Atividades práticas-pedagógicas desenvolvidas em espaços não formais como parte do currículo da escola formal

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Atividades práticas-pedagógicas desenvolvidas em espaços não formais como parte do currículo da escola formal"

Transcrição

1 Atividades práticas-pedagógicas desenvolvidas em espaços não formais como parte do currículo da escola formal Linha de Pesquisa: LINHA DE PESQUISA E DE INTERVENÇÃO METODOLOGIAS DA APRENDIZAGEM E PRÁTICAS DE ENSINO (LIMAPE) Área de Concentração: GESTÃO E PRÁTICAS EDUCACIONAIS DESCRIÇÃO Esse projeto tem por objetivo analisar como e se os gestores orientam os professores a utilizarem os espaços não formais de aprendizagem localizados dentro ou fora da sala de aula. Para coletar os dados utilizaremos entrevista semiestruturada com os gestores de quatro escolas públicas da cidade de São Paulo, sendo uma em cada região. Para complementar nossos dados analisaremos o Projeto Político Pedagógico (PPP) da escola e os planos de ensino a fim de averiguar em quais momentos a educação não formal se faz presente. Palavras-chave: educação não formal educação formal motivação aprendizagem espaços não formais DESCRIÇÃO Atualmente temos ouvido diversas reclamações de gestores e professores referentes à falta de interesse e motivação dos alunos no que se refere à aprendizagem dos conteúdos escolares. Muitos são os fatores responsáveis por esse fato, a saber: defasagem idade/série, falta de infraestrutura da escola, falta de material que possa dinamizar a aula, formação deficitária de professores etc.

2 Partimos do princípio de que os problemas que se apresentam no cotidiano educacional quanto à aprendizagem dos alunos podem ser analisados e abordados pelos gestores para serem discutidos com os professores, se os primeiros entenderem que a educação não formal ocorre não somente fora dos muros da escola, mas também em espaços da escola que, muitas vezes não são utilizados ou, quando utilizados o são sem objetivos claramente definidos. A expressão espaço não formal é utilizada para descrever locais, diferentes da escola ou diferentes da sala de aula, onde é possível desenvolver atividades educativas, pois a escola e a sala de aula não são os únicos espaços de construção do conhecimento e de identidade. Entendemos que os educadores devam buscar esses espaços como lugares alternativos de aprendizagem com o objetivo de fazer uma relação interdisciplinar dos conteúdos abordados. Jacobucci (2208) e Falcão (2009) sinalizam que os espaços fora do ambiente escolar, conhecidos como espaços não formais, são percebidos como recursos pedagógicos que se complementam à escola e proporcionam aprendizagem significativa, pois o aluno tem a possibilidade de ver, tocar e aprender fazendo. Entendemos que todos os espaços existentes dentro da escola e que ultrapassam a sala de aula como laboratórios de ciências e informática, biblioteca, sala de vídeo, horta, quadras poliesportivas entre outros, também são espaços não formais que devem ser explorados sempre que possível para que os discentes se percebam como agentes construtores do próprio conhecimento. Objetivo - Analisar como e se os gestores orientam os professores a utilizarem os espaços não formais de aprendizagem localizados dentro ou fora da escola. Problemas da Pesquisa Atualmente temos ouvido diversas reclamações de gestores e professores referentes à falta de interesse e motivação dos alunos no que se refere à aprendizagem dos conteúdos escolares. Porém também sabemos que

3 muitas escolas continuam ministrando aulas às quais somente o professor se expressa e em um único espaço: a sala de aula. Diante desse quadro fazemos as seguintes indagações: 1- Visitar espaços não formais de aprendizagem faz parte do currículo da escola? 2- Os gestores e professores conhecem o campo de atuação da educação não formal? Metodologia Para coletar os dados utilizaremos os seguintes procedimentos: entrevista semiestruturada com os gestores de quatro escolas públicas situadas na cidade de São Paulo, sendo uma de cada região (Leste, Oeste, Sul e Norte). Para complementar nossos dados analisaremos o Projeto Político Pedagógico (PPP) da escola e os planos de ensino a fim de averiguar em quais momentos a educação não formal se faz presente. As entrevistas serão do tipo semiestruturada. Escolhemos essa forma de entrevista, pois segundo Lüdke e André (1986, p. 34) não segue uma ordem rígida, mas possui um esquema básico permitindo que o pesquisador faça intervenções quando necessário. Os sujeitos de nossa pesquisa serão 16, a saber: 4 diretores (um de cada escola), 4 vice-diretores (um de cada escola) e 4 coordenadores pedagógicos (um de cada escola) e 8 professores (dois de cada escola) Referencial Teórico A educação não formal, foco desta pesquisa, tem conquistado espaço de discussões cada vez mais importantes no cenário educacional. Trata-se de um campo em construção que cresceu, porém, timidamente, no início deste milênio e que ainda carece de pesquisas acadêmicas sobre o tema. Para Afonso (1989), compreender a educação não formal leva à necessidade de conhecer a comunidade em que se vai atuar, pois para que se possa valorizar a cultura das pessoas faz-se necessário reconhecer as necessidades e anseios do grupo. Dessa forma, favorecemos a participação, a

4 solidariedade e a socialização dos educandos. Complementa ressaltando que o caráter voluntário da educação não formal surge como elemento mobilizador, apontando a disposição de participação existente em cada um. Ghanem e Trilla (2008, p. 33) definem educação não formal como: [...] toda atividade organizada, sistemática, educativa, realizada fora do marco do sistema oficial, para facilitar determinados tipos de aprendizagem e subgrupos específicos da população, tanto adultos como infantis [...] Para Gohn (2008) a educação não formal pode ser desenvolvida no cotidiano nas relações sociais com os outros, pela experiência e em espaços de ação coletivos fora da escola, em locais informais onde há processos de interação e intencionalidade na ação, na participação, na aprendizagem e na transmissão e troca de saberes. A educação não formal abre possibilidades de conhecimento sobre o mundo que rodeia os indivíduos e suas relações sociais. A educação formal e não formal, tem caráter intencional e objetivam promover o desenvolvimento e a socialização das pessoas. Portanto, são responsáveis em oferecer condições para que todos os indivíduos possam desenvolver as suas potencialidades e que sejam capazes de responder aos desafios colocados pela realidade. Vimos, portanto, que os autores citados definem educação não formal como intencional, onde a relação com o outro têm papel fundamental no processo de aprendizagem, as regras são estipuladas de acordo com o contexto e os conteúdos são ensinados respeitando os limites e as dificuldades dos envolvidos. A expressão espaço não formal é utilizada para descrever locais, diferentes da escola, onde é possível desenvolver atividades educativas. Segundo Jacobucci (2008) espaços não formais podem ser instituições e não instituições. Na categoria que a autora denomina instituições estão incluídos os espaços que são regulamentados e que possuem uma equipe técnica responsável pelas atividades oferecidas, a saber: os Museus, os Centros de Ciências, os Parques Ecológicos, os Parques Zoobotânicos, os Jardins Botânicos, os Planetários, os Institutos de Pesquisa, os Aquários, os Zoológicos, as Bibliotecas, entre outros. Na categoria não instituições, a autora elenca os ambientes naturais ou urbanos que não possuem estrutura institucional, mas que permite a realização

