Universidade da Beira Interior Laboratório de Auto Regulação da Aprendizagem da Matemática

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade da Beira Interior Laboratório de Auto Regulação da Aprendizagem da Matemática"

Transcrição

1 Universidade da Beira Interior Laboratório de Auto Regulação da Aprendizagem da Matemática Curso: Psicologia Ficha 2 1. No quadro seguinte estão registadas as idades (em anos) dos alunos de uma turma de Estatística I. 1.1 Complete a seguinte tabela: x i (idade) i (requência absoluta) r i (requência relativa) r i em percentagem 1.2 Construa um gráico circular que represente a requência relativa em percentagem, das idades dos alunos. 2. Enuncie uma propriedade da requência absoluta e uma da requência relativa. 3. Observou-se o número de quartos em 30 apartamentos, numa dada cidade e registaram-se os seguintes valores: Identiique a variável estatística, indicando os seus valores. 3.2 Construa a tabela de requências absolutas e relativas.

2 3.3 Elabore um gráico de barras para a requência absoluta. 4. Numa turma A, com 30 alunos, 14 são rapazes e na turma B, com 25 alunos, 13 são raparigas. Compare as duas turmas em relação à variável sexo. 5. O número de golos marcados por cada uma das equipas numa jornada do campeonato Nacional da 1 a Divisão oi o seguinte: Construa a tabela de requências absolutas, relativas, absolutas acumuladas e relativas acumuladas para a variável número de golos marcados. 5.2 Quantas equipas marcaram mais de dois golos? 5.3 Que percentagem de equipas marcaram menos de três golos? 6. Considere as alturas, em metros, dos jogadores de uma equipa de basquetebol: 1,80 1,93 1,85 1,98 2,02 2,05 1,94 2,10 1,87 1,79 2,00 1,81 1,83 1,91 1,97 1,88 1,95 2, Identiique a variável em estudo e classiique-a. 6.2 Quantas classes se devem considerar? 6.3 Indique a amplitude de cada classe. 6.4 Qual o limite inerior da 1ª classe? 6.5 Construa a tabela de requências para a variável em estudo. 7. Numa ábrica ez-se um teste a 150 lâmpadas e registou-se a seguinte inormação: Tempo de duração em horas [0,300[ [300,600[ [600,900[ [900,1200[ [1200,1500[ N de lâmpadas (i) Construa a tabela de requências absolutas e relativas acumuladas.

3 7.2 Qual a percentagem de lâmpadas com tempo de duração inerior a 900 horas? 8. A tabela seguinte deine a distribuição de requências absolutas acumuladas do tempo gasto por 30 pessoas no percurso de casa para o trabalho. Tempo (em minutos) [0,10[ [10,20[ [20,30[ [30,40[ [40,50[ [50,60[ F i Qual a percentagem de pessoas que demoram 30 minutos ou mais no percurso de casa pra o trabalho? 8.2 Construa a tabela de requências relativas. 9. O gráico seguinte é um gráico de barras e representa o número de pares de sapatos vendidos numa sapataria. 9.1 Quantos pares de sapatos do tamanho 37 se venderam? 9.2 O maior número de pares de sapatos vendidos eram de que tamanhos? 9.3 Quantos pares de sapatos se venderam, no total? 10. Na tabela seguinte estão representadas as distribuições do número de ilhos de 200 amílias portuguesas e 200 amílias angolanas. x i N de amílias N de amílias (nº de ilhos) portuguesas angolanas

4 Represente a distribuição do número de ilhos das 200 amílias portuguesas através de um gráico de barras Represente as duas distribuições através de gráicos de linhas. 11. Na tabela seguinte indica-se o movimento de aviões que se veriicou no mês de Junho de 2003 nos três maiores aeroportos portugueses. Aeroporto Nº de aviões Lisboa 5534 Porto 2242 Faro 2702 Construa um gráico circular reerente ao movimento dos aviões nos três maiores aeroportos portugueses. 12. O peso em Kg dos 36 juniores de utebol do Sporting Clube da Covilhã é registado no quadro seguinte: Apresente os dados através de uma tabela de requências Construa um histograma de requências para o peso dos 36 desportistas Construa o polígono de requências correspondente ao histograma de requências deinido

5 na alínea anterior. 13. O departamento de selecção de pessoal de uma empresa aplicou um teste de inteligência aos quadros intermédios da empresa. A partir dos dados obtidos construi-se o seguinte polígono de requências absolutas acumuladas. Polígono de requências absolutas acumuladas 13.1 Quantos quadros intermédios da empresa obtiveram um score no teste inerior a 70? 13.2 Qual oi a percentagem de quadros intermédios da empresa que obtiveram no teste um score superior ou igual a 8O?

ESCOLA SECUNDÁRIA JAIME MONIZ

ESCOLA SECUNDÁRIA JAIME MONIZ ESCOLA SECUNDÁRIA JAIME MONIZ Matemática Aplicada às Ciências Sociais 10º ano 2009/2010 Ficha de trabalho 1: Interpretando dados. Noções básicas de Estatística. Sondagens e amostras. Organizando os dados.

