MANUAL DataGeosis Versão 2.3

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DataGeosis Versão 2.3"

Transcrição

1 MANUAL DataGeosis Versão 2.3 Paulo Augusto Ferreira Borges Engenheiro Agrimensor Treinamento e Suporte Técnico Av. Paulo VI, 1950 CEP São Paulo, SP Fone (11) FAX (11)

2 ÍNDICE CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO Apresentação Por Quê o DataGeosis? Conhecimentos Necessários Simbologia...7 CAPÍTULO 2 - CONHECIMENTOS BÁSICOS DE AMBIENTE Windows O Mouse Menu Principal Teclas de Atalho Ícones de Atalho...9 CAPÍTULO 3 - INSTALAÇÃO DO SOFTWARE Requisitos Básicos de Hardware e Software Instalação...10 CAPÍTULO 4 - TIPOS DE DADOS Classificação de um ponto em relação ao tipo de leitura Classificação de um ponto em relação ao método de levantamento...14 CAPÍTULO 5 - INICIANDO UM PROJETO Configurações Iniciais Dados Gerais do Projeto Criando uma Nova Planilha Configurações Iniciais Dados da Poligonal...26 CAPÍTULO 6 - ENTRADA DE DADOS DE CAMPO Entrada de Dados Manual Importação de Dados de Arquivo Texto (ASCII) Importação de Dados de Equipamentos Externos...42 CAPÍTULO 7 - EDIÇÃO DE PLANILHAS Edição de Planilha: Menu Arquivo Arquivo Salvar Como Arquivo Abrir Arquivo Reabrir Edição de Planilha: Menu Editar Editar Copiar Linhas Editar Recortar Linhas Editar Colar Linhas Editar Apagar Linhas Editar Selecionar Tudo Editar Localizar Edição de Planilha: Menu Rápido

3 7.3.1 Função Editar Coluna Função Renumerar Função Usar Como Padrão Função Calcular (Somente Irrad/Seções) Função Calcular Coordenadas Geodésicas (Selec.) Função Transformar Geod. Para Topográficas (Selec.) Função Transformar Topo. Para Geodésicas (Selec.) Edição de Planilha: Menu Planilhas Função Coluna Função Apagar Linhas Função Trocar Desnível Cotas Planilhas Atributos: Códigos para Descrição Planilhas Importar Cotas Planilhas Importar Desníveis...56 CAPÍTULO 8 - CÁLCULO DE PLANILHAS PLANILHA PLANIALTIMETRICA PLANILHA DE NIVELAMENTO IMPORTAR DADOS DA PLANILHA DE NIVELAMENTO importar Cotas importar desníveis...67 CAPÍTULO 9 - EDIÇÃO DO DESENHO CRIANDO CAMADAS TROCAR CAMADAS Planilha Menu Alterar Função Auto Croqui LIGANDO PONTOS Teclado (Barra de Comandos) Mouse Função Auto Croqui Funções Engate MENU CONSTRUIR Construir Inserir Ponto Construir Estaquear Construir Linha Construir Poli-linha Construir Círculo Construir Arco Construir Retângulo Construir Texto Construir Construção 3 Pontos Construir Talude Construir Malha Construir Grade Construir Cotar Distância+Ângulo Construir Símbolos Construir Inserir Bloco

4 Construir Inserir Tabela Construir Criar Bloco Ângulo Entre Retas MENU ALTERAR Alterar Propriedades Alterar Mover Alterar Mover Vértices ou Inserção Alterar Copiar Alterar Paralelo (Offset) Alterar Cortar Alterar Estender Alterar Quebrar Alterar Concordar Alterar Chanfrar Alterar Converter Caminho/Poli-linha Alterar Posição Atributos/Ponto Função Apagar Função Rotacionar Função Aplicar Escala Função Desmontar Função Espelhar Função Inserir Última Tabela CAPÍTULO 10 - MODELO NUMÉRICO DO TERRENO CÁLCULO DA SUPERFICIE DO TERRENO CALCULO DA SUPERFICIE DE PROJETO CAPÍTULO 11 - CURVAS DE NÍVEL CÁLCULO DAS CURVAS DE NÍVEL COTAR CURVAS DE NÍVEL CAPÍTULO 12 - VISUALIZAÇÃO TRIDIMENSIONAL CÁLCULO DO MODELO TRIDIMENSIONAL CONFIGURAÇÕES DO MODELO TRIDIMENSIONAL MENU ARQUIVO Arquivo Abrir Arquivo Salvar Como Arquivo Configurar Impressora Arquivo Imprimir Arquivo Sair MENU BITMAP Bitmap Copiar p/ Área de Transferência Bitmap Salvar em Arquivo CAPÍTULO 13 - MAPA DE DECLIVIDADES CÁLCULO DO MAPA DE DECLIVIDADES GERAÇÃO DA LEGENDA

5 CAPÍTULO 14 - ÁREA DE INUNDAÇÃO CAPÍTULO 15 - CÁLCULO DE DISTÂNCIAS E ÁREAS CÁLCULO DE DISTÂNCIAS Cálculo da Distância Plana e 3D Cálculo da Distância de Superfície CÁLCULO DE ÁREAS Cálculo de Área Plana Cálculo de Área Superfície: DIVISÃO DE ÁREAS CAPÍTULO 16 - PROJETO DE PERFIS BARRA DE FERRAMENTAS VISUALIZAR BARRA DE FERRAMENTAS ZOOM/REDRAW BARRA DE FERRAMENTAS CONFIGURAÇÕES BARRA DE FERRAMENTAS CRIAR/EDITAR CAPÍTULO 17 - CÁLCULO DE VOLUMES VOLUME POR SEÇÕES TRANSVERSAIS VOLUME POR INTEGRAÇÃO CAPÍTULO 18 - CÁLCULO COM COORDENADAS GEODÉSICAS Transformação de Coordenadas Ponto a Ponto: Transformação de uma lista de coordenadas geodésicas em topográficas locais: Passo 1: Editar as coordenadas de origem: Passo 2: Proceder a transformação: Obtenção das coordenadas geodésicas de pontos coletados por meio de um levantamento a partir de estações totais, teodolitos ou níveis: Monografia de Marcos CAPÍTULO 19 - NORTE VERDADEIRO

6 Capítulo 1 INTRODUÇÃO 1.1 Apresentação Quem é Alezi Teodolini? A história de nossa empresa confunde-se com o início da locação de equipamentos topográficos em nosso país. Há mais de 25 anos temos exercido esta atividade e contribuído para o desenvolvimento do Brasil, colocando sempre equipamentos de ótima qualidade à disposição das principais obras nacionais. Com a constante evolução da tecnologia estamos em constante busca de parceiros que possuam tradição aliada à modernidade. Achamos que o momento atual é de muito trabalho e metas a serem alcançadas. O melhor tem que melhorar, para permanecer o melhor! Em paralelo às atividades de locação e venda desenvolvemos o primeiro software topográfico brasileiro em ambiente Windows, o DataGeosis, sendo que sua origem data de Esta foi outra grande vitória de nossa empresa, pois buscávamos uma solução simples e dinâmica para a topografia, para que pudesse atender desde um universitário até o profissional de grande experiência. 1.2 Por Quê o DataGeosis? O DataGeosis é um software topográfico completo, ou seja, ele tem capacidade de executar cálculos topográficos e geodésicos (transformação de coordenadas), cálculo e divisão de áreas, edição de desenhos, curvas de nível, projeto geométrico de estradas, perfis transversais e/ou longitudinais, volumes através de superfícies ou pelo método tradicional de seções (Método das semi-distâncias), mapa de declividades, área de inundação, etc. Por ser um software desenvolvido para ambiente WINDOWS através de programação orientada a objetos, o DataGeosis torna-se uma ferramenta funcional, precisa e ágil, favorecendo atualizações e manutenções do sistema. Algumas vantagens: Processa levantamentos planialtimétricos realizados em equipamentos eletrônicos ou óticos mecânicos; Programa inteiramente independente; Gera e imprime relatórios e memoriais assim como faz impressão de desenho; Memorial Descritivo conforme a atual lei de Registro de Terras Confecção de monografia de vértices GPS. 6

