Eng. prof@cronosquality.com.br NOÇÕES DE CONTABILIDADE DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS X ATIVIDADES

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A REVISÃO DE INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS

RELATÓRIO SOBRE A REVISÃO DE INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS !"# $ RELATÓRIO SOBRE A REVISÃO DE INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Aos Administradores e Acionistas Statkraft Energias Renováveis S.A. (anteriormente denominada Desenvix Energias Renováveis S.A. Florianópolis

Leia mais

Rumo Logística Operadora Multimodal S.A. Demonstrações Financeiras individuais e consolidadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil

Rumo Logística Operadora Multimodal S.A. Demonstrações Financeiras individuais e consolidadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil Demonstrações Financeiras individuais e consolidadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com os IFRS em 31 de dezembro de 2014 Demonstrações Financeiras 31 de dezembro de 2014 Conteúdo

Leia mais

Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS) e Práticas Contábeis Adotadas no Brasil (BR GAAP) Modelo de demonstrações financeiras para 2011

Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS) e Práticas Contábeis Adotadas no Brasil (BR GAAP) Modelo de demonstrações financeiras para 2011 Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS) e Práticas Contábeis Adotadas no Brasil Modelo de demonstrações financeiras para 2011 Equipe técnica Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário CR2-Jardim Botânico. Demonstrações financeiras acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes 1/13

Fundo de Investimento Imobiliário CR2-Jardim Botânico. Demonstrações financeiras acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes 1/13 Fundo de Investimento Imobiliário CR2-Jardim Botânico Demonstrações financeiras acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes 31 de março de 2011 1/13 Relatório dos auditores independentes Aos

Leia mais