EMENTÁRIO. FERREIRA, L.P; LOPES D.M.B.; LIMONGI, S.C.O.-Tratado de Fonoaudiologia. Editora Roca, 2005.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EMENTÁRIO. FERREIRA, L.P; LOPES D.M.B.; LIMONGI, S.C.O.-Tratado de Fonoaudiologia. Editora Roca, 2005."

Transcrição

1 2009 EMENTÁRIO Disciplina : Introdução a Fonoaudiologia Ementa Abordagem generalizada das áreas de atuação fonoaudiológica, com ênfase ao conhecimento histórico, regulamentação da profissão, formação profissional do fonoaudiólogo, interrelacionamento da fonoaudiologia com as áreas afins e estudo da comunicação humana e seus distúrbios. Objetivos Apresentar a Fonoaudiologia como uma profissão generalista que atua tanto em caráter preventivo e curativo como também em caráter estético. Propiciar ao aluno um conhecimento básico sobre a profissão com o intuito de motivá-lo a avançar na sua trajetória de formação profissional. Proporcionar uma iniciação aos fundamentos a respeito do histórico, das leis e princípios éticos que regem a profissão. Desenvolver no aluno a capacidade de inter-relacionamento que permita uma atuação multidisciplinar. SOUZA, L.B.R. -Fonoaudiologia Fundamental. Rio de Janeiro, Revinter, 2000 FERREIRA, L.P; LOPES D.M.B.; LIMONGI, S.C.O.-Tratado de Fonoaudiologia. Editora Roca, Referência Bibliográfica Complementar: BOONE, D.R.- Comunicação humana e seus distúrbios. 2 a ed. Porto Alegre, Artes Médicas, 1994.

2 LAGROTA, M.G.M.- A fonoaudiologia nas instituições. São Paulo, Lovise, SACALOSKI, M. -Fonoaudiologia na Escola. São Paulo, Lovise, ANDRADE, C.R.-Fonoaudiologia Preventiva: teoria e vocabulário técnicocientífico, Lovise, São Paulo, RIOS, I.J.A. -Fonoaudiologia Hospitalar- Coleção CEFAC Pulso, MARCHESAN, I.; ZORZI, J.L.- Tópicos em Fonoaudiologia- Editora Lovise, São Paulo, Vol. I, II, III, IV, V. ZORZI, J.- Intervenção Fonoaudiológica nas Alterações de Linguagem Infantil- Revinter, BEVILACQUA, M.C.; FORMIGONI, G.M.P.- Audiologia Educacional: uma opção terapêutica para a criança deficiente auditiva- Editora Pró-Fono. ORTIZ, K.Z.- Distúrbios neurológicos adquiridos- Editora Manole, Vol 1- Linguagem e cognição, 2005, Vol.2- Fala e Deglutição, MUNHOZ, M.S.L.; CAOVILLA, H.H.; SILVA, M.L.G.; GANANZA, M.M.- Série Otoneurológica- Vol.1- Equilibriometria Clínica, Vol.2- Audiologia Clínica, Vol.3- Quadros Clínicos Otoneurológicos mais Comuns, Vol.4 Terapêutica Clínica e Cirúrgica, Vol.5- Casos Clínicos Otoneurológicos Típicos e Atípicos, Vol.6- Otoneurologia Ilustrada- Editora Atheneu. Disciplina: Saúde Pública EMENTA Esta disciplina compreende o estudo e vivência da saúde pública, no contexto social e político, procurando desenvolver no aluno espírito de agente participante e responsável pelo processo de saúde do indivíduo, da família e da comunidade. OBJETIVOS Analisar o processo saúde-doença, identificando os fatores que influenciam no nível de saúde de uma população dentro de um contexto social e político. Conhecer o modelo de hierarquização dos serviços de saúde. Identificar os métodos ao mover educação em saúde.

3 Conhecer as principais epidemias e endemias bem como a profilaxia das doenças transmissíveis. Desenvolver no aluno a humanização, capacidade de ouvir, falar. Elaborar programas de saúde identificando sua importância com fator de intervenção tanto preventivo como curativo. Conhecer a atuação fisioterapêutica nos diversos Programas de Saúde. Elaborar palestras educativas e orientações. VIEIRA, R. Fonoaudiologia e Saúde Pública. São Paulo: Pro-fono,2000. BEAGLEHOLE,r. ET AL. Epidemiologia Básica. São Paulo: Santos,2003. Referência Bibliográfica Complementar: PASSINI,L., Humanização e cuidados paliativos, 3ª ed.são Paulo:Loyola,2006. PINHEIRO,R.,Cuidado: as fronteiras da Integralidade.Rio de Janeiro:Lappis, TENÓRIO,F.,Elaboração de projetos comunitários: abordagem prática.rio de Janeiro:Loyola,2002. JUNIOR, A., Saneamento, Saúde e Ambiente: Fundamentos para um desenvolvimento sustentável. São Paulo:Manole,2004. FLETCHER, R. H., Epidemiologia Clínica, 3ª ed.são Paulo: Artes Médicas, SILVA, M. G. C., Saúde Pública, São Paulo:Atheneu,1992. SAÚDE, Ministério da, Perspectiva de Atuação dos Educadores de Saúde Pública. São Paulo, MARCONDES,A. C. Programas de Saúde. São Paulo: Atual, 3ª edição,s.p.,1992. Disciplina: Citologia e Histologia EMENTA Fornecer noções fundamentais a respeito da citologia e estruturação celular (membrana celular, citoesqueleto, organelas, núcleo). Estudo histológico e

4 histomorfofisiológico dos tecidos (epitelial; conjuntivo, ósseo, muscular, nervoso) e dos sistemas do corpo humano e órgãos dos sentidos OBJETIVOS Tornar os alunos aptos a reconhecer e interpretar os aspectos morfológicos das organelas celulares, células e tecidos. Correlacionar os aspectos morfológicos com os bioquímicos e fisiológicos destas estruturas. Capacitar o aluno a utilizar o microscópio óptico. Demonstrar a estrutura geral das células, bem como as técnicas para estudá-las. Capacitar o aluno a identificar e caracterizar as diferentes organelas celulares. Identificar os diferentes tipos de tecidos e correlacioná-los com suas localizações e funções. JUNQUEIRA, L.C.U.; CARNEIRO, J. Biologia Celular e Molecular. 7 a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, JUNQUEIRA,L.C.U.; CARNEIRO, J. Histologia básica. 10 a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004 Referência Bibliográfica Complementar: GARTNER, L. P. & Hiatt, J. L. Tratado de Histologia. 1 a Janeiro:Guanabara Koogan,1999 Edição- Rio de Disciplina: Fundamentos de Anatomia e Fisiologia Humana EMENTA Conceitos básicos integrados sobre anatomia e fisiologia, morfologia, macroscópica e funcional dos órgãos e sistemas do corpo humano e seus mecanismos reguladores, descrevendo os aspectos morfofuncionais dos sistemas: esquelético, articular, muscular, nervoso, circulatório, respiratório, digestivo, urinário, reprodutor, tegumentar e endócrino. Com maior ênfase nos sistemas que compõem os segmentos da cabeça e pescoço e estudos detalhados daqueles envolvidos nos processos fonoarticulatórios. Anatomia dos músculos da face, lábios, língua e dos músculos relacionados com a mastigação.

5 Objetivos: conhecer a anatomia do organismo humano como um todo e de cada uma de suas partes inter-relacionadas. conhecer em particular as estruturas anatômicas de importância para a fonoaudiologia, como a boca, laringe, faringe, nariz e em particular a orelha externa. D ANGELO E FATINI. Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar, Rio de Janeiro, Ed. Ateneu. SOBOTA, BECKER. Atlas de Anatomia Humana, 21ª edição.rio de Janeiro, Ed. Guanabara Koogan GUYTON, A. C., Tratado de fisiologia médica. Rio de Janeiro, Ed. Guanabara Koogan, Referência Bibliográfica Complementar: MOORE, L. KEITH. Anatomia Orientada para a Clínica. 4ªEdição, ed.guanabara, RJ, 1999 NETTER, H. FRANK. Atlas de Anatmia, Mason- Salvat, Barcelona, 1998 ROHEN, YOKOSHI. Atlas de Anatomia Humana, 5ªedição, 2002, Ed. Manole. GARDNER, GRAY. Anatomia: Estudo Regional do Corpo Humano, 4ª Edição, ed. Guanabara, RJ,1978 Disciplina: Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem Ementa: Psicologia e Fonoaudiologia. Desenvolvimento psicológico humano e aprendizagem, processos mentais sua evolução.e intercorrências. Conceito de aprendizagem e Desenvolvimento. Teorias psicológicas que fundamentam o Desenvolvimento humano e aprendizagem. Conhecimentos sobre os fundamentos sócio-cultural que determinam a deficiência humana. Códicos da emoção, motivação, afetos e aprendizagem do ser humano.