7 A entrada de dados pode ser feita através da importação de arquivos ASCII definido pelo usuário, arquivos DXF (AutoCad) entre outros, via teclado ou ainda via interface com aparelhos eletrônicos; Comunicação com as principais Estações Totais e Coletores de Dados existentes no mercado, além de toda a linha GPS da Magellan. Flexibilidade quanto aos métodos de levantamentos, podendo utilizar mais de um método na mesma poligonal; Cálculo de ângulos e distâncias a partir de coordenadas; Exportação de arquivos ASCII definidos pelo usuário, DXF (AutoCAD) e outros formatos, geração de um arquivo de dados para locação permitindo interface com as principais estações do mercado. 1.3 Conhecimentos Necessários Para uma melhor utilização do Software Topográfico DataGeosis é necessário que o usuário possua conhecimentos básicos nas áreas de Topografia, Computação e Sistemas CAD. 1.4 Simbologia Dica Observação Atenção 7

8 CONHECIMENTOS BÁSICOS DE AMBIENTE Windows Capítulo O Mouse Periférico que possui dois ou três botões. No DataGeosis serão utilizados o botão da esquerda para selecionar entidades gráficas e funções, e o botão da direita para a abertura de algumas caixas de diálogo. 2.2 Menu Principal Para acessar as ferramentas do DataGeosis pode-se utilizar a Barra de Menus (Menu Principal). O menu principal está localizado na parte superior da tela do DataGeosis, logo abaixo da Barra de Títulos, o qual é composto por um grupo de comandos principais do software. Barra de Títulos Barra de Menus Normalmente a escolha de um comando da Barra de Menus é feita utilizando-se o mouse, clicandose com o botão esquerdo sobre a opção desejada, mas há ainda outras formas de seleção que facilitam e agilizam o processo: Acesso via teclado: Pressione a tecla [Alt] e ao mesmo tempo a tecla correspondente à letra sublinhada nos textos que identificam a função do Menu desejado. 2.3 Teclas de Atalho Consiste em uma combinação de teclas que ativam uma opção requerida. Por convenção, estes atalhos são mostrados (quando existem) à direita do nome de um comando no menu. A seguir, uma lista de teclas de atalhos válidas no DataGeosis 2.3: HOME END CTRL + HOME CTRL + END Posiciona o cursor no início de uma linha na planilha. Posiciona o cursor no fim de uma linha na planilha Posiciona o cursor no início da planilha. Posiciona o cursor no fim da planilha. 8

9 CTRL + S Salva o projeto atual. CTRL + P Ativa a função para impressão do desenho. CTRL + Z Ativa a função Voltar que desfaz a última edição do desenho. CTRL + X Ativa a função Recortar Linhas. CTRL + V Ativa a função Colar Linhas. CTRL + Del Ativa a função Apagar Linhas CTRL + L Ativa a função Localizar, usada para identificar um ponto visado específico da planilha. CTRL + R Ativa a função Construir Retângulo CTRL + T Ativa a função Construir Texto. CTRL + M Ativa a função Alterar Mover, utilizada para mover a (s) entidade (s) selecionada (s). F1 Ativa os Tópicos de Ajuda do DataGeosis. CTRL + SHIFT + HOME Seleciona entidades a partir de uma célula qualquer até o início da primeira linha da planilha. 2.4 Ícones de Atalho As ferramentas utilizadas com maior freqüência são graficamente mostradas por botões (ícones de atalho) específicos e são facilmente acessados clicando-se sobre eles com o botão esquerdo do mouse. Anexo a este manual, segue uma lista completa de todos os botões do DataGeosis 2.3, podendo o usuário consultar sua utilização bem como a função de cada um. A seguir um exemplo mostrando a barra de ferramentas Arquivos. 9

10 Capítulo 3 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE 3.1 Requisitos Básicos de Hardware e Software Processador compatível com IBM 486 ou superior (recomendado Pentium II 266 MHz); Sistema operacional Microsoft Windows 95/98, Windows NT ou Windows XP; Monitor de vídeo SVGA com resolução de 640 x 480 (recomendado 800x600); Microsoft Word 6.0 ou mais recente; Mouse ou outro dispositivo de digitalização; 20 megabytes de espaço livre em disco (mínimo); 16 megabytes de memória RAM (recomendado 64 Mb); Unidade de CD-ROM (apenas para instalação inicial); 3.2 Instalação O DataGeosis e o programa de instalação foram desenvolvidos em ambiente Windows, portanto, o usuário deverá tê-lo funcionando em seu microcomputador para que possa instalar e utilizar o DataGeosis. O programa de instalação é auto-explicativo, bastando apenas seguir as instruções que aparecem na tela de seu microcomputador. Durante sua execução, diretórios serão criados automaticamente no disco rígido do microcomputador e todos os arquivos necessários à execução do DataGeosis serão copiados para os devidos diretórios. Passos para instalação do DataGeosis Insira o CD do DataGeosis 2.3 na unidade de CD-ROM do seu microcomputador; 2 Aguarde a execução do programa que lhe ajudará no processo de instalação do DataGeosis. Caso não seja executado o programa de instalação, clique em e selecione a opção. A seguinte Tela será mostrada: 10

11 Em Abrir, digite D:\install.exe e selecione o botão OK, para que o instalador seja iniciado; 3 Após a iniciação do programa de instalação do DataGeosis 2.3, siga as instruções que forem se apresentando nas telas de instalação. 5 Terminado o processo de instalação do programa, conecte a chave de proteção (HASP, HARDLOCK OU PROTEQ) à porta paralela LPT1 (porta da impressora) do microcomputador; Após a instalação, será criada dentro do diretório C:\Arquivos de Programa, a pasta Alezi Teodolini. Nesta será criada a pasta DataGeosis 2.3 (Standard, Standard Plus, Profissional ou Vias Standard, de acordo com a sua aquisição) e o ícone do DataGeosis 2.3 correspondente será acrescentado na área de trabalho do Windows. O software não será aberto sem que a chave de proteção esteja conectada devidamente, a não ser que você tenha instalado a versão Demonstrativa ou Júnior. Lembre-se de verificar corretamente qual é a chave de proteção que você possui, para que no momento da instalação se faça a seleção correta da chave correspondente. 11

12 Capítulo 4 TIPOS DE DADOS 4.1 Classificação de um ponto em relação ao tipo de leitura Antes de se proceder a entrada de dados no DataGeosis, deve-se conhecer os tipos de dados utilizados pelo software. O tipo de leitura é um fator indispensável para o processamento correto das planilhas e das poligonais contidas nas mesmas. Deve-se prestar muita atenção no tipo de leitura dos pontos e configurar corretamente a planilha com os dados do levantamento. Este é um passo importante, pois se um ponto de VANTE, por exemplo, for configurado como IRRADIAÇÂO, o programa não encontrará essa VANTE e o fechamento da poligonal não será efetuado. A seguir são mostrados os tipos de pontos utilizados pelo DataGeosis para uma planilha Planialtimétrica. Caso a planilha seja de Nivelamento veja no Capítulo 5, item Planilha de Nivelamento os tipos de pontos para este caso Ponto Fixo É um ponto referencial que não possui elementos para cálculo, portanto, não será utilizado nos cálculos da planilha por ser definido somente através de suas coordenadas. Este ponto pode ser inserido diretamente na planilha ou no desenho. Se for inserido na planilha, ele é automaticamente ativado no desenho, e vice-versa. As colunas de Ré e Estação não precisam ser preenchidas e as coordenadas constantes na linha da planilha pertencem ao ponto inscrito na coluna Ponto Visado. 12