Leia mais

Escola Secundária com 3º CEB de Lousada. Ficha de Trabalho de Matemática do 8º ano N.º 29 Assunto: Estatística

Escola Secundária com 3º CEB de Lousada. Ficha de Trabalho de Matemática do 8º ano N.º 29 Assunto: Estatística Escola Secundária com 3º CEB de Lousada Ficha de Trabalho de Matemática do 8º ano N.º 29 Assunto: Estatística Lições nº e Data /05/2011 Estatística A Estatística é um ramo da Matemática que tem por objectivo:

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA JAIME MONIZ Matemática Aplicada às Ciências Sociais 10º ano

ESCOLA SECUNDÁRIA JAIME MONIZ Matemática Aplicada às Ciências Sociais 10º ano ESCOLA SECUNDÁRIA JAIME MONIZ Matemática Aplicada às Ciências Sociais 10º ano Ficha de Trabalho: Revisão Estatística Univariada e Bivariada. 2009/2010 Nos arredondamentos que efectuar, conserve sempre

Leia mais

Matemática Ficha de Trabalho/Apoio Tratamento de Dados

Matemática Ficha de Trabalho/Apoio Tratamento de Dados Matemática Ficha de Trabalho/Apoio Tratamento de Dados Constrói um gráfico de barras que represente a informação sobre os animais domésticos dos alunos da turma A. 7ºano Organização e análise de dados

Leia mais

Universidade da Beira Interior Departamento de Matemática

Universidade da Beira Interior Departamento de Matemática Universidade da Beira Interior Departamento de Matemática ESTATÍSTICA Ano lectivo: 2007/2008 Curso: Ciências do Desporto Ficha de exercícios nº1: Análise Exploratória de dados: Redução e Representação

Leia mais

Escola Secundária com 3ºCEB de Lousada

Escola Secundária com 3ºCEB de Lousada Escola Secundária com 3ºCEB de Lousada Ficha de Trabalho de Matemática do 8º ano - nº Data / / 2010 Assunto: Estatística Lições nº,, e 1. PAÍSES PRODUTORES DE ARROZ Em 2005, foram produzidos 619 milhões

Leia mais

Matemática 6.º ano População e amostra. Natureza de dados estatísticos

Matemática 6.º ano População e amostra. Natureza de dados estatísticos Matemática 6.º ano População e amostra. Natureza de dados estatísticos Relembra - População: é um conjunto de elementos, designados por unidades estatísticas, sobe os quais podem ser feitas observações

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014. ESTUDO DO IMC (Índice de Massa Corporal) Avaliação Final

ANO LETIVO 2013/2014. ESTUDO DO IMC (Índice de Massa Corporal) Avaliação Final ANO LETIVO 2013/2014 ESTUDO DO IMC (Índice de Massa Corporal) Avaliação Final Índice O que é o IMC? Objetivo do Estudo Procedimentos do Estudo Amostra Utilizada Apresentação dos Resultados Principais Conclusões

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOSÉ I - VRSA MATEMÁTICA 6.º ANO 2014/15 Ficha A5 Global NOME N.º Turma NOME

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOSÉ I - VRSA MATEMÁTICA 6.º ANO 2014/15 Ficha A5 Global NOME N.º Turma NOME AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOSÉ I - VRSA MATEMÁTICA 6.º ANO 2014/15 Ficha A5 Global NOME N.º Turma NOME NOTAS: APRESENTE A RESOLUÇÃO EM TODAS AS RESPOSTAS EXCEPTO EM 3a) E 7a) - CONSIDERE 3,14 1. A figura

Leia mais

NOME 3ª SÉRIE AM DATA: / / PROPESSOR: HENRIQUE LISTA 3 Noções de Estatística I UNIDADE

NOME 3ª SÉRIE AM DATA: / / PROPESSOR: HENRIQUE LISTA 3 Noções de Estatística I UNIDADE COLÉGIO MODELO LUIZ EDUARDO MAGALHÃES CAMAÇARI BA ENSINO MÉDIO ANO: 2016 NOME 3ª SÉRIE AM DATA: / / PROPESSOR: HENRIQUE LISTA 3 Noções de Estatística I UNIDADE 1) Os conceitos de uma turma de um curso

Leia mais

1.-(2 minutos) Consideremos a seguinte representaçao A, que pretende mostrar que a quantidade de leite vendida, desde 1985 até 1991, duplicou.

1.-(2 minutos) Consideremos a seguinte representaçao A, que pretende mostrar que a quantidade de leite vendida, desde 1985 até 1991, duplicou. 1.-(2 minutos) Consideremos a seguinte representaçao A, que pretende mostrar que a quantidade de leite vendida, desde 1985 até 1991, duplicou. Considera a repressentaçao alternativa B Qual é a melhor repressentaçao?

Leia mais

MATEMÁTICA - 3o ciclo Organização e Tratamento de Dados (7 o ano) Propostas de resolução

MATEMÁTICA - 3o ciclo Organização e Tratamento de Dados (7 o ano) Propostas de resolução MATEMÁTICA - o ciclo Organização e Tratamento de Dados (7 o ano) Propostas de resolução Exercícios de provas nacionais e testes intermédios 1. Organizando as idades das 16 raparigas da turma da Ana numa

Leia mais

Estatística Lousã, 07 de Março de 2008

Estatística Lousã, 07 de Março de 2008 Estatística Lousã, 07 de Março de 08 A estatística é um ramo da Matemática que nos ajuda a recolher, organizar e interpretar dados para tirar conclusões e fazer previsões. Recolha, organização e representação

Leia mais

VI FESTIVAL DE XADREZ DE GAIA. Academia de Xadrez de Gaia - Organização de Actividades (em parceria) A decorrer em Vila Nova de Gaia

VI FESTIVAL DE XADREZ DE GAIA. Academia de Xadrez de Gaia - Organização de Actividades (em parceria) A decorrer em Vila Nova de Gaia VI FESTIVAL DE XADREZ DE GAIA Academia de Xadrez de Gaia - Organização de Actividades (em parceria) A decorrer em Vila Nova de Gaia IX PROFIGAIA OPEN de 18 a 26 de Julho (GaiaHotel ****) 3º TORNEIO INTERNACIONAL