5 de práticas educativas. São eles: teatro, parque, casa, rua, praça, terreno, cinema, praia, caverna, rio, lagoa, campo de futebol, entre outros. Os espaços educativos não formais promovem aprendizagem de maneira diferenciada do espaço da sala de aula. O aluno participa de forma descontraída, sem cobranças e por ser ambiente que apresenta novidades, a curiosidade é constante. As possíveis perguntas surgem dessa curiosidade, são espontâneas e as respostas dadas pelos monitores existentes podem agregar conhecimentos àqueles já adquiridos pelos discentes na sala de aula formal. BIBLIOGRAFIA AFONSO, A. J. Sociologia da educação não formal. Reactualizar um objeto ou construir uma nova problemática? IN A. J. Esteves; S. R. Stoer. A Sociologia na escola. Porto: Afrontamento, GHANEM, Elie; TRILLA, Jaume. Educação formal e não formal. São Paulo: Summus Editorial, GOHN, Maria da Glória. Educação não formal e cultura política. São Paulo: Cortez, 2008a. JACOBUCCI, Daniela Franco Carvalho. Contribuições dos espaços não formais de educação para a formação da cultura científica. Revista Em extensão, vol. 7. Uberlândia, p. 55 a 66, LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli, E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986 VERCELLI, Ligia de Carvalho Abões. Projetos sociais desenvolvidos em universidades da cidade de São Paulo: mapeamento e análise. Tese de Doutorado Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Nove de Julho UNINOVE, São Paulo, 2012.

As Novas Tecnologias no Processo Ensino-Aprendizagem da Matemática

As Novas Tecnologias no Processo Ensino-Aprendizagem da Matemática A UTILIZAÇÃO DE BLOGs COMO RECURSO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Maria Angela Oliveira Oliveira Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho matematicangela2007@yahoo.com.br Resumo: O Mini-Curso

Leia mais

ESPAÇOS DE CIÊNCIA E ESCOLAS: PARA ALÉM DA COMPLEMENTARIEDADE

ESPAÇOS DE CIÊNCIA E ESCOLAS: PARA ALÉM DA COMPLEMENTARIEDADE ESPAÇOS DE CIÊNCIA E ESCOLAS: PARA ALÉM DA COMPLEMENTARIEDADE Fátima Denise Peixoto Fernandes RESUMO: Este trabalho apresenta um projeto de Doutorado que tem como foco a relação entre a educação formal

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Fundamentos da Ação Educativa em Espaços não Escolares

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Fundamentos da Ação Educativa em Espaços não Escolares PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos da Ação Educativa em Espaços não Escolares Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 3º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceitos e dimensões

Leia mais

A IMPORTANCIA DA FAMÍLIA NO INGRESSO DA CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTANCIA DA FAMÍLIA NO INGRESSO DA CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTANCIA DA FAMÍLIA NO INGRESSO DA CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Gislaine Mª K. Dwulatka 1 Profª Rejane Klein 2 RESUMO: O presente artigo tem por finalidade apresentar as atividades de Estágio Supervisionado

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq

FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq INTRODUÇÃO Este texto apresenta a pesquisa em andamento

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO OBSERVATÓRIO DE IDEIAS E DO NÚCLEO DE PESQUISA DA UEG INHUMAS: importância para os docentes

A UTILIZAÇÃO DO OBSERVATÓRIO DE IDEIAS E DO NÚCLEO DE PESQUISA DA UEG INHUMAS: importância para os docentes A UTILIZAÇÃO DO OBSERVATÓRIO DE IDEIAS E DO NÚCLEO DE PESQUISA DA UEG INHUMAS: importância para os docentes Ecinele Pereira Nascimento (UEG Câmpus Inhumas) Marlene Barbosa de Freitas Reis (UEG Câmpus Inhumas)

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO EDUCACIONAL NO PROCESSO DO ENSINO DE BIOLOGIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO EDUCACIONAL NO PROCESSO DO ENSINO DE BIOLOGIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO EDUCACIONAL NO PROCESSO DO ENSINO DE BIOLOGIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA Paula Roberta Galvão Simplício paularoberta.gs@gmail.com Leonara Evangelista de Figueiroa Leonara100@gmail.com

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR EIXO TECNOLÓGICO: AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Meio Ambiente Subsequente COMPONENTE CURRICULAR: METODOLOGIA DE PESQUISA E CÓDIGO: APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS TÉCNICOS Currículo:

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Jardim 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Letras - Inglês Obs.: Para proposta

Leia mais

FORMAÇÃO DO ALUNO PESQUISADOR POR MEIO DA EXTENSÂO UNIVERSITÀRIA: UMA EXPERIÊNCIA EMANCIPADORA E TRANSFORMADORA

FORMAÇÃO DO ALUNO PESQUISADOR POR MEIO DA EXTENSÂO UNIVERSITÀRIA: UMA EXPERIÊNCIA EMANCIPADORA E TRANSFORMADORA 1 FORMAÇÃO DO ALUNO PESQUISADOR POR MEIO DA EXTENSÂO UNIVERSITÀRIA: UMA EXPERIÊNCIA EMANCIPADORA E TRANSFORMADORA VERCELLI, Ligia de Carvalho Abões Uninove ligia@uninove.br LIBERATO, Amanda Maria Franco

Leia mais

ETNOMATEMÁTICA E LETRAMENTO: UM OLHAR SOBRE O CONHECIMENTO MATEMÁTICO EM UMA FEIRA LIVRE

ETNOMATEMÁTICA E LETRAMENTO: UM OLHAR SOBRE O CONHECIMENTO MATEMÁTICO EM UMA FEIRA LIVRE ETNOMATEMÁTICA E LETRAMENTO: UM OLHAR SOBRE O CONHECIMENTO MATEMÁTICO EM UMA FEIRA LIVRE Sandra Regina RICCI Mestranda em Educação em Ciências e Matemática, Universidade Federal de Goiás sandraricci@brturbo.com.br