13 Ponto Auxiliar É uma estação auxiliar localizada fora do levantamento da poligonal principal, podendo ser utilizada para a captura de pontos de detalhes (irradiações) ou conexões com outros pontos auxiliares ou ainda para serem utilizados como pontos de conexão para outras poligonais secundárias Irradiadas São pontos utilizados para levantamentos de detalhes (canto de casa, postes, árvores, etc...) definidos a partir de uma estação ou de um ponto auxiliar Visada a Ré São pontos de visada à ré direta, ou seja, através de uma estação da poligonal, são efetuadas as leituras de distâncias e ângulos a este ponto, com o aparelho na posição direta. Os pontos de ré servem como referência para as estações da poligonal Visada a Vante Determina a próxima estação do caminhamento da poligonal através da leitura angular entre a ré e o ponto visado a vante e da distância entre a estação e o ponto visado a vante. Toda vez que se definir uma estaca de poligonal, a mesma deverá ser identificada como vante Ré Inversa É a realização da leitura da estação de ré com a luneta do aparelho em posição inversa (180 ) para que se possa realizar reiterações, séries conjugadas de leitura, etc Vante Inversa É a realização da leitura da estação de vante com a luneta do aparelho em posição inversa (180 ) para que se possam realizar reiterações, séries conjugadas de leitura, etc. 13

14 Interseção a Vante É a determinação de um ponto, que normalmente não está acessível, através de duas leituras angulares a partir de dois pontos conhecidos. O programa executa o cálculo trigonométrico para determinação das coordenadas do terceiro ponto Ponto Resultante Este ponto aparece sempre abaixo de uma linha de vante após o cálculo da planilha. Estes pontos contém as coordenadas compensadas dos pontos da poligonal fechada ou apoiada em 2 pontos, enquanto que na linha identificada como vante ficam armazenados os dados brutos. Estes pontos são também utilizados para inserção das estacas de poligonal na tela gráfica (CAD) do DataGeosis. A identificação de um ponto é sempre feita pela coluna Ponto Visado. 4.2 Classificação de um ponto em relação ao método de levantamento O DataGeosis além de permitir a configuração linha a linha do tipo de ponto visado, permite também configurar o método de levantamento para cada ponto da planilha. Assim, pode-se ter vários métodos de levantamento em uma mesma planilha, por exemplo, levantamentos de ângulos horizontais horários ou antihorários, levantamentos por azimutes ou rumos, distâncias horizontais ou inclinadas ou ainda levantamentos estadimétricos (fios do retículo), entre outros. Antes de iniciar a digitação da planilha, devese configurar, portanto, o método que foi utilizado para obtenção dos ângulos horizontal e vertical, assim como as distâncias. Isso pode ser realizado através da barra de configurações de método de levantamento mostrada abaixo: Nesta barra, são mostradas quatro caixas. Na primeira, deve-se selecionar o tipo de ângulo horizontal medido no levantamento, na segunda, o quadrante do ângulo medido, caso o ângulo horizontal seja rumo. Na terceira caixa, deve-se definir o tipo de distância medida, na quarta caixa, o tipo de método utilizado para definir a altimetria dos pontos, por exemplo, ângulo vertical, distância vertical, desnível, etc. 14

15 A seguir, segue-se um detalhamento dos métodos de levantamento que podem ser utilizados no DataGeosis Ângulo Horizontal ou Coordenadas Para selecionar o tipo de ângulo horizontal medido, clique na primeira caixa. Será aberta uma lista com as opções disponíveis no DataGeosis. Selecione a opção desejada entre as opções mostradas na figura ao lado. Se o usuário quiser inserir uma planilha de coordenadas topográficas, deve selecionar a opção x, y, z. Neste caso, como não há leituras de ângulos e distâncias, as caixas correspondentes a estas medidas estarão inativas. Para selecionar o quadrante do alinhamento visado, caso o ângulo horizontal seja o rumo, clique na segunda caixa. Uma lista será aberta com todos os quadrantes, como mostra a figura ao lado. A discriminação horária e anti-horária não se refere ao sentido de caminhamento da poligonal e sim ao sentido da leitura do ângulo horizontal. 15

16 4.2.2 Distâncias Para selecionar o tipo de distância medida no levantamento, clique na terceira caixa. Uma lista será aberta e o usuário poderá selecionar as opções de distância inclinada, horizontal, ou ainda fios estadimétricos sendo que nesta última as distâncias serão calculadas pelo software Angulos Verticais Para selecionar método utilizado para definir a altimetria dos pontos, clique na quarta caixa. Será apresentada uma lista contendo os métodos disponíveis, como mostra a figura ao lado. A seguir, uma descrição destes métodos: Desnível Diferença de cota entre dois pontos (Estação e Ponto Visado). Distância Vertical (DV) Diferença entre a altura do instrumento e a altura do prisma. 16

17 Ângulo Zenital Limbo Vertical zerado no Zênite. Cota Quando se conhece a cota dos pontos do levantamento. Ângulo Vertical Limbo vertical zerado no Horizonte e valores crescentes no sentido anti-horário até 360. Inclinação (%) Em lugar do ângulo vertical tem-se a inclinação em termos de porcentagem de rampa, entre a estação e o ponto visado. Ângulo de Elevação Limbo vertical zerado no Horizonte com valores positivos acima do horizonte e negativos abaixo da linha do horizonte. Ângulo Nadiral Limbo Vertical zerado no Nadir. 17

18 Capítulo 5 INICIANDO UM PROJETO 5.1 Configurações Iniciais Sempre que é iniciado o Software DataGeosis, automaticamente é aberto um novo projeto. Ao iniciar um projeto no DataGeosis é aconselhável que o usuário configure-o, evitando por exemplo, a utilização de unidades de medidas incompatíveis e agilizando o seu serviço. Para configurar o projeto, selecione o comando Arquivo Configurações ou o ícone barra de ferramentas Edição. da Figura 5.1 Abrindo a caixa Configurações. É aberta a caixa Configurações. 18

19 Figura 5.2 Configurações Iniciais do Projeto. Utilize a caixa Configurações para definir: Linear Define o número de casas decimais e a unidade de medida linear que se deseja trabalhar: Para definir o número de casas decimais, clique na caixa correspondente e digite o número desejado, ou clique na barra de rolagem até a seleção do número desejado. No DataGeosis estão disponíveis as seguintes opções de unidades lineares: Metros; Pés; Polegadas; Clique sobre a unidade de medida desejada para selecioná-la. Deve-se lembrar que quando se trabalha com equipamento eletrônico em campo, a precisão é definida pelo mesmo. A quantidade de casas decimais definidas no software serve somente para apresentação dos dados e resultados. Portanto, os dados de campo deverão ser digitados com todas as casas decimais lidas, principalmente quando se utilizar taqueometria. Angular Define o número de casas decimais e a unidade de medida angular que se deseja trabalhar: Para definir o número de casas decimais, clique na caixa correspondente e digite o número desejado, ou clique na barra de rolagem até selecionar o número desejado. No DataGeosis estão disponíveis as seguintes opções de unidades angulares: 19