6 Objetivos Refletir sobre os diferentes aspetos envolvidos no desenvolvimento humano através do estudo de diferentes abordagens teóricas do Desenvolvimento e Aprendizagem. Conhecer os conceitos de cognição, inteligência e afetividade e suas implicações para o desenvolvimento e aprendizagem humana. Identificar e interpretar de modo fundamentado e critico, as situações vivenciais do sujeito subjetivo e histórico. Formar o aluno com uma visão critica, reflexiva e humanista propiciando uma visão ampliada do comportamento humano, capacidades, responsabilidade e compromisso social. Acalentar o melhor entendimento do aluno com o mundo em que vive e a quem deve servir. BEE, H. A criança em desenvolvimento, Porto Alegre;Artmed, 2000 PAPALIA,D.E. e OLDS, S.W. Desenvolvimento Humano; Porto Alegre, Artes Médicas Bibliografia complementar: Normas e Recomendações Internacionais sobre a deficiência,corde,brasília Os direitos das pessoas portadoras de deficiência lei 7863/89 e decreto nº914/93 MUSSEN,Paul Henry; et al, Desenvolvimento e Personalidade da criança;s.p;harbra;2ªed;1988. DANIELS, Harry; Uma Introdução a Vygotsky; S.P; Loyola 1ª ed;2002 FADIMAN, James; et al; Teorias da Personalidade; S.P. Harbra;1979. AXLINE, M. Virginia; Dibs em busca de si mesmo, R.J. Agir;22ª; 2002 Disciplina: Fundamentos de Física e Biofísica Acústica Ementa: Conceitos fundamentais da física aplicada a Fonoaudiologia. Fenômenos ondulatórios. Natureza, dimensões e tipos de onda sonora. Intensidade sonora

7 e os processos de medida. Propagação do som. Bases físicas da fonação. Psicoacústica. Bases físicas da audição. Percepção e processamento auditivo. Objetivos: Fornecer informações sobre a interdisciplinariedade e o amplo campo de aplicação da Biofísica. Discutir os elementos e conceitos básicos em Biofísica de modo a permitir a compreensão dos fenômenos físicos e químicos no funcionamento biológico. RUSSO, I.C.P. Acústica e Psicoacústica aplicadas a fonoaudiologia. São Paulo: Editora Lovise, HENEINE, I.F. Biofísica básica. Rio de Janeiro: Atheneu, Bibliografia complementar: MENEZES, P.L.; NETO, S.C.; MOTTA, M.A. Biofísica da audição. São Paulo: Editora Lovise, OKUNO, E.; CALDAS, I.L.; CHOW, C. Física para Ciências Biológicas e Biomédicas. São Paulo: Harbra & How, GUYTON, A. C. Tratado de fisiologia médica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997 Norma Brasileira - ABNT - NBR Níveis de Ruído para Conforto Acústico RUSSO, I.C.P. Acústica e Psicoacústica aplicadas a fonoaudiologia. São Paulo: Disciplina: Lingüística Aplicada a Fonoaudiologia Ementa: A disciplina fará uma introdução geral ao estudo da linguagem humana, a partir da apresentação e discussão dos conceitos de comunicação, linguagem, língua e fala. A lingüística como ciência e suas contribuições para a Fonoaudiologia. O signo lingüístico, língua padrão e variantes sócio-culturais. Discussão de questões teóricas e metodológicas vinculadas à relação entre língua e sociedade. A língua em seus níveis fonético, fonológico, morfológico, sintático, semântico e discursivo.

8 Objetivos: Proporcionar aos alunos do curso de Fonoaudiologia o conhecimento básico da ciência da linguagem, através de uma visão panorâmica da Lingüística como recurso básico para o conhecimento e compreensão da estrutura e funcionamento das línguas naturais, seja no plano da comunicação oral ou escrita. JAKOBSON, R. (1973). Lingüística e Comunicação. São Paulo, Cultrix. SAUSSURE, F. (1968) Cours de Linguistique Générale. Paris:Payot. Bibliografia Complementar: BAGNO, Marcos. Preconceito Linguístico. São Paulo: Parábola BERLO, David K. O processo da Comunicação. Introdução à Prática. Tradução: Jorge Arnaldo Fontes. 4ª edição. São Paulo: Martins Fontes, BLIKSTEIN, Izidoro. Técnica de comunicação escrita. 8ª ed. São Paulo: Ática, CAMACHO,R. G. Sociolingüística- parte II. In: MUSSALIN e BENTES. Introdução à lingüística: domínios e fronteiras,v.1, 3ª ed. São Paulo: Cortez,2000. CÂMARA Jr., J.M. Manual de Expressão Oral e Escrita. 20ª edição. Petrópolis, Vozes, CUNHA, Celso e CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda (et al.). Novo dicionário Aurélio da língua portuguesa. 2ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, GARCIA, Othon Moacyr. Comunicação em prosa moderna. 12ª ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, GERALDI, J.W GERALDI, J. W. (1990) Portos de Passagem, São Paulo: Martins Fontes. JAKOBSON, R. A afasia como um problema lingüístico. In: Lemle, M.; Leite, Y. (orgs) KRILLS, Leny. Voz e corpo na TV: a fonoaudiologia a serviço da comunicação.

9 MARCUSCHI, Luiz Antônio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 7ª ed. São Paulo, Cortez, MORATO, E. M. & COUDRY, M. I. H. (2000) Neurolingüística, in Fernanda Mussalim e Anna Christina Bentes (orgs.) Introdução à Lingüística, vol. II. São Paulo: Cortez, p PENTEADO, José Roberto Whitaker. A Técnica da comunicação humana. 9ª ed. São Paulo: Pioneira, SANTANA, A. P. (2002) Escrita e afasia - a linguagem escrita na afasiologia. São Paulo: Plexus. SAPIR, Edward. A Linguagem: introdução ao estudo da fala. Tradução de J. Mattoso Câmara Jr. 2ª ed. Rio de Janeiro : Livraria Acadêmica, SIGNORINI, I. (org.) Investigando a relação oral/escrito. Campinas: Editora Mercado de Letras. VANOYE, Francis. Usos da linguagem: problemas e técnicas na produção oral e escrita. Tradução e adaptação de Clarisse Madureira Sabóia et al. 8ª ed. São Paulo, Martins Fontes, II Período Disciplina: Anatomia e Fisiologia da Audição e da Fonação Ementa: Anatomia da cabeça e do pescoço. Ossos da cabeça e do pescoço; Músculos da cabeça e do pescoço; Artérias da cabeça e do pescoço; Veias da cabeça e do pescoço, Nervos da cabeça e do pescoço; Linfonodos da cabeça e do pescoço. Fisiologia da cabeça e do pescoço (faringe, laringe, órgão vestíbulococlear). Relação da anatomia e fisiologia normal e comparação com os quadros patológicos (paralisias e deformidades crâneo-faciais). Objetivos:

10 Descrever o significado morfofuncional dos órgãos fonoarticulatórios com enfoque para a prática fonoaudiológica, a partir do conhecimento das cavidades de ressonância, em particular a laringe. Desenvolver o conhecimento de todas as estruturas que compõe o sistema estomatognático para atuação em disfunções têmporo-mandibulares, em deformidades crâneo-faciais, paralisias faciais, disfagias e distúrbios da motricidade oral. Descrever a estrutura morfofuncional do órgão-vestíbulo coclear para interpretar corretamente as patologias relacionadas com a audição e o equilíbrio. Interpretar as patologias e manifestações clínicas dos distúrbios da audição e da fonação a partir do conhecimento da anatomia e fisiologia. Descrição dos linfonodos da cabeça e pescoço com a finalidade de identificá-los para a realização de drenagem linfática na prática de Fonoaudiologia Estética. -Frank H. and Netter M.D.- Atlas de Anatomia Humana- 3ª Edição- Artmed, Tortora G.J. and Grabowski S.R.- Corpo Humano- Fundamentos de anatomia e Fisiologia- 6ª Edição- Artmed Bibliografia Complementar: -Anson, B.J. and Donaldson, J.A. - Surgical Anatomy of the Temporal Bone. 3rd ed. Saunders Philadelphia Costa, S.S., Cruz, O.L.M. e Oliveira, J. A.A. - Otorrinolaringologia. Princípios e Práticas. Artes Médicas. P. Alegre Hirano, M. - Clinical Examinations of Voice. Wien, Spinger - Verlag, Lehman, W.; Pidoux, J.M. and Widman, J.J. - Larynx. Inphazan, Medical Publications. Switzerland, 1981.