Leia mais

U N I V E R S I D A D E D E C A X I A S D O S U L P R Ó - R E I T O R I A D E E X T E N S Ã O C U R S O D E E X T E N S Ã O

U N I V E R S I D A D E D E C A X I A S D O S U L P R Ó - R E I T O R I A D E E X T E N S Ã O C U R S O D E E X T E N S Ã O U N I V E R S I D A D E D E C A X I A S D O S U L P R Ó - R E I T O R I A D E E X T E N S Ã O C U R S O D E E X T E N S Ã O ESCOLA E PESQUISA: UM ENCONTRO POSSÍVEL JULIANA TERESA WINTER SÃO SEBASTIÃO DO

Leia mais

Rodrigo Claudino Diogo 1, Valéria A. Ribeiro de Lima 2, Vanusa Maria de Paula 3, Rosymeire Evangelista Dias 4

Rodrigo Claudino Diogo 1, Valéria A. Ribeiro de Lima 2, Vanusa Maria de Paula 3, Rosymeire Evangelista Dias 4 A formação docente em Ciência, Tecnologia, Sociedade e Educação Ambiental TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA SALA DE AULA: PRODUÇÃO DE VÍDEOS POR MEIO DE SMARTPHONES COMO UMA POSSIBILIDADE VIÁVEL

Leia mais

POSSÍVEIS CAUSAS DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM EM MATEMÁTICA DOS EDUCANDOS

POSSÍVEIS CAUSAS DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM EM MATEMÁTICA DOS EDUCANDOS POSSÍVEIS CAUSAS DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM EM MATEMÁTICA DOS EDUCANDOS André Ferreira de Lima UEPB andre_lyma@hotmail.com José Edivam Braz Santana UEPB edivamsantana@hotmail.com Flávia Aparecida

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR NA EAD: PROPOSTAS DE PLANEJAMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR NA EAD: PROPOSTAS DE PLANEJAMENTO 1 ESTÁGIO CURRICULAR NA EAD: PROPOSTAS DE PLANEJAMENTO Recife PE- Abril 2013 Ivanda Maria Martins Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco/UFRPE/UAEADTec martins.ivanda@gmail.com Ana Paula Teixeira

Leia mais

Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO. Educação Integral dos Trabalhadores

Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO. Educação Integral dos Trabalhadores Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO Educação Integral dos Trabalhadores ESCOLA DE TURISMO E HOTELARIA CANTO DA ILHA - CUT Projeto Político Pedagógico da Escola de Turismo

Leia mais

Rosa Maria Torres No livro Banco Mundial e as políticas educacionais, p. 127

Rosa Maria Torres No livro Banco Mundial e as políticas educacionais, p. 127 O pacote do BM e o modelo educativo subjacente à chamada melhoria da qualidade da educação para os setores sociais mais desfavorecidos está, em boa medida, reforçando as condições objetivas e subjetivas

Leia mais

MATRIZES AVALIATIVAS EDUCACIONAIS

MATRIZES AVALIATIVAS EDUCACIONAIS MATRIZES AVALIATIVAS EDUCACIONAIS Marilusa Rossari1 - RMS Viviane Aparecida da Silva2 - RMS Grupo de Trabalho Políticas Públicas, Avaliação e Gestão da Educação Básica Agência Financiadora: não contou

Leia mais

AVALIAÇÃO DO USO DA TECNOLOGIA COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA EM UMA ESCOLA NA CIDADE DE MANAUS-AM.

AVALIAÇÃO DO USO DA TECNOLOGIA COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA EM UMA ESCOLA NA CIDADE DE MANAUS-AM. AVALIAÇÃO DO USO DA TECNOLOGIA COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA EM UMA ESCOLA NA CIDADE DE MANAUS-AM. Eliomara da Costa Cruz; Itaní Sampaio de Oliveira Universidade Federal do Pará UFPA, eliomaracruz100@gmail.com;

Leia mais

A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL DE UMA ESCOLA DO CAMPO NO MUNICÍPIO DE CAETITÉ BAHIA

A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL DE UMA ESCOLA DO CAMPO NO MUNICÍPIO DE CAETITÉ BAHIA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL DE UMA ESCOLA DO CAMPO NO MUNICÍPIO DE CAETITÉ BAHIA Germana Souza Ramos Rocha 1 Eugênia da Silva Pereira 2 INTRODUÇÃO A Educação do Campo vem

Leia mais

Tema do Projeto Educativo: Quero ser grande e feliz

Tema do Projeto Educativo: Quero ser grande e feliz Tema do Projeto Educativo: Quero ser grande e feliz A primeira tarefa da educação é ensinar a ver É através dos olhos que as crianças tomam contacto com a beleza e o fascínio do mundo Os olhos têm de ser

Leia mais

O jogo do Mico no ensino das Funções Orgânicas: o lúdico como estratégia no PIBID

O jogo do Mico no ensino das Funções Orgânicas: o lúdico como estratégia no PIBID O jogo do Mico no ensino das Funções Orgânicas: o lúdico como estratégia no PIBID Danilo Augusto Matos 1, Vinícius Nunes dos Santos 1, Daniela Marques Alexandrino 2*, Maria Celeste Passos Silva Nascimento

Leia mais

Associação Barreiros pelo futuro de nossas crianças

Associação Barreiros pelo futuro de nossas crianças Boa ação Associação Barreiros pelo futuro de nossas crianças Em um espaço extraordinário, mais de 400 crianças da rede pública de Ilhabela são recebidas para vivenciar no contraturno do período escolar

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Didática III. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Didática III. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Didática III Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) A Didática enquanto reflexão sistemática do espaço da sala

Leia mais

Eixo Temático: Etnomatemática e as relações entre tendências em educação matemática.