20 Decimais; Graus, minutos, segundos; Gradiano (Grados); Radiano; MIL (Unidade angular utilizada na Europa). Clique sobre a unidade de medida desejada para selecioná-la. Salvamento O usuário poderá optar por até duas formas de salvamento de arquivos: Criar Backup e Auto Save. Auto Save: Se o usuário optar pelo auto-salvamento, deverá marcar a opção e definir o intervalo de tempo que deseja o salvamento automático do projeto. Criar Backup: Se o usuário optar pela criação de cópia de backup, deverá marcar a opção; assim, quando o usuário salvar pela primeira vez o projeto, a cópia de backup será ativada, porém não acontecerá, pois o arquivo do projeto está sendo criado pela primeira vez. Depois disto o programa gera e atualiza a cópia de backup sempre pelo penúltimo salvamento, apresentando-se da seguinte maneira: Backup _ (Nome do arquivo).stp. Visualizar Pontos Define a forma padrão em que os pontos topográficos são apresentados na tela gráfica (no desenho) após o cálculo. Pode-se optar entre: Ponto; Círculo; Cruz; Triângulo; Quadrado. Outros Utilizado para definir a Cor de fundo e o Alqueire (m 2 ) da região onde se trabalha. Cor de fundo: Define a cor de fundo da tela gráfica, sendo que a tela de planilha, independente da escolha, sempre ficará branca. Alqueire (m2): Define a área em m 2, correspondente a 1(um) alqueire na região de trabalho, que pode variar entre diferentes regiões. O tamanho, a cor e os traços para união dos pontos são propriedades definidas na criação de camadas gráficas. Tornar a configuração atual padrão Nesta opção, o usuário pode definir como padrão para todos os projetos, uma configuração diferente da configuração padrão do DataGeosis, atendendo a suas necessidades, de maneira que, toda vez que for gerado um novo projeto, serão mantidas estas mesmas configurações. Estas configurações podem ser alteradas sempre que for necessário. 20

21 5.2 Dados Gerais do Projeto Esta função permite ao usuário, armazenar informações relativas à sua empresa e ao projeto, as quais serão inseridas automaticamente no momento da impressão de uma planilha, ao gerar um memorial descritivo ou um relatório. Para inserir os dados gerais do projeto, selecione no menu Projeto o comando Dados do Projeto. Figura 5.3 Abrindo a caixa Dados do Projeto. A caixa Dados Gerais do Projeto é aberta. Nesta caixa, deve-se inserir as informações relativas a empresa e ao projeto. Para inserir informações relativas ao projeto, selecione o menu Projeto. Será aberta a seguinte caixa: 21

22 Figura 5.4 Configuração dos Dados do Projeto. Na opção Dados, o usuário poderá inserir informações relativas ao projeto (nome do projeto), à propriedade e ao proprietário. Pode-se ainda inserir a data de início do levantamento dos dados de campo, e ainda um código para o projeto. Na opção Localização, o usuário poderá inserir informações relativas ao endereço da propriedade levantada. Na opção Responsabilidade Técnica, há espaço para a inserção dos dados do profissional responsável pelo projeto (nome, CREA e ART). Abaixo desta última opção há uma caixa que identifica a data de criação do projeto, a data da última abertura, o tempo de utilização desde a última abertura e o tempo total gasto para o processamento e finalização do trabalho. Assim, o usuário terá um controle total do tempo gasto para realização dos trabalhos de escritório. Esta ficha de Dados Gerais é individual para cada projeto e a função de gravação de data e contagem de tempo trabalhado irá ser ativada independente da ficha estar ou não preenchida, e as datas e horários são as mesmas utilizadas pelo computador. Por fim, o usuário poderá ativar a opção Tornar os valores atuais padrão para novos projetos caso este queira que os valores preenchidos sejam sempre utilizados em novos projetos. caixa: Para inserir informações relativas à empresa, selecione o menu Empresa. Será aberta a seguinte 22

23 Figura 5.5 Configuração dos Dados da Empresa. Nesta opção o usuário poderá inserir todas as informações relativas à sua empresa, desde Razão Social e Nome, aos dados de Localização. Pode-se ainda inserir uma logomarca da empresa, desde que esta esteja em formato *.bmp, a qual será utilizada na impressão dos relatórios (planilhas, memorial descritivo, etc...). A opção Tornar os valores atuais padrão para novos projetos permite ao usuário criar um modelo de dados padrão para sua empresa, de modo que qualquer projeto criado tenha as mesmas configurações, como o nome e endereço da mesma, agilizando o trabalho. Estes dados poderão ser preenchidos em qualquer fase do trabalho, pois o preenchimento dos Dados do Projeto serve apenas para sua organização. Preenchidos os dados acima, uma nova planilha deverá ser criada para iniciar a inserção dos dados do levantamento. Para tal, deve-se seguir os passos da etapa seguinte. 5.3 Criando uma Nova Planilha Os dados provenientes do campo, como ângulos, distâncias e coordenadas, por exemplo, devem ser inseridos na planilha para em seguida serem calculados. Os dados podem ser provenientes de estações totais, teodolitos, níveis ou de receptores GPS. Após a inserção dos dados, o programa possibilita o cálculo de diferentes tipos de coordenadas (topográfica local, geodésica (lat., long.), planas UTM). Para criar uma 23

24 nova planilha clique no menu Planilhas e selecione a opção Nova Planilha, ou clique no ícone de atalho da barra de ferramentas Planilhas. Figura 5.6 Abrindo a caixa Configurações da Planilha. Será aberta a caixa Configurações da Planilha como mostra a Figura 5.7. Observe que a guia Config. Iniciais está ativa, como mostra a seta de indicação. Posteriormente será mostrada a função Dados da Poligonal, que apresentará caixas diferentes para planilha planialtimétrica e para planilha de nivelamento. Figura 5.7 Configurações Iniciais da Planilha. 24

25 5.3.1 Configurações Iniciais Nesta caixa pode-se definir o tipo de levantamento realizado, o nome da poligonal levantada, as colunas que se deseja visualizar na planilha e a opção de ativar ou não a Geodésia, que permite trabalhar com cálculos de transformações geodésicas. Tipo: Define o tipo de planilha a ser utilizada conforme o tipo de levantamento realizado no trabalho, podendo ser uma planilha Planialtimétrica ou de Nivelamento (ver detalhes no item 5.3.2); Nome: Define um nome para identificação da poligonal; Colunas: Define os campos (colunas) de dados a serem visualizados na planilha. Na opção Não Usadas, são mostradas todas as opções disponíveis que não estão sendo utilizadas (visualizadas) como colunas da planilha. Na opção Usadas, são mostradas somente as opções que compõe as colunas da planilha atual. Selecionando-se a (s) opção (s) desejada (s), pode-se, através dos botões e, apresentá-la (s) ou não na planilha. Ativar Geodésia: Esta opção serve para ativar os cálculos geodésicos. Portanto, só deve ser ativada, se o usuário tiver necessidade de trabalhar com coordenadas geodésicas. Se o usuário não for utilizar coordenadas geodésicas em seu projeto, deve deixar a opção inativa e proceder aos cálculos topográficos normalmente. Caso contrário, para maiores informações a respeito do processo de cálculos e transformações geodésicas, ler o Capítulo 18. Ao ativar a opção Ativar Geodésica, são ativados os campos Elipsóide, Copiar Cotas (N=0) e Copiar Altitudes(N=0). Elipsóide: Define o elipsóide utilizado nas coordenadas geodésicas. Pode-se escolher entre o sistema WGS 84, SAD 69 ou HAYFORD, que são os três elipsóides defaut do DataGeosis. Posteriormente veremos que há a possibilidade do usuário definir um elipsóide específico. Copiar Cotas ( N=0): Utilizado em casos de levantamentos feitos com estações, teodolitos ou níveis em que se pode calcular a cota Z-Total dos pontos do levantamento. Caso esta opção esteja ativa, no momento da transformação de coordenadas topográficas para geodésicas, os valores de cotas serão copiados para a coluna Altitude. Copiar Altitudes(N=0): Utilizado em casos de levantamentos feitos com receptores GPS em que se obtém as altitudes elipsoidais dos pontos do levantamento. Caso esta opção esteja ativa, no 25

GUIA PRÁTICO GEORREFERENCIAMENTO

GUIA PRÁTICO GEORREFERENCIAMENTO GUIA PRÁTICO DataGeosis Versão 2.3 GEORREFERENCIAMENTO Paulo Augusto Ferreira Borges Engenheiro Agrimensor Treinamento e Suporte Técnico 1. Introdução Neste guia apresentam-se os passos necessários para

Leia mais

Sistema topograph 98. Tutorial Módulo Projetos

Sistema topograph 98. Tutorial Módulo Projetos Sistema topograph 98 Tutorial Módulo Projetos Como abrir um projeto existente _ 1. Na área de trabalho do Windows, procure o ícone do topograph e dê um duplo clique sobre ele para carregar o programa.