11 -Machado, A. - Neuroanatomia Funcional, 2ª edição, Atheneu, São Paulo, Moore, K.L. - Anatomia Orientada para a Clínica, 2ª edição, Rio de Janeiro, Guanabara, Sobotta/ Becker - Atlas de Anatomia Humana. Por H. Ferner & J. Staubesand. 17ª edição, Rio de Janeiro. Guanabara, Tucker, H.M. - The Larynx. N. York, Thieme Medical Publishers, Zorzetto, N. L. - Órgão Vestíbulo-coclear. Apostilas. Bauru-SP Zorzetto, N. L. - Laringe. Apostilas. Bauru - SP Zorzetto, N. L. - Curso de Anatomia Humana. 7ª edição Javoli. Bauru - SP Warwick, R. Williams, P.L. -Gray Anatomia. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan Revinter, Disciplina: Aquisição e Desenvolvimento da Fala I Ementa: Estudo das abordagens teóricas da aquisição da linguagem e do desenvolvimento pré-verbal e verbal correspondente a cada faixa etária. A definição e a caracterização dos aspectos lingüísticos no desenvolvimento normal. Diagnóstico e classificação do retardo e dos transtornos da aquisição e do desenvolvimento da linguagem oral. Objetivos: Conhecer as teorias de aquisição da linguagem, bem como seu desenvolvimento. Desenvolver uma visão crítica das diferentes concepções da aquisição da Linguagem. Aplicar as abordagens lingúisticas na prática fonoaudiológica. Descrever os aspectos lingüísticos em cada fase do desenvolvimento. Identificar o retardo de aquisição da linguagem e compreender suas características. Conhecer as patologias que geram os distúrbios lingüísticos.

12 BEE, H. A criança em Desenvolvimento. Porto Alegre, Artes Médicas, GOLDFELD, M. Linguagem. Rio de Janeiro, Guanabara-Koogan, VYGOTSKY, L. et al., Pensamento e Linguagem. São Paulo, Martins Fontes, Bibliografia Complementar: CARVALHO, V.B.L. Desenvolvimento Humano e Psicologia Generalidades, conceitos e teorias. Belo Horizonte, UFMG, CHAPMAN, R. Processos e Distúrbios na Aquisição da Linguagem. Porto Alegre, Artes Médicas, CHOMSKY, N. Reflection on Language. N.Y. Phanteon, FARIA, A.R. O desenvolvimento da criança e do adolescente segundo Piaget. São Paulo, Ática, FERREIRA, L.P; LOPES D.M.B.; LIMONGI, S.C.O.-Tratado de fonoaudiologia. Editora Roca, FLETCHER, P., MACWHINNEY, B. Compêndio da linguagem da criança,. Porto Alegre, Artes Médicas, LURIA, A. Desenvolvimento cognitivo. São Paulo, Ícone, MARCHESAN, I.; ZORZI, J.L. et al. - Tópicos em fonoaudiologia. São Paulo, Vol. III, Lovise, *PENA-CASANOVA, J. et al. Manual de fonoaudiologia. Porto Alegre, Artes Médicas, SAUSSURE, F. Curso de lingüística geral. São Paulo, Cultrix, SILVA, D.N.H. _ Como Brincam as Crianças Surdas. São Paulo, WERTZNER, H.F., FERNANDES F.D.M., et al. ABFW Testes de linguagem infantil nas áreas de fonologia, vocabulário, fluência e pragmática. Carapicuíba, Pró-Fono, ZORZI, J.L. A Intervenção Fonoaudiológica nas Alterações da Linguagem Infantil. Rio de Janeiro, Revinter, REILY, L. _ Escola Inclusiva Linguagem e Mediação. São Paulo, Papirus:

13 2ª edição, Disciplina: Fonética Ementa: Esta disciplina propõe fornecer ao aluno conhecimentos sobre o estudo de fonética e fonologia da língua portuguesa e sua aplicação em fonoaudiologia, dando ênfase aos fatos fonéticos, à substância fônica, ao traço distintivo, aos índices da sonoridade e ao tratamento acústico-articulatório, bem como aos transtornos da linguagem oral. Objetivos: Iniciar os alunos na discussão sobre as fronteiras entre fonética e fonologia. Mostrar as limitações da Fonética Taxonômica e despertar interesse pela Fonética Experimental. Fornecer aos alunos subsídios necessários para que sejam capazes de analisar os processos fonéticos e fonológicos ocorridos na fala ( normal e patológica). MUSSALIM, F. Bentes, C. Linguagem e Lingüística: domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2002, vols. I e II. MAIA, E. A. M. No reino da fala. A linguagem e seus sons. 4ª ed., São Paulo, Ática, SILVA T. C. Fonética e fonologia do português. São Paulo, Contexto, Referência Bibliográfica Complementar: CÂMARA, JR, Joaquim Mattoso. Estrutura da Língua portuguesa. Petrópolis: Vozes, CRYSTAL, David. Dicionário de lingüística e fonética. Rio de Janeiro: Zahar, 1988.

14 CUNHA, Celso & CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, JAKOBSON, R. Fonema e Fonologia Livraria Acadêmica, Rio de Janeiro, LOWE, Robert J.. Fonologia avaliação e intervenção: aplicações na patologia da fala. Porto Alegre: Artes Médicas, MARTINS, Maria Raquel Delgado. Ouvir falar: introdução à fonética do português. Lisboa: Caminho, MATTA MACHADO, Míriam da (org.). Cadernos de estudos lingüísticos. 25. Campinas: UNICAMP, jul. / dez., SAPIR, E. A linguagem: introdução ao estudo da fala. Rio de Janeiro: Acadêmica, Disciplina: Genética e Embriologia Ementa: Noções de embriologia geral humana; embriologia buco-facial e desenvolvimento dos arcos branquiais; embriologia do aparelho respiratório; embriologia dos órgão vestibulo-coclear e sistema nervoso. Teratologia e elementos nutricionais essenciais para o desenvolvimento embrinário e período fetal. Base Genética da Hereditariedade; padrões de herança; citogenética; genética molecular e genoma humano; genética clínica; diagnóstico pré-natal de doenças genéticas; introdução ao aconselhamento genético; genética do câncer e quimioprevenção. Objetivos: Entender a gametogênese, fecundação e nidação. Identificar as fases do desenvolvimento: ovo, embrião e feto. Entender a organogênese e o desenvolvimento dos diversos sistemas. Conhecer os anexos embrionários e sua importância para o desenvolvimento. Entender os princípios relativos à Genética de uma maneira geral.

15 Compreender os elementos de genética matemática. Conhecer e interpretar os princípios e linguagens da genética. Conhecer e identificar os principais distúrbios congênitos. Conhecer e identificar as principais anomalias que afetam a fala e audição. Compreender os principais mecanismos de ação dos agentes quimioprentivos. Moore K L & Persaud TVN. Embriologia Clínica. Elsevier (trad. da 7ª ed.); Thompson, Thompson. Genética Médica. (trad). São Paulo: Guanabara Koogan MAIA, George Doyle, Embriologia Humana. Texto básico para os Cursos de Ciências da Saúde. 1ª ed., São Paulo: Editora Atheneu, Referência Bibliográfica Complementar: BURNS, George W. e Paul J. B., Genética. 6ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, BURSNS, George W., Genética uma Introdução à Hereditariedade. 5ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, BROWN, T. A., Genética um enfoque molecular. 3ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara koogan, GARCIA, Sonia Maria Lauer de Embriologia. 2ª ed. Porto Alegre: Editora Artmed, GARDNER, Eldon J. e D. Peter Smistad, Genética. 7ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, GRIFFITHS, Anthony J. F., Introdução à Genética. 7ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, JUNQUEIRA, L. C. e D. Zago. Embriologia Médica e Comparada. 3ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, MELLO, Romário de Araújo, Embriologia Humana. São Paulo: Editora Atheneu, 2000.