Leia mais

Universidade da Beira Interior Departamento de Matemática

Universidade da Beira Interior Departamento de Matemática Universidade da Beira Interior Departamento de Matemática ESTATÍSTICA Ano lectivo: 2007/2008 Curso: Ciências do Desporto Folha de exercícios nº4: Distribuições de probabilidade. Introdução à Inferência

Leia mais

TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES SUB

TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES SUB ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE ANGRA DO HEROÍSMO TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES SUB 14 FUTEBOL Angra do Heroísmo 10, 11 e 12 de Junho de 2016 ESTRUTURA ORGÂNICA DIREÇÃO - CARLOS FONTES 969 148 800 GABINETE

Leia mais

APURAMENTO DO CAMPEÃO DA AFAH

APURAMENTO DO CAMPEÃO DA AFAH ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE ANGRA DO HEROÍSMO APURAMENTO DO CAMPEÃO DA Velas 17, 18 e 19 de Fevereiro de 2017 ESTRUTURA ORGÂNICA DIREÇÃO CARLOS FONTES 969 148 800 CARLOS GOMES 965 708 520 GABINETE TÉCNICO

Leia mais

Resultados do Inquérito Tu Também Contas!

Resultados do Inquérito Tu Também Contas! Resultados do Inquérito Tu Também Contas! Este texto é um anexo ao Dossier V Censos 21 na sequência de um trabalho desenvolvido entre 22 e 23 Resultados do Inquérito Tu Também Contas! Introdução A informação

Leia mais

Estatística Fácil. Prof.º Mario César Castro 2015

Estatística Fácil. Prof.º Mario César Castro 2015 Estatística Fácil Prof.º Mario César Castro 2015 A Estatística é um ramos da Matemática que dispõe de processos apropriados para recolher, organizar, classificar, apresentar e interpretar determinados

Leia mais

Ficha de Avaliação. Matemática A. Duração do Teste: 90 minutos. 12.º Ano de Escolaridade. Teste de Matemática A 12.º Ano Página 1

Ficha de Avaliação. Matemática A. Duração do Teste: 90 minutos. 12.º Ano de Escolaridade. Teste de Matemática A 12.º Ano Página 1 Ficha de Avaliação Matemática A Duração do Teste: 90 minutos 12.º Ano de Escolaridade Teste de Matemática A 12.º Ano Página 1 1. Colocaram-se numa urna 12 bolas, indistinguíveis pelo tato, numeradas de

Leia mais

Universidade da Beira Interior Departamento de Matemática. Ficha de exercícios nº3: Introdução às Probabilidades

Universidade da Beira Interior Departamento de Matemática. Ficha de exercícios nº3: Introdução às Probabilidades Ano lectivo: 2007/2008 Universidade da Beira Interior Departamento de Matemática ESTATÍSTICA Ficha de exercícios nº3: Introdução às Probabilidades Curso: Ciências do Desporto 1. Considere a experiência

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL N.º 1

COMUNICADO OFICIAL N.º 1 COMUNICADO OFICIAL N.º 1 Quadros Competitivos 1 BAMBIS / MINIS (misto) 1.1 Calendarização Propõe-se assim a realização de 8 Encontros / Festand s, distribuídos por toda a época desportiva, nas seguintes

Leia mais

Universidade da Beira Interior - Departamento de Matemática ESTATÍSTICA APLICADA À PSICOLOGIA I

Universidade da Beira Interior - Departamento de Matemática ESTATÍSTICA APLICADA À PSICOLOGIA I Ano lectivo: 2008/2009 Universidade da Beira Interior - Departamento de Matemática ESTATÍSTICA APLICADA À PSICOLOGIA I Ficha de exercícios 1 Validação de Pré-Requisitos: Estatística Descritiva Curso: Psicologia

Leia mais

Teste de Avaliação de MATEMÁTICA 12º ano

Teste de Avaliação de MATEMÁTICA 12º ano Teste de Avaliação de MATEMÁTICA º ano º Período de 0/ duração 90 min. Prof. Josué Baptista Turma: e º teste A 4 de Outubro Classificação: Nº Nome GRUPO I O Professor: As cinco questões deste grupo são

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. JOSÉ AFONSO

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. JOSÉ AFONSO ESCOLA SECUDÁRIA DR. JOSÉ AFOSO úcleo Gerador: Saberes Fundamentais Sociedade, Tecnologia e Ciência EFA_EF_SE1 Ano Lectivo 010/11 Ficha de Trabalho º 1 - Estatística Unidade de Competência 7 - Identificar,

Leia mais

HORÁRIOS PROVISÓRIOS 2016 ENSINO FUNDAMENTAL 2 6º ANO MANHÃ HORÁRIO AULA SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 7:20 ÀS 8:10

HORÁRIOS PROVISÓRIOS 2016 ENSINO FUNDAMENTAL 2 6º ANO MANHÃ HORÁRIO AULA SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 7:20 ÀS 8:10 6º ANO MANHÃ ÀS ÀS 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª GEOMÉTRICO/ / Ruth 7º ANO MANHÃ TURMA 01 1ª 2ª ÀS ÀS 3ª 4ª 5ª GEOMÉTRICO/ / Ruth 7º ANO MANHÃ TURMA 02 1ª ÀS ÀS 2ª 3ª 4ª 5ª / Ruth 8º ANO MANHÃ 1ª 2ª ÀS ÀS ÀS 12:50 3ª

Leia mais

FICHA DE TRABALHO N. O 9

FICHA DE TRABALHO N. O 9 FICHA DE TRABALHO N. O 9 ASSUNTO: Modelos de probabilidade: probabilidade condicional 1. Sejam A e B dois acontecimentos tais que: P (A) = 0,3 e P (B ) = 0,7 Determine P (A B ), sabendo que: 1.1 Os acontecimentos

Leia mais

LISTA DE MATEMÁTICA. Aluno(a): Nº. 1. Determinada editora pesquisou o número de páginas das revistas mais vendidas em uma cidade.