Leia mais

Tutorial do Sistema GeoOffice. Todos os direitos reservados (1999-2002)

Tutorial do Sistema GeoOffice. Todos os direitos reservados (1999-2002) Tutorial do Sistema GeoOffice Todos os direitos reservados (1999-2002) Sistema GeoOffice Sistema Topográfico Solution Softwares Tutorial Passo a Passo Conteúdo I Tabela de Conteúdos Foreword 0 Parte I

Leia mais

COMPLETA AUTOMAÇÃO PARA

COMPLETA AUTOMAÇÃO PARA COMPLETA AUTOMAÇÃO PARA TOPOGRAFIA E GEODÉSIA Algumas Novidades da Versão Office: Reformulação das Planilhas de Cálculos; GeraçãodeLayoutsdeImpressão; Inserção e Georreferenciamento de Imagens Raster;

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

EXPORTAÇÃO E IMPRESSÃO DE DADOS NO DATAGEOSIS 2.3

EXPORTAÇÃO E IMPRESSÃO DE DADOS NO DATAGEOSIS 2.3 GUIA PRÁTICO DataGeosis Versão 2.3 EXPORTAÇÃO E IMPRESSÃO DE DADOS NO DATAGEOSIS 2.3 Paulo Augusto Ferreira Borges Engenheiro Agrimensor Treinamento e Suporte Técnico ÍNDICE: 1. INTRODUÇÃO... 3 2. EXPORTAÇÃO

Leia mais

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Excel 2000 Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Índice 1.0 Microsoft Excel 2000 3 1.1 Acessando o Excel 3 1.2 Como sair do Excel 3 1.3 Elementos da

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Módulo de Georreferenciamento. Sistema. Página 1/75

Módulo de Georreferenciamento. Sistema. Página 1/75 Módulo de Georreferenciamento Sistema Página 1/75 Para iniciar o Módulo de Georreferenciamento acesse, no AutoCAD a partir do Menu flutuante >Posição >Georreferenciamento >Módulo de Georreferenciamento.

Leia mais

Iniciação à Informática

Iniciação à Informática Meu computador e Windows Explorer Justificativa Toda informação ou dado trabalhado no computador, quando armazenado em uma unidade de disco, transforma-se em um arquivo. Saber manipular os arquivos através

Leia mais

Apresentando o Sistema GeoOffice GPS Profissional

Apresentando o Sistema GeoOffice GPS Profissional Apresentando o Sistema GeoOffice GPS Profissional O Sistema GeoOfficeGPS é uma ferramenta de automação desenvolvida pela Solution Softwares LTDA-ME para auxiliar no armazenamento e manipulação de dados

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior Mozart de Melo Alves Júnior WORD 2000 INTRODUÇÃO: O Word é um processador de texto com recursos de acentuação, formatação de parágrafo, estilo de letras diferentes, criação de tabelas, corretor ortográfico,

Leia mais

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal Word 1 - Introdução O Word para Windows ou NT, é um processador de textos cuja finalidade é a de nos ajudar a trabalhar de maneira mais eficiente tanto na elaboração de documentos simples, quanto naqueles

Leia mais

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Iniciando o Windows XP...2 Desligar o computador...3 Área de trabalho...3

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup MANUAL DO USUÁRIO Software de Ferramenta de Backup Software Ferramenta de Backup Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual serve como referência para

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Índice 1 Introdução...2 2 Acesso ao Sistema...3 3 Funcionamento Básico do Sistema...3 4 Tela Principal...4 4.1 Menu Atendimento...4 4.2 Menu Cadastros...5 4.2.1 Cadastro de Médicos...5

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

ÁREA DE TRABALHO. Área de Trabalho ou Desktop Na Área de trabalho encontramos os seguintes itens: Atalhos Barra de tarefas Botão iniciar

ÁREA DE TRABALHO. Área de Trabalho ou Desktop Na Área de trabalho encontramos os seguintes itens: Atalhos Barra de tarefas Botão iniciar WINDOWS XP Wagner de Oliveira ENTRANDO NO SISTEMA Quando um computador em que trabalham vários utilizadores é ligado, é necessário fazer login, mediante a escolha do nome de utilizador e a introdução da

Leia mais

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA Microsoft Windows XP William S. Rodrigues APRESENTAÇÃO WINDOWS XP PROFISSIONAL O Windows XP, desenvolvido pela Microsoft, é o Sistema Operacional mais conhecido e utilizado

Leia mais

1. Introdução a Microsoft Excel

1. Introdução a Microsoft Excel Introdução a Microsoft Excel 1. Introdução a Microsoft Excel 1.1. O que é Microsoft Excel Microsoft Excel é um software de planilha eletrônica produzido pela Microsoft Corporation, para o sistema operacional

Leia mais

Microsoft Word 97 Básico

Microsoft Word 97 Básico Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da Terceira Região Microsoft Word 97 Básico DIMI - Divisão de Microinformática e Redes Índice: I. Executando o Word... 4 II. A tela do Word 97... 6 III. Digitando

Leia mais

Status. Barra de Título. Barra de Menu. Barra de. Ferramentas Padrão. Caixa de nomes. Barra de. Ferramentas de Formatação. Indicadores de Coluna

Status. Barra de Título. Barra de Menu. Barra de. Ferramentas Padrão. Caixa de nomes. Barra de. Ferramentas de Formatação. Indicadores de Coluna O que é uma planilha eletrônica? É um aplicativo que oferece recursos para manipular dados organizados em tabelas. A partir deles pode-se gerar gráficos facilitando a análise e interpretação dos dados

Leia mais

1. EXCEL 7 1.1. PLANILHAS ELETRÔNICAS 1.2. CARREGAMENTO DO EXCEL 7

1. EXCEL 7 1.1. PLANILHAS ELETRÔNICAS 1.2. CARREGAMENTO DO EXCEL 7 1. EXCEL 1.1. PLANILHAS ELETRÔNICAS As planilhas eletrônicas ficarão na história da computação como um dos maiores propulsores da microinformática. Elas são, por si sós, praticamente a causa da explosão

Leia mais

DATAGEOSIS EDUCACIONAL 2005

DATAGEOSIS EDUCACIONAL 2005 DATAGEOSIS EDUCACIONAL 2005 GUIA DE USO Aula 2 1. Abra o aplicativo clicando no atalho na área de trabalho. 2. Clique no botão Novo projeto ou clique o comando - (ctrl + N). 3. NA janela DADOS DO PROJETO,

Leia mais

Aula Número 01. Sumário

Aula Número 01. Sumário Aula Número 01 Sumário Conceitos Básicos:... 3 Movendo-se numa Planilha... 4 Selecionando Múltiplas Células... 4 Abrindo e Salvando um Arquivo... 6 Salvando um arquivo... 8 Introduzindo e Editando Dados...