16 MOORE, Keith L. Fundamentos de Embriologia Humana. São Paulo: Manole, VOGUEL, F e Motulsky, A. G. Genética Humana. 3ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, Disciplina: Metodologia da Pesquisa Científica Ementa: Introdução à atividade científica. Análise crítica de trabalhos de investigação em Fonoaudiologia. Estudo do Método Científico na investigação dos problemas de Fonoaudiologia. Métodos e técnicas de pesquisa. Trabalhos de exigência acadêmica. Projeto de pesquisa. Representação gráfica da pesquisa. Publicações científicas. Objetivos: Desenvolver com o aluno conceitos básicos sobre a investigação científica, com especial atenção aos estudos sobre temas relacionados à voz, à fala, à linguagem e à audição; Apresentar ao aluno as diretrizes para a elaboração de trabalhos acadêmicos e publicações científicas; Oferecer ao aluno subsídios para o desenvolvimento de postura investigativa durante o processo de aprendizagem. Identificar e discutir o estado das atividades de pesquisa desenvolvidas nos cursos de Pós-Graduação em Fonoaudiologia no Brasil. OLIVEIRA NETTO, Alvim Antônio de. Metodologia da Pesquisa Científica: Guia Prático para a Apresentação de Trabalhos Acadêmicos. Florianópolis: VisualBooks, SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22ª ed. rev. e ampl. de acordo com a ABNT. São Paulo: Cortez, Referência Bibliográfica Complementar:

17 ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à Metodologia do Trabalho Científico. 7ª ed. São Paulo: Atlas, ASTORINO, O. Metodologia da Pesquisa Científica. São Paulo: Graftipo, CERVO, A. L. e BERVIAN, P.A.. Metodologia Científica. 4ª ed. São Paulo: McGraw-Hill, LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos da Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, RUIZ, J. A. Metodologia Cientifica. São Paulo: Atlas, VIEIRA, Sônia. Metodologia científica para área de saúde. Rio de Janeiro: Elsevier, Disciplina: Neuroanatomia e Neurofisiologia Ementa: A disciplina de Neuroanatomia-neurofisiologia trata das estruturas anatômicas e o funcionamento geral do sistema nervoso. Aborda os aspectos de integração no organismo integro. O conteúdo é administrado de forma abrangente, envolvendo desde o nível de fundamentos físicos e químicos e moleculares, até a aplicabilidade dos conhecimentos que a disciplina oferece para a vida profissional. Ministra o ensino da anatomia e fisiologia do sistema nervoso central e periférico. Objetivos: Instrumentalizar o estudante para entender o funcionamento básico do sistema nervoso Desenvolver no aluno habilidades para descrever as principais estruturas macroscópicas do sistema nervoso. Desenvolver no aluno habilidades para descrever os mecanismos pelo qual o sistema nervoso funciona. Preparar o aluno para compreender as mudanças neurológicas e suas conseqüências na qualidade de vida. Dessa forma, preparar o aluno e futuro profissional para compreender os fatores determinantes do corpo humano sadio.

18 Prever condutas terapêuticas e se manter atualizado com as novas descobertas cientificas. GUYTON, A.C. & HALL, A.J. Tratado de Fisiologia Médica. Rio de Janeiro, Editora Guanabara Koogan S.A. 10a. edição, KANDEL, E. Fundamentos da neurociência e do comportamento. Guanabara Koogan. Rio de Janeiro MACHADO, A. Neuroanatomia funcional. Atheneu. São Paulo Referência Bibliográfica Complementar: - DANGELO, J.G. e FATTINI, C.A, Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar, Ed. Atheneu, R.J. l987 - BERNE, R. e LEVY, M.N. Fisiologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, AIRES, M.M. Fisiologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999 Disciplina: Psicoacústica e Percepção da Fala Ementa: Aspectos físicos e fisiológicos da acústica visando fornecer a base necessária à compreensão dos processos de fonação e audição; Natureza da onda sonora e os fenômenos articulatórios; som, conceito, espectro, tipos, propriedades da propagação da onda sonora; fontes sonoras, ressonância; ruídos, seus efeitos e controle. Psicoacústica e características eletroacústicas dos aparelhos de ampliação sonora individual e coletivos; biofísica da audição; biofísica da fonação. Objetivos: Identificar as características das emissões sonoras; Reconhecer as bases físicas do aparelho de fonação; Reconhecer as bases físicas do aparelho auditivo;

19 Identificar e reconhecer as funções dos elementos constituintes do aparelho auditivo; Compreender os efeitos do som sobre o organismo humano; NEPOMUCENO, L. A. - Elementos de física acústica e psicoacústica. São Paulo : Ed. Edgard Blucher, RUSSO, I.P. - Acústica e psicoacústica aplicada à fonoaudiologia. São Paulo : Ed. Lovise,1999. Referência Bibliográfica Complementar: ALEXANDRY, F. G. - "O problema do ruído industrial e seu controle" - Fundacentro- Ministério do Trabalho - São Paulo, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT - Norma NB 95 - Ruídos aceitáveis ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT - Norma NBR Medição do ruído ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT - Norma NBR Avaliação do ruído em áreas habitadas visando o conforto da comunidade ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT - Norma NBR Níveis de ruído para conforto acústico (NB 95) BERANEK, L.L. - "Acustica" - Editorial Hispano Americana S.A. 2ª Edição - Buenos Aires BERANEK, L.L. Balanced Noise-criterion (NCB) Curves. Journal of the Acoustical Society of America, v. 86 ( 2 ), p , 1989a. BERANEK, L.L. Application of NCB Noise Criterion Curves. Noise. Control Enginnering Journal, v. 33 (2), p , 1989b. BERANEK, L.L.; BLASIER, W.E.; FIGWER, J.J. Preferred noise criteria (PNC) curves and their application to rooms. Journal of Acoustical Society of America, v. 50, p , 1971.

20 BRASIL - Lei nº 6515, portaria nº NR 15 - Atividades Insalubres. BRUEL & KJAER - "Architectural Acoustics" - Dinamarca, BRUEL & KJAER - "Acoustic Noise Measurements" - Dinanarca BURK, W - "Manual de Medidas Acusticas para el Control del ruido" - Editorial Blume, Barcelona, CARVALHO, B.A. - "Acustica Aplicada à Arquitetura" - Biblioteca Técnica Freitas Bastos, Rio de Janeiro, CHEMELLO, A. e LUSSATTO, D. Acústica. Editora e Distribuidora Sagra S.A. DE MARCO, C.S. - "Elementos de Acústica Arquitetônica" - Livraria Nobel S.A. - São Paulo, FERNANDES, J.C. - "O Ruído Ambiental : Seus Efeitos e seu Controle" - Apostila do Departamento de Engenharia Mecânica da UNESP - Câmpus de Bauru, FORMER-JOHNSON, T.N.O. Acústica. Livraria Nobel, GERGES, S.N.Y. - "Curso Intensivo sobre Controle de ruído industrial" - Apostila da Universidade Federal de Santa Catarina, GERGES, S.H.Y. - "Ruído : Fundamentos e Controle" - Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Santa Catarina - 1ª Edição, Florianópolis, HAY, B. Occupational Noise Exposure. Applied Acoustics, vol. 8, p , HAY, B. Maximum permissible noise levels at the worlplace in the EEC, Spain, Portugal and Turkey. Applied Acoustics, v. 15, p , 1982 JOSSE, R. - "La acustica em la contruccion" - Editorial Gustavo Gili S.A. - Barcelona, KURTZE, J.P. -"Fisica y Tecnica de la lucha contra el ruido" - Ediciones URMO - Barcelona, LACERDA, A.P. - "Audiologia Clínica" - Editora Guanabara Koogan, MiÑAMA, J.P. - "Compendio Pratico de Acustica" - Editorial Labor S.A. - Barcelona, ROSSI, M. - "Acoustics and Electroacoustics" - Artech House Inc, Norwood, 1988.