LISTA DE MATEMÁTICA. Aluno(a): Nº. 1. Determinada editora pesquisou o número de páginas das revistas mais vendidas em uma cidade. LISTA DE MATEMÁTICA Aluno(a): Nº. Professor: Rosivane Série: 2 ano Disciplina: Matematica Data da prova: Pré Universitário Uni-Anhanguera MEDIDAS DE DISPERSÃO 1. Determinada editora pesquisou o número

Leia mais

compreender a noção de proporcionalidade direta e usar o raciocínio proporcional;

compreender a noção de proporcionalidade direta e usar o raciocínio proporcional; ÁLGEBRA Objetivos gerais de aprendizagem Deves ser capaz de: explorar e investigar regularidades; compreender a noção de proporcionalidade direta e usar o raciocínio proporcional; resolver problemas, raciocinar

Leia mais

Liga CDLPC- Basquetebol - 5.º /6.º Anos

Liga CDLPC- Basquetebol - 5.º /6.º Anos Informações Gerais Os torneios disputar-se-ão em sistema de campeonato, ao longo do ano letivo. De acordo com o número de equipas participantes, poderá haver uma fase final em sistema de playoffs. A data

Leia mais

CAMPEONATO DE ESTRADA DO FAIAL

CAMPEONATO DE ESTRADA DO FAIAL 1 INDICE Competição Pág. CAMPEONATO DE ESTRADA DO FAIAL 3 TAÇA ADIF VEL/BARR E TAÇA ADIF SALTOS 4 1ª PROVA OBSERVAÇÃO INVERNO ADIF + TORNEIO DE BENJAMINS 6 CAMPEONATO CORTA-MATO DO FAIAL 1ª 7 TORNEIO DE

Leia mais

Objecto da Estatística

Objecto da Estatística Objecto da Estatística ESTATÍSTICA "Ciência que dispõe de processos apropriados para recolher, organizar, classificar, apresentar e interpretar conjuntos de dados" A Estatística Descritiva é o segmento

Leia mais

Métodos Quantitativos II: exercícios (2008/2009)

Métodos Quantitativos II: exercícios (2008/2009) I STITUTO POLITÉC ICO DE BRAGA ÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE MIRANDELA Métodos Quantitativos II: exercícios (2008/2009) Folha de exercícios n.º 0 : estatística descritiva (medidas de localização).

Leia mais

Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira Rio Maior. Ano Lectivo 2008/2009. Ficha de Exercícios/Problemas N.º 2

Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira Rio Maior. Ano Lectivo 2008/2009. Ficha de Exercícios/Problemas N.º 2 Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira Rio Maior Ano Lectivo 2008/2009 Ficha de Exercícios/Problemas N.º 2 Razão. Proporção. Regra de três simples. Percentagens. Proporcionalidade Directa.

Leia mais

Prova Modelo - Exame de Matemática para Educação Básica. A prova é constituída por duas partes, designadas por Parte I e Parte II.

Prova Modelo - Exame de Matemática para Educação Básica. A prova é constituída por duas partes, designadas por Parte I e Parte II. Provas de Acesso ao Ensino Superior Para Maiores de 23 Anos Candidatura de 2017 Prova Modelo - Exame de Matemática para Educação Básica Tempo para realização da prova: 2 horas Tolerância: 30 minutos Material

Leia mais

Nota: A utilização. e nome. F j 0,8 0,8 0,6 2,5 3,5 4,5 0,35 0,4 0,2 0,05. x j 8,5 -1,5. indicando. a levar. acontece. alunos?

Nota: A utilização. e nome. F j 0,8 0,8 0,6 2,5 3,5 4,5 0,35 0,4 0,2 0,05. x j 8,5 -1,5. indicando. a levar. acontece. alunos? Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa 304 Análise de Dados e Probabilidade B º Semestre 007/008 Fernando Brito Soares Erica Marujo Pedro Chaves º Mini Teste B Nº: Nome: Data: de Outubro

Leia mais

APURAMENTO DO CAMPEÃO DA AFAH

APURAMENTO DO CAMPEÃO DA AFAH ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE ANGRA DO HEROÍSMO APURAMENTO DO CAMPEÃO DA Angra do Heroísmo 11, 13 e 15 de Maio de 2017 ESTRUTURA ORGÂNICA DIREÇÃO JOSÉ FÉLIX 962 152 131 CARLOS FONTES 969 148 800 FRANCISCO VALADÃO

Leia mais

CAMPEONATOS DE PORTUGAL

CAMPEONATOS DE PORTUGAL CAMPEONATOS DE PORTUGAL 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1- Poderão participar atletas masculinos e femininos dos escalões de Juniores e Seniores que tenham obtido os resultados de qualificação que se indicam

Leia mais

Análise Descritiva de Dados

Análise Descritiva de Dados Análise Descritiva de Dados 1 Estatística estatística descritiva estatística inferencial 2 Estatística descritiva Envolve técnicas que permitem representar, mensurar e analisar um conjunto de dados 3 Estatística

Leia mais

Ficha de Trabalho nº 12 Matemática 7º ano Maio / Determina a moda, a média, a mediana e os quartis da referida distribuição.