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior 2000 Mozart de Melo Alves Júnior INTRODUÇÃO O Excel 7.0 é um aplicativo de planilha desenvolvido para ser usado dentro do ambiente Windows. As planilhas criadas a partir desta ferramenta poderão ser impressas,

Leia mais

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word 1 Iniciando o Word 2010 O Word é um editor de texto que utilizado para criar, formatar e imprimir texto utilizado para criar, formatar e imprimir textos. Devido a grande quantidade de recursos disponíveis

Leia mais

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0 Ajuda ao Usuário A S S I S T E N T E P I M A C O + 2.2.0 Ajuda ao usuário Índice 1. BÁSICO 1 1. INICIANDO O APLICATIVO 2 2. O AMBIENTE DE

Leia mais

TOPOCAD2000 MANUAL DE UTILIZAÇÃO. 4 a. Edição 01/10/2010

TOPOCAD2000 MANUAL DE UTILIZAÇÃO. 4 a. Edição 01/10/2010 TOPOCAD2000 MANUAL DE UTILIZAÇÃO 4 a. Edição 01/10/2010 I N D I C E 1) INSTALAÇÃO...03 2) CONFIGURAÇÃO...03 3) PROTEÇÃO... 04 4) ATUALIZAÇÃO...05 5) GARANTIA E SUPORTE...05 6) UTILIZAÇÃO...06 7) MICROCAD...06

Leia mais

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados.

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Windows Menu Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Minimizar Fechar Maximizar/restaurar Uma janela é composta de vários elementos

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 2 Windows Vista Professora: Cintia Caetano AMBIENTE WINDOWS O Microsoft Windows é um sistema operacional que possui aparência e apresentação aperfeiçoadas para que o trabalho

Leia mais

Microsoft Word INTRODUÇÃO

Microsoft Word INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO O Word é uma ferramenta utilizada para o processamento e editoração eletrônica de textos. O processamento de textos consiste na possibilidade de executar e criar efeitos sobre um texto qualquer,

Leia mais

EXCEL: VISÃO GERAL 4

EXCEL: VISÃO GERAL 4 EXCEL: VISÃO GERAL 4 Conhecendo o Excel 4 Conhecendo a área de trabalho 5 Entrada na barra de Fórmulas 6 Iniciando o programa 6 Abrindo uma pasta de planilhas 6 Inserindo dados 6 Apagando o conteúdo de

Leia mais

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para XEROX 6279. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a XEROX 6279 no manual

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

INTRODUÇÃO INICIANDO O WORD INSERIR TEXTO

INTRODUÇÃO INICIANDO O WORD INSERIR TEXTO SUMÁRIO 01 - INTRODUÇÃO 02 - INICIANDO O WORD 03 - INSERIR TEXTO 04 - SALVAR UM DOCUMENTO 05 - FECHAR UM DOCUMENTO 06 - INICIAR UM NOVO DOCUMENTO 07 - ABRIR UM DOCUMENTO 08 - SELECIONAR TEXTO 09 - RECORTAR,

Leia mais

Dicas para usar melhor o Word 2007

Dicas para usar melhor o Word 2007 Dicas para usar melhor o Word 2007 Quem está acostumado (ou não) a trabalhar com o Word, não costuma ter todo o tempo do mundo disponível para descobrir as funcionalidades de versões recentemente lançadas.

Leia mais

Esta ferramenta permite gerar automaticamente um memorial descritivo de uma determinada área. Para isso, siga os seguintes passos:

Esta ferramenta permite gerar automaticamente um memorial descritivo de uma determinada área. Para isso, siga os seguintes passos: 2.5 Memorial Esta ferramenta permite gerar automaticamente um memorial descritivo de uma determinada área. Para isso, siga os seguintes passos: Definição de divisas confrontantes Permite identificar os

Leia mais

FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS AUXILIARES NO SEGURO RURAL

FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS AUXILIARES NO SEGURO RURAL CURSO DE COMPROVAÇÃO DE PERDAS AGRÍCOLAS PARA O SEGURO RURAL, PROAGRO E PROAGROMAIS FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS AUXILIARES NO SEGURO RURAL Prof. Francisco Edinaldo Pinto Mousinho TERESINA, NOVEMBRO DE 2012

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

Panorama do Sistema de Automação Topográfica - POSIÇÃO

Panorama do Sistema de Automação Topográfica - POSIÇÃO Panorama do Sistema de Automação Topográfica - POSIÇÃO MundoGEO#Connect LatinAmerica 2013 18 a 20 de Junho São Paulo Brasil Apresentado por: Danilo Sidnei dos Santos Gerente e Desenvolvedor do Posição

Leia mais

GUIA DE CAMPO Software. Trimble Digital Fieldbook TM

GUIA DE CAMPO Software. Trimble Digital Fieldbook TM GUIA DE CAMPO Software Trimble Digital Fieldbook TM Versão 2.00 Revisão A Abril de 2006 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 4 APLICAÇÕES DE LEVANTAMENTO... 4 Dois Tipos de Levantamento de Campo... 4 Levantamento Estático-Rápido...

Leia mais

Instalação e Operação dos Aplicativos Serie 5000/6000

Instalação e Operação dos Aplicativos Serie 5000/6000 Instalação e Operação dos Aplicativos Serie 5000/6000 Requisitos mínimos de Hardware: Pentium 3 de 500 mhz ou Celeron de 700 mhz ou superior 128 MB de RAM 100 MB livres no disco rígido Requisitos de Software:

Leia mais

APOSTILA WORD BÁSICO

APOSTILA WORD BÁSICO APOSTILA WORD BÁSICO Apresentação O WORD é um editor de textos, que pertence ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de textos, cartas, memorandos, documentos, mala

Leia mais

Av. Paulo VI, 1952- Sumaré. 01262-010 São Paulo S.P.- Brasil Fone: (11) 3868-0822 Fax: (11)3673-0702 http://www.hezolinem.

Av. Paulo VI, 1952- Sumaré. 01262-010 São Paulo S.P.- Brasil Fone: (11) 3868-0822 Fax: (11)3673-0702 http://www.hezolinem. ÍNDICE 1 - INTERFACE/TECLAS... 3 2 - LIGANDO O EQUIPAMENTO... 4 3 - CRIANDO UM WAYPOINT... 4 4 - CRIANDO UMA TRILHA... 7 4.1 Apagando traçados... 7 4.2 Criando Trilhas... 8 - Posicione-se no ponto de partida

Leia mais

SIMULADO Windows 7 Parte V

SIMULADO Windows 7 Parte V SIMULADO Windows 7 Parte V 1. O espaço reservado para a Lixeira do Windows pode ser aumentado ou diminuído clicando: a) Duplamente no ícone lixeira e selecionando Editar propriedades b) Duplamente no ícone

Leia mais

O Microsoft Office é composto por diversos softwares, dentre eles o Word, o Excel, o Access e o Power Point.

O Microsoft Office é composto por diversos softwares, dentre eles o Word, o Excel, o Access e o Power Point. Editor de Texto Microsoft Word 1. Microsoft Office O Microsoft Office é composto por diversos softwares, dentre eles o Word, o Excel, o Access e o Power Point. O Word é um editor de texto com recursos

Leia mais

Para resolver as questões abaixo considere o Sistema Operacional Microsoft Windows Vista

Para resolver as questões abaixo considere o Sistema Operacional Microsoft Windows Vista Nome: Gabarito Para resolver as questões abaixo considere o Sistema Operacional Microsoft Windows Vista 1) O Centro das configurações do Windows, onde pode ser acessado cada um dos dispositivos componentes

Leia mais

TopoHAM-Excel Software para cálculo e desenho de topografia. 1 / 1. Manual do TopoHAM-Excel

TopoHAM-Excel Software para cálculo e desenho de topografia. 1 / 1. Manual do TopoHAM-Excel 1 / 1 Manual do Manual do Manual do O Manual do TopoHAM ensinará tudo que você precisa para o futuro dos seus negócios e desenvolvimento da sua empresa. -Caderneta de Campo. -Ajustamento MMQ. -Coordenadas

Leia mais

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1 EXCEL BÁSICO Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041 www.melissalima.com.br Página 1 Índice Introdução ao Excel... 3 Conceitos Básicos do Excel... 6

Leia mais

Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ

Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ 1 1. Introdução Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ O ImageJ é um software livre (freeware) que pode ser obtido gratuitamente no site http://rsb.info.nih.gov/ij/. Esse software é