21 SANTOS, T.M.M. & RUSSO, I.C.P. - "A Prática da Audiologia Clínica" - Cortez Editora, São Paulo, SOBRAC. Recomendações da Organização Mundial da Saúde sobre Ruído Industrial. Revista de Acústica e Vibrações, nº 16, dezembro, p , Disciplina: Psicologia Aplicada à Saúde Ementa: Possibilitar interface entre psicologia e fonoaudiologia, compreensão da estrutura psíquica e suas manifestações mediante as situações de doença. A inter-relação e a comunicação do profissional de saúde, compreensão da finitude humana, uma nova perspectiva diante das deficiências, dos preconceitos e crenças culturais. Propiciar conhecimentos e competência ligados ao atendimento fonoaudiológico numa nova visão de promoção à saúde individual e coletiva com ênfase na formação dos alunos voltados para uma postura integradora do sujeito subjetivo em seu grupo social e cultural Objetivos: Habilitar o aluno da Fonoaudiologia à uma reflexão critica do comportamento humano integrado num contexto bio-psico-social. Identificar e interpretar de modo critico, situações da realidade do individuo situando a fonoaudiologia em relação as outras áreas do saber. Promover conhecimento sobre o psiquismo humano e atitudes facilitadoras nas interações cliente-atendimento-tratamento-fonoaudiologia. Desenvolver habilidades e competências de atendimento fonoaudiólogo num contexto bio-psico-social e ambiental do individuo humano Refletir sobre responsabilidade social, deficiência, direito e cidadania. ANGERAMI, Valdemar Augusto, E a psicologia Entrou no hospital.são Paulo, Pioneira, 2001 CAMPOS, Terezinha C. Oadis, Psicologia Hospitalar: A atuação da Psicologia no Hospital, São Paulo, EPU 2000 Referência Bibliográfica Complementar:

I - ÁREA PROFISSIONAL FONOAUDIOLOGIA

I - ÁREA PROFISSIONAL FONOAUDIOLOGIA I - ÁREA PROFISSIONAL FONOAUDIOLOGIA FONOAUDIOLOGIA HOSPITALAR EM FUNÇÕES OROFACIAIS Titulação: Aprimoramento Supervisora: Profª Drª Cláudia Regina Furquim de Andrade Características: (duração 12 meses)

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 h Semestre do Curso: 7º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 h Semestre do Curso: 7º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Introdução à Fonoaudiologia Carga Horária Semestral: 40 h Semestre do Curso: 7º 1 - Ementa (sumário, resumo) Estudo da comunicação humana

Leia mais

RETIFICAÇÃO DE EDITAL - 01/2016

RETIFICAÇÃO DE EDITAL - 01/2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL RETIFICAÇÃO DE EDITAL - 01/2016 PROCESSO

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA (Currículo iniciado em 2013)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA (Currículo iniciado em 2013) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA (Currículo iniciado em 2013) ATENÇÃO À SAÚDE AUDITIVA DO TRABALHADOR 68 h/a 1537/I Audiologia na Saúde do Trabalhador. Perda auditiva de origem ocupacional.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR FUNÇÃO: Educação para Saúde SUBFUNÇÃO OU COMPONENTE CURRICULAR: ANATOMIA

Leia mais

O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a

O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a seguir. COLÉGIO NOTRE DAME FONOAUDIOLOGIA PREVENTIVA

Leia mais

FORMAÇÃO ACADÊMICA Curso de Fonoaudiologia na Fundação Lusíada Centro Universitário Lusíada UNILUS - Santos SP.

FORMAÇÃO ACADÊMICA Curso de Fonoaudiologia na Fundação Lusíada Centro Universitário Lusíada UNILUS - Santos SP. Dra. GISELLE ITRIA Fonoaudióloga FORMAÇÃO ACADÊMICA Curso de Fonoaudiologia na Fundação Lusíada Centro Universitário Lusíada UNILUS - Santos SP. EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Centro de Estimulação Terapêutica

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Ementas das Disciplinas CURSO DE GRADUAÇÃO DE FISIOTERAPIA ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades complementares correspondem a 204 horas realizadas nos diferentes espaços proporcionados

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA REABILITAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NA EQUIPE MULTIDISCIPLINAR EM CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO.

A IMPORTÂNCIA DA REABILITAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NA EQUIPE MULTIDISCIPLINAR EM CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO. A IMPORTÂNCIA DA REABILITAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NA EQUIPE MULTIDISCIPLINAR EM CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO. Méssia Pádua Almeida Bandeira Orientadora NOVAFAPI Raquel Martins Maia - NOVAFAPI Thayse Cardoso

Leia mais

COMUNICADO/SOLICITAÇÃO

COMUNICADO/SOLICITAÇÃO COMUNICADO/SOLICITAÇÃO Nos dias 5, 6 e 7 de novembro de 2013, na Universidade Aberta do Brasil Polo/UAB Imperatriz, será realizado o Curso de Medição e Avaliação de Ruído Ambiental, a ser ministrado pelo

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO FJBM 2007 EMENDA 01

CONCURSO PÚBLICO FJBM 2007 EMENDA 01 QUADRO DE PROVAS DO NIVEL SUPERIOR: Acrescenta-se o cargo de Jornalista. PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPOS DOS GOYTACAZES FUNDAÇÃO Dr. JOÃO BARCELLOS MARTINS COMISSÃO GESTORA CONCURSO PÚBLICO FJBM 2007 EMENDA

Leia mais

O que o fonoaudiólogo pode realizar nas duas áreas novas: Disfagia e Fonoeducacional?

O que o fonoaudiólogo pode realizar nas duas áreas novas: Disfagia e Fonoeducacional? O que o fonoaudiólogo pode realizar nas duas áreas novas: Disfagia e Fonoeducacional? Apresentadoras: Julia Speranza Zabeu Ana Paula Corrêa Orientadora: Profa. Dra. Andrea Cintra Lopes O que é a fonoaudiologia?

Leia mais

EDITAL Nº 05 PARA SEGUNDO ANO DE RESIDÊNCIA EM AUDIOLOGIA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA

EDITAL Nº 05 PARA SEGUNDO ANO DE RESIDÊNCIA EM AUDIOLOGIA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE ALAGOAS Transformada pela Lei 6660 de Dezembro de 2005 Campus Governador Lamenha Filho. Rua Jorge de Lima, 113, Trapiche da Barra, CEP 57.010.382, Maceió/AL.

Leia mais

Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS PLANO DE CURSO

Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS Código: ENF 405 Pré-requisito: Nenhum

Leia mais

CONCEITO ATUA TAMBÉM NA ÁREA DE SAÚDE COLETIVA,SAÚDE ESCOLAR/EDUCACIONAL E DISFAGIA. (Texto aprovado pelo Plenário do CFFa em março de 2004).

CONCEITO ATUA TAMBÉM NA ÁREA DE SAÚDE COLETIVA,SAÚDE ESCOLAR/EDUCACIONAL E DISFAGIA. (Texto aprovado pelo Plenário do CFFa em março de 2004). FONOAUDIOLOGIA CONCEITO "A FONOAUDIOLOGIA É A CIÊNCIA QUE TEM COMO OBJETO DE ESTUDO A COMUNICAÇÃO HUMANA, NO QUE SE REFERE AO SEU DESENVOLVIMENTO, APERFEIÇOAMENTO, DISTÚRBIOS E DIFERENÇAS, EM RELAÇÃO

Leia mais

FONOAUDIOLOGIA E EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO A PROFESSORES. Ana Claudia Tenor. Secretaria Municipal de Educação de Botucatu

FONOAUDIOLOGIA E EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO A PROFESSORES. Ana Claudia Tenor. Secretaria Municipal de Educação de Botucatu II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores FONOAUDIOLOGIA E EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO A PROFESSORES Ana Claudia Tenor

Leia mais

CURSO: MEDICINA. INFORMAÇÕES BÁSICAS Unidade curricular Bases Biológicas da Prática Médica I. Carga Horária Prática 55

CURSO: MEDICINA. INFORMAÇÕES BÁSICAS Unidade curricular Bases Biológicas da Prática Médica I. Carga Horária Prática 55 Turno: INTEGRAL Currículo 2009 CURSO: MEDICINA INFORMAÇÕES BÁSICAS Unidade curricular Bases Biológicas da Prática Médica I Departamento CCO Período 1 Teórica 125 Carga Horária Prática 55 Total 180 Código

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PSICOLOGIA Ementário/abordagem temática/bibliografia básica (3) e complementar (5) Morfofisiologia e Comportamento Humano Ementa: Estudo anátomo funcional