Ficha de Trabalho nº 12 Matemática 7º ano Maio / Determina a moda, a média, a mediana e os quartis da referida distribuição. Ficha de Trabalho nº 12 Matemática 7º ano Maio / 2011 1. Num inquérito realizado numa escola a quarenta alunos escolhidos ao acaso sobre o número do respectivo calçado registaram-se os seguintes resultados:

Leia mais

Proporcionalidade Directa. Problemas

Proporcionalidade Directa. Problemas Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira Rio Maior Ano Lectivo 2008/2009 Ficha de Trabalho n.º 6 Nome: N.º Data / / Proporcionalidade Directa. Problemas 1. Numa loja de computadores o preço

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO POTRO FUTURO - 2015

FICHA DE INSCRIÇÃO POTRO FUTURO - 2015 FICHA DE INSCRIÇÃO POTRO FUTURO - 2015 POTRO FUTURO ABERTA Fone: (... )... E-mail... FICHA DE INSCRIÇÃO POTRO FUTURO - 2015 POTRO FUTURO AMADOR CAMPEONATO NACIONAL ABERTA JUNIOR Fone: (... )... E-mail...

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL TORNEIO REGIONAL. 08, 09 e 10 de Junho de 2012 Angra do Heroísmo

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL TORNEIO REGIONAL. 08, 09 e 10 de Junho de 2012 Angra do Heroísmo ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL ANGRA DO HEROÍSMO TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES FUTEBOL SUB 14 08, 09 e 10 de Junho de 2012 Angra do Heroísmo ESTRUTURA ORGÂNICA DIREÇÃO - Carlos Fontes 969148800 GABINETE TÉCNICO

Leia mais

Estatística Aplicada à Educação

Estatística Aplicada à Educação Estatística Aplicada à Educação Curvas de Frequência p. 75 Aprendemos na aula passada a representação gráfica por meio de histogramas e polígono de frequências. 27 24 21 18 15 12 9 6 3 0 150 154 158 162

Leia mais

Matemática 5.º ano Gráficos

Matemática 5.º ano Gráficos Matemática 5.º ano Gráficos Relembra 1. Perguntou-se a um grupo de jovens o que gostam de fazer no sábado à tarde. Observa as respostas, sabendo que cada jovem só podia fazer uma escolha. 1.1. Quantos

Leia mais

1. Estatística Descritiva

1. Estatística Descritiva Introdução à Estatística Estatística Descritiva 1 1. Estatística Descritiva Suponhamos que dispomos de um conjunto de dados (sem nos preocuparmos como foram obtidos) e pretendemos desenvolver processos

Leia mais

Matemática 6.º ano Gráficos circulares

Matemática 6.º ano Gráficos circulares Matemática 6.º ano Gráficos circulares 1. O gráfico circular da figura seguinte mostra as atividades da Joana durante as 24 horas da última sexta-feira. Quantas horas passou a Joana: a. Na escola? b. Em

Leia mais

1. Registou-se o número de assoalhadas de 100 apartamentos vendidos num bairro residencial

1. Registou-se o número de assoalhadas de 100 apartamentos vendidos num bairro residencial Escola Superior de Tecnologia de Viseu Fundamentos de Estatística 2006/2007 Ficha nº 1 1. Registou-se o número de assoalhadas de 100 apartamentos vendidos num bairro residencial 0; 0; 0; 1; 2; 0; 0; 1;

Leia mais

MMC, MDC, Regra de Três Simples e Composta & Porcentagem

MMC, MDC, Regra de Três Simples e Composta & Porcentagem Cursinho: Universidade para Todos Professor: Cirlei Xavier Lista: 3 a Lista de Matemática Aluno a): Disciplina: Matemática Conteúdo: Matemática Básica Turma: A e B Data: Agosto de 06 MMC, MDC, Regra de

Leia mais

do valor que faltava e pagará o resto a prestações.

do valor que faltava e pagará o resto a prestações. Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira Rio Maior Ano Lectivo 008/009 Ficha de Trabalho n.º 15 Nome: N.º Data / / Revisões para 5º Teste de Avaliação 1. Complete, com um dos sinais, ou :

Leia mais

Tarefas 09, 10, 11 e 12 Professor Mário

Tarefas 09, 10, 11 e 12 Professor Mário 8º ano Matemática Tarefas 09, 10, 11 e 12 Professor Mário 01. Em uma amostra formada por 50 casais, associados de um clube, constatou-se que tinham os números de filhos que estão na tabela ao lado. a)

Leia mais

Tendo a Direção da Associação de Futebol de Lisboa assumido realizar, desde a primeira hora

Tendo a Direção da Associação de Futebol de Lisboa assumido realizar, desde a primeira hora NOTA EXPLICATIVA 1. Introdução: Tendo a Direção da Associação de Futebol de Lisboa assumido realizar, desde a primeira hora do seu mandato, uma reorganização dos campeonatos organizados por si, na vertente

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS

DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS 1 Dados Brutos: são os dados tomados como eles são, de forma desorganizada. Indica-se por x i Rol: são os dados organizados em ordem crescente ou decrescente. Tamanho da amostra:

Leia mais

Observando o gráfico, quantos alunos escolheram o futebol?

Observando o gráfico, quantos alunos escolheram o futebol? Questão 1. Em uma escola com 800 alunos, realizou-se uma pesquisa sobre o esporte preferido dos estudantes. Os resultados estão representados no gráfico abaixo: Gráfico 1 Esporte preferido pelos alunos.