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. TJ-SP INFORMÁTICA CARLOS VIANA 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. ( VUNESP - 2011 - TJM-SP - Windows XP; ) Analise as afirmativas referentes ao MS-Windows

Leia mais

FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- TOPOGRAFIA

FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- TOPOGRAFIA FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- TOPOGRAFIA EXERCÍCIO DE REVISÃO 1. Com base nos seus conhecimentos, complete a lacuna com a alternativa abaixo que preencha corretamente

Leia mais

INTRODUÇÃO WORKCAD NA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

INTRODUÇÃO WORKCAD NA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO INTRODUÇÃO O WorkCAD é uma ferramenta para criação, edição e impressão de projetos assistidos por computador (CAD - Computer Aided Design) que inclui a criação e gerenciamento de projetos 3D, maquetes

Leia mais

Microsoft PowerPoint 2003

Microsoft PowerPoint 2003 Página 1 de 36 Índice Conteúdo Nº de página Introdução 3 Área de Trabalho 5 Criando uma nova apresentação 7 Guardar Apresentação 8 Inserir Diapositivos 10 Fechar Apresentação 12 Abrindo Documentos 13 Configurar

Leia mais

PACOTE TOPOGRAFIA. Cálculos

PACOTE TOPOGRAFIA. Cálculos PACOTE TOPOGRAFIA Cálculos Este aplicativo é responsável pelos cálculos de topografia e UTM do Sistema topograph. As cadernetas de levantamento de campo podem ser introduzidas a partir de dados levantados

Leia mais

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas GerNFe 1.0 Manual do usuário Página 1/13 GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas O programa GerNFe 1.0 tem como objetivo armazenar em local seguro e de maneira prática para pesquisa,

Leia mais

Gerenciador de Imóveis

Gerenciador de Imóveis Gerenciador de Imóveis O Corretor Top é o mais completo sistema de gestão de imóveis do mercado, onde corretores terão acesso à agenda, cadastro de imóveis, carteira de clientes, atendimento, dentre muitas

Leia mais

Guia do Wattbike Expert Software para Iniciantes

Guia do Wattbike Expert Software para Iniciantes Guia do Wattbike Expert Software para Iniciantes 1 Índice Introdução............................................... 3 Conexão do software ao Computador de Desempenho Wattbike tela padrão Polar e edição

Leia mais

PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA. Sumário

PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA. Sumário PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA Sumário O que são leitores de Tela?... 1 O NVDA - Non Visual Desktop Access... 1 Procedimentos para Download e Instalação do NVDA... 2 Iniciando

Leia mais

Ana Beatriz Rebouças Eufrásio

Ana Beatriz Rebouças Eufrásio DATAGEOSIS Ana Beatriz Rebouças Eufrásio Jamires Cordeiro Praciano de Sousa PET Civil UFC Sumário 1. Criando um novo projeto... 5 1.1. Barra de propriedades e gerenciador de projetos... 5 2. Personalizando

Leia mais

Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática. Flaviano Aguiar Liziane Santos Soares Jugurta Lisboa Filho (Orientador)

Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática. Flaviano Aguiar Liziane Santos Soares Jugurta Lisboa Filho (Orientador) Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática,1752'8d 2,1)250É7,&$ Flaviano Aguiar Liziane Santos Soares Jugurta Lisboa Filho (Orientador) PROJETO UNESC@LA Junho de 2000 Conteúdo 1. CONCEITOS

Leia mais

Manual Captura S_Line

Manual Captura S_Line Sumário 1. Introdução... 2 2. Configuração Inicial... 2 2.1. Requisitos... 2 2.2. Downloads... 2 2.3. Instalação/Abrir... 3 3. Sistema... 4 3.1. Abrir Usuário... 4 3.2. Nova Senha... 4 3.3. Propriedades

Leia mais

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14 portal@up.com.br Apresentação Este manual contém informações básicas, e tem como objetivo mostrar a você, aluno, como utilizar as ferramentas do Portal Universitário e, portanto, não trata de todos os

Leia mais

MICROSOFT EXCEL - AULA NÚMERO 01

MICROSOFT EXCEL - AULA NÚMERO 01 MICROSOFT EXCEL - AULA NÚMERO 01 Introduzindo Dados Com o Microsoft Excel é fácil introduzir informações numa planilha e mudar, excluir ou acrescentar dados. Você vai aprender a: - Abrir e salvar um arquivo

Leia mais

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007 WORD 2007 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE TECNOLOGIA Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa

Leia mais

SOFTWARE DE INSTALAÇÃO. Instruções de Instalação

SOFTWARE DE INSTALAÇÃO. Instruções de Instalação SOFTWARE DE INSTALAÇÃO SOFTWARE Instruções de Instalação Manual de instruções para programa de gravação de dados (WS- 9010) Esta estação meteorológica juntamente com o programa de gravação de dados é um

Leia mais

Questões de Informática 2011 - Editores de Texto

Questões de Informática 2011 - Editores de Texto 1. Existe uma operação específica no Word que serve para destacar um texto selecionado colocando uma moldura colorida em sua volta, como uma caneta "destaque" (iluminadora). Trata-se de a) "Cor da borda".

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROFESSOR II INFORMÁTICA

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROFESSOR II INFORMÁTICA 17 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROFESSOR II INFORMÁTICA QUESTÃO 21 Analise as seguintes afirmativas sobre as ferramentas disponíveis no Painel de Controle do Microsoft Windows XP Professional, versão

Leia mais

MANUAL DO NVDA Novembro de 2013

MANUAL DO NVDA Novembro de 2013 MANUAL DO NVDA Novembro de 2013 PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL Núcleo IFRS Manual do NVDA Sumário O que são leitores de Tela?... 3 O NVDA - Non Visual Desktop Access... 3 Procedimentos para Download

Leia mais

Planilha Eletrônica Excel

Planilha Eletrônica Excel COLÉGIO LA SALLE CANOAS Técnico em Informática Planilha Eletrônica Excel Excel Prof. Valter N. Silva Colégio La Salle Canoas Página 2 1. NOÇÕES BÁSICAS O Microsoft Excel 7.0 é um programa de planilha eletrônica,

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

O Software... 3. Ferramentas Fixas...7 Ajuda...7 Atualização automática...7 Info...7. Configurações... 8 Verificar conexões... 8

O Software... 3. Ferramentas Fixas...7 Ajuda...7 Atualização automática...7 Info...7. Configurações... 8 Verificar conexões... 8 Sumário O Software... 3 O IrrigaCAD...3 Versões do AutoCAD...3 Configurações Mínimas...3 Acionamento... 4 Elementos Gráficos... 4 Apresentando as Ferrametas...5 Barra de Títulos e Agrupamentos...5 Ferramentas

Leia mais

Introdução... 1. Instalação... 2

Introdução... 1. Instalação... 2 ONTE DO Introdução... 1 O que é IPP?... 1 Qual é a função de um software Samsung IPP?... 1 Instalação... 2 Requisitos do sistema... 2 Instalar o software Samsung IPP... 2 Desinstalar o software Samsung

Leia mais

Shop Control 8 Pocket. Guia do usuário

Shop Control 8 Pocket. Guia do usuário Shop Control 8 Pocket Guia do usuário Abril / 2007 1 Pocket O módulo Pocket permite fazer vendas dos produtos diretamente em handhelds Pocket PC, pelos vendedores externos da empresa. Os cadastros (clientes,

Leia mais

TUTORIAL LEICA TS02 Versão 2.0 PROGRAMA TOPOGRAFIA

TUTORIAL LEICA TS02 Versão 2.0 PROGRAMA TOPOGRAFIA TUTORIAL LEICA TS02 Versão 2.0 PROGRAMA TOPOGRAFIA www.manfra.com.br suporte@manfra.com.br Página 1/17 OPERAÇÃO DE CAMPO PARA A TS02 Versão 2.0 1. Para ligar/desligar a estação total pressione o botão