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 60 h Prática: 15 h Créditos: 4 A Biologia e o educador. Herança e meio, a hereditariedade. Reprodução humana. As funções vegetativas (digestão e alimentos,

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Prática: 15 h/a Carga Horária: 60 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE ALAGOAS UNCISAL Transformada pela Lei 6660 de Dezembro de 2005

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE ALAGOAS UNCISAL Transformada pela Lei 6660 de Dezembro de 2005 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE ALAGOAS UNCISAL Transformada pela Lei 6660 de Dezembro de 2005 EDITAL 002.2/2015 COMPLEMENTAR AO EDITAL N.º 002/2015 DE 14 DE OUTUBRO DE 2015 A REITORA DA

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012) ANÁLISE BIOMECÂNICA DO MOVIMENTO (1504) C/H 68 Análise anátomo-funcional do movimento humano com ênfase no

Leia mais

EMENTÁRIO E REFERÊNCIAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO 1º PERÍODO

EMENTÁRIO E REFERÊNCIAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO 1º PERÍODO EMENTÁRIO E REFERÊNCIAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO 1º PERÍODO ANATOMIA HUMANA I Estuda a organização estrutural do corpo humano considerando-o do ponto de vista da morfologia

Leia mais

ANA JÚLIA LENZ fonoaudióloga

ANA JÚLIA LENZ fonoaudióloga ANA JÚLIA LENZ fonoaudióloga R u a : L u c a s d e O l i v e i r a, 4 9 s a l a 601 C e n t r o N H R S - C E P : 9 3 5 1 0-110 B r a s i l e i r a, S o l t e i r a, s e m f i l h o s N a s c. : 2 5 /

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS Código: ENF 405 Pré-requisito: Nenhum

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOMOTRICIDADE

PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOMOTRICIDADE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOMOTRICIDADE Instituição Certificadora: FALC Amparo Legal: Resolução CNE CES 1 2001 Resolução CNE CES 1 2007 Carga Horária: 460h Período de Duração: 12 meses (01 ano) Objetivos: Objetivo

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Unidade curricular INICIAÇÃO AOS ESTUDOS LINGUISTICOS. Carga Horária Prática -

PLANO DE ENSINO. Unidade curricular INICIAÇÃO AOS ESTUDOS LINGUISTICOS. Carga Horária Prática - PLANO DE ENSINO LETRAS (PORTUGUÊS-INGLÊS) Turno: Noturno Currículo: 2003 INFORMAÇÕES BÁSICAS Período 2013/1 Natureza: Unidade curricular INICIAÇÃO AOS ESTUDOS LINGUISTICOS Teórica 60 Carga Horária Prática

Leia mais

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 MED-100 - Unidades de Ensino da área de conhecimento das bases moleculares e celulares dos processos normais e alterados, da estrutura e função

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 15:06

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 15:06 Curso: 9 DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Centro de Ciências da Educação Pedagogia (Noturno) Ano/Semestre: 0/ 09/0/0 :06 s por Curso Magistério: Educação Infantil e Anos Iniciais do Ens. Fundamental CNA.0.00.00-8

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS MATRIZ 3 1º AO 3º PERÍODO 1 º Período C.H. Teórica: 90 C.H. Prática: 90 C.H. Total: 180 Créditos: 10

Leia mais

ATUAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM ESCOLAS 1

ATUAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM ESCOLAS 1 ATUAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM ESCOLAS 1 Adriana Naves Resende Ribeiro 2 Resumo: O artigo relata sobre a atuação fonoaudiológica na escola normal e especial, delineando de sua realidade na escola. A fonoaudiologia

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 72/99

RESOLUÇÃO CONSEPE 72/99 RESOLUÇÃO CONSEPE 72/99 CRIA O CURSO SEQÜENCIAL EM DESENVOLVIMENTO HUMANO E MOTRICIDADE, NO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS, DO CÂMPUS DE ITATIBA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

9º Simposio de Ensino de Graduação

9º Simposio de Ensino de Graduação O SURDO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO 9º Simposio de Ensino de Graduação Autor(es) GIULIELE APARECIDA DOS SANTOS OLIVEIRA Orientador(es) ELINE TEREZA ROZANTE PORTO 1. Introdução Surdez ou deficiência auditiva

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21/10/11 - DOU de 24/10/11 PLANO DE CURSO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21/10/11 - DOU de 24/10/11 PLANO DE CURSO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21/10/11 - DOU de 24/10/11 Componente Curricular: Citologia e Histologia Código: Pré-requisito: ---- Período

Leia mais

Áreas, sub-áreas e especialidades dos estudos da cognição

Áreas, sub-áreas e especialidades dos estudos da cognição 01. GRANDE ÁREA: CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E NATURAIS 2. Área - Probabilidade Probabilidade Aplicada (aspectos 3. Área - Estatística Fundamentos da Estatística (aspectos Modelagem Estatística Teoria da Amostragem

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2015

PROCESSO SELETIVO 2015 Santa Casa de Misericórdia de Passos Hospital Regional CNPJ (MF) 23.278.898/0001-60 - Inscrição Estadual: Isento PABX - DDR: (035) 3529.1300 (Geral) Rua Santa Casa, 164 - CEP 37904-020 Passos - MG e-mail:

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Medicina

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Medicina EMENTÁRIO 1ª Série CÉLULA I Biologia Celular, Bioquímica, Biofísica Biologia Celular: Estrutura e função da célula eucariótica. Interação Célula/Matriz Extracelular Bioquímica: Estrutura química das principais

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

PÓS-GRADUAÇÃO EM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA PÓS-GRADUAÇÃO EM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA Instituição Certificadora: FALC Faculdade da Aldeia de Carapicuíba Amparo Legal: Resolução CNE CES 1 2001/ 2007 Carga Horária: 600h (sendo 150h para estágio)

Leia mais

MONITORIA - 2012 PONTOS PARA A PROVA

MONITORIA - 2012 PONTOS PARA A PROVA MONITORIA - 2012 PONTOS PARA A PROVA OTORRINOLARINGOLOGIA Otites Exames Audiológicos Labirintopatias Rinossinusites Doenças da Faringe Hipertrofia Tonsilar Larinites ÉTICA E RELAÇÕES PSICOSSOCIAIS I, II

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO INCLUSIVA 400h. Estrutura Curricular do Curso Disciplinas

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO INCLUSIVA 400h. Estrutura Curricular do Curso Disciplinas CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO INCLUSIVA 400h Ética profissional na Educação Fundamentos históricos, conceitos, sociais e legais na Educação Inclusiva Legislação Aplicável na Educação Inclusiva Fundamentos

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

H - ÁREA PROFISSIONAL FISIOTERAPIA MÚSCULO ESQUELÉTICA

H - ÁREA PROFISSIONAL FISIOTERAPIA MÚSCULO ESQUELÉTICA H - ÁREA PROFISSIONAL FISIOTERAPIA MÚSCULO ESQUELÉTICA FISIOTERAPIA EM GERIATRIA E GERONTOLOGIA Titulação: Aprimoramento e Especialização Supervisor: José Eduardo Pompeu Características: (duração 12 meses)

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

ODONTOLOGIA ANATOMIA HUMANA GERAL 1º Período / Carga Horária: 90 horas

ODONTOLOGIA ANATOMIA HUMANA GERAL 1º Período / Carga Horária: 90 horas ODONTOLOGIA ANATOMIA HUMANA GERAL 1º Período / Carga Horária: 90 horas 1. PRÉ-REQUISITO: Não há Pré-Requisitos 2. EMENTA: Conceito de Anatomia com as diversas formas de seu estudo. Conceito de normal,

Leia mais

Relatório de versão curricular

Relatório de versão curricular UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Configuração Curricular Relatório de versão curricular Curso: 16002 - FONOAUDIOLOGIA Versão curricular: D-20112X Situação: Liberada Carga horária mínima para mudança

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professora: Liamara Basso Dala Costa

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professora: Liamara Basso Dala Costa PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professora: Liamara Basso Dala Costa Email: liamara@uniarp.edu.br Período/ Fase: 1ª Fase Semestre:

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Biologia Geral, Citologia e Genética Estudo da célula, seus componentes e relação com as funções

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA FONOAUDIOLOGIA PARA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL

CONTRIBUIÇÕES DA FONOAUDIOLOGIA PARA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL CONTRIBUIÇÕES DA FONOAUDIOLOGIA PARA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL Ana Claudia Tenor Secretaria Municipal de Educação de Botucatu e-mail: anatenor@yahoo.com.br Comunicação Oral

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem oral dominada, Representação escrita, Sistema simbólico.