Eixo Temático: Etnomatemática e as relações entre tendências em educação matemática. A ARTICULAÇÃO ENTRE AS DISCIPLINAS VOLTADAS PARA MATEMÁTICA DO CURSO DE PEDAGOGIA E OS SABERES DA EXPEIRÊNCIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA NUMA PERSPECTIVA ETNOMATEMÁTICA. 05614389784 1 Eixo Temático: Etnomatemática

Leia mais

Curso de Capacitação para Museus Módulo IV Ação Educativa 1/27

Curso de Capacitação para Museus Módulo IV Ação Educativa 1/27 Curso de Capacitação para Museus Módulo IV Ação Educativa 1/27 Avaliação: uma importante ferramenta para ações educativas. 2/27 O que é avaliação? 3/27 É um processo para se obter informações que essencialmente

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FACULDADES PROMOVE

ADMINISTRAÇÃO FACULDADES PROMOVE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE CURSO ADMINISTRAÇÃO FACULDADES PROMOVE (Faculdade Promove Sete Lagoas Faculdade Setelagoana de Ciências Gerenciais) 2011 Atividades Complementares de Curso ACC DO CURSO DE

Leia mais

ENSINO-APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA: OS CONTEÚDOS COM BASES MATEMÁTICAS NO ENSINO FUNDAMEANTAL 1

ENSINO-APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA: OS CONTEÚDOS COM BASES MATEMÁTICAS NO ENSINO FUNDAMEANTAL 1 ENSINO-APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA: OS CONTEÚDOS COM BASES MATEMÁTICAS NO ENSINO FUNDAMEANTAL 1 Priscilla Régia de Castro PEREIRA 2 Ivanilton José de OLIVEIRA 3 Introdução Dentre as pesquisas existentes

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL DA FINLÂNDIA: CURRÍCULO, PROFISSIONAIS E AVALIAÇÃO

SISTEMA EDUCACIONAL DA FINLÂNDIA: CURRÍCULO, PROFISSIONAIS E AVALIAÇÃO SISTEMA EDUCACIONAL DA FINLÂNDIA: CURRÍCULO, PROFISSIONAIS E AVALIAÇÃO FINLÂNDIA - O PAÍS 338,000 km2 5,3 milhões de habitantes Capital: Helsinque 2 idiomas oficiais: finlandês sueco Helsinki FINLÂNDIA

Leia mais

PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO:

PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: 1 PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO CURSO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO DISCIPLINA: TENDÊNCIAS CONTEMPORÂNEAS

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE ATIVIDADES PRÁTICAS NA APRENDIZAGEM DE CONCEITOS ECOLÓGICOS

A IMPORTÂNCIA DE ATIVIDADES PRÁTICAS NA APRENDIZAGEM DE CONCEITOS ECOLÓGICOS A IMPORTÂNCIA DE ATIVIDADES PRÁTICAS NA APRENDIZAGEM DE CONCEITOS ECOLÓGICOS Gilzete Reis da Silva 1,6 ; Reginaldo Augusto Farias de Gusmão 2,6 ; Victor Sacramento Dias 3,6 ; Daniel José Viana Mota 4,6

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança)

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança) MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança) FACULDADE PAULISTA DE ARTES FPA Av. Brigadeiro Luís Antônio, 1224 Bela Vista CEP: 01318-001 São Paulo/ SP Tel.:/Fax

Leia mais

PLANO DE ENSINO. TURMA: Formação mista, envolvendo acadêmicos da Católica de SC que cumprem os requisitos dispostos no Regulamento

PLANO DE ENSINO. TURMA: Formação mista, envolvendo acadêmicos da Católica de SC que cumprem os requisitos dispostos no Regulamento CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA SETOR DE EXTENSÃO COMUNITÁRIA PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: PROJETO COMUNITÁRIO PROFESSORES(AS): FASE: Constituída a partir da conclusão de 30% DIVA SPEZIA

Leia mais

RESOLUÇÃO 01 /2015 RESOLVE. Art. 1 - Aprovar o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, em nível de Especialização, denominado Autismo.

RESOLUÇÃO 01 /2015 RESOLVE. Art. 1 - Aprovar o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, em nível de Especialização, denominado Autismo. RESOLUÇÃO 01 /2015 Aprova o Curso de Pós-Graduacão Lato Sensu, na modalidade de Especialização, com a denominação de Curso de Especialização em Autismo. O COLEGIADO ACADÊMICO DA FACULDADE CAMPOS ELÍSEOS

Leia mais

DISSERTAÇÃO DEFENDIDA EM FEVEREIRO DE 2014... MAIS EDUCAÇÃO NO MUNICÍPIO DE MESQUITA - RJ

DISSERTAÇÃO DEFENDIDA EM FEVEREIRO DE 2014... MAIS EDUCAÇÃO NO MUNICÍPIO DE MESQUITA - RJ DISSERTAÇÃO DEFENDIDA EM FEVEREIRO DE 2014... A FORMAÇÃO CONTINUADA NO ÂMBITO DO PROGRAMA A FORMAÇÃO CONTINUADA NO ÂMBITO DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO NO MUNICÍPIO DE MESQUITA - RJ As novas propostas de educação

Leia mais

Seminário A infância em debate. Uma leitura a partir de Portugal: resposta educativa para as crianças dos 3 aos 6 anos. Salamanca 27 a 30 Abril 2015

Seminário A infância em debate. Uma leitura a partir de Portugal: resposta educativa para as crianças dos 3 aos 6 anos. Salamanca 27 a 30 Abril 2015 Seminário A infância em debate. Uma leitura a partir de Portugal: resposta educativa para as crianças dos 3 aos 6 anos. Salamanca 27 a 30 Abril 2015 Amélia de Jesus Marchão ameliamarchao@esep.pt 1 Objetivo

Leia mais

FACULDADES PROMOVE DE SETE LAGOAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE CURSO - ACC

FACULDADES PROMOVE DE SETE LAGOAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE CURSO - ACC FACULDADES PROMOVE DE SETE LAGOAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE CURSO - ACC 2018 1 Apresentação As Atividades Complementares objetivam proporcionar uma sistematização de conhecimentos, que possam ser incorporados,

Leia mais

PROJETO PROLICEN INFORMÁTICA NA ESCOLA : A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA E O ENSINO MÉDIO PÚBLICO

PROJETO PROLICEN INFORMÁTICA NA ESCOLA : A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA E O ENSINO MÉDIO PÚBLICO PROJETO PROLICEN INFORMÁTICA NA ESCOLA : A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA E O ENSINO MÉDIO PÚBLICO Formação de Professores e Educação Matemática (FPM) GT 08 RESUMO Melquisedec Anselmo da Costa AZEVEDO

Leia mais

PROJETO CURRICULAR DE AEMB - DEPARTAMENTO PRÉ ESCOLAR DEPE 2013/2017

PROJETO CURRICULAR DE AEMB - DEPARTAMENTO PRÉ ESCOLAR DEPE 2013/2017 AEMB - DEPE PROJETO CURRICULAR DE DEPARTAMENTO PRÉ ESCOLAR 2013/2017 O Jardim de Infância é um espaço mágico repleto de cores, sons, onde os grandes aprendem com os pequenos o que é ser realmente grande