Leia mais

LINEAR EQUIPAMENTOS RUA SÃO JORGE, 269 - TELEFONE: 6823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP 09530-250

LINEAR EQUIPAMENTOS RUA SÃO JORGE, 269 - TELEFONE: 6823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP 09530-250 LINEAR EQUIPAMENTOS RUA SÃO JORGE, 269 - TELEFONE: 6823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP 09530-250 Recomendações Iniciais SOFTWARE HCS 2005 - VERSÃO 4.2 (Compatível com Guarita Vr4.03 e Vr4.04) Para

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Introdução Aula 03: Pacote Microsoft Office 2007 O Pacote Microsoft Office é um conjunto de aplicativos composto, principalmente, pelos

Leia mais

Projeto solidário para o ensino de Informática Básica

Projeto solidário para o ensino de Informática Básica Projeto solidário para o ensino de Informática Básica Parte 2 Sistema Operacional MS-Windows XP Créditos de desenvolvimento deste material: Revisão: Prof. MSc. Wagner Siqueira Cavalcante Um Sistema Operacional

Leia mais

GUIA RÁPIDO LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO EMBRATOP GEO TECNOLOGIAS DEPTO. SUPORTE

GUIA RÁPIDO LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO EMBRATOP GEO TECNOLOGIAS DEPTO. SUPORTE GUIA RÁPIDO LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO 1 Iniciando o equipamento Ligue o instrumento pressionando a tecla power durante +ou 3 segundos. Se o compensador estiver ligado para 1 ou 2 eixos, o prumo laser será

Leia mais

Microsoft Excel Profª. Leticia Lopes Leite. Excel. Profª Leticia Lopes Leite

Microsoft Excel Profª. Leticia Lopes Leite. Excel. Profª Leticia Lopes Leite Microsoft Excel Profª. Leticia Lopes Leite Excel Profª Leticia Lopes Leite 1 Indice 1 Indice 2 2 Introdução 4 2.1 Área de Trabalho 4 2.2 Barra de Ferramentas 5 2.2.1 Ferramenta Pincel 5 2.2.2 Classificar

Leia mais

Pastas São indicadas pelo ícone correspondente a uma pasta suspensa.

Pastas São indicadas pelo ícone correspondente a uma pasta suspensa. Janela do Windows Explorer Logo abaixo dos componentes que já conhecemos (barra de título, barra de menus e barra de ferramentas), existe uma divisão vertical, é a exibição de todas as pastas. Modos de

Leia mais

Versão 1.0 CARBON SYSTEM. Manual do Software Ponto Legal. Manual do PONTO LEGAL

Versão 1.0 CARBON SYSTEM. Manual do Software Ponto Legal. Manual do PONTO LEGAL Versão 1.0 CARBON SYSTEM Manual do Software Ponto Legal Manual do PONTO LEGAL S O F T W A R E P A R A E M I S S Ã O D O R E L A T Ó R I O E S P E L H O D E P O N T O Manual do Ponto Legal Versão 1.0 Carbon

Leia mais

Boolean Sistemas 2 MANUAL DA ROTINA MENU DOS SISTEMAS Atualizado em Maio/2006

Boolean Sistemas 2 MANUAL DA ROTINA MENU DOS SISTEMAS Atualizado em Maio/2006 Boolean Sistemas 2 MANUAL DA ROTINA DE MENU DOS SISTEMAS Atualizado em Maio/2006 Empresas Especiais Suporte 2.01. Cadastro das empresas 2.02. Relação das empresas 2.03. Controle das emissões 2.04. Exclusão

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com. Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.br 1-15 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior,

Leia mais

ODG Auto Acessórios Ltda www.odginstruments.com.br Versão 2.0 FEVEREIRO 2009

ODG Auto Acessórios Ltda www.odginstruments.com.br Versão 2.0 FEVEREIRO 2009 ODG Auto Acessórios Ltda www.odginstruments.com.br Versão 2.0 FEVEREIRO 2009 1 INDICE 1. Instalação do Software...3 2. Tela Inicial...3 3. Criando arquivo de configurações (Alt + C + C)...4 3.1 Sensores

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Versão 1.0 Julho/2012 ÍNDICE 1 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO... 4 1.1 Equipamento e Sistemas Operacionais 4 1.1.1

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS ESTADO DO PARANÁ NOVEMBRO / 2007 17 APRESENTAÇÃO Este material foi solicitado pela Secretaria Municipal da Administração SEMAD, e elaborado com o intuito de capacitar os servidores desta prefeitura, de todos os cargos

Leia mais

6.5. Renomeando Arquivos ou Pastas

6.5. Renomeando Arquivos ou Pastas 50 II. Para mover um arquivo, pasta, objeto dentro do Windows: 1) Clique com o mouse sobre a pasta, arquivo a serem movidos; 2) Mantenha o botão esquerdo do mouse pressionado; 3) Arraste o objeto para

Leia mais

Serviço Técnico de Informática. Curso Básico de PowerPoint

Serviço Técnico de Informática. Curso Básico de PowerPoint Serviço Técnico de Informática Curso Básico de PowerPoint Instrutor: Tiago Souza e Silva de Moura Maio/2005 O Microsoft PowerPoint No Microsoft PowerPoint, você cria sua apresentação usando apenas um arquivo

Leia mais

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR $,'(GR5HSRUW0DQDJHU

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR $,'(GR5HSRUW0DQDJHU $,'(GR5HSRUW0DQDJHU Neste capítulo vamos abordar o ambiente de desenvolvimento do Report Manager e como usar os seus recursos. $FHVVDQGRRSURJUDPD Depois de instalado o Report Manager estará no Grupo de

Leia mais

Programa de Edição de Textos- Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 2

Programa de Edição de Textos- Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 2 Programa de Edição de Textos- Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 2 2. MANIPULAÇÃO DE DOCUMENTOS Os processadores de textos possibilitam a criação e a manipulação de diversos modelos de documentos. Com eles

Leia mais

Planilhas Eletrônicas

Planilhas Eletrônicas Planilhas Eletrônicas APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice AULA 1... 3 Apresentação do BrOffice Calc... 3 Tela Inicial... 4 Teclas e Atalhos de movimentação... 6

Leia mais

MANUAL DO CatBib* * Este manual deve ser usado junto com o Sistema Bibliodata Online. Elaborado por: Maria do Socorro Gomes de Almeida e Edwin Hübner

MANUAL DO CatBib* * Este manual deve ser usado junto com o Sistema Bibliodata Online. Elaborado por: Maria do Socorro Gomes de Almeida e Edwin Hübner MANUAL DO CatBib* Elaborado por: Maria do Socorro Gomes de Almeida e Edwin Hübner RIO DE JANEIRO 2002 * Este manual deve ser usado junto com o Sistema Bibliodata Online SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 3 2. ENTRADA

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13 1-13 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

1. NOÇÕES BÁSICAS... 1.1. Iniciando o Excel... 1.1.1. Abrindo o Excel... 1.1.2. Encerrando o Excel... 1.2. A tela do Excel 7.0... 1.2.1.

1. NOÇÕES BÁSICAS... 1.1. Iniciando o Excel... 1.1.1. Abrindo o Excel... 1.1.2. Encerrando o Excel... 1.2. A tela do Excel 7.0... 1.2.1. 1. NOÇÕES BÁSICAS... 1.1. Iniciando o Excel... 1.1.1. Abrindo o Excel... 1.1.2. Encerrando o Excel... 1.2. A tela do Excel 7.0... 1.2.1. Partes da tela do Excel... Barra de fórmulas... Barra de status...

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 4

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 4 Mic crosoft Excel 201 0 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 4 Interface... 4 Guias de Planilha... 5 Movimentação na planilha... 6 Entrada de textos e números... 7 Congelando painéis... 8 Comentários nas Células...

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA AGENDA

Leia mais