Leia mais

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 ATLETISMO REGULAMENTO

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 ATLETISMO REGULAMENTO JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 ATLETISMO REGULAMENTO 1. Organização A organização da competição de Atletismo dos Jogos do Futuro da Região de Setúbal 2017 é da responsabilidade da, em colaboração

Leia mais

Distribuição de Frequência de Variáveis Quantitativas Contínuas (Tabelas e Gráficos)

Distribuição de Frequência de Variáveis Quantitativas Contínuas (Tabelas e Gráficos) Distribuição de Frequência de Variáveis Quantitativas Contínuas (Tabelas e Gráficos) Prof. Gilberto Rodrigues Liska UNIPAMPA 17 de Agosto de 2017 Material de Apoio e-mail: gilbertoliska@unipampa.edu.br

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição Índice Preâmbulo 5 Artigo 1.º Escalões Etários, Dimensões do Campo, Bola, Tempo de Jogo e Variantes

Leia mais

Escola Secundária com 3ºCEB de Lousada

Escola Secundária com 3ºCEB de Lousada Escola Secundária com 3ºCEB de Lousada Ficha de Trabalho de Matemática do 8º ano - n Data / / 2010 Assunto: Preparação para o Teste Intermédio de Matemática Parte II Lições nº, 1. O Paulo e o seu amigo

Leia mais

ÍNDICE. I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito

ÍNDICE. I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito II. ORGANIZAÇÃO DE PROVAS Artigo 2º - Modelo Competitivo Artigo 3º - Sistema Competitivo Artigo 4º - Ordem dos Jogos Artigo 5º - Duração dos Jogos Artigo

Leia mais

Distribuição de Frequência de Variáveis Quantitativas Contínuas (Tabelas e Gráficos)

Distribuição de Frequência de Variáveis Quantitativas Contínuas (Tabelas e Gráficos) Distribuição de Frequência de Variáveis Quantitativas Contínuas (Tabelas e Gráficos) Prof. Gilberto Rodrigues Liska UNIPAMPA 22 de Agosto de 2017 Material de Apoio e-mail: gilbertoliska@unipampa.edu.br

Leia mais

COMUNICADO Nº 32/2009

COMUNICADO Nº 32/2009 COMUNICADO Nº 32/2009 Exmos. Senhores, Para vosso conhecimento e como único aviso oficial, informamos V. Exas. do seguinte: 1 HÓQUEI EM PATINS SUMÁRIO 1.1 Provas Oficiais Associativas - Homologação 1 1.2

Leia mais

1ª Actividade Formativa

1ª Actividade Formativa 1ª Actividade Formativa 1. Foi feito um inquérito a um grupo de 40 compradores de carros novos, de determinada marca, para determinar quantas reparações ou substituições de peças foram feitas durante o

Leia mais

X 1 X 2 Y

X 1 X 2 Y Universidade da Beira Interior - Departamento de Matemática ESTATÍSTICA APLICADA À GESTÃO Ficha de exercícios 3 Regressão Múltipla 2015/2016 1. Considere os seguintes dados: X 1 X 2 Y 8 0.7 1.8 1.8 6 6.4

Leia mais

RANILDO LOPES. Estatística

RANILDO LOPES. Estatística RANILDO LOPES Estatística 1 A Estatística é um ramos da Matemática que dispõe de processos apropriados para recolher, organizar, classificar, apresentar e interpretar determinados conjuntos de dados. A

Leia mais

À caraterística de um indivíduo ou objeto à qual se pode atribuir um número ou uma categoria,

À caraterística de um indivíduo ou objeto à qual se pode atribuir um número ou uma categoria, MATEMÁTICA 3º CICLO FICHA Organização e Tratamento de Dados 11 População e amostra. Variável estatística. Organização e tratamento de dados Nome: N.ª: Ano: Turma: Data: / / 20 Para a realização desta ficha

Leia mais

CAMPEONATO ESCOLAR DE BASQUETEBOL 3X3 COMPAL AIR REGULAMENTO DOS TORNEIOS

CAMPEONATO ESCOLAR DE BASQUETEBOL 3X3 COMPAL AIR REGULAMENTO DOS TORNEIOS CAMPEONATO ESCOLAR DE BASQUETEBOL 3X3 COMPAL AIR REGULAMENTO DOS TORNEIOS INTRODUÇÃO No Campeonato Escolar Compal Air estão incluídos um conjunto de Torneios 3x3, correspondentes às fases Local, Regional

Leia mais

MATEMÁTICA - 3o ciclo Organização e Tratamento de Dados (7 o ano)

MATEMÁTICA - 3o ciclo Organização e Tratamento de Dados (7 o ano) MATEMÁTICA - 3o ciclo Organização e Tratamento de Dados (7 o ano) Exercícios de provas nacionais e testes intermédios 1. Seja k um número natural menor do que 1. Considera o seguinte conjunto de dados

Leia mais

RESUMO DE DADOS. Lucas Santana da Cunha Universidade Estadual de Londrina. 24 de abril de 2017

RESUMO DE DADOS. Lucas Santana da Cunha  Universidade Estadual de Londrina. 24 de abril de 2017 RESUMO DE DADOS Lucas Santana da Cunha lscunha@uel.br http://www.uel.br/pessoal/lscunha/ Universidade Estadual de Londrina 24 de abril de 2017 e gráficos Apresentação de dados A apresentação de dados estatísticos