Leia mais

A GEOGRAFIA DO PROFESSOR E A EMANCIPAÇÃO DO CIDADÃO

A GEOGRAFIA DO PROFESSOR E A EMANCIPAÇÃO DO CIDADÃO Jônatas Lima Candido Secretaria de Estado da Educação do Paraná SEED PR jonataslimacandido@seed.pr.gov.br A GEOGRAFIA DO PROFESSOR E A EMANCIPAÇÃO DO CIDADÃO INTRODUÇÃO Embora o Ensino de Geografia tenha

Leia mais

Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade Estadual da Paraíba UEPB / leonidas.duarte@hotmail.com 1. INTRODUÇÃO

Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade Estadual da Paraíba UEPB / leonidas.duarte@hotmail.com 1. INTRODUÇÃO REFLEXÕES SOBRE ASPECTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO ENSINO DE GEOGRAFIA PRATICADO POR PROFESSORES CURSISTAS DA ESPECIALIZAÇÃO EM FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO UEPB 2013/2014 Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA EM POLÍTICAS EDUCACIONAIS BRASILEIRAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA EM POLÍTICAS EDUCACIONAIS BRASILEIRAS EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA EM POLÍTICAS EDUCACIONAIS BRASILEIRAS Andrea Soares Wuo Aline Martins Varela Juliany Mazera Fraga Rita Buzzi Rausch Universidade Regional de Blumenau FURB Eixo Temático: Política

Leia mais

1- Declaração de anuência da Unidade Acadêmica à qual esteja vinculado (a) na UEMG, informando a disponibilização da carga horária para o Mestrado;

1- Declaração de anuência da Unidade Acadêmica à qual esteja vinculado (a) na UEMG, informando a disponibilização da carga horária para o Mestrado; CHAMADA INTERNA PARA CREDENCIAMENTO DE DOCENTES NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO HUMANA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO (FaE/CBH) DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS

Leia mais

ENSINO MÉDIO COM VISTAS A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR

ENSINO MÉDIO COM VISTAS A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR V Fórum das Licenciaturas ENSINO MÉDIO COM VISTAS A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR Os Desafios da Formação Humana Integral Reconhecimento da escola como espaço de cidadania o Ensino Médio é um direito

Leia mais

Palavras-chaves: Avaliação Educacional; SPAECE; Gestão Pedagógica.

Palavras-chaves: Avaliação Educacional; SPAECE; Gestão Pedagógica. 00439 A GESTÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO E SUA RELAÇÃO COM O SISTEMA PERMANENTE DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO CEARÁ SPAECE. Autora: Diva Lima - UECE i Coautor: Prof. Dr. Antonio Germano

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 h Semestre do Curso: 3º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 h Semestre do Curso: 3º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Metodologia da Pesquisa Aplicada a Educação I Carga Horária Semestral: 40 h Semestre do Curso: 3º 1 - Ementa (sumário, resumo) A natureza

Leia mais

Ficha de Actividade. Conteúdos: Os diferentes processos e serviços do Arquivo Municipal.

Ficha de Actividade. Conteúdos: Os diferentes processos e serviços do Arquivo Municipal. Ficha de Actividade Tipo: Visitas de Estudo Tema: Faz de conta que somos de papel Público-alvo: Alunos Pré-escolar e 1º ciclo Equipa: Serviço Educativo Arquivo Municipal Calendarização: Todo o ano. Agendadas

Leia mais

Metodologia de Dissertação II. Renata Lèbre La Rovere IE/UFRJ

Metodologia de Dissertação II. Renata Lèbre La Rovere IE/UFRJ Metodologia de Dissertação II Renata Lèbre La Rovere IE/UFRJ Bibliografia desta aula FARIA, M.F.B; VINHA, V.G.da; LA ROVERE, R.L. Orientações gerais para elaboração de dissertações e teses de doutorado

Leia mais

Palavras-chaves: Laboratórios de Física; Experimentos de Física; Revista Brasileira de Ensino de Física.

Palavras-chaves: Laboratórios de Física; Experimentos de Física; Revista Brasileira de Ensino de Física. A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO SOBRE EXPERIMENTOS DE FÍSICA NA REVISTA BRASILEIRA DE ENSINO DE FÍSICA NA LICENCIATURA EM FÍSICA DO IFRN CAMPUS SANTA CRUZ Maria Adna Sena da Silva¹; Rita de Cássia Rocha². ¹IFRN/Campus

Leia mais

REGULAMENTO DE PRÁTICA EDUCACIONAL / PROJETOS INTERDISCIPLINARES Curso de Letras Português e Inglês Licenciatura Currículo: LPI00001

REGULAMENTO DE PRÁTICA EDUCACIONAL / PROJETOS INTERDISCIPLINARES Curso de Letras Português e Inglês Licenciatura Currículo: LPI00001 REGULAMENTO DE PRÁTICA EDUCACIONAL / PROJETOS Fundamentação Legal PARECER CNE/CP 28/2001, DE 02 DE OUTUBRO DE 2001 - Dá nova redação ao Parecer CNE/CP 21/2001, que estabelece a duração e a carga horária

Leia mais

Indisciplina na Escola: Desafio para a Escola e para a Família

Indisciplina na Escola: Desafio para a Escola e para a Família Indisciplina na Escola: Desafio para a Escola e para a Família Francisco Canindé de Assunção Faculdade do Norte do Paraná FACNORTE / SAPIENS canindeassuncao@gmail.com Resumo: Atualmente é comum, nas discussões

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Fundamentos e Metodologia da Educação de Jovens e Adultos I

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Fundamentos e Metodologia da Educação de Jovens e Adultos I PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos e Metodologia da Educação de Jovens e Adultos I Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 3º 1 - Ementa (sumário, resumo) Abordagens histórica,

Leia mais

A CONFLUÊNCIA ENTRE A FORMAÇÃO DO PROFESSOR E O CURRÍCULO: A INCLUSÃO EDUCACIONAL DO ALUNO SURDO.