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem oral dominada, Representação escrita, Sistema simbólico. 7.00.00.00-0 - CIÊNCIAS HUMANAS 7.08.00.00-6 Educação A APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA: A LINGUAGEM ORAL DOMINADA E SUA CORRELAÇÃO COM A APRENDIZAGEM DA ESCRITA GIOVANNA GAGGINI RODON Curso de Pedagogia

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

LIBRAS. TIPO DE CURSO: 2ª Licenciatura BLOCO: I DISCIPLINA: SEMINÁRIO DE INTRODUÇÃO AO CURSO CARGA HORÁRIA: 15h CRÉDITOS: 1.0.0

LIBRAS. TIPO DE CURSO: 2ª Licenciatura BLOCO: I DISCIPLINA: SEMINÁRIO DE INTRODUÇÃO AO CURSO CARGA HORÁRIA: 15h CRÉDITOS: 1.0.0 DISCIPLINA: SEMINÁRIO DE INTRODUÇÃO AO CURSO CARGA HORÁRIA: 15h CRÉDITOS: 1.0.0 Ementa: Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Letras-Libras. O licenciado em Letras- Libras. Instâncias do Centro

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISICIPLINAS DO CURSO DE FISIOTERAPIA (Currículo iniciado em 2010)

EMENTÁRIO DAS DISICIPLINAS DO CURSO DE FISIOTERAPIA (Currículo iniciado em 2010) EMENTÁRIO DAS DISICIPLINAS DO CURSO DE FISIOTERAPIA (Currículo iniciado em 2010) ADMINISTRAÇÃO EM FISIOTERAPIA C/H 68 (2435) Introdução, princípios, bases legais e elementos da administração. Atuação da

Leia mais

PSICOLOGIA HOSPITALAR

PSICOLOGIA HOSPITALAR PSICOLOGIA HOSPITALAR Sugestão de Bibliografia AGGLETON, P. Monitoramento e avaliação de educação em saúde e promoção da saúde voltadas para o HIV/AIDS. In: Aids, pesquisa social e educação. CZERESNIA,D.;

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2012 FONOAUDIOLOGIA

PROCESSO SELETIVO 2012 FONOAUDIOLOGIA Santa Casa de Misericórdia de Passos Hospital Regional CNPJ (MF) 23.278.898/0001-60 - Inscrição Estadual: Isento PABX - DDR: (035) 3529.1300 (Geral) Rua Santa Casa, 164 - CEP 37904-020 Passos - MG e-mail:

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Disciplina: Comunicação e Expressão Ementa: A leitura como vínculo leitor/texto através do conhecimento veiculado pelo texto escrito. Interpretação:

Leia mais

PROCESSAMENTO AUDITIVO CENTRAL X DISTÚRBIO DE APRENDIZAGEM

PROCESSAMENTO AUDITIVO CENTRAL X DISTÚRBIO DE APRENDIZAGEM Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira PROCESSAMENTO AUDITIVO CENTRAL X DISTÚRBIO DE APRENDIZAGEM O que o sistema processamento auditivo

Leia mais

Palavras chave: voz, prevenção, criança

Palavras chave: voz, prevenção, criança AÇÕES DE PREVENÇÃO DE DISFONIA INFANTIL EM CENÁRIOS EDUCACIONAIS: ANÁLISE DA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTOS SOBRE VOZ A PARTIR DE DESENHOS DE ALUNOS DE EDUCAÇÃO INFANTIL. Palavras chave: voz, prevenção, criança

Leia mais

Apresentadoras: Ana Paula Corrêa Julia Tognozzi Orientação: Profa. Dra. Mariza R. Feniman Co-orientação: Maria Renata José

Apresentadoras: Ana Paula Corrêa Julia Tognozzi Orientação: Profa. Dra. Mariza R. Feniman Co-orientação: Maria Renata José Apresentadoras: Ana Paula Corrêa Julia Tognozzi Orientação: Profa. Dra. Mariza R. Feniman Co-orientação: Maria Renata José "Você já pensou o porquê das crianças irem mal na escola, mesmo sendo inteligentes

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE PLANO DE TRABALHO DOCENTE IDENTIFICAÇÃO: COLÉGIO ESTDUAL DARIO VELLOZO CURSO: TÉCNICO EM ENFERMAGEM PROF. ENFª. ARLETE JUÇARA REFOSCO TANURE DISCPLINA: ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA APLICADA A ENFERMAGEM

Leia mais

Como o diagnóstico pode ser feito através do exame de ultrassonografia morfológica, é de extrema importância o encaminhamento da gestante para os

Como o diagnóstico pode ser feito através do exame de ultrassonografia morfológica, é de extrema importância o encaminhamento da gestante para os Prevalência dos Tipos de Fissuras em Pacientes atendidos no Centro de Fissurados Labiopalatal (CEFIL) do Hospital Municipal Nossa Senhora do Loreto no Rio de Janeiro. Cruz, Ana Cláudia( Ortodontista- Coordenadora

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Biologia Educacional Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) A biologia educacional e os fundamentos

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIO AMBULATORIAL ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013

TABELA DE HONORÁRIO AMBULATORIAL ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013 TABELA DE HONORÁRIO AMBULATORIAL ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013 Honorário de Psicologia 1010111 8 Sessao de Psicoterapia / Psicologo - (12 ou ate 40 por ano se cumprir diretriz de utilização definida pelo

Leia mais

RESPOSTAS PARA PERGUNTAS FREQUENTES NA ÁREA

RESPOSTAS PARA PERGUNTAS FREQUENTES NA ÁREA RESPOSTAS PARA PERGUNTAS FREQUENTES NA ÁREA DE audição E equilíbrio FAQs_audiologia.indd 1 a audição é responsável por um dos principais meios de interrelação humana, a comunicação verbal. Ainda na gestação

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO / FORMAÇÃO DE PSICÓLOGO

MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO / FORMAÇÃO DE PSICÓLOGO Curso: Graduação: Ênfase: Regime: Duração: PSICOLOGIA MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO / FORMAÇÃO DE PSICÓLOGO I PSICOLOGIA E PROCESSOS DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE II PSICOLOGIA E PROCESSOS CLÍNICOS

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 10 h/a Créditos: 2 : A Antropologia enquanto ciência e seus principais ramos. Metodologia da pesquisa em Antropologia

Leia mais

Perguntas mais freqüentes sobre a deficiência auditiva e dúvidas mais comuns relacionadas à surdez

Perguntas mais freqüentes sobre a deficiência auditiva e dúvidas mais comuns relacionadas à surdez Texto de apoio ao Curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Perguntas mais freqüentes sobre a deficiência auditiva e dúvidas mais comuns relacionadas à surdez

Leia mais

Curso: Alfabetização e Letramento na Ed. Infantil e nas séries iniciais

Curso: Alfabetização e Letramento na Ed. Infantil e nas séries iniciais Curso: Alfabetização e Letramento na Ed. Infantil e nas séries iniciais Datas: 11 e 18 de Setembro Horário: 14:00h às 17:40h Carga Horária: 8 horas Vagas: O número mínimo de inscritos será: 20 pessoas

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 07/02/2012 19:33

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 07/02/2012 19:33 7//1 19:33 Centro de Ciências da Educação Curso: 9 Pedagogia (Noturno) Currículo: 11/ 1 CNA.157.-3 Biologia Humana Ementa: Natureza Biológica e Visão Sistêmica do Ser humano. Sistemas do corpo humano.

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 3º - O Plano de Implantação, Conteúdo Programático e demais características do referido Curso constam do respectivo Processo.