Leia mais

ESTATÍSTICA. Prof.º Mário Castro

ESTATÍSTICA. Prof.º Mário Castro ESTATÍSTICA Prof.º Mário Castro Estatística O que é: É a ciência que coleta, organiza e interpreta dados colhidos entre um grupo aleatório de pessoas. Divisão da estatística: Estatística geral Visa elaborar

Leia mais

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017 NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017 Condições de aceitação de marcas de qualificação: A. O prazo de obtenção de marcas de qualificação nas competições que o exijam é compreendido entre o dia 16 de

Leia mais

Para conhecimento de todos os nossos filiados, Conselho de Arbitragem, Órgãos de Comunicação Social e demais interessados, comunicamos o seguinte:

Para conhecimento de todos os nossos filiados, Conselho de Arbitragem, Órgãos de Comunicação Social e demais interessados, comunicamos o seguinte: Para conhecimento de todos os nossos filiados, Conselho de Arbitragem, Órgãos de Comunicação Social e demais interessados, comunicamos o seguinte: ALTERAÇÃO REGULAMENTO PROVAS OFICIAIS (Art.º 102.05, Art.º

Leia mais

CAMPEONATOS DE PORTUGAL EM PISTA COBERTA

CAMPEONATOS DE PORTUGAL EM PISTA COBERTA CAMPEONATOS DE PORTUGAL EM PISTA COBERTA 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1.- Poderão participar atletas masculinos e femininos dos escalões Júnior e Sénior que tenham obtido os resultados que se indicam na

Leia mais

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística Variações entre os valores anuais de 2005 e 2006: +4,2% no movimento de passageiros desembarcados de voos internacionais clássicos; +38,6% movimento de passageiros desembarcados de voos low-cost; -0,8%

Leia mais

É um tipo de tabela que condensa uma coleção de dados conforme as frequências (repetições de seus valores).

É um tipo de tabela que condensa uma coleção de dados conforme as frequências (repetições de seus valores). RESUMO Uma distribuição de frequência é um método de se agrupar dados em classes de modo a fornecer a quantidade (e/ou a percentagem) de dados em cada classe Com isso, podemos resumir e visualizar um conjunto

Leia mais

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016 NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016 Condições de aceitação de marcas de qualificação: A. O prazo de obtenção de marcas de qualificação nas competições que o exijam é compreendido entre o dia 16 de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA GIL VICENTE EDUCAÇÃO FÍSICA PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA GIL VICENTE EDUCAÇÃO FÍSICA PLANO ANUAL DE ATIVIDADES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA GIL VICENTE EDUCAÇÃO FÍSICA PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano Letivo 2011 / 2012 AO LONGO DE TODO O ANO LETIVO Atividades de sensibilização da comunidade r para a

Leia mais

Tabelas de contingência (Tabelas dinâmicas do programa Excel)

Tabelas de contingência (Tabelas dinâmicas do programa Excel) Escola Secundária 2/3 Lima de Freitas Módulo B2 Estatística Computacional 2009/2010 Técnico de Apoio à Infância Nome: Nº Turma: Tabelas de contingência (Tabelas dinâmicas do programa Excel) 1- Introduz

Leia mais

1ª Lista de Exercícios

1ª Lista de Exercícios 1ª Lista de Exercícios 1. Classificar as variáveis a seguir: a) número de sementes por vagem (0, 1, 2,...) Variável quantitativa discreta b) peso de 100 sementes, em g Variável quantitativa contínua c)

Leia mais

Associação de Atletismo de Braga

Associação de Atletismo de Braga sábado, 30 de Maio de 2015 Hora Inicio Prova Obs: 15:30 100 M Barreiras-0.76 Ini a Juv F Eliminatória 0,76m - (13,00 / 8,50 / 10,50) Eliminatória ou Final Direta 15:30 Triplo Salto Ini a Juv M Final Tábua

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/ 3 DE LOUSADA 2008/ 2009 FICHA FORMATIVA 3

ESCOLA SECUNDÁRIA/ 3 DE LOUSADA 2008/ 2009 FICHA FORMATIVA 3 FICHA FORMATIVA 3 1. O documento que se segue é um recorte da revista Única, do jornal Expresso, de 18 de Fevereiro de 2005, e contém gráficos onde estão registados alguns dados sobre a educação em dezanove

Leia mais

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA ARRUDA DOS VINHOS maio 2014

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA ARRUDA DOS VINHOS maio 2014 EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA ARRUDA DOS VINHOS maio 2014 Matemática 6.º Ano O Professor, (Luís Melícias) Nome do(a) aluno(a) N.º Turma 6.º. Classificação % por cento. Observações: O Enc. de Educação Deve

Leia mais

Introdução à Estatística Estatística Descritiva 22

Introdução à Estatística Estatística Descritiva 22 Introdução à Estatística Estatística Descritiva 22 As tabelas de frequências e os gráficos constituem processos de redução de dados, no entanto, é possível resumir de uma forma mais drástica esses dados

Leia mais

Prova de Aferição de Matemática Prova 56 5.º Ano de Escolaridade 2016

Prova de Aferição de Matemática Prova 56 5.º Ano de Escolaridade 2016 Rubricas dos Professores Vigilantes PREENCHER PELO LUNO Nome completo Documento de identificação CC n.º ou BI n.º Emitido em (Localidade) ssinatura do luno Prova de ferição de Matemática Prova 56 5.º no

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 3ª Etapa 2014 Disciplina: Física Série: 1ª Professor (a): Marcos Vinicius Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Métodos Estatísticos. Prof.: Alexandre Tripoli Venção

Métodos Estatísticos. Prof.: Alexandre Tripoli Venção Métodos Estatísticos Prof.: Alexandre Tripoli Venção alexandre.vencao@ifsc.edu.br Gráficos Os gráficos permitem a representação da relação entre variáveis e podem facilitar a compreensão dos dados, se

Leia mais

O que fazemos com estas ferramentas?