A CONFLUÊNCIA ENTRE A FORMAÇÃO DO PROFESSOR E O CURRÍCULO: A INCLUSÃO EDUCACIONAL DO ALUNO SURDO. A CONFLUÊNCIA ENTRE A FORMAÇÃO DO PROFESSOR E O CURRÍCULO: A INCLUSÃO EDUCACIONAL DO ALUNO SURDO. Lucineide Machado Pinheiro Universidade Federal de São Paulo / Campus Guarulhos Eixo Temático: Formação

Leia mais

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR Profª. Carla Verônica AULA 03 SUPERVISÃO E PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO Identificar os princípios da gestão participativa; Analisar a dialética do ambiente escolar; Perceber

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Fundamentos teórico-metodológicos

Leia mais

Contribuição da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI)/UERJ à formação de Cuidadores de Idosos

Contribuição da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI)/UERJ à formação de Cuidadores de Idosos Contribuição da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI)/UERJ à formação de Cuidadores de Idosos Silvia Maria Magalhães Costa Rio de Janeiro, 2016 Envelhecimento Populacional: uma conquista e um desafio

Leia mais

A FORMAÇÃO INICIAL DO PEDAGOGO PARA ATUAR NO AMBIENTE HOSPITALAR: LIMITES E PERSPECTIVAS

A FORMAÇÃO INICIAL DO PEDAGOGO PARA ATUAR NO AMBIENTE HOSPITALAR: LIMITES E PERSPECTIVAS A FORMAÇÃO INICIAL DO PEDAGOGO PARA ATUAR NO AMBIENTE HOSPITALAR: LIMITES E PERSPECTIVAS Elizabeth Magda Silva Ferreira Universidade Federal de Pernambuco magda_pedagogia@yahoo.com.br Thamyris Mariana

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA A FORMAÇÃO DOCENTE: CONSIDERAÇÕES DOS PROFESSORES COORDENADORES DO PROGRAMA NA UNINOVE Campus Santo Amaro

AS CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA A FORMAÇÃO DOCENTE: CONSIDERAÇÕES DOS PROFESSORES COORDENADORES DO PROGRAMA NA UNINOVE Campus Santo Amaro AS CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA A FORMAÇÃO DOCENTE: CONSIDERAÇÕES DOS PROFESSORES COORDENADORES DO PROGRAMA NA UNINOVE Campus Santo Amaro Célia Vanderlei da SILVA, Crislaine Aparecida R. SALOMÃO, Elaine

Leia mais

O ENCONTRO ENTRE A EDUCAÇÃO FORMAL E A EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL NO PROGRAMA ESCOLA INTEGRADA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS

O ENCONTRO ENTRE A EDUCAÇÃO FORMAL E A EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL NO PROGRAMA ESCOLA INTEGRADA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS O ENCONTRO ENTRE A EDUCAÇÃO FORMAL E A EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL NO PROGRAMA ESCOLA INTEGRADA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS A concepção de que a educação formal diz respeito à educação escolar e a educação não-formal

Leia mais

Sala de Jogos da matemática à interdisciplinaridade

Sala de Jogos da matemática à interdisciplinaridade Sala de Jogos da matemática à interdisciplinaridade Orientadora: Eliane Lopes Werneck de Andrade Matrícula SIAPE: 1697146 Orientada: Vitória Mota Araújo Matrícula UFF: 000105/06 Palavras-chave: Interdisciplinaridade,

Leia mais

A ARQUEOLOGIA SUL MATO-GROSSENSE INSERIDA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

A ARQUEOLOGIA SUL MATO-GROSSENSE INSERIDA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL A ARQUEOLOGIA SUL MATO-GROSSENSE INSERIDA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Erony Vieira Martins de Jesus 1 Ilza Alves Pacheco 2 Kleide Ferreira de Jesus 3 O presente trabalho teve como objetivo Utilizar

Leia mais

PROJETO: MUSEU-ESCOLA 1

PROJETO: MUSEU-ESCOLA 1 PROJETO: MUSEU-ESCOLA 1 Fernanda Regina Fuzzi fernanda_fr8@hotmail.com Estudante do 3º ano de Geografia Ruth Künzli ruth@fct.unesp.br Professora do curso de Geografia Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ANDRADINA NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO DO TRABALHO, SE HOUVER

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ANDRADINA NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO DO TRABALHO, SE HOUVER FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ANDRADINA NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO DO TRABALHO, SE HOUVER ANDRADINA/SP 2016 NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO:

Leia mais

AS PERSPECTIVAS DE UMA PEDAGOGIA INTER/MULTICULTURAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

AS PERSPECTIVAS DE UMA PEDAGOGIA INTER/MULTICULTURAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL AS PERSPECTIVAS DE UMA PEDAGOGIA INTER/MULTICULTURAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo Simone de Jesus Sena da Silva Sousa IESM Carmen Lúcia de Oliveira Cabral - UFPI O presente estudo traz uma reflexão

Leia mais

A MESA EDUCADORA COMO PROPOSTA PEDAGÓGICA

A MESA EDUCADORA COMO PROPOSTA PEDAGÓGICA A MESA EDUCADORA COMO PROPOSTA PEDAGÓGICA Lisiane Gazola Santos Nanci Gabriela Cardoso Fernandes Resumo: Este trabalho visa acompanhar e analisar a continuidade de um projeto de formação de educadores

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Educação Física. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Educação Física. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Educação Física Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º 1 - Ementa (sumário, resumo) Educação Física: contextualização

Leia mais

ATENDIMENTO DAS CRIANÇAS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NA ESCOLA MUNICIPAL PROCOPENSE DE EDUCAÇÃO ESPECIAL

ATENDIMENTO DAS CRIANÇAS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NA ESCOLA MUNICIPAL PROCOPENSE DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ATENDIMENTO DAS CRIANÇAS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NA ESCOLA MUNICIPAL PROCOPENSE DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Heveline Viana de Barros (PIBIC/Fund. Araucária), Roberta Negrão de Araújo, Marília

Leia mais

Apêndice I - Termo de Consentimento

Apêndice I - Termo de Consentimento APÊNDICES i ii Apêndice I - Termo de Consentimento TERMO DE CONSENTIMENTO (Dos Gestores) (Coordenadores) (Professores) Eu,, abaixo assinado, Professor da Escola, jurisdicionada a SEDO- Secretária de Educação

Leia mais

MAIS. São Paulo CLARETIANO. Concurso Público. Curso Preparatório para PRA QUEM QUER MAIS EXPERIÊNCIA. MAIS RECONHECIMENTO.