RESOLUÇÃO. Artigo 3º - O Plano de Implantação, Conteúdo Programático e demais características do referido Curso constam do respectivo Processo. RESOLUÇÃO CONSEPE 56/2001 REFERENDA A CRIAÇÃO DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA, NO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE,

Leia mais

Matriz Curricular - Fonoaudiologia. PRIMEIRO SEMESTRE CH teórica prática ANATOMIA HUMANA

Matriz Curricular - Fonoaudiologia. PRIMEIRO SEMESTRE CH teórica prática ANATOMIA HUMANA Matriz Curricular - Fonoaudiologia PRIMEIRO SEMESTRE ANATOMIA HUMANA Fundamentos de Anatomia Humana 18 FISIOLOGIA HUMANA Fundamentos de Fisiologia Humana 18 HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA Fundamentos de Histologia

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ODONTOLOGIA Atividades Complementares Atividades extracurriculares desenvolvidades pelo aluno durante os 10 semestres do curso, nas áreas de ensino, pesquisa

Leia mais

Coordenação Científica. Pós-graduação de especialização em NEURO-ONCOLOGIA. para Fonoaudiólogos e Terapeutas da Fala

Coordenação Científica. Pós-graduação de especialização em NEURO-ONCOLOGIA. para Fonoaudiólogos e Terapeutas da Fala Pós-graduação de especialização em para Fonoaudiólogos e apeutas da Fala 5 NOV 0 a 0 DEZ 015 Coordenação Científica Portugal Inês Tello Rodrigues e Rita Viana Brasil Andressa Freitas e Débora Queija Meses

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Derdic / PUC-SP

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Derdic / PUC-SP RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Missão 03 Valores Institucionais 03 Escola Especial de Educação Básica 04 Clínica de Audição, Voz e Linguagem Prof. Dr. Mauro Spinelli

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENFERMAGEM (Currículo iniciado em 2010)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENFERMAGEM (Currículo iniciado em 2010) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENFERMAGEM (Currículo iniciado em 2010) ANATOMIA HUMANA CH 102 (2372) Estudo morfológico dos órgãos e sistemas que constituem o organismo humano, com ênfase para os

Leia mais

Desempenho comunicativo de crianças com síndrome de Down em duas situações diferentes

Desempenho comunicativo de crianças com síndrome de Down em duas situações diferentes Desempenho comunicativo de crianças com síndrome de Down em duas situações diferentes Palavras-chave: síndrome de Down; desenvolvimento da linguagem; adores A pragmática estuda a competência envolvida

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PSICOLOGIA (Currículo iniciado em 2009):

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PSICOLOGIA (Currículo iniciado em 2009): EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PSICOLOGIA (Currículo iniciado em 2009): ABORDAGENS TEÓRICO-METODOLÓGICAS DA PSICOLOGIA CONTEMPORÂNEA I C/H 102 (0829/I) Diferentes linhas de intervenção teórico-metodológicas

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL 1 º PERÍODO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL 1 º PERÍODO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL 1 º PERÍODO 1) História da Terapia Ocupacional (30 hs) EMENTA: Marcos históricos que antecederam o surgimento formal da profissão de

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 07/02/2012 19:50

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 07/02/2012 19:50 7//1 19:5 Centro de Ciências da Saúde Curso: 151 Enfermagem (Matutino) Currículo: 11/1 1 CNA.5.1- Ser Humano e Saúde I Ementa: Organelas celulares. Tecidos básicos. A histologia e anatomia dos sistemas:

Leia mais

RETIFICAÇÃO Nº 01 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007

RETIFICAÇÃO Nº 01 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007 Estado de Santa Catarina PREFEITURA MUNICIPAL DE HERVAL D OESTE RETIFICAÇÃO Nº 01 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E/OU PROVAS E TÍTULOS, PARA PROVIMENTO DE VAGAS NO

Leia mais

Formação do professor do aluno surdo usuário de implante coclear: uma proposta em parceria com o fonoaudiólogo

Formação do professor do aluno surdo usuário de implante coclear: uma proposta em parceria com o fonoaudiólogo Formação do professor do aluno surdo usuário de implante coclear: uma proposta em parceria com o fonoaudiólogo Ana Claudia Tenor Secretaria Municipal de Educação de Botucatu e-mail: anatenor@yahoo.com.br

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04 Curso: Graduação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA PLENA MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA - BACHARELADO CURRÍCULO PLENO - PERIODIZAÇÃO E DURAÇÃO DAS DISCIPLINAS -2015-

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA - BACHARELADO CURRÍCULO PLENO - PERIODIZAÇÃO E DURAÇÃO DAS DISCIPLINAS -2015- CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA - BACHARELADO CURRÍCULO PLENO - PERIODIZAÇÃO E DURAÇÃO DAS DISCIPLINAS -2015-1º Semestre T Total Créditos Introdução à Fonoaudiologia - Linguística Geral - Psicologia

Leia mais

O Significado da Avaliação

O Significado da Avaliação 49 O Significado da Avaliação 1 INTRODUÇÃO Angela Maria Dal Piva Avaliar faz parte do ato educativo. Avalia-se para diagnosticar avanços e entraves, para interferir, agir, problematizar, e redefinir os

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002 Define o currículo do Curso de Graduação em Odontologia. O REITOR

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO Orientador Empresarial Dentistas-Consolidação das Normas para Procedimentos nos Conselhos de Odontologia-Alteração RESOLUÇÃO

Leia mais

Matriz Curricular. Carga Horária. Unidades Acadêmicas. Período

Matriz Curricular. Carga Horária. Unidades Acadêmicas. Período Matriz Curricular Período 1º Unidades Acadêmicas UAI: Introdução ao Estudo da Odontologia Conhecer a estrutura do indivíduo nas suas bases biomoleculares e celulares quanto às propriedades e interrelações

Leia mais

Avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas;

Avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas; CURSO: FISIOTERAPIA Missão O curso de Fisioterapia da Universidade Estácio de Sá, através de uma estrutura embasada em princípios contemporâneos, tem por missão a formação de um fisioterapeuta generalista,

Leia mais

TRANSTORNOS ESPECÍFICOS DO DESENVOLVIMENTO DA FALA E DA LINGUAGEM F80.0 DISLALIA (ARTICULAÇÃO; COMUNICAÇÃO FONOLÓGICA; FUNCIONAL ARTICULAÇÃO)

TRANSTORNOS ESPECÍFICOS DO DESENVOLVIMENTO DA FALA E DA LINGUAGEM F80.0 DISLALIA (ARTICULAÇÃO; COMUNICAÇÃO FONOLÓGICA; FUNCIONAL ARTICULAÇÃO) 27/12/2007 ANEXO 49 TABELA da CLASSIFICAÇÃO ESTATÍSTICA INTERNACIONAL DE DOENÇAS E PROBLEMAS RELACIONADOS À SAÚDE FONOAUDIOLÓGICA CID 10 /OMS /1997 6ª VERSÃO 2008 CÓDIGO F80 DESCRIÇÃO TRANSTORNOS ESPECÍFICOS

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) Institui Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Medicina Veterinária.

Leia mais

Parecer CRFa-4ª Região nº 003/2015

Parecer CRFa-4ª Região nº 003/2015 Parecer CRFa-4ª Região nº 003/2015 Dispõe sobre a atuação fonoaudiológica na área hospitalar privada, pública e filantrópica e em atendimento domiciliar e dá outras providências O presente Parecer tem

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA GABINETE DA DEPUTADA LUZIA TOLEDO PROJETO DE LEI Nº 157/2010

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA GABINETE DA DEPUTADA LUZIA TOLEDO PROJETO DE LEI Nº 157/2010 PROJETO DE LEI Nº 157/2010 A semana de conscientização sobre transtornos de aprendizagem, no âmbito do Estado do Espírito Santo. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETA: Art. 1º Fica

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ANATOMIA DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA GERAL DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ANATOMIA DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA GERAL DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ANATOMIA DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA GERAL DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA PROGRAMA DO MÓDULO 6MOD059 CONCEPÇÃO E FORMAÇÃO DO CORPO HUMANO ODONTOLOGIA 1º ano LONDRINA

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Médico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado a atuar, pautado

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DE LÍNGUA INGLESA (Currículo iniciado em 2010)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DE LÍNGUA INGLESA (Currículo iniciado em 2010) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DE LÍNGUA INGLESA (Currículo iniciado em 2010) COMPREENSÃO E PRODUÇÃO ORAL EM LÍNGUA INGLESA I C/H 102 (2358) intermediário de proficiência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO Curso: Nutrição (04) Ano: 2013 Semestre: 1 Período: 1 Disciplina: Anatomia Humana (Human Anatomy) Carga Horária Total: 90 Teórica: 60 Atividade Prática: 30 Prática Pedagógica: 0 Aulas Compl. Tutorial:

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Área: Estágio de Enfermagem em Saúde do Adulto I e II Campo de Atuação: Santa Casa de Tupã; Instituto de Psiquiatria de Tupã e Hospital São

Leia mais