O que fazemos com estas ferramentas? Definição: A estatística é uma coleção de métodos para planejar experimentos, obter dados e organizá-los, resumi-los, analisálos, interpretá-los e deles extrair conclusões (Triola, 1998). O que fazemos

Leia mais

Estatística Profº Driko

Estatística Profº Driko Estatística Profº Driko Estatística O que é: É a ciência que coleta, organiza e interpreta dados colhidos entre um grupo aleatório de pessoas. Divisão da estatística: Estatística geral Visa elaborar métodos

Leia mais

Escola Secundária com 3º ciclo D. Dinis 10º Ano de Matemática A Estatística. Grupo I

Escola Secundária com 3º ciclo D. Dinis 10º Ano de Matemática A Estatística. Grupo I Escola Secundária com º ciclo. inis 10º no de Matemática Estatística 6º Teste de avaliação versão Grupo I s cinco questões deste grupo são de escolha múltipla. Para cada uma delas são indicadas quatro

Leia mais

Capítulo II Apresentação de dados

Capítulo II Apresentação de dados 11 Capítulo II Apresentação de dados (Normas técnicas da Fundação Instituto Brasileiro de Geograia e Estatística IBGE) II.1 Dados em tabelas II.1.1 Componentes de uma tabela Tabela 2.1 Casos de intoxicação

Leia mais

Valor total (em US$)

Valor total (em US$) 1. DIAGRAMA DE QUADRADOS Neste caso, quadrados com áreas proporcionais ás categorias representam os dados. Como por exemplo, vejamos a tabela: Dívida Externa do Brasil Fonte: Direx Banco Central do Brasil,

Leia mais

CIRCULAR PA Nº.09 14/15 14/01/2015

CIRCULAR PA Nº.09 14/15 14/01/2015 CIRCULAR PA Nº.09 14/15 14/01/2015 DISTRIBUIÇÃO: Associações, Clubes P.A. ASSUNTO: 1 PO 4 Taça Portugal Masculinos 2 PO 15 Torneio Inter-Regional Sub 17 Masculinos 3 Planeamento de datas das provas nacionais

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE SETÚBAL

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE SETÚBAL NOTA INFORMATIVA N.º 012 23.08.2016 Época 2016/17 Rectificada CAMPEONATO DISTRITAL DE BENJAMINS 2º. ANO SUB/11 ÉPOCA 2016/2017 Para conhecimento dos clubes filiados, Órgãos da Comunicação Social, e demais

Leia mais

Estatística. versão para investigação. Abril 2010. GUIA 2008 - Universidade do Minho

Estatística. versão para investigação. Abril 2010. GUIA 2008 - Universidade do Minho versão para investigação Abril 2010 GUIA 2008 - Universidade do Minho Concepção e design Ricardo Pinto ǀ Pedro Ferreira ǀ Pedro Rosário Desenhos Ricardo Roque Martins Revisão científica Dina Loff ǀ Ana

Leia mais

Caderno 2: 60 minutos. Tolerância: 20 minutos. (não é permitido o uso de calculadora)

Caderno 2: 60 minutos. Tolerância: 20 minutos. (não é permitido o uso de calculadora) Prova Final de Matemática 2.º Ciclo do Ensino Básico Prova 62/1.ª Fase/2015 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho A PREENCHER PELO ALUNO Nome completo Documento de identificação Assinatura do Aluno CC

Leia mais

melhor do ano treinador

melhor do ano treinador treinador Gabriel Oliveira Masculino Campeão Europeu Universitário Campeão Mundial Universitário, enquanto Selecionador Nacional Universitário João Oliveira Futsal Masculino José Castro Basquetebol Feminino

Leia mais

Regulamento de Prova Oficial Futsal

Regulamento de Prova Oficial Futsal ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito II. ORGANIZAÇÃO DE PROVAS Artigo 2º - Sistema Competitivo Artigo 3º - Duração dos Jogos Artigo 4º - Período de Aquecimento Artigo 5º - Número de Jogadores

Leia mais

II. Das situações a seguir descritas identifique para cada uma delas, a população, a amostra e a variável em estudo, classificando-a.

II. Das situações a seguir descritas identifique para cada uma delas, a população, a amostra e a variável em estudo, classificando-a. I. Foi elaborado um questionário a 1000 pessoas escolhidas aleatoriamente na zona de Braga, no qual eram formuladas várias questões; antes de se proceder à análise dos resultados é necessário classificar

Leia mais

Ficha de avaliação Física e Química A - Versão 1 Outubro de 2013. Nome: Nº: turma: 11E

Ficha de avaliação Física e Química A - Versão 1 Outubro de 2013. Nome: Nº: turma: 11E Ficha de avaliação Física e Química A - Versão 1 Outubro de 2013 Nome: Nº: turma: 11E CLASSIFICAÇÃO: Valores Professor: Cotação - 10V 1. Observa a figura 1 seguinte, que representa um corpo em movimento,

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento)

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1- Normas Gerais 1.1.1 A participação nas provas coletivas organizadas pela FPA é reservada aos clubes portugueses que tenham

Leia mais

ÍNDICE. I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito

ÍNDICE. I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito II. ORGANIZAÇÃO DE PROVAS Artigo 2º - Modelo Competitivo Artigo 3º - Sistema Competitivo Artigo 4º - Ordem dos Jogos Artigo 5º - Duração dos Jogos Artigo

Leia mais