MAIS. São Paulo CLARETIANO. Concurso Público. Curso Preparatório para PRA QUEM QUER MAIS EXPERIÊNCIA. MAIS RECONHECIMENTO. Curso Preparatório para Concurso Público de Diretor e Supervisor da SEE/SP MAIS EXPERIÊNCIA. MAIS RECONHECIMENTO. CLARETIANO PRA QUEM QUER MAIS São Paulo RUA MARTIM FRANCISCO, 604 SANTA CECÍLIA - PRÓXIMO

Leia mais

Iris Maciel Pantoja

Iris Maciel Pantoja Iris Maciel Pantoja irismacielpantoja@gmail.com Modalidade de Ensino e Público Envolvido Anos finais do Ensino Fundamental e EJA (Educação de Jovens e Adultos 3ª e 4ª etapa). 1472 Alunos. 73 Professores.

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM EDUCAÇÃO FÍSICA ESPECIAL/ESPORTE ADAPTADO (EGRESSOS DA ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL DEFICIÊNCIA MENTAL) Hugo Mauricio Yamasaki 1 Rosangela Marques Busto 2 Maria Cristina

Leia mais

A Construção Coletiva do Projeto Político-Pedagógico

A Construção Coletiva do Projeto Político-Pedagógico A Construção Coletiva do Projeto Político-Pedagógico PPP NA ESCOLA: 1 - ESTABELECE UMA DIREÇÃO, UMA INTENCIONALIDADE. 2 - EXIGE UMA REFLEXÃO ACERCA DA CONCEPÇÃO DE ESCOLA E SUA RELAÇÃO COM A SOCIEDADE.

Leia mais

11) Incrementar programas de mobilidade e intercâmbio acadêmicos. Propiciar a um número maior de discentes a experiência de interação

11) Incrementar programas de mobilidade e intercâmbio acadêmicos. Propiciar a um número maior de discentes a experiência de interação Apresentação A vocação natural da instituição universitária é fazer-se um centro de convergência e articulação de esforços intelectuais, científicos, artísticos e culturais, estimulando o pensamento crítico,

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO BÁSICA DA UFRRJ

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO BÁSICA DA UFRRJ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO BÁSICA DA UFRRJ Núcleo de disciplinas de formação pedagógica comum a todas as Licenciaturas (300 h ou 330 h) Período Filosofia da Educação

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Avaliação do Ensino Aprendizagem Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 8º 1 - Ementa (sumário, resumo) Contextualização histórica

Leia mais

O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DE UMA PESQUISA

O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DE UMA PESQUISA O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DE UMA PESQUISA NAZARETH, Joamar Zanolini UNIUBE jonazareth@mednet.com.br ABREU-BERNARDES, Sueli Teresinha UNIUBE sueli.bernardes@uniube.br ET: Educação, arte e filosofia / n.º

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENGENHARIA AMBIENTAL EAD

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENGENHARIA AMBIENTAL EAD RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENGENHARIA AMBIENTAL EAD Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Engenharia Ambiental - Campus EAD INDICADOR Curso* Campus EAD* ÍNDICE DE AVALIAÇÃO

Leia mais

DIDÁTICA E PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO: INVESTIGANDO PRÁTICAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM EM UMA ESCOLA PÚBLICA

DIDÁTICA E PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO: INVESTIGANDO PRÁTICAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM EM UMA ESCOLA PÚBLICA DIDÁTICA E PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO: INVESTIGANDO PRÁTICAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM EM UMA ESCOLA PÚBLICA Autor (1); David Rogério Santos Silva; Coautor (2); Silvana Ferreira Lima; Orientadora (3); Cilene

Leia mais

SEXUALIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES DE PROFESSORAS NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE-PB

SEXUALIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES DE PROFESSORAS NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE-PB SEXUALIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES DE PROFESSORAS NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE-PB Autora: Janaina Justino Marques (UEPB) E-mail: janainajustinomarques@gmail.com INTRODUÇÃO: A infância é um

Leia mais

OS RECURSOS TECNOLÓGICOS UTILIZADOS PELOS ALUNOS DO PEG

OS RECURSOS TECNOLÓGICOS UTILIZADOS PELOS ALUNOS DO PEG OS RECURSOS TECNOLÓGICOS UTILIZADOS PELOS ALUNOS DO PEG RESUMO CARLOS EDUARDO WEIZENMANN 1 RAFAELA JARDIM 2 KARLA MARQUES DA ROCHA 3 Este trabalho tem por objetivo apresentar os resultados obtidos por

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Planejamento e Avaliação Educacional. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Planejamento e Avaliação Educacional. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Planejamento e Avaliação Educacional Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário resumo) Aspectos históricos e socioeconômicos

Leia mais

Aldeias Infantis SOS Brasil

Aldeias Infantis SOS Brasil 1) Dados organizacionais 1.1. Entidade Proponente Aldeias Infantis SOS Brasil 1.2. CNPJ 35.797.364/0002-00 1.3. Endereço Avenida Nossa Senhora de Lourdes, 85, Jardim Débora, CEP. 08566-600 Poá/SP. Telefones

Leia mais

FUTUROS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DESENVOLVENDO ATIVIDADES PEDAGÓGICAS NÃO FORMAIS Anemari Roesler Luersen Vieira Lopes - UFSM

FUTUROS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DESENVOLVENDO ATIVIDADES PEDAGÓGICAS NÃO FORMAIS Anemari Roesler Luersen Vieira Lopes - UFSM 1 FUTUROS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DESENVOLVENDO ATIVIDADES PEDAGÓGICAS NÃO FORMAIS Anemari Roesler Luersen Vieira Lopes - UFSM INTRODUÇÃO A formação de professores ocupa atualmente lugar de destaque

Leia mais

COORDENAÇÃO DOS PROCESSOS EDUCATIVOS EM ESPAÇO NÃO ESCOLAR - A INSTITUIÇÃO DO SEBRAE/RN

COORDENAÇÃO DOS PROCESSOS EDUCATIVOS EM ESPAÇO NÃO ESCOLAR - A INSTITUIÇÃO DO SEBRAE/RN 1 COORDENAÇÃO DOS PROCESSOS EDUCATIVOS EM ESPAÇO NÃO ESCOLAR - A INSTITUIÇÃO DO SEBRAE/RN Resumo Sandra Sinara Bezerra (POSEDUC, UERN). Sinara_marinho@hotmail.com Ciclene Alves da Silva (UERN). ciclenealves@bol.com.br

Leia mais

Introdução. Évora, 18 de outubro de 2014. A Direção da Associação

Introdução. Évora, 18 de outubro de 2014. A Direção da Associação Introdução A dos Amigos da Ludoteca, em parceria com a Câmara Municipal de Évora na promoção dos Direitos da Criança e da Família, pretende desenvolver em 2015 um Plano de Atividades que promova o Direito

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO PLUVIÔMETRO ARTESANAL PARA O ESTUDO DAS CHUVAS

A CONSTRUÇÃO DO PLUVIÔMETRO ARTESANAL PARA O ESTUDO DAS CHUVAS 257 A CONSTRUÇÃO DO PLUVIÔMETRO ARTESANAL PARA O ESTUDO DAS CHUVAS Zilda de Fátima Mariano Coordenadora de área Régia Estevam Alves Supervisora Elisa Regina da Cruz Taís Aparecida Oliveira Rosilene Carvalho

Leia mais

UM OLHAR AMPLIADO PARA A QUALIDADE: DESAFIO CONTEMPORÂNEO E MUNDIAL PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA.

UM OLHAR AMPLIADO PARA A QUALIDADE: DESAFIO CONTEMPORÂNEO E MUNDIAL PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. UM OLHAR AMPLIADO PARA A QUALIDADE: DESAFIO CONTEMPORÂNEO E MUNDIAL PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. São Paulo/SP Maio/2016 Juliana Bezerra Joaquim Campos - UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo - juliana.jbj2013@gmail.com

Leia mais

PARALISIA CEREBRAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA ACERCA DA INCLUSÃO ESCOLAR

PARALISIA CEREBRAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA ACERCA DA INCLUSÃO ESCOLAR EDUCAÇÃO FÍSICA E PARALISIA CEREBRAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA ACERCA DA INCLUSÃO ESCOLAR Gabrielle Cristina Sanchez Adriana Garcia Gonçalves São Carlos - UFSCar Eixo Temático: 9 Pesquisa e Inovação Metodológica

Leia mais

ANÁLISE DAS INTERFACES DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO NA GESTÃO E NO PROJETO PEDAGÓGICO EM UMA ESCOLA PÚBLICA EM BELÉM-PA. RESUMO

ANÁLISE DAS INTERFACES DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO NA GESTÃO E NO PROJETO PEDAGÓGICO EM UMA ESCOLA PÚBLICA EM BELÉM-PA. RESUMO ANÁLISE DAS INTERFACES DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO NA GESTÃO E NO PROJETO PEDAGÓGICO EM UMA ESCOLA PÚBLICA EM BELÉM-PA. RESUMO Ana Paula da Costa Nunes 1 Ney Cristina Monteiro de Oliveira 2 Esta trabalho

Leia mais

http://www.ftd.com.br/ Repletos de textos ilustrados e atividades de gramática e ortografia, os livros da coleção Porta Aberta - Portuguesa atendem às necessidades de aprendizagem de diferentes faixas

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO PROGRAMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO BÁSICO

CONTRIBUIÇÕES DO PROGRAMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO BÁSICO ISSN: 2237-8022 (on-line) ISSN: 2318-4469 (CD-ROM) CONTRIBUIÇÕES DO PROGRAMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO BÁSICO RESUMO Terezinha Severino da SILVA terezinhasilvafeitas@yahoo.com.br

Leia mais

IV ENCONTRO DO PIBID DO IFMG - 24 e 25 de setembro de 2015

IV ENCONTRO DO PIBID DO IFMG - 24 e 25 de setembro de 2015 DISLEXIA SOU DIFERENTE, APRENDO DIFERENTE. 1 REIS, S. T. - IFMG campus Ouro Preto- sheilareisop@yahoo.com.br; 2 RAMALHO, M. S. - IFMG campos Ouro Preto- marcileneramalho@yahoo.com.br; 3 BARBOSA. C. G.

Leia mais

A Prática Profissional terá carga horária mínima de 400 horas distribuídas como informado

A Prática Profissional terá carga horária mínima de 400 horas distribuídas como informado INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR UNIDADE ACADÊMICA DE LICENCIATURAS E FORMAÇÃO GERAL CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA CAMPUS JOÃO PESSOA Prática

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA E PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL II DE TANGARÁ DA SERRA, MT

FORMAÇÃO CONTINUADA E PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL II DE TANGARÁ DA SERRA, MT FORMAÇÃO CONTINUADA E PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL II DE TANGARÁ DA SERRA, MT Cicero Manoel da Silva Adailton Alves Da Silva Resumo A auto formação e os programas

Leia mais

TRABALHANDO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ECOSSISTEMA MANGUEZAL NO ENSINO FUNDAMENTAL I. Andreza Barboza da Silva; Ana Paula Santos Fidelis

TRABALHANDO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ECOSSISTEMA MANGUEZAL NO ENSINO FUNDAMENTAL I. Andreza Barboza da Silva; Ana Paula Santos Fidelis TRABALHANDO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ECOSSISTEMA MANGUEZAL NO ENSINO FUNDAMENTAL I. Andreza Barboza da Silva; Ana Paula Santos Fidelis Universidade Federal de Pernambuco andrezabarbozasilva@hotmail.com ppfidelis@gmail.com

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Tópicos Contemporâneos Carga Horária Semestral: 40 horas Semestre do Curso: 4º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceitos teóricos: Moral

Leia mais

PROJETO CONSTRUINDO SABERES

PROJETO CONSTRUINDO SABERES PROJETO CONSTRUINDO SABERES Justificativa: O Projeto Construindo Saberes em Língua Portuguesa e Matemática, justifica-se pela importância de ser um instrumento de apoio pedagógico e didático para sanar

Leia mais

Relatório Geral de Corpo Docente, Discente e Técnico Administrativo.

Relatório Geral de Corpo Docente, Discente e Técnico Administrativo. Relatório Geral de Corpo Docente, Discente e Técnico Administrativo. Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UNILAGO Q1 A UNILAGO define com clareza sua missão 4,19 Q2 A UNILAGO define com clareza

Leia mais

A PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO SOBRE A FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL

A PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO SOBRE A FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL A PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO SOBRE A FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL Jorsinai de Argolo Souza 1 Isabel Cristina de Jesus Brandão 2 INTRODUÇÃO Este estudo tem como objetivo apresentar

Leia mais

E.M.E.F. ESCOLA NOVA DO AMBRÓSIO GAROPABA SC

E.M.E.F. ESCOLA NOVA DO AMBRÓSIO GAROPABA SC E.M.E.F. ESCOLA NOVA DO AMBRÓSIO GAROPABA SC PODERÍAMOS SER UMA BOA ESCOLA NÃO FOSSE A NOSSA VONTADE DE SER EXTRAORDINÁRIA EXISTIMOS PARA TRANSFORMAR A EDUCAÇÃO E DESENVOLVER CIDADÃOS CONSCIENTES DE SUAS

Leia mais